Você está na página 1de 1

As diferenças regionais também são marcantes: A política demográfica dos governos militares

enquanto nos estados das regiões Sul, Sudeste pós-1964 foi marcada por atos contraditórios. A
e Centro-Oeste a taxa de fecundidade situa-se Constituição de 1967 instituiu o salário-família:
entre 1,9 e 2,2 filhos por mulher, nas regiões um adicional de 5% no salário dos pais para
Norte e Nordeste, marcadas pela disseminação cada filho menor; já o presidente Médici
da pobreza rural, essa taxa varia entre 2,4 e 3,3 costumava-se referir ao peso dos grandes
filhos por mulher. investimentos demográficos a que o país se
OS INVESTIMENTOS DEMOGRÁFICOS obrigava em razão do alto incremento vegetativo
A estrutura etária da população tem reflexos da população. Nenhuma política estatal de
importantes na economia de um país. Uma controle da natalidade foi adotada, mas o
grande porcentagem de crianças e jovens na Estado apoiava os programas de redução da
população total gera uma grande demanda por natalidade patrocinados por entidades civis.
01. (UFES) É correto afimar que “transição investimentos estatais em educação e em A Sociedade Brasileira de Bem-Estar Familiar
demográfica” refere-se ao período de: programas de saúde voltados para a população (Bemfam), fundada em 1965, é a mais importante
a) alto crescimento natural, devido à infantil. No extremo oposto, a existência de um dessas entidades. Ela é uma espécie de matriz
número relativamente alto de idosos na brasileira da Federação Internacional de Planeja-
elevação das taxas de natalidade e de
população também gera demandas financeiras mento Familiar (IPPF), um organismo destinado a
mortalidade;
ao Estado, principalmente em aposentadorias e promover programas de controle da natalidade
b) baixo crescimento natural, situado entre
programas específicos de saúde e assistência em todo o mundo subdesenvolvido. As
dois períodos de grande crescimento social. fundações Ford e Rockefeller, a United States
demográfico; Como vimos, a estrutura etária da população Agency for International Development (Usaid),
c) baixo crescimento populacional, devido a brasileira está em rápida mutação. Em 1980, 38% ligada ao Departamento de Estado dos EUA, e o
baixas taxas de natalidade e de da população brasileira tinha entre 0 e 14 anos Banco Mundial são os principais agentes
mortalidade; de idade; em 2000, esse percentual já havia de-
financiadores da IPPF.
d) elevado crescimento demográfico, devido caído para 29% e, de acordo com as projeções
A distribuição de pílulas anticoncepcionais, a
à alta das taxas de natalidade e de do IBGE, em 2020 as crianças e os jovens
esterilização em massa de mulheres em idade
mortalidade; menores de 14 anos serão apenas 23% da po-
pulação do país. Em paralelo, a participação reprodutiva (muitas vezes sem o consentimento
e) elevado crescimento natural, situado delas) e a introdução de dispositivos intra-
entre dois estágios de pequeno relativa dos idosos na população total vem
aumentando significativamente: em 1980, as uterinos (DIUs) fazem parte do programa dessas
crescimento demográfico. entidades no Brasil. Laboratórios farmacêuticos,
pessoas com mais de 60 anos de idade
02. (Enem) O quadro a seguir mostra a representavam apenas 6% da população interessados em popularizar o uso de métodos
taxa de crescimento natural da brasileira, em 2000 já eram 7,1% e, em 2020, anticoncepcionais, oferecem a elas polpudos
população brasileira no século XX. serão 13% (fig. 4). donativos. Em muitos casos, os métodos são
Mudanças na estrutura etária da população aplicados sem o acompanhamento médico
necessário, acarretando graves problemas de
saúde às mulheres que participam do programa.
A contraditória política demográfica dos governos
militares revela a existência de interesses diver-
gentes no aparelho de Estado, fruto das
diferenças de opiniões entre forças poderosas na
sociedade. A aliança dos militares com o capital
multinacional explica o incentivo aos programas
de redução da natalidade promovidos por
entidades civis (subsidiadas por organismos
internacionais). Assumir uma posição oficial
Figura 04. Fonte: IBGE.Tendências demográficas: Uma antinatalista e difundir, por meio do sistema
análise dos resultados da sinopse preliminar do senso
demográfico 2000. Rio de Janeiro, IBGE. 2001.
público de saúde, métodos anticoncepcionais
Fonte: IBGE, Anuários Estatísticos do Brasil.
tais como a pílula e o DIU significava romper com
De acordo com as estatísticas oficiais, 97% da os dogmas da Igreja Católica.
Analisando os dados, podemos população entre 7 e 14 anos freqüentavam a
caracterizar o período entre: A Constituição de 1988, em vigor, refere-se ao
escola em 2002. Como a população nessa faixa
planejamento familiar (determinação do número
a) 1920 e 1960, como de crescimento do etária tende a diminuir em termos relativos e a
de filhos por casal) como “uma livre decisão do
planejamento familiar; permanecer estável em termos absolutos, não
próprio casal”. Entretanto determina que
b) 1950 e 1970, como de nítida explosão será necessário ampliar o número de vagas já
existentes nas escolas de ensino fundamental “compete ao Estado propiciar recursos
demográfica; educacionais e científicos para o exercício desse
c) 1960 e 1980, como de crescimento da do país. Agora, o problema reside na melhoria
da universalização do ensino médio e na direito de livre decisão sobre o planejamento
taxa de fertilidade; familiar”. Pelo menos na letra da lei, o Brasil
melhoria da qualidade das escolas, em todos os
d) 1970 e 1990, como de decréscimo da adotou o caminho correto: a família tem o direito
níveis.
densidade demográfica; de decidir, mas o Estado tem o dever de
e) 1980 e 2000, como de estabilização do A POLÍTICA DEMOGRÁFICA
fornecer os meios necessários para que esse
crescimento demográfico. Historicamente, o estado brasileiro estimulou o direito seja exercido.
crescimento demográfico. A Constituição de 1934
03. (Enem) Ao longo do século XX, as afirmava o dever do Estado de “socorrer as
características da população brasileira famílias de prole numerosa”; a Constituição de
mudaram muito. Dentre os fatores que 1937 assegurava às famílias numerosas compen- Exercício
contribuiram para essa mudança sações na proporção de seus encargos”. Em
destacam-se: 1941, Getúlio Vargas assinava um decreto-lei 01. (UFV–MG) Em 2003, o governo
a) o aumento relativo da população rural é obrigando solteiros e viúvos maiores de 25 anos, brasileiro propôs mudanças no
acompanhado pela redução da taxa de de ambos os sexos, a pagar um adicional de 10% sistema da Previdência Social que
fecundidade; sobre o imposto de renda, certamente inspirado culminaram numa ampliação do tempo
b) quando predominava a população rural,
pela política natalista italiana. O “amparo às de contribuição do trabalhador
famílias de prole numerosa” manteve-se como brasileiro para a Previdência Social.
as mulheres tinham em média três vezes
uma obrigação legal na Constituição de 1946, que Assinale a mudança na dinâmica
menos filhos do que hoje; garantia um abono especial aos pais de mais de
c) a diminuição relativa da população rural
populacional brasileira que foi utilizada
seis filhos. como argumento pelo governo para
coincide com o aumento do número de Nessa época, o governo acreditava que o alto justificar o aumento do tempo de
filhos por mulher; crescimento vegetativo era um fator de progresso. contribuição do trabalhador.
d) quanto mais aumenta o número de Começavam o desenvolvimento industrial e a
pessoas morando em cidades, maior urbanização, e acreditava-se que a alta natalidade a) Crescimento da população jovem.
passa a ser a taxa de fecundidade; geraria um fluxo contínuo de mão-de-obra b) Crescimento da população infantil.
e) com a intensificação do processo de abundante e barata. Com a “marcha para o c) Aumento na expectativa de vida.
urbanização, o número de filhos por Oeste”, a ocupação dos vazios demográficos d) Queda das taxas de fecundidade.
mulher tende a ser menor. interiores constituía um objetivo nacional de e) Diminuição da taxa de crescimento
ordem geopolítica.