Você está na página 1de 1

1. Ela não veio porque choveu.

Português Classe gramatical do porque: conjun-


ção subordinativa adverbial causal.
2. Você não ficou no emprego porque não
Professor João BATISTA Gomes
quis.
Classe gramatical do porque: conjun-
Aula 21 ção subordinativa adverbial causal.
3. Ela não se casa porque não quer.
Ortografia Classe gramatical do porque: conjun-
GRAFIAS ESPECIAIS ção subordinativa adverbial causal.
1. Uso dos porquês 4. Chegou atrasada porque acordou
tarde.
a) Por que interrogativo – Usa-se em frases FORMAS VARIANTES
Classe gramatical do porque: conjun-
interrogativas. Se vier no início da frase, não Formas paralelas ou variantes – São palavras de
ção subordinativa adverbial causal.
leva acento gráfico; no fim da frase, o “quê” nossa língua que admitem duas grafias corretas com
(pronome interrogativo) é acentuado obri- e) Porquê – É substantivo. Aparece sempre o mesmo significado. Eis uma lista:
gatoriamente. Veja exemplos: precedido de artigo, pronome ou numeral. abdome e abdômen abdome e abdômen
1. Por que você não procura um marido? Tem plural normal: porquês. acordeom e acordeão geringonça e gerigonça
2. Você não procura um marido por quê? 1. Eis aqui o porquê da minha descon- acuação e acuamento glute e glúten
3. Diga-me por que você está chorando? fiança. afeminado e efeminado gorila e gorilha
4. Você está chorando por quê? aluguel e aluguer guidão e guidom
2. Este porquê merece acento gráfico.
aritmética e arimética hem? e hein?
b) Por que = pelo qual – Quando se pode 3. Um porquê malgrafado é indício de má
arrebitar e rebitar hemorróidas e hemorróides
trocar o “por que” pelas expressões “pelo vivência com a língua escrita.
arremedar e remedar idealizar e idear
qual”, “pela qual”, “pelos quais”, “pelas 4. Todos os porquês do texto estavam mal- assoalho e soalho imundícia, imundície e
quais”, ele será grafado separadamente. empregados. assobiar e assoviar imundice
Veja exemplos: 5. No texto, havia dois porquês com fun- assoprar e soprar inadimplemento e
ção de sujeito. azálea e azaléia inadimplência
1. Quero saber o motivo por que você de-
sistiu. 6. Por que você não acentuou o porquê? azêmola e azêmela índice e índex
bêbado e bêbedo intacto e intato
Quero saber o motivo pelo qual você
2. Uso de MAL e MAU bebedouro e bebedoiro intrincado e intricado
desistiu.
bilhão e bilião jacto e jato
2. As razões por que não me caso são a) Mal – Como advérbio, significa irregular,
bílis e bile jângal e jângala
óbvias. diferente do que deveria ser; imperfeito,
biscoito e biscouto joalheria e joalharia
As razões pelas quais não me caso erradamente. Deve-se empregá-lo quando
boicotagem e boicote labareda e lavareda
são óbvias. é possível substituí-lo pelo antônimo: bravo e brabo lambril e lambri
3. Todos sabem o motivo por que você bem. carroçaria e carroceria lance e lanço
não namora. Hífen – Mal provoca hífen (na formação catorze e quatorze lantejoula e lentejoula
Todos sabem o motivo pelo qual você de adjetivos) diante de palavra iniciada catucar e cutucar limpar e alimpar
não namora. certame e certâmen lisonjear e lisonjar
por vogal e h. Veja os exemplos:
chipanzé e chimpanzé azêmola e azêmela
c) Por que = por qual motivo – Quando se 1. Depois do discurso, o senador ficou clina e crina loto e lótus
pode trocar o “por que” pela expressão com um ligeiro mal-estar. cociente e quociente louça e loiça
“por qual motivo”, grafa-se separadamen- 2. O bandido explicou que, ao ver a cota e quota louro e loiro
te. Veja exemplos: mulher com outro, passou mal. cotidiano e quotidiano lousa e loisa
3. O atleta, apesar da noite maldormida, cotizar e quotizar luxemburguês e
1. Queremos saber por que você não
acordou cedinho para correr na Vila covarde e cobarde luxemburguense
veio.
Olímpica. cuspe e cuspo madrileno e madrilense
Queremos saber por qual motivo você
dactilografar e datilografar magrelo e magricela
não veio. 4. Não me venha com histórias malconta-
degelar e desgelar malandrar e malandrear
2. Ela não veio hoje não sei por quê. das.
demonstrar e demostrar mamilo e mamila
Ela não veio hoje não sei por qual Voz passiva – Se a frase estiver na voz dependurar e pendurar manietar e maniatar
motivo. passiva analítica (ser + particípio), tem-se desenxavido e desenxabido manjedoura e manjadoura
3. Não me leve a mal. Só quero entender o “mal” (advérbio) separado do particípio. ducto e duto mantedor e mantenedor
por que você age assim. Veja exemplos: duradouro e duradoiro maquete e maqueta (ê)
Não me leve a mal. Só quero entender 1. O bife foi mal passado pela cozinheira. edredão e edredom maquiagem e maquilagem
por qual motivo você age assim. (voz passiva)
elucubração e lucubração marimbondo e maribondo
empanturrar e empaturrar marouço e maroiço
Exemplos analisados: A cozinheira passou o bife mal. (voz
enfarte e infarto mastruz e mastruço
ativa).
1. Por que você teima em dizer que não engambelar e engabelar menosprezo e menospreço
2. A história foi mal contada pelo marido. enlambuzar e lambuzar mobiliar, mobilhar e mobilar
me ama?
(voz passiva) entoação e entonação moldurar e emoldurar
Valor morfológico do por: preposição.
Valor morfológico do que: pronome in- O marido contou mal a história. (voz enumerar e numerar molenga e molengo

terrogativo. ativa). espuma e escuma monitoração e


b) Mau – É um adjetivo. Que causa mal, pre- estalar e estralar monitoramento
2. Você já disse que gastou o dinheiro,
juízo ou moléstia; de má qualidade, infe- este e leste mourão e moirão
mas não explicou por quê.
rior; nocivo, de má índole, ruim. Deve-se exorcizar e exorcismar mouro e moiro
Valor morfológico do por: preposição.
feiticismo e fetichismo neblina e nebrina
Valor morfológico do quê: pronome in- empregá-lo quando é possível substituí-lo
flauta e frauta nenê e nenen
terrogativo (= qual). pelo antônimo: bom.
flecha e frecha parasita e parasito
3. Ela o trai abertamente; você quer saber Hífen – Mau só provoca hífen em quatro fleuma e fleugma parêntese e parêntesis
por quê? palavras de nossa língua. Veja-as com o frenesi e frenesim percentagem e porcentagem
Valor morfológico do por: preposição. respectivo plural: gabola e gabarola plancha e prancha
Valor morfológico do quê: pronome gabação e gabamento
Mau-caráter maus-caracteres
interrogativo (= qual). gazetar e gazear
Mau-olhado maus-olhados
grajau e garajau
d) Porque – Usa-se em frase-resposta. É con- Maus-tratos os maus-tratos
junção adverbial causal. Veja exemplos: Mau-vizinho (planta) maus-vizinhos.