Você está na página 1de 1

sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento, rea-

Geografia lizada em 1992, no Rio de Janeiro (Eco 92), os


representantes de 178 governos manifestaram
sua preocupação em relação ao fato de colocar
Professor ABDEL Jafar em risco o patrimônio natural (entre os quais os
recursos hídricos do Planeta) das gerações futu-
ras. No fim da conferência, foi lançada a “Carta
Aula 33
da Terra”, na qual, entre várias políticas referen-
tes aos recursos naturais, foram lançadas as ba-
A hidrografia ses para a adoção do controle dos recursos hí-
dricos” (PITTE, Jean-Robert (coord). Geografia: a
Estados físicos da água – A água pode ser
natureza humanizada. FTD, p. 104. São Paulo, 2000).
encontrada na natureza nos seus três estados
A água realiza um importante papel nos meca- 01. (G1) Assinale (V) verdadeiro ou (F) falso
físicos:
nismos que caracterizam os climas e dos pro- nas afirmativas a seguir:
a) Vapor – ou de cristais de gelo na atmosfera.
cessos de modelagem (esculturação) do relevo ( ) a) Na superfície terrestre, encontramos 75% de
b) Líquido – na superfície do Planeta, fluindo terrestre. A fauna e a flora de uma região também
sobre o relevo, abrindo vales e formando os terras imersas e 25% de terras emersas.
estão condicionadas e adaptadas à sua presença
rios. ( ) b) As terras imersas correspondem aos conti-
em abundância ou não.
g) Sólido – em virtude das baixas temperaturas nentes e às ilhas, e as terras emersas ao leito
A distribuição geográfica da população foi, ao
verificada nas altas latitudes e altitudes, ela dos rios, lagos e barragens.
longo da história, influenciada pela ocorrência
acumula-se, produzindo as geleiras. ( ) c) O Brasil é um país privilegiado, pois possui
ou não de recursos hídricos. Muitas civilizações
Nos continentes, a água pode estar acumulada estabeleceram-se nas margens de importantes em seu território as duas maiores bacias hi-
nos lagos ou nos lençóis subterrâneos. As partes rios e ficaram conhecidas como “civilizações do drográficas do mundo, a Amazônica e a Pla-
mais baixas do planeta, os vasos oceânicos, fo- regadio”. Acredita-se que o controle da água do- tina.
ram preenchidos por águas que deram origem ce, especialmente para a irrigação, foi um impor- ( ) d) Além de possuir as duas maiores bacias hi-
aos grandes mares e oceanos. tante fator para a ascensão econômica e tecno- drográficas, o Brasil beneficia-se de rios pe-
Elemento vital – Ela é um dos elementos primor- lógica de várias civilizações. O rio Nilo foi o ber- renes, rios navegáveis e rios com grande po-
diais para a existência e sobrevivência dos ho- ço da civilização egípcia. O “Crescente Fértil” viu
tencial hidrelétrico.
mens, dos animais e das plantas. A água cobre nascer e expandir as civilizações da Mesopotâ-
mia (região situada entre os rios Tigre e Eufra- ( ) e) Hoje, o principal recurso natural e energético
quase 71% da superfície do planeta Terra contra
tes). Os gregos tinham uma relação estreita com é o petróleo; no futuro, tudo indica que o re-
29% das terras emersas. Este recurso natural é
tão importante para a humanidade que, desde a os mares que circundavam suas colônias na Jô- curso geoestratégico será a água.
antiguidade, muitas de nossas cidades tiveram nia e no mar Egeu.
02. (G1) O caminho percorrido por um rio,
origem nas margens de importantes rios. “As ci- Rio – Corrente de água que escoa da parte mais
desde a nascente até a foz, chama-se:
vilizações do antigo Egito, da Índia e da Meso- alta para a parte mais baixa do terreno por ação
potâmia chamam-se civilizações hidráulicas. Sua da gravidade. Na parte mais alta, encontram-se a) leito;
ascensão e subseqüente queda estão intima- as nascentes; nas mais baixas, a foz ou a desem- b) cabeceira;
mente relacionadas à existência da água”, como bocadura. Um rio pode ter escoamento perene c) margens;
afirma o geógrafo David Drew. ou temporário (intermitente) que é determinado d) afluente;
Produto disputado – Nas últimas décadas, vem- pelas condições climáticas das regiões por onde
e) curso.
se transformado num produto cada vez mais corre. Os rios podem ser diferenciados pelo ta-
disputado. O aumento da população, da urba- manho (extensão, volume, profundidade), pelo 03. (G1) Assinale a alternativa correspondente
nização e a intensificação dos processos indus- tipo de terreno em que correm (se suas águas à formação do lençol freático:
triais e agropecuários colocam em risco as re- vão ser barrentas ou não), pela direção que to-
mam no terreno (vertendo para o litoral: exorréi- a) Água que escoa sobre a superfície terrestre.
servas naturais deste produto. Segundo o Banco
cos; para o interior: endorréicos), ou pela sua b) Água doce ou salgada acumulada nas depres-
Mundial, o mundo está sob ameaça de uma cri-
se geral de água potável. Essa ameaça está na posição em relação aos outros rios em uma ba- sões do terreno.
raiz de conflitos entre povos em vários lugares cia hidrográfica. c) Água que se infiltra, indo alimentar as reservas
do Planeta. Acredita-se que, em pouco tempo, a A alimentação de um rio pode ser pelas chuvas subterrâneas.
humanidade estará dividida entre os que têm e (pluvial) ou pelo derretimento da neve (nival ou d) Água que se evapora, retornando à atmosfera.
os não têm acesso a estes recursos. niveal). Há os que recebem grande contribuição e) Cursos de água formados pelo derretimento
Muitas cidades do Brasil e do mundo situam-se por ocasião do derretimento das bordas de algu- de geleiras.
nas margens de um rio ou são cortadas por eles. mas geleiras (glacial). Rios, como o Amazonas,
Nesse sentido, eles fornecem água para o abas- recebem dupla alimentação (pluvionival), pois 04. (Puc-Rio) Um rio, dependendo do seu dé-
tecimento das cidades e para as indústrias. São seus formadores nascem em diferentes regiões. bito e da velocidade do escoamento de
usados como vias naturais de acesso ao interior “O Sol participa do ciclo da água; além de aque- suas águas, desgasta, transporta e deposita
dos continentes e transportam grandes volumes cer a superfície da Terra dando origem aos ven- partículas sólidas.
de cargas e passageiros. Quando barrados po- tos, provoca a evaporação da água dos rios, la- No momento em que o rio chega ao nível
dem gerar energia para suprir as necessidades gos e mares. O vapor da água, ao se resfriar, con-
densa-se em minúsculas gotinhas, que se agru-
do mar ou desemboca em outro rio, isto é,
das cidades ou para possibilitar a perenização
do transporte fluvial quando o volume do seu pam formando as nuvens, as neblinas ou as atinge o seu nível de base, sua capacidade
leito é regularizado. São também, fonte de lazer névoas úmidas. As nuvens podem ser levadas de transportar material sólido:
e divisores naturais entre dois países. pelos ventos de uma região para outra. Com a a) é igual a zero.
condensação e, em seguida, a chuva, a água
“Durante a Conferência das Nações Unidas b) aumenta para jusante.
volta à superfície da Terra, caindo sobre o solo,
c) é maior que na nascente.
d) mantém-se constante.
e) tende a aumentar.

05. (UE-CE) Sobre o ciclo hidrológico ou ciclo


da água, é correto afirmar que:
a) o vapor d’água na atmosfera é oriundo da eva-
poração e da evapotranspiração, podendo
cair sob a forma de chuvas.
b) a infiltração da água precipitada é maior nas
rochas pouco porosas e impermeáveis.
c) a biosfera não tem relação com o movimento
das águas do ciclo.
d) as águas que atingem os lençóis subter-
râneos não integram o movimento do ciclo
hidrológico.
Fonte: New World/Revista da Siemens, n.°1, fev./1998.

Interesses relacionados