Você está na página 1de 1

QUADRO: 03 se equilibrar, na medida em que diminuem as

taxas de natalidade e de mortalidade”. (Marcos


A. Coelho e Lygia Terra. Geografia geral: O
espaço natural e socioeconômico. 4ª ed. São
Paulo. Moderna, 2001.).
Fases do crescimento demográfico

Fonte: ONU, Indicators on population, fev. 2000.


Primeira: abrange os primórdios da humanidade
até o fim do século XVIII. Apresentou elevadas ta-
O homem foi, provavelmente, o animal que mais xas de natalidade e de mortalidade resultando,
se propagou no Planeta. Sua capacidade de por isso, em baixas taxas de crescimento vegeta-
adaptação aos lugares e de desenvolvimento de tivo. A expectativa de vida era muito baixa. Nesse
01. O mecanismo responsável pelo declínio do outras técnicas proporcionaram um formidável período, a população estava totalmente submeti-
crescimento demográfico nos países desen- crescimento populacional. Esse crescimento da às influências das forças da natureza. Aconte-
volvidos foi (foram): também se deu de forma diferenciada no tempo ciam elevadas taxas de mortalidade. A falta de ali-
e no espaço. “Durante todo o Paleolítico, mante- mentos, as doenças (não havia medicamentos
a) As multas aplicadas às famílias com mais de
ve-se relativamente estável. Com a Revolução ou tratamentos eficientes e, inclusive, a compre-
três filhos.
Neolítica, ocorre um crescimento acentuado, que ensão sobre o ciclo evolutivo da doença) e as
b) A melhoria dos padrões de vida da população se mantém praticamente até os dias atuais (com
em geral. guerras eram seus mecanismos mais eficazes.
algumas quedas pouco significativas). É impor- Os países desenvolvidos superaram essa fase
c) Um rígido controle de natalidade. tante salientar que, com o crescimento vertigino- antes dos subdesenvolvidos. Podemos apontar a
d) A distribuição gratuita de pílulas anticoncep- so ocorrido nos últimos trezentos anos (de 1650 Revolução Industrial (século XVII) como marco
cionais e os incentivos às famílias para terem a 1950), a população mundial cresceu de 500 mi- desse período.
menos filhos. lhões para 2,5 bilhões e que, nos últimos quaren-
ta anos, duplicou, ou seja, de 1950 a 1990, pas- Segunda: a “revolução médico-sanitária” provo-
e) A primeira Revolução Industrial.
sou de 2,5 bilhões para mais de 5 bilhões”. cou a queda das taxas de mortalidade. Enquanto
02. Analise as seguintes afirmativas: (PITTE, Jean-Robert (coord). Geografia: a natureza
isso, a natalidade manteve-se elevada, resultan-
I. O progresso econômico e a melhoria nas con- humanizada. São Paulo: FTD, p. 42, 2000). Hoje somos
do numa aceleração do crescimento. Isso ocor-
dições gerais de saúde da população, ocorri- mais de 6 bilhões. reu devido aos avanços na agricultura e na pecu-
dos a partir do final do século XVIII, fizeram ária, proporcionando uma melhoria quantitativa e
O crescimento de uma população envolve três qualitativa na alimentação. Desde a modernida-
despencar as taxas de mortalidade. componentes fundamentais: as taxas de de, o desenvolvimento das ciências, entre elas a
II. Como a natalidade continuou alta, a redução natalidade (e a fecundidade), de mortalidade e as Biologia, a Medicina e a Farmácia, proporcionou
da mortalidade provocou uma alta muito rápi- diversas modalidades de migração. A diferença um melhor conhecimento do corpo humano, das
da na taxa de crescimento vegetativo. entre as taxas de natalidade e de mortalidade doenças e dos tratamentos. A urbanização da
III. Nos países da Europa e da América do Norte, mostra o crescimento vegetativo. Este, por sua população desencadeou uma série de reformas
a queda da mortalidade, registrada desde o vez, pode ser analisado do ponto de vista de três nas cidades, com a instalação de esgotos, coleta
fim do século XIX, ocorreu devido a duas fases. de lixo, tratamento da água, entre outros. Um am-
ordens de fatores: as revoluções agrícola e A taxa de natalidade é obtida pela relação entre o biente mais saudável reduz a proliferação de do-
industrial de um lado e, do outro, as número de nascimentos ocorridos em um ano e enças e pragas.
descobertas médicas e as melhorias das o número de habitantes. Em 1900, a Europa era o segundo continente
condições sanitárias. Fórmula: 02 mais populoso (em primeiro lugar estava a Ásia),
Assinale a alternativa correspondente: Nascimentos X 1000 e, no ano 2000, já era o penúltimo em população.
a) V – V – V. b) V – F – V. c) F – F – F. N = ––––––––––––––––––– Os países da Europa ocidental, os chamados
d) F – F – V. e) V – F – F. Habitantes “desenvolvidos velhos”, foram os primeiros a
A taxa de mortalidade é a relação entre o número atingir essa fase, principalmente durante o século
03. “Sob a influência de seu primeiro diretor-
de óbitos ocorridos em um ano e o número de XIX. Nos países “desenvolvidos novos” (EUA,
geral, Julian Huxley, a Conferência Geral da Canadá, Rússia, Japão), ela ocorreu na primeira
habitantes.
UNESCO reconhecia, já em 1948, que o metade do século XX. Nos subdesenvolvidos, a
mundo pós-guerra tinha pela frente três Fórmula: 03
partir da segunda metade do século XX e, segun-
grandes focos de problemas: o nacionalis- Mortes X 1000
do a ONU, perdurará até 2050.
M = –––––––––––––––––––
mo, o aumento populacional e os obstácu- Os países menos desenvolvidos, os mais pobres
Habitantes
los ao desenvolvimento tecnológico”. da África (região do Sahel), da Ásia (sudeste e
(Urzúa, R. “O Correio da Unesco” – 1992)
O crescimento demográfico ou vegetativo é a di-
leste), da América Latina e da Oceania, ainda es-
ferença entre as taxas de natalidade e de mortali-
Passados mais de 50 anos dessa conferên- tão na segunda fase. Apresentam, ainda, grande
dade. E pode ser obtida da seguinte forma:
cia, a declaração: crescimento populacional, pois a melhoria de
Fórmula: 04 suas condições de vida só ocorreu depois da Se-
I. Continua em parte atual, pois o naciona- gunda Guerra Mundial, período em que o mundo
CV = Natalidade – Mortalidade
lismo recrudeceu, principalmente após a assistiu à mais espetacular explosão demográfica
A diferença entre as taxas de natalidade e de
desintegração do bloco soviético. de todos os tempos.
mortalidade indica o quanto uma população
II. Perdeu em parte a atualidade, pois se ve-
cresceu no período observado. Quando compa- Terceira: caracterizada pela ocorrência de baixas
rifica, em praticamente todo mundo, uma taxas de natalidade e de mortalidade e por um
ramos esse crescimento com o tempo que uma
tendência à redução das taxas de fecun- população precisa para duplicar, estabelecemos baixíssimo crescimento populacional, a transição
didade e, conseqüentemente, do aumen- a velocidade do seu crescimento. Dependendo demográfica encontra-se concluída. Atualmente,
to populacional. da população e do contexto histórico, econômico estão nessa fase os países desenvolvidos, a mai-
III. Continua em parte atual, pois grande par- e social, um volume maior ou menor pode-se or parte deles com taxas de crescimento muito
te das nações do mundo ainda não tem configurar ou não em um problema. baixas (geralmente inferiores a 1%), nulas e até
acesso ao progresso tecnológico alcan- QUADRO: 04 negativas.
çado pelos países industrializados do Nos países desenvolvidos, tem ocorrido uma
norte. transformação na estrutura familiar. A taxa de fe-
IV. Perdeu parte da atualidade, pois, no cundidade é baixa, permanecendo em torno de
mundo globalizado, o nacionalismo de- 1,5 filho por mulher. Muitos países apresentam ta-
sapareceu e o progresso tecnológico se Fonte: GEORGE, Pierre. Geografia da População. 2. ed. xas inferiores a 2,1 filhos por mulher, mantendo,
disseminou por todo o Planeta. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984, p. 84. assim, estabilizado o tamanho de sua população.
Diversos fatores, como a urbanização, o aumento
Das afirmações acima, são verdadeiras: Segundo a ONU (Organização das Nações
da escolarização e a incorporação das mulheres
a) Apenas I, II e III b) Apenas II e IV Unidas), a população mundial reduzirá bastante
ao mercado de trabalho (dupla jornada de traba-
c) Apenas I e II d) Apenas I, II e IV o crescimento a partir de 2050. “Este conceito,
lho), contribuem para que as mulheres tenham
e) I, II, III e IV transição demográfica, é parte de uma teoria ela-
menos filhos.
borada para explicar a tendência da população a