Você está na página 1de 29

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA – UEPB

CENTRO DE CIÊNCIA TECNOLOGIA E SAÚDE - CCTS

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

PROGRAMA DE CONDIÇÕES DO MEIO AMBIENTE DE


TRABALHO – PCMAT

FASE DE ACABAMENTO DA OBRA

ARARUNA – PB
JUNHO DE 2018
Alice Oliveira Justo - 152670041

Bruna Myrelle Martins Cabral - 151670285

Bruno Pereira de Medeiros - 162670265

Edmundo Machado Ferraz Neto - 151670269

Humberto Alves Pereira Filho - 132671945

Julio Dias - 151990115

Lucas Oliveira da Silva - 161670261

Mayrla da Silva Santos - 152670149

PROGRAMA DE CONDIÇÕES DO MEIO AMBIENTE DE


TRABALHO – PCMAT

FASE DE ACABAMENTO DA OBRA

Este PCMAT foi desenvolvido no


componente curricular de Segurança e
Saúde no Trabalho, do curso de Engenharia
Civil da UEPB, apresentado a professora
Imarally Vitor, como parte de avaliação da
segunda unidade.

ARARUNA – PB
JUNHO DE 2018
ÍNDICE

DADOS DA EMPRESA

DADOS DA OBRA

1. OBJETIVOS DO PCMAT.........................................................................................5

2. RESPONSABILIDADES pg....................................................................................6

3. METAS / PRIORIDADES pg...................................................................................8

4. AVALIAÇÃO PRELIMINAR DA OBRA pg.............................................................8

5. O CANTEIRO.........................................................................................................10

6. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO.......................................................................15

7. CIPA.......................................................................................................................18

8. MAPA DE RISCOS................................................................................................19

9. RISCOS DE ACIDENTES......................................................................................20

10. PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS...........................................................21

11. CONTROLE MÉDICO..........................................................................................23

12. CARTAZES E AVISOS........................................................................................25

13. CRONOGRAMAS................................................................................................26

14. TELEFONES ÚTEIS....................................................................................29


DADOS DA EMPRESA

Construtora ODS Ltda

Rua Antônio Fausto de Macêdo, s/n

Centro – CEP: 58.230-000

Cacimba de Dentro - PB

CNPJ: 02.421.073/0001-86

DADOS DA OBRA

Rua Presidente João Pessoa, 20

Centro – CEP: 58.230-000

Cacimba de Dentro - PB

Nº de trabalhadores nesta fase da obra: 40

Data de início: 28/10/2017

Data prevista para fim: 28/10/2019

1 - OBJETIVOS DO PCMAT

A elaboração do PCMAT (Programa de Condições e Meio Ambiente de


Trabalho) é uma exigência contida na Norma Regulamentadora de número 18 –
Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção da Portaria
3.214/78 e objetiva a implementação de medidas de gerenciamento dos riscos de
acidentes do trabalho, de doenças ocupacionais e de perdas nos processos e nas
instalações, melhorando as condições e o meio ambiente de trabalho e treinamento
dos operários que ajudarão a reduzir as chances dos acidentes e suas
consequências quando são produzidos. O PPRA é parte integrante das ações do
PCMAT e é uma avaliação quantitativa dos agentes ambientais ocupacionais

5
(físicos, químicos, biológicos) visando ao seu controle para garantir ka salubridade
do ambiente de trabalho.

2 – RESPONSABILIDADES

2.1 - Construtora ODS

Estabelecer, implantar e, principalmente, assegurar o cumprimento do


PCMAT como atividade da empresa.

Informar aos trabalhadores os riscos que possam originar-se nos locais de


trabalho, os meios necessários para preveni-los ou limitá-los e como se proteger
deles.

Considerar o conhecimento e a percepção que os trabalhadores têm do


processo de trabalho.

Permitir aos empregados interromperem, imediatamente, suas atividades em


caso de ocorrência de riscos, que os coloquem em situação de grave e iminente
perigo.

2.2 - Segurança do Trabalho

Desenvolver o PCMAT com a colaboração do engenheiro da obra.

Elaborar as diversas fases do programa.

Aplicar os treinamentos programados em conjunto com o engenheiro da obra.


Todos os trabalhadores deverão ser instruídos sobre os riscos existentes na
execução de suas atividades e a forma de evitar acidentes.

Propor soluções para eliminar / reduzir a exposição a riscos de acidentes.

2.3 - Medicina do Trabalho (empresa contratada)

Informar à direção do programa as alterações biológicas ocorridas com os


empregados.

Contribuir com informações técnicas sobre a saúde e os danos que podem


ser causados por exposição aos agentes de risco.

Desenvolver o PCMSO.

6
P.C.M.S.O. - O Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional é
desenvolvido pela empresa terceirizada, responsável pela medicina do trabalho, que
executa os exames médicos admissionais, periódicos e demissionais. Estes exames
ocorrem antes da admissão, anualmente ou sempre que o trabalhador mudar de
função, local de trabalho, ou fizer uso de afastamento médico decorrente de
acidente ou auxílio doença por mais de trinta dias, e quinze dias antes do seu
desligamento da empresa. Os exames médicos eventuais são realizados quando o
trabalhador alega problemas de saúde para trabalhar. Os ASO’s (Atestados de
Saúde Ocupacional) de todos os trabalhadores deverão ficar arquivados na obra.

2.4 - Unidade Operacional - Engenheiro responsável pela obra

Colaborar na elaboração do PCMAT e implementá-lo.

Identificar e avaliar os riscos gerados em sua unidade.

Relacionar-se com as áreas de segurança, medicina e projetos em busca de


propostas de soluções que reduzam / eliminem exposições aos riscos de acidentes
e/ou doenças profissionais.

Programar em conjunto com o técnico de segurança os treinamentos para


instruir os empregados e empreiteiros sobre os riscos existentes e a forma de evitar
acidentes.

Cumprir todas as determinações e medidas de controle específicas da obra,


originadas deste programa e das orientações do técnico de segurança.

2.5 - Empregados

Colaborar e participar da elaboração e implementação do PCMAT.

Seguir as orientações recebidas nos treinamentos oferecidos dentro do


PCMAT.

Informar ao seu superior hierárquico direto ocorrências que, no seu


julgamento possam implicar em riscos à sua saúde e integridade.

2.6 - Empreiteiros

Colaborar e participar da elaboração e implantação PCMAT.

7
Seguir as orientações recebidas nos treinamentos oferecidos dentro do
PCMAT.

Informar ao engenheiro da obra as ocorrências que, ao seu julgamento


possam implicar em riscos à sua saúde e integridade.

Utilizar somente os EPIs fornecidos pela Construtora. Ressarcir à Construtora


os EPIs por ela fornecidos.

3 - METAS / PRIORIDADES

3.1 - Metas

Preservar a saúde e integridade física dos trabalhadores.

Proteger o meio ambiente e os recursos naturais.

3.2 - Prioridades

Priorizar as ações para a elaboração de medidas de controle nos seguintes


casos:

Quando em qualquer fase da obra, situações de trabalho estiverem gerando


risco grave e iminente para a segurança e a saúde dos trabalhadores.

Quando a situação nas fases de avaliação e análise de risco apresentar


medidas de controle necessárias ao desenvolvimento seguro das atividades.

Quando a situação na fase da avaliação apresentar índices entre o nível de


ação e os limites da norma para os riscos ambientais (PPRA).

4 - AVALIAÇÃO PRELIMINAR DA OBRA

4.1 - Localização da obra

A obra se encontra no centro da cidade, na Rua Presidente João Pessoa, n°


20, esquina com a rua Getúlio Vargas, Cacimba de Dentro, Paraíba.

8
4.2 - Características do Local

Como a obra se encontra em uma das principais ruas da cidade, é um local


movimentado, com isso, existe uma boa atividade comercial e um fluxo de trânsito
de médio para alto.

4.3 - Tipo de obra

O lote do empreendimento possui área de 1.113m²; 30,78m de frente e


36,89m de laterais. A calçada tem aproximadamente 3,00m de largura, e o
afastamento frontal é de 4,00m. A edificação terá uma área construída de
5.200,88m2.

4.4 - Descrição da Obra

Edifício de uso residencial multifamiliar com as seguintes características:

 Fundações: Fundação Rasa;

9
 Estrutura: Concreto armado, 10 lajes tipo, total 11 pavimentos e um
sub-solo;
 Alvenaria: Fechamentos em tijolo 6 furos. Emboço e Reboco em todas
as paredes internas e externas;
 Acabamentos: Faces externas pastilhadas e internas pintadas (duas
demãos). Esquadrias em alumínio. Portas convencionais internas e externas.
Pisos cerâmicos;
 Outras características:
o Estrutura de cobertura em aço;
o Caixa d’água de 50000 litros impermeabilizada;
o 2 elevadores internos;
 Fase da Obra: Obra em etapa de acabamento;
 Número de Trabalhadores: 40 trabalhadores.

5 - Canteiro

O canteiro de obra é a área de trabalho temporário onde serão desenvolvidas


as operações de apoio para execução da obra. Ele deve ser organizado de forma a
maximizar a eficiência dos trabalhos e serviços que serão realizados na construção,
além garantir a segurança e conforto da equipe da sua obra.

10
5.1 - Área de Vivência

Área atribuída para a alimentação, higienização, dormitório, lazer e


lavanderias dos funcionários, onde deve-se ficar um pouco afastado das áreas de
trabalho.

5.1.1 - Instalações Sanitárias

Onde se encontrado instalações sanitárias deverão ser submetidos a


processo de higienização permanentemente, onde deve-se manter o mesmo
limpos e desprovidos de odores durante toda jornada de trabalho. As
instalações sanitárias deverão ser separadas por sexo.

5.1.1.1 - Banheiro

Serão utilizados três conjuntos composto de lavatório e vaso


sanitário (sendo dois conjuntos para o banheiro masculino e um para o
banheiro feminino) e dois mictórios. Constituindo de:

 Ventilados para o exterior;


 Tem-se paredes divisórias com altura mínima de 2,10m e seu
bordo inferior com 0,15 m acima do pavimento;

11
 Constitui portas independentes, com fecho que impeçam o
devassamento;

 Possui recipientes com tampa, dispondo de papel higiênico


para os funcionários.
 Piso Antiderrapante.

5.1.1.2 - Chuveiro

Cinco chuveiros (Onde 4 serão para o banheiro masculino e um


para o feminino). Constituindo de:

 Instalados em local adequado com ventilação;


 Dispondo de chuveiros de metal com água quente e fria,
aterrados eletricamente;
 Instalado suporte para sabonete e toalha;
 Com paredes e pisos revestidas de material resistente, liso,
impermeável, lavável e antiderrapante. Com uma inclinação
para escoamento da água no piso.

5.1.2 - Refeitório

Caracteriza-se de:

 Bebedouros;
 Mesa para os funcionários;
 Piso impermeável e lavável;
 Lavatórios coletivos;
 Lixeiras para a separação de cada tipo de lixo;
 Limpeza realizada antes e após todas a refeições.

5.1.3 - Vestiário

Caracteriza-se de:

 Bancos em número suficiente;


12
 Armários de metal, com fechaduras e cadeados;
 Aberturas para ventilação e iluminação com portas teladas e
janelas;
 Paredes pintadas com tintas laváveis.

5.1.3 - Dormitório

Caracteriza-se de:

 Local para descanso dos funcionários;


 Localizado um pouco distante da obra;
 Camas em bom estado, com cobertores e travesseiros
limpos.

5.1.4 - Área de Lazer

Caracteriza-se de:

 Local de boas relação entre os funcionários;


 Com televisão, jogos, computadores e etc.

5.1.5 - Lavanderia

Caracteriza-se de:

 Limpeza dos uniformes, roupas, lenções do funcionários.

5.2 - Instalações Elétricas.

Tem-se como característica:

 Instalação de aterramento temporário com


equipotencialização dos condutores dos circuitos;
 Não é permitido que seja feito “gambiarra”;
 Fios e cabos serão dispostos de maneira a evitar acidentes
por passagem de pessoas, máquinas ou materiais.

13
5.3 - Maquinas e Equipamentos

Tem-se como característica:

Maquinas e equipamentos funcionam como facilitadores na construção civil.


Muitas atividades desenvolvidas no canteiro de obra podem ser feitas com mais
agilidade e melhor produtividade quando os profissionais têm os equipamentos
corretos à sua disposição.

5.3.1 - Betoneiras

Tem-se como característica:

 Usada para misturar argamassa e concreto;


 Estarão em seus devidos locais;
 Limpa após o termino do expediente.

5.3.2 - Andaime

Tem-se como característica:

 Utilizada por pessoas com equipamentos adequados;


 Realização de acabamentos em paredes, janelas, telhados e
outras partes mais altas do imóvel.

5.3.3 - Gerador de energia

Tem-se como característica:

 Usado apenas por pessoas qualificadas;


 Muito usado no canteiro de obras.

5.3.4 - Equipamentos de proteção

Tem-se como característica:

 Uso dos EPI e EPC para a segurança dos funcionários;


 Distribuição dos EPI individualment
14
6 - EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO

6.1 - EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA – EPC’s

De acordo com a NR 18.13.1, é obrigatória a instalação de proteção coletiva


onde houver risco de queda de trabalhadores ou de projeção de materiais. Desta
forma, os equipamentos de proteção coletiva – EPC são dispositivos implantados no
ambiente de trabalho que possuem o objetivo de proteger os trabalhadores dos
riscos inerentes aos processos realizados. Estes equipamentos dizem respeito ao
coletivo, ou seja, ao grupo a ser protegido. Portanto, o EPI será obrigatório somente
se o EPC não atenuar os riscos completamente ou se oferecer proteção
parcialmente.

Estes são os EPC’s mínimos a serem utilizados na fase de acabamento da


obra:

 Plataformas de proteção: de acordo com a NR 18.13.6.2, a plataforma


deve ser instalada logo após a concretagem da laje a que se refere e retirada,
somente, quando o revestimento externo do prédio acima dessa plataforma
estiver concluído.
 Guarda-corpo: de acordo com a NR 18.15.6, os andaimes devem
dispor de sistema guarda-corpo e rodapé, inclusive nas cabeceiras, em todo o
perímetro.
 Proteções de partes móveis de máquinas e equipamentos: de acordo
com a NR 18.22.2, devem ser protegidas todas as partes móveis dos motores,
transmissões e partes perigosas das máquinas ao alcance dos trabalhadores.
 Passarelas, rampas e escadas de uso coletivo: de acordo com a NR
18.12.2, as escadas de uso coletivo, rampas e passarelas para a circulação de
pessoas e materiais devem ser de construção sólida e dotadas de corrimão e
rodapé.
 Escadas de mão: de acordo com a NR 18.12.5.6, a escada de mão
deve ultrapassar em 1,00m (um metro) o piso superior; ser fixada nos pisos
inferior e superior ou ser dotada de dispositivo que impeça o seu
escorregamento; ser dotada de degraus antiderrapantes; ser apoiada em piso
resistente.

15
 Tapumes: de acordo com a NR 18.30.1, é obrigatória a colocação de
tapumes ou barreiras sempre que se executarem atividades da indústria da
construção, de forma a impedir o acesso de pessoas estranhas aos serviços.

6.2 - EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL – EPI

De acordo com a NR 18.23.1, a empresa é obrigada a fornecer aos


trabalhadores, gratuitamente, EPI adequado ao risco e em perfeito estado de
conservação e funcionamento, consoante as disposições contidas na NR 6 -
Equipamento de Proteção Individual - EPI. Portanto, a NR 6 diz que se considera
EPI todo dispositivo de uso individual, de fabricação nacional ou estrangeira,
destinado a proteger a saúde e a integridade física do trabalhador.

Estes são os EPI’s mínimos de uso essencial dentro da obra em fase de


acabamento de acordo com a PORTARIA SIT/DSST Nº 194 DE 07.12.2010:

 EPI para proteção da cabeça: capacete para proteção contra choques


elétricos e agentes térmicos; capuz para proteção contra respingos de produtos
químicos, riscos de origem térmica e agente abrasivos e escoriantes.
 EPI para proteção dos olhos e face: óculos e protetor facial para
proteção contra luminosidade intensa e impactos de partículas volantes.
 EPI para proteção auditiva: protetor auditivo do tipo específico para
cada risco exposto na atividade realizada.
 EPI para proteção respiratória: respirador purificador de ar não
motorizado ou motorizado para proteção das vias respiratórias contra poeiras,
névoas, gases e material particulado.
 EPI para proteção do tronco: vestimentas para proteção contra riscos
de origem térmica, mecânica, química, meteorológica e umidade.
 EPI para proteção dos membros superiores: luvas, mangas e dedeiras
para proteção das mãos, dedos, braço e antebraço contra agente abrasivos,
escoriantes, cortantes, choques elétricos, agentes térmicos, agentes químicos e
umidade; creme protetor contra agentes químicos.
 EPI para proteção dos membros inferiores: calçado, perneiras e calças
para proteção dos pés e pernas contra impactos de objetos, agentes elétricos,

16
térmicos, abrasivos, escoriantes, cortantes, respingos de produtos químicos e
umidade; meia para proteção contra baixas temperaturas.
 EPI para proteção do corpo inteiro: macacão e vestimenta de corpo
inteiro para proteção contra agentes térmicos, agentes químicos e umidade.
 EPI para proteção contra quedas com diferença de nível: dispositivo
trava-queda para proteção contra movimentação vertical ou horizontal, quando
utilizado cinturão; cinturão de segurança para proteção contra riscos de queda.

6.3 - PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS

Segundo a NR 18.26.1, é obrigatória a adoção de medidas que atendam, de


forma eficaz, às necessidades de prevenção e combate a incêndio para os diversos
setores, atividades, máquinas e equipamentos do canteiro de obras.

 De acordo com a NR 18.26.2, deve haver um sistema de alarme capaz


de dar sinais perceptíveis em todos os locais da construção.
 De acordo com a NR 18.26.4, nos locais confinados e onde são
executadas pinturas, aplicação de laminados, pisos, papéis de parede e
similares, com emprego de cola, bem como nos locais de manipulação e
emprego de tintas, solventes e outras substâncias combustíveis, inflamáveis ou
explosivas, devem ser tomadas as seguintes medidas de segurança:

a) proibir fumar ou portar cigarros ou assemelhados acesos, ou qualquer


outro material que possa produzir faísca ou chama;

b) evitar, nas proximidades, a execução de operação com risco de


centelhamento, inclusive por impacto entre peças;

c) utilizar obrigatoriamente lâmpadas e luminárias à prova de explosão;

d) instalar sistema de ventilação adequado para a retirada de mistura de


gases, vapores inflamáveis ou explosivos do ambiente;

e) colocar nos locais de acesso placas com a inscrição "Risco de Incêndio"


ou "Risco de Explosão";

17
f) manter cola e solventes em recipientes fechados e seguros;

g) quaisquer chamas, faíscas ou dispositivos de aquecimento devem ser


mantidos afastados de fôrmas, restos de madeiras, tintas, vernizes ou outras
substâncias combustíveis, inflamáveis ou explosivas.

 De acordo com a NR 18.26.5, os canteiros de obra devem ter equipes


de operários organizadas e especialmente treinadas no correto manejo do
material disponível para o primeiro combate ao fogo.
 Colocados extintores em todos os setores que oferecerem os riscos
específicos de acidentes, que são dos tipos: água pressurizada, pó químico seco
e gás carbônico.

7 - CIPA

A CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) cabe a função, como


órgão interno da empresa, de ser um divulgador das normas de segurança e de
realizar algumas funções executivas estabelecias na legislação em vigor. Será
constituída de forma descentralizada e dimensionada de acordo com o estabelecido
na NR-18 e na NR-5, da portaria 3214/78, cumprindo as formalidades legais
estabelecidas, tão logo o número de trabalhadores justifique. A obra do edifício terá
uma representação na CIPA compatível com o seu quadro de pessoal. A empresa
treinará os participantes que não tenham curso de formação para membro da CIPA,
para que possam fazer mapeamento de risco, análise de acidentes, execução e
inspeção de segurança e sugestão de medidas voltadas para a prevenção de
acidentes. Na primeira segunda-feira de cada mês, às 18h, haverá reunião ordinária,
com a participação dos responsáveis pelas empreiteiras, segundo o roteiro abaixo.
Se necessário, serão convocadas reuniões extraordinárias. Roteiro das reuniões
mensais da CIPA:

 Abertura da reunião com leitura da ata da reunião anterior e assinatura


dos presentes;
 Discussão da ata anterior e verificação das medidas sugeridas;
 Leitura da pauta para a reunião a ser realizada;

18
 Exame dos acidentes e dados estatísticos do período;
 Abertura da palavra para sugestões ou outros assuntos relativos ao
trabalho da comissão.

8 - MAPA DE RISCOS

De acordo com a Portaria nº 05, de 17 de agosto de 1992, o Mapa de Riscos


consiste em representação gráfica do reconhecimento dos riscos existentes nos
diversos locais de trabalho e visa a conscientização e informação dos trabalhadores
através da fácil visualização dos riscos existentes na empresa.

Os riscos serão simbolizados por círculos de três tamanhos: pequeno, com


diâmetro de 2,5 cm, médio, com diâmetro de 5 cm e grande, com diâmetro de 10 cm,
conforme sua gravidade, em cores, conforme o tipo de risco.

Os agentes que causam riscos à saúde dos trabalhadores e que costumam


estar presente nos locais de trabalho são agrupados em cinco tipos, cada um com
sua cor específica:

 Riscos físicos (verde): são considerados riscos físicos as diversas


formas de energia a que possam estar expostos os trabalhadores, tais como:
ruídos, vibrações, pressões anormais, umidade, radiações ionizantes e radiações
não ionizantes.
 Riscos químicos (vermelho): são considerados riscos químicos as
substâncias, compostos ou produtos que possam penetrar no organismo pela via
respiratória, nas formas de poeiras, fumos, névoas, neblinas, gases ou vapores,
ou que, pela natureza da atividade de exposição, possam ter contato ou ser
absorvidos pelo organismo através da pele ou por ingestão.
 Riscos biológicos (marrom): são considerados riscos biológicos os
bacilos, bactérias, fungos, protozoários, parasitas, vírus, entre outros. Estes
riscos surgem do contato de certos microrganismos e animais peçonhentos com
o homem em seu local de trabalho.
 Riscos ergonômicos (amarelo): são os riscos caracterizados pela falta
de adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas do
trabalhador. Entre os mais comuns estão: esforço físico intenso; posturas
19
incorretas; posições incômodas; repetitividade; monotonia; ritmos excessivos;
trabalho em turnos e trabalho noturno; jornada prolongada.
 Riscos de acidentes (azul): São arranjos físicos inadequados ou
deficientes, máquinas e equipamentos, ferramentas defeituosas, inadequadas ou
inexistentes, eletricidade, sinalização, perigo de incêndio ou explosão, transporte
de materiais, edificações, armazenamento inadequado, etc.

8.1 - MAPA DE RISCOS NA FASE DE ACABAMENTO DA OBRA

9 - RISCOS GERAIS DE ACIDENTES E SEU CONTROLE

Riscos de acidentes são todos os fatores que colocam em perigo o


trabalhador ou afetam sua integridade física ou moral. A partir disso, deve-se fazer a
análise quantitativa e qualitativa dos riscos com a finalidade de encontrar medidas
de controle que neutralizem os riscos existentes. A seguir, a relação dos possíveis
riscos e doenças do trabalho que podem acontecer durante a execução da obra, e
as correspondentes medidas de eliminação ou neutralização e controle por meio de

20
Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC’s) e ou medidas administrativas de
correção e finalmente por Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s).

ATIVIDADES E PRINCIPAIS RISCOS EPI´S EPC´S


OPERAÇÕES
Carga e descarga de Problemas Ombreiras de raspas X
materiais (manual) ergonômicos e
contusões
Serviços de Inalação de poeira Máscara para poeira X
regularização de
superfícies (lixamento, Dermatites Luvas de raspa de X
chapisco, massa) couro, botas de
borracha
Conjuntivites X X
Queda em nível de Cinto de segurança Plataforma de proteção
andaime engatado ao cabo e guarda-corpo
auxiliar de segurança
Pintura interna Irritações Luvas impermeáveis, X
dermatológicas botas de borracha
Problemas Máscara semifacial X
respiratórios
Postura inadequada e X Treinamento
movimentos repetitivos
Revestimento externo Queda de andaime Cinto de segurança Plataforma de proteção
(pastilhado) engatado ao cabo e guarda-corpo
auxiliar de segurança
Queda de objetos X Dispositivos de
segurança
Queda de andaime Cinto de segurança Plataforma de proteção
Limpeza de fachada engatado ao cabo e guarda-corpo
com produto químico auxiliar de segurança
Queimadura devido ao Luvas impermeáveis, X
produto químico e protetor facial, botas
irritações de borracha
Postura inadequada e X Treinamento
movimentos repetitivos
Esquadrias Cortes e pefurações Luvas de raspa de X
couro
Trabalhos com Detritos nos olhos e Óculos de segurança Treinamento
cerâmicas ferimentos nas mãos de alto impacto, luvas
Impermeabilizações Risco de asfixia Máscara contra gases X
Serviços gerais Quedas, contusões e EPI específico para X
ferimentos cada tarefa
Organização e limpeza Escorregar X X
no canteiro
Postura inadequada e X Treinamento
movimentos repetitivos

10 - PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS

21
 Todos os EPI’s fornecidos aos funcionários serão anotados em ficha
própria e individual onde obrigatoriamente deverá constar o nº do Certificado de
Aprovação – C.A, a data que foi entregue e a assinatura do funcionário EPI;

 Se houver necessidade de substituir o EPI, o funcionário deverá


entregar o que estava usado para receber o novo;

 Todos os trabalhadores estarão legalmente contratados, tanto os


próprios como os terceirizados;

 Os Atestados de Saúde Ocupacional – ASO ficarão na administração


da obra ou no almoxarifado, para fins de consulta do Ministério do Trabalho e dos
empreiteiros;

 Serão realizadas vistorias periódicas de Segurança e Saúde pela


assessoria da empresa responsável.

 Os relatórios obtidos a partir das vistorias serão encaminhados à


administração da obra para a correção de eventuais irregularidades;

 Em todas as reuniões gerais sobre o andamento da obra, será


apresentado o relatório da segurança e saúde no canteiro.

 Todos os funcionários receberão Ordens de Serviço.

 Todos os funcionários deverão estar imunizados contra o Tétano.

 Empreiteiros também deverão atender as disposições da NR-7 e 18.


Principalmente no tocante a treinamentos, ordens de serviço e aos exames
médicos.

 Fica à disposição dos empreiteiros o PCMAT da obra, para consulta e


acompanhamento.

10.1 - Treinamento

Todos os funcionários da empresa, logo após aprovados no exame médico


passarão pelo treinamento em Segurança e Saúde, realizado na empresa antes de
qualquer uma das fases da obra, onde contemplará assuntos como: CIPA

22
(Comissão de Prevenção de Acidentes), SESMT (Serviço Especializado em
Engenharia de Segurança em Medicina do Trabalho), mapa de riscos, equipamentos
de proteção, saúde do corpo, doenças sexuais, como evitar doenças no trabalho,
entre outros. Os membros da CIPA terão reuniões mensais e serão acompanhadas
pelo técnico de segurança e as sugestões da comissão serão analisadas e
debatidas nas reuniões com os responsáveis pela obra.

Existem diferentes tipos de treinamento de segurança do trabalho que podem


ser oferecidos:

 Treinamento de integração ou admissional (integra o novo funcionário


ao ambiente de trabalho, aos equipamentos que ele vai usar, aos
riscos);

 Treinamento de conscientização (conscientiza os funcionários da


importância de seguir as normas de segurança);

 Análise de riscos (gerencia os riscos, antecipando os problemas);

 Cultura preventiva (dissemina a ideia de que a prevenção é a melhor


solução);

 Segurança online (uso correto das ferramentas digitais);

 Ergonomia no trabalho (ensina como o funcionário deve se posicionar


em relação aos equipamentos e evitar problemas de saúde).

10.2 - Advertência

Os funcionários que não atenderem as orientações da empresa quanto as


Normas de Segurança e Saúde, devem ser advertidos por escrito.

11 - CONTROLE MÉDICO

O programa de controle medico de saúde ocupacional (PCMSO) consta na


consolidação das leis do trabalho. Foi regulamentado pela NR n o 7do ministério de

23
trabalho e da previdência social (MTPS), com objetivo de promover e preservar a
saúde de conjunto de trabalhadores.

O PCMSO consegue viabilizar esse acompanhamento de saúde do


trabalhador com o suporte de alguns exames:

 Admissional;
 Periódica;
 Demissional;
 De mudança de função;
 E de retorno ao trabalho após afastamento por doença ou acidente.

Como resultado do programa de controle de saúde ocupacional, cada


trabalhador terá seu atestado de saúde ocupacional.

11.2 - Modelo de Atestado de Saúde Ocupacional

24
12 - CARTAZES E AVISOS - LOCVAIS RECOMENDADOS

TIPO DE CARTAZ LOCAL RECOMENDADO


Cuidado! Queda de
Colocar nos locais de projeção da fachada
Objetos
Próximo à serra circular, policorte, pistola pregadeira
Use Protetor Auricular (pneumática) e a máquinas muito ruidosas (colocar um
cartaz na caixa da pistola finca pinos, da maquita etc).
Uso Obrigatório de Próximo a betoneiras, queima de cal, recintos fechados de
Máscara pintura ou colocação de carpete (com cola), corte de tijolos
de respiracao ou cerâmica.

25
No almoxarifado, no local de refeições, no vestiário e nos
Não Fume neste Local
locais com manuseio de inflamáveis.

Próximo a locais de fechamento com alvenaria,


Obrigatório Uso de
concretagem, carga e descarga de materiais, preparação
Luvas
de ferragens, lavagem de pastilhas, impermeabilização
Colocar em pedestal próximo das beiradas da laje em
Uso Obrigatório de
execução, afixar dentro do balancim e divulgar para
Cinto de Segurança
serviços de montagem de torre de elevador.
Principalmente na entrada da obra (ao lado do relógio
Uso Obrigatório de
ponto), no balcão do almoxarifado e outros a critério da
Capacete
empresa.
Coloque o Lixo na No local de refeições, no vestiário, no almoxarifado, na
Lixeira sala do mestre, do engenheiro.
Cuidado! Eletricidade Nas caixas de distribuição elétrica e locais energizados.
Obrigatório Uso de Em locais com excesso de umidade, fundação,
Botas concretagem, queima de cal, preparo de argamassa.
Próximo de equipamentos tipo: serra circular, policorte,
Uso Obrigatório de
maquita, ou em pedestais próximo de serviços com
Óculos de
entalhadoras, chapisco, emboço de parede e teto,
Segurança ou Protetor
concretagem, vibradores, lavagem de pastilhas e outros a
Facial
critério da empresa.
Colocar na caixa de primeiros socorros ou no Ambulatório
Primeiros Socorros
médico.

13 - Cronogramas

A cronograma que a obra seguirá será o Físico – Executivo. O andamento da


obra deve ser seguido conforme esse cronograma, para assim uniformizar as fases
e os riscos. Na fase de acabamento seguimos o seguinte cronograma:

Cronograma Físico – Executivo:

26
13.- PISOS 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24

- Contrapiso x x

- Cerâmica x x x

- Outros x x x x x

14.-
INSTALAÇÕES
HIDRÁULICAS
- Prumadas x x x

- Distribuição x x x

- Esgoto x x x

- Louças e metais
15.-
INSTALAÇÕES
DE GÁS
- Prumadas x x x

- Distribuição x x x

-16.-
INSTALAÇÕES
ELÉTRICAS
- Tubulação das x x x

lajes
- Tubulação x x x

- Alvenaria x x x

- Caixas e x x

esquadros
- Entrada de x x

energia
- Fiação x x

- Tomadas e x x

interruptores
- Luminárias e x x

interfones
- Prumadas x x

17.- PINTURA
- Interna x x x

- Externa x x x

27
Cronograma medidas de segurança:

Proteções/ 0 0 0 0 0 0 0 0 0 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 2 2 2 2 2
meses 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 1 2 3 4

Tapumes x x x x

Escorament x x
o
Proteção de x x x x x x x x x
periferia
Bandejas x x x x x x x x x

Telas de x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x
proteção
Cancelas x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x
(elevador)
Proteções x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x
do elevador
de carga
Proteções x x x x x x x x x
em
aberturas
de pisos
Proteções x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x
da serra
circular
Proteção na x x x x x x x x x x x x x x x x x x
policorte
Proteção no x x x x x x x x x x x x x x x x x x x
Velox
Rampas, x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x
escadas e
passarelas
Sinalização x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x

Proteção x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x
poço de
elevador
Proteção x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x

28
contra
incêndio

14 - Telefones Úteis

Eng. da Obra x

Engº de Segurança x

Técnico de Seg. x

Médico do Trabalho x

R.H. x

SAMU 192

Polícia Civil x

Delegacia do Trabalho DRT x

Taxi x

Bombeiros 193

Polícia Militar 190

29
30