Você está na página 1de 1

2.

CALOR
Química O calor (abreviado por Q) é a forma de inserir entre
dois corpos que se vale da diferença de existente
Professor Pedro CAMPELO
entre eles. Não é correto afirmar que um corpo
tem mais calor que outro; o calor é uma forma de
transferir energia de um sistema para outro, sem
Aula 115 transporte de massa, e que não corresponde à
execução de um mecânico. A transmissão de
Termoquímica energia sendo função da diferença de calor entre
1. INTRODUÇÃO os dois sistemas – Convencionalmente, se um
Em pleno verão ou outono, as pessoas costumam corpo recebe energia sob a forma de calor (e não
reclamar da temperatura – “que calor insupor- sob a forma de trabalho), a quantidade Q é 01. (Cesgranrio 90) Sendo dadas as seguin-
tável!”, “que frio!”. Para ter conforto físico, vestem positiva e, se um corpo transfere energia sob a tes entalpias de reação:
roupas leves quando a temperatura sobe, a fim de forma de calor, a quantidade transferida Q é C(s) → C (g)
evitar o excesso de calor, e se agasalham quando negativa. A unidade do Sistema Internacional (Sl) ∆H = +170,9 kcal/mol
2H2(g) → 4H(g)
a temperatura cai. Assim, o organismo não fica para o calor é o (J), embora seja usualmente
∆H = +208,4 kcal/mol
exposto às alterações térmicas que prejudicam utilizada a caloria (cal; 1cal=4,18 J).
sua estabilidade. O ar refrigerado dá uma Todo corpo tem certa quantidade de energia
agradável sensação de bem-estar porque é interna que está relacionada ao movimento con- C(s) + 2H2(g) → CH4(g)
controlado para manter o ambiente em tempera- tínuo de seus átomos ou moléculas e às forças ∆H = –17,9 kcal/mol,
tura constante, sejam quais forem as alterações interativas entre essas partículas. Os sólidos, indique a opção que apresenta a energia
climáticas que possam ocorrer. líquidos ou gases apresentam constante movi- de ligação H–C, aproximada:
Nas regiões tropicais, o calor do verão é ameni- mento (vibrações) em suas particúlas. A soma a) 5 kcal/mol b) 20 kcal/mol c) 50 kcal/mol
zado, também, pelo uso de ventiladores, circula- dessas vibrações de um corpo constitui a sua d) 100 kcal/mol e) 400 kcal/mol
dores de ar e outros recursos. Nos lugares mais energia térmica. Essa energia interna é 02. (Cesgranrio 94) Quando se adiciona cal
frios, além da tradicional lareira, as casas costu- diretamente proporcional à temperatura do viva (CaO) à água, há uma liberação de
mam ser dotadas de sistemas de aquecimento objeto. Quando dois corpos ou fluidos, em calor devida à seguinte reação química:
central. diferentes temperaturas, entram em interação CaO + H2O → Ca (OH)2 + X kcal/mol
Por outro lado, o calor é muito mais importante (por contato, ou radiação), eles trocam energia Sabendo-se que as entalpias de formação
em nossa vida do que a simples sensação que interna até a temperatura ser igualada. A quan- dos compostos envolvidos são a 1ATM e
nos causa. O calor cozinha os alimentos, aquece tidade de energia transferida, enquanto houver 25°C (condições padrão)
a água, seca a roupa etc. Na indústria, o calor é diferença de temperatura, é a quantidade Q de ∆H (CaO) = –151,9 kcal/mol
utilizado para separar os minérios dos metais e na calor trocado, se o sistema se encontrar isolado ∆H (H2O) = –68,3 kcal/mol
transformação destes em variados utensílios – do de outras formas de transferência de energia. ∆H (Ca(OH)2) = –235,8 kcal/mol
arado às armas de guerra –, para preparar a Termodinamicamente falando, calor e trabalho Assim, o valor de X da equação anterior
cerâmica, para produzir papel, tecidos, vidro. O não são funções de estado (ou seja, não depen- será:
calor produzido na queima de combustível em dem apenas da diferença entre o estado inicial e a) 15,6 kcal/mol b) 31,2 kcal/mol
motores movimenta automóveis, navios, aviões e o estado final do processo), mas dependem do c) 46,8 kcal/mol d) 62,4 kcal/mol
foguetes. Nas usinas termoelétricas e nucleares, caminho, no espaço de estados, que descreve o e) 93,6 kcal/mol
o calor faz girar as turbinas que movimentam sistema em uma evolução quase-estática ou
geradores e produzem energia. O calor que o reversível (no sentido termodinâmico) de um 03. (Cesgranrio 95) Observe o gráfico.
homem usa provém de diversas fontes. As prin- estado inicial A até um estado final B.
cipais são o Sol, a terra, as reações químicas, o Os processos pelos quais ocorre transferência de
atrito e a energia nuclear. calor (transferências de energia sob a forma de
Apesar de tão evidente, a natureza do calor, só calor) são: Condução, Convecção e Irradiação.
recentemente, foi definida pela ciência. Até o final Há muito tempo, muitos filósofos acreditavam
do século XVIII, os cientistas acreditavam que o que o calor seria um tipo de força fluindo invisível
calor era uma espécie de fluido imponderável e muito leve, que era chamada por Lavoisier de
(sem massa) e invisível que aquecia ou resfriava calórico. Segundo essa teoria, um corpo
os corpos. Deram a essa substância o nome de aqueceria, quando recebesse calórico, e
calórico. O equilíbrio térmico era mantido quando esfriaria, quando perdesse.
os corpos ganhavam ou perdiam calóricos. O que, realmente, acontece é que um aquece,
Em 1798, o físico Benjamim Thompson, conde quando aumenta o valor médio da energia
Rumford, observou que o atrito aquecia os me- associada à vibração de suas moléculas, e esfria, O valor da entalpia de combustão de 1mol
tais e depois o calor se conservava por algum quando diminui o valor médio dessa energia. de SO2(g), em kcal, a 25°C e 1atm, é:
tempo nas peças atritadas. Logo o calor seria a) –71. b) –23. c) +23.
3. CALOR DE COMBUSTÃO
uma forma de energia obtida pelo trabalho me- d) +71. e) +165.
Calor de combustão é a variação de entalpia
cânico. Já o químico inglês Humphry Davy
(quantidade de calor liberada) pela queima de 04. (Fatec 96) As transformações representa-
concluiu que essa teoria poderia ser demons-
um mol de substância. das a seguir referem-se à formação da
trada esfregando-se dois blocos de gelo que se
Todas as substâncias estão no estado padrão. água.
derreteriam pelo atrito, sem possuir calóricos.
Assim, produzia-se calor do nada.
Sempre encontrará um valor negativo, pois toda H2(g) + (1/2)O2(g) → H2O(l)
Foi o físico alemão Hermann Von Helmholtz que,
combustao é exotermica. ∆H = –286 kJ/mol H2O(l)
em 1847, estabeleceu a definição de calor como 4. CALOR DE NEUTRALIZAÇÃO H2(g) + (1/2)O2(g) → H2O(g)
energia mecânica, afirmando que todas as formas Calor de neutralização ou Entalpia de neutraliza- ∆H = –242 kJ/mol H2O(g)
de energia equivalem a calor. Isso foi provado ção é a entalpia resultante de uma reação de Para vaporizar 180g de água, são neces-
logo depois por seu colega inglês James Prescott neutralização ácido-base: sários:
Joule. Construindo um aparelho simples, que H+(aq) + OH–(aq) → H2O(l) Dados: Massa molar H‚O = 18g/mol
aproveitava o trabalho mecânico produzido pela ∆H ≈ –58kJ a) 79 kJ b) 5280 kJ c) 44 kJ
queda de corpos, Joule mediu a quantidade de A entalpia resultante da neutralização é d) 528 kJ e) 440 kJ
energia mecânica necessária para elevar, por constante (∆H ≈ –58kJ/mol=–13,7Kcal/mol) na
agitação, a temperatura de uma certa quantidade neutralização entre ácidos fortes e bases fortes. 05. (Fei 96) Considerando as questões abaixo:
de água. Estava demonstrada, quantitativamente, O valor é proporcional ao número de mols do C2H2(g) + 5/2 O2(g) → 2 CO2(g) + H2O(l) +
a equivalência mecânica do calor. ácido e da base. 1299,5 kJ
Concluímos que, assim como o movimento 5. ENTROPIA
C(gr) + O2(g) → CO2(g) + 393,5 kJ
produz calor, o calor, por sua vez, produz A entropia é uma grandeza termodinâmica geral-
H2(g) + 1/2 O2(g) → H2(l) + 285,8 kJ
movimento. Desse modo, a antiga teoria dos mente associada ao grau de desordem. Ela mede
A entalpia molar de formação de C2H2(g) é:
calóricos se uniu com a nova noção de energia a) + 226,7 kJ b) + 620,2 kJ c) + 798,3 kJ
a parte da energia que não pode ser transformada
térmica. d) –1978,8 kJ e) –2372,3 kJ
em trabalho. É uma função de estado cujo valor