Você está na página 1de 1

vizinhos maiores são os principais parceiros alternativa, lançando o projeto da Área de Livre

comerciais desses dois países. A economia brasi- Comércio das Américas (Alca). No lugar da
leira funciona como um ímã, orientando os fluxos ampliação do Nafta, a estratégia norte-americana
de intercâmbio externo de ambos. prevê sucessivas rodadas de negociações
Desde o início, o bloco do Cone Sul foi projetado multilaterais, com reduções setoriais de tarifas
como pólo de atração de capitais internacionais. A
alfandegárias, até a plena instalação da zona
zona de livre comércio proporcionou o embrião de
comercial hemisférica.
um mercado consumidor unificado no interior do
Nesse contexto, o Brasil desenhou todo o seu
bloco, contribuindo para atrair investimentos de
empresas transnacionais na indústria e nos planejamento em torno das metas de consoli-
serviços. dação do bloco do Cone Sul e criação de uma
01. (Cesgranrio–RJ) A divisão do Brasil em O crescimento acelerado dos investimentos inter- zona de livre comércio sul-americano. A confi-
três grandes complexos – regionais, Ama- nacionais no Brasil e na Argentina, ao longo da guração desse bloco subcontinental destina-se a
década de 1990, não foi fruto, primordialmente, estabelecer um balanço de forças mais equili-
zônia, Nordeste e Centro-Sul, é determi-
da criação do Mercosul, mas da estabilização brado nas negociações da Alça. Na condição de
nada a partir de:
interna e da abertura externa das duas líder do bloco sul-americano, o Brasil espera
a) sua estrutura populacional; economias. Contudo a formação do bloco impor limites à redução de tarifas nos setores de
b) características geoeconômicas; desempenhou função suplementar nesse pro- alta tecnologia e de serviços e bombardear o
c) influências militares; cesso, especialmente no caso da indústria auto-
protecionismo americano em setores industriais
d) elementos naturais; mobilística e de autopeças. A implantação de
tradicionais, como a siderurgia, os têxteis e os
e) limites territoriais dos estados. diversas novas fábricas no Brasil e, em escala
calçados.
menor, na Argentina, orientou-se pela lógica da
02. (PUC–RS) O Mercosul é um bloco de esca- globalização, de forma que se criaram cadeias A meta da integração sul-americana foi estabele-
la sub-regional, com características muito produtivas integradas por unidades instaladas cida na Conferência de Brasília, que reuniu, no
peculiares. Por isso, não é correto afirmar nos dois países e estabeleceu-se uma divisão do ano 2000, os doze chefes de Estado do subcon-
trabalho na produção de veículos e de com- tinente. O documento emanado desse encontro
que:
ponentes. definiu duas dimensões complementares do
a) o Mercosul surgiu no contexto da globaliza- O núcleo geoeconômico do Mercosul é a região esforço: o livre comércio e a integração física.
ção e da regionalização, tendência que platina. No interior da Bacia do Prata, encontram-
O Mercosul e a Comunidade Andina
também levou à formação de megablocos se o Centro-Sul do Brasil, o Pampa argentino, o
centrais; Uruguai e o leste do Paraguai. Nessa macroárea, A formação de uma zona de livre comércio de
b) o mercado platino não é promissor para localiza-se o principal eixo econômico de todo o âmbito sul-americano depende, basicamente, de
certos produtos gaúchos, já que muitos Hemisfério Sul, assentado sobre o triângulo um acordo entre o Mercosul e a Comunidade
industrial São Paulo-Rio de Janeiro-Belo Andina (CAN), cujo esboço foi formulado em
produtos de exportação do Rio Grande do
Horizonte, de um lado, e o vetor Buenos Aires- 1998, e da plena adesão do Chile ao bloco do
Sul são os mesmos do Uruguai e da
Rosário-Córdoba, de outro. Entre essas Cone Sul. A redução e a eventual eliminação de
Argentina; concentrações industriais, estendem-se as áreas tarifas alfandegárias é indispensável para incre-
c) empresários gaúchos têm investido no de agropecuária moderna do Centro-Sul brasilei-
mentar o intercâmbio dos países andinos com o
Uruguai e na Argentina, aumentando o fluxo ro, do oriente paraguaio e do Pampa argentino e
Brasil.
de capitais; uruguaio.
Ao contrário dos parceiros do Mercosul, o co-
d) comercialmente, os grandes beneficiados Os portos de Santos, Paranaguá e do Rio Grande
funcionam como terminais dos corredores de mércio brasileiro com os integrantes da CAN é
com o Mercosul devem ser os estados
comércio exterior do Centro-Sul brasileiro, do pouco significativo. Mesmo a Venezuela, país da
brasileiros que exportam produtos tropicais e
Paraguai e do norte do Uruguai. Os portos de Opep e um dos maiores exportadores mundiais
bens industrializados;
Buenos Aires e Montevidéu, no estuário platino, de petróleo, realiza menos de 5% do seu inter-
e) os países que compõem o Mercosul
tendem a revitalizar-se com a conclusão das câmbio externo com o Brasil. Essa situação
apresentam o mesmo patamar de desenvol- hidrovias Tietê-Paraná e Paraguai. A usina hidre- constitui um paradoxo em virtude da situação
vimento industrial, pois todos são capita- létrica binacional de Itaipu fornece parte significa- geográfica de vizinhança, mas reflete a distância
listas, com a presença marcante de tiva da energia consumida no Centro-Sul histórica entre o Brasil e a América Andina. A
transnacionais. brasileiro e constitui importante fonte de renda exceção é a Bolívia, que realiza com o Brasil mais
para a economia paraguaia.
03. (Cesgranrio–RJ) O sonho de união da de um terço das suas importações.
A integração sul-americana O principal parceiro comercial dos países da
América Latina é muito antigo. Bolívar foi o
primeiro que formulou o ideal de A trajetória do Mercosul oscilou ao sabor dos CAN são os Estados Unidos. Outros parceiros
avanços e recuos do projeto dos Estados Unidos significativos são o Japão e a Grã-Bretanha. O
integração americana. Vários propostas
de construção de uma zona hemisférica de livre intercâmbio no interior do bloco andino cresceu
surgiram, posteriormente, até chegarmos
comércio, abrangendo todo o continente nos últimos anos, mas continua relativamente
ao Mercosul. americano. A Iniciativa para as Américas, anun-
Assinale a opção que contém um dos modesto.
ciada em 1990, precedeu o próprio Tratado de
O Chile, que não faz parte da CAN, apresenta a
objetivos de Bolívar. Assunção. O tratado do Nafta representou a
economia mais moderna e industrializada de
a) Emancipar a América Latina como uma asso- pedra fundamental do edifício projetado em
Washington. A sua gradual expansão, por meio toda a vertente pacífica da América do Sul, ape-
ciação comercial unitária, que, posteriormen- sar de seu pequeno peso demográfico – menos
da incorporação seletiva de novos membros,
te, daria origem à Alalc. de 15 milhões de habitantes. O Brasil representa
ameaçava condenar o Mercosul a uma existência
b) Criar uma Confederação de Estados Ameri- apenas pouco mais de 5% do comércio exterior
breve e irrelevante.
canos face à possível contra-ofensiva da Mas o Nafta estancou. Em 1994, ano em que chileno. O intercâmbio do Chile estrutura-se
Europa apoiada pela Santa Aliança. começou a vigorar oficialmente, o México mergu- sobre os eixos do Nafta, União Européia e Bacia
c) Desenvolver a solidariedade continental em lhou em crise política e institucional. do Pacífico.
torno da hegemonia do Canadá, estabele- Meses depois, foi sacudido por uma crise cambial Contudo há nítida complementaridade econômica
cendo um intercâmbio direto deste com seguida de inadimplência externa e depressão entre o Brasil e os países andinos. O gás natural
todos os países latino-americanos. econômica. Enquanto o México definhava, o
boliviano é a base do novo programa de usinas
protecionismo ganhava força no Congresso
d) Desenvolver a industrialização no continente termelétricas brasileiras. A Venezuela, o Equador e
norte-americano e cortava no nascedouro as
sob a hegemonia norte-americana para o Peru são exportadores de petróleo. O Chile
negociações para a incorporação do Chile ao
fazer frente à forte economia inglesa. Nafta. Assim, surgiu a oportunidade para a destaca-se pelas exportações de papel e polpa.
e) Estabelecer uma política separatista, respei- assinatura dos tratados de associação do Chile e Na direção oposta, os países andinos são
tando as diferenças culturais e até lingüís- da Bolívia ao Mercosul. importadores de bens de capital, bens interme-
ticas entre os países latino-americanos. Nas novas circunstâncias, o presidente norte- diários e automóveis, representando mercados
americano Bill Clinton definiu uma estratégia potenciais para a indústria brasileira.

12