Você está na página 1de 1

2A → X + Y r = k .

[A]2 inversa deixa de ser igual: se uma substância foi


X + Y → 2A r’ = k’ . [X] . [Y] retirada de uma das reações, essa passará a ser
É importante frisar que o expoente que eleva as mais lenta; e, analogamente, ela passará a ser
concentrações das espécies na fórmula da velo- mais rápida se uma substância for adicionada a
cidade não necessariamente é igual ao respecti- ela. Assim, ocorre que, se algo for acrescentado,
vo coeficiente estequiométrico da espécie na o equilíbrio tende a reduzir a quantidade dessa
reação, contudo o expoente certamente será substância e vice-versa.
assim se a reação processar-se em uma única
Tal resposta do equilíbrio pode ser sumarizada
etapa (conforme se está considerando nessa
pelo assim chamado Princípio de Le Chatelier:
situação).
Quando um stress é aplicado a um sistema em
Uma vez que as velocidades de ambas as rea-
ções são idênticas no equilíbrio, pode-se igualá- equilíbrio dinâmico, o equilíbrio tende a se ajustar
01. (Fuvest 96) N2O4 e NO2, gases poluentes para diminuir o efeito do stress.
las:
do ar, encontram-se em equilíbrio, como À medida que as reações se processam, as suas
k . [A]2 = k’ . [x] . [y]
indicado: Rearranjando a equação, tem-se: velocidades vão aproximando-se até que se igua-
N2O4 2NO2 [X] . [Y] k lem e, assim, é atingido novamente o equilíbrio. A
Em uma experiência, nas condições ambi- –––––––– = ––––
[A]2 k’ constante do equilíbrio será a mesma da de antes
entes, introduziu-se 1,50mol de N2O4 em Observemos que a expressão do membro esquer- de se adicionar ou remover substâncias.
um reator de 2,0 litros. Estabelecido o do é idêntica à fórmula do equilíbrio dessa reação. 7. TEMPERATURA
equilíbrio, a concentração de NO2 foi de Então podemos escrever:
É mostrado experimentalmente que a formação
0,060mol/L. Qual o valor da constante Kc, k
Kc = –––– de produtos de uma reação exotérmica (isto é,
em termos de concentração, desse equilí- k’
que liberta energia) é favorecida com a dimi-
brio? Essa relação é válida para qualquer equilíbrio
cujas reações ocorram em uma única etapa, o nuição da temperatura, ao passo que a formação
a) 2,4 x 10–3 b) 4,8 x 10–3 c) 5,0 x 10–3
que pode ser facilmente constatado por essa de produtos em uma reação endotérmica (isto é,
d) 5,2 x 10–3 e) 8,3 x 10–2
mesma dedução para outros equilíbrios. que absorve energia) é favorecida com o
02. (ITA 95) Dentro de um forno, mantido No caso de as reações se processarem em mais aumento da temperatura.
numa temperatura constante, temos um de uma etapa, basta lembrar que a reação global Em um equilíbrio, se uma reação é endotérmica,
recipiente contendo 0,50mols de Ag(c), nada mais é que a soma das reações de cada a outra, necessariamente, é exotérmica, e vice-
0,20mols de Ag2O(c) e oxigênio gasoso etapa. Para cada uma das etapas, pode-se fazer versa. Aumentar ou diminuir a temperatura fará
exercendo uma pressão de 0,20atm. As essa mesma dedução e, então, somar cada com que a velocidade de uma das reações au-
reação (o que significa multiplicar as suas cons-
três substâncias estão em equilíbrio mente e a da outra diminua. As velocidades das
tantes). Dessa forma, teremos, para uma reação
químico. Caso a quantidade de Ag2O(c) reações se igualarão novamente depois de um
de múltiplas etapas:
dentro do recipiente, na mesma k1 k2
tempo; porém, nesse caso, como temos o favore-
temperatura, fosse 0,40mols, a pressão, Kc = –––– . ––––
k’1 k’2
. (...) cimento e o desfavorecimento da formação de
em atm, do oxigênio no equilíbrio seria: Sendo k1, k’1, k2, k’2 e, assim por diante, as certas substâncias, a constante de equilíbrio,
a) 0,10 b) 0,20 c) 0,40 constantes de velocidades de cada etapa. nessa nova temperatura, não será mais a mesma
d) e) 0,80 5. EQUILÍBRIO GASOSO da temperatura anterior.
Pela equação dos gases perfeitos, tem-se que, 8. CATALISADOR
03. (ITA 95) As opções a seguir se referem a
para cada gás de uma mistura gasosa: A adição de um catalisador direciona a reação
equilíbrios químicos que foram estabele-
Px . V = nx . R . T , para um novo mecanismo, o qual é mais rápido
cidos dentro de cilindros providos de êm- onde Px é a pressão parcial de um gás x qualquer do que o sem a catálise. Contudo o catalisador
bolo. Se o volume interno em cada cilindro (ou seja, a pressão que ele teria caso estivesse não afeta o valor da constante de equilíbrio; ele
for reduzido à metade, a temperatura per- apenas ele no recipiente), V é o volume ocupado apenas faz com que o equilíbrio seja atingido em
manecendo constante, em qual das pela mistura, nx é o número de mols do gás, R é
um tempo menor, conforme mostrado na figura a
opções, a seguir, o ponto de equilíbrio será a constante dos gases perfeitos, e T a
seguir:
alterado? temperatura em kelvin.
Rearranjando a equação, teremos:
a) H2(g) + l2(g) 2HI(g)
nx Px
b) CaCO3(s) CaO(s) + CO2(g) –––– = –––––
V R.T
c) PbS(s) + O2(g) Pb(s) + SO2(g)
O membro esquerdo (nx/V) é a fórmula para o
d) CH4(g) + 2O2(g) CO2(g) + 2H2O(g) cálculo da concentração molar do gás. A cons-
e) Fe2O3(s)+3CO(g) 2Fe(s)+3CO2(g) tante R é sempre a mesma, e a temperatura T
não varia em um sistema que permanece em
04. (ITA 96) Num recipiente de volume cons-
equilíbrio químico. Assim o único fator que pode
tante igual a 1,00 litro, inicialmente evacua-
variar na equação em um equilíbrio é a pressão
do, foi introduzido 1,00mol de pentacloreto parcial Px. Dessa forma, pode-se dizer que a con-
de fósforo gasoso e puro. O recipiente foi centração do gás é proporcional à sua pressão Atenção: O equilíbrio não é deslocado com a
mantido a 250°C e, no equilíbrio final, foi parcial. presença do catalisador.
verificada a existência de 0,47mols de gás Com base nisso, também é possível escrever a 9. RELAÇÃO ENTRE AS CONSTANTES KC E KP
cloro. Qual das opções a seguir contém o fórmula da constante de equilíbrio usando-se as Existe uma relação matemática entre as constan-
valor aproximado da constante (Kc) do pressões parciais dos gases envolvidos, no lugar tes de equilíbrio em função da concentração Kc e
equilíbrio estabelecido dentro do cilindro e de suas concentrações. Por exemplo:
em função da pressão parcial Kp, baseada na
representado pela seguinte equação (PHI)2
H2(g) + I2(g) = 2HI(g) Kp = ––––––––– equação de Clapeyron:
química: PH . PI
2 2 Kp = Kc (RT)∆N
Observe-se que, agora, a constante de equilíbrio
PCl5(g) PCl3(g) + Cl2(g)? em que: R é a constante universal dos gases, T é
está representada por Kp, em vez de Kc (quando
a) 0,179. b) 0,22. c) 0,42. a temperatura absoluta, e ∆n é a diferença entre
o cálculo foi feito usando-se as concentrações
d) 2,38. e) 4,52. dos gases). Essas duas constantes para um mes- a soma dos coeficientes inteiros dos produtos
mo caso possuem valores diferentes uma da gasosos e a soma dos coeficientes inteiros dos
05 . (Mackenzie 96) O equilíbrio N2(g) + 2O2 →
outra, então é importante especificar qual das reagentes gasosos. Por exemplo, no equilíbrio:
2NO2(g) desloca-se no sentido de formar
duas se está usando quando se está lidando com aA(g) + bB(g) + cC(s) yY(g) + zZ(g)
N2(g) e O2(g), quando
um equilíbrio. ∆n = (y+z) – (a+b)
a) a pressão do N2 aumentar. 6. ADIÇÃO OU REMOÇÃO DE REAGENTES Essa expressão matemática apresenta uma limi-
b) a pressão do NO2 é diminuída. tação, não admitindo a presença de um ou mais
Ao se alterar a quantidade de uma substância,
c) a pressão total aumentar. também se está mexendo na velocidade em que líquidos na reação em questão. Isso não significa
d) as pressões parciais do N2 e O2 diminuírem. a reação se processa (pois se estará mudando as que a reação não apresente Kp e Kc; significa
e) adicionarmos um catalisador. chances de as substâncias reagirem entre si). apenas que a expressão é inválida para esse
Dessa forma, a velocidade das reações direta e caso.

10