Você está na página 1de 63

Prefácio, 4

Introdução, 5-6

Informações Legais, 7
Preparando Receitas Fáceis, Saudáveis e Balanceadas, 8

 RECEITAS BÁSICAS PARA CÃES ADULTOS, 8


 Receita Delícia de Aves com Aveia, 9-10
 Receita Bolo de Carne, 11-12
 Receita à Brasileira, 13-14

 RECEITAS RÁPIDAS PARA CÃES ADULTOS, 15


 Refeição Rápida de Aveia e Ovos, 16
 Refeição Rápida de Mingau de Aveia, 17
 Refeição Rápida de Mexidinho de Carne e Cereais, 18-19
 Alimentação Ideal para Cães, 20
 Necessidades calóricas médias, 20-21
 Tabela Nutricional das Receitas, 22
 Padrão Nutricional utilizado nas Receitas, 23

Dietas Especiais para Necessidades Especiais, 24


 Recém-nascidos (órfãos), Filhotes de Cães (desmamados), Fêmeas de
Reprodução, Grávidas e Lactantes, Animais Submetidos a Exercícios Físicos
Intenso ou Estresse, Animais que precisam recuperar a força após uma cirurgia,
lesão, doença ou desnutrição, Animais Expostos a Temperaturas Extremas e
Animais de Estimação de famílias Vegetarianas, 24
 Diretrizes de Alimentação para Animais em Condições Especiais, 25
 RECEITAS DE ALTA ENERGIA, 26
 Alimentação de Cães com Necessidades Extras (Gestação e Lactação), 27-29
 Fórmula para Filhotinhos recém-nascidos, 30-31
 Problemas de Filhotes Órfãos, 32
 Fórmula de Ervas útil no Tratamento de Diarreia em filhotes, 32
 Animais de Estimação de Famílias Vegetarianas, 33
 Podemos cortar a carne na alimentação de nossos animais de estimação?, 33-
35
 RECEITAS QUE UTILIZAM POUCA CARNE, 35-36
 Receita sem Carne – Polenta, 37-38
 Receita sem Carne - Caldinho de Feijão Incrementado, 39-40
 Receita sem Carne - Cereais com Ovos, 41-42
 Receita sem Carne - Tutu de Feijão, 43-44

Pág. 2
 Composição Nutricional das Receitas Especiais e Vegetarianas, 45
 Dietas Terapêuticas para Cães, 46
 Dieta para Cães Alérgicos #1 e #2, 47-52
 Dieta Canina para Perda de Peso #1 e #2, 53-57
 Dieta Canina para Problemas Renais, 58-63

Pág. 3
Prefácio
Quem tem um animal de estimação em casa sabe o carinho que temos por eles e eles por
nós. Sempre procurei dar, dentro de minhas possibilidades, o melhor possível para que
tivessem uma vida feliz e saudável, afinal, são como crianças, dependem totalmente da
gente.
Sempre tive um demasiado cuidado em relação a saúde e alimentação, você é o que você
come – e não é diferente para o nosso amigão. Continuamente procurei escolher rações
baseadas em marcas, ingredientes, níveis de proteínas, gorduras, energia, tamanho das
partículas... enfim, sempre dei a eles o que julgava ser o melhor, o mais gostoso e saudável.
Gastava um bom dinheiro, mesmo achando estranho alimentá-los apenas com ração,
afinal, comer sempre a mesma coisa todos os dias... mas é o que sempre recomendaram.
A primeira vez que ouvi falar em Alimentação Natural e Cuidados Holísticos para animais
de estimação foi quando um médico veterinário e criador comentou sobre o assunto, a
uns quinze anos atrás. Um livro sobre Cuidados e Alimentação Natural, que resolvi colocar
em prática, pois, na época, minha cadela Lara, tinha um problema crônico de alergia,
coceiras e demasiada queda de pelos. Billy, meu Dashound, já apresentava problemas de
coluna decorrentes de obesidade que antes, mesmo eu gastando uma fortuna com rações
terapêuticas Super Premium, não emagrecia sem adoecer.
O fato é que, com a troca pela alimentação natural, em pouco tempo, obtive excelentes
resultados com a saúde de meus animais, além de uma boa economia com rações,
consultas veterinárias e medicamentos, que era um sofrimento para eles. Talvez nem
todos possam ter o mesmo grau de resultado, é claro. Cada animal é único e depende de
quanto dano já sofreu. No entanto, seguramente, um percentual muito grande de animais
cronicamente doentes podem voltar a ser muito mais saudável do que se poderia esperar.
E este foi o caso dos meus animais e de muitos outros que conheço.
Hoje, mais de quinze anos depois e, no decorrer de todo este tempo ter lido e estudado
outros tantos livros, como o da Dra. Karen Becker (Real Food for Healthy Dogs & Cats) e o
da própria Wendy Volhard (Holistic Guide for a Healthy Dog), conversado com veterinários
(muitos que fiz amizade quando prestava serviços de marketing para uma das gigantes do
setor de alimentos comerciais para animais de pequeno porte – cães e gatos), criadores e
tutores de animais, continuo impressionado com a evolução do tema e do espantoso
número de adeptos que, como eu e meus amimais, obtêm excelentes resultados, e, que
acabam por incentivar amigos e outras pessoas a também mudarem a alimentação e o
tratamento de seus animais para uma Dieta e Cuidados de Saúde mais Naturais, mais
saudáveis e livres de químicas.

Gabriel Muniz

Pág. 4
Introdução
Muitos podem supor que a alimentação natural, medicina holística e cuidados
naturais para com animais de estimação são um avanço recente, algo desenvolvido
durante as últimas duas ou três décadas por um punhado de pesquisadores e veterinários
revolucionários.
Na verdade, não foi assim. O movimento holístico e natural para com animais de estimação
começou há mais de 70 anos, quando Juliette de Bairacli Levy definiu a "criação natural".
Levy e seus seguidores utilizam uma variedade de alimentos, incluindo carne crua,
laticínios, ovos, ervas e pequenas quantidades de frutas, legumes, algas em pó e grãos
como aveia embebida em leite de cabra ou iogurte. Outros usam a dieta de lobos selvagens
como modelo.
Como seria de se esperar, Levy evita pesticidas, herbicidas e outros produtos químicos, e
recomenda alimentar cães com ingredientes organicamente cultivados.
Um de seus discípulos, a conhecida autora e instrutora Wendy Volhard, aprendeu sobre
jejum e criação natural há quase 50 anos, quando esses métodos salvaram a vida de seu
cão e deu início a uma nova e fascinante carreira.
Porém, muito antes, em 1967, Volhard queria fazer tudo da maneira mais científica e,
claro, fornecia os melhores remédios e alimentos comerciais para seus cães. Contudo,
investigando as causas dos problemas de saúde de seus animais, ela percebeu que os
parentes de seus cães eram muito mais saudáveis e tinham uma vida mais longa também.
Descobriu então que eles eram alimentados com alimentos crus e naturais, nada que vinha
dentro de uma caixa ou pacote era fornecido. Outros criadores ingleses que visitou, que
usavam os mesmos métodos com os mesmos resultados, deram a ela como um presente
de despedida o livro Complete Herbal Handbook for the Dog de Juliette Levy.
Volhard leu o livro e não acreditou muito na cura e na construção da saúde por meio de
uma alimentação saudável e uso de ervas medicinais. Mas em casa com seu cão doente,
ela pensou: "O que mais posso fazer?" A melhor medicina veterinária não estava ajudando.
Sob fortes objeções de seu marido, Volhard jejuou seu cachorro por três semanas,
alimentando-o apenas com líquidos, mel e ervas. "Eu segui as orientações de Juliette à
risca", diz ela. "Eu não tinha mais o que fazer. E todos os dias que meu cachorro jejuava,
ficava um pouco melhor. Ao fim de três semanas, começamos sua dieta natural e ele
recuperou sua força completamente, e viveu uma vida ativa e feliz até morrer sete anos
depois aos 12 anos de idade".
Na época, Volhard era repórter do Wall Street Journal, com um pé na comunidade
científica. Ela decidiu comparar a dieta de Levy com as diretrizes nutricionais da National
Science Foundation’s nutritional guidelines for dog food, o único padrão de alimentação
testado cientificamente. "Levei 12 anos e muitas entrevistas com especialistas", diz
ela. "Então meu veterinário ajudou com os ajustes finais, que eu fiz com resultados de
centenas de exames de sangue." Em 1984, Volhard publicou sua dieta, que resultou no
Pág. 5
Holistic Guide for a Healthy Dog, (Guia Holístico para um Cão Saudável) que está agora em
sua segunda edição.
"Juliette fez o melhor que pôde com o conhecimento disponível na época", diz Volhard. Ela
fez um trabalho magnífico. Ela é verdadeiramente a mãe de todo o movimento holístico
de cuidados e saúde animal natural”.
(Texto extraído do Whole Dog Journal, 4 de fevereiro de 2016)

E você, agora, tem o benefício e a segurança de décadas da experiência daqueles que


aderiram e puderam verificar na prática os resultados dessa mudança. Eu acredito que
você vá sentir o mesmo que eu, e seus amados companheiros serão agradecidos, não só
por ajudá-los a permanecerem saudáveis, mas também por mantê-los em casa, felizes e
saudáveis, longe dos temidos consultórios veterinários!
Tudo que você lerá a seguir é baseado na literatura de diversos doutores veterinários,
consagrados especialistas em alimentação e nutrição animal, e seguem as especificações
nutricionais de acordo com as orientações para a seleção dos alimentos mais importantes
fornecidos pelo HANDBOOK ON THE COMPOSITION OF FOODS (USDA), e as receitas são
formuladas para garantir que a quantidade de cada nutriente atinja ou ultrapasse os
valores mínimos recomendados segundo as orientações da agência americana NATIONAL
RESEARCH COUNCIL (NRC) e da europeia SCIENTIFIC COMMITTEE ON ANIMAL NUTRITION
(SCAN) para alimentos de cães. Essas publicações fornecem tabelas com as recomendações
nutricionais mínimas para cães em suas diferentes fases da vida.

Porém, lembre-se sempre que, mesmo com todos cuidados que possa ter com seus
queridos animais, as receitas, dietas, manejos e tratamentos sugeridos não dispensam, em
nenhuma hipótese, a assistência e os cuidados do médico Veterinário.

Pág. 6
Informações Legais
Esta é uma parte chata, mas necessária. Peço que leia com atenção e siga as orientações contidas aqui.

O conteúdo desse livro é apresentado com as melhores das intenções, contudo, têm
caráter meramente informativo e em nenhuma circunstância substitui a orientação de um
médico-veterinário, especialmente, mas não somente, no caso de distúrbios de fundo
alimentar, intoxicação, ou qualquer outra patologia relacionada à ingestão de alimentos
ou a contato com outros produtos.
Cada cão é um indivíduo com histórico e particularidades únicas e são muitos os fatores
que podem influenciar sua saúde e bem-estar, além de não termos controle sobre a
qualidade dos ingredientes utilizados, como a dieta é preparada, armazenada, o ambiente
em que vive e o estado de saúde atual do seu animal, entre outros fatores.
Deste modo, não posso me responsabilizar por resultados diferentes dos desejados,
incluindo - mas se não se limitado a - quaisquer prejuízos ou danos resultantes da tentativa
de seguir as informações contidas aqui.
Assim, antes de colocar em prática as sugestões deste livro, consulte um médico
veterinário de sua confiança para verificar se seu animal se encontra apto a receber
qualquer uma das dietas e cuidados descritos aqui.
A nutrição é um pilar fundamental para a saúde e deve ser tratada de forma responsável
e séria. Mas não é o único. Tenha em mente que você sempre precisará contar com o
acompanhamento do médico-veterinário, como já deve ou deveria estar fazendo.

Pág. 7
Preparando Receitas Fáceis, Saudáveis e Balanceadas

Receitas Básicas para Cães Adultos

As receitas seguintes são destinadas a formar a base da dieta caseira fresca e natural para
cães adultos saudáveis. Se precisar, pode consultar a Tabela Nutricional das Receitas para
Cães para os dados nutricionais de cada receita.
Cada receita sugere quantas xícaras são necessárias para alimentar cães adultos de
diferentes tamanhos e raças.
Entre os cereais, a aveia é uma boa escolha para animais de estimação. Não só por seu
cozimento rápido, mas também por conter mais proteína por caloria do que qualquer
outro grão comum. No entanto, sempre é bom variar os ingredientes, alternando por
outros grãos (como recomendado), porque cada grão varia de aminoácidos e seus níveis
de vitaminas e minerais.

Pág. 8
DELÍCIA DE AVES COM AVEIA - Fornece cerca de -
4.426 kcal
Esta é uma receita versátil para manutenção para cães adultos e 33% - PROTEÍNAS
fornece um nível de 33% de proteína (peru com a aveia) e 30% de 30% - GORDURAS
gordura. Substituir a carne de peru por tofu reduz o teor de proteína 36% - CARBOIDRATOS
e gordura consideravelmente.

Ingredientes _____________________________________________________________
 6 xícaras (1,5 kg) de frango ou peru, com pele, picado ou moído
 5 xícaras (450 g) de aveia flocos (cerca de 11 xícaras cozida)
 4 colheres de sopa (60 ml) de óleo vegetal
 1 xícara de legumes, picados ou ralados, cozidos (pode ser omitido ocasionalmente)
 1 colher de chá de molho tamari ou ¼ colher de chá de sal iodado (opcional)
 1 dente de alho amassado ou picado (opcional)
Suplementos _____________________________________________________________
Suplementação de Cálcio:
 5.200 mg (5,2 g) de Cálcio + 1.700 a 1.800 mg (1,7 a 1,8 g) de Fósforo
(ou na quantidade prescrita por seu veterinário ou como indicado no rótulo do produto)
Complemento Nutricional:
 6 colheres de sopa do Complemento Caseiro Saudável (opcional)
Recomendações:
 400 UI/mg de Vitamina E
 10.000 UI (3.000 mcg) de Vitamina A (desnecessário se estiver fornecendo cenouras)
Ou __________________________________________________________________

 Polivitaminico-mineral completo para manutenção de cães adultos ou na versão


recomendada pelo seu veterinário
________________________________________________________________________

Preparo: Coloque cerca de 10 xícaras (2,5 litros) de água para ferver. Adicione a aveia,
tampe a panela e desligue o fogo, deixando a aveia cozinhar na agua quente
por 10-15 minutos, ou até ficar macia. Não mexa durante o cozimento ou a
aveia ficará muito mole. Após esfriar, misture os ingredientes restantes, os
suplementos e sirva.
Dica: Esmague um dente de alho em uma pequena quantidade de tamari (molho
de soja). Deixe descansar cerca de meia hora, em seguida, retire o alho. Use
cerca de ⅛ a ¼ de uma colher de chá para cada xícara de alimento. Esta dica
serve para qualquer receita.
Rendimento: Cerca de 18-19 xícaras | aproximadamente 230 kcal por xícara.
Separe em porções e congele o que não for ser consumido nos próximos 2 dias.
Ração diária: Mini/Toy: cerca de 1-2 xícaras | Pequeno ou Anão: cerca de 4 xícaras | Médio:
cerca de 6-7 xícaras | Grande: cerca de 8 xícaras | Gigante: cerca de 9 xícaras.
Pág. 9
Variações: É possível efetuar substituições nesta receita usando grãos ou carnes
diferentes (ou ambos). Consulte Carnes equivalentes e a Tabela de Grãos
Recomendados para melhor orientação. Variando a receita com ingredientes
diferentes, você garante não ter esquecido algum nutriente importante e
evita deficiências.
Nota: Se você usar aveia ou bulgur, pode ocasionalmente substituir uma das
seguintes opções para cada 500g de carne: 500g de queijo cottage mais 4 ovos
crus; ou 500g de tofu mais 4 ovos crus. Adicione os ovos, enquanto o grão
ainda estiver quente, isto dará uma textura melhor a mistura.
Para sua conveniência, esta receita pode ser dividida por 4.
Para tanto, basta utilizar ¼ das quantidades de cada ingrediente e suplemento
solicitado.
________________________________________________________________________

Pág. 10
BOLO DE CARNE - Fornece cerca de -
1.091 kcal
Esta receita aproveita o ovo para dar liga. Você pode servir crua ou 30% - PROTEÍNAS
assada. Com os ingredientes apresentados aqui, a receita contém 25% - GORDURAS
cerca de 30% de proteína, 25% de gordura, e 42% de carboidratos. 42% - CARBOIDRATOS
Dependendo da carne e do grão que você utilizar, estas quantidades
irão variar dentro de limites aceitáveis. O ovo fornece a quantidade adequada de vitamina
A, além da contida nos vegetais.

Ingredientes _____________________________________________________________
 1 xícara (250 g) de carne bovina magra, moída ou picada
 6 fatias de pão de trigo integral, esfarelado ou em migalhas
 1 xícara de leite integral
 2 ovos
 1 colher de sopa de óleo vegetal
 ¼ xícara de legumes, picados ou ralados, cozidos (pode ser omitido ocasionalmente)
 ¼ colher de chá de molho de soja tamari ou uma pitada de sal iodado (opcionais)
 1 dente de alho pequeno esmagado ou picado (opcional)
Suplementos _____________________________________________________________
Suplementação de Cálcio:
1.000 mg (1g) de Cálcio + 0 a 3 mg de Fósforo ou ½ colher de chá de casca de ovo em
pó (ou na quantidade prescrita por seu veterinário ou como indicado no rótulo do
produto)
Complemento Nutricional:
 1 colher de sopa do Complemento Caseiro Saudável (opcional)
Recomendações:
 100 UI/mg de Vitamina E

Ou __________________________________________________________________
 Polivitaminico-mineral completo para manutenção de cães adultos ou na versão
recomendada pelo seu veterinário
________________________________________________________________________

Preparo: Misture todos os ingredientes e suplementos, adicionando água, se


necessário, para melhorar a textura. Sirva cru. Ou espalhe a mistura em uma
forma, deixando a massa com 2-3 centímetros de espessura, e leve ao forno
a 200 °C por 20-30 minutos, ou até que a massa doure. Sirva após esfriar.
Você pode optar por servir o leite separadamente em vez de combiná-lo na
mistura. Outra alternativa é misturar ¼ xícara de leite em pó direto sobre a
receita, que também fica muito bom.

Pág. 11
Dica: Esmague um dente de alho em uma pequena quantidade de molho de soja
tamari. Deixe descansar cerca de meia hora, em seguida, retire o alho. Use
cerca de ¼ de uma colher de chá para cada xícara de alimento.
Rendimento: Cerca de 4-6 xícaras | aproximadamente 200 kcal por xícara.
Separe em porções e congele o que não for ser consumido nos próximos 2 dias.
Ração diária: Mini/Toy: cerca de 1-2 xícaras | Pequeno ou Anão: cerca de 3-4 xícaras |
Médio: cerca de 6-7 xícaras | Grande: cerca de 8-9 xícaras | Gigante: cerca de
9-10 xícaras.
Variações: Carnes - carne de frango ou de peru, sem pele, picado ou moído.
________________________________________________________________________

Pág. 12
RECEITA À BRASILEIRA - Fornece cerca de -
1.115 kcal
Aqui está uma receita muito fácil, econômica e ecologicamente 32% - PROTEÍNAS
correta. Arroz e feijão “juntos” fornecem uma proteína que é 17% - GORDURAS
semelhante à proteína da carne. É uma ótima combinação com muitos 47% - CARBOIDRATOS
benefícios nutricionais.
Usando carne bovina magra, esta receita contém aproximadamente 32% de proteína, 17%
de gordura e 47% de carboidratos.
As quantidades podem variar um pouco, dependendo das carnes utilizadas. Por exemplo,
a proteína será cerca de 15% e 70% menor em gorduras se você utilizar carne de peru ou
de frango sem pele. Para compensar a diferença, se necessário, adicione gordura extra na
forma de banha, manteiga, ou óleo vegetal.
A relação entre cálcio e fósforo é aceitável, embora um pouco pobre, então,
ocasionalmente, alterne com outras receitas - como sempre recomendado.

Ingredientes _____________________________________________________________
 1 xícara (250 g) carne bovina magra, picada ou moída (ou de peru ou de frango, sem
pele, ou coração bovino sem gordura)
 1 xícara (170 g) de feijão já cozido (sem sal, sem temperos)
 1 xícara (180 g) de arroz integral cru (cerca de 2¼ xícaras cozidas)
 1 colher de sopa de óleo vegetal
 1 colher de chá de molho de soja tamari ou uma pitada de sal iodado (opcional)
 1 dente de alho pequeno esmagado ou picado (opcional)
Suplementos _____________________________________________________________
Suplementação de Cálcio:
 1.300 mg (1,3 g) de Cálcio + 400 a 500 mg (0,4 a 0,5 g) de Fósforo
(ou na quantidade prescrita por seu veterinário ou como indicado no rótulo do produto)
Complemento Nutricional:
 1 colher de sopa do Complemento Caseiro Saudável (opcional)
Recomendações:
 10.000 UI (3.000 mcg) de vitamina A
 400 UI/mg de vitamina E
Ou __________________________________________________________________

 Polivitaminico-mineral completo para manutenção de cães adultos ou na versão


recomendada pelo seu veterinário
________________________________________________________________________

Dica: Esmague um dente de alho em uma pequena quantidade de tamari (molho


de soja). Deixe descansar cerca de meia hora, em seguida, retire o alho. Use

Pág. 13
cerca de 1/8 a 1/4 de uma colher de chá para cada xícara de alimento. Esta
dica serve para qualquer receita.
Se você desejar aumentar um pouco mais o teor de proteína, adicione um ovo
ou 1 colher de sopa de levedura nutricional ou de cerveja.
Preparo: Ferva 2 xícaras de água, adicione o arroz e cozinhe por 35-45 minutos. Após
esfriar, misture os ingredientes restantes, os suplementos e sirva.
Rendimento: Cerca de 4 ½ xícaras | aproximadamente 250 kcal por xícara.
Separe em porções e congele o que não for ser consumido nos próximos 2 dias.
Ração diária: Mini/Toy: cerca de 1-1½ xícaras | Pequeno ou Anão: cerca de 3-4 xícaras |
Médio: cerca de 6-7 xícaras | Grande: cerca de 8-9 xícaras | Gigante: cerca de
9-10 xícaras.
Variações: Cereais - Em vez de arroz, você pode usar (com as versões de proteína mais
altas listadas primeiro): 2 xícaras de aveia em flocos (4 xícaras de água = 4
xícaras cozida); ou 1 xícara de bulgur (2 xícaras de água = 2 ½ xícaras cozidas);
ou 1 ½ xícaras de fubá ou polenta (4 xícaras de água = 4 xícaras cozido); ou 1
xícara de cevada (2 a 3 xícaras de água = 2 ½ a 3 xícaras cozida).
Feijão - Você também pode usar uma xícara de soja cozida, feijão preto ou
branco em vez de feijão comum. Dentre estas opções, a soja é a que tem mais
proteínas.
Nota: A chave para a conveniência desta receita é cozinhar grandes quantidades de
feijão com antecedência. Congele em pequenas porções (conforme a
necessidade das refeições que irá servir) e vá descongelando conforme
necessário. A versão principal usa o arroz porque é um grão que muitas
pessoas usam em seus próprios menus no dia a dia, mas você pode usar
outras opções de grãos que contenham mais proteína e, em sua maior parte,
cozinham mais rapidamente.
________________________________________________________________________

Pág. 14
Receitas Rápidas para Cães Adultos

Aqui estão três receitas muito rápidas e simples para aquelas inevitáveis ocasiões quando
você tem um comedor ansioso te empurrando e, de repente, descobre que está sem
nenhum de alimento pronto para ele, nem caseiro e nem comercial industrializada.

Estas receitas não são destinadas para uso diário regular, pois elas não fornecem uma
refeição totalmente completa. Elas são elaboradas com ingredientes básicos que
provavelmente você tem em casa. Você pode alimentar o seu cão até duas vezes por
semana com este tipo de refeição.

Pág. 15
RECEITA RÁPIDA DE AVEIA E OVOS - Fornece cerca de -
698 kcal
Esta receita, usando aveia em flocos, contém aproximadamente 29% 29% - PROTEÍNAS
de proteína, 23% de gordura e 44% de carboidratos. 23% - GORDURAS
44% - CARBOIDRATOS

Ingredientes _____________________________________________________________
 1 xícara (100 g) de aveia em flocos (cerca 2 xícaras cozidas)
 4 ovos
Suplementos _____________________________________________________________
Suplementação de Cálcio:
 1.000 mg (1 g) de Cálcio + 0 a 3 mg de Fósforo ou ½ colher de chá de casca de ovo em
pó (ou na quantidade prescrita por seu veterinário ou como indicado no rótulo do
produto)
Complemento Nutricional:
 2 colheres de sopa do Complemento Caseiro Saudável (opcional)
Recomendações:
-x-
Ou __________________________________________________________________

 Polivitaminico-mineral completo para manutenção de cães adultos ou na versão


recomendada pelo seu veterinário
________________________________________________________________________

Dica: Dobre ou triplique a receita para servir a cães maiores.


Preparo: Coloque 2 xícaras de água (500 ml) para ferver. Adicione a aveia, tampe e
desligue o fogo, deixando a aveia cozinhar na água quente por cerca de 10
minutos, ou até ficar macia. Não mexa para não ficar muito mole. Em seguida,
misture os ovos e deixe cozinharem ligeiramente no calor da aveia. Após
esfriar, misture os ingredientes restantes, os suplementos e sirva.
Rendimento: Cerca de 3 xícaras | aproximadamente 230 calorias por xícara.
Ração diária: Mini/Toy: cerca de 1-2 xícaras | Pequeno ou Anão: cerca de 3-4 xícaras |
Médio: cerca de 6-7 xícaras | Grande: cerca de 8-9 xícaras | Gigante: cerca de
9-10 xícaras.
Variações: Cereais - Em vez de aveia, você pode usar: ½ xícara de bulgur (1 xícara de água
= 1 ¼ xícara cozida); ou ½ xícara cuscuz de trigo integral (¾ xícara de água = 1
¼ xícaras cozido).
________________________________________________________________________

Pág. 16
RECEITA RÁPIDA DE MINGAU DE AVEIA - Fornece cerca de -
1.100 kcal
Aqui está outra ótima receita para uma refeição rápida e fresca, 23% - PROTEÍNAS
simples de preparar e pode assemelhar-se ao seu próprio café da 15% - GORDURAS
manhã. 58% - CARBOIDRATOS

Esta receita, usando aveia em flocos, contém aproximadamente 23% de proteína, 15% de
gordura e 58% de carboidratos.

Ingredientes _____________________________________________________________
 2 xícaras (200g) de Aveia em Flocos (ou cerca de 4 xícaras cozidas)
 2 xícaras (500 ml) de leite semidesnatado (2% de gordura)
 2 ovos
Suplementos _____________________________________________________________
Suplementação de Cálcio:
 1.000 mg (1 g) de Cálcio + 0 a 3 mg de Fósforo ou ½ colher de chá de casca de ovo em
pó (ou na quantidade prescrita por seu veterinário ou como indicado no rótulo do
produto)
Complemento Nutricional:
 1 colher de sopa do Complemento Caseiro Saudável (opcional)
Recomendações:
-x-
Ou __________________________________________________________________
 Polivitaminico-mineral completo para manutenção de cães adultos ou na versão
recomendada pelo seu veterinário
________________________________________________________________________

Dica: Dobre ou triplique a receita para servir a cães maiores.


Preparo: Coloque 4 xícaras de água (1 litro) para ferver. Adicione a aveia, tampe e
desligue o fogo, deixando a aveia cozinhar na água quente por cerca de 10
minutos, ou até ficar macia. Após esfriar, misture os Suplementos e cubra com
o leite.
Em outra tigela (pequena), bata os ovos ligeiramente para misturar a gema
com a clara. Você pode servir a parte, se seu animal gostar, ou misturar com
a aveia na hora de servir a refeição.
Rendimento: Cerca de 7 xícaras | aproximadamente 160 calorias por xícara.
Ração diária: Mini/Toy: cerca de 2-3 xícaras | Pequeno ou Anão: cerca de 6 xícaras | Médio:
cerca de 9 xícaras | Grande: cerca de 12 xícaras | Gigante: cerca de 14 xícaras.
________________________________________________________________________

Pág. 17
RECEITA RÁPIDA DE MEXIDINHO DE CARNE E CEREAIS - Fornece cerca de -
1.163 kcal
Faça um rodízio desta receita com aquelas que contêm farinha de 29% - PROTEÍNAS
osso, para se certificar de que todos os micronutrientes estão sendo 17% - GORDURAS
fornecidos. 50% - CARBOIDRATOS

Ingredientes _____________________________________________________________
 1 xícara (200 g) de carne dianteira bovina magra, picada ou moída (ou de peru ou
frango, sem pele, ou coração bovino sem a gordura)
 1 xícara (140 g) de bulgur ou cuscuz de trigo integral (cerca 2½ xícaras cozidas)
 1 colher de sopa de óleo vegetal
Suplementos _____________________________________________________________
Suplementação de Cálcio:
 1.500 mg (1,5 g) de Cálcio + 0 a 5 mg de Fósforo ou 1 colher de chá (rasa) de casca de
ovo em pó (ou na quantidade prescrita por seu veterinário ou como indicado no rótulo
do produto)
Complemento Nutricional:
 2 colheres de sopa do Complemento Caseiro Saudável (opcional)
Recomendações:
 5.000 UI (1.500 mcg) de vitamina A
Ou __________________________________________________________________

 Polivitaminico-mineral completo para manutenção de cães adultos ou na versão


recomendada pelo seu veterinário
________________________________________________________________________

Preparo: Coloque 4 xícaras de água para ferver, adicione o bulgur, tampe e cozinhe por
10-20 minutos. Para o cuscuz, use 3 xícaras de água e deixe cozinhar por 3-5
minutos. Após esfriar, adicione a carne, o óleo, os suplementos e sirva.
Rendimento: Cerca de 3¾ xícaras | aproximadamente 310 calorias por xícara.
Ração diária: Mini/Toy: cerca de 1½ xícara | Pequeno ou Anão: cerca de 3-3½ xícaras |
Médio: cerca de 5 xícaras | Grande: cerca de 6-6½ xícaras | Gigante: cerca de
7-8 xícaras.
Variações: Cereais - Em vez de bulgur ou cuscuz de trigo integral, você pode usar 1½
xícara de aveia em flocos (cerca de 3 xícaras cozido). Apenas em conjunto com
carnes de aves ou outras carnes magras, você pode acrescentar 1 xícara de
arroz integral (2 copos de água = 2½ xícaras cozido).
Carne: Estas substituições são equivalentes em nutrientes: peru, frango,
carne moída magra e coração de boi magro: 500 g de carne = 1kg de queijo
cottage + 4 ovos, ou 500 g Tofu + 4 ovos.

Pág. 18
As quantidades de proteína, gordura, carboidratos e calorias totais serão
alteradas, mas não de forma significativa. É uma boa ideia variar os alimentos
periodicamente para certificar-se de que há variedade de nutrientes.
________________________________________________________________________

Pág. 19
Alimentação Ideal para Cães

Para os cães, os padrões atuais da AAFCO aconselham um mínimo de apenas 18% de


proteína para manutenção de adultos e 22% para a reprodução e crescimento (as
recomendações anteriores, de 28%, eram tão altas quanto indicado para a lactação).
O nível mínimo de gordura de 5% (8% para a reprodução e crescimento), embora os
estudos de alimentação têm mostrado que cães possam tolerar até 50% de gordura e
permanecerem adequadamente nutridos.
Existe uma relação direta entre gordura e proteína na dieta. Quanto mais gordura na dieta,
mais proteína é necessária. Existem interações metabólicas entre os dois, quanto mais
gorda for a dieta menos o animal precisa comer para aliviar sua fome. É por isso que um
cão pode ficar subnutrido se você adicionar pingos de óleo ou de carne em seu alimento
sem aumentar a proteína, vitamina e minerais em conformidade.

Necessidades calóricas médias para cães adultos


Devemos sempre lembrar que a quantidade de calorias que um cão deve ingerir vai
depender de vários fatores. A quantidade de calorias que um cachorro deve consumir
diariamente varia de acordo com o tamanho, raça e nível de atividade. Devemos entender
que cada cachorro possui um metabolismo diferente e que algumas raças podem ter maior
facilidade de engordar.
Existe uma fórmula para estimar a quantidade de CÃES CALORIAS POR DIA (kcal)
calorias que um animal deve ingerir por dia Peso (kg) JOVEM ADULTO SENIOR

utilizando o peso do animal como base, a MER 3 301 237


(Metabolic Energy Requirement) ou “Necessidade
4 375 294
de Energia Metabólica”: MER(kcal)= 132 x (peso
corporal em Kg)⁰’⁷⁵ 6 506 399

O cálculo dos requisitos energéticos diários baseia- 8 628 495


se na necessidade de energia em repouso (RER), 10 742 585
modificado por um fator para ter em conta a 14 955 753
atividade normal ou de produção (por exemplo,
18 1.154 909
crescimento, gestação, lactação, trabalho).
22 1.341 1.056
Ela é baseada no Peso Corporal (PC), e é calculada
mediante o aumento do Peso Corporal do animal 28 1.607 1.266
em kg a 0,75 de energia. A média de MER para 34 1.859 1.464
mamíferos é cerca de 70 kcal/dia/kg. A média para 40 2.100 1.654
mamíferos é cerca de 293(PC) à potência 0,75 de
60 2.846 2.242
energia. Vale lembrar que a MER serve apenas
como estimativa.

Pág. 20
Cachorros com um nível de atividade alta, filhotes, cachorros trabalhadores e grávidas
necessitam do dobro de calorias informado pela fórmula MER.
Já cachorros idosos, com pouca atividade física devem comer apenas 80% do resultado
para manter seu peso.
Para facilitar, utilize a Calculadora MER & QA. Basta colocar as informações do seu cão
para ver os resultados.

Converse sempre com o seu veterinário para determinar a melhor dieta para o seu animal.

O Dr. Ben E. Sheffy da Universidade de Cornell em Ithaca, Nova York, desenvolveu padrões
proteicos mínimos detalhados para os cães que variam de 13% para 37%, dependendo da
quantidade de gordura na dieta de animais com necessidades especiais, tais como os
descritos na o próximo capítulo. Contudo, como já dito, todas as receitas de alimentos para
cães satisfazem ou excedem qualquer dos padrões do Dr. Sheffy de ou da AAFCO.

Pág. 21
Tabela Nutricional das Receitas para Cães
DENSIDADE
CALORIAS PROTEÍNAS GORDURAS CARBO CÁLCIO FÓSFORO VITAMINA A
RECEITA ENERGÉTICA
(kcal) (%) TOTAIS (%) IDRATOS (%) (%) (%) (IU/kg)
(por xi ca ra )

RECEITAS BÁSICAS PARA CÃES ADULTOS


Delícia de Aves com Aveia 5,4 4.426 33 30 36 0,96 0,76 13.000
Bolo de Carne 4,9 1.091 30 25 42 0,82 0,59 7.500
Receita à Brasileira 4,7 1.115 32 17 47 0,81 0,83 21.000
RECEITAS RÁPIDAS E FRESCAS PARA CÃES
Aveia e Ovos 5,0 698 29 23 44 1,30 0,95 17.000
Mingau de Aveia 4,5 1.100 23 15 58 0,89 0,69 6.000
Mexidinho de Carne e Cereais 4,6 1.163 29 17 50 0,90 0,68 20.000
DIETAS TERAPÊUTICAS
Dieta para Cães Alérgicos # 1 5.648 27 24 47 1,02 0,83 9.000**
Dieta para Cães Alérgicos # 2 5.898 23 18 57 0,86 0,66 8.000**
Dieta Canina para Problemas Renais * 1.343 17 25 55 0,93 0,31 20.000
Dieta Canina para Perda de Peso # 1 1.559 31 12 53 0,84 0,62 149.000***
Dieta Canina para Perda de Peso # 2 1.683 26 15 56 0,68 0,48 25.000**
RECOMENDAÇÕES PADRÃO ꝉ Obs. 1 ≥ 18 ≥5 ≤ 67 ≥ 0,60 ≥ 0,50 5.000 - 50.000
DIETA SELVAGEM CÃES ꝉꝉ - 54 42 1 - - -

Obs.1 - Consulte a Tabela em Necessidades Calóricas médias para Cães Adultos

* A Dieta canina para cães com problemas renais possui uma baixa quantidade de proteína para
poupar os rins. A receita também é mantida baixa em fósforo, devido à tendência deste mineral
se acumular na corrente sanguínea. Assim, a relação de cálcio para o fósforo anormal é
propositalmente elevada nesta dieta. É essencial o acompanhamento médico veterinário.
** Para este cálculo foi assumido que o suplemento vitamínico fornece 10.000 UI (3.000 mcg) de
Vitamina A para toda a receita.
**** A quantidade de vitamina A nesta dieta parece extremamente alta. Isto vem das cenouras,
que contêm grandes quantidades de betacaroteno, que podem ser convertidas em vitamina A,
se necessário. Não há, no entanto, nenhum problema de overdose com betacaroteno, como
existe com a vitamina A pré-formada.
† As Recomendações Padrão são baseadas nas diretrizes para a produção de alimentos
comerciais. Os montantes nas receitas excedem esses mínimos na maioria das categorias.
†† As percentagens de ingredientes para a dieta selvagem fpica também estão incluídas na tabela
para fins comparativos. Nem todas as categorias são conhecidas e, portanto, algumas ficam
vazias.

Notas: Exceto para cães selvagens (o que não é o nosso caso), as recomendações padrão
são porcentuais sobre o peso seco total, e são destinadas à manutenção de cães
adultos em condições normais.

Pág. 22
Padrão Nutricional utilizado das Receitas

As receitas seguem as recomendações fornecidas pela National Research Council Nutrient


Requirements of Dogs and Cats - NRC (2006), dos boletins da Association of American
Feed Control Officials Dog and Cat Food Nutrient Profiles - AAFCO (2014) e SCAN
(Scientific Committee on Animal Nutrition).

O conteúdo nutricional das receitas é calculado com base em informações das seguintes
fontes:
USDA - Departamento de Agricultura dos Estados Unidos
(United States Department of Agriculture - USDA)
(www.ars.usda.gov/Services/docs.htm?docid=6282S)
TABNUT - Departamento de Informática em Saúde da Universidade Federal de São Paulo
(UNIFESP) Ministério da Educação (www.unifesp.br/dis/servicos/nutri/)
TACO - Tabela Brasileira de Composição de Alimentos
NEPA - Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação da Unicamp
(www.unicamp.br/nepa/taco/)
TBCA - Departamento de Alimentos e Nutrição Experimental FCF/USP
(http://www.intranet.fcf.usp.br/tabela/)

O NRC (2006) consiste em uma das principais referências bibliográficas para a nutrição e
alimentação desses animais.

Esteja ciente, no entanto, que o conteúdo nutricional dos alimentos pode variar
consideravelmente, dependendo de como ele é produzido, armazenado e
preparado. Geralmente, alimentos organicamente produzidos são mais nutritivos e mais
próximos dos valores sobre os quais os cálculos se baseiam.
Na maioria dos casos, as formulações ultrapassam as normas oficiais, que representam o
mínimo considerado necessário para a manutenção de um cão ou gato adulto. As receitas
tentam encontrar um equilíbrio entre essas normas mínimas e a dieta natural selvagem.

Pág. 23
Dietas Especiais para Necessidades Especiais
As diretrizes para a produção de alimentos comerciais para cães são aquelas consideras
“adequadas para manutenção”, entende-se como alimentos que fornecem o suficiente
para manter um cachorro saudável.
É certo de que há animais que vivem vidas muito pacíficas e calmas, que atendem a estes
critérios, mas muitos daqueles que encontramos poderiam se beneficiar de subsídio
nutricional extra. O que a nutrição mínima não garante é uma reserva benéfica para o
animal que está sob estresse, físico ou emocional.
As receitas básicas para cães adultos, não só mantém a saúde de um animal adulto, mas
também atende a situações de necessidades especiais.
Como vimos, as receitas fornecem quantidades de proteína e gordura muito mais próximas
daquelas disponíveis na dieta natural "selvagem", embora não possamos duplicá-las
precisamente sem alimentá-los com presas vivas. Mas elas fornecem níveis mais que
suficientes para a manutenção e também são adequadas para animais que necessitam de
mais calorias, mais proteínas, e mais gordura. Tais animais incluem:
Recém-nascidos (órfãos) e Filhotes de Cães (desmamados)
Proteínas e calorias extras são necessárias para o crescimento de novos tecidos e
atividades juvenis.
Fêmeas de Reprodução, Grávidas e Lactantes
Concepção, gestação, parto, e da prole que necessitam ingerir teores elevados de proteína
para desenvolvimento dos novos tecidos.
Animais submetidos a Exercício Físico Intenso ou Estresse
Tais condições sinalizam o corpo a consumir grandes quantidades de energia, bem como
proteínas, o que é necessário para a atividade e reparação de tecidos.
Animais que precisam Recuperar após uma Cirurgia, Lesão, Doença ou Desnutrição
Quantidades mais elevadas do que o normal de proteína e energia são vitais para a cura.
Animais Expostos a Temperaturas Extremas
Com o tempo muito quente, dietas ricas em proteínas compensam a diminuição da
ingestão de alimentos causada pela perda de apetite. Exposição ao tempo frio exige mais
calorias para manter o animal aquecido, as melhores calorias são fornecidas por uma dieta
rica em gordura.

Outra categoria especial é o animal de estimação das famílias vegetarianas


Por algumas questões éticas, ecológicas ou outras questões relacionadas a saúde, levam
algumas pessoas a eliminar a carne de suas dietas. Se eles reduzem a ingestão de carne
também do seu animal de estimação, eles devem substituir certos nutrientes que a carne
proporcionaria. (Consulte Animais de Estimação de Famílias Vegetarianas para discussão
de dietas sem carne).

Pág. 24
Diretrizes de Alimentação de Animais em Condições Especiais

Não é novidade que a necessidade de alimentos aumenta quando há qualquer aumento


do crescimento ou aumento da reparação ou substituição dos tecidos do corpo.
Este crescimento ocorre durante: da infância para a vida adulta, gravidez.
Aumento da reparação e substituição ocorre durante: a produção de leite durante a
amamentação, exercícios pesados, tempo frio, clima quente, estresse emocional,
recuperando-se de uma doença.
Filhotes para crescerem precisam de duas vezes mais energia por quilo do seu peso
corporal do que um cão adulto. Quando chegarem a ter cerca de 40% do peso adulto final,
a proporção muda para cerca de 1,6 vezes as necessidades energéticas.
Por exemplo, se um cão adulto de 10 quilos precisa cerca de 742 kcal por dia, cerca de 74
kcal por quilo do seu peso corporal (742 ÷ 10 = 74,2). Um filhote de cachorro, recém-
desmamado, da mesma raça, pesando apenas 1 kg, necessita de 148 kcal por kg (o dobro
do adulto) para ser capaz de crescer corretamente. Quando ele chegar a 40% do seu peso
adulto (4 kg), a exigência cai para 119 kcal por quilo (74 x 1,6 = 118,72). A 80% do peso
adulto, ela cai ainda mais para 1,2 vezes o teor de manutenção (74 x 1,2 = 88,8) kcal.
Alguns cães parecem nunca chegar ao ponto de "manutenção", agindo com fome o tempo
todo, procurando alimento sempre que podem. Isto, no entanto, é uma anomalia, um
sintoma de metabolismo desequilibrado, e necessita de tratamento além do ajuste
nutricional.
Podemos classificar as condições por ordem daqueles que necessitam de alimento
concentrado, diminuindo gradualmente essa exigência, como nós vamos ver na lista mais
abaixo.
Também podemos combinar estas condições com as receitas básicas para cães adultos,
para que você saiba quais são as mais adequadas para cada caso ou situação.
Algumas raças de cães também exigem mais ou menos energia pela natureza inerente de
sua raça.
Por exemplo, um Jack Russell Terrier (aquele cachorrinho de estimação do Máskara que
parece ser um vira-latinha simpático) contra um poodle miniatura. Embora ambos sejam
aproximadamente do mesmo tamanho, a natureza altamente ativa do Jack Russell Terrier
em comparação com o ritmo mais lento do poodle miniatura pode resultar em ingestões
de energia muito diferentes para manter uma condição corporal saudável.
Muito cálculo? Muito complicado? Não se preocupe. Para facilitar, utilize a Calculadora
MER & QA. Basta colocar as informações do seu animal para ver os resultados. Logo você
saberá ajustar a quantidade de alimento do seu animal de estimação para mantê-lo em
uma condição corporal saudável, assim como você faz com suas próprias refeições.

Pág. 25
Receitas de Alta Energia para Cães
Estas receitas seguem as diretrizes propostas por Ben E. Sheffy, PhD, da Universidade de
Cornell, que aumentam os níveis recomendados de proteína para além dos padrões
habituais quando a densidade de energia (gordura) de uma dieta é alta.
A proteína extra é necessária porque neste caso o cão come menos alimento em uma dieta
de alto teor calórico. Assim, a fim de receber a mesma quantidade de proteína necessária,
independentemente da quantidade de alimento consumida, o cão deve comer uma dieta
em que a proteína constitui uma proporção maior.
Em uma dieta com baixo teor de gordura, com uma densidade calórica de apenas 3,5 kcal
por quilograma de peso seco, o Dr. Sheffy sugere um mínimo de 23% de proteína para um
crescimento adequado. Em dietas gordurosas (5 kcal por quilograma), no entanto, ele
recomenda um teor de proteína de pelo menos 30-33%.
A maioria das receitas deste livro tendem para a extremidade superior deste intervalo,
com densidades calóricas de cerca de 4,5 a 5 kcal e níveis de proteína perto dos
30%. (Densidade calórica significa a quantidade de calorias em uma quantidade de
alimento.)

Neste caso, qual a quantidade você deve alimentar o seu cão?


Nestes casos também não há uma resposta específica a esta questão. Ao final de cada
receita você encontrará a "quantidade diária sugerida" para fornecer ao animal, mas não
há variações considerando diversos fatores individuais de cada animal. É o mais próximo
que um “guia geral” pode chegar.
Um cão saudável vai comer apenas o alimento suficiente para se manter no seu peso
adulto. Se o alimento é de baixo teor energético, mais quantidade vai ser comida.
Os alimentos de energia mais elevada, como nas nossas receitas, requerem menos
quantidade para o mesmo resultado.

Pág. 26
Alimentação de Cães com Necessidades Extras
FÊMEA GRÁVIDA: Os dois primeiros Trimestres
Condição Especial: Convalescença, atividade leve
DENSIDADE ENERGÉTICA
RECEITA (DE)
Receita à Brasileira *** 4,7
Mexidinho de Carne e Cereais 4,6
Mingau de Aveia 4,5

Notas: A necessidade de energia aqui é menor que a grupo abaixo, mas


ligeiramente superior ao nível de manutenção habitual para adultos.
________________________________________________________________________

FÊMEA GRÁVIDA: Último Trimestre


Condição Especial: Gravidez (as necessidades aumentam conforme o tamanho da
ninhada), filhotes desmamados e em crescimento, exercícios pesados,
exposição ao clima (frio ou calor).
DENSIDADE ENERGÉTICA
RECEITA* (DE) **
Delícia de Aves com Aveia 5,4
Aveia e Ovos 5,0
Bolo de Carne 4,9

Notas: A exigência nutricional com a atividade física e clima está relacionada


com a quantidade de exercício e temperaturas extremas. Quanto mais
calor ou frio, maior a necessidade.
________________________________________________________________________

FÊMEA: Com filhotes em fase de crescimento


Condição Especial: Assistência, exercício moderado, estresse, desnutridos.
DENSIDADE ENERGÉTICA
RECEITA (DE)
Receita à Brasileira 4,7
Mexidinho de Carne e Cereais 4,6
Mingau de Aveia 4,5

Notas: Neste grupo, a necessidade de energia é menor. A assistência da fêmea


"diminui" e o grau de atividade não é tão extremo como a fase anterior.

Pág. 27
* Esta é a mesma receita da segunda categoria. No entanto, é de se esperar que a quantidade
consumida será menor. Qualquer uma das receitas da primeira categoria também pode ser
usada. Aqui está sendo indicado o que deverá ser o suficiente.
** As receitas listadas aqui é uma recomendação geral, para lhe dar uma ideia de quais são as
mais concentradas em energia e, portanto, mais útil para estas condições. No entanto, todas as
receitas são adequadas, e é provável que qualquer uma delas poderia servir
adequadamente. Lembre-se também que a energia fornecida na receita irá variar um pouco,
dependendo das substituições de alimentos que você fizer. Carne magra fornece menos energia
do que gorda, carne de frango fornece menos do que frango com a pele junto.
*** O número da densidade de energia nos diz a quantidade de energia por xícara de
alimentos. Quanto maior o número, maior a energia no alimento.

Notas Gerais
Deixe o apetite e o peso do seu cão ser o seu guia. Um bom plano para alimentar um cão
adulto é oferecer a refeição uma ou duas vezes por dia, deixando a comida a disposição
por cerca de 20 minutos. Recolha e guarde no refrigerador o que não for consumido até a
próxima refeição. Se seu cão perder peso, então você precisa aumentar a quantidade
fornecida. Um cão saudável não deve perder peso com estas receitas.
Se o seu cão está ganhando muito peso, então ele está comendo demais ou não está
fazendo exercício-suficiente (ou ambos). Reduza a quantidade em 10% por refeição, ou
alimente apenas uma vez por dia. Se o problema persistir, então é provável que exista
algum desequilíbrio que possa necessitar de correção, converse com seu veterinário para
uma avaliação mais adequada. Em casos de obesidade, use as receitas para perda de peso.
Consulte também Necessidades calóricas médias para cães adultos.
Alimente filhotes meio-crescidos e cães adultos com necessidades especiais duas ou três
vezes por dia, permitindo-lhes comer o quanto quiserem em uma refeição (guarde no
refrigerador o que não for consumido até a próxima refeição).
Cachorros jovens devem ser alimentados três ou quatro vezes por dia.

Observação
Os cães maiores requerem menos calorias por quilo de peso corporal do que cães
menores. É por isso que um cão de 25 kg não é alimentado 11 vezes mais do que outro de
5 quilos.

Pág. 28
Alimentação de cachorrinhos e filhotes órfãos ou rejeitados
O leite materno é o melhor alimento que existe, portanto, use essas receitas como um
último recurso.
Às vezes, uma fêmea não pode ou não consegue amamentar todos os seus filhotes de
forma adequada e, às vezes, infelizmente, há os casos em que a mãe morre.
Nesses casos, você pode manter os bebês vivos com uma fórmula projetada para imitar,
tanto quanto possível, os componentes naturais do leite da mãe. Você pode comprar
produtos comerciais que também fazem isso, mas se você quer dar a seus filhotes os
benefícios de alimentos frescos naturais, use as fórmulas a seguir.
Para aumentar o teor de proteína do leite de vaca ou de cabra para o nível encontrado no
leite da cadela, adicione proteína em pó. Compre sem sabor e que contenha pelo menos
80% de proteína (base de peso seco).
Utilize preferencialmente proteínas de origem animal: caseína e lactalbumina (derivados
do leite) e ovalbumina (derivada da clara de ovo). Ao contrário de pós à base de proteínas
de soja, proteínas em pó derivadas de animais vão ao encontro das exigências de
aminoácidos especiais de seus jovens órfãos. Estes pós são vendidos em muitas lojas de
suplementos, farmácias de manipulação ou sites de internet.
Complete estas fórmulas com vitaminas feitas especialmente para cães adultos. Selecione
uma fórmula em pó (se utilizar em forma de comprimido, amasse e transforme-o em pó)
e misture-o no leite. Se a fórmula contém cálcio, mas não fósforo, diminua um pouco a
farinha de ossos ou o suplemento de cálcio na receita.
Se você usar uma fonte de cálcio que não seja a farinha de osso, é mais seguro usar uma
baseada em lactato de cálcio ou gluconato de cálcio. Estes são melhores absorvidos do
que o carbonato de cálcio, uma fonte comum, que é também a base do pó de casca de
ovo.

Pág. 29
FÓRMULA PARA FILHOTES DE CÃES RECÉM NASCIDOS - Fornece cerca de -
625 kcal
Está fórmula é comparável em formulação ao leite natural de uma 33% - PROTEÍNAS
cadela, que é 33,2% de proteína, 44,1% de gordura, 15,8% de hidratos 43% - GORDURAS
21% - CARBOIDRATOS
de carbono e 6,9% de cinzas.
Esta mistura contém 33% de proteína, 43% de gordura, 21% de carboidratos e 3% de
cinzas. Ele tem a razão de cálcio-fósforo de 1,3 a 1 e proporciona cerca de 250 Kcal por
xícara.

Ingredientes _____________________________________________________________
 ¾ xícara (180 ml) metade leite integral e metade creme de leite
 1 xícara (240 ml) de leite integral (preferencialmente leite de cabra)
 2 ovos grandes
Suplementos _____________________________________________________________
Suplementação de Cálcio:
 500 mg (0,5 g) de Cálcio + 200 a 250 mg (0,2 a 0,25 g) de Fósforo ou ⅓ colher de chá de
casca de ovo em pó (ou na quantidade prescrita por seu veterinário ou como indicado
no rótulo do produto)
Complemento Nutricional:
 ½ colher de sopa de proteína em pó a partir de fonte animal: caseína ou lactalbumina
(derivados do leite) ou ovalbumina (derivada da clara de ovo)
Recomendações:
 Vitaminas para cães (dosagem para adultos), em pó ou comprimidos triturados,
conforme indicação no rótulo do produto
Ou __________________________________________________________________
 Polivitaminico-mineral completo para cães filhotes ou na versão recomendada pelo seu
veterinário
________________________________________________________________________

Preparo: Misture bem todos os ingredientes. Amorne a temperatura, próxima a


temperatura do corpo humano, e coloque em uma mamadeira pequena ou
seringa (sem agulha). É importante que o leite continue morno enquanto
estiver sendo consumido, então ocasionalmente você poderá ter que
esquentá-lo em banho-maria. Certifique-se de que a temperatura não esteja
muito quente, teste a temperatura em seu próprio pulso ou use um
termômetro (36° C).
Rendimento: Cerca de 2½ xícaras | aproximadamente 250 calorias por xícara.
Ração diária: Em cada mamada, dê a cada cachorrinho apenas o suficiente para ampliar
ligeiramente o abdome - sem distendê-lo (geralmente 8cc, que é de cerca de
1½ colher de chá). Não exagere. Alimente de acordo com a "Programação de
alimentação para os cachorrinhos" logo abaixo.
Pág. 30
Após cada mamada, massageie suavemente a barriga do cachorrinho para
estimular o movimento intestinal, e limpe a área genital e anal com um tecido
ligeiramente umedecido com água morna. As mamães lambem as mesmas
áreas para estimular a micção e defecação adequada.
Após duas semanas de idade, você pode começar a adicionar na fórmula
cereais secos de alta proteína, como cereais ou aveias para bebes, ou fígado
ou rim moído.
Quando os filhotinhos estiverem de 3 a 4 semanas de idade comece a
introduzir sólidos (receitas para cães mencionadas acima ou alimentos
enlatados de alta qualidade). Misture-os com a fórmula para fazer um mingau
fino.
Comece o desmame em com cerca de 4 a 6 semanas. Até 6 semanas de idade
os cachorrinhos provavelmente serão capazes de comer todos os seus
alimentos numa tigela.

Alimentação de ninhadas pode exigir uma grande parte do seu tempo, e


alguns acham mais fácil alimentar através de tubo (cateter) os filhotes quando
eles são muito pequenos e precisam de alimentação a cada 2 horas. Consulte
seu veterinário para orientá-lo com esta técnica.
________________________________________________________________________

Programação de alimentação para os cachorrinhos

IDADE PESO OFERECER QUANTIDADE / DIA


(semanas) (quilogramas) ALIMENTO (Colheres de sopa)

0a2 900 g a 1,8 kg a cada 2 horas 2a4


3 1,8 a 2,2 kg a cada 3 horas 4a6
4a5 2,2 a 5,4 kg a cada 4 horas 6 a 10
6 acima de 5,4 kg 3 vezes ao dia 8 a 12

Pág. 31
Problemas de Filhotes Órfãos
Meus animais moraram a maior parte de suas vidas numa chácara, no interior de São
Paulo. Um paraíso, mas afastado da cidade. Quero dizer com isto que nem sempre estamos
próximos de um pronto atendimento médico, o que torna primordial termos algum
conhecimento dos problemas que podem ocorrer e saber como dar os primeiros socorros.
Muitas vezes, alguns procedimentos simples podem salvar seu animal.
O maior desafio para a saúde de cachorros muito jovens são vômitos e diarreias,
normalmente resultantes de fórmulas inadequadas, superalimentação ou exposição ao
clima extremo (calor ou frio).
Seja especialmente cauteloso em fornecer fórmulas com muito leite até que você tenha
alguma experiência. Se seu animalzinho desenvolver vômitos ou diarreia, pare de
alimentar com a fórmula até que os sintomas cessem. Deixe o seu animal beber água fresca
lentamente, em pequenos goles por vez.
Você também pode dar um produto eletrólito (use Pedialyte ou prepare um soro caseiro)
que vai ajudar na recuperação da perda de eletrólitos no corpo, ajudando a reidratação.
Existem também remédios homeopáticos (como o Intestin ou o Diasin) indicados para
tratar diarreias aguda e crônica de cães.
No entanto, não deixe passar muito tempo, se o animal se recusa a beber e os sintomas
persistirem, leve-o imediatamente ao médico veterinário de sua confiança para que seja
realizado um tratamento com soro e um diagnóstico mais adequado.

Fórmula de ervas útil no tratamento de diarreia em filhotes


Prepare um chá de camomila: ferva 1 litro de agua filtrada com 2 colheres de chá de ervas
secas de camomila. Deixe em infusão por 10 minutos, despeje o líquido através de uma
peneira ou pano e adicione ½ colher de chá de sal marinho para cada xícara de chá
pronto. Você pode usar esta receita como um remédio temporário para parar a
diarreia. Dê uma dose três vezes por dia. Nos intervalos, administre uma solução
eletrolítica via oral. Consulte seu veterinário para mais informações sobre o tratamento de
diarreia persistente.
O outro grande problema é a constipação (retenção das fezes, dificuldade na sua
evacuação ou fezes ressecadas e duras). Isso pode ser resultado de uma fórmula
inadequada, desidratação ou estimulação insuficiente para produzir o movimento
intestinal (parte do seu trabalho, como já vimos mais acima).
Cachorros terão barrigas arredondadas (quando cheias), mas se constipados também
estarão apáticos. Se um filhote rasteja para longe do seu ninho ou se ele sente frio ao
toque, é um sinal de doença. A melhor coisa a fazer é realizar um enema - introdução de
água morna por via retal (consulte seu veterinário para mais informações). Antes, porém,
você pode tentar dar suco de Aloe Vera ou leite de magnésia (forneça meia colher de café,
ou menos, juntamente as refeições).

Pág. 32
Animais de Estimação de Famílias Vegetarianas

Podemos cortar a carne na alimentação de nossos animais de estimação?


Vamos considerar uma dieta especial para cães cujos donos vegetarianos têm escrúpulos
em alimentar com carne seus animais de estimação. E não são poucas as famílias
vegetarianas, segundo reportagem do Jornal Hoje em Dia de 27/11/2016
(http://hoje.vc/14j9d), há no Brasil pelo menos 15 milhões de vegetarianos e 44% dos lares
com pelo menos um cão de estimação.
Mesmo que isso não seja uma preocupação para você, é interessante ler, porque levanta
questões importantes que afetam a todos. A possibilidade de não fornecer carne na dieta
de cães pode não ocorrer para a maioria de nós, porque todos temos sido profundamente
condicionados a pensar que seres humanos devem comer carne, o que, historicamente, é
um conceito relativamente novo que resulta de uma era de prosperidade.
Além disso, cerca de metade de nós mantemos predadores como animais de estimação,
muito mais do que o número em estado selvagem. Estes padrões culturais são um dado
adquirido, e a maioria de nós vivemos nossas vidas sem perceber o que este alto nível de
consumo de carne realmente significa.
Então, vamos discutir algumas razões pelas quais mais e mais pessoas estão abandonando
a carne vermelha e produtos lácteos em suas próprias dietas e por que estão interessados
em alimentar os seus cães da mesma forma.
O primeiro grupo de razões deriva de preocupações com a saúde, e o segundo de questões
globais, éticos e ambientais.

Os vegetarianos são saudáveis


Muitas das pessoas ao longo da história que escolheram uma dieta vegetariana o fizeram
porque acreditavam que era uma maneira mais saudável de comer. Agora, há grupos de
pesquisa científica que fundamenta estas opiniões.
Considere estes fatos, compilado por John Robbins, um autor americano, que popularizou
as ligações entre nutrição, ambientalismo, e os direitos dos animais. Ele é o autor, entre
outras dezenas de obras, do livro Diet for a New América (Dieta para uma nova América),
uma exposição sobre as ligações entre a dieta, a saúde física, crueldade animal, e
ambientalismo.
A pesquisa indica que a gordura animal favorece a produção de certas substâncias
cancerígenas no intestino. Mas talvez, ainda mais críticas, sejam as toxinas que se
acumulam nos tecidos animais. A poluição química do leite materno em mulheres
americanas, por exemplo, é 35 vezes mais elevada do que a de vegetarianos estritos, que
excluem de sua alimentação carnes, peixes, aves, laticínios (leite, manteiga, queijo,
iogurte, ovos, gelatina e etc.).

Pág. 33
Algumas dessas diferenças podem se originar do fato de que nós, seres humanos,
evoluímos para comer uma dieta em grande parte sem carne. A maioria dos outros
primatas são basicamente vegetarianos. Nossos dentes e aparelhos digestivos parecem
mais adequados para tais alimentos.
Um relatório de um estudo patrocinado pela American Câncer Society (publicado no
Journal of the American Medical Association), em janeiro de 2005, diz que comer carne
vermelha ou carne processada aumenta a incidência de câncer de cólon. Em um grande
estudo de 150.000 pessoas, aquelas que comeram carne vermelha tiveram 35% maior
probabilidade, e com carnes processadas (bacon, cachorro-quente, etc.) tiveram uma
chance 50% maior de desenvolver este problema.

Menos carne é melhor para cães também?


Para os nossos animais de estimação, parte da equação é um pouco diferente. O gato é
considerado um verdadeiro carnívoro e requer claramente nutrientes adequadamente
fornecidos somente por carne e produtos animais.
Embora o cachorro prefira carne, tanto a sua fisiologia como seu comportamento indicam
que é melhor classificado como um onívoro oportunista, um animal que pode satisfazer as
suas necessidades a partir de uma grande variedade de fontes. Chacais selvagens e lobos,
por exemplo, consomem matéria vegetal, incluindo gramíneas, frutas, e outros materiais
frescos, além de alimentos pré-digeridos dos aparelhos digestivos de suas presas
vegetarianas.
Na verdade, um teste de três gerações apontou que cães alimentados com carne como
sendo sua única fonte de proteína, juntamente com outros elementos essenciais, tiveram
dificuldades para produzir leite suficiente para seus filhotes, em comparação com os cães
alimentados com uma dieta que incluía leite e vegetais.
Estritamente do ponto de vista da saúde, parece que a dieta mais natural para um cão
seria carne, principalmente fresca crua, ovos e ossos (ou farinha de ossos), e suplementado
com legumes e frutas.
No entanto, essa dieta pode não ser a melhor para animais domesticados. Suas
necessidades podem ser diferentes daquelas de seus ancestrais de caça que faziam mais
exercício, viviam em ambientes mais puros, e, muitas vezes, por necessidade, em jejum
entre as grandes refeições. Assim, seus corpos podiam se purificar com mais facilidade,
eliminando o ácido úrico e outros resíduos do metabolismo da carne.
A principal preocupação sobre a alimentação de carne para cães, no entanto, é que a carne
é agora uma fonte de alimento poluído. Mesmo os cortes da mais alta qualidade, aprovada
para consumo humano, contêm resíduos de antibióticos, hormônios sintéticos e materiais
tóxicos, como o chumbo, arsénio, mercúrio e dioxinas. Há também mais resíduos de
pesticidas na carne do que em produtos lácteos, grãos, legumes e frutas.

Pág. 34
O efeito a longo prazo de todo este material tóxico, em particular os pesticidas e metais
pesados, pode ser o aumento dos índices de câncer, alergias, infecções nos rins e fígado,
irritabilidade e hiperatividade para os nossos animais de estimação.
Aqueles que gostam da companhia de cães têm, muitas vezes, um especial apreço e
carinho por todos os tipos de animais. Saber algo sobre as realidades da produção de
carne, compreensivelmente, faz com que muitos se perguntem se podem reduzir ou
eliminar a carne da dieta também dos seus animais de estimação.
Por estas razões, se você preferir, priorize as receitas básicas para cães adultos que usam
menor quantidade de carne. Apesar de todas as receitas básicas para cães sejam
adaptadas para exigir baixas quantidades de carne, as escolhas mínimas de carne para cães
são (nesta ordem):

Receitas que utilizam pouca carne


1) Refeição Rápida de Mingau de Aveia
2) Bolo de Carne
3) Receita à Brasileira

Em geral, use mais aves, ovos e produtos lácteos do que carne, uma vez que a sua
produção consome menos recursos. E sempre que você tiver a opção, prefira o peru ao
frango. Perus muitas vezes são criados mais “humanamente” e com uma alimentação mais
vegetariana. Eles também produzem mais proteínas (mas são, no entanto, menos
gordurosos, e você deve adicionar um pouco de gordura extra na receita para compensar,
como indicado nas receitas).
Para os cães, considere uma dieta ovo-lacto-vegetariano, que consiste em evitar o
consumo de carne vermelha, peixe e frango, mas ainda permitindo a ingestão de laticínios
e outros produtos animais.
Para um cão, um provável cliente vegetariano, ainda se pergunta se podemos excluir a
carne com segurança, pois não há pesquisas convincentes a respeito. Mas a resposta, em
teoria, é sim, se você for cuidadoso no que você o alimenta.
Pesquisas controladas mostram que os cães alimentados com proteína de soja crescem
bem como os alimentados com carnes, e diversos alimentos sem carne para animal de
estimação são agora comercializados através das lojas de alimentos naturais pelo mundo
afora.
Já o The Vegetarian Society of the United Kingdom (Sociedade Vegetariana do Reino
Unido), fundada em 1847, a mais antiga organização vegetariana do mundo, relata que
dietas sem carne são fornecidas com sucesso para cães, em toda a Grã-Bretanha.
Para cães, eles dizem que um café da manhã com cereais integrais e leite, e um jantar de
alimentos de alta proteína, como queijo, ovos, nozes moídas, e proteínas vegetais
texturizadas ou legumes misturados com vegetais crus e/ou cozidos é uma boa
alimentação.
Pág. 35
Eles também sugerem incluir pão de trigo integral, arroz integral, couve, frutas e alguns
alimentos duros, tais como cenouras inteiras cruas, bolachas de grãos inteiros - alimentos
saudáveis que proporcionam o exercício dos dentes e gengivas.
Pesquisando textos de alguns especialistas no assunto, se tratando especificamente de
cães, a observação é que os problemas surgem principalmente quando os proprietários
excluem todos os alimentos de origem animal, incluindo produtos lácteos e ovos, da dieta
de seus animais de estimação. Enquanto uma dieta vegetariana pura (vegan),
cuidadosamente planejada, pode fazer bem para as pessoas, eu não a imporia a cães.
Muitas pessoas relatam sucesso com essa abordagem, embora sinceramente eu não tenha
nenhuma experiência com ela.
A verdade é que nós simplesmente não sabemos tudo o que há para saber sobre os
nutrientes que normalmente os animais obtém através da carne. Além da incerteza dos
efeitos sobre a saúde de uma dieta sem carne, também existe o problema da
palatabilidade.
Você pode, no entanto, reduzir o consumo de carne do seu cão. É uma boa ideia incluir
alguns alimentos duros para cães vegetarianos mastigarem para manter seus dentes e
gengivas em forma. Em vez de ossos, você pode oferecer cenouras cruas, maçãs, ou
biscoitos feitos a partir de uma das receitas do livro Petiscos & Guloseimas Naturais.
Mesmo que você não esteja tentando alimentar seu animal com uma dieta sem carne,
você pode usar estas receitas vegetarianas para diminuir o nível de pesticidas e outros
resíduos tóxicos da dieta do seu animal de estimação, e também reduzir ainda mais os
custos. Além disso, é bom saber que você pode aliviar sua responsabilidade no planeta
usando menos carne, reduzindo o sofrimento de animais.

As próximas receitas derivam sua proteína a partir de fontes sem carne de animais,
mas ainda conseguem atender aos requisitos alimentares recomendados.

Receitas que não utilizam carne


1) Receita de Polenta
2) Caldinho de Feijão Incrementado
3) Cereais com Ovos
4) Tutu de Feijão

Pág. 36
POLENTA PARA CÃES - Fornece cerca de -
1.265 kcal
Esta receita com polenta é adequada para um cão "vegetariano", e é 23% - PROTEÍNAS
seguida por outras três receitas vegetarianas caninas. Nestas receitas 14% - GORDURAS
sem carne, provavelmente é melhor incluir um suplemento de ferro, 59% - CARBOIDRATOS
porque os produtos lácteos e legumes contêm menos ferro do que
carnes. Para ajudar a contrabalançar essa deficiência, use farinhas de milho, que são ricas
em ferro. Ovos, especialmente se colocados crus, também fornecem este mineral.
Esta receita fornece 23% de proteína, 14% de gordura e 59% de carboidratos.

Ingredientes _____________________________________________________________
 ½ xícara (80 g) de leite em pó dissolvido em 4 xícaras de água (ou 4 xícaras de leite
semidesnatado)
 1 xícara (120 g) de polenta ou fubá, não cozida
 2 ovos grandes, batidos
 ½ xícara (50 g) de queijo fresco ralado (ou suíço, meia cura, ou cheddar)
 1 colher de chá de óleo vegetal
 ½ xícara de legumes, picados ou ralados, cozidos (pode ser omitido ocasionalmente)
Suplementos _____________________________________________________________
Suplementação de Cálcio:
 500 mg (0,5 g) de Cálcio + 0 a 5 mg de Fósforo ou ¼ colher de chá de casca de ovo em
pó (ou na quantidade prescrita por seu veterinário ou como indicado no rótulo do
produto)
Complemento Nutricional:
 ½ colher de sopa do Complemento Caseiro Saudável (opcional)
Recomendações:
 100-200 UI/mg de vitamina E
 15 mg de suplemento de ferro
Ou __________________________________________________________________

 Polivitaminico-mineral completo para manutenção de cães adultos ou na versão


recomendada pelo seu veterinário
________________________________________________________________________
Preparo: Coloque o leite em pó para ferver em 4 xícaras (1 l) de água (se estiver usando
leite, mexa para evitar que derrame). Adicione a polenta, mexendo
rapidamente com um garfo ou batedor para deixar a mistura bem
homogênea. Tampe a panela de deixe ferver cerca de 10 minutos, até adquirir
a consistência de um mingau. Você pode precisar adicionar um pouco mais de
água durante o cozimento. Quando a polenta estiver cremosa, desligue o fogo
e misture os ovos e o queijo, e espere esfriar. Após esfriar, misture os
ingredientes restantes, os suplementos e sirva.

Pág. 37
Rendimento: Cerca de 5½ xícaras | aproximadamente 230 calorias por xícara.
Ração diária: Mini/Toy: cerca de 1½ a 2 xícaras | Pequeno ou Anão: cerca de 3½ a 4½ xícaras
| Médio: cerca de 6-7 xícaras | Grande: cerca de 8-9 xícaras | Gigante: cerca
de 9-10 xícaras
Variações:Cereais - 1 xícara de milhete (milho-painço) (3 xícaras de água = 3 xícaras
cozido); ou 1 xícara de cuscuz de trigo integral (1 ½ xícaras de água = 2½
xícaras cozidas); ou 2 xícaras de farelo de aveia integral (4 xícaras de água = 4
xícaras cozido).
________________________________________________________________________

Pág. 38
CALDINHO DE FEIJÃO INCREMENTADO PARA CÃES - Fornece cerca de -
6.772 kcal
Uma deliciosa receita à base de feijão adaptada para cães. Ela é 24% - PROTEÍNAS
coberta com uma camada de queijo e farinha de milho. Serve uma 11% - GORDURAS
grande quantidade. Fornece 24% de proteína, 11% de gordura e 61% 61% - CARBOIDRATOS
de carboidratos.

Ingredientes _____________________________________________________________
 4 xícaras (650 g) de feijão comum (10 xícaras cozida)
 1 xícara (120 g) de polenta ou fubá, não cozida
 2 xícaras (200 g) de queijo fresco, ralado (ou meia cura, suíço ou cheddar)
 3 xícaras (700 ml) de leite integral
 4 ovos grandes
 2 colheres de sopa de óleo vegetal
 ½ xícara de legumes, picados ou ralados, cozidos (pode ser omitido ocasionalmente)
Suplementos _____________________________________________________________
Suplementação de Cálcio:
 5.000 mg (5 g) de Cálcio + 0 a 10 mg de Fósforo ou 2¾ colheres de chá de casca de ovo
em pó (ou na quantidade prescrita por seu veterinário ou como indicado no rótulo do
produto)
Complemento Nutricional:
 ¼ de xícara de chá do Complemento Caseiro Saudável (opcional)
Recomendações:
 10.000 UI (3.000 mcg) de vitamina A
 200-400 UI/mg de vitamina E
 20 mg de suplemento de ferro
Ou __________________________________________________________________
 Polivitaminico-mineral completo para manutenção de cães adultos ou na versão
recomendada pelo seu veterinário
________________________________________________________________________

Preparo: Deixe o feijão de molho em água durante a noite. Escorra, lave, e retire os
grãos quebrados ou danificados. Leve o feijão para ferver em 8-10 xícaras de
água (2 a 2,5 l). Deixe cozinhar por aproximadamente 1½ hora (até ficar bem
macio), deixando sempre uma lâmina de água acima dos grãos (complete com
mais água se necessário). Para reduzir o efeito de gases no seu cão, descarte
a água do cozimento após a primeira ½ hora e comece de novo com água
fresca para terminar.
Enquanto isso, faça a cobertura de polenta ou fubá: esquente o leite e aos
poucos vá adicionando a polenta (ou fubá), mexendo sempre com um batedor
ou garfo. Tampe e deixe cozinhar em fogo baixo até ficar macio, cerca de 10

Pág. 39
minutos. Retire do fogo e adicione o queijo e os ovos. Após a mistura esfriar,
adicione o restante dos ingredientes, suplementos e sirva.
Rendimento: Cerca de 17-18 xícaras | aproximadamente 387 calorias por xícara.
Separe em porções e congele o que não for ser consumido nos próximos 2 dias.
Ração diária: Mini/Toy: cerca de ½ a 1¼ xícaras | Pequeno ou Anão: cerca de 2½ xícaras |
Médio: cerca de 4 xícaras | Grande: cerca de 5-6 xícaras | Gigante: cerca de
7-8 xícaras.
Variações: Feijão - Você pode usar quantidades iguais de feijão branco ou preto.
Você pode excluir o feijão e servir apenas a cobertura de milho. Se fizer isso,
altere as quantidades da seguinte forma: reduza para 1.000 mg (5 g) de Cálcio
+ 0 a 3 mg de Fósforo ou ½ colher de chá de casca de ovo em pó. O alimento
resultante terá cerca de 5.2 Kcal / kg. É muito boa para cães ativos.
________________________________________________________________________

Pág. 40
CEREAIS COM OVOS PARA CÃES - Fornece cerca de -
1.600 kcal
Este prato é simples de fazer e depende de ovos para a sua principal 28% - PROTEÍNAS
fonte de proteína. Os ovos fornecem uma proteína barata e são 21% - GORDURAS
generosos em gordura e lecitina, um nutriente essencial para a função 47% - CARBOIDRATOS
dos nervos. Complemente utilizando outras fontes de proteínas em
pó sem sabor, preferencialmente de origem animal, como caseína e lactalbumina
(derivados do leite) e ovalbumina (derivada da clara de ovo).
Fornece 28% de proteína, 21% de gordura e 47% de carboidratos.

Ingredientes _____________________________________________________________
 1 xícara (140 g) de bulgur, cru
 4 ovos grandes
 3 colheres de sopa de óleo vegetal
 ½ xícara de legumes, picados ou ralados, cozidos (pode ser omitido ocasionalmente)
 ½ colher de chá de molho de soja tamari (ou uma pitada de sal)
 1 dente de alho picado (opcional)
Suplementos _____________________________________________________________
Suplementação de Cálcio:
 1.500 mg (1,5 g) de Cálcio + 0 a 5 mg de Fósforo ou 1 colher de chá rasa de casca de
ovo em pó (ou na quantidade prescrita por seu veterinário ou como indicado no rótulo
do produto)
Complemento Nutricional:
 2 colheres de sopa do Complemento Caseiro Saudável (opcional)
 3 colheres de sopa de proteína em pó a partir de fonte animal: caseína ou lactalbumina
(derivados do leite) ou ovalbumina (derivada de ovo)
Recomendações:
 100-200 UI/mg de vitamina E
 5 mg suplemento de ferro
Ou __________________________________________________________________
 Polivitaminico-mineral completo para manutenção de cães adultos ou na versão
recomendada pelo seu veterinário
________________________________________________________________________

Preparo: Coloque cerca de 2 xícaras (500 ml) de água para ferver. Adicione o bulgur,
tampe, deixe ferver por 10-20 minutos em fogo baixo, até que o grão fique
macio (com uma consistência suave). Retire do fogo e misture os ovos com o
bulgur ainda quente. Após esfriar, misture os ingredientes restantes, os
suplementos e sirva.
Rendimento: Cerca de 5 xícaras | aproximadamente 320 calorias por xícara.

Pág. 41
Ração diária: Mini/Toy: cerca de ½ a 1¼ xícaras | Pequeno ou Anão: cerca de 2½ xícaras |
Médio: cerca de 4 xícaras | Grande: cerca de 5-6 xícaras | Gigante: cerca de
7-8 xícaras.
Variações:Cereais - 1 xícara de milhete (milho-painço) (3 xícaras de água = 3 xícaras
cozido); ou 1 xícara de cuscuz de trigo integral (1 ½ xícaras de água = 2 ½
xícaras cozidas); ou 2 copos de aveia (4 xícaras de água = 4 xícaras cozida).
________________________________________________________________________

Pág. 42
TUTU DE FEIJÃO - Fornece cerca de -
4.718 kcal
Aqui está uma receita econômica, sem carne e bem equilibrada para 26% - PROTEÍNAS
os cães que fazem uso de feijão e queijo cottage, ambos ricos em 14% - GORDURAS
proteínas. 57% - CARBOIDRATOS

Ingredientes _____________________________________________________________
 2 xícaras (350 g) de feijão (ou 5 xícaras cozida)
 2 xícaras (400 g) de Milhete, não cozido
 4 xícaras (550 g) de queijo cottage de baixo teor de gordura (não apertado)
 6 colheres de sopa (pouco mais ⅓ xícara) de óleo vegetal
 ½ xícara de legumes, picados ou ralados, cozidos (pode ser omitido ocasionalmente)
 2 colheres de chá de molho de soja tamari (ou ½ colher de sal)
 1 ou 2 dentes de alho amassado ou picado (opcional)
Suplementos _____________________________________________________________
Suplementação de Cálcio:
 5.000 mg (5 g) de Cálcio + 0 a 10 mg de Fósforo ou 3 colheres (rasas) de chá de casca
de ovo em pó (ou na quantidade prescrita por seu veterinário ou como indicado no
rótulo do produto)
Complemento Nutricional:
 4 colheres de sopa do Complemento Caseiro Saudável (opcional)
Recomendações:
 5.000 UI (1.500 mcg) de vitamina A
 50-200 UI/mg de vitamina E
 10 mg suplemento de ferro (opcional nesta receita, mas recomendado com outros grãos)
Ou __________________________________________________________________
 Polivitaminico-mineral completo para manutenção de cães adultos ou na versão
recomendada pelo seu veterinário
________________________________________________________________________

Preparo: Deixe o feijão de molho em água durante a noite. Escorra, lave, e retire os
grãos quebrados ou danificados. Leve o feijão para ferver em 6-8 xícaras de
água (1,5 a 2 l). Deixe cozinhar por aproximadamente 1½ hora (até ficar bem
macio), deixando sempre uma lamina de água acima dos grãos (complete com
mais água se necessário). Para reduzir o efeito de gases no seu cão, descarte
a água do cozimento após a primeira ½ hora e comece de novo com água
fresca para terminar.
Enquanto isso, prepare o Milhete: leve para ferver em 6 xícaras de água (1,5
l). Adicione o Milhete e deixe cozinhar em fogo baixo por aproximadamente
20-30 minutos (até ficar bem macia, se necessário adicione mais água para
dar uma boa textura).

Pág. 43
Quando ambos os ingredientes estiverem prontos, misture os dois e, após
esfriar, adicione os ingredientes restantes e sirva.
Rendimento: Cerca de 14 xícaras | aproximadamente 337 calorias por xícara.
Separe em porções e congele o que não for ser consumido no dia.
Ração diária: Mini/Toy: cerca de ½ a 1 xícaras | Pequeno ou Anão: cerca de 3 xícaras |
Médio: cerca de 4-5 xícaras | Grande: cerca de 5½ a 6 xícaras | Gigante: cerca
de 7 xícaras.
Variações: Cereais - Você pode usar 2 xícaras (antes de cozinhar) de bulgur, arroz
integral, ou cevada.
Feijão - Você pode usar quantidades iguais (antes de cozinhar) de lentilha,
soja, feijão branco ou preto. Ou para economizar tempo, você pode usar um
pacote de 500 g de tofu. Neste caso, não há problema em também usar o
queijo cottage, você ainda terá muita proteína.
________________________________________________________________________

Pág. 44
Composição Nutricional das Receitas para Necessidades
Especiais e Vegetarianas
Formulas & Receitas Vegetarianas
CALORIAS PROTEÍNAS GORDURAS CARBO CÁLCIO FÓSFORO VITAMINA A
RECEITA (kcal) (%) TOTAIS (%) IDRATOS (%) (%) (%) (IU/kg)

RECEITAS PARA NECESSIDADES ESPECIAIS


Fórmula para Filhotes de Cães * 625 33 43 21 1,20 0,91 24.000
RECEITAS VEGETARIANAS
Polenta para Cães 1.265 23 14 59 0,73 0,53 10.000
Caldinho de Feijão Incrementado p/ Cães 6.772 24 11 61 0,67 0,54 12.000
Cereais com ovos para Cães 1.600 28 21 47 0,71 0,55 8.000
Tutu de Feijão para Cães 4.718 26 14 57 0,73 0,53 12.000
RECOMENDAÇÕES PADRÃO
Para Cães ꝉ Obs. 1 ≥ 18 ≥5 ≤ 67 ≥ 0,60 ≥ 0,50 5.000 - 50.000
Dieta Selvagem Cães ꝉꝉ - 54 42 1 - - -

Obs. 1 - Consulte a tabela em Necessidades calóricas médias para cães adultos

* A elevada quantidade de Vitamina A deriva principalmente das gemas.


** As 5.000 UI (1.500 mcg) de Vitamina A por quilograma de alimento é um padrão mínimo. As
receitas são elaboradas para fornecerem quantidades consideravelmente maiores de Vitamina A
para a manutenção da boa saúde.
† As recomendações padrão são baseadas nas diretrizes para produção de alimentos
comerciais. Os montantes nas receitas são destinados a ultrapassar esses mínimos na maioria das
categorias.
†† O percentual de ingredientes de uma dieta selvagem típica também está incluso na tabela para
fins de comparação. Nem todas as categorias são conhecidas e, portanto, algumas foram
deixadas em branco.
Nota: Exceto para cães selvagens, as recomendações padrão são porcentuais baseados no peso
seco total, e se destinam a manutenção de cães adultos em condições normais.
Fontes: AAFCO Nutrient Profiles - Report of the Canine Nutrition Expert Subcommittee, 1992;
Report of the Feline Nutrition Expert Subcommittee, 1992; the Committee on Animal
Nutrition, Board on Agriculture, National Research Council revised 1986 edition of Nutrient
Requirements of Cats; and the Committee on Animal Nutrition, Board on Agriculture,
National Research Council revised 1985 edition of Nutrient Requirements of Dogs.

Pág. 45
Dietas Terapêuticas

Hipócrates, da Grécia antiga, considerado o pai da medicina, afirmou: "Que seu remédio
seja seu alimento, e que seu alimento seja seu remédio".
A dieta terapêutica é uma ferramenta que utiliza alimentos para o tratamento e prevenção
de enfermidades, e contribui para que o organismo possa adquirir os nutrientes para
manter a saúde.
Existem vários tipos de dietas terapêuticas restritivas que podem ser aplicadas de acordo
com a enfermidade.
As dietas terapêuticas estão juntamente com as informações da enfermidade associada e
respectivas sugestões complementares para sua prevenção e tratamento. As receitas
terapêuticas fornecidas são as seguintes:

Dietas Terapêuticas para Cães


-

- Alergias: Dieta para Cães Alérgicos #1


Dieta para Cães Alérgicos #2
- Problemas de Peso: Dieta Canina para Perda de Peso #1
Dieta Canina para Perda de Peso #2
- Insuficiência Renal: Dieta Canina para Problemas Renais
Consulte também Tabela Nutricional das Receitas para Cães

É imprescindível o acompanhamento médico veterinário para a utilização de todo e


qualquer tipo de formulações com fins terapêuticos. Assim, discuta com um veterinário
de sua confiança todos os tópicos e dietas sugeridas a seguir neste capítulo para saber se
seu animal está apto a utilizá-las ou se ele tem outros problemas de saúde que as tornam
proibitivas - como já deve, ou deveria estar fazendo.

Pág. 46
Alergias

Uma alergia é uma reação anormalmente intensa para algo que geralmente seria
inofensivo para o corpo, como poeira doméstica ou pólen de plantas, por exemplo. A
reação contra uma parte do corpo, como a pele, pâncreas ou tireoide, é chamada de
doença autoimune. A incidência de alergias e doenças imunológicas aumentou muito nas
últimas décadas e é a afecção mais comum vista nos consultórios veterinários.
Alergias se apresentam de diferentes formas. Cães normalmente têm coceira na pele e
erupções, especialmente na parte inferior das costas perto da base da cauda. No entanto,
essas erupções podem ocorrer em qualquer lugar no corpo.
Outros sintomas comumente associados são ouvidos inflamados, lambedura excessiva dos
pés dianteiros, problemas digestivos (gases e uma tendência para a diarreia), inflamação
dos dedos dos pés, e irritação na extremidade traseira (ânus, órgãos genitais), lamber e
arrastar a parte traseira no chão, embora outros sintomas também possam ocorrer.
Sejam quais forem as causas, uma vez estabelecida, o problema é muito difícil de
eliminar. O sucesso do tratamento pode ser realizado com a abordagem descrita neste
capitulo, mas é preciso um longo período de tempo, normalmente um ano ou mais.
Em casos leves, as ações que você pode tomar podem ser suficientes. Por exemplo,
algumas pesquisas sugerem que cerca de um terço de todas as alergias são causadas por
substâncias nos alimentos. Você pode identificar o gatilho ao mudar para uma dieta
simplificada por um tempo.
Se os sintomas diminuem, mas retornam quando você retorna à dieta original, você pode
assumir que seu animal de estimação é alérgico a um ou mais ingredientes na dieta diária.
Tente as seguintes dietas como um teste. Elas omitem os alérgenos alimentares mais
comuns: carne, trigo, leite, queijo, ovos, nozes, frutas, tomate, cenoura, leveduras e várias
especiarias e aditivos.
Quando administrada em doses suficientes, a Vitamina C atua como um anti-histamínico
natural para controlar alergias. O complexo B, encontrada nos suplementos para animais,
também é muito útil para esse fim.

Pág. 47
DIETA PARA CÃES ALÉRGICOS # 1 - Fornece cerca de -
5.648 kcal
Esta receita fornece aproximadamente 27% de proteína, 24% de gordura e
27% - PROTEÍNAS
47% de carboidratos.
24% - GORDURAS
47% - CARBOIDRATOS

Ingredientes _____________________________________________________________
 4 xícaras (700 g) de arroz integral, cru (cerca de 9 xícaras cozidas)
 6 xícaras (1,350 g) de carne de cordeiro ou carneiro, crua, picada ou moída (dê
preferência a carne de cordeiro)
 2 colheres de sopa de óleo vegetal
Suplementos _____________________________________________________________

 5.200 mg (5,2 g) de Cálcio + 1.700 a 1.800 mg (1,7 a 1,8 g) de Fósforo


(ou na quantidade prescrita por seu veterinário ou como indicado no rótulo do produto)
 500 miligramas por dia de Vitamina C na forma de ascorbato de sódio em pó (exceto
para o cão muito pequeno)
Ou __________________________________________________________________

 Polivitaminico-mineral completo para manutenção de cães adultos ou na versão


recomendada pelo seu veterinário
________________________________________________________________________

Preparo: Coloque 8 xícaras (2 litros) de água filtrada para ferver. Adicione o arroz, tampe e
cozinhe por 40 minutos. Enquanto isso, apare qualquer excesso de gordura externa
da carne de cordeiro ou carneiro (se você deseja ter uma dieta de baixa gordura),
depois corte em pedaços ou moa a carne. Quando o arroz estiver pronto, misture
bem todos os ingredientes, exceto os suplementos que deverão ser adicionados
depois de fria, na hora de servir.
Rendimento: Produz 5.648 calorias, o suficiente para alimentar um cão pequeno por 7-9 dias, um
cão médio por 3-4 dias ou um cachorro grande por 2 dias.
Separe em porções e congele o que não for ser consumido nos próximos 2 dias.
Variações: Cereais - Em vez de arroz, você pode usar 4 xícaras de milhete (milho-painço) (cozido por
20-30 minutos em 12 xícaras de água ou até ficar macia); ou 8 xícaras de farelo de aveia
integral (cozido por 10 minutos em 14-15 xícaras de água até que fique espessa e suave).
Dica - Para uma alimentação de proteína ainda maior, você pode reduzir a
quantidade de grãos para 3 xícaras de arroz integral ou do milhete (milho-painço)
(ou 6 xícaras de farelo de aveia).
Notas: Certifique-se de usar filtrada ou mineral, ou outra água não clorada ou fluoretada.
________________________________________________________________________

Pág. 48
DIETA PARA CÃES ALÉRGICOS # 2 - Fornece cerca de -
5.898 kcal
Esta receita fornece aproximadamente 23% de proteína, 18% de gordura e
23% - PROTEÍNAS
57% de carboidratos.
18% - GORDURAS
57% - CARBOIDRATOS

Ingredientes _____________________________________________________________
 6 xícaras (1,2 kg) de milhete (milho-painço) (cerca de 18 xícaras cozidas)
 6 xícaras (1,350 kg) de carne de peru, picada ou moída, crua
 ¼ xícara de óleo vegetal
Suplementos _____________________________________________________________

 5.200 mg (5,2 g) de Cálcio + 1.700 a 1.800 mg (1,7 a 1,8 g) de Fósforo


(ou na quantidade prescrita por seu veterinário ou como indicado no rótulo do produto)
 500 miligramas por dia de Vitamina C na forma de ascorbato de sódio em pó (menos
para o cão muito pequeno)
Ou __________________________________________________________________

 Polivitaminico-mineral completo para manutenção de cães adultos ou na versão


recomendada pelo seu veterinário
________________________________________________________________________

Preparo: Coloque 8 xícaras (2 litros) de água filtrada para ferver. Adicione o milhete (milho-
painço), tampe e cozinhe por 20-30 minutos ou até ficar macia. Depois, ainda
quente, misture bem todos os ingredientes, exceto os suplementos – que deverão
ser fornecidos frescos (você pode pulverizar por cima da refeição, depois de fria, na
hora de servir).
Rendimento: Produz 5.898 calorias, o suficiente para alimentar um cão pequeno por 7-9 dias, um
cão médio por 3-4 dias ou um cachorro grande por 2 dias.
Separe em porções e congele o que não for ser consumido nos próximos 2 dias.
Variações: Em vez de milhete, você pode usar 5 xícaras de arroz integral (cozida por 40
minutos em 10 xícaras de água); ou 10 xícaras de farelo de aveia integral (cozido
por 10 minutos em 18-20 xícaras de água até que fique espessa e suave).
Notas: É recomendado o pó de ascorbato de sódio porque não é muito azedo.
Certifique-se de usar filtrada ou mineral, ou outra água não clorada ou fluoretada.
________________________________________________________________________

Pág. 49
Recomendações
Para dar a essas dietas uma chance adequada de chegar a um resultado, mantenha seu
animal nela por pelo menos dois meses - e seja rigoroso sobre isso. Se o problema
desaparecer ou melhorar, reintroduza lentamente os alimentos omitidos, um a cada vez,
para descobrir qual deles está causando o problema. Ao determinar quais ingredientes
estão causando uma reação, você pode mudar para uma dieta que exclua o ingrediente
causador do problema alimentar.
Se a condição do seu animal de estimação não melhorou após alguns meses em uma dieta
restrita, a causa do problema pode não ser uma alergia alimentar.
Tenha em mente que as alergias podem ser desencadeadas por uma variedade de fatores
ambientais, como cloro e outros contaminantes na água, produtos químicos para limpeza
doméstica, liberação de gases de formaldeído (comum em produtos químicos de uso geral)
e outros produtos químicos de móveis, tapetes e estofados sintéticos, tigelas de alimentos
plásticas, certas plantas ou gramíneas, drogas regularmente administradas como medicina
preventiva ou substâncias químicas contra pulga e, claro, picadas de pulga. Leia mais a
respeito no livro Bem-estar Animal.
Além disso, enquanto muitas pessoas ouviram que podem ser alérgicas aos seus animais
de estimação, poucos percebem que seus animais de estimação podem ser alérgicos a
eles! Acontece.
Determinar exatamente quais as substâncias estão causando uma reação alérgica pode
ser difícil. Certos procedimentos de diagnóstico podem ser usados, porém nem sempre se
correlacionam com a situação clínica.

Tratamento alimentar
A abordagem que funciona melhor é colocar o animal em uma dieta natural orgânica (o
que por si só, elimina e/ou reduz muitos problemas) e usar o tratamento homeopático
para remover a tendência alérgica subjacente. Em muitos casos, as tendências alérgicas
podem ser muito suavizadas ou eliminadas completamente. Entre as coisas que você pode
fazer que serão mais úteis é utilizar uma dieta de carne crua, preparada em casa (a carne
crua não causa a mesma reação alérgica que a carne cozida).

Além dos suportes nutricionais, existem remédios naturais que podem ser úteis

Colostro bovino
O colostro bovino (extraído de leite de vaca) fornece ao seu cão anticorpos contra
alérgenos comuns. Estes anticorpos são acumulados ao longo do tempo nas vacas, pois
eles próprios respondem aos mesmos alérgenos. Quando um cão toma um suplemento de
colostro, ele toma os anticorpos contidos no colostro que se tornam disponíveis no seu
corpo para responder aos alérgenos. Dê ⅓ de uma colher de chá de colostro em pó por 10
kg de peso corporal, duas vezes por dia; ou para cães pequenos 1 cápsula duas vezes ao
dia; Médios a grandes: 2 cápsulas duas vezes ao dia.
Pág. 50
Quercetina
A quercetina é um flavonoide (um grupo de fitonutrientes encontrados em frutas e
vegetais) que tem propriedades antioxidantes, anti-histamínicas e anti-inflamatórias. Tem
sido chamado de Benadryl da natureza por sua capacidade de desligar a produção de
histamina e ajudar a gerir a inflamação e a coceira.
Os suplementos de quercetina vêm em forma de comprimidos e cápsulas, e geralmente
vêm com bromelina, uma enzima que aumenta a biodisponibilidade da quercetina,
tornando-a mais efetiva. A quercetina é melhor administrada com o estômago vazio. A
dose recomendada é de 8 miligramas por cada 500 gramas do peso corporal do seu cão.
Então, para um cachorro de 9 kg, você daria 160 mg, 400 mg para um cão de 22 kg.

ERVAS | Nettle (Urtiga-comum ou Urtica dioica): Leve ao fogo um copo de água pura
(filtrada ou destilada) até começar a ferver. Adicione uma colher de chá da erva seca ou
fresca. Desligue o fogo, cubra e deixe descansar por 15 minutos. Coe em seguida, extraindo
o líquido. Dosagem – Dê ao seu animal de estimação três vezes por dia (manhã, meio da
tarde e à noite antes de dormir): ½ colher de chá para cachorros pequenos (menos de 12
kg); 1 colher de chá para cachorros médios (12 a 22 kg); ou uma colher de sopa para cães
grandes (22 kg ou mais). Continue o tratamento até que os sintomas desapareçam ou por
um período máximo de sete dias.
Muitos herbalistas recomendam urtigas para ajudar a gerenciar as alergias. Em seu livro
Herbs for Pets, Gregory Tilford e Mary Wulff explicam que a eficácia das urtigas contra as
alergias pode ser devido ao seu conteúdo de histamina. Eles sugerem que o efeito é
semelhante ao conceito de "curas semelhantes" na homeopatia: a planta estimula o corpo
a se proteger de um ataque de alérgenos. A Nettle também contém quercetina (ver acima),
o que aumenta seus efeitos antialérgicos.

ERVAS | Alcaçuz (Glycyrrhiza glabra)


O alcaçuz é um harmonizador que foi usado por formuladores chineses e ayurvédicos para
pacientes alérgicos por milhares de anos. Tilford e Wulff (Herbs for Pets) recomendam
consultar um profissional porque a dosagem varia muito, dependendo da condição do seu
cão. No entanto, eles sugerem que comece com 12-20 gotas por 10 kg de peso corporal
duas vezes ao dia, usando um extrato de alcaçuz de baixo teor de álcool, ou se estiver
usando um chá, triplique essa dose.

ERVAS | Chá verde


Os polifenóis no chá verde têm um efeito anti-inflamatório e anti-histamínico que pode
ajudar a aliviar a coceira e a pele inflamada do seu cão ou gato. Primeiro, limpe os locais
afetados com o óleo de amêndoa e use esse tratamento a partir do dia seguinte. Faça um
chá bem forte: Coloque 2-3 sachês (ou 2-3 colheres de chá) em uma caneca, adicione água
fervente e deixe descansar por 15-20 minutos. Após esfriar, aplique nas áreas com coceira
por cerca de 10 minutos para acalmá-las, se o seu animal permitir. Guarde o que sobrar
na geladeira para usar mais tarde. Você também pode molhar um pano umedecido com o
chá verde e aplique-o à pele, especialmente nas áreas avermelhas.

Pág. 51
ERVAS | Aloe vera
Para áreas que estão dolorosas, sensíveis. Mantenha uma planta de aloe em casa, você
pode usá-la para todos os tipos de doenças de pele, desde queimaduras de sol até a pele
com comichão do seu cão. Ou você pode comprar folhas frescas, elas permanecerão por
três dias na geladeira. O gel fresco contém enzimas que ajudam a curar a coceira da pele
e diminuir a inflamação. Essas enzimas estão apenas na planta fresca. Corte a folha aberta
e aplique o gel de dentro da folha, isto esfriará e acalmará a pele.

ERVAS | Folhas de repolho


Este é um remédio antigo para ajudar a remover a febre e a inflamação. Coloque uma folha
de repolho na área inflamada. A folha ficará quente, pois desencadeia a inflamação.
Remova após alguns minutos.

Bicarbonato de sódio
Outro item comum, o bicarbonato de sódio pode fazer maravilhas para ajudar a acalmar a
pele inflamada ou avermelhada. Existem duas maneiras de fazer isso: Pasta de Bicarbonato
de sódio: Misture 1 colher de sopa de bicarbonato de sódio com um pouco de água (não
clorada ou fluoretada) para fazer uma pasta. Passe nas áreas avermelhadas e deixe-a por
algumas horas antes de lavá-la. Isso é muito útil se o seu cão tiver coceiras nos pés. Aplique
também entre os dedos. Não tem problema se cair no seu tapete, depois de secar basta
aspirar. Spray de Bicarbonato de sódio: Misture 1 colher de sopa de bicarbonato de sódio
em 250 ml de água (não clorada ou fluoretada). Coloque a mistura em uma garrafa de
spray e pulverize a pele do seu cão, conforme necessário. Agite a mistura cada vez antes
de usar.

Pág. 52
Problemas de Peso

Como as pessoas, um número significativo de animais domésticos se torna obeso,


especialmente se eles são inativos e alimentados com lanches ou petiscos gordurosos por
proprietários bem-intencionados.
Esses alimentos contêm quantidades inadequadas de proteínas, vitaminas, enzimas e
outros nutrientes essenciais. Devido à falta de nutrientes, o animal desenvolve apetite
excessivo. O mesmo pode acontecer como resultado da alimentação de dietas comerciais
de baixa qualidade que, para piorar, ainda contém uma série de agentes químicos.
A obesidade, mesmo moderada, pode resultar em efeitos adversos graves para a saúde.
Várias áreas do corpo são afetadas pelo excesso de gordura corporal, incluindo os ossos e
articulações, os órgãos digestivos e os órgãos responsáveis pela capacidade respiratória.
Estima-se que, no Brasil, 30% dos cachorros sejam obesos – uma porcentagem bastante
significativa. É considerado obeso o animal com mais de 15% de excesso de peso. (Veja
pesquisa em ”Dicas de como alimentar seu animal de estimação”.
Em alguns animais, o problema pode resultar de uma perturbação no metabolismo que
causa uma fome excessiva e quase incontrolável, que é muito difícil de gerenciar. Além do
programa de perda de peso descrito abaixo, esses animais podem precisar de tratamento
específico (além do escopo deste livro) para corrigir desequilíbrios subjacentes.
Em ambos os casos, é importante tirar o excesso de gordura de seu animal de estimação
porque pode afetar o coração, tornar a circulação lenta, complicar seriamente outros
distúrbios existentes e, provavelmente, diminuir a vida útil do seu amigão.

O programa básico de perda de peso para animais de estimação envolve três princípios
1. Aumentar os níveis de atividade. Pegue o seu cão para caminhadas e corridas diárias.
O aumento da atividade aumenta a taxa metabólica e queima calorias mais
rapidamente. As sugestões mais comuns para cães são a caminhada por pelo menos 15
minutos, duas vezes por dia, e jogos como a busca.
2. Resista à tentação de alimentar com lanches e guloseimas extras. Se o seu animal de
estimação está realmente implorando, você pode alimentar quantidades modestas do
seguinte: carne magra, cenouras cruas ou outros vegetais, maçãs e ossos crus.
3. Alimentar uma dieta altamente nutritiva, de baixo teor de gordura e de alto volume,
que fornece cerca de dois terços das calorias necessárias para manter o peso ideal do
seu animal. Embora tenham pouca gordura, as dietas são elevadas em proteínas,
enzimas, vitaminas e minerais. Elas também incluem uma abundância de fibras e
vegetais para ajudar a preencher o estômago do seu animal e minimizar a mendicância.
Isso ajuda seu animal a perder peso de forma gradual e segura, garantindo quantidades
suficientes dos nutrientes básicos. Uma boa dica é dividir a porção diária em três
refeições, pois isso ajuda a acelerar o metabolismo e a perder peso.

Pág. 53
DIETA CANINA PARA PERDA DE PESO # 1 - Fornece cerca de -
1.559 kcal
Esta receita fornece cerca de 31% de proteína, 12% de gordura e 53% 31% - PROTEÍNAS
de hidratos de carbono. Cálcio adicionado: 2.500 mg. 12% - GORDURAS
53% - CARBOIDRATOS

Ingredientes _____________________________________________________________
 1 xícara (250 g) de peru ou frango, sem pele, picada ou moída, ou carne magra ou
coração bovino ou fígado
 1 xícara (100 g) de farelo de aveia ou trigo integral (cerca 2 xícaras cozidas)
 1 xícara (100 g) de queijo cottage de baixo teor de gordura (não apertado)
 4 xícaras de legumes cozidos (cenouras, ervilhas, feijão verde, milho e assim por diante,
use congelados ou em conserva se for preciso ou por conveniência)
 1 colher de chá de óleo vegetal
Suplementos _____________________________________________________________
Suplementação de Cálcio:
 2.500 mg (2,5 g) de Cálcio + 0 a 10 mg de Fósforo ou 1½ colher de chá de casca de ovo
em pó (ou na quantidade prescrita por seu veterinário ou como indicado no rótulo do
produto)
Complemento Nutricional:
 2 colheres de sopa de levedura nutricional ou de cerveja (opcional)
Ou __________________________________________________________________

 Polivitaminico-mineral Completo light ou sênior para cães adultos ou na versão


recomendada pelo seu veterinário
________________________________________________________________________

Preparo: Cozinhe os legumes, usando 3-4 xícaras de água (900 ml). Quando estiverem
macios, adicione o farelo de aveia, apague o fogo e cubra. Deixe descansar
por 10 minutos ou até que a aveia fique macia. Adicione os ingredientes
restantes, exceto os suplementos, e espere esfriar. Adicione restante dos
suplementos e antes de servir.
Dica: A levedura enriquecida com vitamina fornece os padrões mínimos diários,
como recomendado no rótulo.
Rendimento: Aproximadamente 10 xícaras | Cerca de 155 kcal por xícara.
Separe em porções e congele o que não for ser consumido nos próximos 2 dias.
Variações: Cereais - Você pode substituir a aveia por: 2½ xícaras arroz integral cozido (1
xícara seco = 2 xícaras de água); ou 3 xícaras de bulgur cozido (1¼ xícara seco
= 2½ xícaras de água). Em vez de cozinhar os grãos com os legumes (como
com a aveia), cozinhe separadamente.

Pág. 54
________________________________________________________________________

Nota: O baixo teor de gordura desta dieta vai ajudar na PORÇÃO DIÁRIA
perda de peso. No entanto, também é PESO IDEAL (kg) (xícara)

interessante restringir as quantidades que você Mini ou Toy


1
alimenta. Assim, defina o peso ideal do seu cão Abaixo de 28cm / até 6kg
deve ter e alimente 2-3 refeições por dia, Pequeno
4
totalizando aproximadamente o montante De 28 a 35cm / de 6 a 15kg
indicado na tabela ao lado - um pouco menos se Médio
o seu cão é inativo, um pouco mais se ele for 5
De 36 a 49cm / de 15 a 25kg
muito ativo. Certifique-se de que ele não tenha
Grande
acesso a outros alimentos, exceto lanches de 7
De 50 a 69cm / de 25 a 45kg
baixa caloria, como palitos de cenoura.
Gigante
9
Acima de 70cm / de 45 a 60kg

________________________________________________________________________

Pág. 55
DIETA CANINA PARA PERDA DE PESO # 2 - Fornece cerca de -
1.683 kcal
Esta receita é mais simples e mais palatável - mais adequada para um 26% - PROTEÍNAS
cão menor porque usa quantidades relativamente maiores de carne. 15% - GORDURAS
56% - CARBOIDRATOS
Esta receita fornece 26% de proteína, 15% de gordura e 56% de
carboidratos. Cálcio adicionado: 2.500 mg.

Ingredientes _____________________________________________________________
 2 xícaras (450 g) de peru ou frango, sem pele, picada ou moída (ou carne magra, ou
coração bovino magro, ou fígado)
 5 xícaras (500 g) de batatas cozidas, picadas ou amassadas (ou 3½ xícaras de bulgur ou
arroz, cozidos)
 2 xícaras (200 g) de farelo de aveia ou trigo integral (cerca 2 xícaras cozidas) ou de
legumes cozidos (cenouras, ervilhas, feijão verde, milho e assim por diante, use
congelados ou em conserva se for preciso ou por conveniência)
 1 colher de chá de óleo vegetal
Suplementos _____________________________________________________________
 2.500 mg (2,5 g) de Cálcio + 0 a 10 mg de Fósforo ou 1½ colher de chá de casca de ovo
em pó (ou na quantidade prescrita por seu veterinário ou como indicado no rótulo do
produto)
 Complexo Vitamínico completo para cães (siga a dose no rótulo)
Ou __________________________________________________________________

 Polivitaminico-mineral Completo light ou sênior para cães adultos (ou na versão


recomendada pelo seu veterinário)
________________________________________________________________________
Preparo: Misture todos os ingredientes, exceto as vitaminas. Ao servir, adicione o cálcio
e o complexo vitamínico para cães (fornecendo as quantidades mínimas
diárias listadas no rótulo).
Rendimento: Aproximadamente 10 xícaras | Cerca de 168 kcal por xícara.
Separe em porções e congele o que não for ser consumido nos próximos 2 dias.
Ração diária: Alimente sobre os mesmos montantes indicados na dieta # 1.
________________________________________________________________________

Pág. 56
Cães Abaixo do Peso
Se o seu animal tem o problema oposto e está abaixo do peso, obviamente, é necessária
uma abordagem diferente. Se a perda de peso é súbita, que pode ser de uma infecção ou
algum outro problema que tem de ser levados em conta, em primeiro lugar. Converse com
o seu veterinário verificar esta possibilidade.

Para ajudar a aumentar o peso, use as dietas básicas em ”Preparando Receitas Fáceis,
Saudáveis e Balanceadas” e também trate com:

ERVAS | Alfafa (Medicago sativa): Leve ao fogo um copo de água pura (filtrada ou destilada)
até começar a ferver. Adicione uma colher de chá da erva seca ou fresca. Desligue o fogo,
cubra e deixe descansar por 15 minutos. Coe em seguida, extraindo o líquido.
Dosagem – Dê ao seu animal de estimação três vezes por dia (manhã, meio da tarde e à
noite antes de dormir): ½ colher de chá para cachorros pequenos (menos de 12 kg); 1
colher de chá para cachorros médios (12 a 22 kg); ou uma colher de sopa para cães grandes
(22 kg ou mais). Continue o tratamento até que os sintomas desapareçam ou por um
período máximo de sete dias.
Continue a com dieta até obter o efeito desejado (aumento da fome e aumento de peso).

Outro tratamento adequado para animais mais velhos e debilitados é:


HOMEOPATIA | Calcarea phosphorica 6C: Aqui você irá repetir as doses durante um
período mais longo, você dará uma vez por dia. Não forneça alimentos durante cinco
minutos antes e depois de receber o medicamento. O período de tratamento é geralmente
de uma semana ou 10 dias.
Se isso ajudou, mas não o suficiente, isso pode ser uma indicação de que um medicamento
melhor deve ser usado ou há algo mais retardando a recuperação. É melhor obter
conselhos de um veterinário holístico neste momento.
Este tratamento é especialmente bom onde aparentemente há má digestão ou má
utilização de nutrientes, como evidenciado pela falta de aumento de peso apesar da boa
nutrição e do apetite adequado.

Pág. 57
Insuficiência Renal

Primeiro, você precisa saber algo sobre o trabalho dos rins. Os rins mantêm o corpo do seu
animal livre dos resíduos que se acumulam durante o metabolismo. Eles estão
continuamente filtrando o sangue, tirando o excesso de sais, água e metabolitos,
mantendo as proteínas e células sanguíneas normais na corrente sanguínea.
Uma troca química complicada ocorre, pois, resíduos de materiais e água deixam o sangue
e entram no sistema urinário. Os rins também regulam a acidez do corpo.
Os rins também produzem um hormônio importante chamado eritropoietina e uma
enzima chamada renina.
A eritropoietina é necessária para o corpo do animal produzir e manter glóbulos
vermelhos, enquanto a renina ativa outro hormônio (angiotensina) para ajudar a controlar
a pressão arterial.
Além disso, rins saudáveis são necessários para processar a Vitamina D em calcitriol para
preservar cálcio para ossos. Como já deve ter percebido, os rins se envolvem em vários
processos importantes do corpo do seu animal de estimação.
A deterioração dos rins é um problema comum da velhice para cães. É a segunda principal
causa de morte em gatos (depois da leucemia felina), não contando acidentes. Ela começa
na maioria dos gatos com aumento da sede e cistite recorrente (problemas de
bexiga). Geralmente após a meia-idade, torna-se evidente que algo está errado com os
rins. Em outras palavras, os gatos que sofrem de insuficiência renal vão, quando jovem,
primeiro ter problemas de bexiga.
Porém, este processo é mais difícil de detectar em cães. Muitas vezes, estes gatos serão
colocados em dietas comerciais especiais com adição de ácidos (para evitar os sintomas
da cistite), mas isso tem efeitos colaterais, por exemplo o “LIXIVIAR”, que é a perda do
cálcio dos ossos. De qualquer forma, isto simplesmente irá encobrir o que está
acontecendo, enquanto os rins estão se deteriorando "nos bastidores".
É muito difícil perceber que isso está acontecendo por causa da tremenda capacidade dos
rins para compensar a perda de tecido. Contanto que um terço do tecido renal esteja
funcional, não há sinais óbvios da doença. Passado esse ponto, no entanto, a doença se
desenvolve gradualmente. Quando apenas 15 a 20% do tecido dos rins ainda estiverem
funcionais, a morte vem.
As chances de adquirir uma insuficiência renal aguda são maiores na terceira idade se seu
cão tiver os seguintes problemas de saúde: Doença renal, doença hepática, diabetes,
pressão alta ou hipertensão, insuficiência cardíaca, obesidade.

Pág. 58
Os primeiros sinais de insuficiência renal normalmente são
- Aumento da sede
- Micção frequente com grandes quantidades de urina pálida
- Incapacidade de reter a urina durante toda a noite
- Ocasionais períodos de baixo consumo de energia
- Falta de apetite
- Náuseas ou vómitos que duram alguns dias de tempos em tempos

Se você estiver atento, poderá detectar estes sinais de insuficiência renal


precocemente. Dessa forma, você tem uma chance muito maior de prolongar a vida do
seu animal com uma dieta especial e outros tratamentos naturais do que se você esperar
até uma emergência chegar. Tenha sempre o acompanhamento de um médico-veterinário
de sua confiança.

Tratamento
Uma vez que um problema renal aparece, a estratégia é evitar uma maior deterioração, e
ajudar a função do que resta dos rins. O fazemos primeiro com homeopatia, plantas
medicinais, e tratamento nutricional, reduzindo ou eliminando a carga tóxica sobre os rins.

Primeiro, vamos considerar a questão da toxicidade


Qualquer coisa na comida ou no ambiente que não é utilizável pelo corpo deve ser
eliminada, reduzindo esforços em vão. Isto inclui conservantes de alimentos, agentes
corantes, inseticidas, poluentes, e outros semelhantes. A eliminação destas substâncias é
realizada principalmente através dos rins.
A função de limpeza dos rins está relacionada com a da pele, que é um outro órgão de
descarga importante. Irritações da pele e erupções muitas vezes precedem uma eventual
insuficiência renal na velhice. Este processo é acelerado se a descarga da pele é
repetidamente suprimida com corticosteroides.
Os primeiros sintomas de avanço da doença renal em uremia (acúmulo de ureia no
sangue), é fadiga, vômitos frequentes, desidratação, perda completa de apetite, mau
hálito e, talvez, uma inflamação ou presença de úlceras na boca.
Neste ponto, o animal precisa de uma infusão intravenosa emergencial de fluidos para
salvar a vida. Depois disso, as coisas voltam ao normal, mas é uma normalidade frágil, pois
em muitos casos, 60-70% do tecido renal foi destruído e não pode ser mais recuperado.
Os rins podem lidar com isso por um tempo, trabalhando mais rápido. Os fluidos são
filtrados muito mais rapidamente (até 20 vezes mais rápido), o que resulta em uma perda
de sais essenciais, água, e outros nutrientes.

Pense nisso como uma grande quantidade de massa tentando passar por um delicado
funil, exercendo grande pressão sobre ele. Isto é o que os rins fazem para compensar.
Pág. 59
Aqui está o que podemos fazer para ajudar

Nutrição
O principal objetivo alimentar é o de reduzir a carga de resíduos metabólicos nos rins. Este
desperdício resulta principalmente da digestão da proteína (produção de ureia) e a
acumulação de fósforo e de sódio.
As proteínas, ainda que essenciais para o bom funcionamento do organismo, deixam
resíduos após serem “processadas”. Estes resíduos são a uréia e a creatinina. Os nomes
parecem familiares? Podemos reduzir estas quantidades usando menos proteína, mas
alimentando com um nível mínimo de proteína de máxima qualidade utilizável.
Não queremos fornecer pouca proteína, pois isso é prejudicial. Em vez disso, fornecemos
proteína suficiente, mas de boa qualidade, de alta absorção e aproveitamento.
Além disso, é vital para substituir as vitaminas solúveis em água, que são levadas para fora
do corpo com facilidade, especialmente as vitaminas B e C, e fornecer em abundância
vitamina A, que é boa para os rins.
A alimentação constitui um pilar importante no tratamento da insuficiência renal.

As próximas receitas atendem a essas necessidades


Elas fornecem proteína de alta qualidade e outros suplementos que são menos propensos
de serem perdidos a partir do corpo. Usamos arroz branco enriquecido, porque é melhor
digerido do que o arroz integral e também contém altos níveis de ferro e as principais
vitaminas B, que são difíceis de fornecer em uma dieta somente a base de carne.
Passaremos a usar suplementos de cálcio que não contenham mais fósforo, para evitar
níveis sanguíneos elevados (os rins têm dificuldade em regular minerais quando eles ficam
fracos).
As vitaminas garantem quantidades adequadas de nutrientes essenciais, o que poderia
tornar-se baixa nesta dieta.

Nota: É importante evitar a alimentação de dietas acidificantes. Estes são os alimentos


comerciais formulados para prevenir a cistite e são anunciados como tal. Produtos
químicos são adicionados a estas dietas para forçar a urina a ser ácida e o efeito
colateral é que o corpo fica muito ácido e a função renal é reduzida.

Pág. 60
DIETA CANINA PARA PROBLEMAS RENAIS - Fornece cerca de -
1.343 kcal
Esta receita fornece 17% de proteína de boa qualidade, 25% de 17% - PROTEÍNAS
gordura e 55% de carboidratos. Em geral, é mais baixa do que as 25% - GORDURAS
receitas habituais em fósforo (que tende a acumular-se nessa 55% - CARBOIDRATOS
condição), mas o cálcio é fornecido adequadamente (de um total de
2.400 mg).

Ingredientes _____________________________________________________________
 ½ xícara (120 g) de carne moída magra
 3 xícaras de arroz branco, enriquecido, já cozido
 ¼ xícara cenouras, cozidas, picada ou ralada
 2 colheres de sopa de salsa (um diurético natural, opcional)
 2 ovos grandes, crus
 2 colheres de sopa de óleo vegetal
 1 pitada de sal iodado
 ½ dente de alho picado (para sabor, se apreciado - opcional)
Suplementos _____________________________________________________________
 2.000 mg (2 g) de Cálcio + 0 a 6 mg de Fósforo ou 1 colher de chá levemente
arredondada de casca de ovo em pó (ou na quantidade prescrita por seu veterinário ou
como indicado no rótulo do produto)
 20 miligramas de um complexo B completo
 1.000 miligramas de vitamina C (na forma de ascorbato de sódio)
Ou __________________________________________________________________
 Polivitaminico-mineral de Baixo Fósforo para cães adultos ou na versão recomendada
pelo seu veterinário
________________________________________________________________________
Preparo: Misture todos os ingredientes e veja se o cão aceita cru. Caso contrário,
misture todos os ingredientes, exceto as vitaminas, e leve ao forno moderado
por cerca de 20 minutos e espere até esfriar para misturar as vitaminas.
Ocasionalmente, substitua de 1-3 colheres de chá da carne pela de fígado.
Certifique-se de fornecer água fresca e pura (filtrada ou engarrafada) em
abundância.
Rendimento: Geralmente, alimente com tanto quanto o seu cão comer. Como uma
orientação, esta receita deve alimentar um cachorro Mini ou Toy de 4,5 kg
por três dias ou um cão de 20 kg por um dia.
Triplicando a receita que você pode alimentar um cão de 30 kg por dois dias.
Separe em porções e congele o que não for ser consumido nos próximos 2 dias.

Pág. 61
Notas: Se o seu cão não estiver comendo bem, force as vitaminas separadamente,
usando esses níveis diários: Mini ou Toy e Pequeno ou Anão: 10 miligramas
de complexo B e 250 miligramas de Vitamina C; Cães de tamanho Médio:
como indicado na receita; Cães Grandes e Gigantes: 50 miligramas de
complexo B e 2.000 miligramas de Vitamina C.
Se o seu cão estiver comendo bem o suficiente, mas perdendo peso, então
use a carne gorda e aumente a gordura na receita para compensar. O peso
deve ser mantido constante.
________________________________________________________________________

Outras medidas terapêuticas incluem:


Evitar a fumaça do cigarro, água química ou clorada (use filtrada ou engarrafada),
alimentos altamente processados ou comerciais, cozidos demais, estresse, calor excessivo
e exposição desnecessária a produtos químicos, poluição de automóveis e ambientes
poluídos em geral.
Escove o pêlo vigorosa e regularmente e dê um banho semanal com um shampoo natural
leve. Forneça exercício ao ar livre, exposição ao sol e ar fresco.

Sempre permita um lugar de acesso fácil para urinar e defecar. Deixe sempre agua fresca
disponível para beber e alimente as porções diárias com duas refeições em vez de uma (se
esta for a sua prática).

Além dos suportes nutricionais, existem remédios naturais, que podem ser úteis

Ervas e remédios homeopáticos que podem fortalecer o tecido renal do seu animal estão
listados abaixo. Escolha um deles para tentar.

MEDICINA CHINESA | Rehmannia 8


Esta fórmula contém Fu Zi (aconite) e Rou Gui (canela), que são muito quentes e têm um
efeito revigorante na circulação. Aumenta o fluxo sanguíneo renal e mesmo quando 60 a
70% do rim já não está funcionando, um número significativo de néphrons ainda pode
funcionar com fluxo sanguíneo adequado. A parte restante da fórmula é chamada Lui Wei
Di Huang Wan (Rehmannia 6).

ERVAS | Dente de Leão (Taraxacum officinale):


O dente de leão é um grande purificador que elimina as toxinas acumuladas no corpo
devido a má alimentação, maus hábitos, sedentarismo etc. Quando feito em chá, o dente
de leão pode ser um assistente útil para o fígado e os rins. Além de suas propriedades
diuréticas, é também uma excelente fonte de nutrientes, como zinco, potássio, ferro e
vitaminas A, C, D e B. As raízes de dente de leão contém ingredientes ativos que podem
ajudar a dissolver pedras nos rins.

Pág. 62
HOMEOPATIA | Nux vomica 30C: Neste método você dá apenas um tratamento. Dê dois
grânulos inteiros ou três grânulos triturados em pó. Coloque na língua. Não dê comida
durante uma hora antes e depois do tratamento. Aguarde um mês inteiro antes de
qualquer outro tratamento. Seria um erro repetir o remédio em alguns dias. Se, no final
desse mês, nenhuma melhoria for evidente, então você precisará escolher um novo
medicamento. Este remédio é útil como tratamento ocasional para a uremia. Muitas vezes,
ele irá ajudar com os sintomas de toxicidade, especialmente náuseas, vômitos e sensação
geral da doença.

HOMEOPATIA | Natrum muriaticum 6C: Dê da mesma forma como descrito acima para o
Nux vômica. Este tratamento irá ajudar com o uso da água pelo corpo. É indicado para o
cão com muita sede.

Terapia de Crise
Uma crise grave em um animal com rins fracos ou falhando é melhor tratada pelo seu
veterinário. Muitas vezes, a técnica de administração de líquido intravenoso é crítica para
a sobrevivência, porque qualquer coisa dada pela boca é imediatamente vomitada. Seu
veterinário pode mostrar-lhe como dar injeções diárias de fluidos sob a pele, o que pode
ajudar.

Mesmo que seu animal de estimação tenha doença renal avançada, não se desanime.
Existem mudanças de dieta e opções de tratamento natural que podem adicionar anos de
conforto ao seu animal.
Encontre um veterinário holístico que com certeza irá ajudá-lo a acompanhar essa
abordagem holística e seu cão estará bem no caminho para um resultado mais feliz.

Pág. 63