Você está na página 1de 9

PSICO

PSICOLOGIA: O cérebro dos


O que ela pode homens é diferente
fazer por você do das mulheres?

Envolva-se!
Aprenda sobre comportamento
Qual é o SEU estilo de memória?
P974 Psico [recurso eletrônico] / [Tanya Renner ... et al.] ; tradução:
Marcelo de Abreu Almeida ; revisão técnica: Silvia H.
Koller. – Dados eletrônicos. – Porto Alegre : AMGH, 2012.

Editado também como livro impresso em 2012.


ISBN 978-85-8055-093-1

1. Psicologia. I. Renner, Tanya.

CDU 159.9

Catalogação na publicação: Fernanda B. Handke dos Santos – CRB 10/2107


(descritas nas p. 242–245).
estágio da confiança versus
Apesar de sua teoria ter sido
desconfiança De acordo com
criticada em diversos aspec- Erikson, o primeiro estágio do
tos (por exemplo, alguns dos desenvolvimento psicossocial, que
conceitos são vagos e/ou di- ocorre no período do nascimento
fíceis de medir), ela continua até 1 ano e meio, durante o qual os
influente, e é uma das poucas bebês desenvolvem sentimentos de
teorias que englobam todo o confiança ou falta de confiança.
ciclo vital. estágio da autonomia versus
vergonha e dúvida Período
Desenvolvimento cogni- durante o qual, de acordo com
tivo: crianças pensando Erikson, as crianças pequenas
(de 1 ano e meio aos 3 anos)
sobre o mundo Imagine
desenvolvem independência e
que você tivesse dois copos autonomia se a exploração e a
de diferentes formatos – um liberdade forem encorajadas, ou
curto e largo e outro alto e vergonha e dúvidas de si mesmas se
fino. Agora imagine que você forem impedidas e superprotegidas.
enchesse o curto e largo com estágio da iniciativa versus culpa
refrigerante até cerca de me- De acordo com Erikson, é o período
tade e, a seguir, derramasse o durante o qual as crianças dos 3 aos 6
líquido daquele copo no ou- anos experimentam conflitos entre a
tro, mais alto. O refrigerante independência de ação e os resultados
pareceria encher cerca de três por vezes negativos da ação.
quartos do segundo copo. Se estágio da indústria versus
alguém lhe perguntasse se inferioridade De acordo com
havia mais refrigerante no se- Erikson, no último estágio da
infância, a criança dos 6 aos 12
gundo copo do que no primei-
anos pode desenvolver interações
ro, o que você diria? sociais positivas com outros ou
Você pode pensar que sentir-se inadequada e tornar-
uma pergunta tão simples se- se menos sociável.
quer merece uma resposta; é

Desenvolvimento • 245
O desenvolvimento
Nenhuma teoria do desenvolvimento cognitivo das
crianças avança,
cognitivo foi mais influente do que enquanto sua
atenção aumenta.
a do psicólogo suíço Jean Piaget.

claro, não existe diferença de quantidade entre os dois co-


pos. Contudo, a maioria das crianças de 4 anos provavel-
mente diria que há mais refrigerante no segundo copo. En-
tão, se você servisse o refrigerante de volta no copo curto,
elas diriam que agora há menos refrigerante do que havia no
copo mais alto.
Por que as crianças pequenas se confundem tanto com
esse problema? O motivo não é imediatamente óbvio. Qual-
quer um que tenha observado crianças pré-escolares deve fi-
car impressionado com o quanto elas progrediram desde os
estágios iniciais do desenvolvimento. Elas falam com facili-
dade, conhecem o alfabeto, contam, jogam jogos complexos, adiciona mais ao que já existia. No desenvolvimento físico,
usam computadores, contam histórias e se comunicam habil- por exemplo, as crianças ficam mais altas conforme se desen-
mente. Ainda assim, apesar dessa aparente sofisticação, exis- volvem. No desenvolvimento intelectual, as crianças tendem
tem profundas dificuldades na compreensão das crianças a a desenvolver maior concentração conforme envelhecem.
respeito do mundo. Alguns teóricos sugeriram que as crianças Desenvolvimento qualitativo refere-se a mudanças que,
não conseguem entender certas ideias e conceitos até alcança- em vez de adicionar mais habilidades, resultam em habilida-
rem certo estágio no desenvolvimento cognitivo – o processo des diferentes. Por exemplo, caminhar é um desenvolvimento
pelo qual a compreensão de mundo da criança muda em fun- físico que ocorre após engatinhar, mas caminhar não é sim-
ção da sua idade e da expe- plesmente mais engatinhar. Mudanças qualitativas no desen-
desenvolvimento cognitivo riência. Em contraste com a volvimento intelectual aumentam a habilidade de pensar.
Processo pelo qual a compreensão
teoria do desenvolvimento Agora pare de ler por um momento e considere o que
de mundo da criança muda em
função de sua idade e experiência. psicossocial de Erikson discu- você pretende fazer neste final de semana. Quantos itens
tida anteriormente, as teorias você tem em mente quando pensa em seus planos? Como ve-
do desenvolvimento cognitivo buscam explicar os avanços remos na seguinte discussão da teoria de Piaget, a habilidade
intelectuais que ocorrem durante o desenvolvimento. Esses das crianças de pensar sobre diferentes conceitos depende da
avanços incluem mudanças quantitativas e qualitativas. De- quantidade de itens que elas podem conservar na sua memó-
senvolvimentos quantitativos referem-se ao crescimento que ria. No começo, elas não conseguem guardar nenhum!

Teoria do desenvolvimento cognitivo de Piaget

Estágio sensório-motor Estágio pré-operatório Estágio operatório concreto Estágio operatório formal
Desenvolvimento de perma- Desenvolvimento da Desenvolvimento da Desenvolvimento do
nência do objeto, desenvolvi- linguagem e de pensamento noção de conservação pensamento
mento de habilidades simbólico, pensamento e da reversibilidade lógico e abstrato
motoras, pouca ou nenhuma egocêntrico
capacidade para
representação simbólica

Do nascimento aos 2 anos Dos 2 aos 7 anos Dos 7 aos 12 anos Dos 12 anos até a vida adulta

246 • PSICO
A teoria do desenvolvimento cog- mento e perspectivas diferentes. Logo,
nitivo de Piaget Nenhuma teoria do as histórias e as explicações das crianças
desenvolvimento cognitivo foi mais para os adultos podem ser terrivelmen-
influente do que a do psicólogo suíço te confusas, já que são contadas sem
Jean Piaget. Piaget (1970) sugeriu que qualquer contexto. Por exemplo, uma
as crianças de todo o mundo passam criança pré-operatória pode começar
por uma série de quatro estágios em uma história com “Ele não queria me
ordem determinada. Ele afirmava que deixar ir”, sem mencionar quem é “ele”
esses estágios diferem não apenas na ou aonde ela queria ir. Também vemos
quantidade de informações adquirida o pensamento egocêntrico quando as
em cada um, mas também na qualidade crianças no estágio pré-operatório brin-
do conhecimento assim como da com- cam de esconde-esconde. Por exemplo,
preensão. Assumindo um ponto de vista crianças de 3 anos frequentemente se
interacionista, ele sugeriu que a transi- escondem com o rosto contra a parede,
ção de passagem de um estágio para o cobrindo os olhos – apesar de estarem
outro ocorre quando uma criança atinge plenamente visíveis. O que lhes parece
Crianças que não dominaram o princípio da
um nível apropriado de maturidade e conservação supõem que o volume de um é que se elas não conseguem ver, então
é exposta a tipos relevantes de expe- líquido aumenta quando é passado de um ninguém mais vai conseguir vê-las.
riências. Piaget presumia que, sem tais recipiente baixo e largo para um alto e fino. Além disso, crianças pré-operacio-
experiências, as crianças não poderiam nais ainda não desenvolveram a habili-
alcançar os níveis mais altos de crescimento cognitivo. dade de entender o princípio da conservação, que é o conhe-
Piaget propôs quatro estágios: sensório-motor, pré-ope- cimento de que a quantidade não está relacionada ao arranjo
ratório, operatório concreto e operatório formal. Durante o e à aparência física dos objetos. Crianças que não dominaram
estágio sensório-motor, do nascimento aos 2 anos, as crian- esse conceito não sabem que a quantidade, o volume ou o
ças baseiam seu conhecimento de mundo principalmente no comprimento de um objeto não muda quando sua forma ou
toque, sugar, morder, balançar e manusear objetos. Na parte configuração é modificada. A
inicial do estágio, as crianças têm uma habilidade limitada de estágio sensório-motor De
questão sobre os dois copos
acordo com Piaget, vai do
pensar sobre o mundo usando imagens, a linguagem, ou ou- – um curto e largo, e o outro nascimento aos 2 anos, durante
tros tipos de símbolos. Consequentemente, os bebês não têm alto e fino – com a qual co- o qual a criança tem pouca
aquilo que Piaget chama de permanência do objeto, a habi- meçamos a discussão acerca competência em representar
lidade de manter em mente uma representação mental de coi- do desenvolvimento cogniti- o ambiente usando imagens, a
sas e ideias. Sem essa habilidade, os bebês não podem ter a vo ilustra isso claramente. As linguagem, ou outros símbolos.
consciência de que objetos – e pessoas – continuam a existir crianças que não entendem o permanência do objeto
mesmo que estejam fora do campo de visão. princípio da conservação in- Consciência de que objetos – e
Como sabemos que as crianças não têm a permanência do variavelmente afirmam que a pessoas – continuam a existir mesmo
objeto? Apesar de não podermos perguntar aos bebês, pode- quantidade de líquido muda quando estão fora do campo de visão.
mos observar suas reações quando um brinquedo com o qual quando é ele passado de um estágio pré-operatório De
eles estão brincando é escondido embaixo de um lençol. Até copo para o outro. Elas não acordo com Piaget, o período dos
chegarem aos 9 meses, as crianças não realizam nenhuma ten- conseguem compreender que 2 aos 7 anos caracterizado pelo
tativa de localizar o brinquedo escondido. Contudo, logo após a transformação na aparência desenvolvimento da linguagem.
essa idade, elas iniciam uma busca ativa de localizar o obje- não implica uma transforma- pensamento egocêntrico Forma
to faltante, indicando que desenvolveram uma representação ção na quantidade. Pelo con- de pensar em que a criança vê o
mental do brinquedo. A permanência do objeto, portanto, é um trário, parece razoável para a mundo inteiramente de sua própria
desenvolvimento crítico durante o estágio sensório-motor. criança que existe uma alte- perspectiva.
O desenvolvimento mais importante durante o estágio ração na quantidade, assim princípio da conservação
pré-operatório, que começa aos 2 anos e dura até os 7, é como não existe alteração Conhecimento de que a quantidade
o uso da linguagem. As crianças desenvolvem sistemas re- para um adulto. não está relacionada ao arranjo e à
presentativos internos que lhes permitem descrever pessoas, De diversos modos, al- aparência física dos objetos.
eventos e sentimentos. Elas usam símbolos na brincadeira, guns deles assustadores, a estágio operatório concreto
fingindo, por exemplo, que um livro que estão empurrando incapacidade de entender o De acordo com Piaget, o período
no chão é na verdade um carro. princípio da conservação afeta dos 7 aos 12 anos caracterizado
Apesar de as crianças usarem pensamentos mais avança- as reações das crianças. Pes- pelo pensamento lógico e
egocêntrico.
dos nesse estágio do que no estágio sensório-motor, seus pen- quisas mostram que princípios
samentos ainda são qualitativamente diferentes do que os dos que são óbvios e inquestioná-
adultos. Vemos isso quando observamos uma criança no es- veis para os adultos podem ser completamente mal entendi-
tágio pré-operatório usando o pensamento egocêntrico, uma dos pelas crianças durante o período pré-operatório.
forma de pensar em que a criança vê o mundo inteiramente a O domínio do princípio da conservação, por volta dos 7
partir de sua própria perspectiva. Crianças em idade pré-ope- anos, marca o início do estágio operatório concreto, apesar
ratória não entendem que as outras pessoas tenham conheci- de as crianças não entenderem completamente alguns aspec-

Desenvolvimento • 247
concreto, seu pensamento ainda exibe uma
Princípios da conservação grande limitação: elas estão muito ligadas à
Mudança na Idade média de realidade física concreta do mundo. Em gran-
Conservação de… Modalidade aparência física compreensão de parte, elas têm dificuldade de entender per-
Número Número de elementos Rearranjo e deslocamento 6-7 anos guntas de natureza hipotética ou abstrata.
em uma coleção de elementos O estágio operatório formal de Piaget
produz um novo tipo de pensamento abstra-
to, formal e lógico. Durante o período dos 12
anos até a vida adulta, o pensamento não está
Substância Quantidade de Alteração de forma 7-8 anos
(massa) substância maleável mais limitado a eventos que os indivíduos ob-
(p. ex., argila ou líquido) servam no ambiente, mas incorpora técnicas
lógicas para resolver problemas.
A forma pela qual as crianças abordam o
“problema do pêndulo” criado por Piaget (Pia-
Comprimento Comprimento de Alteração de forma 7-8 anos
get e Inhelder, 1958) ilustra o surgimento do
uma linha ou objeto ou configuração pensamento operatório formal. A pessoa preci-
sa descobrir o que determina a velocidade com
que o pêndulo balança. É o comprimento do
barbante, o peso do pêndulo, ou a força com
Área Quantidade de superfície Rearranjo das figuras 8-9 anos que o pêndulo é empurrado? (Só para constar,
coberta com um conjunto a resposta é o comprimento do barbante.)
de figuras planas Crianças no estágio operatório concre-
to abordam o problema de forma aleatória,
sem qualquer plano racional ou lógico. Por
exemplo, elas podem simultaneamente mudar
Peso Peso de um objeto Alteração de forma 9-10 anos o comprimento do barbante e o peso do pên-
dulo e a força com que o empurram. Como
elas estão variando todos os fatores de uma só
vez, não conseguem distinguir qual é o deci-
sivo. Por outro lado, pessoas no estágio ope-
Volume Volume de um objeto Alteração de forma 14-15 anos ratório formal abordam o problema sistema-
(em termos de ticamente. Agindo como se fossem cientistas
deslocamento de água) conduzindo um experimento, elas examinam
os efeitos das mudanças em uma variável de
cada vez. Essa habilidade de eliminar possi-
bilidades competidoras caracteriza o pensa-
mento operatório formal.
Apesar de o pensamento operatório sur-
gir durante a adolescência, alguns indivíduos
tos da conservação, tal como usam esse tipo de pensamento apenas de vez em quando.
estágio operatório formal De
acordo com Piaget, é o período a conservação de peso e volu- Além disso, parece que muitos indivíduos nunca alcançam
que vai dos 12 anos até a vida me, até ficarem mais velhas. esse estágio; a maioria dos estudos mostra que apenas 40 a
adulta, sendo caracterizado pelo Durantes o estágio ope- 60% dos estudantes de faculdade e adultos o alcançam com-
pensamento abstrato. ratório concreto, que vai dos pletamente, com algumas estimativas mais baixas, chegando
7 aos 12 anos, as crianças a 25% da população geral (Keating e Clark, 1980). Nenhum
desenvolvem a habilidade de pensar de maneira mais lógica outro teórico nos deu uma teoria tão compreensiva acerca do
e começam a superar um pouco o egocentrismo do período desenvolvimento cognitivo como Piaget. Em geral, a maio-
pré-operatório. Um dos principais princípios que as crianças ria dos psicólogos do desenvolvimento concorda que Pia-
aprendem durante este estágio é a reversibilidade, a ideia de get nos forneceu um relato bastante preciso das mudanças
que algumas mudanças podem ser desfeitas revertendo uma relacionadas à idade no desenvolvimento cognitivo. Ainda
ação anterior. Por exemplo, elas podem entender que, quando assim, muitos teóricos contemporâneos sugerem que teorias
alguém amassa uma bola de argila, transformando-a em uma de estágios como a de Piaget não predizem adequadamen-
forma fina e comprida, essa pessoa pode recriar a bola origi- te o desenvolvimento cognitivo das crianças. Por exemplo,
nal revertendo sua ação. As crianças podem até conceituar nem todas as crianças têm desempenhos consistentes em
esse princípio em suas cabeças, sem terem de ver a ação sen- tarefas que – se a teoria de Piaget estiver certa – deveriam
do realizada à sua frente; nesse ponto, elas podem conservar ser igualmente bem executadas em um estágio específico
duas ideias simultaneamente. (Feldman, 2003, 2004).
Apesar de as crianças realizarem avanços importantes Piaget também subestimou a idade em que os bebês e
em suas capacidades lógicas durante o estágio operatório as crianças podem entender conceitos e princípios específi-
248 • PSICO
10
pense PSICO

Número médio de símbolos recordados


9

> > > Usando a teoria de Piaget para sustentar sua opi- 8
nião, você acha benéfico que os pais usem jogos e vídeos 7
Números
educativos que afirmam aumentar a habilidade acadêmica 6
dos bebês? Você consegue pensar em benefícios e desvan-
5

Fonte: Adaptado de Dempster, 1981.


tagens em usar produtos assim com os bebês? Letras
4
3

cos. De fato, suas habilidades cognitivas parecem ser mais 2


sofisticadas do que Piaget acreditava. Por exemplo, algumas 1
evidências sugerem que bebês de até 5 meses tenham conhe-
0
cimentos rudimentares de aritmética (Wynn, 1995, 2000; 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Adultos
Wynn, Bloom e Chiang, 2002). Idade (anos)
Além disso, alguns psicólogos do desenvolvimento su-
gerem que o desenvolvimento cognitivo procede de modo A duração da memória
mais contínuo do que a teoria de Piaget implica. Eles pro-
põem que o desenvolvimento cognitivo tem natureza princi- aumenta com a idade tanto
palmente quantitativa, ao invés de qualitativa. Nessa visão,
apesar de haver diferenças em quando, como e em que medi- para números como para letras
da uma criança pode usar habilidades cognitivas específicas
– refletindo mudanças quantitativas – os processos cogni-
tivos subjacentes mudam relativamente pouco com a idade dem guardar 5. (Os adultos são capazes de guardar sete,
(Case e Okamoto, 1996; Gelman e Baillargeon, 1983). mais ou menos dois, blocos na memória de curto prazo.) O
tamanho dos blocos guardados na memória de curto prazo
Abordagens de processamento de informações: ma- também aumenta com a idade, assim como a sofisticação e
peando os programas mentais das crianças Se o de- a organização do conhecimento armazenado na memória de
senvolvimento cognitivo não procede como uma série de es- longo prazo. Ainda assim, as capacidades da memória de
tágios, como Piaget sugeriu, como podemos explicar o longo prazo são impressionantes desde muito cedo: mesmo
enorme crescimento nas habilidades cognitivas das crianças? antes de falarem, os bebês podem recordar por meses even-
Muitos psicólogos do desenvolvimento atribuem o desenvol- tos dos quais participaram ativamente (Bayliss et al., 2005b;
vimento cognitivo a mudanças no processamento de infor- Cowan et al., 2003).
mações, a forma como as pessoas recebem, usam e armaze- Por fim, o aprimoramento no processamento de infor-
nam informações (Cashon e Cohen, 2004; Lacerda, von mações se relaciona com
Hofsten e Heimann, 2001; Munakata, 2006). avanços na metacognição, processamento de informações
Forma como as pessoas recebem,
De acordo com essa abordagem, mudanças quantitativas uma consciência e uma com- usam e armazenam informações.
ocorrem na habilidade das crianças de organizar e manipular preensão dos próprios proces-
informações. A partir dessa perspectiva, as crianças tornam- sos cognitivos. A metacogni- metacognição Consciência
-se cada vez mais capacitadas em processar informações, da e compreensão dos próprios
ção envolve o planejamento,
processos cognitivos.
mesma forma como um computador pode ficar mais sofisti- o monitoramento e a revisão
cado quando um programador o modifica com base em sua de estratégias cognitivas.
experiência. Abordagens de processamento de informações Crianças pequenas, que não têm consciência dos próprios
consideram os tipos de “programas mentais” que as crianças processos cognitivos, frequentemente não percebem suas
invocam ao abordar problemas. incapacidades. Assim, quando entendem mal as outras pes-
Diversas mudanças significativas ocorrem nas capa- soas, elas são incapazes de reconhecer os próprios erros.
cidades de processamento de informações das crianças. A Apenas mais tarde, quando as habilidades metacognitivas
velocidade com que elas analisam, reconhecem e comparam tornam-se mais sofisticadas, é que as crianças conseguem
estímulos aumenta com a idade. Conforme vão crescendo, as ver quando elas não entenderam. Esse aumento na sofisti-
crianças podem prestar atenção a estímulos por mais tempo cação reflete uma mudança na teoria da mente das crianças,
e discriminar vários estímulos mais prontamente, e são dis- seu conhecimento e suas crenças sobre como a mente ope-
traídas com menor facilidade (Myerson et al., 2003; Van den ra (Bernstein, Loftus e Meltzoff, 2005; McCormick, 2003;
Wildenberg e Van der Molen, 2004). Matthews e Funke, 2006).
Tanto a memória de curto prazo quanto a memória de
longo prazo melhoram dramaticamente com a idade. Crian- A visão sociocultural de Vygotsky do desenvolvimento
ças em idade pré-escolar podem apenas guardar dois ou três cognitivo De acordo com Lev Vygotsky, psicólogo do de-
blocos de informação na memória de curto prazo, crianças senvolvimento russo, a cultura em que somos criados afeta
de 5 anos podem guardar quatro, e crianças de 7 anos po- nosso desenvolvimento cognitivo de maneira significativa;
Desenvolvimento • 249
Da perspectiva de...
U PROFESSOR DE ENSINO
UM
FFUNDAMENTAL Como você
c
colocaria as ideias de Vygotsky em
prática na sala de aula?

irmão mais velho poderia lhe dar algumas maçãs e encorajá-


-la a usá-las para resolver alguns problemas de adição. Então,
ele poderia oferecer um auxílio para a subtração, talvez de-
monstrando algumas vezes, até que Maria conseguisse resol-
ver os problemas de subtração por conta própria. Vygotsky
afirma que o auxílio não apenas promove a solução de pro-
blemas específicos, mas também ajuda no desenvolvimento
das habilidades cognitivas gerais (Schaller e Crandall, 2004).
Adultos e crianças mais velhas promovem o desenvolvimento cognitivo
Mais do que outras abordagens do desenvolvimento cog-
em crianças menores ajudando-as a completar novas tarefas.Vygotsky
chamava esse tipo de auxílio de scaffolding.
nitivo, a teoria de Vygotsky considera como o contexto so-
cial e cultural específico de um indivíduo afeta o crescimento
intelectual. A forma como as crianças entendem o mundo é
não podemos entender o desenvolvimento cognitivo sem le- proveniente da interação com os pais, com os pares e com
var em conta os aspectos sociais da aprendizagem. Vygotsky outros membros de uma cultura específica (Kozulin et al.,
argumenta que o desenvolvimento cognitivo ocorre como 2003; John-Steiner e Mahn, 2003).
uma consequência das interações sociais em que as crianças A abordagem de Vygotsky complementa a teoria de
trabalham conjuntamente com outros para solucionar proble- Piaget e as perspectivas de processamento de informações.
mas. Por meio dessas interações, as habilidades cognitivas Essas teorias contribuem de modos diferentes para a nossa
das crianças aumentam, e elas ganham a habilidade de fun- compreensão do processo complexo e intrigante do desenvol-
cionar intelectualmente por conta própria. Mais especifica- vimento cognitivo e seus suportes biológicos e ambientais.
mente, ele sugere que as habilidades cognitivas das crianças
aumentam quando elas encontram informações que estão
prontas para aprender. Ele chamou essa prontidão para a
aprendizagem de zona de desenvolvimento proximal
(ZDP), nível em que uma criança já pode quase – mas não
completamente – compreen-
zona de desenvolvimento der ou desempenhar uma
proximal (ZDP) De acordo
tarefa sozinha. Quando
com Vygotsky, nível em que uma
criança pode quase – mas não as crianças recebem
completamente – compreender ou informações que se
realizar uma tarefa sozinha. enquadram na
adolescência Estágio do
ZDP, elas podem
desenvolvimento entre a infância e a aumentar sua
vida adulta. compreensão ou
dominar uma
nova tarefa. Por outro lado, se a informação es-
tiver fora da ZDP da criança, ela não conseguirá
dominá-la (Maynard e Martini, 2005; Rieber e
Robinson, 2006; Vygotsky, 1926/1997).
Em suma, o desenvolvimento cogniti-
vo ocorre quando pais, professores ou pa-
res mais qualificados ajudam uma criança ao
apresentar informações que são novas e estão
dentro da ZDP. Esse tipo de auxílio, chamado
de scaffolding, dá suporte à aprendizagem e à
resolução de problemas que encoraja a indepen-
dência e o crescimento. Por exemplo, imagine
que Maria, uma menina de 5 anos, está pronta para
aprender que a subtração é o inverso da adição. Seu * N. de T.: Organização norte-americana dedicada a reconhecer os estu-
dantes que se destacam em assuntos acadêmicos durante o ensino médio.

250 • PSICO
Encerra aqui o trecho do livro disponibilizado para
esta Unidade de Aprendizagem. Na Biblioteca Virtual
da Instituição, você encontra a obra na íntegra.