Você está na página 1de 3

Tópico 3 – Trabalho, energias e teorema do trabalho-energia Tópico 3 – Trabalho, energias e teorema do trabalho-energia

• O Trabalho (W) é a energia transferida para um objeto por • Ex.2: Qual será o trabalho da força peso quando um bloco de
meio de uma força para movê-lo. massa igual a 20 Kg cai até o chão de uma altura de 40 metros?
W = F Δx 30 N * Esse problema pode ser resolvido utilizando a relação entre o
trabalho e a energia cinética como veremos a seguir.
Unidade de trabalho é o Joule ( J )
• Energia Mecânica (Energia total): Não havendo forças
• Ex.1: Qual será o trabalho:
dissipativas a energia mecânica é sempre conservada (Ei = Ef ).
a) Se a força da figura acima desloca o bloco por 2 metros?
E = Ec + Ep
b) Se a mesma força agora faz um ângulo de 45º com o eixo x?
• Ec (K): Energia cinética – associada com o movimento.
W = F Δx cos θ
• Ep (U): Energia potencial – pode ser gravitacional ou elástica.
• O Trabalho da força peso pode ser calculado da mesma
maneira: 𝒎𝒗² 𝒌𝒙²
𝑬𝒄 = 𝑬𝒑𝒈 = 𝒎𝒈𝒉 𝑬𝒑𝒆 =
W = P Δy 1
𝟐 𝟐 2

Tópico 3 – Trabalho, energias e teorema do trabalho-energia Tópico 3 – Trabalho, energias e teorema do trabalho-energia
• Ex.3: Uma bola com m = 2 Kg, desliza em uma superfície, • Relação entre W e Ec: A variação da energia cinética de um
sem atrito, sabe-se que ela está em repouso no ponto A. Calcule corpo ao longo de um trajeto é numericamente igual ao
em cada um dos pontos A, B e C; quais são as energias trabalho realizado para tal.
potencial gravitacional, cinética e mecânica e a velocidade da ΔEc = Ecf – Ec0 = W
bola.
• Ex.4: Uma força horizontal de 10 N atua em um bloco de, m =
4 Kg, no mesmo sentido em que ele se desloca a 2,0 m/s. Após
este bloco sofrer a ação da força durante 20 metros, qual será a
velocidade escalar deste bloco?
• Resolver o Ex.2 utilizando a relação entre trabalho e energia
cinética.
• Ex.5: Um cachorro puxa um trenó durante 20 metros. Sabe-se
* Esse exercício pode ser resolvido sem a massa da bola? que a força exercida pelo cachorro é constante, de módulo 500
3 4
N e a corda forma um ângulo de 30° com o eixo x, o peso
Tópico 3 – Trabalho, energias e teorema do trabalho-energia Tópico 4 – Temperatura, calor e propriedades térmicas da matéria
total do trenó é 1500 N o que gera uma força de atrito com o gelo • Ex.6: Converter as seguintes temperaturas nas outras escalas
de 350 N. Supondo que o trenó está partindo do repouso calcule a vistas: a) 30 °C b) 15°F c) 320 K
velocidade final do trenó após o deslocamento de 20m.
• Estados Físicos:
• Temperatura é uma propriedade interna de um corpo (energia
interna) associada com o grau de agitação das moléculas.
• Escalas de temperatura mais utiliza-
das: Celsius, Fahrenheit e Kelvin.

• A conversão de cada escala é


feita utilizando os valores do
ponto de fusão e ebulição da
água. • * Calor (energia) necessário para que um material varie sua
5
temperatura ou mude seu estado físico

Tópico 4 – Temperatura, calor e propriedades térmicas da matéria Tópico 4 – Temperatura, calor e propriedades térmicas da matéria
• Calor (energia) necessário para que um material varie sua • Calor (energia) necessário para que um material mude seu estado
temperatura. Q = m c ΔT físico. Q=mL

• Ex.7: Calcule a quantidade de • Ex.9: Calcule qual o calor necessário para derreter 200 g de gelo
calor necessária para que inicialmente está a -4 °C. Sabendo que cgelo= 0,55 cal/g °C.
aumentar a temperatura de
150g de água de 20 a 70°C.

• Ex.8: Sabe-se que foi


necessário 13200 cal para
aumentar a temperatura de
uma barra de 400 g de 25 a
325°C. Sabendo que a barra é
composta de um único metal,
qual é esse metal?
Tópico 4 – Temperatura, calor e propriedades térmicas da matéria Laboratório. Experimento: Queda Livre
• O Arranjo experimental está na Figura 1.
• Lei dos gases ideais: pV=nRT R = 8,314 m³ Pa/K mol • Ajustes

p = pressão V = Volume n = número de mols 1. Para ajustar a esfera na posição 0 (zero)


movimentar o eletroímã para cima ou para
R = constante dos gases ideais T = Temperatura baixo, até que a parte inferior da esfera esteja na
posição 0 cm (figura 2).
• Ex.10: Um cilindro que está a temperatura ambiente (25 °C) de 2. Colocar a esfera com diâmetro de 2 cm em
volume 31L armazena 7,5 mols de um certo gás, calcule a contato com o eletroímã e regular a tensão
pressão desse cilindro. elétrica para que a esfera fique na iminência de
cair.
3. Ajustar o sensor a 20 cm abaixo da esfera
(prestar atenção no diâmetro da esfera e na
posição em que a esfera em queda livre
interrompe a contagem do tempo, ou seja, o
cronômetro interrompe a contagem quando a
esfera passar pelo centro do sensor). Medir com
uma régua o primeiro deslocamento FIGURA 1. ARRANJO EXPERIMENTAL

Laboratório. Experimento: Queda Livre Laboratório. Experimento: Queda Livre


20 cm. h = 0,200m. • Dados e análise experimental:
4. No cronômetro Multifunções
escolher a função F2 e zerar (reset).
5. Desligar o eletroímã através da 1. Calcular a gravidade utilizando os três tempos medidos.
chave liga/desliga liberando a esfera e 2. Calcular a velocidade com que a bola passa pelo sensor.
anotar na tabela 3 o intervalo de tempo
indicado pelo cronômetro. Repetir este 3. Calcular o tempo esperado de queda livre para cada um dos três
procedimento 3 vezes e calcular o tempo deslocamentos utilizando a aceleração da gravidade g = 9,8 m/s² e preencher na
médio (tM). Tabela.

6. Repetir os procedimentos acima 4. Calcular o erro do tempo médio medido e do tempo calculado e
para os deslocamentos de 40 cm e 60 cm. preencher na Tabela.
h (m) t1 (s) t2 (s) t3 (s) tM (s) tCalc (s) % Erro 𝑡𝑀 − 𝑡𝑐𝑎𝑙𝑐
%𝐸𝑟𝑟𝑜 = x 100
0,2 𝑡𝑐𝑎𝑙𝑐
0,4 5. A que fator se atribui esse erro?
0,6

Você também pode gostar