Você está na página 1de 16

1.

INTRODUÇÃO

Muitos moradores da cidade de Praia Grande e mesmo da Baixada


Santista não têm conhecimento sobre a importância que a Fortaleza do Itaipu
teve e ainda tem na história da nossa região e do nosso país e, muito menos o
conhecimento de que é possível efetuar visitas à Fortaleza.

A Fortaleza do Itaipu está localizada a dois quilômetros do centro de


Praia Grande, em plena área de proteção ambiental. Os visitantes que lá
estiverem, terão oportunidade de conhecer um pouco da história da Fortaleza
de Itaipu, que começou a ser construída em janeiro de 1902, a mando do
Presidente em exercício Manoel Ferraz de Campos Salles e do governador
Bernardino José de Campos Júnior. O Forte, como é popularmente conhecido
no local, tinha a função de ajudar no Plano de defesa da entrada do Porto de
Santos que já havia recebido inúmeras ameaças de marinheiros revoltosos.

A Fortaleza de Itaipu é formada por três Fortes: Duque de Caxias,


Jurubatuba e General Rego Freitas. A Fortaleza teve atuação importante na
revolução de 1932. No conflito, seus canhões foram desmontados e levados
para as trilhas de combate do exército paulista. Em seu lugar foram colocados
falsos canhões de madeira, visando ludibriar as forças oponentes. Atualmente,
a artilharia da Fortaleza conta com o Sistema Astros II, de lançamento de
foguetes.

Atualmente a fortaleza abriga o grupo e Artilharia Antiaérea que participa


na proteção dos maiores eventos que ocorrem no país como a Copa do mundo
e as Olimpíadas.

Optou-se pela utilização da Fortaleza de Itaipu para o desenvolvimento


do projeto, principalmente por se tratar de um espaço urbano carregado de
valor histórico para a localidade e para o país e por ser um espaço que permite
aos estudantes o contato direto com a natureza, com uma área extensa de
recreação e o desenvolvimento de atividades. Portanto, seria um local ideal
para a promoção do ensino, não só de temas do conteúdo escolar de diversas
disciplinas, como também de valores relacionados à história do nosso país, e
conceitos como o meio ambiente e a saúde.

2. OBJETIVOS

2.1 OBJETIVO GERAL

Promover a conscientização dos estudantes em relação às questões


ambientais, históricas e culturais, partindo do desenvolvimento de atividades e
recreações pedagógicas em um ambiente não escolar – A Fortaleza de Itaipu –
envolvendo as disciplinas de língua estrangeira, a língua inglesa para agregar
maior valor pedagógico em relação à sustentabilidade; Educação Física onde
focamos a saúde desde a infância e atividades físicas importantes para seu
desenvolvimento e História onde abordaremos a história local e nacional, e o a
Fortaleza tem muito a oferecer em valor histórico. Trataremos finalmente o
tema transversal do Meio Ambiente, com atividades como plantar árvores entre
outras, intendemos em enfatizar que pequenas atitudes levam a grandes
resultados e assim promover a positiva difusão de valores sustentáveis e
cuidados com o Planeta Terra.

2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

- Valorizar a cultura e a história local e nacional;

- Despertar interesse e consciência sustentável;

- Compreender a interdisciplinaridade inerente ao projeto com relação às


disciplinas e ao tema transversal abordado;

- A possibilidade em assimilar temas relevantes em nível internacional em


língua inglesa;

- Perceber a importância em cuidar do corpo e da saúde;

- Entender e assimilar a importância da preservação ambiental;

- Desenvolver atividades e recreações;


3. DESENVOLVIMENTO

3.1 REVISÃO BIBLIOGRAFICA

As atividades educativas fora do espaço formal da sala de aula é um


recurso que pode ser utilizados para enriquecer a transmissão de
conhecimentos do conteúdo do ensino. E estas atividades fora do espaço
formal da sala de aula, como por exemplo: visitas aos Museus, Parques,
Jardins Botânico, etc. Tem como objetivo associar o conteúdo ministrado em
sala com a realidade do meio e dos acontecimentos diários, proporcionando
uma transmissão de conhecimentos de maneira descontraída e momentos de
socialização. (Maria Lucia de Oliveira Pereira, Carlos Henrique de Freitas
Burity, 2014).

Cada vez mais, se faz necessário trabalhar junto aos nossos alunos,
atividades que despertem o amor e o cuidado com as plantas. Sendo assim, no
dia da árvore, encontramos uma ótima oportunidade para sentir, admirar e
aplaudir a natureza. Dessa forma poderemos desenvolver atitudes de respeito,
carinho e cuidado com as árvores/natureza; Apreciar a natureza que nos
rodeia; Observar as cores presentes na natureza (Prof. Ivani Ferreira, 2012.)

A educação ambiental pode ser entendida com toda ação educativa que
contribui para a formação de cidadãos conscientes da preservação do meio ambiente e
aptos a tomar decisões coletivas sobre questões ambientais necessárias para o
desenvolvimento de uma sociedade sustentável. Dessa forma, sua aplicação não se
restringe ao universo escolar, mas deve permear este para facilitar o entendimento
dessas questões e suas aplicações no dia a dia.

Uma das alternativas para a inclusão da temática ambiental no meio escolar é


"a aprendizagem em forma de projetos". Segundo Capra (2003), essa é uma proposta
alinhada com o novo entendimento do processo de aprendizagem que sugere a
necessidade de estratégias de ensino mais adequadas e torna evidente a importância
de um currículo integrado que valorize o conhecimento contextual, no qual as várias
disciplinas sejam vistas como recursos a serviço de um objeto central. Esse objeto
central também pode ser entendido como um tema transversal que permeia as outras
disciplinas já constituídas e consegue trazer para a realidade escolar o estudo de
problemas do dia a dia.

Além disso, as atividades de educação ambiental precisam extrapolar o âmbito


escolar e promover o aprendizado e, até, a transformação de todos nós. Segundo
Nalini (2003), proteger a natureza precisa ser tarefa permanente de qualquer ser
pensante e aprender a conhecê-la e respeitá-la pode levar uma vida inteira. Não há
limite cronológico, em termos de educação ambiental, para que todos estejam em
processo de aprendizado constante. Entretanto, como a maioria dos temas
transversais, educação ambiental é um muito abrangente e a maioria dos projetos que
se propõem a trabalhar o assunto procuram concentrar-se em focos mais específicos
dentro deste grande assunto. (Maria Lucia de Oliveira Pereira, Carlos Henrique
de Freitas Burity, 2014).

O fenômeno da súbita globalização do mundo e da conseqüente necessidade de uma


linguagem eficiente de comunicação é um fato que não depende de nele acreditarmos
ou não. Sendo assim, aprender um segundo idioma tornou uma necessidade básica
para profissionais de diversas áreas e para aqueles que se preparam para ingressar em
um mercado de trabalho cada vez mais competitivo e exigente. O domínio de outro
idioma significa crescimento, desenvolvimento e, acima de tudo, melhores condições
de acompanhar as rápidas mudanças que vêm ocorrendo nesse novo e tecnológico
século. (Cleocir Pedroso, 2015).

A História Local requer um tipo de conhecimento diferente daquele focalizado no alto


nível de desenvolvimento nacional e dá ao pesquisador uma idéia mais imediata do
passado. Ela é encontrada dobrando a esquina e descendo a rua. Ele pode ouvir os
seus ecos no mercado, ler o seu grafite nas paredes, seguir suas pegadas nos campos
. (Samuel, 1990, p. 220 ).

Hoje, todos nós sabemos que a finalidade básica do ensino de história na escola é
fazer com que o aluno produza uma reflexão de natureza histórica, para que
pratique um exercício de reflexão critica, que o encaminhe para outras reflexões
de natureza semelhante, na sua vida e não só na escola. Afinal de contas, a história
produz um conhecimento que nenhum a outra ciência produz e nos parece
fundamental para a vida do homem – individuo eminentemente histórico
(Fernandes, 1995, p. 03)
Na grande maioria dos países em desenvolvimento, grupo do qual faz parte o
Brasil, mais de 60% dos adultos que vivem em áreas urbanas não praticam um nível
adequado de exercício físico. Esse problema fica mais claro quando levamos em conta
os dados do censo de 2000, que mostram que 80% da população brasileira vivem nas
cidades. (copyright 2005 Bibliomed, Inc)

No Brasil, o sedentarismo é um problema que vem assumindo grande


importância. As pesquisas mostram que a população atual gasta bem menos calorias
por dia, do que gastava há 100 anos, o que explica porque o sedentarismo afetaria
aproximadamente 70% da população brasileira, mais do que a obesidade, a
hipertensão, o tabagismo, o diabetes e o colesterol alto. O estilo de vida atual pode ser
responsabilizado por 54% do risco de morte por infarto e por 50% do risco de morte
por derrame cerebral, as principais causas de morte em nosso país. Assim, vemos
como a atividade física é assunto de saúde pública. (copyright 2005 Bibliomed, Inc)

A prática esportiva como instrumento educacional visa o desenvolvimento


integral das crianças, jovens e adolescentes, capacita o sujeito a lidar com suas
necessidades, desejos e expectativas, bem como, com as necessidades, expectativas e
desejos dos outros, de forma que o mesmo possa desenvolver as competências
técnicas, sociais e comunicativas, essenciais para o seu processo de desenvolvimento
individual e social. (Renata Dias, jornalista. 2007)

“Primeiro foi necessário civilizar o homem em relação ao próprio homem. Agora é


necessário civilizar o homem em relação a natureza e aos animais.” (Victor Hugo).

3.2 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS

3.2.1 Ambientes e Público-alvo

Para a elaboração deste projeto foi proposto o aproveitamento
pedagógico da Fortaleza de Itaipu tendo em vista o desenvolvimento de um
projeto de trabalho multidisciplinar, envolvendo os estudantes do 6º ao 9º ano
do Ensino Fundamental da Escola COC Novo Mundo.
- Colégio COC Novo Mundo, localizado na Avenida Marechal Malet, 392, Canto
do Forte, Praia Grande. (vamos analisar ainda...)
- Fortaleza de Itaipu, localizada na Av. Marechal Mallet, 01, Canto do forte,
Praia Grande.

A Fortaleza Itaipu encontra-se na área urbana da cidade de Praia


Grande e em razão da necessidade de mantê-la protegida de tudo e de todos,
a extensa área ao seu redor tornou-se uma grande reserva ecológica de valor
inestimável. Trata-se de um exemplar raro e extenso da Mata Atlântica original,
praticamente dentro da cidade de Praia Grande. A Fortaleza é totalmente
protegido proporcionando maior segurança aos participantes do projeto, possui
uma vasta área verde, com muitas árvores e espaços que serão aproveitados
para o desenvolvimento das atividades pedagógicas.

3.2.2 Disciplinas, conteúdos e conceitos envolvidos

- História: local e nacional, partindo do histórico militar do Forte;

- Língua Estrangeira: assimilação de termos comuns em língua inglesa de


forma interativa;

Educação Física: incentivo de práticas esportivas desde a infância e


conscientização de sua importância para uma melhor qualidade de vida,
prevenção de possíveis doenças cardiovasculares e evitar o sedentarismo.

Além das disciplinas e dos conteúdos relatados acima, será trabalhado
aqui de forma interdisciplinar, em todas as etapas do projeto, o Tema
Transversal - “Meio Ambiente”.

3.2.3 Propostas de Ação e Estratégias Didáticas

1ª etapa – Desenvolvimento em Sala de Aula


Primeiramente, serão apresentados aos estudantes em horário de aula, os
temas abordados por este projeto, os mesmos são:

História: história da Fortaleza de Itaipu e histórico do quartel, história e


geografia local e nacional da Fortaleza.

Língua Estrangeira: observação e assimilação de termos comuns e típicos do


local em língua inglesa durante todo o projeto.

Educação Física: consciência corporal e importância da saúde desde a


infância. 

Meio Ambiente - Tema Transversal: contato com a natureza e árvores


nativas, recreação e consciência ecológica e sustentável como tema
Transversal desenvolvido por todo o projeto.

Os estudantes serão estimulados pelas seguintes propostas: 

A) Através de atividades e interações, desenvolver o senso crítico sobre a


interação entre a saúde do homem e a saúde da terra, verificar se os alunos
têm informações sobre preservação ambiental e como preservar patrimônios
ambientais como a Fortaleza.

B) Estimular e dialogar sobre o assunto por meio das seguintes questões:

 Qual a importância para a cidade e para o País em preservar patrimônios


como a Fortaleza de Itaipu?
 Qual o fator relevante em acrescentar descrições em língua inglesa a
placas em local turístico de grande valor, lugares e ruas públicas da cidade
para o turismo e a história local?
 Como ser ecologicamente correto? O que é sustentabilidade?
 Qual a importância de haver árvores em locais urbanos?
 Por que cuidar do planeta? Vocês acham que suas atitudes podem gerar
alguma diferença no meio ambiente?
 O que é o sedentarismo e seus agravantes? Como lutar contra ele?
 Como nosso organismo pode ser influenciado pelo ambiente?
  Quais os efeitos da atividade física para o organismo e para a saúde?
  Qual a importância da prática de atividade física? Como essa prática
influencia o meio socioambiental?

Após o diálogo com os alunos, o professor irá exercitar as atividades


citando exemplos e ilustrando com imagens em sistema de slides, para da
melhor forma possível esclarecer toda e qualquer dúvidas. Assim, finalmente,
propor aos alunos o encontro para a trilha na fortaleza Itaipu.

2ª etapa – Trilha ecológica na Fortaleza de Itaipu

A chegada na Fortaleza Itaipú dos alunos com seus professores e


coordenadora escolar, será recebida pelo Oficial do Exercito escolhido pela
Instituição para acompanhar os participantes no passeio a Fortaleza.

Após uma chamada oral dos alunos no local, os participantes receberão


um mini mapa da Fortaleza de papel reciclado, confeccionado pela escola onde
terão todas as informações sobre as instalações internas da Fortaleza. Em
seguida os participantes entrarão na Fortaleza e o Oficial do exército dará
explicações sobre as instalações que serão avistadas a caminho do anfiteatro,
ao qual os participantes assistirão um vídeo de curta duração sobre o local
visitado e por fim darão início as atividades.

1ª PARADA – ENTRADA DA FORTALEZA – VISÃO HISTÓRICA

Após a entrada dos visitantes a Forlaleza logo é avistado por eles as


antigas e charmosas casas de oficiais, que ficam nos arredores de um templo
ao ar livre em homenagem à Santa Bárbara. Prédios administrativos, campo de
futebol, piscina, quadras poliesportivas, pista de pentatlo militar e a imensidão
verde compõem o fascinante cenário que guarda muitas histórias. Aqui
montados para o projeto, foram instalados instrumentos de comunicação para
esmiuçar a história da Fortaleza do Itaipu onde tudo está devidamente
explicado e os termos estão “legendados” em língua inglesa por placas
preparadas para o projeto do Forte. Sua projeção em 1896, sua destinação em
controlar o movimento de embarcações na barra de São Vicente, acesso
ao Porto de Santos. Em 1901 foi encomendado da Alemanha 6 canhões Krupp
150 mm L/50 formando sua artilharia. Os dois anos seguintes foram
consumidos na execução das obras de infraestrutura: estradas, contenção de
encostas e pontes de acesso, e um viaduto com vão livre de 20 metros e flecha
de seis metros.

A partir de 1903, iniciou-se a construção da primeira bateria, e em


seguida, entre 1904 e 1906, foram levantados o Quartel, o Paiol, a Casa do
Comandante e outras edificações. A partir de 1909, foi iniciada a segunda
bateria, de obus (Bateria General Gomes Carneiro) e, no ano seguinte (1910),
as obras complementares. As suas obras foram executadas pelo
Coronel Ximeno Villeroy (GARRIDO, 1940:135). Em 1918 foram entregues as
instalações do "Forte Duque de Caxias" e, no ano seguinte (1919), as do "Forte
de Jurubatuba", ambos dotados de canhões franceses Schneider-Canet de
150 mm, com alcance de 9 quilómetros).

Durante a Revolução Constitucionalista de 1932, a guarnição do forte


alinhou-se ao lado dos revolucionários que lutavam contra o governo do então
presidente Getúlio Vargas (1930-1945) (GARRIDO, 1940:136). Bombardeado
por uma esquadrilha de hidroaviões Savoia-Marchetti S.55 governistas, a
guarnição substituiu estrategicamente os canhões Schneider-Canet por
réplicas de madeira pintada, embarcando a verdadeira artilharia e munição no
"Fantasma da Morte", um trem adaptado pelos revolucionários, utilizado na
linha de combate.

Durante a Segunda Guerra Mundial o forte manteve-se em estado de


alerta, assegurando a navegação naquele trecho das águas territoriais
brasileiras, acesso ao estratégico Porto de Santos. Nesse contexto, foi iniciada
a construção da terceira bateria, denominada "Forte General Rego Barros".

Na década de 1950 encontrava-se guarnecido pelo 5º Grupo de Artilharia de


Costa, ainda artilhado com os canhões Schneider-Canet de 150 mm
(BARRETTO, 1958:267).
A partir de 1 de Abril de 1960, as dependências do forte passaram a ser
guarnecidas pelo 6º Grupamento de Artilharia de Costa Motorizado (6º
GACosM) tendo a sua artilharia sido substituída por canhões móveis Vickers-
Armstrong de 152,4 mm. A partir de 1994 as instalações do forte encontram-se
abertas à visitação pública.

Passando pelo centro de saúde e o monumento em homenagem ao


soldado Édson Arantes do Nascimento, o Pelé que serviu no local em 1959.
Terminando a parte histórica, e tendo acompanhado a explicação através do
folheto informativo e explicação por um oficial local, os estudantes seguem
para o anfiteatro para assistirem um vídeo de curta duração que além de conter
informações sobre a Fortaleza, oferece importantes informações sobre a trilha
ecológica.

2ª PARADA – EDUCAÇÃO FÍSICA E MOTORA

Após a saída do anfiteatro os participantes irão para uma área livre onde
poderão usufruir de valiosos momentos de aprendizagem sobre a importância
de cuidar da saúde. Os alunos neste momento iniciam um alongamento
relaxante como preparação para a caminhada com instruções do professor de
Educação Física.

Ao ar livre, os alunos precisam se sentir motivados para desfrutar de


atividades físicas e motoras. Para isso, tudo deve ser feito de forma dinâmica e
participativa sem deixar de ser levada a sério. Durante a trilha e após o
alongamento, através de esclarecimentos o professor de Educação Física irá
abordar os benefícios da atividade física para o corpo humano desde a infância
pretendendo despertar curiosidade e incentivo para cada aluno. Será mostrado
que durante as atividades físicas, os participantes devem:

 Incluir um aquecimento e alongamento, como parte de cada sessão da


atividade.
 Beber água antes, durante e depois das atividades físicas.
 Usar protetor solar, bonés e óculos de sol em dias mais quentes.
 Começar em um nível que corresponda ao seu condicionamento físico
atual.
E os benefícios das atividades físicas desde a infância vão além do
crescimento e desenvolvimento saudável:

Principais benefícios das atividades em fase de crescimento e desenvolvimento

 Crescimento e desenvolvimento saudável


 Melhor autoestima
 Ossos, músculos e articulações mais fortes.
 Melhor postura e equilíbrio
 Um coração mais forte
 A faixa de peso saudável
 Melhor interação social com os amigos
 Aprender novas habilidades enquanto se diverte
 Melhor foco e concentração durante as aulas
As atividades têm que ser dinâmicas para os jovens que devem receber
apoio e orientação sobre como começar a atividade física. Após o termino do
alongamento a professora ressaltará a importância do hábito da prática de
atividades físicas e dará dicas para uma boa caminhada, a forma de como os
participantes deverão se conduzir ao longo da caminhada controlando seus
passos corretamente, assim como a postura corporal e a respiração com a
finalidade de uma atividade prazerosa e sem dores físicas durante e após o
seu término.

3ª PARADA – PENSAMENTO SUSTENTÁVEL

Nesta etapa finalizando a caminhada, a mesma será conduzida por


Professor de educação Física, por oficial do exército e acompanhada por
professores de história e inglês, que durante o percurso irão abordar temas
transversais sobre o meio ambiente, ressaltando a importância sobre a
preservação do meio ambiente.

Ensinar sobre a preservação do meio ambiente para crianças requer


técnicas e atividades que despertem o lúdico, a curiosidade, criatividade e
interação, levando ao aprendizado sob forma divertida e descontraída.

Por isso, será promovido o conceito dos 3 Rs da sustentabilidade:


incentivar a redução da compra e uso de produtos e serviços que não são
extremamente necessários, ou que podem ser substituídos por outros que
agridem menos o ambiente; estimular a reutilização de materiais que já foram
usados, mas que antes do descarte podem ser reusados no mesmo ou em
outro processo – como o uso de garrafas de vidro ou plástico para guardar
lápis, caixotes de madeira para guardar brinquedos e usar o verso das folhas
de sulfite como rascunho; contribuir com a reciclagem de materiais, fazendo a
separação e armazenagem correta dos resíduos até a sua coleta, tudo
igualmente explicado em folheto e legendado em língua inglesa.

Por fim, os jovens ouvirão de não jogar lixo na mata levando seus sacos
biodegradáveis para depositar o lixo acumulado durante a caminhada, de se
preservar as árvores e plantas, que são vitais para todos os seres vivos. Os
participantes também terão o grande privilégio de vivenciar uma grande
experiência compartilhando da linda paisagem que acompanha a trilha.

3ª PARADA – fechamento do projeto (produto final)

Ao chegarem ao quilometro 2 da trilha os participantes farão uma parada


onde se encontrará um stand com kit lanche, ofertado pela escola , que conterá
em cada kit 1 sanduíche natural, 1 barra de cereal, 1 maçã, 200ml de suco e
500ml de água. Terão 30 minutos para descansar e se alimentar. Em seguida
todos recolherão seus lixos e os jogarão na lixeira que está no stand
coordenado por um oficial do exército. Haverá a distribuição para cada
participante de uma embalagem contendo sementes de diferentes espécies de
plantas que como fechamento do projeto cada um terá a oportunidade de
plantar sua própria árvore no local. Optar pela espécie errada na hora de
plantar uma árvore pode trazer problemas para a região em que ela está localizada
e, inclusive, afastar os bichinhos que vivem no local, pensando nisso, os
participantes serão instruídos por um profissional capacitado sobre quais são as
melhores espécies para serem plantadas em cada bioma brasileiro e sobre as
espécies que são nativas da região, portanto, não causando danos ao meio
ambiente, somente agregando sustentabilidade e adquirindo valiosos
aprendizados. Dessa forma darão sua parcela de contribuição para a fauna e a
flora.
3.2.4 Tempo de duração do projeto e Cronograma

Esse projeto terá a duração de 3 dias letivos divididos em duas etapas.

1ª etapa:

20/09/2017 – Na escola: apresentação dos conceitos que serão abordados no


projeto.

2ª etapa:

 21/09/2017 – Na Fortaleza de Itaipu: desenvolvimento das atividades.

3º etapa:
22/09/2017 - Na escola: fechamento e avaliação do projeto.

7. AVALIAÇÃO
A avaliação ocorrerá em dois formatos e em dois momentos distintos. No primeiro
formato a avaliação será contínua, acompanhando cada estudante individualmente
através da sua postura, dúvidas e observações ao longo de todas as atividades do
projeto desde a primeira etapa em sala de aula que será a parte teórica, até a segunda
parte do projeto que ocorrerá na prática na visitação a Fortaleza do Itaipu.
O segundo formato acontecerá na escola, no terceiro e último dia do projeto como
produto final, os alunos farão uma avaliação e atividades em sala de aula onde
poderão expor aos colegas e professores tudo o que aprenderam e o que foi
modificado em cada um dos participantes após a visita a Fortaleza. A avaliação e as
atividades conterão questões sobre tudo o que foi visto e aprendido na visita a
Fortaleza, como a parte histórica, os aprendizados de condicionamento físico e a
importância da prática de atividade física para a saúde, a ampliação dos
conhecimentos da língua inglesa e os temas transversais abordados sobre o meio
ambiente e a importância de sua preservação. Todas as avaliações fornecidas aos
alunos valerão notas nas disciplinas de história, Educação Física e Inglês.

4.1 RESULTADOS ESPERADOS


Espera-se que os estudantes a partir da vivência do projeto aprimorem o
aprendizado nos conteúdos teóricos e práticos das disciplinas desenvolvidas nesse
projeto, que possam guardar as experiências vividas e que aflorem em cada um a
capacidade de percepção da importância de conhecimento histórico do local onde
habitam e de demais regiões também. Que levem consigo o aprendizado da
importância de se inserir na rotina diária a prática de atividade física para uma
melhor qualidade de vida e a busca por uma vida saudável em benefício da saúde.
Da mesma maneira a importância da conscientização de preservação do meio
ambiente em prol da nossa e das próximas gerações. E finalmente a importância de
aprender a língua inglesa e o quão é importante as sinalizações de placas em inglês,
a fim de uma melhor orientação aos turistas que visitam a nossa região, já que
temos instalado o maior porto da América Latina nela.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Esse projeto irá permitir que os estudantes tenham conscientização dos temas
abordados no mesmo, que são o conhecimento da história local, a importância de
preservação do meio ambiente, a busca por uma vida mais saudável e a implantação
de sinalizações para pontos turísticos no nosso dialeto nacional e também na língua
inglesa. O envolvimento dos professores das disciplinas de história, educação física e
língua inglesa trarão uma proximidade dos mesmos com os alunos e estes perceberão
que é possível aprender diversos temas de diferentes disciplinas em um único local e
em poucas horas. E que há muito para se aprender, conhecer e desenvolver fora dos
muros da escola.
REFERENCIAS

https://www.atividadesfisicas.com.br/beneficios-atividade-fisica-
criancas/

http://www.pensamentoverde.com.br/atitude/ensinando-
preservacao-do-meio-ambiente-para-criancas/

http://www.beachco.com.br/v2/turismo/a-grandiosa-fortaleza-de-
itaipu.html

https://pt.wikipedia.org/wiki/Forte_de_Itaipu

Informações colhidas em visita ao local.

http://www.painelflorestal.com.br/noticias/saiba-quais-sao-as-
melhores-arvores-para-plantar
http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2012/07/fortaleza-de-
itaipu-em-praia-grande-guarda-natureza-e-historia.html

http://www.boasaude.com.br/artigos-de-saude/4772/-1/importancia-
da-atividade-fisica.html

www.culturasmbientalnasescolas.com.br

http://www.planetaeducacao.com.br/portal/artigo.asp?artigo=790

www.publicacoes.unigranrio.br

www.arco.org.br

www.boasaude.com.br

http://www.uesb.br/anpuhba/artigos/anpuh_III/luis_carlos.pdf

http://www.administradores.com.br/artigos/negocios/a-importancia-
da-lingua-estrangeira/38768/