Você está na página 1de 9

Anexos

Universidade Federal do Rio Grande do Norte


Centro de Educação
Departamento de Práticas Educacionais e Currículo
Disciplina: Estágio Supervisionado de Formação de Professores para o Ensino Fundamental (Língua
Portuguesa)
Docente: Alessandra Cardozo de Freitas
Discentes: CharllesTargino, Thayse Santos e Verônica Campos

IDENTIFICAÇÃO

Escola Estadual Poeta Castro Alves


Disciplina: Língua Portuguesa
Professor - tutor: Elisabeth
Série:9º ano – ensino fundamental
Número de aluno:33 Turno: matutino
Dias e horários das aulas:quarta-feira (9h50 - 11h30) e quinta-feira (7h00 - 8h40)
Período de execução do plano:01/10 a 17/10
Estagiários:CharllesTargino, Thayse Santos e Verônica Campos.

JUSTIFICATIVA

A escola em seu dia-a-dia é um ambiente de diversas práticas que estão em permanente processo de
construção e reconstrução. Tem por finalidade promover o desenvolvimento intelectual do aluno com
atividades que proporcionem o aprofundamento de estudos em tópicos específicos do conteúdo
programático da disciplina de português.
De acordo com os PCN’s (2010, p.5) nas práticas sociais

o homem cria a linguagem verbal, a fala, na e com a linguagem, o homem reproduz e


transforma espaços produtivos. A linguagem verbal é um dos meios que o homem possui
para representar, organizar e transmitir de forma específica o pensamento. A fala como
mediadora entre relações humanas gera sistemas de linguagens, sentidos humanos que se
expressam, se concretizam e proliferam em múltiplos espaços simultâneos de forma
relacional.

Os PCN’s de língua portuguesa afirmam que as pessoas só conseguem ter participação ativa na
sociedade se tiverem o domínio da linguagem como meio de atividade discursiva e cognitiva, visto que a
linguagem possibilita comunicação, expressão de opinião, acesso às informações, senso crítico e produção
cultural.
O estudo da unidade em questão intitulada “Inventos e inventores” fará com que os alunos levem
em consideração a maleabilidade dos gêneros já existentes, e o surgimento de novos, bem como o
desaparecimento de outros, entendendo que a língua não é estática e estável.

Marcuschi (2003) afirma que os gêneros textuais auxiliam na organização das atividades
comunicativas pertencentes ao cotidiano das pessoas, pois são “entidades sócio-discursivas e formas de
ação social incontornáveis em qualquer situação comunicativa” (p.01)

Ele ainda diz que:

Quando dominamos um gênero textual, não dominamos uma forma linguística e sim
uma forma de realizar linguisticamente objetivos específicos em situações sociais
particulares. (p.10)

Assim, de acordo com Marcuschi (2003), optar pelo ensino voltado aos gêneros textuais é a maior
oportunidade que temos de desenvolver um trabalho com a língua em seus vários usos no dia-a-dia já que
tudo aquilo que fazemos, linguisticamente falando, está inserido em algum gênero que pode ser produzido
sistematicamente.

Dessa forma, faríamos como dito no PCN (2010, p.24) com que os alunos passassem a articular as
redes de diferenças e semelhanças entre a língua oral e escrita e seus códigos sociais, contextuais e
linguísticos. Como também, recuperar através do estudo do texto mitológico, as formas instituídas de
construção do imaginário coletivo, o patrimônio representativo da cultura e as classificações preservadas e
divulgadas, no eixo temporal e espacial.

OBJETIVOS

Geral
 Desenvolver e utilizar as várias linguagens presentes em seu cotidiano através do estudo das
“invenções”, constatando que estas se fazem em vários âmbitos, visto que é uma necessidade
humana; e esses âmbitos estão atrelados uns aos outros.

Específicos

 Compreender que as mudanças linguísticas (gêneros textuais e conteúdos gramaticais) estão


submetidas às mudanças sociais e tecnológicas;
 Desenvolver uma prática de leitura e escrita voltadas para o tema “inventos e inventores”;
 Valorizar a tradição oral;
 Ampliar o conhecimento sobre as culturas e as várias manifestações linguísticas;
 Construir um posicionamento crítico em relação às diferentes situações sociais.
CONTEÚDOS
Conceituais
 Com base no tema da unidade didática “Inventos e inventores” os conceitos apresentados para os
alunos são: o de invenção e mudança dos gêneros textuais (com o uso dos gêneros mito, imagens
‘perspectiva semiótica’quadrinhos,dentre outros), da língua portuguesa (concordância nominal) e
da própria sociedade.

Procedimentais
 Os procedimentos que utilizaremos para melhor apreensão do conhecimento serão a realização de
ações que envolvam a leitura e a escrita, voltadas para a temática em questão. Faremos a leitura de
mitos indígenas com os alunos, depois ele tentarão produzir mitos; mostraremos imagens de
invenções e eles pesquisaram algumas delas; iremos ler um quadrinho que o personagem Franjinha
e professor pardal estejam e eles pesquisarão esses personagens; também contextualizaremos o
conteúdo “concordância nominal” como é feita na fala e em alguns textos escritos.
Atitudinais
 Promoveremos uma reflexão colaborativa da importância da inventividade humana para o
progresso linguístico, social e tecnológico.

MATERIAIS DIDÁTICOS
 Quadro negro e giz;
 Livro didático;
 Datashow;
 Textos fotocopiados;
 Computador.
CRONOGRAMA

PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO
A avaliação da aprendizagem caracteriza-se como diagnóstica e contínua, seguindo os seguintes critérios:
 (In)disciplina;
 Realização das atividades propostas;
 Dificuldade em apreender os conceitos gramaticais;
 Dificuldade de interpretação textual;
 Habilidade na expressão oral;
 Número de faltas (Assiduidade).
DIAS DE AULA
01-10-2013 – Aula na terça-feira, pois dia 03-10 (quinta-feira) é feriado em Natal e não haveria aula.
02-10-2013 – Primeira semana*
09-10-2013 – Segunda semana
10-10-2013 – Segunda semana
16-10-2013 – Terceira semana
17-10-2013 – Terceira semana
23-10-2013 – Quarta semana
24-10-2013 – Quarta semana
CRONOGRAMA

*Para acompanhar os assuntos de cada aula ver os planos abaixo.

PLANOS DE AULAS

ESCOLA ESTADUAL CASTRO ALVES


DISCIPLINA: Língua Portuguesa PROFESSOR(A) TUTOR(A): Elisabeth
SÉRIE/ANO: 9º ano TURNO: manhã Nº DE ALUNOS: 33
UNIDADE DIDÁTICA: Inventos e inventores
TÓPICO DE AULA: linguagem verbal e não verbal.
Nº DE AULAS PREVISTO: 4 aulas (02/10: 9h50-11h30; 03/10 7h-8h40)
ESTAGIÁRIOS:CharllesTargino,Thayse Santos eVerônica Campos
PLANO DE AULA – PRIMEIRA SEMANA “A invenção nas culturas e na literatura”

QUARTA (02/10) e QUINTA (03/10)


OBJETIVOS CONTEÚDOS DESENVOLVIMENTO PROCEDIMENTOS
ESPECÍFICOS METODOLÓGICO DE AVALIAÇÃO
Etapas da Aula e Tempo Materiais Instrumentos Critérios
sequência de atividades didáticos
Compreender a A tradição oral e 1ª – Ler conjuntamente 1ª – Quadro Mito eDisposição
inventividade cultura dois mitos da tradição 50min ; piloto; imagens da turma
inerente dos Gênero Mitos oral indígena, 2ª – folhas; impressos para
povos indígenas mostrando variantes dos 50min caneta. em folha; participar
formadores da Lenda de Ícaro mitos em cada povo da
cultura brasileira (LD) indígena; 3ª-1h (Diálogo atividade.
e sua informal);
importância para 2ª –Interação com a 4ª- sala de
nós; turma por meio de um 40m aula.
bate-papo explicativo;
Compreender
como se faz a 3ª- Escritura grupal de
tradição oral e a ‘possíveis mitos’;
própria
oralidade; 4ª – Troca dos textos
para leitura dos textos e
Assimilar a bate-papo com a turma;
importância do
gênero mito;
Proporcionar a
interação entre
os alunos-
professora-
estagiários.

PRIMEIRA SEMANA- invenção das culturas e literatura

Aula da quarta- Inventos e inventores- Tradição oral os Mitos indígenas – como cada povo “inventava”
para explicar algo que já existia
Mostrar a diferença do mito para cada povo indígena.
Diferença de mito e lenda relacionando a lenda de Ícaro (são gêneros da tradição oral).

Atividade:

Como você contaria que o sol surgiu? A sua história poderia ter repercussão rápida? Por que não? Assim
também é a mudança linguística ela não se dá de forma repentina, ela precisa ser aceita e repassada de
geração a geração etc.

Invento. Porque eles “não iriam ‘colar’ em nossa civilização atual?Por causa do desenvolvimento da ciência.
(Responder ao questionamento somente depois que fizerem, dando a expectativa que a história poderia se
perpertuar)

- Leitura dos textos (trabalho com os textos) explicar que eles podem ser melhorados.

Os textos serão também uma avaliação.

Referências:

BELTRÃO, E. L. S.; GORDILHO, T. C. S. Diálogo: língua portuguesa, 6º ano. Ed. Renovada – São Paulo:
FTD, 2009.

Gramática contextualizada. Disponível em http://gramaticaprodutiva.blogspot.com.br/2011/11/v-


behaviorurldefaultvml-o_25.html

ESCOLA ESTADUAL CASTRO ALVES


DISCIPLINA: Língua Portuguesa PROFESSOR(A) TUTOR(A): Elisabeth
SÉRIE/ANO: 9º ano TURNO: manhã Nº DE ALUNOS: 33
UNIDADE DIDÁTICA: Inventos e inventores
TÓPICO DE AULA: linguagem verbal e não verbal.
Nº DE AULAS PREVISTO: 4 aulas (09/10: 9h50-11h30; 10/10 7h-8h40)
ESTAGIÁRIOS: CharllesTargino,Thayse Santos eVerônica Campos
PLANO DE AULA – SEGUNDA SEMANA “As invenções da ciência”

QUARTA E QUINTA (09/10 e 10/10)


OBJETIVOS CONTEÚDOS DESENVOLVIMENTO PROCEDIMENTOS
ESPECÍFICOS METODOLÓGICO DE AVALIAÇÃO
Etapas da Aula e Tempo Materiais Instrumentos Critérios
sequência de didáticos
atividades
Invenções 1ª – Trabalho com 1ª – Datasho Imagens Interativ
Relacionar científicas imagens em 40 w; das idade
inventividade Datashow dos min Computa invenções com a
popular (deles Gênero exposição inventos de vários 2ª – dores; de turma;
mesmos) com a oral (como fazer) períodos históricos; 1h Leonardo
inventividade 2ª Exploração do 3ª – da Vinci
científica; material didático em 1h em
conjunto e leitura 4ª- 40 Datashow.
Mostrar a interativa do texto “ min
importância das Qual a invenção
invenções humanas mais equivocada do
para a melhoria de século XX?” e
vida, mas que atividade do livro.
também muitas 3ª – As duplas vão
não são pesquisar no
aproveitadas por laboratório cada um
questões políticas; dos inventos.
4ª – exibição oral do
Mostrar que os invento pelas duplas.
próprios
“inventos” também
evoluem;

SEGUNDA SEMANA – invenção da ciência

Aula da quarta- Nós também inventamos (como vimos)? A ciência se desenvolveu e nos permitiu muitas
coisas... Pedir para que eles citem as invenções que temos. Trabalho com imagens. Falar de Leonardo da
Vinci (como tem no livro didático) – Questões de interpretação do livro didático (algumas 158 e 159).
Até os inventos mais interesses se tornam ultrapassados.

Aula da quinta- pesquisa no laboratório de invenções os alunos vão tentar explicar cada invenção trazendo a
imagem.

Criação de um produto (invento) – Como foi feito?


Fariam o anúncio e apresentariam as etapas de produção!

ESCOLA ESTADUAL CASTRO ALVES


DISCIPLINA: Língua Portuguesa PROFESSOR(A) TUTOR(A): Elisabeth
SÉRIE/ANO: 9º ano TURNO: manhã Nº DE ALUNOS: 33
UNIDADE DIDÁTICA: Inventos e inventores
TÓPICO DE AULA: linguagem verbal e não verbal.
Nº DE AULAS PREVISTO: 4 aulas (16/10: 9h50-11h30; 17/10 7h-8h40)
ESTAGIÁRIOS: CharllesTargino,Thayse Santos eVerônica Campos
PLANO DE AULA – TERCEIRA SEMANA

Quarta (16/10) e Quinta (17/10) “A invenção da escrita e novos gêneros textuais”


OBJETIVOS CONTEÚDOS DESENVOLVIMENTO PROCEDIMENT
ESPECÍFICOS METODOLÓGICO OS DE
AVALIAÇÃO
Etapas da Aula e Tempo Materiais Instrume Critérios
sequência de didáticos ntos
atividades
Perceberem como 1ª – Distribuição de 1ª – Quadro; folhaimp Boa
a tradição oral gêneros textuais mais 50 piloto; ressas de vontade
‘ficou’ depois da diversos para que os min textuais; vários da
invenção da alunos tentem 2ª – LD; gêneros turma;
escrita. identificar quais são e 50 textuais;
quais suas funções; min
Mostrar como os 3ª –
gêneros textuais 2ª Discussão grupal 30
mudam de acordo sobre a perda da min
com a nossa função de alguns
necessidade gêneros textuais e o 4ª –
humana. porquê disso; 1h10

3ª –O grupo o qual
ficou com o Gênero
quadrinho- Franjinha
e Professor Pardal “os
inventores”.

4ª- Exploração do
material didático e
Leitura interativa do
texto “Do Olivetti ao
Torpedo” e atividade
do livro.

TERCEIRA SEMANA – Invenção das escrita e de novos gêneros

Aula da quarta-feira- Invenção da escrita – como deve ter ficado a tradição oral com a invenção da escrita?
Oralidade e escrita texto que não dá para lê – imagens de textos antigos e de gêneros antigos. –os gêneros
textuais mudam de acordo com a nossa necessidade – partir do livro didático p.169

Aula da quinta- Gênero textual Quadrinhos - Maurício de Souza Franjinha.Exibição de uma


históriaTratamento com os Gibis- análise do personagem. O quadrinho surgiu por quais necessidades? Ele
deve ter derivado de outro texto? Você pode ser um criador?

Atividade: pesquisar de onde veio os quadrinhos e de onde surgiu o personagem franjinha

ESCOLA ESTADUAL CASTRO ALVES


DISCIPLINA: Língua Portuguesa PROFESSOR(A) TUTOR(A): Elisabeth
SÉRIE/ANO: 9º ano TURNO: manhã Nº DE ALUNOS: 33
UNIDADE DIDÁTICA: Inventos e inventores
TÓPICO DE AULA: linguagem verbal e não verbal.
Nº DE AULAS PREVISTO: 4 aulas (16/10: 9h50-11h30; 17/10 7h-8h40)
ESTAGIÁRIOS: CharllesTargino,Thayse Santos eVerônica Campos
PLANO DE AULA – TERCEIRA SEMANA

QUARTA E QUINTA (25/10 e 26/10)


OBJETIVOS CONTEÚDOS DESENVOLVIMENTO PROCEDIMENTO
ESPECÍFICOS METODOLÓGICO S DE AVALIAÇÃO
Etapas da Aula e Tempo Materiais Instrumentos Critérios
sequência de didáticos
atividades
Concordância 1ª Exibir exemplos 1ª – Quadro Folhas Interativ
Mostrar que o ser nominal do cotidiano de 40 branco e impressas idade
humano “inventa” concordância min piloto; com com a
e modifica sua nominal e indagar as 2ª – LD; exemplos turma;
própria língua; alunos quais eles 20 do
mais acreditam usar min cotidiano;
A língua é mutável e ouvir; 3ª – PesquisaS
assim como a 40 cherre
ciência; 2ª Mostrar dados da min eNaro;
pesquisa de Scherre 4ª-
e Naro (1998); min

3ª Explicar a
importância do saber
do LD e do saber
próprio sobre
concordância
nominal;

QUARTA SEMANA -Invenção linguística

Aula da quarta-feira - Concordância nominal – Como podemos “inventar” também na concordância


nominaletc– Casos de concordância do livro didático.
Pesquisa de Naro “A concordância no PB falado” o qual trás dados de pesquisa (mostrar esses dados aos
alunos de maneira a adequar a eles) e mostrar exemplos de concordância da fala.

Aula da quinta-feira
Mostrar as regras postas no LD e mostrar que elas ainda são dadas porque em concursos

Pesquisa na biblioteca

Invenção da escrita – texto que não dá para lê – imagens

Surgimento de vários gêneros textuais com a escrita


Internet
Mudanças desses gêneros

A língua é uma invenção?? Mudança linguística que acarreta na mudança dos próprios gêneros

Concordância nominal

REFERÊNCIAS

BELTRAN, Eliana Lúcia Santos & GORDILHO, Tereza. Diálogo: língua portuguesa, 7º ano. São Paulo: