Você está na página 1de 1

Nature VS Nurture (Natureza VS Criação), 

de maneira que natureza corresponde à influência


genética e criação  à influência ambiental em relação ao desenvolvimento humano (tanto em
aspectos fisiológicos como comportamentais) foi um debate antigo que se arrastou por séculos de
maneira dicotômica, pois de um lado haviam os que defendiam que a influência genética exerceria
maior impacto no desenvolvimento, porquanto que do outro lado haviam os que defendiam a
influência ambiental como fator que exercia maior impacto sobre o desenvolvimento. Somente por
volta do século XX com um estudo publicado por Fuller e Thompson em 1960 é que começa a ser
considerada a substituição do "VS" por "&", assumindo-se que tanto a genética quanto o ambiente,
de maneira complementar, possuem impacto no desenvolvimento humano. (PLOMIN; ASBURY,
2005).

Então, em se tratando de fatores que contribuem para a expressão das características humanas,
podemos considerar tanto a influência da herança genética quanto dos estímulos provenientes de
um ambiente [ poderá ser compartilhado ou não-compartilhado] e as implicações que a interação
desses fatores em determinadas circunstâncias gerará em cada indivíduo, seja à nível filogenético
(em relação às características da espécie) ou ontogenético (características do próprio indivíduo).
Dessa forma, a interação dos dois fatores pode influir na fisiologia, por exemplo, má nutrição [fator
ambiental] pode levar uma criança não desenvolver a estatura que poderia ter alcançado
[herdabilidade - traço que varia]. Bem como a interação entre ambiente e herança genética pode
influir no comportamento, por exemplo, percebemos isso nos reflexos primitivos que um bebê
apresenta.
À nível molecular e ponderando sobre a citação de Nunes (2011), foi possível compreender que não
só os genes e a síntese proteica devem ser considerados quando pensamos sobre comparar
complexidade biológica entre organismos, regiões do DNA não-codificadoras foram consideradas
por muito tempo como "lixo genético", porém após o Projeto Genoma constatou-se que tanto os
genes quanto os diversos tipos de RNA são elementos que possuem funções relevantes no
genoma. 
Abraços.

Referência
NUNES, F. M. F. Genes, Genomas, RNAs não-codificadores e a complexidade biológica. Genética
na escola. V 6 n1 , 2011, p. 80-83.
PLOMIN, R; ASBURY, K. Nature and nurture: Genetic and environmental influences on
behavior. The Annals of the American Academy of Political & Social Science, vol 600, 2005, pp.
86-98.

Você também pode gostar