Você está na página 1de 12

1º Lista de exercícios – Saneamento Básico – Concurso SANEAGO

Instituto Galeno – Prof. Guilherme Dall’Agnol

01. GUILHERME DALL’AGNOL, 2018 - Uma estação de tratamento de esgoto


sanitário situado no estado de Goiás deverá ser implantada visando o atendimento das
legislações ambientais vigentes. Para atendimento do decreto estadual 1.745/79 quanto
a um descarte de uma estação formada por duas lagoas de estabilização, uma anaeróbia
e outra facultativa, qual deverá ser a eficiência mínima da primeira lagoa, sabendo que
a facultativa possui eficiência de remoção de 50%?
A) 30%
B) 40%
C) 50%
D) 60%
02. UFG, DEMAE, 2017 - A Resolução n. 430/2011 do Conama dispõe sobre as
condições e os padrões de lançamento de efluentes, complementando e alterando a
Resolução n. 357/2005. De acordo com a Resolução n. 430/2011:
(A) o efluente só poderá ser lançado no corpo receptor com DBO de no máximo 60
mg/l, e esse limite só pode ser ultrapassado se a remoção da DBO for em no mínimo
80%.
(B) o regime de lançamento de efluentes contínuo de 24 horas por dia poderá ter
variação máxima de vazão de 50% da vazão horária média.
C) os efluentes de qualquer fonte poluidora poderão ser lançados no sistema público de
tratamento de esgotos se possuírem pH entre 5 e 9, dentre outras condições.
(D) a capacidade de suporte de um corpo receptor corresponde ao valor máximo de
determinado poluente que o corpo hídrico pode receber.
03. UFG, DEMAE, 2017 - O sistema de tratamento dos esgotos é usualmente
classificado em níveis de tratamento preliminar, primário, secundário e terciário. Desta
forma, as unidades de tratamento primário objetivam a remoção de:
(A) sólidos sedimentáveis.
(B) organismos patogênicos.
(C) nutrientes.
(D) metais pesados.
04. UFG, DEMAE, 2017 - Um Engenheiro foi consultado sobre a viabilidade técnica
de lançamento de efluente industrial na estação de tratamento de esgoto doméstico
(ETE) provida apenas de tratamento biológico, com eficiência de remoção de DBO de
60%. Ao se realizar a caracterização físico-química do efluente industrial bruto a ser
lançado, os resultados apresentados foram: DBO padrão igual a 2.500 mg/L e DQO igual
a 11.968 mg/L. Diante dos resultados, o Engenheiro conclui que o efluente:
(A) poderá ser lançado na ETE, pois apresenta características com indicação para
tratamento biológico.
(B) não poderá ser lançado na ETE, pois apresenta características que indicam a
necessidade de tratamento físico-químico.
(C) não poderá ser lançado na ETE, pois apresenta a fração biodegradável elevada.
(D) poderá ser lançado na ETE, sem promover interferência na eficiência do sistema
biológico
05. GUILHERME DALL’AGNOL, 2018 - Segundo o Art. 16 da Resolução Conama n.
430/2011, é condição de padrão de lançamento de efluente:

(A) 120 mg/L de DBO padrão máxima.


(B) 80 mg/L de DBO padrão máxima.
(C) 60% de eficiência máxima de remoção da DBO padrão.
(D) 80% de eficiência mínima de remoção da DBO padrão.
06. GUILHERME DALL’AGNOL, 2018 - São caracterizadas como unidades de
tratamento de esgoto do tipo preliminar:
A) Grade, caixa de areia e decantador
B) Flotador, peneira rotativa e estática
C) Grade, filtro prensa e centrífuga
D) Caixa de areia, peneira rotativa e peneira estática

07. GUILHERME DALL’AGNOL, 2018 - É finalidade do tratamento primário de


esgotos sanitários:
A) Remoção de sólidos sedimentáveis
B) Abatimento da carga orgânica
C) Remoção de nitrogênio
D) Remoção dos sólidos grosseiros

08. GUILHERME DALL’AGNOL, 2018 - De acordo com a ABNT 9800 – Critérios para
lançamento de efluentes líquidos industriais no sistema coletor público de esgoto
sanitário, marque a alternativa verdadeira que dispõem sobre o assunto:
(A) Toda indústria poderá descartar seu efluente na rede da companhia de
saneamento visto que a mesma é titular de todo o serviço de saneamento no município
(B) Toda a indústria deverá ter consigo uma estação de tratamento de efluentes e
para o descarte na rede da companhia deverá ter eficiência de remoção de DBO de 80%,
conforme lei estadual 1.745
(C) Devem ser obedecidos parâmetros de descarte estabelecidos pela companhia de
saneamento devendo os mesmos, tratados ou não, ser similares ao esgoto doméstico
(D) Em casos de altas concentrações é possível diluir o efluente afim de diminuir sua
concentração de forma a reduzir a carga poluída para descarte na rede da companhia.
09. GUILHERME DALL’AGNOL, 2018 - Quanto a implantação de uma estação de
tratamento de efluentes deverá ser obedecidos diversos critérios que devem ser
apresentados em um estudo de concepção, a respeito desta temática, assinale o que for
verdadeiro:
(A) Deve ser considerado as populações finais e inicias de plano, como padrão
horizonte de projetos de 20 anos, desconsiderando as populações flutuantes visto que
as mesmas não irão impactar durante toda a operação da estação
(B) O Estudo de concepção deve levar em consideração apenas os parâmetros
técnicos de engenharia, cabendo em um outro estudo de viabilidade analisar as
condições econômicas de implantação, operação e manutenção da estação
(C) Diversos parâmetros devem ser observados na concepção de uma ETE, entre
eles: comunicação local, acesso de estradas, mão de obra disponível, disponibilidade de
energia elétrica e sistemas já existentes.
(D) Pode ser avaliado a hipótese de instalação de um sistema de coleta combinado,
desde que respeitado parâmetros técnicos e econômicos para isto.
10. TEMAS DE ENGENHARIA CIVIL, 4º EDIÇÃO - Analisadas as assertivas seguintes,
acerca do tratamento de água, devemos concluir que somente estão corretas:
I – A desinfecção da água objetiva reduzir a incidência de cáries dentárias na população
II – A floculação é normalmente promovida pela adição de fluoreto na água
III – A coagulação corresponde ao processo de mistura lenta
IV – O sulfato de alumínio é empregado no processo de desinfecção
V – Atráves da filtragem são removidos os micro-organismos patogênicos
(A) TODAS
(B) II, IV e V
(C) I, II e V
(D) I, III e IV
(E) NENHUMA
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS QUESTÕES Os reservatórios são unidades importantes
dentro de um sistema de abastecimento de água, visto que são capazes de regularizar a
vazão de tratamento e a pressão do sistema, conferindo maior segurança ao sistema. A
tabela abaixo se refere a medição de vazão de saída de uma estação durante 24h
sucessivas.

11. ABASTECIMENTO DE ÁGUA, TSUTIYA - Qual o volume útil expresso em m³


necessário a este reservatório?

12. GUILHERME DALL’AGNOL, 2018- Neste dia também foi observado o maior
consumo horário, assim sendo calcule o coeficiente da hora de maior consumo.

13. GUILHERME DALL’AGNOL, 2018 - Uma cidade terá um sistema de


abastecimento conforme esquematizado na Figura. Sua população futura, para fins de
projeto, foi estimada em 45.000 habitantes. Uma indústria localizada entre o
reservatório e a cidade terá um consumo diário regularizado de 2.200 m3. Determine:

(A) Quanto de água deve ser captado do manancial para atender o sistema de
abastecimento de uma cidade e as vazões para o dimensionamento, expressas em L/s,
dos diferentes trechos de canalização, admitindo os seguintes dados:
- consumo médio per capita 200L/dia.hab.
- coeficiente de variação diária k1 = 1,25,
- coeficiente de variação horária k2 = 1,50,
- água necessária para a lavagem dos filtros da ETA 2% do volume tratado,
- água necessária para descarga dos decantadores da ETA 2% do volume tratado.

(B) Se a estação de tratamento tiver que funcionar somente 16 horas por dia, quais as
alterações nas vazões de dimensionamento?
14. GUILHERME DALL’AGNOL, 2018 - No ano de 2016 foi aduzido para a cidade de
Anápolis 33.752.520 m3 de água para atender a uma população de 292.000 pessoas
(sede + distritos). O consumo máximo diário observado foi igual a 108.820 m3 e ocorreu
no dia 21 de março. Calcular:
(A) A Vazão média, em l/s, aduzida para a cidade;
(B) O consumo médio per capita no ano, em l/hab.dia;
(C) O coeficiente do dia de maior consumo

15. TEMAS DE ENGENHARIA CIVIL, 4º EDIÇÃO - Um rio de vazão natural 10 m³/s


recebe 500 L/s de esgoto tratado. A montante do ponto de lançamento, a DBO 5 do rio
é 6 mg/L. Sendo 10 mg/L a máxima concentração de DBO 5 permitida para esse rio e
300 mg/L a DBO 5 do esgoto bruto, a estação de tratamento deve operar com eficiência
mínima de:
(A) 70%
(B) 60%
(C) 50%
(D) 40%
(E) 30%

16. TEMAS DE ENGENHARIA CIVIL, 4º EDIÇÃO - Analisadas as assertivas seguintes,


acerca de autodepuração de um corpo de água, devemos concluir que somente estão
corretas:
I – a autodepuração realiza-se por meio de processo essencialmente físico;
II – o processo de autodepuração compreende uma etapa de decomposição e uma etapa
de reaeração;
III – a DBO corresponde ao oxigênio necessário para que ocorra a decomposição da
matéria orgânica pelas bactérias anaeróbias;
IV – a concentração de oxigênio dissolvido no curso d’água contribui para o processo de
autodepuração;
V – os compostos inorgânicos não são afetados pelo mecanismo da autodepuração.

(A) todas
(B) II, IV e V
(C) I, II e V
(D) I, III, IV
(E) nenhuma
17. TEMAS DE ENGENHARIA CIVIL, 4º EDIÇÃO - Analisadas as assertivas seguintes,
acerca da eutrofização, devemos concluir que somente estão corretas:
I – somente é possível a ocorrência de eutrofização em lagos rasos;
II – a eutrofização constitui um processo natural dentro da sucessão ecológica dos
ecossistemas;
III – lagos eutróficos apresentam elevada concentração de nutrientes;
IV – a eutrofização acelerada é benéfica para a diversidade da vida aquática;
V – a incidência solar favorece a eutrofização.
(A) I, II, IV
(B) III e V
(C) II, III e V
(D) I e IV
(E) todos

18. TEMAS DE ENGENHARIA CIVIL, 4º EDIÇÃO - Analisadas as dissertativas


seguintes, acerca dos sistemas coletivos de tratamento de esgoto, devemos concluir que
somente estão corretas:
I – a remoção de micro-organismos patogênicos está vinculada a processos do
tratamento preliminar;
II – o tratamento primário inclui a remoção integral da matéria orgânica
III – no processo de lodo ativado, este funciona como coagulante;
IV – as lagoas de estabilização são mais indicadas para regiões de clima tropical;
V – as lagoas de maturação são, predominantemente, anaeróbias.
(A) todas
(B) nenhuma
(C) I, III e V
(D) II, IV e V
(E) III e IV
19. TEMAS DE ENGENHARIA CIVIL, 4º EDIÇÃO - Analisadas as assertivas seguintes,
acerca dos processos de tratamento de esgoto, devemos concluir que somente estão
corretas:
I – a DQO é sempre menor do que a DBO;
II – elevada relação DQO/DBO indica a presença significativa de compostos orgânicos
biodegradáveis;
III – baixa relação DQO/DBO constitui indicativo de que a fração inerte da matéria
orgânica é elevada;
IV – o tratamento biológico é mais indicado quando a relação DQO/DBO é alta;
V – processos físico-químicos são os mais adequados para o tratamento da fração
biodegradável da matéria orgânica presente no esgoto.

(A) todas
(B) nenhuma
(C) III e IV
(D) I, III e V
(E) II, IV e V
20. TEMAS DE ENGENHARIA CIVIL, 4º EDIÇÃO - Um sistema de abastecimento está
sendo projetado para uma população futura estimada em 50 mil habitantes. As vazões
de projeto nos trechos B e C indicados no esquema seguinte são, respectivamente, em
L/s:

Dados: Consumo médio per capita anual: 200 L/dia

Coeficiente de variação diária (maior consumo): k1 = 1,2

Coeficiente de variação horária (maior consumo): k2 = 1,5

(A) 139 e 208


(B) 120 e 180
(C) 106 e 144
(D) 178 e 210
(E) 96 e 164

21. TEMAS DE ENGENHARIA CIVIL, 4º EDIÇÃO - Considere a rede coletora de esgoto


esquematizada na figura seguinte, onde estão indicados os trechos, com as respectivas
extensões, e a localização dos poços de visita (PV). Estão ainda previstas duas áreas de
expansão, indicadas na figura pelas letras A e B, com áreas de 5,0 há e 4,0 há,
respectivamente.

Os dados do projeto são os seguintes:

- coeficiente per capita de água: 150 L/ (hab. Dia)


- coeficiente de retorno: 0,80
- k1: 1,20
- k2: 1,50
- taxa de infiltração (T): 1,0 mL/(s.m)
- densidade populacional: 200hab/ha
- densidade de arruamento: 150m/ha

Analisadas as assertivas seguintes, devemos concluir que somente estão corretas:

I – na situação atual, as contribuições de esgoto devido ás ligações prediais


correspondem a mais de 2,0L/s;
II – as contribuições devido ás infiltrações, no total das áreas de expansão,
correspondem a 1,35L/s;
III – a população total atendida pela rede existente é estimada em 900 habitantes;
IV – o comprimento total da rede, considerando o cenário futuro, com as expansões
previstas, pode ser estimado em mais de 2 km;
V – a vazão futura de esgoto pode ser estimada em mais de 8,0 L/s.

(A) todas
(B) nenhuma
(C) I, III e V
(D) II, IV e V
(E) III e IV

22. UFRJ, INCRA, 2005 - A seqüência de operações da etapa de clarificação em um processo


convencional de tratamento físico-químico da água consiste em:
(A) coagulação, floculação, decantação, filtração e desinfeção;
(B) floculação, decantação, filtração, fluoretação;
(C) floculação, coagulação, decantação e filtração;
(D) coagulação, floculação, decantação, filtração, correção de pH, fluoretação, desinfeção;
(E) coagulação, floculação, decantação e filtração

23. FGV, TJ/RO, 2015 - A NBR 9648:1996 trata do estudo de concepção de sistemas de
esgoto sanitário. Nesses estudos é preciso determinar a população a ser esgotada no ano do
alcance do projeto. Alguns tipos de população devem ser contabilizados no projeto.
Aquela que, proveniente de outras comunidades, transfere-se ocasionalmente para a área
considerada, impondo ao sistema de esgoto uma contribuição individual análoga à da população
residente, é chamada de população:
(A) residente;
(B) atendível;
(C) temporária;
(D) final;
(E) flutuante.
24. UEG, SANEAGO, 2002 - Os processos de tratamento de água em estações destinadas a
esse fim dependem fundamentalmente da qualidade da água do manancial, e podem incluir,
entre outras fases, a filtração como etapa necessária.
Com relação à tecnologia de tratamento de água destinada ao consumo humano, marque a
alternativa que representa uma seqüência adequada das etapas do processo de tratamento:

(A) Pré-tratamento, filtração lenta, decantação, fluoretação e correção de pH.


(B) Pré-tratamento, coagulação, filtração lenta ascendente, tanque de contato, decantação,
desinfecção e correção de pH.
(C) Coagulação, pré-floculação, filtração biológica, desinfecção e correção de pH.
(D) Pré-tratamento, coagulação, floculação, decantação, filtração descendente, desinfecção,
fluoretação e correção de pH.

25. UEG, SANEAGO, 2002 - São características químicas dos esgotos domésticos, EXCETO:

(A) DBO5
(B) DQO
(C) ph
(D) turbidez

26. UEG, SANEAGO, 2002 - A filtração, numa estação de tratamento clássica, remove da água
em tratamento as partículas em suspensão que não foram retidas na decantação. Juntamente
com essas partículas, a filtração remove também os microrganismos que a ela estiverem
associados. Do ponto de vista da análise hidráulica do comportamento básico dos filtros, a
filtração pode ser efetuada segundo várias concepções: filtração de fluxo descendente ou
ascendente, de baixa taxa de filtração ou de alta taxa de filtração, entre outras.
Deseja-se tratar a vazão de 360 m3 /hora através da filtração em unidades de fluxo ascendente.
Sabendo-se que a idéia é construir quatro filtros em paralelo e que a taxa média máxima
recomendada pela norma brasileira para esse tipo de filtro é de 120 metros cúbicos por metro
quadrado por dia, a área em metro quadrado de cada filtro deverá ser de:
(A) 3
(B) 9
(C) 18
(D) 24

27. UEG, SANEAGO, 2002 - Com relação ao dimensionamento hidráulico das redes coletoras de
esgoto, e de acordo com a ABNT, é INCORRETO afirmar:
(A) Para todos os trechos da rede devem ser estimadas as vazões inicial e final, e, na falta de
dados pesquisados e comprovados, com validade estatística, recomenda-se como o menor valor
de vazão 1,5 l/segundo em qualquer trecho.
(B) Os diâmetros a empregar devem ser os previstos nas normas e especificações brasileiras
relativas aos diversos materiais, o menor não sendo inferior a DN 100 milímetros.
(C) A máxima declividade admissível é aquela para a qual se tenha uma velocidade final de 5,0
m/segundo.
(D) As lâminas do fluido (esgoto) devem ser sempre calculadas admitindo o escoamento em
regime uniforme e permanente, sendo o seu valor máximo, para vazão final, igual ou inferior a
90% do diâmetro do coletor.
28. UEG, SANEAGO, 2002 - A norma técnica da ABNT, NBR 7229, trata de projeto, construção e
operação de sistemas de tanque séptico. A referida norma fixa as condições exigíveis para
projeto, construção e operação de sistemas de tanques sépticos, incluindo tratamento e
disposição de efluentes e lodo sedimentado. Tem por objetivo preservar a saúde pública e
ambiental, a higiene, o conforto e a segurança dos habitantes de áreas servidas por esses
sistemas. Registros de caráter histórico apontam como inventor Jean-Louis Mouras, que, em
1860, construiu, na França, um tanque de alvenaria, onde passavam esgotos, restos de comida
e águas pluviais, antes de irem para o sumidouro. Aberto 12 anos mais tarde, o tanque não
apresentava acumulada a quantidade de sólidos que foi previamente estimada em função da
redução apresentada no efluente líquido do tanque. Esses tanques são também denominados
fossa séptica e geralmente são acompanhados por sistemas eficientes e econômicos de
disposição do efluente líquido.

Com relação aos tanques sépticos, é INCORRETO afirmar:


(A) Sistema de tanque séptico é o conjunto de unidades destinadas ao tratamento e à disposição
de esgotos, mediante utilização de tanque séptico e unidades complementares de tratamento
e/ou disposição final de efluentes e lodo.
(B) Poço absorvente ou sumidouro é o poço seco escavado no chão e impermeabilizado, que
orienta a infiltração de água residuária no solo.
(C) Tanque séptico ou fossa séptica é a unidade cilíndrica ou prismática retangular de fluxo
horizontal, para tratamento de esgotos por processos de sedimentação, flotação e digestão.
(D) No processo de sedimentação, por gravidade, os sólidos em suspensão se separam do líquido
que os continha.

29. UEG, SANEAGO, 2002 - Considerando que o volume total de reservação para uma cidade
deve ser equivalente a 1/3 da produção diária necessária de água, que o coeficiente do dia de
maior consumo é de 1,2 e que o consumo per capita é de 200 l/hab.dia, pode-se dizer que o
volume, em m3, a ser adotado para reservação de uma cidade com uma população a ser
abastecida de 1.000.000 de habitantes será de:
a) 70.000
b) 80.000
c) 90.000
d) 100.000

30. UEG, SANEAGO, 2008 Em uma determinada cidade foi planejado um sistema de
abastecimento de água, conforme a figura abaixo, para
atender a uma população de 350.000 habitantes e um distrito agroindustrial. Determine as
vazões de
dimensionamento dos trechos I, II, III, IV e V, tendo como base os seguintes dados:
– população a ser atendida: 350.000 habitantes (hab)
– consumo médio per capita: 250 L/hab/dia
– coeficiente do dia de maior consumo: K1 = 1,2
– coeficiente da hora de maior consumo: K1 = 1,5
– percentual de água para lavagem de filtros e decantadores: 5%
– vazão de combate a incêndio na rede de distribuição Q = 10L/s
– vazão de combate a incêndio no distrito agroindustrial Q = 20L/s
O distrito agroindustrial será abastecido por meio da subadutora IV e terá um consumo futuro
de acordo com as
indústrias A, B, C, e D, cujas vazões de consumo diário serão de acordo com o quadro abaixo:

31. GUILHERME DALL’AGNOL, 2018 - Um setor apresenta, num período de 30 dias um


volume macromedido 220.150 m3. O número de economias é igual ao de ligações, ou seja, 6.000
ligações. Determine o consumo per capita macromedido para essa situação onde existem 3,5
habitantes por economia.

GABARITO

01. D
02. B
03. A
04. B
05. A
06. D
07. A
08. C
09. C
10. E
11. 3798m³
12. 2,21
13. A. Captação/Tratamento – 156,48 L/s
Tratamento/Reservatório – 150,46 L/s
Reservatório/Rede – 212,96 L/s
B. Captação/Tratamento – 234,72 L/s
Tratamento/Reservatório – 225,69 L/s
Reservatório/Rede – 212,96 L/s
14. A. 1070,3 L/s
B. 316,7 L/(hab*dia)
C. 1,17
15. A
16. B
17. D
18. E
19. B
20. A
21. A
22. E
23. E
24. D
25. D
26. D
27. D
28. B
29. B
30. I – 1.367,1L/s
II – 1.302 L/s
III – 1.909 L/s
IV – 76,71 L/s
V – 1.832,3 L/s
31. 341,4 L/habdia