Faculdade Anísio Teixeira Ravena Lima

Ação Moral e o Filme Obrigado por Fumar – Relações intrínsecas

Feira de Santana, 17 de Setembro de 2010.

Publicidade e Propaganda da Faculdade Anísio Teixeira. .Faculdade Anísio Teixeira Ravena Lima Ação Moral e o Filme Obrigado por Fumar – Relações intrínsecas Trabalho avaliativo apresentado ao mestre Danilo Weber que ministra a disciplina Ética e Legislação Publicitária do curso de Comunicação Social – hab. 17 de Setembro de 2010. Feira de Santana.

o ‘pagar a hipoteca’. Ela consiste em tentar influenciar políticas de governo em favor das empresas. porém eficientes. um péssimo exemplo de moral e ética. governando a si mesmo e ter a consciência disto. É assim que age o personagem fílmico Nick Naylor (Aaron Eckhart) em ‘Obrigado por Fumar’. uma habilidade de tomar suas próprias decisões. o filme trata de forma cínica e bem humorada uma sátira às atitudes desesperadas do senado norte-americano para prejudicar os negócios bilionários das indústrias de tabaco e o papel que cada um de nós compõe na sociedade capital para integrar nossos próprios interesses e condenar os dos outros como se fosse amoral tais atitudes alheias e não as nossas já que temos sempre um discurso pronto para justificar tais ações. suas obrigações específicas de ser o porta voz de um empresa de cigarros que propõe o capitalismo de forma saudável remete apenas a interesse pessoal dele. driblando os alarmantes números de mortes provocados por tabaco com discursos vazios. Naylor representa a síntese de um mundo de aparências. mas proibida em diversas partes do mundo (como no Brasil).Ação Moral e o Filme Obrigado por Fumar – Relações intrínsecas Apresentação O objetivo deste trabalho é demonstrar de forma descritiva as ações morais ou amorais relacionadas ao filme de Jason Reitman. O que Capacita os Seres Humanos a Agir Moralmente Um requisito básico para agir moralmente é a autonomia. baseado em livro de Christopher Buckley – Obrigado por Fumar (Thank You for Smoking). agimos de uma forma em que ‘os fins . A atividade conhecida como lobby é legal nos Estados Unidos. recheado de fórmulas que servem apenas para esconder a frieza e a barbárie do capitalismo. Seu carisma é a chave para se dar tão bem. É dos dilemas éticos mais comentados na atualidade. Para atingir algum propósito ou satisfazer algum desejo.

ele se sente acuado quando lhe é questionado se permitiria que seu filho começasse a fumar.justificam os meios’ – Maquiavel. O filme deixa claro que passa a se comportar com uma postura de "moral flexível". porém sua atenção muda de foco e ele passa a se preocupar com o interesse que seu filho Joey (Cameron Bright) está construindo em relação ao seu trabalho como lobista. Todos nós somos conduzidos por um motivo trivial: o interesse próprio e suas prioridades. sua resposta é afirmativa. . onde a liberdade de mercado e a individualidade são valores supremos. Poderíamos nos perguntar se esta motivação a algo identifica a moralidade que acreditamos possuir e julgar a ação de outras pessoas. no atual contexto das relações econômicas. são negativos. uma espécie de assessor de imprensa. contudo num grau mais elevado e sofisticado. Os interesses pessoais muitas vezes entram em conflito com os interesses dos outros ou até dos interesses nossos que queremos para os outros como relata o filme em que Naylor repetidamente diz que trabalha apenas para pagar as contas. entretanto em a atuação de Aaron Eckhart demonstra que os pensamentos do personagem são outros. No entanto. alguém que tenta influenciar a opinião pública através de uma mensagem manipulada. até mesmo as ações de um assassino múltiplo podem ser consideradas legais e por isso no filme Nick continua em sua rotina de argumentações em vez de negociações.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful