Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE


DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA
EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA

Amanda Gonçalves Barbosa


Prof. Ronaldo Belchior

Resenha do Filme Coach Carter - Treino para a vida

Eu já havia assistido a esse filme antes, porém apesar disso, ainda assim acabamos
aprendendo novamente com ele. Apesar de ser um filme antigo onde as metodologias
utilizadas para treinos e aulas eram bem diferentes, o jeito que o treinador Carter escolheu
para lidar com os garotos do time é digno de nota. Garotos indisciplinados que não
respeitavam ninguém, então a primeira coisa que o treinador ensina para eles é o respeito.
Respeito com o próximo e respeito com aqueles que estão em uma posição de “autoridade”.
Depois ele os ensina a suar, e que para ganhar é preciso de esforço, para mudar é
preciso o primeiro passo. Aí já começa também a ensinar sobre cooperação, mostrando que
um time só funciona se for todos por um, se um erra, todos erram juntos. Mais a frente ele
tenta ensinar que se um acerta, todos precisam acertar juntos também, e só assim funciona
bem o time.
A preocupação do treinador com seus atletas mostra deve ser bem observada, é essa
atenção e cuidado que devemos ter com nossos alunos, o esporte não deve andar separado da
vida escolar e pessoal deles, muito pelo contrário através do esporte eles podem aprender a
ser pessoas melhores, cidadãos melhores, o esporte é uma ponte para uma vida mais completa
em sua plenitude, e é isso que as aulas de educação física devem objetivar. A formação do
sujeito como um todo, não apenas uma máquina de vencer no jogo, mas um ser humano de
corpo e mente interligados e aí entra a importância da corporeidade do respeito com seu
corpo e com o corpo do outro.
Além disso, a forma como o filme mostra a coletividade, o precisar do outro é muito
impactante, porque de nada adianta você está bem, se seu colega, parceiro e companheiro de
time não está indo bem também. Um time é um só corpo buscando o mesmo objetivo, então
se um falha todos falham. E como seria bom se esses princípios fossem o cerne das nossas
vidas, quanta empatia e quanto respeito e amor ao próximo não veríamos pelas ruas, diferente
de todo discurso de ódio que é o que de fato existe.
O filme é muito bom, e reassisti-lo trouxe de volta as reflexões sobre que tipo de
professora eu quero ser, que tipo de indivíduos eu quero ajudar a formar. Como eu posso
impactar e mudar para melhor as vidas dos meus alunos e como a minha influência pode se
manifestar no futuro deles? Todas essas coisas são importantes para a formação de um
professor, pois é isso que fazemos, formamos indivíduos, nossa influência impacta
diretamente na forma como eles veem o mundo, claro, não somos os únicos responsáveis pela
educação, mas precisamos fazer nossa parte, e fazer o que estiver ao nosso alcance para
mostrar o que é a cultura corporal, o que é o respeito ao outro, seja dentro da quadra, seja na
vida.

Você também pode gostar