Você está na página 1de 2

Exposição

Pedras da Liberdade
Ernesto Matos & Amigos
Fundação José Saramago
Lisboa, abril de 2021

A pavimentação em pedra foi na memória dos tempos elabo-


rada para criar multiplos caminhos pedonais ou rodoviários.
A pedra ao longo dos tempos tem ainda sido um dos ele-
mentos de revolta, de liberdade e de emoções. Recordemos
o célebre episódio da revolta de maio de 1968, em Paris,
que quando levantadas as pedras da calçada, dariam estas
origem à famosa expressão “Sous les pavés, la plage”.
A calçada artística à portuguesa, na sua expressão simulta-
neamente funcional e decorativa, não tem sido num modo
geral, suficientemente valorizada enquanto valor patrimonial.
Ernesto Matos, depois de duas décadas como investigador
dessa forma artística de pavimentação urbana, quis propor
um outro e arriscado desafio.
Foi esta uma das fórmulas, a de suscitar um novo olhar sobre
a calçada portuguesa e as suas íntimas pedras, estimulando a
criatividade dos participantes. Embebidos estes, ainda numa
exigência maior e a de cumprir um outro objetivo, o assinalar
a Revolução de 25 de Abril de 1974. Ação militar e popular
que viria a devolver a Liberdade e a Democracia ao povo
português através das ruas e dos seus também tradicionais
pavimentos.
A Revolução foi feita em cima da calçada, a calçada é portan-
to parte da Revolução, parte de nós!