Você está na página 1de 8

Aula 1 – Neurônios  Função: Recepção e transmissão

de impulso nervoso
Estrutura do Neurônio
 Corpo celular
 Dendrito
 Mitocôndria
 Núcleo
 Bainha de mielina
 Axônio
 Nodo de Ranvier
 Célula de Schwann
 Terminal do axônio

Impulso Nervoso
 Sempre ocorre na mesma direção
 Potencial de membrana

Células da Glia
 Astrócitos: sustentação mecânica
 Oligodendrócitos: bainha de mielina
 Células de Schwann: bainha de mielina
 Micróglia: fagocitose

Sistema Nervoso Central


 Encéfalo
 Medula
 Cérebro, Cerebelo

Sistema Nervoso Periférico


 Nervos
 Gânglios
 Terminações nervosas

Arco Reflexo
 Resposta automática

Aula 2 – Rede Neural


Lobos Cerebrais
 Lobo frontal: Pensamento, emoções, raciocínio, memória, planejamento
 Lobo parietal: Localização espacial, leitura, recepção sensorial
 Lobo occipital: Visão, equilíbrio
 Lobo temporal: Audição, memória, comportamento, compreensão
 Tronco encefálico: Funções básicas, temperatura corporal, ciclo sono
 Cerebelo: Equilíbrio, coordenação, tônus muscular

Plasticidade
Permite o cérebro aprender durante toda a vida

Sinapse: Espaço entre neurônios. Região de comunicação entre o axônio de um


neurônio e dendrito de outro.
QUÍMICA: Necessita de neurotransmissores
ELÉTRICA: Apenas entre neurônios

Corpo Caloso
Sua função é permitir a transferência de informações entre os hemisférios cerebrais,
possibilitando a interpretação de informações dos sentidos e informações mentais.

Área da Broca: Motricidade e articulação motora


Wernicke: Sentido, significado e compreensão

Aula 3 – Sensações
Sensação: detecção e experiência sensorial básica proveniente dos estímulos do meio. É
produzido pela ação de um estímulo. Os principais sistemas sensoriais são: tato, audição,
visão, vestibular, propriocepção e a gustação que é a junção do paladar com o olfato.

Transdução: transformação de energia do ambiente em impulso nervoso


Sensação e percepção: A sensação é a forma que recebemos um estímulo, a
percepção é a maneira que organizamos e interpretamos o estímulo.

Adaptação Sensorial: é a relação que o corpo humano tem de se acostumar a


estímulos.
Limiar sensorial: ponto no qual um estímulo é forte o suficiente para ser detectado e ativar
uma célula sensorial receptora.

• Energia eletromagnética → LUZ

• Energia mecânica → SOM, PRESSÃO

• Energia química → GOSTOS, CHEIROS


• Energia térmica → TEMPERATURA
Lei de Weber –Fechner → relação entre a intensidade física de uma estimulação e a
intensidade subjetiva da sensação em uma pessoa – vale para qualquer sistema sensorial

Aula 4 e 5– Visão
Fóvea: região central da retina onde são formadas as imagens que são transmitidas ao
cérebro e onde se aglomeram os cones. É uma região especializada que forma a imagem com
nitidez.

Cones: capacidade de reconhecer cores nos permitindo enxergar na presença de luz.


Bastonetes: capacidade de reconhecer a luminosidade e tornam possível enxergar em
locais mais escuros.
Cones e bastonetes transformam luz em impulso nervoso
Através dos axônios as informações visuais são transmitidas pela parte posterior do olho até
o nervo óptico cruzando o quiasma e lavando a informação ao cérebro.

Daltonismo
 Tricromatismo anômalo:
 Dicromatismo:
 Monocromatismo:
Sub-dimensões da visão (cor, movimento, profundidade e forma) são processadas
separada e simultaneamente ilustrando a capacidade cerebral para o
processamento paralelo.

Aula 6 – Sistemas sensoriais


Sistema somatossensorial (tato)
Dividido em 3 sentidos:
 Pressão
 Dor
 Temperatura
Receptores de temperatura:
Krause – frio
Ruffini – calor

Cinestesia ou Propriocepção
Localização e posição de partes do corpo em relação a outras.
Proprioceptores: neurônios localizados nos músculos, nas juntas e ouvido interno:
transmitem constantemente informações sobre mudanças na posição do corpo e tensão dos
músculos.

Olfação
Para sentir um cheiro, é preciso que a molécula do odor esteja dissolvida no muco nasal!
As partículas se dissolvem na solução que cerca o epitélio, provocando uma reação química
nos receptores que aciona a transdução. Os impulsos nervosos são transmitidos diretamente
ao bulbo olfatório, que é o centro cerebral do olfato.

Gustação
O sistema gustativo e olfativo está intimamente ligado na percepção do sabor.
Ocorre através das substâncias químicas através de impulsos elétricos que levam até o
sistema nervoso central e processa as informações.
Sabores percebidos por esse sistema: doce, salgado, azedo, amargo e umami

Audição
Características do som:
1 - Sonoridade → (altura do som): a intensidade é medida pela amplitude de uma onda
sonora, medida em decibéis.
À medida em que os decibéis aumentam, o som aumenta também.
2 – Frequência → Coeficiente de vibrações, ou o número de ondas por segundo. Unidade de
medida: Hertz.

3 – Timbre → Frequências sonoras complexas = combinação de várias frequências, que


produz uma qualidade distinta (única). O timbre é uma característica da voz de cada pessoa.
Sistema Vestibular
Os órgãos do sistema vestibular são: Molécula, sáculo, utrículo, canal semicircular superior,
cóclea, cresta ampular, canal semicircular horizontal e canal semicircular posterior

Sinestesia: é um fenômeno neurológico, está associado com a mistura de sensações


relacionadas aos sentidos: tato, olfato, paladar e visão.

Aula 7 –Atenção
O estudo de como o cérebro seleciona quais estímulos sensoriais descartar
e quais transmitir para níveis superiores de processamento.

TIPOS DE ATENÇÃO:
 ATENÇÃO SELETIVA: Concentração para leitura
 ATENÇÃO DIVIDIDA: Estudar e ouvir música
 ATENÇÃO SUSTENTADA: Fazer uma prova

Aula 8 –Memória
A memória depende da sensação, da percepção e da atenção
SENSAÇÃO: capta os estímulos, ou seja, recebe e transforma o que é físico em neural
(transdução). É uma resposta subjetiva (interior) aos estímulos objetivos (físicos). É a base
material dos processos psíquicos.
PERCEPÇÃO: recebe os estímulos sensoriais e dá significado a eles (codifica e recodifica).
Analisa e interpreta os estímulos. Separa em partes e as integra.
ATENÇÃO: filtra os estímulos recebidos pela via sensorial,
que são dirigidos para a percepção e mantém os processos
perceptuais sobre o que é relevante.
 Aquilo que é relevante, útil, novo ou interessante é estocado
 Os dados armazenados podem ser posteriormente evocados (lembrados ou
empregados) quando necessário.

Codificação (ou Registro): entrada das informações. Processo de transformar a informação


de tal forma que possa ser introduzida e retida pelo sistema de memória.
Armazenamento (ou Conservação): manutenção da informação pelo tempo necessário.
Processo de reter as informações na memória de forma que possam ser utilizadas
posteriormente.
Recuperação: evocação ou reprodução do que está armazenado (o que ficou guardado).

Estágios Básicos da Memória


Memória Sensorial Armazena
Registro de informações informações
do meio codificadas na
Grande capacidade de MCP
informação Capacidade
Duração: de 1⁄4 de ilimitada
segundo a 3 segundos Duração:
potencialmente
permanentes

Memória de Curto
Prazo
Novas informações são
transferidas da memória
sensorial
Informações antigas são
recuperadas
Capacidade limitada
Duração: cerca de 20
Segundos

Memória de
Longo Prazo
Memória de trabalho ou memória operacional
A duração da memória de trabalho é ultrarrápida porque ela nos permite armazenar uma
informação apenas.
Permite o processamento de mais de duas atividades ao mesmo tempo.

Funcionamento da memória de longo prazo


Armazenamento baseado no significado:
Quanto mais profundamente um item é codificado, mas significado tem e melhor é
lembrado.
Repetição de Manutenção: repetir muitas vezes
o item.
Repetição Elaborativa: codificar a informação de maneiras mais significativas, como quando
pensamos conceitualmente sobre o item ou decidimos se ele se refere a nós. (Significado
semântico). – Codificação Semântica

Amnésia Retrógrada
É a perda de memória passadas, de eventos, fatos, pessoas ou mesmo informações pessoais.

Amnésia Anterógrada: Incapacidade de formar novas memórias. Lesões lobos


temporais mediais