Você está na página 1de 3

Entrevista

“O Prof. Dr. Hans Pancherz, para quem acompanha o desenvolvimento da Ortodontia e Ortopedia
Facial, dispensa qualquer apresentação. Com suas inúmeras publicações, desde o início da década
de 70, este pesquisador tem demonstrado, com sua metodologia impecável e honestidade de
propósito, como desenvolver pesquisas com grande impacto clínico e que responde a
questionamentos significantes.
Cabe a ele a re-introdução do aparelho de Herbst, há 25 anos atrás, tendo levado esta opção
terapêutica a ser uma das mais usadas na Europa e Estados Unidos, no tratamento das maloclusões
de Classe II, que apresentem sinais clínicos e cefalométricos de deficiência mandibular.
Atualmente ele é Chefe do Departamento de Ortodontia da Universidade de Giessen, na Alemanha,
tendo iniciado sua carreira na Suécia. No último mês de Março, tivemos a honra de receber o Prof.
Pancherz aqui em São José dos Campos, para ministrar um brilhante curso sobre o aparelho de
Herbst. Dotado de um carisma e simpatia ímpares, o Professor Pancherz encantou a todos, deixando
uma mensagem, de que não precisamos ser idolatrados ou inatingíveis para demonstrar nosso
conhecimento.
Prof. Dr. Weber Ursi
UNESP - São José dos Campos - SP

01 - Quais as suas conside- A época ideal para o tratamento


rações sobre o aparelho de seria na dentadura permanente ou
Herbst modificado, como a logo após o pico do crescimento pu-
utilização de coroas de aço, beral (em torno dos 14 a 16 anos
bandas e/ou “splints”? Em nos meninos e 12 a 14 anos nas me-
sua opinião, qual seria me- ninas). O limite superior de idade
lhor? Dr. José Fernando Casta- ainda é desconhecido. Em nosso de-
nha Henriques partamento temos muitos adultos
Temos utilizado o aparelho de jovens (18-22) tratados com suces-
Herbst do tipo bandado há muitos so com o aparelho de Herbst. As
anos. Sua vantagem é o baixo custo IRM da ATM demonstraram que é
e o fato de poder ser fabricado em um possível reativar o crescimento no
laboratório ortodôntico. No entanto, côndilo e fossa mesmo nestes paci-
as bandas têm de ser confecciona- entes mais velhos.
das individualmente com a utilização O tempo de tratamento ativo com
de material com 0,18mm de espessu- o aparelho de Herbst é de 6 a 8 me-
Hans Pancherz
ra. Todas as bandas comerciais dispo- ses. Nos indivíduos mais velhos um
níveis no mercado são muito fracas e pouco mais.
irão quebrar. fortes, higiênicos e causarem poucos Após a fase com o Herbst, o trata-
Penso que as coroas de aço são problemas clínicos (nenhuma que- mento geralmente prossegue com um
melhores que as bandas no sentido bra), além do tempo de consultório aparelho fixo completo. A contenção
de que elas têm uma cobertura oclu- que é pequeno. Sua desvantagem é após o tratamento geralmente é rea-
sal que as deixa menos suscetíveis a o custo. lizada com um retentor inferior cani-
quebras. No entanto, pessoalmente, no a canino e uma placa de Hawley
tenho pouca experiência com essas 02 - Qual a idade ideal para o superior ou ativador.
coroas. uso do Herbst e a idade máxi-
Desde 1995, estamos utilizando ma? Quantos meses de uso 03 - Qual porcentagem de ca-
esplintes fundidos (cromo-cobalto) contínuo do aparelho e qual a sos tratados com o aparelho de
para os aparelhos de Herbst. Os melhor contenção? Dr. José Herbst apresenta boa estabili-
esplintes têm a vantagem de serem Fernando Castanha Henriques dade AP oclusal após 3-5 anos?

R Dental Press Ortodon Ortop Facial, Maringá, v. 5, n. 4, p. 1-3, jul./ago. 2000 1


Em percentual, qual é o suces- mista, o tempo de contenção no pe- senhor acha que ele gera um
so do tratamento de adultos ríodo pós-pico de crescimento pode componente de força em dire-
Classe II com o aparelho de ser reduzido e os resultados são mais ção superior que possa impe-
Herbst? Dr. Guilherme dos Reis estáveis. dir a extrusão de molares e
Pereira Janson até mesmo a intrusão dos
Se após tratamento com aparelho 5 - Devido à sua configuração, mesmos? Dr. Carlos Martins
de Herbst/aparelho fixo completo hou- relata-se que os aparelhos or- Coelho Filho
ver uma intercuspidação estável e o topédicos fixos são eficientes O aparelho de Herbst possui um
paciente não apresentar hábitos como na correção dos desvios de li- efeito de ancoragem extrabucal de
deglutição atípica ou interposição lin- nha média e Classe II unilate- tração alta pronunciado sobre os mo-
gual, os resultados do tratamento ge- ral de molares. Temos usado lares superiores. Na maioria de nos-
ralmente ficam estáveis. Isto é verda- um aparelho denominado MPA sos pacientes os dentes são distaliza-
de para pacientes adolescentes, pós- de características mecânicas dos e intruídos consideravelmente.
adolescentes e adultos jovens. Se, por semelhantes ao Herbst, o qual Portanto, o aparelho é mais útil tam-
um outro lado, a oclusão não ficar es- é montado associado e conco- bém na má-oclusão Classe II de ân-
tável e os hábitos de disfunção da lín- mitante com o aparelho bási- gulo alto. Além disso, o ângulo do
gua prevalecerem, então, provavel- co (edgewise, straightwire, plano mandibular não é aberto pela
mente, ocorrerá recidiva. No entan- etc.) e nossos resultados têm terapia.
to, isto acontecerá após o tratamen- se demonstrado estáveis. Qual
to com qualquer aparelho, não ha- é sua experiência com relação 7 - O senhor acha que é pos-
vendo ligação direta com o método do a esse aspecto e, em sua opi- sível corrigir uma Classe II to-
Herbst. nião, qual o mecanismo atra- tal, com largura de um pré-mo-
vés do qual a correção ocorre, lar, com overjet de 11mm, em
4 - Quais seriam comparativa- isto é, seria ela feita através um período de 6 a 8 meses?
mente as vantagens para o de rotação dentoalveolar bima- Dr. Kurt Faltin Jr.
uso do aparelho de Herbst na xilar em sentido horizontal, Sim, fazemos isto regularmente.
dentadura decídua, mista e movimento dentário somente
permanente? Dr. Leopoldino ou através de qualquer outro 8 - O uso do ativador, após a
Capelozza Filho mecanismo? Dr. Carlos Martins remoção do Herbst, não deve-
Não há vantagens em se usar o Coelho Filho ria ser considerado uma conti-
aparelho de Herbst na dentadura de- As más-oclusões de Classe II uni- nuidade de tratamento e não
cídua ou mista. Nestes pacientes, não laterais com discrepância da linha mé- uma contenção? Dr. Kurt Faltin
será possível obter uma intercuspida- dia inferior são tratadas eficiente- Júnior
ção estável dos dentes após o trata- mente com o aparelho de Herbst Após o tratamento ativo com o
mento e, portanto, os resultados têm avançando a mandíbula unilateral- Herbst, na maior parte do tempo te-
de ser mantidos até que todos os den- mente pela ativação do mecanismo mos uma oclusão sobrecorrigida Clas-
tes permanentes tenham irrompido. telescópico maior sobre o lado da dis- se I com uma mordida aberta lateral.
Não devemos esquecer que na denta- crepância. A correção da linha média Se utilizamos um ativador logo após
dura mista temos muitos aparelhos é alcançada pelas alterações esque- o Herbst (sem continuar com um apa-
funcionais removíveis eficientes (ati- léticas e dentárias. Na terapia da mi- relho fixo completo como normalmen-
vador, bionator, Fränkel). Na dentadu- crossomia hemifacial com o aparelho te fazemos agora), o ativador é utili-
ra permanente, por sua vez, os apare- de Herbst, verificamos que a correção zado como um aparelho de contenção
lhos funcionais removíveis não são efi- da má-oclusão Classe II e o desvio da ativa. O aparelho retém parcialmente
cientes, enquanto que o oposto é ver- linha média foram alcançados prin- o resultado do tratamento, mas tam-
dadeiro para o aparelho de Herbst. cipalmente pelas alterações dentoal- bém direciona os dentes durante a ir-
Uma má-oclusão Classe II completa é veolares. As alterações esqueléticas rupção (pelo desgaste seletivo do acrí-
corrigida dentro de 6-8 meses com o mandibulares foram mínimas, talvez lico) a uma intercuspidação estável
Herbst em bases regulares. Na fase se- devido ao fato de que nenhum Classe I. Além disso, a ativação exer-
guinte, cerca de 8-12 meses, com o côndilo estivesse presente no lado cita e acomoda a musculatura à nova
aparelho fixo completo, os dentes são afetado. posição mandibular.
finalmente alinhados e a oclusão é ati-
vamente estabelecida. 6 - Qual o papel do aparelho 9 - Quais são os resultados
Nossa pesquisa demonstrou que de Herbst no controle da di- dentários e esqueléticos que
ao se tratar pacientes na dentadura mensão vertical posterior? O podemos esperar desse méto-

R Dental Press Ortodon Ortop Facial, Maringá, v. 5, n. 4, p. 1-3, jul./ago. 2000 2


do terapêutico? A indicação do tária na correção de uma má-oclusão léticas e 60% dentárias;
método para correção de uma Classe II depende da idade do pacien- • pacientes no final da adolescên-
Classe II em pacientes adul- te. Ao se analisar grupos maiores de cia: cerca 30% de alterações esqueléti-
tos trará algum resultado es- má-oclusão Classe II chegamos aos se- cas e 70% dentárias;
quelético? Dra. Cristina guintes resultados: • pacientes adultos jovens: cerca
Ortolani-Faltin • pacientes no início da adolescên- de 20% de alterações esqueléticas e
A contribuição esquelética e den- cia: cerca de 40% de alterações esque- 80% dentárias.

Carlos Martins Cristina Ortolani- Guilherme dos Reis


Coelho Filho Faltin Pereira Janson

- Mestrado em Ortodontia - Especialista em Ortodontia- - Professor Associado da Disci-


pela UNICAMP. Universidade Paulista. plina de Ortodontia da Facul-
- Ex-Professor responsável - Mestre e Doutora em Diag- dade de Odontologia de Bauru
pela disciplina de Ortodon- nóstico Bucal – Faculdade - Universidade de São Paulo.
tia da Universidade Federal do Maranhão de Odontologia da USP. - Pós-Doutorado na Universidade de Toronto,
durante 28 anos. - Professora Adjunta da Disciplina de Orto- Canadá.
- Criador do Aparelho de Protração Mandibular, dontia da Faculdade de Odontologia da - Professor dos Cursos de Extensão da Socie-
divulgado através de Trabalhos publicados nas Universidade Paulista. dade Paulista de Ortodontia.
edições de Maio/1995, Fevereiro/1997 e Junho/ - Professora Titular da Disciplina de Ortodon- - Membro do Royal College of Dentists of Ca-
1998 no Journal of Clinical Orthodontics. tia da Faculdade de Fonoaudiologia da nadá, M.R.C.D.C.
Universidade Paulista.

José Fernando Kurt Faltin Jr. Leopoldino


Castanha Henriques Capelozza Filho
- Pós-graduado em Ortopedia
- Professor Titular da Disciplina Maxilar pela Universidade - Professor Assistente Doutor
de Ortodontia da Faculdade de de Bonn-Alemanha. da Faculdade de Odontolo-
Odontologia de Bauru da - Doutorado (Dr. medicina gia de Bauru da Universi-
Universidade de São Paulo. dentística) em Ortopedia dade de São Paulo.
- Coordenador do Curso de Pós-graduação em pela Universidade de Bonn- - Responsável pelo Setor de Ortodontia do
Ortodontia, ao nível de Doutorado da Facul- Alemanha. Hospital de Reabilitação de Anomalias
dade de Odontologia de Bauru-USP. - Professor titular da disciplina de Ortodontia Craniofaciais da Universidade de São Paulo,
- Professor do Curso de Pós-graduação em da Universidade Paulista. em Bauru-SP.
Ortodontia, ao nível de mestrado da Facul- - Coordenador do curso de Especialização em
dade de Odontologia de Bauru-USP. Ortodontia da Universidade Paulista.
- Professor dos Cursos de Graduação em
Odontologia e Fonoaudiologia da FOB-USP.

R Dental Press Ortodon Ortop Facial, Maringá, v. 5, n. 4, p. 1-3, jul./ago. 2000 3