Você está na página 1de 448

Força Aérea Brasileira - FAB

Estágio de Adaptação à Graduação de


Sargentos da Aeronáutica - EAGS

Sargentos da Aeronáutica - Enfermagem

Língua Portuguesa
1.1 TEXTO: Interpretação de textos literários ou não-literários. ............................................................................... 1
1.2 GRAMÁTICA: Fonética: Sílaba: separação silábica e acentuação gráfica............................................................ 3
Ortografia. ................................................................................................................................................................................ 6
Morfologia: Processos de formação de palavras; Classes de palavras: substantivo (classificação e flexão);
adjetivo (classificação, flexão e locução adjetiva); advérbio (classificação, colocação e locução adverbial);
conjunções (coordenativas e subordinativas); verbo: flexão verbal (número, pessoa, modo, tempo, voz),
classificação (regulares, irregulares, defectivos, abundantes, auxiliares e principais) e conjugação dos
tempos simples; pronome (classificação e emprego). ................................................................................................ 11
Pontuação. ............................................................................................................................................................................. 38
Sintaxe: Períodos Simples (termos essenciais, integrantes e acessórios da oração) e Períodos Compostos
(coordenação e subordinação); ....................................................................................................................................... 39
Concordâncias verbal e nominal; .................................................................................................................................... 44
Regências verbal e nominal; e Crase. .............................................................................................................................. 47
Tipos de discurso. ................................................................................................................................................................ 53
Estilística: Figuras de linguagem (metáfora, metonímia, hipérbole, prosopopéia, eufemismo e antítese). ... 54

Anatomia e Fisiologia
2.4.1.1 Líquidos e eletrólitos: equilíbrio e distúrbios; troca gasosa e função respiratória; funções:
cardiovascular, circulatória e hematológica, digestiva e gastrintestinal, metabólica e endócrina, do trato
urinário, reprodutora, imunológica, tegumentar, sensorineural, neurológica, musculoesquelética. ...... 1 a 52

Enfermagem Fundamental
2.4.2.1 A ética e bioética. ...................................................................................................................................................... 1
Coleta de amostras e preparo para exames. .................................................................................................................. 16
Hemoterapia.......................................................................................................................................................................... 27
Curativos. ............................................................................................................................................................................... 29
Administração de medicamentos. .................................................................................................................................... 35
Procedimentos de enfermagem relacionados aos sistemas: cardiovascular, respiratório, digestivo e
gastrintestinal, renal, urológico, musculoesquelético, tegumentar; oncologia. .................................................... 47
Verificação de parâmetros clínicos. ................................................................................................................................. 71
Cuidados aos pacientes com doenças infecciosas. ....................................................................................................... 76

Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
Enfermagem Médico-Cirúrgica
2.4.3.1 Conceito de perioperatório e cuidados de enfermagem; cuidados de enfermagem nos distúrbios
líquidos e eletrolíticos, no choque e síndrome da disfunção de múltiplos órgãos, na oncologia, na troca gasosa
e funções: respiratória, cardiovascular, circulatória e hematológica, digestiva e gastrintestinal, metabólica e
endócrina, do trato urinário, reprodutora, imunológica, tegumentar, sensorineural, neurológica,
musculoesquelética. .............................................................................................................................................................. 1
Questões ................................................................................................................................................................................ 13

Enfermagem Materno-Infantil
2.4.4.1 Períodos da gestação e diagnóstico de gravidez; modificações fisiológicas na gravidez; planejamento
familiar e os métodos contraceptivos; assistência de enfermagem no período pré-natal; os fatores mecânicos
do parto; o mecanismo do parto; o período puerperal; aleitamento materno; complexidades do período
gestacional; a prática de enfermagem neonatal; adaptações neonatais à vida extrauterina; exame físico
neonatal; cuidados com a pele do recém-nascido; manejo da estabilidade térmica; cuidados imediatos e
mediatos ao recém-nascido; reanimação neonatal; equilíbrio hidreletrolítico e nutricional do recém-nascido;
prematuridade; distúrbios: respiratório, neurológico, gastrintestinal e hematológico; afecções cirúrgicas e
malformações congênitas no período neonatal; infecção neonatal; crescimento e desenvolvimento da
criança; doenças mais frequentes na criança; administração de medicação em pediatria e neonatologia.......
........................................................................................................................................................................................ 1 a 100

Enfermagem em Emergência
2.4.5.1 Assistência de enfermagem pré e intra-hospitalar; cateteres, sondas e drenos; ...................................... 1
Suporte básico de vida e triagem; avaliação primária e secundária; parada cardiorrespiratória; obstrução de
vias aéreas; choque; hemorragia; ferimentos; traumas; queimaduras; acidentes com animais peçonhentos;
intoxicações e envenenamentos; desmaio; convulsão; insolação e intermação; transporte e remoção de
vítimas. .................................................................................................................................................................................... 5

Enfermagem em Saúde Pública


2.4.6.1 Conceitos em epidemiologia; níveis de atenção à saúde; ............................................................................... 1
Tuberculose; hepatites; dengue; febre amarela; leptospirose; cólera; febre tifoide; doenças diarreicas;
diabetes mellitos; hipertensão arterial; hanseníase; doenças sexualmente transmissíveis; HIV/AIDS;
programas de atenção à saúde; ......................................................................................................................................... 5
Imunização e gerenciamento de resíduos dos serviços de saúde. ........................................................................... 41

Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
A apostila OPÇÃO não está vinculada a empresa organizadora do concurso público a que se destina,
assim como sua aquisição não garante a inscrição do candidato ou mesmo o seu ingresso na carreira
pública.

O conteúdo dessa apostila almeja abordar os tópicos do edital de forma prática e esquematizada,
porém, isso não impede que se utilize o manuseio de livros, sites, jornais, revistas, entre outros meios
que ampliem os conhecimentos do candidato, visando sua melhor preparação.

Atualizações legislativas, que não tenham sido colocadas à disposição até a data da elaboração da
apostila, poderão ser encontradas gratuitamente no site das apostilas opção, ou nos sites
governamentais.

Informamos que não são de nossa responsabilidade as alterações e retificações nos editais dos
concursos, assim como a distribuição gratuita do material retificado, na versão impressa, tendo em vista
que nossas apostilas são elaboradas de acordo com o edital inicial. Porém, quando isso ocorrer, inserimos
em nosso site, www.apostilasopcao.com.br, no link “erratas”, a matéria retificada, e disponibilizamos
gratuitamente o conteúdo na versão digital para nossos clientes.

Caso haja dúvidas quanto ao conteúdo desta apostila, o adquirente deve acessar o site
www.apostilasopcao.com.br, e enviar sua dúvida, que será respondida o mais breve possível, assim como
para consultar alterações legislativas e possíveis erratas.

Também ficam à disposição do adquirente o telefone (11) 2856-6066, dentro do horário comercial,
para eventuais consultas.

Eventuais reclamações deverão ser encaminhadas por escrito, respeitando os prazos instituídos no
Código de Defesa do Consumidor.

É proibida a reprodução total ou parcial desta apostila, de acordo com o Artigo 184 do Código
Penal.

Apostilas Opção, a opção certa para a sua realização.

Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
LÍNGUA PORTUGUESA

Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Compreender significa
- intelecção, entendimento, atenção ao que realmente está
escrito.
- o texto diz que...
- é sugerido pelo autor que...
- de acordo com o texto, é correta ou errada a afirmação...
- o narrador afirma...
1.1 TEXTO: Interpretação de Erros de interpretação
textos literários ou não-literários. É muito comum, mais do que se imagina, a ocorrência de
erros de interpretação. Os mais frequentes são:

a) Extrapolação (viagem)
Interpretação de texto
Ocorre quando se sai do contexto, acrescentado ideias que
não estão no texto, quer por conhecimento prévio do tema quer
É muito comum, entre os candidatos a um cargo público,
pela imaginação.
a preocupação com a interpretação de textos. Isso acontece
porque lhes faltam informações específicas a respeito desta
b) Redução
tarefa constante em provas relacionadas a concursos públicos.
É o oposto da extrapolação. Dá-se atenção apenas a um
Por isso, vão aqui alguns detalhes que poderão ajudar no
aspecto, esquecendo que um texto é um conjunto de ideias, o
momento de responder às questões relacionadas a textos.
que pode ser insuficiente para o total do entendimento do tema
Texto – é um conjunto de ideias organizadas e relacionadas
desenvolvido.
entre si, formando um todo significativo capaz de produzir
interação comunicativa (capacidade de codificar e decodificar).
c) Contradição
Contexto – um texto é constituído por diversas frases. Em
Não raro, o texto apresenta ideias contrárias às do candidato,
cada uma delas, há uma certa informação que a faz ligar-se
fazendo-o tirar conclusões equivocadas e, consequentemente,
com a anterior e/ou com a posterior, criando condições para a
errando a questão.
estruturação do conteúdo a ser transmitido. A essa interligação
dá-se o nome de contexto. Nota-se que o relacionamento entre as
Observação - Muitos pensam que há a ótica do escritor
frases é tão grande que, se uma frase for retirada de seu contexto
e a ótica do leitor. Pode ser que existam, mas numa prova de
original e analisada separadamente, poderá ter um significado
concurso, o que deve ser levado em consideração é o que o autor
diferente daquele inicial.
diz e nada mais.
Intertexto - comumente, os textos apresentam referências
diretas ou indiretas a outros autores através de citações. Esse
Coesão - é o emprego de mecanismo de sintaxe que
tipo de recurso denomina-se intertexto.
relacionam palavras, orações, frases e/ou parágrafos entre
Interpretação de texto - o primeiro objetivo de uma
si. Em outras palavras, a coesão dá-se quando, através de um
interpretação de um texto é a identificação de sua ideia
pronome relativo, uma conjunção (NEXOS), ou um pronome
principal. A partir daí, localizam-se as ideias secundárias, ou
oblíquo átono, há uma relação correta entre o que se vai dizer
fundamentações, as argumentações, ou explicações, que levem
e o que já foi dito.
ao esclarecimento das questões apresentadas na prova.
OBSERVAÇÃO – São muitos os erros de coesão no dia-a-dia
Normalmente, numa prova, o candidato é convidado a:
e, entre eles, está o mau uso do pronome relativo e do pronome
1. Identificar – é reconhecer os elementos fundamentais
oblíquo átono. Este depende da regência do verbo; aquele do seu
de uma argumentação, de um processo, de uma época (neste
antecedente. Não se pode esquecer também de que os pronomes
caso, procuram-se os verbos e os advérbios, os quais definem
relativos têm, cada um, valor semântico, por isso a necessidade
o tempo).
de adequação ao antecedente.
2. Comparar – é descobrir as relações de semelhança ou de
Os pronomes relativos são muito importantes na
diferenças entre as situações do texto.
interpretação de texto, pois seu uso incorreto traz erros de
3. Comentar - é relacionar o conteúdo apresentado com uma
coesão. Assim sendo, deve-se levar em consideração que existe
realidade, opinando a respeito.
um pronome relativo adequado a cada circunstância, a saber:
4. Resumir – é concentrar as ideias centrais e/ou secundárias
que (neutro) - relaciona-se com qualquer antecedente, mas
em um só parágrafo.
depende das condições da frase.
5. Parafrasear – é reescrever o texto com outras palavras.
qual (neutro) idem ao anterior.
quem (pessoa)
Condições básicas para interpretar
cujo (posse) - antes dele aparece o possuidor e depois o
objeto possuído.
Fazem-se necessários:
como (modo)
a) Conhecimento histórico–literário (escolas e gêneros
onde (lugar)
literários, estrutura do texto), leitura e prática;
quando (tempo)
b) Conhecimento gramatical, estilístico (qualidades do
quanto (montante)
texto) e semântico;
Observação – na semântica (significado das palavras)
Exemplo:
incluem-se: homônimos e parônimos, denotação e conotação,
Falou tudo QUANTO queria (correto)
sinonímia e antonímia, polissemia, figuras de linguagem, entre
Falou tudo QUE queria (errado - antes do QUE, deveria
outros.
aparecer o demonstrativo O ).
c) Capacidade de observação e de síntese e
d) Capacidade de raciocínio.
Dicas para melhorar a interpretação de textos
- Ler todo o texto, procurando ter uma visão geral do assunto;
Interpretar X compreender
- Se encontrar palavras desconhecidas, não interrompa a
leitura;
Interpretar significa
- Ler, ler bem, ler profundamente, ou seja, ler o texto pelo
- explicar, comentar, julgar, tirar conclusões, deduzir.
menos duas vezes;
- Através do texto, infere-se que...
- Inferir;
- É possível deduzir que...
- Voltar ao texto tantas quantas vezes precisar;
- O autor permite concluir que...
- Não permitir que prevaleçam suas ideias sobre as do autor;
- Qual é a intenção do autor ao afirmar que...
- Fragmentar o texto (parágrafos, partes) para melhor

Língua Portuguesa 1
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
compreensão; maioria dos moradores.
- Verificar, com atenção e cuidado, o enunciado de cada (D) é uma alternativa dispendiosa em comparação com os
questão; demais meios de transporte.
- O autor defende ideias e você deve percebê-las; (E) tem sido rejeitado por consistir em uma atividade
arriscada e pouco salutar.
Questões
02. A partir da leitura, é correto concluir que um dos
O uso da bicicleta no Brasil objetivos centrais do texto é
(A) informar o leitor sobre alguns direitos e deveres do
A utilização da bicicleta como meio de locomoção no Brasil ciclista.
ainda conta com poucos adeptos, em comparação com países (B) convencer o leitor de que circular em uma bicicleta é
como Holanda e Inglaterra, por exemplo, nos quais a bicicleta mais seguro do que dirigir um carro.
é um dos principais veículos nas ruas. Apesar disso, cada vez (C) mostrar que não há legislação acerca do uso da bicicleta
mais pessoas começam a acreditar que a bicicleta é, numa no Brasil.
comparação entre todos os meios de transporte, um dos que (D) explicar de que maneira o uso da bicicleta como meio de
oferecem mais vantagens. locomoção se consolidou no Brasil.
A bicicleta já pode ser comparada a carros, motocicletas (E) defender que, quando circular na calçada, o ciclista deve
e a outros veículos que, por lei, devem andar na via e jamais dar prioridade ao pedestre.
na calçada. Bicicletas, triciclos e outras variações são todos
considerados veículos, com direito de circulação pelas ruas e 03. Considere o cartum de Evandro Alves.
prioridade sobre os automotores.
Alguns dos motivos pelos quais as pessoas aderem à bicicleta Afogado no Trânsito
no dia a dia são: a valorização da sustentabilidade, pois as bikes
não emitem gases nocivos ao ambiente, não consomem petróleo
e produzem muito menos sucata de metais, plásticos e borracha;
a diminuição dos congestionamentos por excesso de veículos
motorizados, que atingem principalmente as grandes cidades; o
favorecimento da saúde, pois pedalar é um exercício físico muito
bom; e a economia no combustível, na manutenção, no seguro e,
claro, nos impostos.
No Brasil, está sendo implantado o sistema de
compartilhamento de bicicletas. Em Porto Alegre, por exemplo,
o BikePOA é um projeto de sustentabilidade da Prefeitura, em
parceria com o sistema de Bicicletas SAMBA, com quase um
ano de operação. Depois de Rio de Janeiro, São Paulo, Santos,
Sorocaba e outras cidades espalhadas pelo país aderirem a
esse sistema, mais duas capitais já estão com o projeto pronto
(http://iiiconcursodecartumuniversitario.blogspot.com.br)
em 2013: Recife e Goiânia. A ideia do compartilhamento é
semelhante em todas as cidades. Em Porto Alegre, os usuários
devem fazer um cadastro pelo site. O valor do passe mensal é Considerando a relação entre o título e a imagem, é correto
R$ 10 e o do passe diário, R$ 5, podendo-se utilizar o sistema concluir que um dos temas diretamente explorados no cartum é
durante todo o dia, das 6h às 22h, nas duas modalidades. Em (A) o aumento da circulação de ciclistas nas vias públicas.
todas as cidades que já aderiram ao projeto, as bicicletas estão (B) a má qualidade da pavimentação em algumas ruas.
espalhadas em pontos estratégicos. (C) a arbitrariedade na definição dos valores das multas.
A cultura do uso da bicicleta como meio de locomoção (D) o número excessivo de automóveis nas ruas.
não está consolidada em nossa sociedade. Muitos ainda não (E) o uso de novas tecnologias no transporte público.
sabem que a bicicleta já é considerada um meio de transporte,
ou desconhecem as leis que abrangem a bike. Na confusão de 04. Considere o cartum de Douglas Vieira.
um trânsito caótico numa cidade grande, carros, motocicletas,
ônibus e, agora, bicicletas, misturam-se, causando, muitas vezes, Televisão
discussões e acidentes que poderiam ser evitados.
Ainda são comuns os acidentes que atingem ciclistas. A
verdade é que, quando expostos nas vias públicas, eles estão
totalmente vulneráveis em cima de suas bicicletas. Por isso
é tão importante usar capacete e outros itens de segurança. A
maior parte dos motoristas de carros, ônibus, motocicletas e
caminhões desconhece as leis que abrangem os direitos dos
ciclistas. Mas muitos ciclistas também ignoram seus direitos
e deveres. Alguém que resolve integrar a bike ao seu estilo de
vida e usá-la como meio de locomoção precisa compreender
que deverá gastar com alguns apetrechos necessários para
poder trafegar. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro,
as bicicletas devem, obrigatoriamente, ser equipadas com (http://iiiconcursodecartumuniversitario.blogspot.com.br.
campainha, sinalização noturna dianteira, traseira, lateral e nos Adaptado)
pedais, além de espelho retrovisor do lado esquerdo.
É correto concluir que, de acordo com o cartum,
(Bárbara Moreira, http://www.eusoufamecos.net. Adaptado)
(A) os tipos de entretenimento disponibilizados pelo livro ou
pela TV são equivalentes.
01. De acordo com o texto, o uso da bicicleta como meio de (B) o livro, em comparação com a TV, leva a uma imaginação
locomoção nas metrópoles brasileiras mais ativa.
(A) decresce em comparação com Holanda e Inglaterra (C) o indivíduo que prefere ler a assistir televisão é alguém
devido à falta de regulamentação. que não sabe se distrair.
(B) vem se intensificando paulatinamente e tem sido (D) a leitura de um bom livro é tão instrutiva quanto assistir
incentivado em várias cidades. a um programa de televisão.
(C) tornou-se, rapidamente, um hábito cultivado pela

Língua Portuguesa 2
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
(E) a televisão e o livro estimulam a imaginação de modo Respostas
idêntico, embora ler seja mais prazeroso. 1. (B) / 2. (A) / 3. (D) / 4. (B) / 5. (D)

Leia o texto para responder às questões:


Propensão à ira de trânsito 1.2 GRAMÁTICA: Fonética:
Sílaba: separação silábica e
Dirigir um carro é estressante, além de inerentemente acentuação gráfica.
perigoso. Mesmo que o indivíduo seja o motorista mais seguro
do mundo, existem muitas variáveis de risco no trânsito, como
clima, acidentes de trânsito e obras nas ruas. Fonética
E com relação a todas as outras pessoas nas ruas? Algumas A fonética, de acordo com Paula Perin dos Santos, estuda
não são apenas maus motoristas, sem condições de dirigir, mas os sons como entidades físico-articulatórias isoladas (aparelho
também se engajam num comportamento de risco – algumas até fonador). Cabe a ela descrever os sons da linguagem e analisar
agem especificamente para irritar o outro motorista ou impedir suas particularidades acústicas e perceptivas. Ela fundamenta-
que este chegue onde precisa. se em estudar os sons da voz humana, examinando suas
Essa é a evolução de pensamento que alguém poderá propriedades físicas independentemente do seu “papel
ter antes de passar para a ira de trânsito de fato, levando um lingüístico de construir as formas da língua”. Sua unidade
motorista a tomar decisões irracionais. mínima de estudo é o som da fala, ou seja, o fone.
Dirigir pode ser uma experiência arriscada e emocionante. A Fonética se diferencia da Fonologia por considerar os sons
Para muitos de nós, os carros são a extensão de nossa independentes das oposições paradigmáticas e combinações
personalidade e podem ser o bem mais valioso que possuímos. sintagmáticas. Observe no esquema:
Dirigir pode ser a expressão de liberdade para alguns, mas
também é uma atividade que tende a aumentar os níveis de 1. Oposições paradigmáticas: aquelas cuja presença ou
estresse, mesmo que não tenhamos consciência disso no ausência implica em mudança de sentido. Ex.
momento. /p/ata /b/ata /m/ata
Dirigir é também uma atividade comunitária. Uma vez que Oclusiva Oclusiva Oclusiva
entra no trânsito, você se junta a uma comunidade de outros Bilabial Bilabial Bilabial
motoristas, todos com seus objetivos, medos e habilidades ao Surda Sonora Surda
volante. Os psicólogos Leon James e Diane Nahl dizem que um Oral Oral Nasal
dos fatores da ira de trânsito é a tendência de nos concentrarmos
em nós mesmos, descartando o aspecto comunitário do ato de 2. Combinações Sintagmáticas: arranjos e disposições
dirigir. lineares no contínuo sonoro. Troca na posição dos fonemas
Como perito do Congresso em Psicologia do Trânsito, o entre si. Ex.
Dr. James acredita que a causa principal da ira de trânsito não
são os congestionamentos ou mais motoristas nas ruas, e sim Roma, amor, mora, ramo
como nossa cultura visualiza a direção agressiva. As crianças
aprendem que as regras normais em relação ao comportamento A Fonética e a Fonologia são duas disciplinas interdependentes,
e à civilidade não se aplicam quando dirigimos um carro. Elas uma vez que, para qualquer estudo de natureza fonológica, é
podem ver seus pais envolvidos em comportamentos de disputa imprescindível partir do conteúdo fonético, articulatório e/ou
ao volante, mudando de faixa continuamente ou dirigindo em acústico, para determinar as unidades distintivas de cada língua.
alta velocidade, sempre com pressa para chegar ao destino. Desta forma, a Fonética e a Fonologia não são dicotômicas, pois a
Para complicar as coisas, por vários anos psicólogos Fonética trata da substância da expressão, enquanto a Fonologia
sugeriam que o melhor meio para aliviar a raiva era descarregar trata da forma da expressão, constituindo, as duas ciências,
a frustração. Estudos mostram, no entanto, que a descarga de dentro de um mesmo plano de expressão.
frustrações não ajuda a aliviar a raiva. Em uma situação de ira O termo ‘Fonética’ pode significar tanto o estudo de qualquer
de trânsito, a descarga de frustrações pode transformar um som produzido pelos seres humanos, quando o estudo da
incidente em uma violenta briga. articulação, da acústica e da percepção dos sons utilizados em
Com isso em mente, não é surpresa que brigas violentas línguas específicas. No primeiro tipo de investigação, torna-se
aconteçam algumas vezes. A maioria das pessoas está evidente a autonomia da Fonética em relação à Fonologia. No
predisposta a apresentar um comportamento irracional quando segundo tipo de investigação, porém, as relações entre as duas
dirige. Dr. James vai ainda além e afirma que a maior parte das ciências se tornam patentes.
pessoas fica emocionalmente incapacitada quando dirige. O que
deve ser feito, dizem os psicólogos, é estar ciente de seu estado VOGAIS
emocional e fazer as escolhas corretas, mesmo quando estiver
tentado a agir só com a emoção.

(Jonathan Strickland. Disponível em: http://carros.hsw.uol.com.br/


furia-no-transito1 .htm. Acesso em: 01.08.2013. Adaptado)

05. Tomando por base as informações contidas no texto, é


correto afirmar que
(A) os comportamentos de disputa ao volante acontecem à
medida que os motoristas se envolvem em decisões conscientes.
(B) segundo psicólogos, as brigas no trânsito são causadas
pela constante preocupação dos motoristas com o aspecto
comunitário do ato de dirigir.
(C) para Dr. James, o grande número de carros nas ruas é
o principal motivo que provoca, nos motoristas, uma direção
agressiva.
(D) o ato de dirigir um carro envolve uma série de
experiências e atividades não só individuais como também
sociais.
(E) dirigir mal pode estar associado à falta de controle das
emoções positivas por parte dos motoristas.

Língua Portuguesa 3
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Transcrição Fonética: Divisão Silábica
Na divisão silábica das palavras, cumpre observar as
As transcrições fonéticas são feitas entre colchetes [...] e para seguintes normas:
fazê-las, os linguistas recorrem ao Quadro Fonético Internacional. - Não se separam os ditongos e tritongos. Exemplos: foi-ce,
Nesse quadro há para cada fone um símbolo fonético específico. a-ve-ri-guou;
Segue abaixo uma versão adaptada do quadro: - Não se separam os dígrafos ch, lh, nh, gu, qu. Exemplos: cha-
ve, ba-ra-lho, ba-nha, fre-guês, quei-xa;
- Não se separam os encontros consonantais que iniciam
sílaba. Exemplos: psi-có-lo-go, re-fres-co;
- Separam-se as vogais dos hiatos. Exemplos: ca-a-tin-ga, fi-
el, sa-ú-de;
- Separam-se as letras dos dígrafos rr, ss, sc, sç xc. Exemplos:
car-ro, pas-sa-re-la, des-cer, nas-ço, ex-ce-len-te;
- Separam-se os encontros consonantais das sílabas internas,
excetuando-se aqueles em que a segunda consoante é l ou r.
Exemplos: ap-to, bis-ne-to, con-vic-ção, a-brir, a-pli-car.

Acento Tônico
Na emissão de uma palavra de duas ou mais sílabas, percebe-
se que há uma sílaba de maior intensidade sonora do que as
demais.
calor - a sílaba lor é a de maior intensidade.
faceiro - a sílaba cei é a de maior intensidade.
sólido - a sílaba só é a de maior intensidade.
Fonte: http://www.fonologia.org/fonetica_articulatoria.php
Obs.: a presença da sílaba de maior intensidade nas palavras,
em meio à sílabas de menor intensidade, é um dos elementos
Exemplos de transcrições fonéticas de palavras:
que dão melodia à frase.
 
Classificação da sílaba quanto à intensidade
-Tônica: é a sílaba pronunciada com maior intensidade.
- Átona:  é a sílaba pronunciada com menor intensidade.
- Subtônica: é a sílaba de intensidade intermediária. Ocorre,
principalmente, nas palavras derivadas, correspondendo à
tônica da palavra primitiva. 

Classificação das palavras quanto à posição da sílaba


tônica
De acordo com a posição da sílaba tônica, os vocábulos
da língua portuguesa que contêm  duas ou mais sílabas são
classificados em:
- Oxítonos: são aqueles cuja sílaba tônica é a última. Exemplos:
avó, urubu, parabéns
- Paroxítonos: são aqueles cuja sílaba tônica é a penúltima.
Exemplos: dócil, suavemente, banana
- Proparoxítonos: são aqueles cuja sílaba tônica é a
antepenúltima. Exemplos: máximo, parábola, íntimo

Saiba que:
- São palavras oxítonas, entre outras: cateter, mister, Nobel,
novel, ruim, sutil, transistor, ureter.
- São palavras paroxítonas, entre outras: avaro, aziago,
Divisão Silábica boêmia, caracteres, cartomancia, celtibero, circuito, decano,
filantropo, fluido, fortuito, gratuito, Hungria, ibero, impudico,
Sílaba inaudito, intuito, maquinaria, meteorito, misantropo, necropsia
(alguns dicionários admitem também necrópsia), Normandia,
A palavra amor está dividida em grupos de fonemas pegada, policromo, pudico, quiromancia, rubrica, subido (a).
pronunciados separadamente: a - mor. A cada um desses grupos - São palavras proparoxítonas, entre outras: aerólito, bávaro,
pronunciados numa só emissão de voz dá-se o nome de sílaba. bímano, crisântemo, ímprobo, ínterim, lêvedo, ômega, pântano,
Em nossa língua, o núcleo da sílaba é sempre uma vogal: não trânsfuga.
existe sílaba sem vogal e nunca há mais do que uma vogal em  - As seguintes palavras, entre outras, admitem dupla
cada sílaba. Dessa forma, para sabermos o número de sílabas tonicidade: acróbata/acrobata, hieróglifo/hieroglifo, Oceânia/
de uma palavra, devemos perceber quantas vogais tem essa Oceania, ortoépia/ortoepia, projétil/projetil, réptil/reptil,
palavra. Atenção: as letras i e u (mais raramente com as letras e zângão/zangão.
e o) podem representar semivogais. Questões:
 
Classificação das palavras quanto ao número de sílabas 01-Assinale o item em que a divisão silábica é incorreta:
- Monossílabas: possuem apenas uma sílaba. Exemplos: mãe, A) gra-tui-to;
flor, lá, meu; B) ad-vo-ga-do;
- Dissílabas: possuem duas sílabas. Exemplos: ca-fé, i-ra, a-í, C) tran-si-tó-ri-o;
trans-por; D) psi-co-lo-gi-a;
- Trissílabas: possuem três sílabas. Exemplos: ci-ne-ma, pró- E) in-ter-stí-cio.
xi-mo, pers-pi-caz, O-da-ir;
- Polissílabas: possuem quatro ou mais sílabas. Exemplos: 02-Assinale o item em que a separação silábica é incorreta:
a-ve-ni-da, li-te-ra-tu-ra, a-mi-ga-vel-men-te, o-tor-ri-no-la-rin- A) psi-có-ti-co;
go-lo-gis-ta. B) per-mis-si-vi-da-de;

Língua Portuguesa 4
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
C) as-sem-ble-ia; Os Acentos Gráficos
D) ob-ten-ção;
E) fa-mí-li-a. acento agudo (´) – Colocado sobre as letras “a”, “i”, “u” e
sobre o “e” do grupo “em” - indica que estas letras representam
03-Assinale o item em que todos os vocábulos têm as sílabas as vogais tônicas de palavras como Amapá, caí, público, parabéns.
corretamente separadas: Sobre as letras “e” e “o” indica, além da tonicidade, timbre aberto. 
A) al-dei-a, caa-tin-ga , tran-si-ção; Ex.: herói – médico – céu(ditongos abertos)
B) pro-sse-gui-a, cus-tó-dia, trans-ver-sal;
C) a-bsur-do, pra-ia, in-cons-ci-ên-cia; acento circunflexo (^) – colocado sobre as letras “a”, “e” e
D) o-ccip-tal, gra-tui-to, ab-di-car; “o” indica, além da tonicidade, timbre fechado:
E) mis-té-ri-o, ap-ti-dão, sus-ce-tí-vel. Ex.: tâmara – Atlântico – pêssego – supôs

04-Assinale o item em que todas as sílabas estão acento grave (`) – indica a fusão da preposição “a” com
corretamente separadas: artigos e pronomes.
A) a-p-ti-dão; Ex.: à – às – àquelas – àqueles
B) so-li-tá-rio;
C) col-me-i-a; trema (¨) – De acordo com a nova regra, foi totalmente
D) ar-mis-tí-ci-o; abolido das palavras. Há uma exceção: é utilizado em palavras
E) trans-a-tlân-ti-co. derivadas de nomes próprios estrangeiros.
Ex.: mülleriano (de Müller)
05- Assinale o item em que a divisão silábica está errada:
A) tran-sa-tlân-ti-co / de-sin-fe-tar; til (~) – indica que as letras “a” e “o” representam vogais
B) subs-ta-be-le-cer / de-su-ma-no; nasais.
C) cis-an-di-no / sub-es-ti-mar; Ex.: coração – melão – órgão – ímã
D) ab-di-ca-ção / a-bla-ti-vo; Regras fundamentais:
E) fri-is-si-mo / ma-ci-is-si-mo.
Palavras oxítonas:
Respostas Acentuam-se todas as oxítonas terminadas em: “a”, “e”, “o”,
01-E / 02-C / 03-E / 04-B / 05-C “em”, seguidas ou não do plural(s):
Pará – café(s) – cipó(s) – armazém(s)
Acentuação
Essa regra também é aplicada aos seguintes casos:
A acentuação é um dos requisitos que perfazem as regras
estabelecidas pela Gramática Normativa. Esta se compõe de Monossílabos tônicos terminados em “a”, “e”, “o”, seguidos
algumas particularidades, às quais devemos estar atentos, ou não de “s”.
procurando estabelecer uma relação de familiaridade e, Ex.: pá – pé – dó – há
consequentemente, colocando-as em prática na linguagem
escrita. Formas verbais terminadas em “a”, “e”, “o” tônicos, seguidas
de lo, la, los, las.
Regras básicas – Acentuação tônica respeitá-lo – percebê-lo – compô-lo
A acentuação tônica implica na intensidade com que são
pronunciadas as sílabas das palavras. Aquela que se dá de Paroxítonas:
forma mais acentuada, conceitua-se como sílaba tônica. As Acentuam-se as palavras paroxítonas terminadas em:
demais, como são pronunciadas com menos intensidade, são - i, is
denominadas de átonas. táxi – lápis – júri
- us, um, uns
De acordo com a tonicidade, as palavras são classificadas vírus – álbuns – fórum
como: - l, n, r, x, ps
automóvel – elétron - cadáver – tórax – fórceps
Oxítonas – São aquelas cuja sílaba tônica recai sobre a - ã, ãs, ão, ãos
última sílaba. ímã – ímãs – órfão – órgãos
Ex.: café – coração – cajá – atum – caju – papel
- Dica: Memorize a palavra LINURXÃO. Para quê? Repare que
Paroxítonas – São aquelas em que a sílaba tônica se essa palavra apresenta as terminações das paroxítonas que são
evidencia na penúltima sílaba. acentuadas: L, I N, U (aqui inclua UM =fórum), R, X, Ã, ÃO. Assim
Ex.: útil – tórax – táxi – leque – retrato – passível ficará mais fácil a memorização!

Proparoxítonas - São aquelas em que a sílaba tônica se - ditongo oral, crescente ou decrescente, seguido ou não de “s”.
evidencia na antepenúltima sílaba.
Ex.: lâmpada – câmara – tímpano – médico – ônibus água – pônei – mágoa – jóquei

Como podemos observar, mediante todos os exemplos Regras especiais:


mencionados, os vocábulos possuem mais de uma sílaba, mas
em nossa língua existem aqueles com uma sílaba somente: Os ditongos de pronúncia aberta “ei”, “oi” ( ditongos abertos),
são os chamados monossílabos, que, quando pronunciados, que antes eram acentuados, perderam o acento de acordo com
apresentam certa diferenciação quanto à intensidade. a nova regra, mas desde que estejam em palavras paroxítonas.

Tal diferenciação só é percebida quando os pronunciamos Cuidado: Se os ditongos abertos estiverem em uma
em uma dada sequência de palavras. Assim como podemos palavra oxítona (herói) ou monossílaba (céu) ainda são
observar no exemplo a seguir: acentuados. Mas caso não forem ditongos perdem o acento.
Ex.:
“Sei que não vai dar em nada, seus segredos sei de cor”.
Antes Agora
assembléia assembleia
Os monossílabos em destaque classificam-se como tônicos;
idéia ideia
os demais, como átonos (que, em, de).

Língua Portuguesa 5
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
jibóia jiboia (regra do acento diferencial). Apenas em algumas exceções,
apóia (verbo apoiar) apoia como:

Quando a vogal do hiato for “i” ou “u” tônicos, acompanhados A forma verbal pôde (terceira pessoa do singular do
ou não de “s”, haverá acento: pretérito perfeito do modo indicativo) ainda continua
Ex.: saída – faísca – baú – país – Luís sendo acentuada para diferenciar-se de pode (terceira
pessoa do singular do presente do indicativo). Ex:
Observação importante:
Não serão mais acentuados “i” e “u” tônicos, formando hiato Ela pode fazer isso agora.
quando vierem depois de ditongo: Ex.: Elvis não pôde participar porque sua mão não deixou...

Antes Agora O mesmo ocorreu com o verbo pôr para diferenciar da


bocaiúva bocaiuva preposição por.
feiúra feiura
- Quando, na frase, der para substituir o “por” por “colocar”,
O acento pertencente aos encontros “oo” e “ee” foi abolido. então estaremos trabalhando com um verbo, portanto: “pôr”;
Ex.: nos outros casos, “por” preposição. Ex:

Antes Agora Faço isso por você.


crêem creem Posso pôr (colocar) meus livros aqui?
vôo voo
Questões
- Agora memorize a palavra CREDELEVÊ. São os verbos que,
no plural, dobram o “e”, mas que não recebem mais acento 01. “Cadáver” é paroxítona, pois:
como antes: CRER, DAR, LER e VER. A) Tem a última sílaba como tônica.
B) Tem a penúltima sílaba como tônica.
Repare: C) Tem a antepenúltima sílaba como tônica.
1-) O menino crê em você D) Não tem sílaba tônica.
Os meninos creem em você.
2-) Elza lê bem! 02. Assinale a alternativa correta.
Todas leem bem! A palavra faliu contém um:
3-) Espero que ele dê o recado à sala. A) hiato
Esperamos que os dados deem efeito! B) dígrafo
4-) Rubens vê tudo! C) ditongo decrescente
Eles veem tudo! D) ditongo crescente

- Cuidado! Há o verbo vir: 03. Em “O resultado da experiência foi, literalmente,


Ele vem à tarde! aterrador.” a palavra destacada encontra-se acentuada pelo
Eles vêm à tarde! mesmo motivo que:
Não se acentuam o “i” e o “u” que formam hiato quando A) túnel
seguidos, na mesma sílaba, de l, m, n, r ou z: B) voluntário
C) até
Ra-ul, ru-im, con-tri-bu-in-te, sa-ir, ju-iz D) insólito
E) rótulos
Não se acentuam as letras “i” e “u” dos hiatos se estiverem
seguidas do dígrafo nh: 04. Assinale a alternativa correta.
ra-i-nha, ven-to-i-nha. A) “Contrário” e “prévias” são acentuadas por serem
paroxítonas terminadas em ditongo.
Não se acentuam as letras “i” e “u” dos hiatos se vierem B) Em “interruptor” e “testaria” temos, respectivamente,
precedidas de vogal idêntica: encontro consonantal e hiato.
xi-i-ta, pa-ra-cu-u-ba C) Em “erros derivam do mesmo recurso mental” as palavras
grifadas são paroxítonas.
As formas verbais que possuíam o acento tônico na raiz, com D) Nas palavras “seguida”, “aquele” e “quando” as partes
“u” tônico precedido de “g” ou “q” e seguido de “e” ou “i” não destacadas são dígrafos.
serão mais acentuadas. Ex.: E) A divisão silábica está correta em “co-gni-ti-va”, “p-si-có-
lo-ga” e “a-ci-o-na”.
Antes Depois Respostas
apazigúe (apaziguar) apazigue 1-B / 2-C / 3-B / 4-A
argúi (arguir) argui

Acentuam-se os verbos pertencentes à terceira pessoa do Ortografia.


plural de:

ele tem – eles têm


ele vem – eles vêm (verbo vir) Ortografia

A regra prevalece também para os verbos conter, obter, reter, A ortografia se caracteriza por estabelecer padrões para a
deter, abster.  forma escrita das palavras. Essa escrita está relacionada tanto
ele contém – eles contêm a critérios etimológicos (ligados à origem das palavras) quanto
ele obtém – eles obtêm fonológicos (ligados aos fonemas representados). É importante
ele retém – eles retêm compreender que a ortografia é fruto de uma convenção. A
ele convém – eles convêm forma de grafar as palavras é produto de acordos ortográficos
que envolvem os diversos países em que a língua portuguesa é
Não se acentuam mais as palavras homógrafas que antes oficial. A melhor maneira de treinar a ortografia é ler, escrever e
eram acentuadas para diferenciá-las de outras semelhantes consultar o dicionário sempre que houver dúvida.

Língua Portuguesa 6
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
O Alfabeto Emprega-se o G:
O alfabeto da língua portuguesa é formado por 26 letras. Cada 1) Nos substantivos terminados em -agem, -igem, -ugem
letra apresenta uma forma minúscula e outra maiúscula. Veja: Exemplos: barragem, miragem, viagem, origem, ferrugem
Exceção: pajem
a A (á) b B (bê)
c C (cê) d D (dê) 2) Nas palavras terminadas em -ágio, -égio, -ígio, -ógio, -úgio
e E (é) f F (efe) Exemplos: estágio, privilégio, prestígio, relógio, refúgio
g G (gê ou guê) h H (agá)
i I (i) j J (jota) 3) Nas palavras derivadas de outras que se grafam com g
k K (cá) l L (ele) Exemplos: engessar (de gesso), massagista (de massagem),
m M (eme) n N (ene) vertiginoso (de vertigem)
o O (ó) p P (pê)
q Q (quê) r R (erre) 4) Nos seguintes vocábulos:
s S (esse) t T (tê) algema, auge, bege, estrangeiro, geada, gengiva, gibi, gilete,
u U (u) v V (vê) hegemonia, herege, megera, monge, rabugento, vagem.
w W (dáblio) x X (xis)
y Y (ípsilon) z Z (zê) Emprega-se o J:
1) Nas formas dos verbos terminados em -jar ou -jear
Observação: emprega-se também o ç, que representa o Exemplos:
fonema /s/ diante das letras: a, o, e u em determinadas palavras. arranjar: arranjo, arranje, arranjem
despejar: despejo, despeje, despejem
Emprego das letras K, W e Y gorjear: gorjeie, gorjeiam, gorjeando
Utilizam-se nos seguintes casos: enferrujar: enferruje, enferrujem
a) Em antropônimos originários de outras línguas e seus viajar: viajo, viaje, viajem
derivados.
Exemplos: Kant, kantismo; Darwin, darwinismo; Taylor, 2) Nas palavras de origem tupi, africana, árabe ou exótica
taylorista. Exemplos: biju, jiboia, canjica, pajé, jerico, manjericão, Moji

b) Em topônimos originários de outras línguas e seus 3) Nas palavras derivadas de outras que já apresentam j
derivados. Exemplos:
Exemplos: Kuwait, kuwaitiano. laranja- laranjeira loja- lojista lisonja -
lisonjeador nojo- nojeira
c) Em siglas, símbolos, e mesmo em palavras adotadas como cereja- cerejeira varejo- varejista rijo- enrijecer
unidades de medida de curso internacional. jeito- ajeitar
Exemplos: K (Potássio), W (West), kg (quilograma), km
(quilômetro), Watt. 4) Nos seguintes vocábulos:
berinjela, cafajeste, jeca, jegue, majestade, jeito, jejum, laje,
Emprego de X e Ch traje, pegajento
Emprega-se o X:
1) Após um ditongo. Emprego das Letras S e Z
Exemplos: caixa, frouxo, peixe Emprega-se o S:
Exceção: recauchutar e seus derivados 1) Nas palavras derivadas de outras que já apresentam s no
radical
2) Após a sílaba inicial “en”.
Exemplos: enxame, enxada, enxaqueca Exemplos:
Exceção: palavras iniciadas por “ch” que recebem o prefixo análise- analisar catálise- catalisador
“en-” casa- casinha, casebre liso- alisar
Exemplos: encharcar (de charco), enchiqueirar (de chiqueiro),
encher e seus derivados (enchente, enchimento, preencher...) 2) Nos sufixos -ês e -esa, ao indicarem nacionalidade, título
ou origem
3) Após a sílaba inicial “me-”. Exemplos:
Exemplos: mexer, mexerica, mexicano, mexilhão burguês- burguesa inglês- inglesa
Exceção: mecha chinês- chinesa milanês- milanesa

4) Em vocábulos de origem indígena ou africana e nas palavras 3) Nos sufixos formadores de adjetivos -ense, -oso e -osa
inglesas aportuguesadas. Exemplos:
Exemplos: abacaxi, xavante, orixá, xará, xerife, xampu catarinense gostoso- gostosa amoroso- amorosa
palmeirense gasoso- gasosa teimoso- teimosa
5) Nas seguintes palavras:
bexiga, bruxa, coaxar, faxina, graxa, lagartixa, lixa, lixo, puxar, 4) Nos sufixos gregos -ese, -isa, -osa
rixa, oxalá, praxe, roxo, vexame, xadrez, xarope, xaxim, xícara, xale, Exemplos:
xingar, etc. catequese, diocese, poetisa, profetisa, sacerdotisa, glicose,
metamorfose, virose
Emprega-se o dígrafo Ch:
1) Nos seguintes vocábulos: 5) Após ditongos
bochecha, bucha, cachimbo, chalé, charque, chimarrão, Exemplos:
chuchu, chute, cochilo, debochar, fachada, fantoche, ficha, flecha, coisa, pouso, lousa, náusea
mochila, pechincha, salsicha, tchau, etc.
6) Nas formas dos verbos pôr e querer, bem como em seus
Para representar o fonema /j/ na forma escrita, a grafia derivados
considerada correta é aquela que ocorre de acordo com a origem Exemplos:
da palavra. Veja os exemplos: pus, pôs, pusemos, puseram, pusera, pusesse, puséssemos
gesso: Origina-se do grego gypsos quis, quisemos, quiseram, quiser, quisera, quiséssemos
jipe: Origina-se do inglês jeep. repus, repusera, repusesse, repuséssemos

Língua Portuguesa 7
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
7) Nos seguintes nomes próprios personativos: trouxe
Baltasar, Heloísa, Inês, Isabel, Luís, Luísa, Resende, Sousa,
Teresa, Teresinha, Tomás Emprega-se Sc:
Nos termos eruditos
8) Nos seguintes vocábulos: Exemplos:
abuso, asilo, através, aviso, besouro, brasa, cortesia, acréscimo, ascensorista, consciência, descender, discente,
decisão,despesa, empresa, freguesia, fusível, maisena, mesada, fascículo, fascínio, imprescindível, miscigenação, miscível,
paisagem, paraíso, pêsames, presépio, presídio, querosene, plebiscito, rescisão, seiscentos, transcender, etc.
raposa, surpresa, tesoura, usura, vaso, vigésimo, visita, etc.
Emprega-se Sç:
Emprega-se o Z: Na conjugação de alguns verbos
1) Nas palavras derivadas de outras que já apresentam z no Exemplos:
radical nascer- nasço, nasça
Exemplos: crescer- cresço, cresça
deslize- deslizar razão- razoável vazio- esvaziar descer- desço, desça
raiz- enraizar cruz-cruzeiro
Emprega-se Ss:
2) Nos sufixos -ez, -eza, ao formarem substantivos abstratos a Nos substantivos derivados de verbos terminados em “gredir”,
partir de adjetivos “mitir”, “ceder” e “cutir”
Exemplos: Exemplos:
inválido- invalidez limpo-limpeza macio- maciez agredir- agressão demitir- demissão ceder- cessão
rígido- rigidez discutir- discussão
frio- frieza nobre- nobreza pobre-pobreza surdo- progredir- progressão t r a n s m i t i r - t r a n s m i s s ã o
surdez exceder- excesso repercutir- repercussão

3) Nos sufixos -izar, ao formar verbos e -ização, ao formar Emprega-se o Xc e o Xs:


substantivos
Exemplos: Em dígrafos que soam como Ss
civilizar- civilização hospitalizar- hospitalização Exemplos:
colonizar- colonização realizar- realização exceção, excêntrico, excedente, excepcional, exsudar

4) Nos derivados em -zal, -zeiro, -zinho, -zinha, -zito, -zita Observações sobre o uso da letra X
Exemplos: 1) O X pode representar os seguintes fonemas:
cafezal, cafezeiro, cafezinho, arvorezinha, cãozito, avezita /ch/ - xarope, vexame

5) Nos seguintes vocábulos: /cs/ - axila, nexo


azar, azeite, azedo, amizade, buzina, bazar, catequizar, chafariz,
cicatriz, coalizão, cuscuz, proeza, vizinho, xadrez, verniz, etc. /z/ - exame, exílio

6) Nos vocábulos homófonos, estabelecendo distinção no /ss/ - máximo, próximo


contraste entre o S e o Z
Exemplos: /s/ - texto, extenso
cozer (cozinhar) e coser (costurar)
prezar( ter em consideração) e presar (prender) 2) Não soa nos grupos internos -xce- e -xci-
traz (forma do verbo trazer) e trás (parte posterior) Exemplos: excelente, excitar

Observação: em muitas palavras, a letra X soa como Z. Veja os Emprego das letras E e I
exemplos: Na língua falada, a distinção entre as vogais átonas /e/ e /i /
exame exato exausto exemplo existir exótico pode não ser nítida. Observe:
inexorável

Emprego de S, Ç, X e dos Dígrafos Sc, Sç, Ss, Xc, Xs Emprega-se o E:


Existem diversas formas para a representação do fonema /S/. 1) Em sílabas finais dos verbos terminados em -oar, -uar
Observe: Exemplos:
magoar - magoe, magoes
Emprega-se o S: continuar- continue, continues
Nos substantivos derivados de verbos terminados em
“andir”,”ender”, “verter” e “pelir” 2) Em palavras formadas com o prefixo ante- (antes, anterior)
Exemplos: Exemplos: antebraço, antecipar
expandir- expansão pretender- pretensão verter-
versão expelir- expulsão 3) Nos seguintes vocábulos:
estender- extensão suspender- suspensão cadeado, confete, disenteria, empecilho, irrequieto, mexerico,
converter - conversão repelir- repulsão orquídea, etc.

Emprega-se Ç: Emprega-se o I :
Nos substantivos derivados dos verbos “ter” e “torcer” 1) Em sílabas finais dos verbos terminados em -air, -oer, -uir
Exemplos: Exemplos:
ater- atenção torcer- torção cair- cai
deter- detenção distorcer-distorção doer- dói
manter- manutenção contorcer- contorção influir- influi

Emprega-se o X: 2) Em palavras formadas com o prefixo anti- (contra)


Em alguns casos, a letra X soa como Ss Exemplos:
Exemplos: Anticristo, antitetânico
auxílio, expectativa, experto, extroversão, sexta, sintaxe, texto,

Língua Portuguesa 8
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
3) Nos seguintes vocábulos: b) Nos antropônimos, reais ou fictícios.
aborígine, artimanha, chefiar, digladiar, penicilina, privilégio, Exemplos:
etc. Pedro Silva, Cinderela, D. Quixote.

Emprego das letras O e U c) Nos topônimos, reais ou fictícios.


Emprega-se o O/U: Exemplos:
A oposição o/u é responsável pela diferença de significado de Rio de Janeiro, Rússia, Macondo.
algumas palavras. Veja os exemplos:
comprimento (extensão) e cumprimento (saudação, d) Nos nomes mitológicos.
realização) Exemplos:
soar (emitir som) e suar (transpirar) Dionísio, Netuno.

Grafam-se com a letra O: bolacha, bússola, costume, e) Nos nomes de festas e festividades.
moleque. Exemplos:
Natal, Páscoa, Ramadã.
Grafam-se com a letra U: camundongo, jabuti, Manuel, tábua
f) Em siglas, símbolos ou abreviaturas internacionais.
Emprego da letra H Exemplos:
Esta letra, em início ou fim de palavras, não tem valor fonético. ONU, Sr., V. Ex.ª.
Conservou-se apenas como símbolo, por força da etimologia e
da tradição escrita. A palavra hoje, por exemplo, grafa-se desta g) Nos nomes que designam altos conceitos religiosos,
forma devido a sua origem na forma latina hodie. políticos ou nacionalistas.
Exemplos:
Emprega-se o H: Igreja (Católica, Apostólica, Romana), Estado, Nação, Pátria,
1) Inicial, quando etimológico União, etc.
Exemplos: hábito, hesitar, homologar, Horácio
Observação: esses nomes escrevem-se com inicial minúscula
2) Medial, como integrante dos dígrafos ch, lh, nh quando são empregados em sentido geral ou indeterminado.
Exemplos: flecha, telha, companhia Exemplo:
Todos amam sua pátria.
3) Final e inicial, em certas interjeições
Exemplos: ah!, ih!, eh!, oh!, hem?, hum!, etc. Emprego FACULTATIVO de letra maiúscula:
a) Nos nomes de logradouros públicos, templos e edifícios.
4) Em compostos unidos por hífen, no início do segundo Exemplos:
elemento, se etimológico Rua da Liberdade ou rua da Liberdade
Exemplos: anti-higiênico, pré-histórico, super-homem, etc. Igreja do Rosário ou igreja do Rosário
Edifício Azevedo ou edifício Azevedo
Observações:
1) No substantivo Bahia, o “h” sobrevive por tradição. Note que 2) Utiliza-se inicial minúscula:
nos substantivos derivados como baiano, baianada ou baianinha a) Em todos os vocábulos da língua, nos usos correntes.
ele não é utilizado. Exemplos:
carro, flor, boneca, menino, porta, etc.
2) Os vocábulos erva, Espanha e inverno não possuem a
letra “h” na sua composição. No entanto, seus derivados eruditos b) Nos nomes de meses, estações do ano e dias da semana.
sempre são grafados com h. Veja: Exemplos:
herbívoro, hispânico, hibernal. janeiro, julho, dezembro, etc.
segunda, sexta, domingo, etc.
Emprego das Iniciais Maiúsculas e Minúsculas primavera, verão, outono, inverno
1) Utiliza-se inicial maiúscula:
a) No começo de um período, verso ou citação direta. c) Nos pontos cardeais.
Exemplos: Exemplos:
Disse o Padre Antonio Vieira: “Estar com Cristo em qualquer Percorri o país de norte a sul e de leste a oeste.
lugar, ainda que seja no inferno, é estar no Paraíso.” Estes são os pontos colaterais: nordeste, noroeste, sudeste,
sudoeste.
“Auriverde pendão de minha terra,
Que a brisa do Brasil beija e balança, Observação: quando empregados em sua forma absoluta, os
Estandarte que à luz do sol encerra pontos cardeais são grafados com letra maiúscula.
As promessas divinas da Esperança…” Exemplos:
(Castro Alves) Nordeste (região do Brasil)
Ocidente (europeu)
Observações: Oriente (asiático)
- No início dos versos que não abrem período, é facultativo o
uso da letra maiúscula. Lembre-se:
Depois de dois-pontos, não se tratando de citação direta, usa-
Por Exemplo: se letra minúscula.
“Aqui, sim, no meu cantinho,
vendo rir-me o candeeiro, Exemplo:
gozo o bem de estar sozinho “Chegam os magos do Oriente, com suas dádivas: ouro,
e esquecer o mundo inteiro.” incenso, mirra.” (Manuel Bandeira)

- Depois de dois pontos, não se tratando de citação direta, usa- Emprego FACULTATIVO de letra minúscula:
se letra minúscula. a) Nos vocábulos que compõem uma citação bibliográfica.
Por Exemplo: Exemplos:
“Chegam os magos do Oriente, com suas dádivas: ouro, Crime e Castigo ou Crime e castigo
incenso, mirra.” (Manuel Bandeira) Grande Sertão: Veredas ou Grande sertão: veredas

Língua Portuguesa 9
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Em Busca do Tempo Perdido ou Em busca do tempo perdido Se não: equivale a “se por acaso não”, em orações adverbiais
condicionais: Se não houver homens honestos, o país não sairá
b) Nas formas de tratamento e reverência, bem como em desta situação crítica.
nomes sagrados e que designam crenças religiosas.
Exemplos: Tampouco: advérbio, equivale a “também não”: Não
Governador Mário Covas ou governador Mário Covas compareceu, tampouco apresentou qualquer justificativa.
Papa João Paulo II ou papa João Paulo II Tão pouco: advérbio de intensidade: Encontramo-nos tão
Excelentíssimo Senhor Reitor ou excelentíssimo senhor reitor pouco esta semana.
Santa Maria ou santa Maria.
Trás ou Atrás = indicam lugar, são advérbios.
c) Nos nomes que designam domínios de saber, cursos e Traz - do verbo trazer.
disciplinas.
Exemplos: Vultoso: volumoso: Fizemos um trabalho vultoso aqui.
Português ou português Vultuoso: atacado de congestão no rosto: Sua face está
Línguas e Literaturas Modernas ou línguas e literaturas vultuosa e deformada.
modernas Questões
História do Brasil ou história do Brasil
Arquitetura ou arquitetura 01. Que mexer o esqueleto é bom para a saúde já virou
até sabedoria popular. Agora, estudo levanta hipóteses sobre
Fonte: http://www.soportugues.com.br/secoes/fono/ ........................ praticar atividade física..........................benefícios
fono24.php para a totalidade do corpo. Os resultados podem levar a novas
Emprego do Porquê terapias para reabilitar músculos contundidos ou mesmo para
.......................... e restaurar a perda muscular que ocorre com o
Orações avanço da idade.
Interrogativas Exemplo: (Ciência Hoje, março de 2012)
(pode ser Por que devemos nos As lacunas do texto devem ser preenchidas, correta e
substituído por: preocupar com o meio respectivamente, com:
Por por qual motivo, ambiente? (A) porque … trás … previnir
Que por qual razão) (B) porque … traz … previnir
Exemplo: (C) porquê … tras … previnir
Equivalendo (D) por que … traz … prevenir
a “pelo qual” Os motivos por que não (E) por quê … tráz … prevenir
respondeu são desconhecidos.
02. Assinale a opção que completa corretamente as lacunas
Exemplos: da frase abaixo: Não sei o _____ ela está com os olhos vermelhos,
talvez seja _____ chorou.
Você ainda tem coragem de (A) porquê / porque;
Final de
Por perguntar por quê? (B) por que / porque;
frases e seguidos
Quê (C) porque / por que;
de pontuação
Você não vai? Por quê? (D) porquê / por quê;
(E) por que / por quê.
Não sei por quê!
03.
Exemplos:
Conjunção
A situação agravou-se
que indica
porque ninguém reclamou.
explicação ou
causa
Ninguém mais o espera,
Porque porque ele sempre se atrasa.
Conjunção de
Exemplos:
Finalidade –
equivale a “para
Não julgues porque não te Considerando a ortografia e a acentuação da norma-
que”, “a fim de
julguem. padrão da língua portuguesa, as lacunas estão, correta e
que”.
respectivamente, preenchidas por:
Função de (A) mal ... por que ... intuíto
Exemplos:
substantivo (B) mau ... por que ... intuito
– vem (C) mau ... porque ... intuíto
Não é fácil encontrar o
acompanhado (D) mal ... porque ... intuito
Porquê porquê de toda confusão.
de artigo ou (E) mal ... por quê ... intuito
pronome
Dê-me um porquê de sua
saída. 04. Assinale a alternativa que preenche, correta e
respectivamente, as lacunas do trecho a seguir, de acordo com
a norma-padrão.
1. Por que (pergunta)
2. Porque (resposta) Além disso, ___certamente ____entre nós ____do fenômeno da
3. Por quê (fim de frase: motivo) corrupção e das fraudes.
4. O Porquê (substantivo) (A) a … concenso … acerca
(B) há … consenso … acerca
Emprego de outras palavras (C) a … concenso … a cerca
(D) a … consenso … há cerca
Senão: equivale a “caso contrário”, “a não ser”: Não fazia coisa (E) há … consenço … a cerca
nenhuma senão criticar.

Língua Portuguesa 10
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
05. Assinale a alternativa cujas palavras se apresentam Desinências
flexionadas de acordo com a norma-padrão. Quando se conjuga o verbo amar, obtêm-se formas como
(A) Os tabeliãos devem preparar o documento. amava, amavas, amava, amávamos, amáveis, amavam. Essas
(B) Esses cidadões tinham autorização para portar fuzis. modificações ocorrem à medida que o verbo vai sendo flexionado
(C) Para autenticar as certidãos, procure o cartório local. em número (singular e plural) e pessoa (primeira, segunda ou
(D) Ao descer e subir escadas, segure-se nos corrimãos. terceira). Também ocorrem se modificarmos o tempo e o modo
(E) Cuidado com os degrais, que são perigosos! do verbo (amava, amara, amasse, por exemplo).
Podemos concluir, assim, que existem morfemas que indicam
Respostas as flexões das palavras. Esses morfemas sempre surgem no fim
01. D/02. B/03. D/4-B/5-D das palavras variáveis e recebem o nome de desinências. Há
desinências nominais e desinências verbais.
Morfologia: Processos de
Desinências nominais: indicam o gênero e o número dos
formação de palavras; Classes nomes. Para a indicação de gênero, o português costuma opor as
de palavras: substantivo desinências -o/-a: garoto/garota; menino/menina.
(classificação e flexão); Para a indicação de número, costuma-se utilizar o
adjetivo (classificação, flexão morfema –s, que indica o plural em oposição à ausência de
e locução adjetiva); advérbio morfema, que indica o singular: garoto/garotos; garota/garotas;
menino/meninos; menina/meninas.
(classificação, colocação e No caso dos nomes terminados em –r e –z, a desinência de
locução adverbial); conjunções plural assume a forma -es:
(coordenativas e subordinativas); mar/mares;
verbo: flexão verbal (número, revólver/revólveres;
pessoa, modo, tempo, voz), cruz/cruzes.
classificação (regulares, Desinências verbais: em nossa língua, as desinências
irregulares, defectivos, verbais pertencem a dois tipos distintos. Há aqueles que indicam
abundantes, auxiliares e o modo e o tempo (desinências modo-temporais) e aquelas que
principais) e conjugação dos indicam o número e a pessoa dos verbos (desinência número-
tempos simples; pronome pessoais):
  cant-á-va-mos
(classificação e emprego). cant-á-sse-is
cant: radical
cant: radical
Estrutura e formação das palavras -á-: vogal temática
-á-: vogal temática
Observe as seguintes palavras:
escol-a -va-: desinência modo-temporal(caracteriza o pretérito
escol-ar imperfeito do indicativo)
escol-arização -sse-: desinência modo-temporal (caracteriza o pretérito
escol-arizar imperfeito do subjuntivo)
sub-escol-arização -mos: desinência número-pessoal (caracteriza a primeira
Percebemos que há um elemento comum a todas elas: a pessoa do plural)
forma escol-. Além disso, em todas há elementos destacáveis, -is: desinência número-pessoal (caracteriza a segunda
responsáveis por algum detalhe de significação. Compare, por pessoa do plural)
exemplo, escola e escolar: partindo de escola, formou-se escolar
pelo acréscimo do elemento destacável: ar. Vogal temática
Por meio desse trabalho de comparação entre as diversas Observe que, entre o radical cant- e as desinências verbais,
palavras que selecionamos, podemos depreender a existência surge sempre o morfema –a.
de diferentes elementos formadores. Cada um desses elementos Esse morfema, que liga o radical às desinências, é chamado
formadores é uma unidade mínima de significação, um elemento de vogal temática. Sua função é ligar-se ao radical, constituindo
significativo indecomponível, a que damos o nome de morfema. o chamado tema. É ao tema (radical + vogal temática) que se
acrescentam as desinências. Tanto os verbos como os nomes
Classificação dos morfemas: apresentam vogais temáticas.
Radical
Há um morfema comum a todas as palavras que estamos Vogais temáticas nominais: São -a, -e, e -o, quando átonas
analisando: escol-. finais, como em mesa, artista, busca, perda, escola, triste, base,
É esse morfema comum – o radical – que faz com que as combate. Nesses casos, não poderíamos pensar que essas
consideremos palavras de uma mesma família de significação – terminações são desinências indicadoras de gênero, pois a mesa,
os cognatos. O radical é a parte da palavra responsável por sua escola, por exemplo, não sofrem esse tipo de flexão. É a essas
significação principal. vogais temáticas que se liga a desinência indicadora de plural:
mesa-s, escola-s, perda-s. Os nomes terminados em vogais
Afixos tônicas (sofá, café, cipó, caqui, por exemplo) não apresentam
Como vimos, o acréscimo do morfema – ar - cria uma vogal temática.
nova palavra a partir de escola. De maneira semelhante,
o acréscimo dos morfemas sub e arização à forma escol Vogais temáticas verbais: São -a, -e e -i, que caracterizam
criou subescolarização. Esses morfemas recebem o nome de três grupos de verbos a que se dá o nome de conjugações.
afixos. Assim, os verbos cuja vogal temática é -a pertencem à primeira
Quando são colocados antes do radical, como acontece conjugação; aqueles cuja vogal temática é  -e pertencem à
com sub, os afixos recebem o nome de prefixos. Quando, como segunda conjugação e os que têm vogal temática -i pertencem à
arização, surgem depois do radical os afixos são chamados terceira conjugação.
de sufixos.  
Prefixos e sufixos, além de operar mudança de classe primeira conjug. segunda conjug. terceira conjug.
gramatical, são capazes de introduzir modificações de govern-a-va estabelec-e-sse defin-i-ra
significado no radical a que são acrescentados. atac-a-va cr-e-ra imped-i-sse

Língua Portuguesa 11
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
realiz-a-sse mex-e-rá g-i-mos sambódromo (samba: dialeto africano; dromo: grego)
Fonte: http://www.brasilescola.com/gramatica/estrutura-e-
Vogal ou consoante de ligação  formacao-de-palavras-i.htm

As vogais ou consoantes de ligação são morfemas que - Abreviação vocabular, cujo traço peculiar manifesta-
surgem por motivos eufônicos, ou seja, para facilitar ou mesmo se por meio da eliminação de um segmento de uma palavra
possibilitar a leitura de uma determinada palavra. Temos um no intuito de se obter uma forma mais reduzida, geralmente
exemplo de vogal de ligação na palavra escolaridade: o - i - entre aquelas mais longas. Vejamos alguns exemplos: 
os sufixos -ar- e -dade facilita a emissão vocal da palavra. Outros
exemplos: gasômetro, alvinegro, tecnocracia, paulada, cafeteira, metropolitano – metrô
chaleira, tricota. extraordinário – extra
otorrinolaringologista – otorrino
Processos de formação de palavras: telefone – fone
1-) Composição pneumático – pneu
Haverá composição quando se juntarem dois ou mais
radicais para formar nova palavra. Há dois tipos de composição; - Onomatopeia: Consiste em criar palavras, tentando
justaposição e aglutinação. imitar sons da natureza ou sons repetidos. Por exemplo: zum-
1.1-) Justaposição: ocorre quando os elementos que zum, cri-cri, tique-taque, pingue-pongue, blá-blá-blá.
formam o composto são postos lado a lado, ou seja, justapostos:  
Corre-corre, guarda-roupa, segunda-feira, girassol. - Siglas: As siglas são formadas pela combinação das
1.2-) Aglutinação: ocorre quando os elementos que letras iniciais de uma sequência de palavras que constitui um
formam o composto se aglutinam e pelo menos um deles perde nome. Por exemplo:IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e
sua integridade sonora: Aguardente (água + ardente), planalto Estatística); IPTU (Imposto Predial, Territorial e Urbano).
(plano + alto), pernalta (perna + alta), vinagre (vinho + acre) As siglas escrevem-se com todas as letras maiúsculas, a não
ser que haja mais de três letras e  a sigla seja pronunciável sílaba
Derivação por acréscimo de afixos  por sílaba. Por exemplo: Unicamp, Petrobras. 
É o processo pelo qual se obtêm palavras novas (derivadas)  
pela anexação de afixos à palavra primitiva. A derivação pode Questões
ser: prefixal, sufixal e parassintética.
1-) Prefixal (ou prefixação): a palavra nova é obtida por 01. Assinale a opção em que todas as palavras se formam
acréscimo de prefixo. pelo mesmo processo:
In------ --feliz        des----------leal A) ajoelhar / antebraço / assinatura
Prefixo radical  prefixo radical B) atraso / embarque / pesca
C) o jota / o sim / o tropeço
2-) Sufixal (ou sufixação): a palavra nova é obtida por D) entrega / estupidez / sobreviver
acréscimo de sufixo. E) antepor / exportação / sanguessuga
Feliz---- mente    leal------dade
Radical sufixo   radical sufixo 02. A palavra “aguardente” formou-se por:
A) hibridismo
3-) Parassintética: a palavra nova é obtida pelo acréscimo B) aglutinação
simultâneo de prefixo e sufixo (não posso retirar o prefixo nem o C) justaposição
sufixo que estão ligados ao radical, pois a palavra não “existiria”). D) parassíntese
Por parassíntese formam-se principalmente verbos. E) derivação regressiva
En-- -----trist- ----ecer
Prefixo radical  sufixo 03. Que item contém somente palavras formadas por
justaposição?
en----- ---tard--- --ecer  A) desagradável - complemente
prefixo radical sufixo B) vaga-lume - pé-de-cabra
C) encruzilhada - estremeceu
Outros tipos de derivação D) supersticiosa - valiosas
E) desatarraxou - estremeceu
Há dois casos em que a palavra derivada é formada sem que
haja a presença de afixos. São eles: a derivação regressiva e a 04. “Sarampo” é:
derivação imprópria. A) forma primitiva
B) formado por derivação parassintética
1-) Derivação regressiva: a palavra nova é obtida por C) formado por derivação regressiva
redução da palavra primitiva. Ocorre, sobretudo, na formação D) formado por derivação imprópria
de substantivos derivados de verbos. Exemplo: A pesca está E) formado por onomatopeia
proibida. (pescar). Proibida a caça. (caçar)
Respostas
2-) Derivação imprópria:  a palavra nova (derivada) 01. (B) / 2. (B) / 3. (B) / 4. (C)
é obtida pela mudança de categoria gramatical da palavra
primitiva. Não ocorre, pois, alteração na forma, mas tão somente Classes de Palavras
na classe gramatical.
Não entendi o porquê da briga. (o substantivo porquê deriva Artigo
da conjunção porque)
Seu olhar me fascina! (o verbo olhar tornou-se, aqui, Artigo é a palavra que, vindo antes de um substantivo, indica
substantivo) se ele está sendo empregado de maneira definida ou indefinida.
Além disso, o artigo indica, ao mesmo tempo, o gênero e o
Outros processos de formação de palavras: número dos substantivos.

- Hibridismo: é a palavra formada com elementos oriundos Classificação dos Artigos


de línguas diferentes.
automóvel (auto: grego; móvel: latim) Artigos Definidos: determinam os substantivos de maneira
sociologia (socio: latim; logia: grego) precisa: o, a, os, as. Por exemplo: Eu matei o animal.

Língua Portuguesa 12
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Artigos Indefinidos:  determinam os substantivos - Não se deve usar artigo antes das palavras casa (no sentido
de maneira vaga: um, uma, uns, umas. Por exemplo: Eu de lar, moradia) e terra (no sentido de chão firme), a menos que
matei um animal. venham especificadas.
Eles estavam em casa.
Combinação dos Artigos Eles estavam na casa dos amigos.
É muito presente a combinação dos artigos definidos e Os marinheiros permaneceram em terra.
indefinidos com preposições. Este quadro apresenta a forma Os marinheiros permanecem na terra dos anões.
assumida por essas combinações:
- Não se emprega artigo antes dos pronomes de tratamento,
Preposições Artigos com exceção de senhor(a), senhorita e dona.
- o, os Vossa excelência resolverá os problemas de Sua Senhoria.
a ao, aos - Não se une com preposição o artigo que faz parte do nome
de do, dos de revistas, jornais, obras literárias.
Li a notícia em O Estado de S. Paulo.
em no, nos
por (per) pelo, pelos Morfossintaxe
a, as um, uns uma, umas Para definir o que é artigo é preciso mencionar suas relações
à, às - - com o substantivo. Assim, nas orações da língua portuguesa,
o artigo exerce a função de adjunto adnominal do substantivo
da, das dum, duns duma, dumas a que se refere. Tal função independe da função exercida pelo
na, nas num, nuns numa, numas substantivo:
pela, pelas - - A existência é uma poesia.
Uma existência é a poesia.
- As formas à e às indicam a fusão da preposição a com o
artigo definido a. Essa fusão de vogais idênticas é conhecida Questões
por crase.
01. Determine o caso em que o artigo tem valor qualificativo:
Constatemos as circunstâncias em que os artigos se A) Estes são os candidatos que lhe falei.
manifestam: B) Procure-o, ele é o médico! Ninguém o supera.
C) Certeza e exatidão, estas qualidades não as tenho.
- Considera-se obrigatório o uso do artigo depois do numeral D) Os problemas que o afligem não me deixam descuidado.
“ambos”: E) Muito é a procura; pouca é a oferta.
Ambos os garotos decidiram participar das olimpíadas.
02. Em qual dos casos o artigo denota familiaridade?
- Nomes próprios indicativos de lugar admitem o uso do A) O Amazonas é um rio imenso.
artigo, outros não: B) D. Manuel, o Venturoso, era bastante esperto.
São Paulo, O Rio de Janeiro, Veneza, A Bahia... C) O Antônio comunicou-se com o João.
D) O professor João Ribeiro está doente.
- Quando indicado no singular, o artigo definido pode indicar E) Os Lusíadas são um poema épico
toda uma espécie:
O trabalho dignifica o homem. 03.Assinale a alternativa em que o uso do artigo está
substantivando uma palavra.
- No caso de nomes próprios personativos, denotando a ideia A) A liberdade vai marcar a poesia social de Castro Alves.
de familiaridade ou afetividade, é facultativo o uso do artigo: B) Leitor perspicaz é aquele que consegue ler as entrelinhas.
O Pedro é o xodó da família. C) A navalha ia e vinha no couro esticado.
D) Haroldo ficou encantado com o andar de bailado de Joana.
- No caso de os nomes próprios personativos estarem no E) Bárbara dirigia os olhos para a lua encantada.
plural, são determinados pelo uso do artigo:
Os Maias, os Incas, Os Astecas... Respostas
1-B / 2-C / 3-D
- Usa-se o artigo depois do pronome indefinido todo(a) para
conferir uma ideia de totalidade. Sem o uso dele (o artigo), o Substantivo
pronome assume a noção de qualquer.
Toda a classe parabenizou o professor. (a sala toda) Tudo o que existe é ser e cada ser tem um nome. Substantivo é
Toda classe possui alunos interessados e desinteressados. a classe gramatical de palavras variáveis, as quais denominam
(qualquer classe) os seres. Além de objetos, pessoas e fenômenos, os substantivos
também nomeiam:
- Antes de pronomes possessivos, o uso do artigo é facultativo: -lugares: Alemanha, Porto Alegre...
Adoro o meu vestido longo. Adoro meu vestido longo. -sentimentos: raiva, amor...
- A utilização do artigo indefinido pode indicar uma ideia de -estados: alegria, tristeza...
aproximação numérica: -qualidades: honestidade, sinceridade...
O máximo que ele deve ter é uns vinte anos. -ações: corrida, pescaria...
- O artigo também é usado para substantivar palavras Morfossintaxe do substantivo
oriundas de outras classes gramaticais:
Não sei o porquê de tudo isso. Nas orações de língua portuguesa, o substantivo em geral
exerce funções diretamente relacionadas com o verbo: atua
- Nunca deve ser usado artigo depois do pronome relativo como núcleo do sujeito, dos complementos verbais (objeto
cujo (e flexões). direto ou indireto) e do agente da passiva. Pode ainda funcionar
Este é o homem cujo amigo desapareceu. como núcleo do complemento nominal ou do aposto, como
Este é o autor cuja obra conheço. núcleo do predicativo do sujeito ou do objeto ou como núcleo
do vocativo. Também encontramos substantivos como núcleos

Língua Portuguesa 13
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
de adjuntos adnominais e de adjuntos adverbiais - quando essas (enxame) para designar um conjunto de seres da mesma espécie
funções são desempenhadas por grupos de palavras.  (abelhas).
O substantivo enxame é um substantivo coletivo.
Classificação dos Substantivos
Substantivo Coletivo: é o substantivo comum que, mesmo
1-  Substantivos Comuns e Próprios estando no singular, designa um conjunto de seres da mesma
Observe a definição: espécie.
Formação dos Substantivos
s.f. 1: Povoação maior que vila, com muitas casas e edifícios, Substantivos Simples e Compostos
dispostos em ruas e avenidas (no Brasil, toda a sede de município
é cidade). 2. O centro de uma cidade (em oposição aos bairros). Chuva - subst. Fem. 1 - água caindo em gotas sobre a terra.

Qualquer “povoação maior que vila, com muitas casas e O substantivo chuva é formado por um único elemento ou
edifícios, dispostos em ruas e avenidas” será chamada  cidade. radical. É um substantivo simples.
Isso significa que a palavra cidade é um substantivo comum. Substantivo Simples: é aquele formado por um único
Substantivo Comum é aquele que designa os seres de uma elemento.
mesma espécie de forma genérica. Outros substantivos simples: tempo, sol, sofá, etc. Veja agora:
cidade, menino, homem, mulher, país, cachorro. O substantivo guarda-chuva é formado por dois elementos
(guarda + chuva). Esse substantivo é composto.
Estamos voando para Barcelona. Substantivo Composto: é aquele formado por dois ou mais
elementos.
O substantivo Barcelona designa apenas um ser da espécie Outros exemplos: beija-flor, passatempo.
cidade. Esse substantivo é próprio. Substantivo Próprio: é  
aquele que designa os seres de uma mesma espécie de forma Substantivos Primitivos e Derivados
particular. Meu limão meu limoeiro,
meu pé de jacarandá...
Londres, Paulinho, Pedro, Tietê, Brasil.
O substantivo limão é primitivo, pois não se originou de
2 - Substantivos Concretos e Abstratos nenhum outro dentro de língua portuguesa.
Substantivo Primitivo: é aquele que não deriva de nenhuma
LÂMPADA MALA outra palavra da própria língua portuguesa.
O substantivo limoeiro é derivado, pois se originou a partir
Os substantivos lâmpada e mala  designam seres com da palavra limão.
existência própria, que são independentes de outros seres. São Substantivo Derivado: é aquele que se origina de outra
assim, substantivos concretos. palavra.
Substantivo Concreto: é aquele que designa o ser que existe,
independentemente de outros seres. Flexão dos substantivos
O substantivo é uma classe variável. A palavra é variável
quando sofre flexão (variação). A palavra menino, por exemplo,
Obs.: os substantivos concretos designam seres do mundo pode sofrer variações para indicar:
real e do mundo imaginário. Plural: meninos
Feminino: menina
Seres do mundo real: homem, mulher, cadeira, cobra, Brasília, Aumentativo: meninão
etc. Diminutivo: menininho
Seres do mundo imaginário: saci, mãe-d’água, fantasma, etc.
  Flexão de Gênero
Observe agora: Gênero é a propriedade que as palavras têm de indicar
sexo real ou fictício dos seres. Na língua portuguesa,
Beleza exposta há dois gêneros: masculino e feminino. Pertencem ao
Jovens atrizes veteranas destacam-se pelo visual. gênero masculino os substantivos que podem vir precedidos dos
artigos o, os, um, uns. Veja estes títulos de filmes:
O substantivo beleza designa uma qualidade. O velho e o mar
Substantivo Abstrato: é aquele que designa seres que Um Natal inesquecível
dependem de outros para se manifestar ou existir. Os reis da praia
Pense bem: a beleza não existe por si só, não pode ser  
observada. Só podemos observar a beleza numa pessoa ou coisa Pertencem ao gênero feminino os substantivos que podem
que seja bela. A beleza depende de outro ser para se manifestar. vir precedidos dos artigos a, as, uma, umas:
Portanto, a palavra beleza é um substantivo abstrato. A história sem fim
Os substantivos abstratos designam estados, qualidades, Uma cidade sem passado
ações e sentimentos dos seres, dos quais podem ser abstraídos, As tartarugas ninjas
e sem os quais não podem existir.
vida (estado), rapidez (qualidade), viagem (ação), saudade Substantivos Biformes e Substantivos Uniformes
(sentimento).  
Substantivos Biformes (= duas formas):  ao indicar nomes
3 - Substantivos Coletivos de seres vivos, geralmente o gênero da palavra está relacionado
Ele vinha pela estrada e foi picado por uma abelha, outra ao sexo do ser, havendo, portanto, duas formas, uma para o
abelha, mais outra abelha. masculino e outra para o feminino. Observe: gato – gata, homem
Ele vinha pela estrada e foi picado por várias abelhas. – mulher, poeta – poetisa, prefeito - prefeita
Ele vinha pela estrada e foi picado por um enxame.
Substantivos Uniformes: são aqueles que apresentam uma
Note que, no primeiro caso, para indicar plural, foi necessário única forma, que serve tanto para o masculino quanto para o
repetir o substantivo: uma abelha, outra abelha, mais outra feminino. Classificam-se em:
abelha... - Epicenos: têm um só gênero e nomeiam bichos.
No segundo caso, utilizaram-se duas palavras no plural. a cobra macho e a cobra fêmea, o jacaré macho e o jacaré
No terceiro caso, empregou-se um substantivo no singular fêmea.

Língua Portuguesa 14
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
- Sobrecomuns: têm um só gênero e nomeiam pessoas. Outros substantivos sobrecomuns:
a criança, a testemunha, a vítima, o cônjuge, o gênio, o ídolo, a criatura = João é uma boa criatura. Maria é uma boa
o indivíduo. criatura.
o cônjuge = O cônjuge de João faleceu. O
- Comuns de Dois Gêneros: indicam o sexo das pessoas por cônjuge de Marcela faleceu
meio do artigo.
o colega e a colega, o doente e a doente, o artista e a artista. Comuns de Dois Gêneros:
Saiba que:
- Substantivos de origem grega terminados em ema ou oma, Motorista tem acidente idêntico 23 anos depois.
são masculinos. Quem sofreu o acidente: um homem ou uma mulher?
o axioma, o fonema, o poema, o sistema, o sintoma, o teorema. É impossível saber apenas pelo título da notícia, uma vez
- Existem certos substantivos que, variando de gênero, que a palavra motorista é um substantivo uniforme. O restante
variam em seu significado. da notícia informa-nos de que se trata de um homem.
o rádio (aparelho receptor) e a rádio (estação emissora) o A distinção de gênero pode ser feita através da análise do
capital (dinheiro) e a capital (cidade) artigo ou adjetivo, quando acompanharem o substantivo.
o colega - a colega
Formação do Feminino dos Substantivos Biformes um jovem - uma jovem
a) Regra geral: troca-se a terminação -o por -a. artista famoso - artista famosa
aluno - aluna
- A palavra personagem é usada indistintamente nos dois
b) Substantivos terminados em -ês: acrescenta-se -a ao gêneros.
masculino. a) Entre os escritores modernos nota-se acentuada
freguês - freguesa preferência pelo masculino:
O menino descobriu nas nuvens os personagens dos contos de
c) Substantivos terminados em -ão: fazem o feminino de três carochinha.
formas: b) Com referência a mulher, deve-se preferir o feminino:
- troca-se -ão por -oa. = patrão – patroa O problema está nas mulheres de mais idade, que não aceitam
- troca-se -ão por -ã. = campeão - campeã a personagem.
- troca-se -ão por ona. = solteirão - solteirona Não cheguei assim, nem era minha intenção, a criar uma
personagem.
Exceções: barão – baronesa ladrão- ladra sultão - sultana - Diz-se: o (ou a) manequim Marcela, o (ou a) modelo
fotográfico Ana Belmonte.
d) Substantivos terminados em -or:
- acrescenta-se -a ao masculino = doutor – doutora Observe o gênero dos substantivos seguintes:
- troca-se -or por -triz: = imperador - imperatriz
Masculinos
e) Substantivos com feminino em -esa, -essa, -isa: o tapa
cônsul - consulesa abade - abadessa poeta - poetisa o eclipse
duque - duquesa conde - condessa profeta - profetisa o lança-perfume
o dó (pena)
f) Substantivos que formam o feminino trocando o -e final o sanduíche
por -a: o clarinete
elefante - elefanta o champanha
o sósia
g) Substantivos que têm radicais diferentes no masculino e o maracajá
no feminino: o clã
bode – cabra boi - vaca o hosana
o herpes
h) Substantivos que formam o feminino de maneira especial, o pijama
isto é, não seguem nenhuma das regras anteriores:
czar – czarina réu - ré Femininos
a dinamite
Formação do Feminino dos Substantivos Uniformes a áspide
a derme
- Epicenos: a hélice
Novo jacaré escapa de policiais no rio Pinheiros. a alcíone
Não é possível saber o sexo do jacaré em questão. Isso ocorre a filoxera
porque o substantivo jacaré tem apenas uma forma para indicar a clâmide
o masculino e o feminino. a omoplata
Alguns nomes de animais apresentam uma só forma para a cataplasma
designar os dois sexos. Esses substantivos são chamados de a pane
epicenos. No caso dos epicenos, quando houver a necessidade a mascote
de especificar o sexo, utilizam-se palavras macho e fêmea. a gênese
A cobra macho picou o marinheiro. a entorse
A cobra fêmea escondeu-se na bananeira. a libido

Sobrecomuns: - São geralmente masculinos os substantivos de origem


grega terminados em -ma:
Entregue as crianças à natureza. o grama (peso)
A palavra crianças refere-se tanto a seres do sexo masculino, o quilograma
quanto a seres do sexo feminino. Nesse caso, nem o artigo nem o plasma
um possível adjetivo permitem identificar o sexo dos seres a que o apostema
se refere a palavra. Veja: o diagrama
A criança chorona chamava-se João. o epigrama
A criança chorona chamava-se Maria. o telefonema

Língua Portuguesa 15
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
o estratagema o nascente (lado onde nasce o Sol)
o dilema a nascente (a fonte)
o teorema
o apotegma Flexão de Número do Substantivo
o trema
o eczema Em português, há dois números gramaticais: o singular, que
o edema indica um ser ou um grupo de seres, e
o magma o plural, que indica mais de um ser ou grupo de seres. A
característica do plural é o “s” final.
Exceções: a cataplasma, a celeuma, a fleuma, etc.
Plural dos Substantivos Simples
Gênero dos Nomes de Cidades:
a) Os substantivos terminados em vogal, ditongo oral e “n”
Com raras exceções, nomes de cidades são femininos. fazem o plural pelo acréscimo de “s”.
A histórica Ouro Preto. pai – pais ímã - ímãs hífen - hifens (sem acento, no
A dinâmica São Paulo. plural).
A acolhedora Porto Alegre. Exceção: cânon - cânones.
Uma Londres imensa e triste.
b) Os substantivos terminados em “m” fazem o plural em
Exceções: o Rio de Janeiro, o Cairo, o Porto, o Havre. “ns”.
homem - homens.
Gênero e Significação:
c) Os substantivos terminados em “r” e “z” fazem o plural
Muitos substantivos têm uma significação no masculino e pelo acréscimo de “es”.
outra no feminino. revólver – revólveres raiz - raízes
Observe: Atenção: O plural de caráter é caracteres.

o baliza (soldado que, que à frente da tropa, indica os d) Os substantivos terminados em al, el, ol, ul flexionam-se
movimentos que se deve realizar em conjunto; o que vai à frente no plural, trocando o “l” por “is”.
de um bloco carnavalesco, manejando um bastão) quintal - quintais caracol – caracóis hotel - hotéis
a baliza (marco, estaca; sinal que marca um limite ou Exceções: mal e males, cônsul e cônsules.
proibição de trânsito)
e) Os substantivos terminados em “il” fazem o plural de duas
o cabeça (chefe) maneiras:
a cabeça (parte do corpo) - Quando oxítonos, em “is”: canil - canis
- Quando paroxítonos, em “eis”: míssil - mísseis.
o cisma (separação religiosa, dissidência) Obs.: a palavra réptil pode formar seu plural de duas
a cisma (ato de cismar, desconfiança) maneiras: répteis ou reptis (pouco usada).

o cinza (a cor cinzenta) f) Os substantivos terminados em “s” fazem o plural de duas


a cinza (resíduos de combustão) maneiras:
- Quando monossilábicos ou oxítonos, mediante o acréscimo
o capital (dinheiro) de “es”: ás – ases / retrós - retroses
a capital (cidade) - Quando paroxítonos ou proparoxítonos, ficam invariáveis:
o lápis - os lápis / o ônibus - os ônibus.
o coma (perda dos sentidos)
a coma (cabeleira) g) Os substantivos terminados em “ao” fazem o plural de três
maneiras.
o coral (pólipo, a cor vermelha, canto em coro) - substituindo o -ão por -ões: ação - ações
a coral (cobra venenosa) - substituindo o -ão por -ães: cão - cães
- substituindo o -ão por -ãos: grão - grãos
o crisma (óleo sagrado, usado na administração da crisma e h) Os substantivos terminados em “x” ficam invariáveis: o
de outros sacramentos) látex - os látex.
a crisma (sacramento da confirmação)
Plural dos Substantivos Compostos
o cura (pároco) A formação do plural dos substantivos compostos depende
a cura (ato de curar) da forma como são grafados, do tipo de palavras que formam
o composto e da relação que estabelecem entre si. Aqueles que
o estepe (pneu sobressalente) são grafados sem hífen comportam-se como os substantivos
a estepe (vasta planície de vegetação) simples:
aguardente e aguardentes girassol e girassóis
o guia (pessoa que guia outras) pontapé e pontapés malmequer e malmequeres
a guia (documento, pena grande das asas das aves)
O plural dos substantivos compostos cujos elementos são
o grama (unidade de peso) ligados por hífen costuma provocar muitas dúvidas e discussões.
a grama (relva) Algumas orientações são dadas a seguir:

o caixa (funcionário da caixa) a) Flexionam-se os dois elementos, quando formados de:


a caixa (recipiente, setor de pagamentos) substantivo + substantivo = couve-flor e couves-flores
substantivo + adjetivo = amor-perfeito e amores-perfeitos
o lente (professor) adjetivo + substantivo = gentil-homem e gentis-homens
a lente (vidro de aumento) numeral + substantivo = quinta-feira e quintas-feiras

o moral (ânimo) b) Flexiona-se somente o segundo elemento, quando


a moral (honestidade, bons costumes, ética) formados de:

Língua Portuguesa 16
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
verbo + substantivo = guarda-roupa e guarda-roupas os jipes os esportes
palavra invariável + palavra variável = alto-falante e alto- as toaletes os bibelôs
falantes os garçons os réquiens
palavras repetidas ou imitativas = reco-reco e reco-recos
Observe o exemplo:
c) Flexiona-se somente o primeiro elemento, quando Este jogador faz gols toda vez que joga.
formados de: O plural correto seria gois (ô), mas não se usa.
substantivo + preposição clara + substantivo = água-de-
colônia e águas-de-colônia Plural com Mudança de Timbre
substantivo + preposição oculta + substantivo = cavalo-
vapor e cavalos-vapor Certos substantivos formam o plural com mudança de
substantivo + substantivo que funciona como determinante timbre da vogal tônica (o fechado / o aberto). É um fato fonético
do primeiro, ou seja, especifica a função ou o tipo do termo chamado metafonia (plural metafônico).
anterior.
palavra-chave - palavras-chave
bomba-relógio - bombas-relógio Singular Plural Singular Plural
notícia-bomba - notícias-bomba corpo (ô) corpos (ó) osso (ô) ossos (ó)
homem-rã - homens-rã esforço esforços ovo ovos
fogo fogos poço poços
d) Permanecem invariáveis, quando formados de: forno fornos porto portos
verbo + advérbio = o bota-fora e os bota-fora fosso fossos posto postos
verbo + substantivo no plural = o saca-rolhas e os saca-rolhas imposto impostos rogo rogos
olho olhos tijolo tijolos
e) Casos Especiais
o louva-a-deus e os louva-a-deus
Têm a vogal tônica fechada (ô): adornos, almoços, bolsos,
o bem-te-vi e os bem-te-vis
esposos, estojos, globos, gostos, polvos, rolos, soros, etc.
o bem-me-quer e os bem-me-queres
Obs.: distinga-se molho (ô) = caldo (molho de carne), de
o joão-ninguém e os joões-ninguém.
molho (ó) = feixe (molho de lenha).
Plural das Palavras Substantivadas
Particularidades sobre o Número dos Substantivos
As palavras substantivadas, isto é, palavras de outras classes
a) Há substantivos que só se usam no singular:
gramaticais usadas como substantivo, apresentam, no plural, as
o sul, o norte, o leste, o oeste, a fé, etc.
flexões próprias dos substantivos.
Pese bem os prós e os contras.
b) Outros só no plural:
O aluno errou na prova dos noves.
as núpcias, os víveres, os pêsames, as espadas/os paus
Ouça com a mesma serenidade os sins e os nãos.
(naipes de baralho), as fezes.
Obs.: numerais substantivados terminados em “s” ou “z” não
variam no plural.
c) Outros, enfim, têm, no plural, sentido diferente do singular:
Nas provas mensais consegui muitos seis e alguns dez.
bem (virtude) e bens (riquezas)
honra (probidade, bom nome) e honras (homenagem,
Plural dos Diminutivos
títulos)
Flexiona-se o substantivo no plural, retira-se o “s” final e
d) Usamos às vezes, os substantivos no singular, mas com
acrescenta-se o sufixo diminutivo.
sentido de plural:
pãe(s) + zinhos = pãezinhos
Aqui morreu muito negro.
animai(s) + zinhos = animaizinhos
Celebraram o sacrifício divino muitas vezes em capelas
botõe(s) + zinhos = botõezinhos
improvisadas.
chapéu(s) + zinhos = chapeuzinhos
farói(s) + zinhos = faroizinhos
Flexão de Grau do Substantivo
tren(s) + zinhos = trenzinhos
Grau é a propriedade que as palavras têm de exprimir as
colhere(s) + zinhas = colherezinhas
variações de tamanho dos seres. Classifica-se em:
flore(s) + zinhas = florezinhas
mão(s) + zinhas = mãozinhas
- Grau Normal - Indica um ser de tamanho considerado
papéi(s) + zinhos = papeizinhos
normal. Por exemplo: casa
nuven(s) + zinhas = nuvenzinhas
funi(s) + zinhos = funizinhos
- Grau Aumentativo - Indica o aumento do tamanho do ser.
pé(s) + zitos = pezitos
Classifica-se em:
Analítico = o substantivo é acompanhado de um adjetivo que
Plural dos Nomes Próprios Personativos
indica grandeza. Por exemplo: casa grande.
Sintético = é acrescido ao substantivo um sufixo indicador de
Devem-se pluralizar os nomes próprios de pessoas sempre
aumento. Por exemplo: casarão.
que a terminação preste-se à flexão.
Os Napoleões também são derrotados.
- Grau Diminutivo - Indica a diminuição do tamanho do ser.
As Raquéis e Esteres.
Pode ser:
Plural dos Substantivos Estrangeiros
Analítico = substantivo acompanhado de um adjetivo que
indica pequenez. Por exemplo: casa pequena.
Substantivos ainda não aportuguesados devem ser escritos
como na língua original, acrescentando -se “s” (exceto quando
Sintético = é acrescido ao substantivo um sufixo indicador de
terminam em “s” ou “z”).
diminuição. Por exemplo: casinha.
os shows os shorts os jazz
Substantivos já aportuguesados flexionam-se de acordo com
Fonte: http://www.soportugues.com.br/secoes/morf/morf12.php
as regras de nossa língua:
os clubes os chopes

Língua Portuguesa 17
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Questões Bélgica belgo- / Por exemplo: Acampamentos belgo-
franceses
01. A flexão de número do termo “preços-sombra” também
ocorre com o plural de China sino- / Por exemplo: Acordos sino-japoneses
(A) reco-reco.
Espanha hispano- / Por exemplo: Mercado hispano-
(B) guarda-costa.
português
(C) guarda-noturno.
(D) célula-tronco. Europa euro- / Por exemplo: Negociações euro-
(E) sem-vergonha. americanas
França franco- ou galo- / Por exemplo: Reuniões
02. Assinale a alternativa cujas palavras se apresentam
franco-italianas
flexionadas de acordo com a norma-padrão.
(A) Os tabeliãos devem preparar o documento. Grécia greco- / Por exemplo: Filmes greco-romanos
(B) Esses cidadões tinham autorização para portar fuzis.
Inglaterra anglo- / Por exemplo: Letras anglo-
(C) Para autenticar as certidãos, procure o cartório local.
portuguesas
(D) Ao descer e subir escadas, segure-se nos corrimãos.
(E) Cuidado com os degrais, que são perigosos! Itália ítalo- / Por exemplo: Sociedade ítalo-
portuguesa
03. Indique a alternativa em que a flexão do substantivo está
Japão nipo- / Por exemplo: Associações nipo-
errada:
brasileiras
A) Catalães.
B) Cidadãos. Portugal luso- / Por exemplo: Acordos luso-brasileiros
C) Vulcães.
D) Corrimões. Flexão dos adjetivos
Respostas
1-D / 2-D / 3-C O adjetivo varia em gênero, número e grau.

Adjetivo Gênero dos Adjetivos

Adjetivo é a palavra que expressa uma qualidade ou Os adjetivos concordam com o substantivo a que se referem
característica do ser e se relaciona com o substantivo. (masculino e feminino). De forma semelhante aos substantivos,
Ao analisarmos a palavra bondoso, por exemplo, percebemos classificam-se em: 
que, além de expressar uma qualidade, ela pode ser colocada ao Biformes - têm duas formas, sendo uma para o masculino e
lado de um substantivo: homem bondoso, moça bondosa, pessoa outra para o feminino.
bondosa.
Já com a palavra bondade, embora expresse uma qualidade, Por exemplo: ativo e ativa, mau e má, judeu e judia.
não acontece o mesmo; não faz sentido dizer: homem bondade,
moça bondade, pessoa bondade.  Se o adjetivo é composto e biforme, ele flexiona no feminino
Bondade, portanto, não é adjetivo, mas substantivo. somente o último elemento.
Por exemplo: o moço norte-americano, a moça norte-
Morfossintaxe do Adjetivo: americana. 
O adjetivo exerce sempre funções sintáticas (função dentro
de uma oração) relativas aos substantivos, atuando como adjunto Uniformes - têm uma só forma tanto para o masculino como
adnominal ou como predicativo (do sujeito ou do objeto). para o feminino. Por exemplo: homem feliz e mulher feliz.
Se o adjetivo é composto e uniforme, fica invariável no
Adjetivo Pátrio feminino. Por exemplo: conflito político-social e desavença
Indica a nacionalidade ou o lugar de origem do ser. Observe político-social.
alguns deles:
Estados e cidades brasileiros: Número dos Adjetivos
Plural dos adjetivos simples
Os adjetivos simples flexionam-se no plural de acordo com
Alagoas alagoano
as regras estabelecidas para a flexão numérica dos substantivos
Amapá amapaense simples.
Por exemplo:
Aracaju aracajuano ou aracajuense
mau e maus
Amazonas amazonense ou baré feliz e felizes
ruim e ruins
Belo Horizonte belo-horizontino
boa e boas
Brasília brasiliense
Caso o adjetivo seja uma palavra que também exerça função
Cabo Frio cabo-friense
de substantivo, ficará invariável, ou seja, se a palavra que estiver
Campinas campineiro ou campinense qualificando um elemento for, originalmente, um substantivo,
ela manterá sua forma primitiva. Exemplo: a palavra cinza é
Adjetivo Pátrio Composto  originalmente um substantivo; porém, se estiver qualificando
Na formação do adjetivo pátrio composto, o primeiro um elemento, funcionará como adjetivo. Ficará, então, invariável.
elemento aparece na forma reduzida e, normalmente, erudita. Logo: camisas cinza, ternos cinza.
Observe alguns exemplos: Veja outros exemplos:

Motos vinho (mas: motos verdes)


África afro- / Por exemplo: Cultura afro-americana Paredes musgo (mas: paredes brancas).
Alemanha germano- ou teuto- / Por exemplo: Comícios monstro (mas: comícios grandiosos).
Competições teuto-inglesas
Adjetivo Composto
América américo- / Por exemplo: Companhia É aquele formado por dois ou mais elementos. Normalmente,
américo-africana esses elementos são ligados por hífen. Apenas o último elemento

Língua Portuguesa 18
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
concorda com o substantivo a que se refere; os demais ficam Sou menos passivo (do) que tolerante.
na forma masculina, singular. Caso um dos elementos que
formam o adjetivo composto seja um substantivo adjetivado, Superlativo
todo o adjetivo composto ficará invariável. Por exemplo: a
palavra rosa é originalmente um substantivo, porém, se estiver O superlativo expressa qualidades num grau muito
qualificando um elemento, funcionará como adjetivo. Caso se elevado ou em grau máximo. O grau superlativo pode ser
ligue a outra palavra por hífen, formará um adjetivo composto; absoluto ou relativo e apresenta as seguintes modalidades:
como é um substantivo adjetivado, o adjetivo composto inteiro Superlativo Absoluto: ocorre quando a qualidade de um
ficará invariável. Por exemplo: ser é intensificada, sem relação com outros seres. Apresenta-se
nas formas:
Camisas rosa-claro. Analítica: a intensificação se faz com o auxílio de palavras
Ternos rosa-claro. que dão ideia de intensidade (advérbios). Por exemplo: O
Olhos verde-claros. secretário é muito inteligente.
Calças azul-escuras e camisas verde-mar. Sintética: a intensificação se faz por meio do acréscimo de
Telhados marrom-café e paredes verde-claras. sufixos.
Por exemplo:
Observe O secretário é inteligentíssimo.
- Azul-marinho, azul-celeste, ultravioleta e qualquer adjetivo
composto iniciado por cor-de-... são sempre invariáveis. Observe alguns superlativos sintéticos: 
- O adjetivo composto pele-vermelha têm os dois elementos
flexionados.
benéfico beneficentíssimo
Grau do Adjetivo bom boníssimo ou ótimo

Os adjetivos flexionam-se em grau para indicar a comum comuníssimo


intensidade da qualidade do ser. São dois os graus do adjetivo: cruel crudelíssimo
o comparativo e o superlativo.
difícil dificílimo
Comparativo doce dulcíssimo

Nesse grau, comparam-se a mesma característica fácil facílimo


atribuída a dois ou mais seres ou duas ou mais características fiel fidelíssimo
atribuídas ao mesmo ser. O comparativo pode ser de igualdade,
de superioridade ou de inferioridade. Observe os exemplos Superlativo Relativo: ocorre quando a qualidade de um ser
abaixo: é intensificada em relação a um conjunto de seres. Essa relação
pode ser:
1) Sou tão alto como você.  = Comparativo de Igualdade De Superioridade: Clara é a mais bela da sala.
No comparativo de igualdade, o segundo termo da De Inferioridade: Clara é a menos bela da sala.
comparação é introduzido pelas palavras como, quanto ou quão.
Note bem:
2) Sou  mais alto  (do) que  você.  = Comparativo de 1)  O superlativo absoluto analítico é expresso por meio
Superioridade Analítico dos advérbios muito, extremamente, excepcionalmente, etc.,
No comparativo de superioridade analítico, entre os dois antepostos ao adjetivo.
substantivos comparados, um tem qualidade superior. A forma é 2)  O superlativo absoluto sintético apresenta-se sob duas
analítica porque pedimos auxílio a “mais...do que” ou “mais...que”. formas : uma erudita, de origem latina, outra popular, de origem
vernácula. A forma erudita é constituída pelo radical do adjetivo
3) O Sol é  maior (do) que  a Terra.  = Comparativo de latino +  um dos sufixos -íssimo, -imo ou érrimo. Por exemplo:
Superioridade Sintético fidelíssimo, facílimo, paupérrimo.
A forma popular é constituída do radical do adjetivo
Alguns adjetivos possuem, para o comparativo de português + o sufixo -íssimo: pobríssimo, agilíssimo.
superioridade, formas sintéticas, herdadas do latim. 3) Em vez dos superlativos normais seriíssimo, precariíssimo,
necessariíssimo, preferem-se, na linguagem atual, as formas
São eles: seríssimo, precaríssimo, necessaríssimo, sem o desagradável
bom-melhor hiato i-í.
pequeno-menor Questões
mau-pior
alto-superior 01. Leia o texto a seguir.
grande-maior
baixo-inferior Violência epidêmica

Observe que:  A violência urbana é uma enfermidade contagiosa. Embora


a) As formas menor e pior são comparativos de superioridade, possa acometer indivíduos vulneráveis em todas as classes
pois equivalem a mais pequeno e mais mau, respectivamente. sociais, é nos bairros pobres que ela adquire características
b) Bom, mau, grande e pequeno têm formas sintéticas epidêmicas.
(melhor, pior, maior e menor), porém, em comparações feitas A prevalência varia de um país para outro e entre as cidades
entre duas qualidades de um mesmo elemento, deve-se usar de um mesmo país, mas, como regra, começa nos grandes
as formas analíticas mais bom, mais mau, mais grande e mais centros urbanos e se dissemina pelo interior.
pequeno. As estratégias que as sociedades adotam para combater a
Por exemplo: Pedro é maior do que Paulo - Comparação de violência variam muito e a prevenção das causas evoluiu muito
dois elementos. pouco no decorrer do século 20, ao contrário dos avanços
Pedro é mais grande que pequeno - comparação de duas ocorridos no campo das infecções, câncer, diabetes e outras
qualidades de um mesmo elemento. enfermidades.
A agressividade impulsiva é consequência de perturbações
4) Sou  menos alto  (do) que  você.  = Comparativo de nos mecanismos biológicos de controle emocional. Tendências
Inferioridade agressivas surgem em indivíduos com dificuldades adaptativas

Língua Portuguesa 19
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
que os tornam despreparados para lidar com as frustrações de Pronome
seus desejos. Pronome é a palavra que se usa em lugar do nome, ou a ele
A violência é uma doença. Os mais vulneráveis são os que se refere, ou ainda, que acompanha o nome qualificando-o de
tiveram a personalidade formada num ambiente desfavorável ao alguma forma.
desenvolvimento psicológico pleno. A moça era mesmo bonita. Ela morava nos meus sonhos!
A revisão de estudos científicos permite identificar três [substituição do nome]
fatores principais na formação das personalidades com maior
inclinação ao comportamento violento: A moça que morava nos meus sonhos era mesmo bonita!
1) Crianças que apanharam, foram vítimas de abusos, [referência ao nome]
humilhadas ou desprezadas nos primeiros anos de vida.
2) Adolescentes vivendo em famílias que não lhes Essa moça morava nos meus sonhos!
transmitiram valores sociais altruísticos, formação moral e não [qualificação do nome]
lhes impuseram limites de disciplina. Grande parte dos pronomes não possuem significados
3) Associação com grupos de jovens portadores de fixos, isto é, essas palavras só adquirem significação dentro de
comportamento antissocial. um contexto, o qual nos permite recuperar a referência exata
Na periferia das cidades brasileiras vivem milhões de crianças daquilo que está sendo colocado por meio dos pronomes no
que se enquadram nessas três condições de risco. Associados à ato da comunicação. Com exceção dos pronomes interrogativos
falta de acesso aos recursos materiais, à desigualdade social, e indefinidos, os demais pronomes têm por função principal
esses fatores de risco criam o caldo de cultura que alimenta a apontar para as pessoas do discurso ou a elas se relacionar,
violência crescente nas cidades. indicando-lhes sua situação no tempo ou no espaço. Em virtude
Na falta de outra alternativa, damos à criminalidade a dessa característica, os pronomes apresentam uma forma
resposta do aprisionamento. Porém, seu efeito é passageiro: o específica para cada pessoa do discurso.
criminoso fica impedido de delinquir apenas enquanto estiver
preso. Minha carteira estava vazia quando eu fui assaltada.
Ao sair, estará mais pobre, terá rompido laços familiares [minha/eu: pronomes de 1ª pessoa = aquele que fala]
e sociais e dificilmente encontrará quem lhe dê emprego. Ao
mesmo tempo, na prisão, terá criado novas amizades e conexões Tua carteira estava vazia quando tu foste assaltada?
mais sólidas com o mundo do crime. [tua/tu: pronomes de 2ª pessoa = aquele a quem se fala]
Construir cadeias custa caro; administrá-las, mais ainda.
Obrigados a optar por uma repressão policial mais ativa, A carteira dela estava vazia quando ela foi assaltada.
aumentaremos o número de prisioneiros. As cadeias continuarão [dela/ela: pronomes de 3ª pessoa = aquele de quem se fala]
superlotadas.
Seria mais sensato investir em educação, para prevenir a Em termos morfológicos, os pronomes são palavras
criminalidade e tratar os que ingressaram nela. variáveis  em gênero (masculino ou feminino) e em número
Na verdade, não existe solução mágica a curto prazo. (singular ou plural). Assim, espera-se que a referência através
Precisamos de uma divisão de renda menos brutal, motivar os do pronome seja coerente em termos de gênero e número
policiais a executar sua função com dignidade, criar leis que (fenômeno da concordância) com o seu objeto, mesmo quando
acabem com a impunidade dos criminosos bem-sucedidos e este se apresenta ausente no enunciado.
construir cadeias novas para substituir as velhas.
Enquanto não aprendermos a educar e oferecer medidas Fala-se de Roberta. Ele  quer participar do desfile
preventivas para que os pais evitem ter filhos que não serão da nossa escola neste ano.
capazes de criar, cabe a nós a responsabilidade de integrá-los [nossa: pronome que qualifica “escola” = concordância
na sociedade por meio da educação formal de bom nível, das adequada]
práticas esportivas e da oportunidade de desenvolvimento [neste: pronome que determina “ano” = concordância
artístico. adequada]
[ele: pronome que faz referência à “Roberta” = concordância
(Drauzio Varella. In Folha de S.Paulo, 9 mar.2002. Adaptado) inadequada]

Em – características epidêmicas –, o adjetivo epidêmicas Existem seis tipos de pronomes: pessoais, possessivos,


corresponde a – características de epidemias. demonstrativos, indefinidos, relativos e interrogativos.
Assinale a alternativa em que, da mesma forma, o adjetivo
em destaque corresponde, corretamente, à expressão indicada. Pronomes Pessoais
A) água fluvial – água da chuva.
B) produção aurífera – produção de ouro. São aqueles que substituem os substantivos, indicando
C) vida rupestre – vida do campo. diretamente as pessoas do discurso. Quem fala ou escreve
D) notícias brasileiras – notícias de Brasília. assume os pronomes “eu” ou “nós”, usa os pronomes “tu”, “vós”,
E) costela bovina – costela de porco. “você”  ou  “vocês”  para designar a quem se dirige e  “ele”, “ela”,
“eles” ou “elas” para fazer referência à pessoa ou às pessoas de
02.Não se pluraliza os adjetivos compostos abaixo, exceto: quem fala.
A) azul-celeste Os pronomes pessoais variam de acordo com as funções
B) azul-pavão que exercem nas orações, podendo ser do caso reto ou do caso
C) surda-muda oblíquo.
D) branco-gelo
Pronome Reto
03.Assinale a única alternativa em que os adjetivos não
estão no grau superlativo absoluto sintético: Pronome pessoal do caso reto é aquele que, na sentença,
exerce a função de sujeito ou predicativo do sujeito.
A) Arquimilionário/ ultraconservador; Nós lhe ofertamos flores.
B) Supremo/ ínfimo;
C) Superamigo/ paupérrimo; Os pronomes retos apresentam flexão de número, gênero
D) Muito amigo/ Bastante pobre (apenas na 3ª pessoa) e pessoa, sendo essa última a principal
flexão, uma vez que marca a pessoa do discurso. Dessa forma, o
Respostas quadro dos pronomes retos é assim configurado:
1-B / 2-C / 3-D - 1ª pessoa do singular: eu
- 2ª pessoa do singular: tu

Língua Portuguesa 20
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
- 3ª pessoa do singular: ele, ela Atenção:
- 1ª pessoa do plural: nós Os pronomes o, os, a, as assumem formas especiais depois
- 2ª pessoa do plural: vós de certas terminações verbais. Quando o verbo termina em -z,
- 3ª pessoa do plural: eles, elas -s ou -r, o pronome assume a forma lo, los, la ou las, ao mesmo
tempo que a terminação verbal é suprimida.
Atenção: esses pronomes não costumam ser usados como Por exemplo: fiz + o = fi-lo
complementos verbais na língua-padrão. Frases como “Vi fazei + o = fazei-os
ele na rua”, “Encontrei ela na praça”, “Trouxeram eu até aqui”, dizer + a = dizê-la
comuns na língua oral cotidiana, devem ser evitadas na língua
formal escrita ou falada. Na língua formal, devem ser usados os Quando o verbo termina em som nasal, o pronome assume
pronomes oblíquos correspondentes: “Vi-o na rua”, “Encontrei-a as formas no, nos, na, nas. Por exemplo:
na praça”, “Trouxeram-me até aqui”. viram + o: viram-no
Obs.: frequentemente observamos a omissão do pronome repõe + os = repõe-nos
reto em Língua Portuguesa. Isso se dá porque as próprias formas retém + a: retém-na
verbais marcam, através de suas desinências, as pessoas do tem + as = tem-nas
verbo indicadas pelo pronome reto.
Fizemos boa viagem. (Nós) Pronome Oblíquo Tônico

Pronome Oblíquo Os pronomes oblíquos tônicos são sempre


precedidos por preposições, em geral as preposições a, para, de
Pronome pessoal do caso oblíquo é aquele que, na sentença, e com. Por esse motivo, os pronomes tônicos exercem a função
exerce a função de complemento verbal (objeto direto ou  de objeto indireto da oração. Possuem acentuação tônica forte.
indireto) ou complemento nominal. O quadro dos pronomes oblíquos tônicos é assim
configurado:
Ofertaram-nos flores. (objeto indireto)
Obs.: em verdade, o pronome oblíquo é uma forma variante - 1ª pessoa do singular (eu): mim, comigo
do pronome pessoal do caso reto. Essa variação indica a função - 2ª pessoa do singular (tu): ti, contigo
diversa que eles desempenham na oração: pronome reto marca - 3ª pessoa do singular (ele, ela): ele, ela
o sujeito da oração; pronome oblíquo marca o complemento da - 1ª pessoa do plural (nós): nós, conosco
oração. - 2ª pessoa do plural (vós): vós, convosco
Os pronomes oblíquos sofrem variação de acordo com - 3ª pessoa do plural (eles, elas): eles, elas
a acentuação tônica que possuem, podendo ser átonos ou tônicos.
Observe que as únicas formas próprias do pronome tônico
Pronome Oblíquo Átono são a primeira pessoa (mim) e segunda pessoa (ti). As demais
repetem a forma do pronome pessoal do caso reto.
São chamados átonos os pronomes oblíquos que não são - As preposições essenciais introduzem sempre pronomes
precedidos de preposição. Possuem acentuação tônica  fraca. pessoais do caso oblíquo e nunca pronome do caso reto. Nos
Ele me deu um presente. contextos interlocutivos que exigem o uso da língua formal, os
pronomes costumam ser usados desta forma:
O quadro dos pronomes oblíquos átonos é assim configurado: Não há mais nada entre mim e ti.
- 1ª pessoa do singular (eu): me Não se comprovou qualquer ligação entre ti e ela.
- 2ª pessoa do singular (tu): te Não há nenhuma acusação contra mim.
- 3ª pessoa do singular (ele, ela): o, a, lhe Não vá sem mim.
- 1ª pessoa do plural (nós): nos
- 2ª pessoa do plural (vós): vos Atenção:
- 3ª pessoa do plural (eles, elas): os, as, lhes Há construções em que a preposição, apesar de surgir
anteposta a um pronome, serve para introduzir uma oração cujo
Observações: verbo está no infinitivo. Nesses casos, o verbo pode ter sujeito
O “lhe”  é o único pronome oblíquo átono que já se expresso; se esse sujeito for um pronome, deverá ser do caso
apresenta na forma contraída, ou seja, houve a união entre o reto.
pronome “o” ou “a” e preposição “a” ou “para”. Por acompanhar
diretamente uma preposição, o pronome “lhe” exerce sempre a Trouxeram vários vestidos para eu experimentar.
função de objeto indireto na oração. Não vá sem eu mandar.

Os pronomes me, te, nos e vos podem tanto ser objetos - A combinação da preposição  “com” e alguns pronomes


diretos como objetos indiretos. originou as formas especiais comigo, contigo, consigo,
Os pronomes o, a, os e as atuam exclusivamente como conosco e convosco. Tais pronomes oblíquos tônicos
objetos diretos. frequentemente exercem a função de adjunto adverbial de
companhia.
Saiba que: Ele carregava o documento consigo.
Os pronomes me, te, lhe, nos, vos e lhes podem combinar-se
com os pronomes o, os, a, as, dando origem a formas como mo, - As formas “conosco” e “convosco” são substituídas por “com
mos, ma, mas; to, tos, ta, tas; lho, lhos, lha, lhas; no-lo, no-los, no- nós” e “com vós” quando os pronomes pessoais são reforçados
la, no-las, vo-lo, vo-los, vo-la, vo-las. Observe o uso dessas formas por palavras como outros, mesmos, próprios, todos, ambos ou
nos exemplos que seguem: algum numeral.

Você terá de viajar com nós todos.


- Trouxeste o pacote? - Não contaram a novidade a Estávamos com vós outros quando chegaram as más notícias.
vocês? Ele disse que iria com nós três.
- Sim, entreguei-to ainda há - Não, no-la contaram.
pouco. Pronome Reflexivo

No português do Brasil, essas combinações não são usadas; São pronomes pessoais oblíquos que, embora funcionem
até mesmo na língua literária atual, seu emprego é muito raro.  como objetos direto ou indireto, referem-se ao sujeito da oração.
Indicam que o sujeito pratica e recebe a ação expressa pelo

Língua Portuguesa 21
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
verbo. se à 2ª pessoa, toda a concordância deve ser feita com a 3ª
O quadro dos pronomes reflexivos é assim configurado: pessoa. Assim, os verbos, os pronomes possessivos e os
pronomes oblíquos empregados em relação a eles devem ficar
- 1ª pessoa do singular (eu): me, mim. na 3ª pessoa.
Eu não me vanglorio disso. Basta que V. Ex.ª cumpra a terça parte das suas promessas,
Olhei para mim no espelho e não gostei do que vi. para que seus eleitores lhe fiquem reconhecidos.

- 2ª pessoa do singular (tu): te, ti. c) Uniformidade de Tratamento:  quando escrevemos ou


Assim tu te prejudicas. nos dirigimos a alguém, não é permitido mudar, ao longo do
Conhece a ti mesmo. texto, a pessoa do tratamento escolhida inicialmente. Assim,
por exemplo, se começamos a chamar alguém de “você”, não
- 3ª pessoa do singular (ele, ela): se, si, consigo. poderemos usar “te” ou “teu”. O uso correto exigirá, ainda, verbo
Guilherme já se preparou. na terceira pessoa.
Ela deu a si um presente. Quando você vier, eu te abraçarei e enrolar-me-ei nos teus
Antônio conversou consigo mesmo. cabelos. (errado)
Quando você vier, eu a abraçarei e enrolar-me-ei nos seus
- 1ª pessoa do plural (nós): nos. cabelos. (correto)
Lavamo-nos no rio. Quando tu vieres, eu te abraçarei e enrolar-me-ei nos teus
cabelos. (correto)
- 2ª pessoa do plural (vós): vos.
Vós vos beneficiastes com a esta conquista. Pronomes Possessivos

- 3ª pessoa do plural (eles, elas): se, si, consigo. São palavras que, ao indicarem a pessoa gramatical
Eles se conheceram. (possuidor), acrescentam a ela a ideia de posse de algo (coisa
Elas deram a si um dia de folga. possuída).
Este caderno é meu. (meu = possuidor: 1ª pessoa do singular)
A Segunda Pessoa Indireta
Observe o quadro:
A chamada segunda pessoa indireta manifesta-se quando
utilizamos pronomes que, apesar de indicarem nosso Número Pessoa Pronome
interlocutor ( portanto, a segunda pessoa), utilizam o verbo na singular primeira meu(s), minha(s)
terceira pessoa. É o caso dos chamados pronomes de tratamento,
que podem ser observados no quadro seguinte: singular segunda teu(s), tua(s)
singular terceira seu(s), sua(s)
Pronomes de Tratamento
plural primeira nosso(s), nossa(s)
Vossa Alteza V. A. príncipes, duques plural segunda vosso(s), vossa(s)
Vossa Eminência V. Ema.(s) cardeais
Vossa Reverendíssima V. Revma.(s) sacerdotes e bispos plural terceira seu(s), sua(s)
Vossa Excelência V. Ex.ª (s) altas autoridades e
oficiais-generais Note que: A forma do possessivo depende da pessoa
Vossa Magnificência V. Mag.ª (s) reitores de gramatical a que se refere; o gênero e o número concordam com
universidades o objeto possuído.
Vossa Majestade V. M. reis e rainhas Ele trouxe seu apoio e sua contribuição naquele momento
Vossa Majestade Imperial V. M. I. Imperadores difícil.
Vossa Santidade V. S. Papa
Vossa Senhoria V. S.ª (s) tratamento Observações:
cerimonioso 1 -  A forma  “seu”  não é um possessivo quando resultar da
Vossa Onipotência V. O. Deus alteração fonética da palavra senhor.
- Muito obrigado, seu José.
Também são pronomes de tratamento o senhor, a
senhora e você, vocês. “O senhor” e “a senhora” são empregados 2 - Os pronomes possessivos nem sempre indicam posse.
no tratamento cerimonioso;  “você”  e  “vocês”, no tratamento Podem ter outros empregos, como:
familiar. Você e vocês são largamente empregados no português a) indicar afetividade.
do Brasil; em algumas regiões, a forma  tu  é de uso frequente; - Não faça isso, minha filha.
em outras, pouco empregada. Já a forma vós tem uso restrito à b) indicar cálculo aproximado.
linguagem litúrgica, ultraformal ou literária. Ele já deve ter seus 40 anos.
c) atribuir valor indefinido ao substantivo.
Observações: Marisa tem lá seus defeitos, mas eu gosto muito dela.
a) Vossa Excelência X Sua Excelência:  os pronomes de
tratamento que possuem “Vossa (s)”  são empregados em 3- Em frases onde se usam pronomes de tratamento, o
relação à pessoa com quem falamos. pronome possessivo fica na 3ª pessoa.
Espero que V. Ex.ª, Senhor Ministro, compareça a este Vossa Excelência trouxe sua mensagem?
encontro.
Emprega-se “Sua (s)” quando se fala a respeito da pessoa. 4- Referindo-se a mais de um substantivo, o possessivo
Todos os membros da C.P.I. afirmaram que Sua Excelência, o concorda com o mais próximo.
Senhor Presidente da República, agiu com propriedade. Trouxe-me seus livros e anotações.

- Os pronomes de tratamento representam uma forma 5- Em algumas construções, os pronomes pessoais oblíquos
indireta de nos dirigirmos aos nossos interlocutores. Ao átonos assumem valor de possessivo.
tratarmos um deputado por Vossa Excelência, por exemplo, Vou seguir-lhe os passos. (= Vou seguir seus passos.)
estamos nos endereçando à excelência que esse deputado
supostamente tem para poder ocupar o cargo que ocupa. Pronomes Demonstrativos
Os pronomes demonstrativos são utilizados para explicitar a
b)  3ª pessoa:  embora os pronomes de tratamento dirijam- posição de uma certa palavra em relação a outras ou ao contexto.

Língua Portuguesa 22
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Essa relação pode ocorrer em termos de espaço, no tempo ou aquele casado, solteiro este. [ou então: este solteiro, aquele casado]
discurso. e) O pronome demonstrativo tal pode ter conotação irônica.
A menina foi a tal que ameaçou o professor?
No espaço: f) Pode ocorrer a contração das preposições a, de, em com
Compro este carro (aqui). O pronome este indica que o carro pronome demonstrativo: àquele, àquela, deste, desta, disso,
está perto da pessoa que fala. nisso, no, etc.
Compro esse carro (aí). O pronome  esse  indica que o carro Não acreditei no que estava vendo. (no = naquilo)
está perto da pessoa com quem falo, ou afastado da pessoa que
fala. Pronomes Indefinidos
Compro aquele carro (lá). O pronome aquele diz que o carro
está afastado da pessoa que fala e daquela com quem falo. São palavras que se referem à terceira pessoa do discurso,
  dando-lhe sentido vago (impreciso) ou expressando quantidade
Atenção: em situações de fala direta (tanto ao vivo quanto indeterminada.
por meio de correspondência, que é uma modalidade escrita de Alguém entrou no jardim e destruiu as mudas recém-
fala), são particularmente importantes o este e o esse - o primeiro plantadas.
localiza os seres em relação ao emissor; o segundo, em relação Não é difícil perceber que  “alguém”  indica uma pessoa
ao destinatário. Trocá-los pode causar ambiguidade. de quem se fala (uma terceira pessoa, portanto) de forma
imprecisa, vaga. É uma palavra capaz de indicar um ser humano
Dirijo-me a essa universidade com o objetivo de solicitar que seguramente existe, mas cuja identidade é desconhecida ou
informações sobre o concurso vestibular. (trata-se da universidade não se quer revelar. 
destinatária).
Reafirmamos a disposição  desta  universidade em participar Classificam-se em:
no próximo Encontro de Jovens. (trata-se da universidade que
envia a mensagem). - Pronomes Indefinidos Substantivos:  assumem o lugar
do ser ou da quantidade aproximada de seres na frase. São
No tempo: eles:  algo, alguém, fulano, sicrano, beltrano, nada, ninguém,
Este ano está sendo bom para nós. O pronome este se refere outrem, quem, tudo.
ao ano presente. Algo o incomoda?
Esse ano que passou foi razoável. O pronome esse se refere a Quem avisa amigo é.
um passado próximo.
Aquele ano foi terrível para todos. O pronome aquele está se - Pronomes Indefinidos Adjetivos:  qualificam um ser
referindo a um passado distante. expresso na frase, conferindo-lhe a noção de quantidade
  aproximada. São eles: cada, certo(s), certa(s).
- Os pronomes demonstrativos podem ser variáveis ou Cada povo tem seus costumes.
invariáveis, observe: Certas pessoas exercem várias profissões.

Variáveis: este(s), esta(s), esse(s), essa(s), aquele(s), aquela(s). Note que: Ora são pronomes indefinidos substantivos, ora
Invariáveis: isto, isso, aquilo. pronomes indefinidos adjetivos:
algum, alguns, alguma(s), bastante(s) (= muito, muitos),
- Também aparecem como pronomes demonstrativos: demais, mais, menos, muito(s), muita(s), nenhum, nenhuns,
- o(s), a(s): quando estiverem antecedendo o “que” e puderem nenhuma(s), outro(s), outra(s), pouco(s), pouca(s), qualquer,
ser substituídos por aquele(s), aquela(s), aquilo. quaisquer, qual, que, quanto(s), quanta(s), tal, tais, tanto(s),
Não ouvi o que disseste. (Não ouvi aquilo que disseste.) tanta(s), todo(s), toda(s), um, uns, uma(s), vários, várias.
Essa rua não é a que te indiquei. (Esta rua não é aquela que
te indiquei.) Menos palavras e mais ações.
- mesmo(s), mesma(s): Alguns se contentam pouco.
Estas são as mesmas pessoas que o procuraram ontem.
- próprio(s), própria(s): Os pronomes indefinidos podem ser divididos
Os próprios alunos resolveram o problema. em variáveis e invariáveis. Observe:

- semelhante(s): Variáveis = algum, nenhum, todo, muito, pouco, vário, tanto,


Não compre semelhante livro. outro, quanto, alguma, nenhuma, toda, muita, pouca, vária,
- tal, tais: tanta, outra, quanta, qualquer, quaisquer, alguns, nenhuns,
Tal era a solução para o problema. todos, muitos, poucos, vários, tantos, outros, quantos, algumas,
nenhumas, todas, muitas, poucas, várias, tantas, outras, quantas.
Note que: Invariáveis = alguém, ninguém, outrem, tudo, nada, algo,
cada.
a)  Não raro os demonstrativos aparecem na frase, em
construções redundantes, com finalidade expressiva, para São  locuções pronominais indefinidas: cada qual, cada um,
salientar algum termo anterior. Por exemplo: qualquer um, quantos quer (que), quem quer (que), seja quem for,
Manuela, essa é que dera em cheio casando com o José Afonso. seja qual for, todo aquele (que), tal qual (= certo), tal e qual, tal ou
Desfrutar das belezas brasileiras, isso é que é sorte! qual, um ou outro, uma ou outra, etc.
b)  O pronome demonstrativo neutro  ou  pode representar Cada um escolheu o vinho desejado.
um termo ou o conteúdo de uma oração inteira, caso em que
aparece, geralmente, como objeto direto, predicativo ou aposto. Indefinidos Sistemáticos
O casamento seria um desastre. Todos o pressentiam.
c)  Para evitar a repetição de um verbo anteriormente Ao observar atentamente os pronomes indefinidos,
expresso, é comum empregar-se, em tais casos, o verbo fazer, percebemos que existem alguns grupos que criam oposição
chamado, então, verbo vicário (= que substitui, que faz as vezes de sentido. É o caso de: algum/alguém/algo, que têm sentido
de). afirmativo, e nenhum/ninguém/nada, que têm sentido negativo;
Ninguém teve coragem de falar antes que ela o fizesse. todo/tudo,  que indicam uma totalidade afirmativa, e  nenhum/
d)  Em frases como a seguinte,  este  se refere à pessoa nada, que indicam uma totalidade negativa; alguém/ninguém,
mencionada em último lugar; aquele, à mencionada em primeiro que se referem à pessoa, e  algo/nada, que se referem à coisa;
lugar. certo, que particulariza, e qualquer, que generaliza.
O referido deputado e o Dr. Alcides eram amigos íntimos;

Língua Portuguesa 23
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Essas oposições de sentido são muito importantes na Emprestei tantos quantos foram necessários.
construção de frases e textos coerentes, pois delas muitas (antecedente)
vezes dependem a solidez e a consistência dos argumentos
expostos. Observe nas frases seguintes a força que os pronomes Ele fez tudo quanto havia falado.
indefinidos destacados imprimem às afirmações de que fazem (antecedente)
parte:
Nada do que tem sido feito produziu qualquer resultado f)  O pronome  “quem” se refere a pessoas e vem sempre
prático. precedido de preposição.
Certas  pessoas conseguem perceber sutilezas: não são
pessoas quaisquer. É um professor a quem muito devemos.
(preposição)
Pronomes Relativos
g)  “Onde”, como pronome relativo, sempre possui
São aqueles que representam nomes já mencionados antecedente e só pode ser utilizado na indicação de lugar.
anteriormente e com os quais se relacionam. Introduzem as A casa onde morava foi assaltada.
orações subordinadas adjetivas.
O racismo é um sistema  que  afirma a superioridade de um h) Na indicação de tempo, deve-se empregar quando ou em
grupo racial sobre outros. que.
(afirma a superioridade de um grupo racial sobre outros = Sinto saudades da época em que (quando) morávamos no
oração subordinada adjetiva). exterior.
O pronome relativo  “que” refere-se à palavra  “sistema”  e
introduz uma oração subordinada. Diz-se que a palavra “sistema” i) Podem ser utilizadas como pronomes relativos as palavras:
é antecedente do pronome relativo que. - como (= pelo qual)
O antecedente do pronome relativo pode ser o pronome Não me parece correto o modo como você agiu semana
demonstrativo o, a, os, as. passada.
Não sei o que você está querendo dizer. - quando (= em que)
Às vezes, o antecedente do pronome relativo não vem Bons eram os tempos quando podíamos jogar videogame.
expresso.
Quem casa, quer casa. j)  Os pronomes relativos permitem reunir duas orações
numa só frase.
Observe: O futebol é um esporte.
Pronomes relativos variáveis = o qual, cujo, quanto, os quais, O povo gosta muito deste esporte.
cujos, quantos, a qual, cuja, quanta, as quais, cujas, quantas. O futebol é um esporte de que o povo gosta muito.
Pronomes relativos invariáveis = quem, que, onde.
k)  Numa série de orações adjetivas coordenadas, pode
Note que: ocorrer a elipse do relativo “que”.
a)  O pronome  “que”  é o relativo de mais largo emprego, A sala estava cheia de gente que conversava, (que) ria,
sendo por isso chamado relativo universal. Pode ser substituído (que) fumava.
por o qual, a qual, os quais, as quais, quando seu antecedente for
um substantivo. Pronomes Interrogativos

O trabalho que eu fiz refere-se à corrupção. (= o qual) São usados na formulação de perguntas, sejam elas diretas
A cantora que acabou de se apresentar é péssima. (= a qual) ou indiretas. Assim como os pronomes indefinidos, referem-
Os trabalhos que eu fiz referem-se à corrupção. (= os quais) se à 3ª pessoa do discurso de modo impreciso. São pronomes
As cantoras que se apresentaram eram péssimas. (= as quais) interrogativos: que, quem, qual (e variações), quanto (e variações).

b)  O qual, os quais, a qual e as quais são exclusivamente Quem fez o almoço?/ Diga-me quem fez o almoço.
pronomes relativos: por isso, são utilizados didaticamente para Qual das bonecas preferes? / Não sei qual das bonecas
verificar se palavras como “que”, “quem”, “onde” (que podem ter preferes.
várias classificações) são pronomes relativos. Todos eles são Quantos passageiros desembarcaram? / Pergunte quantos
usados com referência à pessoa ou coisa por motivo de clareza passageiros desembarcaram.
ou depois de determinadas preposições:
Sobre os pronomes:
Regressando de São Paulo, visitei o sítio de minha tia, o
qual me deixou encantado. (O uso de “que”, neste caso, geraria O pronome pessoal é do caso reto quando tem função de
ambiguidade.) sujeito na frase. O pronome pessoal é do caso oblíquo quando
desempenha função de complemento. Vamos entender,
Essas são as conclusões sobre as quais pairam muitas primeiramente, como o pronome pessoal surge na frase e que
dúvidas? (Não se poderia usar “que” depois de sobre.) função exerce. Observe as orações:
1. Eu não sei essa matéria, mas ele irá me ajudar.
c) O relativo “que” às vezes equivale a o que, coisa que, e se 2. Maria foi embora para casa, pois não sabia se devia ajudá-
refere a uma oração. lo.

Não chegou a ser padre, mas deixou de ser poeta, que era a Na primeira oração os pronomes pessoais “eu” e “ele”
sua vocação natural. exercem função de sujeito, logo, são pertencentes ao caso reto.
Já na segunda oração, observamos o pronome “lhe” exercendo
d) O pronome “cujo” não concorda com o seu antecedente, função de complemento, e, consequentemente, é do caso oblíquo.
mas com o consequente. Equivale a do qual, da qual, dos quais, Os pronomes pessoais indicam as pessoas do discurso,
das quais. o pronome oblíquo “lhe”, da segunda oração, aponta para a
segunda pessoa do singular (tu/você): Maria não sabia se devia
Este é o caderno cujas folhas estão rasgadas. ajudar.... Ajudar quem? Você (lhe).
(antecedente) (consequente) Importante: Em observação à segunda oração, o emprego do
pronome oblíquo “lhe” é justificado antes do verbo intransitivo
e) “Quanto” é pronome relativo quando tem por antecedente “ajudar” porque o pronome oblíquo pode estar antes, depois ou
um pronome indefinido: tanto (ou variações) e tudo: entre locução verbal, caso o verbo principal (no caso “ajudar”)

Língua Portuguesa 24
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
estiver no infinitivo ou gerúndio. estabelece entre algumas palavras do texto e os elementos a que
Eu desejo lhe perguntar algo. se referem.
Eu estou perguntando-lhe algo. I. No segmento que nascem, a palavra que se refere a
amizades.
Os pronomes pessoais oblíquos podem ser átonos ou tônicos: II. O segmento elos fracos retoma o segmento uma forma
os primeiros não são precedidos de preposição, diferentemente superficial de amizade.
dos segundos que são sempre precedidos de preposição. III. Na frase Nós não nos conhecemos, o pronome Nós refere-
- Pronome oblíquo átono: Joana me perguntou o que eu se aos pronomes eu e você.
estava fazendo.
- Pronome oblíquo tônico: Joana perguntou para mim o que Quais estão corretas?
eu estava fazendo. (A) Apenas I.
(B) Apenas II.
Questões (C) Apenas III.
(D) Apenas I e II.
01. Observe as sentenças abaixo. (E) I, II e III.
I. Esta é a professora de cuja aula todos os alunos gostam.
II. Aquela é a garota com cuja atitude discordei - tornamo- 03. Observe a charge a seguir.
nos inimigas desde aquele episódio.
III. A criança cuja a família não compareceu ficou inconsolável.

O pronome ‘cuja’ foi empregado de acordo com a norma


culta da língua portuguesa em:
(A) apenas uma das sentenças
(B) apenas duas das sentenças.
(C) nenhuma das sentenças.
(D) todas as sentenças.

02. Um estudo feito pela Universidade de Michigan constatou


que o que mais se faz no Facebook, depois de interagir com
amigos, é olhar os perfis de pessoas que acabamos de conhecer.
Se você gostar do perfil, adicionará aquela pessoa, e estará
formado um vínculo. No final, todo mundo vira amigo de todo
mundo. Mas, não é bem assim. As redes sociais têm o poder de Em relação à charge acima, assinale a afirmativa inadequada.
transformar os chamados elos latentes (pessoas que frequentam (A) A fala do personagem é uma modificação intencional de
o mesmo ambiente social, mas não são suas amigas) em elos uma fala de Cristo.
fracos – uma forma superficial de amizade. Pois é, por mais (B) As duas ocorrências do pronome “eles” referem-se a
que existam exceções _______qualquer regra, todos os estudos pessoas distintas.
mostram que amizades geradas com a ajuda da Internet são (C) A crítica da charge se dirige às autoridades políticas no
mais fracas, sim, do que aquelas que nascem e se desenvolvem poder.
fora dela. (D) A posição dos braços do personagem na charge repete a
Isso não é inteiramente ruim. Os seus amigos do peito de Cristo na cruz.
geralmente são parecidos com você: pertencem ao mesmo (E) Os elementos imagísticos da charge estão distribuídos de
mundo e gostam das mesmas coisas. Os elos fracos, não. Eles forma equilibrada.
transitam por grupos diferentes do seu e, por isso, podem lhe Respostas
apresentar novas pessoas e ampliar seus horizontes – gerando 01. A\02. E\03. B
uma renovação de ideias que faz bem a todos os relacionamentos,
inclusive às amizades antigas. O problema é que a maioria das Verbo
redes na Internet é simétrica: se você quiser ter acesso às
informações de uma pessoa ou mesmo falar reservadamente com Verbo  é a classe de palavras que se flexiona em pessoa,
ela, é obrigado a pedir a amizade dela. Como é meio grosseiro número, tempo, modo e voz. Pode indicar, entre outros
dizer “não” ________ alguém que você conhece, todo mundo acaba processos: ação (correr); estado (ficar); fenômeno (chover);
adicionando todo mundo. E isso vai levando ________ banalização ocorrência (nascer); desejo (querer).
do conceito de amizade. O que caracteriza o verbo são as suas flexões, e não os seus
É verdade. Mas, com a chegada de sítios como o Twitter, ficou possíveis significados. Observe que palavras como corrida,
diferente. Esse tipo de sítio é uma rede social completamente chuva e nascimento têm conteúdo muito próximo ao de alguns
assimétrica. E isso faz com que as redes de “seguidores” e verbos mencionados acima; não apresentam, porém, todas as
“seguidos” de alguém possam se comunicar de maneira muito possibilidades de flexão que esses verbos possuem.
mais fluida. Ao estudar a sua própria rede no Twitter, o sociólogo
Nicholas Christakis, da Universidade de Harvard, percebeu Estrutura das Formas Verbais
que seus amigos tinham começado a se comunicar entre si
independentemente da mediação dele. Pessoas cujo único ponto Do ponto de vista estrutural, uma forma verbal pode
em comum era o próprio Christakis acabaram ficando amigas. apresentar os seguintes elementos:
No Twitter, eu posso me interessar pelo que você tem a dizer e
começar a te seguir. Nós não nos conhecemos. a)  Radical:  é a parte invariável, que expressa o significado
Mas você saberá quando eu o retuitar ou mencionar seu essencial do verbo. Por exemplo:
nome no sítio, e poderá falar comigo. Meus seguidores também fal-ei; fal-ava; fal-am. (radical fal-)
podem se interessar pelos seus tuítes e começar a seguir você.
Em suma, nós continuaremos não nos conhecendo, mas as b) Tema: é o radical seguido da vogal temática que indica a
pessoas que estão ________ nossa volta podem virar amigas entre conjugação a que pertence o verbo. Por exemplo: fala-r
si.
Adaptado de: COSTA, C. C.. Disponível em: São três as conjugações:
<http://super.abril.com.br/cotidiano/como-internet- 1ª - Vogal Temática - A - (falar)
estamudando-amizade-619645.shtml>. 2ª - Vogal Temática - E - (vender)
3ª - Vogal Temática - I - (partir)
Considere as seguintes afirmações sobre a relação que se

Língua Portuguesa 25
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
c) Desinência modo-temporal: é o elemento que designa o classificar o sujeito como  hipotético, tornando-se, tais verbos,
tempo e o modo do verbo. então, pessoais.
Por exemplo: 4. o verbo deu + para da língua popular, equivalente de “ser
falávamos ( indica o pretérito imperfeito do indicativo.) possível”. Por exemplo:
falasse ( indica o pretérito imperfeito do subjuntivo.) Não deu para chegar mais cedo.
Dá para me arrumar uns trocados?
d)  Desinência número-pessoal:  é o elemento que designa
a pessoa do discurso ( 1ª, 2ª ou 3ª) e o número (singular ou - Unipessoais: são aqueles que, tendo sujeito, conjugam-se
plural). apenas nas terceiras pessoas, do singular e do plural.
falamos (indica a 1ª pessoa do plural.) A fruta amadureceu.
falavam (indica a 3ª pessoa do plural.) As frutas amadureceram.

Observação: o verbo pôr, assim como seus derivados Obs.: os verbos unipessoais podem ser usados como verbos
(compor, repor, depor, etc.), pertencem à 2ª conjugação, pois a pessoais na linguagem figurada:
forma arcaica do verbo pôr era poer. A vogal “e”, apesar de haver Teu irmão amadureceu bastante.
desaparecido do infinitivo, revela-se em algumas formas do Entre os unipessoais estão os verbos que significam vozes de
verbo: põe, pões, põem, etc. animais; eis alguns:
bramar: tigre
Formas Rizotônicas e Arrizotônicas bramir: crocodilo
cacarejar: galinha
Ao combinarmos os conhecimentos sobre a estrutura dos coaxar: sapo
verbos com o conceito de acentuação tônica, percebemos com cricrilar: grilo
facilidade que nas formas rizotônicas, o acento tônico cai no
radical do verbo: opino, aprendam, nutro, por exemplo. Nas Os principais verbos unipessoais são:
formas arrizotônicas, o acento tônico não cai no radical, mas sim 1. cumprir, importar, convir, doer, aprazer, parecer,
na terminação verbal: opinei, aprenderão, nutriríamos. ser (preciso, necessário, etc.).
Cumpre trabalharmos bastante. (Sujeito: trabalharmos
Classificação dos Verbos bastante.)
Parece que vai chover. (Sujeito: que vai chover.)
Classificam-se em: É preciso que chova. (Sujeito: que chova.)
a) Regulares: são aqueles que possuem as desinências 2. fazer e ir, em orações que dão ideia de tempo, seguidos da
normais de sua conjugação e cuja flexão não provoca alterações conjunção que.
no radical. Faz dez anos que deixei de fumar. (Sujeito: que deixei de
fumar.)
Por exemplo: canto     cantei      cantarei     cantava      cantasse Vai para (ou Vai em ou Vai por) dez anos que não vejo Cláudia.
b) Irregulares:  são aqueles cuja flexão provoca alterações (Sujeito: que não vejo Cláudia)
no radical ou nas desinências. Obs.: todos os sujeitos apontados são oracionais.
Por exemplo: faço     fiz      farei     fizesse
c) Defectivos: são aqueles que não apresentam conjugação - Pessoais:  não apresentam algumas flexões por motivos
completa. Classificam-se em impessoais, unipessoais e pessoais. morfológicos ou eufônicos. Por exemplo:
verbo falir. Este verbo teria como formas do presente do
- Impessoais: são os verbos que não têm sujeito. indicativo falo, fales, fale, idênticas às do verbo falar - o que
Normalmente, são usados na terceira pessoa do singular. Os provavelmente causaria problemas de interpretação em certos
principais verbos impessoais são: contextos.
a)  haver, quando sinônimo de existir, acontecer, realizar-se verbo computar. Este verbo teria como formas do presente do
ou fazer (em orações temporais). indicativo computo, computas, computa - formas de sonoridade
Havia poucos ingressos à venda. (Havia = Existiam) considerada ofensiva por alguns ouvidos gramaticais. Essas
Houve duas guerras mundiais. (Houve = Aconteceram) razões muitas vezes não impedem o uso efetivo de formas
Haverá reuniões aqui. (Haverá = Realizar-se-ão) verbais repudiadas por alguns gramáticos: exemplo disso é
Deixei de fumar há muitos anos. (há = faz) o próprio verbo computar, que, com o desenvolvimento e a
popularização da informática, tem sido conjugado em todos os
b) fazer, ser e estar (quando indicam tempo) tempos, modos e pessoas.
Faz invernos rigorosos no Sul do Brasil.
Era primavera quando a conheci. d) Abundantes: são aqueles que possuem mais de uma
Estava frio naquele dia. forma com o mesmo valor. Geralmente, esse fenômeno costuma
ocorrer no particípio, em que, além das formas regulares
c) Todos os verbos que indicam fenômenos da natureza terminadas em -ado ou -ido, surgem as chamadas formas
são impessoais: chover, ventar, nevar, gear, trovejar, amanhecer, curtas (particípio irregular). Observe:
escurecer,  etc. Quando, porém, se constrói, “Amanheci  mal-
humorado”, usa-se o verbo  “amanhecer”  em sentido figurado. Infinitivo Particípio regular Particípio irregular
Qualquer verbo impessoal, empregado em sentido figurado,
deixa de ser impessoal para ser pessoal. Anexar Anexado Anexo
Amanheci mal-humorado. (Sujeito desinencial: eu)
Choveram candidatos ao cargo. (Sujeito: candidatos) Dispersar Dispersado Disperso
Fiz quinze anos ontem. (Sujeito desinencial: eu) Eleger Elegido Eleito

d) São impessoais, ainda: Envolver Envolvido Envolto


1. o verbo passar (seguido de preposição), indicando tempo. Imprimir Imprimido Impresso
Ex.: Já passa das seis.
2. os verbos bastar e chegar, seguidos da preposição de, Matar Matado Morto
indicando suficiência. Ex.:  Morrer Morrido Morto
Basta de tolices. Chega de blasfêmias.
3. os verbos  estar  e  ficar  em orações tais como  Está bem, Pegar Pegado Pego
Está muito bem assim, Não fica bem, Fica mal,  sem referência Soltar Soltado Solto
a sujeito expresso anteriormente. Podemos, ainda, nesse caso,

Língua Portuguesa 26
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
e) Anômalos: são aqueles que incluem mais de um radical Infinitivo Pessoal : ser eu, seres tu, ser ele, sermos
em sua conjugação. nós, serdes vós, serem eles.
Por exemplo: 
ESTAR - Modo Indicativo
Ir Pôr Ser Saber
Presente: eu estou, tu estás, ele está, nós estamos, vós estais,
vou ponho sou sei eles estão.
vais pus és sabes Pretérito Imperfeito: eu estava, tu estavas, ele estava, nós
ides pôs fui soube estávamos, vós estáveis, eles estavam.
fui punha foste saiba Pretérito Perfeito Simples: eu estive, tu estiveste, ele
foste seja esteve, nós estivemos, vós estivestes, eles estiveram.
Pretérito Perfeito Composto: tenho estado.
Pretérito Mais-que-Perfeito Simples: eu estivera, tu
f) Auxiliares
estiveras, ele estivera, nós estivéramos, vós estivéreis, eles
São aqueles que entram na formação dos tempos
estiveram.
compostos e das locuções verbais. O verbo principal, quando
Pretérito Mais-que-perfeito Composto: tinha estado
acompanhado de verbo auxiliar, é expresso numa das formas
Futuro do Presente Simples: eu estarei, tu estarás, ele
nominais: infinitivo, gerúndio ou particípio.
estará, nós estaremos, vós estareis, eles estarão.
                        
Futuro do Presente Composto: terei estado.
  Vou                       espantar           as          moscas.
Futuro do Pretérito Simples: eu estaria, tu estarias, ele
(verbo auxiliar)       (verbo principal no infinitivo)
estaria, nós estaríamos, vós estaríeis, eles estariam.
Futuro do Pretérito Composto: teria estado.
Está                    chegando            a         hora     do    debate.
(verbo auxiliar)      (verbo principal no gerúndio)                 
ESTAR - Modo Subjuntivo e Imperativo
                   
Obs.: os verbos auxiliares mais usados são: ser, estar, ter e
Presente: que eu esteja, que tu estejas, que ele esteja, que
haver.
nós estejamos, que vós estejais, que eles estejam.
Pretérito Imperfeito: se eu estivesse, se tu estivesses, se
Conjugação dos Verbos Auxiliares
ele estivesse, se nós estivéssemos, se vós estivésseis, se eles
estivessem.
SER - Modo Indicativo
Pretérito Mais-que-Perfeito Composto: tivesse estado
Futuro Simples: quando eu estiver, quando tu estiveres,
Presente: eu sou, tu és, ele é, nós somos, vós sois, eles são.
quando ele estiver, quando nós estivermos, quando vós
Pretérito Imperfeito: eu era, tu eras, ele era, nós éramos,
estiverdes, quando eles estiverem.
vós éreis, eles eram.
Futuro Composto: Tiver estado.
Pretérito Perfeito Simples: eu fui, tu foste, ele foi, nós
fomos, vós fostes, eles foram.
Imperativo Afirmativo: está tu, esteja ele, estejamos nós,
Pretérito Perfeito Composto: tenho sido.
estai vós, estejam eles.
Mais-que-perfeito simples: eu fora, tu foras, ele fora, nós
Imperativo Negativo: não estejas tu, não esteja ele, não
fôramos, vós fôreis, eles foram.
estejamos nós, não estejais vós, não estejam eles.
Pretérito Mais-que-Perfeito Composto: tinha sido.
Infinitivo Pessoal: por estar eu, por estares tu, por estar ele,
Futuro do Pretérito simples: eu seria, tu serias, ele seria,
por estarmos nós, por estardes vós, por estarem eles.
nós seríamos, vós seríeis, eles seriam.
Futuro do Pretérito Composto: terei sido.
Formas Nominais
Futuro do Presente: eu serei, tu serás, ele será, nós seremos,
Infinitivo: estar
vós sereis, eles serão.
Gerúndio: estando
Futuro do Pretérito Composto: Teria sido.
Particípio: estado
SER - Modo Subjuntivo
ESTAR - Formas Nominais
Presente: que eu seja, que tu sejas, que ele seja, que nós
Infinitivo Impessoal: estar
sejamos, que vós sejais, que eles sejam.
Infinitivo Pessoal: estar, estares, estar, estarmos, estardes,
Pretérito Imperfeito: se eu fosse, se tu fosses, se ele fosse,
estarem.
se nós fôssemos, se vós fôsseis, se eles fossem.
Gerúndio: estando
Pretérito Mais-que-Perfeito Composto: tivesse sido.
Particípio: estado
Futuro Simples: quando eu for, quando tu fores, quando ele

for, quando nós formos, quando vós fordes, quando eles forem.
HAVER - Modo Indicativo
Futuro Composto: tiver sido.
Presente: eu hei, tu hás, ele há, nós havemos, vós haveis, eles
SER - Modo Imperativo
hão.
Pretérito Imperfeito: eu havia, tu havias, ele havia, nós
Imperativo Afirmativo: sê tu, seja ele, sejamos nós, sede
havíamos, vós havíeis, eles haviam.
vós, sejam eles.
Pretérito Perfeito Simples: eu houve, tu houveste, ele
Imperativo Negativo: não sejas tu, não seja ele, não sejamos
houve, nós houvemos, vós houvestes, eles houveram.
nós, não sejais vós, não sejam eles.
Pretérito Perfeito Composto: tenho havido.
Infinitivo Pessoal: por ser eu, por seres tu, por ser ele, por
Pretérito Mais-que-Perfeito Simples: eu houvera, tu
sermos nós, por serdes vós, por serem eles.
houveras, ele houvera, nós houvéramos, vós houvéreis, eles
houveram.
SER - Formas Nominais
Pretérito Mais-que-Prefeito Composto: tinha havido.
Futuro do Presente Simples: eu haverei, tu haverás, ele
Formas Nominais
haverá, nós haveremos, vós havereis, eles haverão.
Infinitivo: ser
Futuro do Presente Composto: terei havido.
Gerúndio: sendo
Futuro do Pretérito Simples: eu haveria, tu haverias, ele
Particípio: sido
haveria, nós haveríamos, vós haveríeis, eles haveriam.
Futuro do Pretérito Composto: teria havido.

Língua Portuguesa 27
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
HAVER - Modo Subjuntivo e Imperativo - 1. Essenciais: são aqueles que sempre se conjugam com os
pronomes oblíquos me, te, se, nos, vos, se. São poucos: abster-se,
Modo Subjuntivo ater-se, apiedar-se, atrever-se, dignar-se, arrepender-se, etc. Nos
Presente: que eu haja, que tu hajas, que ele haja, que nós verbos pronominais essenciais a reflexibilidade já está implícita
hajamos, que vós hajais, que eles hajam. no radical do verbo. Por exemplo:
Pretérito Imperfeito: se eu houvesse, se tu houvesses, se Arrependi-me de ter estado lá.
ele houvesse, se nós houvéssemos, se vós houvésseis, se eles A ideia é de que a pessoa representada pelo sujeito (eu) tem
houvessem. um sentimento (arrependimento) que recai sobre ela mesma,
Pretérito Mais-que-Perfeito Composto: tivesse havido. pois não recebe ação transitiva nenhuma vinda do verbo; o
Futuro Simples: quando eu houver, quando tu houveres, pronome oblíquo átono é apenas uma partícula integrante do
quando ele houver, quando nós houvermos, quando vós verbo, já que, pelo uso, sempre é conjugada com o verbo. Diz-
houverdes, quando eles houverem. se que o pronome apenas serve de reforço da ideia reflexiva
Futuro Composto: tiver havido. expressa pelo radical do próprio verbo.  
Veja uma conjugação pronominal essencial (verbo e
Modo Imperativo respectivos pronomes): 
Imperativo Afirmativo: haja ele, hajamos nós, havei vós, Eu me arrependo 
hajam eles. Tu te arrependes 
Imperativo Negativo: não hajas tu, não haja ele, não Ele se arrepende 
hajamos nós, não hajais vós, não hajam eles. Nós nos arrependemos 
Infinitivo Pessoal: por haver eu, por haveres tu, por haver Vós vos arrependeis 
ele, por havermos nós, por haverdes vós, por haverem eles. Eles se arrependem

HAVER - Formas Nominais  - 2. Acidentais:  são aqueles verbos transitivos diretos em que
a ação exercida pelo sujeito recai sobre o objeto representado por
Infinitivo Impessoal: haver, haveres, haver, havermos, pronome oblíquo da mesma pessoa do sujeito; assim, o sujeito
haverdes, haverem. faz uma ação que recai sobre ele mesmo. Em geral, os verbos
Infinitivo Pessoal: haver transitivos diretos ou transitivos diretos e indiretos podem ser
Gerúndio: havendo conjugados com os pronomes mencionados, formando o que se
Particípio: havido chama voz reflexiva. Por exemplo: Maria se penteava.
A reflexibilidade é acidental, pois a ação reflexiva pode
TER - Modo Indicativo ser exercida também sobre outra pessoa. Por exemplo: Maria
penteou-me.
Presente: eu tenho, tu tens, ele tem, nós temos, vós tendes,  
eles têm. Observações:
Pretérito Imperfeito: eu tinha, tu tinhas, ele tinha, nós 1- Por fazerem parte integrante do verbo, os pronomes
tínhamos, vós tínheis, eles tinham. oblíquos átonos dos verbos pronominais não possuem função
Pretérito Perfeito Simples: eu tive, tu tiveste, ele teve, nós sintática.
tivemos, vós tivestes, eles tiveram. 2- Há verbos que também são acompanhados de pronomes
Pretérito Perfeito Composto: tenho tido. oblíquos átonos, mas que não são essencialmente pronominais,
Pretérito Mais-que-Perfeito Simples: eu tivera, tu tiveras, são os verbos reflexivos. Nos verbos reflexivos, os pronomes,
ele tivera, nós tivéramos, vós tivéreis, eles tiveram. apesar de se encontrarem na pessoa idêntica à do sujeito,
Pretérito Mais-que-Perfeito Composto: tinha tido. exercem funções sintáticas.
Futuro do Presente Simples: eu terei, tu terás, ele terá, nós Por exemplo:
teremos, vós tereis, eles terão. Eu me feri. = Eu(sujeito) - 1ª pessoa do singular me (objeto
Futuro do Presente: terei tido. direto) - 1ª pessoa do singular
Futuro do Pretérito Simples: eu teria, tu terias, ele teria,
nós teríamos, vós teríeis, eles teriam. Modos Verbais
Futuro do Pretérito composto: teria tido.
Dá-se o nome de modo às várias formas assumidas pelo
TER - Modo Subjuntivo e Imperativo verbo na expressão de um fato. Em Português, existem três
modos: 
Modo Subjuntivo Indicativo - indica uma certeza, uma realidade. Por exemplo:
Presente: que eu tenha, que tu tenhas, que ele tenha, que Eu sempre estudo.
nós tenhamos, que vós tenhais, que eles tenham. Subjuntivo - indica uma dúvida, uma possibilidade. Por
Pretérito Imperfeito: se eu tivesse, se tu tivesses, se ele exemplo: Talvez eu estude amanhã.
tivesse, se nós tivéssemos, se vós tivésseis, se eles tivessem. Imperativo - indica uma ordem, um pedido. Por
Pretérito Mais-que-Perfeito Composto: tivesse tido. exemplo: Estuda agora, menino.
Futuro: quando eu tiver, quando tu tiveres, quando ele tiver,
quando nós tivermos, quando vós tiverdes, quando eles tiverem. Formas Nominais
Futuro Composto: tiver tido. Além desses três modos, o verbo apresenta ainda formas
que podem exercer funções de nomes (substantivo, adjetivo,
Modo Imperativo advérbio), sendo por isso denominadas  formas nominais.
Imperativo Afirmativo: tem tu, tenha ele, tenhamos nós, Observe: 
tende vós, tenham eles. - a) Infinitivo Impessoal:  exprime a significação do verbo
Imperativo Negativo: não tenhas tu, não tenha ele, não de modo vago e indefinido, podendo ter valor e função de
tenhamos nós, não tenhais vós, não tenham eles. substantivo. Por exemplo: Viver é lutar. (= vida é luta)
Infinitivo Pessoal: por ter eu, por teres tu, por ter ele, por É indispensável combater a corrupção. (= combate à)
termos nós, por terdes vós, por terem eles. O infinitivo impessoal pode apresentar-se no presente
(forma simples) ou no passado (forma composta). Por exemplo:
g) Pronominais: São aqueles verbos que se conjugam com É preciso ler este livro. Era preciso ter lido este livro.
os pronomes oblíquos átonos me, te, se, nos, vos, se, na mesma
pessoa do sujeito, expressando reflexibilidade (pronominais b) Infinitivo Pessoal:  é o infinitivo relacionado às três
acidentais) ou apenas reforçando a ideia já implícita no próprio pessoas do discurso. Na 1ª e 3ª pessoas do singular, não
sentido do verbo (reflexivos essenciais). Veja: apresenta desinências, assumindo a mesma forma do impessoal;
nas demais, flexiona- -se da seguinte maneira:

Língua Portuguesa 28
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
2ª pessoa do singular: Radical + ES Ex.: teres(tu) Obs.: o pretérito imperfeito é também usado nas construções
1ª pessoa do plural: Radical + MOS Ex.:termos (nós) em que se expressa a ideia de condição ou desejo. Por exemplo:
2ª pessoa do plural: Radical + DES Ex.:terdes (vós) Se ele viesse ao clube, participaria do campeonato.
3ª pessoa do plural: Radical + EM Ex.:terem (eles) - Pretérito Perfeito (composto) - Expressa um fato totalmente
terminado num momento passado. Por exemplo: Embora tenha
Por exemplo: estudado bastante, não passou no teste.
Foste elogiado por teres alcançado uma boa colocação. - Futuro do Presente (simples) - Enuncia um fato que pode
ocorrer num momento futuro em relação ao atual. Por exemplo:
- c) Gerúndio: o gerúndio pode funcionar como adjetivo ou Quando ele vier à loja, levará as encomendas.
advérbio. Por exemplo:  Obs.: o futuro do presente é também usado em frases que
Saindo de casa, encontrei alguns amigos. (função de indicam possibilidade ou desejo. Por exemplo: Se ele vier à loja,
advérbio) levará as encomendas.
Nas ruas, havia crianças vendendo doces. (função adjetivo) - Futuro do Presente (composto) - Enuncia um fato posterior
Na forma simples, o gerúndio expressa uma ação em curso; ao momento atual mas já terminado antes de outro fato
na forma composta, uma ação concluída. Por exemplo: futuro. Por exemplo: Quando ele tiver saído do hospital, nós o
Trabalhando, aprenderás o valor do dinheiro. visitaremos.
Tendo trabalhado, aprendeu o valor do dinheiro.
Presente do Indicativo
- d) Particípio:  quando não é empregado na formação dos
tempos compostos, o particípio indica geralmente o resultado 1ª conjugação/2ª conjugação/3ª conjugação / Desinência
de uma ação terminada, flexionando-se em gênero, número e pessoal
grau. Por exemplo: CANTAR VENDER PARTIR
Terminados os exames, os candidatos saíram. cantO vendO partO O
Quando o particípio exprime somente estado, sem nenhuma cantaS vendeS parteS S
relação temporal, assume verdadeiramente a função de adjetivo canta vende parte -
(adjetivo verbal). Por exemplo: cantaMOS vendeMOS partiMOS MOS
Ela foi a aluna escolhida para representar a escola. cantaIS vendeIS partIS IS
cantaM vendeM parteM M
Tempos Verbais
Pretérito Perfeito do Indicativo
Tomando-se como referência o momento em que se fala,
a ação expressa pelo verbo pode ocorrer em diversos tempos. 1ª conjugação/2ª conjugação/3ª conjugação/Desinência
Veja: pessoal
CANTAR VENDER PARTIR
1. Tempos do Indicativo canteI vendI partI I
cantaSTE vendeSTE partISTE STE
- Presente - Expressa um fato atual. Por exemplo: cantoU vendeU partiU U
Eu estudo neste colégio. cantaMOS vendeMOS partiMOS MOS
- Pretérito Imperfeito - Expressa um fato ocorrido num cantaSTES vendeSTES partISTES STES
momento anterior ao atual, mas que não foi completamente cantaRAM vendeRAM partiRAM AM
terminado. Por exemplo: Ele estudava as lições quando foi
interrompido. Pretérito mais-que-perfeito
- Pretérito Perfeito (simples)  -  Expressa um fato ocorrido
num momento anterior ao atual e que foi totalmente terminado. 1ª conj. / 2ª conj. / 3ª conj. /Desin. Temp. /Desin. Pess.
Por exemplo: Ele estudou as lições ontem à noite. 1ª/2ª e 3ª conj.
- Pretérito Perfeito (composto) - Expressa um fato que teve CANTAR VENDER PARTIR - -
início no passado e que pode se prolongar até o momento atual. cantaRA vendeRA partiRA RA Ø
Por exemplo: Tenho estudado muito para os exames. cantaRAS vendeRAS partiRAS RA S
- Pretérito-Mais-Que-Perfeito - Expressa um fato ocorrido cantaRA vendeRA partiRA RA Ø
antes de outro fato já terminado. Por exemplo: Ele já tinha cantáRAMOS vendêRAMOS partíRAMOS RA MOS
estudado as lições quando os amigos chegaram. (forma cantáREIS vendêREIS partíREIS RE IS
composta) Ele já estudara as lições quando os amigos chegaram. cantaRAM vendeRAM partiRAM RA M
(forma simples)
- Futuro do Presente (simples) - Enuncia um fato que deve Pretérito Imperfeito do Indicativo
ocorrer num tempo vindouro com relação ao momento atual.
Por exemplo:  Ele estudará as lições amanhã. 1ª conjugação / 2ª conjugação / 3ª conjugação
- Futuro do Presente (composto) - Enuncia um fato que deve CANTAR VENDER PARTIR
ocorrer posteriormente a um momento atual, mas já terminado cantAVA vendIA partIA
antes de outro fato futuro. Por exemplo: Antes de bater o sinal, cantAVAS vendIAS partAS
os alunos já terão terminado o teste. CantAVA vendIA partIA
- Futuro do Pretérito (simples) - Enuncia um fato que pode cantÁVAMOS vendÍAMOS partÍAMOS
ocorrer posteriormente a um determinado fato passado. Por cantÁVEIS vendÍEIS partÍEIS
exemplo: Se eu tivesse dinheiro, viajaria nas férias. cantAVAM vendIAM partIAM
- Futuro do Pretérito (composto)  -  Enuncia um fato que
poderia ter ocorrido posteriormente a um determinado fato Futuro do Presente do Indicativo
passado. Por exemplo:  Se eu tivesse ganho esse dinheiro, teria
viajado nas férias. 1ª conjugação 2ª conjugação 3ª conjugação
CANTAR VENDER PARTIR
2. Tempos do Subjuntivo cantar ei vender ei partir ei
cantar ás vender ás partir ás
- Presente - Enuncia um fato que pode ocorrer no momento cantar á vender á partir á
atual. Por exemplo: É conveniente que estudes para o exame. cantar emos vender emos partir emos
- Pretérito Imperfeito - Expressa um fato passado, mas cantar eis vender eis partir eis
posterior a outro já ocorrido. Por exemplo: Eu esperava que cantar ão vender ão partir ão
ele vencesse o jogo.

Língua Portuguesa 29
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Futuro do Pretérito do Indicativo Tu cantas CantA tu Que tu cantes
Ele canta Cante você Que ele cante
1ª conjugação 2ª conjugação 3ª conjugação Nós cantamos Cantemos nós Que nós cantemos
CANTAR VENDER PARTIR Vós cantais CantAI vós Que vós canteis
cantarIA venderIA partirIA Eles cantam Cantem vocês Que eles cantem
cantarIAS venderIAS partirIAS
cantarIA venderIA partirIA Imperativo Negativo
cantarÍAMOS venderÍAMOS partirÍAMOS
cantarÍEIS venderÍEIS partirÍEIS Para se formar o imperativo negativo, basta antecipar a
cantarIAM venderIAM partirIAM negação às formas do presente do subjuntivo.

Presente do Subjuntivo Presente do Subjuntivo Imperativo Negativo


Que eu cante ---
Para se formar o presente do subjuntivo, substitui-se a Que tu cantes Não cantes tu
desinência -o da primeira pessoa do singular do presente do Que ele cante Não cante você
indicativo pela desinência -E (nos verbos de 1ª conjugação) ou Que nós cantemos Não cantemos nós
pela desinência -A (nos verbos de 2ª e 3ª conjugação). Que vós canteis Não canteis vós
Que eles cantem Não cantem eles
1ª conj./2ª conj./3ª conju./Des.Temp./Des.temp./Des. pess
1ª conj. 2ª/3ª conj. Observações:
CANTAR VENDER PARTIR
cantE vendA partA E A Ø - No modo imperativo não faz sentido usar na 3ª pessoa
cantES vendAS partAS E A S (singular e plural) as formas ele/eles, pois uma ordem, pedido
cantE vendA partA E A Ø ou conselho só se aplicam diretamente à pessoa com quem se
cantEMOS vendAMOS partAMOS E A MOS fala. Por essa razão, utiliza-se você/vocês.
cantEIS vendAIS partAIS E A IS - O verbo SER, no imperativo, faz excepcionalmente: sê (tu),
cantEM vendAM partAM E A M sede (vós).

Pretérito Imperfeito do Subjuntivo Infinitivo Impessoal

Para formar o imperfeito do subjuntivo, elimina-se a 1ª conjugação 2ª conjugação 3ª conjugação


desinência -STE da 2ª pessoa do singular do pretérito perfeito, CANTAR VENDER PARTIR
obtendo-se, assim, o tema desse tempo. Acrescenta-se a esse
tema a desinência temporal -SSE mais a desinência de número Infinitivo Pessoal
e pessoa correspondente. 1ª conjugação 2ª conjugação 3ª conjugação
CANTAR VENDER PARTIR
1ª conj. 2ª conj. 3ª conj. Des. temporal Desin. pessoal cantar vender partir
1ª /2ª e 3ª conj. cantarES venderES partirES
CANTAR VENDER PARTIR cantar vender partir
cantaSSE vendeSSE partiSSE SSE Ø cantarMOS venderMOS partirMOS
cantaSSES vendeSSES partiSSES SSE S cantarDES venderDES partirDES
cantaSSE vendeSSE partiSSE SSE Ø cantarEM venderEM partirEM
cantáSSEMOS vendêSSEMOS partíssemos SSE MOS
cantáSSEIS vendêSSEIS partíSSEIS SSE IS Questões
cantaSSE vendeSSEM partiSSEM SSE M
01. Considere o trecho a seguir. É comum que objetos
Futuro do Subjuntivo ___ esquecidos em locais públicos. Mas muitos transtornos
poderiam ser evitados se as pessoas ______ a atenção voltada
Para formar o futuro do subjuntivo elimina-se a desinência para seus pertences, conservando-os junto ao corpo. Assinale a
-STE da 2ª pessoa do singular do pretérito perfeito, obtendo- alternativa que preenche, correta e respectivamente, as lacunas
se, assim, o tema desse tempo. Acrescenta-se a esse tema a do texto.
desinência temporal -R mais a desinência de número e pessoa (A) sejam … mantesse
correspondente. (B) sejam … mantivessem
(C) sejam … mantém
1ª conj. / 2ª conj. / 3ª conj. / Des. temp. /Desin. pess. (D) seja … mantivessem
1ª /2ª e 3ª conj. (E) seja … mantêm
CANTAR VENDER PARTIR
cantaR vendeR partiR Ø 02. Na frase –… os níveis de pessoas sem emprego estão
cantaRES vendeRES partiRES R ES apresentando quedas sucessivas de 2005 para cá. –, a locução
cantaR vendeR partiR R Ø verbal em destaque expressa ação
cantaRMOS vendeRMOS partiRMOS R MOS (A) concluída.
cantaRDES vendeRDES partiRDES R DES (B) atemporal.
cantaREM vendeREM PartiREM R EM (C) contínua.
(D) hipotética.
Imperativo (E) futura.

Imperativo Afirmativo 03. (Escrevente TJ SP Vunesp) Sem querer estereotipar,


mas já estereotipando: trata--se de um ser cujas interações sociais
Para se formar o imperativo afirmativo, toma-se do presente terminam, 99% das vezes, diante da pergunta “débito ou crédito?”.
do indicativo a 2ª pessoa do singular (tu) e a segunda pessoa do Nesse contexto, o verbo estereotipar tem sentido de
plural (vós) eliminando-se o “S” final. As demais pessoas vêm, (A) considerar ao acaso, sem premeditação.
sem alteração, do presente do subjuntivo. Veja:  (B) aceitar uma ideia mesmo sem estar convencido dela.
(C) adotar como referência de qualidade.
Pres. do Indicativo Imperativo Afirm. Pres. do Subjuntivo (D) julgar de acordo com normas legais.
Eu canto --- Que eu cante (E) classificar segundo ideias preconcebidas.

Língua Portuguesa 30
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Respostas de designação: Eis
1-B / 2-C / 3-E de interrogação: onde?(lugar), como?(modo),
quando?(tempo), por quê?(causa), quanto?(preço e intensidade),
Advérbio para quê?(finalidade)

O  advérbio, assim como muitas outras palavras existentes Locução adverbial 


na Língua Portuguesa, advém de outras línguas. Assim sendo, É reunião de duas ou mais palavras com valor de advérbio.
tal qual o adjetivo, o prefixo “ad-” indica a ideia de proximidade, Exemplo:
contiguidade. Carlos saiu às pressas. (indicando modo)
Maria saiu à tarde. (indicando tempo)
Essa proximidade faz referência ao processo verbal, no
sentido de caracterizá-lo, ou seja, indicando as circunstâncias Há locuções adverbiais que possuem advérbios
em que esse processo se desenvolve.  correspondentes.
Exemplo:
O advérbio relaciona-se aos verbos da língua, no sentido de Carlos saiu às pressas. = Carlos saiu apressadamente.
caracterizar os processos expressos por ele. Contudo, ele não
é modificador exclusivo desta classe (verbos), pois também Apenas os advérbios de intensidade, de lugar e de modo são
modifica o  adjetivo e até outro advérbio. Seguem alguns flexionados, sendo que os demais são todos invariáveis. A única
exemplos: flexão propriamente dita que existe na categoria dos advérbios
é a de grau:
Para quem se diz  distantemente alheio  a esse assunto,
você está até bem informado.
Superlativo: aumenta a intensidade. Exemplos: longe
Temos o advérbio “distantemente” que modifica o adjetivo - longíssimo, pouco - pouquíssimo, inconstitucionalmente -
alheio, representando uma qualidade, característica. inconstitucionalissimamente, etc;
Diminutivo: diminui a intensidade.
O artista canta muito mal. Exemplos: perto - pertinho, pouco - pouquinho, devagar -
devagarinho, 
Nesse caso, o advérbio de intensidade “muito” modifica outro
advérbio de modo – “mal”. Em ambos os exemplos pudemos Questões
verificar que se tratava de somente uma palavra funcionando
como advérbio. No entanto, ele pode estar demarcado por 01. Leia os quadrinhos para responder a questão.
mais de uma palavra, que mesmo assim não deixará de ocupar
tal função. Temos aí o que chamamos de locução adverbial,
representada por algumas expressões, tais como: às vezes, sem
dúvida, frente a frente, de modo algum, entre outras.

Mediante tais postulados, afirma-se que, dependendo das


circunstâncias expressas pelos advérbios, eles se classificam em
distintas categorias, uma vez expressas por:    
de modo: Bem, mal, assim, depressa, devagar, às pressas, às
claras, às cegas, à toa, à vontade, às escondidas, aos poucos, desse
jeito, desse modo, dessa maneira, em geral, frente a frente, lado
a lado, a pé, de cor, em vão, e a maior parte dos que terminam
em -mente: calmamente, tristemente, propositadamente,
pacientemente, amorosamente, docemente, escandalosamente,
bondosamente, generosamente
de intensidade: Muito, demais, pouco, tão, menos, em
excesso, bastante, pouco, mais, menos, demasiado, quanto, quão,
tanto, que(equivale a quão), tudo, nada, todo, quase, de todo, de
muito, por completo.
de tempo: Hoje, logo, primeiro, ontem, tarde outrora,
amanhã, cedo, dantes, depois, ainda, antigamente, antes,
doravante, nunca, então, ora, jamais, agora, sempre, já, enfim,
afinal, breve, constantemente, entrementes, imediatamente,
primeiramente, provisoriamente, sucessivamente, às vezes,
à tarde, à noite, de manhã, de repente, de vez em quando, de
quando em quando, a qualquer momento, de tempos em tempos,
em breve, hoje em dia
de lugar: Aqui, antes, dentro, ali, adiante, fora, acolá, atrás, (Leila Lauar Sarmento e Douglas Tufano. Português. Volume
além, lá, detrás, aquém, cá, acima, onde, perto, aí, abaixo, aonde, Único)
longe, debaixo, algures, defronte, nenhures, adentro, afora,
alhures, nenhures, aquém, embaixo, externamente, a distância, No primeiro e segundo quadrinhos, estão em destaque dois
à distância de, de longe, de perto, em cima, à direita, à esquerda, advérbios: AÍ e ainda.
ao lado, em volta Considerando que advérbio é a palavra que modifica
de negação : Não, nem, nunca, jamais, de modo algum, de um verbo, um outro advérbio ou um adjetivo, expressando
forma nenhuma, tampouco, de jeito nenhum a circunstância em que determinado fato ocorre, assinale
de dúvida: Acaso, porventura, possivelmente, a alternativa que classifica, correta e respectivamente, as
provavelmente, quiçá, talvez, casualmente, por certo, quem sabe circunstâncias expressas por eles.
de afirmação: Sim, certamente, realmente, decerto, A) Lugar e negação.
efetivamente, certo, decididamente, realmente, deveras, B) Lugar e tempo.
indubitavelmente C) Modo e afirmação.
de exclusão: Apenas, exclusivamente, salvo, senão, somente, D) Tempo e tempo.
simplesmente, só, unicamente E) Intensidade e dúvida.
de inclusão: Ainda, até, mesmo, inclusivamente, também
de ordem: Depois, primeiramente, ultimamente

Língua Portuguesa 31
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
02. Leia o texto a seguir. prática. Já a cultura científica, que muitos ainda tratam com uma
ponta de desprezo, torna-se cada vez mais fundamental, mesmo
Impunidade é motor de nova onda de agressões para quem não pretende ser engenheiro ou seguir carreiras
técnicas.
Repetidos episódios de violência têm sido noticiados nas Como sobreviver à era do crédito farto sem saber calcular as
últimas semanas. Dois que chamam a atenção, pela banalidade armadilhas que uma taxa de juros pode esconder? Hoje, é difícil
com que foram cometidos, estão gerando ainda uma série de até posicionar-se de forma racional sobre políticas públicas sem
repercussões. assimilar toda a numeralha que idealmente as informa.
Em Natal, um garoto de 19 anos quebrou o braço da Conhecimentos rudimentares de estatística são pré-requisito
estudante de direito R.D., 19, em plena balada, porque ela teria para compreender as novas pesquisas que trazem informações
recusado um beijo. O suposto agressor já responde a uma ação relevantes para nossa saúde e bem-estar.
penal, por agressão, movida por sua ex-mulher. A matemática está no centro de algumas das mais intrigantes
No mesmo final de semana, dois amigos que saíam de uma especulações cosmológicas da atualidade. Se as equações da
boate em São Paulo também foram atacados por dois jovens mecânica quântica indicam que existem universos paralelos,
que estavam na mesma balada, e um dos agredidos teve a perna isso basta para que acreditemos neles? Ou, no rastro de Eugene
fraturada. Esses dois jovens teriam tentado se aproximar, sem Wigner, podemos nos perguntar por que a matemática é tão
sucesso, de duas garotas que eram amigas dos rapazes que eficaz para exprimir as leis da física.
saíam da boate. Um dos suspeitos do ataque alega que tudo não Releia os trechos apresentados a seguir.
passou de um engano e que o rapaz teria fraturado a perna ao - Aqueles que não simpatizavam muito com Pitágoras
cair no chão. podiam simplesmente escolher carreiras nas quais os números
Curiosamente, também é possível achar um blog que diz não encontravam muito espaço... (1.º parágrafo)
que R.D., em Natal, foi quem atacou o jovem e que seu braço se - Já a cultura científica, que muitos ainda tratam com uma
quebrou ao cair no chão. ponta de desprezo, torna-se cada vez mais fundamental...(3.º
Em ambos os casos, as câmeras dos estabelecimentos parágrafo)
felizmente comprovam os acontecimentos, e testemunhas vão
ajudar a polícia na investigação. Os advérbios em destaque nos trechos expressam, correta e
O fato é que é difícil acreditar que tanta gente ande se respectivamente, circunstâncias de
quebrando por aí ao cair no chão, não é mesmo? As agressões A) afirmação e de intensidade.
devem ser rigorosamente apuradas e, se houver culpados, que B) modo e de tempo.
eles sejam julgados e condenados. C) modo e de lugar.
A impunidade é um dos motores da onda de violência que D) lugar e de tempo.
temos visto. O machismo e o preconceito são outros. O perfil E) intensidade e de negação.
impulsivo de alguns jovens (amplificado pela bebida e por
outras substâncias) completa o mecanismo que gera agressões. Respostas
Sem interferir nesses elementos, a situação não vai mudar. 1-B / 2-C / 3-B
Maior rigor da justiça, educação para a convivência com o outro,
aumento da tolerância à própria frustração e melhor controle Preposição
sobre os impulsos (é normal levar um “não”, gente!) são alguns
dos caminhos. Preposição é uma palavra invariável que serve para ligar
(Jairo Bouer, Folha de S.Paulo, 24.10.2011. Adaptado) termos ou orações. Quando esta ligação acontece, normalmente
há uma subordinação do segundo termo em relação ao
Assinale a alternativa cuja expressão em destaque apresenta primeiro. As preposições são muito importantes na estrutura
circunstância adverbial de modo. da língua, pois estabelecem a coesão textual e possuem valores
A) Repetidos episódios de violência (...) estão gerando ainda semânticos indispensáveis para a compreensão do texto.
uma série de repercussões.
B) ...quebrou o braço da estudante de direito R. D., 19, em Tipos de Preposição
plena balada…
C) Esses dois jovens teriam tentado se aproximar, sem 1. Preposições essenciais: palavras que atuam exclusivamente
sucesso, de duas amigas… como preposições.
D) Um dos suspeitos do ataque alega que tudo não passou A, ante, perante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre,
de um engano... para, por, sem, sob, sobre, trás, atrás de, dentro de, para com.
E) O fato é que é difícil acreditar que tanta gente ande se
quebrando por aí… 2. Preposições acidentais: palavras de outras classes
gramaticais que podem atuar como preposições.
03. Leia o texto a seguir. Como, durante, exceto, fora, mediante, salvo, segundo, senão,
visto.
Cultura matemática
Hélio Schwartsman 3. Locuções prepositivas: duas ou mais palavras valendo
como uma preposição, sendo que a última palavra é uma delas.
SÃO PAULO – Saiu mais um estudo mostrando que o ensino Abaixo de, acerca de, acima de, ao lado de, a respeito de, de
de matemática no Brasil não anda bem. A pergunta é: podemos acordo com, em cima de, embaixo de, em frente a, ao redor de,
viver sem dominar o básico da matemática? Durante muito graças a, junto a, com, perto de, por causa de, por cima de, por
tempo, a resposta foi sim. Aqueles que não simpatizavam muito trás de.
com Pitágoras podiam simplesmente escolher carreiras nas
quais os números não encontravam muito espaço, como direito, A preposição, como já foi dito, é invariável. No entanto pode
jornalismo, as humanidades e até a medicina de antigamente. unir-se a outras palavras e assim estabelecer concordância em
Como observa Steven Pinker, ainda hoje, nos meios gênero ou em número. Ex: por + o = pelo por + a = pela
universitários, é considerado aceitável que um intelectual se
vanglorie de ter passado raspando em física e de ignorar o beabá Vale ressaltar que essa concordância não é característica da
da estatística. Mas ai de quem admitir nunca ter lido Joyce ou preposição, mas das palavras às quais ela se une.
dizer que não gosta de Mozart. Sobre ele recairão olhares tão
recriminadores quanto sobre o sujeito que assoa o nariz na Esse processo de junção de uma preposição com outra
manga da camisa. palavra pode se dar a partir de dois processos:
Joyce e Mozart são ótimos, mas eles, como quase toda a
cultura humanística, têm pouca relevância para nossa vida 1. Combinação: A preposição não sofre alteração.

Língua Portuguesa 32
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
preposição a + artigos definidos o, os 2. Algumas relações semânticas estabelecidas por meio das
a + o = ao preposições:
preposição a + advérbio onde Destino = Irei para casa.
a + onde = aonde Modo = Chegou em casa aos gritos.
Lugar = Vou ficar em casa;
2. Contração: Quando a preposição sofre alteração. Assunto = Escrevi um artigo sobre adolescência.
Tempo = A prova vai começar em dois minutos.
Preposição + Artigos Causa = Ela faleceu de derrame cerebral.
De + o(s) = do(s) Fim ou finalidade = Vou ao médico para começar o
De + a(s) = da(s) tratamento.
De + um = dum Instrumento = Escreveu a lápis.
De + uns = duns Posse = Não posso doar as roupas da mamãe.
De + uma = duma Autoria = Esse livro de Machado de Assis é muito bom.
De + umas = dumas Companhia = Estarei com ele amanhã.
Em + o(s) = no(s) Matéria = Farei um cartão de papel reciclado.
Em + a(s) = na(s) Meio = Nós vamos fazer um passeio de barco.
Em + um = num Origem = Nós somos do Nordeste, e você?
Em + uma = numa Conteúdo = Quebrei dois frascos de perfume.
Em + uns = nuns Oposição = Esse movimento é contra o que eu penso.
Em + umas = numas Preço = Essa roupa sai por R$ 50 à vista.
A + à(s) = à(s)
Por + o = pelo(s) Questões
Por + a = pela(s)
01. Leia o texto a seguir.
Preposição + Pronomes
De + ele(s) = dele(s) “Xadrez que liberta”: estratégia, concentração e reeducação
De + ela(s) = dela(s)
De + este(s) = deste(s) João Carlos de Souza Luiz cumpre pena há três anos e dois
De + esta(s) = desta(s) meses por assalto. Fransley Lapavani Silva está há sete anos
De + esse(s) = desse(s) preso por homicídio. Os dois têm 30 anos. Além dos muros,
De + essa(s) = dessa(s) grades, cadeados e detectores de metal, eles têm outros pontos
De + aquele(s) = daquele(s) em comum: tabuleiros e peças de xadrez.
De + aquela(s) = daquela(s) O jogo, que eles aprenderam na cadeia, além de uma válvula
De + isto = disto de escape para as horas de tédio, tornou-se uma metáfora para o
De + isso = disso que pretendem fazer quando estiverem em liberdade.
De + aquilo = daquilo “Quando você vai jogar uma partida de xadrez, tem que pensar
De + aqui = daqui duas, três vezes antes. Se você movimenta uma peça errada,
De + aí = daí pode perder uma peça de muito valor ou tomar um xeque-mate,
De + ali = dali instantaneamente. Se eu for para a rua e movimentar a peça
De + outro = doutro(s) errada, eu posso perder uma peça muito importante na minha
De + outra = doutra(s) vida, como eu perdi três anos na cadeia. Mas, na rua, o problema
Em + este(s) = neste(s) maior é tomar o xeque-mate”, afirma João Carlos.
Em + esta(s) = nesta(s) O xadrez faz parte da rotina de cerca de dois mil internos
Em + esse(s) = nesse(s) em 22 unidades prisionais do Espírito Santo. É o projeto “Xadrez
Em + aquele(s) = naquele(s) que liberta”. Duas vezes por semana, os presos podem praticar
Em + aquela(s) = naquela(s) a atividade sob a orientação de servidores da Secretaria de
Em + isto = nisto Estado da Justiça (Sejus). Na próxima sexta-feira, será realizado
Em + isso = nisso o primeiro torneio fora dos presídios desde que o projeto foi
Em + aquilo = naquilo implantado. Vinte e oito internos de 14 unidades participam da
A + aquele(s) = àquele(s) disputa, inclusive João Carlos e Fransley, que diz que a vitória
A + aquela(s) = àquela(s) não é o mais importante.
A + aquilo = àquilo “Só de chegar até aqui já estou muito feliz, porque eu não
esperava. A vitória não é tudo. Eu espero alcançar outras coisas
Dicas sobre preposição devido ao xadrez, como ser olhado com outros olhos, como
1. O “a” pode funcionar como preposição, pronome pessoal estou sendo olhado de forma diferente aqui no presídio devido
oblíquo e artigo. Como distingui-los? ao bom comportamento”.
Segundo a coordenadora do projeto, Francyany Cândido
- Caso o “a” seja um artigo, virá precedendo a um substantivo. Venturin, o “Xadrez que liberta” tem provocado boas mudanças
Ele servirá para determiná-lo como um substantivo singular no comportamento dos presos. “Tem surtido um efeito positivo
e feminino. por eles se tornarem uma referência positiva dentro da unidade,
A dona da casa não quis nos atender. já que cumprem melhor as regras, respeitam o próximo e
Como posso fazer a Joana concordar comigo? pensam melhor nas suas ações, refletem antes de tomar uma
atitude”.
- Quando é preposição, além de ser invariável, liga dois Embora a Sejus não monitore os egressos que ganham a
termos e estabelece relação de subordinação entre eles. liberdade, para saber se mantêm o hábito do xadrez, João Carlos
Cheguei a sua casa ontem pela manhã. já faz planos. “Eu incentivo não só os colegas, mas também
Não queria, mas vou ter que ir à outra cidade para procurar minha família. Sou casado e tenho três filhos. Já passei para a
um tratamento adequado. minha família: xadrez, quando eu sair para a rua, todo mundo
vai ter que aprender porque vai rolar até o torneio familiar”.
- Se for pronome pessoal oblíquo estará ocupando o lugar e/ “Medidas de promoção de educação e que possibilitem que o
ou a função de um substantivo. egresso saia melhor do que entrou são muito importantes. Nós
Temos Maria como parte da família. / A temos como parte não temos pena de morte ou prisão perpétua no Brasil. O preso
da família tem data para entrar e data para sair, então ele tem que sair
Creio que conhecemos nossa mãe melhor que ninguém. / sem retornar para o crime”, analisa o presidente do Conselho
Creio que a conhecemos melhor que ninguém. Estadual de Direitos Humanos, Bruno Alves de Souza Toledo.

Língua Portuguesa 33
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
(Disponível em: www.inapbrasil.com.br/en/noticias/xadrez-que- Morfossintaxe da Conjunção
liberta-estrategia-concentracao-e-reeducacao/6/noticias. Adaptado)
As conjunções, a exemplo das preposições, não exercem
No trecho –... xadrez, quando eu sair para a rua, todo mundo propriamente uma função sintática: são conectivos.
vai ter que aprender porque vai rolar até o torneio familiar.– o
termo em destaque expressa relação de Classificação - Conjunções Coordenativas- Conjunções
A) espaço, como em – Nosso diretor foi até Brasília para falar Subordinativas
do projeto “Xadrez que liberta”.
B) inclusão, como em – O xadrez mudou até o nosso modo Conjunções coordenativas
de falar. Dividem-se em:
C) finalidade, como em – Precisamos treinar até junho para
termos mais chances de vencer o torneio de xadrez. - ADITIVAS: expressam a ideia de adição, soma.
D) movimento, como em – Só de chegar até aqui já estou Ex. Gosto de cantar e de dançar.
muito feliz, porque eu não esperava. Principais conjunções aditivas: e, nem, não só...mas também,
E) tempo, como em – Até o ano que vem, pretendo conseguir não só...como também.
a revisão da minha pena.
- ADVERSATIVAS: Expressam ideias contrárias, de oposição,
02. Considere o trecho a seguir. de compensação.
O metrô paulistano, ________quem a banda recebe apoio, Ex. Estudei, mas não entendi nada.
garante o espaço para ensaios e os equipamentos; e a estabilidade Principais conjunções adversativas: mas, porém, contudo,
no emprego, vantagem________ que muitos trabalhadores sonham, todavia, no entanto, entretanto.
é o que leva os integrantes do grupo a permanecerem na
instituição. - ALTERNATIVAS: Expressam ideia de alternância.
Ou você sai do telefone ou eu vendo o aparelho.
As preposições que preenchem o trecho, correta, Principais conjunções alternativas: Ou...ou, ora...ora, quer...
respectivamente e de acordo com a norma-padrão, são: quer, já...já.
A) a ...com
B) de ...com - CONCLUSIVAS: Servem para dar conclusões às orações. Ex.
C) de ...a Estudei muito, por isso mereço passar.
D) com ...a Principais conjunções conclusivas: logo, por isso, pois
E) para ...de (depois do verbo), portanto, por conseguinte, assim.

03. Assinale a alternativa cuja preposição em destaque - EXPLICATIVAS: Explicam, dão um motivo ou razão. Ex. É
expressa ideia de finalidade. melhor colocar o casaco porque está fazendo muito frio lá fora.
A) Além disso, aumenta a punição administrativa, de R$ Principais conjunções explicativas: que, porque, pois (antes
957,70 para R$ 1.915,40. do verbo), porquanto.
B) ... o STJ (Superior Tribunal de Justiça) decidiu que
o bafômetro e o exame de sangue eram obrigatórios para Conjunções subordinativas
comprovar o crime. - CAUSAIS
C) “... Ele é encaminhado para a delegacia para o perito fazer Principais conjunções causais: porque, visto que, já que, uma
o exame clínico”... vez que, como (= porque).
D) Já para o juiz criminal de São Paulo, Fábio Munhoz Ele não fez o trabalho porque não tem livro.
Soares, um dos que devem julgar casos envolvendo pessoas
embriagadas ao volante, a mudança “é um avanço”. - COMPARATIVAS
E) Para advogados, a lei aumenta o poder da autoridade Principais conjunções comparativas: que, do que, tão...como,
policial de dizer quem está embriagado... mais...do que, menos...do que.
Ela fala mais que um papagaio.
Respostas
1-B / 2-B / 3-B - CONCESSIVAS
Principais conjunções concessivas: embora, ainda que,
Conjunção mesmo que, apesar de, se bem que.
Indicam uma concessão, admitem uma contradição, um fato
Conjunção é a palavra invariável que liga duas orações ou inesperado. Traz em si uma ideia de “apesar de”.
dois termos semelhantes de uma mesma oração. Por exemplo:
A menina segurou a boneca e mostrou quando viu as Embora estivesse cansada, fui ao shopping. (= apesar de estar
amiguinhas. cansada)
Deste exemplo podem ser retiradas três informações: Apesar de ter chovido fui ao cinema.

1-) segurou a boneca 2-) a menina mostrou 3-) viu as - CONFORMATIVAS


amiguinhas Principais conjunções conformativas: como, segundo,
conforme, consoante
Cada informação está estruturada em torno de um verbo: Cada um colhe conforme semeia.
segurou, mostrou, viu. Assim, há nessa frase três orações: Expressam uma ideia de acordo, concordância, conformidade.
1ª oração: A menina segurou a boneca 2ª oração: e  mostrou
3ª oração: quando viu as amiguinhas. - CONSECUTIVAS
A segunda oração liga-se à primeira por meio do “e”, e a Expressam uma ideia de consequência.
terceira oração liga-se à segunda por meio do “quando”. As Principais conjunções consecutivas: que (após “tal”, “tanto”,
palavras “e” e “quando” ligam, portanto, orações. “tão”, “tamanho”).
Falou tanto que ficou rouco.
Observe: Gosto de natação e de futebol.
Nessa frase as expressões de natação, de futebol são partes - FINAIS
ou termos de uma mesma oração. Logo, a palavra “e” está Expressam ideia de finalidade, objetivo.
ligando termos de uma mesma oração. Todos trabalham para que possam sobreviver.
Conjunção é a palavra invariável que liga duas orações Principais conjunções finais: para que, a fim de que, porque
ou dois termos semelhantes de uma mesma oração. (=para que),

Língua Portuguesa 34
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
- PROPORCIONAIS (Adaptado de Alex Ross. Escuta só. Tradução Pedro Maia
Principais conjunções proporcionais: à medida que, quanto Soares. São Paulo, Cia. das Letras, 2010, p. 76-77)
mais, ao passo que, à proporção que.
À medida que as horas passavam, mais sono ele tinha. No entanto, a música não é mais algo que fazemos nós mesmos,
ou até que observamos outras pessoas fazerem diante de nós.
- TEMPORAIS
Principais conjunções temporais: quando, enquanto, logo Considerando-se o contexto, é INCORRETO afirmar que o
que. elemento grifado pode ser substituído por:
Quando eu sair, vou passar na locadora. A) Porém.
B) Contudo.
Importante: C) Todavia.
D) Entretanto.
Diferença entre orações causais e explicativas E) Conquanto.

Quando estudamos Orações Subordinadas Adverbiais (OSA) 02. Observando as ocorrências da palavra “como” em –
e Coordenadas Sindéticas (CS), geralmente nos deparamos Como fomos programados para ver o mundo como um lugar
com a dúvida de como distinguir uma oração causal de uma ameaçador… – é correto afirmar que se trata de conjunção
explicativa. Veja os exemplos: (A) comparativa nas duas ocorrências.
(B) conformativa nas duas ocorrências.
1º) Na frase “Não atravesse a rua, porque você pode ser (C) comparativa na primeira ocorrência.
atropelado”: (D) causal na segunda ocorrência.
a) Temos uma CS Explicativa, que indica uma justificativa ou (E) causal na primeira ocorrência.
uma explicação do fato expresso na oração anterior.
03. Leia o texto a seguir.
b) As orações são coordenadas e, por isso, independentes
uma da outra. Neste caso, há uma pausa entre as orações que Participação
vêm marcadas por vírgula.
Não atravesse a rua. Você pode ser atropelado. Num belo poema, intitulado “Traduzir-se”, Ferreira Gullar
b) Outra dica é, quando a oração que antecede a OC (Oração aborda o tema de uma divisão muito presente em cada um de
Coordenada) vier com verbo no modo imperativo, ela será nós: a que ocorre entre o nosso mundo interior e a nossa atuação
explicativa. junto aos outros, nosso papel na ordem coletiva. A divisão não é
Façam silêncio, que estou falando. (façam= verbo imperativo) simples: costuma-se ver como antagônicas essas duas “partes”
de nós, nas quais nos dividimos. De fato, em quantos momentos
da nossa vida precisamos escolher entre o atendimento de um
2º) Na frase “Precisavam enterrar os mortos em outra cidade interesse pessoal e o cumprimento de um dever ético? Como poeta
porque não havia cemitério no local.” e militante político, Ferreira Gullar deixou-se atrair tanto pela
a) Temos uma OSA Causal, já que a oração subordinada expressão das paixões mais íntimas quanto pela atuação de um
(parte destacada) mostra a causa da ação expressa pelo convicto socialista. Em seu poema, o diálogo entre as duas partes
verbo da oração principal. Outra forma de reconhecê- é desenvolvido de modo a nos fazer pensar que são incompatíveis.
la é colocá-la no início do período, introduzida pela
conjunção como - o que não ocorre com a CS Explicativa. Mas no último momento do poema deparamo-nos com esta
Como não havia cemitério no local, precisavam enterrar os mortos estrofe:
em outra cidade. “Traduzir uma parte na outra parte − que é uma questão de
vida ou morte − será arte?”
b) As orações são subordinadas e, por isso, totalmente
dependentes uma da outra. O poeta levanta a possibilidade da “tradução” de uma parte
na outra, ou seja, da interação de ambas, numa espécie de
Questões espelhamento. Isso ocorreria quando o indivíduo conciliasse
verdadeiramente a instância pessoal e os interesses de uma
01. Leia o texto a seguir. comunidade; quando deixasse de haver contradição entre a razão
A música alcançou uma onipresença avassaladora em nosso particular e a coletiva. Pergunta-se o poeta se não seria arte esse
mundo: milhões de horas de sua história estão disponíveis em tipo de integração. Realmente, com muita frequência a arte se
disco; rios de melodia digital correm na internet; aparelhos mostra capaz de expressar tanto nossa subjetividade como nossa
de mp3 com 40 mil canções podem ser colocados no bolso. No identidade social.
entanto, a música não é mais algo que fazemos nós mesmos, ou Nesse sentido, traduzir uma parte na outra parte significaria
até que observamos outras pessoas fazerem diante de nós. vencer a parcialidade e chegar a uma autêntica participação,
Ela se tornou um meio radicalmente virtual, uma arte sem de sentido altamente político. O poema de Gullar deixa-nos essa
rosto. Quando caminhamos pela cidade num dia comum, nossos hipótese provocadora, formulada com um ar de convicção.
ouvidos registram música em quase todos os momentos − pedaços (Belarmino Tavares, inédito)
de hip-hop vazando dos fones de ouvido de adolescentes no metrô,
o sinal do celular de um advogado tocando a “Ode à alegria”, de Os seguintes fatos, referidos no texto, travam entre si uma
Beethoven −, mas quase nada disso será resultado imediato de relação de causa e efeito:
um trabalho físico de mãos ou vozes humanas, como se dava no A) ser poeta e militante político / confronto entre
passado. subjetividade e atuação social
Desde que Edison inventou o cilindro fonográfico, em1877, B) ser poeta e militante político / divisão permanente em
existe gente que avalia o que a gravação fez em favor e desfavor cada um de nós
da arte da música. Inevitavelmente, a conversa descambou para C) ser movido pelas paixões / esposar teses socialistas
os extremos retóricos. No campo oposto ao dos que diziam que a D) fazer arte / obliterar uma questão de vida ou morte
tecnologia acabaria com a música estão os utópicos, que alegam E) participar ativamente da política / formular hipóteses
que a tecnologia não aprisionou a música, mas libertou-a, levando com ar de convicção
a arte da elite às massas. Antes de Edison, diziam os utópicos, Respostas
as sinfonias de Beethoven só podiam ser ouvidas em salas de 1-E / 2-E / 3-A
concerto selecionadas. Agora, as gravações levam a mensagem
de Beethoven aos confins do planeta, convocando a multidão Interjeição
saudada na “Ode à alegria”: “Abracem-se, milhões!”. Glenn Gould,
depois de afastar-se das apresentações ao vivo em 1964, previu Interjeição é a palavra invariável que exprime emoções,
que dentro de um século o concerto público desapareceria no éter sensações, estados de espírito, ou que procura agir sobre o
eletrônico, com grande efeito benéfico sobre a cultura musical. interlocutor, levando-o a adotar certo comportamento sem que,

Língua Portuguesa 35
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
para isso, seja necessário fazer uso de estruturas linguísticas - Alegria ou Satisfação: Oh!, Ah!,Eh!, Oba!, Viva!
mais elaboradas. Observe o exemplo: - Alívio: Arre!, Uf!, Ufa! Ah!
Droga! Preste atenção quando eu estou falando! - Animação ou Estímulo: Vamos!, Força!, Coragem!, Eia!,
No exemplo acima, o interlocutor está muito bravo. Toda sua Ânimo!, Adiante!, Firme!, Toca!
raiva se traduz numa palavra: Droga! - Aplauso ou Aprovação: Bravo!, Bis!, Apoiado!, Viva!, Boa!
- Concordância: Claro!, Sim!, Pois não!, Tá!, Hã-hã!
Ele poderia ter dito: - Estou com muita raiva de você! Mas usou
simplesmente uma palavra. Ele empregou a interjeição Droga! - Repulsa ou Desaprovação: Credo!, Irra!, Ih!, Livra!, Safa!,
As sentenças da língua costumam se organizar de forma Fora!, Abaixo!, Francamente!, Xi!, Chega!, Basta!, Ora!
lógica: há uma sintaxe que estrutura seus elementos e os distribui - Desejo ou Intenção: Oh!, Pudera!, Tomara!, Oxalá!
em posições adequadas a cada um deles. As interjeições, por - Desculpa: Perdão!
outro lado, são uma espécie de “palavra-frase”, ou seja, há uma - Dor ou Tristeza: Ai!, Ui!, Ai de mim!, Que pena!, Ah!, Oh!,
ideia expressa por uma palavra (ou um conjunto de palavras - Eh!
locução interjetiva) que poderia ser colocada em termos de uma - Dúvida ou Incredulidade: Qual!, Qual o quê!, Hum!, Epa!,
sentença. Ora!
Veja os exemplos: - Espanto ou Admiração: Oh!, Ah!, Uai!, Puxa!, Céus!, Quê!,
Bravo! Bis! Caramba!, Opa!, Virgem!, Vixe!, Nossa!, Hem?!, Hein?, Cruz!, Putz!
bravo  e  bis: interjeição / sentença (sugestão): «Foi muito - Impaciência ou Contrariedade: Hum!, Hem!, Irra!, Raios!,
bom! Repitam!» Diabo!, Puxa!, Pô!, Ora!
Ai! Ai! Ai! Machuquei meu pé... - Pedido de Auxílio: Socorro!, Aqui!, Piedade!
ai: interjeição / sentença (sugestão): “Isso está doendo!” ou - Saudação, Chamamento ou Invocação: Salve!, Viva!,
“Estou com dor!” Adeus!, Olá!, Alô!, Ei!, Tchau!, Ô, Ó, Psiu!, Socorro!, Valha-me,
Deus!
A interjeição é um recurso da linguagem afetiva, em que - Silêncio: Psiu!, Bico!, Silêncio!
não há uma ideia organizada de maneira lógica, como são as - Terror ou Medo: Credo!, Cruzes!, Uh!, Ui!, Oh!
sentenças da língua, mas sim a manifestação de um suspiro,
Saiba que: As interjeições são palavras invariáveis, isto é,
um estado da alma decorrente de uma situação particular, um
não sofrem variação em gênero, número e grau como os nomes,
momento ou um contexto específico. Exemplos:
nem de número, pessoa, tempo, modo, aspecto e voz como os
Ah, como eu queria voltar a ser criança!
verbos. No entanto, em uso específico, algumas interjeições
ah: expressão de um estado emotivo = interjeição
sofrem variação em grau. Deve-se ter claro, neste caso, que
Hum! Esse pudim estava maravilhoso!
não se trata de um processo natural dessa classe de palavra,
hum: expressão de um pensamento súbito = interjeição
mas tão só uma variação que a linguagem afetiva permite.
Exemplos: oizinho, bravíssimo, até loguinho.
O significado das interjeições está vinculado à maneira
como elas são proferidas. Desse modo, o tom da fala é que dita Locução Interjetiva
o sentido que a expressão vai adquirir em cada contexto de
enunciação. Exemplos: Ocorre quando duas ou mais palavras formam uma
Psiu! expressão com sentido de interjeição. Por exemplo
contexto:  alguém pronunciando essa expressão na rua; Ora bolas!
significado da interjeição (sugestão):  “Estou te chamando! Ei, Quem me dera!
espere!” Virgem Maria!
Psiu! Meu Deus!
contexto: alguém pronunciando essa expressão em um Ai de mim!
hospital; significado da interjeição (sugestão):  “Por favor, faça Valha-me Deus!
silêncio!” Graças a Deus!
Puxa! Ganhei o maior prêmio do sorteio! Alto lá!
puxa: interjeição; tom da fala: euforia Muito bem!
Puxa! Hoje não foi meu dia de sorte!
puxa: interjeição; tom da fala: decepção Observações:

As interjeições cumprem, normalmente, duas funções: 1) As interjeições são como frases resumidas, sintéticas. Por
a)  Sintetizar uma frase  exclamativa, exprimindo alegria, exemplo:
tristeza, dor, etc. Ué! = Eu não esperava por essa!
Você faz o que no Brasil? Perdão! = Peço-lhe que me desculpe.
Eu? Eu negocio com madeiras.
Ah, deve ser muito interessante. 2) Além do contexto, o que caracteriza a interjeição é o seu
b) Sintetizar uma frase apelativa tom exclamativo; por isso, palavras de outras classes gramaticais
Cuidado! Saia da minha frente. podem aparecer como interjeições.
As interjeições podem ser formadas por: Viva! Basta! (Verbos)
a) simples sons vocálicos: Oh!, Ah!, Ó, Ô. Fora! Francamente! (Advérbios)
b) palavras: Oba!, Olá!, Claro!
c) grupos de palavras (locuções interjetivas): Meu Deus!, Ora 3) A interjeição pode ser considerada uma “palavra-frase”
bolas! porque sozinha pode constituir uma mensagem.
A ideia expressa pela interjeição depende muitas vezes Socorro!
da entonação com que é pronunciada; por isso, pode ocorrer que Ajudem-me! 
uma interjeição tenha mais de um sentido. Por exemplo: Silêncio!
Oh! Que surpresa desagradável! (ideia de contrariedade) Fique quieto!
Oh! Que bom te encontrar. (ideia de alegria)
4) Há, também, as interjeições onomatopaicas ou imitativas,
Classificação das Interjeições
que exprimem ruídos e vozes.
Pum! Miau! Bumba! Zás! Plaft! Pof!
Comumente, as interjeições expressam sentido de:
Catapimba! Tique-taque! Quá-quá-quá!, etc.
- Advertência: Cuidado!, Devagar!, Calma!, Sentido!,
Atenção!, Olha!, Alerta!
5) Não se deve confundir a interjeição de apelo “ó” com a sua
- Afugentamento: Fora!, Passa!, Rua!, Xô!
homônima  “oh!”, que exprime admiração, alegria, tristeza, etc.

Língua Portuguesa 36
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Faz-se uma pausa depois do” oh!” exclamativo e não a fazemos diante: trezentos/trezentas; quatrocentos/quatrocentas, etc.
depois do “ó” vocativo. Cardinais como milhão, bilhão, trilhão, variam em número:
milhões, bilhões, trilhões. Os demais cardinais são invariáveis.
“Ó natureza! ó mãe piedosa e pura!» (Olavo Bilac) 
Oh! a jornada negra!» (Olavo Bilac) Os numerais ordinais variam em gênero e número:
primeiro segundo milésimo
6) Na linguagem afetiva, certas interjeições, originadas primeira segunda milésima
de palavras de outras classes, podem aparecer flexionadas no primeiros segundos milésimos
diminutivo ou no superlativo. primeiras segundas milésimas
Calminha! Adeusinho! Obrigadinho!
Interjeições, leitura e produção de textos Os numerais multiplicativos são invariáveis quando atuam
em funções substantivas:
Usadas com muita frequência na língua falada informal, Fizeram o dobro do esforço e conseguiram o triplo de produção.
quando empregadas na língua escrita, as interjeições costumam Quando atuam em funções adjetivas, esses numerais
conferir-lhe certo tom inconfundível de coloquialidade. Além flexionam-se em gênero e número:
disso, elas podem muitas vezes indicar traços pessoais do falante Teve de tomar doses triplas do medicamento.
- como a escassez de vocabulário, o temperamento agressivo ou Os numerais fracionários flexionam-se em gênero e número.
dócil, até mesmo a origem geográfica. É nos textos narrativos - Observe: um terço/dois terços, uma terça parte/duas terças
particularmente nos diálogos - que comumente se faz uso partes
das interjeições com o objetivo de caracterizar personagens Os numerais coletivos flexionam-se em número. Veja: uma
e, também, graças à sua natureza sintética, agilizar as falas. dúzia, um milheiro, duas dúzias, dois milheiros.
Natureza sintética e conteúdo mais emocional do que É comum na linguagem coloquial a indicação de grau nos
racional fazem das interjeições presença constante nos textos numerais, traduzindo afetividade ou especialização de sentido.
publicitários. É o que ocorre em frases como:
Fonte: http://www.soportugues.com.br/secoes/morf/ “Me empresta duzentinho...”
morf89.php É artigo de primeiríssima qualidade!
Numeral O time está arriscado por ter caído na segundona. (= segunda
divisão de futebol)
Numeral é a palavra que indica os seres em termos
numéricos, isto é, que atribui quantidade aos seres ou os situa Emprego dos Numerais
em determinada sequência.
Os quatro últimos ingressos foram vendidos há pouco. *Para designar papas, reis, imperadores, séculos e partes em
[quatro: numeral = atributo numérico de “ingresso”] que se divide uma obra, utilizam-se os ordinais até décimo e a
Eu quero café duplo, e você? partir daí os cardinais, desde que o numeral venha depois do
[duplo: numeral = atributo numérico de “café”] substantivo:
A primeira pessoa da fila pode entrar, por favor! Ordinais Cardinais
[primeira: numeral = situa o ser “pessoa” na sequência de João Paulo II (segundo) Tomo XV (quinze)
“fila”] D. Pedro II (segundo) Luís XVI (dezesseis)
Ato II (segundo) Capítulo XX (vinte)
Note bem: os numerais traduzem, em palavras, o que Século VIII (oitavo) Século XX (vinte)
os números indicam em relação aos seres. Assim, quando a Canto IX (nono) João XXIII ( vinte e três)
expressão é colocada em números (1, 1°, 1/3, etc.) não se trata
de numerais, mas sim de algarismos. *Para designar leis, decretos e portarias, utiliza-se o ordinal
Além dos numerais mais conhecidos, já que refletem a até nono e o cardinal de dez em diante:
ideia expressa pelos números, existem mais algumas palavras Artigo 1.° (primeiro) Artigo 10 (dez)
consideradas numerais porque denotam quantidade, proporção Artigo 9.° (nono) Artigo 21 (vinte e um)
ou ordenação. São alguns exemplos: década, dúzia, par,
ambos(as), novena. *Ambos/ambas são considerados numerais. Significam “um
e outro”, “os dois” (ou “uma e outra”, “as duas”) e são largamente
Classificação dos Numerais empregados para retomar pares de seres aos quais já se fez
referência.
Cardinais: indicam contagem, medida. É o número básico: Pedro e João parecem ter finalmente percebido a importância
um, dois, cem mil, etc. da solidariedade. Ambos agora participam das atividades
Ordinais: indicam a ordem ou lugar do ser numa série dada: comunitárias de seu bairro.
primeiro, segundo, centésimo, etc.
Fracionários: indicam parte de um inteiro, ou seja, a divisão Obs.: a forma “ambos os dois” é considerada enfática.
dos seres: meio, terço, dois quintos, etc. Atualmente, seu uso indica afetação, artificialismo.
Multiplicativos: expressam ideia de multiplicação dos
seres, indicando quantas vezes a quantidade foi aumentada: Cardinais Ordinais Multiplicativos Fracionários
dobro, triplo, quíntuplo, etc. um primeiro - -
dois segundo dobro, duplo meio
Leitura dos Numerais três terceiro triplo, tríplice terço
quatro quarto quádruplo quarto
Separando os números em centenas, de trás para frente, cinco quinto quíntuplo quinto
obtêm-se conjuntos numéricos, em forma de centenas e, no seis sexto sêxtuplo sexto
início, também de dezenas ou unidades. Entre esses conjuntos sete sétimo sétuplo sétimo
usa-se vírgula; as unidades ligam-se pela conjunção “e”. oito oitavo óctuplo oitavo
1.203.726 = um milhão, duzentos e três mil, setecentos e vinte nove nono nônuplo nono
e seis. dez décimo décuplo décimo
45.520 = quarenta e cinco mil, quinhentos e vinte. onze décimo primeiro - onze avos
doze décimo segundo - doze avos
Flexão dos numerais treze décimo terceiro - treze avos
catorze décimo quarto - catorze avos
Os numerais cardinais que variam em gênero são um/uma, quinze décimo quinto - quinze avos
dois/duas e os que indicam centenas de duzentos/duzentas em dezesseis décimo sexto - dezesseis avos

Língua Portuguesa 37
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
dezessete décimo sétimo - dezessete avos 2- Usa-se nas abreviações - V. Exª. - Sr.
dezoito décimo oitavo - dezoito avos
dezenove décimo nono - dezenove avos Ponto e Vírgula ( ; )
vinte vigésimo - vinte avos 1- Separa várias partes do discurso, que têm a mesma
trinta trigésimo - trinta avos importância.
quarenta quadragésimo - quarenta avos -  “Os pobres dão pelo pão o trabalho; os ricos dão pelo pão
cinquenta quinquagésimo - cinquenta avos a fazenda; os de espíritos generosos dão pelo pão a vida; os de
sessenta sexagésimo - sessenta avos nenhum espírito dão pelo pão a alma...” (VIEIRA)
setenta septuagésimo - setenta avos
oitenta octogésimo - oitenta avos 2- Separa partes de frases que já estão separadas por
noventa nonagésimo - noventa avos vírgulas.
cem centésimo cêntuplo centésimo - Alguns quiseram verão, praia e calor; outros montanhas, frio
duzentos ducentésimo - ducentésimo e cobertor.
trezentos trecentésimo - trecentésimo
quatrocentos quadringentésimo - quadringentésimo 3- Separa itens de uma enumeração, exposição de motivos,
quinhentos quingentésimo - quingentésimo decreto de lei, etc.
seiscentos sexcentésimo - sexcentésimo - Ir ao supermercado;
setecentos septingentésimo - septingentésimo - Pegar as crianças na escola;
oitocentos octingentésimo - octingentésimo - Caminhada na praia;
novecentos nongentésimo - Reunião com amigos.
ou noningentésimo - nongentésimo
mil milésimo - milésimo Dois pontos
milhão milionésimo - milionésimo 1- Antes de uma citação
bilhão bilionésimo - bilionésimo - Vejamos como Afrânio Coutinho trata este assunto:

Questões 2- Antes de um aposto


- Três coisas não me agradam: chuva pela manhã, frio à tarde
01.Na frase “Nessa carteira só há duas notas de cinco reais” e calor à noite.
temos exemplos de numerais:
A) ordinais; 3- Antes de uma explicação ou esclarecimento
B) cardinais; - Lá estava a deplorável família: triste, cabisbaixa, vivendo a
C) fracionários; rotina de sempre.
D) romanos;
E) Nenhuma das alternativas. 4- Em frases de estilo direto
 Maria perguntou:
02.Aponte a alternativa em que os numerais estão bem - Por que você não toma uma decisão?
empregados.
A) Ao papa Paulo Seis sucedeu João Paulo Primeiro. Ponto de Exclamação
B) Após o parágrafo nono virá o parágrafo décimo. 1- Usa-se para indicar entonação de surpresa, cólera, susto,
C) Depois do capítulo sexto, li o capitulo décimo primeiro. súplica, etc.
D) Antes do artigo dez vem o artigo nono. - Sim! Claro que eu quero me casar com você!
E) O artigo vigésimo segundo foi revogado.
2- Depois de interjeições ou vocativos
03. Os ordinais referentes aos números 80, 300, 700 e 90 - Ai! Que susto!
são, respectivamente - João! Há quanto tempo!
A) octagésimo, trecentésimo, septingentésirno,
nongentésimo Ponto de Interrogação
B) octogésimo, trecentésimo, septingentésimo, nonagésimo Usa-se nas interrogações diretas e indiretas livres.
C) octingentésimo, tricentésimo, septuagésimo, nonagésimo “- Então? Que é isso? Desertaram ambos?” (Artur Azevedo)
D) octogésimo, tricentésimo, septuagésimo, nongentésimo Reticências
1- Indica que palavras foram suprimidas.
Respostas - Comprei lápis, canetas, cadernos...
1-B / 2-D / 3-B
2- Indica interrupção violenta da frase.
“- Não... quero dizer... é verdad... Ah!”
Pontuação.
3- Indica interrupções de hesitação ou dúvida
- Este mal... pega doutor?

Pontuação 4- Indica que o sentido vai além do que foi dito


- Deixa, depois, o coração falar...
Os sinais de pontuação são marcações gráficas que servem
para compor a coesão e a coerência textual além de ressaltar Vírgula
especificidades semânticas e pragmáticas. Vejamos as principais Não se usa vírgula
funções dos sinais de pontuação conhecidos pelo uso da língua *separando termos que, do ponto de vista sintático, ligam-se
portuguesa. diretamente entre si:

Ponto a) entre sujeito e predicado.


1- Indica o término do discurso ou de parte dele. Todos os alunos da sala    foram advertidos. 
- Façamos o que for preciso para tirá-la da situação em que Sujeito                            predicado
se encontra.
- Gostaria de comprar pão, queijo, manteiga e leite. b) entre o verbo e seus objetos.
O trabalho custou            sacrifício             aos realizadores. 
- Acordei. Olhei em volta. Não reconheci onde estava.              V.T.D.I.              O.D.                      O.I.

Língua Portuguesa 38
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
c) entre nome e complemento nominal; entre nome e adjunto B) dois pontos, vírgula, ponto e vírgula;
adnominal. C) vírgula, dois pontos, ponto e vírgula;
A surpreendente reação do governo contra os sonegadores D) pontos vírgula, dois pontos, ponto e vírgula;
despertou reações entre os empresários. E) ponto e vírgula, vírgula, vírgula.
adj. adnominal nome adj. adn. complemento nominal
03. Os sinais de pontuação estão empregados corretamente
Usa-se a vírgula: em:
A) Duas explicações, do treinamento para consultores
- Para marcar intercalação: iniciantes receberam destaque, o conceito de PPD e a construção
a) do adjunto adverbial: O café, em razão da sua abundância, de tabelas Price; mas por outro lado, faltou falar das metas de
vem caindo de preço. vendas associadas aos dois temas.
b) da conjunção: Os cerrados são secos e áridos. Estão B) Duas explicações do treinamento para consultores
produzindo, todavia, altas quantidades de alimentos. iniciantes receberam destaque: o conceito de PPD e a construção
c) das expressões explicativas ou corretivas: As indústrias de tabelas Price; mas, por outro lado, faltou falar das metas de
não querem abrir mão de suas vantagens, isto é, não querem abrir vendas associadas aos dois temas.
mão dos lucros altos. C) Duas explicações do treinamento para consultores
iniciantes receberam destaque; o conceito de PPD e a construção
- Para marcar inversão: de tabelas Price, mas por outro lado, faltou falar das metas de
a) do adjunto adverbial (colocado no início da oração): vendas associadas aos dois temas.
Depois das sete horas, todo o comércio está de portas fechadas. D) Duas explicações do treinamento para consultores
b) dos objetos pleonásticos antepostos ao verbo: Aos iniciantes, receberam destaque: o conceito de PPD e a construção
pesquisadores, não lhes destinaram verba alguma. de tabelas Price, mas, por outro lado, faltou falar das metas de
c) do nome de lugar anteposto às datas: Recife, 15 de maio vendas associadas aos dois temas.
de 1982. E) Duas explicações, do treinamento para consultores
iniciantes, receberam destaque; o conceito de PPD e a construção
- Para separar entre si elementos coordenados (dispostos de tabelas Price, mas por outro lado, faltou falar das metas, de
em enumeração): vendas associadas aos dois temas.
Era um garoto de 15 anos, alto, magro.
A ventania levou árvores, e telhados, e pontes, e animais. 04. Assinale a alternativa em que o período, adaptado da
revista Pesquisa Fapesp de junho de 2012, está correto quanto à
- Para marcar elipse (omissão) do verbo: regência nominal e à pontuação.
Nós queremos comer pizza; e vocês, churrasco. (A) Não há dúvida que as mulheres ampliam, rapidamente,
seu espaço na carreira científica ainda que o avanço seja mais
- Para isolar: notável em alguns países, o Brasil é um exemplo, do que em
outros.
- o aposto: (B) Não há dúvida de que, as mulheres, ampliam rapidamente
São Paulo, considerada a metrópole brasileira, possui um seu espaço na carreira científica; ainda que o avanço seja mais
trânsito caótico. notável, em alguns países, o Brasil é um exemplo!, do que em
outros.
- o vocativo: (C) Não há dúvida de que as mulheres, ampliam rapidamente
Ora, Thiago, não diga bobagem. seu espaço, na carreira científica, ainda que o avanço seja mais
notável, em alguns países: o Brasil é um exemplo, do que em
Questões outros.
(D) Não há dúvida de que as mulheres ampliam rapidamente
01. Assinale a alternativa em que a pontuação está seu espaço na carreira científica, ainda que o avanço seja mais
corretamente empregada, de acordo com a norma-padrão da notável em alguns países – o Brasil é um exemplo – do que em
língua portuguesa. outros.
(A) Diante da testemunha, o homem abriu a bolsa e, embora, (E) Não há dúvida que as mulheres ampliam rapidamente,
experimentasse, a sensação de violar uma intimidade, procurou seu espaço na carreira científica, ainda que, o avanço seja mais
a esmo entre as coisinhas, tentando encontrar algo que pudesse notável em alguns países (o Brasil é um exemplo) do que em
ajudar a revelar quem era a sua dona. outros.
(B) Diante, da testemunha o homem abriu a bolsa e, embora Resposta
experimentasse a sensação, de violar uma intimidade, procurou 1-C 2-C 3-B 4-D
a esmo entre as coisinhas, tentando encontrar algo que pudesse
ajudar a revelar quem era a sua dona.
(C) Diante da testemunha, o homem abriu a bolsa e, embora Sintaxe: Períodos Simples
experimentasse a sensação de violar uma intimidade, procurou (termos essenciais, integrantes e
a esmo entre as coisinhas, tentando encontrar algo que pudesse acessórios da oração) e Períodos
ajudar a revelar quem era a sua dona. Compostos (coordenação e
(D) Diante da testemunha, o homem, abriu a bolsa e, embora subordinação);
experimentasse a sensação de violar uma intimidade, procurou
a esmo entre as coisinhas, tentando, encontrar algo que pudesse
ajudar a revelar quem era a sua dona.
(E) Diante da testemunha, o homem abriu a bolsa e, embora, Período
experimentasse a sensação de violar uma intimidade, procurou
a esmo entre as coisinhas, tentando, encontrar algo que pudesse Período: Toda frase com uma ou mais orações constitui um
ajudar a revelar quem era a sua dona. período, que se encerra com ponto de exclamação, ponto de
interrogação ou com reticências.
02. Assinale a opção em que está corretamente indicada a O período é simples quando só traz uma oração, chamada
ordem dos sinais de pontuação que devem preencher as lacunas absoluta; o período é composto quando traz mais de uma
da frase abaixo: oração. Exemplo: Pegou fogo no prédio. (Período simples, oração
“Quando se trata de trabalho científico ___ duas coisas devem absoluta.); Quero que você aprenda. (Período composto.)
ser consideradas ____ uma é a contribuição teórica que o trabalho
oferece ___ a outra é o valor prático que possa ter. Existe uma maneira prática de saber quantas orações há
A) dois pontos, ponto e vírgula, ponto e vírgula num período: é contar os verbos ou locuções verbais. Num

Língua Portuguesa 39
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
período haverá tantas orações quantos forem os verbos ou as Observe que a 2ª oração vem introduzida por uma conjunção
locuções verbais nele existentes. Exemplos: que expressa idéia de oposição à oração anterior, ou seja, por
Pegou fogo no prédio. (um verbo, uma oração) uma conjunção coordenativa adversativa.
Quero que você aprenda. (dois verbos, duas orações)
Está pegando fogo no prédio. (uma locução verbal, uma A espada vence, mas não convence.
oração) “É dura a vida, mas aceitam-na.” (Cecília Meireles)
Deves estudar para poderes vencer na vida. (duas locuções
verbais, duas orações) - Orações coordenadas sindéticas conclusivas: portanto,
por isso, pois, logo.
Há três tipos de período composto: por coordenação, por
subordinação e por coordenação e subordinação ao mesmo Ele me ajudou muito, / portanto merece minha gratidão.
tempo (também chamada de misto). OCA OCS Conclusiva

Período Composto por Coordenação – Orações Observe que a 2ª oração vem introduzida por uma conjunção
Coordenadas que expressa ideia de conclusão de um fato enunciado na oração
anterior, ou seja, por uma conjunção coordenativa conclusiva.
Considere, por exemplo, este período composto:
Passeamos pela praia, / brincamos, / recordamos os tempos Vives mentindo; logo, não mereces fé.
de infância. Ele é teu pai: respeita-lhe, pois, a vontade.
1ª oração: Passeamos pela praia
2ª oração: brincamos - Orações coordenadas sindéticas alternativas: ou,ou... ou,
3ª oração: recordamos os tempos de infância ora... ora, seja... seja, quer... quer.
As três orações que compõem esse período têm sentido
próprio e não mantêm entre si nenhuma dependência sintática: Seja mais educado / ou retire-se da reunião!
elas são independentes. Há entre elas, é claro, uma relação de OCA OCS Alternativa
sentido, mas, como já dissemos, uma não depende da outra
sintaticamente. Observe que a 2ª oração vem introduzida por uma
As orações independentes de um período são chamadas conjunção que estabelece uma relação de alternância ou escolha
de orações coordenadas (OC), e o período formado só de com referência à oração anterior, ou seja, por uma conjunção
orações coordenadas é chamado de período composto por coordenativa alternativa.
coordenação.
As orações coordenadas são classificadas em assindéticas e Venha agora ou perderá a vez.
sindéticas. “Jacinta não vinha à sala, ou retirava-se logo.” (Machado de
Assis)
- As orações coordenadas são assindéticas (OCA) quando “Em aviação, tudo precisa ser bem feito ou custará preço
não vêm introduzidas por conjunção. Exemplo: muito caro.” (Renato Inácio da Silva)
Os torcedores gritaram, / sofreram, / vibraram. “A louca ora o acariciava, ora o rasgava freneticamente.”
OCA OCA OCA (Luís Jardim)

“Inclinei-me, apanhei o embrulho e segui.” (Machado de - Orações coordenadas sindéticas explicativas: que,
Assis) porque, pois, porquanto.
“A noite avança, há uma paz profunda na casa deserta.” Vamos andar depressa / que estamos atrasados.
(Antônio Olavo Pereira) OCA OCS Explicativa
“O ferro mata apenas; o ouro infama, avilta, desonra.” Observe que a 2ª oração é introduzida por uma conjunção
(Coelho Neto) que expressa ideia de explicação, de justificativa em relação
à oração anterior, ou seja, por uma conjunção coordenativa
- As orações coordenadas são sindéticas (OCS) quando vêm explicativa.
introduzidas por conjunção coordenativa. Exemplo:
O homem saiu do carro / e entrou na casa. Leve-lhe uma lembrança, que ela aniversaria amanhã.
OCA OCS “A mim ninguém engana, que não nasci ontem.” (Érico
Veríssimo)
As orações coordenadas sindéticas são classificadas de Questões
acordo com o sentido expresso pelas conjunções coordenativas
que as introduzem. Pode ser: 01. Relacione as orações coordenadas por meio de
conjunções:
- Orações coordenadas sindéticas aditivas: e, nem, não só... (A) Ouviu-se o som da bateria. Os primeiros foliões surgiram.
mas também, não só... mas ainda. (B) Não durma sem cobertor. A noite está fria.
Saí da escola / e fui à lanchonete. (C) Quero desculpar-me. Não consigo encontrá-los.
OCA OCS Aditiva   
02. Em: “... ouviam-se amplos bocejos, fortes como o marulhar
Observe que a 2ª oração vem introduzida por uma conjunção das ondas...” a partícula como expressa uma ideia de:
que expressa idéia de acréscimo ou adição com referência à (A) causa
oração anterior, ou seja, por uma conjunção coordenativa aditiva. (B) explicação
(C) conclusão
A doença vem a cavalo e volta a pé. (D) proporção
As pessoas não se mexiam nem falavam. (E) comparação
“Não só findaram as queixas contra o alienista, mas até  
nenhum ressentimento ficou dos atos que ele praticara.” 03. “Entrando na faculdade, procurarei emprego”, oração
(Machado de Assis) sublinhada pode indicar uma ideia de:
- Orações coordenadas sindéticas adversativas: mas, (A) concessão
porém, todavia, contudo, entretanto, no entanto. (B) oposição
(C) condição
Estudei bastante / mas não passei no teste. (D) lugar
OCA OCS Adversativa (E) consequência
  

Língua Portuguesa 40
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
04. Assinale a sequência de conjunções que estabelecem, Como ele estava armado, ninguém ousou reagir.
entre as orações de cada item, uma correta relação de sentido. “Faltou à reunião, visto que esteve doente.” (Arlindo de
1. Correu demais, ... caiu. Sousa)
2. Dormiu mal, ... os sonhos não o deixaram em paz.
3. A matéria perece, ... a alma é imortal. - Condicionais: Expressam hipóteses ou condição para a
4. Leu o livro, ... é capaz de descrever as personagens com ocorrência do que foi enunciado na principal. Conjunções: se,
detalhes. contanto que, a menos que, a não ser que, desde que.
5. Guarde seus pertences, ... podem servir mais tarde. Irei à sua casa / se não chover.
OP OSA Condicional
(A) porque, todavia, portanto, logo, entretanto
(B) por isso, porque, mas, portanto, que Deus só nos perdoará se perdoarmos aos nossos
(C) logo, porém, pois, porque, mas ofensores.
(D) porém, pois, logo, todavia, porque Se o conhecesses, não o condenarias.
(E) entretanto, que, porque, pois, portanto “Que diria o pai se soubesse disso?” (Carlos Drummond de
Andrade)
05. Reúna as três orações em um período composto por A cápsula do satélite será recuperada, caso a experiência
coordenação, usando conjunções adequadas. tenha êxito.
- Concessivas: Expressam ideia ou fato contrário ao da
Os dias já eram quentes. oração principal, sem, no entanto, impedir sua realização.
A água do mar ainda estava fria. Conjunções: embora, ainda que, apesar de, se bem que, por mais
As praias permaneciam desertas. que, mesmo que.
Ela saiu à noite / embora estivesse doente.
Respostas OP OSA Concessiva
Admirava-o muito, embora (ou conquanto ou posto que
01. ou se bem que) não o conhecesse pessoalmente.
Ouviu-se o som da bateria e os primeiros foliões surgiram. Embora não possuísse informações seguras, ainda assim
Não durma sem cobertor, pois a noite está fria. arriscou uma opinião.
Quero desculpar-me, mas consigo encontrá-los. Cumpriremos nosso dever, ainda que (ou mesmo quando
  ou ainda quando ou mesmo que) todos nos critiquem.
02. E\03. C\04. B Por mais que gritasse, não me ouviram.

05. Os dias já eram quentes, mas a água do mar ainda estava - Conformativas: Expressam a conformidade de um fato
fria, por isso as praias permaneciam desertas. com outro. Conjunções: conforme, como (=conforme), segundo.
O trabalho foi feito / conforme havíamos planejado.
Período Composto por Subordinação OP OSA Conformativa

Observe os termos destacados em cada uma destas orações: O homem age conforme pensa.
Vi uma cena triste. (adjunto adnominal) Relatei os fatos como (ou conforme) os ouvi.
Todos querem sua participação. (objeto direto) Como diz o povo, tristezas não pagam dívidas.
Não pude sair por causa da chuva. (adjunto adverbial de O jornal, como sabemos, é um grande veículo de informação.
causa)
- Temporais: Acrescentam uma circunstância de tempo ao
Veja, agora, como podemos transformar esses termos em que foi expresso na oração principal. Conjunções: quando, assim
orações com a mesma função sintática: que, logo que, enquanto, sempre que, depois que, mal (=assim que).
Vi uma cena / que me entristeceu. (oração subordinada Ele saiu da sala / assim que eu cheguei.
com função de adjunto adnominal) OP OSA Temporal
Todos querem / que você participe. (oração subordinada
com função de objeto direto) Formiga, quando quer se perder, cria asas.
Não pude sair / porque estava chovendo. (oração “Lá pelas sete da noite, quando escurecia, as casas se
subordinada com função de adjunto adverbial de causa) esvaziam.” (Carlos Povina Cavalcânti)
“Quando os tiranos caem, os povos se levantam.” (Marquês
Em todos esses períodos, a segunda oração exerce uma de Maricá)
certa função sintática em relação à primeira, sendo, portanto, Enquanto foi rico, todos o procuravam.
subordinada a ela. Quando um período é constituído de pelo - Finais: Expressam a finalidade ou o objetivo do que foi
menos um conjunto de duas orações em que uma delas (a enunciado na oração principal. Conjunções: para que, a fim de
subordinada) depende sintaticamente da outra (principal), ele que, porque (=para que), que.
é classificado como período composto por subordinação. As Abri a porta do salão / para que todos pudessem entrar.
orações subordinadas são classificadas de acordo com a função OP OSA Final
que exercem: adverbiais, substantivas e adjetivas.
“O futuro se nos oculta para que nós o imaginemos.”
Orações Subordinadas Adverbiais (Marquês de Maricá)
Aproximei-me dele a fim de que me ouvisse melhor.
As orações subordinadas adverbiais (OSA) são aquelas “Fiz-lhe sinal que se calasse.” (Machado de Assis) (que =
que exercem a função de adjunto adverbial da oração principal para que)
(OP). São classificadas de acordo com a conjunção subordinativa “Instara muito comigo não deixasse de frequentar as
que as introduz: recepções da mulher.” (Machado de Assis) (não deixasse =
para que não deixasse)
- Causais: Expressam a causa do fato enunciado na oração
principal. Conjunções: porque, que, como (= porque), pois que, - Consecutivas: Expressam a consequência do que foi
visto que. enunciado na oração principal. Conjunções: porque, que, como (=
Não fui à escola / porque fiquei doente. porque), pois que, visto que.
OP OSA Causal
A chuva foi tão forte / que inundou a cidade.
O tambor soa porque é oco. OP OSA Consecutiva
Como não me atendessem, repreendi-os severamente.

Língua Portuguesa 41
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Fazia tanto frio que meus dedos estavam endurecidos. do tipo é bom, é útil, é certo, é conveniente, etc. Ex.: É certo que
“A fumaça era tanta que eu mal podia abrir os olhos.” (José ele voltará amanhã.
J. Veiga) - depois de expressões na voz passiva, como sabe-se, conta-
De tal sorte a cidade crescera que não a reconhecia mais. se, diz-se, etc. Ex.: Sabe-se que ele saiu da cidade.
As notícias de casa eram boas, de maneira que pude - depois de verbos como convir, cumprir, constar, urgir,
prolongar minha viagem. ocorrer, quando empregados na 3ª pessoa do singular e seguidos
das conjunções que ou se. Ex.: Convém que todos participem
- Comparativas: Expressam ideia de comparação com da reunião.
referência à oração principal. Conjunções: como, assim como,
tal como, (tão)... como, tanto como, tal qual, que (combinado com É necessário que você colabore. (= Sua colaboração é
menos ou mais). necessária.)
Ela é bonita / como a mãe. Parece que a situação melhorou.
OP OSA Comparativa Aconteceu que não o encontrei em casa.
Importa que saibas isso bem.
A preguiça gasta a vida como a ferrugem consome o ferro.”
(Marquês de Maricá) - Oração Subordinada Substantiva Completiva Nominal:
Ela o atraía irresistivelmente, como o imã atrai o ferro. É aquela que exerce a função de complemento nominal de um
Os retirantes deixaram a cidade tão pobres como vieram. termo da oração principal. Observe: Estou convencido de sua
Como a flor se abre ao Sol, assim minha alma se abriu à luz inocência. (complemento nominal)
daquele olhar. Estou convencido / de que ele é inocente.
OP OSS Completiva Nominal
Obs.: As orações comparativas nem sempre apresentam
claramente o verbo, como no exemplo acima, em que está Sou favorável a que o prendam. (= Sou favorável à prisão
subentendido o verbo ser (como a mãe é). dele.)
- Proporcionais: Expressam uma ideia que se relaciona Estava ansioso por que voltasses.
proporcionalmente ao que foi enunciado na principal. Sê grato a quem te ensina.
Conjunções: à medida que, à proporção que, ao passo que, quanto “Fabiano tinha a certeza de que não se acabaria tão cedo.”
mais, quanto menos. (Graciliano Ramos)
Quanto mais reclamava / menos atenção recebia.
OSA Proporcional OP - Oração Subordinada Substantiva Predicativa: É aquela
que exerce a função de predicativo do sujeito da oração principal,
À medida que se vive, mais se aprende. vindo sempre depois do verbo ser. Observe: O importante é sua
À proporção que avançávamos, as casas iam rareando. felicidade. (predicativo)
O valor do salário, ao passo que os preços sobem, vai O importante é / que você seja feliz.
diminuindo. OP OSS Predicativa

Orações Subordinadas Substantivas Seu receio era que chovesse. (Seu receio era a chuva.)
Minha esperança era que ele desistisse.
As orações subordinadas substantivas (OSS) são aquelas Meu maior desejo agora é que me deixem em paz.
que, num período, exercem funções sintáticas próprias de Não sou quem você pensa.
substantivos, geralmente são introduzidas pelas conjunções
integrantes que e se. Elas podem ser: - Oração Subordinada Substantiva Apositiva: É aquela
que exerce a função de aposto de um termo da oração principal.
- Oração Subordinada Substantiva Objetiva Direta: É Observe: Ele tinha um sonho: a união de todos em benefício
aquela que exerce a função de objeto direto do verbo da oração do país. (aposto)
principal. Observe: O grupo quer a sua ajuda. (objeto direto) Ele tinha um sonho / que todos se unissem em benefício do
O grupo quer / que você ajude. país.
OP OSS Objetiva Direta OP OSS Apositiva

O mestre exigia que todos estivessem presentes. (= O Só desejo uma coisa: que vivam felizes. (Só desejo uma
mestre exigia a presença de todos.) coisa: a sua felicidade)
Mariana esperou que o marido voltasse. Só lhe peço isto: honre o nosso nome.
Ninguém pode dizer: Desta água não beberei. “Talvez o que eu houvesse sentido fosse o presságio disto: de
O fiscal verificou se tudo estava em ordem. que virias a morrer...” (Osmã Lins)
“Mas diga-me uma cousa, essa proposta traz algum motivo
- Oração Subordinada Substantiva Objetiva Indireta: É oculto?” (Machado de Assis)
aquela que exerce a função de objeto indireto do verbo da oração As orações apositivas vêm geralmente antecedidas de dois-
principal. Observe: Necessito de sua ajuda. (objeto indireto) pontos. Podem vir, também, entre vírgulas, intercaladas à oração
Necessito / de que você me ajude. principal. Exemplo: Seu desejo, que o filho recuperasse a
OP OSS Objetiva Indireta saúde, tornou-se realidade.

Não me oponho a que você viaje. (= Não me oponho à sua Observação: Além das conjunções integrantes que e se,
viagem.) as orações substantivas podem ser introduzidas por outros
Aconselha-o a que trabalhe mais. conectivos, tais como quando, como, quanto, etc. Exemplos:
Daremos o prêmio a quem o merecer. Não sei quando ele chegou.
Lembre-se de que a vida é breve. Diga-me como resolver esse problema.

- Oração Subordinada Substantiva Subjetiva: É aquela Orações Subordinadas Adjetivas


que exerce a função de sujeito do verbo da oração principal. As orações subordinadas Adjetivas (OSA) exercem
Observe: É importante sua colaboração. (sujeito) a função de adjunto adnominal de algum termo da oração
É importante / que você colabore. principal. Observe como podemos transformar um adjunto
OP OSS Subjetiva adnominal em oração subordinada adjetiva:
Desejamos uma paz duradoura. (adjunto adnominal)
A oração subjetiva geralmente vem: Desejamos uma paz / que dure. (oração subordinada
- depois de um verbo de ligação + predicativo, em construções adjetiva)

Língua Portuguesa 42
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
As orações subordinadas adjetivas são sempre introduzidas Observações:
por um pronome relativo (que , qual, cujo, quem, etc.) e podem
ser classificadas em: - Há orações reduzidas que permitem mais de um tipo de
desenvolvimento. Há casos também de orações reduzidas
- Subordinadas Adjetivas Restritivas: São restritivas fixas, isto é, orações reduzidas que não são passíveis de
quando restringem ou especificam o sentido da palavra a que se desenvolvimento. Exemplo: Tenho vontade de visitar essa
referem. Exemplo: cidade.
O público aplaudiu o cantor / que ganhou o 1º lugar. - O infinitivo, o gerúndio e o particípio não constituem
OP OSA Restritiva orações reduzidas quando fazem parte de uma locução verbal.
Exemplos:
Nesse exemplo, a oração que ganhou o 1º lugar especifica Preciso terminar este exercício.
o sentido do substantivo cantor, indicando que o público não Ele está jantando na sala.
aplaudiu qualquer cantor mas sim aquele que ganhou o 1º lugar. Essa casa foi construída por meu pai.
- Uma oração coordenada também pode vir sob a forma
Pedra que rola não cria limo. reduzida. Exemplo:
Os animais que se alimentam de carne chamam-se O homem fechou a porta, saindo depressa de casa.
carnívoros. O homem fechou a porta e saiu depressa de casa. (oração
Rubem Braga é um dos cronistas que mais belas páginas coordenada sindética aditiva)
escreveram. Saindo depressa de casa: oração coordenada reduzida de
“Há saudades que a gente nunca esquece.” (Olegário gerúndio.
Mariano) Qual é a diferença entre as orações coordenadas explicativas
- Subordinadas Adjetivas Explicativas: São explicativas e as orações subordinadas causais, já que ambas podem ser
quando apenas acrescentam uma qualidade à palavra a que se iniciadas por que e porque? Às vezes não é fácil estabelecer a
referem, esclarecendo um pouco mais seu sentido, mas sem diferença entre explicativas e causais, mas como o próprio nome
restringi-lo ou especificá-lo. Exemplo: indica, as causais sempre trazem a causa de algo que se revela na
O escritor Jorge Amado, / que mora na Bahia, / lançou um oração principal, que traz o efeito.
novo livro. Note-se também que há pausa (vírgula, na escrita) entre
OP OSA Explicativa OP a oração explicativa e a precedente e que esta é, muitas vezes,
imperativa, o que não acontece com a oração adverbial causal.
Deus, que é nosso pai, nos salvará. Essa noção de causa e efeito não existe no período composto por
Valério, que nasceu rico, acabou na miséria. coordenação. Exemplo: Rosa chorou porque levou uma surra.
Ele tem amor às plantas, que cultiva com carinho. Está claro que a oração iniciada pela conjunção é causal, visto
Alguém, que passe por ali à noite, poderá ser assaltado. que a surra foi sem dúvida a causa do choro, que é efeito.
Rosa chorou, porque seus olhos estão vermelhos. O
Orações Reduzidas período agora é composto por coordenação, pois a oração
Observe que as orações subordinadas eram sempre iniciada pela conjunção traz a explicação daquilo que se revelou
introduzidas por uma conjunção ou pronome relativo e na coordena anterior. Não existe aí relação de causa e efeito: o
apresentavam o verbo numa forma do indicativo ou do fato de os olhos de Elisa estarem vermelhos não é causa de ela
subjuntivo. Além desse tipo de orações subordinadas há outras ter chorado.
que se apresentam com o verbo numa das formas nominais
(infinitivo, gerúndio e particípio). Exemplos: Ela fala / como falaria / se entendesse do assunto.
OP OSA Comparativa OSA Condicional
- Ao entrar nas escola, encontrei o professor de inglês.
(infinitivo) Questões
- Precisando de ajuda, telefone-me. (gerúndio)
- Acabado o treino, os jogadores foram para o vestiário. 01. Na frase: “Maria do Carmo tinha a certeza de que estava
(particípio) para ser mãe”, a oração destacada é:
(A) subordinada substantiva objetiva indireta
As orações subordinadas que apresentam o verbo numa das (B) subordinada substantiva completiva nominal
formas nominais são chamadas de reduzidas. (C) subordinada substantiva predicativa
Para classificar a oração que está sob a forma reduzida, (D) coordenada sindética conclusiva
devemos procurar desenvolvê-la do seguinte modo: colocamos (E) coordenada sindética explicativa
a conjunção ou o pronome relativo adequado ao sentido e
passamos o verbo para uma forma do indicativo ou subjuntivo, 02. “Na ‘Partida Monção’, não há uma atitude inventada.
conforme o caso. A oração reduzida terá a mesma classificação Há reconstituição de uma cena como ela devia ter sido na
da oração desenvolvida. realidade.” A oração sublinhada é:
(A) adverbial conformativa
Ao entrar na escola, encontrei o professor de inglês. (B) adjetiva
Quando entrei na escola, / encontrei o professor de inglês. (C) adverbial consecutiva
OSA Temporal (D) adverbial proporcional
Ao entrar na escola: oração subordinada adverbial temporal, (E) adverbial causal
reduzida de infinitivo.
03.“Esses produtos podem ser encontrados nos
Precisando de ajuda, telefone-me. supermercados com rótulos como ‘sênior’ e com características
Se precisar de ajuda, / telefone-me. adaptadas às dificuldades para mastigar e para engolir dos
OSA Condicional mais velhos, e preparados para se encaixar em seus hábitos de
Precisando de ajuda: oração subordinada adverbial consumo”. O segmento “para se encaixar” pode ter sua forma
condicional, reduzida de gerúndio. verbal reduzida adequadamente desenvolvida em

Acabado o treino, os jogadores foram para o vestiário. (A) para se encaixarem.


Assim que acabou o treino, / os jogadores foram para o (B) para seu encaixotamento.
vestiário. (C) para que se encaixassem.
OSA Temporal (D) para que se encaixem.
Acabado o treino: oração subordinada adverbial temporal, (E) para que se encaixariam.
reduzida de particípio.

Língua Portuguesa 43
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
04. A palavra “se” é conjunção integrante (por introduzir Observação:
oração subordinada substantiva objetiva direta) em qual das - No caso da referida expressão aparecer repetida ou
orações seguintes? associada a um verbo que exprime reciprocidade, o verbo,
(A) Ele se mordia de ciúmes pelo patrão. necessariamente, deverá permanecer no plural: Mais de um
(B) A Federação arroga-se o direito de cancelar o jogo. aluno, mais de um professor contribuíram na campanha de
(C) O aluno fez-se passar por doutor. doação de alimentos. 
(D) Precisa-se de operários. Mais de um formando se abraçaram durante as solenidades
(E) Não sei se o vinho está bom. de formatura. 

05. “Lembro-me de que ele só usava camisas brancas.” A 6) Quando o sujeito for composto da expressão “um dos
oração sublinhada é: que”, o verbo permanecerá no plural: Esse jogador foi um dos
(A) subordinada substantiva completiva nominal que atuaram na Copa América.
(B) subordinada substantiva objetiva indireta
(C) subordinada substantiva predicativa 7) Em casos relativos à concordância com locuções
(D) subordinada substantiva subjetiva pronominais, representadas por “algum de nós, qual de vós,
(E) subordinada substantiva objetiva direta   quais de vós, alguns de nós”, entre outras, faz-se necessário nos
atermos a duas questões básicas:
Respostas - No caso de o primeiro pronome estar expresso no plural,
01. B\02. A\03. D\04. E\05. B o verbo poderá com ele concordar, como poderá também
concordar com o pronome pessoal: Alguns de nós o receberemos.
/ Alguns de nós o receberão.
Concordâncias verbal e nominal; - Quando o primeiro pronome da locução estiver expresso
no singular, o verbo permanecerá, também, no singular:  Algum
de nós o receberá.  

Concordância Verbal 8) No caso de o sujeito aparecer representado pelo pronome


“quem”, o verbo permanecerá na terceira pessoa do singular
Ao falarmos sobre a  concordância verbal, estamos nos ou poderá concordar com o antecedente desse pronome:   
referindo à relação de dependência estabelecida entre um termo Fomos nós quem contou toda a verdade para ela. / Fomos
e outro mediante um contexto oracional. Desta feita, os agentes nós quem contamos toda a verdade para ela.
principais desse processo são representados pelo sujeito, que no
caso funciona como subordinante; e o verbo, o qual desempenha 9) Em casos nos quais o sujeito aparece realçado pela palavra
a função de subordinado.  “que”, o verbo deverá concordar com o termo que antecede essa
Dessa forma, temos que a concordância verbal caracteriza- palavra: Nesta empresa somos nós que tomamos as decisões. /
se pela adaptação do verbo, tendo em vista os quesitos “número Em casa sou eu que decido tudo.   
e pessoa” em relação ao sujeito. Exemplificando, temos: O aluno
chegou 10) No caso de o sujeito aparecer representado por
Temos que o verbo apresenta-se na terceira pessoa do expressões que indicam porcentagens, o verbo concordará com o
singular, pois faz referência a um sujeito, assim também expresso numeral ou com o substantivo a que se refere essa porcentagem:   
(ele).  Como poderíamos também dizer: os alunos chegaram 50% dos funcionários aprovaram a decisão da diretoria. / 50%
atrasados. do eleitorado apoiou a decisão.
Temos aí o que podemos chamar de princípio básico. Observações:
Contudo, a intenção a que se presta o artigo em evidência é - Caso o verbo aparecer anteposto à expressão de
eleger as principais ocorrências voltadas para os casos de sujeito porcentagem, esse deverá concordar com o numeral: Aprovaram
simples e para os de sujeito composto. Dessa forma, vejamos:  a decisão da diretoria 50% dos funcionários.     
- Em casos relativos a 1%, o verbo permanecerá no singular:
Casos referentes a sujeito simples 1% dos funcionários não aprovou a decisão da diretoria.  
- Em casos em que o numeral estiver acompanhado de
1) Em caso de sujeito simples, o verbo concorda com o determinantes no plural, o verbo permanecerá no plural: Os
núcleo em número e pessoa: O aluno chegou atrasado.  50% dos funcionários apoiaram a decisão da diretoria. 

2) Nos casos referentes a sujeito representado por 11) Nos casos em que o sujeito estiver representado por
substantivo coletivo, o verbo permanece na terceira pessoa do pronomes de tratamento, o verbo deverá ser empregado na terceira
singular:  A multidão, apavorada, saiu aos gritos. pessoa do singular ou do plural:  Vossas Majestades gostaram das
Observação: homenagens. Vossa Majestade agradeceu o convite.  
- No caso de o coletivo aparecer seguido de adjunto adnominal
no plural, o verbo permanecerá no singular ou poderá ir para o 12) Casos relativos a sujeito representado por substantivo
plural: Uma multidão de pessoas saiu aos gritos. próprio no plural se encontram relacionados a alguns aspectos
Uma multidão de pessoas saíram aos gritos. que os determinam:
- Diante de nomes de obras no plural, seguidos do verbo ser,
3) Quando o sujeito é representado por expressões partitivas, este permanece no singular, contanto que o predicativo também
representadas por “a maioria de, a maior parte de, a metade de, esteja no singular:  Memórias póstumas de Brás Cubas é uma
uma porção de, entre outras”, o verbo tanto pode concordar criação de Machado de Assis.   
com o núcleo dessas expressões quanto com o substantivo - Nos casos de artigo expresso no plural, o verbo também
que a segue: A  maioria  dos alunos  resolveu  ficar.   A maioria permanece no plural: Os Estados Unidos são uma potência
dos alunos resolveram ficar. mundial.
- Casos em que o artigo figura no singular ou em que ele nem
4) No caso de o sujeito ser representado por expressões aparece, o verbo permanece no singular:  Estados Unidos é uma
aproximativas, representadas por “cerca de, perto de”, o verbo potência mundial. 
concorda com o substantivo determinado por elas: Cerca de
vinte candidatos se inscreveram no concurso de piadas. Casos referentes a sujeito composto

5) Em casos em que o sujeito é representado pela expressão 1) Nos casos relativos a sujeito composto de pessoas
“mais de um”, o verbo permanece no singular: Mais de gramaticais diferentes, o verbo deverá ir para o plural, estando
um candidato se inscreveu no concurso de piadas.   relacionado a dois pressupostos básicos:

Língua Portuguesa 44
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
- Quando houver a 1ª pessoa, esta prevalecerá sobre as atraem.
demais: Eu, tu e ele faremos um lindo passeio. (C) Caberiam notar as muitas razões pelas quais os cachorros
- Quando houver a 2ª pessoa, o verbo poderá nos atraem.
flexionar na 2ª ou na 3ª pessoa: Tu e ele sois primos. (D) Há de ser diversas as razões pelas quais os cachorros nos
Tu e ele são primos. atraem.
(E) Existe mesmo muitas razões pelas quais os cachorros
2) Nos casos em que o sujeito composto aparecer anteposto nos atraem.
ao verbo, este permanecerá no plural: O pai e seus dois
filhos compareceram ao evento.   03. Uma pergunta

3) No caso em que o sujeito aparecer posposto ao verbo, este Frequentemente cabe aos detentores de cargos de
poderá concordar com o núcleo mais próximo ou permanecer responsabilidade tomar decisões difíceis, de graves
no plural: Compareceram  ao evento  o pai e seus dois filhos. consequências. Haveria algum critério básico, essencial, para
Compareceu ao evento o pai e seus dois filhos. amparar tais escolhas? Antonio Gramsci, notável pensador
e político italiano, propôs que se pergunte, antes de tomar a
4) Nos casos relacionados a sujeito simples, porém com decisão: - Quem sofrerá?
mais de um núcleo, o verbo deverá permanecer no singular: Para um humanista, a dor humana é sempre prioridade a se
Meu esposo e grande companheiro merece toda a felicidade do considerar.
mundo. (Salvador Nicola, inédito)

5) Casos relativos a sujeito composto de palavras sinônimas O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se no
ou ordenado por elementos em gradação, o verbo poderá singular para preencher adequadamente a lacuna da frase:
permanecer no singular ou ir para o plural: Minha vitória, (A) A nenhuma de nossas escolhas ...... (poder) deixar de
minha conquista, minha premiação são frutos de meu esforço. corresponder nossos valores éticos mais rigorosos.
/ Minha vitória, minha conquista, minha premiação é fruto de (B) Não se ...... (poupar) os que governam de refletir sobre o
meu esforço. peso de suas mais graves decisões.
(C) Aos governantes mais responsáveis não ...... (ocorrer)
Questões tomar decisões sem medir suas consequências.
(D) A toda decisão tomada precipitadamente ...... (costumar)
01. A concordância realizou-se adequadamente em qual sobrevir consequências imprevistas e injustas.
alternativa? (E) Diante de uma escolha, ...... (ganhar) prioridade,
(A) Os Estados Unidos é considerado, hoje, a maior potência recomenda Gramsci, os critérios que levam em conta a dor
econômica do planeta, mas há quem aposte que a China, em humana.
breve, o ultrapassará.
(B) Em razão das fortes chuvas haverão muitos candidatos 04. Em um belo artigo, o físico Marcelo Gleiser, analisando a
que chegarão atrasados, tenho certeza disso. constatação do satélite Kepler de que existem muitos planetas
(C) Naquela barraca vendem-se tapiocas fresquinhas, pode com características físicas semelhantes ao nosso, reafirmou sua
comê-las sem receio! fé na hipótese da Terra rara, isto é, a tese de que a vida complexa
(D) A multidão gritaram quando a cantora apareceu na (animal) é um fenômeno não tão comum no Universo.
janela do hotel! Gleiser retoma as ideias de Peter Ward expostas de modo
persuasivo em “Terra Rara”. Ali, o autor sugere que a vida
02. “Se os cachorros correm livremente, por que eu não microbiana deve ser um fenômeno trivial, podendo pipocar até
posso fazer isso também?”, pergunta Bob Dylan em “New em mundos inóspitos; já o surgimento de vida multicelular na
Morning”. Bob Dylan verbaliza um anseio sentido por todos Terra dependeu de muitas outras variáveis físicas e históricas,
nós, humanos supersocializados: o anseio de nos livrarmos o que, se não permite estimar o número de civilizações
de todos os constrangimentos artificiais decorrentes do fato extra terráqueas, ao menos faz com que reduzamos nossas
de vivermos em uma sociedade civilizada em que às vezes nos expectativas.
sentimos presos a uma correia. Um conjunto cultural de regras Uma questão análoga só arranhada por Ward é a da
tácitas e inibições está sempre governando as nossas interações inexorabilidade da inteligência. A evolução de organismos
cotidianas com os outros. complexos leva necessariamente à consciência e à inteligência?
Uma das razões pelas quais os cachorros nos atraem é o fato Robert Wright diz que sim, mas seu argumento é mais
de eles serem tão desinibidos e livres. Parece que eles jogam matemático do que biológico: complexidade engendra
com as suas próprias regras, com a sua própria lógica interna. complexidade, levando a uma corrida armamentista entre
Eles vivem em um universo paralelo e diferente do nosso - um espécies cujo subproduto é a inteligência.
universo que lhes concede liberdade de espírito e paixão pela Stephen J. Gould e Steven Pinker apostam que não. Para
vida enormemente atraentes para nós. Um cachorro latindo ao eles, é apenas devido a uma sucessão de pré-adaptações e
vento ou uivando durante a noite faz agitar-se dentro de nós coincidências que alguns animais transformaram a capacidade
alguma coisa que também quer se expressar. de resolver problemas em estratégia de sobrevivência. Se
Os cachorros são uma constante fonte de diversão para rebobinássemos o filme da evolução e reencenássemos o
nós porque não prestam atenção as nossas convenções sociais. processo mudando alguns detalhes do início, seriam grandes as
Metem o nariz onde não são convidados, pulam para cima chances de não chegarmos a nada parecido com a inteligência.
do sofá, devoram alegremente a comida que cai da mesa. Os (Adaptado de Hélio Schwartsman. Folha de S. Paulo,
cachorros raramente se refreiam quando querem fazer alguma 28/10/2012)
coisa. Eles não compartilham conosco as nossas inibições. Suas
emoções estão ã flor da pele e eles as manifestam sempre que A frase em que as regras de concordância estão plenamente
as sentem. respeitadas é:
(Adaptado de Matt Weistein e Luke Barber. Cão que (A) Podem haver estudos que comprovem que, no passado,
late não morde. Trad. de Cristina Cupertino. S.Paulo: Francis, as formas mais complexas de vida - cujo habitat eram oceanos
2005. p 250) ricos em nutrientes - se alimentavam por osmose.
(B) Cada um dos organismos simples que vivem na natureza
A frase em que se respeitam as normas de concordância sobrevivem de forma quase automática, sem se valerem de
verbal é: criatividade e planejamento.
(A) Deve haver muitas razões pelas quais os cachorros nos (C) Desde que observe cuidados básicos, como obter energia
atraem. por meio de alimentos, os organismos simples podem preservar
(B) Várias razões haveriam pelas quais os cachorros nos a vida ao longo do tempo com relativa facilidade.

Língua Portuguesa 45
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
(D) Alguns animais tem de se adaptar a um ambiente cheio de e) Anexo, incluso, próprio, obrigado
dificuldades para obter a energia necessária a sua sobrevivência 1 - Concordam com o substantivo a que se referem.
e nesse processo expõe- se a inúmeras ameaças. As cartas estão anexas.
(E) A maioria dos organismos mais complexos possui um A bebida está inclusa.
sistema nervoso muito desenvolvido, capaz de se adaptar a Precisamos de nomes próprios.
mudanças ambientais, como alterações na temperatura. Obrigado, disse o rapaz.

05. De acordo com a norma-padrão da língua portuguesa, a f) Um(a) e outro(a), num(a) e noutro(a)
concordância verbal está correta em: 1 - Após essas expressões o substantivo fica sempre no
(A) Ela não pode usar o celular e chamar um taxista, pois singular e o adjetivo no plural.
acabou os créditos. Renato advogou um e outro caso fáceis.
(B) Esta empresa mantêm contato com uma rede de táxis Pusemos numa e noutra bandeja rasas o peixe.
que executa diversos serviços para os clientes.
(C) À porta do aeroporto, havia muitos táxis disponíveis para g) É bom, é necessário, é proibido
os passageiros que chegavam à cidade. 1- Essas expressões não variam se o sujeito não vier
(D) Passou anos, mas a atriz não se esqueceu das calorosas precedido de artigo ou outro determinante.
lembranças que seu tio lhe deixou.
Canja é bom. / A canja é boa.
(E) Deve existir passageiros que aproveitam a corrida de táxi
para bater um papo com o motorista. É necessário sua presença. / É necessária a sua presença.
É proibido entrada de pessoas não autorizadas. / A entrada
Respostas é proibida.
01. C\02. A\03. C\04. E\05. C
h) Muito, pouco, caro
Concordância Nominal 1- Como adjetivos: seguem a regra geral.
Comi muitas frutas durante a viagem.
Concordância nominal é que o ajuste que fazemos aos Pouco arroz é suficiente para mim.
demais termos da oração para que concordem em gênero e Os sapatos estavam caros.
número com o substantivo. Teremos que alterar, portanto, o
artigo, o adjetivo, o numeral e o pronome. Além disso, temos
também o verbo, que se flexionará à sua maneira. 2- Como advérbios: são invariáveis.
Comi muito durante a viagem.
Regra geral: O artigo, o adjetivo, o numeral e o pronome Pouco lutei, por isso perdi a batalha.
concordam em gênero e número com o substantivo. Comprei caro os sapatos.
- A pequena criança é uma gracinha.
- O garoto que encontrei era muito gentil e simpático. i) Mesmo, bastante
1- Como advérbios: invariáveis
Casos especiais: Veremos alguns casos que fogem à regra Preciso mesmo da sua ajuda.
geral mostrada acima. Fiquei bastante contente com a proposta de emprego.
a) Um adjetivo após vários substantivos
1 - Substantivos de mesmo gênero: adjetivo vai para o plural 2- Como pronomes: seguem a regra geral.
ou concorda com o substantivo mais próximo. Seus argumentos foram bastantes para me convencer.
- Irmão e primo recém-chegado estiveram aqui. Os mesmos argumentos que eu usei, você copiou.
- Irmão e primo recém-chegados estiveram aqui.
j) Menos, alerta
2 - Substantivos de gêneros diferentes: vai para o 1- Em todas as ocasiões são invariáveis.
plural masculino ou concorda com o substantivo mais próximo. Preciso de menos comida para perder peso.
- Ela tem pai e mãe louros. Estamos alerta para com suas chamadas.
- Ela tem pai e mãe loura.
k) Tal Qual
3 - Adjetivo funciona como predicativo: vai obrigatoriamente 1- “Tal” concorda com o antecedente, “qual” concorda com o
para o plural. consequente.
- O homem e o menino estavam perdidos. As garotas são vaidosas tais qual a tia.
- O homem e sua esposa estiveram hospedados aqui. Os pais vieram fantasiados tais quais os filhos.

b) Um adjetivo anteposto a vários substantivos l) Possível


1 - Adjetivo anteposto normalmente concorda com o mais 1- Quando vem acompanhado de “mais”, “menos”, “melhor”
próximo. ou “pior”, acompanha o artigo que precede as expressões.
Comi delicioso almoço e sobremesa.
Provei deliciosa fruta e suco. A mais possível das alternativas é a que você expôs.
2 - Adjetivo anteposto funcionando como predicativo: Os melhores cargos possíveis estão neste setor da empresa.
concorda com o mais próximo ou vai para o plural. As piores situações possíveis são encontradas nas favelas da
Estavam feridos o pai e os filhos. cidade.
Estava ferido o pai e os filhos.
m) Meio
c) Um substantivo e mais de um adjetivo 1- Como advérbio: invariável.
1- antecede todos os adjetivos com um artigo. Estou meio (um pouco) insegura.
Falava fluentemente a língua inglesa e a espanhola. 2- Como numeral: segue a regra geral.
2- coloca o substantivo no plural. Comi meia (metade) laranja pela manhã.
Falava fluentemente as línguas inglesa e espanhola.
n) Só
d) Pronomes de tratamento 1- apenas, somente (advérbio): invariável.
1 - sempre concordam com a 3ª pessoa. Só consegui comprar uma passagem.
Vossa Santidade esteve no Brasil. 2- sozinho (adjetivo): variável.
Estiveram sós durante horas.

Língua Portuguesa 46
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Questões também nominal). As preposições são capazes de modificar
completamente o sentido do que se está sendo dito. Veja os
01. Indique o uso INCORRETO da concordância verbal ou exemplos:
nominal: Cheguei ao metrô.
(A) Será descontada em folha sua contribuição sindical. Cheguei no metrô.
(B) Na última reunião, ficou acordado que se realizariam
encontros semanais com os diversos interessados no assunto. No primeiro caso, o metrô é o lugar a que vou; no segundo
(C) Alguma solução é necessária, e logo! caso, é o meio de transporte por mim utilizado. A oração “Cheguei
(D) Embora tenha ficado demonstrado cabalmente a no metrô”, popularmente usada a fim de indicar o lugar a que se
ocorrência de simulação na transferência do imóvel, o pedido vai, possui, no padrão culto da língua, sentido diferente. Aliás, é
não pode prosperar. muito comum existirem divergências entre a regência coloquial,
(E) A liberdade comercial da colônia, somada ao fato de D. cotidiana de alguns verbos, e a regência culta.
João VI ter também elevado sua colônia americana à condição de
Reino Unido a Portugal e Algarves, possibilitou ao Brasil obter Para estudar a regência verbal, agruparemos os verbos de
certa autonomia econômica. acordo com sua transitividade. A transitividade, porém, não é
um fato absoluto: um mesmo verbo pode atuar de diferentes
02. Aponte a alternativa em que NÃO ocorre silepse (de formas em frases distintas.
gênero, número ou pessoa):
(A) “A gente é feito daquele tipo de talento capaz de fazer a Verbos Intransitivos
diferença.” Os verbos intransitivos não possuem complemento. É
(B) Todos sabemos que a solução não é fácil. importante, no entanto, destacar alguns detalhes relativos
(C) Essa gente trabalhadora merecia mais, pois acordam às aos adjuntos adverbiais que costumam acompanhá-los.
cinco horas para chegar ao trabalho às oito da manhã. a) Chegar, Ir
(D) Todos os brasileiros sabem que esse problema vem de Normalmente vêm acompanhados de adjuntos adverbiais
longe... de lugar. Na língua culta, as preposições usadas para
(E) Senhor diretor, espero que Vossa Senhoria seja mais indicar destino ou direção são: a, para.
compreensivo. Fui ao teatro.
      Adjunto Adverbial de Lugar
03. A concordância nominal está INCORRETA em:
(A) A mídia julgou desnecessária a campanha e o Ricardo foi para a Espanha.
envolvimento da empresa.                   Adjunto Adverbial de Lugar
(B) A mídia julgou a campanha e a atuação da empresa b) Comparecer
desnecessária. O adjunto adverbial de lugar pode ser introduzido
(C) A mídia julgou desnecessário o envolvimento da empresa por em ou a.
e a campanha. Comparecemos ao estádio (ou no estádio) para ver o último
(D) A mídia julgou a campanha e a atuação da empresa jogo.
desnecessárias.
Respostas Verbos Transitivos Diretos
01. D\02. D\03. B Os verbos transitivos diretos são complementados por
objetos diretos. Isso significa que  não  exigem preposição  para
Regências verbal e nominal; e o estabelecimento da relação de regência. Ao empregar esses
verbos, devemos lembrar que os pronomes oblíquos o, a, os,
Crase. as atuam como objetos diretos. Esses pronomes podem assumir
as formas lo, los, la, las (após formas verbais terminadas em -r,
-s ou -z) ou no, na, nos, nas (após formas verbais terminadas em
Regência Verbal e Nominal sons nasais), enquanto  lhe e lhes são, quando complementos
verbais, objetos indiretos.
Dá-se o nome de regência à relação de subordinação que São verbos transitivos diretos, dentre outros: abandonar,
ocorre entre um verbo (ou um nome) e seus complementos. abençoar, aborrecer, abraçar, acompanhar, acusar, admirar,
Ocupa-se em estabelecer relações entre as palavras, criando adorar, alegrar, ameaçar, amolar, amparar, auxiliar, castigar,
frases não ambíguas, que expressem efetivamente o sentido condenar, conhecer, conservar,convidar, defender, eleger, estimar,
desejado, que sejam corretas e claras. humilhar, namorar, ouvir, prejudicar, prezar, proteger, respeitar,
socorrer, suportar, ver, visitar.
Regência Verbal Na língua culta, esses verbos funcionam exatamente como o
verbo amar:
Termo Regente:  VERBO Amo aquele rapaz. / Amo-o.
Amo aquela moça. / Amo-a.
A regência verbal estuda a relação que se estabelece entre Amam aquele rapaz. / Amam-no.
os verbos e os termos que os complementam (objetos diretos e Ele deve amar aquela mulher. / Ele deve amá-la.
objetos indiretos) ou caracterizam (adjuntos adverbiais).
O estudo da regência verbal permite-nos ampliar nossa Obs.: os pronomes lhe, lhes só acompanham esses verbos para
capacidade expressiva, pois oferece oportunidade de indicar posse (caso em que atuam como adjuntos adnominais).
conhecermos as diversas significações que um verbo pode Quero beijar-lhe o rosto. (= beijar seu rosto)
assumir com a simples mudança ou retirada de uma preposição.  Prejudicaram-lhe a carreira. (= prejudicaram sua carreira)
Observe: Conheço-lhe o mau humor! (= conheço seu mau humor)
A mãe agrada o filho. -> agradar significa acariciar, contentar.
A mãe agrada ao filho. -> agradar significa “causar agrado ou Verbos Transitivos Indiretos
prazer”, satisfazer. Os verbos transitivos indiretos são complementados por
objetos indiretos. Isso significa que esses verbos exigem uma
Logo, conclui-se que “agradar  alguém” é diferente de preposição para o estabelecimento da relação de regência.
“agradar a alguém”. Os pronomes pessoais do caso oblíquo de terceira pessoa que
podem atuar como objetos indiretos são  o “lhe”, o “lhes”, para
Saiba que: substituir pessoas. Não se utilizam os pronomes o, os, a, as como
O conhecimento do uso adequado das preposições é um complementos de verbos transitivos indiretos. Com os objetos
dos aspectos fundamentais do estudo da regência verbal (e indiretos que não representam pessoas, usam-se pronomes

Língua Portuguesa 47
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
oblíquos tônicos de terceira pessoa (ele, ela) em lugar dos Pedir
pronomes átonos lhe, lhes.  Esse verbo pede objeto direto de coisa (geralmente na forma
de oração subordinada substantiva) e indireto de pessoa.
Os verbos transitivos indiretos são os seguintes: Pedi-lhe                 favores.
a) Consistir - Tem complemento introduzido pela Objeto Indireto    Objeto Direto
preposição “em”.                                      
A modernidade verdadeira consiste em direitos iguais para Pedi-lhe                     que mantivesse em silêncio.
todos. Objeto Indireto           Oração Subordinada Substantiva
b) Obedecer e Desobedecer - Possuem seus complementos                                                            Objetiva Direta
introduzidos pela preposição “a”.
Devemos obedecer aos nossos princípios e ideais. Saiba que:
Eles desobedeceram às leis do trânsito. 1) A construção  “pedir para”,  muito comum na linguagem
c) Responder - Tem complemento introduzido pela cotidiana, deve ter emprego muito limitado na língua culta. No
preposição “a”. Esse verbo pede objeto indireto para indicar “a entanto, é considerada correta quando a palavra licença estiver
quem” ou “ao que” se responde. subentendida.
Respondi ao meu patrão. Peço (licença) para ir entregar-lhe os catálogos em casa.
Respondemos às perguntas. Observe que, nesse caso, a preposição “para” introduz uma
Respondeu-lhe à altura. oração subordinada adverbial final reduzida de infinitivo (para
Obs.: o verbo responder, apesar de transitivo indireto ir entregar-lhe os catálogos em casa).
quando exprime aquilo a que se responde, admite voz passiva 2) A construção  “dizer para”,  também muito usada
analítica. Veja: popularmente, é igualmente considerada incorreta.
O questionário foi respondido corretamente.
Todas as perguntas foram respondidas satisfatoriamente. Preferir
d) Simpatizar e  Antipatizar - Possuem seus complementos Na língua culta, esse verbo deve apresentar objeto
introduzidos pela preposição “com”. indireto introduzido pela preposição “a”. Por Exemplo:
Antipatizo com aquela apresentadora. Prefiro qualquer coisa a abrir mão de meus ideais.
Simpatizo com os que condenam os políticos que governam Prefiro trem a ônibus.
para uma minoria privilegiada. Obs.: na língua culta, o verbo “preferir” deve ser usado sem
termos intensificadores, tais como:  muito, antes, mil vezes, um
Verbos Transitivos Diretos e Indiretos milhão de vezes, mais. A ênfase já é dada pelo prefixo existente
Os verbos transitivos diretos e indiretos são acompanhados no próprio verbo (pre).
de um objeto direto e um indireto. Merecem destaque, nesse
grupo: Mudança de Transitividade versus Mudança de
Significado
Agradecer, Perdoar e Pagar
São verbos que apresentam objeto direto Há verbos que, de acordo com a mudança de transitividade,
relacionado a coisas e objeto indireto relacionado a pessoas. apresentam mudança de significado. O conhecimento das
Veja os exemplos: diferentes regências desses verbos é um recurso linguístico
Agradeço    aos ouvintes         a audiência. muito importante, pois além de permitir a correta interpretação
                   Objeto Indireto      Objeto Direto de passagens escritas, oferece possibilidades expressivas a
Cristo ensina que é preciso perdoar     o pecado        ao pecador. quem fala ou escreve. Dentre os principais, estão:
                                                                 Obj. Direto       Objeto Indireto
Paguei      o débito        ao cobrador. AGRADAR
               Objeto Direto      Objeto Indireto 1) Agradar é transitivo direto no sentido de fazer carinhos,
acariciar.
- O uso dos pronomes oblíquos átonos deve ser feito com Sempre agrada o filho quando o revê. / Sempre o agrada
particular cuidado. Observe: quando o revê.
Agradeci o presente. / Agradeci-o. Cláudia não perde oportunidade de agradar o gato. / Cláudia
Agradeço a você. / Agradeço-lhe. não perde oportunidade de agradá-lo.
Perdoei a ofensa. / Perdoei-a.
Perdoei ao agressor. / Perdoei-lhe. 2) Agradar é transitivo indireto no sentido de causar agrado
Paguei minhas contas. / Paguei-as. a, satisfazer, ser agradável a.  Rege complemento introduzido
Paguei aos meus credores. / Paguei-lhes. pela preposição “a”.
O cantor não agradou aos presentes.
Informar O cantor não lhes agradou.
- Apresenta objeto direto ao se referir a coisas e objeto
indireto ao se referir a pessoas, ou vice-versa. ASPIRAR
Informe os novos preços aos clientes. 1) Aspirar é transitivo direto no sentido de sorver, inspirar
Informe  os  clientes  dos  novos preços. (ou sobre os novos (o ar), inalar.
preços) Aspirava o suave aroma. (Aspirava-o)

- Na utilização de pronomes como complementos, veja as 2)  Aspirar  é transitivo indireto no sentido de  desejar, ter
construções: como ambição.
Informei-os aos clientes. / Informei-lhes os novos preços. Aspirávamos a melhores condições de vida. (Aspirávamos a
Informe-os dos novos preços. / Informe-os deles. (ou sobre elas)
eles) Obs.: como o objeto direto do verbo “aspirar” não é pessoa,
Obs.: a mesma regência do verbo  informar é usada  para os mas coisa, não se usam as formas pronominais átonas “lhe”
seguintes:  avisar, certificar, notificar, cientificar, prevenir. e “lhes” e sim as formas tônicas “a ele (s)”, “ a ela (s)”.  Veja o
exemplo:
Comparar Aspiravam a uma existência melhor. (= Aspiravam a ela)
Quando seguido de dois objetos, esse verbo admite as
preposições  “a”  ou  “com” para introduzir o complemento ASSISTIR
indireto. 1)  Assistir  é transitivo direto no sentido de  ajudar, prestar
Comparei seu comportamento ao (ou com o) de uma criança. assistência a, auxiliar. Por Exemplo:
As empresas de saúde negam-se a assistir os idosos.

Língua Portuguesa 48
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
As empresas de saúde negam-se a assisti-los. Você procede muito mal.

2) Assistir é transitivo indireto no sentido de ver, presenciar, 2) Nos sentidos de ter origem, derivar-se (rege a preposição”
estar presente, caber, pertencer. de”) e  fazer, executar  (rege complemento introduzido pela
preposição “a”) é transitivo indireto.
Exemplos: O avião procede de Maceió.
Assistimos ao documentário. Procedeu-se aos exames.
Não assisti às últimas sessões. O delegado procederá ao inquérito.
Essa lei assiste ao inquilino.
Obs.: no sentido de  morar, residir,  o verbo  “assistir”  é QUERER
intransitivo, sendo acompanhado de adjunto adverbial de lugar 1)  Querer  é transitivo direto no sentido de  desejar, ter
introduzido pela preposição “em”. vontade de, cobiçar.
Assistimos numa conturbada cidade. Querem melhor atendimento.
Queremos um país melhor.
CHAMAR
1)  Chamar  é transitivo direto no sentido de  convocar, 2)  Querer  é transitivo indireto no sentido de  ter afeição,
solicitar a atenção ou a presença de. estimar, amar.
Por gentileza, vá chamar sua prima. / Por favor, vá chamá-la. Quero muito aos meus amigos.
Chamei você várias vezes. / Chamei-o várias vezes. Ele quer bem à linda menina.
Despede-se o filho que muito lhe quer.
2)  Chamar  no sentido de  denominar, apelidar  pode
apresentar objeto direto e indireto, ao qual se refere predicativo VISAR
preposicionado ou não. 1)  Como transitivo direto, apresenta os sentidos de  mirar,
A torcida chamou o jogador mercenário. fazer pontaria e de pôr visto, rubricar.
A torcida chamou ao jogador mercenário. O homem visou o alvo.
A torcida chamou o jogador de mercenário. O gerente não quis visar o cheque.
A torcida chamou ao jogador de mercenário.
2)  No sentido de  ter em vista, ter como meta, ter como
CUSTAR objetivo, é transitivo indireto e rege a preposição “a”.
1) Custar é intransitivo no sentido de ter determinado valor O ensino deve sempre visar ao progresso social.
ou preço, sendo acompanhado de adjunto adverbial. Prometeram tomar medidas que visassem ao bem-estar
Frutas e verduras não deveriam custar muito. público.
Questões
2) No sentido de ser difícil, penoso, pode ser intransitivo ou
transitivo indireto. 01. Todas as alternativas estão corretas quanto ao emprego
Muito custa          viver tão longe da família. correto da regência do verbo, EXCETO:
            Verbo   Oração Subordinada Substantiva Subjetiva  (A) Faço entrega em domicílio.
       Intransitivo                       Reduzida de Infinitivo (B) Eles assistem o espetáculo.
(C) João gosta de frutas.
Custa-me (a mim)  crer que tomou realmente aquela atitude. (D) Ana reside em São Paulo.
        Objeto                 Oração Subordinada Substantiva Subjetiva  (E) Pedro aspira ao cargo de chefe.
        Indireto                                     Reduzida de Infinitivo
02. Assinale a opção em que o verbo
Obs.: a Gramática Normativa condena as construções que chamar é empregado com o mesmo sentido que
atribuem ao verbo “custar” um sujeito representado por pessoa. apresenta em __ “No dia em que o chamaram de Ubirajara,
Observe o exemplo abaixo: Quaresma ficou reservado, taciturno e mudo”:
Custei para entender o problema.  (A) pelos seus feitos, chamaram-lhe o salvador da pátria;
Forma correta: Custou-me entender o problema. (B) bateram à porta, chamando Rodrigo;
(C) naquele momento difícil, chamou por Deus e pelo Diabo;
IMPLICAR (D) o chefe chamou-os para um diálogo franco;
1) Como transitivo direto, esse verbo tem dois sentidos: (E) mandou chamar o médico com urgência.

a) dar a entender, fazer supor, pressupor 03. A regência verbal está correta na alternativa:
Suas atitudes implicavam um firme propósito. (A) Ela quer namorar com o meu irmão.
(B) Perdi a hora da entrevista porque fui à pé.
b)  Ter como consequência, trazer como consequência, (C) Não pude fazer a prova do concurso porque era de menor.
acarretar, provocar (D) É preferível ir a pé a ir de carro.
Liberdade de escolha implica amadurecimento político de um
povo. 04. Em todas as alternativas, o verbo grifado foi empregado
com regência certa, exceto em:
2) Como transitivo direto e indireto, significa comprometer, (A) a vista de José Dias lembrou-me o que ele me dissera.
envolver (B) estou deserto e noite, e aspiro sociedade e luz.
Implicaram aquele jornalista em questões econômicas. (C) custa-me dizer isto, mas antes peque por excesso;
(D) redobrou de intensidade, como se obedecesse a voz do
Obs.: no sentido de antipatizar, ter implicância, é transitivo mágico;
indireto e rege com preposição “com”. (E) quando ela morresse, eu lhe perdoaria os defeitos.
Implicava com quem não trabalhasse arduamente.
05. A regência verbal está INCORRETA em:
PROCEDER (A) Proibiram-no de fumar.
1)  Proceder  é intransitivo no sentido de  ser decisivo, (B) Ana comunicou sua mudança aos parentes mais íntimos.
ter cabimento, ter fundamento ou portar-se, comportar-se, (C) Prefiro Português a Matemática.
agir. Nessa segunda acepção, vem sempre acompanhado de (D) A professora esqueceu da chave de sua casa no carro da
adjunto adverbial de modo. amiga.
As afirmações da testemunha procediam, não havia como (E) O jovem aspira à carreira militar.
refutá-las.

Língua Portuguesa 49
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Respostas Habituado a
01. B\02. A\03. D\04. B\05. D Relativo a
Contemporâneo a, de
Regência Nominal Idêntico a
   
É o nome da relação existente entre um nome (substantivo, Advérbios
adjetivo ou advérbio) e os termos regidos por esse nome. Essa Longe de Perto de
relação é sempre intermediada por uma preposição. No estudo
da regência nominal, é preciso levar em conta que vários nomes Obs.: os advérbios terminados em -mente tendem a seguir
apresentam exatamente o mesmo regime dos verbos de que o regime dos adjetivos de que são formados: paralela a;
derivam. Conhecer o regime de um verbo significa, nesses casos, paralelamente a; relativa a; relativamente a.
conhecer o regime dos nomes cognatos. Observe o exemplo: Fonte: http://www.soportugues.com.br/secoes/sint/sint61.php
Verbo obedecer e os nomes correspondentes: todos regem
complementos introduzidos pela preposição «a”.Veja: Questões

Obedecer a algo/ a alguém. 01. Assinale a alternativa em que a preposição “a” não deva


Obediente a algo/ a alguém. ser empregada, de acordo com a regência nominal.
(A) A confiança é necessária ____ qualquer relacionamento.
Apresentamos a seguir vários nomes acompanhados (B) Os pais de Pâmela estão alheios ____ qualquer decisão.
da preposição ou preposições que os regem. Observe-os (C) Sirlene tem horror ____ aves.
atentamente e procure, sempre que possível, associar esses (D) O diretor está ávido ____ melhores metas.
nomes entre si ou a algum verbo cuja regência você conhece. (E) É inegável que a tecnologia ficou acessível ____ toda
população.
Substantivos
Admiração a, por 02. Quanto a amigos, prefiro João.....Paulo,.....quem sinto......
Devoção a, para, com, por simpatia.
Medo a, de (A) a, por, menos
Aversão a, para, por (B) do que, por, menos
Doutor em (C) a, para, menos
Obediência a (D) do que, com, menos
Atentado a, contra (E) do que, para, menos
Dúvida acerca de, em, sobre
Ojeriza a, por 03. Assinale a opção em que todos adjetivos podem ser
Bacharel em seguidos pela mesma preposição:
Horror a (A) ávido, bom, inconsequente
Proeminência sobre (B) indigno, odioso, perito
Capacidade de, para (C) leal, limpo, oneroso
Impaciência com (D) orgulhoso, rico, sedento
Respeito a, com, para com, por (E) oposto, pálido, sábio

Adjetivos 04. “As mulheres da noite,......o poeta faz alusão a colorir


Acessível a Aracaju,........coração bate de noite, no silêncio”. A opção que
Diferente de completa corretamente as lacunas da frase acima é:
Necessário a (A) as quais, de cujo
Acostumado a, com (B) a que, no qual
Entendido em (C) de que, o qual
Nocivo a (D) às quais, cujo
Afável com, para com (E) que, em cujo
Equivalente a
Paralelo a 05. Com relação à Regência Nominal, indique a alternativa
Agradável a em que esta foi corretamente empregada.
Escasso de
Parco em, de (A) A colocação de cartazes na rua foi proibida.
Alheio a, de (B) É bom aspirar ao ar puro do campo.
Essencial a, para (C) Ele foi na Grécia.
Passível de (D) Obedeço o Código de Trânsito.
Análogo a
Fácil de Respostas
Preferível a 01. D\02. A\03. D\04. D\05. A
Ansioso de, para, por
Fanático por Crase
Prejudicial a
Apto a, para A palavra crase é de origem grega e significa «fusão»,
Favorável a «mistura». Na língua portuguesa, é o nome que se dá à «junção»
Prestes a de duas vogais idênticas. É de grande importância a crase da
Ávido de preposição “a” com o artigo feminino “a” (s), com o “a” inicial dos
Generoso com pronomes aquele(s), aquela (s), aquilo e com o “a” do relativo a
Propício a qual (as quais). Na escrita, utilizamos o acento grave ( ` ) para
Benéfico a indicar a crase. O uso apropriado do acento grave depende da
Grato a, por compreensão da fusão das duas vogais. É fundamental também,
Próximo a para o entendimento da crase, dominar a regência dos verbos
Capaz de, para e nomes que exigem a preposição “a”. Aprender a usar a
Hábil em crase, portanto, consiste em aprender a verificar a ocorrência
Relacionado com simultânea de uma preposição e um artigo ou pronome. 
Compatível com

Língua Portuguesa 50
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Observe: 4-) em locuções adverbiais, prepositivas e conjuntivas de
Vou a + a igreja. que participam palavras femininas. Por exemplo:
Vou à igreja.
à tarde às ocultas às pressas à medida que
No exemplo acima, temos a ocorrência da à noite às claras às escondidas à força
preposição  “a”,  exigida pelo verbo  ir (ir a algum lugar) e a
à vontade à beça à larga à escuta
ocorrência do artigo  “a” que está determinando o substantivo
feminino igreja. Quando ocorre esse encontro das duas vogais e às avessas à revelia à exceção de à imitação de
elas se unem, a união delas é indicada pelo acento grave. Observe
à esquerda às turras às vezes à chave
os outros exemplos:
à direita à procura à deriva à toa
Conheço a aluna.
à proporção
Refiro-me à aluna. à luz à sombra de à frente de
que
No primeiro exemplo, o verbo é transitivo direto (conhecer
algo ou alguém), logo não exige preposição e a crase não pode à
ocorrer. No segundo exemplo, o verbo é transitivo indireto semelhança às ordens à beira de
(referir-se a algo ou a alguém) e exige a preposição  “a”. de
Portanto, a crase é possível, desde que o termo seguinte seja
feminino e admita o artigo feminino “a” ou um dos pronomes já Crase diante de Nomes de Lugar
especificados.
Veja os principais casos em que a crase NÃO ocorre: Alguns nomes de lugar não admitem a anteposição do
artigo  “a”. Outros, entretanto, admitem o artigo, de modo que
1-) diante de substantivos masculinos: diante deles haverá crase, desde que o termo regente exija a
Andamos a cavalo. preposição “a”. Para saber se um nome de lugar admite ou não
Fomos a pé. a anteposição do artigo feminino “a”, deve-se substituir o termo
regente por um verbo que peça a preposição  “de”  ou  “em”. A
2-) diante de  verbos no infinitivo: ocorrência da contração  “da”  ou  “na”  prova que esse nome de
A criança começou a falar. lugar aceita o artigo e, por isso, haverá crase.
Ela não tem nada a dizer. Por exemplo:
Vou à França. (Vim da [de+a] França. Estou na [em+a]
Obs.: como os verbos não admitem artigos, o “a” dos França.)
exemplos acima é apenas preposição, logo não ocorrerá crase. Cheguei à Grécia. (Vim da Grécia. Estou na Grécia.)
Retornarei à Itália. (Vim da Itália. Estou na Itália)
3-) diante da maioria dos pronomes e das expressões de Vou a Porto Alegre. (Vim de Porto Alegre. Estou em Porto
tratamento, com exceção das formas senhora, senhorita e dona: Alegre.) 
Diga a ela que não estarei em casa amanhã.
Entreguei a todos os documentos necessários. - Minha dica: use a regrinha “Vou A volto DA, crase HÁ; vou A
Ele fez referência a Vossa Excelência no discurso de ontem. volto DE, crase PRA QUÊ?”
Ex: Vou a Campinas. = Volto de Campinas.
Os poucos casos em que ocorre crase diante dos pronomes Vou à praia. = Volto da praia.
podem ser identificados pelo método: troque a palavra feminina
por uma masculina, caso na nova construção surgir a forma ao, - ATENÇÃO: quando o nome de lugar estiver especificado,
ocorrerá crase. Por exemplo: ocorrerá crase. Veja:
Retornarei à São Paulo dos bandeirantes. =
Refiro-me à mesma pessoa. (Refiro-me ao mesmo indivíduo.) mesmo que, pela regrinha acima, seja a do “VOLTO DE”
Informei o ocorrido à senhora. (Informei o ocorrido ao senhor.) Irei à Salvador de Jorge Amado.
Peça à própria Cláudia para sair mais cedo. (Peça ao próprio
Cláudio para sair mais cedo.) Crase diante dos Pronomes Demonstrativos Aquele (s),
Aquela (s), Aquilo
4-) diante de numerais cardinais:
Chegou a duzentos o número de feridos Haverá crase diante desses pronomes sempre que o termo
Daqui a uma semana começa o campeonato. regente exigir a preposição “a”. Por exemplo:

Casos em que a crase SEMPRE ocorre: Refiro-me a + aquele atentado.


Preposição Pronome
1-) diante de palavras femininas:
Amanhã iremos à festa de aniversário de minha colega. Refiro-me àquele atentado.
Sempre vamos à praia no verão.
Ela disse à irmã o que havia escutado pelos corredores. O termo regente do exemplo acima é o verbo transitivo
Sou grata à população. indireto referir (referir-se a algo ou alguém) e exige preposição,
Fumar é prejudicial à saúde. portanto, ocorre a crase. Observe este outro exemplo:
Este aparelho é posterior à invenção do telefone.
Aluguei aquela casa.
2-) diante da palavra “moda”, com o sentido de “à moda de”
(mesmo que a expressão moda de fique subentendida): O verbo “alugar” é transitivo direto (alugar algo) e não exige
O jogador fez um gol à (moda de) Pelé.  preposição. Logo, a crase não ocorre nesse caso.
Usava sapatos à (moda de) Luís XV. Veja outros exemplos:
Estava com vontade de comer frango à (moda de) passarinho. Dediquei àquela senhora todo o meu trabalho.
O menino resolveu vestir-se à (moda de) Fidel Castro. Quero agradecer àqueles que me socorreram.
Refiro-me àquilo que aconteceu com seu pai.
3-) na indicação de horas: Não obedecerei àquele sujeito.
Acordei às sete horas da manhã.
Elas chegaram às dez horas. Crase com os Pronomes Relativos A Qual, As Quais
Foram dormir à meia-noite. A ocorrência da crase com os pronomes relativos a qual e as
quais depende do verbo. Se o verbo que rege esses pronomes

Língua Portuguesa 51
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
exigir a preposição  «a»,  haverá crase. É possível detectar a Observação: é facultativo o uso da crase diante de
ocorrência da crase nesses casos utilizando a substituição do pronomes possessivos femininos porque é facultativo o uso do
termo regido feminino por um termo regido masculino.  artigo. Observe:
Por exemplo: Minha avó tem setenta anos. Minha irmã está
A igreja à qual me refiro fica no centro da cidade. esperando por você.
O monumento ao qual me refiro fica no centro da cidade A minha avó tem setenta anos. A minha irmã está
esperando por você.
Caso surja a forma ao com a troca do termo, ocorrerá a crase.
Veja outros exemplos: Sendo facultativo o uso do artigo feminino diante de
São normas às quais todos os alunos devem obedecer. pronomes possessivos femininos, então podemos escrever as
Esta foi a conclusão à qual ele chegou. frases abaixo das seguintes formas:
Várias alunas  às quais  ele fez perguntas não souberam
responder nenhuma das questões. Cedi o lugar a minha avó. Cedi o lugar a meu avô.
A sessão à qual assisti estava vazia. Cedi o lugar à minha avó. Cedi o lugar ao meu avô.

Crase com o Pronome Demonstrativo “a” 3-) depois da preposição até:


Fui até a praia. ou Fui até à praia.
A ocorrência da crase com o pronome Acompanhe-o até a porta. ou Acompanhe-o até à porta.
demonstrativo  “a”  também pode ser detectada através da A palestra vai até as cinco horas da tarde. ou
substituição do termo regente feminino por um termo regido A palestra vai até às cinco horas da tarde.
masculino. 
Veja: Questões
Minha revolta é ligada à do meu país.
Meu luto é ligado ao do meu país. 01. No Brasil, as discussões sobre drogas parecem limitar-
As orações são semelhantes às de antes. se ______aspectos jurídicos ou policiais. É como se suas únicas
Os exemplos são semelhantes aos de antes. consequências estivessem em legalismos, tecnicalidades
Suas perguntas são superiores às dele. e estatísticas criminais. Raro ler ____respeito envolvendo
Seus argumentos são superiores aos dele. questões de saúde pública como programas de esclarecimento
Sua blusa é idêntica à de minha colega. e prevenção, de tratamento para dependentes e de reintegração
Seu casaco é idêntico ao de minha colega. desses____ vida. Quantos de nós sabemos o nome de um médico
ou clínica ____quem tentar encaminhar um drogado da nossa
A Palavra Distância própria família?

Se a palavra  distância  estiver especificada, determinada, a (Ruy Castro, Da nossa própria família. Folha de S.Paulo,
crase deve ocorrer. 17.09.2012. Adaptado)
Por exemplo:
Sua casa fica  à  distância de 100 Km daqui. (A palavra está As lacunas do texto devem ser preenchidas, correta e
determinada) respectivamente, com:
Todos devem ficar  à  distância de 50 metros do palco. (A (A) aos … à … a … a
palavra está especificada.) (B) aos … a … à … a
(C) a … a … à … à
Se a palavra  distância  não estiver especificada, a (D) à … à … à … à
crase não pode ocorrer.  (E) a … a … a … a
Por exemplo:
Os militares ficaram a distância. 02. Leia o texto a seguir.
Gostava de fotografar a distância. Foi por esse tempo que Rita, desconfiada e medrosa, correu
Ensinou a distância. ______ cartomante para consultá-la sobre a verdadeira causa do
Dizem que aquele médico cura a distância. procedimento de Camilo. Vimos que ______ cartomante restituiu-
Reconheci o menino a distância. lhe ______ confiança, e que o rapaz repreendeu-a por ter feito o
que fez.
Observação: por motivo de clareza, para evitar ambiguidade, (Machado de Assis. A cartomante. In: Várias histórias. Rio de
pode-se usar a crase. Janeiro: Globo, 1997, p. 6)
Veja:
Gostava de fotografar à distância. Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na
Ensinou à distância. ordem dada:
Dizem que aquele médico cura à distância. A) à – a – a
B) a – a – à
Casos em que a ocorrência da crase é FACULTATIVA C) à – a – à
D) à – à – a
1-) diante de nomes próprios femininos: E) a – à – à
Observação: é facultativo o uso da crase diante de nomes
próprios femininos porque é facultativo o uso do artigo. Observe: 03 “Nesta oportunidade, volto ___ referir-me ___ problemas já
Paula é muito bonita. Laura é minha amiga. expostos ___ V. Sª ___ alguns dias”.
A Paula é muito bonita. A Laura é minha amiga. a) à - àqueles - a - há 
b) a - àqueles - a - há 
Como podemos constatar, é facultativo o uso do artigo c) a - aqueles - à - a 
feminino diante de nomes próprios femininos, então podemos d) à - àqueles - a - a 
escrever as frases abaixo das seguintes formas: e) a - aqueles - à - há

Entreguei o cartão a Paula. Entreguei o cartão a 04. Leia o texto a seguir.


Roberto.
Entreguei o cartão à Paula. Entreguei o cartão ao Comunicação
Roberto.
O público ledor (existe mesmo!) é sensorial: quer ter um autor
2-) diante de pronome possessivo feminino: ao vivo, em carne e osso. Quando este morre, há uma queda de

Língua Portuguesa 52
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
popularidade em termos de venda. Ou, quando teatrólogo, em Discurso Direto: Neste tipo de discurso as personagens
termos de espetáculo. Um exemplo: G. B. Shaw. E, entre nós, o ganham voz. É o que ocorre normalmente em diálogos. Isso
suave fantasma de Cecília Meireles recém está se materializando, permite que traços da fala e da personalidade das personagens
tantos anos depois. sejam destacados e expostos no texto. O discurso direto
Isto apenas vem provar que a leitura é um remédio para reproduz fielmente as falas das personagens. Verbos como
a solidão em que vive cada um de nós neste formigueiro. Claro dizer, falar, perguntar, entre outros, servem para que as falas das
que não me estou referindo a essa vulgar comunicação festiva e personagens sejam introduzidas e elas ganhem vida, como em
efervescente. uma peça teatral.
Porque o autor escreve, antes de tudo, para expressar-se. Sua
comunicação com o leitor decorre unicamente daí. Por afinidades. Travessões, dois pontos, aspas e exclamações são muito
É como, na vida, se faz um amigo. comuns durante a reprodução das falas.
E o sonho do escritor, do poeta, é individualizar cada
formiga num formigueiro, cada ovelha num rebanho − para que Exemplo:
sejamos humanos e não uma infinidade de xerox infinitamente
reproduzidos uns dos outros. “O Guaxinim está inquieto, mexe dum lado pra outro. Eis
Mas acontece que há também autores xerox, que nos invadem que suspira lá na língua dele - Chente! que vida dura esta de
com aqueles seus best-sellers... guaxinim do banhado!...”
Será tudo isto uma causa ou um efeito?
Tristes interrogações para se fazerem num mundo que já foi “- Mano Poeta, se enganche na minha garupa!”
civilizado.
Discurso Indireto: O narrador conta a história e reproduz
(Mário Quintana. Poesia completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1. fala, e reações das personagens. É escrito normalmente em
ed., 2005. p. 654) terceira pessoa. Nesse caso, o narrador se utiliza de palavras
suas para reproduzir aquilo que foi dito pela personagem.
Claro que não me estou referindo a essa vulgar comunicação
festiva e efervescente. Exemplo:
O vocábulo a deverá receber o sinal indicativo de crase se o
segmento grifado for substituído por: “Elisiário confessou que estava com sono.” (Machado de
A) leitura apressada e sem profundidade. Assis)
B) cada um de nós neste formigueiro.
C) exemplo de obras publicadas recentemente. “Fora preso pela manhã, logo ao erguer-se da cama, e, pelo
D) uma comunicação festiva e virtual. cálculo aproximado do tempo, pois estava sem relógio e mesmo
E) respeito de autores reconhecidos pelo público. se o tivesse não poderia consultá-la à fraca luz da masmorra,
imaginava podiam ser onze horas.” (Lima Barreto)
05. O Instituto Nacional de Administração Prisional
(INAP) também desenvolve atividades lúdicas de apoio______ Passagem do discurso direto para discurso indireto
ressocialização do indivíduo preso, com o objetivo de prepará-
lo para o retorno______ sociedade. Dessa forma, quando em Na passagem do discurso direto para o discurso indireto,
liberdade, ele estará capacitado______ ter uma profissão e uma ocorre mudança nas pessoas do discurso, mudança nos tempos
vida digna. verbais, mudança na pontuação das frases e mudança nos
(Disponível em: advérbios e adjuntos adverbiais.
www.metropolitana.com.br/blog/qual_e_a_importancia_da_
ressocializacao_de_presos. Acesso em: 18.08.2012. Adaptado) Mudança das pessoas do discurso: Toda a narrativa que
se encontre na 1.ª pessoa no discurso direto passa para a 3.ª
Assinale a alternativa que preenche, correta e pessoa no discurso indireto, incluindo nessa mudança não só o
respectivamente, as lacunas do texto, de acordo com a norma- verbo, mas também todos os pronomes que aparecem na frase,
padrão da língua portuguesa. como os pronomes eu, nós e meu, que passam para ele/ela, eles/
A) à … à … à elas e seu no discurso indireto.
B) a … a … à
C) a … à … à Mudança de tempos verbais nos tempos do indicativo: O
D) à … à ... a presente no discurso direto passa para pretérito imperfeito no
E) a … à … a discurso indireto, o pretérito perfeito no discurso direto passa
Respostas para pretérito mais-que-perfeito no discurso indireto e o futuro
1-B / 2-A / 3-B / 4-A / 5-D do presente no discurso direto passa para futuro do pretérito no
discurso indireto.
Tipos de discurso. Mudança de tempos verbais nos tempos do subjuntivo:
O presente e o futuro no discurso direto passam para pretérito
imperfeito no discurso indireto.
Discurso Direto, Indireto e Indireto Livre
Mudança de tempos verbais no imperativo: O imperativo
Discurso é a prática humana de construir textos, sejam eles no discurso direto passa para pretérito imperfeito do subjuntivo
escritos ou orais. Sendo assim, todo discurso é uma prática no discurso indireto.
social. A análise de um discurso deve, portanto, considerar o
contexto em que se encontra, assim como as personagens e as Mudança na pontuação das frases: Frases interrogativas,
condições de produção do texto. exclamativas e imperativas no discurso direto passam para
frases declarativas no discurso indireto.
Em um texto narrativo, o autor pode optar por três tipos
de discurso: o discurso direto, o discurso indireto e o discurso Mudança nas noções temporais: As noções temporais
indireto livre. Não necessariamente estes três discursos estão como ontem, hoje e amanhã no discurso direto passam para no
separados, eles podem aparecer juntos em um texto. Dependerá dia anterior, naquele dia e no dia seguinte no discurso indireto.
de quem o produziu.
Mudança nas noções espaciais: As noções espaciais como
Vejamos cada um deles: aqui, aí, este e isto no discurso direto passam para ali, lá, aquele
e aquilo no discurso indireto.

Língua Portuguesa 53
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Exemplo: (A) 3, 2 e 1.
(B) 2, 3 e 1.
Discurso direto: - Iremos de férias amanhã. (C) 1, 2 e 3.
Discurso indireto: Eles disseram que iriam de férias no dia (D) 3, 1 e 2.
seguinte.
04. “Impossível dar cabo daquela praga. Estirou os olhos
Discurso Indireto Livre: O texto é escrito em terceira pessoa pela campina, achou-se isolado. Sozinho num mundo coberto
e o narrador conta a história, mas as personagens têm voz de penas, de aves que iam comê-lo. Pensou na mulher e sus-
própria, de acordo com a necessidade do autor de fazê-lo. Sendo pirou. Coitada de Sinhá Vitória, novamente nos descampados,
assim é uma mistura dos outros dois tipos de discurso e as duas transportando o baú de folha.”
vozes se fundem.
O narrador desse texto mistura-se de tal forma à persona-
Exemplo: gem que dá a impressão de que não há diferença entre eles. A
personagem fala misturada à narração. Esse discurso é chama-
“Que vontade de voar lhe veio agora! Correu outra vez com do:
a respiração presa. Já nem podia mais. Estava desanimado. Que (A) discurso indireto livre
pena! Houve um momento em que esteve quase... quase!” (B) discurso direto
(C) discurso indireto
“Retirou as asas e estraçalhou-a. Só tinham beleza. (D) discurso implícito
Entretanto, qualquer urubu... que raiva...” (Ana Maria Machado) (E) discurso explícito 

“D. Aurora sacudiu a cabeça e afastou o juízo temerário. Para Respostas


que estar catando defeitos no próximo? Eram todos irmãos.
Irmãos.” (Graciliano Ramos) 01. Resposta D
Apenas no discurso direto as personagens ganham voz. Para
FONTE: Celso Cunha in Gramática da Língua Portuguesa, 2ª edição. construirmos um discurso direto, devemos utilizar o travessão e
os chamados verbos de elocução, ou seja, verbos que indicam o
Questões que as personagens falaram.
Exemplo de verbo de elocução:
01. Sobre o discurso indireto é correto afirmar, EXCETO: – Muita fome! – Lucas respondeu, passando sua mão pela
(A) No discurso indireto, o narrador utiliza suas próprias pa- barriga.
lavras para reproduzir a fala de um personagem. No exemplo acima, o verbo “respondeu” é o verbo de elocu-
(B) O narrador é o porta-voz das falas e dos pensamentos ção.
das personagens.
(C) Normalmente é escrito na terceira pessoa. As falas são 02. Resposta C
iniciadas com o sujeito, mais o verbo de elocução seguido da fala
da personagem. 03. Resposta B
(D) No discurso indireto as personagens são conhecidas
através de seu próprio discurso, ou seja, através de suas pró- 04. Resposta A
prias palavras.  O discurso indireto livre é um tipo de discurso misto, em que
se associam as características do discurso direto e do indireto. 
02. Assinale a alternativa que melhor complete o seguinte
trecho: Estilística: Figuras de linguagem
No plano expressivo, a força da ____________ em _____________
provém essencialmente de sua capacidade de _____________ o epi- (metáfora, metonímia, hipérbole,
sódio, fazendo ______________ da situação a personagem, tornando- prosopopéia, eufemismo e
-a viva para o ouvinte, à maneira de uma cena de teatro __________ antítese).
o narrador desempenha a mera função de indicador de falas.
(A) narração - discurso indireto - enfatizar - ressurgir – onde;
(B) narração - discurso onisciente - vivificar - demonstrar- Figuras de Linguagem
-se – donde;
(C) narração - discurso direto - atualizar - emergir - em que; As figuras de linguagem ou de estilo, de acordo com Renan
(D) narração - discurso indireto livre - humanizar - imergir Bardine, são empregadas para valorizar o texto, tornando
- na qual; a linguagem mais expressiva. É um recurso linguístico para
(E) dissertação - discurso direto e indireto - dinamizar - pro- expressar experiências comuns de formas diferentes, conferindo
tagonizar - em que. originalidade, emotividade ou poeticidade ao discurso.

03. Faça a associação entre os tipos de discurso e assinale a As figuras revelam muito da sensibilidade de quem as
sequência correta. produz, traduzindo particularidades estilísticas do autor. A
palavra empregada em sentido figurado, não-denotativo, passa
1. Reprodução fiel da fala da personagem, é demarcado a pertencer a outro campo de significação, mais amplo e criativo.
pelo uso de travessão, aspas ou dois pontos. Nesse tipo de dis-
curso, as falas vêm acompanhadas por um verbo de elocução, As figuras de linguagem classificam-se em:
responsável por indicar a fala da personagem.
2. Ocorre quando o narrador utiliza as próprias palavras 1) figuras de palavra;
para reproduzir a fala de um personagem. 2) figuras de harmonia;
3. Tipo de discurso misto no qual são associadas as ca- 3) figuras de pensamento;
racterísticas de dois discursos para a produção de outro. Nele a 4) figuras de construção ou sintaxe.
fala da personagem é inserida de maneira discreta no discurso
do narrador. 1) FIGURAS DE PALAVRA
As figuras de palavra são figuras de linguagem que consistem
( ) discurso indireto no emprego de um termo com sentido diferente daquele
( ) discurso indireto livre convencionalmente empregado, a fim de se conseguir um efeito
( ) discurso direto mais expressivo na comunicação.

Língua Portuguesa 54
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
São figuras de palavras: Catacrese: A catacrese é um tipo de especial de metáfora,
a) comparação e) catacrese “é uma espécie de metáfora desgastada, em que já não se sente
b) metáfora f) sinestesia nenhum vestígio de inovação, de criação individual e pitoresca.
c) metonímia g) antonomásia É a metáfora tornada hábito lingüístico, já fora do âmbito
d) sinédoque h) alegoria estilístico.” (Othon M. Garcia)

Comparação: Ocorre comparação quando se estabelece Exemplos: folhas de livro, pele de tomate, dente de alho,
aproximação entre dois elementos que se identificam, ligados montar em burro, céu da boca, cabeça de prego, mão de direção,
por conectivos comparativos explícitos – feito, assim como, ventre da terra, asa da xícara, sacar dinheiro no banco.
tal, como, tal qual, tal como, qual, que nem – e alguns verbos –
parecer, assemelhar-se e outros. Sinestesia: A sinestesia consiste na fusão de sensações
diferentes numa mesma expressão. Essas sensações podem ser
Exemplos: “Amou daquela vez como se fosse máquina. físicas (gustação, audição, visão, olfato e tato) ou psicológicas
Beijou sua mulher como se fosse lógico. (subjetivas).

Metáfora: Ocorre metáfora quando um termo substitui Exemplo: “A minha primeira recordação é um muro velho, no
outro através de uma relação de semelhança resultante da quintal de uma casa indefinível. Tinha várias feridas no reboco
subjetividade de quem a cria. A metáfora também pode ser e veludo de musgo. Milagrosa aquela mancha verde [sensação
entendida como uma comparação abreviada, em que o conectivo visual] e úmida, macia [sensações táteis], quase irreal.” (Augusto
não está expresso, mas subentendido. Meyer)

Exemplo: “Supondo o espírito humano uma vasta concha, o Antonomásia: Ocorre antonomásia quando designamos
meu fim, Sr. Soares, é ver se posso extrair pérolas, que é a razão.” uma pessoa por uma qualidade, característica ou fato que a
distingue.
Metonímia: Ocorre metonímia quando há substituição de
uma palavra por outra, havendo entre ambas algum grau de Na linguagem coloquial, antonomásia é o mesmo que apelido,
semelhança, relação, proximidade de sentido ou implicação alcunha ou cognome, cuja origem é um aposto (descritivo,
mútua. Tal substituição fundamenta-se numa relação objetiva, especificativo etc.) do nome próprio.
real, realizando-se de inúmeros modos:
Exemplos:
- A causa pelo efeito e vice-versa: “E ao rabi simples(1), que a igualdade prega,
Rasga e enlameia a túnica inconsútil;
“E assim o operário ia *1 Cristo
Com suor e com cimento* Pelé (= Edson Arantes do Nascimento)
Erguendo uma casa aqui O poeta dos escravos (= Castro Alves)
Adiante um apartamento.” O Dante Negro (= Cruz e Souza)
*Com trabalho. O Corso (= Napoleão)

- O lugar de origem ou de produção pelo produto: Alegoria: A alegoria é uma acumulação de metáforas
referindo-se ao mesmo objeto; é uma figura poética que
Comprei uma garrafa do legítimo porto*. consiste em expressar uma situação global por meio de outra
*O vinho da cidade do Porto. que a evoque e intensifique o seu significado. Na alegoria, todas
as palavras estão transladadas para um plano que não lhes é
- O autor pela obra: comum e oferecem dois sentidos completos e perfeitos – um
referencial e outro metafórico.
Ela parecia ler Jorge Amado*.
*A obra de Jorge Amado. Exemplo: “A vida é uma ópera, é uma grande ópera. O tenor
- O abstrato pelo concreto e vice-versa: e o barítono lutam pelo soprano, em presença do baixo e dos
comprimários, quando não são o soprano e o contralto que
Não devemos contar com o seu coração*. lutam pelo tenor, em presença do mesmo baixo e dos mesmos
*Sentimento, sensibilidade. comprimários. Há coros numerosos, muitos bailados, e a
orquestra é excelente… (Machado de Assis)
Sinédoque: Ocorre sinédoque quando há substituição de
um termo por outro, havendo ampliação ou redução do sentido 2) FIGURAS DE HARMONIA
usual da palavra numa relação quantitativa. Encontramos
sinédoque nos seguintes casos: Chamam-se figuras de som ou de harmonia os efeitos
produzidos na linguagem quando há repetição de sons ou, ainda,
- O todo pela parte e vice-versa: quando se procura “imitar”sons produzidos por coisas ou seres.

“A cidade inteira (1) viu assombrada, de queixo caído, o As figuras de linguagem de harmonia ou de som são:
pistoleiro sumir de ladrão, fugindo nos cascos (2) de seu cavalo.”
*1 O povo. 2 Parte das patas. a) aliteração c) assonância
b) paronomásia d) onomatopéia
- O singular pelo plural e vice-versa:
Aliteração: Ocorre aliteração quando há repetição da
O paulista (3) é tímido; o carioca (4), atrevido. mesma consoante ou de consoantes similares, geralmente em
*3 Todos os paulistas. 4 Todos os cariocas. posição inicial da palavra.

- O indivíduo pela espécie (nome próprio pelo nome comum): Exemplo: “Toda gente homenageia Januária na janela.”

Para os artistas ele foi um mecenas (5). Assonância: Ocorre assonância quando há repetição da
*5 Protetor. mesma vogal ao longo de um verso ou poema.

Modernamente, a metonímia engloba a sinédoque. Exemplo: “Sou Ana, da cama


da cana, fulana, bacana

Língua Portuguesa 55
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Sou Ana de Amsterdam.” Ironia: Ocorre ironia quando, pelo contexto, pela entonação,
pela contradição de termos, sugere-se o contrário do que as
Paronomásia: Ocorre paronomásia quando há reprodução palavras ou orações parecem exprimir. A intenção é depreciativa
de sons semelhantes em palavras de significados diferentes. ou sarcástica.

Exemplo: “Berro pelo aterro pelo desterro Exemplo: “Moça linda, bem tratada,
berro por seu berro pelo seu erro três séculos de família,
quero que você ganhe que você me apanhe burra como uma porta:
sou o seu bezerro gritando mamãe.” um amor.” (Mário de Andrade)

Onomatopeia: Ocorre quando uma palavra ou conjunto de Prosopopéia: Ocorre prosopopéia (ou animização ou
palavras imita um ruído ou som. personificação) quando se atribui movimento, ação, fala,
sentimento, enfim, caracteres próprios de seres animados a
Exemplo: “O silêncio fresco despenca das árvores. seres inanimados ou imaginários.
Veio de longe, das planícies altas,
Dos cerrados onde o guaxe passe rápido… Também a atribuição de características humanas a seres
Vvvvvvvv… passou.” animados constitui prosopopéia o que é comum nas fábulas
e nos apólogos, como este exemplo de Mário de Quintana: “O
3) FIGURAS DE PENSAMENTO peixinho (…) silencioso e levemente melancólico…”

As figuras de pensamento são recursos de linguagem que se Exemplos: “… os rios vão carregando as queixas do caminho.”
referem ao significado das palavras, ao seu aspecto semântico. (Raul Bopp)

São figuras de linguagem de pensamento: Um frio inteligente (…) percorria o jardim…” (Clarice
Lispector)
a) antítese d) apóstrofe g) paradoxo
b) eufemismo e) gradação h) hipérbole Perífrase: Ocorre perífrase quando se cria um torneio de
c) ironia f) prosopopéia i) perífrase palavras para expressar algum objeto, acidente geográfico ou
situação que não se quer nomear.
Antítese: Ocorre antítese quando há aproximação de
palavras ou expressões de sentidos opostos. Exemplo: “Cidade maravilhosa
Cheia de encantos mil
Exemplo: “Amigos ou inimigos estão, amiúde, em posições Cidade maravilhosa
trocadas. Uns nos querem mal, e fazem-nos bem. Outros nos Coração do meu Brasil.” (André Filho)
almejam o bem, e nos trazem o mal.” (Rui Barbosa)
4) FIGURAS DE SINTAXE
Apóstrofe: Ocorre apóstrofe quando há invocação de uma
pessoa ou algo, real ou imaginário, que pode estar presente As figuras de sintaxe ou de construção dizem respeito a
ou ausente. Corresponde ao vocativo na análise sintática e é desvios em relação à concordância entre os termos da oração,
utilizada para dar ênfase à expressão. sua ordem, possíveis repetições ou omissões.
Elas podem ser construídas por:
Exemplo: “Deus! ó Deus! onde estás, que não respondes?” a) omissão: assíndeto, elipse e zeugma;
(Castro Alves) b) repetição: anáfora, pleonasmo e polissíndeto;
c) inversão: anástrofe, hipérbato, sínquise e hipálage;
Paradoxo: Ocorre paradoxo não apenas na aproximação d) ruptura: anacoluto;
de palavras de sentido oposto, mas também na de idéias que e) concordância ideológica: silepse.
se contradizem referindo-se ao mesmo termo. É uma verdade
enunciada com aparência de mentira. Oxímoro (ou oximoron) é Portanto, são figuras de linguagem de construção ou sintaxe:
outra designação para paradoxo. a) assíndeto e) elipse i) zeugma
b) anáfora f) pleonasmo j) polissíndeto
Exemplo: “Amor é fogo que arde sem se ver; c) anástrofe g) hiperbato l) sínquise
É ferida que dói e não se sente; d) hipálage h) anacoluto m) silepse
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;” (Camões) Assíndeto: Ocorre assíndeto quando orações ou palavras
deveriam vir ligadas por conjunções coordenativas, aparecem
Eufemismo: Ocorre eufemismo quando uma palavra ou justapostas ou separadas por vírgulas.
expressão é empregada para atenuar uma verdade tida como
penosa, desagradável ou chocante. Exigem do leitor atenção maior no exame de cada fato, por
exigência das pausas rítmicas (vírgulas).
Ex:“E pela paz derradeira(1) que enfim vai nos redimir
Deus lhe pague” (Chico Buarque) Exemplo: “Não nos movemos, as mãos é que se estenderam
*1 paz derradeira: morte pouco a pouco, todas quatro, pegando-se, apertando-se,
fundindo-se.” (Machado de Assis)
Gradação: Ocorre gradação quando há uma seqüência de
palavras que intensificam uma mesma idéia. Elipse: Ocorre elipse quando omitimos um termo ou
oração que facilmente podemos identificar ou subentender no
Exemplo: “Aqui… além… mais longe por onde eu movo o contexto. Pode ocorrer na supressão de pronomes, conjunções,
passo.” (Castro Alves) preposições ou verbos. É um poderoso recurso de concisão e
dinamismo.
Hipérbole: Ocorre hipérbole quando há exagero de uma
idéia, a fim de proporcionar uma imagem emocionante e de Exemplo: “Veio sem pinturas, em vestido leve, sandálias
impacto. coloridas.”
1 Elipse do pronome ela (Ela veio) e da preposição de (de
Exemplo: “Rios te correrão dos olhos, se chorares!” (Olavo sandálias…)
Bilac)

Língua Portuguesa 56
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Zeugma: Ocorre zeugma quando um termo já expresso na Exemplo: “… as lojas loquazes dos barbeiros.” 2 (Eça de
frase é suprimido, ficando subentendida sua repetição. Queiros)
*2 … as lojas dos barbeiros loquazes.
Exemplo: “Foi saqueada a vida, e assassinados os partidários
dos Felipes.” 1 Anacoluto: Ocorre anacoluto quando há interrupção
1 Zeugma do verbo: “e foram assassinados…” do plano sintático com que se inicia a frase, alterando-lhe a
seqüência lógica. A construção do período deixa um ou mais
Anáfora: Ocorre anáfora quando há repetição intencional de termos – que não apresentam função sintática definida –
palavras no início de um período, frase ou verso. desprendidos dos demais, geralmente depois de uma pausa
sensível.
Exemplo: “Depois o areal extenso…
Depois o oceano de pó… Exemplo: “Essas empregadas de hoje, não se pode confiar
Depois no horizonte imenso nelas.” (Alcântara Machado)
Desertos… desertos só…” (Castro Alves)
Silepse: Ocorre silepse quando a concordância não é feita
Pleonasmo: Ocorre pleonasmo quando há repetição da com as palavras, mas com a ideia a elas associada.
mesma ideia, isto é, redundância de significado.
a) Silepse de gênero: Ocorre quando há discordância entre
a) Pleonasmo literário: É o uso de palavras redundantes para os gêneros gramaticais (feminino ou masculino).
reforçar uma ideia, tanto do ponto de vista semântico quanto
do ponto de vista sintático. Usado como um recurso estilístico, Exemplo: “Quando a gente é novo, gosta de fazer bonito.”
enriquece a expressão, dando ênfase à mensagem. (Guimarães Rosa)

Exemplo: “Iam vinte anos desde aquele dia b) Silepse de número: Ocorre quando há discordância
Quando com os olhos eu quis ver de perto envolvendo o número gramatical (singular ou plural).
Quando em visão com os da saudade via.” (Alberto
de Oliveira) Exemplo: Corria gente de todos lados, e gritavam.” (Mário
Barreto)
“Ó mar salgado, quando do teu sal
São lágrimas de Portugal” (Fernando Pessoa) c) Silepse de pessoa: Ocorre quando há discordância entre o
sujeito expresso e a pessoa verbal: o sujeito que fala ou escreve
b) Pleonasmo vicioso: É o desdobramento de ideias que se inclui no sujeito enunciado.
já estavam implícitas em palavras anteriormente expressas.
Pleonasmos viciosos devem ser evitados, pois não têm valor de Exemplo: “Na noite seguinte estávamos reunidas algumas
reforço de uma idéia, sendo apenas fruto do descobrimento do pessoas.” (Machado de Assis)
sentido real das palavras.
Questões
Exemplos: subir para cima, entrar para dentro, repetir de
novo, ouvir com os ouvidos, hemorragia de sangue, monopólio 01. Ao dizer que os shoppings são “cidades”, o autor do texto
exclusivo, breve alocução, principal protagonista faz uso de um tipo de linguagem figurada denominada
(A) metonímia.
Polissíndeto: Ocorre polissíndeto quando há repetição (B) eufemismo.
enfática de uma conjunção coordenativa mais vezes do que exige (C) hipérbole.
a norma gramatical ( geralmente a conjunção e). É um recurso (D) metáfora.
que sugere movimentos ininterruptos ou vertiginosos. (E) catacrese.

Exemplo: “Vão chegando as burguesinhas pobres, 02. Identifique a figura de linguagem presente na tira
e as criadas das burguesinhas ricas seguinte:
e as mulheres do povo, e as lavadeiras da redondeza.”
(Manuel Bandeira)

Anástrofe: Ocorre anástrofe quando há uma simples


inversão de palavras vizinhas (determinante / determinado).

Exemplo: “Tão leve estou (1) que nem sombra tenho.” (Mário
Quintana)
*1 Estou tão leve…

Hipérbato: Ocorre hipérbato quando há uma inversão (A) metonímia


completa de membros da frase. (B) prosopopeia
(C) hipérbole
Exemplo: “Passeiam à tarde, as belas na Avenida. ” 1 (Carlos (D) eufemismo
Drummond de Andrade) (E) onomatopeia
*1 As belas passeiam na Avenida à tarde.
03.
Sínquise: Ocorre sínquise quando há uma inversão violenta Está tão quente que dá para fritar um ovo no asfalto.
de distantes partes da frase. É um hipérbato exagerado.
O dito popular é, na maioria das vezes, uma figura de
Exemplo: “A grita se alevanta ao Céu, da gente. ” 1 (Camões) linguagem. Entre as 14h30min e às 15h desta terça-feira,
*1 A grita da gente se alevanta ao Céu. horário do dia em que o calor é mais intenso, a temperatura
do asfalto, medida com um termômetro de contato, chegou a
Hipálage: Ocorre hipálage quando há inversão da posição do 65ºC. Para fritar um ovo, seria preciso que o local alcançasse
adjetivo: uma qualidade que pertence a uma objeto é atribuída a aproximadamente 90 ºC.
outro, na mesma frase. Disponível em: http://zerohora.clicrbs.com.br. Acesso em:
22 jan. 2014.

Língua Portuguesa 57
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
O texto cita que o dito popular “está tão quente que dá para
fritar um ovo no asfalto” expressa uma figura de linguagem. O
autor do texto refere-se a qual figura de linguagem?
(A) Eufemismo.
(B) Hipérbole.
(C) Paradoxo.
(D) Metonímia.
(E) Hipérbato.

04. A linguagem por meio da qual interagimos no nosso


dia a dia pode revestir-se de nuances as mais diversas: pode
apresentar-se em sentido literal, figurado, metafórico. A opção
em cujo trecho utilizou-se linguagem metafórica é
(A) O equilíbrio ou desequilíbrio depende do ambiente
familiar.
(B) Temos medo de sair às ruas.
(C) Nestes dias começamos a ter medo também dentro dos
shoppings.
(D) Somos esse novelo de dons.
(E) As notícias da imprensa nos dão medo em geral.

05. No verso “Essa dor doeu mais forte”, pode-se perceber a


presença de uma figura de linguagem denominada:
(A) ironia
(B) pleonasmo
(C) comparação
(D) metonímia

Respostas
01. D\02. D\03. B\04. D\05. B

Anotações

Língua Portuguesa 58
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
ANATOMIA E FISIOLOGIA

Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Potáss K+ hiperpotass hipopotass


io emia emia
Cálcio Ca2+ hipercalcem hipocalcem
ia ia
Magné Mg2 hipermagne hipomagne
sio + semia semia
Cloro Cl- hiperclorem hipoclorem
ia ia
Fosfat PO4 hiperfosfate hipofosfate
o 3- mia mia
2.4.1.1 Líquidos e eletrólitos: Bicarb HCO hiperbicarb hipobicarb
equilíbrio e distúrbios; troca onato 3- onatemia onatemia
gasosa e função respiratória; Representação de um estilo adotado para o ensino dos
funções: cardiovascular, equilíbrios hidroeletrolítico (EHE) e acidobásico (EAB) por
circulatória e hematológica, mais de duas décadas (1975 a 1998). Do ponto de vista
acadêmico, a maneira como o assunto é apresentado pode
digestiva e gastrintestinal, estar sujeita a muitas críticas, mas esta foi a melhor maneira
metabólica e endócrina, do trato encontrada para ensinar médicos residentes e estudantes.
urinário, reprodutora, Incluir os dois assuntos em um texto de revisão, sem estendê-
lo excessivamente, foi outro desafio. Assim, temos consciência
imunológica, tegumentar, de que a manutenção de uma fluência de estilo pode ter
sensorineural, neurológica, deixado a desejar, uma vez que, em determinados momentos,
musculoesquelética. sempre com a preocupação da extensão do texto, ele se torna
mais próximo do estilo que se lê em manuais. Os principais
objetivos relativos ao EHE, a serem atingidos pelo leitor,
podem ser enumerados como a seguir:
Distúrbio eletrolítico
- Reconhecer os compartimentos hídricos e a água total do
Eletrólitos tem um papel importante na manutenção da
organismo.
homeostase do organismo. Ajudam a regular a função
- Reconhecer os efeitos da permeabilidade e tonicidade nas
miocárdica e neurológica, equilíbrio de hídrico, liberação de
diferenças de composição entre os líquidos intracelular e
oxigênio nos tecidos, equilíbrio acidobásico e muito mais.
extracelular.
Distúrbios eletrolíticos podem se desenvolver pelos seguintes
- Ter noções de equilíbrio hídrico.
mecanismos: ingestão excessiva ou redução na eliminação de
- Reconhecer a importância das chamadas perdas para o
um eletrólito, ou redução diminuída ou eliminação excessiva
terceiro espaço.
do mesmo. A causa mais comum de distúrbio eletrolítico é a
- Reconhecer e tratar os principais distúrbios do equilíbrio
insuficiência renal. Os distúrbios eletrolíticos mais graves
hídrico (desidratação, edema e intoxicação hídrica).
envolvem anormalidades nos níveis de sódio, potássio e/ou
- Reconhecer e tratar os principais distúrbios do equilíbrio
cálcio. Outros desequilíbrios de eletrólitos são menos comuns
eletrolítico (hipo e hipernatremia, hipo e hiperpotassemia,
ou graves e ocorrem frequentemente em conjunto com os
hipo e hipercalcemia, hipo e hipermagnesemia).
anteriores. A abuso crônico de laxantes ou diarreia e vômitos
severos podem levar a distúrbios eletrolíticos graves, em
Os principais objetivos relativos ao EAB, a serem atingidos
associação com desidratação (distúrbio hidroeletrolítico).
pelo leitor, podem ser enumerados como a seguir:
Portadores de bulimia ou anorexia têm maior risco de
desenvolvimento de desequilíbrios eletrolíticos.
1. Reconhecer os dois mecanismos básicos que os sistemas
orgânicos utilizam para a manutenção do EAB: cota fixa de
Nomenclatura
ácidos da dieta e destino do CO2 gerado como produto final do
metabolismo.
Há uma nomenclatura científica padrão para a base de
2. Deduzir a Equação de Henderson-Hasselbalch (Tampão
distúrbios eletrolíticos:
bicarbonato, componente metabólico ou não
- O nome começa com um prefixo denotando se o eletrólito
respiratório/função renal; componente respiratório/função
está anormalmente elevado ("hiper") ou reduzido ("hipo");
pulmonar).
- A palavra raiz é o nome do eletrólito em latim, ou seu
3. Conhecer os mecanismos de excreção do H+.
equivalente na língua em questão;
4. Reconhecer as evidências de que o organismo animal
- O nome termina com o sufixo "-emia," que significa "no
possui mecanismos naturais de defesa contra a acidose mais
sangue"; isto não significa que o distúrbio esteja limitado ao
eficientes do que os mecanismos de defesa contra a alcalose.
sangue, mas como o diagnóstico geralmente é feito através de
5. Conhecer os principais sistemas tampões além do
análise sanguínea, desenvolveu-se esta convenção;
tampão bicarbonato.
6. Conceituar “Base-Excess” e Reserva Alcalina.
Por exemplo, a elevação do potássio no sangue é chamada
7. Entender as interrelações entre o EAB e EHE através do
"hiperpotassemia", do nome em latim para o potássio,
conceito do “Anion Gap”.
"kalatino".
8. Saber interpretar uma gasometria, diagnosticando os
desvios do EAB.
Tabela de distúrbios eletrolíticos comuns
9. Reconhecer os fatores que podem influenciar os
resultados de uma gasometria.
Eletró Fór Elevação Redução 10. Conhecer as causas mais comuns dos desvios do EAB:
lito mula alcalose respiratória, acidose respiratória, Síndrome da
iônica Angústia Respiratória do Adulto (SARA), acidose metabólica e
Sódio Na+ hipernatre hiponatrem alcalose metabólica.
mia ia 11. Saber tratar os distúrbios do EAB.

Anatomia e Fisiologia 1
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

12. Conhecer os efeitos deletérios da acidose aguda. pressão osmótica efetiva é determinada por substâncias que
13. Conhecer os efeitos deletérios da alcalose aguda. não podem passar através da membrana semipermeável. Isso
é bem estabelecido no limite da célula capilar, entre o plasma
Equilíbrio Hidroeletrolítico e seus Desvios e o líquido intersticial. A passagem limitada das proteínas
plasmáticas é responsável pela pressão osmótica eficaz,
Compartimentos Hídricos e Tonicidade geralmente, conhecida como pressão coloidosmótica desse
compartimento.
Água Total do Organismo Analogamente, as substâncias cuja passagem é limitada
Embora a concentração dos íons de uma solução seja pela membrana celular, tais como o sódio, contribuem para a
rapidamente determinada laboratorialmente, é bom ressaltar pressão osmótica eficaz do LEC. É importante ter em mente
que os volumes dos vários compartimentos hídricos têm uma que a água atravessa livremente todas as membranas
importância ainda maior no tratamento cirúrgico. Embora a celulares. Isso significa que o movimento da água através da
extensão e as distorções presentes nestes volumes hídricos membrana celular equalizará sempre a pressão osmótica
não sejam prontamente determinadas por medida direta, é eficaz no interior e no exterior da célula. Se houver alteração
essencial um conhecimento das várias subdivisões da água da pressão osmótica eficaz no LEC, haverá uma redistribuição
total do organismo para compreender e tratar os problemas de água entre os compartimentos. Esses desvios da água
hidroeletrolíticos mais complexos. A água tritiada foi utilizada orgânica resultam de alterações na composição, e não
como isótopo para determinar a água do organismo. A água alterações no volume, de maneira que a água intracelular é
representa 50 a 60% do peso corporal, estando presente, em muito menos afetada pelos aumentos ou diminuições do LEC
maior quantidade, nas pessoas magras, e, em menor do que pela pressão osmótica.
quantidade, nas obesas. As mulheres têm uma percentagem A pressão osmótica de uma solução é referida em termos
menor de água total no organismo devido à maior quantidade de osmoles ou miliosmoles, e está relacionada com o número
de tecido adiposo subcutâneo. A água do organismo pode ser de partículas osmoticamente ativas, presentes na solução.
dividida em compartimentos: Portanto, 1 mMol de NaCl, que se dissocia em Na+ e Cl-,
contribui com dois miliosmoles. Assim, 1 mMol de uma
a) Intracelular - 40% do peso corpóreo, substância não ionizada, tal como a glicose ou a ureia,
b) Extracelular - 20% do peso corpóreo (Intersticial 5% e contribuirá com um mOsm. Quando se consideram os
Intravascular 15%). problemas hidroeletrolíticos, os termos tais como osmol ou
miliosmol não são tão frequentemente empregados como o
O líquido intersticial não pode ser medido diretamente por são o equivalente e o miliequivalente. O equivalente de um íon
isótopos usados nas dosagens de diluição do indicador, porém é o seu peso atômico, expresso em gramas, dividido pela sua
consiste na diferença entre o líquido extracelular total e o valência. Quando se trata de íons univalentes, 1 mEq é igual a
volume localizado no espaço intravascular. Os três 1 mMol. No caso dos íons divalentes, (um) mMol é igual a dois
compartimentos que compõem a água total do organismo mEq. Esses conceitos são importantes para o entendimento do
também diferem em composição. O potássio (K+), o cálcio equilíbrio eletrolítico corpóreo, uma vez que, em qualquer
(Ca2+) e o magnésio (Mg2+) representam os principais cátions solução, o número total de cátions expressos em mEq deve ser
na água intracelular, e os fosfatos e as proteínas, os principais igual ao número de ânions, também expressos em mEq
ânions. (miliequivalente).
Grande parte do sódio (Na+) é eliminada desse
compartimento por processos que requerem energia (Bomba Balanço hídrico
Na+-K+ ou Na+-K+ ATPase). Por outro lado, o sódio é o
principal cátion do líquido extracelular (LEC), enquanto o Cl- e O peso corporal tornou-se uma medida bastante
o HCO3- representam os principais ânions. A importância do importante, porque as alterações agudas refletem aumentos
Na+ está relacionada com o controle que ele exerce na ou diminuições na água total do organismo. Como foi
distribuição da água em todo o organismo. O número de observado anteriormente, a água total do organismo
moléculas de Na+ por unidade de água determina a representa 50 a 60% do peso corporal. Em um adulto de 70
osmolalidade do LEC. Se o Na+ é perdido, a água é excretada quilos essa fração seria de 35 a 42 litros de água, uma ampla
na tentativa de manter a osmolalidade normal, e se o Na+ é faixa que está relacionada com a idade, o sexo e as diferenças
retido, a água também deve ser retida para diluí-lo. A na composição do organismo existentes entre adultos
quantidade total de Na+ existente no organismo é de normais.
aproximadamente 4000 mEq, porém, a maior parte dessa Assim, uma única medida do peso corporal, geralmente,
quantidade encontra-se no esqueleto. tem pouco valor no cálculo da água total. No entanto, no
Para fins didáticos, as composições iônicas do plasma e do contexto da unidade de tratamento intensivo, as mudanças do
líquido intersticial podem ser consideradas idênticas, embora peso a curto prazo devem-se, em grande parte, mais às
possa haver pequenas diferenças, resultantes da concentração alterações na água total do organismo, mesmo se o valor
desigual de proteína. O plasma tem um conteúdo muito maior absoluto da água total permanecer incerto; o conhecimento da
de proteína, e esses ânions orgânicos exigem um aumento na direção e da intensidade da alteração desse parâmetro pode
concentração total de cátions. A concentração dos ânions revestir-se de grande importância no diagnóstico e tratamento
inorgânicos é algo menor no plasma do que no interstício. de distúrbios complexos do EHE. Quando não se dispõe de
Essas relações são estabelecidas pelo equilíbrio de Gibbs- camas-balanças, ou quando não se podem fazer pesagens fiéis
Donnan. devido à condição do paciente, torna-se necessário fazer
determinações do balanço hídrico (BH). O BH diário,
Permeabilidade e tonicidade incluindo uma estimativa das perdas por evaporação, pode ser
acrescentado ou subtraído, sendo que o BH cumulativo
As diferenças na composição entre o líquido intracelular resultante, reflete as alterações da água total do organismo.
(LIC) e o LEC são mantidas ativamente pela membrana celular. O BH teve aplicação clínica limitada devido às dificuldades
Essa é uma membrana semipermeável, uma vez que é em se medir o conteúdo hídrico dos alimentos sólidos e das
totalmente permeável à água, porém é seletivamente fezes, a água e as perdas pela evaporação. Na verdade, alguns
permeável a outras substâncias. Embora o número total de desses problemas são simplificados no pós-operatório (PO),
osmoles seja igual em ambos os lados da membrana celular, a uma vez que quase todo o aporte de água é intravenoso, sendo

Anatomia e Fisiologia 2
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

facilmente medido. Devido à ausência de ingestão por via oral, intersticial com consequente quadro de SARA. Este problema
as fezes não são frequentes e o débito urinário pode ser tem grande importância na mortalidade de pacientes
medido com facilidade. As perdas por evaporação são traumatizados após 48 a 72 horas de estabilizado o quadro
inferiores a 1000 ml/dia nos pacientes afebris e ainda inicial de choque hipovolêmico. Se o paciente não apresentar
menores, quando se umidificam as vias aéreas com vapor boa diurese, deve-se restringir líquidos, usar diuréticos e até
aquecido, e nos pacientes febris existem cálculos que processos dialíticos.
possibilitam avaliar as perdas aproximadas. No ambiente com
ar condicionado, muitos pacientes febris ainda perderão Distúrbios do Equilíbrio Eletrolítico
menos que dois litros por dia através da pele e da respiração.
A hiperventilação dos pacientes com febre elevada pode Alterações do Sódio
eliminar até três litros de água por dia, porém isso é incomum. O sódio é o cátion que existe em maior quantidade nos
As queimaduras graves são uma exceção óbvia, porém, à líquidos extracelulares. Os íons de sódio participam da
exceção desse grupo de pacientes, podem ser feitas manutenção do EH, da transmissão dos impulsos nervosos e
aproximações razoáveis da perda evaporativa de água que, por da contração muscular. A sua concentração normal no LEC
sua vez, possibilita o cálculo do BH diário e cumulativo, a partir varia entre 136 e 144mEq/l. O EHE é regido por um princípio
da ingesta de líquidos e de registros de débito. fisiológico importante: a água vai para onde for o sódio.
Uma vez que as pesagens seriadas ou o BH geram Quando os rins retêm sódio, a água também é retida. Por outro
informações principalmente sobre as alterações na água total lado, e a sua excreção é acompanhada pela excreção de água.
do organismo, outros meios são importantes para diagnosticar Este é o princípio da maioria dos diuréticos. Quando a ingestão
um decréscimo ou um excesso no volume absoluto. O volume de sódio diminui, ou quando o paciente perde líquidos, o
plasmático é a única medida de volume clinicamente organismo procura reter sódio por ação da aldosterona nos
disponível, porém pode ter um valor limitado, uma vez que os túbulos renais, onde promove a reabsorção do sódio.
valores normais previstos variam consideravelmente. O
exame clínico do paciente é essencial, e certos sinais e Hiponatremia
sintomas indicam a existência de anormalidade no volume Pode ser resultado da deficiência corpórea do sódio, uma
hídrico do organismo. O sistema cardiovascular é o indicador diluição por excesso de água, ou uma combinação dos dois
mais sensível, e uma Pressão Venosa Central (PVC) abaixo de fatores. A causa mais comum é a excreção ineficiente de água
3 cmH20, taquicardia e até mesmo hipotensão indicam um frente ao excesso de administração (frequentemente induzida
déficit de volume. Na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) o iatrogênicamente)
excesso de volume é mais comum, uma vez que os pacientes
recebem, durante a ressuscitação, grandes volumes de líquido Etiologia - é importante tentar diferenciar o tipo de
por via endovenosa. hiponatremia presente, isto é, super-hidratação ou deficiência
São sinais bem reconhecidos de sobrecarga hídrica: a PVC de sódio, já que a causa básica e o tratamento são muito
aumentada, o Débito Cardíaco (DC) elevado, ritmo de galope diferentes. A depleção de sódio (hiponatremia) é
cardíaco, uma segunda bulha pulmonar hiperfonética, a encontrada quando as perdas de fluidos que contêm Na+ com
congestão pulmonar e algumas vezes o edema. O Sistema continuada ingestão de água: perdas gastrintestinais
Nervoso Central (SNC) pode fornecer evidências de déficit na (diarreia, vômito); perdas pela pele (lesões exsudativas da
água total do organismo, tais como apatia, reflexos tendinosos, pele, queimaduras, sudorese); sequestros no corpo
profundos e diminuídos, estupor ou coma. Porém, os excessos (obstrução intestinal); perda renal (primária ou secundária a
isotônicos exercem pouco ou nenhum efeito na função do SNC. estados de depleção, incluindo as perdas por diuréticos e na
Os sinais teciduais são tradicionalmente usados para avaliar a doença de Addison).
hidratação, porém podem aparecer lentamente. O turgor
cutâneo diminuído, os olhos encovados e a língua seca são A hiponatremia dilucional pode ocorrer na: Insuficiência
sinais tardios de déficit de líquido, assim como o edema Cardíaca Congestiva (ICC), cirrose, doença renal com oligúria,
subcutâneo é um sinal tardio de sobrecarga. síndrome de secreção inadequada do Hormônio Antidiurético
Finalmente, deve-se salientar que o conhecimento da (HAD), doença de Addison.
composição das várias secreções orgânicas pode ser de grande
valia para um raciocínio mais dirigido diante de alterações do Outras causas incluem: síndrome de hiponatremia
EHE. Essas composições podem ser obtidas em tabelas familiar (assintomática, vista em muitos tipos de doenças de
próprias, ou pela análise bioquímica de alíquotas dessas depleção); sódio sérico artificial baixo, como nas
secreções. hiperlipidemias, hiperglicemias e hiperproteinemia do
mieloma múltiplo.
A importância das perdas para o terceiro espaço
Sinais e sintomas - dificuldade na concentração mental,
É possível ocorrer uma desidratação por sequestro interno alterações da personalidade, confusão, delírio, coma, oligúria.
de líquido. Como já se descreveu, os compartimentos normais
são o LEC (IV + INT) e o LIC. Quando ocorrem lesões, como as Conduta - tratar a doença de base, pesar o paciente,
queimaduras, trauma acidental e cirurgia, o LEC é sequestrado determinar se a hiponatremia é secundária à perda de sal ou à
na área de lesão, formando um “terceiro” espaço líquido sobrecarga de água. Nos casos de hiponatremia por depleção
anormal. Esta perda se faz a expensas do LEC normal e reduz salina, repor o sódio, calculando o seu déficit com base no
o seu volume efetivo, produzindo hemoconcentração e volume da água total (60% do peso para os homens e 50% do
hipovolemia. A terapêutica imediata com soluções salinas ou peso para as mulheres). A prática revela que a reposição à base
balanceadas em sais e plasma, restaura os volumes plasmático apenas do LEC (20% do peso corpóreo) retarda a resolução do
e do interstício. As perdas para o terceiro espaço devem ser problema. A hiponatremia por excesso de água é tratada como
repostas como uma perda externa, uma vez que o líquido intoxicação hídrica: repor sódio só em caso com menos de 110
sequestrado não tem nenhum valor do ponto de vista volêmico mEq/l, manitol (observar cuidadosamente sinais de ICC). A
do paciente. À medida que este espaço diminui (“resolução do síndrome de hiponatremia familiar e sódio baixo artificial não
terceiro espaço”), após a estabilização do paciente, ocorre uma necessita, em geral, de tratamento.
auto infusão de líquido que, se não for eliminada por uma
função renal adequada, pode transformar-se em edema

Anatomia e Fisiologia 3
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Hipernatremia pés, mãos), irritabilidade muscular, arritmias cardíacas e


outras alterações do Eletrocardiograma (ECG) (onda T “em
Está, geralmente, associada à desidratação com Na+ campânula”, complexos QRS alargados), parada cardíaca em
superior a 150 mEq/l. diástole.

Etiologia - perda de água superior à de sódio: diarreia e Conduta - gluconato ou cloreto de cálcio, bicarbonato de
vômitos, insuficiência renal, diabetes insipidus, diabetes sódio, solução polarizante sem K (glicose-insulina), resinas de
mellitus, febre, insolação, hiperventilação; reposição troca iônica (Kayexalate, Sorcal), diálise.
insuficiente das perdas hídricas: diminuição da ingestão
hídrica por náuseas, vômitos ou incapacidade física; Hipopotassemia ou hipocalemia
administração de sobrecarga de soluto: suplementação de
proteínas e sal, na alimentação, por sonda, envenenamento Etiologia - perdas gastrintestinais (diarreia, fístula
acidental por sal de cozinha, diuréticos osmóticos, diálise; Gastrintestinal (GI), vômitos); perdas geniturinárias
excesso de esteroides. (acidose tubular renal e outras doenças renais, doença de
Cushing, síndrome de Cohn, uso de diuréticos); ingestão
Sinais e Sintomas - a detecção clínica precoce pode ser insuficiente (notar que há perda obrigatória nas fezes);
difícil, porque o plasma hipertônico atrai água das células, desvio iônico (alcalose).
escondendo os sinais de colapso circulatório, vistos na
desidratação hiponatrêmica. O turgor cutâneo pode ser Sinais e Sintomas - neuromusculares (fraqueza
normal (em oposição à desidratação hiponatrêmica). As muscular, parestesias); renais (concentração prejudicada,
mucosas e a boca estão secas. A sede está presente, mas pode poliúria); gastrintestinais (náuseas, íleo adinâmico); SNC
ser ocultada pela náusea e vômitos. A fraqueza muscular e as (irritabilidade, letargia, coma); cardíacos (arritmias tipo
cãibras são comuns. Pode ocorrer febre (maior que 40ºC graus bigeminismo e/ou trigeminismo, onda U ao ECG)
em alguns casos). Sinais e sintomas neurológicos, incluindo
tremor, hiper reflexia profunda, memória alterada, confusão e Conduta - via oral (KCl xarope, K efervescente ou em
alucinações podem estar presentes. comprimidos); via endovenosa (aumentando-se a
concentração de K+ nas soluções eletrolíticas usuais, solução
Conduta - pesar o paciente e tratar a doença primária. polarizante: G-I-K).
Estimar a porcentagem de perdas em termos de peso
corpóreo, planejar a reposição de aproximadamente metade Nota: a reposição do K+ se faz de maneira empírica, sendo
do volume nas primeiras oito a doze horas. O edema cerebral um esquema usual a reposição de 40 a 60 mEq/L por via EV
pode complicar a reposição muito rápida. (Endovenosa) a velocidades não maiores do que 30-40
mEq/hora.
Nota: uma estimativa grosseira da osmolalidade sérica
pode ser obtida pela seguinte fórmula: Osmolalidade = 2(Na+ Casos especiais - os cirróticos são especialmente
+ K+) + Ureia + Glicemia 5.6 18 suscetíveis às complicações da hipopotassemia e devem ser
tratados agressivamente com relação a tal problema. Os
Alterações do potássio pacientes digitalizados são especialmente suscetíveis às
arritmias, se hipopotassêmicos, e também necessitam de
O potássio é o principal cátion intracelular que regula a tratamento intensivo para esta alteração eletrolítica. Deve-se
excitabilidade neuromuscular e a contratilidade muscular. O prevenir a hipopotassemia após tratamento para acidose em
potássio é necessário para a formação do glicogênio, para a geral, e da acidose diabética, em especial.
síntese proteica e para a correção do desequilíbrio
acidobásico. A sua importância no EAB é importante, porque Alterações do cálcio
os íons K+ competem com os íons H+. Por conseguinte, na O cálcio ocupa o quinto lugar entre os elementos mais
acidose, ocorre eliminação de um H+ para cada K+ retido. Na abundantes no corpo humano. O organismo precisa do cálcio
alcalose, dá-se o contrário. A regulagem do potássio está a para a integridade e estrutura das membranas celulares,
cargo, principalmente, dos rins. Quando a aldosterona condução adequada dos estímulos cardíacos, coagulação
aumenta, a urina elimina maior quantidade de potássio e o sanguínea e formação e crescimento ósseos. O cálcio se
nível de potássio no sangue pode diminuir. encontra nos líquidos orgânicos sob três formas diferentes: 10
Outro mecanismo regulador baseia-se na permuta com o cálcio ionizado (4,5 mg/100ml); 20 cálcio não difusível,
Na+ nos túbulos renais. A retenção de sódio é acompanhada formando complexos com ânions proteicos (5mg/100ml) e; 3)
pela eliminação de potássio. Os níveis séricos normais de sais de cálcio, tais como citrato e fosfato de cálcio (q
potássio oscilam entre 3,5 a 5 mEq/l. Ressalte-se que os mg/100ml). Alguns laboratórios clínicos indicam os níveis de
valores plasmáticos representam os valores extracelulares. cálcio em mEq/l. O cálcio contido nos líquidos orgânicos
Sua normalidade ou o seu aumento não significam alterações representa uma pequena porcentagem do cálcio total, sendo
globais dos seus valores, isto porque ele predomina no LIC. Já que a maior parte dele se encontra nos ossos e dentes.
o seu valor plasmático é importante no caso de O cálcio contido no LEC é regulado pela ação dos
hiperpotassemia, porque é o aumento dos seus níveis hormônios das paratireóides e tireóides. O hormônio da
extracelulares que pode levar à parada cardíaca diastólica. paratireóide regula o equilíbrio entre o cálcio contido nos
ossos, a absorção de cálcio pelo trato gastrintestinal e a
Hiperpotassemia eliminação do cálcio pelos rins. A tireocalcitonina, produzida
pela tireóide, também desempenha um certo papel na
Etiologia - insuficiência renal aguda, doença de Addison, determinação dos níveis séricos do cálcio, porque inibe a
acidose, transfusões e hemólise, lesões por esmagamento de reabsorção do cálcio dos ossos.
membros e outras causas de degradação de proteínas, grande
ingestão de K+ frente à insuficiência renal, entre outras. Hipocalcemia
Etiologia - perda de tecido da paratireóide após
Sinais e Sintomas - fraqueza muscular, paralisia flácida, tireoidectomia, hipoparatireoidismo idiopático, insuficiência
diminuição de ruídos hidroaéreos, parestesias (face, língua, renal (raramente sintomática).

Anatomia e Fisiologia 4
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Sinais e Sintomas - parestesias (especialmente perorais e o que foi absorvido do alimento ou infundido. Ocasionalmente,
nas mãos e pés); labilidade emocional; miastenia e cãibras; o uso do sulfato de magnésio, como catártico, pode ser
diarreia e poliúria; disfagia; estridor laríngeo e absorvido o bastante para produzir uma intoxicação,
broncoespasmo, convulsões; arritmias cardíacas e intervalo Q- particularmente da função renal comprometida.
T aumentado; espasmo carpopedal (espontâneo ou com uso de
manguito de pressão durante três minutos, inflado acima da Sinais e Sintomas - fraqueza muscular, queda da pressão
pressão sistólica - Sinal de Trousseau); contração do músculo sanguínea, sedação e estado de confusão mental. O ECG mostra
facial após leve golpe na frente da orelha - Sinal de Chvostek; aumento do intervalo P-R, alargamento dos complexos QRS e
opistótono. elevação das ondas T. A morte, geralmente, resulta da paralisia
dos músculos respiratórios.
Conduta - a reposição é empírica, usando-se tantas
ampolas de gluconato de cálcio quantas forem necessárias, até Conduta - o tratamento é dirigido no sentido de melhorar
o desaparecimento dos sinais clínicos. A infusão venosa deve a insuficiência renal. O cálcio age como antagonista do
ser lenta. Nos casos de hipoparatireoidismo, pode-se utilizar magnésio e pode ser empregado por via parenteral para
extrato de paratireoide (100 a 200 unidades USP) por via EV. benefício temporário. Pode estar indicado na diálise peritoneal
No tratamento pós-controle da fase aguda, deve-se ou extracorpórea.
acrescentar cálcio oral e Vitamina D.
Hipomagnesemia
Nota importante: se não houver resposta ao tratamento
com cálcio, considerar a possibilidade de hipomagnesemia. Etiologia - pode ser encontrado no alcoolismo crônico em
associação com “delirium tremes”, cirrose, pancreatite,
Hipercalcemia acidose diabética, jejum prolongado, diarreia, má absorção,
aspiração gastrintestinal prolongada, diurese exagerada,
Etiologia - hiperparatireoidismo, neoplasias (carcinoma, hiperaldosteronismo primário e hiperparatireoidismo,
leucemia, linfoma, mieloma múltiplo), sarcoidose, intoxicação particularmente depois de paratireoidectomia e quando largas
por Vitamina D, hipo e hipertireoidismo, síndrome do “milk- doses de Vitamina D e cálcio são consumidas.
alkali”, insuficiência adrenal.
Sinais e Sintomas - hiperirritabilidade neuromuscular e
Sinais e Sintomas - fraqueza, anorexia e vômitos, do SNC com movimentos atetóticos, balismos, tremores
constipação, sonolência, estupor, coma, cefaleia occipital, amplos (“flapping”), sinal de Babinski, nistagmo, taquicardia e
intervalo Q-T e segmento ST supranivelados no ECG, arritmias. arritmias ventriculares, hipertensão e distúrbios vasomotores.
Confusão, desorientação e inquietação podem estar em
Conduta - o objetivo final do tratamento deve ser dirigido destaque.
para eliminar a causa, se possível. O tratamento de urgência
das crises hipercalcêmicas inclui: hidratação com Soro Conduta - infusão parenteral de soluções eletrolíticas,
Fisiológico (SF) e diurese forçada com diuréticos (pode ser contendo magnésio (10 a 40 mEq/l/dia, durante o período de
suficiente nos casos leves). O sulfato de sódio (0,12 M) um (1) maior gravidade, seguindo-se manutenção com 10 mEq/dia).
litro em 4-6 horas, seguido de uma infusão adicional de três O sulfato de magnésio pode também ser dado por via IM (4 a 8
litros em vinte e quatro (24) horas. O sulfato de sódio é mais g / 66 a 133mEq, diariamente, divididos em quatro doses; os
eficiente que o SF, porém podem ocorrer hipernatremia, níveis séricos devem ser monitorizados para prevenir a
hipopotassemia e hipomagnesemia, apesar de sua ação ser de concentração superior a 5 - 5,5 mEq/l).
curta duração.
Outra opção para o tratamento da hipercalcemia grave são Questões
os fosfatos (K2HPO4 - 1,5 g em infusão EV, correndo durante 7
horas). Os fosfatos podem causar efeitos cardíacos letais, 01. A hipocalemia é caracterizada pela concentração sérica
sendo a sua administração Via Oral (VO) mais segura. Além de potássio inferior a 3,5 mEq/L de sangue. O monitoramento
disso os fosfatos podem causar insuficiência renal por contínuo dos níveis séricos de potássio e das funções cardíacas
depósito de cálcio no rim. São especialmente perigosos nos é muito importante para evitar complicações e intercorrências
pacientes com uremia. Os glicocorticóides podem ser úteis nos indesejáveis.
casos de metástases ósseas, porém não são efetivos nos casos ( ) Certo ( ) Errado
de hipercalcemia causada pelo excesso do hormônio da
paratireóide. Respostas

Alterações do magnésio 01. Resposta: Certo


A hipocalemia é a quantidade insuficiente de potássio no
O magnésio ocupa o segundo lugar, por ordem de interior das células.
importâncias, entre os cátions do LIC. Ele é indispensável para Pode ser provocado por:
as atividades enzimáticas e neuroquímicas, assim como para a - Uso de antibióticos,
excitabilidade dos músculos. Seus níveis plasmáticos variam - Diarreia,
entre 1,5 e 2,5 mEq/l. A regulagem dos níveis de magnésio é - Doenças renais que afetam a capacidade dos rins de
indireta, estando a cargo da eliminação renal, além de eliminar o excesso de k+ através da urina
depender do hormônio das paratireóides. As alterações dos
níveis de magnésio são, frequentemente, associadas a doenças Introdução à Anatomia Humana
graves e manifestam-se por sinais sugestivos de alterações das
funções neuromusculares. A anatomia é o estudo da forma e da constituição do corpo,
pré-requisito indispensável para o estudo da fisiologia dos
Hipermagnesemia órgãos. Seu estudo compreende tanto a evolução do indivíduo
desde a fase de zigoto até a velhice (ontogenia), como o
Etiologia - o excesso de magnésio é quase sempre o desenvolvimento de uma estrutura no reino animal (filogenia).
resultado de uma insuficiência renal e inabilidade em excretar

Anatomia e Fisiologia 5
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

A unidade fundamental do corpo é a célula. A união de Distal: situado mais distante à sua fixação ou sua origem
diversas células de mesma função dá origem aos tecidos. A Ínfero-medial: mais próximo dos pés e do plano mediano.
união de diversos tecidos origina os órgãos, que por sua vez Súperolateral: mais próximo do vértice e mais afastado do
originam os sistemas. plano mediano.
Ipsilateral: relação entre duas estruturas situadas do
A anatomia macroscópica pode ser estudada de duas mesmo lado do corpo.
formas: Contralateral: relação entre duas estruturas situadas em
(1) anatomia sistemática ou descritiva, que estuda os lados opostos do corpo.
vários sistemas separadamente e; Movimentos em plano coronal: abdução e adução;
(2) anatomia topográfica ou cirúrgica, que estuda todas as Movimentos em plano mediano: flexão e extensão;
estruturas de uma região e suas relações entre si. Movimentos em plano transverso: rotação.

Métodos de estudo Definições:


1. Inspeção: analisando através da visão. A análise pode Eixo: reta que passa pelo centro de um corpo e em volta da
ser de órgãos externos (ectoscopia) ou internos (endoscopia); qual esse corpo executa movimento de rotação.
2. Palpação: analisando através do tato é possível verificar Planos: superfície plana limitada.
a pulsação, os tendões musculares e as saliências ósseas,
dentre outras coisas; O Estudo da Fisiologia baseia-se no funcionamento dos
3. Percussão: através de batimentos digitais na superfície sistemas dos seres vivos , bem como dos processos físico-
corporal podemos produzir sons audíveis, que ajudam a químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas
determinar a composição de órgãos ou estruturas (gases, dos seres vivos sadios, ela pode ser subdividida em sistemas.
líquidos ou sólidos); nervoso, muscular, endócrino, cardiovascular, respiratório,
4. Ausculta: ouvindo determinados órgãos em digestório e urinário)
funcionamento (Ex.: coração, pulmão, intestino);
5. Mensuração: permite a avaliação da simetria corporal e Abordaremos nesse tópico a Anatomia e Fisiologia dos
de eventuais megalias; Sistemas.
6. Dissecção: consiste na separação minuciosa dos Fisiologia Respiratória
diferentes órgãos para uma melhor visualização;
7. Métodos de estudo por imagem: inclui os raios X, A respiração é fundamental para vida humana sendo
ecografia, ressonância nuclear magnética e tomografia responsável pela troca dos gases oxigênio(O2) e dióxido de
computadorizada. carbono (CO2) do organismo, com o meio ambiente.

Posição anatômica: Sistema Respiratório


É a posição usada para poder descrever a localização de Para receber o oxigênio (O2) presente na atmosfera e
uma lesão ou estrutura. eliminar dióxido de carbono (CO2), os seres humanos
Cabeça, olhos e palma das mãos (com dedos estendidos) precisam de todos os órgãos presentes no sistema
voltadas anteriormente. Braços unidos ao corpo. Membros respiratório para fazer as trocas gasosas. Os órgãos
inferiores unidos, pés paralelos e voltados anteriormente. responsáveis por este processo são: fossas
nasais, faringe, laringe, traquéia, brônquios e alvéolos
Planos anatômicos do corpo: pulmonares.
- Mediano: é o plano vertical que corta o corpo Nariz ou Fossas Nasais
longitudinalmente, dividindo-o em duas metades (direita e O ar ao chegar ao nariz é aquecido, umedecido e filtrado.
esquerda). O plano corta as linhas medianas das superfícies Faringe
anterior e posterior do corpo. Ao atingir a faringe, órgão atuante nos sistemas digestivo e
- Sagital: são planos verticais que atravessam o corpo respiratório, existe uma cartilagem denominada epiglote que
paralelamente ao plano mediano. trabalha como uma válvula impedindo que alimentos atinjam
- Coronal ou Frontal: são planos verticais que atravessam as vias respiratórias, e assim o ar é conduzido até a laringe.
o corpo formando ângulos retos com o plano mediano,
dividindo o corpo em parte anterior (frontal) e posterior Laringe
(dorsal).
- Transverso: são planos horizontais que atravessam o
corpo formando ângulos retos com os planos mediano e
frontal, dividindo o corpo em parte superior e inferior.

Termos de relação:
Superficial, intermediário e profundo: ajuda a definir a
posição de uma estrutura.
Medial: próxima ou mais próxima do plano mediano do
corpo.
Lateral: está mais afastado do plano mediano.
Anterior: na face anterior, frontal ou ventral do corpo.
Posterior: na face posterior ou dorsal do corpo.
Dorso: face posterior ou dorsal de qualquer parte do corpo
que se projete anteriormente.
Caudal: região glútea.
Superior: situado mais próximo ao vértice ou do ponto
mais alto do crânio.
Inferior: situado mais próximo à planta dos pés.
Proximal: situado mais próximo à sua fixação ou sua
origem. Órgãos do sistema respiratório

Anatomia e Fisiologia 6
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

A laringe além de conduzir o ar que se dirige aos pulmões, Ritmo Respiratório


é o local onde se localizam as cordas vocais fundamentais para O controle da respiração é realizado pelo centro
a fala. respiratório localizado no Bulbo raquidiano, que se
caracteriza principalmente nas concentrações de gás
Traquéia carbônico presente no sangue.
A traquéia, um tubo elástico de aproximadamente 12 cm, Quando a concentração de gás carbônico está alta a
constituído por anéis de cartilagem, conduz o ar que esta consequência é a frequência respiratória aumentar.
dentro do tórax até se dividirem formando os brônquios. Do contrário quando a concentração do gás carbônico esta
baixa a frequência cai.
Brônquios
Os brônquios são formados por 2 ramificações da traquéia A Importância da Respiração
que chegam até os pulmões. Entram nos pulmões onde sofrem A respiração é fundamental para manter o bom
várias bifurcações sendo transformados em bronquíolos. funcionamento dos pulmões e de todo corpo humano, sendo
essencial para a vida.
Alvéolos pulmonares A respiração correta gera uma série de benefícios ao
Formadas por células epiteliais com características organismo onde produzem pressões no ventre que atuam de
achatadas os alvéolos pulmonares são pequenos sacos forma eficiente e direta melhorando a digestão.
localizados no final dos menores bronquíolos. São rodeados de Também contribui para eliminar as toxinas que se formam
vasos sanguíneos, onde ocorre a hematose (trocas gasosas). no corpo, modificando os resíduos, equilibrando as funções
orgânicas e ajudando no fortalecimento de organismos
Pulmões debilitados.
Os pulmões são órgãos esponjosos, envolvidos por uma Estudos relatam que tornar a respiração mais lenta e
camada de tecido denominado pleura. São constituídos pelos profunda ajuda a acalmar e relaxar o organismo, diminuindo
bronquíolos, alvéolos e vasos sanguíneos. as batidas do coração. Além disso, a respiração correta ajuda
melhorar a elasticidade dos pulmões, mantendo um bom
Transporte dos gases respiratórios equilíbrio entre os gases no corpo.
O oxigênio é transportado pela hemoglobina, uma
metaloproteína constituída de ferro, que está presente Sistema Cardiovascular
nas hemácias (glóbulos vermelhos).
O oxigênio dentro dos alvéolos pulmonares difunde-se até A posição anatômica do coração
os capilares sanguíneos penetrando nas hemácias, onde se liga O coração localiza-se na cavidade torácica, no mediastino.
com a hemoglobina, sendo o gás carbônico jogado para fora. Dois terços do seu volume estão situados à esquerda da linha
Este processo denomina-se hematose. sagital mediana. Esta posição, chamada de levocárdica, é a
O processo nos tecidos acontece quando o gás oxigênio mais frequente. Variações na posição do coração em relação ao
desliga-se das moléculas de hemoglobina sendo difundido pelo tórax podem ocorrer. A forma do coração é aproximadamente
líquido tissular chegando até as células. As células liberam o cônica, com a base voltada para trás e para a direita, e o ápice
gás carbônico que reage com a água formando o ácido para a frente e para a esquerda.
carbônico que logo é difundido no plasma do sangue. - Anteriormente, o coração relaciona-se com os pulmões, o
esterno, costelas e músculos intercostais;
Movimentos Respiratórios - Inferiormente com o diafragma;
O processo de respiração é dividido em dois movimentos: - Posteriormente com a aorta descendente, esôfago e veia
ázigos;
Inspiração: Através da contração do diafragma e dos - Lateralmente com os pulmões, hilos pulmonares, nervos
músculos intercostais, a inspiração, promove a entrada de ar frênicos e vagos.
dentro do organismo. O ar inspirado contém cerca de 20% de
oxigênio e apenas 0,04% de gás carbônico. Situado dentro do tórax, num espaço chamado de
mediastino que fica entre os dois pulmões (limites laterais),
Expiração: Através do relaxamento do diafragma e dos por cima do diafragma (limite inferior), na frente da coluna
músculos intercostais, a expiração, promove a saída de ar dos vertebral, em sua porção torácica, e por trás do osso esterno.
pulmões. O ar expirado contém 16% de oxigênio e 4,6 % de gás
carbônico. A Grande e Pequena Circulação
A Grande Circulação, ou circuito sistêmico, é a designação
dada à parte da circulação sanguínea que se inicia no
ventrículo esquerdo. Dali, o sangue (sangue arterial) é
bombeado pela contração do ventrículo esquerdo para a aorta.
Esta divide-se para os órgãos principais do nosso corpo (com
exceção dos pulmões), onde se utiliza o oxigênio. O sangue
venoso ou seja, o que é pobre em oxigênio, (nesta etapa da
circulação, já que o mesmo não acontece na pequena
circulação) volta ao coração pelas veias cavas, introduzindo-se
assim no átrio direito. Do átrio o sangue passa para o
ventrículo direito através do orifício atrioventricular, onde
existe a válvula tricúspide. Assim, a grande circulação começa
no ventrículo esquerdo e termina no átrio direito.
Na Pequena Circulação, o sangue venoso que se encontra
no ventrículo direito vai para as artérias pulmonares
dirigindo-se para os pulmões, onde se realiza a hematose
Movimentos de inspiração e expiração. pulmonar. O sangue arterial volta ao coração através das 4
Ilustração: OpenStax College [CC-BY-3.0], via Wikimedia veias pulmonares, entrando no átrio esquerdo.
Commons

Anatomia e Fisiologia 7
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Divisões do pericárdio e sua função tricúspide tem inserção mais apical. Isso resulta na área
O coração está contido no pericárdio, que é um saco fibro- conhecida como septo atrioventricular.
seroso de parede dupla, através do qual relaciona-se com o A desembocadura do seio venoso coronário situa-se
coração e as raízes de seus grandes vasos. O pericárdio é posteriormente e medialmente à desembocadura da veia cava
constituído por duas lâminas: a parietal e a visceral. A primeira inferior, junto à transição atrioventricular. Nessa região
apresenta uma porção externa e resistente, chamada de podem ser encontrados remanescentes de valvas venosas,
pericárdio fibroso, que é praticamente inextensível, sendo sendo a de Eustáquio junto à cava inferior e a de Thebesius
composta por uma densa camada de feixes colágenos e fibras relacionada ao seio coronário.
elásticas. A aurícula direita (ou apêndice atrial) é uma projeção da
O pericárdio parietal é revestido internamente por uma cavidade atrial em “dedo de luva”, que recobre o sulco AV à
serosa. Ele envolve o coração como se fosse uma bolsa desde o direita. A superfície interna da aurícula direita, possui traves
ápice até a base, onde se funde com a adventícia dos grandes musculares paralelas que se estendem posteriormente, a
vasos. Inferiormente, o pericárdio fibroso confunde-se com o chamada musculatura pectínea, terminando em uma banda
centro tendíneo do diafragma, ao qual está firmemente muscular transversa e bastante proeminente chamada de
aderido formando o ligamento freno pericárdico. O pericárdio crista terminal.
fibroso, posteriormente, é fixado por tecido conectivo frouxo
às estruturas do mediastino superior, relacionando-se com a Ventrículo direito:
aorta torácica e com o esôfago. Em suas faces laterais adere à A cavidade ventricular direita possui um formato
pleura mediastinal, exceto quando dela separado pelos nervos triangular e possui 3 porções bem distintas: a via de entrada,
frênicos, formando a membrana pleuropericárdica. que compreende o aparelho valvar atrioventricular, a porção
trabecular ou apical, e a via de saída.
A lâmina visceral ou epicárdio, está densamente aderida à No ventrículo direito, as trabéculas são grosseiras,
superfície das câmaras cardíacas. O pericárdio seroso é um ocupando toda a parede livre e a superfície septal, dando um
saco fechado e invaginado, sendo normalmente virtual a aspecto esponjoso à parede. Uma trabécula em particular, se
cavidade delimitada entre suas duas lâminas, a qual contém sobressai das demais, pela forma e localização. É a trabécula
líquido pericárdico que lubrifica as superfícies, diminuindo o septo marginal, em forma de "Y", que se situa no septo
atrito durante os movimentos cardíacos. As lâminas do ventricular, no limite entre a porção trabecular e a via de saída.
pericárdio fundem-se próximo aos vasos da base, refletindo-se Na extremidade mais apical da trabécula septo marginal existe
para o coração. No interior da cavidade pericárdica uma banda muscular que une o músculo papilar anterior ao
encontram-se dois recessos ou seios: o seio transverso, que se septo ventricular, chamada de banda moderadora. Entre os
apresenta como um túnel entre a superfície dos átrios e a dois "braços" da trabécula septo marginal situa-se o septo
superfície posterior das grandes artérias, e o seio oblíquo, infundibular que, em continuidade com uma prega muscular
localizado junto ao átrio esquerdo e limitado pela reflexão do situada na parede livre, constitui a chamada crista
pericárdio em torno das veias pulmonares e da veia cava supraventricular. Esta estrutura separa a via de entrada da via
inferior. de saída, distanciando a valva tricúspide da pulmonar. O
A vascularização do pericárdio é realizada pelos ramos tronco da artéria pulmonar emerge, portanto, suportado por
pericardicofrênicos das artérias torácicas internas e através um infundíbulo completamente muscular e liso. A via de saída
dos ramos pericardíacos das artérias brônquicas, esofágicas e termina na valva pulmonar, que separa o VD da artéria
frênica superior. Esses vasos apresentam anastomoses pulmonar.
extracardíacas com as artérias coronárias. O pericárdio seroso, O Ventrículo direito contém 3 músculos papilares, que se
em sua lâmina visceral ou epicárdio, é irrigado pelas artérias projetam para a cavidade e suportam as cordas tendíneas que
coronárias. A inervação do pericárdio faz-se pelos nervos de se ligam as bordas dos folhetos da valva tricúspide. Os folhetos
ramos oriundos do nervo frênico que contêm fibras por sua vez se ligam a um anel fibroso que sustenta o aparelho
vasomotoras e sensitivas. valvar entre o átrio e o ventrículo.

Conhecer as relações anatômicas das cavidades Átrio esquerdo:


cardíacas O septo atrial, visto pelo lado esquerdo, não mostra pontos
marcantes. As paredes do átrio esquerdo também são mais
Átrio direito: espessas e mais lisas, estando as trabéculas restritas ao
O Átrio Direito recebe a veia cava superior e inferior e o apêndice atrial que possui um formato diferente da aurícula
seio coronário. As veias cavas canalizam o sangue venoso direita, geralmente de borda chanfrada, com projeção
sistêmico e o seio coronário retorna sangue das coronárias. A digitiforme de sua extremidade, além de uma base mais
parede medial e posterior do átrio direito é o septo Inter atrial estreita com um colo, separando mais nitidamente a aurícula
que separa o átrio esquerdo do direito. O assoalho do átrio do resto da cavidade atrial, ao contrário do que ocorre à
direito é a valva tricúspide, que se abre no ventrículo direito. direita. Quatro veias pulmonares deságuam no átrio esquerdo.
Visto pelo lado direito, o septo atrial apresenta uma
estrutura característica, a fossa oval, a qual exibe contorno Ventrículo esquerdo:
saliente e região central constituída por uma lâmina delicada. A cavidade ventricular esquerda possui uma forma cônica
A porção mais anterior dessa lâmina pode não estar e trabéculas mais finas de aspecto entrelaçado e concentradas
completamente aderida à borda da fossa oval, constituindo o próximo ao ápice. A face septal é mais lisa, desprovida de
chamado forame oval patente. Esta comunicação, patente na trabéculas. A espessura das paredes ventriculares é 3 vezes
vida intrauterina, pode também ser encontrada em até 1/4 dos maior que a do ventrículo direito. Outra característica é a
adultos normais, não levando a uma passagem de fluxo da difícil delimitação das porções ventriculares, já que a via de
direita para a esquerda, em virtude da pressão mais elevada entrada, formada pelo aparelho valvar mitral é contíguo à via
existente no átrio esquerdo. de saída, sendo o tecido da valva aórtica praticamente uma
Deve-se observar que a porção mais baixa do átrio direito continuação do folheto anterior da valva mitral.
está separada do ventrículo esquerdo, por uma porção de A câmara ventricular contém 2 músculos papilares
tecido fibroso que se continua com o septo interventricular, grandes. As cordas tendíneas também são mais espessas,
chamada de septo fibroso. Isso ocorre devido os diferentes apesar de menos numerosas.
níveis de implantação das valvas tricúspide e mitral. A valva

Anatomia e Fisiologia 8
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Em secções cardíacas transversais ao nível dos ventrículos 2- Artéria subclávia direita.


podemos observar que o perfil do ventrículo esquerdo é
circular e que, portanto, o septo ventricular mostra A artéria subclávia (direita ou esquerda), logo após o se
convexidade em direção ao ventrículo direito. início, origina a artéria vertebral que vai auxiliar na
Topograficamente, as vias de saída ventriculares não são vascularização cerebral, descendo em direção a axila ela, a
paralelas, de tal forma que, ao se cortar longitudinalmente o subclávia, recebe o nome de artéria axilar, e quando
infundíbulo ventricular direito secciona-se a aorta finalmente atinge o braço seu nome muda de novo mas agora
perpendicularmente. Do mesmo modo, cortes que mostrem a para artéria braquial (umeral). Na região do cotovelo ela emite
raiz e a porção inicial da aorta ascendente em seu maior eixo dois remos terminais que são as artérias radial e ulnar que vão
exibem o infundíbulo subpulmonar em transversal. percorrer o antebraço. Na mão essas duas artérias se
anastomosam formando um arco palmar profundo que origina
Estrutura do coração: as paredes dos átrios são mais as artérias digitais palmares comuns e as artérias
membranáceas e muito delgadas, enquanto que as dos metacarpianas palmares que vão se anastomosar. As artérias
ventrículos são evidentemente constituídas por fibras digitais palmares originam as artérias digitais palmares
musculares e bastante espessa. próprias para cada dedo.
As fibras musculares do coração são estriadas, porém são
inervadas pelo sistema nervoso autônomo e por isso Artéria carótida comum (esquerda ou direita): esta
funcionam independentes da vontade. artéria se ramifica em:
Interiormente, nas paredes dos átrios e dos ventrículos, 1- Artéria carótida interna (direita ou esquerda);
encontramos trabéculas cárneas (feixes de fibras musculares), 2- Artéria carótida externa (direita ou esquerda).
que fazem saliência na superfície interna das cavidades.
Artéria carótida interna: penetra no crânio através do
Essas trabéculas cárneas podem ser de três tipos: canal carotídeo dando origem a três ramos colaterais: artéria
oftálmica, artéria comunicante posterior e artéria corióidea
1-Trabéculas cárneas de primeira ordem: são os posterior. E mais dois ramos terminais: artéria cerebral
músculos papilares. anterior e artéria cerebral média.
2-Trabéculas cárneas de segunda ordem: são os
músculos pectíneos, que são encontrados nos átrios, Artéria carótida externa: irriga pescoço e face. Seus ramos
principalmente nas aurículas. colaterais são: artéria tireoide superior, a. lingual, a. facial, a.
3-Trabéculas cárneas de terceira ordem: são as colunas occipital, a. auricular posterior e a. faríngea ascendente. Seu
colocadas paralelamente à superfície interna das cavidades e ramos terminais são: artéria temporal e artéria maxilar.
apenas fazem saliência nessas paredes.
Artéria aorta porção torácica: Após a curva ou arco aórtico,
Deve-se recordar que todos esses acidentes são recobertos a artéria começa a descer do lado esquerdo da coluna vertebral
por uma fina membrana, praticamente transparente, que é o dado origem aos ramos:
endocárdio. Por outro lado, deve-se ter presente que a parede
do ventrículo esquerdo é sempre mais espessa que a do Viscerais (nutrem os órgãos):
direito. 1- Pericárdicos;
2- Bronquiais;
Endocárdio: lâmina interna fina ou membrana de 3- Esofágicos;
revestimento do coração q também cobre suas valvas. 4- Mediastinais; Parietais (irrigam a parede dos órgãos):
Miocárdio: lâmina média espessa composta de músculo 5- Intercostais posteriores;
cardíaco. 6- Subcostais
Epicárdio: lâmina externa fina formada pela lâmina 7- Frênicas superiores.
visceral do pericárdio seroso.
Artéria aorta parte abdominal: Ao atravessar o hiato
Os vasos da base do coração aórtico do diafragma até a altura da quarta vértebra lombar,
onde termina, a aorta é representada pela porção abdominal.
Sistema do tronco pulmonar: Nesta porção a aorta fornece vários ramos colaterais e dois
O tronco pulmonar sai do coração pelo ventrículo direito e terminais.
se bifurca em duas artérias pulmonares, uma direita e outra
esquerda. Cada uma delas se ramifica a partir do hilo pulmonar Veias da circulação pulmonar (ou pequena circulação): As
em artérias segmentares pulmonares. Este sistema leva veias que conduzem o sangue que retorna dos pulmões para o
sangue venoso para os pulmões para que ocorra a troca de gás coração após sofrer a hematose (oxigenação), recebem o nome
carbônico por oxigênio. de veias pulmonares. São quatro veias pulmonares, duas para
cada pulmão, uma direita superior e uma direita inferior, uma
Sistema da aorta (sangue oxigenado): esquerda superior e uma esquerda inferior. As quatro veias
A artéria aorta sai do ventrículo esquerdo e se ramifica na pulmonares vão desembocar no átrio esquerdo. Estas veias
porção ascendente em duas artérias coronárias, uma direita e são formadas pelas veias segmentares que recolhem sangue
outra esquerda que vão irrigar o coração. Logo em seguida a venosos dos segmentos pulmonares.
artéria aorta se encurva formando um arco para a esquerda
dando origem a três artérias (artérias da curva da aorta) sendo Veias da circulação sistêmica (ou da grande circulação):
elas: duas grandes veias desembocam no átrio direito trazendo
1- Tronco braquiocefálico arterial; sangue venoso para o coração são elas veia cava superior e
2- Artéria carótida comum esquerda; veia cava inferior. Temos também o seio coronário que é um
3- Artéria subclávia esquerda. amplo conduto venoso formado pelas veias que estão trazendo
sangue venoso que circulou no próprio coração.
O tronco braquiocefálico arterial origina duas
artérias: Veia cava superior: origina-se dos dois troncos
1- Artéria carótida comum direita; braquiocefálicos (ou veia braquiocefálica direita e esquerda).

Anatomia e Fisiologia 9
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Cada veia braquiocefálica é constituída pela junção da veia 8mm dela, na face atrial. No local, observa-se uma pequena
subclávia (que recebe sangue do membro superior) com a veia proeminência linear, que costuma salientar-se com a idade.
jugular interna (que recebe sangue da cabeça e pescoço). A
veia cava inferior é formada pelas duas veias ilíacas comuns O perímetro da valva tricúspide varia normalmente de 10
que recolhem sangue da região pélvica e dos membros a 12 cm. A cúspide anterior é a mais longa, seguida em
inferiores. extensão pela cúspide posterior e depois pela septal. O nome
O seio coronário recebe sangue de três principais veias do das cúspides deriva de sua relação espacial com as paredes do
coração: veia cardíaca magna, veia cardíaca média e veia ventrículo direito. Os músculos papilares do ventrículo direito
cardíaca parva ou menor ou pequena. mostram variação quanto ao número. Há, entretanto, um que
é constante e em geral o mais desenvolvido situado na parede
Conhecer os sulcos e septos do coração livre do ventrículo direito, denominado músculo papilar
anterior, já citado anteriormente. Por vezes observa-se, entre
As partes lisas e rugosas da parede do átrio são separadas os braços da trabécula septo marginal, a presença de um
externamente por um SULCO vertical raso, o sulco terminal, e, pequeno músculo papilar, o chamado "músculo de Lancisi",
internamente, por uma crista vertical, a crista terminal. Há um onde se inserem as cordas da comissura ântero-septal da valva
sulco terminal na veia cava inferior, um sulco coronário e tricúspide. Quando ausentes, as cordas comissurais
outro interventricular posterior. (veias) convergem diretamente para a musculatura septal, um achado
aliás encontrado em diversos pontos ao longo das cúspides
O septo inter atrial separa os átrios e possui uma septal e posterior, e que ajuda a caracterizar a valva como
depressão oval do tamanho da impressão digital do polegar, o tricúspide e o ventrículo como morfologicamente direito.
forame oval e sua válvula no feto no átrio direito.
A valva mitral tem sua circunferência variando entre 8 e 10
O septo interventricular é composto de partes cm, apresentando duas cúspides. A anterior é a maior,
membranácea e muscular, é uma partição forte situada mostrando formato grosseiramente triangular e apresentando
obliquamente entre os ventrículos direito e esquerdo, grossas cordas de sustentação, conforme já descrito. A cúspide
formando parte das paredes de cada um. posterior é dividida em três bolsões proeminentes, separados
- A parte súpero-posterior do septo é fina e membranácea entre si por pequenas fendas também guarnecidas por cordas
e é contínua com o esqueleto fibroso do coração, q forma a em leque. Caracteristicamente, as cordas da mitral convergem
maior parte do septo. É onde ocorrem defeitos do septo para o topo dos músculos papilares do ventrículo esquerdo,
interventricular. com exceção de poucas cordas basais da cúspide posterior, que
- A parte muscular é espessa e salienta-se na cavidade do se inserem diretamente na musculatura da via de entrada
ventrículo direito por causa da pressão sanguínea, mais alta no ventricular. O septo ventricular é, no entanto, sempre livre de
ventrículo esquerdo. inserções cordais. Há dois grupos de músculos papilares, um
A trabécula septo marginal (faixa moderadora) é um situado ântero-lateralmente e o outro póstero-medialmente.
fascículo muscular curvo q corre da parte inferior do septo Na sua base, esses dois grupos musculares são contíguos,
interventricular para a base do músculo papilar anterior. Esta embora haja a falsa impressão de que eles são separados, em
trabécula é importante porque carrega parte do ramo direito virtude da maneira como habitualmente se abre o coração
do fascículo atrioventricular, uma parte do complexo para estudo anatômico.
estimulante do coração para o músculo papilar anterior.
Valvas arteriais
O septo atrioventricular separa o átrio do ventrículo (ver
questão acima sobre átrios). Tanto a valva da aorta quanto a do tronco pulmonar
apresentam três válvulas ou folhetos semilunares, cada um
Conhecer o mecanismo valvar do coração deles inserindo-se em uma linha com formato de "U",
superiormente na túnica média da grande artéria
Valvas atrioventriculares correspondente e inferiormente no miocárdio da via de saída
As valvas tricúspide c mitral estão inseridas cada uma em do ventrículo. A valva aórtica, em particular, apresenta uma
um anel fibroso que usualmente não é contínuo ao nível da área onde é contínua com a cúspide mitral anterior, conforme
transição atrioventricular, principalmente à direita. São já descrito, e também com o septo membranoso, o que torna
constituídas por cúspides de tamanho e extensão variáveis, as sua inserção inferior não muscular, mas fibrosa nos pontos
quais estão presas por cordas tendíneas aos músculos citados.
papilares, ou, como é observado na tricúspide, diretamente na O conceito de "anel" das valvas arteriais fica, portanto,
superfície do septo ventricular. As cúspides são constituídas comprometido, pois não existe uma linha circular contínua de
por tecido conjuntivo frouxo.com variável quantidade de inserção valvular, como ocorre com as valvas
colágeno, proteoglicanos e fibras elásticas. A partir da face atrioventriculares. Do ponto de vista cirúrgico, entretanto,
atrial, identificam-se histologicamente duas camadas: a costuma-se considerar como "anel" da valva aórtica uma
esponjosa, mais frouxa, e a fibrosa. As cordas tendíneas são circunferência que passa pelo limite inferior da inserção de
classificadas de acordo com a região de sua inserção na cada um dos folhetos semilunares.
cúspide, a saber: cordas da borda livre, cordas da zona rugosa Em cada diástole, os folhetos semilunares abaúlam pelo
e cordas basais. As cordas mais espessas são geralmente as da enchimento com sangue, formando os seios de Valsalva. Dois a
zona rugosa, uma região da face ventricular das cúspides que dois, os folhetos encontram-se nas comissuras, que se
fica entre a borda livre e a área mais lisa (basal), junto à prendem na parede arterial. A linha de fechamento das valvas
inserção no anel fibroso. Há, na valva mitral, duas cordas que arteriais também não coincide com a borda livre, a exemplo do
se salientam pela sua espessura, sendo denominadas cordas que ocorre nas valvas atrioventriculares. No ponto médio da
estruturais. Há, ainda, as chamadas cordas comissurais, que borda de cada folheto há, na face ventricular, um pequeno
apresentam-se em forma de leque e definem o local das nódulo, chamado nódulo de Arantius.
comissuras, tanto na tricúspide como na mitral. A linha de Os folhetos da valva do tronco pulmonar recebem nomes
fechamento valvar não coincide com a borda livre das de acordo com sua distribuição topográfica. Há um anterior e
cúspides, mas situa-se a uma distância que varia de 2mm a dois posteriores, dos quais um é direito e outro esquerdo. Já os
folhetos da valva aorta são designados conforme os seios de

Anatomia e Fisiologia 10
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Valsalva correspondentes e de acordo com a origem das interventricular. Próximo do ápice do coração, a artéria
artérias coronárias (coronariano direito, coronariano coronária direita anastomosa-se com os ramos circunflexo e
esquerdo e não coronariano). É importante conhecer as interventricular anterior da artéria coronária esquerda.
relações topográficas de cada um dos seios de Valsalva.
A estrutura histológica das valvas aórtica e pulmonar é Ela supre:
semelhante. Na face ventricular de cada válvula há tecido Átrio direito
conjuntivo frouxo, com aspecto mixomatoso, e na face arterial A maior parte do ventrículo direito
uma camada mais densa, a fibrosa, delimitada por fibras Parte do ventrículo esquerdo (fase diafragmática)
elásticas. Parte do septo atrioventricular (terço posterior)
O nó sinoatrial (aproximadamente 60% das pessoas)
Esqueleto fibroso do coração O nó atrioventricular (aproximadamente 80% das
A função do esqueleto fibroso do coração é sustentar as pessoas)
valvas atrioventriculares e ancorá-las à massa ventricular.
O esqueleto fibroso do coração compõe-se de tecido Artéria coronária esquerda (ACE) origina-se do seio
fibroso ou fibrocartilaginoso. Fazem parte do esqueleto esquerdo da parte ascendente da aorta e passa entre a aurícula
fibroso os anéis das valvas mitral, tricúspide e aórtica, o corpo esquerda e o tronco pulmonar no sulco coronário. Ela divide-
fibroso central, o septo membranoso, o tendão do cone e os se em 2 ramos, um ramo interventricular anterior (ramo
trígonos fibrosos anterior e posterior. A valva pulmonar, cujas descendente anterior esquerdo, vai em direção ao ápice do
válvulas apoiam-se diretamente na musculatura do trato de coração, supre ambos os ventrículos e o septo
saída do ventrículo direito, não apresenta suporte fibroso, mas interventricular) e um ramo circunflexo. Em muitas pessoas o
está unida ao esqueleto fibroso pelo tendão do cone. ramo interventricular anterior origina-se de um ramo lateral
É importante ressaltar que o conceito clássico pelo qual os (diagonal). O ramo circunflexo menor da artéria coronária
anéis valvares são estruturas circulares bem definidas, esquerda segue o sulco coronário em torno da margem
situadas ao redor dos orifícios atrioventriculares ou no ponto esquerda até a face posterior do coração.
de inserção das valvas arteriais é impróprio, do ponto de vista A artéria marginal esquerda, um ramo circunflexo, supre o
anatomofisiológico. Assim, o termo anel usado neste estudo ventrículo esquerdo.
refere-se a uma estrutura que está longe de ser circular
contínua perfeita. Ela supre:
Entre os anéis das valvas mitral e aórtica encontra-se a Átrio esquerdo
região mais resistente do esqueleto, na continuidade fibrosa A Maior parte do ventrículo esquerdo
mitro-aórtica, que apresenta em suas margens espessamentos Parte do ventrículo direito
adicionais que constituem os trígonos fibrosos anterior e A maior parte do septo interventricular
posterior. O nó sinoatrial (em +- 40% das pessoas)
A unidade mitro-aórtica apresenta um prolongamento que
a une ao anel valvar tricúspide, constituindo o corpo fibroso
central que inclui o trígono fibroso posterior e o septo O coração é drenado principalmente pelas veias que
membranoso. desembocam no seio coronário e parcialmente pelas pequenas
Embora existam padrões mais frequentes, há variações no veias q desembocam no átrio direito.
posicionamento dos anéis valvares em corações normais, que
via de regra não acarretam maiores problemas, sobretudo O seio coronário, a principal veia do coração, é um canal
quando relacionadas à função e ao desempenho cardíaco. São venoso amplo que corre da esquerda para a direita na parte
as chamadas variações da normalidade, cujo conhecimento é posterior do sulco coronário. Ele recebe a veia interventricular
importante para identificá-las em situações de diagnóstico por anterior ou veia cardíaca magna na sua extremidade final. A
imagem e tratamento cirúrgico. veia ventricular esquerda posterior e a veia marginal esquerda
também se abrem no seio coronário.
Vascularização do coração e sua importância clínica
Os vasos sanguíneos do coração compreendem as artérias Veia cardíaca magna: é a tributária principal do seio
coronárias e as veias cardíacas, q conduzem sangue para e coronário. Começa próximo do ápice do coração e sobe com o
proveniente da maior parte do miocárdio, q recebem tanto ramo interventricular anterior da artéria coronária esquerda.
inervação simpática quanto parassimpática. Ela se curva para a esquerda e corre com o ramo circunflexo,
drenando a maioria das áreas supridas pela artéria coronária
Artérias coronárias: primeiros ramos da aorta, suprem, o esquerda.
miocárdio e o epicárdio do coração. As coronárias direita e
esquerda originam-se dos seios correspondentes da parte Veias cardíacas média e parva: drenam a maioria das
ascendente da aorta, imediatamente superior à valva da aorta. áreas supridas pela artéria coronária direita.
Elas suprem ambos os átrios (são mt peq e quase não
aparecem) e ventrículos. Veia oblíqua do átrio esquerdo: insignificante nos
adultos e importante no período fetal, é um vaso pequeno e um
Artéria coronária direita (ACD) origina-se no seio vestígio da veia cava superior esquerda embrionária.
direito da parte ascendente da aorta e corre no sulco coronário
ou atrioventricular. Veias cardíacas mínimas: são vasos diminutos q
Ela emite um ramo próximo a sua origem, q é o ramo do nó começam nos leitos capilares do miocárdio e abrem-se
sinoatrial (AS) ascendente q supre o nodo sinoatrial. E na cruz diretamente nas câmaras do coração, principalmente nos
do coração, o ramo q supre o nó átrio ventricular. átrios. Embora chamadas veias, elas são destituídas de
Emite um ramo marginal direito q supre a margem direita comunicações por válvulas com os leitos capilares do
do coração em direção ao ápice do coração, mas não o alcança. miocárdio e podem conduzir sangue das câmaras do coração
Emite a grande artéria interventricular posterior q desce para o miocárdio. Elas também podem fornecer uma
no sulco interventricular posterior em direção ao ápice do circulação colateral para partes na musculatura do coração.
coração. Esse ramo supre ambos os ventrículos e envia ramos
septais interventriculares perfurantes para o septo

Anatomia e Fisiologia 11
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Veias cardíacas anteriores: são diversas pequenas veias pelo lado direito do septo interventricular, e outro esquerdo
q começam na face anterior do ventrículo direito e termina no que perfura o septo, para descer pala sua face esquerda.
átrio direito após cruzar o sulco coronário. 4- Plexo subendocárdio: os ramos direito e esquerdo do
fascículo atrioventricular, fornecem inúmeros ramos
Definição infarto do miocárdio colaterais e terminais, que constituem uma verdadeira rede
Infarto do miocárdio está relacionado a uma área do situada logo abaixo do endocárdio, que é o plexo
miocárdio que sofreu necrose. A causa mais comum da doença subendocárdio.
isquêmica do coração (ausência de suprimento sanguíneo
adequado) é a insuficiência coronária que resulta da Ciclo cardíaco
aterosclerose das artérias coronárias. A aterosclerose é o O ciclo cardíaco constitui as ações de bombeamento
resultado do acúmulo de lipídios nas paredes internas das simultâneo das duas bombas (câmara direita e esquerda)
artérias coronárias. A medida que a aterosclerose coronária atrioventricular (AV), ou melhor, é a sequência de fatos que
progride, os canais colaterais que ligam uma artéria coronária acontece a cada batimento cardíaco. Resumidamente, o
a outra se expandem, permitindo que a perfusão adequada do coração ciclicamente se contrai e relaxa. Quando se contrai,
coração continue. A despeito do mecanismo de compensação, ejeta o sangue em direção das artérias, na fase chamada de
o miocárdio pode não receber oxigênio suficiente quando o sístole. Quando relaxa, recebe o sangue proveniente das veias,
coração precisa realizar quantidades maiores de trabalho. A na fase chamada diástole.
insuficiência do suprimento sanguíneo para o coração
(isquemia miocárdica) pode resultar em uma área de necrose Sístole é a contração do músculo cardíaco, temos a sístole
do miocárdio. atrial que impulsiona sangue para os ventrículos. Assim as
valvas atrioventriculares estão abertas à passagem de sangue
Inervação do coração e a pulmonar e a aórtica estão fechadas. Na sístole ventricular
A inervação do músculo cardíaco é de duas formas: as valvas atrioventriculares estão fechadas e as semilunares
extrínseca que provém de nervos situados fora do coração e abertas para a passagem de sangue.
outra intrínseca que constitui um sistema só encontrado no
coração e que se localiza no seu interior. A inervação Diástole é o relaxamento do músculo cardíaco, é quando
extrínseca deriva do sistema nervoso autônomo, isto é, os ventrículos se enchem de sangue, neste momento as valvas
simpático e parassimpático. A inervação intrínseca ou sistema atrioventriculares estão abertas e as semilunares estão
de condução do coração, não é constituída só por fibras fechadas.
nervosas, mas sim por um tecido diferenciado conhecido por O ciclo cardíaco compreende:
tecido nodal. 1- Sístole atrial;
O coração é suprido pelas fibras nervosas autônomas 2- Sístole ventricular;
provenientes dos plexos cardíacos superficial e profundo. 3- Diástole ventricular.
Estas redes nervosas situam-se anteriores à bifurcação da
traquéia, posteriores à parte ascendente da aorta e superiores Locais de ausculta das bulhas cardíacas
à bifurcação do tronco pulmonar.
Focos de ausculta
Suprimento simpático: é proveniente das fibras pré e - Foco MITRAL: 5º espaço intercostal esquerdo
pós-ganglionares. O estímulo simpático do tecido nodal medialmente a linha hemiclavicular;
aumenta a freqüência cardíaca e a força de suas contrações. - Foco TRICÚSPIDE: 5º espaço intercostal direito rente ao
Esse estímulo, indiretamente, produz dilatação das artérias esterno, podendo variar para o 5º espaço intercostal esquerdo
coronárias inibindo sua constrição. Isto fornece mais oxigênio rente ao esterno ou para a região do processo xifoide;
e nutrientes para o miocárdio durante períodos de atividade - Foco AÓRTICO: 2º espaço intercostal direito rente ao
aumentada. esterno;
- Foco PULMONAR: 2º espaço intercostal esquerdo rente
Suprimento parassimpático: é proveniente das fibras ao esterno.
pré-ganglionares do nervo vago. As pós–ganglionares também
terminam nos nós sinoatrial e atrioventricular e diretamente Derrame pericárdio
nas artérias coronárias. O estímulo dos nervos Derrame pericárdico – quando há um aumento da
parassimpáticos diminui a freqüência cardíaca, reduz a força quantidade de líquido pericárdico, comprimindo o coração e
do batimento cardíaco e constringe as artérias coronárias, dificultando seus batimentos. Quando a quantidade de líquido
economizando energia entre períodos de demanda é grande, ocorre importante perda de capacidade do coração,
aumentados. numa situação chamada de tamponamento cardíaco, que é
uma condição potencialmente letal porque o pericárdio
O sistema de condução do coração fibroso se torna consistente e sem elasticidade. O
Sistema de condução do coração ou inervação intrínseca é tamponamento cardíaco também pode resultar de hemorragia
um complexo estimulante do coração, que coordena o ciclo no interior da cavidade da cavidade do pericárdio após
cardíaco. Consiste em células musculares cardíacas e fibras de operação do coração; de ferimentos a faca que perfuram o
condução altamente especializadas para os impulsos iniciais e coração fazendo com que o sangue entre na cavidade do
os conduzem rapidamente através do coração. pericárdio. O excesso de líquido pericárdico não permite ao
coração expandir-se completamente, limitando assim o influxo
Esse tecido nodal está distribuído por quatro formações: de sangue para os ventrículos.
1- Nó sinoatrial: situa-se nas proximidades do osteo da
veia cava superior. A pericardiocentese é a drenagem do líquido da cavidade
2- Nó atrioventricular: situa-se abaixo do osteo da veia do pericárdio, que normalmente é necessária para aliviar o
cava inferior. tamponamento cardíaco. Para remover o excesso de líquido,
3- Fascículo atrioventricular: origina-se do nó uma agulha de grande calibre pode ser inserida através do 5°
atrioventricular e se dirige para o septo interventricular, ao ou 6° espaço intercostal esquerdo próximo do esterno. Esta
nível do qual se bifurca em dois ramos, um direito que desce abordagem do saco pericárdico é possível porque a incisura
cardíaca no pulmão esquerdo e a incisura mais rasa situada no

Anatomia e Fisiologia 12
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

saco pleural esquerdo deixam parte do saco pericárdico 03. Origina-se do nó atrioventricular e se dirige para o
exposta – a área nua do pericárdio. O saco pericárdico também septo interventricular.
pode ser alcançado, penetrando-se no ângulo infra-esternal e (A) Nó sinoatrial
passando a agulha súpero-posteriormente. Neste local, a (B) Nó atrioventricular
agulha evita o pulmão e as pleuras e penetra na cavidade (C) Fascículo atrioventricular
pericárdica. Entretanto, deve-se tomar cuidado para não (D) Plexo subendocárdio
puncionar a artéria torácica interna. Em pacientes com
pneumotórax (ar na cavidade pleural) o ar pode separar-se ao 04. É proveniente das fibras pré-ganglionares do nervo
longo dos planos do tecido conectivo e penetrar no saco vago.
pericárdico, produzindo um pneumopericárdio. (A) Suprimento simpático
(B) Veias cardíacas anteriores
Mecanismo da dor referida do coração (C) Veias cardíacas posteriores
O coração é insensível ao toque, corte, frio e calor, contudo, (D) Suprimento parassimpático
a isquemia e o acúmulo de produtos metabólicos estimulam as
terminações da dor no miocárdio. As fibras aferentes da dor 05. O tronco pulmonar sai do coração pelo ventrículo
correm centralmente nos ramos cervicais médios e inferiores esquerdo e se bifurca em duas artérias pulmonares, uma
e, especialmente, nos ramos cardíacos torácicos do tronco direita e outra esquerda.
simpático. ( ) Certo
( ) Errado
A dor referida cardíaca é um fenômeno por meio do qual
estímulos nocivos que se originam no coração são percebidos 06. Cada veia braquiocefálica é constituída pela junção da
pelo paciente como dor que se origina de uma parte superficial veia subclávia (que recebe sangue do membro superior) com
do corpo (a pele no membro superior esquerdo, por exemplo). a veia jugular interna (que recebe sangue da cabeça e pescoço).
A dor visceral é transmitida pelas fibras aferentes viscerais ( ) Certo
que acompanham as fibras simpáticas e é tipicamente referida ( ) Errado
às estruturas somáticas ou áreas como, por exemplo, o Respostas
membro superior, que tem fibras aferentes com corpos da
célula no mesmo gânglio espinal e processos centrais que 01. Resposta: Certa
penetram na medula espinal através das mesmas raízes O pericárdio parietal é revestido internamente por uma
dorsais. serosa. Ele envolve o coração como se fosse uma bolsa desde o
A dor de angina é conhecida como dor no peito, dor de ápice até a base, onde se funde com a adventícia dos grandes
constrição como um aperto no peito. Ela é comumente sentida vasos. Inferiormente, o pericárdio fibroso confunde-se com o
como se irradiando das regiões subesternal e peitoral centro tendíneo do diafragma, ao qual está firmemente
esquerda para o ombro esquerdo e a face medial do membro aderido formando o ligamento freno pericárdico.
superior esquerdo. Esta parte do membro é suprida pelo nervo
cutâneo medial do braço. Frequentemente os ramos cutâneos 02. Resposta: A
laterais do 2° e 3° nervos intercostais unem-se ao nervo Nó sinoatrial: situa-se nas proximidades do osteo da veia
cutâneo medial do braço. Consequentemente, a dor cardíaca é cava superior.
referida ao membro superior porque os segmentos da medula
espinal destes nervos cutâneos (T1, T2 e T3) também são 03. Resposta: C
comuns às terminações aferentes viscerais para as artérias Fascículo atrioventricular: origina-se do nó
coronárias. atrioventricular e se dirige para o septo interventricular, ao
nível do qual se bifurca em dois ramos, um direito que desce
Circulação fetal pelo lado direito do septo interventricular, e outro esquerdo
O sistema circulatório do feto é diferente, já que o feto não que perfura o septo, para descer pala sua face esquerda.
usa pulmão, mas obtém nutrientes e oxigênio pelo cordão
umbilical. Após o nascimento, o sistema circulatório fetal 04. Resposta: D
passa por diversas mudanças anatômicas. O feto possui o Suprimento parassimpático: é proveniente das fibras
ligamento arterial, que passa da raiz da artéria pulmonar pré-ganglionares do nervo vago. As pós–ganglionares também
esquerda para a face inferior do arco da aorta. O nervo laríngeo terminam nos nós sinoatrial e atrioventricular e diretamente
recorrente curva-se abaixo do arco da aorta adjacente ao nas artérias coronárias.
ligamento arterial e sobre entre a traquéia e o esôfago. Esse
ligamento permanece após o nascimento como um vestígio, 05. Resposta: Errado
sem função, porque senão haveria a mistura do sangue O tronco pulmonar sai do coração pelo ventrículo direito
oxigenado com o não oxigenado. e se bifurca em duas artérias pulmonares, uma direita e outra
esquerda. Cada uma delas se ramifica a partir do hilo pulmonar
Questões em artérias segmentares pulmonares.

01. “O pericárdio parietal é revestido internamente por 06. Resposta: Certo


uma serosa”. Cada veia braquiocefálica é constituída pela junção da veia
Esta afirmação está: subclávia (que recebe sangue do membro superior) com a veia
( ) Certa jugular interna (que recebe sangue da cabeça e pescoço). A
( ) Errada veia cava inferior é formada pelas duas veias ilíacas comuns
que recolhem sangue da região pélvica e dos membros
02. Situa-se nas proximidades do osteo da veia cava inferiores.
superior.
(A) Nó sinoatrial Sistema Hematopoiético
(B) Nó atrioventricular
(C) Fascículo atrioventricular O sangue é um tecido fluido, composto em 45% de
(D) Plexo subendocárdio componentes celulares que circulam em suspensão num meio

Anatomia e Fisiologia 13
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

líquido, denominado plasma. A parte celular, composta O esôfago possui lâminas circulares internas de músculo e
principalmente pelas hemácias (células vermelhas, para lâminas longitudinais externas de músculo (no terço superior,
transporte de oxigênio no sangue) é denominada hematócrito. com músculo esquelético, no terço médio com ambos os
O componente celular do sangue consiste em três tipos músculos, e no terço inferior de músculo liso).
principais de células: leucócitos (células brancas), eritrócitos A faringe tem três músculos, constritor superior, médio e
(hemácias) e trombócitos (plaquetas). A porção acelular ou inferior. O esôfago começa no músculo constritor inferior da
plasma é constituída por 92% de água. Os 8% restantes são faringe, que também é denominado de esfíncter esofagiano
formados por proteínas, sais e outros constituintes orgânicos superior. Esse esfíncter esofagiano superior é músculo
em dissolução estriado esquelético, porque é o músculo da deglutição, cujo
Num homem adulto e normal, com peso corpóreo de 75 kg, ser humano é capaz de controlar. Do músculo constritor
o volume total de sangue é de, aproximadamente, 5.000ml. Nas inferior da faringe até o estômago mede mais ou menos o
mulheres, esses valores são um pouco menores, ou seja, trajeto de 15cm. Contando do incisivo superior até o estômago,
3.404ml de volume sanguíneo total, considerando-se um peso 25cm (medido geralmente pela endoscopia). Do esfíncter
médio de 55 kg. O sistema hematopoiético consiste em sangue esofagiano superior, são 20cm.
e nos locais onde este é produzido, incluindo a medula óssea e O terço proximal do esôfago é musculatura esquelética,
o sistema reticulo endotelial. Na criança, todos os ossos então a gente tem controle. A partir do terço médio, é
esqueléticos estão envolvidos, mas, à medida que a pessoa musculatura lisa, então não temos mais controle.
envelhece, a atividade da medula diminui. Todavia, na idade
adulta, a atividade da medula é geralmente limitada à pelve, No trajeto do esôfago até o estômago, durante a deglutição,
costela, vértebra e esterno. Vejamos abaixo, os principais tipos ocorre três compressões (constrições), nas quais podem ser
células sanguíneas e suas principais características. observadas na deglutição através de radiografia contrastada,
que utiliza o bário (um líquido radiopaco) no exame,
mostrando o estreitamento do lúmem onde as estruturas
adjacentes produzem impressões importantes que indicam
mais provavelmente a localização dos possíveis objetos
estranhos deglutidos e entalados ou um estreitamento após
ingestão acidental de um líquido cáustico num caso de
bloqueio esofágico:
- No seu início, na junção faringo-esofágica (esfíncter
esofágico superior), causada pelo músculo constritor inferior
da faringe (15cm dos dentes incisivos).
- Na constrição bronco aórtica (torácica), onde ele é
cruzado pelo arco da aorta. (22,5cm dos dentes incisivos) e
pelo brônquio principal esquerdo (a 27,5cm dos dentes
incisivos).
- Na constrição diafragmática, onde ele passa através do
diafragma, formando o esfíncter fisiológico esofágico inferior
(aproximadamente a 40cm dos dentes incisivos).
As constrições não são visíveis no esôfago vazio.
Entretanto, à medida que ele se expande durante o
enchimento, as estruturas citadas comprimem suas paredes.
Se a pessoa tem uma doença em que o botão aórtico
Sistema Gastrintestinal/ Digestório.
aumenta muito ela terá disfagia. É o que acontece na doença de
Chagas.
O trato digestório é um tubo único que se estende da boca
até o ânus, e em determinados trajetos desse tubo ele vai
Observando o esôfago na posição anatômica, percebe-se
receber algumas denominações e características próprias, por
que ele tem uma leve curvatura no trajeto de um “Z”.
exemplo, o esôfago, o estômago (que vem a ser uma dilatação),
No desenvolvimento embriológico a aorta sai de VE ela faz
o intestino delgado, intestino grosso e o ânus. Tudo faz parte
o cajado e nessa rotação ela ocupa o lado esquerdo no plano
de um tubo único, com esfíncteres e dilatações com
mediano e o esôfago ocupa o lado direito.
características próprias e nomes próprios.
Então, se ocorrer uma lesão do esôfago cervical, aborda-se
As camadas teciduais do trato digestório são mucosa,
do lado esquerdo, pois o acesso ao esôfago fica mais fácil. Se
submucosa, muscular e serosa. O esôfago é uma exceção, por
for na porção torácica do esôfago, aborda-se o lado direito do
não ter a camada serosa.
paciente.
Esôfago
A maior parte do esôfago está na cavidade torácica e a
menor parte está na cavidade abdominal, abaixo do diafragma.
O esôfago é um órgão tubular fibro-músculo-mucoso com
O esôfago começa na região cervical, no músculo constritor
cerca de 23 a 25cm de comprimento, cuja função principal é
inferior da faringe, e termina no estômago. Durante esse
conduzir o alimento da cavidade oral até o estômago. É um
trajeto, ao atravessar o diafragma, existe um orifício, chamado
órgão que faz parte do trato digestório.
de hiato esofágico, um “buraco” no diafragma por onde o
Ele começa na região do pescoço (ou cervical), depois
esôfago chega à cavidade abdominal. Na cavidade abdominal
passa pelo tórax, e depois abdômen. É um órgão que percorre
temos alguns hiatos (furos, ou passagens), como por exemplo,
três regiões, então ele vai ter três denominações: esôfago
o hiato aórtico (por onde passa a aorta).
cervical, esôfago torácico e esôfago abdominal, de acordo com
Os hiatos são usados como passagem para estruturas que
a região que ele percorre.
têm transição entre o tórax e o abdômen, e tem que atravessar
o diafragma, que é o limite entre a cavidade torácica e
O esôfago é um tubo muscular que se estende do esfíncter
abdominal.
superior até sua transição entre o esôfago e o estômago que é
Existe o hiato aórtico, o hiato esofágico, hiato da veia cava.
chamado de cárdia.

Anatomia e Fisiologia 14
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

No hiato esofagiano existe um esfíncter (um músculo que trato digestório, é gerado pela distensão provocada pelo bolo
controla a passagem do alimento de um segmento do tubo alimentar que chega dentro no órgão e a liberação de
para outro). Mas este não é um esfíncter verdadeiro, pois não neurotransmissores na musculatura.
é composto por musculatura. É um “esfíncter fisiológico”. O órgão responde com uma contração, que movimenta o
Então o esfíncter esofagiano inferior é um esfíncter bolo alimentar, reestimulando o plexo até que ele chegue ao
fisiológico, e impede o refluxo dos alimentos do estômago pra estômago. Esse plexo é chamado de plexo mioentérico de
dentro do esôfago. Meissner-Auerbach, porque é gerado dentro das camadas do
Existe uma transição do epitélio do esôfago para o epitélio trato digestório, isso no trato digestório inteiro. Isso tem no
do estômago, uma mudança brusca de tecido chamado de linha esôfago no terço médio e inferior, porque no terço superior é
Z. musculatura esquelética.
A Linha Z é uma linha denteada designada por cirurgiões e
endoscopistas onde a túnica mucosa muda abruptamente da A vascularização do esôfago cervical é feita por vasos
túnica mucosa do esôfago para a túnica mucosa do estômago, cervicais, principalmente ramos da artéria tireóidea superior,
como a junção esofagogástrica. ramos da artéria tireóidea inferior. No esôfago torácico, vamos
O epitélio do esôfago não é igual do estômago, e por isso ter ramos direito da aorta torácica, ramos intercostais e
não tolera tanta acidez. artérias brônquicas. Entre o diafragma e o estômago, estão as
Neste segmento pode haver o refluxo do ácido do artérias frênicas (do diafragma) inferiores e artéria gástrica
estômago para o esôfago, o chamado refluxo gastroesofágico, esquerda, que vem do tronco celíaco.
que é uma falha do esfíncter esofagiano inferior.
O esfíncter esofagiano inferior é um complexo de A drenagem venosa na parte cervical é feita por ramos da
estruturas que mantém aquela região fechada, que são: crura subclávia e hipofaringe; na parte torácica, pelas veias ázigos,
diafragmática (ou pilares diafragmáticos), ângulo de His (é um hemiázigos e intercostais; na parte abdominal, pelos ramos
ângulo formado entre o terço distal do esôfago e o fundo das veias gástricas, que são ramos da veia porta.
gástrico), e por uma membrana chamada freno-esofágica, que A veia porta drena para o fígado. Uma obstrução na veia
fixa o esôfago no diafragma. Essas estruturas ajudam porta impede a passagem de todo o sangue da cavidade
impedindo o refluxo. abdominal que drena para veia porta, o que inclui o esôfago
abdominal, fazendo com que as veias se dilatem e inchem e
O esôfago não tem a camada serosa, e por isso, as suas válvulas se tornem incompetentes. O sangue começa
metástases e tumores no esôfago ocorrem com mais rapidez então a congestionar na região de estômago e esôfago, o que é
do que nos outros órgãos e disseminam com mais facilidade. chamado de varizes do esôfago e gástricas. Ao se romperem, o
Tem apenas musculatura longitudinal externa e sangue vai pra dentro do estômago e esôfago, gerando
musculatura circular interna. hemorragia digestiva alta.
O fato de não ter serosa deixa o esôfago muito friável, fácil
de rasgar. Existe uma inervação extrínseca que é feita pelo plexo
A serosa é uma camada que dá sustentação. Lesões no simpático e pelo nervo vago, que faz a inervação
esôfago têm mais chances de desenvolverem fístulas. parassimpática de todo o trato digestório e a inervação
As suturas de esôfago têm maior chance de sofrer intrínseca que é feita pelo plexo mioentérico. O nervo vago
rompimento dos pontos. Isso torna difíceis as cirurgias de desce paralelo ao esôfago até a cavidade abdominal.
esôfago.
Estômago
Quando não está havendo deglutição, o esôfago fica
contraído (fechado). E durante o seu trajeto, ele tem relação O estômago é a continuação da parte abdominal do esôfago
anatômica com outras estruturas. No esôfago cervical, temos no trato digestório.
relação posterior à traquéia, lateralmente os vasos jugular Topograficamente, o estômago fica na região epigástrica,
interna e carótida comum, nervo vago, nervo frênico, plexo na parte superior e central do abdômen.
cervical, do lado esquerdo o ducto torácico. Na região torácica, A função do estômago é atuar como misturador
o esôfago se localiza no mediastino posterior juntamente com enzimático, reservatório de alimento e fazer a digestão
a aorta descendente (torácica), logo relação anatômica é enzimática com suco gástrico (ácido clorídrico e enzimas), que
intima com a aorta, arco aórtico, pleura, os pulmões, ainda com converte a massa de alimento em uma mistura líquida: o
a traquéia. E na cavidade abdominal relação intima com o quimo, que passa para o duodeno.
estômago e o diafragma. Ele mistura o alimento pelos movimentos peristálticos, e
digere principalmente as proteínas.
Os vasos linfáticos do esôfago são contínuos. Se existe um O estômago também faz a defesa do organismo, porque
tumor no terço médio, não se pode tirar apenas o terço médio muitas bactérias morrem em pH ácido.
do esôfago, é preciso fazer uma esofagectomia total; isso
porque a drenagem linfática é contínua e vai para o ducto O piloro é uma estrutura muscular que tem a função
torácico. Não dá para tirar segmentos. No lugar do esôfago, valvular. O piloro é um esfíncter (uma musculatura que tem a
geralmente coloca-se um pedaço do estômago ou do intestino função valvular). Ele regula a passagem do alimento do
grosso (cólon transverso), que é preparado e quando estômago para o duodeno.
implantado tem peristalse normal. Essa cirurgia denomina-se Esvaziamento do estômago ocorre quando a pressão
esofagoplastia. intragástrica supera a resistência do músculo esfíncter do
piloro.
O plexo linfático do esôfago cervical é drenado pelo ducto
torácico e é formado por gânglios mediastinais, traqueais, Piloro espasmo: é a incapacidade das fibras musculares
subcarinais, e linfonodos diafragmático e celíaco. lisas que circundam o anel pilórico de relaxarem
normalmente, fazendo com que o estômago fique cheio por
O esôfago tem um plexo nervoso interno, dentro do órgão. não deixar passar facilmente o alimento do estômago para o
Ele se contrai ao estímulo doloroso. Um impulso elétrico é duodeno. Normalmente resulta em vômito.
gerado dentro das camadas do órgão. O movimento Estenose Hipertrófica Congênita do Piloro: é o
peristáltico, que é o movimento do bolo alimentar ao longo do espessamento do músculo liso no piloro fazendo com que o

Anatomia e Fisiologia 15
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

piloro fique alongado, rígido, grande, com estreitamento do formando as duas camadas que acompanham todo o trato
canal pilórico. Assim, a parte proximal do estômago fica digestivo. Por fora uma musculatura longitudinal e por dentro
dilatada. Ocorre por influência genética. uma musculatura circular. É isso que dá o peristaltismo
visceral, que é a contração de uma víscera de maneira a
Úlceras Gástricas ou Pépticas são lesões da túnica mucosa propagar o conteúdo dessa víscera.
do estômago comumente associadas com a presença de
Helicobacter pylori. No interior do estômago existe uma lâmina mucosa de cor
Normalmente um muco recobre a túnica mucosa formando marrom avermelhada, exceto na parte pilórica que é rósea.
uma barreira entre o ácido e as células da túnica mucosa e, Quando contraída a túnica mucosa é transformada em
algumas vezes, esta proteção é inadequada e o suco gástrico pregas gástricas ou rugas (cristas longitudinais). Muito
corrói a túnica mucosa, formando uma úlcera. Se a úlcera marcadas em direção à parte pilórica e à curvatura maior.
atingir as artérias gástricas, pode causar uma hemorragia. O canal gástrico (sulco) forma-se durante a deglutição
A vagotomia pode ser realizada em conjunção com a entre as pregas gástricas longitudinais da túnica mucosa, ao
ressecção da área ulcerada (antrectomia ou ressecção do antro longo da curvatura menor. Esse canal se forma por causa da
pilórico). Ela consiste em diminuir a produção ácida. Na fixação firme da túnica mucosa gástrica na túnica muscular
vagotomia seletiva retira-se a parte nervosa do estômago, mas (sem camada oblíqua neste local). Por ele passam saliva e
os ramos vagais para o piloro, trato biliar, intestinos e plexo pequenas quantidades de alimento mastigado e outros
celíaco são preservados. líquidos até o canal pilórico.
A vagotomia cessa a produção do ácido gástrico sem cessar
a peristalse. O problema deste procedimento (ultrapassado) é Posição anatômica do estômago:
que no caso de um tumor gástrico, é difícil a detecção dos seus O estômago é a parte expandida do trato digestório entre o
sintomas no início do quadro, devido à dessensibilização. esôfago e o intestino delgado; é um órgão tubular oco.
Normalmente em forma de J.
Uma úlcera gástrica posterior pode erodir o pâncreas Sua forma e posição anatômica variam por causa dos
através da parede do estômago, resultando em dor referida no movimentos do diafragma durante a respiração, dos
dorso. conteúdos do estômago e da posição da pessoa.

A sonda nasogástrica serve para drenagem (aberta) ou O estômago localiza-se na região epigástrica. É coberto
alimentação (fechada) e deve ser tecnicamente introduzido pelo peritônio, exceto onde os vasos sanguíneos correm ao
desde as narinas até o estômago. longo de suas curvaturas e em uma pequena área posterior ao
osteo cárdico.
O estômago possui quatro partes e duas curvaturas: As duas lâminas do omento menor estendem-se em torno
1) Cárdia: envolve o osteo cárdico. do estômago e abandonam a curvatura maior como omento
2) Fundo: parte superior dilatada que está relacionada maior.
com a cúpula esquerda do diafragma. Limitada inferiormente
pelo plano horizontal do osteo cárdico. - Anteriormente: lobo esquerdo do fígado e parede
A incisura cárdica está entre o esôfago e o fundo. abdominal anterior.
O fundo pode ser dilatado por gás, líquido, alimento ou - Esquerda: baço.
qualquer combinação destes. - Direita: vesícula biliar, fígado e duodeno.
3) Corpo: entre o fundo e o antro pilórico. - Medialmente: ligamento hepatogástrico.
4) Parte pilórica: região infundibuliforme do estômago. -Posteriormente: bolsa omental (a face posterior do
Antro pilórico: é a sua parte mais larga. estômago forma a maior parte da parede anterior da bolsa
Canal pilórico: é a sua parte mais estreita. omental), pâncreas e rim esquerdo.
- Superiormente: diafragma.
O piloro guarda o osteo pilórico. É a região esfinctérica - Inferiormente: cólon transverso.
distal da parte pilórica.
Sua parede é mais grossa porque contém músculo liso O leito do estômago é formado pelas estruturas que
circular. formam a parede posterior da bolsa omental.
Sua camada média é espessada para formar o músculo De superior para inferior ele é formado por:
esfíncter do piloro. - pilar esquerdo do diafragma;
Está normalmente em contração tônica. Está fechado, - baço;
exceto quando emite o quimo. Em intervalos irregulares, o - rim esquerdo e gandula suprarrenal;
peristaltismo gástrico passa o quimo através do canal e do - artéria esplênica;
osteo pilóricos para o intestino delgado para a posterior - pâncreas;
mistura, digestão e absorção. - mesocólon e colo transversos.

Músculo esfíncter do piloro: controla a descarga dos Vascularização do estômago:


conteúdos do estômago através do óstio pilórico para o O estômago possui um suprimento arterial rico. As artérias
duodeno. gástricas originam-se do tronco celíaco e seus ramos.

- Curvatura menor: forma a margem côncava menor do - Artéria gástrica esquerda: origina-se do tronco celíaco,
estômago. corre no omento menor em direção à cárdia e depois curva-se
Incisura angular: indica a junção do corpo com a parte para seguir ao longo da curvatura menor e anastomosar com a
pilórica do estômago. artéria gástrica direita. Ela vai vascularizar a parte proximal da
- Curvatura maior: forma a margem convexa mais longa do pequena curvatura, artéria esplênica, que vai para o baço, e
estômago. hepática comum, que vai para o fígado.
- Artéria gástrica direita: origina-se da artéria hepática
A mucosa gástrica é longitudinal e tortuosa, diferente da própria, às vezes da hepática comum ou da gastroduodenal.
esofagiana que é longitudinal e lisa e do delgado que é circular. Corre para a esquerda ao longo da curvatura menor para
E a musculatura do esôfago se continua com a do estômago,

Anatomia e Fisiologia 16
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

anastomosar com a artéria gástrica esquerda. Irriga a parte Fornece ramos para as faces anterior e posterior do
distal da pequena curvatura. estômago.
- Artéria gastromental direita: artéria hepática comum vai Emite um ramo celíaco que corre pelo plexo celíaco e
dar a artéria hepática, própria que sobe para o fígado, e a depois continua ao longo da curvatura menor, dando origem
artéria gastroduodenal, que desce passando atrás do duodeno aos ramos gástricos posteriores.
e vai dar a artéria gastromental direita (ou gastroepiplóica - Suprimento nervoso simpático do estômago: segmentos
direita) que irriga a parte lateral direita (distal) da grande T6 até T9 da medula espinhal. Passa para o plexo celíaco
curvatura. Corre pela esquerda ao longo da curvatura maior através do nervo esplâncnico maior e é distribuído através dos
para anastomosar-se com a artéria gastromental esquerda. plexos em torno das artérias gástricas e gastromental.
- Artéria gastromental esquerda: origina-se da artéria
esplênica. Segue ao longo da curvatura maior para Vasos linfáticos:
anastomosar com a artéria gastromental direita. Os linfonodos geralmente acompanham as artérias. Temos
- Artérias gástricas curtas: originam-se da extremidade linfonodos gástricos esquerdos e paragástricos, gástrico
distal da artéria esplênica ou de seus ramos esplênicos e direito, gastroepiplóico, esplênicos. E toda a drenagem
passam para o fundo do estômago. linfática do estômago vai para os linfonodos do tronco celíaco.
Quando se opera um tumor gástrico, ressecar todos os
A importância dessa rica vascularização acontece em linfonodos é difícil O sistema linfático anastomosa-se entre si,
tumores de esôfago, onde é necessário retirar uma parte do e a disseminação de tumores é grande.
estômago, que só é possível porque as artérias conseguem se No Japão (local onde mais se desenvolve câncer gástrico)
suprir entre si. foram determinados os linfonodos passíveis de metástases,
que devem ser retirados a qualquer custo.
As veias gástricas são paralelas às artérias em posição e Todos convergem para o Gânglio Celíaco (o principal) e
trajeto, e desembocam na veia porta. depois para o ducto torácico.
As veias gástricas esquerda e direita drenam para a veia
porta do fígado. - Linfa dos dois terços superiores: drena ao longo dos vasos
As veias gástricas curtas e a veia gastromental esquerda: gástricos direito e esquerdo para os linfonodos gástricos.
drenam para a veia esplênica, que se une à mesentérica - Linfa do fundo e parte superior do corpo: também
superior para formar a veia porta do fígado. drenam ao longo das artérias gástricas curtas e vasos
A veia gastromental direita esvazia-se na veia mesentérica gastromentais esquerdos para os linfonodos pancreáticos e
direita. esplênicos.
Veia pré-pilórica sobe acima do piloro em direção à veia - Linfa do terço inferior, dois terços direitos: drena ao
gástrica direita (cirurgiões a usam para identificar o piloro). longo dos vasos gastromentais direitos para os linfonodos
Todo o sangue do trato digestório vai passar pelo fígado, pilóricos.
que funciona como um filtro, então todas as veias convergem - Linfa do terço esquerdo da curvatura menor drena ao
para a veia porta (formada pela veia mesentérica superior e longo dos vasos gástricos curtos e esplênicos para os
veia esplênica). Numa situação de impedimento de fluxo linfonodos pancreático-duodenais.
portal, cirrose, por exemplo, que o sangue não consegue passar
adequadamente pelo fígado, isso gera um aumento de pressão Carcinoma do Estômago:
dentro do sistema porta. O sangue fica retido, aumenta a É quando o corpo ou a parte pilórica do estômago contém
pressão dentro da veia e o sangue fica retido, estasiado, um tumor maligno, a massa pode ser palpável. É mais comum
seguindo outra direção. nos homens. Quando ocorre na parte de cima deve retirá-lo
A veia ázigos se comunica com a veia gástrica esquerda. todo, mas quando ocorre na parte de baixo, retira-se somente
Essas veias são muito finas e com aumento de pressão, a luz a parte do tumor. No tumor, a parede do estômago fica lisa,
fica tortuosa, formando as chamadas varizes de esôfago. sem pregas.

Inervação do Estômago: Gastroscopia:


O nervo vago faz toda a inervação parassimpática das É usada pelos médicos para inspecionar a túnica mucosa
vísceras abdominais. O vago direito é também chamado de do estômago cheio de ar, o que permite a eles observar as
vago anterior, e o vago esquerdo é o vago posterior, são dois lesões gástricas e fazer biópsias.
troncos vagais. A drenagem linfática é excessiva no estômago e por isso
Ao nível de junção esofagogástrica é possível palpar o cria uma impossibilidade de remover todos os linfonodos
nervo vago. A importância do nervo vago é, através da numa cirurgia. Assim, os linfonodos ao longo dos vasos
acetilcolina, aumentar a secreção de ácido. esplênicos podem ser extraídos removendo-se o baço, os
Nas cirurgias para úlcera duodenal e péptica, uma das ligamentos gastroesplênico e esplenorretal e o corpo e cauda
medidas adotadas é cortar o nervo vago para diminuir a do pâncreas.
secreção gástrica. O nervo vago também aumenta o Já os linfonodos envolvidos ao longo dos vasos
peristaltismo e abre o piloro. gastromentais podem ser removidos ressecando o omento
- Suprimento nervoso parassimpático do estômago: maior. Contudo, a remoção dos linfonodos aórticos e celíacos
troncos vagais anterior e posterior e seus ramos, que entram e aqueles em torno do pâncreas são mais difíceis.
no abdome através do hiato esofágico.
- Tronco vagal anterior: derivado do nervo vago esquerdo. Gastrectomia:
Entra no abdome como um único ramo que se localiza na face Pode ser total (remoção de todo o estômago) ou parcial
anterior do esôfago. Corre em direção à curvatura menor, onde (remoção de parte do estômago).
emite ramos hepáticos e duodenais que saem do estômago Ela pode ser utilizada para remover a região do estômago
pelo ligamento hepatoduodenal. O resto continua ao longo da envolvida por um câncer ou para excisar o antro pilórico em
curvatura menor, dando origem aos ramos gástricos alguns casos de úlcera péptica. Para remover um câncer, ela
anteriores. precisa remover todos os vasos linfáticos regionais
- Tronco vagal posterior: é o maior, derivado do nervo vago envolvidos.
direito. Entra no abdome na face posterior do esôfago e passa
em direção à curvatura menor do estômago.

Anatomia e Fisiologia 17
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Como as anastomoses das artérias que suprem o estômago o resto do intestino delgado é feita pela mesentérica superior
fornecem boa circulação colateral, uma ou mais artérias que vai formar os ramos jejunais e os ramos ileais.
podem ser ligadas nesse procedimento. Tanto o duodeno quanto jejuno e íleo tem as suas veias
Quando se remove o antro pilórico, o omento maior é acompanhando os ramos arteriais e drenam para a veia
incisado paralelo e abaixo da artéria gastromental direita, mesentérica superior que é uma tributária da veia porta.
requerendo ligadura de todos os ramos omentais desta artéria.
O omento não se regenera por causa das anastomoses com Uma medicação que é absorvida via oral chega até a
outras artérias como ramos omentais da artéria gastromental circulação venosa e é drenado para a veia porta. O sangue
esquerda, que ainda estão intactos. contendo a medicação chega na veia mesentérica superior e
Câncer na região pilórica é mais frequente. Deve-se fazer a depois entra na veia porta.
remoção dos linfonodos pilóricos e gastromentais direitos A medicação é metabolizada no fígado, e é enviada para
(que recebem a drenagem linfática dessa região). veias hepáticas, que drenam para veia cava inferior, átrio
O gânglio sentinela é um indicador de mau-prognóstico, direito, ventrículo direito, pulmão (onde o sangue é
porque ele é o primeiro gânglio linfático que drena uma oxigenado), átrio esquerdo, ventrículo esquerdo, artéria aorta
neoplasia, e é o primeiro a receber células metastáticas. É e de lá para os tecidos do corpo.
essencial após descoberta de tumor maligno verificar se o Por tanto, medicações para uso oral devem estar
gânglio sentinela está invadido, pois o inicio de metastização preparadas para passarem pelo fígado, e possivelmente serem
determina estratégias terapêuticas mais agressivas. metabolizadas, diferente das medicações de uso endovenoso,
intramuscular, por via retal ou tópica.
Cirurgia de redução de estômago deixa-se apenas 30 ml de
volume na cavidade do estômago. O intestino delgado é ligado Um tubo de alimentação entérica passa pelo duodeno e
para refazer o trânsito. Para não dilatar suas paredes, é necessariamente tem que ficar no jejuno.
colocado um anel de silicone preso em volta da víscera.
A inervação do intestino delgado se faz pelos ramos vagais
Intestino Delgado (tronco posterior), gânglios celíacos e gânglios esplâncnicos.

O intestino delgado é a porção do trato digestório que Duodeno


segue ao estômago. Ele é formado por três partes bem Ampola, porção descendente, porção horizontal e porção
definidas: o duodeno, o jejuno e o íleo. Toda essa parte do ascendente.
intestino delgado se localiza no mesogástrio (na anatomia O duodeno fica a direita do estômago, no retroperitônio. O
palpatória) duodeno forma um “C”, o arco duodenal, ao redor da cabeça do
O duodeno tem várias partes retroperitoneais; as demais pâncreas que também é retroperitonial, mantendo uma intima
partes, o jejuno e o íleo são vísceras peritoneais ou relação com esse órgão.
intraperitoneais. O duodeno em toda sua extensão é fundamental como todo
O intestino delgado é responsável pela absorção de o resto do intestino delgado pra absorção dos nutrientes.
nutrientes, sais minerais, sais biliares e aminoácidos. A primeira porção do duodeno que se segue logo após o
Algumas doenças congênitas determinam ausência de luz piloro chama-se ampola duodenal; ela é dilatada como uma
(parte interna do órgão), e o cirurgião tem que extirpar parte ampola porque recebe todo o quimo que está dentro de
desse intestino na tentativa de salvar a criança. Quando se tira estômago.
muita quantidade de intestino, a criança desenvolve a A segunda porção é chamada de porção descendente; é a
“síndrome do intestino curto”, onde ela não pode se alimentar formadora do arco, abraçando toda a cabeça do pâncreas.
com nada pela boca (via oral). Ela se alimenta por uma veia A seguir a terceira porção ou porção horizontal.
parieteral, por onde entra os nutrientes. Essa criança nunca A quarta porção é chamada de ascendente. Ela emerge
come e ela sobrevive numa faixa de até dez anos de idade então em direção ao peritônio, onde começa ser
apenas. É uma doença gravíssima que talvez só se resolva com completamente envolvida pelo peritônio, aqui já dando origem
um possível transplante intestinal. a próxima parte do intestino delgado, que é o jejuno.
Todas as porções do duodeno são retroperitoneais, pois o
A superfície absortiva da mucosa intestinal mostra muitas peritônio recobre apenas a face anterior do órgão.
pregas denominadas válvulas coniventes ou pregas de
Kerckring, que aumentam a área de absorção da mucosa cerca Algumas áreas do duodeno são fundamentais ao início do
de três vezes. Essas pregas estendem-se circularmente, por processo de digestão. A bile produzida no fígado e o suco
quase todo o intestino e estão bastante desenvolvidas pancreático produzido no pâncreas, com as enzimas
especialmente no duodeno e no jejuno. pancreáticas são drenadas para o intestino, para promover
Localizadas em toda a superfície do intestino delgado, então o processo da digestão.
desde aproximadamente o ponto em que o ducto biliar comum Tanto o colédoco quanto o ducto principal pancreático se
esvazia-se no duodeno, até a válvula ileocecal, existem milhões unem e desembocam na segunda porção duodenal. Eles jogam
de pequenas vilosidades, que se projetam cerca de 1 mm, a a bile e o suco pancreático na segunda porção duodenal.
partir da superfície da mucosa. Essas vilosidades aumentam A união do colédoco e do ducto principal pancreático vai
em dez vezes a área absortiva. formar um orifício que é chamado de papila duodenal.
As células epiteliais intestinais, também chamadas de Também existe a papila secundária, do ducto pancreático
enterócitos, caracterizam-se pela borda em escova, contendo secundário.
microvilosidades, o que aumenta a superfície de exposição às O duodeno é formado por uma parede de musculatura
substâncias no intestino mais 20 vezes. longitudinal interna, uma circular interna e a parte interna a
Assim, a combinação das pregas de Kerckring com as mucosa. Esta musculatura circular e longitudinal abraça os
vilosidades e as microvilosidades aumenta a área absortiva da ductos que entram e permitem a formação de uma área mais
mucosa em cerca de 600 vezes. dilatada, chamada de ampola de Vater ou ampola
hepatopancreática. Essa é a parte mais dilatada da união dos
Irrigação do Intestino Delgado: dois ductos (colédoco e do ducto principal pancreático).
A vascularização arterial do duodeno é feita por ramos do O colédoco desce posteriormente ao duodeno, passando
tronco celíaco e da mesentérica superior. A irrigação em todo por detrás da primeira porção duodenal, se juntando ao ducto

Anatomia e Fisiologia 18
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

pancreático principal, pra formar a ampola hepatopancreática às suas paredes, formando as goteiras parieto-cólicas. Ele
ou ampola de Vater, e um ducto secundário vindo a formar serve de moldura para o intestino delgado.
uma papila secundária. O peritônio recobre o cólon, que forma uma moldura ao
A musculatura duodenal faz o controle da liberação das redor do mesogástrio.
substâncias que caem dentro da luz intestinal. Ela abraça esses O intestino grosso tem um maior calibre e é formado pelo
dois ductos que formam um orifício (papila duodenal), na ceco em sua primeira porção, que é bastante dilatada, pelo
intenção de formar um esfíncter, chamado de esfíncter de apêndice cecal, pelos cólons ascendente, transverso,
Oddi. descendente, sigmoide, reto e o canal anal.
Essa musculatura da parede duodenal se contrai sobre a
ampola controlar a drenagem do ducto pancreático e do Irrigação do Intestino Grosso:
colédoco. O intestino grosso é irrigado por ramos diferentes da
Quando se tem uma carga maior dentro da luz intestinal, artéria mesentérica superior.
receptores de membrana induzem o relaxamento desse A artéria ileocólica, ramo apendicular, irriga o ceco.
esfíncter e permitem a liberação dessas enzimas pancreáticas As artérias íleo-ceco-cólica e cólica direita irrigam o colón
e do suco biliar. ascendente.
As artérias cólica média e a artéria mesentérica inferior
Jejuno irrigam o cólon transverso.
O jejuno começa na flexura duodeno – jejuna (ângulo de As artérias cólica esquerda e sigmóidea irrigam o cólon
Treitz). descendente.
O ângulo de Treitz ou ângulo duodeno jejunal ou junção As artérias sigmóideas irrigam o sigmoide.
duodeno jejunal é a junção entre o duodeno e o jejuno. As artérias retais superior, retais médias, retais inferior
O jejuno e o íleo têm características muito semelhantes, irrigam o reto.
mas eles se diferem em termos de absorção. Um é mais
predisposto a absorção de determinados elementos, o outro As artérias cólica média e cólica esquerda formam uma
para outros elementos. arcada marginal chamada arcada de Rioland. É uma arcada que
Macroscopicamente é difícil detectar as diferenças, porque vem em torno de todo o cólon e promove anastomose entre a
elas giram mais em torno da microscopia de cada um. artéria mesentérica superior e inferior, via cólica média e
O jejuno tem 2 metros e meio, tem a alça mais fixa e tem esquerda.
uma mucosa mais clara e muito mais pregueada. Sua aparência Também tem a arcada de Drummond.
é um pouco mais espessa, mais grossa do que o íleo.
Sua posição é um pouco mais alta em relação ao íleo. O As veias acompanham as artérias na metade do cólon
conteúdo do jejuno é mais alimentar. transverso, que é drenado para a veia mesentérica superior.
A metade do cólon transverso, cólon descendente,
Diferenças entre duodeno e jejuno: sigmoide e reto são drenados para a artéria mesentérica
Na prática as diferenças entre o duodeno e o jejuno são inferior.
poucas. O reto recebe ramos diretos da aorta e também da ilíaca
O íleo é menos espesso, menos vascularizado, menos interna.
avermelhado, mais próximo ao hipogástrio, tem a mucosa mais Dois plexos venosos diferentes drenam o reto e o canal
lisa, tem muita capacidade de absorção e o mesentério tem anal, formando o plexo hemorroidário.
mais gordura. Hemorroida é uma variz desse plexo hemorroidário.
O jejuno é mais espesso, mais vascularizado, mais
avermelhado, mais próximo a região umbilical do abdome, tem Ceco
a mucosa extremamente pregueada, tem pouca capacidade de Na luz do ceco existem dois orifícios: a válvula ileocecal e o
absorção e o mesentério tem menos gordura. do apêndice cecal. A fossa ilíaca direita é exatamente a
localização mais comum do apêndice.
Íleo A válvula ileocecal evita o refluxo fecal.
O íleo tem 3 metros e meio, é a parte terminal do meu
intestino delgado, tem uma mucosa mais escura. O íleo tem O apêndice é um órgão linfoide que produz células de
uma mucosa mais lisa e cheia de placas de veia. defesa para essa região da fossa ilíaca. Ele também não é um
Sua posição é um pouco mais baixa em relação ao jejuno. órgão fundamental na cavidade abdominal, mas participa da
No íleo começa a se formar uma substância líquida sua defesa.
fecalóide (não é fezes ainda). O apêndice inflama porque dentro dele cai a secreção
Existe muita água no intestino delgado. Quem absorve essa fecalóide (água, resto alimentar). Nesse resto alimentar está o
água é o intestino grosso. No íleo terminal desemboca na fecalito, porções esferoides de fezes endurecidas e caroço de
primeira parte do intestino grosso, chamado de ceco. algumas frutas. Essa secreção entra e sai pelo orifício do
O intestino delgado, responsável pela absorção de apêndice, mas em determinado momento pode ocorrer a
substâncias, precisa de tempo para realizar esta tarefa. obstrução dessa entrada, impedindo-a de sair e inflamando o
O íleo terminal entra na musculatura do ceco e forma a apêndice. Essa secreção é cheia de bactérias que se proliferam
válvula ileocecal. Essa válvula se mantém fechada tempo e causam uma lesão na mucosa, evoluindo para a perfuração
suficiente para que todo conteúdo seja absorvido no intestino da parede e extravasamento do líquido contaminado para a
delgado e só o que não precisa ser aproveitado chegue ao íleo cavidade peritoneal, gerando peritonite.
terminal em forma de secreção fecalóide.
Então a válvula ileocecal se abre e permite a liberação No ceco, a secreção fecalóide vai tendo sua água absorvida
dessas substâncias para dentro da primeira porção do em todo o trajeto, passando pelo cólon ascendente, pela
intestino grosso, que é o ceco, cheio de água e resto alimentar. flexura direita ou flexura hepática, pelo colón transverso, pela
flexura esquerda ou flexura esplênica, pelo colón descendente,
Intestino Grosso pelo colón sigmoide até chegar no sigmoide e no reto, onde se
Diferente do intestino delgado, que possui grande formam as fezes.
mobilidade, o intestino grosso tem ligamentos muito próximos

Anatomia e Fisiologia 19
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Cólon Quando a ampola retal se dilata (com a chegada de fezes) a


Os cólons possuem um caminho bastante pregueado para resposta do sistema nervoso é de contração imediata do
conseguir aumentar a área de absorção de água sem aumentar esfíncter externo, propriedade essa que vai sendo
o tamanho da cavidade. Mas as pregas são mais separadas que desenvolvida com o crescimento (o RN não tem essa
no ceco. capacidade).
Esse pregueamento forma saculações (haustos) que são A ampola retal se enche então e essa distensão provoca
presas por três fitas (formadas pela própria musculatura então o fechamento e a contração do músculo esfíncter
longitudinal) chamadas tênias. interno. Por uma necessidade de convívio social, há contração
Nessas três tênias estão presas o cólon e os apêndices também do músculo esfíncter externo.
omentais (que produzem algumas células de defesa pra Quando o indivíduo relaxa o músculo do esfíncter externo
melhorar a proteção dos cólons). Os a apêndices omentais são do ânus, o músculo esfíncter interno também relaxa e ocorre a
bolsas de omento (peritônio) preenchidos por gordura. evacuação.
As tênias são as seguintes: Os homens primitivos evacuavam de cócoras (como
- livre (anterior); evacuam ainda os índios) porque é necessário a distensão do
- omental (posterior); períneo, músculo levantador do ânus, a distensão desse
- mesocólica (posterior). períneo pra poder relaxar o esfíncter externo e promover o
relaxamento do esfíncter interno.
O cólon ascendente fica no lado direito, na flexura direita O homem tem que sentar para promover o relaxamento da
(hepática). região perineal e aí então, o esfíncter externo relaxando,
O cólon transverso tem maior porção e maior mobilidade. promove o relaxamento do interno.
Sua alça está para baixo e para frente. Existe um controle social muito grande sobre a evacuação.
O cólon descendente fica do lado esquerdo, na flexura Muitas pessoas trazem da infância um trauma, uma visão
esquerdo (esplênica). negativa das fezes e da evacuação. Isso gera, ainda na infância,
e no futuro, a obstipação intestinal psicológica, pois o
Sigmoide indivíduo não consegue relaxar. As fezes ficam paradas na
No sigmoide, as fezes já estão formadas, sendo ampola retal acabam por ressecar. Após 20 dias de absorção
encaminhadas ao reto. intensa de água ocorre a formação de fecaloma, que são fezes
endurecidas como pedra.
Reto Para se tirar um fecaloma, é preciso fazer um toque retal,
Na parte final do intestino grosso está o reto, um órgão quebrar essas fezes com o dedo indicador, e retirá-la aos
peritoneal e extra peritoneal. Ele não esta atrás e sim abaixo, pedaços.
entrando na pelve. Não possui tênias nem mesentério. Questões
No homem ele faz relação anatômica com a bexiga, com as
vesículas seminais e com a próstata. 01. O esôfago começa na região cervical, no músculo
Na mulher, faz relação anatômica com o canal vaginal e constritor inferior da faringe, e termina no estômago.
com o útero. ( ) Certo
O reto forma a ampola retal (bastante dilatada) e uma ( ) Errado
dilatação que suporta todas as fezes que passa por ali e cuja
água já foi quase totalmente absorvida. 02. O esôfago não tem a camada serosa, e por isso, as
O bolo fecal vai se depositar ali e formar fezes moldáveis, metástases e tumores no esôfago ocorrem com mais rapidez
com uma quantidade de água o suficiente pra que não sejam do que nos outros órgãos e disseminam com mais facilidade.
fezes ressecadas. ( ) Certo
O músculo levantador do ânus vem de encontro ao reto, ( ) Errado
formando na sua parte final o canal anal.
03. A primeira porção do duodeno que se segue logo após
A ampola retal é a porção terminal do reto, imediatamente o piloro chama-se ampola duodenal; ela é dilatada como uma
antes da defecação, onde as fezes ficam em forma de “S”, ampola porque recebe todo o quimo que está dentro de
seguindo o sacro. estômago. Porém não ocorre absorção de nutrientes no
A ampola retal tem 3 pregas transversais: superior, média duodeno.
e inferior, e termina na linha pectínea, onde estão os seios ( ) Certo
anais, com glândulas que secretam muco. ( ) Errado

O canal anal é uma estrutura de mais ou menos 3 a 5 cm no 04. A arcada de Rioland refere-se a:
homem adulto e é delimitada pela linha pectínea. A linha (A) As artérias cólica média e a artéria mesentérica
pectínea possui pequenas glândulas que são produtoras de (B) As artérias cólica média e cólica esquerda
muco pra facilitar a passagem das fezes pelo canal anal sem (C) As artérias sigmóideas
lesão da mucosa, e isso delimita também o final do reto e início (D) A artéria ileocólica
do canal anal. Este canal anal termina exteriormente com a
cobertura de pele e formação de ânus. Respostas
O canal anal possui zona cutânea e zona mucosa. 01. Resposta: Certo
O esôfago começa na região cervical, no músculo constritor
Ao final do reto existe um espessamento da camada inferior da faringe, e termina no estômago. Durante esse
muscular, principalmente da circular. O levantador do ânus trajeto, ao atravessar o diafragma, existe um orifício, chamado
também abraça essa porção do reto e do canal anal, formando de hiato esofágico, um “buraco” no diafragma por onde o
um esfíncter, denominado músculo do esfíncter interno do esôfago chega à cavidade abdominal.
ânus ou esfíncter interno do ânus de controle involuntário.
O músculo levantador do ânus forma diversas porções 02. Resposta: Certo
musculares definidas como esfíncter externo do ânus ou Tem apenas musculatura longitudinal externa e
músculo do esfíncter externo do ânus de controle voluntário. musculatura circular interna.

Anatomia e Fisiologia 20
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

O fato de não ter serosa deixa o esôfago muito friável, fácil mestra do corpo, em razão de seus hormônios regularem o
de rasgar. funcionamento de várias glândulas endócrinas. Divide-se em
adenoipófise e neuro-hipófise.
03. Resposta: Errado
O duodeno em toda sua extensão é fundamental como todo A adenoipófise produz e libera hormônios chamados de
o resto do intestino delgado pra absorção dos nutrientes. hormônios tróficos, ou seja, hormônios que controlam outras
glândulas endócrinas. Os principais hormônios produzidos
04. Resposta: B pela adenoipófise são o hormônio tireotrófico (TSH), que
As artérias cólica média e cólica esquerda formam uma regula as atividades da glândula tireoide; o hormônio
arcada marginal chamada arcada de Rioland. É uma arcada que adrenocorticotrófico (ACTH), que regula o córtex das
vem em torno de todo o cólon e promove anastomose entre a suprarrenais; o hormônio folículo estimulante (FSH), que
artéria mesentérica superior e inferior, via cólica média e atua no crescimento dos folículos nos ovários e
esquerda. espermatozoides nos testículos; e o hormônio luteinizante
(LH), que provoca a ovulação e a formação do corpo lúteo nos
Sistema Endócrino ovários e a produção de testosterona nos testículos.
A adenoipófise secreta outros hormônios, são eles: a
Sistema endócrino é constituído pelas glândulas prolactina, que estimula a produção de leite durante a
endócrinas, assim chamadas por lançarem, diretamente no gravidez e no período de amamentação; e o hormônio do
sangue, os hormônios que produzem; o que as difere das crescimento, também chamado de somatrotofina ou GH.
glândulas exócrinas, que lançam suas secreções para fora do
corpo. A neuro-hipófise pode ser definida como uma expansão
Os hormônios são substâncias que influenciam na do hipotálamo e armazena e secreta dois hormônios, a
atividade de diversos órgãos do corpo, controlando o oxitocina e o hormônio antidiurético (também conhecido
crescimento, a pressão arterial, a concentração de substâncias como vasopressina).
no sangue, etc. Esses hormônios são produzidos pelas células
encontradas nas glândulas endócrinas, mas também podem Tireoide localiza-se no pescoço, na porção inicial da
ser produzidos pelo sistema nervoso, e por algumas células traqueia, produz a tiroxina e a triiodotironina, hormônios
especializadas, encontradas em órgãos como coração, que possuem de três a quatro átomos de iodo em sua molécula.
intestino, fígado, rins e estômago. Quando liberados no sangue, Os hormônios produzidos por essa glândula ajudam a manter
agem apenas em um determinado tipo de célula, e por esse normais a pressão sanguínea, o ritmo cardíaco, o tônus
motivo elas são chamadas de células alvo. As células alvo muscular e as funções sexuais. Algumas alterações na tireoide
possuem proteínas chamadas de receptores hormonais, que podem provocar o hipertireoidismo (a glândula produz
podem estar nas membranas ou no interior das células. Esses hormônio em excesso) ou o hipotireoidismo (a produção de
receptores hormonais combinam-se a um tipo específico de hormônios é deficiente). A calcitonina também é um
hormônio, ou seja, cada tipo de hormônio se une apenas a hormônio produzido em pequenas quantidades pela tireoide.
células que tenham receptores complementares aos seus,
sendo que a estimulação hormonal ocorre somente se houver Paratireoides são encontradas em quatro e se localizam
essa combinação correta. atrás da tireoide. Sintetizam o paratormônio, que atua no
Ao se encaixarem, os receptores presentes nas células são controle da taxa de cálcio no sangue.
ativados, e essa ativação provoca inúmeras reações químicas.
Uma dessas reações é a produção de monofosfato de Pâncreas: Glândula com funções endócrina e exócrina, o
adenosina cíclico (AMP cíclico), que estimula a síntese de pâncreas é constituído por células chamadas de ilhotas de
proteínas, ativa algumas enzimas, aumenta a permeabilidade Langerhans, nas quais encontramos dois tipos de células: as
da membrana plasmática, dentre outras reações. células beta, que produzem o hormônio insulina; e as células
Podemos ver o resultado de uma dessas reações no alfa, que produzem o hormônio glucagon.
crescimento do corpo, pois, com o aumento na velocidade da
divisão celular e da síntese de proteínas, há o crescimento do Suprarrenais: também chamadas de adrenais, as
organismo, como no efeito do hormônio do crescimento suprarrenais encontram-se sobre os rins e são divididas em
sintetizado pela hipófise. Outros hormônios podem causar duas regiões: o córtex e a medula. No córtex são sintetizados
outros efeitos, como facilitar a entrada de glicose na célula, os corticosteroides (mineralocorticoides e glicocorticoides) a
estimular a oxidação do alimento, aumentar o desejo sexual, partir do colesterol. O principal mineralocorticoide é a
etc. aldosterona, enquanto que o principal glicocorticoide é o
No corpo humano existem várias glândulas endócrinas, cortisol. Na medula das suprarrenais são produzidos os
mas as principais são: hormônios adrenalina e noradrenalina.
- hipófise;
- tireoide; Gônadas: as gônadas são os testículos no sexo masculino;
- paratireoides; e os ovários, no sexo feminino. Elas são as responsáveis pela
- suprarrenais ou adrenais; produção de gametas, mas também sintetizam hormônios que
- pâncreas; podem influenciar no crescimento e desenvolvimento do
- gônadas (testículos e ovário). corpo. Chamados de hormônios sexuais, os hormônios
produzidos pelas gônadas controlam o ciclo reprodutivo e o
Há uma região no encéfalo, denominada hipotálamo, que comportamento sexual, sendo que os testículos produzem a
produz hormônios que controlam a hipófise. O tecido adiposo testosterona, enquanto que os ovários produzem o
também atua como glândula endócrina, pois, ao acumular uma estrógeno e a progesterona.
quantidade de gordura, ele começa a produzir a lipsina, um
hormônio que atua no hipotálamo e que provoca a diminuição Metabolismo é a soma de todas as reações químicas que
do apetite. ocorrem na célula viva com a finalidade de produzir energia e
também formar os seus constituintes. As reações químicas são
Hipófise é também chamada de glândula pituitária. Ela se permitidas graças a ação de proteínas especiais denominadas
localiza na base do encéfalo e é considerada como a glândula

Anatomia e Fisiologia 21
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

enzimas. Trata-se de um processo de grande complexidade excesso de vômitos, o uso inadequado de diuréticos ou de
que é fundamental para a vida. cortisona são as principais causas metabólicas de alcalose na
A formação de novas moléculas é denominado terceira idade. Alguns distúrbios neurológicos graves levam ao
anabolismo e o processo de quebra de moléculas e de aumento do ritmo respiratório (hiperventilação) o que gera
eliminação de substâncias desnecessárias é denominado também um aumento do pH sanguíneo caracterizando a
catabolismo. alcalose respiratória. Manifesta-se por agitação, ansiedade e
Grande quantidade de energia é necessária para a fraqueza.
realização do trabalho cardíaco, da contração muscular, da
condução nervosa e etc., caracterizando um processo contínuo A desidratação é a perda excessiva de água e de sais,
que em última análise mantém as células vivas. Na combustão destacando-se o sódio. É uma situação que pode levar ao
dos alimentos o oxigênio é utilizado e o dióxido de carbono é estado de choque necessitando de cuidados intensivos. Na
eliminado. A medida do consumo de oxigênio nos indica o grau terceira idade a desidratação ocorre com muita facilidade e
de metabolismo do organismo. Este grau é muito variável rapidez caracterizando situações de grande importância
sendo influenciado por diversos fatores, como a atividade médica.
muscular, o tipo de dieta, o ciclo menstrual, hormônios Vômitos e diarréia caracterizam a principal causa de
(tireóide, testículos e ovários), a hora do dia, o estado desidratação. O diabetes não controlado e o uso abusivo de
emocional e evidentemente a idade. diuréticos também podem levar a desidratação na terceira
O organismo necessita um contínuo suprimento de energia idade. A doença renal crônica também pode contribuir para a
e esta vem basicamente das gorduras, açúcares e proteínas. Na desidratação. A sua manifestação é a sonolência, diminuição na
terceira idade ocorre uma lentidão do metabolismo de uma eliminação de urina (oligúria) e secura das mucosas (lábios,
forma geral, principalmente nas situações diretamente ligadas por exemplo). O tratamento é a reposição líquida rápida que
a determinadas funções glandulares, como ocorre com os em algumas situações deve ser feita via venosa. Esta reposição
ovários, testículos e tireóide principalmente. Também na é constituída basicamente de água e sal. A correção do
terceira idade há uma tendência ao acúmulo de radicais livres. distúrbio desencadeante é fundamental.
Os radicais livres são moléculas que surgem durante o A temperatura ambiente tem grande importância na
processo vital da respiração das células, provenientes terceira idade, quando o organismo diminui sua capacidade de
diretamente do oxigênio ou do processo de oxidação. Os se adaptar a longos períodos de exposição ao frio ou ao calor.
radicais livres constituem uma ameaça para as células, pois A temperatura média de nosso corpo é de 36°C, com variação
quando atingem determinadas quantidades podem alterar as diária de + ou - 0,6°C. A exposição prolongada ao frio pode
estruturas das proteínas e/ou das gorduras, favorecendo levar uma situação denominada hipotermia, quando ocorre
doenças como a arteriosclerose, a catarata e o enfisema queda da temperatura a níveis de 35°C. Esta situação pode ser
pulmonar por exemplo, acelerando o processo de acidental e ocorre eventualmente em pessoas acamadas ou
envelhecimento. Hoje está bem conhecido, também, que o pessoas com muito pouca movimentação e ingestão precária
aumento na concentração de radicais livres compromete de alimentos. A pessoa em geral não sente o frio e não se
seriamente nosso sistema imunológico, responsável por queixa, e também não há tremores. Em geral ocorre durante o
nossas defesas e relacionado a vários tipos de câncer. Em sono. A situação pode evoluir para graves consequências.
determinadas situações como as isquemias, ou a falta de O excesso de calor na terceira idade pode favorecer o
irrigação sanguínea, ocorre um aumento de radicais livres, acidente vascular cerebral e também pode levar a um estado
como também nos processos inflamatórios, em doenças de fraqueza, com sonolência e sudorese abundante. As
hepáticas e renais, etc. disfunções da tireóide quando ocorrem na terceira idade
O organismo tem formas adequadas de combater os podem levar ao descontrole metabólico. As doenças da
radicais livres através de substâncias denominadas tireóide são mais frequentes nas mulheres, e caracterizam o
antioxidantes produzidas pelas próprias células, mas que hipotireoidismo e o hipertireoidismo.
algumas vezes são insuficientes. Sabe-se que vitaminas do tipo http://www.boasaude.com.br
C e E são auxiliares no processo de combate aos radicais livres.
Uma vida saudável, com atividade física regular, dieta bem O que são distúrbios endócrinos?
equilibrada, e pouco estresse são os melhores trunfos contra a Doenças endócrinas são doenças relacionadas com as
excessiva produção de radicais livres. Algumas situações são glândulas endócrinas do corpo. O sistema endócrino produz
muito importantes para a manutenção do metabolismo hormônios, que são sinais químicos enviados para fora, ou
durante a terceira idade, destacando-se o equilíbrio secretadas, através da corrente sanguínea. Hormônios ajudam
acidobásico do organismo, a quantidade de água do organismo o corpo a regular os processos, tais como a respiração, o
e a temperatura ambiente. As principais alterações equilíbrio de fluidos, feminilidade ou masculinidade, e
metabólicas do idoso são a acidose, alcalose, a desidratação, a controle de peso.
alterações de temperatura, as disfunções da tireóide e os O sistema endócrino consiste em várias glândulas,
distúrbios do metabolismo do açúcar. incluindo a glândula pituitária e no hipotálamo no cérebro, as
glândulas suprarrenais nos rins, tireóide e no pescoço, bem
A acidose é uma situação que tem grande importância na como os do pâncreas, dos ovários e testículos. O estômago,
terceira idade. É um desequilíbrio metabólico devido a fígado e intestinos também secretam hormônios relacionados
diminuição do pH do sangue (acidose) podendo ser decorrente à digestão. Doenças endócrinas mais comuns estão
de problemas metabólicos ou respiratórios. O descontrole do relacionados ao mau funcionamento do pâncreas e hipófise,
diabetes é a principal causa de acidose metabólica na terceira tireóide e glândulas suprarrenais.
idade, que se manifesta através de sonolência, distúrbios Doenças endócrinas mais comuns são diabetes mellitus,
circulatórios e pode evoluir até para o estado de coma. acromegalia (excesso de produção de hormônio do
Diarréias graves e a insuficiência dos rins são outras causas de crescimento), a doença de Addison (diminuição da produção
acidose metabólica na terceira idade. de hormônios pelas glândulas suprarrenais), síndrome de
Cushing (altos níveis de cortisol por longos períodos de
A alcalose é um desequilíbrio metabólico que se tempo), doença de Graves (tipo de hipertireoidismo,
caracteriza pelo aumento do pH do sangue (diminuição de resultando em produção excessiva de hormônio da tireóide),
ácidos ou alcalose). Pode surgir também em decorrência de tireoidite de Hashimoto (doença autoimune que resulta em
distúrbios metabólicos ou de distúrbios respiratórios. O hipotireoidismo e baixa produção de hormônios da tireóide),

Anatomia e Fisiologia 22
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

hipertireoidismo (tireóide hiperativa), hipotireoidismo Os Sintomas Comuns da Tireoidite de Hashimoto


(hipoatividade da tireóide) e prolactinoma (excesso de Tireoidite de Hashimoto, ou tireoidite autoimune, é uma
produção de prolactina pela glândula pituitária). Esses condição na qual a tireoide é direcionada pelo sistema
distúrbios têm frequentemente sintomas generalizados, imunológico, levando ao hipotireoidismo e baixa produção de
afetam várias partes do corpo, e pode variar em gravidade de hormônios.
leve a muito grave. Os tratamentos dependem do transtorno Muitas vezes, a tireoidite de Hashimoto é assintomática,
específico, mas muitas vezes se concentrar em ajustar o mas os sintomas podem incluir: intolerância ao frio, prisão de
equilíbrio hormonal com hormônios sintéticos. ventre, perda de cabelo, fadiga bócio, dores muscular e
O tratamento atual é geralmente bastante eficaz para articular, períodos menstruais irregulares, ganho de peso.
distúrbios endócrinos, e as consequências graves de disfunção
endócrina são raros. No entanto, distúrbios endócrinos não Os Sintomas Mais Comuns de Hipertireoidismo
tratados pode ter complicações comuns de todo o corpo. O hipertireoidismo é uma condição caracterizada por uma
Embora distúrbios endócrinos geralmente não necessitam hiperatividade da glândula tireoide. Os sintomas mais comuns
de hospitalização, em alguns casos, eles podem levar a do hipertireoidismo são: diarreia, dificuldade para dormir,
sintomas graves. Procurar assistência médica imediata para fadiga e fraqueza, bócio, intolerância ao calor, irritabilidade e
sintomas graves, tais como dificuldade em respirar, dor no alterações de humor, taquicardia, tremores, perda de peso
peito, ou dificuldade de pensar com clareza. inexplicável.
Procurar atendimento médico imediato se você está sendo
tratado por doenças endócrinas e tem sintomas incômodos Os Sintomas Mais Comuns do Hipotireoidismo
persistentes, pois podem indicar uma doença mais grave. O hipotireoidismo é uma condição na qual a tireoide é
http://o.canbler.com hipoativa e produz pouco hormônio. Muitas vezes, o
hipotireoidismo pode ser assintomático ou muito leve.
Os Sintomas Mais Comuns de Diabetes Os sintomas mais comuns do hipotireoidismo incluem:
Diabetes mellitus é o distúrbio endócrino mais comum e intolerância ao frio, prisão de ventre, diminuição da produção
ocorre quando o pâncreas não produz insulina suficiente, ou o de suor, fadiga, bócio dores muscular e articular, períodos
organismo não consegue utilizar a insulina disponível. Os menstruais irregulares, diminuição da frequência, ganho de
sintomas de tipo 1 e diabetes tipo 2 incluem: sede excessiva ou peso inexplicável.
fome, fadiga, urinar frequentemente, náuseas e vômitos, perda
ou ganho de peso sem explicação, alterações na visão. Os Sintomas Mais Comuns de Prolactinoma
Prolactinoma surge quando uma glândula pituitária torna
Os Sintomas Mais Comuns da Acromegalia disfuncional o excesso de hormônio prolactina, que funciona
A acromegalia é uma doença na qual a glândula pituitária na produção de leite. Esse excesso pode levar a sintomas como:
produz em excesso o hormônio de crescimento. Isto leva a disfunção erétil, infertilidade, perda da libido, períodos
sintomas de crescimento excessivo, especialmente das mãos e menstruais não irregulares, produção de leite inexplicável.
dos pés. http://saude.culturamix.com
Os sintomas da acromegalia incluem: crescimento anormal
de lábios nariz ou língua, mãos ou pés anormalmente grandes Sistema Excretor (urinário).
ou inchados, estrutura óssea facial alterada, dores articulares,
fadiga e fraqueza, dores de cabeça, crescimento excessivo do O sistema excretor é formado por um conjunto de órgãos
osso e da cartilagem e espessamento da pele, disfunção sexual, que filtram o sangue, produzem e excretam a urina - o
incluindo diminuição da libido, apeia do sono, deficiência principal líquido de excreção do organismo. É constituído por
visual. um par de rins, um par de ureteres, pela bexiga urinária e pela
uretra.
Os Sintomas Mais Comuns da Doença de Addison
Doença de Addison é caracterizada pela diminuição da
produção de cortisol, e aldosterona, devido aos danos da
glândula suprarrenal. Os sintomas mais comuns da doença de
Addison incluem: depressão, diarreia, fadiga, dor de cabeça,
hipoglicemia (baixa de glicose no sangue), perda de apetite,
pressão arterial baixa, náuseas, com ou sem vômitos, perda de
peso inexplicável.

Os sintomas Mais Comuns da Síndrome de Cushing


A síndrome de Cushing surge do excesso de cortisol,
produzido pelas glândulas suprarrenais. Os sintomas da
síndrome de Cushing incluem: gordura entre as omoplatas,
descoloração da pele, como hematomas, fadiga, sentir muita
sede, afinamento e enfraquecimento dos ossos (osteoporose),
vontade frequente de urinar, hiperglicemia, hipertensão,
irritabilidade e alterações de humor, obesidade da parte
superior do corpo.

Os Sintomas Comuns da Doença de Graves Os rins situam-se na parte dorsal do abdome, logo abaixo
A doença de Graves é um tipo de hipertireoidismo, do diafragma, um de cada lado da coluna vertebral, nessa
resultando em excesso de produção do hormônio da tireoide. posição estão protegidos pelas últimas costelas e também por
Os sintomas comuns da doença de Graves incluem: diarréia, uma camada de gordura. Têm a forma de um grão de feijão
dificuldade para dormir, olhos dilatados, fadiga e fraqueza, enorme e possuem uma cápsula fibrosa, que protege o córtex
bócio (aumento da glândula tireoide), intolerância ao calor, - mais externo, e a medula - mais interna.
frequência cardíaca irregular, irritabilidade e alterações de
humor, taquicardia, tremores, perda de peso inexplicável.

Anatomia e Fisiologia 23
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Cada rim é formado de tecido conjuntivo, que sustenta e dá


forma ao órgão, e por milhares ou milhões de unidades
filtradoras, os néfrons, localizados na região renal.

O néfron é uma longa estrutura tubular microscópica que


possui, em uma das extremidades, uma expansão em forma de
taça, denominada cápsula de Bowman, que se conecta com o
túbulo contorcido proximal, que continua pela alça de
Henle e pelo túbulo contorcido distal; este desemboca em
um tubo coletor. São responsáveis pela filtração do sangue e
remoção das excreções.

Como funcionam os rins

O sangue chega ao rim através da artéria renal, que se


ramifica muito no interior do órgão, originando grande
número de arteríolas aferentes, onde cada uma ramifica-se no
interior da cápsula de Bowman do néfron, formando um
enovelado de capilares denominado glomérulo de Malpighi. Imagem: LOPES, SÔNIA. Bio 2.São Paulo, Ed. Saraiva,
2002.
O sangue arterial é conduzido sob alta pressão nos
capilares do glomérulo. Essa pressão, que normalmente é de Os capilares que reabsorvem as substâncias úteis dos
70 a 80 mmHg, tem intensidade suficiente para que parte do túbulos renais se reúnem para formar um vaso único, a veia
plasma passe para a cápsula de Bowman, processo renal, que leva o sangue para fora do rim, em direção ao
denominado filtração. Essas substâncias extravasadas para a coração.
cápsula de Bowman constituem o filtrado glomerular, que é
semelhante, em composição química, ao plasma sanguíneo, Regulação da função renal
com a diferença de que não possui proteínas, incapazes de
atravessar os capilares glomerulares. A regulação da função renal relaciona-se basicamente com
a regulação da quantidade de líquidos do corpo. Havendo
O filtrado glomerular passa em seguida para o túbulo necessidade de reter água no interior do corpo, a urina fica
contorcido proximal, cuja parede é formada por células mais concentrada, em função da maior reabsorção de água;
adaptadas ao transporte ativo. Nesse túbulo, ocorre havendo excesso de água no corpo, a urina fica menos
reabsorção ativa de sódio. A saída desses íons provoca a concentrada, em função da menor reabsorção de água.
remoção de cloro, fazendo com que a concentração do líquido O principal agente regulador do equilíbrio hídrico no corpo
dentro desse tubo fique menor (hipotônico) do que do plasma humano é o hormônio ADH (antidiurético), produzido no
dos capilares que o envolvem. Com isso, quando o líquido hipotálamo e armazenado na hipófise. A concentração do
percorre o ramo descendente da alça de Henle, há passagem plasma sanguíneo é detectada por receptores osmóticos
de água por osmose do líquido tubular (hipotônico) para os localizados no hipotálamo. Havendo aumento na concentração
capilares sanguíneos (hipertônicos) – ao que chamamos do plasma (pouca água), esses osmorreguladores estimulam a
reabsorção. O ramo descendente percorre regiões do rim com produção de ADH. Esse hormônio passa para o sangue, indo
gradientes crescentes de concentração. Consequentemente, atuar sobre os túbulos distais e sobre os túbulos coletores do
ele perde ainda mais água para os tecidos, de forma que, na néfron, tornando as células desses tubos mais permeáveis à
curvatura da alça de Henle, a concentração do líquido tubular água. Dessa forma, ocorre maior reabsorção de água e a urina
é alta. fica mais concentrada. Quando a concentração do plasma é
baixa (muita água), há inibição da produção do ADH e,
Esse líquido muito concentrado passa então a percorrer o consequentemente, menor absorção de água nos túbulos
ramo ascendente da alça de Henle, que é formado por células distais e coletores, possibilitando a excreção do excesso de
impermeáveis à água e que estão adaptadas ao transporte água, o que torna a urina mais diluída.
ativo de sais. Nessa região, ocorre remoção ativa de sódio,
ficando o líquido tubular hipotônico. Ao passar pelo túbulo Certas substâncias, como é o caso do álcool, inibem a
contorcido distal, que é permeável à água, ocorre reabsorção secreção de ADH, aumentando a produção de urina.
por osmose para os capilares sanguíneos. Ao sair do néfron, a Além do ADH, há outro hormônio participante do
urina entra nos dutos coletores, onde ocorre a reabsorção final equilíbrio hidro iônico do organismo: a aldosterona,
de água. produzida nas glândulas suprarrenais. Ela aumenta a
reabsorção ativa de sódio nos túbulos renais, possibilitando
Dessa forma, estima-se que em 24 horas são filtrados cerca maior retenção de água no organismo. A produção de
de 180 litros de fluido do plasma; porém são formados apenas aldosterona é regulada da seguinte maneira: quando a
1 a 2 litros de urina por dia, o que significa que concentração de sódio dentro do túbulo renal diminui, o rim
aproximadamente 99% do filtrado glomerular é reabsorvido. produz uma proteína chamada renina, que age sobre uma
proteína produzida no fígado e encontrada no sangue
Além desses processos gerais descritos, ocorre, ao longo denominada angiotensinogênio (inativo), convertendo-a em
dos túbulos renais, reabsorção ativa de aminoácidos e glicose. angiotensina (ativa). Essa substância estimula as glândulas
Desse modo, no final do túbulo distal, essas substâncias já não suprarrenais a produzirem a aldosterona.
são mais encontradas.
RESUMINDO

Sangue arterial conduzido sob alta pressão nos capilares


do glomérulo (70 a 80 mmHg) à filtração à parte do plasma
(sem proteínas e sem células) passa para a cápsula de

Anatomia e Fisiologia 24
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Bowmann (filtrado glomerular) à reabsorção ativa de Na +, O Corpo Masculino


K+, glicose, aminoácidos e passiva de Cl- e água ao longo dos As principais modificações visíveis no corpo masculino ao
túbulos do néfron, como esquematizado abaixo. longo da adolescência estão descritas abaixo.
Os testículos (dentro do saco escrotal) crescem primeiro e,
pouco tempo depois, o pênis. Na puberdade, os pelos surgem
Túbulo contorcido proximal em diversos locais: no rosto, nas axilas, no peito e nas áreas
(células adaptadas ao transporte próximas aos testículos. A voz também sofre mudanças. Esse
ativo) à reabsorção ativa de sódio / conjunto de características que se definem na puberdade, em
remoção passiva de cloro consequência da ação hormonal, recebe o nome de
características sexuais secundárias. Estas, porém, não
obedecem a padrões rígidos. Adolescentes de mesma idade
líquido tubular torna-se podem apresentar diferenças significativas em relação à
hipotônico em relação ao plasma estatura do corpo, quantidade de pelos, tamanho do pênis,
dos capilares timbre de voz etc. O grupo étnico a que pertence o indivíduo, a
herança genética, hábitos alimentares, problemas de saúde,
dentre outros fatores, são responsáveis por essas diferenças.
Assim, colegas de mesma idade que a sua podem ser mais
absorção de água por osmose altos ou mais baixos que você ou terem a voz mais ou menos
para os capilares na porção grave que a sua, por exemplo. Isto não deve preocupá-lo. As
descendente da alça de Henle pessoas são diferentes e apresentam ritmos desiguais de
desenvolvimento do corpo. É importante gostar de você,
aprendendo a cuidar e valorizar o seu próprio corpo.
porção ascendente da alça de
Henle impermeável à água e
adaptada ao transporte ativo de sais
à remoção ativa de sódio

líquido tubular hipotônico à


reabsorção de água por osmose no
túbulo contorcido distal

OBS: Ocorre, também, ao longo dos túbulos renais,


reabsorção ativa de aminoácidos e glicose. Desse modo, no
final do túbulo distal essas substâncias já não são mais
encontradas. Veja as principais modificações visíveis no corpo
masculino, ao longo do tempo.

Regulação da função renal - resumo Os rapazes possuem uma pequena quantidade de


hormônios sexuais femininos, as garotas, uma pequena
HORMÔNIO ANTIDIURÉTICO (ADH): principal agente quantidade de hormônios sexuais masculinos. Na puberdade,
fisiológico regulador do equilíbrio hídrico, produzido no às vezes, um pequeno desequilíbrio na quantidade desses
hipotálamo e armazenado na hipófise. hormônios pode provocar um ligeiro crescimento das mamas
1- Aumento na concentração do plasma (pouca água) nos rapazes ou pelos em excesso nas garotas. Em geral, isso
receptores osmóticos localizados no desaparece com o tempo, mas, se persistir, o mais
hipotálamo produção de ADH sangue túbulos distal e aconselhável é procurar orientação médica. Na região genital,
coletor do néfron células mais permeáveis à encontramos o pênis e o saco escrotal.
água reabsorção de água urina mais concentrada.
Pênis e a Ejaculação - O pênis é um órgão de forma
2- Concentração do plasma baixa (muita água) e cilíndrica e constituído principalmente por tecido erétil, ou
álcool inibição de ADH menor absorção de água nos seja, que tem capacidade de se erguer. Com a excitação sexual,
túbulos distal e coletor urina mais diluída. esse tecido e banhado e preenchido por maior quantidade de
sangue, o que torna o pênis ereto e rígido. Na ponta do pênis,
há a glande (a “cabeça”), que pode estar coberta pelo prepúcio.
3- ALDOSTERONA: produzida nas glândulas Na glande, há o orifício da uretra, canal que no corpo
suprarrenais, aumenta a absorção ativa de sódio e a masculino se comunica tanto com o sistema urinário quanto
secreção ativa de potássio nos túbulos distal e coletor. com o sistema reprodutor. O tamanho do pênis varia entre os
homens e não tem relação biológica com fertilidade e nem com
Sistema Reprodutor potência sexual.

Mudanças no corpo
A descoberta do sexo acontece com a descoberta do corpo.
Moças e rapazes costumam acompanhar atentamente as
mudanças que ocorrem nos seus órgãos sexuais externos.
Essas mudanças são provocadas pela ação de hormônios. As
características sexuais primárias, visíveis nos órgãos genitais,
são determinadas geneticamente e estão presentes desde o
nascimento, tanto no homem como na mulher.

Anatomia e Fisiologia 25
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Quando o homem é estimulado, como ocorre numa relação


sexual, culmina com o esperma sendo lançado para fora do
corpo masculino sob a forma de jatos. Esse fenômeno chama-
se ejaculação. O esperma é ejaculado através da uretra, por
onde a urina também é eliminada. Durante uma ejaculação
normal são expelidos de 2 a 4 mililitros de esperma; cada
mililitro contém aproximadamente 100 milhões de
espermatozoides.

Saco Escrotal: Os espermatozoides, gameta sexual


masculino, são produzidos nos testículos. Os testículos ficam
no saco escrotal, que tem aparência flácida e um pouco
enrugada. É importante eles se localizarem fora do abdome,
pois os espermatozoides são produzidos em uma temperatura
mais baixa do que a do restante do corpo. Nos dias frios ou
durante um banho frio, o saco escrotal se encolhe, favorecendo
o aquecimento dos testículos. O uso de cueca apertada pode
causar infertilidade temporária, decorrente do aquecimento
excessivo que provoca nos testículos.

Testículos: Os testículos são glândulas sexuais masculinas.


São formadas por tubos finos e enovelados, chamados túbulos
seminíferos. Diferentemente do que ocorre com as garotas,
que já nascem com “estoque” de gametas (óvulos) “prontos”
no corpo, é na puberdade, sob ação dos hormônios, que se
inicia no corpo masculino a produção de gametas (os
espermatozoides) nos testículos. A produção de
espermatozoides começa na puberdade, por volta dos 12 ou 13
anos de idade e vai até o fim da vida. Cada espermatozoide é
formado basicamente de três partes: cabeça, colo e cauda com
flagelo. Os testículos produzem também o hormônio sexual
masculino, chamado testosterona. O hormônio testosterona
O Corpo Feminino
estimula o aparecimento das características sexuais
secundárias masculinas: pelos no rosto e no restante do corpo,
Observe a figura abaixo que mostra a passagem da
modificações na voz etc.
adolescente para a mulher adulta. Algumas das mudanças
dessa passagem são o aumento dos seios e o aparecimento de
Epidídimos: Os espermatozoides que acabam de ser
pelos pubianos e pelos nas axilas. Essas são algumas das
formados ficam armazenados no epidídimo, um outro
características sexuais secundárias femininas. Antes de
enovelado de túbulos localizados sobre os testículos. Os
falarmos do interior do corpo feminino, vamos conversar
epidídimos são dois órgãos formados por tubos enovelados,
sobre a parte externa, por meio da qual a mulher recebe
cada um localizado junto a um testículo. Reveja o esquema do
estímulos e se relaciona com o meio ambiente. Para a mulher,
sistema genital masculino e observe a localização dos
conhecer o próprio corpo é fundamental para ajudar a mantê-
epidídimos. Os espermatozoides podem ficar armazenados
lo saudável. O ginecologista (médico especializado em órgãos
nesses tubos por aproximadamente uma a três semanas, até
reprodutores femininos) pode esclarecer dúvidas caso seja
que a maturação seja completada. Isso aumenta a sua
notado alguma alteração que cause estranheza.
mobilidade. Os espermatozoides passam do epidídimo para
Vulva: nessa região, estão os pequenos e grandes lábios,
um tubo com parede muscular chamado ducto deferente. De
que são dobras de pele muito sensíveis. Entre os pequenos
cada epidídimo parte um ducto deferente. Posteriormente e
lábios, há o clitóris, pequenina estrutura do tamanho
sob a bexiga urinária, cada ducto deferente se une ao canal da
aproximado de uma ervilha e, que em geral, provoca grandes
glândula seminal do mesmo lado e forma um tubo único,
sensações de prazer, quando estimulado.
chamado ducto ejaculatório. Os ductos ejaculatórios lançam os
Abertura da vagina: leva aos órgãos sexuais internos.
espermatozoides num outro canal - a uretra. A uretra é um
Essa abertura é parcialmente bloqueada, na maioria das
tubo que se inicia na bexiga urinária, percorre o interior do
garotas virgens, por uma fina membrana chamada hímen, que,
pênis e se abre no meio externo.
geralmente, é rompido na primeira relação sexual com a
penetração do pênis. O hímen tem uma abertura por onde
Glândulas Seminais e Próstata: As glândulas
ocorre a saída do sangue menstrual.
seminais são duas glândulas em forma de bolsa. Elas
Uretra: o orifício da uretra é por onde sai a urina; não
produzem um líquido denso que nutre os espermatozoides
conduz a nenhum órgão sexual interno.
e aumenta a sua mobilidade. A próstata é uma glândula
Ânus: o ânus é o orifício por onde saem as fezes; é a saída
produtora de um líquido de aspecto leitoso. Esse líquido é
da tubo digestório. Também não tem ligação com órgãos
leitoso e neutraliza a acidez de restos de urina na uretra e,
sexuais internos.
numa relação sexual, a acidez natural da vagina, protegendo
Períneo: entre o ânus e a vulva, na entrada da vagina,
assim os espermatozoides. Em sua “viagem” até a uretra, os
existe uma região chamada períneo. No homem, o períneo
espermatozoides recebem os líquidos produzidos pelas
localiza-se entre o saco escrotal e o ânus.
glândulas seminais e pela próstata. Ao passar pela uretra, os
Na hora do parto, muitas vezes é necessário fazer um
espermatozoides recebem também um líquido lubrificante
pequeno corte no períneo, para que a cabeça do bebê não
produzidos pelas glândulas bulbouretrais. Ao conjunto
lacere (corte) os músculos dessa região. Isso é importante para
formado pelos espermatozoides e os líquidos produzidos pelas
proteger a mãe, pois lesões extensas no períneo farão com que
glândulas seminais, pela próstata e pelas glândulas
ela, no futuro, possa sofrer de “queda de bexiga” e perda da
bulbouretrais dá-se o nome de esperma ou sêmen.
capacidade de controlar a retenção da urina. Após o

Anatomia e Fisiologia 26
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

nascimento do bebê, o médico faz a sutura (dá pontos com A Ovulação


linha e agulha cirúrgica) do períneo. O procedimento é feito
com anestesia local. A ovulação é a liberação de um óvulo maduro feita por um
Vagina: é o canal que liga a vulva até o útero. dos ovários por volta do 14º dia do ciclo menstrual, contado a
Útero: é um órgão oco, constituído por tecido muscular, partir do primeiro dia de menstruação. No ovário (o local de
com grande elasticidade, que tem forma e tamanho onde sai o óvulo) surge o corpo lúteo ou amarelo – uma
semelhantes aos de uma pera. Em caso de gravidez, o útero estrutura amarelada que passa a produzir o estrogênio e
está preparado para alojar o embrião até o nascimento. progesterona. Esses hormônios atuam juntos, preparando o
Ovários: os ovários são as glândulas sexuais femininas, nas útero para uma possível gravidez, além disso, o estrogênio
quais, desde o nascimento da menina – ficam armazenados estimula o aparecimento das características sexuais femininas
aproximadamente 400 mil gametas femininos. Essas células secundárias. O óvulo liberado é “captado” por uma das tubas
sexuais são chamadas óvulos. Elas contém a metade do uterinas, que ligam os ovários ao útero. Revestindo essas tubas
material genético necessário ao desenvolvimento de um bebê. internamente, existem células com cílios que favorecem o
Os óvulos que existem nos ovários das meninas são imaturos. deslocamento do óvulo até a cavidade do útero.
Os hormônios sexuais são responsáveis pelo amadurecimento
e pela liberação desses óvulos.
Tubas uterinas: são dois tubos delgados que ligam os
ovários ao útero. Revestindo esses tubos internamente,
existem células com cílios que favorecem o deslocamento do
óvulo até a cavidade uterina.
Os seios: o desenvolvimento dos seios ocorre na
puberdade e nem sempre acontece de forma idêntica, às vezes,
um seio é ligeiramente maior do que o outro. O tamanho do
seio varia de uma mulher para outra. Do mesmo modo que
acontece com o nariz, com as mãos ou com os pés, que não são
de tamanho igual em todas as pessoas, nem mesmo no caso de
irmãos. O seio é formado por um tecido gorduroso e por
pequenas glândulas chamadas glândulas mamárias. Essas
glândulas são ligadas ao mamilo (bico) por canais, através dos A Fecundação
quais o leite passa durante a amamentação. O mamilo, em
geral, é muito sensível ao toque. A mulher pode ficar grávida se, quando o óvulo estiver
O desenvolvimento dos seios e de outras formas do corpo nesses tubos, ela mantiver relação sexual com o parceiro e um
das meninas, como a cintura mais fina, os quadris espermatozoide (célula reprodutora masculina) entrar no
arredondados, depende de quando e quanto hormônio sexual óvulo. O encontro de gametas (óvulo e espermatozoide), na
é produzido pelo corpo dela, ou seja, pelos ovários. Algumas tuba uterina, chama-se fecundação. Apenas um dos milhões de
meninas começam a produzir mais hormônios sexuais mais espermatozoides contidos no esperma penetra no óvulo, na
cedo do que outras. Por isso, além de ficarem menstruadas fecundação. Depois da fecundação, ocorre então a formação da
primeiro, determinadas garotas desenvolvem o “corpo de célula-ovo ou zigoto. Essa primeira célula de um novo ser sofre
mulher” mais precocemente que outras. Outro fator divisões durante o seu trajeto pelo tubo até o útero. O sexo
importante a considerar é a hereditariedade, os traços físicos biológico desse novo ser humano – ou seja, o sexo do bebê – é
herdados dos pais, avós etc. Numa família na qual as mulheres definido na fecundação pelos cromossomos X ou Y.
possuem seios pouco desenvolvidos, é bem provável que as Os seres humanos, salvo raras exceções possuem 46
meninas venham a ter, também, seios pequenos. Ninguém cromossomos, sendo que dois deles são os cromossomos
melhor do que o médico para dizer se o desenvolvimento dos sexuais (que definem o sexo). As mulheres possuem dois
seios e dos demais sinais de maturação do corpo está de cromossomos X (portanto ela á XX) e os homens, um X e um Y
acordo com o previsto para a idade da garota. (portanto XY).

Na divisão celular (meiose) para a formação dos gametas


(óvulo e espermatozoide) a mulher só gera gametas (óvulos) X

Anatomia e Fisiologia 27
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

enquanto que o homem pode gerar gametas mitoses anormais. Essas células, se não forem destruídas,
(espermatozoides) X e Y. Então: podem dar origem a tumores.
- Se o espermatozoide que contém o cromossomo X
fecundar o óvulo (X), o embrião será do sexo feminino (XX). Células do sistema imune são altamente organizadas como
- Se o espermatozoide que contém o cromossomo Y um exército. Cada tipo de célula age de acordo com sua função.
fecundar o óvulo (X), o embrião será do sexo masculino (XY). Algumas são encarregadas de receber ou enviar mensagens de
ataque, ou mensagens de supressão (inibição), outras
A Menstruação apresentam o “inimigo” ao exército do sistema imune, outras
só atacam para matar, outras constroem substâncias que
A menstruação ocorre quando não há fecundação e o óvulo neutralizam os “inimigos” ou neutralizam substâncias
é eliminado pelo canal vaginal com o sangue e o material liberadas pelos “inimigos”.
resultante da descamação da mucosa uterina. O ciclo
menstrual é o período entre o início de uma menstruação e Além dos leucócitos, também fazem parte do sistema
outra. Esse período dura, em média 28 dias, mas pode ser mais imune as células do sistema mononuclear fagocitário, (SMF)
curto ou mais longo. A primeira menstruação se antigamente conhecido por sistema retículo-endotelial e
chama menarca e, na maioria das vezes ocorre entre 11 e 13 mastócitos. As primeiras são especializadas em fagocitose e
anos, embora não exista uma idade determinada para isso. A apresentação do antígeno ao exército do sistema imune. São
menstruação representa o início da vida fértil, isto é, o período elas: macrófagos alveolares (nos pulmões), micróglia (no
em que a mulher pode, se não houver problemas, engravidar. tecido nervoso), células de Kuppfer (no fígado) e macrófagos
Por volta dos 50 anos o “estoque” de óvulos se esgota, pois em geral.
alguns foram liberados nas ovulações e outros se Os mastócitos são células do tecido conjuntivo, originadas
degeneraram. Cessam as menstruações e, com isso a a partir de células mesenquimatosas (células de grande
fertilidade da mulher. Nessa fase, denominada menopausa, potência de diferenciação que dão origem às células do tecido
grande parte das mulheres sentem desconforto por conta da conjuntivo). Possuem citoplasma rico em grânulos basófilos
redução de hormônios. Esse desconforto é marcado (coram-se por corantes básicos). Sua principal função é
principalmente por aumento da sensação de calor corporal e armazenar potentes mediadores químicos da inflamação,
pode ser diminuído com tratamento médico. como a histamina, heparina, ECF-A (fator quimiotáxico – de
atração- dos eosinófilos) e fatores quimiotáxicos (de atração)
dos neutrófilos. Elas participam de reações alérgicas (de
hipersensibilidade), atraindo os leucócitos até o local e
proporcionando uma vasodilatação.

O nosso organismo possui mecanismos de defesa que


podem ser diferenciados quanto a sua especificidade, ou seja,
existem os específicos contra o antígeno ("corpo estranho") e
os inespecíficos que protegem o corpo de qualquer material
ou microorganismo estranho, sem que este seja específico.
O organismo possui barreiras naturais que são
obviamente inespecíficas, como a da pele (queratina, lipídios
e ácidos graxos), a saliva, o ácido clorídrico do estômago, o pH
da vagina, a cera do ouvido externo, muco presente nas
mucosas e no trato respiratório, cílios do epitélio respiratório,
peristaltismo, flora normal, entre outros.
Se as barreiras físicas, químicas e biológicas do corpo
forem vencidas, o combate ao agente infeccioso entra em outra
A menstruação pode vir acompanhada de cólicas. Se as fase. Nos tecidos, existem células que liberam substâncias
dores forem leves, atividades físicas orientadas, técnicas de vasoativas, capazes de provocar dilatação das arteríolas da
relaxamento bolsa de água quente sobre o ventre e chás região, com aumento da permeabilidade e saída de líquido.
podem ser de grande ajuda. Caso as cólicas sejam intensas e Isso causa vermelhidão, inchaço, aumento da temperatura e
dolorosas, é recomendado procurar um ginecologista, que dor, conjunto de alterações conhecido como inflamação.
pode ajudar a solucionar esse problema. Durante a Essas substâncias atraem mais células de defesa, como
menstruação o cuidado com a higiene deve ser redobrado. O neutrófilos e macrófagos, para a área afetada.
sangue eliminado não é sujo, mas, em contato com o ar, pode
provocar mau cheiro e se transformar em um meio propício A vasodilatação aumenta a temperatura no local
para o desenvolvimento de micróbios. A rotina não deve ser inflamado, dificultando a proliferação de microrganismos e
alterada. Tomar banho, lavar os cabelos, fazer ginástica, estimulando a migração de células de defesa. Algumas das
dançar, tomar sorvete não faz mal algum. Os absorventes substâncias liberadas no local da inflamação alcançam o
descartáveis são os mais indicados, e a troca deles deve ser centro termorregulador localizado no hipotálamo, originando
regular, de acordo com a intensidade do fluxo sanguíneo. a febre (elevação da temperatura corporal). Apesar do mal-
estar e desconforto, a febre é um importante fator no combate
SISTEMA IMUNOLÓGICO E LINFÁTICO às infecções, pois além de ser desfavorável para a
sobrevivência dos microorganismos invasores, também
O sistema imunológico ou sistema imune é de grande estimula muitos dos mecanismos de defesa de nosso corpo.
eficiência no combate a microorganismos invasores. Mas não
é só isso; ele também é responsável pela “limpeza” do Por diapedese, neutrófilos e monócitos são atraídos até o
organismo, ou seja, a retirada de células mortas, a renovação local da inflamação, passando a englobar e destruir
de determinadas estruturas, rejeição de enxertos, e memória (fagocitose) os agentes invasores. A diapedese e a fagocitose
imunológica. Também é ativo contra células alteradas, que fazem dos neutrófilos a linha de frente no combate às
diariamente surgem no nosso corpo, como resultado de infecções.

Anatomia e Fisiologia 28
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Outras substâncias liberadas no local da infecção chegam de gerar radicais livres com intensa ação destruidora sobre
pelos vasos sanguíneos até a medula óssea, estimulando a agentes infecciosos.
liberação de mais neutrófilos, que ficam aumentados durante Ao mesmo tempo em que aparecem células de memória da
a fase aguda da infecção. No plasma também existem proteínas linhagem B, também algumas células da linhagem T adquirem
de ação bactericida que ajudam os neutrófilos no combate à “memória imunológica”, podendo desencadear uma resposta
infecção. celular do tipo citotóxica com mais rapidez e intensidade.
A inflamação determina o acúmulo de fibrina, que forma
um envoltório ao redor do local, evitando a progressão da As alergias
infecção.
Caso a resposta inflamatória não seja eficaz na contenção Em algumas pessoas, o sistema imune assume o papel de
da infecção, o sistema imune passa a depender de mecanismos “vilão”, em vez de “patrulheiro”. Passa a produzir anticorpos
mais específicos e sofisticados, dos quais tomam parte vários contra antígenos potencialmente inofensivos, como pólen e
tipos celulares, o que chamamos resposta imune específica. alguns alimentos, desencadeando manifestações
desagradáveis, como urticária ou asma brônquica.
Resposta específica Essas reações são deflagradas pelos mastócitos, células
que contêm grânulos de heparina (ação anticoagulante) e
A resposta imune é um dos mais importantes mecanismos histamina (provoca reações alérgicas). Indivíduos com
adaptativos, pois permite a sobrevivência em ambientes predisposição hereditária acabam produzindo em maior
potencialmente lesivos. A batalha contra a infecção se quantidade anticorpos de uma classe especial, chamada IgE,
processa em duas frentes: a imunidade humoral, mediada que se fixam às membranas dos mastócitos. Caso entrem em
por anticorpos, e a imunidade celular, mediada por células. contato com seus antígenos específicos, promovem a liberação
Em função da inflamação, aumenta a drenagem de líquido do conteúdo celular para o meio extracelular, desencadeando
e de materiais pelos vasos linfáticos e a chegada desses processos alérgicos.
materiais aos gânglios linfáticos da região, onde existem Os pacientes alérgicos apresentam concentração alta de
muitos macrófagos. IgE, e de eosinófilos. A elevação de eosinófilos também ocorre
Entre as células que normalmente são encontradas nos em doenças parasitárias.
gânglios linfáticos destacam-se os linfócitos e as A forma mais grave de reação alérgica é o choque
células apresentadoras de antígenos, que reconhecem anafilático, desencadeado por alérgenos (antígenos que
substâncias estranhas ao corpo (macrófagos). Essas provocam alergia) ingeridos ou inoculados. As manifestações
estimulam os linfócitos T4 ou auxiliadores a produzirem não são dependentes da quantidade de alérgeno que entra no
inúmeras substâncias capazes de estimular outros linfócitos corpo. Em algumas pessoas uma única ferroada de abelha pode
T e outras importantes células de defesa. Essas substâncias ser suficiente para provocar o choque, que acontece por
são as interleucinas e os interferons. liberação maciça de histamina no organismo, causando
Algumas interleucinas estimulam os linfócitos B, que se vasodilatação generalizada e queda acentuada da pressão
transformam em plasmócitos, células produtoras de arterial, que pode levar à morte em poucos minutos.
anticorpos (ou imunoglobulinas), proteínas presentes no Frequentemente há edema da laringe, o que dificulta a
plasma sanguíneo. A resposta dependente de anticorpos é passagem de ar e causa asfixia.
chamada imunidade humoral. Os anticorpos apresentam
diversos mecanismos de ação, dos quais podemos destacar Imunização
como mais importantes:
Indivíduos que já tiveram doenças como a caxumba ou a
- é alguns anticorpos, quando se ligam à superfície de uma rubéola costumam estar protegidos permanentemente, devido
bactéria, têm capacidade própria de destruí-la. à formação de anticorpos duradouros. Evidentemente que
- é existem bactérias dotadas de cápsulas, que são capazes adquirir a imunização através da doença não é o melhor
de escapar da fagocitose executada por neutrófilos e processo. Com essa finalidade são desenvolvidas
macrófagos. Entretanto, quando estão recobertas pelos as vacinas que deverão ser aplicadas segundo um calendário
anticorpos, passam a ser fagocitadas. bem programado.
- é os anticorpos que recobrem as mucosas, como as das As vacinas podem apresentar os microrganismos (vírus
vias aéreas e as do tubo digestório, podem impedir que os ou bactéria) mortos ou vivos e “atenuados” (processos físico-
agentes infecciosos as atravessem. químicos que impedem a manifestação da doença, reduzindo a
virulência do agente causador). As pessoas irão recebê-las
A ligação entre o anticorpo e o antígeno tem elevada através de injeção ou por via oral (ex.: vacina Sabin – gotículas
especificidade, ou seja, cada anticorpo se liga a um antígeno contra a poliomielite). Assim, respeitado o calendário que
específico. A resposta humoral desencadeada contra um prevê os intervalos de tempo e número de doses
antígeno não é eficaz contra outro. adequadas, o nosso organismo desenvolve a imunidade ativa
Em segunda exposição a um determinado antígeno, a (produção dos próprios anticorpos específicos).
produção de anticorpos é mais rápida e intensa, ao que Há antígenos como os venenos de serpentes ou de
chamamos resposta imune secundária. aracnídeos que podem agir muito rapidamente no nosso
Os anticorpos são bastante ativos contra patógenos organismo, causando danos fisiológicos com risco de serem
extracelulares, como a maioria das bactérias. Parasitas fatais. Para essas situações são indicadas as aplicações
intracelulares, como os vírus, oferecem maior dificuldade para de soros específicos, os quais já apresentarão os anticorpos
serem destruídos e a ação dos anticorpos é menos eficaz. prontos.
Nesses casos, as células de defesa (linfócitos T8 e linfócitos NK Os soros são desenvolvidos da seguinte forma: pequenas
– Natural Killer, que possuem importante ação citotóxica) doses de veneno (antígenos) são injetadas num animal (cavalo,
atacam e destroem as células que estão sendo parasitadas ou por exemplo), sem lhe causar dano. Lentamente o animal fica
atacam os vírus no momento em que deixam as células imunizado contra esse tipo específico de veneno,
parasitadas. Como o ataque às células infectadas é feito por apresentando certa concentração dos anticorpos respectivos
outras células e não por anticorpos, chamamos imunidade na sua corrente sanguínea. Do sangue desse animal
celular. É desencadeada quando as interleucinas ativam os é separado o soro (plasma sem a proteína fibrinogênio), onde
macrófagos, que aumentam sua capacidade fagocitária, além estarão os anticorpos. Este soro apresentará a propriedade

Anatomia e Fisiologia 29
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

de curar uma pessoa “picada” que tenha recebido o respectivo Origem dos linfócitos: medula óssea (tecido conjuntivo
veneno. A esse processo chamamos de imunização passiva. reticular mielóide: precursor de todos os elementos figurados
É importante reconhecer que a mãe grávida (através do sangue).
da circulação placentária), além da alimentação e -Linfócitos T – maturam-se no timo.
oxigenação passa ao bebê parte dos anticorpos que ela -Linfócitos B – saem da medula já maduros.
possui. Isso confere imunidade nos primeiros meses após Os linfócitos chegam aos órgãos linfáticos periféricos
o nascimento. O mesmo processo ocorre através através do sangue e da linfa.
do leite durante o importantíssimo período de http://www.afh.bio.br
amamentação. Sistema Sensorioneural
Podemos concluir então que vacinas promovem Aparelho sensorial: constituição e funcionamento
imunização ativa, duradoura e preventiva, enquanto soros,
imunização passiva, temporária e curativa. O sistema sensorial é um conjunto de órgãos dotados de
células especializadas que são capazes de captar estímulos
Sistema linfático internos e externos.
Todo animal tem a capacidade de perceber estímulos
Sistema paralelo ao circulatório, constituído por uma vasta provenientes do ambiente externo e interno. Esses estímulos
rede de vasos semelhantes às veias (vasos linfáticos), que se são captados através de células altamente especializadas,
distribuem por todo o corpo e recolhem o líquido tissular que chamadas de células sensoriais; ou através de simples
não retornou aos capilares sanguíneos, filtrando-o e terminações nervosas dos neurônios. Essas células ou
reconduzindo-o à circulação sanguínea. terminações nervosas podem ser encontradas espalhadas pelo
É constituído pela linfa, vasos e órgãos linfáticos. corpo e nos órgãos dos sentidos (olfato, paladar, tato, visão e
audição), formando o sistema sensorial.
Os capilares linfáticos estão presentes em quase todos os Embora cada órgão do sentido apresente um tipo de célula
tecidos do corpo. Capilares mais finos vão se unindo em vasos sensorial diferente, elas funcionam de maneira muito
linfáticos maiores, que terminam em dois grandes dutos semelhante. Ao serem estimuladas, ocorre uma alteração na
principais: o duto torácico (recebe a linfa procedente da parte permeabilidade da membrana plasmática da célula sensorial,
inferior do corpo, do lado esquerdo da cabeça, do braço gerando impulsos nervosos que chegam até o sistema nervoso
esquerdo e de partes do tórax) e o duto linfático (recebe a central, onde serão interpretados. Esses impulsos nervosos
linfa procedente do lado direito da cabeça, do braço direito e gerados pelas células sensoriais (através de uma luz que atinge
de parte do tórax), que desembocam em veias próximas ao os olhos ou de um odor que chega às narinas) são muito
coração. semelhantes. Somente quando chegam às áreas do cérebro
responsáveis, nesse caso, pela visão e pelo olfato, é que os
Linfa: líquido que circula pelos vasos linfáticos. Sua impulsos serão interpretados como sensações visuais e
composição é semelhante à do sangue, mas não possui olfativas. Dessa forma, quem na verdade vê e cheira não são os
hemácias, apesar de conter glóbulos brancos dos quais 99% olhos e o nariz, e sim o cérebro.
são linfócitos. No sangue os linfócitos representam cerca de As células sensoriais que podem captar os estímulos do
50% do total de glóbulos brancos. ambiente são chamadas de exteroceptores e estão
distribuídas na superfície externa do corpo, podendo ser
Órgãos linfáticos: amígdalas (tonsilas), adenoides, baço, encontradas nos órgãos responsáveis pelo paladar, olfato,
linfonodos (nódulos linfáticos) e timo (tecido conjuntivo audição e visão.
reticular linfoide: rico em linfócitos). O quimioceptor é um tipo de exteroceptor responsável
pelo paladar e pelo olfato. Ele é estimulado quando moléculas
Amígdalas (tonsilas palatinas): produzem linfócitos. de substâncias específicas se encaixam em proteínas
receptoras presentes na membrana da célula, num processo
Timo: órgão linfático mais desenvolvido no período pré- chamado de chave-fechadura.
natal, involui desde o nascimento até a puberdade. Existem células sensoriais chamadas de proprioceptores
e interoceptores que são especializadas na captação de
Linfonodos ou nódulos linfáticos: órgãos linfáticos mais estímulos internos do corpo. Os proprioceptores são
numerosos do organismo, cuja função é a de filtrar a linfa e encontrados nos músculos, tendões, juntas, cápsulas
eliminar corpos estranhos que ela possa conter, como vírus e articulares e órgãos internos e têm a função de informar o
bactérias. Nele ocorrem linfócitos, macrófagos e plasmócitos. sistema nervoso sobre a posição dos membros do corpo em
A proliferação dessas células provocada pela presença de relação ao restante do corpo. Os interoceptores estão
bactérias ou substâncias/organismos estranhos determina o localizados nas vísceras e vasos e têm a função de perceber as
aumento do tamanho dos gânglios, que se tornam dolorosos, condições internas do organismo, permitindo-nos sentir sede,
formando a íngua. fome, náuseas, prazer sexual, etc., além de informar sobre as
pressões de CO2 e O2 e pressão arterial.
Baço: órgão linfático, excluído da circulação linfática, A nossa pele é responsável pelo tato e nela podemos
interposto na circulação sanguínea e cuja drenagem venosa encontrar os corpúsculos de Pacini, um mecanoceptor que
passa, obrigatoriamente, pelo fígado. Possui grande capta estímulos mecânicos, transmitindo-os ao sistema
quantidade de macrófagos que, através da fagocitose, nervoso central.
destroem micróbios, restos de tecido, substâncias estranhas, Em nossa língua estão as papilas gustativas, que são as
células do sangue em circulação já desgastadas como responsáveis pelo nosso paladar. Nela podemos encontrar
eritrócitos, leucócitos e plaquetas. Dessa forma, o baço “limpa” quimioceptores que detectam a presença de substâncias
o sangue, funcionando como um filtro desse fluído tão químicas. Há papilas gustativas especializadas na percepção
essencial. O baço também tem participação na resposta imune, dos quatro sabores (azedo, salgado, doce e amargo). O olfato
reagindo a agentes infecciosos. Inclusive, é considerado por também tem papel importante na percepção dos sabores.
alguns cientistas, um grande nódulo linfático. Nossas narinas são as responsáveis pelo sentido do olfato.
Nelas está o epitélio olfativo, um tecido especializado onde
encontramos milhares de células olfativas, que possuem
pelos que captam moléculas dissolvidas no ar que respiramos.

Anatomia e Fisiologia 30
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Os ouvidos são os órgãos responsáveis pela audição e pelo ossículos promove a passagem do som do ouvido externo para
equilíbrio. Nele encontramos mecanoceptores que captam o interno.
estímulos mecânicos retransmitindo-os ao sistema nervoso A vibração dos ossículos age sobre uma câmara chamada
central. de janela oval. No interior dessa cavidade existe um líquido,
Já nos olhos encontramos células sensoriais que são denominado perilinfa, no qual estão imersas células
estimuladas pela luminosidade, chamadas de fotoceptores, receptoras. Estas células são dotadas de pelos sensoriais que
responsáveis pelo sentido da visão. Essas células são captam as vibrações no meio líquido, transformando-as em
encontradas na retina e podem ser do tipo cone ou bastonete. impulsos nervosos que são transmitidos para o sistema
Os bastonetes são muito sensíveis a variações na nervoso central.
luminosidade, mas não distinguem cores, enquanto que os O ouvido também é responsável pelo equilíbrio e pela
cones as distinguem. percepção dos movimentos. Três regiões do ouvido interno
participam dessas funções: o sáculo, o utrículo e os canais
Pele semicirculares. O sáculo e o utrículo são pequenas bolsas
A pele é o maior órgão do corpo humano e, além de outras cheias de líquido e dotadas de células receptoras ciliadas em
funções, é responsável pelo tato. É através dela que sua parede. Entre os cílios das células receptoras existem
percebemos sensações como calor e dor. A pele possui pequenos cristais de carbonato de cálcio denominados
milhares de células receptoras em sua superfície. otólitos. Conforme a cabeça e o corpo se movimentam, os
Dentre essas células, encontramos os corpúsculos de otólitos também se movem e estimulam os cílios das células
Pacini. O corpúsculo é um mecanorreceptor que capta sensoriais. Estas transformam o estímulo mecânico em
estímulos mecânicos, como movimentos ou alterações na impulso nervoso, que é encaminhado ao sistema nervoso
pressão, e os transmite, na forma de impulsos elétricos, para o central.
sistema nervoso central. Os canais semicirculares também são preenchidos por
líquido e possuem um conjunto de células receptoras ciliadas.
Língua Conforme a cabeça e o corpo se movimentam, o líquido no
A língua possui receptores chamados de papilas interior dos canais se move e pressiona os cílios das células
gustativas, responsáveis pelo paladar. As papilas são sensoriais. Estas captam o estímulo e transmitem impulsos
quimiorreceptoras, isso quer dizer que elas são especializadas nervosos ao sistema nervoso central.
em detectar a presença de substâncias químicas.
Existem papilas gustativas especializadas na percepção Visão
dos quatro sabores básicos: doce, amargo, azedo e salgado. Os olhos possuem células fotorreceptoras, isto é, capazes
Cada tipo de papila se localiza numa região específica da de captar estímulos luminosos, produzindo estímulos
língua. A combinação de estímulos nesses quatro tipos de nervosos transmitidos ao sistema nervoso central. Estas
receptores transmite ao sistema nervoso informações acerca, células se situam na retina, uma camada de revestimento
por exemplo, do sabor dos alimentos que ingerimos. interno do olho, e são de dois tipos: bastonetes e cones. Os
Porém, o olfato também possui um papel importante na bastonetes são muito sensíveis a variações na intensidade
percepção dos sabores. É por isso que quando estamos com o luminosa, mas não distinguem cores, o que é realizado pelos
nariz entupido não conseguimos sentir direito o gosto dos cones.
alimentos. Os raios luminosos penetram nos olhos e passam pela
pupila. A pupila é uma estrutura capaz de controlar a
Nariz quantidade de luz que penetra no olho. Em ambientes muito
O nariz é o órgão que contém os receptores responsáveis claros ela se fecha; em locais escuros ela se abre.
pelo olfato. No interior da cavidade nasal existe um tecido
especializado, o epitélio olfativo, que contém milhares de Após passar pela pupila, os raios atingem o cristalino. O
receptores, chamados de células olfativas. cristalino atua como uma lente que projeta os raios luminosos
As células olfativas possuem pelos sensoriais que captam no fundo dos olhos, onde se encontram os bastonetes e cones.
moléculas voláteis ou de outras substâncias dispersas no ar Porém, o cristalino projeta a imagem de ponta-cabeça. A
inspirado. Em resposta à presença dessas moléculas, as células correção da posição é realizada pelo sistema nervoso central.
olfativas produzem estímulos nervosos. Estes são conduzidos
até o sistema nervoso central onde são traduzidos em Estrutura do tegumento (pele)
sensações.
O olfato atua em conjunto com o paladar na percepção dos O tegumento humano, mais conhecido como pele, é
sabores. O olfato também pode nos alertar sobre alimentos formado por duas camadas distintas, firmemente unidas entre
estragados, venenosos ou outras substâncias que, se ingeridas, si: a epiderme e a derme.
podem causar danos ao nosso organismo.
Epiderme
Ouvidos A epiderme é um epitélio multiestratificado, formado por
Os ouvidos sãos os órgãos responsáveis pela audição e pelo várias camadas (estratos) de células achatadas (epitélio
equilíbrio. No interior do ouvido existem células pavimentoso) justapostas. A camada de células mais interna,
mecanorreceptoras. Estas células captam estímulos denominada epitélio germinativo, é constituída por células
mecânicos, traduzindo-os em impulsos nervosos. que se multiplicam continuamente; dessa maneira, as novas
Inicialmente, vamos ver como funciona a audição. O som é células geradas empurram as mais velhas para cima, em
uma vibração, originada por alterações na pressão, que se direção à superfície do corpo. À medida que envelhecem, as
propaga através de meios elásticos. As ondas sonoras são células epidérmicas tornam-se achatadas, e passam a fabricar
captadas pelo ouvido externo, composto pela orelha e o canal e a acumular dentro de si uma proteína resistente e
auditivo externo. impermeável, a queratina. As células mais superficiais, ao se
Ao final do conduto auditivo existe uma membrana que tornarem repletas de queratina, morrem e passam a constituir
vibra de acordo com a intensidade e a frequência do som, o um revestimento resistente ao atrito e altamente impermeável
tímpano. As vibrações do tímpano são transmitidas para um à água, denominado camada queratinizada ou córnea.
conjunto de pequenos ossículos articulados (martelo, bigorna
e estribo) situados no ouvido médio. O movimento desses

Anatomia e Fisiologia 31
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Toda a superfície cutânea está provida de terminações nervosas capazes de captar estímulos térmicos, mecânicos ou dolorosos.
Essas terminações nervosas ou receptores cutâneos são especializados na recepção de estímulos específicos. Não obstante, alguns
podem captar estímulos de natureza distinta. Porém na epiderme não existem vasos sanguíneos. Os nutrientes e oxigênio chegam à
epiderme por difusão a partir de vasos sanguíneos da derme.
Nas regiões da pele providas de pelo, existem terminações nervosas específicas nos folículos capilares e outras chamadas
terminais ou receptores de Ruffini. As primeiras, formadas por axônios que envolvem o folículo piloso, captam as forças mecânicas
aplicadas contra o pelo. Os terminais de Ruffini, com sua forma ramificada, são receptores térmicos de calor.
Na pele desprovida de pelo e também na que está coberta por ele, encontram-se ainda três tipos de receptores comuns:

1) Corpúsculos de Paccini: captam especialmente estímulos vibráteis e táteis. São formados por uma fibra nervosa cuja porção
terminal, amielínica, é envolta por várias camadas que correspondem a diversas células de sustentação. A camada terminal é capaz de
captar a aplicação de pressão, que é transmitida para as outras camadas e enviada aos centros nervosos correspondentes.
2) Discos de Merkel: de sensibilidade tátil e de pressão. Uma fibra aferente costuma estar ramificada com vários discos terminais
destas ramificações nervosas. Estes discos estão englobados em uma célula especializada, cuja superfície distal se fixa às células
epidérmicas por um prolongamento de seu protoplasma. Assim, os movimentos de pressão e tração sobre epiderme desencadeiam o
estímulo.
3) Terminações nervosas livres: sensíveis aos estímulos mecânicos, térmicos e especialmente aos dolorosos. São formadas por
um axônio ramificado envolto por células de Schwann sendo, por sua vez, ambos envolvidos por uma membrana basal.
Na pele sem pelo encontram-se, ainda, outros receptores específicos:
4) Corpúsculos de Meissner: táteis. Estão nas saliências da pele sem pelos (como nas partes mais altas das impressões digitais).
São formados por um axônio mielínico, cujas ramificações terminais se entrelaçam com células acessórias.
5) Bulbos terminais de Krause: receptores térmicos de frio. São formados por uma fibra nervosa cuja terminação possui forma
de clava. Situam-se nas regiões limítrofes da pele com as membranas mucosas (por exemplo: ao redor dos lábios e dos genitais).

Nas camadas inferiores da epiderme estão os melanócitos, células que produzem melanina, pigmento que determina a coloração
da pele.
As glândulas anexas – sudoríparas e sebáceas – encontram-se mergulhadas na derme, embora tenham origem epidérmica. O suor
(composto de água, sais e um pouco de ureia) é drenado pelo duto das glândulas sudoríparas, enquanto a secreção sebácea (secreção
gordurosa que lubrifica a epiderme e os pelos) sai pelos poros de onde emergem os pelos.
A transpiração ou sudorese tem por função refrescar o corpo quando há elevação da temperatura ambiental ou quando a
temperatura interna do corpo sobe, devido, por exemplo, ao aumento da atividade física.

Derme

A derme, localizada imediatamente sob a epiderme, é um tecido conjuntivo que contém fibras proteicas, vasos sanguíneos,
terminações nervosas, órgãos sensoriais e glândulas. As principais células da derme são os fibroblastos, responsáveis pela produção
de fibras e de uma substância gelatinosa, a substância amorfa, na qual os elementos dérmicos estão mergulhados.
A epiderme penetra na derme e origina os folículos pilosos, glândulas sebáceas e glândulas sudoríparas. Na derme encontramos
ainda: músculo eretor de pelo, fibras elásticas (elasticidade), fibras colágenas (resistência), vasos sanguíneos e nervos.

Anatomia e Fisiologia 32
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Tecido subcutâneo Para compreendermos melhor as funções de coordenação


Sob a pele, há uma camada de tecido conjuntivo frouxo, o e regulação exercidas pelo sistema nervoso, precisamos
tecido subcutâneo, rico em fibras e em células que primeiro conhecer a estrutura básica de um neurônio e como
armazenam gordura (células adiposas ou adipócitos). A a mensagem nervosa é transmitida.
camada subcutânea, denominada hipoderme, atua como Um neurônio é uma célula composta de um corpo celular
reserva energética, proteção contra choques mecânicos e (onde está o núcleo, o citoplasma e o citoesqueleto), e de finos
isolante térmico. prolongamentos celulares denominados neuritos, que podem
ser subdivididos em dendritos e axônios.
Unhas e pelos

Unhas e pelos são constituídos por células epidérmicas


queratinizadas, mortas e compactadas. Na base da unha ou do
pelo há células que se multiplicam constantemente,
empurrando as células mais velhas para cima. Estas, ao
acumular queratina, morrem e se compactam, originando a
unha ou o pelo. Cada pelo está ligado a um pequeno músculo
eretor, que permite sua movimentação, e a uma ou mais
glândulas sebáceas, que se encarregam de sua lubrificação.

Os dendritos são prolongamentos geralmente muito


ramificados e que atuam como receptores de estímulos,
funcionando portanto, como "antenas" para o neurônio. Os
axônios são prolongamentos longos que atuam como
condutores dos impulsos nervosos. Os axônios podem se
ramificar e essas ramificações são chamadas de colaterais.
Todos os axônios têm um início (cone de implantação), um
meio (o axônio propriamente dito) e um fim (terminal axonal
ou botão terminal). O terminal axonal é o local onde o axônio
entra em contato com outros neurônios e/ou outras células e
passa a informação (impulso nervoso) para eles. A região de
passagem do impulso nervoso de um neurônio para a célula
adjacente chama-se sinapse. Às vezes os axônios têm muitas
ramificações em suas regiões terminais e cada ramificação
forma uma sinapse com outros dendritos ou corpos celulares.
Estas ramificações são chamadas coletivamente de
arborização terminal.
O sistema nervoso, juntamente com o sistema endócrino,
capacitam o organismo a perceber as variações do meio Os corpos celulares dos neurônios são geralmente
(interno e externo), a difundir as modificações que essas encontrados em áreas restritas do sistema nervoso, que
variações produzem e a executar as respostas adequadas para formam o Sistema Nervoso Central (SNC), ou nos gânglios
que seja mantido o equilíbrio interno do corpo (homeostase). nervosos, localizados próximo da coluna vertebral.
São os sistemas envolvidos na coordenação e regulação das
funções corporais. Do sistema nervoso central partem os prolongamentos dos
neurônios, formando feixes chamados nervos, que constituem
No sistema nervoso diferenciam-se duas linhagens o Sistema Nervoso Periférico (SNP).
celulares: os neurônios e as células da glia (ou da neuróglia).
Os neurônios são as células responsáveis pela recepção e O axônio está envolvido por um dos tipos celulares
transmissão dos estímulos do meio (interno e externo), seguintes: célula de Schwann (encontrada apenas no SNP) ou
possibilitando ao organismo a execução de respostas oligodendrócito (encontrado apenas no SNC) Em muitos
adequadas para a manutenção da homeostase. Para exercerem axônios, esses tipos celulares determinam a formação da
tais funções, contam com duas propriedades fundamentais: a bainha de mielina - invólucro principalmente lipídico (também
irritabilidade (também denominada excitabilidade ou possui como constituinte a chamada proteína básica da
responsividade) e a condutibilidade. Irritabilidade é a mielina) que atua como isolante térmico e facilita a
capacidade que permite a uma célula responder a estímulos, transmissão do impulso nervoso. Em axônios mielinizados
sejam eles internos ou externos. Portanto, irritabilidade não é existem regiões de descontinuidade da bainha de mielina, que
uma resposta, mas a propriedade que torna a célula apta a acarretam a existência de uma constrição (estrangulamento)
responder. Essa propriedade é inerente aos vários tipos denominada nódulo de Ranvier. No caso dos axônios
celulares do organismo. No entanto, as respostas emitidas mielinizados envolvidos pelas células de Schwann, a parte
pelos tipos celulares distintos também diferem umas das celular da bainha de mielina, onde estão o citoplasma e o
outras. A resposta emitida pelos neurônios assemelha-se a núcleo desta célula, constitui o chamado neurilema.
uma corrente elétrica transmitida ao longo de um fio condutor:
uma vez excitados pelos estímulos, os neurônios transmitem
essa onda de excitação - chamada de impulso nervoso - por
toda a sua extensão em grande velocidade e em um curto
espaço de tempo. Esse fenômeno deve-se à propriedade de
condutibilidade.

Anatomia e Fisiologia 33
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

O impulso nervoso potencial de repouso da membrana, ficando o exterior da


membrana positivo e o interior negativo. Dizemos, então, que
a membrana está polarizada.

Ao ser estimulada, uma pequena região da membrana


torna-se permeável ao sódio (abertura dos canais de sódio).
Como a concentração desse íon é maior fora do que dentro da
célula, o sódio atravessa a membrana no sentido do interior da
célula. A entrada de sódio é acompanhada pela pequena saída
de potássio. Esta inversão vai sendo transmitida ao longo do
axônio, e todo esse processo é denominado onda de
despolarização. Os impulsos nervosos ou potenciais de ação
são causados pela despolarização da membrana além de um
limiar (nível crítico de despolarização que deve ser alcançado
para disparar o potencial de ação).

Os potenciais de ação assemelham-se em tamanho e


duração e não diminuem à medida em que são conduzidos ao
longo do axônio, ou seja, são de tamanho e duração fixos. A
aplicação de uma despolarização crescente a um neurônio não
tem qualquer efeito até que se cruze o limiar e, então, surja o
potencial de ação. Por esta razão, diz-se que os potenciais de
ação obedecem à "lei do tudo ou nada".
A membrana plasmática do neurônio transporta alguns Imediatamente após a onda de despolarização ter-se
íons ativamente, do líquido extracelular para o interior da propagado ao longo da fibra nervosa, o interior da fibra torna-
fibra, e outros, do interior, de volta ao líquido extracelular. se carregado positivamente, porque um grande número de
Assim funciona a bomba de sódio e potássio, que bombeia íons sódio se difundiu para o interior. Essa positividade
ativamente o sódio para fora, enquanto o potássio é bombeado determina a parada do fluxo de íons sódio para o interior da
ativamente para dentro. Porém esse bombeamento não é fibra, fazendo com que a membrana se torne novamente
equitativo: para cada três íons sódio bombeados para o líquido impermeável a esses íons. Por outro lado, a membrana torna-
extracelular, apenas dois íons potássio são bombeados para o se ainda mais permeável ao potássio, que migra para o meio
líquido intracelular. interno.

Devido à alta concentração desse íon no interior, muitos


íons se difundem, então, para o lado de fora. Isso cria
novamente eletronegatividade no interior da membrana e
positividade no exterior – processo chamado repolarização,
pelo qual se reestabelece a polaridade normal da membrana.
A repolarização normalmente se inicia no mesmo ponto onde
se originou a despolarização, propagando-se ao longo da fibra.

Somando-se a esse fato, em repouso a membrana da célula Após a repolarização, a bomba de sódio bombeia
nervosa é praticamente impermeável ao sódio, impedindo que novamente os íons sódio para o exterior da membrana,
esse íon se mova a favor de seu gradiente de concentração (de criando um déficit extra de cargas positivas no interior da
fora para dentro); porém, é muito permeável ao potássio, que, membrana, que se torna temporariamente mais negativo do
favorecido pelo gradiente de concentração e pela que o normal. A eletronegatividade excessiva no interior atrai
permeabilidade da membrana, se difunde livremente para o íons potássio de volta para o interior (por difusão e por
meio extracelular. transporte ativo). Assim, o processo traz as diferenças iônicas
de volta aos seus níveis originais.

Em repouso: canais de sódio fechados. Membrana é


praticamente impermeável ao sódio, impedindo sua difusão a
favor do gradiente de concentração.
Sódio é bombeado ativamente para fora pela bomba de
sódio e potássio.
Como a saída de sódio não é acompanhada pela entrada de
potássio na mesma proporção, estabelece-se uma diferença de
cargas elétricas entre os meios intra e extracelular: há déficit
de cargas positivas dentro da célula e as faces da membrana
mantêm-se eletricamente carregadas.
O potencial eletronegativo criado no interior da fibra Para transferir informação de um ponto para outro no
nervosa devido à bomba de sódio e potássio é chamado sistema nervoso, é necessário que o potencial de ação, uma vez

Anatomia e Fisiologia 34
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

gerado, seja conduzido ao longo do axônio. Um potencial de Em invertebrados, as sinapses elétricas são comumente
ação iniciado em uma extremidade de um axônio apenas se encontradas em circuitos neuronais que medeiam respostas
propaga em uma direção, não retornando pelo caminho já de fuga. Em mamíferos adultos, esses tipos de sinapses são
percorrido. Consequentemente, os potenciais de ação são raras, ocorrendo frequentemente entre neurônios nos
unidirecionais - ao que chamamos condução ortodrômica. estágios iniciais da embriogênese.
Uma vez que a membrana axonal é excitável ao longo de toda
sua extensão, o potencial de ação se propagará sem
decaimento.

A velocidade com a qual o potencial de ação se propaga ao


longo do axônio depende de quão longe a despolarização é
projetada à frente do potencial de ação, o que, por sua vez,
depende de certas características físicas do axônio: a
velocidade de condução do potencial de ação aumenta com o
diâmetro axonal. Axônios com menor diâmetro necessitam de
uma maior despolarização para alcançar o limiar do potencial
de ação.

Nesses de axônios, presença de bainha de mielina acelera


a velocidade da condução do impulso nervoso. Nas regiões dos
nódulos de Ranvier, a onda de despolarização "salta"
diretamente de um nódulo para outro, não acontecendo em
toda a extensão da região mielinizada (a mielina é isolante).
Fala-se em condução saltatória e com isso há um considerável
aumento da velocidade do impulso nervoso.

Como o citoplasma dos axônios, inclusive do terminal


axonal, não possui ribossomos, necessários à síntese de
proteínas, as proteínas axonais são sintetizadas no soma
(corpo celular), empacotadas em vesículas membranosas e
transportadas até o axônio pela ação de uma proteína
chamada cinesina, a qual se desloca sobre os microtúbulos,
com gasto de ATP. Esse transporte ao longo do axônio é
denominado transporte axoplasmático e, como a cinesina só
desloca material do soma para o terminal, todo movimento de
material neste sentido é chamado de transporte anterógrado.
Além do transporte anterógrado, há um mecanismo para o
deslocamento de material no axônio no sentido oposto, indo
do terminal para o soma. Acredita-se que este processo envia
sinais para o soma sobre as mudanças nas necessidades
metabólicas do terminal axonal. O movimento neste sentido é
Imagem: AMABIS, José Mariano; MARTHO, Gilberto chamado transporte retrógrado.
Rodrigues. Conceitos de Biologia. São Paulo, Ed. Moderna, As sinapses químicas também ocorrem nas junções entre
2001. vol. 2. as terminações dos axônios e os músculos; essas junções são
chamadas placas motoras ou junções neuromusculares.
O percurso do impulso nervoso no neurônio é sempre no
sentido dendrito, corpo celular e axônio.

Sinapses
Sinapse é um tipo de junção especializada em que um
terminal axonal faz contato com outro neurônio ou tipo
celular. As sinapses podem ser elétricas ou químicas (maioria).

Sinapses elétricas
As sinapses elétricas, mais simples e evolutivamente
antigas, permitem a transferência direta da corrente iônica de
uma célula para outra. Ocorrem em sítios especializados
Por meio das sinapses, um neurônio pode passar
denominados junções gap ou junções comunicantes. Nesses
mensagens (impulsos nervosos) para centenas ou até milhares
tipos de junções as membranas pré-sinápticas (do axônio -
de neurônios diferentes.
transmissoras do impulso nervoso) e pós-sinápticas (do
dendrito ou corpo celular - receptoras do impulso nervoso)
Neurotransmissores
estão separadas por apenas 3 nm.
Essa estreita fenda é ainda atravessada por proteínas
A maioria dos neurotransmissores situa-se em três
especiais denominadas conexinas. Seis conexinas reunidas
categorias: aminoácidos, aminas e peptídeos. Os
formam um canal denominado conexon, o qual permite que
neurotransmissores aminoácidos e aminas são pequenas
íons passem diretamente do citoplasma de uma célula para o
moléculas orgânicas com pelo menos um átomo de nitrogênio,
de outra. A maioria das junções gap permite que a corrente
armazenadas e liberadas em vesículas sinápticas. Sua síntese
iônica passe adequadamente em ambos os sentidos, sendo
ocorre no terminal axonal a partir de precursores metabólicos
desta forma, bidirecionais.
ali presentes. As enzimas envolvidas na síntese de tais

Anatomia e Fisiologia 35
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

neurotransmissores são produzidas no soma (corpo celular do quase todas as funções cerebrais, inibindo-a de forma direta
neurônio) e transportadas até o terminal axonal e, neste local, ou estimulando o sistema GABA.
rapidamente dirigem a síntese desses mediadores químicos.
Uma vez sintetizados, os neurotransmissores aminoácidos e -GABA (ácido gama-aminobutírico): principal
aminas são levados para as vesículas sinápticas que liberam neurotransmissor inibitório do SNC. Ele está presente em
seus conteúdos por exocitose. Nesse processo, a membrana da quase todas as regiões do cérebro, embora sua concentração
vesícula funde-se com a membrana pré-sináptica, permitindo varie conforme a região. Está envolvido com os processos de
que os conteúdos sejam liberados. A membrana vesicular é ansiedade. Seu efeito ansiolítico seria fruto de alterações
posteriormente recuperada por endocitose e a vesícula provocadas em diversas estruturas do sistema límbico,
reciclada é recarregada com neurotransmissores. inclusive a amígdala e o hipocampo. A inibição da síntese do
Os neurotransmissores peptídeos constituem-se de GABA ou o bloqueio de seus neurotransmissores no SNC,
grandes moléculas armazenadas e liberadas em grânulos resultam em estimulação intensa, manifestada através de
secretores. A síntese dos neurotransmissores peptídicos convulsões generalizadas.
ocorre no retículo endoplasmático rugoso do soma. Após
serem sintetizados, são clivados no complexo de golgi, -Ácido glutâmico ou glutamato: principal
transformando-se em neurotransmissores ativos, que são neurotransmissor estimulador do SNC. A sua ativação
secretados em grânulos secretores e transportados ao aumenta a sensibilidade aos estímulos dos outros
terminal axonal (transporte anterógrado) para serem neurotransmissores.
liberados na fenda sináptica.
Diferentes neurônios no SNC liberam também diferentes Tipos de neurônios
neurotransmissores. A transmissão sináptica rápida na
maioria das sinapses do SNC é mediada pelos De acordo com suas funções na condução dos impulsos, os
neurotransmissores aminoácidos glutamato (GLU), gama- neurônios podem ser classificados em:
aminobutírico (GABA) e glicina (GLI). A amina acetilcolina
medeia a transmissão sináptica rápida em todas as junções 1- Neurônios receptores ou sensitivos (aferentes): são
neuromusculares. As formas mais lentas de transmissão os que recebem estímulos sensoriais e conduzem o impulso
sináptica no SNC e na periferia são mediadas por nervoso ao sistema nervoso central.
neurotransmissores das três categorias. 2- Neurônios motores ou efetuadores (eferentes):
O glutamato e a glicina estão entre os 20 aminoácidos que transmitem os impulsos motores (respostas ao estímulo).
constituem os blocos construtores das proteínas. 3- Neurônios associativos ou interneurônios:
Consequentemente, são abundantes em todas as células do estabelecem ligações entre os neurônios receptores e os
corpo. Em contraste, o GABA e as aminas são produzidos neurônios motores.
apenas pelos neurônios que os liberam.
O mediador químico adrenalina, além de servir como Células da Glia (neuróglia)
neurotransmissor no encéfalo, também é liberado pela
glândula adrenal para a circulação sanguínea. As células da neuróglia cumprem a função de sustentar,
proteger, isolar e nutrir os neurônios. Há diversos tipos
Abaixo são citadas as funções específicas de alguns celulares, distintos quanto à morfologia, a origem embrionária
neurotransmissores. e às funções que exercem. Distinguem-se, entre elas, os
astrócitos, oligodendrócito e micróglia. Têm formas estreladas
-Endorfinas e encefalinas: bloqueiam a dor, agindo e prolongações que envolvem as diferentes estruturas do
naturalmente no corpo como analgésicos. tecido.

-Dopamina: neurotransmissor inibitório derivado da


tirosina. Produz sensações de satisfação e prazer. Os
neurônios dopaminérgicos podem ser divididos em três
subgrupos com diferentes funções.
O primeiro grupo regula os movimentos: uma deficiência
de dopamina neste sistema provoca a doença de Parkinson,
caracterizada por tremuras, inflexibilidade, e outras
desordens motoras, e em fases avançadas pode verificar-se
demência. O segundo grupo, o mesolímbico, funciona na
regulação do comportamento emocional. O terceiro grupo, o
mesocortical, projeta-se apenas para o córtex pré-frontal. Esta
área do córtex está envolvida em várias funções cognitivas,
memória, planejamento de comportamento e pensamento
Os astrócitos são as maiores células da neuróglia e estão
abstrato, assim como em aspectos emocionais, especialmente
associados à sustentação e à nutrição dos neurônios.
relacionados com o stress. Distúrbios nos dois últimos
Preenchem os espaços entre os neurônios, regulam a
sistemas estão associados com a esquizofrenia.
concentração de diversas substâncias com potencial para
interferir nas funções neuronais normais (como por exemplo
-Serotonina: neurotransmissor derivado do triptofano,
as concentrações extracelulares de potássio), regulam os
regula o humor, o sono, a atividade sexual, o apetite, o ritmo
neurotransmissores (restringem a difusão de
circadiano, as funções neuroendócrinas, temperatura
neurotransmissores liberados e possuem proteínas especiais
corporal, sensibilidade à dor, atividade motora e funções
em suas membranas que removem os neurotransmissores da
cognitivas. Atualmente vem sendo intimamente relacionada
fenda sináptica). Estudos recentes também sugerem que
aos transtornos do humor, ou transtornos afetivos e a maioria
podem ativar a maturação e a proliferação de células-tronco
dos medicamentos chamados antidepressivos agem
nervosas adultas e ainda, que fatores de crescimento
produzindo um aumento da disponibilidade dessa substância
produzidos pelos astrócitos podem ser críticos na regeneração
no espaço entre um neurônio e outro. Tem efeito inibidor da
dos tecidos cerebrais ou espinhais danificados por traumas ou
conduta e modulador geral da atividade psíquica. Influi sobre
enfermidades.

Anatomia e Fisiologia 36
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Os oligodendrócitos são encontrados apenas no sistema O Sistema Nervoso Central


nervoso central (SNC). Devem exercer papéis importantes na
manutenção dos neurônios, uma vez que, sem eles, os O SNC divide-se em encéfalo e medula. O encéfalo
neurônios não sobrevivem em meio de cultura. No SNC, são as corresponde ao telencéfalo (hemisférios cerebrais), diencéfalo
células responsáveis pela formação da bainha de mielina. Um (tálamo e hipotálamo), cerebelo, e tronco cefálico, que se
único oligodendrócito contribui para a formação de mielina de divide em: BULBO, situado caudalmente; MESENCÉFALO,
vários neurônios (no sistema nervoso periférico, cada célula situado cranialmente; e PONTE, situada entre ambos.
de Schwann mieliniza apenas um único axônio)
No SNC, existem as chamadas substâncias cinzenta e
A micróglia é constituída por células fagocitárias, branca. A substância cinzenta é formada pelos corpos dos
análogas aos macrófagos e que participam da defesa do neurônios e a branca, por seus prolongamentos. Com exceção
sistema nervoso. do bulbo e da medula, a substância cinzenta ocorre mais
externamente e a substância branca, mais internamente.
Os órgãos do SNC são protegidos por estruturas
esqueléticas (caixa craniana, protegendo o encéfalo; e
coluna vertebral, protegendo a medula - também
denominada raque) e por membranas denominadas
meninges, situadas sob a proteção esquelética: dura-máter
(a externa), aracnoide (a do meio) e pia-máter (a interna).
Entre as meninges aracnoide e pia-máter há um espaço
preenchido por um líquido denominado líquido
cefalorraquidiano ou líquor.
Origem do sistema nervoso
O telencéfalo
O sistema nervoso origina-se da ectoderme embrionária e
O encéfalo humano contém cerca de 35 bilhões de
se localiza na região dorsal. Durante o desenvolvimento
neurônios e pesa aproximadamente 1,4 kg. O telencéfalo ou
embrionário, a ectoderme sofre uma invaginação, dando
cérebro é dividido em dois hemisférios cerebrais bastante
origem à goteira neural, que se fecha, formando o tubo neural.
Este possui uma cavidade interna cheia de líquido, o canal desenvolvidos. Nestes, situam-se as sedes da memória e dos
neural. nervos sensitivos e motores.
Em sua região anterior, o tubo neural sofre dilatação, Entre os hemisférios, estão os VENTRÍCULOS CEREBRAIS
dando origem ao encéfalo primitivo. Em sua região posterior, (ventrículos laterais e terceiro ventrículo); contamos ainda
o tubo neural dá origem à medula espinhal. O canal neural com um quarto ventrículo, localizado mais abaixo, ao nível do
persiste nos adultos, correspondendo aos ventrículos tronco encefálico. São reservatórios do LÍQUIDO CÉFALO-
cerebrais, no interior do encéfalo, e ao canal do epêndimo, no RAQUIDIANO, (LÍQUOR), participando na nutrição, proteção e
interior da medula. excreção do sistema nervoso.
Em seu desenvolvimento, o córtex ganha diversos sulcos
para permitir que o cérebro esteja suficientemente compacto
Durante o desenvolvimento embrionário, verifica-se que a
para caber na calota craniana, que não acompanha o seu
partir da vesícula única que constitui o encéfalo primitivo, são
crescimento. Por isso, no cérebro adulto, apenas 1/3 de sua
formadas três outras vesículas: a primeira, denominada
superfície fica "exposta", o restante permanece por entre os
prosencéfalo (encéfalo anterior); a segunda, mesencéfalo
(encéfalo médio) e a terceira, rombencéfalo (encéfalo sulcos.
posterior). O córtex cerebral está dividido em mais de quarenta áreas
funcionalmente distintas, sendo a maioria pertencente ao
O prosencéfalo e o rombencéfalo sofrem estrangulamento, chamado neocórtex.
dando origem, cada um deles, a duas outras vesículas. O
mesencéfalo não se divide. Desse modo, o encéfalo do embrião Cada uma das áreas do córtex cerebral controla uma
é constituído por cinco vesículas em linha reta. O prosencéfalo atividade específica.
divide-se em telencéfalo (hemisférios cerebrais) e diencéfalo - hipocampo: região do córtex que está dobrada sobre si e
(tálamo e hipotálamo); o mesencéfalo não sofre divisão e o possui apenas três camadas celulares; localiza-se medialmente
ao ventrículo lateral.
romboencéfalo divide-se em metencéfalo (ponte e cerebelo) e
- córtex olfativo: localizado ventral e lateralmente ao
mielencéfalo (bulbo). As divisões do S.N.C se definem já na
hipocampo; apresenta duas ou três camadas celulares.
sexta semana de vida fetal.
- neocórtex: córtex mais complexo; separa-se do córtex
olfativo mediante um sulco chamado fissura rinal; apresenta
Divisão do Sistema Nervoso
muitas camadas celulares e várias áreas sensoriais e motoras.
O SNC recebe, analisa e integra informações. É o local onde As áreas motoras estão intimamente envolvidas com o
ocorre a tomada de decisões e o envio de ordens. controle do movimento voluntário.
O SNP carrega informações dos órgãos sensoriais para o
sistema nervoso central e do sistema nervoso central para os A região superficial do telencéfalo, que acomoda bilhões de
órgãos efetores (músculos e glândulas). corpos celulares de neurônios (substância cinzenta), constitui
o córtex cerebral, formado a partir da fusão das partes
superficiais telencefálicas e diencefálicas. O córtex recobre um
grande centro medular branco, formado por fibras axonais
(substância branca). Em meio a este centro branco (nas
profundezas do telencéfalo), há agrupamentos de corpos
celulares neuronais que formam os núcleos (gânglios) da
base ou núcleos (gânglios) basais - CAUDATO, PUTAMEN,
GLOBO PÁLIDO e NÚCLEO SUBTALÂMICO, envolvidos em
conjunto, no controle do movimento. Parece que os gânglios da

Anatomia e Fisiologia 37
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

base participam também de um grande número de circuitos O tronco encefálico


paralelos, sendo apenas alguns poucos de função motora.
Outros circuitos estão envolvidos em certos aspectos da O tronco encefálico interpõe-se entre a medula e o
memória e da função cognitiva. diencéfalo, situando-se ventralmente ao cerebelo. Possui três
funções gerais;
Algumas das funções mais específicas dos gânglios basais (1) recebe informações sensitivas de estruturas cranianas
relacionadas aos movimentos são: e controla os músculos da cabeça;
- núcleo caudato: controla movimentos intencionais (2) contém circuitos nervosos que transmitem
grosseiros do corpo (isso ocorre a nível subconsciente e informações da medula espinhal até outras regiões encefálicas
consciente) e auxilia no controle global dos movimentos do e, em direção contrária, do encéfalo para a medula espinhal
corpo. (lado esquerdo do cérebro controla os movimentos do lado
- putamen: funciona em conjunto com o núcleo caudato no direito do corpo; lado direito de cérebro controla os
controle de movimentos intencionais grosseiros. Ambos os movimentos do lado esquerdo do corpo);
núcleos funcionam em associação com o córtex motor, para (3) regula a atenção, função esta que é mediada pela
controlar diversos padrões de movimento. formação reticular (agregação mais ou menos difusa de
- globo pálido: provavelmente controla a posição das neurônios de tamanhos e tipos diferentes, separados por uma
principais partes do corpo, quando uma pessoa inicia um rede de fibras nervosas que ocupa a parte central do tronco
movimento complexo, Isto é, se uma pessoa deseja executar encefálico).
uma função precisa com uma de suas mãos, deve primeiro Além destas 3 funções gerais, as várias divisões do tronco
colocar seu corpo numa posição apropriada e, então, contrair encefálico desempenham funções motoras e sensitivas
a musculatura do braço. Acredita-se que essas funções sejam específicas.
iniciadas, principalmente, pelo globo pálido.
- núcleo subtalâmico e áreas associadas: controlam Na constituição do tronco encefálico entram corpos de
possivelmente os movimentos da marcha e talvez outros tipos neurônios que se agrupam em núcleos e fibras nervosas, que,
de motilidade grosseira do corpo. por sua vez, se agrupam em feixes denominados tractos,
Evidências indicam que a via motora direta funciona para fascículos ou lemniscos. Estes elementos da estrutura interna
facilitar a iniciação de movimentos voluntários por meio dos do tronco encefálico podem estar relacionados com relevos ou
gânglios da base. Essa via origina-se com uma conexão depressões de sua superfície. Muitos dos núcleos do tronco
excitatória do córtex para as células do putamen. Estas células encefálico recebem ou emitem fibras nervosas que entram na
estabelecem sinapses inibitórias em neurônios do globo constituição dos nervos cranianos. Dos 12 pares de nervos
pálido, que, por sua vez, faz conexões inibitórias com cranianos, 10 fazem conexão no tronco encefálico.
células do tálamo (núcleo ventrolateral - VL). A conexão do
tálamo com a área motora do córtex é excitatória. Ela facilita o O cerebelo
disparo de células relacionadas a movimentos na área motora
do córtex. Portanto, a consequência funcional da ativação Situado atrás do cérebro está o cerebelo, que é
cortical do putamen é a excitação da área motora do córtex primariamente um centro para o controle dos movimentos
pelo núcleo ventrolateral do tálamo. iniciados pelo córtex motor (possui extensivas conexões com
o cérebro e a medula espinhal). Como o cérebro, também está
O diencéfalo (tálamo e hipotálamo) dividido em dois hemisférios. Porém, ao contrário dos
hemisférios cerebrais, o lado esquerdo do cerebelo está
Todas as mensagens sensoriais, com exceção das relacionado com os movimentos do lado esquerdo do corpo,
provenientes dos receptores do olfato, passam pelo tálamo enquanto o lado direito, com os movimentos do lado direito do
antes de atingir o córtex cerebral. Esta é uma região de corpo.
substância cinzenta localizada entre o tronco encefálico e o O cerebelo recebe informações do córtex motor e dos
cérebro. O tálamo atua como estação retransmissora de gânglios basais de todos os estímulos enviados aos músculos.
impulsos nervosos para o córtex cerebral. Ele é responsável A partir das informações do córtex motor sobre os
pela condução dos impulsos às regiões apropriadas do cérebro movimentos musculares que pretende executar e de
onde eles devem ser processados. O tálamo também está informações proprioceptivas que recebe diretamente do corpo
relacionado com alterações no comportamento emocional; (articulações, músculos, áreas de pressão do corpo, aparelho
que decorre, não só da própria atividade, mas também de vestibular e olhos), avalia o movimento realmente executado.
conexões com outras estruturas do sistema límbico (que Após a comparação entre desempenho e aquilo que se teve em
regula as emoções). vista realizar, estímulos corretivos são enviados de volta ao
córtex para que o desempenho real seja igual ao pretendido.
O hipotálamo, também constituído por substância Dessa forma, o cerebelo relaciona-se com os ajustes dos
cinzenta, é o principal centro integrador das atividades dos movimentos, equilíbrio, postura e tônus muscular.
órgãos viscerais, sendo um dos principais responsáveis pela
homeostase corporal. Ele faz ligação entre o sistema nervoso e Algumas estruturas do encéfalo e suas funções
o sistema endócrino, atuando na ativação de diversas
glândulas endócrinas. É o hipotálamo que controla a Córtex Cerebral
temperatura corporal, regula o apetite e o balanço de água no
corpo, o sono e está envolvido na emoção e no comportamento Funções:
sexual. Tem amplas conexões com as demais áreas do -Pensamento
prosencéfalo e com o mesencéfalo. Aceita-se que o hipotálamo -Movimento voluntário
desempenha, ainda, um papel nas emoções. Especificamente, -Linguagem
as partes laterais parecem envolvidas com o prazer e a raiva, -Julgamento
enquanto que a porção mediana parece mais ligada à aversão, -Percepção
ao desprazer e à tendência ao riso (gargalhada) incontrolável.
De um modo geral, contudo, a participação do hipotálamo é A palavra córtex vem do latim para "casca". Isto porque o
menor na gênese (“criação”) do que na expressão córtex é a camada mais externa do cérebro. A espessura do
(manifestações sintomáticas) dos estados emocionais. córtex cerebral varia de 2 a 6 mm. O lado esquerdo e direito do

Anatomia e Fisiologia 38
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

córtex cerebral são ligados por um feixe grosso de fibras -Aprendizado


nervosas chamado de corpo caloso. Os lobos são as principais -Emoções
divisões físicas do córtex cerebral. O lobo frontal é responsável -Vida vegetativa (digestão, circulação, excreção etc.)
pelo planejamento consciente e pelo controle motor. O lobo
temporal tem centros importantes de memória e audição. O O Sistema Límbico é um grupo de estruturas que inclui
lobo parietal lida com os sentidos corporal e espacial. o lobo hipotálamo, tálamo, amígdala, hipocampo, os corpos
occipital direciona a visão. mamilares e o giro do cíngulo. Todas estas áreas são muito
importantes para a emoção e reações emocionais. O
Cerebelo hipocampo também é importante para a memória e o
aprendizado.
Funções:
-Movimento A Medula Espinhal
-Equilíbrio
-Postura Nossa medula espinhal tem a forma de um cordão com
-Tônus muscular aproximadamente 40 cm de comprimento. Ocupa o canal
vertebral, desde a região do atlas - primeira vértebra - até o
A palavra cerebelo vem do latim para "pequeno cérebro”. nível da segunda vértebra lombar. A medula funciona como
O cerebelo fica localizado ao lado do tronco encefálico. É centro nervoso de atos involuntários e, também, como veículo
parecido com o córtex cerebral em alguns aspectos: o cerebelo condutor de impulsos nervosos.
é dividido em hemisférios e tem um córtex que recobre estes
hemisférios. Da medula partem 31 pares de nervos raquidianos que se
ramificam. Por meio dessa rede de nervos, a medula se conecta
Tronco Encefálico com as várias partes do corpo, recebendo mensagens e vários
pontos e enviando-as para o cérebro e recebendo mensagens
Funções: do cérebro e transmitindo-as para as várias partes do corpo. A
-Respiração medula possui dois sistemas de neurônios: o sistema
-Ritmo dos batimentos cardíacos descendente controla funções motoras dos músculos, regula
-Pressão Arterial funções como pressão e temperatura e transporta sinais
originados no cérebro até seu destino; o sistema ascendente
O Tronco Encefálico é uma área do encéfalo que fica entre transporta sinais sensoriais das extremidades do corpo até a
o tálamo e a medula espinhal. Possui várias estruturas como o medula e de lá para o cérebro.
bulbo, o mesencéfalo e a ponte. Algumas destas áreas são
responsáveis pelas funções básicas para a manutenção da vida Os corpos celulares dos neurônios se concentram no cerne
como a respiração, o batimento cardíaco e a pressão arterial. da medula – na massa cinzenta. Os axônios ascendentes e
Bulbo: recebe informações de vários órgãos do corpo, descendentes, na área adjacente – a massa branca. As duas
controlando as funções autônomas (a chamada vida regiões também abrigam células da Glia. Dessa forma, na
vegetativa): batimento cardíaco, respiração, pressão do medula espinhal a massa cinzenta localiza-se internamente e a
sangue, reflexos de salivação, tosse, espirro e o ato de engolir. massa branca, externamente (o contrário do que se observa no
Ponte: Participa de algumas atividades do bulbo, encéfalo).
interferindo no controle da respiração, além de ser um centro
de transmissão de impulsos para o cerebelo. Serve ainda de
passagem para as fibras nervosas que ligam o cérebro à
medula.

Mesencéfalo

Funções:
-Visão
-Audição
-Movimento dos Olhos
-Movimento do corpo

Tálamo

Funções:
-Integração Sensorial Durante uma fratura ou deslocamento da coluna, as
-Integração Motora vértebras que normalmente protegem a medula podem matar
ou danificar as células. Teoricamente, se o dano for confinado
O tálamo recebe informações sensoriais do corpo e as à massa cinzenta, os distúrbios musculares e sensoriais
passa para o córtex cerebral. O córtex cerebral envia poderão estar apenas nos tecidos que recebem e mandam
informações motoras para o tálamo que posteriormente são sinais aos neurônios “residentes” no nível da fratura. Por
distribuídas pelo corpo. Participa, juntamente com o tronco exemplo, se a massa cinzenta do segmento da medula onde os
encefálico, do sistema reticular, que é encarregado de “filtrar” nervos rotulados C8 for lesada, o paciente só sofrerá paralisia
mensagens que se dirigem às partes conscientes do cérebro. das mãos, sem perder a capacidade de andar ou o controle
sobre as funções intestinais e urinárias. Nesse caso, os axônios
Sistema Límbico levando sinais para “cima e para baixo” através da área branca
adjacente continuariam trabalhando. Em comparação, se a
Funções: área branca for lesada, o trânsito dos sinais será interrompido
-Comportamento Emocional até o ponto da fratura.
-Memória

Anatomia e Fisiologia 39
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Infelizmente, a lesão original é só o começo. Os danos mecânicos promovem rompimento de pequenos vasos sanguíneos,
impedindo a entrega de oxigênio e nutrientes para as células não afetadas diretamente, que acabam morrendo; as células lesadas
extravasam componentes citoplasmáticos e tóxicos, que afetam células vizinhas, antes intactas; células do sistema imunológico iniciam
um quadro inflamatório no local da lesão; células da Glia proliferam criando grumos e uma espécie de cicatriz, que impedem os axônios
lesados de crescerem e reconectarem.
O vírus da poliomielite causa lesões na raiz ventral dos nervos espinhais, o que leva à paralisia e atrofia dos músculos.

O Sistema Nervoso Periférico

O sistema nervoso periférico é formado por nervos encarregados de fazer as ligações entre o sistema nervoso central e o corpo.
NERVO é a reunião de várias fibras nervosas, que podem ser formadas de axônios ou de dendritos.
As fibras nervosas, formadas pelos prolongamentos dos neurônios (dendritos ou axônios) e seus envoltórios, organizam-se em
feixes. Cada feixe forma um nervo. Cada fibra nervosa é envolvida por uma camada conjuntiva denominada endoneuro. Cada feixe é
envolvido por uma bainha conjuntiva denominada perineuro. Vários feixes agrupados paralelamente formam um nervo. O nervo
também é envolvido por uma bainha de tecido conjuntivo chamada epineuro. Em nosso corpo existe um número muito grande de
nervos. Seu conjunto forma a rede nervosa.

Os nervos que levam informações da periferia do corpo para o SNC são os nervos sensoriais (nervos aferentes ou nervos sensitivos),
que são formados por prolongamentos de neurônios sensoriais (centrípetos). Aqueles que transmitem impulsos do SNC para os
músculos ou glândulas são nervos motores ou eferentes, feixe de axônios de neurônios motores (centrífugos).

Existem ainda os nervos mistos, formados por axônios de neurônios sensoriais e por neurônios motores.
Quando partem do encéfalo, os nervos são chamados de cranianos; quando partem da medula espinhal denominam-se raquidianos.
Do encéfalo partem doze pares de nervos cranianos. Três deles são exclusivamente sensoriais, cinco são motores e os quatro
restantes são mistos.

Os 31 pares de nervos raquidianos que saem da medula relacionam-se com os músculos esqueléticos. Eles se formam a partir de
duas raízes que saem lateralmente da medula: a raiz posterior ou dorsal, que é sensitiva, e a raiz anterior ou ventral, que é motora.
Essas raízes se unem logo após saírem da medula. Desse modo, os nervos raquidianos são todos mistos. Os corpos dos neurônios que
formam as fibras sensitivas dos nervos sensitivos situam-se próximo à medula, porém fora dela, reunindo-se em estruturas especiais
chamadas gânglios espinhais. Os corpos celulares dos neurônios que formam as fibras motoras localizam-se na medula. De acordo
com as regiões da coluna vertebral, os 31 pares de nervos raquidianos distribuem-se da seguinte forma:
-oito pares de nervos cervicais;
-doze pares de nervos dorsais;
-cinco pares de nervos lombares;
-seis pares de nervos sagrados ou sacrais.

O conjunto de nervos cranianos e raquidianos forma o sistema nervoso periférico.


Com base na sua estrutura e função, o sistema nervoso periférico pode ainda subdividir-se em duas partes: o sistema nervoso
somático e o sistema nervoso autônomo ou de vida vegetativa.

As ações voluntárias resultam da contração de músculos estriados esqueléticos, que estão sob o controle do sistema nervoso
periférico voluntário ou somático. Já as ações involuntárias resultam da contração das musculaturas lisa e cardíaca, controladas pelo
sistema nervoso periférico autônomo, também chamado involuntário ou visceral.

Anatomia e Fisiologia 40
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

O SNP Voluntário ou Somático tem por função reagir a responder a situações de estresse. Por exemplo, o sistema
estímulos provenientes do ambiente externo. Ele é constituído simpático é responsável pela aceleração dos batimentos
por fibras motoras que conduzem impulsos do sistema cardíacos, pelo aumento da pressão arterial, da concentração
nervoso central aos músculos esqueléticos. O corpo celular de de açúcar no sangue e pela ativação do metabolismo geral do
uma fibra motora do SNP voluntário fica localizado dentro do corpo.
SNC e o axônio vai diretamente do encéfalo ou da medula até o Já o SNP autônomo parassimpático estimula
órgão que inerva. principalmente atividades relaxantes, como as reduções do
ritmo cardíaco e da pressão arterial, entre outras.
O SNP Autônomo ou Visceral, como o próprio nome diz, Uma das principais diferenças entre os nervos simpáticos
funciona independentemente de nossa vontade e tem por e parassimpáticos é que as fibras pós-ganglionares dos dois
função regular o ambiente interno do corpo, controlando a sistemas normalmente secretam diferentes hormônios. O
atividade dos sistemas digestório, cardiovascular, excretor e hormônio secretado pelos neurônios pós-ganglionares do
endócrino. Ele contém fibras nervosas que conduzem sistema nervoso parassimpático é a acetilcolina, razão pela
impulsos do sistema nervoso central aos músculos lisos das qual esses neurônios são chamados colinérgicos.
vísceras e à musculatura do coração. Um nervo motor do SNP Os neurônios pós-ganglionares do sistema nervoso
autônomo difere de um nervo motor do SNP voluntário pelo simpático secretam principalmente noradrenalina, razão por
fato de conter dois tipos de neurônios, um neurônio pré- que a maioria deles é chamada neurônios adrenérgicos. As
ganglionar e outro pós-ganglionar. O corpo celular do fibras adrenérgicas ligam o sistema nervoso central à glândula
neurônio pré-ganglionar fica localizado dentro do SNC e seu suprarrenal, promovendo aumento da secreção de adrenalina,
axônio vai até um gânglio, onde o impulso nervoso é hormônio que produz a resposta de "luta ou fuga" em
transmitido sinapticamente ao neurônio pós-ganglionar. O situações de stress.
corpo celular do neurônio pós-ganglionar fica no interior do A acetilcolina e a noradrenalina têm a capacidade de
gânglio nervoso e seu axônio conduz o estímulo nervoso até o excitar alguns órgãos e inibir outros, de maneira antagônica.
órgão efetuador, que pode ser um músculo liso ou cardíaco. Em geral, quando os centros simpáticos cerebrais se
tornam excitados, estimulam, simultaneamente, quase todos
O sistema nervoso autônomo compõe-se de três partes: os nervos simpáticos, preparando o corpo para a atividade.
-Dois ramos nervosos situados ao lado da coluna vertebral.
Esses ramos são formados por pequenas dilatações Além do mecanismo da descarga em massa do sistema
denominadas gânglios, num total de 23 pares. simpático, algumas condições fisiológicas podem estimular
-Um conjunto de nervos que liga os gânglios nervosos aos partes localizadas desse sistema. Duas das condições são as
diversos órgãos de nutrição, como o estômago, o coração e os seguintes:
pulmões.
-Um conjunto de nervos comunicantes que ligam os -Reflexos calóricos: o calor aplicado à pele determina um
gânglios aos nervos raquidianos, fazendo com que os sistema reflexo que passa através da medula espinhal e volta a ela,
autônomo não seja totalmente independente do sistema dilatando os vasos sanguíneos cutâneos. Também o
nervoso cefalorraquidiano. aquecimento do sangue que passa através do centro de
controle térmico do hipotálamo aumenta o grau de
vasodilatação superficial, sem alterar os vasos profundos.

-Exercícios: durante o exercício físico, o metabolismo


aumentado nos músculos tem um efeito local de dilatação dos
vasos sanguíneos musculares; porém, ao mesmo tempo, o
sistema simpático tem efeito vasoconstritor para a maioria das
outras regiões do corpo. A vasodilatação muscular permite
que o sangue flua facilmente através dos músculos, enquanto
a vasoconstrição diminui o fluxo sanguíneo em todas as
regiões do corpo, exceto no coração e no cérebro.

Nas junções neuromusculares, tanto nos gânglios do SNPA


simpático como nos do parassimpático, ocorrem sinapses
químicas entre os neurônios pré-ganglionares e pós-
ganglionares. Nos dois casos, a substância neurotransmissora
é a acetilcolina. Esse mediador químico atua nas dobras da
membrana, aumentando a sua permeabilidade aos íons sódio,
que passa para o interior da fibra, despolarizando essa área da
membrana do músculo. Essa despolarização local promove um
potencial de ação que é conduzido em ambas as direções ao
longo da fibra, determinando uma contração muscular. Quase
imediatamente após ter a acetilcolina estimulado a fibra
O sistema nervoso autônomo divide-se em sistema
muscular, ela é destruída, o que permite a despolarização da
nervoso simpático e sistema nervoso parassimpático.
membrana.
De modo geral, esses dois sistemas têm funções contrárias
(antagônicas). Um corrige os excessos do outro. Por exemplo,
O álcool e os neurotransmissores
se o sistema simpático acelera demasiadamente as batidas do
coração, o sistema parassimpático entra em ação, diminuindo
O etanol afeta diversos neurotransmissores no cérebro,
o ritmo cardíaco. Se o sistema simpático acelera o trabalho do
entre eles o ácido gama-aminobutírico (GABA). Existem dois
estômago e dos intestinos, o parassimpático entra em ação
tipos de receptores deste neurotransmissor: os GABA-alfa e os
para diminuir as contrações desses órgãos.
GABA-beta, dos quais apenas o primeiro é estimulado pelo
álcool, o que resulta numa diminuição de sensibilidade para
O SNP autônomo simpático, de modo geral, estimula
outros estímulos.
ações que mobilizam energia, permitindo ao organismo

Anatomia e Fisiologia 41
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

O resultado é um efeito muito mais inibitório no cérebro, neurotransmissor com função inibitória, capaz de atenuar as
levando ao relaxamento e sedação do organismo. Diversas reações serotoninérgicas responsáveis pela ansiedade
partes do cérebro são afetadas pelo efeito sedativo do álcool
tais como aquelas responsáveis pelo movimento, memória, Sistema Muscular
julgamento, respiração, etc.
O sistema glutamatérgico, que utiliza glutamato como O tecido muscular é de origem mesodérmica, sendo
neurotransmissor, também parece desempenhar papel caracterizado pela propriedade de contração e distensão de
relevante nas alterações nervosas promovidas pelo etanol, suas células, o que determina a movimentação dos membros e
pois o álcool também altera a ação sináptica do glutamato no das vísceras. Há basicamente três tipos de tecido muscular:
cérebro, promovendo diminuição da sensibilidade aos liso, estriado esquelético e estriado cardíaco.
estímulos.
Músculo liso: o músculo
Depressão, ansiedade e neurotransmissores involuntário localiza-se na
pele, órgãos internos,
A ação terapêutica das drogas antidepressivas tem lugar aparelho reprodutor,
no Sistema Límbico, o principal centro cerebral das emoções. grandes vasos sanguíneos e
Este efeito terapêutico é consequência de um aumento aparelho excretor. O
funcional dos neurotransmissores na fenda sináptica, estímulo para a contração
principalmente da noradrenalina, da serotonina e/ou da dos músculos lisos é
dopamina, bem como alteração no número e sensibilidade dos mediado pelo sistema
neurorreceptores. O aumento de neurotransmissores na fenda nervoso vegetativo.
sináptica pode se dar através do bloqueio da recaptação
Músculo estriado
desses neurotransmissores no neurônio pré-sináptico ou
esquelético: é inervado pelo
ainda, através da inibição da Monoaminaoxidase, enzima
sistema nervoso central e,
responsável pela inativação destes neurotransmissores.
como este se encontra em
A vontade de comer doces e a sensação de já estar satisfeito
parte sob controle
com o que comeu dependem de uma região cerebral localizada
consciente, chama-se
no hipotálamo. Com taxas normais de serotonina a pessoa
músculo voluntário. As
sente-se satisfeita com mais facilidade e tem maior controle na
contrações do músculo
vontade de comer doce.
esquelético permitem os
Havendo diminuição da serotonina, como ocorre na
movimentos dos diversos
depressão, a pessoa pode ter uma tendência ao ganho de peso.
ossos e cartilagens do
É por isso que medicamentos que aumentam a serotonina
esqueleto.
estão sendo cada vez mais utilizados nas dietas para perda de
peso. Músculo cardíaco: este
tipo de tecido muscular
Os atos reflexos forma a maior parte do
Os atos reflexos ou simplesmente reflexos são respostas coração dos vertebrados. O
automáticas, involuntárias a um estímulo sensorial. O estímulo músculo cardíaco carece de
chega ao órgão receptor, é enviado à medula através de controle voluntário. É
neurônios sensitivos ou aferentes (chegam pela raiz dorsal). inervado pelo sistema
Na medula, neurônios associativos recebem a informação e nervoso vegetativo.
emitem uma ordem de ação através dos neurônios motores
(saem da medula através da raiz ventral). Os neurônios
motores ou eferentes chegam ao órgão efetor que realizará Estriado esquelético
uma resposta ao estímulo inicial. Esse caminho seguido pelo -Miócitos longos, multinucleados (núcleos periféricos).
impulso nervoso e que permite a execução de um ato reflexo é -Miofilamentos organizam-se em estrias longitudinais e
chamado arco reflexo. transversais.
http://www.afh.bio.br -Contração rápida e voluntária

Questões Estriado cardíaco


-Miócitos estriados com um ou dois núcleos centrais.
01. O entendimento da fisiologia dos estímulos cerebrais -Células alongadas, irregularmente ramificadas, que se
nos permite entender que unem por estruturas especiais: discos intercalares.
-Contração involuntária, vigorosa e rítmica.
(A) o GABA, ácido gama-amino butírico, é um depressor do
SNC (sistema nervoso central). Liso
(B) o GABA, ácido gama-amino butírico, é um estimulante -Miócitos alongados, mononucleados e sem estrias
do SNC (sistema nervoso central). transversais.
(C) o GABA, ácido gama-amino butírico, não tem relação -Contração involuntária e lenta.
com a atividade do SNC (sistema nervoso central).
(D) a diminuição da recaptação de GABA, ácido gama- Musculatura Esquelética
amino butírico, aumenta sua disponibilidade e deixa o
indivíduo alerta. O sistema muscular esquelético constitui a maior parte
da musculatura do corpo, formando o que se chama
Respostas popularmente de carne. Essa musculatura recobre totalmente
o esqueleto e está presa aos ossos, sendo responsável pela
01. Resposta: A movimentação corporal.
Sistema de neurotransmissores chamado gabaminérgico
do Sistema Límbico. O ácido gama-amino butírico (GABA) é um

Anatomia e Fisiologia 42
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

extremidades são formadas por filamentos de actina e miosina


sobrepostos. Dentro da banda A existe uma região mediana
mais clara – a banda H – que contém apenas miosina.
Um sarcômero compreende o segmento entre duas linhas Z
consecutivas e é a unidade contrátil da fibra muscular, pois é
a menor porção da fibra muscular com capacidade de
contração e distensão.

Contração: A contração do músculo esquelético é


voluntária e ocorre pelo deslizamento dos filamentos de actina
sobre os de miosina. Nas pontas dos filamentos de miosina
existem pequenas projeções, capazes de formar ligações com
certos sítios dos filamentos de actina, quando o músculo é
estimulado. Essas projeções de miosina puxam os filamentos
de actina, forçando-os a deslizar sobre os filamentos de
miosina. Isso leva ao encurtamento das miofibrilas e à
contração muscular. Durante a contração muscular, o
sarcômero diminui devido à aproximação das duas linhas Z, e
Os músculos esqueléticos estão revestidos por uma lâmina a zona H chega a desaparecer.
delgada de tecido conjuntivo, o perimísio, que manda septos
para o interior do músculo, septos dos quais se derivam
divisões sempre mais delgadas. O músculo fica assim dividido
em feixes (primários, secundários, terciários).
O revestimento dos feixes menores (primários),
chamado endomísio, manda para o interior do músculo
membranas delgadíssimas que envolvem cada uma das fibras
musculares.
A fibra muscular é uma célula cilíndrica ou prismática,
longa, de 3 a 12 centímetros; o seu diâmetro é infinitamente
menor, variando de 20 a 100 mícrons (milésimos de
milímetro), tendo um aspecto de filamento fusiforme.
No seu interior notam-se muitos núcleos, de modo que se
tem a ideia de ser a fibra constituída por várias células que
perderam os seus limites, fundindo-se umas com as
outras. Dessa forma, podemos dizer que um músculo
esquelético é um pacote formado por longas fibras, que
percorrem o músculo de ponta a ponta.

No citoplasma da fibra muscular esquelética há


muitas miofibrilas contráteis, constituídas por filamentos
compostos por dois tipos principais de proteínas – a actina e a
miosina. Filamentos de actina e miosina dispostos Constatou-se, através de microscopia eletrônica, que
regularmente originam um padrão bem definido de estrias o sarcolema (membrana plasmática) da fibra muscular sofre
(faixas) transversais alternadas, claras e escuras. Essa invaginações, formando túbulos anastomosados que
estrutura existe somente nas fibras que constituem os envolvem cada conjunto de miofibrilas. Essa rede foi
músculos esqueléticos, os quais são por isso denominada sistema T, pois as invaginações são
chamados músculos estriados. perpendiculares as miofibrilas. Esse sistema é responsável
pela contração uniforme de cada fibra muscular estriada
Em torno do conjunto de miofibrilas de uma fibra muscular esquelética, não ocorrendo nas fibras lisas e sendo reduzido
esquelética situa-se o retículo sarcoplasmático (retículo nas fibras cardíacas.
endoplasmático liso), especializado no armazenamento de
íons cálcio. A química da contração muscular

O estímulo para a contração muscular é geralmente um


impulso nervoso, que chega à fibra muscular através de um
nervo. O impulso nervoso propaga-se pela membrana das
fibras musculares (sarcolema) e atinge o retículo
sarcoplasmático, fazendo com que o cálcio ali armazenado seja
liberado no hialoplasma. Ao entrar em contato com as
miofibrilas, o cálcio desbloqueia os sítios de ligação da actina e
permite que está se ligue à miosina, iniciando a contração
As miofibrilas são constituídas por unidades que se muscular. Assim que cessa o estímulo, o cálcio é
repetem ao longo de seu comprimento, imediatamente rebombeado para o interior do retículo
denominadas sarcômeros. A distribuição dos filamentos de sarcoplasmático, o que faz cessar a contração.
actina e miosina varia ao longo do sarcômero. As faixas mais
extremas e mais claras do sarcômero, chamadas banda
I, contêm apenas filamentos de actina. Dentro da banda I existe
uma linha que se cora mais intensamente, denominada linha
Z, que corresponde a várias uniões entre dois filamentos de
actina. A faixa central, mais escura, é chamada banda A, cujas

Anatomia e Fisiologia 43
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

A energia para a contração muscular é suprida por


moléculas de ATP produzidas durante a respiração celular. O
ATP atua tanto na ligação da miosina à actina quanto em sua
separação, que ocorre durante o relaxamento muscular.
Quando falta ATP, a miosina mantém-se unida à actina,
causando enrijecimento muscular. É o que acontece após a
morte, produzindo-se o estado de rigidez cadavérica (rigor
mortis).

A quantidade de ATP presente na célula muscular é Embora a contração do músculo liso também seja regulada
suficiente para suprir apenas alguns segundos de atividade pela concentração intracelular de íons cálcio, a resposta da
muscular intensa. A principal reserva de energia nas células célula é diferente da dos músculos estriados. Quando há uma
musculares é uma substância denominada fosfato de excitação da membrana, os íons cálcio armazenados no
creatina (fosfocreatina ou creatina-fosfato). Dessa forma, retículo sarcoplasmático são então liberados para o
podemos resumir que a energia é inicialmente fornecida pela citoplasma e se ligam a uma proteína, a calmodulina. Esse
respiração celular é armazenada complexo ativa uma enzima que fosforila a miosina e permite
como fosfocreatina (principalmente) e na forma de ATP. que ela se ligue à actina. A actina e a miosina interagem então
Quando a fibra muscular necessita de energia para manter a praticamente da mesma forma que nos músculos estriados,
contração, grupos fosfatos ricos em energia são transferidos resultando então na contração muscular.
da fosfocreatina para o ADP, que se transforma em ATP.
Quando o trabalho muscular é intenso, as células musculares Musculatura Cardíaca
repõem seus estoques de ATP e de fosfocreatina pela
intensificação da respiração celular. Para isso utilizam o O tecido muscular cardíaco forma o músculo do coração
glicogênio armazenado no citoplasma das fibras musculares (miocárdio). Apesar de apresentar estrias transversais, suas
como combustível. fibras contraem-se independentemente da nossa vontade, de
forma rápida e rítmica, características estas, intermediárias
entre os dois outros tipos de tecido muscular
As fibras que formam o tecido muscular estriado cardíaco
dispõem-se em feixes bem compactos, dando a impressão, ao
microscópio óptico comum, de que não há limite entre as
Uma teoria simplificada admite que, ao receber um fibras. Entretanto, ao microscópio eletrônico podemos notar
estímulo nervoso, a fibra muscular mostra, em sequência, os que suas fibras são alongadas e unidas entre si através de
seguintes eventos: delgadas membranas celulares, formando os chamados discos
intercalares, típicos da musculatura cardíaca.
1. O retículo sarcoplasmático e o sistema T liberam
íons Ca++ e Mg++ para o citoplasma.
2. Em presença desses dois íons, a miosina adquire uma
propriedade ATP ásica, isto é, desdobra o ATP, liberando a
energia de um radical fosfato:
3. A energia liberada provoca o deslizamento da actina
entre os filamentos de miosina, caracterizando o
encurtamento das miofibrilas.

Musculatura Lisa

A estriação não existe nos músculos viscerais, que se


chamam, portanto, músculos lisos. Os músculos viscerais são
também constituídos de fibras fusiformes, mas muito mais
curtas do que as fibras musculares esqueléticas: têm, na A contração muscular segue praticamente os mesmos
verdade, um tamanho que varia de 30 a 450 mícrons. Têm, passos da contração no músculo estriado esquelético, com
além disso, um só núcleo e não são comandados pela vontade, algumas diferenças:
ou seja, sua contração é involuntária, além de lenta. As fibras
lisas recebem, também, vasos e nervos sensitivos e motores -os túbulos T são mais largos que os do músculo
provenientes do sistema nervoso autônomo. esquelético;
-retículo sarcoplasmático menor;
-as células musculares cardíacas possuem reservas
intracelulares de íons cálcio mais limitada;

Anatomia e Fisiologia 44
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

-tanto o cálcio intracelular quanto o extracelular estão envolvidos na contração cardíaca: o influxo de cálcio externo age como
desencadeador da liberação do cálcio armazenado na luz do retículo sarcoplasmático, provocando a contração ao atingir as miofibrilas
e levando ao relaxamento ao serem bombeados de volta para o retículo.

Além de dar sustentação ao corpo, o esqueleto protege os órgãos internos e fornece pontos de apoio para a fixação dos músculos.
Ele constitui-se de peças ósseas (ao todo 208 ossos no indivíduo adulto) e cartilaginosas articuladas, que formam um sistema de
alavancas movimentadas pelos músculos.

O esqueleto humano pode ser dividido em duas partes:

1-Esqueleto axial: formado pela caixa craniana, coluna vertebral caixa torácica.
2-Esqueleto apendicular: compreende a cintura escapular, formada pelas escápulas e clavículas; cintura pélvica, formada pelos
ossos ilíacos (da bacia) e o esqueleto dos membros (superiores ou anteriores e inferiores ou posteriores).

Anatomia e Fisiologia 45
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Esqueleto axial esterno), 3 falsas (se reúnem e depois se unem ao esterno), e 2


1 Caixa craniana flutuantes (com extremidades anteriores livres, não se fixando
Possui os seguintes ossos importantes: frontal, parietais, ao esterno).
temporais, occipital, esfenoide, nasal, lacrimais, malares
("maçãs do rosto" ou zigomático), maxilar superior e
mandíbula (maxilar inferior).

Esqueleto apendicular

Membros e cinturas articulares


Cada membro superior é composto de braço, antebraço,
pulso e mão. O osso do braço – úmero – articula-se no cotovelo
com os ossos do antebraço: rádio e ulna. O pulso constitui-se
de ossos pequenos e maciços, os carpos. A palma da mão é
Imagem: AVANCINI & FAVARETTO. Biologia – Uma formada pelos metacarpos e os dedos, pelas falanges.
abordagem evolutiva e ecológica. Vol. 2. São Paulo, Ed. Cada membro inferior compõe-se de coxa, perna,
Moderna, 1997. tornozelo e pé. O osso da coxa é o fêmur, o mais longo do
corpo. No joelho, ele se articula com os dois ossos da perna: a
Observações: tíbia e a fíbula. A região frontal do joelho está protegida por
Primeiro - no osso esfenoide existe uma depressão um pequeno osso circular: a rótula. Ossos pequenos e maciços,
denominada de sela turca onde se encontra uma das menores chamados tarsos, formam o tornozelo. A planta do pé é
e mais importantes glândulas do corpo humano - a hipófise, no constituída pelos metatarsos e os dedos dos pés (artelhos),
centro geométrico do crânio. pelas falanges.
Segundo - Fontanela ou moleira é o nome dado à região alta Os membros estão unidos ao corpo mediante um sistema
e mediana, da cabeça da criança, que facilita a passagem da ósseo que toma o nome de cintura ou de cinta. A cintura
mesma no canal do parto; após o nascimento, será substituída superior se chama cintura torácica ou escapular (formada
por osso. pela clavícula e pela escápula ou omoplata); a inferior se
chama cintura pélvica, popularmente conhecida como bacia
2- Coluna vertebral (constituída pelo sacro - osso volumoso resultante da fusão de
cinco vértebras, por um par de ossos ilíacos e pelo cóccix,
É uma coluna de vértebras que apresentam cada uma um formado por quatro a seis vértebras rudimentares fundidas).
buraco, que se sobrepõem constituindo um canal que aloja a A primeira sustenta o úmero e com ele todo o braço; a segunda
medula nervosa ou espinhal; é dividida em regiões típicas que dá apoio ao fêmur e a toda a perna.
são: coluna cervical (região do pescoço), coluna torácica,
coluna lombar, coluna sacral, coluna cocciciana (cóccix).

3-Caixa torácica

É formada pela região torácica de coluna vertebral, osso


esterno e costelas, que são em número de 12 de cada lado,
sendo as 7 primeiras verdadeiras (se inserem diretamente no

Anatomia e Fisiologia 46
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

TECIDOS QUE FORMAM O ESQUELETO

O tecido ósseo
O tecido ósseo possui um alto grau de rigidez e resistência
à pressão. Por isso, suas principais funções estão relacionadas
à proteção e à sustentação. Também funciona como alavanca e
apoio para os músculos, aumentando a coordenação e a força
do movimento proporcionado pela contração do tecido
muscular.
Os ossos ainda são grandes armazenadores de substâncias,
sobretudo de íons de cálcio e fosfato. Com o envelhecimento, o
tecido adiposo também vai se acumulando dentro dos ossos
longos, substituindo a medula vermelha que ali existia
previamente.
A extrema rigidez do tecido ósseo é resultado da interação
entre o componente orgânico e o componente mineral da
matriz. A nutrição das células que se localizam dentro da
matriz é feita por canais. No tecido ósseo, destacam-se os
seguintes tipos celulares típicos:

-Osteócitos: os osteócitos estão localizados em cavidades


ou lacunas dentro da matriz óssea. Destas lacunas formam-se
Juntas e articulações canalículos que se dirigem para outras lacunas, tornando
assim a difusão de nutrientes possível graças à comunicação
Junta é o local de junção entre dois ou mais ossos. Algumas entre os osteócitos. Os osteócitos têm um papel fundamental
juntas, como as do crânio, são fixas; nelas os ossos estão na manutenção da integridade da matriz óssea.
firmemente unidos entre si. Em outras juntas, denominadas
articulações, os ossos são móveis e permitem ao esqueleto -Osteoblastos: os osteoblastos sintetizam a parte orgânica
realizar movimentos. da matriz óssea, composta por colágeno tipo I, glicoproteínas
e proteoglicanas. Também concentram fosfato de cálcio,
Ligamentos participando da mineralização da matriz. Durante a alta
Os ossos de uma articulação mantêm-se no lugar por meio atividade sintética, os osteoblastos destacam-se por
dos ligamentos, cordões resistentes constituídos por tecido apresentar muita basofilia (afinidade por corantes básicos).
conjuntivo fibroso. Os ligamentos estão firmemente unidos às Possuem sistema de comunicação intercelular semelhante ao
membranas que revestem os ossos. existente entre os osteócitos. Os osteócitos inclusive originam-
se de osteoblastos, quando estes são envolvidos
Classificação dos ossos completamente por matriz óssea. Então, sua síntese proteica
Os ossos são classificados de acordo com a sua forma em: diminui e o seu citoplasma torna-se menos basófilo.
A - Longos: têm duas extremidades ou epífises; o corpo do
osso é a diáfise; entre a diáfise e cada epífise fica a metáfise. A -Osteoclastos: os osteoclastos participam dos processos
diáfise é formada por tecido ósseo compacto, enquanto a de absorção e remodelação do tecido ósseo. São células
epífise e a metáfise, por tecido ósseo esponjoso. Exemplos: gigantes e multinucleadas, extensamente ramificadas,
fêmur, úmero. derivadas de monócitos que atravessam os capilares
sanguíneos. Nos osteoclastos jovens, o citoplasma apresenta
B- Curtos: têm as três extremidades praticamente uma leve basofilia que vai progressivamente diminuindo com
equivalentes e são encontrados nas mãos e nos pés. São o amadurecimento da célula, até que o citoplasma finalmente
constituídos por tecido ósseo esponjoso. Exemplos: calcâneo, se torna acidófilo (com afinidade por corantes ácidos).
tarsos, carpos. Dilatações dos osteoclastos, através da sua ação enzimática,
escavam a matriz óssea, formando depressões conhecidas
C - Planos ou Chatos: são formados por duas camadas de como lacunas de Howship.
tecido ósseo compacto, tendo entre elas uma camada de tecido - Matriz óssea: a matriz óssea é composta por uma parte
ósseo esponjoso e de medula óssea Exemplos: esterno, ossos orgânica (já mencionada anteriormente) e uma parte
do crânio, ossos da bacia, escápula. inorgânica cuja composição é dada basicamente por íons
fosfato e cálcio formando cristais de hidroxiapatita. A matriz
Revestindo o osso compacto na diáfise, existe uma delicada orgânica, quando o osso se apresenta descalcificado, cora-se
membrana - o periósteo - responsável pelo crescimento em com os corantes específicos do colágeno (pois ela é composta
espessura do osso e também pela consolidação dos ossos após por 95% de colágeno tipo I).
fraturas (calo ósseo). As superfícies articulares são revestidas
por cartilagem. Entre as epífises e a diáfise encontra-se um A classificação baseada no critério histológico admite
disco ou placa de cartilagem nos ossos em crescimento, tal apenas duas variantes de tecido ósseo: o tecido ósseo
disco é chamado de disco metafisário (ou epifisário) e é compacto ou denso e o tecido ósseo esponjoso ou lacunar ou
responsável pelo crescimento longitudinal do osso. O interior reticulado. Essas variedades apresentam o mesmo tipo de
dos ossos é preenchido pela medula óssea, que, em parte é célula e de substância intercelular, diferindo entre si apenas na
amarela, funcionando como depósito de lipídeos, e, no disposição de seus elementos e na quantidade de espaços
restante, é vermelha e gelatinosa, constituindo o local de medulares. O tecido ósseo esponjoso apresenta espaços
formação das células do sangue, ou seja, de hematopoiese. O medulares mais amplos, sendo formado por várias trabéculas,
tecido hemopoiético é popularmente conhecido por "tutano". que dão aspecto poroso ao tecido. O tecido ósseo compacto
As maiores quantidades de tecido hematopoiético estão nos praticamente não apresenta espaços medulares, existindo, no
ossos da bacia e no esterno. Nos ossos longos, a medula óssea entanto, além dos canalículos, um conjunto de canais que são
vermelha é encontrada principalmente nas epífises. percorridos por nervos e vasos sanguíneos: canais de

Anatomia e Fisiologia 47
Apostila Digital Licenciada para Mariana da Cunha Ribeiro - fruth_gurth@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Volkmann e canais de Havers. Por ser uma estrutura glicosaminoglicanas das proteoglicanas e o colágeno, e à
inervada e irrigada, os ossos apresentam grande sensibilidade grande quantidade de moléculas de água presas a estas
e capacidade de regeneração. glicosaminoglicanas (água de solvatação) que conferem
Os canais de Volkmann partem da superf