Você está na página 1de 26

ATLAS HEMATOLÓGICA

PRECURSORES ERITROCITÁRIOS

Um adulto produz cerca de 200 bilhões de eritrócitos por dia, em condições normais,
substituindo número equivalente de células destruídas e, assim, mantendo estável a massa
total de eritrócitos (também chamados de glóbulos vermelhos ou hemácias) do organismo.
Tais precursores, nos seus diversos estágios de maturação, podem aparecer no sangue
periférico nas anemias hemolíticas em geral, após hemorragias graves, na anoxemia grave, na
reação leucoeritroblástica (presença de eritroblastos + granulócitos jovens), consequente a
distúrbios graves da medula óssea (fibrose, infiltração tumoral), em pacientes críticos e
neoplasias hematológicas, indicando prognóstico desfavorável.

Proeritroblasto

Precursor eritroide mais imaturo que pode ser identificado na medula óssea. Esse tipo celular
se caracteriza por ser grande e volumoso, citoplasma com basofilia intensa, núcleo
apresentando cromatina frouxa e delicada, um ou mais nucléolos nem sempre bem visíveis e
alta relação núcleo/citoplasma. Halo perinuclear, às vezes, visível. Seu tamanho oscila entre 12
a 20μm.

FONTE: http://www.hematologia.farmacia.ufg.br/p/7032-proeritroblasto

Eritroblasto policromático
precursor eritroide com núcleo apresentando cromatina já condensada, citoplasma com
menos RNA e mais hemoglobina, resultando em menor basofilia, a razão núcleo/citoplasma é
menor do que de seus precursores. Seu tamanho oscila entre 10 a 12μm.
FONTE: https://laces.icb.ufg.br/p/20037-eritroblasto-policromatico

Eritroblasto ortocromático
precursor eritroide com núcleo picnótico apresentando cromatina muito condensada, às vezes
excêntrico, e citoplasma acidófilo (semelhante à cor dos eritrócitos). O núcleo será ejetado
nesse estágio. Seu tamanho oscila entre 8 a 10μm.

FONTE: https://www.google.com/url?sa=i&url=https%3A%2F%2Flaces.icb.ufg.br%2Fp
%2F20038-eritroblasto-
ortocromatico&psig=AOvVaw1LlX9vdzmSt7Z_gWnPVlJ0&ust=1617112522007000&source=im
ages&cd=vfe&ved=0CAIQjRxqFwoTCJjc_93T1e8CFQAAAAAdAAAAABAD

ANISOCITOSE (quanto a tamanho)

Microcitose
condição com eritrócitos de tamanho menor do que o normal, abaixo de 7,2µm, geralmente
consequente à deficiência na síntese de hemoglobina. Eritrócitos microcíticos estão presentes,
principalmente, nas anemias ferropênicas, nas talassemias, na intoxicação pelo chumbo e em
algumas anemias sideroblásticas. As anemias das doenças crônicas, quando não tratadas
precocemente, também podem apresentar eritrócitos microcíticos, configurando um quadro
de microcitose. Doenças mieloproliferativas, como a policitemia vera, podem também
apresentar microcitose devido ao número exagerado de eritrócitos. Geralmente o VCM
(volume corpuscular médio) está <80fl

FONTE: https://maestrovirtuale.com/microcitose-sintomas-causas-tratamentos/

Macrocitose
condição com eritrócitos de tamanho maior do que o normal, geralmente acima de
8µm. Os macrócitos podem ser arredondados ou ovais (macrovalócitos) estando
presentes em condições clínicas diferentes. Os macrócitos arredondados podem estar
presentes em condições fisiológicas nos recém-nascidos, bem como em certas doenças
endócrinas e hepáticas, mielodisplasia, anemias hemolíticas em geral (nestes casos são
referidos como macrócitos policromatófilos, ou seja, reticulócitos), uso abusivo de álcool e de
certos medicamentos (anticonvulsivantes, antiblásticos, zidovudina). Os macrovalócitos podem
estar presentes na deficiência de vitamina B12 ou ácido fólico. Geralmente o VCM (volume
corpuscular médio) está >100fL.

FONTE: https://www.msdmanuals.com/pt/profissional/hematologia-e-oncologia/anemias-
causadas-por-eritropoese-deficiente/anemias-macroc%C3%ADticas-megalobl%C3%A1sticas

POIQUILOCITOSE (quanto á forma)


Drepanócitos ou eritrócitos falciformes

Eritrócitos em forma de foice. Estão presentes na doença falciforme em maior número (SS), ou
geralmente em menor número nas combinações da hemoglobina S com outras hemoglobinas
variantes (SC, SD, Sβ-tal, Sα-tal, SLepore, etc).

FONTE: https://www.biomedicinapadrao.com.br/2012/01/alteracao-morfologica-das-
hemacias.html

Eliptócitos ou ovalócitos

Eritrócitos em forma elíptica ou oval, respectivamente. Podem surgir em diversas condições


adquiridas e hereditárias. Quando em grande quantidade, são decorrentes de eliptocitose ou
ovalocitose hereditárias, que são doenças causadas por alterações de proteínas da membrana
dos eritrócitos. Também podem ocorrer na anemia ferropriva, talassemias e anemia
megaloblástica, dentre outras.

FONTE: https://www.biomedicinapadrao.com.br/2012/01/alteracao-morfologica-das-
hemacias.html
Esferócitos
Eritrócitos menores, em forma esférica e sem halo claro central. Como mantêm o mesmo
conteúdo de hemoglobina em um volume celular menor, perdem o halo claro central. Estão
presentes, principalmente, em maior número na esferocitose hereditária, nas anemias
hemolíticas autoimunes e queimaduras extensas e, em menor número nas anemias
hemolíticas em geral.

FONTE: https://www.biomedicinapadrao.com.br/2012/01/alteracao-morfologica-das-
hemacias.html

Eritrócitos crenados ou equinócitos

Eritrócitos com numerosas projeções pequenas e regulares em volta da membrana. Estão


presentes, principalmente, como artefato de estocagem, mas pode ocorrer em pacientes com
uremia e naqueles em estado crítico, além de anemias microangiopáticas e deficiência de
piruvato quinase. Amostras de sangue de recém-nascidos prematuros frequentemente
apresentam crenações por serem mais susceptíveis.
FONTE: https://www.biomedicinapadrao.com.br/2012/01/alteracao-morfologica-das-
hemacias.html

Acantócitos

Eritrócitos com poucas projeções e irregulares em volta da membrana. Estão presentes,


principalmente, na abetalipoproteinemia, nas queimaduras extensas, doença hepática grave,
bem como nas anemias hemolíticas em geral.

FONTE: https://www.biomedicinapadrao.com.br/2012/01/alteracao-morfologica-das-
hemacias.html

Esquizócitos
Eritrócitos fragmentados. Estão presentes, principalmente, nas anemias hemolíticas
microangiopáticas (púrpura trombocitopênica trombótica, síndrome hemolítico-urêmica,
coagulação intravascular disseminada, sepse), mas podem ser vistos em múltiplas situações
que incluem anemia megaloblástica, carcinomas disseminados, pré-eclâmpsia e eclâmpsia,
próteses valvares cardíacas e queimaduras graves, além do uso de fármacos oxidantes e
rejeição de transplantes.

FONTE: https://www.biomedicinapadrao.com.br/2012/01/alteracao-morfologica-das-
hemacias.html

Dacriócitos

Eritrócitos em forma de lágrima. Estão presentes, principalmente, nas anemias hemolíticas em


geral e nas anemias megaloblásticas, fibrose de medula óssea ou diseritropoese grave. Pode
ocorrer também na anemia ferropriva.

FONTE: https://www.biomedicinapadrao.com.br/2012/01/alteracao-morfologica-das-
hemacias.html
Estomatócitos

Eritrócitos que apresentam uma fenda semelhante a uma boca na região central da célula.
Estão presentes, principalmente, em pequeno número em indivíduos hígidos (nas áreas mais
delgadas do filme sanguíneo) e em maior número em algumas anemias hemolíticas, na
hepatopatia alcoólica e na estomatocitose hereditária. Em filmes sanguíneos de recém-
nascidos, durante o uso de asparaginase e no raro fenótipo Rh nulo, estomatócitos podem
ocorrer também.

FONTE: https://www.biomedicinapadrao.com.br/2012/01/alteracao-morfologica-das-
hemacias.html

ANISOCROMIA OU ANISOCROMASIA (quanto à cor)


Consiste na variação da cor dos eritrócitos. Tal variação frequentemente é observada no início
das anemias ferroprivas, bem como durante o seu tratamento.

Hipocromia
Eritrócitos com coloração mais clara que o normal. Quando existe redução do conteúdo de
hemoglobina o halo claro central aumenta. Dessa forma, ocorre nos casos onde há deficiência
na síntese de hemoglobina. Geralmente a área central é > 1/3 do diâmetro do eritrócito.
FONTE: https://br.pinterest.com/pin/856458054109272332/

Policromasia ou policromatofilia
Eritrócitos imaturos com coloração róseoazulada, particularmente reticulócitos jovens com
maior teor de RNA.

FONTE: https://www.facebook.com/EuAmoHematologia/posts/cristais-de-hemoglobina-
chemoglobin-hb-c-disease-after-splenectomy-before-splene/2830155447008847/

Quanto à disposição de hemoglobina

Eritrócitos em alvo (codócitos, dianócitos ou células em diana)


Eritrócitos com excesso de membrana que no filme sanguíneo apresentam uma distribuição
central de hemoglobina rodeada por halo claro. Estão presentes, principalmente, nas anemias
hemolíticas em geral (principalmente hemoglobinas variantes e talassemias); na icterícia
obstrutiva, nas hepatopatias graves, nas alterações lipídicas do plasma e, raramente, na
deficiência de ferro, esplenectomia e tratamento com asparaginase.
FONTE: https://www.biomedicinapadrao.com.br/2012/01/alteracao-morfologica-das-
hemacias.html

Cristais de hemoglobina

Eritrócitos com disposição anormal da hemoglobina lembrando um eritrócito “dobrado”. Estão


presentes, principalmente, nas hemoglobinopatias (hemoglobinopatia CC e interações da HbC
com outras hemoglobinas variantes ou talassemias). Nas Figuras 40 e 41 estão apresentados
cristais de hemoglobina.

FONTE: https://br.pinterest.com/pin/386042999303682596/

QUANTO À DISPOSIÇÃO DOS ERITRÓCITOS


Eritrócitos aglutinados

Ocorrem devido às reações antígeno-anticorpo. Eritrócitos revestidos por anticorpos podem se


aglutinar formando “cachos”. Estão presentes, principalmente, nas anemias hemolíticas
autoimunes causadas por anticorpos frios (crioaglutininas). Podem ocorrer também após
transfusões.

FONTE: https://www.google.com/url?sa=i&url=https%3A%2F%2Fedisciplinas.usp.br%2Fmod
%2Fresource%2Fview.php%3Fid
%3D1511337&psig=AOvVaw0MiUmO0Y4ojZ2QrMNtTQWc&ust=1617115300525000&source=i
mages&cd=vfe&ved=0CA0QjhxqFwoTCMjB7Ize1e8CFQAAAAAdAAAAABAD

Eritrócitos empilhados (rouleaux)

Eritrócitos que se empilham devido à redução de suas cargas negativas pelo aumento,
principalmente, de fibrinogênio em condições inflamatórias e infecciosas. Particularmente, no
mieloma múltiplo e alguns linfomas, é frequente o encontro de “rouleaux”. Fisiologicamente,
mulheres grávidas podem apresentar empilhamento de eritrócitos, não apresentando
qualquer valor clínico.

FONTE: https://www.google.com/url?sa=i&url=https%3A%2F%2Fedisciplinas.usp.br%2Fmod
%2Fresource%2Fview.php%3Fid
%3D1511337&psig=AOvVaw0MiUmO0Y4ojZ2QrMNtTQWc&ust=1617115300525000&source=i
mages&cd=vfe&ved=0CA0QjhxqFwoTCMjB7Ize1e8CFQAAAAAdAAAAABAD

PLAQUETAS TROMBOCITAS
As plaquetas, também chamadas de trombócitos, são fragmentos citoplasmático de
megacariócito, células grandes da medula óssea. São estruturas anucleadas, pequenas, que
apresentam cerca de 2 a 3 µm de diâmetro e possuem uma forma de disco. Em média, são
encontradas cerca de 250 a 400 mil plaquetas em cada microlitro de sangue em nosso corpo.

Fonte: https://m.mundoeducacao.uol.com.br/amp/biologia/celulas-sangue.htm

BASÓFILO

Os basófilos são células importantes para o sistema imune, estando normalmente aumentados
em casos de alergia ou inflamação prolongada como asma, rinite ou urticária por exemplo. Os
basófilos possuem em sua estrutura inúmeros grânulos, que, em situações de inflamação ou
alergia, por exemplo, liberam heparina e histamina para combater o problema
Fonte: https://www.tuasaude.com/basofilos/

NEUTRÓFILOS

Os neutrófilos são um tipo de leucócitos e, por isso, são responsáveis pela defesa do
organismo, tendo sua quantidade aumentada no sangue quando há alguma infecção ou
inflamação ocorrendo. O neutrófilo encontrado em maior quantidade circulante é o neutrófilo
segmentado, também conhecido como neutrófilo maduro, que é responsável por envolver as
células infectadas ou lesionadas e depois eliminá-las.
Fonte: https://www.tuasaude.com/neutrofilos/amp/

EUSINÓFILO

Os eosinófilos são um tipo de célula de defesa do sangue que tem origem a partir da
diferenciação de uma célula produzida na medula óssea, o mieloblasto, e tem como objetivo
defender o organismo contra a invasão de microrganismos estranhos, sendo muito importante
para a ação do sistema imunológica.
Fonte: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Granul%C3%B3cito_eosin%C3%B3filo

MONÓCITO

Os monócitos são um grupo de células do sistema imunológico que tem a função de defender
o organismo de corpos estranhos, como vírus e bactérias. Eles podem ser contabilizados
através de exames de sangue chamados leucograma ou hemograma completo, que traz a
quantidade de células de defesa no organismo.
Fonte: https://www.tuasaude.com/monocitos/amp/

LINFÓCITOS

Linfócitos são um dos diversos tipos de células de defesa do organismo e pertencem a um


grupo de células chamadas de leucócitos ou glóbulos brancos. Essas células são produzidas na
medula óssea e defendem o organismo contra doenças, infecções ou alergias. Os linfócitos,
especificamente, costumam ser aumentados quando há alguma infecção e sua quantidade
serve como um indicativo para diversas doenças, como gripe, alergia, toxoplasmose, rubéola,
leucemia e até mesmo HIV.

Fonte
: https://www.sanarmed.com/resumo-sobre-linfocitos-completo-sanarflix

Mieloblasto
É uma célula sanguínea imatura que é precursora do promielócito também chamada de
progranulócito. Mais tarde, o promielócito poderá divergir num granulócito, podendo vir a ser
um basófilo, um neutrófilo ou um eosinófilo.
FONTE: https://laces.icb.ufg.br/p/20040-mieloblasto

PROMIELÓCITO

Um promielócito (ou progranulócito) é um precursor de granulócitos, desenvolvendo-se a


partir de mieloblastos para dar origem a mielócitos.
FONTE: https://laces.icb.ufg.br/p/20041-promielocito

Mielócito

É uma célula imatura da medula óssea que origina vários dos elementos figurados do sangue.
FONTE: https://laces.icb.ufg.br/p/20042-mielocito

METAMIELÓCITO

O metamielócito é uma célula da linhagem granulocítica da medula óssea, a mais madura após
o mielócito.
FONTE: https://laces.icb.ufg.br/p/20043-metamielocito

PROMONÓCITOS

Promonócitos são células monocíticas imaturas que apresentam quantidades moderadas de


citoplasma cinza-azulado e grânulos citoplasmáticos finos.

FONTE: https://www.pncq.org.br/uploads/2015/qualinews/dez/ICSH%20Parte%202%20e
%203.pdf

LINFOBLASTO

Linfoblasto é uma célula precursora linfóide imatura, diferindo do linfócito maduro.


Linfoblastos são encontrados em medulas ósseas normais, em pequena porcentagem. Na
leucemia linfóide aguda existe grande proliferação clonal destas células na medula óssea,
sendo que as mesmas podem aparecer no sangue periférico.
FONTE: https://laces.icb.ufg.br/p/20620-linfoblasto

PRÓLINFÓCITO

O prólinfócito é uma célula intermediária entre linfoblasto e linfócito maduro, apresenta uma
cromatina moderadamente densa (entre densa e frouxa), com um nucléolo grande e
proeminente.
FONTE: https://laces.icb.ufg.br/p/20620-linfoblasto

ACANTÓCITOS

acantócitos são hemáceas (eritrócitos) espiculadas irregulares, encontradas em pacientes


contendo uma deficiência congênita de beta-lipo-proteínas. Estes pacientes também
apresentam graves perturbações neurológicas.
FONTE: https://www.biomedicinapadrao.com.br/2012/01/alteracao-morfologica-das-
hemacias.html

ANISOCITOSE

Anisocitose é um termo médico que significa que os glóbulos vermelhos do paciente são de
tamanho desigual. Isso é comumente encontrado em anemia e outras doenças do sangue.
FONTE: https://hematologia.farmacia.ufg.br/n/70060-anisocitose

RETICULÓCITOS

Se houver hemorragia o número de reticulócitos aumenta alguns dias depois para


compensar a perda de hemácias. Se houver perda de sangue crônica, o número
de reticulócitos pode permanecer elevado enquanto a medula óssea supre a
necessidade de novas hemácias. Anemia hemolítica.

FONTE: https://labpratica.com.br/2019/04/17/interpretacao-clinica-e-valor-diagnostico-dos-
reticulocitos/
LINFÓCITO T

Os linfócitos T executam várias funções na defesa contra infecções causadas por


vários tipos de microrganismos, sendo sua principal atuação na imunidade mediada
por células (CMI, do inglês, cell-mediated immunity), que fornece defesa contra várias
infecções causadas por microrganismos intracelulares

FONTE: http://imprensaregional.cienciaviva.pt/conteudos/artigos/?
accao=showartigo&id_artigocir=1334

LINFOCITO B

Linfócito B ou célula B é um tipo de linfócito que constitui o sistema imunológico. Ele


tem um importante papel na imunidade humoral e é um essencial componente do
Sistema imune adaptativo. A principal função das células B é a produção de
anticorpos contra antígenos.

FONTE: https://revista.abrale.org.br/linfocitos-e-linfomas-b-e-t/
MEGACARIOCITO
Os megacariócitos, células que dão origem às plaquetas, apresentam características
morfológicas únicas, destacandose por seu grande tamanho e por aspectos particulares do
citoplasma e do núcleo(1,2). São, portanto, facilmente identificáveis à análise microscópica
habitual

FONTE: https://www.google.com/search?
q=MEGACARIOCITO&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=2ahUKEwi2s_-ur-
PvAhWsJrkGHZgNAqcQ_AUoAXoECAEQAw&biw=1280&bih=881#imgrc=l0So1qQGlTIPpM

Você também pode gostar