Você está na página 1de 4

Faculdade Doctum de João Monlevade - APS

AVALIAÇÃO: Dir. Civil II ETAPA: 1ª DATA: 11/04/2020 ANO: 3° A

UNIDADE: JOÃO MONLEVADE PROFESSOR: Walter Veloso Dutra

ALUNO: Henrique Nascimento Araújo dos Santos VALOR: 15 NOTA:

Antes de iniciar a avaliação, leia atentamente as seguintes instruções:

estende, automaticamente, aos demais devedores. Art.


277
1. (2014/FCC/Defensor Público) Ângela firmou
contrato com Ana Lúcia obrigando-se a entregar-lhe um
vestido. Antes da tradição, porém, utilizou o vestido em 3. (2010/FGV/Auditor da Receita do Estado) Trácio é
uma festa e derrubou vinho sobre o tecido, causando contratado por Constantino para realizar serviços de
manchas no bem. Ana Lúcia poderá pintura na sua casa, localizada na cidade de Macapá/AP,
tendo ambos formalizado contrato de prestação de
a) aceitar o vestido, ou o equivalente em dinheiro, desde serviços, definindo prazos, condições de pagamento,
que renuncie às perdas e danos. Art. 236 natureza e qualidade do material a ser utilizado na obra.
b) postular somente o equivalente em dinheiro, desde que O prazo contratual para término do serviço foi fixado em
renuncie ao recebimento do vestido. Art. 236 seis meses, contados do dia 05 de junho de 2009. Na data
c) aceitar o vestido, ou o equivalente em dinheiro, final, Trácio não concluiu os serviços a que se propôs,
além de postular perdas e danos. Art.236 sem apresentar justificativa para a não conclusão. Apesar
d) apenas postular perdas e danos. Art.236 disso, postula de Constantino o pagamento total do preço
e) aceitar o vestido, apenas, desde que renuncie às perdas e indica Kreso para continuar a obra inacabada, com
e danos. Art. 236 pagamento adicional.

2. (2014/CETRO/Auditor Fiscal do Município) Sobre a A esse respeito, no campo dos direitos das obrigações,
divisibilidade de uma obrigação, assinale a alternativa analise as afirmativas a seguir:
correta. I. O descumprimento da obrigação de fazer por culpa do
devedor permite o término da obra por outrem, quando
a) Um objeto perfeitamente divisível de uma possível, às suas expensas. Art. 249
prestação, em decorrência da vontade das partes, II. Trácio, no caso vertente, pode abandonar a obra,
pode se tornar uma obrigação indivisível. Art. receber o preço, desde que indique sucessor hábil à sua
258 conclusão. Art. 602
b) A solidariedade de credores para o pagamento de uma III. Caso houvesse urgência, poderia Constantino
dívida pode ser determinada pela lei, presumida ou executar a obra, independente de autorização judicial,
oriunda da vontade das partes. Art. 265 sendo ao final ressarcido de suas despesas. Art. 249, §
único
c) A obrigação de entregar determinado touro premiado,
IV. a obra poderia ser concluída por terceiro, mantida a
de titularidade de um conjunto de investidores, também
responsabilidade de Trácio, desde que o credor
pode ser fracionada entre eles. Art. 258
concordasse. Art. 249
d) Ainda que se resolva em perdas e danos, uma
V. sendo o caso em tela obrigação de dar, a escolha seria
obrigação indivisível não perde a sua qualidade. Art. 263
do devedor.
e) Em o credor aceitando pagamento parcial com
concessão de remissão a um devedor, tal benefício se
Assinale:
a) se somente as afirmativas II, IV e V forem verdadeiras. I. As obrigações de não fazer são extintas se a
b) se somente as afirmativas I, III e V forem verdadeiras. abstenção do ato se tornar impossível sem culpa do
c) se somente as afirmativas II e III forem verdadeiras. devedor. Art. 250
d) se somente as afirmativas I, II e V forem verdadeiras. II. Nas obrigações de dar coisa certa, se a coisa se
e) se somente as afirmativas I, III e IV forem perder sem culpa do devedor antes da tradição, a
verdadeiras. obrigação fica resolvida para ambas as partes.
Art.234
4. (2002/FCC/Promotor de Justiça) Minha cachorrinha
Cindy fugiu e publiquei anúncio dizendo que daria
III. Nas obrigações de restituir coisa certa, se a coisa
quinhentos reais para quem a encontrasse e me se perder sem culpa do devedor antes da tradição, o
devolvesse. Osvaldo, pessoa muito rica, encontrou-a e credor sofrerá a perda e a obrigação se resolverá.
devolveu-me. Nesse caso, Art.238
IV. Nas obrigações de dar coisa incerta não há que
a) não se configura a obrigação unilateral, porque esta se falar em perda da coisa antes da escolha. Art. 246
implica promessa solene e formal.
b) posso recompensar Osvaldo com o valor que quiser, Assinale a correta:
porque a promessa não gera obrigação. a) Todas as assertivas são verdadeiras.
c) não estou obrigado ao pagamento, porque Osvaldo é b) Apenas as assertivas I, II e IV são verdadeiras.
pessoa rica e não agiu movido pela recompensa. c) Apenas as assertivas II, III e IV são verdadeiras.
d) tenho a obrigação de pagar o valor prometido, d) Apenas as assertivas I, II e III são verdadeiras.
porque me comprometi àquele pagamento. Art.
854 7. (2014/FMP-RS/Procurador do Estado) Na obrigação
e) não se trata de obrigação unilateral, porque está de dar coisa certa, se a coisa se perder sem culpa do
ausente o requisito da aceitação expressa. devedor:

5. (2015/FGV/Prova: Analista Judiciário – Direito) a) antes da tradição resolve-se a obrigação. Art.


Silvio, fazendeiro e criador de gado de leite, arrendou um 234
touro premiado para usar na reprodução de suas vacas b) o credor pode resolver a obrigação ou pedir
leiteiras. Acontece que, apesar do zelo com o qual cuidou indenização pelo prejuízo. Art.234
do animal, fortes chuvas que atingiram a região causaram c) após a tradição o credor pode pedir indenização.
a destruição das benfeitorias e morte de diversos animais, Art.234
entre os quais o animal arrendado. É correto afirmar que, d) é dele a opção entre resolver ou pagar a indenização.
em decorrência desse fato: Art. 234

a) resolve-se o contrato, devendo Silvio indenizar o 8. (2014/FCC/Procurador Municipal) Carlos adquiriu


proprietário do touro, pagando-lhe tão somente o valor do um cavalo premiado para participar de competição de
animal; Art. 238 hipismo. O vendedor, Gil, comprometeu-se a entregar o
b) resolve-se o contrato, devendo Silvio indenizar o cavalo em até dois dias do início da competição. Gil, no
proprietário do touro, pagando-lhe o correspondente ao entanto, deixou de entregar o cavalo na data combinada,
valor do animal e os lucros cessantes; Art. 238 impossibilitando Carlos de participar do torneio.
c) mantém-se o contrato, devendo o proprietário Entregou-o, porém, três dias depois. Carlos
providenciar a reposição do animal arrendado, às suas
expensas; Art.238 a) deverá necessariamente receber a coisa, não podendo
d) mantém-se o contrato, devendo o proprietário reclamar satisfação das perdas e danos. Art.395, § único
providenciar a reposição do animal arrendado, às b) deverá necessariamente receber a coisa, sem prejuízo
expensas de Silvio; Art.238 de exigir satisfação das perdas e danos. Art.395, § único
e) resolve-se o contrato, arcando o proprietário c) deverá necessariamente enjeitar a coisa, exigindo
com o prejuízo decorrente da perda do touro. satisfação das perdas e danos. Art.395, § único
Art.238 d) poderá enjeitar a coisa e exigir satisfação das
perdas e danos, caso entenda que a prestação se
6. (2014/IESES/TJ-MS/Titular de Serviços de Notas e tornou inútil. Art. 395, § único
de Registros) Sobre as obrigações, responda: e) poderá enjeitar a coisa e exigir somente a devolução da
quantia paga, sem outros acréscimos. Art.395, § único
9. ( 2013/FGV/Advogado) Em relação às obrigações de
dar coisa certa, assinale a afirmativa incorreta.

a) Em caso de deterioração da coisa e não havendo culpa


do devedor, o credor poderá resolver a obrigação, ou
aceitar a coisa, abatido de seu preço o valor que perdeu.
Art. 235
b) A coisa pertence ao devedor até a tradição e este
poderá exigir aumento do preço em caso de
melhoramentos e acrescidos. Art. 237
c) Nos casos de obrigação de restituição de coisa certa,
ocorrendo a perda da coisa antes da tradição, sem culpa
do devedor, sofrerá o credor a perda e a obrigação se
resolverá, ressalvados os seus direitos até o dia da perda.
Art. 238
d) Em caso de perda da coisa por culpa do devedor, este
responderá pelo equivalente, mais perdas e danos. Art.
234
e) A obrigação de dar coisa certa não abrange os
acessórios dela, salvo se o contrário resultar do
título ou das circunstâncias do caso. Art. 233

10. (2013/Prefeitura do Rio de Janeiro – RJ/Assessor


Jurídico) As obrigações, quanto ao seu objeto, podem
ser:

a) de dar, de fazer e de não fazer


b) simples, compostas e alternativas
c) de meio, de resultado e a termo
d) puras, condicionais e modais

QUESTÃO DISCURSIVA

1) Ana firmou com Pedro a obrigação de entregar três


sacas de café Conilon que estavam armazenadas em seu
galpão ao final do mês de abril. Para tanto, Pedro
adiantou a quantia de R$10.000,00 (dez mil reais).
Ocorre que antes do termo fixado, uma chuva torrencial
destruiu o galpão com as sacas destinadas ao credor.
Nesse caso, Pedro poderá reaver o prejuízo sofrido? A
resposta deverá classificar a obrigação e justificar com
base no artigo de lei.

A obrigação referente, trata-se de uma obrigação de dar coisa


certa, onde essa relação é estabelecida pelo art. 234. Diante
disso, por se tratar da perda da coisa, causada por evento da
natureza, ou seja, sem culpa do devedor, a devedora deverá
efetuar a devolução da quantia paga por Pedro, sem que se fale
em perdas e danos. Portanto, a relação obrigacional ficará
resolvida.

Você também pode gostar