Você está na página 1de 67

PROCESSOS, PRODUTOS E RESULTADOS

MEMÓRIA E RAÍZES NOS TERRITÓRIOS: Neas como


processos e ambientes de aprendizagens articulados
Agroecologia: ciência, movimento e prática
Rede  ciência popular
NEAs no Brasil
Número de Editais/Chamadas Públicas 08
Número de Projetos de NEAs Apoiados por
chamada
Carta Convite no 73/2010 = 27, Edital 58/2010 = 52,
Edital 46/2012 = 22, Edital 81/2013 = 93 (duas 373
Redes de NEAs), Edital38/2014 = 25 (três Redes
de NEAs), Edital 39/2014 = 19, Edital 02/2016 = 44,
Edital 21/2016 = 92
Número de NEAs estimado 154
Tipos de práticas e atividades realizadas 68
Pessoas mobilizadas indiretamente 60.824
O Projeto - Desenho
• Fruto do diálogo entre a ABA e o MDA
• Previsão de 2 anos de duração
• Realização de Marco/2015
• Novembro/2017 (recursos só em
setembro)
• Coordenação Partilhada: UFV, Embrapa
Agrobiologia, UFRPE e GTs da ABA
• Abrangência Nacional

4 Metas:
– Sistematização de Experiências dos NEAs Edital 81/2013;
– II Seminário Nacional de Educação em Agroecologia
– Realizar formações em Agroecologia
– Estruturar Mecanismos de Comunicação em Agroecologia
Sistematizando: Juntando cacos, construindo vitrais

Elza Maria Fonseca Falkembach - Professora do


Departamento de Pedagogia da UNIJUI/RS e Educadora
Popular

“Assim como o poeta, o povo...


Encoberto pela história – a
oficialmente contada e estudada –, • Formação
para expressar o seu quem, o seu • Juntar cacos
• Construir vitrais
quando, o onde e o como do seu • Sujeito e objeto: uma relação?
próprio viver, tem de criar seus meios. • Entendendo nossos avessos
Necessita construir instrumentos para • Além de vitrais, anéis
• Experiência
contar e cantar os seus pensares, seus
processos compartidos, objetivações
do dia-a-dia, emoções”
:: Princípios do Projeto ::
1. Memória coletiva

2. Organização de conteúdo e reflexão coletiva

1. Sistematização se aprende na prática

2. Sistematização é tarefa e oportunidade de todas e todos

3. Sistematização dos NEAs é feita pelos NEAs

4. Construção horizontal do conhecimento, escuta e partilha da


vivência construída pelos NEAs (metodologias)

5. Articulação territorial e envolvimento de diferentes sujeitos

6. Educação Popular articulada à valorização da Cultura Tradicional


e Comunicação Colaborativa
:: Diversidade e Trabalho em Rede ::
Estudantes Agricultoras Educadoras Agentes de ATER Governo

2.734 pessoas
497; 18%
90 núcleos diferentes
1029;
195; 7% 38%

742; 27%
286; 10%
:: Caminhos construídos ::
1. Oficinas de Planejamento (GTs da
ABA e NEAs pós IX CBA)
2. Matriz de Sistematização (9 temas
gerais e 7 temas transversais)
3. Seminários Regionais
11. Oficinas de Sistematização
4. Caravanas Territoriais: RJ, Regional,
12. Relatorias – Memória
CO, SP, Rio Doce e Regional Pará
Compartilhada
5. Coletivos Regionais
13. Comunicação: Vídeos, Fotos
6. Reuniões Online (Acervo), Redes Sociais, Canal
7. Comitê Editorial da RBA Youtube
8. Oficina de Escrita Científica 14. Produção de Materiais
9. Oficina de Produtos de Pedagógicos
Comunicação 15. Biblioteca Virtual
10. Articulação GT Educação (ABA- 16. Encontro Nacional – Partilha dos
Agroecologia) para o II SNEA Resultados
Articulação e Mobilização
NÚMERO TOTAL DE ATIVIDADE REALIZADAS 51
Rodas de Conversa/Palestra/Aula 10
Caravanas 05
Oficinas 23
Seminários Nacionais 05
Seminários Regionais 05
Encontro Nacional 01
Instalação Artístico-Pedagógica 01
Carga Horária presencial (principais atividades) 732
Carga horária não presencial (atividades online) 700
Equipe Fixa (2015-jan-2017/jan-dez 2017) 6
Equipe Ampliada 21
98 PRODUTOS
:: Produções científicas, técnicas, artísticas ou culturais ::

Capítulo livro 03
Livro/Publicações 03
Folder/Folheto/Boletins 19
Vídeos 44
Painéis Gráficos 08
Plataformas e Ambientes de Interação Virtual
04
(Blog, Canal Youtube, Facebook, Site da ABA)
Edições da Revista Brasileira de Agroecologia (RBA) 05
Edições dos Cadernos de Agroecologia 02
Experiências de Educação em Agroecologia Sistematizadas no II
168
Seminário Nacional de Educação em Agroecologia
Narrativas sistematizadas pelos NEAs para a Edição Especial da Revista
28
Brasileira de Agroecologia
Metodologias Sistematizadas (fichas) 28
Escrita Científica – Escrita Criativa
Matriz
• Processos Educativos:
– Mapa de experiências de Disciplinas
– Formação Humana
• Metodologias: Centralidade e relevância das vivências, intercâmbios e NEAs como referência e
ponto de apoio para pesquisa; Parcerias com a igreja e movimentos sociais segue forte - perceptível
• Diversidade/Etnicidade: Acolhida das diversidades, desafio - diálogo com as comunidades
tradicionais. Valorização da cultura popular.
• Agrobiodiversidade e bens naturais: Integração com grupos atuantes em sementes
crioulas, estudo de tecnologias sociais.
• Gênero: Desafios; Feminismo enquanto campo de pesquisa e o movimento das mulheres
como referência teórica e prática
• Juventude: Autonomia dos estudantes amplia capacidade de resiliência dos NEAs, voz e
trabalho, desafio - diálogo e acolhida da juventude rural
• Saúde: princípios holísticos existem, mas são poucas as articulações em geral
relacionadas ao combate aos agrotóxicos
• Equipes/Atores/Parcerias: Acolhimento das multiplicidades dos sujeitos
• Políticas Públicas: Diálogo com outras políticas e programas; NEA como espaço de
articulação
Desafios
• Temática Articulada: Gênero, Juventude e Saúde
• Estrutura de fomento à pesquisas fragmentadas/isoladas e
caminhos de financiamento frágeis
• Desafios e retrocessos nas universidades, ATER e demais
Lições Aprendidas
• Sistematização e comunicação são
processos contínuos e precisam ser
incorporados nos projetos, editais,
programas e políticas
(memória, síntese e apontamentos)
• Importância do reconhecimento
institucional do CNPq dos NEAs
• Apoios para as Redes de NEAs
• Construir plataformas de intercâmbios
entre NEAs com vivências e estágios
entre as universidades e demais
Instituições (Rede de Intercâmbios e
Vivências NEAs)
Lições Aprendidas
• Estimulo à editais
estaduais (experiência
de MG)

• Relevância dos editais


estimularem as
articulações territoriais

• Fortalecimento de
ações em rede (ANA e
da ABA nos territórios)
Lições Aprendidas

• Acolhem diversidade – formações acadêmicas e trajetórias


profissionais, pesquisas, ações nas IFs e nos territórios
– Abertura das Universidades
• Aproximam estudantes, agricultores/as, educadores/as e
pesquisadores/as e ampliam as possibilidades de parceria e
atuação
• Aproximam a ATER da Universidade e dos Centros de Pesquisa
– Constroem outras estratégias de extensão e atuação nos territórios
• Ressignificam a pesquisa em agroecologia (transição
agroecológica das IFs)
– Abrem novas possibilidades no ensino (exemplo de disciplinas) e inovam
metodologicamente
Formação Trajetórias Juventude
Diversidade Enraizamento
Humana Profissionais Rural

Exemplos Concretos
[Lições Aprendidas]
“ “Eu sou a Márcia, sou estudante e umbandista, meu contato com a
agroecologia foi através da minha Vó” Marcia Elias – Aqui somos
ouvidos e considerados, dizem os jovens (NEA Arandu – IF Santa Teresa/ES)

NEAs: Espaços de Acolhida das Diversidades


Agroecologia: Transformando Histórias de Vida

“A agroecologia mudou minha vida. Mudou minha pesquisa, minha forma de olhar o
mundo, minha atuação profissional. É possível fazer diferente ao que nos é ensinado
massivamente na universidade” Letícia, estudante UFRG (Oficina de Passo Fundo – RS)
Agroecologia é Chuva em terra seca e os NEAs são
sementes férteis

“O NEA Cajuí mudou minha vida, em pleno carnaval reuniu estudantes e


professores - uma turma que foi a primeira vez, ajudou de verdade e
nunca mais me deixou só” Raimundo Rego, agricultor (Piauí - UESPI)
“Que felicidade ter essa atividade cultural na programação da oficina. A
gente chama rápido essa quantidade de estudante artista” Horasa
(UFRPE - Garanhuns) fala do Cordel feito pelo Jonas

CORDEL - Sistematização é Poesia


Arte e Cultura: Resistência
Espaços Físicos: Ambientes de Acolhida e Incubação
de Pesquisas e Ações de Extensão

“A conquista desse espaço físico é vitória não só para os membros do


NEA, mas para os grupos que podem ser acolhidos aqui” Felipe (UEFS -
BA) fala sobre o projeto de CSA desenvolvido por jovens
“Na discussão sobre gênero, na matriz, a Marcha das Mulheres aqui do
Polo é uma referência prática e teórica” – Oficina UFPB

Nossa referência teórica é o feminismo


NEAs: Formação Humana e Política

“O NEA nasce da articulação com o território, com os movimentos, do


contato com a CPT, do pé na terra, das resistências, das denúcias”
Dagmar NEA Gwatá (UFG)
“Diante dos retrocessos é preciso que os povos se unam. Eu sou indígena
e hoje estou na universidade, o NEA amplia essas alianças” Eoslmar NEA
Saberes Tradicionais do MS (Agraer)

Agroecologia é espaço comum de todas as lutas


Movimento Gera Movimento

“Aqui no estado do MT nem imaginava que discutir essa forma de agricultura com essa
gente tão diferente era possível. Hoje estamos aqui, planejando juntos outra Caravana”
Jovelina agente de ATER da Empaer
“Vivo na minha produção saudável, essa parceria permitiu a comercialização dos meus
alimentos. Conheci feiras e participei de projetos de comercialização” Seu Machado agricultor
de Capitão Poço (NEA UFRA PA)

Conhecimento é Sustentação, é Renda, é Saúde


Agricultores nas Universidades

“O Seminário do NUPEAs foi a primeira vez que muitos agricultores pisaram dentro
dessa universidade, aqui muitos estudantes nos dizem que é a oportunidade de fazerem
as pesquisas sobre a história e a vida deles na Amazônia” Ana UFAM Humaitá
“A troca acontece nessas trocas. Ter este espaço comum aqui no Tocantins é muito
bom. Temos muitos enfrentamentos para serem feitos” Oficina Unitas

Em Defesa da Biodiversidade
NEAs: Agroecologia na cidade

“Resignificar a cidade a partir da agroecologia é reafirma-la como um


bem comum. Viver bem no campo e na cidade será possível a partir
dessas articulações” Joviano Brigadas Populares (NEA AUÊ – UFMG)
“Aqui no NEA a gente foi chamado não só pra participar das atividades, mas pra pensar
elas. Desde a reunião de planejamento a gente tá pegando no pé do Fernandinho” –
Seu Geraldo Sete Barras Vale do Ribeira (SP – NEA Apete UFSCAR)

Enraizamento e Ação Descentralizada nos Territórios


“As Caravanas são Cachoeiras nos Rios de Histórias”

“Trabalhar em parceria com o Observatório da Fiocruz, com a CPT, com as articulações


regionais que compõe a ANA, com o GT Mulheres garantiu a sistematização e inclusão
de atores que não estavam articulados” Oficina NIA (UFRRJ)
“Os 6 núcleos e grupos de agroecologia da UFSC nunca tinha se encontrado pra pensar
ações conjuntas. Foi o Seminário Regional que permitiu nos reconhecermos” Artur NEA
de Permacultura

Diálogos Locais e Reconhecimento de Parceiros


Recanto Primavesi

“Eu sou filha de gente da roça. Nunca me imaginei na universidade. Nunca me imaginei
no mestrado. Hoje quero voltar pra minha terra. Tenho muito orgulho do Recanto
Primavesi” Ana NEA Cantu UFFS (PR)
Rio que segue...
Agroecologiaemrede.org.br
O XI CBA já começou! Processo preparatórios
descentralizados rumo à Aracaju nov/2019
“Transformar o conhecimento
solitário em solidário”
Carlos Brandão
Contatos

aba-agroecologia.org.br
Sistematiza.aba@gmail.com

Você também pode gostar