Você está na página 1de 16

Círculo Mágico

Quem deseja realizar práticas meditativas, relaxamento, limpeza espiritual ou rituais variados deverá escolher
um lugar especial que será seu Centro de Poder ou Círculo Sagrado.

Escolha-o com calma, e uma vez que o encontre saiba que deverá nutrir este espaço todos os dias, mantendo-o
limpo, organizado e livre de qualquer forma de energia negativa, pois é neste lugar que se darão as tuas
comunicações com o Universo. Quando o tenha definido, senta-te por um momento no chão, toca cada lugar
com tuas mãos, caminha ou deita-te onde sente que seja o teu Círculo Sagrado. É importante que marques este
lugar de alguma maneira como teu espaço. A seguir inunda este lugar com tua energia inspirando e expirando
pela boca como se estivesse enviando um vento de luz brilhante ou chamas douradas que queimam todos os
detritos presentes no ambiente, estas chamas movem-se em todas as direções. Em certo momento notarás que
o lugar está limpo, pois ele adquire um aspecto brilhante, onde se pode perceber luzes que cintilam ao teu
redor; então será a hora de realizar respirações mais pausadas e longas, para que desta forma possas expandir
tua consciência e tua aura. Poderás notar que existe uma aquietação, ou um aumento de temperatura, mas
certamente em poucos dias sentirás diferença entre fazer um exercício dentro de teu Círculo Sagrado ou realizar
a mesma prática sem nenhum tipo de cuidado ou sem delimitar um lugar adequado.

Uma das funções do Círculo De Poder é conter, fortalecer e intensificar as energias criadas e invocadas no ritual.
Também serve para proteger de influências hostis ou distrações externas.

O perímetro onde realiza-se o ritual deve ser adequado em tamanho e funcionalidade, pois depois que se cria o
círculo para realizar um exercício não se deve abandonar o lugar, pois tal procedimento poderá desfazer a
função protetora de um espaço sagrado e permitir que energias contrárias entrem para perturbar ou causar
algum problema no decorrer do ritual.

O círculo mágico está posicionado entre os mundos da realidade concreta e o mundo dos Deuses. Dentro dele
atuamos além de tempo, limite e espaço.

O círculo vai ser sua proteção ao fazer os rituais. Quando se traça o círculo, nada de fora pode te atacar ou
machucar; nada vai poder entrar ou sair. Além disso, sua forma (círculo) mostra algo que nunca acaba, algo que
não tem começo, nem fim. A energia será concentrada dentro daquele círculo, e nada de fora pode afetar a
energia que está ali dentro. Dentro desse círculo deve ser feito apenas celebrações ou magia., pois é um lugar
consagrado. Normalmente, varia de pessoa pra pessoa, ou de coven pra coven as formas de abrir os círculos. Há
bruxas que fazem grandes rituais antes de abri-los, e outras, que fazem apenas um agradecimento e pedem para
que nada de mal possa entrar lá. Eu, particularmente, gosto dos rituais mais simples para a abertura do círculo, e
em ocasiões especiais (como nos 8 Sabbaths do ano), um ritual mais específico e completo pode ser feito para a
abertura do círculo.

O círculo mágico tem 2 funções:

1º) Proteger das influências hostis ou distrações externas das influências psíquicas

2º) Conter, fortalecer e intensificar as energias criadas e invocadas no ritual


O círculo mágico define o espaço do ritual, o perímetro do círculo marca a delimitação onde a atenção é
focalizada.

A função protetora do círculo é criar um espaço sagrado para os participantes que estejam com algum relativo
distúrbio energético. Além disso, o círculo mágico tem a função de não deixar que as energias contrárias
perturbem ou causem algum problema no decorrer do ritual.

O círculo mágico está posicionado entre os mundos da realidade concreta e o mundo dos Deuses. Dentro dele o
Bruxo fica além de tempo, limite e espaço.

É possível considerar um templo mágico como sinônimo de um círculo mágico. O ideal seria ter um aposento ou
um quarto de fundos reservado apenas para o ritual. Nem sempre isso é possível, então o melhor a fazer é
transformar temporariamente um aposento qualquer em templo, construindo um círculo mágico. Podemos
pintar um círculo em um pano ou tapete, que estenderemos no chão e que pode ser enrolado e guardado
quando não estiver em uso. O que interessa mesmo é o círculo interno e não externo. Ele serve apenas para se
conseguir uma concentração e visualização muito mais forte do que seria possível de outra forma. A diferença
entre um círculo mágico e um templo mágico é de que o círculo é bidimensional e o templo tridimensional. Num
templo haveria um círculo permanente no chão, e mesmo assim, o iniciado teria de usar sua concentração e
imaginação para construir o círculo e o templo interior. Dispondo apenas do círculo físico, temos de construir o
resto com nossa imaginação concentrada, e a única diferença é que ao nosso redor não terão as paredes físicas
para nos ajudar numa melhor visualização. Resumindo, se puder ter um círculo e um templo, tenha-os.

Facilitará o seu trabalho ajudando na sua concentração. Se não puder, não desanime. É possível obter o mesmo
resultado, você só terá que se empenhar mais.

Orientação Interior
É o propósito do círculo e também do templo. No sentido bidimensional, estamos parados no centro de um
horizonte infinito, no ponto exato de encontro das direções cardeais do leste, oeste, sul e norte. No sentido
tridimensional, vemo-nos no centro de uma esfera ou de um cubo e, neste último caso, no ponto central entre
as seis faces, os oito cantos e todos os doze lados. Pode parecer banal, mas a maioria das pessoas precisa
exatamente de orientação psíquica, e esta é uma maneira excelente de obtê-la. O círculo representa a
totalidade do homem (de si próprio) e a totalidade do Universo. Dessa forma, aprendemos em primeiro lugar a
nos orientar em sentido central em relação a nossa individualidade maior e desconhecida, as alturas e
profundezas, o Bem e o Mal, o passado e o potencial - e também com respeito à totalidade maior.

A divisão do círculo
Poderíamos dividi-lo em doze, em seis etc. Para melhor explicar dividiremos em quatro, designando para cada
divisão um elemento tradicional - água, terra, fogo e ar. A divisão é feita com base nos pontos cardeais e
teremos um elemento para cada um. Utilizaremos um quadro de correspondência para cada
elemento/quadrante. Você pode considerar as correspondências citadas como parte integrante da tradição
estabelecida (as quais para o autor são de valor comprovado), entretanto, se quiser pode mudá-las com o que
mais lhe atrair.

TABELA DE CORRESPONDÊNCIA

AR FOGO ÁGUA TERRA


LESTE SUL OESTE NORTE
ESPADA VARA TAÇA DISCO
AMARELO VERMELHO AZUL VERDE
AMANHECER MEIO-DIA ENTARDECER MEIA-NOITE
PRIMAVERA VERÃO OUTONO INVERNO
VIDA LUZ AMOR LEI
FÉ ESPERANÇA CARIDADE COMPREENSÃO
INFÂNCIA MOCIDADE MATURIDADE VELHICE
- E poderíamos continuar essa lista indefinidamente. Ser apenas um colecionador de símbolos e ficar
estudando quadros de correspondência sem nunca os utilizar é como ser um colecionador de roteiros turísticos
sem nunca sair do lugar. O conhecimento não é tão importante quanto saber usá-lo.

Aplicação das Correspondências:

Serve como um exercício inicial, de introdução mesmo. Imagine um círculo ao seu redor, claramente marcado e
dividido em 4 quadrantes, conforme os pontos cardeais. A leste, num ponto do círculo, visualize a Espada
flutuando no ar, com a ponta pra cima. (normalmente utilizamos espadas com o punho em cruz). Aproxime-se
da arma imaginada e comece a construir as outras correspondências, pode -se fazê-lo em qualquer ordem, pois
o propósito é conseguir, em seu interior, despertar a sensação de todas elas juntas. Enquanto estiver parado ao
leste, imagine uma luz amarela te iluminando, sinta o ar se mover ao seu redor, ouça os pássaros, e perceba o
despertar da vida na primavera, sinta-se como criança, e também cheio de fé na glória e beleza de todas as
coisas, perceba o pulsar da vida. Permaneça assim por no máximo dez minutos, depois volte para o centro do
círculo e assume seu estado normal de consciência. Repita esse procedimento em cada quadrante. Pode
experimentar os quadrantes sucessivamente, ou se quiser, um por dia. É proveitoso fazer este exercício por
algumas semanas. Entretanto, é importante desenvolver todos os quadrantes, de maneira nenhuma se apegue a
um só! Se você pretende se concentrar em um quadrante mais do que nos outros, este deverá ser o que menos
lhe atrai, pois dessa forma você poderá restabelecer seu equilíbrio psíquico.

LEMBRETE: Podemos conseguida Magia tanto quanto colocamos nela! Nos estágios iniciais, uma pessoa não
contribui com muita coisa, é algo que vem com o tempo e a prática. Pessoas neuróticas ou instáveis não devem
mexer com o oculto sem a supervisão de uma pessoa experimentada, para que não aconteçam dissociações
descontroladas da percepção. Entretanto, a pessoa experiente tem a possibilidade de conseguir mais do que
aquilo que contribuiu. Nos primeiros meses ou semanas de estudo, é aconselhável aumentar nossa experiência
em relação aos quadrantes, descobrindo outros atributos em nosso interior, sem auxílios artificiais, para que não
sejam criados obstáculos ou confusões. Vá com calma!

Acessórios

Se você dispõe de local adequado, pode começar a procurar os objetos para cada quadrante. Por exemplo,
pequenas lamparinas a óleo, copos coloridos para colocá-las, nas cores apropriadas a cada quadrante. Se quiser
pode ter quadros também, apropriados a cada quadrante, representando as quatro estações ou os quatro
elementos, ou ainda o amanhecer, o meio-dia e o entardecer e a meia-noite. Podem ser abstratos ou simbólicos,
pode pintá-los se quiser. De qualquer forma, é melhor evitar o excesso de peças, é preferível ter poucos
arrumados e escolhidos com bom gosto, ou seu local virará um antiquário super esquisito! A não ser que goste,
é claro.

O que representa o círculo quadriculado?


Bem profundo este símbolo. Cada quadrante simboliza, terra - água - ar - fogo. Simboliza num só desenho, o
alto, o embaixo, a direita, a esquerda.

TRAÇANDO O CÍRCULO MÁGICO


Existem diversas maneiras de traçar um Círculo Protetor ou de Poder, desde fazer um círculo com giz, acender
um incenso e percorrer todo o cômodo, fazer um círculo com sal, com ervas protetoras, com a varinha mágica,
com o punhal iniciático, ou com o próprio dedo, etc. Como geralmente as pessoas fazem seus rituais dentro de
um cômodo ou casa vale inclusive fazer uma projeção mental com fogo, vento ou luz azul. Uma vareta de
incenso ou ervas em uma cumbuca de barro ou cerâmica servem como delimitadores de espaço além de
queimar energias pesadas. Não esqueça que antes de traçar o círculo deve "limpar" e ordenar completamente o
local.

Limpeza do Círculo Mágico


Se o seu círculo mágico se localiza em uma área externa, onde existe grama, árvores, água ou plantas realize
uma limpeza física do lugar já que não existe necessidade de limpar a energia do lugar, pois a própria terra
absorverá e transmutará qualquer influência negativa. Neste caso nunca utilize o sal para delimitar seu espaço,
pois em terra que se espalha o sal não cresce vegetação. Utilize o bom senso e consciência ecológica sempre.
Para marcar o círculo pode espalhar folhas de arruda, alecrim, lavanda, cravo da índia, café moído (instantâneo
não serve), pimenta preta moída, erva-mate, ou outro tipo de planta purificadora. Também é válido preparar
fórmulas com água e pulverizar em toda área.

Limpeza a Fogo
Outra maneira é espalhar velas ou tochas com fogo, sendo esta a forma de proteção mais antiga e eficaz
utilizada pelo ser humano. Esta prática é perfeita para reuniões grupais ao ar livre, sendo que se pode utilizar
velas de citronela ou andiroba, uma vela antimosquito com 100% de eficácia comprovada, inodora e atóxica, e
usada no combate à dengue, febre amarela, malária, filariose e leishmaniose além das alergias a picadas e
desconforto em geral.

Também poderá usar velas perfumadas e coloridas para trabalhar individualmente uma determinada área que
esteja em desequilíbrio; como amor, sensualidade, trabalho, saúde, etc. Se você definiu seu círculo mágico
dentro um cômodo de sua casa, teste a limpeza energética de vez em quando, colocando uma taça com água e
observando depois de cerca de quatro horas se não existem bolhas de ar grudadas no cristal. Outra maneira de
avaliar a pureza do seu círculo é simplesmente senti-lo e escutá-lo, pois este lugar especial terá menos ruído que
o resto da casa, passando uma sensação de paz e harmonia, como se realmente fosse um lugar único, de
vibração superior.

Abrindo o Círculo
Existem várias maneiras de se abrir o círculo assim com o tempo você poderá adaptar-se a que melhor lhe
agradar, eu, por exemplo, gosto de abrir o círculo pela forma tradicional, ou seja, pela maneira Celta sempre
começando pelo Norte, pois na Tradição Celta o Norte é sagrado, pois é pelo Norte que o guerreiro entra no
círculo do conhecimento e foi pelo Norte da Terra que os Celtas vieram para Europa.

Bem quando vou abrir meu círculo faço o seguinte, antes de qualquer coisa, tomo um banho normal e enquanto
estou tomando vou imaginando toda a sujeira e negatividade de meu corpo indo embora, ao final jogo um
pouco de água com sal grosso pelo corpo (o sal grosso é bom para cortar a negatividade) após isto coloco minha
túnica e vou ao meu santuário. Antes de fazer qualquer coisa varro ritualisticamente todo o cômodo imaginando
todas as energias negativas e contrárias indo embora, lembre-se que os pelos da vassoura não devem encostar-
se ao chão.

Após ter feito isto pego meu Athame me dirijo ao Norte elevo-o aos seus com as duas mãos em sinal de
apresentação e digo:

Pelo poder da Deusa e do Deus, pelos Guardiões dos Quatro Quadrantes eu traço este Círculo Sagrado, deste
espaço nenhum Mal saíra e nele nenhum Mal poderá entrar.

Enquanto digo isto imagino uma luz branca sendo enviada para meu Athame como se fosse um raio laser, ao
terminar dou três voltas no sentido horário por todo o percurso que será meu círculo (lembre-se que o círculo
deverá ter o tamanho ideal para você trabalhar, assim se você quiser poderá ser do tamanho total do cômodo
em que você está), enquanto caminho, imagino a luz do Athame sendo enviada para o círculo e assim formando
uma barreira energética, após dar as três voltas retorno novamente ao Norte e invoco os Quatro Guardiões
Elementais erguendo o Athame a cada ponto cardeal. No ponto norte o poder a ser invocado é o da Terra.

Eu invoco os Poderes do Norte, os elementais da Terra senhores da solidificação e das concretizações, venham e
compartilhem comigo deste ritual sagrado. Sejam bem Vindos!

Vou até o ponto leste elevo meu Athame e invoco os Poderes do Ar.

Eu invoco os Poderes do Leste, os elementais do Ar senhores das mensagens que são enviadas ao mundo dos
Deuses, venham e compartilhem comigo deste ritual sagrado. Sejam bem vindos!

Vou ao ponto sul elevo meu Athame e invoco os Poderes do Fogo.

Eu invoco os Poderes do Sul, os elementais do Fogo senhores da agilidade e da ação, venham e compartilhem
comigo deste ritual sagrado. Sejam bem vindos!

Vou até o ponto oeste e elevando o Athame invoco os Poderes da Água.

Eu invoco os Poderes do Leste, os elementais da Água senhores dos sentimentos e das emoções, venham e
compartilhem comigo deste ritual sagrado. Sejam bem vindos!

Após isto o círculo mágico está traçado, agora você poderá realizar qualquer dos rituais no interior do círculo de
força e poder.

Dentro de um círculo deve haver um símbolo em cada quadrante representando os Quatro Elementais ou uma
vela na cor apropriada:

- Norte = Um pouco de terra, uma planta para a Terra ou uma vela preta representando a meia-noite.

- Leste = Uma pena ou incenso para o Ar ou uma vela vermelha representando o nascer do Sol.

- Sul = Uma pequena vasilha com fogo para este elemento ou uma vela branca representando o Sol do meio-dia.

- Oeste = Uma vasilha com água, sal marinho ou qualquer objeto marinho para a Água ou uma vela cinza, azul ou
púrpura representando o crepúsculo.
Fechando o Círculo
Ao término do ritual agradeça aos Quatro Guardiões e dispense-os, a cada ponto cardeal levante novamente seu
Athame com as duas mãos, começando pelo Norte dizendo:

Poderes do Norte, elementais da Terra agradeço por sua presença e benção no rito realizado, senhores da
concretização e do conhecimento. Sigam em Paz!

Volte-se ao Leste e agradeça aos poderes do Ar:

Poderes do Leste, elementais do Ar sua presença foi bem aceita e agradeço por proteger-me e abençoar-me no
decorrer deste ritual realizado. Sigam em Paz!

Volte-se ao Sul e agradeça aos poderes do Fogo:

Poderes do Sul, elementais do Fogo; agradeço por terem vindo e me abençoado neste ritual, agradeço por terem
me protegido sigam em Paz!

Volte-se ao Oeste e agradeça aos poderes da Água:

Poderes do Oeste, elementais da Água agradeço por terem estado comigo neste rito mágico, senhores da
transformação sigam em Paz!

Voltando novamente ao Norte elevo novamente o Athame e agradeço a Deusa e ao Deus por terem me ajudado
no rito, dou um beijo na lâmina em sinal de meu agradecimento e percorro novamente o espaço que abri o
círculo só que desta vez no sentido anti-horário dizendo:

Com o Athame te construí, com o Athame eu te desfaço, pela força mágica do Athame eu te abro para que eu
possa sair daqui livre de doenças, problemas e insatisfações, que este círculo seja enviado novamente ao Mundo
dos Deuses, o círculo está aberto, mas não está rompida.

Feliz Encontro, Feliz Partida e Feliz Reencontro Novamente! Pelo poder do 3 vezes o 3 que assim seja e que assim
se faça!

TRAÇANDO O CÍRCULO COM VELAS


Material necessário:

 1 vela amarela
 1 vela vermelha
 1 vela azul
 1 vela marrom
 Punhal ou o Bastão

PROCEDIMENTO: Coloque a vela amarela no chão direcionada ao ponto leste, a vermelha ao sul, a azul à oeste e
a marrom ao norte.

Acenda todas as velas, incensos e as velas que foram colocadas no chão, nos pontos cardeais. Pegue o Punhal e
comece à caminhar ao redor da área, traçando o círculo mágico, dizendo:

"Eu traço este círculo mágico, para me proteger No decorrer deste ritual que se iniciará. Eu peço à Deusa e ao
Deus Para que estejam presentes aqui comigo! Eu chamo pelos Antigos Deuses da Colina Para que se façam
presentes, E para que possam me abençoar."
Vá até o ponto norte, erga o Punhal e diga:

"Eu invoco os Guardiões das Torres de Observação do Norte, Os Elementais da Terra, para que estejam comigo
neste ritual. Sejam bem vindos"

Vá até o ponto leste, erga o Punhal e diga:

"Eu invoco os Guardiões das Torres de Observação do Leste, Os Elementais do ar, para que estejam comigo neste
ritual. Sejam bem vindos"

Vá até o ponto sul, erga o Punhal e diga:

"Eu invoco os Guardiões das Torres de Observação do Sul, Os Elementais do fogo, para que estejam comigo neste
ritual. Sejam bem vindos"

Vá até o ponto oeste, erga o Punhal e diga:

"Eu invoco os Guardiões das Torres de Observação do Oeste, Os Elementais da água, para que estejam comigo
neste ritual Sejam bem vindos"

Deixar o Punhal sobre o altar, se dirigir até o ponto norte, elevar as mãos aos céus e dizer:

"Eu invoco a Deusa, Eu invoco o Deus, Eu invoco todos os Deuses Antigos da Colina do norte, Para que estejam
aqui comigo. Que aquela que é tão antiga quanto o tempo, A Senhora da Terra e da Lua, Deusa da Magia e da
Vida venha me abençoar. Oh, Deusa Mãe traga poder à esta prática ritual. Que o Deus dos bosques e das
florestas, Senhor das fortes pegadas, Pai da fertilidade, Venha me abençoar. Que Eles venham juntos trazer força
e poder a este ritual. Eu invoco Gwyn Up Nudd, o Senhor da matilha dos cães selvagens de orelhas pontudas e
dentes ferozes, para que ronde além dos limites do círculo, mantendo afastados os inimigos e as energias que
não sejam desejadas. Pelo poder do 3 vezes o 3, que assim seja, E que assim se faça!"

DESFAZENDO O CIRCULO MÁGICO


Pegue o Punhal e se dirija até o ponto norte erga-o, então diga:

"Eu agradeço aos Guardiões das Torres de observação do norte, Os Elementais da terra por terem vindo e
compartilhado comigo deste ritual. Sigam em paz"

Vá até o ponto leste, erga o Punhal então diga:

"Eu agradeço aos Guardiões das Torres de observação do leste, Os Elementais do ar por terem vindo e
compartilhado comigo deste ritual. Sigam em paz"

Vá até o ponto sul, erga o Punhal então diga:

"Eu agradeço aos Guardiões das Torres de observação do sul, Os Elementais do fogo por terem vindo e
compartilhado comigo deste ritual. Sigam em paz"

Vá até o ponto oeste, erga o Punhal então diga:

"Eu agradeço aos Guardiões das Torres de observação do oeste, Os Elementais da água por terem vindo e
compartilhado comigo deste ritual. Sigam em paz"

Volte-se novamente ao ponto norte, erga o Punhal e diga:


"Agradeço à Deusa, ao Deus, Agradeço a todos os Deuses antigos da Colina do Norte, Agradeço a Gwyn Up
Nudd, o Senhor da matilha dos cães selvagens E a todas as energias que estiveram presentes comigo hoje
Retornem agora ao local do qual vieram! Sigam em paz!"

Ande em volta do círculo no sentido anti-horário por 3 vezes, dizendo:

"Com o Punhal te construí, com o Punhal eu te desfaço, pela força mágica do Punhal eu te abro. Que eu saia
daqui livre das doenças e insatisfações. Eu envio este círculo mágico novamente ao centro do Universo, para que
ele esteja lá até o momento em for necessário à sua proteção novamente. O círculo está aberto, mas não
rompido. Feliz encontro, feliz partida e feliz encontro novamente. Pelo poder do 3 vezes o 3, que assim seja, E
que assim se faça!"

Invocação ou Chamado com Punhal: (exemplificando com punhal)


Pegue o punhal ou objeto que tiver escolhido para traçar seu círculo mágico dizendo:

"Eu traço este círculo mágico, para me proteger no decorrer deste ritual que se iniciará. Eu peço aos seres
superiores de luz, mestres e guias espirituais que estejam presentes aqui comigo!”

Vá até o ponto norte, erga o Punhal e diga:

"Eu invoco os Guardiões das Torres de Observação do Norte, Os Elementais da Terra, para que estejam comigo
neste ritual. Sejam bem vindos"

Vá até o ponto leste, erga o Punhal e diga:

"Eu invoco os Guardiões das Torres de Observação do Leste, Os Elementais do ar, para que estejam comigo neste
ritual. Sejam bem vindos".

Vá até o ponto sul, erga o Punhal e diga:

"Eu invoco os Guardiões das Torres de Observação do Sul, Os Elementais do fogo, para que estejam comigo neste
ritual. Sejam bem vindos"

Vá até o ponto oeste, erga o Punhal e diga:

"Eu invoco os Guardiões das Torres de Observação do Oeste, Os Elementais da água, para que estejam comigo
neste ritual Sejam bem vindos"

Deixar o Punhal sobre o altar, se dirigir até o ponto norte, elevar as mãos aos céus e dizer:

"Aqui estou acompanhada de seres de luz e amor, que venham juntos trazer força e poder a este ritual. Que os
Guardiões mantenham afastados os inimigos e as energias que não sejam desejadas. Pelo poder do 3 vezes o 3,
que assim seja, E que assim se faça para o bem de todos!"

Desfazendo o Círculo Mágico:

Pegue o Punhal e se dirija até o ponto norte erga-o, então diga:

"Eu agradeço aos Guardiões das Torres de observação do norte, Os Elementais da terra por terem vindo e
compartilhado comigo deste ritual. Sigam em paz"
Vá até o ponto leste, erga o Punhal então diga:

"Eu agradeço aos Guardiões das Torres de observação do leste, Os Elementais do ar por terem vindo e
compartilhado comigo deste ritual. Sigam em paz"

Vá até o ponto sul, erga o Punhal então diga:

"Eu agradeço aos Guardiões das Torres de observação do sul, Os Elementais do fogo por terem vindo e
compartilhado comigo deste ritual. Sigam em paz"

Vá até o ponto oeste, erga o Punhal então diga:

"Eu agradeço aos Guardiões das Torres de observação do oeste, Os Elementais da água por terem vindo e
compartilhado comigo deste ritual. Sigam em paz"

Volte-se novamente ao ponto norte, erga o Punhal e diga:

"Agradeço aos seres superiores de luz, mestres e guias espirituais e a todas as energias que estiveram presentes
comigo hoje. Retornem agora ao local do qual vieram! Sigam em paz!"

Ande em volta do círculo no sentido anti-horário por 3 vezes, dizendo:

"Com o Punhal te construí, com o Punhal eu te desfaço, pela força mágica do Punhal eu te abro. Que eu saia
daqui livre das doenças e insatisfações. Eu envio este círculo mágico novamente ao centro do Universo, para que
ele esteja lá até o momento em seja necessário a sua proteção novamente. O círculo está aberto, mas não
rompido. Feliz encontro, feliz partida e feliz encontro novamente. Pelo poder do 3 vezes o 3, que assim seja, E
que assim se faça!"

Conselhos e Sugestões:
Acender uma vela branca, incensos ou colocar um copo com água limpa e fresca servem para absorver a energia
negativa do lugar.

O Alecrim e o Cravo da Índia funcionam como purificadores ambientais, podendo ser usados ao natural, em
incensários ou em forma de água de limpeza ou óleos aromatizadores.

Faça seus rituais em horários que não terá que atender a porta, telefone ou ir ao banheiro.

Um procedimento padrão é abrir o círculo (criar) fazendo o recorrido inicial no ponto cardeal Norte (N-E-S-W-N)
no sentido dos ponteiros do relógio. Depois que o ritual finaliza o círculo volta a ser aberto (desfeito) na direção
inversa (N-W-S-E-N).

O objetivo da repetição de atos visa estabelecer uma conexão cada vez mais profunda com o campo mágico, que
é o lugar onde atua e se manifesta o nível de consciência superior e da vontade, desejo ou poder.

Notas

- O ritual não deve ter formas rígidas, cada um deve criar a sua própria forma de chamar os Deuses, não se
desespere caso você gagueje ou esqueça aquele belo ritual decorado, de umas belas risadas e vá em frente!
- Se você não tem senso de humor esqueça a bruxaria, pois você nunca será um (a) Bruxo (a)! Mas isto não quer
dizer que você possa entrar no círculo para fazer palhaçadas sem nenhum respeito aos Deuses. A Bruxaria tem
seus momentos de descontração e seriedade, cabe a você saber diferenciar as situações.

- Quando o grupo decidir terminar o ritual as pessoas que evocaram os Deuses devem agradecê-los e se
despedir, a mesma pessoa que traçou o círculo deve abri-lo fazendo o traçado no sentido oposto ao que foi
traçado e também deve se despedir de todas as entidades que foram convidadas.

- Na maioria das vezes o círculo é traçado no sentido horário durante os sabás e no sentido anti-horário para os
feitiços em especial nos trabalhos para se banir energias negativas.

- É importante a criatividade nos rituais, eles não devem ser interrompidos e salvo em casos de
necessidades, nenhum membro deve sair do círculo até o final, se isso tiver que ser feito deve-se pular a
vassoura para não o quebrar, pois se isso ocorrer todo o ritual de abertura terá que ser refeito.

AS ERVAS DO CÍRCULO
Ao fazer um círculo mágico, você pode decorar as pedras que marcam os pontos cardeais com flores e ervas, a
saber:

NORTE - cipreste, samambaia, milho, madressilva, verbena.

LESTE - erva cidreira, visco, salsinha, pinho, acácia, bergamota, cravo, dandeliom, lavanda.

SUL - manjericão, cravo, cedro, crisântemo, endro, gengibre, azevinho, cravo-de-defunto, heliotrópio. Zimbro,
hortelã.

OESTE - flor de macieira, hibisco, jasmim, bálsamo limão, gataria, orquídea, camélia, sabugueiro, narciso, uva,
gardênia, urze.

PARA UM CÍRCULO MÁGICO


Se for realizar um círculo mágico ao redor de uma árvore, utilize folhas e sementes desta mesma árvore para
compor o círculo.

Se for realizar suas operações dentro de casa, utilize plantas domésticas consagradas.

Deixe-as na sua área mágica. Se precisarem de Sol, leve-as um pouco para fora e depois as traga para dentro.

Algumas são mais recomendadas que outras. Veja algumas sugestões: Alecrim, Azevinho, Violetas africanas,
Cactos (todos os tipos), Hissopo, Samambaias, Rosas, Rosas Gerânio, Planta-de-cera (hoya carmosa), Palmas
(todos os tipos), Ti (Cordyline terminalis).

CIRCULO NOS COVENS


Abrindo o Círculo
A Alta Sacerdotisa e o Alto Sacerdote abrem o círculo com o Athame ou a varinha enquanto dizem:

- Com esse Athame, abro o círculo. E que todas as coisas ruins fiquem para fora, para proteger as pessoas que
estão aqui dentro. Deusa, consagre esse lugar.
A Alta Sacerdotisa traça o círculo por completo e volta ao seu lugar. Cada pessoa fica em seu respectivo lugar.

Começa o ritual de abertura do círculo então, e cada elemento agradece à Deusa e ao Deus por estarem
presentes e falam:

LESTE: Salvem os guardiões das torres do Leste. Venham juntar-se à nós neste círculo. Poderes do Ar, vinde!
Vigiem este espaço sagrado. Nós os saldamos!

Todos ficam em forma de pentagrama.

SUL: Salvem os guardiões das torres do Sul. Venham juntar-se à nós neste círculo. Poderes do Fogo, vinde!
Vigiem este espaço sagrado. Nós os saldamos!

Todos ficam em forma de pentagrama.

NORTE: Salvem os guardiões das torres do Norte. Venham juntar-se à nós neste círculo. Poderes da Terra, vinde!
Vigiem este espaço sagrado. Nós os saldamos!

Todos ficam em forma de pentagrama.

OESTE: Salvem os guardiões das torres do Oeste. Venham juntar-se à nós neste círculo. Poderes da Água, vinde!
Vigiem este espaço sagrado. Nós os saldamos!

Todos ficam em forma de pentagrama.

A Alta Sacerdotisa desenha o pentagrama de invocação e o ritual começa.

Fechando o Círculo
A Alta Sacerdotisa e o Sacerdote agradecem à Deusa e ao Deus por terem estado presentes, e aos elementos.

Cada pessoa volta ao seu lugar e diz:

LESTE: Salvem os guardiões das torres do Leste. Poderes do Ar, nós agradecemos sua presença aqui, como
guardiões no nosso círculo. Vão em paz, oh grandes guardiões do Leste, com nossas bençãos e nosso
agradecimento. Obrigada e Adeus!

Todos ficam em forma de pentagrama.

SUL: Salvem os guardiões das torres do Sul. Poderes do fogo, nós agradecemos sua presença aqui, como
guardiões no nosso círculo. Vão em paz, oh grandes guardiões do Sul, com nossas bençãos e nosso
agradecimento. Obrigada e Adeus!

Todos ficam em forma de pentagrama.

NORTE: Salvem os guardiões das torres do Norte. Poderes da Terra, nós agradecemos sua presença aqui, como
guardiões no nosso círculo. Vão em paz, oh grandes guardiões do Norte, com nossas bençãos e nosso
agradecimento. Obrigada e Adeus!

Todos ficam em forma de pentagrama.

OESTE: Salvem os guardiões das torres do Oeste. Poderes da Água, nós agradecemos sua presença aqui, como
guardiões no nosso círculo. Vão em paz, oh grandes guardiões do Oeste, com nossas bençãos e nosso
agradecimento. Obrigada e Adeus!
Todos ficam em forma de pentagrama.

A Alta Sacerdotisa desenha o pentagrama de expulsão e mais uma vez agradece, e só então fecha o círculo com
o Athame de novo.

Rituais, Feitiços e Encantamentos


Espero que saibam usar o que está sendo passado aqui, lembras do que já foi lido, não prejudiques ninguém,
peça sempre a proteção dos Deuses, esteja seguro do que está fazendo, pode ser perigoso.

Existem várias formas de se realizar o mesmo tipo de ritual...

PREPARAÇÃO DO CÍRCULO MÁGICO NA STREGA

Itens necessários:

 4 velas para os quadrantes


 2 velas para o altar
 1 corda de 14 pés para demarcar o círculo
 6 candelabros
 1 pano preto para o altar
 1 representação para a Deusa e para o Deus
 4 vasilhas para os elementos
 1 incensário
 1 sino
 1 garrafa de líquido inflamável
 1 vasilha de metal para conter a chama azul
 1 garrafa de vinho tinto (pelo menos)
 alimentos para a celebração.

Instrumentos rituais: Spirit blade (Athame), varinha, cálice, pentáculo e um chifre (que pode ser substituído pelo
sino).

Para montar o local de celebração é melhor que seja uma clareira, de preferência perto de água corrente.

Para marcar o local de poder no Norte, faça o círculo em frente a uma árvore (uma árvore viva, não pode ser
apenas o tronco retorcido).

1. Marque o lugar onde o círculo se estabelecerá, coloque as velas nos quadrantes e purifique o local com água
consagrada (3 pitadas de sal em uma xícara de água).

2. Arrume o altar e acenda a Spirit bowl (a chama azul) com a invocação e o gesto de poder:

Despertem agora, O Espírito dos Caminhos Antigos.

3. Acenda as velas do altar com a chama azul, e faça os chamados:


(da Deusa) Bela Tana, deusa da Lua e além, pense por um momento em nós que nos reunimos em teu nome
(Bella Tana, dea della luna e Del di la pensa per um momento a noi reunite qui nel tuo nome).

(do Deus) Tanus, deus do sol e além, pensa em nós que nos reunimos em teu nome.

(Tanus, dio Del sole e Del di la pensa per un momento a noi reunite qui nel tuo nome).

4. Conjure os elementais: toque o sino três vezes sobre cada vasilha dos elementos, iniciando pelo Norte, e
recite:

Eu chamo para dentro da bruma dos Reinos Ocultos. E conjuro os espíritos da terra e ar e fogo e água. Juntem-se
a nós neste círculo sagrado, e nos concedam união com seus poderes.

5. Toque o sino três vezes novamente sobre as vasilhas e toque cada uma delas, 3 vezes, com o Athame.

6. Coloque o Athame dentro da Spirit Flame e, mentalmente, veja a chama azul entrando na lâmina do Athame.

7. Começando do Norte, estabeleça o círculo, "despejando" a chama azul em torno do círculo e recite:

No nome de Tana e Tanus, e pelos Antigos; eu conjuro este círculo de poder para que se torne uma esfera de
proteção, um local de poder erguido dentro de ti, pois te conjuro.

8. As velas dos quadrantes são acesas com a chama azul e carregadas com o elemento e colocadas no
quadrante.

9. Conjuração dos Grigori: um membro do grupo passa o incenso três vezes pelo quadrante, enquanto o nome
do Grigori é chamado. Outro membro acompanha e soa o chifre ou sino, uma vez que o nome foi chamado.

Invocação no altar (pode ser feito pela sacerdotisa ou pelo sacerdote):

Nós os chamamos, O Antigos! Vocês que habitam além dos reinos, vocês que uma vez reinaram no tempo antes
do tempo. Venham! Ouçam o chamado! Nos ajudem a abrir o caminho, nos deem o Poder! Abram os portões
para o reino dos Deuses E venham por estes nomes: TAGO! BELLARIA! SETTRANO! MEANA!

O sacerdote ou a sacerdotisa decreta o círculo fechado e bate a varinha três vezes sobre o altar.

ABRINDO O CÍRCULO:
10. Começando pelo Norte, dê a reverencia ritual e recite:

Ouçam me, O Antigos, nós os honramos por sua presença, partam agora para seus reinos secretos. Em paz,
dizemos agora: Ave, Vale!

O grupo responde: Ave, Vale!

11. Repita o mesmo que acima em cada um dos quadrantes, em sentido anti-horário.

12. Aponte o Athame para o círculo e ande com ele em sentido anti-horário vendo a chama azul voltando para a
lâmina, colocando-a novamente dentro da vasilha. Deixe que a chama azul se consuma sozinha e "dispense" os
elementais estalando os dedos sobre as vasilhas três vezes.

13. Apague as velas dos quadrantes, e deixe a área. O círculo está aberto.
CÍRCULO DE PROTEÇÃO (CIRCLE OF PROTECTION)
(Nota do tradutor: O círculo aqui é traçado de maneira a ficar completo após os quatro pentagramas serem
traçados. Logo, traça-se um pentagrama e em seguida um quarto de círculo, depois mais um pentagrama, e
outro quarto de círculo, e assim segue.)

Trace o pentagrama no Leste. Diga HERNE.

Trace o círculo de proteção até ficar de frente para o Sul

Trace pentagram in East. Say HERNE.

Trace circle of protection until facing South.

Trace o pentagrama no Leste. Diga CERNUNNOS.

Trace o círculo de proteção até ficar de frente para o Oeste.

Trace pentagram in South. Say CERNUNNOS.

Trace circle of protection until facing West.

Trace o pentagrama no Leste. Diga ARADIA.

Trace o círculo de proteção até ficar de frente para o Norte.

Trace pentagram in West. Say ARADIA.

Trace circle of protection until facing North.

Trace o pentagrama no Leste. Diga HABONDIA.

Trace o círculo de proteção, fechando-o finalmente no Leste.

Trace pentagram in North. Say HABONDIA.

Finish tracing circle, closing it in the East.

INVOCAÇÃO DOS GRANDES DEUSES (INVOCATION OF THE GREAT GODS)


Retorne ao centro do círculo e fique de frente para o leste. Estenda os braços em forma de cruz. Entoe:

Return to center of circle and face East. Extend arms in form of a cross. Chant:
À minha frente, HERNE O Caçador

Before me HERNE The Huntsman

Atrás de mim ARADIA A Donzela

Behind me ARADIA The Maiden

À minha direita CERNUNNOS, o Deus Cornífero (chifrudo)

On my right hand CERNUNNOS, the Horned God

À minha esquerda HABONDIA, a Grande Mãe

On my left hand HABONDIA, the Great Mother

A minha volta flameja os centigramas

About me flame the centigrams

E sobre mim brilha a luz da Deusa.

And above me shines the light of the Goddess.

Repita a Cruz Wicca

Repeat the Wiccan Cross.

Ao invés de praticar este ritual da maneira cadenciada do Ritual Cabalístico, alguma forma de dança e canto
seria mais agradável para as Formas-Deus da Wicca.

Rather than performing this in the rather measured cadences of Cabalistic Ritual, a form of dancing and chanting
more pleasing to the God-forms of Wicca might profitably be devised.

Nos lembramos ainda de ter visto uma versão que invoca os reis elementais, novamente não tenho certeza da
eficácia, mais se alguém se interessar em utilizar para ver no que vai dar, então seriam as seguintes diferenças:

Substitua a invocação dos anjos (v. hermética) ou dos grandes deuses pelo seguinte:

Abra os braços em forma de cruz e diga, imaginando os reis elementais:

§ A minha frente "Paralda" (Ar)

§ Atrás de mim "Necksa" (Água)

§ A minha direita "Djin" (Fogo)

§ A minha esquerda "Ghob" (Terra)

§ Diga então - “A minha volta flameja os pentagramas e acima de mim a estrela de seis raios"
93's e Blessed Be's, Baltrakas e Raissuli.