Você está na página 1de 13

02

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS
SÓLIDOS

- CONAMA 307 e PGRCC -

Prof. Eduardo Polesello


eduardopolesello@feevale.br
O ciclo de vida de um produto corresponde a uma série de etapas que envolvem o
desenvolvimento do produto, a obtenção de matérias-primas, o processo
produtivo, o consumo e a disposição final.

(Cartilha – Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) – Movieco Movimento Ecológico – 2013)
(Cartilha – Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) – Movieco Movimento Ecológico – 2013)
Os objetivos de uma boa gestão de resíduos prima pela mudança de
comportamento, por meio da adoção de padrões sustentáveis e uma visão
sistêmica e articulada entre Poder Público e setor empresarial, com o
desenvolvimento de tecnologias e aprimoramento da gestão ambiental.

(Cartilha – Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) – Movieco Movimento Ecológico – 2013)
Lei 12.305 / 2010 – Política Nacional de Resíduos Sólidos

Resíduos sólidos: são definidos como sendo todo material, substância,


objeto ou bem descartado resultante de atividades humanas em sociedade.
Estes podem se encontrar nos estados sólido ou semissólido, bem como
gases contidos em recipientes e líquidos cujas particularidades tornem
inviável o seu lançamento na rede pública de esgotos ou em corpos d’água.

(Lei 12.305: http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=636 – 2010)


Gerenciamento de Resíduos Sólidos: conjunto de ações exercidas, direta
ou indiretamente, nas etapas de coleta, transporte, transbordo, tratamento
e destinação final ambientalmente adequada dos resíduos sólidos e
disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos, de acordo com
plano municipal de gestão integrada de resíduos sólidos ou com plano de
gerenciamento de resíduos sólidos, exigidos na forma desta Lei.
Classificação quanto à origem dos Resíduos Sólidos –
Lei 12.305/2010

(https://pt.wikipedia.org/wiki/Resíduo_sólido)
Resolução CONAMA 307

Estabelecer diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão


dos resíduos da construção civil, disciplinando as ações necessárias
de forma a minimizar os impactos ambientais.

(CONOMA 307 - http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=307)


Resíduos da construção civil:
São os provenientes de construções, reformas, reparos e demolições de
obras de construção civil, e os resultantes da preparação e da escavação
de terrenos, tais como: tijolos, blocos cerâmicos, concreto em geral, solos,
rochas, metais, resinas, colas, tintas, madeiras e compensados, forros,
argamassa, gesso, telhas, pavimento asfáltico, vidros, plásticos,
tubulações, fiação elétrica etc., comumente chamados de entulhos de
obras, caliça ou metralha.
Os resíduos da construção civil deverão ser classificados,
para efeito desta Resolução, da seguinte forma:

(CONOMA 307 - http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=307)


São os resíduos reutilizáveis São os resíduos São os resíduos São resíduos perigosos
ou recicláveis como recicláveis para para os quais não oriundos do processo de
agregados, tais como: outras destinações, foram construção, tais como
1. de construção, demolição, tais como plásticos, desenvolvidas tintas, solventes, óleos e

Classe C

Classe D
Classe A

Classe B

reformas e reparos de papel, papelão, tecnologias ou outros ou aqueles


pavimentação e de outras metais, vidros, aplicações contaminados ou
obras de infraestrutura, madeiras, economicamente prejudiciais à saúde
inclusive solos provenientes de embalagens vazias viáveis que oriundos de demolições,
terraplanagem; de tintas imobiliárias permitam a sua reformas e reparos de
2. de construção, demolição, e gesso. reciclagem ou clínicas radiológicas,
reformas e reparos de recuperação. instalações industriais e
edificações: componentes outros, bem como telhas e
cerâmicos (tijolos, blocos, demais objetos e materiais
telhas, placas de revestimento que contenham amianto
etc.), argamassa e concreto;
ou outros produtos nocivos
3. de processo de fabricação e/ou à saúde.
demolição de peças pré-
moldadas em concreto (blocos,
tubos, meio-fio etc.)
produzidas nos canteiros de
obras.
Os resíduos da construção civil deverão ser destinados das
seguintes formas:

(CONOMA 307 - http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=307)


Deverão ser reutilizados Deverão ser reutilizados, Deverão ser Deverão ser
ou reciclados na forma de reciclados ou armazenados, armazenados,
agregados ou encaminhados a áreas de transportados e transportados e
encaminhados a aterro de armazenamento destinados em destinados em
resíduos classe A de temporário, sendo conformidade com as conformidade com as
reservação de material dispostos de modo a normas técnicas normas técnicas
para usos futuros. permitir a sua utilização ou específicas. específicas.
reciclagem futura.
Segundo a Resolução CONAMA 307 – Geradores são pessoas, físicas ou
jurídicas, públicas ou privadas, responsáveis por atividades ou
empreendimentos que gerem os resíduos definidos nesta Resolução.

Gerenciamento de resíduos é o sistema de gestão que visa reduzir,


reutilizar ou reciclar resíduos, incluindo planejamento, responsabilidades,

(CONOMA 307 - http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=307)


práticas, procedimentos e recursos para desenvolver e implementar as ações
necessárias ao cumprimento das etapas previstas em programas e planos

Os Planos de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil (PGRCC) serão


elaborados e implementados pelos grandes geradores e terão como objetivo
estabelecer os procedimentos necessários para o manejo e destinação
ambientalmente adequados dos resíduos.
PGRCC
• PGRS (Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos) é parte integrante da Lei
12.305 (2010), que instituiu o PNRS – Plano Nacional de Resíduos Sólidos.

Os PGRCC deverão contemplar as seguintes etapas:

I. caracterização: nesta etapa o gerador deverá identificar e quantificar os resíduos;

(CONOMA 307 - http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=307)


II. triagem: deverá ser realizada, preferencialmente, pelo gerador na origem, ou ser
realizada nas áreas de destinação licenciadas para essa finalidade, respeitadas as
classes de resíduos estabelecidas no art. 3º desta Resolução;
III. acondicionamento: o gerador deve garantir o confinamento dos resíduos após a
geração até a etapa de transporte, assegurando em todos os casos em que seja
possível, as condições de reutilização e de reciclagem;
IV. transporte: deverá ser realizado em conformidade com as etapas anteriores e de
acordo com as normas técnicas vigentes para o transporte de resíduos;
V. destinação: deverá ser prevista de acordo com o estabelecido nesta Resolução.
2ª Parte – Nota 1 – Elaboração de um PGRCC
Você está sendo contratado(a), por uma construtora, para implantar em um grande canteiro
de obra um PGRCC. Sendo assim deverá propor/elaborar as diretrizes do PGRCC criado por
você, considerando que será implantado na obra.

Os resíduos gerados em cada etapa


da obra estão listados na tabela.
2ª Parte – Nota 1 – Elaboração de um PGRCC
a) Classifique os resíduos gerados conforme as prescrições da Resolução
307 do CONAMA.

b) Apresentar as etapas necessárias segundo CONAMA 307 com exemplos


de ferramentas práticas para operacionalização (tabelas, fluxogramas,
figuras, desenhos,...) e com a estruturação de como cada etapa será
abordada e realizada.

Material de Apoio:
I. Santos e Paz (2016) – Implantação de um PGRCC no canteiro de obras do IFPE
(https://www.ibeas.org.br/congresso/Trabalhos2016/I-040.pdf).
II. Silva et al. (2015) – Etapas do gerenciamento de resíduos da construção civil
(https://periodicos.ufsm.br/reget/article/viewFile/20558/pdf).
III. Lima e Lima (2012) – Guia para Elaboração de PGRCC – CREA-PR
(http://www.cuiaba.mt.gov.br/upload/arquivo/cartilhaResiduos_web2012.pdf).