Você está na página 1de 25

1

Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária


MANUAL DE ESTÁGIO
DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA

2017

2
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
Presidente
Eduardo Mendonça

Chanceler da Universidade Salvador


Manoel Joaquim Fernandes de Barros Sobrinho

Reitora da Universidade Salvador


Marcia Pereira Fernandes de Barros

Diretor de Planejamento e Suporte Acadêmico


Nilzete Santiago

Diretor de Qualidade Acadêmica


Christian Tirelli

Diretor da Escola de Ciências da Saúde


Paulo Andre Jesuíno

Coordenadora do Curso de Medicina Veterinária


Tásio de Souza Lessa

Coordenadora de Estágio
Sheila Kelly Lacerda Souza Mello

Coordenador do Programa de Integração Saúde Comunidade


Tásio de Souza Lessa

3
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
1. APRESENTAÇÃO

Este manual tem por finalidade orientar a operacionalização do Estágio Curricular


do curso de graduação de Medicina Veterinária da UNIFACS – Universidade Salvador,
atendendo aos requisitos da legislação vigente, seja na modalidade de práticas de ensino,
estágio supervisionado ou visitas técnicas.
Essas modalidades têm como objetivo principal oferecer ao aluno a oportunidade
de vivenciar a realidade da rotina profissional, desenvolvendo as habilidades e
competências indispensáveis para o exercício da profissão. Embora o curso desenvolva a
teoria integrada à prática desde os primeiros semestres através das simulações e práticas
disciplinares, a principal articulação entre a teoria e a prática ocorre durante o Estágio
Curricular.
As práticas de ensino dizem respeito às atividades desenvolvidas pelos alunos nos
campos de prática, ligadas a uma disciplina específica no percurso de sua formação,
desenvolvidas com supervisão direta do docente-supervisor, normalmente em um período
curto de tempo, visando alcançar conhecimento, habilidades e competências específicas
da profissão.
O estágio supervisionado relaciona-se ao estágio final obrigatório para conclusão
do curso, desenvolvido no ambiente de trabalho normalmente durante os dois últimos
períodos do curso, onde o aluno desenvolve atividades de maneira mais autônoma, com
supervisão efetiva e permanente de um trabalhador do serviço da mesma categoria
profissional e do docente-supervisor.
O Estágio Curricular, de caráter obrigatório, constitui-se em componente curricular
do curso ao qual se aplica, conforme preconizado nas Diretrizes Curriculares Nacionais dos
cursos de graduação em Medicina Veterinária, sendo o seu cumprimento requisito
indispensável à colação de grau e obtenção do diploma.
A visita técnica é uma atividade pontual desenvolvida pelos alunos acompanhados
do docente-supervisor e uma referência do serviço, voltada para a observação de
procedimentos técnicos, assistenciais e/ou gerenciais que não envolvam a manipulação
direta de materiais, equipamentos e atendimento ao paciente.

4
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
Este período é a oportunidade que o aluno tem de empregar a ampla formação
teórica adquirida como ferramenta para a resolução das tarefas rotineiras na profissão
medico veterinária.
Em acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de MEDICINA
VETERINÁRIA, Resolução CNE/CES nº 1/2003, os Estágios Curriculares são de caráter
obrigatório, podendo ser realizado na própria IES, em Empresa Pública ou Privada, ou ainda
em outras IES previamente credenciadas.
Os casos não previstos neste manual deverão ser submetidos à análise e discussão
dos órgãos colegiados e da coordenação acadêmica dos cursos de saúde.

2. FINALIDADE

O Estágio Curricular é uma das atividades fundamentais no processo de formação


profissional por ser elemento integrador do saber acadêmico com a prática profissional,
devendo favorecer o desenvolvimento de competências, habilidades e atitudes
indispensáveis ao exercício profissional. Como um processo dinâmico, deve:

I. Integrar aluno com a prática profissional e o mercado de trabalho, propiciando


seu desenvolvimento profissional e acadêmico;
II. Promover a integração entre o acadêmico e a comunidade;
III. Desenvolver a capacidade de observação clínica, análise, reflexão, avaliação do
processo e tomada de decisão em situações reais de trabalho;
IV. A complementação do desenvolvimento de habilidades e competências
necessárias ao desempenho profissional.

3. GESTÃO DO ESTÁGIO E DAS PRÁTICAS DE CAMPO

O planejamento e acompanhamento dos programas de estágio contará com a


articulação do Núcleo de Estágio da Escola de Saúde e a Coordenação do Curso. Será
designado pelo curso um docente Médico Veterinário que responderá pela supervisão de
estágio desenvolvendo atividades pedagógicas. E, em cada campo de prática, será

5
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
identificado um preceptor Médico Veterinário que desenvolverá as atividades técnicas e
acompanhamento in loco dos discentes.

3.1 Atribuições do Núcleo de Estágio da Escola de Saúde

A Coordenação de Estágio é responsável pelo planejamento, gestão e realização das


atividades de acompanhamento e desenvolvimento profissional dos alunos da UNIFACS e
tem como principais atribuições:

I. Fazer cumprir o disposto na legislação vigente;


II. Propor e aperfeiçoar constantemente as práticas que resultem em melhoria dos
estágios, refletindo-as nos procedimentos e documentos institucionais;
III. Confeccionar e/ou rever cronogramas de estágios, enviando para aprovação da
Coordenação do Curso;
IV. Planejar e responsabilizar-se pela gestão da equipe de preceptores dos cursos de
saúde;
V. Promover a integração com outras instituições de ensino superior e entidades
concedentes de estágio;
VI. Responsabilizar-se pelo retorno das informações ao Coordenador do Curso sobre
o desenvolvimento das atividades dos estágios;
VII. Oferecer suporte aos supervisores de estágio e aos coordenadores de curso no
acompanhamento das atividades de estágio;
VIII. Favorecer o retorno de informações aos Preceptores de Estágios em relação aos
respectivos grupos de alunos;
IX. Manter atualizado banco de dados na UNIFACS com todos os documentos de
estágio;
X. Buscar campos de estágio, formalizar parcerias e realizar a gestão dos convênios
relacionados aos campos de saúde;
XI. Encaminhar formalmente o estagiário para o campo de estágio, acompanhado
do termo de compromisso e documentações específicas, juntamente com os
supervisores;
XII. Auxiliar o estagiário na solução de possíveis problemas ou dificuldades que
possam surgir no decorrer do estágio;

6
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
XIII. Estar sempre integrado ao supervisor de estágio de modo a assegurar o êxito das
atividades.
XIV. Observar as normas, assumindo responsabilidades e cumprindo as obrigações a
estes pertinentes.
XV. Solicitação e controle dos materiais solicitados obrigatoriamente pelos campos
de estágio.
XVI. Construir indicadores para avaliação dos campos e gestão das vagas de estágio,
divulgar resultados à Escola de Ciências da Saúde.
XVII. Participar do planejamento e execução do Treinamento Introdutório e
divulgação das normas dos campos de prática.

3.2 Atribuições da Supervisão Acadêmica de Estágio

Supervisão Acadêmica de Estágio está sob a responsabilidade dos docentes


indicados pelas coordenações dos cursos, e tem as seguintes atribuições:

I. Apoiar na identificação e estabelecimento de parceria com campos de estágio;


II. Analisar as atividades propostas pelos campos e planejar, junto aos preceptores,
as rotinas e atividades a serem desenvolvidas no estágio garantindo adequação
ao perfil do curso, ao grau de complexidade esperado para o semestre e
cumprimento da carga horária prevista;
III. Elaborar, sob orientação das coordenações de curso, os planos de estágio de
cada bloco; Divulgar e disponibilizar aos alunos;
IV. Estimular a participação do estagiário junto às atividades planejadas e fazê-lo
reconhecer os objetivos e importância dessas atividades;
V. Visitar regularmente os campos de estágio: registrar em formulário próprio
(ANEXO I); Durante as visitas fortalecer a parceria, acompanhando as
expectativas da unidade, cumprimento das normas e atividades dos preceptores
e estudantes;
VI. Acompanhar e validar as avaliações dos alunos em todos nos campos. Nos
campos em que não possuem o preceptor contratado pela UNIFACS participar
efetivamente da avaliação; Recolher avaliações, lançar notas no sistema e
realizar o fechamento das cadernetas;

7
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
VII. Monitorar o uso dos equipamentos de proteção individual (EPIs) e material
descartável entregue nos campos, sempre que necessário;
VIII. Participar da Seleção de preceptores (avaliação técnica);
IX. Realizar o acolhimento técnico dos novos preceptores e supervisionar
tecnicamente as atividades desenvolvidas no campo ao longo do semestre;
X. Receber dos alunos, preceptores e unidades concedentes todas documentações
referente ao Estágio;
XI. Participar do planejamento e execução da semana de treinamento introdutório
dos estágios, preparando os alunos para inserção dos campos;
XII. Propor e aperfeiçoar constantemente as práticas que resultem em melhoria dos
estágios, refletindo-as nos procedimentos e documentos institucionais;
XIII. Disponibilizar o Regulamento de Estágio e legislação vigente para o estagiário;
XIV. Atender aos alunos em estágio e auxiliar o estagiário na solução de possíveis
problemas ou dificuldades que possam surgir no decorrer do estágio;
XV. Favorecer o retorno de informações aos Preceptores de Estágios e das
Atividades Práticas Supervisionadas em relação aos respectivos grupos de
alunos;
XVI. Comunicar, por escrito, ao coordenador de estágio de saúde e para o
Coordenador do Curso a interrupção e qualquer eventualidade que impeça o
bom andamento das atividades didático-pedagógicas da prática.
XVII. Avaliar semestralmente os campos utilizados com elaboração e/ou análise dos
relatórios emitidos pelos preceptores; Emitir parecer quanto à adequação do
campo aos objetivos de estágio;
XVIII. Participar da análise dos indicadores de estágio;
XIX. Outras atribuições, definidas no âmbito normativo de cada curso.

3.3 Atribuições dos Preceptores

I. Planejar e analisar as atividades desenvolvidas, pelos alunos, de forma contínua,


orientando-os quando necessário e exigindo as habilidades requeridas para a
prática no Estágio.

8
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
II. Comunicar qualquer ocorrência em desacordo com o que estiver previamente
estabelecido pelo Coordenador de Estágio de Saúde / Supervisores;
III. Comunicar qualquer necessidade de ajuste de escala ou campo, aguardando análise
e aprovação da supervisão e do Núcleo de estágio; Não será permitida mudança de
horário das atividades práticas, exceto em situações especiais, com a autorização
prévia do Coordenador e Supervisor;
IV. Preencher frequência individual e encaminhar a coordenação de estagio até o dia 5
de cada mês (ANEXO II);
V. Disponibilizar e acompanhar o preenchimento do formulário de frequência
individual do aluno (ANEXO III);
VI. Realizar a avaliação final dos alunos sobre sua supervisão no último dia previsto no
cronograma de cada bloco de Estágio utilizando formulário específico (ANEXO IV);
VII. Preencher e entregar as documentações acima referidas à Supervisão até 48h após
o término de cada bloco de Estágio.
VIII. Comparecer às reuniões convocadas pelas Coordenações de Curso e/ou Estágio;
IX. Incentivar o bom desempenho dos acadêmicos, bem como contribuir para sua
qualificação de acordo com os objetivos propostos;
X. Colaborar para manter um ambiente agradável e ético;
XI. Tomar as providências cabíveis de acordo com o protocolo das Instituições caso
ocorra qualquer acidente durante a realização dos Estágios; Comunicar
imediatamente a supervisão diante de qualquer ocorrência;
XII. Zelar e colaborar pela manutenção e aperfeiçoamento do campo de estágio.
XIII. Elaborar plano de atividades compatível com o plano de estágio correspondente ao
componente/campo em que está responsável
XIV. Realizar visita prévia nos campos em que desenvolverá atividades práticas e
apresentar plano de atividades ao responsável pelo campo;
XV. Apresentar o campo de prática e plano de atividades aos alunos no primeiro dia de
estágio ou no período de treinamento introdutório
XVI. Apresentar relatório final (ANEXO V) de avaliação e descrição das atividades
desenvolvidas no campo ao término do semestre;
XVII. Assegurar o cumprimento das normas de estágio determinadas pelo campo de
prática e pela UNIFACS;
XVIII. Controle dos materiais disponibilizados para uso do aluno (EPIs)

9
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
4. PRÉ-REQUISITOS PARA INSERÇÃO NO ESTÁGIO

A realização do Estágio Curricular, de caráter obrigatório, está condicionada ao


cumprimento dos seguintes requisitos:

a. Ter cumprido os módulos de Conhecimento Específicos e Profissionalizantes,


definidos na matriz curricular vigente
b. Estar em dia com a entrega de toda documentação individual obrigatória
c. Efetivação da matrícula em Estágio e/ou disciplina correspondente, de acordo
com o período letivo estabelecido na estrutura curricular;
d. Atendimento ao fim pedagógico e profissionalizante estabelecido na legislação;
e. Manifestação favorável da Coordenação e Supervisão Acadêmica de Estágio.

Obs. Os alunos que efetivarem a matrícula após início do período letivo arcará
com todas as faltas até a data de confirmação da matrícula. Todas as
solicitações de matrícula fora do prazo serão analisadas em conjunto pela
coordenação do curso e coordenação de estágio, podendo ser deferida
quando houver existência de vaga e número de faltas que não corresponda a
reprovação no bloco.

5. CENÁRIOS DE APRENDIZAGEM

Os locais onde serão realizadas as práticas irão variar de acordo com as


competências e as habilidades a serem desenvolvidas.

I. O discente, instituição de ensino e unidade concedente deverão celebrar termo


de compromisso, zelando pelo seu cumprimento;

II. A unidade concedente deverá ofertar instalações que tenham condições de


proporcionar ao aluno-estagiário atividades de aprendizagem social,
profissional e cultural;

Para atender aos estágios, a Escola de Ciências da Saúde possui parcerias


formalizadas com unidades públicas e privadas: Secretaria Municipal e Estadual de Saúde,
Clinica do Rancho, Clinilab, Fazenda Morrinhos, INEMA e a Clínica Escola.

10
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
6. ESTRUTURA DO ESTÁGIO

A estrutura do estágio foi desenhada para propiciar a formação de um médico


veterinário com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, dotado de
conhecimentos e habilidades para desenvolver ações e resultados voltados à área de
Ciências de Saúde e Agrárias no que se refere à Produção Animal, Produção de Alimentos,
Saúde Animal, Proteção Ambiental e da Saúde. Apto a atuar na prevenção, promoção,
proteção e recuperação da saúde animal.

O estágio obrigatório do curso de Medicina Veterinária está previsto para ser


realizada no 9º semestre para os estudantes que cursam no matutino e vespertino e 10º
semestre para o noturno com carga horária total de 410 horas. A maior concentração das
horas será na área de concentração desejada pelo estudante. A seguir dispomos de um
modelo:

Estagio I Carga horária por Bloco


CLINICA PEQUENOS ANIMAIS 200
CLINICA GRANDES ANIMAIS 100
REPRODUÇÃO 50
PRODUÇÃO 50
Introdutório 10
CARGA HORARIA TOTAL 410h

6.1 Objetivos da aprendizagem

O estágio do curso de Medicina Veterinária UNIFACS foi desenvolvido no modelo


por competências, e, portanto, o aprendizado do aluno será avaliado no tocante à aquisição
das mesmas. Ficam assim estabelecidas:

Competências gerais

1 Respeitar os princípios éticos inerentes ao exercício profissional;


2 Interpretar sinais clínicos, exames laboratoriais e alterações morfo-funcionais;
3 Identificar e classificar os fatores etiológicos, compreender e elucidar a iatrogenia,
bem como, prevenir, controlar e erradicar as doenças que acometem os animais;
4 Instituir diagnóstico, prognóstico, tratamento e medidas profiláticas, individuais e
populacionais;

11
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
5 Elaborar, executar e gerenciar projetos agropecuários, ambientais e afins à
profissão;
6 Desenvolver, programar, orientar e aplicar as modernas técnicas de criação,
manejo, nutrição, alimentação, melhoramento genético; produção e reprodução
animal;
7 Planejar, executar, gerenciar e avaliar programas de saúde animal, saúde pública e
de tecnologia de produtos de origem animal;
8 Executar a inspeção sanitária e tecnológica de produtos de origem animal;
9 Planejar, elaborar, executar, gerenciar e participar de projetos nas áreas de
biotecnologia da reprodução e de produtos biológicos;
10 Planejar, organizar e gerenciar unidades agroindustriais;
11 Realizar perícias, elaborar e interpretar laudos técnicos em todos os campos de
conhecimento da Medicina Veterinária;
12 Planejar, elaborar, executar, gerenciar, participar de projetos agropecuários e do
agronegócio;
13 Relacionar-se com os diversos segmentos sociais e atuar em equipes
multidisciplinares da defesa e vigilância do ambiente e do bem-estar social;
14 Exercer a profissão de forma articulada ao contexto social, entendendo-a como
uma forma de participação e contribuição social;
15 Conhecer métodos e técnicas de investigação e elaboração de trabalhos
acadêmicos e científicos;
16 Assimilar as constantes mudanças conceituais e evolução tecnológica apresentadas
no contexto mundial;

7. AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

A avaliação ocorrerá de modo processual, com feedback periódico, preferencialmente


semanal, com registro das orientações (ANEXO do preceptor quanto as habilidades
alcançadas individualmente. Ao final de cada bloco o aluno obterá uma nota ponderada
composta por 3 modelos de avaliação:

Primeira Avaliação por bloco: Avaliação Global de Desempenho (Assiduidade e


pontualidade; Relacionamento/cooperação; Aplicabilidade do conteúdo teórico nas
atividades práticas; Execução de procedimentos; Levantamento e resolução de

12
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
problemas encontrados; Clareza e concisão dos registros e anotações de
enfermagem; Apresentação pessoal; Interesse, comprometimento, iniciativa e
responsabilidade; Comportamento ético e profissional; Habilidade no
planejamento, organização, comunicação e liderança).

Segunda Avaliação por bloco: Projeto de Intervenção e/ou Estudo de Caso.

Terceira Avaliação por bloco: Relatório Final do Estágio

Outras formas de avaliação poderão ser propostas e implementadas conforme definição


da Coordenação do Curso e Supervisão de Estágio. A nota de cada bloco será composta
pela média ponderada, seguindo valor e peso descritos em cada plano de estágio.

A média final, da unidade curricular, será composta pela média pondera obtida em cada
bloco com os pesos descritos no plano de Ensino do Estágio correspondente.

O acadêmico para ser considerado aprovado deverá ter atingido a frequência mínima de
75% (setenta e cinco por cento) em cada bloco e na totalidade do estágio; e, obter média
final de aproveitamento não inferior a 7,0 (sete).

Não haverá exames finais para as atividades práticas. O acadêmico reprovado, por não ter
alcançado os índices necessários de frequência e/ou de desempenho, repetirá o estágio.

Para os componentes curriculares desenvolvidos em campo de estágio prático não se aplica


o sistema de compensação de faltas através de regime especial. Quando deferido pelo
Núcleo de Estágio e Coordenação de Curso será programada compensação obrigatória no
campo de prática específico, atendendo escala divulgada.

O aluno que deixar de cumprir as atividades nas datas previstas no calendário acadêmico e
nos cronogramas previamente estabelecidos, perderá o direito de conclusão da disciplina
naquele período letivo.

A justificativa da falta somente será aceita pelo preceptor/supervisor depois de deferida,


pela CAE, Coordenação de Curso e Núcleo de Estágio. O prazo máximo para a entrega do
atestado médico é de 72 horas após a falta (orientações previstas no manual do aluno); em
caso de deferimento, a compensação dessa carga horária será realizada em período
designado pela coordenação de estágio, obrigatoriamente em campo de prática, ficando a
disciplina com status incompleto até regularização.

8. RESPONSABILIDADES DO ESTAGIÁRIO

Antes do início da atividade, limitado ao 1° dia letivo, o estagiário deverá apresentar a


seguinte documentação:

I. Ficha de Cadastro Individual (Anexo VI)


13
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
II. Termos de Compromisso de Estágio (duas ou três vias) devidamente preenchido
e assinado pelo aluno;
III. Cartão de vacina com esquema vacinal atualizado obrigatoriamente com
Tétano, Hepatite B e Anti-rábica.
IV. Fotos 3x4 colorida com fundo branco
V. Formulários específicos dos campos de prática e outros documentos quando
solicitados pelos supervisores ou campos;
VI. Preencher, a cada bloco, o formulário on-line de avaliação dos campos de
estágio, através do link encaminhado pela coordenação/supervisão de estágio
(ANEXO VII).

São deveres do estagiário:

I. Assinar termo de compromisso de estágio referente a cada campo de prática


conforme escala divulgada pelo Núcleo de estágio;
II. Efetuar a matrícula, quando se trata de Estágio;
III. Comparecer ao local do estágio, nos dias e horários programados;
Principalmente, quando houver convocação para treinamentos obrigatórios;
IV. Atuar ativamente em todas as fases do estágio (planejamento, execução e
avaliação);
V. Participar de todas as atividades propostas pelos professores orientadores,
coordenação de curso e pela parte concedente;
VI. Entregar documentos e relatórios de atividades nas datas estabelecidas pelo
professor orientador/ preceptor;
VII. Pautar sempre sua atuação dentro dos princípios éticos;
VIII. Vestir-se adequadamente para a realização do estágio;
IX. Demonstrar interesse e vontade de aprender;
X. Manter total sigilo de assuntos referentes ao seu estágio, não sendo conduta
ética adequada à inobservância desta condição;
XI. O estagiário deverá apresentar-se no local de estágio adequadamente,
respeitando as normas do estabelecimento;
XII. Comunicar ao preceptor e supervisor de estágio situações e dificuldades que
ocorram no campo de desenvolvimento das atividades práticas que possam

14
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
comprometer a qualidade do processo de ensino/aprendizagem e necessitem
de sua interferência;
XIII. Manter registro diário das atividades desenvolvidas para elaboração do
relatório final de estágio em cada bloco;
XIV. Não utilizar o benefício de acadêmico para adentrar em qualquer campo de
prática para fins particulares;
XV. Zelar rigorosamente pelo material de estágio /Instituição;
XVI. Ter freqüência de, no mínimo, 75% no estágio em cada bloco e em relação à
carga horaria total do estágio obrigatório;
XVII. Portar materiais individuais e obrigatórios para a execução de atividades;
XVIII. Conhecer e atender os requisitos da legislação vigente e das normas
estabelecidas por cada campo de prática.

Observações Importantes:

A escala individual do estagiário será divulgada pela supervisão de estágio, especificando


os turnos, horários e preceptores de cada campo de prática. Não será permitida mudança
de horário, de grupo ou de local de estágio, exceto em situações especiais, com a
autorização prévia por escrito do Coordenador de Estágio e Coordenador de Curso.

Os discentes serão divididos em subgrupos, perfazendo um total de até 06 (seis) discentes


por subgrupo, conforme limites estabelecidos pelas unidades concedentes.

9. MATERIAIS NECESSÁRIOS e UNIFORME

É imprescindível que cada aluno tenha seu próprio material para a realização das
atividades no campo prático, essencialmente:
I.Caneta azul ou preta;
II.Bloco para anotações;
Outros materiais poderão ser solicitados pelo Coordenador do Estágio ou pelo
Supervisor.
A vestimenta do aluno poderá adequar-se ao campo de prática, conforme indicação do
Coordenador/Supervisor, via de regra:
I. Calça comprida;

15
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
II. O jaleco deverá conter o nome do aluno e o logotipo da Instituição (a ser
adquirido pelo aluno);
III. Não será permitido o uso de bermudas, saias curtas, blusas ou camisetas
decotadas, sem mangas ou cavadas.
IV. Sapato fechado sem salto e com solado antiderrapante
V. Crachá de identificação (uso constante e obrigatório).
O discente deverá apresentar-se sempre com Cabelos limpos, penteados e presos;
Unhas curtas. Apenas é permitido esmalte transparente; não será permitido o uso de anéis,
pulseiras e correntes (apenas adornos discretos e aliança); Alunos do sexo masculino
deverão estar com a barba feita;
ANEXOS
ANEXO I – FORMULÁRIO DE ACOMPANHAMENTODE CAMPOS DE ESTÁGIO SUPERVISOR

ACOMPANHAMENTO DE CAMPOS DE ESTÁGIO SUPERVISOR

SUPERVISOR DATA:
CAMPO / UNIDADE CURSO:
OBJETIVO DESTA VISITA / ATIVIDADE
( ) Visita de Acompanhamento do Campo ( ) Prospecção de Campo
( ) Registro de Intercorrência / Queixa ( ) Reunião de Avaliação na UNIFACS
( ) Entrega de documentos e/ou materiais ( ) Outro
OBSERVAÇÕES SOBRE OS DISCENTES
TODOS OS DISCENTES SIM / TOTALMENTE PARCIALMENTE NÃO / INADEQUADAMENTE

UTILIZAM UNIFORME ADEQUADO

ENCONTRAM-SE COM O CRACHÁ VISÍVEL

PORTAM MATERIAIS DE USO PESSOAL

APRESENTAM FREQUENCIA REGULAR

POSTURA ADEQUADA

ESTÃO EM ATIVIDADE
DESCRIÇÃO DE OCORRÊNCIAS / ORIENTAÇÕES MINISTRADAS

OBSERVAÇÕES SOBRE O PRECEPTOR


O PRECEPTOR APRESENTA SIM / TOTALMENTE PARCIALMENTE NÃO / INADEQUADAMENTE

UNIFORME ADEQUADO

CRACHÁ VISÍVEL

PLANEJAMENTO ADEQUADO DOS MATERIAIS / ATIVIDADES

APRESENTOU CRONOGRAMA DE ATIVIDADES

FREQUENCIA REGULAR / CUMPRIMENTO DE HORÁRIO

PREENCHIMENTO CORRETO DOS FORMULÁRIOS

POSTURA ADEQUADA

INTEGRAÇÃO COM A EQUIPE LOCAL

16
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
O PRECEPTOR APRESENTA SIM / TOTALMENTE PARCIALMENTE NÃO / INADEQUADAMENTE

PROATIVIDADE E RESOLUTIVIDADE
DESCRIÇÃO DE OCORRÊNCIAS / ORIENTAÇÕES MINISTRADAS

OBSERVAÇÕES DO CAMPO SIM / TOTALMENTE PARCIALMENTE NÃO / INADEQUADAMENTE


A UNIDADE

ORGANIZAÇÃO ADEQUADA

MATERIAIS DISPONÍVEIS

LIMPEZA

SEGURANÇA

EQUIPE RECEPTIVA/ COLABORATIVA

PROCEDIMENTOS / ATIVIDADES EM VOLUME ADEQUADO

ATENDE AOS OBJETIVOS DO ESTAGIO


DESCRIÇÃO DE OCORRÊNCIAS / ORIENTAÇÕES / ESTRATÉGIAS IMPLEMENTADAS

ANEXO II – FOLHA DE FREQUENCIA DO PRECEPTOR

Folha Individual de Frequência

Colaborador: Local:
Matricula: Admissão:
Período: Jornada de Trabalho: C.R:

Manhã Tarde
Data Entrada Saída Entrada Saída Assinatura Do Visto do
Preceptor Coordenador
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15

17
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

ANEXO III – FICHA DE ACOMPANHAMENTO DE FREQUENCIA DO ALUNO

FICHA ACOMPANHAMENTO FREQUENCIA


ALUNO
CURSO PERÍODO ESTÁGIO
DISCIPLINA TURMA / TURNO
LOCAL ESTÁGIO PRECEPTOR

Cronograma CARGA HORÁRIA


HORÁRIO SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA

CONTROLE DE FREQUENCIA

DATA HORÁRIO ENTRADA HORÁRIO SAÍDA ASSINATURA ALUNO ASSINATURA PRECEPTOR

/ /
/ /
/ /
/ /
/ /
/ /
/ /
/ /
/ /
/ /
/ /
/ /
/ /

18
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
/ /
/ /
/ /
/ /
/ /
/ /
/ /

Data ANOTAÇÕES IMPORTANTES ( FALTAS , ATRASOS )

DATA: ___ /___ /____


___________________________________
ASSINATURA DO PRECEPTOR

ANEXO IV – FICHA DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO ESTAGIÁRIO

FICHA DE AVALIAÇÃO DO ESTÁGIO

ALUNO PERÍODO ESTÁGIO


CURSO TURMA / TURNO
DISCIPLINA LOCAL ESTÁGIO
PRECEPTOR SUPERVISOR

VALO
ITENS AVALIADOS R PONTUAÇÃO
1- Assiduidade e Pontualidade 1,0
2- Relacionamento / Cooperação 0,5
3 - Aplicabilidade do conteúdo teórico nas práticas 1,75
4 - Execução das técnicas 1,5
5 - Levantamento e resolução de problemas encontrados 1,0
6 - Registros e anotações claras e concisas 0,5
7 - Apresentação Pessoal 0,25
8 -Interesse / Comprometimento / Iniciativa / Responsabilidade 1,0
9 - Comportamento Ético Profissional 1,0
10 - Habilidade ( Planejamento ; Organização ; Comunicação e Liderança ) 1,5
TOTAL DE PONTOS 10,0
Observações Finais:
19
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________

DATA ASSINATURA ALUNO ASSINATURA DO PRECEPTOR

/ /

Informações: Toda intercorrência deve ser registrada no verso (posturas inadequadas, orientações,
dificuldades...)

20
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
REGISTRO DO ACOMPANHAMENTO SEMANAL
1ª Semana 2ª Semana 3ª Semana 4ª Semana 5ª Semana Observações
Itens Avaliados
1- Assiduidade e Pontualidade
2- Relacionamento / Cooperação
3 - Aplicabilidade do conteúdo teórico nas práticas
4 - Execução das técnicas
5 - Levantamento e resolução de problemas encontrados
6 - Registros e anotações claras e concisas
7 - Apresentação Pessoal
8 -Interesse / Comprometimento / Iniciativa / Responsabilidade
9 - Comportamento Ético Profissional
10 - Habilidade (Planejamento; Organização; Comunicação e Liderança )
Legenda: E – Excede as Expectativas / D – Dentro as Expectativas / A – Abaixo das Expectativas / NA – Não se Aplica

Orientações e Ações de Acompanhamento

Nota 1 - Relatório Nota 2 – Projeto Intervenção Nota 3 – Avaliação Individual

DATA ASSINATURA ALUNO ASSINATURA DO PRECEPTOR

/ /

21
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
ANEXO V – RELATÓRIO SEMESTRAL DO PRECEPTOR

RELATÓRIO DE ESTAGIO

CURSO:

DISCIPLINA:
PRECEPTOR:

UNIDADE / DISTRITO:

1. INTRODUÇÃO
OBS: Detalhar objetivos propostos para o campo/bloco de práticas conforme descrito no plano de estágio
e alinhamento com a unidade; Número de grupos e período das atividades de estágio no local; Descrever
o perfil da unidade e áreas utilizadas no campo

2. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

Descrever as atividades desenvolvidas pelos alunos, quantificar sempre que possível

3. FACILITADORES E ENTRAVES ENCONTRADOS

Analisar os fatores que facilitaram e os que dificultaram o desenvolvimento das práticas e/ou alcance dos
objetivos propostos

4. RESULTADOS ALCANÇADOS
Descrever ao término do estágio os alunos demonstram-se aptos à ...; Descrever quais produtos e/ou
contribuições foram deixadas para a unidade com cada grupo de alunos... relacionar quais projetos de
intervenção foram desenvolvidos.

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Analisar a quanto é possível relacionar teoria e prática, aproximar o aluno da rotina profissional;
Registrar uma avaliação geral do campo. Sempre que possível anexar fotos

22
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
ANEXO VI – FICHA INDIVIDUAL DO ESTÁGIO

CURSO:

FICHA DE CADASTRO INDIVIDUAL

NOME
DATA NASCIMENTO / / ESTADO CIVIL
MATRICULA GRUPO SANGUINEO
FILIAÇÃO
ENDEREÇO
CEP SEMESTRE/TURNO ATUAL
NATURALIDADE NACIONALIDADE
TEL FIXO TEL CELULAR
RG ORGÃO E DATA DE EXPEDIÇÃO
CPF
EMAIL
DISCIPLINAS PENDENTES
Data do
DOCUMENTOS PRELIMINARES **
Recebimento
CARTÃO DE VACINA Sim Não
FOTOS 3x4 Sim Não qt:
FOTOS 2x2 Sim Não qt:
COPIA DE RG Sim Não
COPIA DE CPF Sim Não
COMPROVANTE DE RESIDÊNCIA Sim Não

OBSERVAÇÕES

Os estágios dos cursos de saúde ocorrem impreterivelmente no turno DIURNO. Considerando que, o horário
das atividades em campo está condicionado à escala apresentada durante o treinamento introdutório com
possibilidade de mudança para atender a disponibilidade do campo de prática. O aluno não deve solicitar
matrícula em disciplinas paralelas ao horário de estágio, dessa forma, havendo choque de horários assumirá
inteira responsabilidade pela ocorrência das faltas.

(*) Outros documentos poderão ser solicitados ao longo do semestre atendendo normas específicas dos
campos de estágio.

Afirmo estar ciente que o preenchimento deste formulário e entrega da documentação acima
relacionada manifesta apenas a minha intenção em cursar o Estágio Curricular Obrigatório ,
porém o encaminhamento aos campos de práticas está condicionado ao atendimento à todos
os pré-requisitos descritos no regimento, incluindo imprescindivelmente, a efetivação da
matrícula no semestre letivo .

Data_____________ Assinatura: __________________________________________________

23
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
ANEXO VII – FORMULÁRIO ON-LINE DE AVALIAÇÃO DO ESTÁGIO

FICHA DE AVALIAÇÃO DE ESTÁGIO


- SUPERVISOR, PRECEPTOR E CAMPO -
ALUNO
CURSO SEMESTRE
TURMA PERÍODO
BLOCO CAMPO
PRECEPTOR SUPERVISOR

AVALIAÇÃO DO CAMPO DE ESTÁGIO EXCELENTE BOM REGULAR INSUFICIENTE


AMBIENTE FÍSICO
OPORTUNIDADE DE APRENDIZAGEM
MATERIAIS DISPONÍVEIS
INTEGRAÇÃO COM A EQUIPE
COMENTÁRIOS:

AVALIAÇÃO DO PLANO DE ATIVIDADES EXCELENTE BOM REGULAR INSUFICIENTE


CARGA HORÁRIA
RELAÇÃO COM A TEORIA E OBJETIVOS DO BLOCO
APROXIMAÇÃO COM A PRÁTICA PROFISSIONAL
DESENVOLVIMENTO DE NOVAS HABILIDADES
COMENTÁRIOS:

AVALIAÇÃO DO PRECEPTOR EXCELENTE BOM REGULAR INSUFICIENTE


DOMÍNIO DAS ATIVIDADES
COMUNICAÇÃO / RELACIONAMENTO
POSTURA ÉTICA
PLANEJAMENTO DAS ATIVIDADES
PONTUALIDADE/CUMPRIMENTO DA CARGA HORÁRIA
INTERESSE COM O APRENDIZADO DO GRUPO
COMENTÁRIOS:

AVALIAÇÃO DO SUPERVISOR EXCELENTE BOM REGULAR INSUFICIENTE


LIDERANÇA
COMUNICAÇÃO
RESOLUTIVIDADE
PLANEJAMENTO DAS ATIVIDADES
COMENTÁRIOS:

COMPLETA PARCIALM INSUFICIENTE


AVALIAÇÃO DO SUPERVISOR MENTE ENTE MENTE
CONHEÇO O PLANO DE ESTÁGIO REFERENTE A ESSE BLOCO
RECEBI FEEDBACK ADEQUADO AO LONGO DO BLOCO
APRENDI E SOU CAPAZ DE EXECUTAR O PAPEL COMO PROFISSIONAL
NESSE CAMPO DE ATUAÇÃO

24
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária
RECEBI OS RESULTADOS DAS AVALIAÇÕES ATÉ O ÚLTIMO DIA
COMENTÁRIOS:

25
Manual de Normas de Estágio Curso de Medicina Veterinária

Você também pode gostar