Você está na página 1de 116

QUARESMA: CAMINHO DE SANTIDADE

A cada ano, a Igreja nos convoca para uma caminhada de 40 dias em direção
à Páscoa da Ressurreição. O profeta Joel, lido na Quarta-feira de Cinzas, ordena
Ano 29 • No 339 Março de 2020
que se toque uma trombeta e convoque todo o povo para iniciar um tempo
de conversão (cf. Jl 2,12-18). E diz mais: “Rasgai o coração, e não as vestes; e
voltai para o Senhor, vosso Deus!”.
O salmista clama: “Dai-me de novo a alegria de ser salvo!” (Sl 50,14). O
evangelista Mateus oferece três possibilidades de vivência da espiritualidade
da Quaresma: penitência, oração, esmola. São possibilidades para que alcan-
cemos o significado profundo do rito das cinzas. São sinais de que o coração
se abriu ao outro. A dinâmica da Quaresma não propõe uma espiritualidade
subjetiva e intimista.
A Campanha da Fraternidade faz parte do itinerário quaresmal. Neste ano,
a parábola do bom samaritano faz eco eloquente às leituras com que se abrem
as celebrações dessa caminhada: “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc
10,33-34 – lema da CF-2020).
O papa Francisco, que convocou a Igreja para retomar a caminhada rumo à
santidade (cf. exortação Gaudete et Exsultate), rende graças a Deus porque, “ao
longo da história da Igreja, ficou bem claro que aquilo que mede a perfeição
das pessoas é o seu grau de caridade” (GE 37), afirmando mais adiante: “Deste
modo, ser santo não significa revirar os olhos em um suposto êxtase. Dizia São
João Paulo II que, ‘se verdadeiramente partimos da contemplação de Cristo,
devemos saber vê-lo sobretudo no rosto daqueles com quem ele mesmo quis
se identificar’” (GE 96).
Rogo a Deus, no meu recolhimento atual, que os cristãos católicos do nosso
Brasil acolham o convite do apóstolo Paulo: “Como colaboradores de Cristo,
nós vos exortamos a não receberdes em vão a graça de Deus; pois ele diz: ‘No
momento favorável, eu te ouvi e, no dia da salvação, eu te socorri’. É agora o
momento favorável, é agora o dia da salvação” (2Cor 6,1-2).

D. Geraldo Majella Agnelo


Cardeal Arcebispo Emérito de Salvador

PAULUS.COM.BR

Liturgia Diaria 2020 - Capas P&G.indd 339 11/11/19 15:41


DIFUNDIR CONHECIMENTO
E TRANSFORMAÇÃO SOCIAL
Como dizia o fundador da PAULUS, pe. Tiago Alberione, na porta dos conventos,
antigamente, se distribuía pão, sopa etc., uso mantido ainda hoje em muitos
lugares; assim também é preciso distribuir na porta dos conventos a verdade
e o conhecimento.
A PAULUS tem como missão por meio de todas as suas atividades, promover
e formar integralmente a pessoa humana inserida na cultura da comunicação,
através da assistência social, educacional e cultural. Todas as suas atividades
estão voltadas para esse fim.
Apresentamos logo abaixo os números do relatório de atividades da organização
nos campos da Assistência Social e Educacional no período de 2012 a 2018,
parte das quais desenvolvidas em parceria com outras organizações
governamentais e não governamentais.

Resumo da atuação da PAULUS na Assistência Social


e educacional no período 2012 - 2018

290 Municípios mobilizados Bolsas universitárias na FAPCOM


(São Paulo)
480 Pesquisas na área social
2.027 Bolsas 100%
382 Formações realizadas
4.237 Bolsas 50%
8.400 Instituições atendidas 6.264 Total de bolsas no período
diretamente
Alunos formados gratuitamente pelo
10.900 Horas de formação curso de Pós-Graduação Lato Sensu em
Gestão e Serviço do SUAS – Sistema
17.330 Certificados emitidos nas atividades Único de Assistência Social
de Assessoramento (cursos gratuitos)
28 Alunos formados em 2017
8.000.000 kits de livros do programa
Direito e Cidadania distribuídos nacionalmente 39 Alunos formados em 2019
ANO XXIX – Nº 339 – MARÇO DE 2020
ANO A
Editora ÍNDICE
Pia Sociedade de São Paulo 3 - I – LITURGIA DA MISSA
15 - II – LITURGIA DE MARÇO
© PAULUS - 2020
103 - III – VIA-SACRA
Rua Francisco Cruz, 229 110 - IV – CANTOS
04117-091 – SÃO PAULO – SP
ISSN 1413-1609
Círculo bíblico para a Quaresma, páginas 20s.
Jornalista responsável
INTENÇÃO DO MÊS
Pe. Valdir José de Castro, ssp
Pela evangelização: Rezemos para que a
Coordenação Igreja na China persevere na fidelidade ao
Pe. Darci Luiz Marin, ssp evangelho e cresça na unidade.

Redatores COMEMORAÇÕES DO MÊS


Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp 1º: 1º domingo da Quaresma
Pe. Nilo Luza, ssp 4: São Casimiro
Redação 6: 1ª sexta-feira do mês
liturgiadiaria@paulus.com.br 7: Santas Perpétua e Felicidade
8: 2º domingo da Quaresma (são João de
Assinaturas Deus) / dia internacional da mulher
Tel.: (11) 3789-4000
9: Santa Francisca Romana
WhatsApp: (11) 99974-1840
assinaturas@paulus.com.br 13: 7º aniversário da eleição do
Caixa Postal 700 papa Francisco
01031-970 – SÃO PAULO – SP 15: 3º domingo da Quaresma
Raposo Tavares, km 18,5 17: São Patrício
Jardim Arpoador 18: São Cirilo de Jerusalém
05576-200 – SÃO PAULO – SP
19: São José, esposo de Maria e padroeiro
Foto da capa da Igreja
Santuário Bom Jesus da Cana Verde 22: 4º domingo da Quaresma
Batatais – SP Dia mundial da água
Inauguração: 25/2/1815 23: São Turíbio de Mogrovejo
Reitor: Pe. Pedro Ricardo
25: Anunciação do Senhor
Bartolomeu
Fotógrafo: Rafael Antonio de 29: 5º domingo da Quaresma
Rezende
Ilustrações
Stefano Pachì D S T Q Q S S
Impressão – PAULUS 1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
Texto litúrgico publicado com MAR 15 16 17 18 19 20 21
a autorização da Conferência 2020
Nacional dos Bispos do Brasil 22 23 24 25 26 27 28
(CNBB). 29 30 31
I – LITURGIA DA MISSA

RITOS INICIAIS

1 – SAUDAÇÃO PR: Confessemos os nossos pecados:


PR: Em nome do Pai e do Filho e do AS: Confesso a Deus todo-poderoso
Espírito Santo. e a vós, irmãos e irmãs, que pequei
AS: Amém. muitas vezes por pensamentos e
palavras, atos e omissões, por minha
PR: A graça de nosso Senhor Jesus Cris- culpa, minha tão grande culpa. E pe-
to, o amor do Pai e a comunhão do Es- ço à Virgem Maria, aos anjos e santos
pírito Santo estejam convosco. e a vós, irmãos e irmãs, que rogueis
OU por mim a Deus, nosso Senhor.
PR: O Senhor, que encaminha os nos- PR: Deus todo-poderoso tenha com-
sos corações para o amor de Deus e a paixão de nós, perdoe os nossos pe-
constância de Cristo, esteja convosco. cados e nos conduza à vida eterna.
AS: Bendito seja Deus, que nos AS: Amém.
reuniu no amor de Cristo. PR: Senhor, tende piedade de nós.
OU AS: Senhor, tende piedade de nós.
PR: O Senhor esteja convosco. PR: Cristo, tende piedade de nós.
AS: Ele está no meio de nós. AS: Cristo, tende piedade de nós.
2 – ATO PENITENCIAL PR: Senhor, tende piedade de nós.
Fórmula 1 AS: Senhor, tende piedade de nós.
PR: Irmãos e irmãs, reconheçamos as Fórmula 2
nossas culpas para celebrarmos digna-
PR: No início desta celebração eucarís-
mente os santos mistérios (pausa).
tica, peçamos a conversão do coração,
OU fonte de reconciliação e comunhão com
PR: O Senhor Jesus, que nos convida à Deus e com os irmãos e irmãs (pausa).
mesa da Palavra e da Eucaristia, nos cha- OU
ma à conversão. Reconheçamos ser pe-
PR: De coração contrito e humilde,
cadores e invoquemos com confiança
aproximemo-nos do Deus justo e san-
a misericórdia do Pai (pausa).
to, para que tenha piedade de nós,
OU (aos domingos) pecadores (pausa).
PR: No dia em que celebramos a vitória PR: Tende compaixão de nós, Senhor.
de Cristo sobre o pecado e a morte, tam-
AS: Porque somos pecadores.
bém nós somos convidados a morrer
para o pecado e ressurgir para uma PR: Manifestai, Senhor, a vossa mise-
vida nova. Reconheçamo-nos neces- ricórdia.
sitados da misericórdia do Pai (pausa). AS: E dai-nos a vossa salvação.

3
PR: Deus todo-poderoso tenha com- aproximar do vosso altar, tende pie-
paixão de nós, perdoe os nossos pe- dade de nós.
cados e nos conduza à vida eterna. AS: Senhor, tende piedade de nós.
AS: Amém. PR: Cristo, que na cruz destes o perdão
PR: Senhor, tende piedade de nós. aos pecadores, tende piedade de nós.
AS: Senhor, tende piedade de nós. AS: Cristo, tende piedade de nós.
PR: Cristo, tende piedade de nós. PR: Senhor, que confiastes à vossa
AS: Cristo, tende piedade de nós. Igreja o ministério da reconciliação,
tende piedade de nós.
PR: Senhor, tende piedade de nós.
AS: Senhor, tende piedade de nós.
AS: Senhor, tende piedade de nós.
PR: Deus todo-poderoso tenha com-
Fórmula 3
paixão de nós, perdoe os nossos pe-
PR: Em Jesus Cristo, o justo, que inter- cados e nos conduza à vida eterna.
cede por nós e nos reconcilia com o
AS: Amém.
Pai, abramos o nosso espírito ao arre-
pendimento para sermos menos in- OU
dignos de aproximar-nos da mesa do PR: Senhor, que na água e no Espírito
Senhor (pausa). nos regenerastes à vossa imagem, ten-
OU de piedade de nós.
PR: O Senhor disse: “Quem dentre vós AS: Senhor, tende piedade de nós.
estiver sem pecado atire a primeira PR: Cristo, que enviais o vosso Espírito
pedra”. Reconheçamo-nos todos pe- para criar em nós um coração novo,
cadores e perdoemo-nos mutuamente tende piedade de nós.
do fundo do coração (pausa). AS: Cristo, tende piedade de nós.
PR: Senhor, que viestes salvar os co- PR: Senhor, que nos tornastes parti-
rações arrependidos, tende piedade cipantes do vosso Corpo e do vosso
de nós. Sangue, tende piedade de nós.
AS: Senhor, tende piedade de nós. AS: Senhor, tende piedade de nós.
PR: Cristo, que viestes chamar os peca- PR: Deus todo-poderoso tenha com-
dores, tende piedade de nós. paixão de nós, perdoe os nossos pe-
AS: Cristo, tende piedade de nós. cados e nos conduza à vida eterna.
PR: Senhor, que intercedeis por nós AS: Amém.
junto do Pai, tende piedade de nós. OU
AS: Senhor, tende piedade de nós. PR: Senhor, que fazeis passar da morte
PR: Deus todo-poderoso tenha com- para a vida quem ouve a vossa Palavra,
paixão de nós, perdoe os nossos pe- tende piedade de nós.
cados e nos conduza à vida eterna. AS: Senhor, tende piedade de nós.
AS: Amém. PR: Cristo, que quisestes ser levantado
OU (tempo da Quaresma) da terra para atrair-nos a vós, tende
PR: Senhor, que nos mandastes per- piedade de nós.
doar-nos mutuamente antes de nos AS: Cristo, tende piedade de nós.

4
PR: Senhor, que nos submeteis ao jul- ramos, nós vos glorificamos, nós
gamento da vossa cruz, tende piedade vos damos graças por vossa imensa
de nós. glória. Senhor Jesus Cristo, Filho
AS: Senhor, tende piedade de nós. unigênito, Senhor Deus, Cordeiro
de Deus, Filho de Deus Pai. Vós que
PR: Deus todo-poderoso tenha com-
tirais o pecado do mundo, tende pie-
paixão de nós, perdoe os nossos pe-
dade de nós. Vós que tirais o pecado
cados e nos conduza à vida eterna.
do mundo, acolhei a nossa súplica.
AS: Amém. Vós que estais à direita do Pai, tende
3 – GLÓRIA piedade de nós. Só vós sois o Santo,
só vós, o Senhor, só vós, o Altíssimo,
AS: Glória a Deus nas alturas, e paz
Jesus Cristo, com o Espírito Santo, na
na terra aos homens por ele amados.
glória de Deus Pai. Amém.
Senhor Deus, rei dos céus, Deus Pai
todo-poderoso: nós vos louvamos, 4 – ORAÇÃO DO DIA
nós vos bendizemos, nós vos ado- (própria do dia)

LITURGIA DA PALAVRA

5 – LEITURA(S) AS: Creio em um só Deus, Pai todo-


(próprias do dia) -poderoso, criador do céu e da terra,
6 – EVANGELHO de todas as coisas visíveis e invisí-
(próprio do dia) veis. Creio em um só Senhor, Jesus
Cristo, Filho unigênito de Deus, nas-
7 – PROFISSÃO DE FÉ cido do Pai antes de todos os sécu-
Símbolo apostólico: los: Deus de Deus, luz da luz, Deus
AS: Creio em Deus Pai todo-pode- verdadeiro de Deus verdadeiro, ge-
roso, criador do céu e da terra. E em rado, não criado, consubstancial ao
Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Pai. Por ele todas as coisas foram
Senhor, que foi concebido pelo po- feitas. E por nós, homens, e para
der do Espírito Santo; nasceu da nossa salvação, desceu dos céus: e
Virgem Maria; padeceu sob Pôncio se encarnou, pelo Espírito Santo, no
Pilatos, foi crucificado, morto e se- seio da Virgem Maria e se fez ho-
pultado. Desceu à mansão dos mor- mem. Também por nós foi crucifica-
tos; ressuscitou ao terceiro dia, su- do sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi
biu aos céus; está sentado à direita sepultado. Ressuscitou ao terceiro
de Deus Pai todo-poderoso, donde dia, conforme as Escrituras, e subiu
há de vir a julgar os vivos e os mor- aos céus, onde está sentado à direi-
tos. Creio no Espírito Santo; na santa ta do Pai. E de novo há de vir, em
Igreja católica; na comunhão dos sua glória, para julgar os vivos e os
santos; na remissão dos pecados; mortos; e o seu reino não terá fim.
na ressurreição da carne; na vida Creio no Espírito Santo, Senhor que
eterna. Amém. dá a vida e procede do Pai e do Filho;
Símbolo niceno-constantinopolitano: e com o Pai e o Filho é adorado e glori-

5
ficado: ele que falou pelos profetas. para remissão dos pecados. E espe-
Creio na Igreja, una, santa, católica e ro a ressurreição dos mortos e a vi-
apostólica. Professo um só batismo da do mundo que há de vir. Amém.

LITURGIA EUCARÍSTICA

8 – PREPARAÇÃO DAS OFERENDAS 10 – ORAÇÃO EUCARÍSTICA


PR: Bendito sejais, Senhor, Deus do PR: O Senhor esteja convosco!
universo, pelo pão que recebemos de AS: Ele está no meio de nós.
vossa bondade, fruto da terra e do tra-
balho humano, que agora vos apre- PR: Corações ao alto!
sentamos e para nós se vai tornar pão AS: O nosso coração está em Deus.
da vida. PR: Demos graças ao Senhor, nosso
AS: Bendito seja Deus Deus!
para sempre. AS: É nosso dever e nossa salvação.
Pelo mistério desta água e deste vinho, No fim do prefácio:
possamos participar da divindade do AS: Santo, santo, santo, Senhor, Deus
vosso Filho, que se dignou assumir a do universo! O céu e a terra procla-
nossa humanidade. mam a vossa glória. Hosana nas al-
PR: Bendito sejais, Senhor, Deus do turas! Bendito o que vem em nome
universo, pelo vinho que recebemos do Senhor! Hosana nas alturas!
de vossa bondade, fruto da videira e
do trabalho humano, que agora vos Prefácio de Maria II (a Igreja, com
apresentamos e para nós se vai tornar as palavras de Maria, entoa lou-
vinho da salvação. vores a Deus): Na verdade, é justo e
AS: Bendito seja Deus necessário, é nosso dever e salvação
para sempre. dar-vos graças, sempre e em todo lugar,
De coração contrito e humilde, sejamos, proclamando as vossas maravilhas na
Senhor, acolhidos por vós; e seja o nosso perfeição de todos os santos. Celebran-
sacrifício de tal modo oferecido, que vos do a memória da Virgem Maria, procla-
agrade, Senhor, nosso Deus. mamos ainda mais a vossa bondade,
Lavai-me, Senhor, de minhas faltas e inspirando-nos no mesmo hino que ela
purificai-me de meus pecados. cantou em vosso louvor. Na verdade,
PR: Orai, irmãos e irmãs, para que o fizestes grandes coisas por toda a terra
nosso sacrifício seja aceito por Deus e estendestes a vossa misericórdia a
Pai todo-poderoso. todas as gerações quando, olhando a
humildade de vossa serva, nos destes,
AS: Receba o Senhor por tuas mãos
por ela, o salvador da humanidade,
este sacrifício, para glória do seu
vosso Filho, Jesus Cristo, Senhor nos-
nome, para nosso bem e de toda a
so. Por ele, a multidão dos anjos e dos
santa Igreja.
santos se alegra eternamente na vossa
9 – SOBRE AS OFERENDAS presença, cantando (dizendo) conosco
(própria do dia) a uma só voz...

6
Prefácio dos mortos I (a esperança dade, o coração dos vossos filhos e fi-
da ressurreição em Cristo): Na ver- lhas, instituístes este tempo de graça
dade, é justo e necessário, é nosso de- e salvação. Libertando-nos do egoís-
ver e salvação dar-vos graças, sempre e mo e das outras paixões desordena-
em todo lugar, Senhor, Pai santo, Deus das, superamos o apego às coisas da
eterno e todo-poderoso, por Cristo, terra. E, enquanto esperamos a ple-
Senhor nosso. Nele brilhou para nós a nitude eterna, proclamamos a vossa
esperança da feliz ressurreição. E, aos glória, cantando (dizendo) a uma só
que a certeza da morte entristece, a voz...
promessa da imortalidade consola.
Senhor, para os que creem em vós, a Prefácio da Quaresma III (os frutos
vida não é tirada, mas transformada. da abstinência): Na verdade, é justo
E, desfeito o nosso corpo mortal, nos e necessário, é nosso dever e salvação
é dado, nos céus, um corpo imperecí- dar-vos graças, sempre e em todo
vel. E, enquanto esperamos a realiza- lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno
ção de vossas promessas, com os an- e todo-poderoso, por Cristo, Senhor
jos e com todos os santos, nós vos acla- nosso. Vós acolheis nossa penitência
mamos, cantando (dizendo) a uma só como oferenda à vossa glória. O jejum
voz... e a abstinência que praticamos, que-
brando nosso orgulho, nos convidam
Prefácio da Quaresma I (sentido a imitar vossa misericórdia, repartindo
espiritual da Quaresma): Na verdade, o pão com os necessitados. Unidos à
é justo e necessário, é nosso dever e multidão dos anjos e dos santos, nós
salvação dar-vos graças, sempre e em vos aclamamos, cantando (dizendo) a
todo lugar, Senhor, Pai santo, Deus uma só voz...
eterno e todo-poderoso, por Cristo,
Senhor nosso. Vós concedeis aos cris- Prefácio da Quaresma IV (os fru-
tãos esperar com alegria, cada ano, a tos do jejum): Na verdade, é justo e
festa da Páscoa. De coração purifica- necessário, é nosso dever e salvação
do, entregues à oração e à prática do dar-vos graças, sempre e em todo lugar,
amor fraterno, preparamo-nos para Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-
celebrar os mistérios pascais, que nos-poderoso. Pela penitência da Qua-
deram vida nova e nos tornaram filhas resma, corrigis nossos vícios, elevais
nossos sentimentos, fortificais nosso
e filhos vossos. Por essa razão, agora e
sempre, nós nos unimos aos anjos e a espírito fraterno e nos garantis uma
todos os santos, cantando (dizendo) a eterna recompensa, por Cristo, Senhor
uma só voz... nosso. Por ele, os anjos celebram vossa
grandeza e os santos proclamam vossa
Prefácio da Quaresma II (Quaresma, glória. Concedei-nos também a nós
tempo de conversão): Na verdade, associar-nos a seus louvores, cantando
é justo e necessário, é nosso dever e (dizendo) a uma só voz...
salvação dar-vos graças, sempre e em
todo lugar, Senhor, Pai santo, Deus Prefácio da paixão I (o poder da
eterno e todo-poderoso, por Cristo, cruz): Na verdade, é justo e necessá-
Senhor nosso. Para renovar, na santi- rio, é nosso dever e salvação dar-vos

7
graças, sempre e em todo lugar, Se- radiante da cruz, vemos com clareza o
nhor, Pai santo, Deus eterno e todo- julgamento do mundo e a vitória de
-poderoso. O universo inteiro, salvo Jesus crucificado. Por ele, com os anjos
pela paixão de vosso Filho, pode pro- e todos os santos, nós vos louvamos,
clamar a vossa misericórdia. Pelo poder cantando (dizendo) a uma só voz...

ORAÇÃO EUCARÍSTICA I
(Missal, página 469)
PR: Pai de misericórdia, a quem sobem Pedro e Paulo, André e todos os vos-
nossos louvores, nós vos pedimos por sos santos. Por seus méritos e preces,
Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nos- concedei-nos sem cessar a vossa pro-
so, que abençoeis @ estas oferendas teção.
apresentadas ao vosso altar. AS: Em comunhão com toda
AS: Abençoai nossa oferenda, a Igreja, aqui estamos!
ó Senhor! PR: Recebei, ó Pai, com bondade, a
PR: Nós as oferecemos pela vossa Igreja oferenda dos vossos servos e de to-
santa e católica: concedei-lhe paz e da a vossa família; dai-nos sempre a
proteção, unindo-a num só corpo e vossa paz, livrai-nos da condenação
governando-a por toda a terra. Nós e acolhei-nos entre os vossos eleitos.
as oferecemos também pelo vosso Estendendo as mãos sobre as oferendas:
servo o papa (...), por nosso bispo (...) PR: Dignai-vos, ó Pai, aceitar e santi-
e por todos os que guardam a fé que ficar estas oferendas, a fim de que se
receberam dos apóstolos. tornem para nós o Corpo e o Sangue
AS: Conservai a vossa Igreja de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor
sempre unida! nosso.
PR: Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos fi- AS: Santificai nossa oferenda,
lhos e filhas (...) e de todos os que cir- ó Senhor!
cundam este altar, dos quais conhe- PR: Na noite em que ia ser entregue, ele
ceis a fidelidade e a dedicação em vos tomou o pão em suas mãos, elevou os
servir. Eles vos oferecem conosco este olhos a vós, ó Pai, deu graças e o partiu
sacrifício de louvor por si e por todos e deu a seus discípulos, dizendo:
os seus e elevam a vós as suas preces TOMAI, TODOS, E COMEI:
para alcançar o perdão de suas faltas, ISTO É O MEU CORPO,
a segurança em suas vidas e a salvação QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS.
que esperam. Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele to-
AS: Lembrai-vos, ó Pai, mou o cálice em suas mãos, deu graças
de vossos filhos! novamente e o deu a seus discípulos,
PR: Em comunhão com toda a Igreja, dizendo:
veneramos a sempre Virgem Maria, TOMAI, TODOS, E BEBEI:
mãe de nosso Deus e Senhor, Jesus ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE,
Cristo; e também são José, esposo de O SANGUE DA NOVA E ETERNA
Maria, os santos apóstolos e mártires: ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO

8
POR VÓS E POR TODOS quisedeque. Nós vos suplicamos que
PARA REMISSÃO DOS PECADOS. ela seja levada à vossa presença, para
FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM. que, ao participarmos deste altar, re-
Eis o mistério da fé! cebendo o Corpo e o Sangue de vosso
Filho, sejamos repletos de todas as gra-
AS: Anunciamos, Senhor, a vossa ças e bênçãos do céu.
morte e proclamamos a vossa res-
surreição. Vinde, Senhor Jesus! AS: Recebei, ó Senhor,
a nossa oferta!
OU
PR: Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos fi-
AS: Todas as vezes que comemos lhos e filhas (...) que partiram desta vida,
deste pão e bebemos deste cálice, marcados com o sinal da fé. A eles e a
anunciamos, Senhor, a vossa morte, todos os que adormeceram no Cristo
enquanto esperamos a vossa vinda! concedei a felicidade, a luz e a paz.
OU AS: Lembrai-vos, ó Pai,
AS: Salvador do mundo, salvai-nos, dos vossos filhos!
vós que nos libertastes pela cruz e PR: E a todos nós, pecadores, que con-
ressurreição! fiamos na vossa imensa misericórdia,
PR: Celebrando, pois, a memória da concedei, não por nossos méritos, mas
paixão do vosso Filho, da sua ressur- por vossa bondade, o convívio dos
reição dentre os mortos e gloriosa as- apóstolos e mártires: João Batista e
censão aos céus, nós, vossos servos e Estêvão, Matias e Barnabé e todos os
também vosso povo santo, vos ofere- vossos santos. Por Cristo, Senhor nosso.
cemos, ó Pai, dentre os bens que nos AS: Concedei-nos o convívio
destes, o sacrifício perfeito e santo, dos eleitos!
pão da vida eterna e cálice da salvação.
PR: Por ele não cessais de criar e santi-
AS: Recebei, ó Senhor, ficar estes bens e distribuí-los entre nós.
a nossa oferta! Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós,
PR: Recebei, ó Pai, esta oferenda, co- Deus Pai todo-poderoso, na unidade do
mo recebestes a oferta de Abel, o sa- Espírito Santo, toda a honra e toda a gló-
crifício de Abraão e os dons de Mel- ria, agora e para sempre. AS: Amém.

ORAÇÃO EUCARÍSTICA II
(Missal, página 477)
PR: Na verdade, é justo e necessário, é para cumprir a vossa vontade e reunir
nosso dever e salvação dar-vos graças, um povo santo em vosso louvor, esten-
sempre e em todo lugar, Senhor, Pai deu os braços na hora da sua paixão a
santo, Deus eterno e todo-poderoso, fim de vencer a morte e manifestar a
por Cristo, Senhor nosso. Ele é a vossa ressurreição. Por ele os anjos celebram
palavra viva, pela qual tudo criastes. vossa grandeza e os santos proclamam
Ele é o nosso salvador e redentor, ver- vossa glória. Concedei-nos também a
dadeiro homem, concebido do Espírito nós associar-nos a seus louvores, can-
Santo e nascido da Virgem Maria. Ele, tando (dizendo) a uma só voz:

9
AS: Santo, santo, santo... vos oferecemos, ó Pai, o pão da vida e o
PR: Na verdade, ó Pai, vós sois santo cálice da salvação; e vos agradecemos
e fonte de toda santidade. Santificai, porque nos tornastes dignos de estar
pois, estas oferendas, derramando aqui na vossa presença e vos servir.
sobre elas o vosso Espírito, a fim de AS: Recebei, ó Senhor,
que se tornem para nós o Corpo e @ o a nossa oferta!
Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e PR: E nós vos suplicamos que, partici-
Senhor nosso. pando do Corpo e Sangue de Cristo,
AS: Santificai nossa oferenda, sejamos reunidos pelo Espírito Santo
ó Senhor! num só corpo.
PR: Estando para ser entregue e abra- AS: Fazei de nós um só corpo
çando livremente a paixão, ele tomou e um só espírito!
o pão, deu graças e o partiu e deu a
PR: Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja
seus discípulos, dizendo:
que se faz presente pelo mundo inteiro:
TOMAI, TODOS, E COMEI: que ela cresça na caridade, com o papa
ISTO É O MEU CORPO, (...), com o nosso bispo (...) e todos os
QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS. ministros do vosso povo.
Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele
AS: Lembrai-vos, ó Pai,
tomou o cálice em suas mãos, deu
da vossa Igreja!
graças novamente e o deu a seus dis-
cípulos, dizendo: Nas missas pelos fiéis defuntos:
TOMAI, TODOS, E BEBEI: PR: Lembrai-vos do(s) vosso(s) filho(s)
ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, (da/s vossa/s filha/s) N., que (hoje)
O SANGUE DA NOVA E ETERNA chamastes deste mundo à vossa pre-
ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO sença. Concedei-lhe(s) que, tendo
POR VÓS E POR TODOS participado da morte de Cristo pelo
PARA REMISSÃO DOS PECADOS. batismo, participe(m) igualmente da
FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM. sua ressurreição.
Eis o mistério da fé!
AS: Concedei-lhe(s) contemplar
AS: Anunciamos, Senhor, a vossa a vossa face!
morte e proclamamos a vossa res-
surreição. Vinde, Senhor Jesus! PR: Lembrai-vos também dos (outros)
OU nossos irmãos e irmãs que morreram
AS: Todas as vezes que comemos na esperança da ressurreição e de to-
deste pão e bebemos deste cálice, dos os que partiram desta vida: aco-
anunciamos, Senhor, a vossa morte, lhei-os junto a vós na luz da vossa face.
enquanto esperamos a vossa vinda! AS: Lembrai-vos, ó Pai,
OU dos vossos filhos!
AS: Salvador do mundo, salvai-nos, PR: Enfim, nós vos pedimos, tende pie-
vós que nos libertastes pela cruz e dade de todos nós e dai-nos participar
ressurreição! da vida eterna, com a Virgem Maria,
PR: Celebrando, pois, a memória da mãe de Deus, com são José, seu esposo,
morte e ressurreição do vosso Filho, nós com os santos apóstolos e todos os

10
que neste mundo vos serviram, a fim PR: Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a
de vos louvarmos e glorificarmos por vós, Deus Pai todo-poderoso, na uni-
Jesus Cristo, vosso Filho. dade do Espírito Santo, toda a honra
AS: Concedei-nos o convívio e toda a glória, agora e para sempre.
dos eleitos! AS: Amém.

ORAÇÃO EUCARÍSTICA III


(Missal, página 482)
PR: Na verdade, vós sois santo, ó Deus PARA REMISSÃO DOS PECADOS.
do universo, e tudo o que criastes pro- FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM.
clama o vosso louvor, porque, por Jesus Eis o mistério da fé!
Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, e AS: Anunciamos, Senhor, a vossa
pela força do Espírito Santo, dais vida morte e proclamamos a vossa res-
e santidade a todas as coisas e não surreição. Vinde, Senhor Jesus!
cessais de reunir o vosso povo, para que
OU
vos ofereça em toda parte, do nascer
ao pôr do sol, um sacrifício perfeito. AS: Todas as vezes que comemos
deste pão e bebemos deste cálice,
AS: Santificai e reuni o vosso povo!
anunciamos, Senhor, a vossa morte,
PR: Por isso, nós vos suplicamos: san- enquanto esperamos a vossa vinda!
tificai pelo Espírito Santo as oferendas
OU
que vos apresentamos para serem con-
AS: Salvador do mundo, salvai-nos,
sagradas, a fim de que se tornem o Cor-
vós que nos libertastes pela cruz e
po e @ o Sangue de Jesus Cristo, vosso
ressurreição!
Filho e Senhor nosso, que nos mandou
celebrar este mistério. PR: Celebrando agora, ó Pai, a memória
do vosso Filho, da sua paixão que nos
AS: Santificai nossa oferenda,
salva, da sua gloriosa ressurreição e
ó Senhor!
da sua ascensão ao céu, e enquanto
PR: Na noite em que ia ser entregue, esperamos a sua nova vinda, nós vos
ele tomou o pão, deu graças e o partiu oferecemos em ação de graças este
e deu a seus discípulos, dizendo: sacrifício de vida e santidade.
TOMAI, TODOS, E COMEI: AS: Recebei, ó Senhor,
ISTO É O MEU CORPO, a nossa oferta!
QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS. PR: Olhai com bondade a oferenda da
Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele vossa Igreja, reconhecei o sacrifício que
tomou o cálice em suas mãos, deu gra- nos reconcilia convosco e concedei
ças novamente e o deu a seus discípu- que, alimentando-nos com o Corpo e o
los, dizendo: Sangue do vosso Filho, sejamos reple-
TOMAI, TODOS, E BEBEI: tos do Espírito Santo e nos tornemos
ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, em Cristo um só corpo e um só espí-
O SANGUE DA NOVA E ETERNA rito.
ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO AS: Fazei de nós um só corpo
POR VÓS E POR TODOS e um só espírito!

11
PR: Que ele faça de nós uma oferenda PR: Atendei às preces da vossa família,
perfeita para alcançarmos a vida eterna que está aqui na vossa presença. Reuni
com os vossos santos: a Virgem Maria, em vós, Pai de misericórdia, todos os
mãe de Deus, são José, seu esposo, os vossos filhos e filhas dispersos pelo
vossos apóstolos e mártires e todos os mundo inteiro.
santos, que não cessam de interceder AS: Lembrai-vos, ó Pai,
por nós na vossa presença. dos vossos filhos!
AS: Fazei de nós uma PR: Acolhei com bondade no vosso
perfeita oferenda! reino os nossos irmãos e irmãs que
partiram desta vida e todos os que
PR: E agora, nós vos suplicamos, ó morreram na vossa amizade. Unidos
Pai, que este sacrifício da nossa recon- a eles, esperamos também nós saciar-
ciliação estenda a paz e a salvação ao -nos eternamente da vossa glória, por
mundo inteiro. Confirmai na fé e na Cristo, Senhor nosso.
caridade a vossa Igreja, enquanto ca- AS: A todos saciai com vossa glória!
minha neste mundo: o vosso servo o
PR: Por ele dais ao mundo todo bem e
papa (...), o nosso bispo (...), com os
toda graça.
bispos do mundo inteiro, o clero e todo
Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós,
o povo que conquistastes. Deus Pai todo-poderoso, na unidade
AS: Lembrai-vos, ó Pai, do Espírito Santo, toda a honra e toda a
da vossa Igreja! glória, agora e para sempre. AS: Amém.

ORAÇÃO EUCARÍSTICA VII


(Sobre reconciliação 1 – Missal, página 866)
PR: Na verdade, é justo e bom agrade- Fazei que, sempre mais dócil ao Espírito
cer-vos, Deus Pai, porque constante- Santo, se coloque ao serviço de todos.
mente nos chamais a viver na felicidade AS: Como é grande, ó Pai,
completa. Vós, Deus de ternura e de a vossa misericórdia!
bondade, nunca vos cansais de per- PR: Cheios de admiração e reconhe-
doar. Ofereceis vosso perdão a todos, cimento, unimos nossa voz à voz das
convidando os pecadores a entregar-se multidões do céu para cantar o poder de
confiantes à vossa misericórdia. vosso amor e a alegria da nossa salvação:
AS: Como é grande, ó Pai, AS: Santo, santo, santo...
a vossa misericórdia!
PR: Ó Deus, desde a criação do mundo,
PR: Jamais nos rejeitastes quando fazeis o bem a cada um de nós para
quebramos a vossa aliança, mas, por sermos santos como vós sois santo.
Jesus, vosso Filho e nosso irmão, crias- Olhai vosso povo aqui reunido e derra-
tes com a família humana novo laço de mai a força do Espírito, para que estas
amizade, tão estreito e forte, que nada oferendas se tornem o Corpo @ e o
poderá romper. Concedeis agora a vos- Sangue do Filho muito amado, no qual
so povo tempo de graça e reconcilia- também somos vossos filhos. Enquan-
ção. Dai, pois, em Cristo, novo alento à to estávamos perdidos e incapazes
vossa Igreja, para que se volte para vós. de vos encontrar, vós nos amastes de

12
modo admirável, pois vosso Filho – o participar no único sacrifício do Cristo.
justo e santo – entregou-se em nossas Pela força do Espírito Santo, todos se
mãos, aceitando ser pregado na cruz. tornem um só corpo bem unido, no
AS: Como é grande, ó Pai, qual todas as divisões sejam superadas.
a vossa misericórdia! AS: Esperamos, ó Cristo,
PR: Antes, porém, de seus braços aber- vossa vinda gloriosa!
tos traçarem entre o céu e a terra o si- PR: Conservai-nos, em comunhão de fé
nal permanente da vossa aliança, Je- e amor, unidos ao papa (...) e ao nosso
sus quis celebrar a Páscoa com seus bispo (...). Ajudai-nos a trabalhar juntos
discípulos. Ceando com eles, tomou o na construção do vosso reino, até o dia
pão e pronunciou a bênção de ação de em que, diante de vós, formos santos
graças. Depois, partindo o pão, o deu com os vossos santos, ao lado da Vir-
a seus amigos, dizendo: gem Maria, de são José, seu esposo,
TOMAI, TODOS, E COMEI: e dos apóstolos, com nossos irmãos
ISTO É O MEU CORPO, e irmãs já falecidos que confiamos à
QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS. vossa misericórdia. Quando fizermos
Ao fim da ceia, Jesus, sabendo que ia parte da nova criação, enfim libertada
reconciliar todas as coisas pelo sangue de toda maldade e fraqueza, podere-
a ser derramado na cruz, tomou o cálice mos cantar a ação de graças do Cristo
com vinho. Deu graças novamente e que vive para sempre.
passou o cálice a seus amigos, dizendo: AS: Esperamos, ó Cristo,
TOMAI, TODOS, E BEBEI: vossa vinda gloriosa!
ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, PR: Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a
O SANGUE DA NOVA E ETERNA vós, Deus Pai todo-poderoso, na unida-
ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO de do Espírito Santo, toda a honra e to-
POR VÓS E POR TODOS da a glória, agora e para sempre.
PARA REMISSÃO DOS PECADOS. AS: Amém.
FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM.
Eis o mistério da fé! 11 – RITO DA COMUNHÃO
AS: Anunciamos, Senhor, a vossa PR: Rezemos, com amor e confiança, a
morte e proclamamos a vossa res- oração que o Senhor Jesus nos ensinou:
surreição. Vinde, Senhor Jesus! AS: Pai nosso que estais nos céus...
PR: Lembramo-nos de Jesus Cristo, PR: Livrai-nos de todos os males, ó
nossa Páscoa e certeza da paz defini- Pai, e dai-nos hoje a vossa paz. Ajuda-
tiva. Hoje celebramos sua morte e res- dos pela vossa misericórdia, sejamos
surreição, esperando o dia feliz de sua sempre livres do pecado e protegidos
vinda gloriosa. Por isso vos apresenta- de todos os perigos, enquanto, vivendo
mos, ó Deus fiel, a vítima de reconci- a esperança, aguardamos a vinda do
liação que nos faz voltar à vossa graça. Cristo salvador.
AS: Esperamos, ó Cristo, AS: Vosso é o reino, o poder
vossa vinda gloriosa! e a glória para sempre!
PR: Olhai com amor, Pai misericordioso, PR: Senhor Jesus Cristo, dissestes aos
aqueles que atraís para vós, fazendo-os vossos apóstolos: “Eu vos deixo a paz,

13
eu vos dou a minha paz”. Não olheis os tornem causa de juízo e condenação;
nossos pecados, mas a fé que anima mas, por vossa bondade, sejam sustento
vossa Igreja; dai-lhe, segundo o vosso e remédio para minha vida.
desejo, a paz e a unidade. Vós, que sois PR: Eu sou a luz do mundo; quem me
Deus, com o Pai e o Espírito Santo. segue não andará nas trevas, mas terá
AS: Amém. a luz da vida. Eis o Cordeiro de Deus,
PR: A paz do Senhor esteja sempre que tira o pecado do mundo.
convosco. AS: Senhor, eu não sou digno(a) de
AS: O amor de Cristo nos uniu. que entreis em minha morada, mas
PR: Irmãos e irmãs, saudai-vos em Cristo dizei uma palavra e serei salvo(a).
Jesus. Todos se cumprimentam. Que o Corpo de Cristo me guarde para a
Esta união do Corpo e do Sangue de Je- vida eterna. Que o Sangue de Cristo me
sus, o Cristo e Senhor nosso, que vamos guarde para a vida eterna.
receber, nos sirva para a vida eterna. Depois da comunhão, o padre reza:

AS: Cordeiro de Deus, que tirais o Fazei, Senhor, que conservemos num
pecado do mundo, tende piedade de coração puro o que nossa boca recebeu.
nós (2x). Cordeiro de Deus, que tirais E que esta dádiva temporal se transforme
o pecado do mundo, dai-nos a paz. para nós em remédio eterno.
Senhor Jesus Cristo, o vosso Corpo e o 12 – DEPOIS DA COMUNHÃO
vosso Sangue, que vou receber, não se (própria do dia)

RITOS FINAIS

13 – BÊNÇÃO FINAL PR: O Senhor Jesus Cristo, modelo de


PR: O Senhor esteja convosco. oração e de vida, vos guie nesta cami-
AS: Ele está no meio de nós. nhada quaresmal a uma verdadeira
conversão. AS: Amém.
PR: Abençoe-vos Deus todo-poderoso,
Pai e Filho @ e Espírito Santo. PR: O Espírito de sabedoria e fortaleza
AS: Amém. vos sustente na luta contra o mal, para
poderdes com Cristo celebrar a vitória
PR: Ide em paz, e o Senhor vos acom-
da Páscoa. AS: Amém.
panhe. AS: Graças a Deus.
OU PR: Abençoe-vos Deus todo-poderoso,
Pai e Filho @ e Espírito Santo.
PR: Deus, Pai de misericórdia, conceda
a todos vós, como concedeu ao filho AS: Amém.
pródigo, a alegria do retorno à casa. PR: Ide em paz, e o Senhor vos acom-
AS: Amém. panhe. AS: Graças a Deus.

Os dados corretos da fotografia publicada na capa da LITURGIA DIÁRIA de


janeiro são os seguintes: Paróquia Santo Amaro de Ipitanga / Lauro de Frei-
tas - BA / Inauguração: 15 de janeiro de 1608 / Pároco: Pe. Juraci Gomes de
Oliveira / Fotógrafa: Solange Galvão de Albuquerque Melo.

14
II – LITURGIA DE MARÇO

DIA 1º – DOMINGO
1º DA QUARESMA
(roxo, creio, prefácio próprio – 1ª semana do saltério)

Lembretes e sugestões para a Quaresma: 1) Não se reza o glória (exceto quando previsto) nem
se canta o aleluia. 2) O espaço celebrativo seja sóbrio e despojado. 3) Valorizar a cruz; intensificar
a caridade, a oração e o jejum. 4) Onde se faz o “caminho catecumenal”, neste primeiro domingo
há a inscrição dos candidatos aceitos para o batismo.

RITOS INICIAIS
Antífona da entrada: Quando meu servo
chamar, hei de atendê-lo, estarei com ele na
tribulação. Hei de livrá-lo e glorificá-lo e lhe
darei longos dias (Sl 90,15s).
Em comunhão com o projeto de Jesus, va-
mos nos alimentar com o pão da Palavra
e da Eucaristia, para podermos superar to-
da tentação e evitar o pecado, que nos
afasta de Deus e nos leva por caminhos de morte. Conduzidos pelo Espírito,
celebramos em louvor daquele que venceu as tentações e nos garantiu o dom
da graça e da vida sem fim.

Oração do dia do pó da terra, soprou-lhe nas


Concedei-nos, ó Deus onipo- narinas o sopro da vida e o ho-
tente, que, ao longo desta Qua- mem tornou-se um ser vivente.
resma, possamos progredir no 8
Depois, o Senhor Deus plantou
conhecimento de Jesus Cristo um jardim em Éden, ao oriente,
e corresponder a seu amor por e ali pôs o homem que havia
uma vida santa. Por nosso Se- formado. 9E o Senhor Deus fez
nhor Jesus Cristo, vosso Filho, na brotar da terra toda sorte de ár-
unidade do Espírito Santo. vores de aspecto atraente e de
LITURGIA DA PALAVRA fruto saboroso ao paladar, a ár-
A história da humanidade se move en-
vore da vida no meio do jardim
tre o projeto de Deus e as seduções do e a árvore do conhecimento do
pecado. A obediência à Palavra forma bem e do mal. 3,1A serpente era o
em nós um espírito decidido a superar mais astuto de todos os animais
as forças do mal.
dos campos que o Senhor Deus
I leitura (Gênesis 2,7-9; 3,1-7) tinha feito. Ela disse à mulher:
Leitura do livro do Gênesis – 7O “É verdade que Deus vos disse:
Senhor Deus formou o homem ‘Não comereis de nenhuma das
15 Dia 1º
árvores do jardim’?” 2E a mulher 2. Eu reconheço toda a minha
respondeu à serpente: “Do fruto iniquidade, / o meu pecado es-
das árvores do jardim nós po- tá sempre à minha frente. / Foi
demos comer. 3Mas do fruto da contra vós, só contra vós, que eu
árvore que está no meio do jar- pequei / e pratiquei o que é mau
dim, Deus nos disse: ‘Não comais aos vossos olhos! – R.
dele nem sequer o toqueis, do 3. Criai em mim um coração que
contrário morrereis’”. 4A serpente seja puro, / dai-me de novo um
disse à mulher: “Não, vós não espírito decidido. / Ó Senhor, não
morrereis. 5Mas Deus sabe que, me afasteis de vossa face / nem
no dia em que dele comerdes, retireis de mim o vosso Santo Es-
os vossos olhos se abrirão e vós pírito! – R.
sereis como Deus, conhecendo 4. Dai-me de novo a alegria de
o bem e o mal”. 6A mulher viu ser salvo / e confirmai-me com
que seria bom comer da árvore, espírito generoso! / Abri meus
pois era atraente para os olhos lábios, ó Senhor, para cantar, /
e desejável para se alcançar co- e minha boca anunciará vosso
nhecimento. E colheu um fruto, louvor! – R.
comeu e deu também ao marido,
II leitura (Romanos 5,12-19 ou
que estava com ela, e ele comeu.
12.17-19)
7
Então, os olhos dos dois se abri-
[A forma breve está entre colchetes.]
ram; e, vendo que estavam nus,
teceram tangas para si com fo- Leitura da carta de são Paulo aos
lhas de figueira. – Palavra do Se- Romanos – [Irmãos, 12conside-
nhor. remos o seguinte: o pecado en-
trou no mundo por um só ho-
Salmo responsorial 50(51) mem. Através do pecado, entrou
(CD: Cantando os Salmos - Ano A, volume 1,
melodia da faixa 14 – Paulus)
a morte. E a morte passou para
todos os homens, porque todos
Piedade, ó Senhor, tende piedade, pecaram]. 13Na realidade, antes
/ pois pecamos contra vós. de ser dada a lei, já havia pe-
#3 Em
«« «««ˆ «
B7
«« ««ˆ« ««ˆ« «« «« «ˆ«« ««ˆ« ««˙« œ»»
Em Am
& 4 «ˆ«« l «ˆ«« . _««j
==========================
«ˆ ˆ« l ˆ«« . _««j
«ˆ
ˆ« l ˙« l ˆ« l = » l cado no mundo. Mas o pecado
Ref.: Pie - da - de, ó Se - nhor, ten - de pie-da - de,
Am Bb o
pois pe - ca- mos
# « « « «
B7 Em Em
«« «« «
Co B7
«
Em E7
œ» œ» «« « « «
B7
& ˙«« ˆ«« l ˙«« . l ˆ«« Œ ” W ˆ« ˆ« ˆ«« l W »œ»» »œ»» ˆ«« l W »» »» ˆ« l W ˆ«« ˆ«« ˆ««=l l
==========================
não pode ser imputado quando
con -tra vós! (Salmodia) não há lei. 14No entanto, a morte
1. Tende piedade, ó meu Deus, reinou, desde Adão até Moisés,
misericórdia! / Na imensidão de mesmo sobre os que não peca-
vosso amor, purificai-me! / Lavai- ram como Adão – o qual era a
-me todo inteiro do pecado / e figura provisória daquele que
apagai completamente a minha devia vir. 15Mas isso não quer di-
culpa! – R. zer que o dom da graça de Deus
Dia 1º 16
seja comparável à falta de Adão! Proclamação do evangelho de
A transgressão de um só levou a Jesus Cristo segundo Mateus –
multidão humana à morte, mas Naquele tempo, 1o Espírito con-
foi de modo bem superior que duziu Jesus ao deserto, para ser
a graça de Deus, ou seja, o dom tentado pelo diabo. 2Jesus jejuou
gratuito concedido através de durante quarenta dias e quarenta
um só homem, Jesus Cristo, se noites e, depois disso, teve fome.
derramou em abundância sobre 3
Então, o tentador aproximou-se
todos. 16Também, o dom é muito e disse a Jesus: “Se és Filho de
mais eficaz do que o pecado de
Deus, manda que estas pedras se
um só. Pois a partir de um só
transformem em pães!” 4Mas Je-
pecado o julgamento resultou
em condenação, mas o dom da sus respondeu: “Está escrito: ‘Não
graça frutifica em justificação a só de pão vive o homem, mas de
partir de inúmeras faltas. toda palavra que sai da boca de
[17Por um só homem, pela falta Deus’”. 5Então o diabo levou Jesus
de um só homem, a morte come- à cidade santa, colocou-o sobre a
çou a reinar. Muito mais reinarão parte mais alta do templo 6e lhe
na vida, pela mediação de um só, disse: “Se és Filho de Deus, lança-
Jesus Cristo, os que recebem o -te daqui abaixo! Porque está
dom gratuito e superabundante escrito: ‘Deus dará ordens aos
da justiça. 18Como a falta de um seus anjos a teu respeito, e eles
só acarretou condenação para te levarão nas mãos, para que
todos os homens, assim o ato não tropeces em alguma pedra’”.
de justiça de um só trouxe, para 7
Jesus lhe respondeu: “Também
todos os homens, a justificação está escrito: ‘Não tentarás o Se-
que dá a vida. 19Com efeito, co- nhor teu Deus!’” 8Novamente, o
mo, pela desobediência de um diabo levou Jesus para um mon-
só homem, a humanidade toda te muito alto. Mostrou-lhe todos
foi estabelecida numa situação
os reinos do mundo e sua glória
de pecado, assim também, pela
obediência de um só, toda a hu-
9
e lhe disse: “Eu te darei tudo
manidade passará para uma si- isso se te ajoelhares diante de
tuação de justiça.] – Palavra do mim, para me adorar”. 10Jesus lhe
Senhor. disse: “Vai-te embora, satanás,
porque está escrito: ‘Adorarás ao
Evangelho (Mateus 4,1-11) Senhor teu Deus e somente a ele
Louvor e glória a ti, Senhor, Cristo, Pala- prestarás culto’”. 11Então o diabo
vra de Deus.
o deixou. E os anjos se aproxima-
O homem não vive somente de pão, /
mas de toda palavra da boca de Deus ram e serviram a Jesus. – Palavra
(Mt 4,4). – R. da salvação.
17 Dia 1º
Pistas para a reflexão: I leitura: Dois pro-
ver / as necessidades dos nossos irmãos
jetos opostos: o de Deus, que é de harmonia e irmãs, / sobretudo dos mais pobres e
e vida; o da serpente, que é de autossufi- marginalizados.
ciência e morte. II leitura: O contraste entre M: Ensinai-nos a sentir verdadeira com-
Adão, desobediente a Deus e responsável
pelo pecado, e Cristo, obediente ao Pai e res-
paixão, / expressa no cuidado fraterno,
ponsável pela graça e salvação. Evangelho: / próprio de quem reconhece no pró-
Com Jesus e sua palavra, podemos vencer as ximo / o rosto do vosso Filho.
tentações que buscam nos afastar do proje- H: Inspirai-nos palavras e ações / para
to de Deus (cf. também artigo na página 19).
sermos construtores de uma nova so-
Preces da assembleia ciedade, / reconciliada no amor.
AS: Dai-nos a graça de vivermos /
PR: Irmãos e irmãs, por todos nós que,
em comunidades eclesiais missio-
conduzidos pela Palavra e pelo Espíri-
nárias, que, compadecidas, / vejam,
to, nos preparamos para celebrar a Pás-
se aproximem e cuidem daqueles
coa do Senhor, rezemos a Deus, dizen-
que sofrem, / a exemplo de Maria, a
do:
Senhora da Conceição Aparecida, /
AS: Renovai, Senhor, nossa vida. e de santa Dulce dos Pobres, Anjo
1. Protegei, Senhor, a Igreja e cada um Bom do Brasil.
de seus ministros contra a tentação do PR: Por Jesus, o Filho amado, no Espíri-
poder, da glória terrena e da riqueza, to, Senhor que dá a vida. AS: Amém.
nós vos pedimos.
2. Ensinai vossos fiéis a saciar o espírito LITURGIA EUCARÍSTICA
com a Palavra que de vós procede e a
Alimentados e fortalecidos pela Palavra,
alimentar a fé com a Eucaristia, nós vos
adentramos na liturgia eucarística, que
pedimos.
nos prepara para a mesa da Eucaristia.
3. Livrai a sociedade do desenfreado
impulso ao consumismo e do acúmulo Sobre as oferendas
de bens em prejuízo dos valores huma-
nos e cristãos, nós vos pedimos. Fazei, ó Deus, que o nosso cora-
4. Ajudai-nos a trabalhar pela edifi- ção corresponda a estas oferen-
cação da cidade terrena e sustentai das com as quais iniciamos nossa
nossa esperança no advento da cidade caminhada para a Páscoa. Por
celeste, nós vos pedimos. Cristo, nosso Senhor.
5. Animai nossa comunidade, que ini-
cia a caminhada quaresmal, a se prepa- Prefácio: a tentação do Senhor
rar para celebrar com alegria a Páscoa Na verdade, é justo e necessário,
da ressurreição, nós vos pedimos.
Pode haver outras preces da comunidade.
é nosso dever e salvação dar-vos
PR: Concluamos com a oração da Cam- graças, sempre e em todo lugar,
panha da Fraternidade: Senhor, Pai santo, Deus eterno
M (mulheres): Deus, nosso Pai, fonte da e todo-poderoso, por Cristo, Se-
vida e princípio do bem viver, / criastes nhor nosso. Jejuando quarenta
o ser humano e lhe confiastes o mundo dias no deserto, Jesus consagrou
/ como um jardim a ser cultivado com
amor. a observância quaresmal. Desar-
H (homens): Dai-nos um coração aco- mando as ciladas do antigo ini-
lhedor / para assumir a vida como dom migo, ensinou-nos a vencer o fer-
e compromisso. / Abri nossos olhos para mento da maldade. Celebrando
Dia 1º 18
agora o mistério pascal, nós nos centiva a esperança e fortalece
preparamos para a Páscoa defi- a caridade, dai-nos desejar o
nitiva. Enquanto esperamos a Cristo, pão vivo e verdadeiro, e
plenitude eterna, com os anjos e viver de toda palavra que sai de
todos os santos, nós vos aclama- vossa boca. Por Cristo, nosso Se-
mos, cantando (dizendo) a uma nhor.
só voz...
Sugestão: Oração Eucarística II (página 9).
RITOS FINAIS
Eis o objetivo geral da Campanha da Fra-
Antífona da comunhão: Não só de
ternidade deste ano: “Conscientizar, à
pão vive o homem, mas de toda pala-
vra que sai da boca de Deus (Mt 4,4). luz da Palavra de Deus, para o serviço
da vida como dom e compromisso, que
Depois da comunhão se traduz em relações de mútuo cuidado
entre as pessoas, na família, na comuni-
Ó Deus, que nos alimentastes dade, na sociedade e no planeta, nossa
com este pão que nutre a fé, in- Casa Comum”.

AS TENTAÇÕES DE ONTEM E DE HOJE


Pe. Nilo Luza, ssp

Jesus é conduzido pelo Espírito ao plistas e enganadoras. Fundamentado


deserto, onde se prepara para assumir a na Palavra de Deus, o Mestre supera as
missão que o Pai lhe confiou. Enquanto lá provas do adversário. Ele viveu sempre
está, é tentado pelo diabo. O deserto, mais dessa Palavra, seu alimento cotidiano.
que indicação geográfica, é lugar da pro- Assim, teve forças suficientes para não
vação, do encontro com Deus, onde se cair na armadilha do tentador. Jesus não
amadurecem as opções que fazemos e se procura manipular a Deus nem busca
põe à prova a vocação. O povo de Israel privilégios.
caiu na tentação várias vezes, enquanto As três provas são como que a síntese
atravessava o deserto em busca da Terra de tudo o que pode acontecer com qual-
Prometida. quer ser humano. Como cristãos, segui-
O Mestre refaz o caminho do povo dores de Jesus, somos convidados a re-
para mostrar que é possível vencer as di- sistir a propostas enganadoras, que tra-
ficuldades da missão. O diabo provoca zem dominação, miséria e exclusão do
Jesus: “Se és Filho de Deus...” – desafio povo.
que volta no final do evangelho. (Seria Talvez possamos afirmar que a tenta-
dúvida da própria comunidade a respeito ção mais diabólica seja a do acúmulo da
da divindade de Jesus?) riqueza. O poder do dinheiro consegue
Mateus salienta três tentações a que manipular os outros poderes. O “grande
Jesus teria sido submetido: o poder, a capital” consegue dominar os impérios e
riqueza e o prestígio. Ele é confrontado o mundo. Quem se deixa levar pelo dese-
com a decisão de ser fiel ao projeto de jo do acúmulo é capaz de qualquer coisa
Deus ou aderir ao projeto do diabo. para aumentar sempre mais sua riqueza.
Sua opção mostra-se em sintonia com a Nós, porém, vivemos da Palavra de Deus,
vontade do Pai, recusando soluções sim- a qual nos aponta outros caminhos.

19 Dia 1º
CÍRCULO BÍBLICO PARA A QUARESMA
1. Abertura Senhor, eis aqui o teu povo, / que vem
Chegada – Refrão orante (CD: Liturgia XIV, implorar teu perdão; / é grande o nosso
faixa 6 – Paulus): pecado, / porém é maior o teu coração.
Eis o tempo de conversão, / eis o dia 1. Sabendo que acolheste Zaqueu,
da salvação: / ao Pai voltemos, juntos o cobrador, / e assim lhe devolveste
andemos. / Eis o tempo de conversão! tua paz e teu amor, / também nos
Oração ao Espírito Santo: colocamos ao lado dos que vão /
Todos: Vinde, Espírito Santo, en- buscar no teu altar a graça do perdão.
chei os corações dos vossos fiéis e 2. Revendo em Madalena a nossa
acendei neles o fogo do vosso própria fé, / chorando nossas penas
amor. Enviai o vosso Espírito e tu- diante dos teus pés, / também nós
do será criado, e renovareis a face desejamos o nosso amor te dar, / por-
da terra. que só muito amor nos pode libertar.
Oremos: Ó Deus, que instruístes 3. Motivos temos nós de sempre
os corações dos vossos fiéis com confiar, / de erguer a nossa voz, de
a luz do Espírito Santo, fazei que não desesperar. / Olhando aquele
apreciemos retamente todas as gesto que o bom ladrão salvou, /
coisas segundo o mesmo Espírito não foi também por nós teu sangue
e gozemos sempre de sua conso- que jorrou?
lação. Por Cristo, nosso Senhor.
Amém. 2. Recordação da vida
Silêncio – Oração pessoal – A seguir, rezar Lembrar pessoas e/ou fatos recentes.
ou cantar:
3. Motivação
- Venham, ó nações, ao Senhor cantar O animador motiva o encontro.
(bis).
Ao Deus do universo venham festejar 4. Salmo do dia
(bis). Refrão aclamativo (CD: Liturgia XIII, faixa 3
– Paulus):
- Seu amor por nós, firme para sem- Louvor e glória a ti, Senhor, / Cristo, Pa-
pre (bis).
lavra de Deus, / Cristo, Palavra de Deus!
Sua fidelidade dura eternamente
(bis). 5. Evangelho do dia
- Venham com fervor para a oração Leitura, meditação e partilha da Palavra, se-
guindo os passos da leitura orante:
(bis).
Do povo que trabalha, a Deus lou- 1º) Leitura (o que diz o texto? – ler o
vação (bis). texto e retomar palavras, expressões
ou frases do texto);
- Não fechemos hoje nosso coração
(bis). 2º) Meditação (o que o texto me
Pois se aproxima a Páscoa da ressur- diz? – refletir, aprofundar e aplicar a
reição (bis). mensagem para hoje);
- Glória ao Pai, ao Filho e ao Santo 3º) Contemplação (ver a realidade
Espírito (bis). com os olhos de Deus – em silêncio,
Glória à Trindade santa, glória ao mergulhar no mistério de Deus);
Deus bendito (bis). 4 º) Oração (o que o texto me faz
Ou entoar o canto seguinte (CD: Liturgia XIII, dizer a Deus? – conversar com Deus,
faixa 1 – Paulus): apresentando preces e louvação);

Dia 1º 20
5º) Ação (o que o texto me leva a 2º domingo
viver? – pode-se assumir algum com- Animador: Ó Deus, que chamastes à
promisso simples e viável). fé os nossos pais e nos destes a graça
Concluir com o pai-nosso e, a seguir, entoar de caminhar à luz do evangelho, abri-
o refrão (CD: Liturgia XIII, faixa 6 – Paulus):
-nos para a escuta do vosso Filho, a
Reconciliai-vos com Deus, / em nome fim de que, aceitando em nossa vida
de Cristo rogamos. / Que não recebais o mistério da cruz, possamos entrar
em vão / sua graça, seu perdão; / eis o na glória do vosso reino. Por Cristo,
tempo favorável, / o dia da salvação! nosso Senhor. Todos: Amém.
6. Cântico de Maria (rezado ou can- 3 º domingo
tado) Animador: Ó Deus, fonte da vida,
(CD: Cantando Louvor a Maria, faixa 11 – vós ofereceis à humanidade ardente
Paulus) de sede a água viva da graça que bro-
1. A minh’alma engrandece o Senhor ta da rocha, Cristo salvador; concedei
/ e exulta o meu espírito em Deus, ao vosso povo o dom do Espírito San-
meu salvador; / porque olhou para a to, a fim de que saiba professar com
humildade de sua serva, / doravante força a sua fé e anuncie com alegria
as gerações hão de chamar-me de as maravilhas do vosso amor. Por Cris-
bendita. to, nosso Senhor.
2. O Poderoso fez em mim maravi- Todos: Amém.
lhas, / e santo é o seu nome! / Seu 4º domingo
amor para sempre se estende / sobre Animador: Ó Deus, Pai da Luz, vós
aqueles que o temem. vedes a profundidade do nosso co-
3. Manifesta o poder de seu braço, ração: não permitais que o poder das
/ dispersa os soberbos; / derruba os trevas nos domine, mas abri os nos-
poderosos de seus tronos / e eleva sos olhos com a graça do vosso Espí-
os humildes. rito, a fim de que vejamos aquele que
4. Sacia de bens os famintos, / despe- mandastes para iluminar o mundo e
de os ricos sem nada. / Acolhe Israel, creiamos somente nele, Jesus Cristo,
seu servidor, / fiel ao seu amor. vosso Filho, nosso Senhor.
5. Como havia prometido a nossos Todos: Amém.
pais, / em favor de Abraão e de seus 5º domingo
filhos para sempre. / Glória ao Pai e ao Animador: Pai eterno, a vossa glória
Filho e ao Santo Espírito, / como era é o homem vivo; vós que manifestas-
no princípio, agora e sempre. Amém! tes a vossa compaixão no pranto de
7. Oração Jesus para o amigo Lázaro, olhai hoje
a aflição da Igreja, que chora e pede
1º domingo
por seus filhos mortos por causa do
Animador: Ó Deus, que conheceis a pecado, e, com a força do vosso Es-
fragilidade da natureza humana feri- pírito, reconduzi-os à vida nova. Por
da pelo pecado, concedei ao vosso Cristo, nosso Senhor.
povo retomar, com a força da vossa
Todos: Amém.
Palavra, o caminho quaresmal, a fim
de vencer as seduções do maligno e 8. Bênção
chegar à Páscoa na alegria do Espíri- Animador: Deus, que enviou seu Fi-
to. Por Cristo, nosso Senhor. lho ao mundo para revelar seu imen-
Todos: Amém. so amor de Pai e salvar a humanidade,

21 Dia 1º
nos abençoe agora e sempre: Pai e Refrão final (CD: Cantando Louvor a Maria,
Filho e Espírito Santo. Todos: Amém. faixa 1 – Paulus):
Animador: Bendigamos ao Senhor. Ó vem conosco, vem caminhar. / Santa
Todos: Demos graças a Deus. Maria, vem! (bis)

2
SEGUNDA-FEIRA não digais mentiras nem vos en-
1ª SEMANA DA QUARESMA ganeis uns aos outros. 12Não ju-
(roxo – ofício do dia)
reis falso por meu nome, profa-
nando o nome do Senhor teu
RITOS INICIAIS Deus. Eu sou o Senhor. 13Não ex-
Antífona da entrada: Como os olhos plores o teu próximo nem pra-
dos servos estão voltados para as mãos tiques extorsão contra ele. Não
de seu senhor, assim os nossos, para o
Senhor nosso Deus, até que se compa-
retenhas contigo a diária do assa-
deça de nós. Tende piedade de nós, Se- lariado até o dia seguinte. Não
14

nhor, tende piedade de nós! (Sl 122,2s) amaldiçoes o surdo nem ponhas
É santo aquele que ama a Deus sobre tropeço diante do cego, mas te-
todas as coisas e ao próximo como a merás o teu Deus. Eu sou o Se-
si mesmo. Nosso amor a Deus é me- nhor. 15Não cometas injustiças
dido pelo amor que temos para com no exercício da justiça; não favo-
os irmãos e irmãs, especialmente os
mais necessitados.
reças o pobre nem prestigies o
poderoso. Julga o teu próximo
Oração do dia conforme a justiça. 16Não sejas
Convertei-nos, ó Deus, nosso sal- um maldizente entre o teu po-
vador, e, para que a celebração vo. Não conspires, caluniando-o,
da Quaresma nos seja útil, ilumi- contra a vida do17teu próximo. Eu
nai-nos com a doutrina celeste. sou o Senhor. Não tenhas no
Por nosso Senhor Jesus Cristo... coração ódio contra teu irmão.
Repreende o teu próximo, para
LITURGIA DA PALAVRA não te tornares culpado de peca-
Somos chamados à santidade, a qual do por causa dele. Não procu-
18

consiste em manifestações concretas em res vingança nem guardes rancor


favor dos pequeninos. Abramos o cora- aos teus compatriotas. Amarás o
ção para acolher os preceitos do Senhor. teu próximo como a ti mesmo.

Leitura (Levítico 19,1-2.11-18) Eu sou o Senhor”. – Palavra do


Senhor.
Leitura do livro do Levítico – 1O
Senhor falou a Moisés, dizendo: Salmo responsorial 18(19)
2
“Fala a toda a comunidade dos Ó Senhor, vossas palavras são es-
filhos de Israel e dize-lhes: Sede pírito e vida!
santos, porque eu, o Senhor vos- 1. A lei do Senhor Deus é perfei-
so Deus, sou santo. 11Não furteis, ta, / conforto para a alma! / O
Dia 2 22
testemunho do Senhor é fiel, / destes de comer; eu estava com
sabedoria dos humildes. – R. sede e me destes de beber; eu
2. Os preceitos do Senhor são pre- era estrangeiro e me recebestes
cisos, / alegria ao coração. / O man- em casa; 36eu estava nu e me ves-
damento do Senhor é brilhante, tistes; eu estava doente e cuidas-
/ para os olhos é uma luz. – R. tes de mim; eu estava na prisão
3. É puro o temor do Senhor, / e fostes me visitar’. 37Então os
imutável para sempre. / Os julga- justos lhe perguntarão: ‘Senhor,
mentos do Senhor são corretos / quando foi que te vimos com fo-
e justos igualmente. – R. me e te demos de comer? Com se-
4. Que vos agrade o cantar dos de e te demos de beber? 38Quan-
meus lábios / e a voz da minha do foi que te vimos como estran-
alma; / que ela chegue até vós, geiro e te recebemos em casa, e
ó Senhor, / meu rochedo e re- sem roupa e te vestimos? 39Quan-
dentor! – R. do foi que te vimos doente ou
Evangelho (Mateus 25,31-46) preso e fomos te visitar?’ 40Então
Salve, Cristo, luz da vida, / companheiro
o rei lhes responderá: ‘Em ver-
na partilha! dade eu vos digo que, todas as
Eis o tempo de conversão; / eis o dia da vezes que fizestes isso a um dos
salvação (2Cor 6,2). – R. menores de meus irmãos, foi a
Proclamação do evangelho de mim que o fizestes!’ 41Depois o
Jesus Cristo segundo Mateus – rei dirá aos que estiverem à sua
Naquele tempo, disse Jesus aos esquerda: ‘Afastai-vos de mim,
seus discípulos: 31“Quando o Fi- malditos! Ide para o fogo eterno,
lho do homem vier em sua glória, preparado para o diabo e para
acompanhado de todos os anjos, os seus anjos. 42Pois eu estava
então se assentará em seu trono com fome e não me destes de co-
glorioso. 32Todos os povos da ter- mer; eu estava com sede e não
ra serão reunidos diante dele, me destes de beber; 43eu era
e ele separará uns dos outros, estrangeiro e não me recebestes
assim como o pastor separa as em casa; eu estava nu e não me
ovelhas dos cabritos. 33E coloca- vestistes; eu estava doente e na
rá as ovelhas à sua direita e os prisão e não fostes me visitar’.
cabritos à sua esquerda. 34Então 44
E responderão também eles:
o rei dirá aos que estiverem à ‘Senhor, quando foi que te vimos
sua direita: ‘Vinde, benditos de com fome ou com sede, como
meu Pai! Recebei como herança estrangeiro ou nu, doente ou
o reino que meu Pai vos prepa- preso, e não te servimos?’ 45Então
rou desde a criação do mundo! o rei lhes responderá: ‘Em verda-
35
Pois eu estava com fome e me de eu vos digo, todas as vezes
23 Dia 2
que não fizestes isso a um desses so auxílio na alma e no corpo e
pequeninos, foi a mim que não assim, salvos em todo o nosso ser,
o fizestes!’ 46Portanto, estes irão nos alegremos com a plenitude
para o castigo eterno, enquanto da redenção. Por Cristo, nosso Se-
os justos irão para a vida eterna”. nhor.

3
– Palavra da salvação.
Preces da assembleia
TERÇA-FEIRA
1. Pela Igreja, para que o Senhor a
1ª SEMANA DA QUARESMA
(roxo – ofício do dia)
ilumine na missão de ser sacramento
de sua bondade e justiça para com os
pobres e indefesos, rezemos.
RITOS INICIAIS
AS: Senhor, ensinai-nos a amar. Antífona da entrada: Vós fostes, Se-
2. Pelos fiéis católicos, para que o Se- nhor, o refúgio para nós de geração em
nhor os fortaleça na caminhada qua- geração: desde sempre e para sempre,
resmal e os ajude a alcançar a santida- vós sois Deus (Sl 89,1s).
de, rezemos. A Palavra do Senhor exerce em nós
3. Por todas as vocações, para que em a mesma ação que a água na terra.
seu carisma específico sejam sinais do Deixemo-nos fecundar por ela nesta
amor de Deus, que socorre os desam- Eucaristia e aprendamos com o Mes-
parados, rezemos. tre a atitude com a qual convém nos
4. Pelos esquecidos pelo poder públi- dirigirmos a Deus.
co, para que tenham a graça de en-
contrar o respeito e a solidariedade Oração do dia
das pessoas de boa vontade, rezemos. Olhai, ó Deus, vossa família e fa-
Preces espontâneas.
zei crescer no vosso amor aque-
LITURGIA EUCARÍSTICA les que agora se mortificam pela
Sobre as oferendas penitência corporal. Por nosso
Senhor Jesus Cristo...
Acolhei, ó Deus, esta oferenda,
sinal de nossa dedicação. Fazei LITURGIA DA PALAVRA
que ela santifique a nossa vida Com o Pai-nosso, aprendemos que nos-
e obtenha para nós vosso favor. sa relação com Deus é mediada pela
nossa relação de irmãos. Abramo-nos,
Por Cristo, nosso Senhor. qual terreno ressequido, para acolher a
Antífona da comunhão: Em verdade Palavra do Senhor.
eu vos digo, tudo o que fizestes ao
menor dos meus irmãos foi a mim que Leitura (Isaías 55,10-11)
o fizestes, diz o Senhor. Vinde, bendi- Leitura do livro do profeta Isaías
tos do meu Pai: tomai posse do reino – Isto diz o Senhor: 10“Assim como
preparado para vós desde o princípio
do mundo (Mt 25,40.34). a chuva e a neve descem do céu
e para lá não voltam mais, mas
Depois da comunhão vêm irrigar e fecundar a terra e
Ó Deus, pela recepção deste sa- fazê-la germinar e dar semente
cramento, experimentemos vos- para o plantio e para a alimen-
Dia 3 24
tação, 11assim a palavra que sair seus discípulos: 7“Quando orar-
de minha boca não voltará para des, não useis muitas palavras,
mim vazia; antes, realizará tudo como fazem os pagãos. Eles pen-
que for de minha vontade e pro- sam que serão ouvidos por força
duzirá os efeitos que pretendi ao das muitas palavras. 8Não sejais
enviá-la”. – Palavra do Senhor. como eles, pois vosso Pai sabe
Salmo responsorial 33(34) do que precisais, muito antes
que vós o peçais. 9Vós deveis
O Senhor liberta os justos de todas
rezar assim: Pai nosso que estás
as angústias.
nos céus, santificado seja o teu
1. Comigo engrandecei ao Senhor nome; 10venha o teu reino; seja
Deus, / exaltemos todos juntos o feita a tua vontade, assim na ter-
seu nome! / Todas as vezes que o ra como nos céus. 11O pão nosso
busquei, ele me ouviu / e de to- de cada dia dá-nos hoje. 12Perdoa
dos os temores me livrou. – R. as nossas ofensas, assim como
2. Contemplai a sua face e alegrai- nós perdoamos a quem nos tem
-vos, / e vosso rosto não se cubra ofendido. 13E não nos deixes cair
de vergonha! / Este infeliz gritou em tentação, mas livra-nos do
a Deus e foi ouvido, / e o Senhor mal. 14De fato, se vós perdoardes
o libertou de toda angústia. – R. aos homens as faltas que eles
3. O Senhor pousa seus olhos so- cometeram, vosso Pai que está
bre os justos, / e seu ouvido está nos céus também vos perdoará.
atento ao seu chamado; / mas ele 15
Mas, se vós não perdoardes aos
volta a sua face contra os maus, homens, vosso Pai também não
/ para da terra apagar sua lem- perdoará as faltas que vós co-
brança. – R. metestes”. – Palavra da salvação.
4. Clamam os justos, e o Senhor Preces da assembleia
bondoso escuta / e de todas as 1. Pela Igreja, para que sempre se dei-
angústias os liberta. / Do coração xe renovar pela Palavra de Deus e, des-
atribulado ele está perto / e con- se modo, possa santificar o mundo, re-
forta os de espírito abatido. – R. zemos.
AS: Senhor,
Evangelho (Mateus 6,7-15) fecundai-nos com vossa Palavra.
Glória a Cristo, Palavra eterna do Pai, 2. Pelos cristãos, para que vivam a re-
que é amor! conciliação e promovam o amor e o
O homem não vive somente de pão, / perdão, rezemos.
mas de toda palavra da boca de Deus 3. Pelos sofredores, para que façam a
(Mt 4,4). – R. experiência do amor e do carinho de
Deus na própria vida, rezemos.
Proclamação do evangelho de 4. Pelas pessoas do mundo inteiro, para
Jesus Cristo segundo Mateus – que nunca lhes falte o pão de cada dia,
Naquele tempo, disse Jesus aos rezemos. Preces espontâneas.

25 Dia 3
LITURGIA EUCARÍSTICA obras. Por nosso Senhor Jesus
Sobre as oferendas Cristo...
Ó Deus, criador de todas as coi- LITURGIA DA PALAVRA
sas, acolhei as oferendas que A exemplo dos ninivitas, acolhamos a
Palavra do Senhor e abramo-nos à con-
recebemos da vossa bondade e versão, conscientes de que o Senhor não
transformai os alimentos desta despreza um coração arrependido.
vida em refeição da vida eterna.
Leitura (Jonas 3,1-10)
Por Cristo, nosso Senhor.
Leitura da profecia de Jonas –
Antífona da comunhão: Quando cha-
mei por vós, me respondestes, ó Deus,
1
A palavra do Senhor foi dirigi-
minha justiça! Soubestes aliviar-me da a Jonas pela segunda vez:
na angústia; tende piedade de mim, 2
“Levanta-te e põe-te a caminho
atendei à minha prece! (Sl 4,2)
da grande cidade de Nínive e
Depois da comunhão anuncia-lhe a mensagem que
Ó Deus, por este sacramento, dai- eu te vou confiar”. 3Jonas pôs-se
-nos moderar os desejos terre- a caminho de Nínive, conforme
nos e amar os bens celestes. Por a ordem do Senhor. Ora, Nínive
Cristo, nosso Senhor. era uma cidade muito grande;

4
eram necessários três dias para
QUARTA-FEIRA ser atravessada. 4Jonas entrou na
1ª SEMANA DA QUARESMA* cidade, percorrendo o caminho
(roxo – ofício do dia)
de um dia; pregava ao povo, di-
RITOS INICIAIS zendo: “Ainda quarenta dias, e Ní-
Antífona da entrada: Lembrai-vos de nive será destruída”. 5Os ninivitas
vossa misericórdia e de vosso amor, acreditaram em Deus; aceitaram
pois são eternos. Nossos inimigos não fazer jejum e vestiram sacos, des-
triunfem sobre nós; libertai-nos, ó
Deus, de toda angústia! (Sl 24,6.3.22)
de o superior ao inferior. 6A pre-
gação chegara aos ouvidos do
Sempre disposto a perdoar-nos, o
Senhor nos convida à conversão e rei de Nínive; ele levantou-se do
nos dá, em seu Filho, o maior sinal trono e pôs de lado o manto real,
de seu amor por nós. Celebrando es- vestiu-se de saco e sentou-se
ta Eucaristia, peçamos a Deus um co- em cima de cinza. 7Em seguida,
ração puro e humilde.
fez proclamar em Nínive, como
Oração do dia decreto do rei e dos príncipes:
Considerai, ó Deus, com bonda- “Homens e animais bovinos e
de o fervor do vosso povo. E, ovinos não provarão nada! Não
enquanto mortificamos o corpo, comerão e não beberão água.
sejamos espiritualmente forta- 8
Homens e animais se cobrirão
lecidos pelos frutos das boas de sacos, e os homens rezarão a
Dia 4 26
Deus com força; cada um deve Proclamação do evangelho de
afastar-se do mau caminho e de Jesus Cristo segundo Lucas – Na-
suas práticas perversas. 9Deus quele tempo, 29quando as mul-
talvez volte atrás, para perdoar- tidões se reuniram em grande
-nos e aplacar sua ira, e assim não quantidade, Jesus começou a di-
venhamos a perecer”. 10Vendo zer: “Esta geração é uma geração
Deus as suas obras de conversão má. Ela busca um sinal, mas ne-
e que os ninivitas se afastavam nhum sinal lhe será dado, a não
do mau caminho, compadeceu- ser o sinal de Jonas. 30Com efeito,
-se e suspendeu o mal que tinha assim como Jonas foi um sinal
ameaçado fazer-lhes, e não o fez. para os ninivitas, assim também
– Palavra do Senhor. será o Filho do homem para esta
geração. 31No dia do julgamento,
Salmo responsorial 50(51)
a rainha do Sul se levantará jun-
Ó Senhor, não desprezeis um co- tamente com os homens des-
ração arrependido! ta geração e os condenará. Por-
1. Tende piedade, ó meu Deus, que ela veio de uma terra dis-
misericórdia! / Na imensidão de tante para ouvir a sabedoria de
vosso amor, purificai-me! / Lavai- Salomão. E aqui está quem é
-me todo inteiro do pecado / e maior do que Salomão. 32No dia
apagai completamente a minha do julgamento, os ninivitas se
culpa! – R. levantarão juntamente com esta
2. Criai em mim um coração que geração e a condenarão. Porque
seja puro, / dai-me de novo um eles se converteram quando
espírito decidido. / Ó Senhor, não ouviram a pregação de Jonas. E
me afasteis de vossa face / nem aqui está quem é maior do que
retireis de mim o vosso Santo Jonas”. – Palavra da salvação.
Espírito! – R. Preces da assembleia
3. Pois não são de vosso agrado 1. Pela Igreja, para que sempre se deixe
os sacrifícios, / e, se oferto um guiar pelo Senhor na missão de anun-
ciá-lo como único Deus e criador da hu-
holocausto, o rejeitais. / Meu sa- manidade, rezemos.
crifício é minha alma penitente, AS: Dai-nos, Senhor, um coração puro.
/ não desprezeis um coração ar- 2. Pelo papa Francisco, a quem o Se-
rependido! – R. nhor chamou para levar o evangelho a
um mundo necessitado de paz e espe-
Evangelho (Lucas 11,29-32) rança, rezemos.
Jesus Cristo, sois bendito, / sois o ungido 3. Por todos nós, para que o Senhor nos
de Deus Pai! ajude a corrigir nossas negligências e
Voltai ao Senhor, vosso Deus, / ele é bom, procurar, de todo o coração, os bens
compassivo e clemente (Jl 2,12s). – R. eternos, rezemos.

27 Dia 4
5
4. Pelos nossos irmãos e irmãs faleci- QUINTA-FEIRA
dos, para que o Senhor os conduza à 1ª SEMANA DA QUARESMA
luz em que ele habita, rezemos. (roxo – ofício do dia)
Preces espontâneas.

LITURGIA EUCARÍSTICA RITOS INICIAIS


Sobre as oferendas Antífona da entrada: Ouvi, Senhor,
minha oração, compreendei o meu
Nós vos ofertamos, ó Deus, estes lamento. Atendei à voz de meu apelo,
dons que nos destes para ofere- ó meu rei e meu Deus! (Sl 5,2s)
cer-vos. E assim como os tornais Temos um Pai que nos ouve e atende
para nós um sacramento, sejam aos nossos pedidos. Assim como Ester,
também remédio para a vida queremos abrir o coração ao Senhor
eterna. Por Cristo, nosso Senhor. e nos confiarmos a ele. Agradecidos
por seu amor, celebremos como seus
Antífona da comunhão: Senhor, ale- filhos e filhas.
grem-se todos os que em vós confiam
e exultem eternamente aqueles que Oração do dia
protegeis (Sl 5,12).
Dai-nos, ó Deus, pensar sempre
Depois da comunhão o que é reto e realizá-lo com so-
Senhor nosso Deus, que não ces- licitude. E como só podemos exis-
sais de nos alimentar com os vos- tir em vós, fazei-nos viver segun-
sos sacramentos, concedei que do a vossa vontade. Por nosso
esta refeição nos alcance a vida Senhor Jesus Cristo...
eterna. Por Cristo, nosso Senhor.
LITURGIA DA PALAVRA
*COMEMORAÇÃO FACULTATIVA Jesus nos convida a sermos bons com
SÃO CASIMIRO nossos irmãos e irmãs, assim como o
(roxo – ofício da memória) Pai é sempre bom conosco. Cheios de fé,
Casimiro, que viveu no século 15 e era acolhamos a Palavra daquele que trans-
filho do rei da Polônia e da Lituânia, dei- forma nossa tristeza em alegria.
xou tudo para abraçar a causa do reino
de Deus. Eis o segredo de sua santidade:
Leitura (Ester 4,17)
viveu intensamente a serviço dos pobres Leitura do livro de Ester – Na-
e cultivou profunda piedade, fundada queles dias, 17na rainha Ester, te-
no culto eucarístico e na imitação filial
de Maria. Comemorando este santo, pe- mendo o perigo de morte que se
çamos ao Senhor um coração puro e hu- aproximava, buscou refúgio no
milde. Senhor. 17pProstrou-se por terra
Oração do dia: Ó Deus todo-podero- desde a manhã até o anoitecer,
so, a quem servir é reinar, dai-nos, pela juntamente com suas servas, e
intercessão de são Casimiro, a graça de
vos servir com retidão e santidade. Por disse: “Deus de Abraão, Deus
17q

nosso Senhor Jesus Cristo vosso Filho, de Isaac e Deus de Jacó, tu és


na unidade do Espírito Santo. bendito. Vem em meu socorro,
Dia 5 28
pois estou só e não tenho outro salvar com vossa destra. / Com-
defensor fora de ti, Senhor, 17rpois pletai em mim a obra começada;
eu mesma me expus ao perigo. / ó Senhor, vossa bondade é pa-
17aa
Senhor, eu ouvi, dos livros de ra sempre! / Eu vos peço: não dei-
meus antepassados, que tu li- xeis inacabada / esta obra que fi-
bertas, Senhor, até o fim, todos os zeram vossas mãos! – R.
que te são caros. 17bbAgora, pois, Evangelho (Mateus 7,7-12)
ajuda-me, a mim que estou sozi-
Salve, ó Cristo, imagem do Pai, / a plena
nha e não tenho mais ninguém verdade nos comunicai!
senão a ti, Senhor meu Deus. Criai em mim um coração que seja
17gg
Vem, pois, em auxílio de mi- puro, / dai-me de novo a alegria de ser
nha orfandade. Põe em meus lá- salvo! (Sl 50,12.14) – R.
bios um discurso atraente, quan- Proclamação do evangelho de
do eu estiver diante do leão, e Jesus Cristo segundo Mateus –
muda o seu coração para que
Naquele tempo, disse Jesus aos
odeie aquele que nos ataca, para
seus discípulos: 7“Pedi e vos será
que este pereça com todos os
dado! Procurai e achareis! Batei
seus cúmplices. 17hhE livra-nos da
e a porta vos será aberta! 8Pois
mão de nossos inimigos. Trans-
forma nosso luto em alegria e todo aquele que pede, recebe;
nossas dores em bem-estar”. – quem procura, encontra; e a
Palavra do Senhor. quem bate, a porta será aberta.
9
Quem de vós dá ao filho uma
Salmo responsorial 137(138) pedra quando ele pede um pão?
Naquele dia em que gritei, / vós me 10
Ou lhe dá uma cobra quando
escutastes, ó Senhor! ele pede um peixe? 11Ora, se vós,
1. Ó Senhor, de coração eu vos que sois maus, sabeis dar coisas
dou graças, / porque ouvistes as boas a vossos filhos, quanto mais
palavras dos meus lábios! / Pe- vosso Pai que está nos céus dará
rante os vossos anjos vou cantar- coisas boas aos que lhe pedirem!
-vos / e ante o vosso templo vou 12
Tudo quanto quereis que os
prostrar-me. – R. outros vos façam, fazei também
2. Eu agradeço vosso amor, vossa a eles. Nisto consiste a lei e os
verdade, / porque fizestes muito profetas”. – Palavra da salvação.
mais que prometestes; / naquele Preces da assembleia
dia em que gritei, vós me escu-
1. Para que o Senhor anime a Igreja a
tastes / e aumentastes o vigor da crescer na prática da oração e das boas
minha alma. – R. obras, rezemos.
3. Estendereis o vosso braço em AS: Senhor, completai em nós
meu auxílio / e havereis de me a obra começada.

29 Dia 5
2. Para que o Senhor atenda os justos ticar e observar o direito e a justiça do
clamores dos que o buscam e invocam seu reino.
seu socorro, rezemos.
AS: Senhor, completai em nós Oração do dia
a obra começada.
3. Para que o Senhor olhe pelos povos Concedei, ó Deus, que vossos
e países afligidos por guerras e regimes filhos e filhas se preparem digna-
injustos, rezemos. mente para a festa da Páscoa, de
4. Para que o Senhor ensine os pais a modo que a mortificação desta
oferecer sempre o que é bom para a Quaresma frutifique em todos
edificação dos filhos, rezemos. nós. Por nosso Senhor Jesus...
Preces espontâneas.
LITURGIA DA PALAVRA
LITURGIA EUCARÍSTICA
Deus não quer a morte do pecador, e sim
Sobre as oferendas que se arrependa e viva. À luz do quinto
mandamento, Jesus amplia o conceito
Sede propício, ó Deus, às nossas de justiça e nos convida a observá-la.
preces e, acolhendo as oferendas
do vosso povo, fazei com que os Leitura (Ezequiel 18,21-28)
nossos corações se voltem para Leitura da profecia de Ezequiel
vós. Por Cristo, nosso Senhor. – Assim fala o Senhor: 21“Se o
Antífona da comunhão: Quem pede, ímpio se arrepender de todos os
recebe; quem procura, encontra; e ao pecados cometidos, e guardar
que bate, abrir-se-á (Mt 7,8). todas as minhas leis, e praticar
Depois da comunhão o direito e a justiça, viverá com
certeza e não morrerá. 22Nenhum
Senhor nosso Deus, fazei que os
dos pecados que cometeu será
sagrados mistérios, instituídos lembrado contra ele. Viverá por
para a nossa salvação, nos sirvam causa da justiça que praticou.
de remédio, hoje e sempre. Por 23Será que eu tenho prazer na
Cristo, nosso Senhor. morte do ímpio? – oráculo do

6
SEXTA-FEIRA Senhor Deus. Não desejo, antes,
1ª SEMANA DA QUARESMA* 24 que mude de conduta e viva?
(roxo – ofício do dia) Mas, se o justo se desviar de sua
justiça e praticar o mal, imitando
RITOS INICIAIS todas as práticas detestáveis fei-
Antífona da entrada: Livrai-me, Se- tas pelo ímpio, poderá fazer isso
nhor, das minhas aflições, vede minha e viver? Da justiça que ele prati-
miséria e minha dor; perdoai todos os cou, nada mais será lembrado.
meus pecados (Sl 24,17s). Por causa da infidelidade e do
Porque somos cristãos, nossa justiça pecado que cometeu, por causa
deve exceder a da letra fria da lei. O disso morrerá. 25Mas vós andais
Senhor nos conceda a graça de pra-
dizendo: ‘A conduta do Senhor
Dia 6 30
não é correta’. Ouvi, vós da casa Evangelho (Mateus 5,20-26)
de Israel: é a minha conduta Salve, ó Cristo, imagem do Pai, / a plena
que não é correta ou, antes, é a verdade nos comunicai!
vossa conduta que não é correta? Lançai para bem longe toda a vossa
26
Quando um justo se desvia da iniquidade! / Criai em vós um novo es-
justiça, pratica o mal e morre, é pírito e um novo coração! (Ez 18,31) – R.
por causa do mal praticado que Proclamação do evangelho de
ele morre. 27Quando um ímpio Jesus Cristo segundo Mateus –
se arrepende da maldade que Naquele tempo, disse Jesus aos
praticou e observa o direito e a seus discípulos: 20 “Se a vossa
justiça, conserva a própria vida. justiça não for maior que a justiça
28
Arrependendo-se de todos os
dos mestres da lei e dos fariseus,
seus pecados, com certeza vi-
vós não entrareis no reino dos
verá; não morrerá”. – Palavra do
Senhor. céus. 21Vós ouvistes o que foi di-
to aos antigos: ‘Não matarás!
Salmo responsorial 129(130) Quem matar será condenado
Se levardes em conta nossas faltas, pelo tribunal’. 22Eu, porém, vos
/ quem haverá de subsistir? digo, todo aquele que se enco-
leriza com seu irmão será réu em
1. Das profundezas eu clamo a
juízo; quem disser ao seu irmão
vós, Senhor, / escutai a minha
‘patife!’ será condenado pelo
voz! / Vossos ouvidos estejam
bem atentos / ao clamor da mi- tribunal; quem chamar o irmão
nha prece! – R. de tolo será condenado ao fogo
do inferno. 23Portanto, quando
2. Se levardes em conta nossas tu estiveres levando a tua oferta
faltas, / quem haverá de subsis- para o altar e ali te lembrares
tir? / Mas em vós se encontra o que teu irmão tem alguma coisa
perdão, / eu vos temo e em vós contra ti, 24deixa a tua oferta ali
espero. – R. diante do altar e vai primeiro re-
3. No Senhor ponho a minha es- conciliar-te com o teu irmão. Só
perança, / espero em sua palavra. então vai apresentar a tua oferta.
/ A minha alma espera no Senhor 25
Procura reconciliar-te com teu
/ mais que o vigia pela aurora. – R. adversário, enquanto caminha
4. Espere Israel pelo Senhor / contigo para o tribunal. Senão o
mais que o vigia pela aurora! / adversário te entregará ao juiz, o
Pois no Senhor se encontra toda juiz te entregará ao oficial de jus-
graça / e copiosa redenção. / Ele tiça, e tu serás jogado na prisão.
vem libertar a Israel / de toda a 26
Em verdade eu te digo, dali não
sua culpa. – R. sairás, enquanto não pagares
31 Dia 6
o último centavo”. – Palavra da *MISSA VOTIVA
salvação. SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS
(branco – Missal, página 382)
Preces da assembleia Antífona da entrada: Eis os pensa-
1. Pela Igreja na China, para que per- mentos do seu coração, que permane-
severe na fidelidade ao evangelho e cem ao longo das gerações: libertar da
cresça na unidade, rezemos. morte todos os homens e conservar-
-lhes a vida em tempo de penúria (Sl
AS: Senhor, 32,11.19)
tende compaixão de nós. Porque somos cristãos, nossa justiça
2. Pelos fiéis católicos, para que te- deve exceder a da letra fria da lei. Cele-
nham atitudes condizentes com um brando esta missa votiva do Sagrado
coração generoso, humilde e sincero, Coração de Jesus, peçamos ao Senhor
rezemos. que nos conceda a graça de praticar e
3. Pelas famílias, para que trilhem o observar o direito e a justiça do seu reino.
caminho da conversão e da justiça e Oração do dia: Ó Deus, que no cora-
se esforcem por viver em espírito de ção do vosso Filho, ferido por nossos
reconciliação, rezemos. pecados, nos concedestes infinitos
tesouros de amor, fazei que lhe ofere-
4. Por todos nós, para que pratiquemos çamos uma justa reparação, consa-
a abstinência que nos leve a socorrer grando-lhe toda a nossa vida. Por nos-
com nossos bens os irmãos necessita- so Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na
dos, rezemos. Preces espontâneas. unidade do Espírito Santo.

Sobre as oferendas: Considerai, ó


LITURGIA EUCARÍSTICA Deus, o indizível amor do coração do
Sobre as oferendas vosso amado Filho, para que nossas
oferendas vos agradem e sirvam de
Ó Deus, acolhei com bondade reparação por nossas faltas. Por Cristo,
estes dons para o sacrifício que nosso Senhor.
nos reconcilia convosco e, como Prefácio (coração de Jesus): Na ver-
Pai todo-poderoso, dai-nos de dade, é justo e necessário, é nosso de-
ver e salvação dar-vos graças, sempre e
novo a salvação. Por Cristo, nosso em todo lugar, Senhor, Pai santo, Deus
Senhor. eterno e todo-poderoso, por Cristo, Se-
nhor nosso. Elevado na cruz, entregou-
Antífona da comunhão: Por minha
-se por nós com imenso amor. E de seu
vida, diz o Senhor Deus, não quero a
lado aberto pela lança fez jorrar, com
morte do pecador, mas que se conver- a água e o sangue, os sacramentos da
ta e viva! (Ez 33,11) Igreja, para que todos, atraídos ao seu
Depois da comunhão coração, pudessem beber, com perene
alegria, na fonte salvadora. Por essa
Ó Deus, que este sacramento razão, agora e sempre, nós nos unimos
da vossa ceia nos restaure, para à multidão dos anjos e dos santos, can-
que, purificados da antiga culpa, tando (dizendo) a uma só voz...
Antífona da comunhão: Diz o Senhor:
alcancemos o vosso convívio no Se alguém tiver sede, venha a mim e
mistério da salvação. Por Cristo, beba. Daquele que crê em mim brota-
nosso Senhor. rão rios de água viva (Jo 7,37s).

Dia 6 32
Depois da comunhão: Ó Deus, que e decretos. Guarda-os e observa-
este sacramento da caridade nos in- -os com todo o teu coração e
flame em vosso amor e, sempre vol-
tados para o vosso Filho, aprendamos com toda a tua alma. 17Tu esco-
a reconhecê-lo em cada irmão. Por lheste hoje o Senhor para ser o
Cristo, nosso Senhor. teu Deus, para seguires os seus

7
caminhos e guardares seus pre-
SÁBADO ceitos, mandamentos e decretos,
1ª SEMANA DA QUARESMA* e para obedeceres à sua voz.
(roxo – ofício do dia) 18
E o Senhor te escolheu, hoje,
para que sejas para ele um povo
RITOS INICIAIS
particular, como te prometeu, a
Antífona da entrada: A lei do Senhor fim de observares todos os seus
é perfeita, conversão para a alma. O
testemunho do Senhor é verdadeiro, mandamentos. 19Assim ele te fa-
sabedoria para os simples (Sl 18,8). rá ilustre entre todas as nações
que criou e te tornará superior
O Senhor convida seu povo a cami-
nhar na sua lei, observando seus man- em honra e glória, a fim de que
damentos. Para nós, cristãos, obede- sejas o povo santo do Senhor teu
cer a esse preceito significa amar a Deus, como ele disse”. – Palavra
todos, também aos que nos odeiam. do Senhor.
Oração do dia Salmo responsorial 118(119)
Convertei para vós, ó Pai, nossos Feliz é quem na lei do Senhor Deus
corações, a fim de que, buscan- vai progredindo!
do sempre o único necessário e 1. Feliz o homem sem pecado
praticando as obras de caridade, em seu caminho, / que na lei do
nos dediquemos ao vosso culto. Senhor Deus vai progredindo!
Por nosso Senhor Jesus Cristo... / Feliz o homem que observa
seus preceitos / e de todo o co-
LITURGIA DA PALAVRA ração procura a Deus! – R.
Quem faz opção por Deus busca progre- 2. Os vossos mandamentos vós
dir na observância de sua lei. Acolhamos nos destes / para serem fielmen-
a Palavra que nos aponta o caminho se-
guro para alcançarmos a santidade,
te observados. / Oxalá seja bem
tarefa e meta de todo cristão. firme a minha vida / em cumprir
vossa vontade e vossa lei! – R.
Leitura (Dt 26,16-19) 3. Quero louvar-vos com sincero
Leitura do livro do Deuteronô- coração, / pois aprendi as vossas
mio – Moisés dirigiu a palavra justas decisões. / Quero guar-
ao povo de Israel e lhe disse: dar vossa vontade e vossa lei; /
16
“Hoje, o Senhor teu Deus te Senhor, não me deixeis desam-
manda cumprir esses preceitos parado! – R.
33 Dia 7
Evangelho (Mateus 5,43-48) abra os corações ao amor até aos ini-
migos, rezemos.
Salve, ó Cristo, imagem do Pai, / a plena
verdade nos comunicai! 4. Para que o Senhor derrame sua mi-
sericórdia sobre os que caminham dis-
Eis o tempo de conversão, / eis o dia tantes dele e lhes conceda a alegria do
da salvação (2Cor 6,2). – R. perdão, rezemos.
Proclamação do evangelho de Preces espontâneas.
Jesus Cristo segundo Mateus –
LITURGIA EUCARÍSTICA
Naquele tempo, disse Jesus aos
seus discípulos: 43“Vós ouvistes o Sobre as oferendas
que foi dito: ‘Amarás o teu pró- Nós vos pedimos, ó Deus, que es-
ximo e odiarás o teu inimigo!’ te santo sacrifício nos restaure e
44
Eu, porém, vos digo, amai os nos torne dignos dos seus frutos.
vossos inimigos e rezai por aque- Por Cristo, nosso Senhor.
les que vos perseguem! 45Assim
vos tornareis filhos do vosso Pai Antífona da comunhão: Sede perfei-
tos, diz o Senhor, como vosso Pai do
que está nos céus, porque ele céu é perfeito (Mt 5,48).
faz nascer o sol sobre maus e
bons e faz cair a chuva sobre jus- Depois da comunhão
tos e injustos. 46Porque, se amais Ó Deus, auxiliai com vosso cons-
somente aqueles que vos amam, tante favor aos que alimentais
que recompensa tereis? Os co- pela Eucaristia e acompanhai
bradores de impostos não fazem com a vossa graça os que formas-
a mesma coisa? 47E se saudais so- tes com celestes ensinamentos.
mente os vossos irmãos, o que Por Cristo, nosso Senhor.
fazeis de extraordinário? Os pa-
gãos não fazem a mesma coisa? *COMEMORAÇÃO FACULTATIVA
48
Portanto, sede perfeitos como SANTAS PERPÉTUA E FELICIDADE
(roxo – ofício da memória)
o vosso Pai celeste é perfeito”. –
Palavra da salvação. Em Cartago, no século 3º, duas jovens
mães – Perpétua e sua serva, Felicidade
Preces da assembleia – foram presas ainda catecúmenas e
1. Para que o Senhor purifique e renove batizadas na iminência do martírio. Seu
a Igreja e abençoe os bispos, padres e exemplo nos faça testemunhar nossa
diáconos, rezemos. fé em Cristo não só com palavras, mas
principalmente com nossa vida.
AS: Fazei-nos, Senhor,
progredir na vossa lei. Oração do dia: Ó Deus, pelo vosso
amor, as mártires Perpétua e Felicida-
2. Para que o Senhor motive os fiéis a de resistiram aos perseguidores e su-
buscar a santidade e ser perseverantes peraram as torturas do martírio; con-
na oração, rezemos. cedei-nos, por sua intercessão, crescer
3. Para que o Senhor livre seu povo da constantemente em vossa caridade.
vingança, da intolerância e do ódio e Por nosso Senhor Jesus Cristo...

Dia 7 34
DIA 8 – DOMINGO
2º DA QUARESMA
(roxo, creio, prefácio próprio – 2ª semana do saltério)

RITOS INICIAIS
Antífona da entrada: Meu coração disse:
Senhor, buscarei a vossa face. É vossa face,
Senhor, que eu procuro, não desvieis de
mim o vosso rosto! (Sl 26,8s)
Somos convidados a subir a montanha
com Jesus e fazer a experiência de sua gló-
ria. A transfiguração nos revela os rostos
desfigurados de tantos irmãos e irmãs
carentes de dignidade e nos aponta o caminho para a realidade prometida por
Deus. Esta liturgia nos alcance a graça de vermos brilhar em nossa vida a boa-
-nova do evangelho.

Oração do dia o teu nome, de modo que ele se


Ó Deus, que nos mandastes ouvir torne uma bênção. 3Abençoarei
o vosso Filho amado, alimentai os que te abençoarem e amaldi-
nosso espírito com a vossa pala- çoarei os que te amaldiçoarem;
vra, para que, purificado o olhar em ti serão abençoadas todas
de nossa fé, nos alegremos com as famílias da terra!” 4E Abrão
a visão da vossa glória. Por nosso partiu, como o Senhor lhe havia
Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, dito. – Palavra do Senhor.
na unidade do Espírito Santo. Salmo responsorial 32(33)
(CD: Cantando os Salmos - Ano A, volume 1,
LITURGIA DA PALAVRA faixa 15 – Paulus)
A Palavra de Deus merece fé. Ela nos ani-
ma a sair de nossas seguranças e escutar Sobre nós venha, Senhor, a vossa
o Filho amado do Pai, que nos chama a graça, / venha a vossa salvação!
uma vida santa, em conformidade com #3 Em
& 4 «ˆ«« «««ˆ l «ˆ«« . _««j
==========================
«« ««ˆ« l ««ˆ« . « ««ˆ« ˆ««« l ««ˆ« «˙« l «ˆ« ««ˆ« ««ˆ« l ˙««« =
B7 Em Am
œ»»
«ˆ ˆ« _«j
«ˆ « « » l
seu evangelho.
Am Bb o
Ref.: So - re nós ve- nha, Se - nhor, a vos - sa ra - a, ve - nha a vos- sa
# « «B7 Em Em
«« «« «
Co B7 Em E7
« œ» œ» «« «
B7
& «˙« ˆ«« l «˙«« . l «ˆ«« Œ ” W ˆ« ˆ« ˆ«« l W œ»»» œ»»» «ˆ« l W »» »» ˆ« l W «ˆ«« «ˆ«« ˆ««=l l
==========================
I leitura (Gênesis 12,1-4) sal - va - o! (Salmodia)

Leitura do livro do Gênesis – 1. Pois reta é a palavra do Senhor,


1
Naqueles dias, o Senhor disse / e tudo o que ele faz merece fé.
a Abrão: “Sai da tua terra, da tua / Deus ama o direito e a justiça, /
família e da casa do teu pai e vai transborda em toda a terra a sua
para a terra que eu te vou mos- graça. – R.
trar. 2Farei de ti um grande povo 2. Mas o Senhor pousa o olhar
e te abençoarei: engrandecerei sobre os que o temem / e que
35 Dia 8
confiam, esperando em seu amor, Naquele tempo, 1Jesus tomou
/ para da morte libertar as suas consigo Pedro, Tiago e João, seu
vidas / e alimentá-los quando é irmão, e os levou a um lugar à par-
tempo de penúria. – R. te, sobre uma alta montanha. 2E
Sobre nós venha, Senhor, a vossa foi transfigurado diante deles; o
graça, / venha a vossa salvação! seu rosto brilhou como o sol, e
3. No Senhor nós esperamos as suas roupas ficaram brancas
confiantes, / porque ele é nosso como a luz. 3Nisso apareceram-
auxílio e proteção! / Sobre nós -lhes Moisés e Elias, conversando
venha, Senhor, a vossa graça, / com Jesus. 4Então Pedro tomou
da mesma forma que em vós nós a palavra e disse: “Senhor, é bom
esperamos! – R. ficarmos aqui. Se queres, vou
fazer aqui três tendas: uma para
II leitura (2 Timóteo 1,8-10) ti, outra para Moisés e outra para
Leitura da segunda carta de são Elias”. 5Pedro ainda estava falan-
Paulo a Timóteo – Caríssimo, do quando uma nuvem luminosa
8
sofre comigo pelo evangelho, os cobriu com sua sombra. E da
fortificado pelo poder de Deus. nuvem uma voz dizia: “Este é o
9
Deus nos salvou e nos chamou meu Filho amado, no qual eu
com uma vocação santa, não pus todo meu agrado. Escutai-o!”
devido às nossas obras, mas em 6
Quando ouviram isso, os discí-
virtude do seu desígnio e da sua pulos ficaram muito assustados e
graça, que nos foi dada em Cristo caíram com o rosto em terra. 7Je-
Jesus desde toda a eternidade. sus se aproximou, tocou neles e
10
Essa graça foi revelada agora, disse: “Levantai-vos e não tenhais
pela manifestação de nosso sal- medo”. 8Os discípulos ergueram
vador, Jesus Cristo. Ele não só os olhos e não viram mais nin-
destruiu a morte, como também guém, a não ser somente Jesus.
fez brilhar a vida e a imortalidade 9
Quando desciam da montanha,
por meio do evangelho. – Palavra Jesus ordenou-lhes: “Não conteis
do Senhor. a ninguém essa visão até que o
Filho do homem tenha ressusci-
Evangelho (Mateus 17,1-9)
tado dos mortos”. – Palavra da
Louvor a vós, ó Cristo, rei da eterna gló- salvação.
ria.
Numa nuvem resplendente, fez-se Pistas para a reflexão: I leitura: A exemplo
de Abrão, somos convidados a sair de nós
ouvir a voz do Pai: / Eis meu Filho mui- mesmos e confiar nas promessas de Deus.
to amado, escutai-o, todos vós (Lc 9,35). II leitura: Todos somos vocacionados à
– R. santidade. Evangelho: Somos chamados a
transfigurar nossa vida a fim de transformar
Proclamação do evangelho de a realidade que nos cerca (cf. também artigo
Jesus Cristo segundo Mateus – na página 38).

Dia 8 36
Preces da assembleia L2: Inspirai-nos palavras e ações / para
PR: Irmãos e irmãs, no Senhor espera- sermos construtores de uma nova so-
mos confiantes, porque ele é nosso au- ciedade, / reconciliada no amor.
xílio e proteção. Dirijamos ao Pai nos- AS: Dai-nos a graça de vivermos /
sas preces e digamos: em comunidades eclesiais missio-
AS: Transfigurai-nos, Senhor. nárias, que, compadecidas, / vejam,
se aproximem e cuidem daqueles
1. Senhor, que dissestes a Abrão: “Sai que sofrem, / a exemplo de Maria, a
da tua terra”, ajudai a Igreja a pôr-se
Senhora da Conceição Aparecida, /
sempre mais em saída, para descobrir
e de santa Dulce dos Pobres, Anjo
vosso rosto nos pobres e sofredores,
nós vos pedimos. Bom do Brasil.
2. Fazei que vossos fiéis, por meio PR: Por Jesus, o Filho amado, no Espíri-
da escuta da Palavra de vosso Filho, to, Senhor que dá a vida.
cresçam no amor fraterno e reflitam AS: Amém.
na própria vida a beleza do evangelho,
nós vos pedimos. LITURGIA EUCARÍSTICA
3. Afastai das famílias e comunidades Preparando as oferendas que se torna-
o comodismo e o medo, que impedem rão o Corpo e o Sangue de Cristo glorioso,
as pessoas de tomar posse de vossas esperamos sua vinda e nossa própria
promessas, nós vos pedimos. transfiguração.
4. Dai à humanidade encontrar e per-
correr os caminhos para fazer da com- Sobre as oferendas
paixão e do cuidado os fundamentos
da convivência entre todos, nós vos
Ó Deus, que estas oferendas la-
pedimos. vem os nossos pecados e nos san-
5. Concedei que nossas celebrações e tifiquem inteiramente para ce-
nossa oração cotidiana nos transfigu- lebrarmos a Páscoa. Por Cristo,
rem sempre mais na vossa imagem e nosso Senhor.
semelhança, nós vos pedimos.
Pode haver outras preces da comunidade. Prefácio:
PR: Concluamos com a oração da Cam- a transfiguração do Senhor
panha da Fraternidade:
Na verdade, é justo e necessário,
L1: Deus, nosso Pai, fonte da vida e
princípio do bem viver, / criastes o ser é nosso dever e salvação dar-vos
humano e lhe confiastes o mundo / graças, sempre e em todo lugar,
como um jardim a ser cultivado com Senhor, Pai santo, Deus eterno
amor. e todo-poderoso, por Cristo, Se-
L2: Dai-nos um coração acolhedor / nhor nosso. Tendo predito aos
para assumir a vida como dom e com-
promisso. / Abri nossos olhos para ver discípulos a própria morte, Je-
/ as necessidades dos nossos irmãos e sus lhes mostra, na montanha
irmãs, / sobretudo dos mais pobres e sagrada, todo o seu esplendor.
marginalizados.
E com o testemunho da lei e dos
L1: Ensinai-nos a sentir verdadeira com-
paixão, / expressa no cuidado fraterno,
profetas, simbolizados em Moi-
/ próprio de quem reconhece no pró- sés e Elias, nos ensina que, pela
ximo / o rosto do vosso Filho. paixão e cruz, chegará à glória
37 Dia 8
da ressurreição. E, enquanto es- empenhamos em render-vos
peramos a realização plena de graças, porque nos concedeis,
vossas promessas, com os anjos ainda na terra, participar das coi-
e com todos os santos, nós vos sas do céu. Por Cristo, nosso Se-
aclamamos, cantando (dizendo) nhor.
a uma só voz…
Sugestão: Oração Eucarística III (página 11). RITOS FINAIS
Antífona da comunhão: Este é o meu A Campanha da Fraternidade deste ano
Filho muito amado, no qual eu pus nos propõe o tema “Fraternidade e vida:
todo o meu amor: escutai-o! (Mt 17,5) dom e compromisso” e o lema “Viu, sen-
tiu compaixão e cuidou dele”, baseado
Depois da comunhão no Evangelho de Lucas 10,33. Somos
motivados a refletir, principalmente ao
Nós comungamos, Senhor Deus, longo da Quaresma, sobre esses impor-
no mistério da vossa glória e nos tantes apelos.

TRANSFIGURADOS PELO AMOR


Pe. Paulo Bazaglia, ssp
A glória divina, resplandecente de luz, Para os três discípulos e para nós, per-
manifesta-se em Jesus acompanhada manecem duas ordens. A primeira, vinda
pelas nuvens e pela voz que deixa claro: do Pai, consiste em ouvir o Filho amado.
ele é o Filho amado pelo Pai. Ouvir é a atitude fundamental dos dis-
Os detalhes da cena fazem pensar em cípulos. Ouvir Jesus é entender o que
Moisés, que voltava do monte Sinai com disse e fez, para que seu ensinamento
o rosto resplandecente por ter estado esteja vivo em nossa vida e assim, de
na presença de Deus. A luz intensa que algum modo, possamos continuar hoje
brilha no rosto e nas vestes de Jesus, ao a mesma missão que o Pai lhe confiou. A
invés, não vem de fora. Vem dele mesmo, outra ordem vem do próprio Jesus, que,
pois aquele Mestre que vivia no meio de após tocar os discípulos, lhes diz que se
gente pobre, nas periferias, é ele próprio levantem e não tenham medo de enfren-
o Senhor da história. Não se manifesta tar os desafios da realidade.
glorioso, na capital Jerusalém, a uma mul- Nesta caminhada de preparação para
tidão de pessoas, mas numa montanha a Páscoa, o Senhor continua a se revelar
qualquer, a três discípulos. a nós. Ele se manifesta de tantos mo-
A transfiguração foi uma antecipação dos, reanima nossa fé, alimenta nossa
– momentânea – da glória do Senhor esperança, faz-nos vencer a tristeza e
ressuscitado. Uma experiência sem igual, fortalece nossa missão de seguidores. É
tanto que Pedro sugere armar tendas preciso, porém, voltar sempre à realidade,
para continuar ali. O Senhor glorioso, às tantas realidades de sofrimento e dor
porém, deverá antes entregar a própria que precisam ser transfiguradas. Afinal,
vida, passando pelo sofrimento e pela como disse santo Irineu, o que é a glória
morte. Pois o Senhor da glória é o servo divina, senão o ser humano vivendo ple-
sofredor que entrega a vida por amor. namente?

Círculo bíblico, páginas 20s.

Dia 8 38
9
SEGUNDA-FEIRA prestado ouvidos a teus servos,
2ª SEMANA DA QUARESMA* os profetas, que, em teu nome,
(roxo – ofício do dia)
falaram a nossos reis e príncipes,
a nossos antepassados e a todo o
RITOS INICIAIS povo do país. 7A ti, Senhor, con-
Antífona da entrada: Tende com- vém a justiça; e a nós, hoje, resta-
paixão de mim, ó Deus, e libertai-me! -nos ter vergonha no rosto: seja
Meus pés estão firmes no caminho
reto, nas assembleias bendirei ao Se- ao homem de Judá, aos habitan-
nhor (Sl 25,11s). tes de Jerusalém e a todo Israel,
Ao nos reconhecermos pecadores seja aos que moram perto e aos
diante de Deus, abrimos espaço à sua que moram longe, de todos os
misericórdia e ao seu perdão. Esta países para onde os escorraçaste
liturgia nos convida a ser, a exemplo por causa das infidelidades co-
do Pai, misericordiosos com nossos ir-
mãos e irmãs. metidas contra ti. 8A nós, Senhor,
resta-nos ter vergonha no rosto:
Oração do dia a nossos reis e príncipes e a nos-
Deus, que, para remédio e salva- sos antepassados, pois que peca-
ção nossa, nos ordenais a prática mos contra ti; 9mas a ti, Senhor,
da mortificação, concedei que nosso Deus, cabe misericórdia e
possamos evitar todo pecado e perdão, pois nos temos rebelado
cumprir de coração os manda- contra ti 10e não ouvimos a voz do
mentos do vosso amor. Por nosso Senhor, nosso Deus, indicando-
Senhor Jesus Cristo... -nos o caminho de sua lei, que
nos propôs mediante seus ser-
LITURGIA DA PALAVRA vos, os profetas”. – Palavra do
Prestemos ouvidos à Palavra do Senhor, Senhor.
a qual nos fala da sua misericórdia e nos
adverte contra as atitudes de julgamento Salmo responsorial 78(79)
e condenação em nossas relações.
O Senhor não nos trata como exi-
Leitura (Daniel 9,4-10) gem nossas faltas.
Leitura da profecia de Daniel 1. Não lembreis as nossas culpas
– 4“Eu te suplico, Senhor, Deus do passado, † mas venha logo
grande e terrível, que preservas sobre nós vossa bondade, / pois
a aliança e a benevolência aos estamos humilhados em extre-
que te amam e cumprem teus mo. – R.
mandamentos; 5temos pecado, 2. Ajudai-nos, nosso Deus e sal-
temos praticado a injustiça e a vador! † Por vosso nome e vos-
impiedade, temos sido rebeldes, sa glória, libertai-nos! / Por vosso
afastando-nos de teus manda- nome, perdoai nossos pecados!
mentos e de tua lei; 6não temos – R.
39 Dia 9
3. Até vós chegue o gemido dos 3. Por nossa sociedade, para que se
cativos: † libertai com vosso bra- abra aos valores do evangelho e viva
o amor e o perdão, rezemos.
ço poderoso / os que foram con-
4. Pelos doentes e por todas as pessoas
denados a morrer! / Quanto a nós, que passam por algum tipo de sofri-
vosso rebanho e vosso povo, † mento, para que o Senhor os conforte
celebraremos vosso nome para e fortaleça, rezemos. Preces espontâneas.
sempre, / de geração em geração
LITURGIA EUCARÍSTICA
vos louvaremos. – R.
Sobre as oferendas
Evangelho (Lucas 6,36-38)
Acolhei, ó Deus, as nossas pre-
Glória a Cristo, Palavra eterna do Pai,
que é amor! ces e preservai das seduções do
Senhor, tuas palavras são espírito, são
mundo os que chamais a cele-
vida; / só tu tens palavras de vida eter- brar vosso mistério. Por Cristo,
na! (Jo 6,63.68) – R. nosso Senhor.
Proclamação do evangelho de Antífona da comunhão: Sede mise-
ricordiosos, diz o Senhor, como vosso
Jesus Cristo segundo Lucas – Pai que está nos céus (Lc 6,36).
Naquele tempo, disse Jesus aos
seus discípulos: 36“Sede miseri- Depois da comunhão
cordiosos, como também o vos- Ó Deus, que esta comunhão nos
so Pai é misericordioso. 37Não jul- purifique do pecado e nos faça
gueis e não sereis julgados; não participar da celeste alegria. Por
condeneis e não sereis conde- Cristo, nosso Senhor.
nados; perdoai e sereis perdoa-
dos. 38Dai e vos será dado. Uma *COMEMORAÇÃO FACULTATIVA
SANTA FRANCISCA ROMANA
boa medida, calcada, sacudida, (roxo – ofício da memória)
transbordante será colocada no Francisca nasceu em Roma, em 1384, e lá
vosso colo; porque, com a mes- faleceu em 1440. Foi uma esposa e mãe
ma medida com que medirdes exemplar, que se tornou religiosa após
os outros, vós também sereis a morte dos filhos e do esposo. Fundou
uma comunidade monástica reconhe-
medidos”. – Palavra da salvação. cida pela dedicação aos pobres e aos
Preces da assembleia doentes. Sua comemoração nos inspire
a voltar o olhar para os necessitados de
1. Pelas Igrejas cristãs, para que sejam
cura e da compaixão do Senhor.
sinais do perdão e da misericórdia de
Deus, rezemos. Oração do dia: Ó Deus, que nos destes
em santa Francisca Romana admirável
AS: Ajudai-nos, ó Pai, modelo de esposa e de monja, fazei-
a ser misericordiosos. -nos sempre fiéis ao vosso serviço, para
2. Pelos fiéis católicos, para que apren- que possamos reconhecer e seguir a
dam a tratar os outros com a miseri- vossa vontade em todas as circunstân-
córdia e a bondade com que o Senhor cias da vida. Por nosso Senhor Jesus
trata a cada um, rezemos. Cristo...

Dia 9 40
10
TERÇA-FEIRA a viúva. 18Vinde, debatamos –
2ª SEMANA DA QUARESMA diz o Senhor. Ainda que vossos
(roxo – ofício do dia)
pecados sejam como púrpura,
tornar-se-ão brancos como a ne-
RITOS INICIAIS ve. Se forem vermelhos como o
Antífona da entrada: Iluminai meus carmesim, tornar-se-ão como lã.
olhos, Senhor, guardai-me do sono da 19Se consentirdes em obedecer,
morte. Que meu inimigo não possa
dizer: triunfei sobre ele (Sl 12,4s). comereis as coisas boas da terra.
A liturgia nos convida a abandonar
20
Mas se recusardes e vos rebe-
todo mal e nos dedicarmos à prática lardes, pela espada sereis devo-
do bem, realizando, com espírito hu- rados, porque a boca do Senhor
milde, aquilo que professamos. falou! – Palavra do Senhor.
Oração do dia Salmo responsorial 49(50)
Guardai, Senhor Deus, a vossa A todos os que procedem retamen-
Igreja com vossa constante pro- te / eu mostrarei a salvação que
teção e, como a fraqueza huma- vem de Deus.
na desfalece sem vosso auxílio, 1. “Eu não venho censurar teus
livrai-nos constantemente do sacrifícios, / pois sempre estão
mal e conduzi-nos pelos cami- perante mim teus holocaustos;
nhos da salvação. Por nosso Se- / não preciso dos novilhos de
nhor Jesus Cristo, vosso Filho, na tua casa / nem dos carneiros que
unidade do Espírito Santo. estão nos teus rebanhos. – R.
LITURGIA DA PALAVRA 2. Como ousas repetir os meus
Observar os mandamentos do Senhor preceitos / e trazer minha aliança
é oferecer-lhe um sacrifício agradável em tua boca? / Tu que odiaste
e reconhecê-lo como o Pai que torna a minhas leis e meus conselhos /
todos irmãos e irmãs. e deste as costas às palavras dos
Leitura (Isaías 1,10.16-20) meus lábios! – R.
Leitura do livro do profeta Isaías 3. Diante disso que fizeste, eu ca-
– 10 Ouvi a palavra do Senhor, larei? / Acaso pensas que eu sou
magistrados de Sodoma, pres- igual a ti? / É disso que te acuso
tai ouvidos ao ensinamento do e repreendo, / e manifesto essas
nosso Deus, povo de Gomorra. coisas aos teus olhos. – R.
16
Lavai-vos, purificai-vos. Tirai a 4. Quem me oferece um sacrifício
maldade de vossas ações de mi- de louvor, / este, sim, é que me
nha frente. Deixai de fazer o mal! honra de verdade. / A todo ho-
17
Aprendei a fazer o bem! Procu- mem que procede retamente /
rai o direito, corrigi o opressor. eu mostrarei a salvação que vem
Julgai a causa do órfão, defendei de Deus.” – R.
41 Dia 10
Evangelho (Mateus 23,1-12) chamem de guias, pois um só é
Salve, ó Cristo, imagem do Pai, / a plena o vosso guia, Cristo. 11Pelo contrá-
verdade nos comunicai! rio, o maior dentre vós deve ser
Lançai para bem longe toda a vossa aquele que vos serve. 12Quem se
iniquidade! / Criai em vós um novo exaltar será humilhado, e quem
espírito e um novo coração! (Ez 18,31) se humilhar será exaltado”. – Pa-
– R.
lavra da salvação.
Proclamação do evangelho de Preces da assembleia
Jesus Cristo segundo Mateus – 1. Para que o Senhor firme a Igreja
Naquele tempo, 1Jesus falou às na humildade e na disposição para o
multidões e aos seus discípulos serviço generoso, rezemos.
e lhes disse: 2“Os mestres da lei e AS: Senhor,
os fariseus têm autoridade para mostrai-nos a vossa salvação.
interpretar a lei de Moisés. 3Por 2. Para que o Senhor conduza as autori-
dades no caminho do desprendimento
isso, deveis fazer e observar tudo e da defesa dos mais fracos, rezemos.
o que eles dizem. Mas não imiteis 3. Para que o Senhor conceda a seus
suas ações! Pois eles falam e não fiéis viver com zelo e retidão as práticas
praticam. 4Amarram pesados quaresmais, rezemos.
fardos e os colocam nos ombros 4. Para que o Senhor nos anime a nos
dos outros, mas eles mesmos pormos ao lado dos pobres na luta por
não estão dispostos a movê-los dignidade, rezemos.
Preces espontâneas.
nem sequer com um dedo. 5Fa-
zem todas as suas ações só para LITURGIA EUCARÍSTICA
serem vistos pelos outros. Eles
usam faixas largas, com trechos Sobre as oferendas
da Escritura, na testa e nos braços Dignai-vos, ó Deus, santificar-nos
e põem na roupa longas franjas. por este sacramento. Que ele nos
6
Gostam de lugar de honra nos cure dos vícios terrenos e nos
banquetes e dos primeiros luga- conduza para os bens celestes.
res nas sinagogas. 7Gostam de Por Cristo, nosso Senhor.
ser cumprimentados nas praças Antífona da comunhão: Narrarei,
públicas e de serem chamados Senhor, as vossas maravilhas, em vós
me alegro e exulto; cantarei o vosso
de mestre. nome, Deus altíssimo! (Sl 9,2s)
8
Quanto a vós, nunca vos deixeis
chamar de mestre, pois um só Depois da comunhão
é vosso mestre e todos vós sois Ó Deus, que a participação na
irmãos. 9Na terra, não chameis mesa sagrada faça crescer em
a ninguém de pai, pois um só nós o amor fraterno e nos asse-
é vosso Pai, aquele que está gure sempre o vosso auxílio. Por
nos céus. 10Não deixeis que vos Cristo, nosso Senhor.
Dia 10 42
11
QUARTA-FEIRA vamos prestar atenção a todas
2ª SEMANA DA QUARESMA as suas palavras”. 19Atende-me,
(roxo – ofício do dia)
Senhor, ouve o que dizem meus
adversários. 20Acaso pode-se re-
RITOS INICIAIS
tribuir o bem com o mal? Pois
Antífona da entrada: Não me aban- eles cavaram uma cova para mim.
doneis jamais, Senhor, meu Deus, não
fiqueis longe de mim! Depressa, vinde
Lembra-te de que fui à tua pre-
em meu auxílio, ó Senhor, minha sal- sença para interceder por eles
vação (Sl 37,22s). e tentar afastar deles a tua ira.
Somos chamados a seguir Jesus com – Palavra do Senhor.
a compreensão de que, no reino de
Deus, poder é sinônimo de serviço. O Salmo responsorial 30(31)
Senhor nos conceda a graça de sem- Salvai-me pela vossa compaixão,
pre recorrermos a ele em meio às pro-
vações.
ó Senhor Deus!
1. Retirai-me desta rede traiçoei-
Oração do dia ra, / porque sois o meu refúgio
Ó Deus, conservai constante- protetor! / Em vossas mãos, Se-
mente vossa família na prática nhor, entrego o meu espírito, /
das boas obras e, assim como porque vós me salvareis, ó Deus
nos confortais agora com vossos fiel! – R.
auxílios, conduzi-nos aos bens 2. Ao redor, todas as coisas me
eternos. Por nosso Senhor Jesus apavoram; / ouço muitos cochi-
Cristo, vosso Filho, na unidade chando contra mim; / todos jun-
do Espírito Santo. tos se reúnem, conspirando / e
LITURGIA DA PALAVRA pensando como vão tirar-me a
Seguir o Senhor exige de nós disposição vida. – R.
para servir, empenhando a própria vi- 3. A vós, porém, ó meu Senhor,
da. Ouvindo sua Palavra, confiemo-nos eu me confio / e afirmo que só
totalmente a ele, certos de que sua pro-
teção estará sempre conosco. vós sois o meu Deus! / Eu entrego
em vossas mãos o meu destino;
Leitura (Jeremias 18,18-20) / libertai-me do inimigo e do
Leitura do livro do profeta Jere- opressor! – R.
mias – Naqueles dias, 18disseram
Evangelho (Mateus 20,17-28)
eles: “Vinde para conspirarmos
juntos contra Jeremias; um sa- Salve, Cristo, luz da vida, / companheiro
na partilha!
cerdote não deixará morrer a lei;
Eu sou a luz do mundo; / aquele que
nem um sábio, o conselho; nem me segue / não caminha entre as tre-
um profeta, a palavra. Vinde para vas, / mas terá a luz da vida (Jo 8,12).
o atacarmos com a língua, e não – R.

43 Dia 11
Proclamação do evangelho de nações têm poder sobre elas e
Jesus Cristo segundo Mateus – os grandes as oprimem. 26Entre
Naquele tempo, 17enquanto Je- vós não deverá ser assim. Quem
sus subia para Jerusalém, ele to- quiser tornar-se grande torne-se
mou os doze discípulos à parte vosso servidor; 27quem quiser ser
e, durante a caminhada, disse- o primeiro seja vosso servo. 28Pois
-lhes: 18“Eis que estamos subindo o Filho do homem não veio pa-
para Jerusalém, e o Filho do ho- ra ser servido, mas para servir e
mem será entregue aos sumos dar a sua vida como resgate em
sacerdotes e aos mestres da lei. favor de muitos”. – Palavra da
Eles o condenarão à morte 19e salvação.
o entregarão aos pagãos para
Preces da assembleia
zombarem dele, para flagelá-lo
e crucificá-lo. Mas no terceiro 1. Pela Igreja no Brasil e pelos obje-
tivos da Campanha da Fraternidade,
dia ressuscitará”. 20A mãe dos fi- que convida a sociedade a despertar
lhos de Zebedeu aproximou- para o sentido da vida como dom e
-se de Jesus com seus filhos e compromisso, rezemos.
ajoelhou-se com a intenção de AS: Senhor, nosso refúgio protetor,
fazer um pedido. 21Jesus pergun- ouvi-nos.
tou: “O que tu queres?” Ela res- 2. Pelos servidores das comunidades,
pondeu: “Manda que estes meus para que o Senhor os livre de toda bus-
dois filhos se sentem, no teu ca de autopromoção e de toda forma
de vaidade, rezemos.
reino, um à tua direita e outro
3. Pelos perseguidos por causa da jus-
à tua esquerda”. 22Jesus, então, tiça e da opção pelo reino de Deus, pa-
respondeu-lhes: “Não sabeis o ra que o Senhor lhes dê fortaleza na
que estais pedindo. Por acaso missão, rezemos.
podeis beber o cálice que eu 4. Por esta assembleia celebrante, para
vou beber?” Eles responderam: que o Senhor fortaleça em nós a dispo-
“Podemos”. 23Então Jesus lhes sição para fazer o bem em qualquer cir-
cunstância, rezemos.
disse: “De fato, vós bebereis do
Preces espontâneas.
meu cálice, mas não depende de
mim conceder o lugar à minha LITURGIA EUCARÍSTICA
direita ou à minha esquerda. Meu
Pai é quem dará esses lugares Sobre as oferendas
àqueles para os quais ele os pre- Considerai, ó Deus, com bonda-
parou”. 24Quando os outros dez de, as oferendas que vos apre-
discípulos ouviram isso, ficaram sentamos e concedei-nos, por
irritados contra os dois irmãos. meio delas, o perdão dos nos-
25
Jesus, porém, chamou-os e dis- sos pecados. Por Cristo, nosso
se: “Vós sabeis que os chefes das Senhor.
Dia 11 44
Antífona da comunhão: O Filho do da sua Palavra é para que evitemos dei-
homem veio não para ser servido, mas xar nosso coração afastar-se dele, fazen-
para servir e dar a sua vida pela salva- do opções enganosas.
ção de todos (Mt 20,28).
Leitura (Jeremias 17,5-10)
Depois da comunhão
Leitura do livro do profeta Jere-
Senhor nosso Deus, vós quises- mias – 5Isto diz o Senhor: “Maldi-
tes que a Eucaristia fosse para to o homem que confia no ho-
nós penhor da imortalidade. Fa- mem e faz consistir sua força na
zei que ela nos conduza à eterna carne humana, enquanto o seu
salvação. Por Cristo, nosso Se- coração se afasta do Senhor; 6co-
nhor. mo os cardos no deserto, ele não

12
vê chegar a floração, prefere ve-
QUINTA-FEIRA
getar na secura do ermo, em re-
2ª SEMANA DA QUARESMA
(roxo – ofício do dia) gião salobra e desabitada.
7
Bendito o homem que confia
RITOS INICIAIS no Senhor, cuja esperança é o
Antífona da entrada: Provai-me, ó
Senhor; 8é como a árvore plan-
Deus, e conhecei meus pensamentos: tada junto às águas, que esten-
vede se ando pela vereda do mal e de as raízes em busca de umida-
conduzi-me no caminho da eternidade de, por isso não teme a chegada
(Sl 138,23s). do calor: sua folhagem mantém-
Depositando nossa confiança e espe- -se verde, não sofre míngua em
rança no Senhor e produzindo frutos
de atenção e cuidado em favor de
tempo de seca e nunca deixa de
nossos irmãos e irmãs, especialmente dar frutos. 9Em tudo é engana-
dos mais necessitados, receberemos dor o coração, e isso é incurável;
de Deus a consolação. quem poderá conhecê-lo? 10Eu
Oração do dia sou o Senhor, que perscruto o
coração e provo os sentimentos,
Ó Deus, que amais e restaurais
que dou a cada qual conforme o
a inocência, orientai para vós
seu proceder e conforme o fru-
os corações dos vossos filhos e
to de suas obras”. – Palavra do
filhas, para que, renovados pelo
Senhor.
vosso Espírito, sejamos firmes
na fé e eficientes nas obras. Por Salmo responsorial 1
nosso Senhor Jesus Cristo, vosso É feliz quem a Deus se confia!
Filho, na unidade do Espírito
1. Feliz é todo aquele que não an-
Santo.
da / conforme os conselhos dos
LITURGIA DA PALAVRA perversos; / que não entra no ca-
Fonte da felicidade e da vida, Deus co- minho dos malvados / nem junto
nhece o coração humano. A exortação aos zombadores vai sentar-se; /

45 Dia 12
mas encontra seu prazer na lei jos levaram-no para junto de
de Deus / e a medita, dia e noite, Abraão. Morreu também o rico
sem cessar. – R. e foi enterrado. 23Na região dos
É feliz quem a Deus se confia! mortos, no meio dos tormentos,
2. Eis que ele é semelhante a uma o rico levantou os olhos e viu
árvore / que à beira da torrente de longe a Abraão, com Lázaro
está plantada; / ela sempre dá ao seu lado. 24Então gritou: ‘Pai
seus frutos a seu tempo, † e ja- Abraão, tem piedade de mim!
mais as suas folhas vão murchar. Manda Lázaro molhar a ponta do
/ Eis que tudo o que ele faz vai dedo para me refrescar a língua,
prosperar. – R. porque sofro muito nestas cha-
3. Mas bem outra é a sorte dos mas’. 25Mas Abraão respondeu:
perversos. † Ao contrário, são ‘Filho, lembra-te que tu rece-
iguais à palha seca / espalhada beste teus bens durante a vida
e dispersada pelo vento. / Pois e Lázaro, por sua vez, os males.
Deus vigia o caminho dos eleitos, Agora, porém, ele encontra aqui
/ mas a estrada dos malvados le- consolo e tu és atormentado.
va à morte. – R.
26
E, além disso, há um grande
abismo entre nós: por mais que
Evangelho (Lucas 16,19-31) alguém desejasse, não poderia
Glória a Cristo, Palavra eterna do Pai, passar daqui para junto de vós e
que é amor!
nem os daí poderiam atravessar
Felizes os que observam / a Palavra do até nós’. 27O rico insistiu: ‘Pai, eu
Senhor de reto coração / e que produ-
zem muitos frutos, / até o fim perseve- te suplico, manda Lázaro à casa
rantes! (Lc 8,15) – R. do meu pai, 28porque eu tenho
Proclamação do evangelho de cinco irmãos. Manda preveni-los,
Jesus Cristo segundo Lucas – para que não venham também
Naquele tempo, disse Jesus aos eles para este lugar de tormento’.
fariseus: 19“Havia um homem ri-
29
Mas Abraão respondeu: ‘Eles
co, que se vestia com roupas fi- têm Moisés e os profetas, que
nas e elegantes e fazia festas es- os escutem!’ 30 O rico insistiu:
plêndidas todos os dias. 20Um po- ‘Não, pai Abraão, mas se um dos
bre, chamado Lázaro, cheio de mortos for até eles, certamente
feridas, estava no chão, à porta vão se converter’. 31Mas Abraão
do rico. 21Ele queria matar a fome lhe disse: ‘Se não escutam a Moi-
com as sobras que caíam da me- sés nem aos profetas, eles não
sa do rico. E, além disso, vinham acreditarão, mesmo que alguém
os cachorros lamber suas feridas. ressuscite dos mortos’”. – Palavra
22
Quando o pobre morreu, os an- da salvação.
Dia 12 46
Preces da assembleia para sempre. Vós me tirais do laço que
1. Pela Igreja, para que sempre se ani- me armaram, vós sois meu protetor
me a buscar na liturgia a fonte da fide- (Sl 30,2.5).
lidade ao Reino, rezemos. A liturgia nos lembra que a maldade
AS: Conduzi-nos, ó Pai, humana não tem a última palavra,
para junto de vós. mas é superada pela bondade divina.
Pela morte de seu Filho amado, Deus
2. Pelos fiéis cristãos, para que resistam concedeu-nos a salvação. Celebrando
ao pecado e dirijam os passos no cami- o sétimo aniversário da eleição do
nho da justiça e da verdade, rezemos. papa Francisco neste tempo quares-
3. Pelos ricos, cujas práticas oprimem mal, rezemos em sua intenção e cul-
e desamparam os pobres, para que se tivemos, cada vez mais, o desejo de
convertam, rezemos. conversão.
4. Por todos nós, para que renuncie-
mos ao que é enganoso e supérfluo e
Oração do dia
firmemos o compromisso de socorrer Concedei-nos, ó Deus todo-po-
os necessitados, rezemos. deroso, que, purificados pelo es-
Preces espontâneas.
forço da penitência, cheguemos
LITURGIA EUCARÍSTICA de coração sincero às festas da
Páscoa, que se aproximam. Por
Sobre as oferendas nosso Senhor Jesus Cristo, vos-
Ó Deus, por este sacrifício, santi- so Filho, na unidade do Espírito
ficai nossa Quaresma, de modo Santo.
que sua observância externa pos- OU (pelo papa)
sa frutificar em nossos corações. Ó Deus, que na vossa providên-
Por Cristo, nosso Senhor. cia quisestes edificar a vossa
Antífona da comunhão: Felizes aque- Igreja sobre são Pedro, chefe dos
les cuja vida é pura, os que andam na apóstolos, fazei que o nosso pa-
lei do Senhor! (Sl 118,1) pa Francisco, que constituístes
Depois da comunhão sucessor de Pedro, seja para o
Ó Deus, que esta Eucaristia con- vosso povo o princípio e o fun-
tinue a agir em nós e prolongue damento visível da unidade da
seus efeitos em nossa vida. Por fé e da comunhão na caridade.
Cristo, nosso Senhor. Por nosso Senhor Jesus Cristo,

13
vosso Filho, na unidade do Espí-
SEXTA-FEIRA rito Santo.
2ª SEMANA DA QUARESMA LITURGIA DA PALAVRA
(roxo – ofício do dia)
A inveja e a cobiça corroem os corações
e nos afastam dos planos de Deus. Que
RITOS INICIAIS
a Palavra do Senhor interpele o nosso
Antífona da entrada: Senhor, a vós coração, para que produzamos bons e
recorro, que eu não seja confundido abundantes frutos.

47 Dia 13
Leitura (Gênesis 37,3-4. çaram-no numa cisterna que não
12-13.17-28) tinha água. 25Depois, sentaram-
Leitura do livro do Gênesis – 3Is- -se para comer. Levantando os
rael amava mais a José do que olhos, avistaram uma caravana
a todos os outros filhos, porque de ismaelitas que se aproxima-
lhe tinha nascido na velhice. E va, proveniente de Galaad. Os
por isso mandou fazer para ele camelos iam carregados de es-
uma túnica de mangas longas. peciarias, bálsamo e resina, que
4
Vendo os irmãos que o pai o transportavam para o Egito. 26E
amava mais do que a todos eles, Judá disse aos irmãos: “Que pro-
veito teríamos em matar nosso
odiavam-no e já não lhe podiam
irmão e ocultar o seu sangue?
falar pacificamente. 12Ora, como 27
É melhor vendê-lo a esses is-
os irmãos de José tinham ido
maelitas e não manchar nossas
apascentar o rebanho do pai
mãos, pois ele é nosso irmão e
em Siquém, 13disse Israel a José: nossa carne”. Concordaram os
“Teus irmãos devem estar com irmãos com o que dizia. 28Ao pas-
os rebanhos em Siquém. Vem, sarem os comerciantes madia-
vou enviar-te a eles”. 17Partiu, nitas, tiraram José da cisterna
pois, José atrás de seus irmãos e e, por vinte moedas de prata, o
encontrou-os em Dotaim. 18Eles, venderam aos ismaelitas; e estes
porém, tendo-o visto ao longe, o levaram para o Egito. – Palavra
antes que se aproximasse, tra- do Senhor.
maram a sua morte. 19Disseram
entre si: “Aí vem o sonhador! Salmo responsorial 104(105)
20
Vamos matá-lo e lançá-lo numa Lembrai sempre as maravilhas do
cisterna, depois diremos que um Senhor!
animal feroz o devorou. Assim 1. Mandou vir, então, a fome so-
veremos de que lhe servem os bre a terra / e os privou de todo
sonhos”. 21Rúben, porém, ou- pão que os sustentava; / um ho-
vindo isso, disse-lhes: 22“Não lhe mem enviara à sua frente, / José,
tiremos a vida!” E acrescentou: que foi vendido como escravo.
“Não derrameis sangue, mas lan- – R.
çai-o naquela cisterna do deserto 2. Apertaram os seus pés entre
e não o toqueis com as vossas grilhões / e amarraram seu pes-
mãos”. Dizia isso porque queria coço com correntes, / até que se
livrá-lo das mãos deles e devolvê- cumprisse o que previra, / e a pa-
lo ao pai. 23Assim que José che- lavra do Senhor lhe deu razão.
gou perto dos irmãos, estes des- – R.
pojaram-no da túnica de man- 3. Ordenou, então, o rei que o
gas longas, pegaram nele 24e lan- libertassem, / o soberano das na-
Dia 13 48
ções mandou soltá-lo; / fez dele entre si: ‘Este é o herdeiro. Vinde,
o senhor de sua casa / e de to- vamos matá-lo e tomar posse da
dos os seus bens o despensei- sua herança!’ 39Então agarraram
ro. – R. o filho, jogaram-no para fora da
Evangelho (Mt 21,33-43.45-46) vinha e o mataram. 40Pois bem,
quando o dono da vinha voltar,
Jesus Cristo, sois bendito, / sois o ungido
de Deus Pai! o que fará com esses vinhatei-
Deus o mundo tanto amou, / que lhe ros?” 41Os sumos sacerdotes e os
deu seu próprio Filho, / para que todo anciãos do povo responderam:
o que nele crer / encontre vida eterna “Com certeza mandará matar de
(Jo 3,16). – R. modo violento esses perversos
Proclamação do evangelho de e arrendará a vinha a outros vi-
Jesus Cristo segundo Mateus – nhateiros, que lhe entregarão os
Naquele tempo, dirigindo-se Je- frutos no tempo certo”. 42Então
sus aos chefes dos sacerdotes e Jesus lhes disse: “Vós nunca les-
aos anciãos do povo, disse-lhes: tes nas Escrituras: ‘A pedra que os
33
“Escutai esta outra parábola: construtores rejeitaram tornou-
certo proprietário plantou uma -se a pedra angular; isto foi feito
vinha, pôs uma cerca em volta, pelo Senhor e é maravilhoso aos
fez nela um lagar para esmagar nossos olhos’? 43Por isso eu vos
as uvas e construiu uma torre digo, o reino de Deus vos será ti-
de guarda. Depois, arrendou- rado e será entregue a um povo
-a a vinhateiros e viajou para o que produzirá frutos”. 45Os sumos
estrangeiro. 34Quando chegou o sacerdotes e fariseus ouviram as
tempo da colheita, o proprietário parábolas de Jesus e compreen-
mandou seus empregados aos deram que estava falando deles.
vinhateiros para receber seus 46
Procuraram prendê-lo, mas fi-
frutos. 35Os vinhateiros, porém, caram com medo das multidões,
agarraram os empregados, es- pois elas consideravam Jesus um
pancaram a um, mataram a outro profeta. – Palavra da salvação.
e ao terceiro apedrejaram. 36O
Preces da assembleia
proprietário mandou de novo
outros empregados, em maior 1. Para que o Senhor ampare a Igreja
número do que os primeiros. diante das incompreensões e perse-
guições, rezemos.
Mas eles os trataram da mesma
AS: Deus de amor e bondade,
forma. 37Finalmente, o proprie- ouvi-nos.
tário enviou-lhes o seu filho,
2. Para que o Senhor fortaleça o papa
pensando: ‘Ao meu filho eles vão Francisco em sua missão de pastor e
respeitar’. 38Os vinhateiros, po- lhe conceda saúde e perseverança, re-
rém, ao verem o filho, disseram zemos.

49 Dia 13
3. Para que o Senhor firme as famílias Abraçados pela sua infinita miseri-
na fraternidade, na harmonia e na bus- córdia, recordemos seus inúmeros fa-
ca do bem, rezemos. vores e o bendigamos com esta ce-
AS: Deus de amor e bondade, lebração.
ouvi-nos.
4. Para que o Senhor socorra seus filhos
Oração do dia
e filhas que, no campo e na cidade, são Ó Deus, que, pelos exercícios da
submetidos a condições desumanas Quaresma, já nos dais na terra
de trabalho e de vida, rezemos.
Preces espontâneas.
participar dos bens do céu, guiai-
-nos de tal modo nesta vida, que
LITURGIA EUCARÍSTICA possamos chegar à luz em que
habitais. Por nosso Senhor Jesus
Sobre as oferendas
Cristo...
Ó Deus, que a vossa misericórdia
prepare os corações dos vossos LITURGIA DA PALAVRA
fiéis e os leve, por uma vida santa, Na liturgia da Palavra, façamos a ex-
à plenitude dos mistérios que periência da misericórdia de Deus. Ele
é o Pai que apaga nossos pecados, tem
celebramos. Por Cristo, nosso Se- compaixão de nós e, acolhendo-nos em
nhor. seu amor, nos faz voltar à vida.
Antífona da comunhão: Deus nos
amou e enviou seu Filho, redenção
Leitura (Miqueias 7,14-15.18-20)
pelos nossos pecados (1Jo 4,10). Leitura da profecia de Miqueias
Depois da comunhão – 14Apascenta o teu povo com
o cajado da autoridade, o reba-
Ó Deus, dai-nos caminhar de tal nho de tua propriedade, os ha-
modo, que possamos alcançar bitantes dispersos pela mata e
a salvação eterna, cujo penhor pelos campos cultivados; que
agora recebemos. Por Cristo, nos- eles desfrutem a terra de Basã
so Senhor. e de Galaad, como nos velhos

14
tempos. 15E, como foi nos dias
SÁBADO em que nos fizeste sair do Egito,
2ª SEMANA DA QUARESMA faze-nos ver novos prodígios.
(roxo – ofício do dia)
18
Qual Deus existe, como tu, que
RITOS INICIAIS apagas a iniquidade e esqueces
o pecado daqueles que são res-
Antífona da entrada: O Senhor é mi-
sericórdia e clemência, indulgente e to de tua propriedade? Ele não
cheio de amor. O Senhor é bom para guarda rancor para sempre, o
com todos, misericordioso para todas que ama é a misericórdia. 19Vol-
as suas criaturas (Sl 144,8s). tará a compadecer-se de nós,
Pai que nos ama e acolhe, o Senhor esquecerá nossas iniquidades e
está sempre disposto a perdoar-nos. lançará ao fundo do mar todos os
Dia 14 50
nossos pecados. 20Tu manterás quele tempo, 1os publicanos e
fidelidade a Jacó e terás com- pecadores aproximavam-se de
paixão de Abraão, como juraste Jesus para o escutar. 2Os fariseus,
a nossos pais, desde tempos re- porém, e os mestres da lei critica-
motos. – Palavra do Senhor. vam Jesus: “Este homem acolhe
Salmo responsorial 102(103) os pecadores e faz refeição com
eles”. 3Então, Jesus contou-lhes
O Senhor é indulgente e favorável. esta parábola: 11“Um homem
1. Bendize, ó minha alma, ao Se- tinha dois filhos. 12O filho mais
nhor, / e todo o meu ser, seu novo disse ao pai: ‘Pai, dá-me a
santo nome! / Bendize, ó minha parte da herança que me cabe’.
alma, ao Senhor, / não te esque- E o pai dividiu os bens entre
ças de nenhum de seus favores! eles. 13Poucos dias depois, o filho
– R. mais novo juntou o que era seu
2. Pois ele te perdoa toda culpa / e partiu para um lugar distante.
e cura toda a tua enfermidade; / E ali esbanjou tudo numa vida
da sepultura ele salva a tua vida desenfreada. 14 Quando tinha
/ e te cerca de carinho e compai- gasto tudo o que possuía, hou-
xão. – R. ve uma grande fome naquela
região e ele começou a passar
3. Não fica sempre repetindo as
necessidade. 15Então foi pedir
suas queixas / nem guarda eter-
trabalho a um homem do lugar,
namente o seu rancor. / Não nos
que o mandou para seu campo
trata como exigem nossas faltas
cuidar dos porcos. 16O rapaz que-
/ nem nos pune em proporção
ria matar a fome com a comida
às nossas culpas. – R.
que os porcos comiam, mas nem
4. Quanto os céus por sobre a isso lhe davam. 17Então caiu em
terra se elevam, / tanto é grande si e disse: ‘Quantos empregados
o seu amor aos que o temem; / do meu pai têm pão com fartura,
quanto dista o nascente do po- e eu aqui, morrendo de fome.
ente, / tanto afasta para longe 18
Vou-me embora, vou voltar
nossos crimes. – R. para meu pai e dizer-lhe: ‘Pai, pe-
Evangelho (Lucas 15,1-3.11-32) quei contra Deus e contra ti; 19já
Salve, ó Cristo, imagem do Pai, / a plena não mereço ser chamado teu
verdade nos comunicai! filho. Trata-me como a um dos
Vou voltar e encontrar o meu pai e teus empregados’. 20Então ele
direi: / Meu pai, eu pequei contra o céu partiu e voltou para seu pai.
e contra ti (Lc 15,18). – R. Quando ainda estava longe, o
Proclamação do evangelho de seu pai o avistou e sentiu com-
Jesus Cristo segundo Lucas – Na- paixão. Correu-lhe ao encontro,
51 Dia 14
abraçou-o e cobriu-o de beijos. viver; estava perdido e foi en-
21
O filho, então, lhe disse: ‘Pai, contrado’”. – Palavra da salvação.
pequei contra Deus e contra ti. Preces da assembleia
Já não mereço ser chamado teu 1. Pela Igreja, para que busque sempre
filho’. 22Mas o pai disse aos em- o auxílio do Senhor em sua missão de
pregados: ‘Trazei depressa a me- apascentar o rebanho a ela confiado,
lhor túnica para vestir meu filho. rezemos.
E colocai um anel no seu dedo AS: Pai misericordioso,
ouvi-nos e atendei-nos.
e sandálias nos pés. 23Trazei um
2. Pelas comunidades cristãs, para que
novilho gordo e matai-o. Vamos acolham, com alegria e delicadeza, a
fazer um banquete. 24 Porque volta dos irmãos e irmãs que erraram,
este meu filho estava morto e rezemos.
tornou a viver; estava perdido e 3. Pelos bispos e presbíteros, para que,
foi encontrado’. E começaram a no exercício do ministério da reconci-
festa. 25O filho mais velho estava liação, proporcionem aos pecadores
a experiência do amor de Deus e a
no campo. Ao voltar, já perto de retomada da paz de espírito, rezemos.
casa, ouviu música e barulho 4. Pelos pais e mães cujos filhos se de-
de dança. 26Então chamou um sencaminharam, para que tenham a
dos criados e perguntou o que alegria de vê-los retornar ao seio da fa-
estava acontecendo. 27O criado mília a salvo e com o coração converti-
do, rezemos. Preces espontâneas.
respondeu: ‘É teu irmão que
voltou. Teu pai matou o novilho LITURGIA EUCARÍSTICA
gordo, porque o recuperou com
Sobre as oferendas
saúde’. 28Mas ele ficou com raiva
e não queria entrar. O pai, saindo, Senhor Deus, por este sacramen-
insistia com ele. 29 Ele, porém, to venham até nós os frutos da
respondeu ao pai: ‘Eu trabalho redenção; que eles nos afastem
para ti há tantos anos, jamais dos excessos terrenos e nos con-
desobedeci a qualquer ordem duzam aos bens do vosso reino.
tua. E tu nunca me deste um ca- Por Cristo, nosso Senhor.
brito para eu festejar com meus Antífona da comunhão: É necessário,
amigos. 30Quando chegou esse filho, que te alegres: teu irmão estava
morto e reviveu, perdido e foi achado
teu filho, que esbanjou teus bens (Lc 15,32).
com prostitutas, matas para ele
o novilho cevado’. 31Então o pai Depois da comunhão
lhe disse: ‘Filho, tu estás sempre Ó Deus, que o sacramento rece-
comigo e tudo o que é meu é bido penetre o íntimo do nosso
teu. 32Mas era preciso festejar coração e nos faça participar da
e alegrar-nos, porque este teu sua força. Por Cristo, nosso Se-
irmão estava morto e tornou a nhor.
Dia 14 52
DIA 15 – DOMINGO
3º DA QUARESMA
(roxo, creio, prefácio próprio – 3ª semana do saltério)

RITOS INICIAIS
Antífona da entrada: Quando reconhecer-
des a minha santidade, eu vos reunirei de
todas as nações. Derramarei sobre vós uma
água pura, e sereis purificados de todas as
faltas. Dar-vos-ei um espírito novo, diz o Se-
nhor (Ez 36,23-26).

Celebrando a Eucaristia, aproximamo-nos


de Jesus, dom do Pai e fonte de água viva para a vida eterna. Nele repousa a
esperança que nunca nos decepciona. Vamos, nesta liturgia, beber do poço que é
o próprio Cristo a fim de termos forças para atravessar os desertos da existência.

Oração do dia água, murmurava contra Moisés


Ó Deus, fonte de toda misericór- e dizia: “Por que nos fizeste sair
dia e de toda bondade, vós nos do Egito? Foi para nos fazer mor-
indicastes o jejum, a esmola e a rer de sede, a nós, nossos filhos
oração como remédio contra o e nosso gado?” 4Moisés clamou
pecado. Acolhei esta confissão ao Senhor, dizendo: “Que farei
da nossa fraqueza para que, hu- por este povo? Por pouco não
milhados pela consciência de me apedrejam!” 5O Senhor disse
nossas faltas, sejamos conforta- a Moisés: “Passa adiante do po-
dos pela vossa misericórdia. Por vo e leva contigo alguns anciãos
nosso Senhor Jesus Cristo, vosso de Israel. Toma a tua vara com
Filho, na unidade do Espírito que feriste o rio Nilo e vai. 6Eu es-
Santo. tarei lá, diante de ti, sobre o ro-
chedo, no monte Horeb. Ferirás
LITURGIA DA PALAVRA a pedra e dela sairá água para o
Ouçamos a voz do Senhor, que se faz povo beber”. Moisés assim fez
presente no meio de nós por meio de na presença dos anciãos de Is-
sua Palavra. Sedentos de água viva,
aproximemo-nos do poço onde Jesus
rael. 7E deu àquele lugar o nome
nos oferece seu dom. de Massa e Meriba, por causa da
disputa dos filhos de Israel e por-
I leitura (Êxodo 17,3-7) que tentaram o Senhor, dizendo:
Leitura do livro do Êxodo – Na- “O Senhor está no meio de nós ou
queles dias, 3o povo, sedento de não?” – Palavra do Senhor.
53 Dia 15
Salmo responsorial 94(95) não decepciona, porque o amor
(CD: Cantando os Salmos - Ano A, volume 1, de Deus foi derramado em nos-
faixa 16 – Paulus)
sos corações pelo Espírito San-
Hoje não fecheis o vosso coração, to que nos foi dado. 6Com efei-
/ mas ouvi a voz do Senhor! to, quando éramos ainda fracos,
b
«« «« «« «« Cœ» »œ œ» œ» B «« ««m «« «« «« «m ««
Cristo morreu pelos ímpios, no
m A 7

& b 4 ˆ« «ˆ ˆ« «ˆ l »» »» »» »» l œ»»» œ»»» l ˙« l ˆ« «ˆ ˆ« «ˆ l ˆ«« =


========================== ˆ«j l

tempo marcado. 7Dificilmente


Ref.: o - e n o fe - cheis o vos - so co - ra - o, mas o - vi a vo , a
« « « « « « « « «« « ««m m «« ««ˆ« A««ˆ«
A7 m m Am m m m 7

& b ˆ«« ˆ«« ««ˆ l ««˙« ” W ˆ«« ««ˆ« ˆ«« l W ˆ«« ˆ«« ˆ«« l W ˆ« ˆ«« ˆ« l W ˆ« =
========================== ll
vo do Se - nhor! (Salmodia) alguém morrerá por um justo;
1. Vinde, exultemos de alegria no por uma pessoa muito boa, tal-
Senhor, / aclamemos o rochedo vez alguém se anime a morrer.
que nos salva! / Ao seu encontro 8
Pois bem, a prova de que Deus
caminhemos com louvores / e, nos ama é que Cristo morreu por
com cantos de alegria, o cele- nós quando éramos ainda peca-
bremos! – R. dores. – Palavra do Senhor.
2. Vinde, adoremos e prostremo- Evangelho (João 4,5-42 ou
-nos por terra, / e ajoelhemos an- 5-15.19-26.39-42)
te o Deus que nos criou! / Porque [A forma breve está entre colchetes.]
ele é o nosso Deus, nosso pastor, Glória e louvor a vós, ó Cristo.
† e nós somos o seu povo e seu Na verdade, sois, Senhor, o salvador do
rebanho, / as ovelhas que conduz mundo. / Senhor, dai-me água viva a
com sua mão. – R. fim de eu não ter sede! (Jo 4,42.15) – R.
3. Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: Proclamação do evangelho de
† “Não fecheis os corações como Jesus Cristo segundo João – Na-
em Meriba, / como em Massa, no quele tempo, [5Jesus chegou a
deserto, aquele dia / em que ou- uma cidade da Samaria chamada
trora vossos pais me provocaram, Sicar, perto do terreno que Jacó
/ apesar de terem visto as minhas tinha dado ao seu filho José. 6Era
obras”. – R. aí que ficava o poço de Jacó. Can-
sado da viagem, Jesus sentou-se
II leitura (Romanos 5,1-2.5-8) junto ao poço. Era por volta do
Leitura da carta de são Paulo meio-dia. 7Chegou uma mulher
aos Romanos – Irmãos, 1justifi- da Samaria para tirar água. Jesus
cados pela fé, estamos em paz lhe disse: “Dá-me de beber”. 8Os
com Deus, pela mediação do discípulos tinham ido à cidade
Senhor nosso, Jesus Cristo. 2Por para comprar alimentos. 9A mu-
ele tivemos acesso, pela fé, a esta lher samaritana disse então a
graça, na qual estamos firmes e Jesus: “Como é que tu, sendo ju-
nos gloriamos, na esperança da deu, pedes de beber a mim, que
glória de Deus. 5E a esperança sou uma mulher samaritana?” De
Dia 15 54
fato, os judeus não se dão com neste monte nem em Jerusalém
os samaritanos. 10Respondeu-lhe adorareis o Pai. 22Vós adorais o
Jesus: “Se tu conhecesses o dom que não conheceis. Nós adora-
de Deus e quem é que te pede: mos o que conhecemos, pois a
‘Dá-me de beber’, tu mesma lhe salvação vem dos judeus. 23Mas
pedirias a ele, e ele te daria água está chegando a hora, e é agora,
viva”. 11A mulher disse a Jesus: em que os verdadeiros adorado-
“Senhor, nem sequer tens balde res adorarão o Pai em espírito e
e o poço é fundo. De onde vais verdade. De fato, esses são os
tirar a água viva? 12Por acaso, és adoradores que o Pai procura.
maior que nosso pai Jacó, que 24
Deus é espírito, e aqueles que
nos deu o poço e que dele be- o adoram devem adorá-lo em
beu, como também seus filhos espírito e verdade”. 25A mulher
e seus animais?” 13Respondeu disse a Jesus: “Sei que o Mes-
Jesus: “Todo aquele que bebe sias (que se chama Cristo) vai
desta água terá sede de novo. chegar. Quando ele vier, vai nos
14
Mas quem beber da água que fazer conhecer todas as coisas”.
eu lhe darei, esse nunca mais terá 26
Disse-lhe Jesus: “Sou eu, que
sede. E a água que eu lhe der se estou falando contigo”.]
tornará nele uma fonte de água 27
Nesse momento, chegaram os
que jorra para a vida eterna”. 15A discípulos e ficaram admirados
mulher disse a Jesus: “Senhor, de ver Jesus falando com a mu-
dá-me dessa água, para que eu lher. Mas ninguém perguntou:
não tenha mais sede nem tenha “Que desejas?” ou “Por que falas
de vir aqui para tirá-la”.] com ela?” 28Então a mulher dei-
16
Disse-lhe Jesus: “Vai chamar teu xou o seu cântaro e foi à cidade,
marido e volta aqui”. 17A mulher dizendo ao povo: 29“Vinde ver um
respondeu: “Eu não tenho mari- homem que me disse tudo o que
do”. Jesus disse: “Disseste bem eu fiz. Será que ele não é o Cris-
que não tens marido, 18pois ti- to?” 30O povo saiu da cidade e foi
veste cinco maridos e o que tens ao encontro de Jesus. 31Enquan-
agora não é o teu marido. Nisso to isso, os discípulos insistiam
falaste a verdade”. 19A mulher com Jesus, dizendo: “Mestre,
disse a Jesus: [“Senhor, vejo que come”. 32Jesus, porém, disse-lhes:
és um profeta! 20Os nossos pais “Eu tenho um alimento para co-
adoraram neste monte, mas vós mer que vós não conheceis”. 33Os
dizeis que em Jerusalém é que discípulos comentavam entre si:
se deve adorar”. 21Disse-lhe Je- “Será que alguém trouxe alguma
sus: “Acredita-me, mulher, está coisa para ele comer?” 34Disse-
chegando a hora em que nem -lhes Jesus: “O meu alimento é
55 Dia 15
fazer a vontade daquele que me Preces da assembleia
enviou e realizar a sua obra. 35Não PR: Irmãos e irmãs, sedentos de Deus e
dizeis vós: ‘Ainda quatro meses, do seu amor, apresentemos confiantes
ao seu Filho nossas preces comunitá-
e aí vem a colheita’? Pois eu vos rias, dizendo:
digo, levantai os olhos e vede AS: Saciai sempre nossa sede, Senhor.
os campos: eles estão dourados 1. Senhor, que sois a fonte de água
para a colheita! 36O ceifeiro já está viva, cumulai dessa água a Igreja, para
recebendo o salário e recolhe que se mantenha fiel à missão, nós vos
fruto para a vida eterna. Assim, o pedimos.
que semeia se alegra junto com 2. Vós, que saciastes a samaritana, sus-
o que colhe. 37Pois é verdade o tentai com a Palavra e com a Eucaristia
a caminhada de fé do vosso povo, nós
provérbio que diz: ‘Um é o que vos pedimos.
semeia e outro o que colhe’. 38Eu 3. Vós, que vos doastes por amor, en-
vos enviei para colher aquilo que sinai a nossa sociedade a preservar a
não trabalhastes. Outros traba- água para o bem das atuais e futuras
lharam, e vós entrastes no traba- gerações, nós vos pedimos.
lho deles”. 4. Vós, que nos mostrastes o verdadeiro
alimento, ajudai-nos a perseverar na
[39Muitos samaritanos daquela busca e na vivência da vontade do Pai
cidade abraçaram a fé em Jesus], em todas as circunstâncias, nós vos
por causa da palavra da mulher pedimos.
que testemunhava: “Ele me disse 5. Vós, que ouvis o clamor do vosso po-
tudo o que eu fiz”. [40Por isso, os vo, acolhei as preces que trazemos no
samaritanos vieram ao encontro coração (em silêncio, cada um apresenta
sua prece a Deus), nós vos pedimos.
de Jesus e pediram que perma- Pode haver outras preces da comunidade.
necesse com eles. Jesus perma- PR: Senhor Jesus, ficai sempre no meio
neceu aí dois dias. 41E muitos de nós, acolhei nossas preces e saciai
outros creram por causa da sua nossa sede de felicidade. Vós, que vi-
palavra. 42E disseram à mulher: veis e reinais para sempre. AS: Amém.
“Já não cremos por causa das LITURGIA EUCARÍSTICA
tuas palavras, pois nós mesmos Saciados pela água viva da Palavra de
ouvimos e sabemos que este é Deus, agora nos aproximamos da mesa
verdadeiramente o salvador do da Eucaristia, que nos põe em comunhão
mundo”.] – Palavra da salvação. com Cristo e com os irmãos e irmãs.
Pistas para a reflexão: I leitura: A água é Sobre as oferendas
fundamental para a vida; coloquemos todo o
nosso empenho para preservá-la. II leitura: Ó Deus de bondade, concedei-
Jesus morreu por todos, estabelecendo a
harmonia da humanidade com Deus. Evan-
-nos, por este sacrifício, que, pe-
gelho: A humanidade necessita saciar sua dindo perdão de nossos peca-
sede de vida na verdadeira fonte. Só quem
vive mergulhado em Jesus será autêntico
dos, saibamos perdoar a nossos
mensageiro da Boa-nova (cf. também artigo semelhantes. Por Cristo, nosso
na página 57). Senhor.
Dia 15 56
Prefácio: a samaritana Antífona da comunhão: Naquele
que beber da água que eu darei, diz
Na verdade, é justo e necessário, o Senhor, brotará uma fonte que jorra
é nosso dever e salvação dar-vos para a vida eterna (Jo 4,13s).
graças, sempre e em todo lugar,
Senhor, Pai santo, Deus eterno Depois da comunhão
e todo-poderoso, por Cristo, Se- Ó Deus, tendo recebido o penhor
nhor nosso. Ao pedir à samarita- do vosso mistério celeste e já
na que lhe desse de beber, Jesus saciados na terra com o pão do
lhe dava o dom de crer. E, saciada céu, nós vos pedimos a graça de
sua sede de fé, lhe acrescentou manifestar em nossa vida o que o
o fogo do amor. Por essa razão sacramento realizou em nós. Por
vos servem todas as criaturas, Cristo, nosso Senhor.
com justiça vos louvam os redi-
midos e, unânimes, vos bendi- RITOS FINAIS
zem os vossos santos. Concedei- Nosso compromisso para a semana: não
-nos também a nós associar-nos fechar o coração, mas ouvir a voz do
aos seus louvores, cantando (di- Senhor, que nos fala na nossa lida coti-
zendo) a uma só voz... diana. Caminhemos com ele ao longo
Sugestão: Oração Eucarística II (página 9). dos nossos dias.

ENCONTRO TRANSFORMADOR
Pe. Paulo Bazaglia, ssp
Foi transformador o encontro de Jesus relações, pois a Deus não se alcança num
com a samaritana junto ao poço de Jacó. intimismo egoísta. Dá pena ver cristãos di-
O encontro pessoal com Jesus, o diálogo zer que encontraram Jesus apenas quan-
profundo com ele sobre a sede de Deus e do começaram a frequentar outras deno-
de vida, simbolizados pela água, permi- minações cristãs. O que faltou para que tais
tiram à samaritana rever a própria vida e pessoas tivessem um encontro pessoal
testemunhar a novidade de uma Água e transformador com o Mestre? Como é
que sacia a sede para sempre. que, para além de doutrinas e regras, não
Num mundo em que a palavra de ordem puderam encontrar a pessoa concreta do
é a autossuficiência, Jesus se mostra ne- Filho de Deus nos irmãos de comunidade?
cessitado. Pede água a uma mulher da Um compromisso sério com Jesus é exi-
Samaria, terra considerada impura pelos gente e implica a construção de relações
judeus. Provoca nela a abertura à sua fraternas na comunidade. Exige revisão
palavra, chamando ao encontro pessoal, de vida, para tomarmos consciência dos
ao diálogo, que é a única forma de as pes- nossos anseios mais profundos. Afinal,
soas se conhecerem verdadeiramente. além da sede de água, que tipo de sede
E assim faz a samaritana reconhecer-se buscamos saciar na vida?
necessitada também, não de uma água Jesus é a Água Viva que mata a nossa se-
de poço, mas de algo que sacie a sede de de de Deus. E a água que ele nos dá se tor-
Deus, a sede de vida eterna. na em nós fonte de água que jorra pela
No encontro com Jesus, a samaritana é eternidade. Na comunidade dos que ce-
levada a rever a própria vida revendo as lebram fisicamente em templos de pedra

57 Dia 15
e que adoram espiritualmente na fideli- próprio Espírito continue se derramando
dade ao Espírito Santo, somos chamados pela vida do mundo, por meio de nosso
a dar ao mundo o testemunho de nossa encontro com Jesus. Um encontro que
fé, a exemplo da samaritana, para que o constrói comunidade.

16
Círculo bíblico, páginas 20s.

SEGUNDA-FEIRA esse homem, valente guerreiro,


3ª SEMANA DA QUARESMA era leproso. 2Ora, um bando de
(roxo – ofício do dia)
arameus que tinha saído da Síria
tinha levado cativa uma moça
RITOS INICIAIS do país de Israel. Ela ficou ao
Antífona da entrada: Minha alma an- serviço da mulher de Naamã.
seia, até desfalecer, pelos átrios do Se- 3Disse ela à sua senhora: “Ah, se
nhor; meu coração e minha carne exul-
tam pelo Deus vivo! (Sl 83,3) meu senhor se apresentasse ao
O Deus de toda a terra nos convida
profeta que reside em Samaria,
nesta liturgia a superar preconceitos sem dúvida ele o livraria da lepra
e acolher a universalidade da salva- de que padece!” 4Naamã foi en-
ção, prefigurada pelo profeta Eliseu e tão informar o seu senhor: “Uma
realizada por Jesus. moça do país de Israel disse isto
Oração do dia e isto”. 5Disse-lhe o rei de Aram:
Ó Deus, na vossa incansável mi- “Vai, que eu enviarei uma carta
sericórdia, purificai e protegei a ao rei de Israel”. Naamã partiu,
vossa Igreja, governando-a cons- levando consigo dez talentos
tantemente, pois sem vosso au- de prata, seis mil siclos de ouro e
xílio ela não pode salvar-nos. Por dez mudas de roupa. 6
E entregou
nosso Senhor Jesus Cristo... ao rei de Israel a carta, que dizia:
“Quando receberes esta carta,
LITURGIA DA PALAVRA saberás que eu te enviei Naamã,
Em sua infinita bondade, o Senhor aco- meu servo, para que o cures de
lhe o estrangeiro e oferece-lhe a salva- sua lepra”. 7O rei de Israel, tendo
ção. Sedentos da Palavra do Deus vivo,
deixemo-nos saciar por ela.
lido a carta, rasgou suas vestes
e disse: “Sou Deus, porventura,
Leitura (2 Reis 5,1-15) que possa dar a morte e a vida,
Leitura do segundo livro dos Reis para que este me mande um
– Naqueles dias, 1Naamã, general homem para curá-lo da lepra?
do exército do rei da Síria, era um Vê-se bem que ele busca pretex-
homem muito estimado e consi- to contra mim”. 8Quando Eliseu,
derado pelo seu senhor, pois foi o homem de Deus, soube que o
por meio dele que o Senhor con- rei de Israel havia rasgado as ves-
cedeu a vitória aos arameus. Mas tes, mandou dizer-lhe: “Por que
Dia 16 58
rasgaste tuas vestes? Que ele ve- Salmo responsorial 41(42)
nha a mim, para que saiba que Minha alma tem sede de Deus, do
há um profeta em Israel”. 9Então Deus vivo: / e quando verei a face
Naamã chegou com seus cavalos
de Deus?
e carros e parou à porta da casa
de Eliseu. 10Eliseu mandou um 1. Assim como a corça suspira /
mensageiro para lhe dizer: “Vai, pelas águas correntes, / suspira
lava-te sete vezes no Jordão, e igualmente minha alma / por vós,
tua carne será curada e ficarás ó meu Deus! – R.
limpo”. 11Naamã, irritado, foi-se 2. A minha alma tem sede de
embora, dizendo: “Eu pensava Deus / e deseja o Deus vivo. /
que ele sairia para me receber e Quando terei a alegria de ver / a
que, de pé, invocaria o nome do face de Deus? – R.
Senhor, seu Deus, e que tocaria
3. Enviai vossa luz, vossa verdade:
com sua mão o lugar da lepra
e me curaria. 12Será que os rios / elas serão o meu guia; / que me
de Damasco, o Abana e o Farfar, levem ao vosso monte santo, /
não são melhores do que todas até a vossa morada! – R.
as águas de Israel, para eu me 4. Então irei aos altares do Se-
banhar nelas e ficar limpo?” Deu nhor, / Deus da minha alegria.
meia-volta e partiu indignado. / Vosso louvor cantarei, ao som
13
Mas seus servos aproximaram- da harpa, / meu Senhor e meu
-se dele e disseram-lhe: “Senhor, Deus! – R.
se o profeta te mandasse fazer
uma coisa difícil, não a terias fei- Evangelho (Lucas 4,24-30)
to? Quanto mais agora que ele Jesus Cristo, sois bendito, / sois o ungido
de Deus Pai!
te disse: ‘Lava-te e ficarás limpo’”.
14
Então ele desceu e mergulhou No Senhor ponho a minha esperança,
/ espero em sua palavra. / Pois no Se-
sete vezes no Jordão, conforme o nhor se encontra toda graça / e copiosa
homem de Deus tinha mandado, redenção (Sl 129,5.7). – R.
e sua carne tornou-se semelhan-
te à de uma criancinha, e ele fi- Proclamação do evangelho de
cou purificado. 15Em seguida, Jesus Cristo segundo Lucas – Je-
voltou com toda a sua comitiva sus, vindo a Nazaré, disse ao po-
para junto do homem de Deus. vo na sinagoga: 24“Em verdade eu
Ao chegar, apresentou-se dian- vos digo que nenhum profeta é
te dele e disse: “Agora estou bem recebido em sua pátria. 25De
convencido de que não há outro fato, eu vos digo: no tempo do
Deus em toda a terra, senão o profeta Elias, quando não choveu
que há em Israel!” – Palavra do durante três anos e seis meses e
Senhor. houve grande fome em toda a
59 Dia 16
região, havia muitas viúvas em Antífona da comunhão: Louvai o Se-
Israel. 26No entanto, a nenhuma nhor, povos todos, grande é o seu
amor para conosco! (Sl 116,1s)
delas foi enviado Elias, senão a
uma viúva que vivia em Sarepta, Depois da comunhão
na Sidônia. 27E no tempo do pro- Nós vos pedimos, ó Deus, que a
feta Eliseu havia muitos lepro- comunhão no vosso sacramento
sos em Israel. Contudo, nenhum nos purifique dos pecados e nos
deles foi curado, mas sim Naa-
conduza à unidade. Por Cristo,
mã, o sírio”. 28Quando ouviram
nosso Senhor.
estas palavras de Jesus, todos

17
na sinagoga ficaram furiosos. TERÇA-FEIRA
29
Levantaram-se e o expulsa- 3ª SEMANA DA QUARESMA*
ram da cidade. Levaram-no até (roxo – ofício do dia)
o alto do monte sobre o qual a
cidade estava construída, com RITOS INICIAIS
a intenção de lançá-lo no pre- Antífona da entrada: Eu vos chamo,
cipício. 30Jesus, porém, passan- meu Deus, porque me atendeis; incli-
do pelo meio deles, continuou o nai vosso ouvido e escutai-me. Guar-
seu caminho. – Palavra da salva- dai-me como a pupila dos olhos, à
ção. sombra das vossas asas abrigai-me
(Sl 16,6.8).
Preces da assembleia
Quem põe a confiança no Senhor não
1. Dos que são marginalizados na so- se frustra, pois ele se lembra sempre
ciedade e na Igreja, da sua aliança. Celebremos o Deus da
AS: Lembrai-vos, Senhor. nossa salvação, que é compassivo e
generoso no perdão.
2. Dos migrantes, dos estrangeiros de-
samparados e dos refugiados, Oração do dia
3. Dos profetas rejeitados na sociedade
e nas comunidades, Ó Deus, que a vossa graça não
4. Das viúvas pobres que não têm o
nos abandone, mas nos faça de-
respaldo e o auxílio dos familiares e dicados ao vosso serviço e au-
do poder público, mente sempre em nós os vossos
Preces espontâneas. dons. Por nosso Senhor Jesus,
vosso Filho, na unidade do Espí-
LITURGIA EUCARÍSTICA
rito Santo.
Sobre as oferendas
LITURGIA DA PALAVRA
Transformai para nós, ó Deus, no
Com o coração contrito e humilde, aco-
sacramento que nos salva, estas
lhamos a Palavra de Deus, que nos con-
ofertas que vos apresentamos vida a reconhecer a benevolência do Se-
como sinal da nossa submissão. nhor, buscá-lo de todo o coração e per-
Por Cristo, nosso Senhor. doar sempre.

Dia 17 60
Leitura (Daniel 3,25.34-43) ce; 42não nos deixes confundidos,
Leitura da profecia de Daniel – mas trata-nos segundo a tua cle-
Naqueles dias, 25Azarias parou mência e segundo a tua imensa
e, de pé, começou a rezar; abrin- misericórdia; 43liberta-nos com o
poder de tuas maravilhas e torna
do a boca no meio do fogo, dis-
teu nome glorificado, Senhor”. –
se: 34“Oh! não nos desampares
Palavra do Senhor.
nunca, nós te pedimos; por teu
nome, não desfaças tua aliança Salmo responsorial 24(25)
35
nem retires de nós tua bene- Recordai, Senhor, a vossa com-
volência, por Abraão, teu amigo, paixão!
por Isaac, teu servo, e por Israel,
1. Mostrai-me, ó Senhor, vossos
teu santo, 36aos quais prometeste
caminhos / e fazei-me conhecer
multiplicar a descendência como
a vossa estrada! / Vossa verda-
estrelas do céu e como areia que
de me oriente e me conduza, /
está na beira do mar. 37Senhor,
porque sois o Deus da minha
estamos hoje reduzidos ao me- salvação. – R.
nor de todos os povos, somos
hoje o mais humilde em toda a 2. Recordai, Senhor meu Deus,
terra, por causa de nossos peca- vossa ternura / e a vossa com-
dos; 38neste tempo estamos sem paixão, que são eternas! / De
chefes, sem profetas, sem guia, mim lembrai-vos, porque sois
não há holocausto nem sacrifí- misericórdia / e sois bondade
sem limites, ó Senhor! – R.
cio, não há oblação nem incenso,
não há um lugar para oferecer- 3. O Senhor é piedade e retidão
mos em tua presença as primí- / e reconduz ao bom caminho os
cias e encontrarmos benevolên- pecadores. / Ele dirige os humil-
cia; 39mas, de alma contrita e em des na justiça / e aos pobres ele
espírito de humildade, sejamos ensina o seu caminho. – R.
acolhidos, e como nos holocaus- Evangelho (Mateus 18,21-35)
tos de carneiros e touros, 40e co- Jesus Cristo, sois bendito, / sois o ungido
mo nos sacrifícios de milhares de Deus Pai!
de cordeiros gordos, assim se Voltai ao Senhor, vosso Deus; / ele é
efetue hoje nosso sacrifício em bom, compassivo e clemente (Jl 2,12s).
tua presença, e tu faças que nós – R.
te sigamos até o fim; não se sen- Proclamação do evangelho de
tirá frustrado quem põe em ti sua Jesus Cristo segundo Mateus –
confiança. 41De agora em diante, Naquele tempo, 21Pedro aproxi-
queremos, de todo o coração, mou-se de Jesus e perguntou: “Se-
seguir-te, temer-te, buscar tua fa- nhor, quantas vezes devo perdoar
61 Dia 17
se meu irmão pecar contra mim? porque tu me suplicaste. 33Não
Até sete vezes?” 22Jesus respon- devias tu também ter compaixão
deu: “Não te digo até sete ve- do teu companheiro, como eu
zes, mas até setenta vezes sete. tive compaixão de ti?’ 34O patrão
23
Porque o reino dos céus é co- indignou-se e mandou entregar
mo um rei que resolveu acertar aquele empregado aos tortura-
as contas com os seus emprega- dores, até que pagasse toda a sua
dos. 24Quando começou o acerto, dívida. 35É assim que o meu Pai
trouxeram-lhe um que lhe devia que está nos céus fará convosco
uma enorme fortuna. 25Como o se cada um não perdoar de co-
empregado não tivesse com que ração ao seu irmão”. – Palavra da
pagar, o patrão mandou que fos- salvação.
se vendido como escravo, junto Preces da assembleia
com a mulher e os filhos e tudo 1. Pela Igreja, para que seja fiel men-
o que possuía, para que pagasse sageira do perdão, da acolhida e da
a dívida. 26O empregado, porém, misericórdia de Deus, rezemos.
caiu aos pés do patrão e, prostra- AS: Mostrai-nos, ó Senhor,
do, suplicava: ‘Dá-me um prazo! vossos caminhos.
E eu te pagarei tudo’. 27Diante 2. Pelos filhos e filhas de Deus, para que
disso, o patrão teve compaixão, mantenham a confiança em sua bon-
soltou o empregado e perdoou- dade mesmo nas situações de maior
aflição e carência, rezemos.
-lhe a dívida. 28Ao sair dali, aquele
3. Pelos que amamos, para que vivam
empregado encontrou um dos no amor e na paz e aprendam a parti-
seus companheiros que lhe de- lhar esses dons, rezemos.
via apenas cem moedas. Ele o 4. Por esta assembleia, para que o Se-
agarrou e começou a sufocá-lo, nhor nos ajude a crescer cada vez mais
dizendo: ‘Paga o que me deves’. no amor, na compaixão e no espírito de
29
O companheiro, caindo aos reconciliação, rezemos.
Preces espontâneas.
seus pés, suplicava: ‘Dá-me um
prazo! E eu te pagarei’. 30Mas o LITURGIA EUCARÍSTICA
empregado não quis saber disso.
Saiu e mandou jogá-lo na prisão, Sobre as oferendas
até que pagasse o que devia. Nós vos pedimos, ó Deus, que
31
Vendo o que havia acontecido, este sacrifício salvador nos pu-
os outros empregados ficaram rifique do pecado e dê glória a
muito tristes, procuraram o pa- vosso nome. Por Cristo, nosso Se-
trão e lhe contaram tudo. 32Então nhor.
o patrão mandou chamá-lo e Antífona da comunhão: Quem habi-
lhe disse: ‘Empregado perverso, tará, Senhor, em vossa casa ou repou-
eu te perdoei toda a tua dívida, sará no vosso monte santo? Aquele

Dia 17 62
que caminha na perfeição e pratica a sua preocupação e seu amor por to-
justiça (Sl 14,1s). dos nós.
Depois da comunhão Oração do dia
Ó Deus, que a participação neste Ó Deus de bondade, concedei
mistério nos dê uma vida nova, que, formados pela observância
sendo reconciliação convosco e da Quaresma e nutridos por vos-
garantia de vossa proteção. Por sa Palavra, saibamos mortificar-
Cristo, nosso Senhor. -nos para vos servir com fervor,
sempre unânimes na oração. Por
*COMEMORAÇÃO FACULTATIVA nosso Senhor Jesus Cristo vosso
SÃO PATRÍCIO
(roxo – ofício da memória) Filho, na unidade do Espírito
Patrício nasceu na Grã-Bretanha em
Santo.
385 e faleceu na Irlanda em 461. Assim LITURGIA DA PALAVRA
como Jesus, sofreu na própria carne
dores e perseguições. Quando jovem, Têm lugar no Reino os que ensinam e
foi vendido como escravo na Irlanda, de praticam os mandamentos do Senhor.
onde escapou após anos de cativeiro. Certos de que ele quer estar sempre pró-
Amadurecido na fé, voltou à ilha como ximo de nós, abramos o coração para
bispo e converteu-a ao evangelho. Seu acolher sua Palavra.
exemplo nos anime e guie na missão.
Leitura (Deuteronômio 4,1.5-9)
Oração do dia: Ó Deus, que, na vossa
providência, para anunciar o evange- Leitura do livro do Deuteronô-
lho aos povos da Irlanda, escolhestes mio – Moisés falou ao povo, di-
o bispo são Patrício, concedei, por zendo: 1“Agora, Israel, ouve as leis
seus méritos e preces, que os cristãos
e os decretos que eu vos ensino
anunciem a todos as maravilhas do
vosso reino. Por nosso Senhor Jesus a cumprir, para que, fazendo-o,
Cristo, vosso Filho, na unidade do Es- vivais e entreis na posse da terra
pírito Santo. prometida que o Senhor Deus

18
de vossos pais vos vai dar. 5Eis
QUARTA-FEIRA que vos ensinei leis e decretos
3ª SEMANA DA QUARESMA* conforme o Senhor meu Deus
(roxo – ofício do dia)
me ordenou, para que os prati-
queis na terra em que ides entrar
RITOS INICIAIS
e da qual tomareis posse. 6Vós
Antífona da entrada: Orientai meus os guardareis, pois, e os poreis
passos, Senhor, segundo a vossa pa-
lavra, e que o mal não domine sobre em prática, porque neles está
mim! (Sl 118,133) vossa sabedoria e inteligência
Glorifiquemos nesta liturgia a Jesus, perante os povos, para que, ou-
que veio ao mundo para levar a lei vindo todas estas leis, digam: ‘Na
do Antigo Testamento à plenitude. Os verdade, é sábia e inteligente es-
ensinamentos de Deus demonstram ta grande nação!’ 7Pois qual é a
63 Dia 18
grande nação cujos deuses lhe Proclamação do evangelho de
são tão próximos como o Senhor Jesus Cristo segundo Mateus –
nosso Deus, sempre que o invo- Naquele tempo, disse Jesus aos
camos? 8E que nação haverá tão seus discípulos: 17“Não penseis
grande que tenha leis e decretos que vim abolir a lei e os profetas.
tão justos, como esta lei que ho- Não vim para abolir, mas para
je vos ponho diante dos olhos? dar-lhes pleno cumprimento.
9
Mas toma cuidado! Procura com 18
Em verdade eu vos digo, an-
grande zelo não te esqueceres de tes que o céu e a terra deixem
tudo o que viste com os próprios de existir, nem uma só letra ou
olhos e nada deixes escapar do vírgula serão tiradas da lei, sem
teu coração por todos os dias de que tudo se cumpra. 19Portanto,
tua vida; antes, ensina-o a teus quem desobedecer a um só des-
filhos e netos”. – Palavra do Se- ses mandamentos, por menor
nhor. que seja, e ensinar os outros a
Salmo responsorial 147(147B) fazerem o mesmo será conside-
rado o menor no reino dos céus.
Glorifica o Senhor, Jerusalém! Porém quem os praticar e ensi-
1. Glorifica o Senhor, Jerusalém! nar será considerado grande no
/ Ó Sião, canta louvores ao teu reino dos céus”. – Palavra da sal-
Deus! / Pois reforçou com segu- vação.
rança as tuas portas / e os teus
Preces da assembleia
filhos em teu seio abençoou.
1. Para que o Senhor ilumine o coração
– R.
e a mente dos cristãos, a fim de que vi-
2. Ele envia suas ordens para a vam a cada dia, em profundidade, o mis-
terra, / e a palavra que ele diz cor- tério pascal de seu Filho, Jesus, reze-
re veloz. / Ele faz cair a neve co- mos.
mo lã / e espalha a geada como AS: Senhor, ajudai-nos a cumprir
vossos mandamentos.
cinza. – R.
2. Para que o Senhor inspire aos legis-
3. Anuncia a Jacó sua palavra, / ladores a formulação de leis que pro-
seus preceitos e suas leis a Israel. movam o bem comum, a fraternidade
/ Nenhum povo recebeu tanto e a soberania do nosso país, rezemos.
carinho, / a nenhum outro reve- 3. Para que o Senhor oriente o povo pa-
lou os seus preceitos. – R. ra o exercício da cidadania consciente
e para o respeito às leis que defendem
Evangelho (Mateus 5,17-19) a justiça, rezemos.
Glória a Cristo, Palavra eterna do Pai, 4. Para que o Senhor ampare as famílias
que é amor! que buscam transmitir ensinamentos
Senhor, tuas palavras são espírito, são éticos e cristãos às novas gerações, re-
vida; / só tu tens palavras de vida eter- zemos.
na! (Jo 6,63.68) – R. Preces espontâneas.

Dia 18 64
19
LITURGIA EUCARÍSTICA QUINTA-FEIRA
Sobre as oferendas SÃO JOSÉ
ESPOSO DE MARIA E
Recebei, ó Deus, com estas ofe- PADROEIRO DA IGREJA
(branco, glória, creio, prefácio de são José
rendas, as preces do vosso povo, – ofício da solenidade)
e a nós, que celebramos estes
mistérios, defendei-nos de to- RITOS INICIAIS
dos os perigos. Por Cristo, nosso Antífona da entrada: Eis o servo fiel
Senhor. e prudente a quem o Senhor confiou
Antífona da comunhão: Vós me en- a sua casa (Lc 12,42).
sinareis, Senhor, o caminho da vida: Humilde, justo e fiel a Deus, José as-
perfeita é a alegria em vossa presença sumiu na fé a missão de ser esposo de
(Sl 15,11). Maria e pai adotivo de Jesus. Em co-
munhão com toda a Igreja, celebre-
Depois da comunhão mos nosso padroeiro universal e pe-
çamos sua proteção para as famílias
Santifique-nos, ó Deus, esta me- do mundo inteiro.
sa celeste da qual participamos
para que, purificando-nos de to- Oração do dia
do erro, ela nos torne dignos das Deus todo-poderoso, pelas pre-
vossas promessas. Por Cristo, nos- ces de são José, a quem confiastes
so Senhor. as primícias da Igreja, concedei
que ela possa levar à plenitude os
*COMEMORAÇÃO FACULTATIVA mistérios da salvação. Por nosso
SÃO CIRILO DE JERUSALÉM Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
(roxo – ofício da memória)
na unidade do Espírito Santo.
Cirilo, bispo e doutor da Igreja do século
4º, foi catequista e educador da fé. A ele LITURGIA DA PALAVRA
são atribuídas catequeses batismais e
mistagógicas, assim chamadas porque Deus estabeleceu aliança com a casa de
conduzem o fiel ao aprofundamento nos Davi, linhagem à qual pertencia são José
e da qual nos veio o rei por excelência,
mistérios de Deus. Comemorando este
Jesus. Firmados na fé e na esperança,
santo, rezemos pelos catecúmenos que,
acolhamos a Palavra do Senhor.
durante o tempo quaresmal, se prepa-
ram mais intensamente para receber os I leitura (2 Samuel 7,4-5.12-14.16)
sacramentos da iniciação.
Oração do dia: Ó Deus, que levastes
Leitura do segundo livro de Sa-
vossa Igreja a penetrar mais profunda- muel – Naqueles dias, 4a palavra
mente nos mistérios da salvação pela do Senhor foi dirigida a Natã
catequese de são Cirilo de Jerusalém, nestes termos: 5“Vai dizer ao meu
concedei-nos, por suas preces, conhe- servo Davi: ‘Assim fala o Senhor:
cer de tal modo o vosso Filho, que te-
nhamos a vida em plenitude. Por nos-
12
Quando chegar o fim dos teus
so Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na dias e repousares com teus pais,
unidade do Espírito Santo. então suscitarei, depois de ti, um
65 Dia 19
filho teu e confirmarei a sua rea- por causa da lei, mas por causa
leza. 13Será ele que construirá da justiça que vem da fé, que
uma casa para o meu nome, e eu Deus prometeu o mundo como
firmarei para sempre o seu trono herança a Abraão ou à sua des-
real. 14Eu serei para ele um pai, e cendência. 16É em virtude da fé
ele será para mim um filho. 16Tua que alguém se torna herdeiro.
casa e teu reino serão estáveis Logo, a condição de herdeiro é
para sempre diante de mim, e teu uma graça, um dom gratuito, e
trono será firme para sempre’”. – a promessa de Deus continua
Palavra do Senhor. valendo para toda a descendên-
Salmo responsorial 88(89) cia de Abraão, tanto para a des-
cendência que se apega à lei
Eis que a sua descendência durará quanto para a que se apoia so-
eternamente. mente na fé de Abraão, que é o
1. Ó Senhor, eu cantarei eterna- pai de todos nós. 17Pois está es-
mente o vosso amor, / de gera- crito: “Eu fiz de ti pai de muitos
ção em geração eu cantarei vos- povos”. Ele é pai diante de Deus
sa verdade! / Porque dissestes: “O porque creu em Deus, que vi-
amor é garantido para sempre!” vifica os mortos e faz existir o
/ E a vossa lealdade é tão firme que antes não existia. 18Contra
como os céus. – R. toda a humana esperança, ele
2. “Eu firmei uma aliança com firmou-se na esperança e na fé.
meu servo, meu eleito, / e eu fiz Assim, tornou-se pai de muitos
um juramento a Davi, meu servi- povos, conforme lhe fora dito:
dor. / Para sempre, no teu trono, “Assim será a tua posteridade”.
firmarei tua linhagem, / de gera-
22
Esta sua atitude de fé lhe foi
ção em geração garantirei o teu creditada como justiça. – Palavra
reinado! – R. do Senhor.
3. Ele, então, me invocará: ‘Ó Se- Evangelho (Mateus 1,16.
nhor, vós sois meu Pai, / sois meu 18-21.24)
Deus, sois meu rochedo onde Louvor e glória a ti, Senhor, / Cristo, Pa-
encontro a salvação!’ / Guardarei lavra de Deus!
eternamente para ele a minha Felizes os que habitam vossa casa, /
graça / e com ele firmarei minha para sempre eles hão de vos louvar!
(Sl 83,5) – R.
aliança indissolúvel.” – R.
Proclamação do evangelho de
II leitura (Romanos 4,13. Jesus Cristo segundo Mateus –
16-18.22) 16
Jacó gerou José, o esposo de
Leitura da carta de são Paulo Maria, da qual nasceu Jesus, que
aos Romanos – Irmãos, 13não foi é chamado o Cristo. 18A origem
Dia 19 66
de Jesus Cristo foi assim: Maria, cristãos a graça de amar e respeitar
sua mãe, estava prometida em suas esposas, nós vos pedimos.
Pode haver outras preces da comunidade.
casamento a José e, antes de vi-
PR: Ó Deus, que destes à Virgem Maria
verem juntos, ela ficou grávida ter em são José um esposo amoroso
pela ação do Espírito Santo. 19Jo- e fiel, dai ao vosso povo a força para
sé, seu marido, era justo e, não imitá-lo na fidelidade e no amor ao
querendo denunciá-la, resolveu vosso reino. Por Cristo, nosso Senhor.
abandonar Maria em segredo. AS: Amém.
20
Enquanto José pensava nisso, LITURGIA EUCARÍSTICA
eis que o anjo do Senhor apa-
receu-lhe em sonho e lhe disse: Sobre as oferendas
“José, filho de Davi, não tenhas Ó Deus de bondade, assim como
medo de receber Maria como são José se consagrou ao serviço
tua esposa, porque ela concebeu do vosso Filho, nascido da Vir-
pela ação do Espírito Santo. 21Ela gem Maria, fazei que também
dará à luz um filho, e tu lhe darás nós sirvamos de coração puro
o nome de Jesus, pois ele vai aos mistérios do vosso altar. Por
salvar o seu povo dos seus peca- Cristo, nosso Senhor.
dos”. 24Quando acordou, José fez Prefácio: a missão de são José
conforme o anjo do Senhor havia Na verdade, é justo e necessário,
mandado. – Palavra da salvação. é nosso dever e salvação dar-vos
Preces da assembleia graças, sempre e em todo lugar,
Senhor, Pai santo, Deus eterno e
PR: Irmãos e irmãs, confiantes que o Se-
nhor mantém conosco uma aliança todo-poderoso, e na solenidade
indissolúvel, dirijamos-lhe nossas pre-
de são José, servo fiel e pruden-
ces, dizendo:
te, celebrar os vossos louvores.
AS: Por intercessão de são José,
ouvi-nos, Senhor. Sendo ele um homem justo, vós
1. Vós, Senhor, que constituístes são
o destes por esposo à Virgem
José patrono da Igreja, iluminai-a na Maria, mãe de Deus, e o fizestes
missão de ser instrumento e sinal da chefe da vossa família, para que
vossa salvação, nós vos pedimos. guardasse, como pai, o vosso Fi-
2. Vós que guiastes nossos pais na lho único, concebido do Espírito
fé, conduzi o papa Francisco em sua Santo, Jesus Cristo, Senhor nosso.
missão à frente do vosso povo, nós
vos pedimos.
Unidos à multidão dos anjos e
dos santos, proclamamos vossa
3. Vós que revelastes a são José o
bondade, cantando (dizendo) a
mistério de Cristo, ajudai vossos fiéis a
conhecer sempre melhor vosso Filho, uma só voz...
nós vos pedimos. Antífona da comunhão: Servo bom
4. Vós que destes à Virgem Maria um e fiel, entra na alegria do teu Senhor
sublime esposo, concedei aos esposos (Mt 25,21).

67 Dia 19
Depois da comunhão cado. 3Vós todos, encontrai pala-
Ó Deus, que, na alegria da festa vras e voltai para o Senhor; dizei-
de são José, alimentastes neste -lhe: ‘Livra-nos de todo mal e
altar a vossa família, protegei-nos aceita este bem que oferece-
sem cessar e guardai em nós os mos, o fruto de nossos lábios. 4A
vossos dons. Por Cristo, nosso Se- Assíria não nos salvará; não que-
nhor. remos montar nossos cavalos,

20
não chamaremos mais ‘deuses
SEXTA-FEIRA nossos’ a produtos de nossas
3ª SEMANA DA QUARESMA mãos; em ti encontrará o órfão
(roxo – ofício do dia) misericórdia’. 5Hei de curar sua
perversidade e me será fácil amá-
RITOS INICIAIS -los, deles afastou-se a minha
Antífona da entrada: Senhor, não há cólera. 6Serei como orvalho para
entre os deuses nenhum que se vos Israel; ele florescerá como o lírio
compare, porque sois grande e fazeis e lançará raízes como plantas
maravilhas: só vós, Senhor, sois Deus do Líbano. 7Seus ramos hão de
(Sl 85,8.10).
estender-se; será seu esplendor
Voltemos nosso coração ao Senhor como o da oliveira e seu perfume
nesta liturgia, pedindo-lhe a graça
de amá-lo de todo o coração e amar como o do Líbano. 8Voltarão a
nossos irmãos e irmãs como a nós sentar-se à minha sombra e a cul-
mesmos. tivar o trigo, e florescerão como a
Oração do dia videira, cuja fama se iguala à do
vinho do Líbano. 9Que tem ainda
Infundi, ó Deus, vossa graça em Efraim a ver com ídolos? Sou eu
nossos corações, para que, fugin- que o atendo e que olho por ele.
do aos excessos humanos, possa- Sou como o cipreste sempre ver-
mos, com vosso auxílio, abraçar de: de mim procede o teu fruto.
os vossos preceitos. Por nosso Se- 10
Compreenda estas palavras o
nhor Jesus Cristo... homem sábio, reflita sobre elas
LITURGIA DA PALAVRA o bom entendedor! São retos os
caminhos do Senhor e por eles
Quem trilha os caminhos do Senhor
produz frutos de felicidade. Dispostos andarão os justos, enquanto os
a viver o duplo mandamento do amor, maus ali tropeçam e caem”. –
abramos os ouvidos à Palavra de Deus. Palavra do Senhor.
Leitura (Oseias 14,2-10) Salmo responsorial 80(81)
Leitura da profecia de Oseias – Ouve, meu povo, porque eu sou o
Assim fala o Senhor Deus: 2“Volta, teu Deus!
Israel, para o Senhor, teu Deus, 1. Eis que ouço uma voz que não
porque estavas caído em teu pe- conheço: / “Aliviei as tuas costas
Dia 20 68
de seu fardo, / cestos pesados eu próximo como a ti mesmo! Não
tirei de tuas mãos. / Na angústia existe outro mandamento maior
a mim clamaste, e te salvei. – R. do que estes”. 32O mestre da lei
2. De uma nuvem trovejante te disse a Jesus: “Muito bem, mes-
falei, / e junto às águas de Meri- tre! Na verdade, é como disseste:
ba te provei. / Ouve, meu povo, ele é o único Deus e não existe
porque vou te advertir! / Israel, outro além dele. 33Amá-lo de
ah! se quisesses me escutar. – R. todo o coração, de toda a mente
3. Em teu meio não exista um e com toda a força e amar o pró-
deus estranho, / nem adores a ximo como a si mesmo é melhor
um deus desconhecido! / Porque do que todos os holocaustos e
eu sou o teu Deus e teu Senhor, sacrifícios”. 34Jesus viu que ele ti-
/ que da terra do Egito te arran- nha respondido com inteligência
quei. – R. e disse: “Tu não estás longe do
reino de Deus”. E ninguém mais
4. Quem me dera que meu povo
tinha coragem de fazer pergun-
me escutasse! / Que Israel andas-
tas a Jesus. – Palavra da salvação.
se sempre em meus caminhos!
/ Eu lhe daria de comer a flor do Preces da assembleia
trigo / e com o mel que sai da 1. Para que o Senhor livre do mal nossa
rocha o fartaria”. – R. sociedade e a conduza em seus cami-
nhos, rezemos.
Evangelho (Marcos 12,28-34) AS: Senhor, ensinai-nos a amar.
Glória a vós, Senhor Jesus, / primogênito 2. Para que o Senhor alivie a vida dos
dentre os mortos! seus fiéis de todo fardo inútil e guarde
Convertei-vos, nos diz o Senhor, / está seu coração dos ídolos, rezemos.
próximo o reino de Deus! (Mt 4,17) – R. 3. Para que o Senhor nos ajude a amar
o próximo como a nós mesmos e a ele
Proclamação do evangelho de acima de tudo, rezemos.
Jesus Cristo segundo Marcos – 4. Para que o Senhor conceda que
Naquele tempo, 28 um escriba este dia de oração observado pelos
aproximou-se de Jesus e pergun- católicos do mundo inteiro seja um
tou: “Qual é o primeiro de to- momento de graça na caminhada qua-
resmal, rezemos. Preces espontâneas.
dos os mandamentos?” Jesus 29

respondeu: “O primeiro é este: LITURGIA EUCARÍSTICA


Ouve, ó Israel! O Senhor nosso
Deus é o único Senhor. 30Amarás Sobre as oferendas
o Senhor teu Deus de todo o teu Olhai com bondade, ó Deus, as
coração, de toda a tua alma, de oferendas que vos apresentamos
todo o teu entendimento e com para que vos sejam agradáveis e
toda a tua força! 31O segundo úteis à nossa salvação. Por Cristo,
mandamento é: Amarás o teu nosso Senhor.
69 Dia 20
Antífona da comunhão: Amar a Deus Leitura (Oseias 6,1-6)
de todo o coração e ao próximo como
a si mesmo vale mais que todos os sa- Leitura da profecia de Oseias –
crifícios (Mc 12,33).
1
“Vinde, voltemos para o Senhor,
ele nos feriu e há de tratar-nos,
Depois da comunhão ele nos machucou e há de curar-
Senhor Deus, que a vossa força -nos. 2Em dois dias nos dará vida
penetre em nossa vida para que e, ao terceiro dia, há de restaurar-
alcancemos em plenitude o que -nos, e viveremos em sua pre-
recebemos no sacramento. Por sença. 3É preciso saber segui-lo
Cristo, nosso Senhor. para reconhecer o Senhor. Cer-

21
ta como a aurora é a sua vinda,
SÁBADO ele virá até nós como as primei-
3ª SEMANA DA QUARESMA ras chuvas, como as chuvas tar-
(roxo – ofício do dia)
dias que regam o solo.” 4Como
vou tratar-te, Efraim? Como vou
RITOS INICIAIS tratar-te, Judá? O vosso amor é
Antífona da entrada: Bendize, ó mi- como nuvem pela manhã, co-
nha alma, ao Senhor, não esqueças ne- mo orvalho que cedo se desfaz.
nhum dos seus benefícios: é ele quem
te perdoa todas as ofensas (Sl 102,2s).
5
Eu os desbastei por meio dos
profetas, arrasei-os com as pala-
Na caminhada quaresmal, contamos
com a misericórdia de Deus e somos
vras de minha boca, mas, como
convidados à humildade. Nossa ora- luz, expandem-se meus juízos;
ção seja para que, na imensidão de 6
quero amor e não sacrifícios,
seu amor, o Senhor nos purifique e conhecimento de Deus mais do
perdoe. que holocaustos. – Palavra do
Oração do dia Senhor.
Ó Deus, alegrando-nos cada ano Salmo responsorial 50(51)
com a celebração da Quaresma, Eu quis misericórdia e não o sa-
possamos participar com fervor crifício!
dos sacramentos pascais e co- 1. Tende piedade, ó meu Deus,
lher com alegria todos os seus misericórdia! / Na imensidão de
frutos. Por nosso Senhor Jesus vosso amor, purificai-me! / Lavai-
Cristo, vosso Filho, na unidade -me todo inteiro do pecado / e
do Espírito Santo. apagai completamente a minha
culpa! – R.
LITURGIA DA PALAVRA
2. Pois não são de vosso agrado
O coração humilde encontra restaura-
ção e justificação diante do Senhor. Dei- os sacrifícios, / e, se oferto um
xemo-nos curar por sua misericórdia, aco- holocausto, o rejeitais. / Meu sa-
lhendo sua Palavra. crifício é minha alma penitente,
Dia 21 70
/ não desprezeis um coração ar- humilha será elevado”. – Palavra
rependido! – R. da salvação.
3. Sede benigno com Sião, por Preces da assembleia
vossa graça, / reconstruí Jerusa- 1. Pela Igreja e seus ministros, para que
lém e os seus muros! / E aceitareis o Senhor os socorra em suas necessi-
o verdadeiro sacrifício, / os ho- dades, rezemos.
locaustos e oblações em vosso AS: Dai-nos, ó Pai, um coração
altar! – R. humilde e misericordioso.
2. Pelos fiéis católicos, para que o Se-
Evangelho (Lucas 18,9-14) nhor os ajude a fazer da própria vida
Honra, glória, poder e louvor / a Jesus, um sacrifício de louvor que lhe seja
nosso Deus e Senhor! agradável, especialmente hoje, pela
Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: / Não participação na jornada “24 horas para
fecheis os corações como em Meriba! o Senhor”, rezemos.
(Sl 94,8) – R. 3. Por todos nós, para que o Senhor nos
Proclamação do evangelho de conceda celebrar e orar com espírito
humilde e sincero, rezemos.
Jesus Cristo segundo Lucas –
4. Pelos falecidos, para que o Senhor
Naquele tempo, 9Jesus contou os acolha em sua infinita misericórdia
esta parábola para alguns que e lhes dê o descanso eterno, rezemos.
confiavam na sua própria justiça Preces espontâneas.
e desprezavam os outros: 10“Dois
homens subiram ao templo para LITURGIA EUCARÍSTICA
rezar: um era fariseu, o outro Sobre as oferendas
cobrador de impostos. 11O fari- Ó Deus, é por vossa graça que,
seu, de pé, rezava assim em seu de coração purificado, nos apro-
íntimo: ‘Ó Deus, eu te agradeço
ximamos dos santos mistérios.
porque não sou como os outros
Concedei que vos rendamos o
homens, ladrões, desonestos,
devido culto, para celebrar so-
adúlteros, nem como este co-
lenemente a liturgia pascal. Por
brador de impostos. 12Eu jejuo
Cristo, nosso Senhor.
duas vezes por semana e dou o
dízimo de toda a minha renda’. Antífona da comunhão: O publica-
no, de longe, batia no peito, dizendo:
13
O cobrador de impostos, po- Deus, tende piedade de mim, pois sou
rém, ficou a distância e nem se pecador! (Lc 18,13)
atrevia a levantar os olhos para o
céu; mas batia no peito, dizendo: Depois da comunhão
‘Meu Deus, tem piedade de mim, Ó Deus de misericórdia, susten-
que sou pecador!’ 14Eu vos digo, tados pela Eucaristia, dai-nos
este último voltou para casa justi- celebrar dignamente vossos sa-
ficado, o outro não. Pois quem se cramentos e recebê-los sempre
eleva será humilhado e quem se com fé. Por Cristo, nosso Senhor.
71 Dia 21
DIA 22 – DOMINGO
4º DA QUARESMA
(roxo ou róseo, creio, prefácio próprio – 4ª semana do saltério)

RITOS INICIAIS
Antífona da entrada: Alegra-te, Jerusalém!
Reuni-vos, vós todos que a amais; vós que
estais tristes, exultai de alegria! Saciai-vos
com a abundância de suas consolações (Is
66,10s).

Filhos e filhas da luz, reunimo-nos para


adorar o Senhor e celebrar a Eucaristia, que
ilumina nossa vida e afasta as trevas que
nos rodeiam. Vivamos nesta liturgia a alegria de sermos conduzidos por Jesus:
ele nos livra de toda cegueira e nos permite ver e julgar as realidades do mundo
com os olhos da fé.

Oração do dia pois escolhi um rei para mim en-


Ó Deus, que por vosso Filho rea- tre os seus filhos”. 6Assim que che-
lizais, de modo admirável, a re- gou, Samuel viu a Eliab e disse
conciliação do gênero humano, consigo: “Certamente é este o
concedei ao povo cristão correr ungido do Senhor!” 7Mas o Se-
ao encontro das festas que se nhor disse-lhe: “Não olhes para
aproximam cheio de fervor e a sua aparência nem para a sua
exultando de fé. Por nosso Se- grande estatura, porque eu o
nhor Jesus Cristo, vosso Filho, na rejeitei. Não julgo segundo os
unidade do Espírito Santo. critérios do homem: o homem vê
as aparências, mas o Senhor olha
LITURGIA DA PALAVRA o coração”. 10Jessé fez vir seus
A Palavra de Deus não se detém nas sete filhos à presença de Samuel,
aparências, mas chega ao coração. Ela mas Samuel disse: “O Senhor não
guia nossos caminhos, ilumina nosso escolheu a nenhum deles”. 11E
olhar e nos torna despertos para tudo o
que agrada ao Senhor. acrescentou: “Estão aqui todos
os teus filhos?” Jessé respondeu:
I leitura (1 Samuel 16,1.6-7.10-13) “Resta ainda o mais novo, que
Leitura do primeiro livro de Sa- está apascentando as ovelhas”. E
muel – Naqueles dias, o Senhor Samuel ordenou a Jessé: “Manda
disse a Samuel: 1“Enche o chifre buscá-lo, pois não nos sentare-
de óleo e vem para que eu te mos à mesa enquanto ele não
envie à casa de Jessé de Belém, chegar”. 12Jessé mandou buscá-
Dia 22 72
-lo. Era Davi, ruivo, de belos olhos tarei / pelos tempos infinitos.
e de formosa aparência. E o Se- – R.
nhor disse: “Levanta-te, unge-o:
II leitura (Efésios 5,8-14)
é este!” 13Samuel tomou o chifre
com óleo e ungiu a Davi na pre- Leitura da carta de são Paulo aos
sença de seus irmãos. E a partir Efésios – Irmãos, 8outrora éreis
daquele dia o espírito do Senhor trevas, mas agora sois luz no Se-
se apoderou de Davi. – Palavra nhor. Vivei como filhos da luz. 9E
do Senhor. o fruto da luz chama-se bonda-
Salmo responsorial 22(23) de, justiça, verdade. 10Discerni o
(CD: Cantando os Salmos - Ano A, volume 1, que agrada ao Senhor. 11Não vos
faixa 17 – Paulus) associeis às obras das trevas, que
O Senhor é o pastor que me con- não levam a nada; antes, des-
duz; / não me falta coisa alguma. mascarai-as. 12O que essa gente
b
m
«« ««
C
œ» »œ œ» »œ
B
& b 4 Œ ˆ« ˆ« l »» »» »» »» l »œ»» œ»»»
==========================
A
«« «
»œ»» œ»»» l ˙« l ˆ««
m
«ˆ«« ˆ««« «« m «j
7

ˆ«« l
l ˆ« . =
faz em segredo, tem vergonha
Ref.:
A7
«
Se - nhor
m m
o Pas - tor e me con- d
Am m
« « «
m m
n o, n o me fal - ta
«« « ««
m m
«« ««ˆ« ««ˆ«
A7 até de dizê-lo. 13Mas tudo que é
& b ˆ««« ˆ«« l ««ˆ« ««ˆ« ” W ˆ«« ««ˆ« ˆ«« l W ˆ«« ˆ«« ˆ«« l W ˆ« ˆ«« ˆ« l W ˆ« =
« «
========================== ll
coi- sa al- - ma. (Salmodia) condenável torna-se manifesto
1. O Senhor é o pastor que me pela luz; e tudo o que é manifesto
conduz; / não me falta coisa al- é luz. 14É por isso que se diz: “Des-
guma. / Pelos prados e campinas perta, tu que dormes, levanta-
verdejantes / ele me leva a des- -te dentre os mortos e sobre ti
cansar. / Para as águas repousan- Cristo resplandecerá”. – Palavra
tes me encaminha / e restaura as do Senhor.
minhas forças. – R.
Evangelho (João 9,1-41 ou
2. Ele me guia no caminho mais 1.6-9.13-17.34-38)
seguro, / pela honra do seu no- [A forma breve está entre colchetes.]
me. / Mesmo que eu passe pelo Louvor e honra a vós, Senhor Jesus.
vale tenebroso, / nenhum mal Pois eu sou a luz do mundo, quem nos
eu temerei. / Estais comigo com diz é o Senhor; / e vai ter a luz da vida
bastão e com cajado, / eles me quem se faz meu seguidor! (Jo 8,12) – R.
dão a segurança! – R. Proclamação do evangelho de
3. Preparais à minha frente uma Jesus Cristo segundo João – [Na-
mesa, / bem à vista do inimigo; quele tempo, 1ao passar, Jesus
/ com óleo vós ungis minha ca- viu um homem cego de nascen-
beça, / e o meu cálice transbor- ça.] 2Os discípulos perguntaram
da. – R. a Jesus: “Mestre, quem pecou
4. Felicidade e todo bem hão de para que nascesse cego: ele ou
seguir-me / por toda a minha vi- os seus pais?” 3Jesus respondeu:
da; / e na casa do Senhor habi- “Nem ele nem seus pais peca-
73 Dia 22
ram, mas isso serve para que as cou lama sobre meus olhos, fui
obras de Deus se manifestem lavar-me e agora vejo!” 16Disse-
nele. 4É necessário que nós rea- ram, então, alguns dos fariseus:
lizemos as obras daquele que “Esse homem não vem de Deus,
me enviou, enquanto é dia. Vem pois não guarda o sábado”. Mas
a noite, em que ninguém pode outros diziam: “Como pode um
trabalhar. 5Enquanto estou no pecador fazer tais sinais?” 17E ha-
mundo, eu sou a luz do mundo”. via divergência entre eles. Per-
6
Dito isso, [Jesus cuspiu no chão, guntaram outra vez ao cego: “E
fez lama com a saliva e colocou-a tu, que dizes daquele que te
sobre os olhos do cego. 7E disse- abriu os olhos?” Respondeu: “É
-lhe: “Vai lavar-te na piscina de um profeta”.]
Siloé” (que quer dizer enviado). 18
Então os judeus não acredi-
O cego foi, lavou-se e voltou en- taram que ele tinha sido cego
xergando. 8Os vizinhos e os que e que tinha recuperado a vista.
costumavam ver o cego – pois Chamaram os pais dele 19e per-
ele era mendigo – diziam: “Não guntaram-lhes: “Este é o vosso
é aquele que ficava pedindo es- filho, que dizeis ter nascido ce-
mola?” 9Uns diziam: “Sim, é ele!” go? Como é que ele agora está
Outros afirmavam: “Não é ele, enxergando?” 20Os seus pais dis-
mas alguém parecido com ele”. seram: “Sabemos que este é nos-
Ele, porém, dizia: “Sou eu mes- so filho e que nasceu cego. 21Co-
mo!”] 10Então lhe perguntaram: mo agora está enxergando, isso
“Como é que se abriram os teus não sabemos. E quem lhe abriu
olhos?” 11Ele respondeu: “Aque- os olhos também não sabemos.
le homem chamado Jesus fez Interrogai-o, ele é maior de ida-
lama, colocou-a nos meus olhos de, ele pode falar por si mesmo”.
e disse-me: ‘Vai a Siloé e lava-te’. 22
Os seus pais disseram isso por-
Então fui, lavei-me e comecei a que tinham medo das autorida-
ver”. 12Perguntaram-lhe: “Onde des judaicas. De fato, os judeus
está ele?” Respondeu: “Não sei”. já tinham combinado expulsar
[13Levaram então aos fariseus da comunidade quem declaras-
o homem que tinha sido cego. se que Jesus era o Messias. 23Foi
14
Ora, era sábado o dia em que por isso que seus pais disseram:
Jesus tinha feito lama e aberto “É maior de idade. Interrogai-o
os olhos do cego. 15Novamen- a ele”. 24Então, os judeus chama-
te, então, lhe perguntaram os ram de novo o homem que tinha
fariseus como tinha recuperado sido cego. Disseram-lhe: “Dá gló-
a vista. Respondeu-lhes: “Colo- ria a Deus! Nós sabemos que es-
Dia 22 74
se homem é um pecador”. 25En- Jesus.] 39Então, Jesus disse: “Eu
tão ele respondeu: “Se ele é pe- vim a este mundo para exercer
cador, não sei. Só sei que eu era um julgamento, a fim de que os
cego e agora vejo”. 26Pergunta- que não veem vejam e os que
ram-lhe então: “Que é que ele veem se tornem cegos”. 40Alguns
te fez? Como te abriu os olhos?” fariseus, que estavam com ele,
27
Respondeu ele: “Eu já vos disse, ouviram isso e lhe disseram: “Por-
e não escutastes. Por que quereis ventura também nós somos ce-
ouvir de novo? Por acaso quereis gos?” 41Respondeu-lhes Jesus: “Se
tornar-vos discípulos dele?” 28En- fôsseis cegos, não teríeis culpa;
tão, insultaram-no, dizendo: “Tu, mas como dizeis ‘nós vemos’, o
sim, és discípulo dele! Nós somos vosso pecado permanece”. – Pa-
discípulos de Moisés. 29Nós sabe- lavra da salvação.
mos que Deus falou a Moisés, Pistas para a reflexão: I leitura: Deus não
mas esse não sabemos de onde age segundo critérios humanos: ele vê o
é”. 30Respondeu-lhes o homem: coração das pessoas, além das aparências.
II leitura: A partir do batismo, somos novas
“Espantoso! Vós não sabeis de criaturas; por isso, nossos frutos devem ser
onde ele é? No entanto, ele abriu- de bondade, justiça e verdade. Evangelho:
O encontro com Jesus, luz da humanidade,
-me os olhos! 31Sabemos que transforma nossa vida de trevas em vida
Deus não escuta os pecadores, iluminada (cf. também artigo na página 77).

mas escuta aquele que é piedoso Preces da assembleia


e que faz a sua vontade. 32Jamais PR: Irmãos e irmãs, peçamos a Deus
se ouviu dizer que alguém tenha que acompanhe com sua luz nossos
aberto os olhos a um cego de passos de cada dia, dizendo:
nascença. 33Se esse homem não AS: Iluminai, Senhor, nossa vida.
viesse de Deus, não poderia fazer 1. Guiai, Senhor, os bispos, presbíte-
nada”. ros e diáconos, que têm a missão de
[34Os fariseus disseram-lhe: “Tu conduzir o vosso povo no caminho do
evangelho, nós vos pedimos.
nasceste todo em pecado e es-
2. Despertai nos catecúmenos a luz da
tás nos ensinando?” E expulsa- fé e fortalecei em cada cristão a fideli-
ram-no da comunidade. 35Jesus dade aos compromissos batismais, nós
soube que o tinham expulsado. vos pedimos.
Encontrando-o, perguntou-lhe: 3. Ajudai nossa sociedade a assumir a
“Acreditas no Filho do homem?” proposta do papa Francisco de uma
36
Respondeu ele: “Quem é, Se- economia que faz viver, humaniza e
cuida da criação, nós vos pedimos.
nhor, para que eu creia nele?”
PR: Rezemos, em dois coros, a oração
37
Jesus disse: “Tu o estás vendo; da Campanha da Fraternidade:
é aquele que está falando con- M (mulheres): Deus, nosso Pai, fonte
tigo”. Exclamou ele: 38“Eu creio, da vida e princípio do bem viver, /
Senhor!” E prostrou-se diante de criastes o ser humano e lhe confiastes

75 Dia 22
o mundo / como um jardim a ser cul- graças, sempre e em todo lugar,
tivado com amor. Senhor, Pai santo, Deus eterno
H (homens): Dai-nos um coração aco- e todo-poderoso, por Cristo,
lhedor / para assumir a vida como dom
e compromisso. / Abri nossos olhos
Senhor nosso. Pelo mistério da
para ver / as necessidades dos nossos encarnação, Jesus conduziu à
irmãos e irmãs, / sobretudo dos mais luz da fé a humanidade que ca-
pobres e marginalizados. minhava nas trevas. E elevou à
M: Ensinai-nos a sentir verdadeira com- dignidade de filhos e filhas os
paixão, / expressa no cuidado frater- escravos do pecado, fazendo-os
no, / próprio de quem reconhece no
próximo / o rosto do vosso Filho. renascer das águas do batismo.
H: Inspirai-nos palavras e ações / para
Por essa razão, com os anjos e
sermos construtores de uma nova so- com todos os santos, entoamos
ciedade, / reconciliada no amor. um cântico novo para proclamar
AS: Dai-nos a graça de vivermos / vossa bondade, cantando (dizen-
em comunidades eclesiais missio- do) a uma só voz...
nárias, que, compadecidas, / vejam, Sugestão: Oração Eucarística II (página 9).
se aproximem e cuidem daqueles
que sofrem, / a exemplo de Maria, Antífona da comunhão: O Senhor
a Senhora da Conceição Aparecida, ungiu os meus olhos. Fui e lavei-me;
/ e de santa Dulce dos Pobres, Anjo comecei a ver e acreditei em Deus (Jo
Bom do Brasil. 9,11).
PR: Por Jesus, o Filho amado, no Espí- Depois da comunhão
rito, Senhor que dá a vida. AS: Amém.
Ó Deus, luz de todo ser humano
LITURGIA EUCARÍSTICA que vem a este mundo, iluminai
O olhar iluminado pela fé nos torna ca- nossos corações com o esplen-
pazes de reconhecer os sinais da presen- dor da vossa graça, para pensar-
ça de Cristo na assembleia reunida e no mos sempre o que vos agrada e
pão e no vinho consagrados para serem
partilhados. amar-vos de todo o coração. Por
Cristo, nosso Senhor.
Sobre as oferendas
RITOS FINAIS
Ó Deus, concedei-nos venerar
com fé e oferecer pela reden- Entre os próximos dias 26 e 28, o papa
Francisco se encontrará em Assis, Itá-
ção do mundo os dons que nos lia, com economistas jovens para repen-
salvam e que vos apresentamos sar a economia global; uma economia
com alegria. Por Cristo, nosso que valorize a vida e a criação e venha a
Senhor. “dar alma à economia de amanhã”. Nas
palavras do papa, precisamos escutar,
Prefácio: o cego de nascença “com o coração, os gritos cada vez mais
angustiados da Terra e de seus pobres
Na verdade, é justo e necessário, em busca de ajuda e de responsabilida-
é nosso dever e salvação dar-vos de”.

Dia 22 76
JESUS, LUZ DA HUMANIDADE
Pe. Nilo Luza, ssp
Na passagem do cego de nascença es- com frequência, pessoas que concebem
tá o sexto sinal narrado pelo Evangelho Deus como alguém castigador e vinga-
de João. Para o autor, o relato não é um dor, ao passo que Jesus nos mostra que
milagre, mas um sinal que aponta para ele é Pai e amigo.
além do fato em si. Esse episódio ocorre O relato, assim como tantos outros no
por ocasião da festa dos Tabernáculos, Evangelho de João, é rico em simbolismo.
evento em que a iluminação desempe- O cego pode representar a comunidade
nhava importante papel e que, portanto, joanina em seu processo de descoberta
contrastava com a situação de alguém de Deus na pessoa de Jesus, enviado
cego, mergulhado na escuridão. O texto (“Siloé”) para realizar as obras do Pai. As
ressalta o contraste entre trevas (fariseus) várias etapas do reconhecimento de Je-
e luz (Jesus).
sus, por parte do homem que recuperou
O evangelho de hoje mostra o conflito
a vista, podem simbolizar a caminhada
existente entre os cristãos e a sinagoga no
da comunidade que, aos poucos, vai des-
tempo da comunidade joanina. Confessar
cobrindo e assumindo o projeto de vida
a messianidade de Jesus significava ser
do Mestre.
expulso da sinagoga. Foi o que aconteceu
com o que era cego, e o medo dos pais O cego recupera a visão, enquanto os
de se envolver no caso demonstra isso. fariseus se tornam sempre mais cegos,
A fé autêntica em Jesus é sinal de risco fechados em suas ideias fixas, incapazes
e perseguição. de enxergar e reconhecer a diversidade e
Na época, havia a mentalidade de que o diferente. A busca e a recuperação da fé
a doença seria castigo de Deus. Eis a ra- constituem um processo em que pessoas
zão da pergunta dos discípulos. Jesus e comunidades vão se inserindo à medida
esclarece que a cegueira do homem não que se abrem aos “sinais dos tempos”. A
é consequência de algum pecado dele ausência dos olhos da fé é grande entrave
ou dos pais, mas é meio para revelar as que não permite ver as pessoas, as coisas
obras divinas. Atualmente ainda vemos, e o mundo com o olhar dado por Jesus.

23
Círculo bíblico, páginas 20s.

SEGUNDA-FEIRA Oração do dia


4ª SEMANA DA QUARESMA* Ó Deus, que renovais o mundo
(roxo – ofício do dia)
com admiráveis sacramentos, fa-
RITOS INICIAIS zei a vossa Igreja caminhar se-
gundo vossa vontade, sem que
Antífona da entrada: Confio em vós, jamais lhe faltem neste mundo
ó Deus! Alegro-me e exulto em vosso
amor, pois olhastes, Senhor, minha os auxílios de que necessita. Por
miséria (Sl 30,7s). nosso Senhor Jesus Cristo...
Confiante na bondade divina, o pro- LITURGIA DA PALAVRA
feta anuncia novos céus e nova terra.
Acolhendo o reino de Deus na pessoa O Senhor é nosso abrigo protetor. Onde
encontra acolhida, ele realiza sinais e
de Jesus, participamos, desde já, da
prodígios. Abramos, pois, o coração ao
alegria e exultação sem fim.
que Deus quer nos falar.

77 Dia 23
Leitura (Isaías 65,17-21) sua bondade permanece a vida
Leitura do livro do profeta Isaías inteira; / se à tarde vem o pran-
– Assim fala o Senhor: 17“Eis que to visitar-nos, / de manhã vem
eu criarei novos céus e nova ter- saudar-nos a alegria. – R.
ra, coisas passadas serão esque- 3. Escutai-me, Senhor Deus, ten-
cidas, não voltarão mais à me- de piedade! / Sede, Senhor, o
mória. 18Ao contrário, haverá ale- meu abrigo protetor! / Transfor-
gria e exultação sem fim em ra- mastes o meu pranto em uma
zão das coisas que eu vou criar; festa, / Senhor meu Deus, eter-
farei de Jerusalém a cidade da namente hei de louvar-vos! – R.
exultação e um povo cheio de Evangelho (João 4,43-54)
alegria. 19Eu também exulto com Honra, glória, poder e louvor / a Jesus,
Jerusalém e alegro-me com o nosso Deus e Senhor!
meu povo; ali nunca mais se ou- Buscai o bem, não o mal, pois assim
virá a voz do pranto e o grito de vivereis; / então o Senhor, nosso Deus,
dor. 20Ali não haverá crianças convosco estará! (Am 5,14) – R.
condenadas a poucos dias de Proclamação do evangelho de
vida nem anciãos que não com- Jesus Cristo segundo João – Na-
pletem seus dias. Será conside- quele tempo, 43Jesus partiu da
rado jovem quem morrer aos Samaria para a Galileia. 44O pró-
cem anos; e quem não alcançar prio Jesus tinha declarado que
cem anos passará por maldito. um profeta não é honrado na
21
Construirão casas para nelas sua própria terra. 45Quando en-
morar, plantarão vinhas para co- tão chegou à Galileia, os galileus
mer seus frutos”. – Palavra do Se- receberam-no bem, porque ti-
nhor. nham visto tudo o que Jesus ha-
Salmo responsorial 29(30) via feito em Jerusalém durante a
festa. Pois também eles tinham
Eu vos exalto, ó Senhor, pois me ido à festa. 46Assim, Jesus voltou
livrastes! para Caná da Galileia, onde havia
1. Eu vos exalto, ó Senhor, pois transformado a água em vinho.
me livrastes / e não deixastes Havia em Cafarnaum um funcio-
rir de mim meus inimigos! / Vós nário do rei que tinha um filho
tirastes minha alma dos abismos doente. 47Ouviu dizer que Jesus
/ e me salvastes quando estava tinha vindo da Judeia para a Ga-
já morrendo! – R. lileia. Ele saiu ao seu encontro e
2. Cantai salmos ao Senhor, povo pediu-lhe que fosse a Cafarnaum
fiel, / dai-lhe graças e invocai curar seu filho, que estava mor-
seu santo nome! / Pois sua ira rendo. 48Jesus disse-lhe: “Se não
dura apenas um momento, / mas virdes sinais e prodígios, não
Dia 23 78
acreditais”. 49O funcionário do rei recer, para que, despojando-nos
disse: “Senhor, desce, antes que da velha criatura, cresçamos nu-
meu filho morra!” 50Jesus lhe dis- ma vida nova. Por Cristo, nosso
se: “Podes ir, teu filho está vivo”. O Senhor.
homem acreditou na palavra de Antífona da comunhão: Eu coloca-
Jesus e foi embora. 51Enquanto rei em vós o meu espírito e vos farei
descia para Cafarnaum, seus em- andar nos meus preceitos, obedecer
pregados foram ao seu encontro, à minha palavra e pô-la em prática (Ez
36,27).
dizendo que o seu filho estava
vivo. 52O funcionário perguntou a Depois da comunhão
que horas o menino tinha melho- Ó Deus, nós vos pedimos que
rado. Eles responderam: “A febre vosso sacramento nos santifi-
desapareceu, ontem, pela uma que, dando-nos uma vida nova
da tarde”. 53O pai verificou que e levando-nos à eterna salvação.
tinha sido exatamente na mesma Por Cristo, nosso Senhor.
hora em que Jesus lhe havia dito:
“Teu filho está vivo”. Então, ele *COMEMORAÇÃO FACULTATIVA
abraçou a fé, juntamente com SÃO TURÍBIO DE MOGROVEJO
toda a sua família. 54Esse foi o se- (roxo – ofício da memória)

gundo sinal de Jesus. Realizou-o Turíbio, nascido na Espanha em 1538 e


quando voltou da Judeia para a falecido em 1606, foi bispo de Lima, no
Peru, onde se empenhou na formação
Galileia. – Palavra da salvação. do clero, na criação de seminários e na
Preces da assembleia constituição da comunidade cristã no
1. Pela Igreja, que procura ser fiel à país. Seguindo as pegadas do Mestre,
missão confiada por Jesus, rezemos. trabalhou pela difusão do reino de Deus.
A seu exemplo, esforcemo-nos por tornar
AS: Dai-nos, Senhor, conhecidas as obras de Jesus.
novos céus e nova terra.
2. Por nossas autoridades, chamadas a Oração do dia: Ó Deus, que fizestes
combater a mortalidade infantil e pro- crescer a vossa Igreja pela solicitude
teger a dignidade dos idosos, rezemos. pastoral de são Turíbio e seu zelo pela
verdade, concedei ao vosso povo um
3. Pelos que se dedicam a edificar um contínuo aumento de fé e santidade.
mundo onde reinem o amor, a paz e a Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso
justiça, rezemos. Filho, na unidade do Espírito Santo.

24
4. Pelos profissionais da saúde que se
empenham em favor da vida, rezemos. TERÇA-FEIRA
Preces espontâneas.
4ª SEMANA DA QUARESMA
(roxo – ofício do dia)
LITURGIA EUCARÍSTICA
Sobre as oferendas RITOS INICIAIS
Possamos, ó Deus, colher os fru- Antífona da entrada: Vós, que ten-
tos do sacrifício que vamos ofe- des sede, vinde às águas; vós que não
79 Dia 24
tendes com que pagar, vinde e bebei vessar a água: ela chegava-me
com alegria (Is 55,1). aos tornozelos. 4Mediu outros
No batismo, ao passarmos pela água, quinhentos metros e fez-me atra-
morremos para o pecado e nascemos vessar a água: ela chegava-me
para a vida nova. Reunidos em torno
da mesa da Palavra e da Eucaristia, aos joelhos. 5Mediu mais qui-
deixemo-nos lavar e purificar pela nhentos metros e fez-me atra-
água que é Jesus. vessar a água: ela chegava-me
Oração do dia à cintura. Mediu mais quinhen-
tos metros, e era um rio que eu
Ó Deus, que a fiel observância
não podia atravessar. Porque as
dos exercícios quaresmais pre-
águas haviam crescido tanto, que
pare o coração dos vossos filhos
se tornaram um rio impossível
e filhas para acolher com amor
de atravessar, a não ser a nado.
o mistério pascal e anunciar ao 6
Ele me disse: “Viste, filho do
mundo a salvação. Por nosso Se-
homem?” Depois, fez-me cami-
nhor Jesus Cristo, vosso Filho, na
nhar de volta pela margem do
unidade do Espírito Santo.
rio. 7Voltando, eu vi junto à mar-
LITURGIA DA PALAVRA gem muitas árvores, de um e de
Jesus toma a iniciativa, cura o doente e outro lado do rio. 8Então ele me
lhe pede que não volte a pecar. Acolha- disse: “Estas águas correm para
mos a Palavra de Deus, a qual leva vida a região oriental, descem para
e salvação aonde chega.
o vale do Jordão, desembocam
Leitura (Ezequiel 47,1-9.12) nas águas salgadas do mar, e elas
Leitura da profecia de Ezequiel se tornarão saudáveis. 9Aonde
– Naqueles dias, 1o anjo fez-me o rio chegar, todos os animais
voltar até a entrada do templo que ali se movem poderão viver.
e eis que saía água da sua parte Haverá peixes em quantidade,
subterrânea na direção leste, pois ali desembocam as águas
porque o templo estava voltado que trazem saúde; e haverá vi-
para o oriente; a água corria do da aonde chegar o rio. 12Nas mar-
lado direito do templo, a sul do gens junto ao rio, de ambos os
altar. 2Ele fez-me sair pela porta lados, crescerá toda espécie de
que dá para o norte, e fez-me árvores frutíferas; suas folhas não
dar uma volta por fora, até a murcharão e seus frutos jamais se
porta que dá para o leste, onde acabarão: cada mês darão novos
eu vi a água jorrando do lado frutos, pois as águas que banham
direito. 3Quando o homem saiu as árvores saem do santuário.
na direção leste, tendo uma Seus frutos servirão de alimento
corda de medir na mão, mediu e suas folhas serão remédio”. –
quinhentos metros e fez-me atra- Palavra do Senhor.
Dia 24 80
Salmo responsorial 45(46) descia, de vez em quando, e mo-
Conosco está o Senhor do univer- vimentava a água da piscina, e o
so! / O nosso refúgio é o Deus de primeiro doente que aí entrasse,
Jacó. depois do borbulhar da água, fi-
cava curado de qualquer doença
1. O Senhor para nós é refúgio e que tivesse. 5Aí se encontrava
vigor, / sempre pronto, mostrou- um homem que estava doente
-se um socorro na angústia; / as- havia trinta e oito anos. 6Jesus
sim não tememos se a terra estre- viu o homem deitado e, saben-
mece, / se os montes desabam, do que estava doente há tanto
caindo nos mares. – R. tempo, disse-lhe: “Queres ficar
2. Os braços de um rio vêm tra- curado?” 7O doente respondeu:
zer alegria / à cidade de Deus, à “Senhor, não tenho ninguém
morada do Altíssimo. / Quem a que me leve à piscina quando a
pode abalar? Deus está no seu água é agitada. Quando estou
meio! / Já bem antes da aurora, chegando, outro entra na minha
ele vem ajudá-la. – R. frente”. 8Jesus disse: “Levanta-te,
3. Conosco está o Senhor do uni- pega a tua cama e anda”. 9No
verso! / O nosso refúgio é o Deus mesmo instante, o homem ficou
de Jacó! / Vinde ver, contemplai curado, pegou a sua cama e co-
os prodígios de Deus / e a obra meçou a andar. Ora, esse dia era
estupenda que fez no universo. um sábado. 10Por isso, os judeus
– R. disseram ao homem que tinha
sido curado: “É sábado! Não te
Evangelho (João 5,1-16) é permitido carregar tua cama”.
Glória a vós, Senhor Jesus, / primogênito 11
Ele respondeu-lhes: “Aquele
dentre os mortos! que me curou disse: ‘Pega tua
Criai em mim um coração que seja cama e anda’”. 12Então lhe per-
puro, / dai-me de novo a alegria de ser guntaram: “Quem é que te disse:
salvo! (Sl 50,12.14) – R.
‘Pega tua cama e anda’?” 13O ho-
Proclamação do evangelho de Je- mem que tinha sido curado não
sus Cristo segundo João – 1Hou- sabia quem fora, pois Jesus se
ve uma festa dos judeus, e Je- tinha afastado da multidão que
sus foi a Jerusalém. 2Existe em se encontrava naquele lugar.
Jerusalém, perto da porta das 14
Mais tarde, Jesus encontrou o
Ovelhas, uma piscina com cinco homem no templo e lhe disse:
pórticos, chamada Betesda em “Eis que estás curado. Não voltes
hebraico. 3Muitos doentes fica- a pecar, para que não te aconteça
vam ali deitados: cegos, coxos coisa pior”. 15Então o homem saiu
e paralíticos. 4De fato, um anjo e contou aos judeus que tinha
81 Dia 24
sido Jesus quem o havia curado. mento que recebemos, de modo
16
Por isso, os judeus começaram que sejamos auxiliados hoje e
a perseguir Jesus, porque fazia por toda a nossa vida. Por Cristo,
tais coisas em dia de sábado. – nosso Senhor.

25
Palavra da salvação.
Preces da assembleia
QUARTA-FEIRA
ANUNCIAÇÃO DO SENHOR
1. Pela Igreja, chamada a ser sinal de (branco, glória, creio [com genuflexão às
salvação para os desamparados e sem palavras “e se encarnou”], pref. próprio
auxílio, rezemos. – ofício da solenidade)
AS: Pai de bondade,
RITOS INICIAIS
atendei nossa prece.
2. Pelos doentes sem cuidados e pelos Antífona da entrada: Ao entrar no
que aguardam atendimento em longas mundo, Cristo disse: Eis-me aqui, ó Pai,
listas de espera, rezemos. para fazer a tua vontade (Hb 10,5.7)
3. Pelas vítimas das secas e das enchen- Por amor à humanidade, Deus envia
tes e pelos que se empenham no cui- ao mundo seu Filho, que se faz ho-
dado e preservação dos recursos hídri- mem para nos salvar. Com seu sim,
cos do planeta, rezemos. Maria colabora com o projeto salvífi-
4. Por todos nós, convidados a assimi- co do Pai. A fim de imitar o exemplo de
lar os ensinamentos da Campanha da Jesus e de sua mãe, busquemos nesta
Fraternidade, que nos impelem a des- liturgia forças para sempre fazer com
pertar para o sentido da vida como dom prazer a vontade do Senhor.
e compromisso, rezemos.
Oração do dia
Preces espontâneas.
Ó Deus, quisestes que vosso Ver-
LITURGIA EUCARÍSTICA bo se fizesse homem no seio da
Sobre as oferendas Virgem Maria; dai-nos participar
da divindade do nosso redentor,
Nós vos oferecemos, ó Deus, os que proclamamos verdadeiro
dons que nos destes para que Deus e verdadeiro homem. Por
estes sinais que manifestam vos- nosso Senhor Jesus Cristo...
sa solicitude para conosco nesta
vida sejam remédio para a vida LITURGIA DA PALAVRA
eterna. Por Cristo, nosso Senhor. O que foi profetizado por Isaías realiza-se
Antífona da comunhão: O Senhor é no seio de Maria. Jesus entrou no mundo
meu pastor, nada me falta; em verdes e fez morada entre nós. Habitados pelo
pastagens me faz repousar. Ele me leva Espírito Santo, acolhamos a Palavra do
até águas tranquilas e refaz as minhas Senhor.
forças (Sl 22,1s).
I leitura (Isaías 7,10-14; 8,10)
Depois da comunhão Leitura do livro do profeta Isaías
Ó Deus de bondade, purificai- – Naqueles dias, 10o Senhor fa-
-nos e renovai-nos pelo sacra- lou com Acaz, dizendo: 11“Pede
Dia 25 82
ao Senhor teu Deus que te faça II leitura (Hebreus 10,4-10)
ver um sinal, quer provenha da Leitura da carta aos Hebreus –
profundeza da terra, quer venha Irmãos, 4 é impossível eliminar
das alturas do céu”. 12Mas Acaz os pecados com o sangue de
respondeu: “Não pedirei nem touros e bodes. 5Por isso, ao en-
tentarei o Senhor”. 13Disse o pro- trar no mundo, Cristo afirma: “Tu
feta: “Ouvi, então, vós, casa de não quiseste vítima nem oferen-
Davi: será que achais pouco in- da, mas formaste-me um corpo.
comodar os homens e passais 6
Não foram do teu agrado ho-
a incomodar até o meu Deus? locaustos nem sacrifícios pelo
14
Pois bem, o próprio Senhor vos pecado. 7Por isso eu disse: Eis que
dará um sinal. Eis que uma vir-
eu venho. No livro está escrito a
gem conceberá e dará à luz um
meu respeito: Eu vim, ó Deus, pa-
filho, e lhe porá o nome de Ema-
ra fazer a tua vontade”. 8Depois
nuel, 8,10porque Deus está conos-
de dizer: “Tu não quiseste nem
co”. – Palavra do Senhor.
te agradaram vítimas, oferendas,
Salmo responsorial 39(40) holocaustos, sacrifícios pelo pe-
Eis que venho fazer, com prazer, / cado” – coisas oferecidas segun-
a vossa vontade, Senhor! do a lei –, 9ele acrescenta: “Eu vim
1. Sacrifício e oblação não quises- para fazer a tua vontade”. Com
tes, / mas abristes, Senhor, meus isso, suprime o primeiro sacrifício
ouvidos; / não pedistes ofertas para estabelecer o segundo. 10É
nem vítimas, † holocaustos por graças a essa vontade que somos
nossos pecados, / e então eu vos santificados pela oferenda do
disse: “Eis que venho!” – R. corpo de Jesus Cristo, realizada
2. Sobre mim está escrito no livro: uma vez por todas. – Palavra do
† “Com prazer faço a vossa von- Senhor.
tade, / guardo em meu coração Evangelho (Lucas 1,26-38)
vossa lei!” – R. Glória a Cristo, Palavra eterna do Pai,
3. Boas-novas de vossa justiça † que é amor!
anunciei numa grande assem- A Palavra se fez carne e habitou entre
bleia; / vós sabeis: não fechei os nós. / E nós vimos sua glória, que rece-
meus lábios! – R. be de Deus Pai (Jo 1,14). – R.
4. Proclamei toda a vossa justiça, Proclamação do evangelho de
† sem retê-la no meu coração; / Jesus Cristo segundo Lucas – Na-
vosso auxílio e lealdade narrei. / quele tempo, 26o anjo Gabriel foi
Não calei vossa graça e verdade enviado por Deus a uma cida-
/ na presença da grande assem- de da Galileia, chamada Nazaré,
bleia. – R. 27
a uma virgem, prometida em
83 Dia 25
casamento a um homem chama- Peçamos a Deus que ouça as orações
do José. Ele era descendente de de todos os que celebram as maravi-
lhas da encarnação de Cristo, dizendo:
Davi, e o nome da virgem era
AS: Senhor, ensinai-nos a
Maria. 28O anjo entrou onde ela fazer vossa vontade.
estava e disse: “Alegra-te, cheia 1. Senhor, vós que enviastes Jesus para
de graça, o Senhor está contigo!” cumprir vossa vontade, olhai pelos que
29
Maria ficou perturbada com es- trabalham pela vinda do vosso reino,
sas palavras e começou a pensar nós vos pedimos.
qual seria o significado da sau- 2. Vós que nomeastes vosso Filho
dação. 30O anjo, então, disse-lhe: “Deus conosco”, fazei que vossos fiéis
acolham com gratidão o Salvador na
“Não tenhas medo, Maria, por- pessoa dos pobres, nós vos pedimos.
que encontraste graça diante de 3. Vós que, pelo anjo, anunciastes a
Deus. 31Eis que conceberás e da- Maria a alegria e a paz, concedei ao
rás à luz um filho, a quem porás o mundo inteiro a alegria da salvação
nome de Jesus. 32Ele será grande, e a paz verdadeira, nós vos pedimos.
será chamado Filho do Altíssimo, 4. Vós que elevais os humildes, so-
e o Senhor Deus lhe dará o trono correis os angustiados e saciais os
famintos, dai-lhes ser testemunhas e
de seu pai Davi. 33Ele reinará para anunciadores das vossas maravilhas,
sempre sobre os descendentes nós vos pedimos.
de Jacó, e o seu reino não terá Pode haver outras preces da comunidade.
fim”. 34Maria perguntou ao anjo: PR: Ó Deus, dignai-vos atender às
“Como acontecerá isso se eu não nossas orações, que vos apresentamos
conheço homem algum?” 35O pela intercessão da Virgem Maria, a
quem o anjo anunciou que seria mãe
anjo respondeu: “O Espírito virá do vosso Filho, Jesus Cristo. Que vive
sobre ti, e o poder do Altíssimo te e reina para sempre. AS: Amém.
cobrirá com sua sombra. Por isso,
o menino que vai nascer será LITURGIA EUCARÍSTICA
chamado Santo, Filho de Deus. Sobre as oferendas
36
Também Isabel, tua parenta, Recebei, ó Deus onipotente, as
concebeu um filho na velhice. oferendas de vossa Igreja, que
Este já é o sexto mês daquela que comemora a sua origem na en-
era considerada estéril, 37porque carnação do vosso Filho, cele-
para Deus nada é impossível”. brando com alegria este grande
38
Maria, então, disse: “Eis aqui a mistério. Por Cristo, nosso Se-
serva do Senhor; faça-se em mim nhor.
segundo a tua palavra!” E o anjo
retirou-se. – Palavra da salvação. Prefácio:
Preces da assembleia
o mistério da encarnação
PR: Irmãos e irmãs, recebemos com Na verdade, é justo e necessário,
alegria o anúncio da nossa redenção. é nosso dever e salvação dar-vos

Dia 25 84
graças, sempre e em todo lugar, Por amor a seu povo, o Senhor o li-
Senhor, Pai santo, Deus eterno bertou da escravidão e perdoou-lhe
e todo-poderoso, por Cristo, o pecado da idolatria. Nesta liturgia
busquemos a glória que vem do único
Senhor nosso. A Virgem Maria Deus e recebamos de Jesus o dom da
recebeu com fé o anúncio do an- vida eterna.
jo; e, à sombra do Espírito Santo,
acolheu com amor, no seio pu- Oração do dia
ríssimo, aquele que, para salvar Nós vos pedimos, ó Deus de bon-
os seres humanos, quis nascer dade, que, corrigidos pela peni-
entre eles. Assim, cumpriam-se tência e renovados pelas boas
as promessas feitas a Israel e, obras, possamos perseverar nos
de modo inefável, realizava-se a vossos mandamentos e chegar
esperança das nações. Por essa purificados às festas pascais. Por
razão, a multidão dos anjos e dos nosso Senhor Jesus Cristo, vosso
santos se alegra eternamente na Filho, na unidade do Espírito San-
vossa presença. Concedei-nos to.
também a nós associar-nos aos
seus louvores, cantando (dizen- LITURGIA DA PALAVRA
do) a uma só voz... O Pai e as Escrituras – além de suas pró-
Antífona da comunhão: A virgem prias obras – dão testemunho de Jesus.
conceberá e dará à luz um filho. Ele Acolhamos esse testemunho, a fim de
será chamado: “Deus conosco” (Is 7,14) não nos desviarmos dos caminhos de
Deus.
Depois da comunhão
Leitura (Êxodo 32,7-14)
Ó Deus, confirmai em nossos co-
rações os mistérios da verdadeira Leitura do livro do Êxodo – Na-
fé, para que, proclamando verda- queles dias, 7o Senhor falou a
deiro Deus e verdadeiro homem Moisés: “Vai, desce, pois corrom-
aquele que nasceu da Virgem, peu-se o teu povo, que tiraste da
cheguemos à felicidade eterna terra do Egito. 8Bem depressa
pelo poder da sua ressurreição. desviaram-se do caminho que
Por Cristo, nosso Senhor. lhes prescrevi. Fizeram para si

26
um bezerro de metal fundido, in-
QUINTA-FEIRA clinaram-se em adoração diante
4ª SEMANA DA QUARESMA dele e ofereceram-lhe sacrifícios,
(roxo – ofício do dia)
dizendo: ‘Estes são os teus deu-
ses, Israel, que te fizeram sair do
RITOS INICIAIS
Egito!’” 9E o Senhor disse ainda
Antífona da entrada: Exulte o cora-
ção dos que buscam a Deus. Sim, bus-
a Moisés: “Vejo que este é um
cai o Senhor e sua força, procurai sem povo de cabeça dura. 10Deixa que
cessar a sua face (Sl 104,3s). minha cólera se inflame contra
85 Dia 26
eles e que eu os extermine. Mas fez tantas obras admiráveis, /
de ti farei uma grande nação”. no mar Vermelho, tantas coisas
11
Moisés, porém, suplicava ao assombrosas. – R.
Senhor seu Deus, dizendo: “Por 3. Até pensava em acabar com
que, ó Senhor, se inflama a tua sua raça, / não se tivesse Moisés,
cólera contra o teu povo, que o seu eleito, / interposto, interce-
fizeste sair do Egito com grande dendo junto a ele, / para impedir
poder e mão forte? 12Não per- que sua ira os destruísse. – R.
mitas, te peço, que os egípcios
digam: ‘Foi com má intenção que Evangelho (João 5,31-47)
ele os tirou, para fazê-los perecer Jesus Cristo, sois bendito, / sois o ungido
nas montanhas e exterminá-los de Deus Pai!
da face da terra’. Aplaque-se a Deus o mundo tanto amou, / que lhe
tua ira e perdoa a iniquidade do deu seu próprio Filho, / para que todo
teu povo. 13Lembra-te de teus o que nele crer / encontre vida eterna
(Jo 3,16). – R.
servos Abraão, Isaac e Israel, com
os quais te comprometeste por Proclamação do evangelho de
juramento, dizendo: ‘Tornarei os Jesus Cristo segundo João – Na-
vossos descendentes tão nume- quele tempo, disse Jesus aos ju-
rosos como as estrelas do céu; e deus: 31“Se eu der testemunho de
toda esta terra de que vos falei, mim mesmo, meu testemunho
eu a darei aos vossos descenden- não vale. 32Mas há um outro que
tes como herança para sempre’”. dá testemunho de mim, e eu sei
14
E o Senhor desistiu do mal que que o testemunho que ele dá de
havia ameaçado fazer ao seu po- mim é verdadeiro. 33Vós mandas-
vo. – Palavra do Senhor. tes mensageiros a João, e ele deu
Salmo responsorial 105(106) testemunho da verdade. 34Eu,
porém, não dependo do teste-
Lembrai-vos de nós, ó Senhor, / munho de um ser humano. Mas
segundo o amor para com vosso falo assim para a vossa salvação.
povo! 35
João era uma lâmpada que es-
1. Construíram um bezerro no tava acesa e a brilhar, e vós com
Horeb / e adoraram uma estátua prazer vos alegrastes por um
de metal; / eles trocaram o seu tempo com a sua luz. 36Mas eu
Deus, que é sua glória, / pela tenho um testemunho maior que
imagem de um boi que come o de João: as obras que o Pai me
feno. – R. concedeu realizar. As obras que
2. Esqueceram-se do Deus que eu faço dão testemunho de mim,
os salvara, / que fizera maravi- mostrando que o Pai me enviou.
lhas no Egito; / no país de Cam 37
E também o Pai que me enviou
Dia 26 86
dá testemunho a meu favor. Vós que sejam fiéis à missão que Deus lhes
nunca ouvistes sua voz nem vis- confiou, rezemos.
tes sua face, 38e sua palavra não 3. Pelos cristãos, para que sempre mais
se abram à verdade da Palavra de Deus
encontrou morada em vós, pois e se libertem de maneiras de pensar e
não acreditais naquele que ele agir contrárias ao evangelho, rezemos.
enviou. 39Vós examinais as Escri- 4. Pelo evento “Economia de Francis-
turas, pensando que nelas pos- co”, que se inicia hoje em Assis, na Itá-
suís a vida eterna. No entanto, lia, para que contribua para o desen-
volvimento de uma economia não ido-
as Escrituras dão testemunho látrica, mas justa, sustentável e inclu-
de mim, 40mas não quereis vir a siva, rezemos.
mim para ter a vida eterna! 41Eu
não recebo a glória que vem dos LITURGIA EUCARÍSTICA
homens. 42Mas eu sei que não Sobre as oferendas
tendes em vós o amor de Deus.
Concedei, ó Deus todo-podero-
43
Eu vim em nome do meu Pai,
so, que as oferendas deste sacri-
e vós não me recebeis. Mas, se fício protejam nossa fraqueza,
um outro viesse em seu próprio livrando-nos de todo mal. Por
nome, a este vós o receberíeis. Cristo, nosso Senhor.
44
Como podereis acreditar, vós
que recebeis glória uns dos ou- Antífona da comunhão: Gravarei
neles a minha lei, hei de escrevê-la em
tros e não buscais a glória que seus corações. Eu serei o seu Deus, e
vem do único Deus? 45Não pen- eles serão o meu povo (Jr 31,33).
seis que eu vos acusarei diante
Depois da comunhão
do Pai. Há alguém que vos acusa:
Moisés, no qual colocais a vossa Fazei, ó Deus, que esta comu-
esperança. 46Se acreditásseis em nhão nos purifique e liberte de
Moisés, também acreditaríeis toda culpa. Se a consciência do
em mim, pois foi a respeito de pecado nos aflige, o socorro ce-
mim que ele escreveu. 47Mas se leste nos alegre. Por Cristo, nosso
não acreditais nos seus escritos, Senhor.

27
como acreditareis então nas mi-
nhas palavras?” – Palavra da sal- SEXTA-FEIRA
vação. 4ª SEMANA DA QUARESMA
(roxo – ofício do dia)
Preces da assembleia
1. Pela Igreja, para que persevere no RITOS INICIAIS
testemunho de Jesus e no cumprimen-
to da vontade do Pai, rezemos. Antífona da entrada: Salvai-me, ó
Deus, por vosso nome, libertai-me por
AS: Lembrai-vos de nós, Senhor. vosso poder. Deus, ouvi a minha ora-
2. Pelos bispos, padres, diáconos, re- ção, escutai as palavras que vos digo
ligiosos e agentes de pastoral, para (Sl 53,3s).

87 Dia 27
Celebremos a Eucaristia, que nos faz proclama feliz a sorte final dos
reconhecer a Cristo e viver como ele justos e gloria-se de ter a Deus
viveu, mesmo em meio a tribulações por pai. 17Vejamos, pois, se é ver-
e perseguições. Ela é nossa defesa dade o que ele diz e comprove-
contra uma vida de falsidade e de
injustiça. mos o que vai acontecer com
ele. 18Se, de fato, o justo é ‘filho
Oração do dia de Deus’, Deus o defenderá e o
Ó Deus, que preparastes para a livrará das mãos dos seus inimi-
nossa fraqueza os auxílios ne- gos. 19Vamos pô-lo à prova com
cessários à nossa renovação, dai- ofensas e torturas, para ver a sua
-nos recebê-los com alegria e serenidade e provar a sua paciên-
vê-los frutificar em nossa vida. cia; 20vamos condená-lo a mor-
Por nosso Senhor Jesus Cristo... te vergonhosa, porque, de acor-
do com as suas palavras, virá al-
LITURGIA DA PALAVRA
guém em seu socorro”. 21Tais são
Jesus é o justo por excelência. Por sua
plena obediência ao Pai, ele foi persegui-
os pensamentos dos ímpios, mas
do até a morte. Certos de que o Senhor enganam-se; pois a malícia os
está sempre perto de nós, escutemos torna cegos, 22não conhecem os
sua Palavra. segredos de Deus, não esperam
Leitura (Sabedoria 2,1.12-22) recompensa para a santidade e
não dão valor ao prêmio reser-
Leitura do livro da Sabedoria –
vado às vidas puras. – Palavra
1
Dizem entre si os ímpios, em
do Senhor.
seus falsos raciocínios: 12“Arme-
mos ciladas ao justo, porque Salmo responsorial 33(34)
sua presença nos incomoda: ele Do coração atribulado está perto
se opõe ao nosso modo de agir, o Senhor.
repreende em nós as transgres-
sões da lei e nos reprova as faltas 1. O Senhor volta a sua face con-
contra a nossa disciplina. 13Ele de- tra os maus, / para da terra apa-
clara possuir o conhecimento de gar sua lembrança. / Clamam
Deus e chama-se ‘filho de Deus’. os justos, e o Senhor bondoso
14
Tornou-se uma censura aos nos- escuta / e de todas as angústias
sos pensamentos, e só o vê-lo os liberta. – R.
nos é insuportável; 15sua vida é 2. Do coração atribulado ele es-
muito diferente da dos outros tá perto / e conforta os de espí-
e seus caminhos são imutáveis. rito abatido. / Muitos males se
16
Somos comparados por ele a abatem sobre os justos, / mas o
moeda falsa, e foge de nossos Senhor de todos eles os liberta.
caminhos como de impurezas; – R.
Dia 27 88
3. Mesmo os seus ossos ele os conheço, porque venho da parte
guarda e os protege, / e nenhum dele, e ele foi quem me enviou”.
deles haverá de se quebrar. / Mas 30
Então, queriam prendê-lo, mas
o Senhor liberta a vida dos seus ninguém pôs a mão nele, porque
servos, / e castigado não será ainda não tinha chegado a sua
quem nele espera. – R. hora. – Palavra da salvação.
Evangelho (João 7,1-2.10.25-30) Preces da assembleia
Glória a Cristo, imagem do Pai, / a plena 1. Para que Deus, que presenteou o
verdade nos comunicai! mundo com a luz de Cristo, ilumine a
Igreja na caminhada quaresmal, reze-
O homem não vive somente de pão, / mos.
mas de toda palavra da boca de Deus
AS: Senhor de bondade,
(Mt 4,4). – R.
escutai nosso clamor.
Proclamação do evangelho de 2. Para que o Senhor conceda aos fiéis
Jesus Cristo segundo João – Na- conhecer, cada vez mais, as verdades
quele tempo, 1Jesus andava per- de seu reino e, com alegria, viver como
seus filhos e filhas, rezemos.
correndo a Galileia. Evitava an-
3. Para que o Senhor frustre os planos
dar pela Judeia, porque os ju- perversos dos adversários do evange-
deus procuravam matá-lo. 2En- lho e sustente os justos em meio às
tretanto, aproximava-se a festa provações, rezemos.
judaica das Tendas. 10 Quando 4. Para que o Senhor propicie que
seus irmãos já tinham subido, todas as nossas atividades e atitudes
contribuam para um mundo de paz e
então também ele subiu para harmonia, rezemos.
a festa, não publicamente, mas Preces espontâneas.
sim como que às escondidas.
25
Alguns habitantes de Jerusa- LITURGIA EUCARÍSTICA
lém disseram então: “Não é este Sobre as oferendas
a quem procuram matar? 26Eis
que fala em público e nada lhe Ó Deus onipotente, que este
dizem. Será que, na verdade, as sacrifício, santificando-nos pelo
autoridades reconheceram que seu poder, leve-nos, cada vez
ele é o Messias? 27Mas este nós sa- mais puros, àquele que é a sua
bemos donde é. O Cristo, quando fonte. Por Cristo, nosso Senhor.
vier, ninguém saberá donde ele Antífona da comunhão: Temos a
redenção em Cristo pelo seu sangue
é”. 28Em alta voz, Jesus ensinava e, pela riqueza de sua graça, o perdão
no templo, dizendo: “Vós me dos pecados (Ef 1,7).
conheceis e sabeis de onde sou;
eu não vim por mim mesmo, mas Depois da comunhão
o que me enviou é fidedigno. A Senhor Deus, tendo já passado
esse, não o conheceis, 29mas eu o da antiga para a nova criação,
89 Dia 27
despojemo-nos agora do ho- toda a sua força, eliminá-lo do
mem velho, renovando-nos para mundo dos vivos, para seu nome
a santidade do homem novo. Por não ser mais lembrado”. 20E tu,
Cristo, nosso Senhor. Senhor dos exércitos, que julgas

28
com justiça e perscrutas os afetos
SÁBADO do coração, concede que eu veja
4ª SEMANA DA QUARESMA a vingança que tomarás contra
(roxo – ofício do dia)
eles, pois eu te confiei a minha
causa. – Palavra do Senhor.
RITOS INICIAIS
Antífona da entrada: As ondas da Salmo responsorial 7
morte me cercavam, tragavam-me as Senhor meu Deus, em vós procuro
torrentes infernais; na minha angústia
chamei pelo Senhor, de seu templo o meu refúgio.
ouviu a minha voz (Sl 17,5ss). 1. Senhor meu Deus, em vós
A exemplo de Jeremias, Jesus terá a procuro o meu refúgio: / vinde
sorte de um manso cordeiro levado salvar-me do inimigo, libertai-
ao matadouro. Ambos sofreram as -me! / Não aconteça que agarrem
consequências de sua fidelidade à
vocação e à missão. Na Eucaristia o minha vida, † como um leão que
Senhor se faz nosso refúgio. despedaça a sua presa, / sem
que ninguém venha salvar-me
Oração do dia
e libertar-me! – R.
Ó Deus, na vossa misericórdia, di- 2. Julgai-me, Senhor Deus, como
rigi os nossos corações, pois, sem eu mereço / e segundo a inocên-
o vosso auxílio, não vos podemos cia que há em mim! / Ponde um
agradar. Por nosso Senhor Jesus fim à iniquidade dos perversos
Cristo, vosso Filho, na unidade † e confirmai o vosso justo, ó
do Espírito Santo. Deus-justiça, / vós que sondais
LITURGIA DA PALAVRA os nossos rins e corações. – R.
Ninguém jamais falou como Jesus. Aco- 3. O Deus vivo é um escudo
lhamos a Palavra daquele que julga com protetor / e salva aqueles que
justiça e examina os corações. têm reto coração. / Deus é juiz,
Leitura (Jeremias 11,18-20) e ele julga com justiça, / mas é
Leitura do livro do profeta Jere- um Deus que ameaça cada dia.
mias – 18Senhor, avisaste-me e eu – R.
entendi; fizeste-me saber as intri- Evangelho (João 7,40-53)
gas deles. 19Eu era como manso Glória a Cristo, Palavra eterna do Pai,
cordeiro levado ao sacrifício e que é amor!
não sabia que tramavam contra Felizes os que observam / a Palavra do
mim: “Vamos cortar a árvore em Senhor de reto coração / e que produ-

Dia 28 90
zem muitos frutos, / até o fim perseve- cada um voltou para sua casa. –
rantes! (Lc 8,15) – R. Palavra da salvação.
Proclamação do evangelho de Preces da assembleia
Jesus Cristo segundo João – Na-
1. Pela Igreja, para que siga firme no
quele tempo, 40ao ouvirem as anúncio fiel e entusiasmado da men-
palavras de Jesus, algumas pes- sagem de Jesus, rezemos.
soas da multidão diziam: “Este AS: Senhor, salvai-nos
é, verdadeiramente, o profeta”. e libertai-nos.
41
Outros diziam: “Ele é o Messias”. 2. Pelos seguidores de Jesus, para que
Mas alguns objetavam: “Porven- cresçam na arte do diálogo sereno e
tura o Messias virá da Galileia? respeitoso com os que vivem e pensam
42
Não diz a Escritura que o Mes- de forma diferente da proposta cristã,
rezemos.
sias será da descendência de Da-
3. Pelas famílias, para que procurem
vi e virá de Belém, povoado de trilhar o caminho da harmonia e da
onde era Davi?” 43Assim, houve contínua conversão, sob as bênçãos
divisão no meio do povo por cau- de Deus, rezemos.
sa de Jesus. 44Alguns queriam 4. Por nossa comunidade, para que o
prendê-lo, mas ninguém pôs as Senhor a fortaleça na fé e no compro-
mãos nele. 45Então, os guardas misso com seu reino, rezemos.
do templo voltaram para os su- Preces espontâneas.

mos sacerdotes e os fariseus, e LITURGIA EUCARÍSTICA


estes lhes perguntaram: “Por que
não o trouxestes?” 46Os guardas Sobre as oferendas
responderam: “Ninguém jamais Ó Deus, pelas oferendas que vos
falou como este homem”. 47En- apresentamos, possamos ser
tão, os fariseus disseram-lhes: reconciliados convosco, e nos-
“Também vós vos deixastes en- sas vontades, mesmo rebeldes,
ganar? 48Por acaso algum dos sejam reconduzidas a vós. Por
chefes ou dos fariseus acreditou Cristo, nosso Senhor.
nele? 49Mas essa gente que não
Antífona da comunhão: Pelo sangue
conhece a lei é maldita!” 50Nico-
precioso de Cristo, Cordeiro sem man-
demos, porém, um dos fariseus, cha e sem defeito, fomos resgatados
aquele que se tinha encontrado (1Pd 1,19).
com Jesus anteriormente, disse:
51
“Será que a nossa lei julga al- Depois da comunhão
guém antes de o ouvir e saber o Nós vos pedimos, ó Deus, que o
que ele fez?” 52Eles responderam: vosso sacramento nos purifique
“Também tu és galileu, porven- e possamos agradar-vos, graças
tura? Vai estudar e verás que da à ação do seu poder. Por Cristo,
Galileia não surge profeta”. 53E nosso Senhor.
91 Dia 28
DIA 29 – DOMINGO
5º DA QUARESMA
(roxo, creio, prefácio próprio – 1ª semana do saltério)

RITOS INICIAIS
Antífona da entrada: A mim, ó Deus, fazei
justiça, defendei a minha causa contra a gen-
te sem piedade; do homem perverso e trai-
dor libertai-me, porque sois, ó Deus, o meu
socorro (Sl 42,1s).

O Espírito de Deus, que mora em nós, con-


duziu-nos a esta celebração, a fim de ca-
minharmos, no dia a dia, desvencilhados
dos laços mortais da descrença e do egoísmo. Com Marta e Maria, professemos
nossa fé em Cristo Jesus, ressurreição e vida plena para todos os que se deixam
iluminar por sua Palavra e se alimentam com a Eucaristia.

Oração do dia bereis que eu, o Senhor, digo e


Senhor nosso Deus, dai-nos, por faço – oráculo do Senhor”. – Pala-
vossa graça, caminhar com ale- vra do Senhor.
gria na mesma caridade que le- Salmo responsorial 129(130)
vou o vosso Filho a entregar-se à (CD: Cantando os Salmos - Ano A, volume 1,
faixa 18 – Paulus)
morte no seu amor pelo mundo.
Por nosso Senhor Jesus Cristo... No Senhor, toda graça e redenção!
b
«« «« œ» œ» »œ œ»»» œ»»» œ»»» l ««˙« l Œ ««ˆ« ˆ««« l «ˆ«« «ˆ«« =
«««ˆ
m C B A m 7 m
& b 4 Œ ˆ« ˆ« l »» »» »» l œ»»»
========================== l
LITURGIA DA PALAVRA Ref.: o Se - nhor, to - da ra - a e re - den- o! o Se - nhor, to- da

« « « « « « m «« «« «ˆ«« ˆ«««
A7 m m Am m m m m A7
& b «««ˆ «««ˆ «ˆ«« ««ˆ l «˙«« ” W ««ˆ« «ˆ«« ˆ«« l W «ˆ« ˆ«« «ˆ« l W «ˆ« «ˆ« ˆ« l W ˆ« =
A Palavra de Deus liberta os que estão «
========================== ll
sob o jugo da morte, instrui sobre a pre- ra - a e re- den- o! (Salmodia)

sença do Espírito em nós e faz contem- 1. Das profundezas eu clamo a


plar Jesus como a ressurreição e a vida. vós, Senhor, / escutai a minha
I leitura (Ezequiel 37,12-14) voz! / Vossos ouvidos estejam
bem atentos / ao clamor da mi-
Leitura da profecia de Ezequiel
nha prece! – R.
– 12Assim fala o Senhor Deus: “Ó
meu povo, vou abrir as vossas 2. Se levardes em conta nossas
sepulturas e conduzir-vos para a faltas, / quem haverá de subsis-
terra de Israel; 13e quando eu abrir tir? / Mas em vós se encontra o
as vossas sepulturas e vos fizer perdão, / eu vos temo e em vós
sair delas, sabereis que eu sou o espero. – R.
Senhor. 14Porei em vós o meu es- 3. No Senhor ponho a minha es-
pírito, para que vivais, e vos co- perança, / espero em sua pala-
locarei em vossa terra. Então sa- vra. / A minha alma espera no
Dia 29 92
Senhor / mais que o vigia pela quele tempo,] 1havia um doente,
aurora. – R. Lázaro, que era de Betânia, o
4. Espere Israel pelo Senhor / povoado de Maria e de Marta,
mais que o vigia pela aurora! / sua irmã. 2Maria era aquela que
Pois no Senhor se encontra toda ungira o Senhor com perfume e
graça / e copiosa redenção. / Ele enxugara os pés dele com seus
vem libertar a Israel / de toda a cabelos. O irmão dela, Lázaro,
sua culpa. – R. é que estava doente. [3As irmãs
mandaram] então [dizer a Jesus:
II leitura (Romanos 8,8-11) “Senhor, aquele que amas está
Leitura da carta de são Paulo aos doente”. 4 Ouvindo isso, Jesus
Romanos – Irmãos, 8os que vivem disse: “Esta doença não leva à
segundo a carne não podem morte; ela serve para a glória de
agradar a Deus. 9Vós não viveis Deus, para que o Filho de Deus
segundo a carne, mas segundo seja glorificado por ela”. 5Jesus
o Espírito, se realmente o Espírito era muito amigo de Marta, de sua
de Deus mora em vós. Se alguém irmã Maria e de Lázaro. 6Quando
não tem o Espírito de Cristo, não ouviu que este estava doente,
pertence a Cristo. 10Se, porém, Jesus ficou ainda dois dias no lu-
Cristo está em vós, embora vosso gar onde se encontrava. 7Então,
corpo esteja ferido de morte por disse aos discípulos: “Vamos de
causa do pecado, vosso espírito novo à Judeia”.]
está cheio de vida, graças à justi-
8
Os discípulos disseram-lhe:
ça. 11E, se o Espírito daquele que “Mestre, ainda há pouco os ju-
ressuscitou Jesus dentre os mor- deus queriam apedrejar-te, e
tos mora em vós, então aquele agora vais outra vez para lá?”
9
Jesus respondeu: “O dia não
que ressuscitou Jesus Cristo den-
tem doze horas? Se alguém ca-
tre os mortos vivificará também
minha de dia, não tropeça, por-
vossos corpos mortais por meio
que vê a luz deste mundo. 10Mas,
do seu Espírito que mora em vós.
se alguém caminha de noite,
– Palavra do Senhor. tropeça, porque lhe falta a luz”.
Evangelho (João 11,1-45 ou 11
Depois acrescentou: “O nosso
3-7.17.20-27.33-45) amigo Lázaro dorme. Mas eu
[A forma breve está entre colchetes.] vou acordá-lo”. 12Os discípulos
Glória a vós, ó Cristo, Verbo de Deus. disseram: “Senhor, se ele dorme,
Eu sou a ressurreição, eu sou a vida. / vai ficar bom”. 13Jesus falava da
Quem crê em mim não morrerá eter- morte de Lázaro, mas os dis-
namente (Jo 11,25s). – R. cípulos pensaram que falasse
Proclamação do evangelho de do sono mesmo. 14Então Jesus
Jesus Cristo segundo João – [Na- disse abertamente: “Lázaro está
93 Dia 29
morto. 15Mas, por causa de vós, ao encontro de Jesus. 30Jesus
alegro-me por não ter estado lá, estava ainda fora do povoado,
para que creiais. Mas vamos para no mesmo lugar onde Marta se
junto dele”. 16Então Tomé, cujo tinha encontrado com ele. 31Os
nome significa gêmeo, disse aos judeus que estavam em casa
companheiros: “Vamos nós tam- consolando-a, quando a viram
bém para morrermos com ele”. levantar-se depressa e sair, foram
[17Quando Jesus chegou, encon- atrás dela, pensando que fosse
trou Lázaro sepultado havia qua- ao túmulo para ali chorar. 32Indo
tro dias.] para o lugar onde estava Jesus,
18
Betânia ficava a uns três quilô- quando o viu, caiu de joelhos
metros de Jerusalém. 19Muitos diante dele e disse-lhe: “Senhor,
judeus tinham vindo à casa de se tivesses estado aqui, o meu
Marta e Maria para as consolar irmão não teria morrido”.
por causa do irmão. [20Quando 33
Quando [Jesus] a viu chorar, e
Marta soube que Jesus tinha também os que estavam com
chegado, foi ao encontro dele. ela, estremeceu interiormente,
Maria ficou sentada em casa. [ficou profundamente comovi-
21
Então Marta disse a Jesus: “Se- do 34e perguntou: “Onde o co-
nhor, se tivesses estado aqui, locastes?” Responderam: “Vem
meu irmão não teria morrido. ver, Senhor”. 35E Jesus chorou.
22
Mas, mesmo assim, eu sei que 36
Então os judeus disseram: “Ve-
o que pedires a Deus, ele to con- de como ele o amava!” 37Alguns
cederá”. 23Respondeu-lhe Jesus: deles, porém, diziam: “Este, que
“Teu irmão ressuscitará”. 24Disse abriu os olhos ao cego, não po-
Marta: “Eu sei que ele ressusci- dia também ter feito com que
tará na ressurreição, no último Lázaro não morresse?” 38De no-
dia”. 25Então Jesus disse: “Eu sou vo, Jesus ficou interiormente co-
a ressurreição e a vida. Quem movido. Chegou ao túmulo. Era
crê em mim, mesmo que morra, uma caverna, fechada com uma
viverá. 26E todo aquele que vive e pedra. 39Disse Jesus: “Tirai a pe-
crê em mim não morrerá jamais. dra!” Marta, a irmã do morto, in-
Crês isto?” 27Respondeu ela: “Sim, terveio: “Senhor, já cheira mal.
Senhor, eu creio firmemente Está morto há quatro dias”. 40Je-
que tu és o Messias, o Filho de sus lhe respondeu: “Não te disse
Deus, que devia vir ao mundo”.] que, se creres, verás a glória de
28
Depois de ter dito isso, ela foi Deus?” 41Tiraram então a pedra.
chamar a sua irmã, Maria, dizen- Jesus levantou os olhos para o
do baixinho: “O Mestre está aí e alto e disse: “Pai, eu te dou graças
te chama”. 29Quando Maria ouviu porque me ouviste. 42Eu sei que
isso, levantou-se depressa e foi sempre me escutas. Mas digo
Dia 29 94
isto por causa do povo que me a Campanha da Fraternidade, nós vos
rodeia, para que creia que tu me pedimos.
enviaste”. 43Tendo dito isso, excla- 5. Vós, que vivificareis nossos corpos
mortais, acolhei em vosso reino nos-
mou com voz forte: “Lázaro, vem sos irmãos e irmãs falecidos (lembrar
para fora!” 44O morto saiu, atado falecidos recentes), nós vos pedimos.
de mãos e pés com os lençóis Pode haver outras preces da comunidade.
mortuários e o rosto coberto PR: Acolhei e atendei, ó Deus, as preces
com um pano. Então Jesus lhes da comunidade reunida em vosso no-
me. Por Cristo, nosso Senhor. AS: Amém.
disse: “Desatai-o e deixai-o cami-
nhar!” 45Então, muitos dos judeus LITURGIA EUCARÍSTICA
que tinham ido à casa de Maria e Cristo, pão da vida eterna, prometeu
viram o que Jesus fizera creram ressuscitar no último dia os que comem
nele.] – Palavra da salvação. sua carne e bebem seu sangue.

Pistas para a reflexão: I leitura: Deus não Sobre as oferendas


deseja que seu povo viva na condição de
morto-vivo, abandonado à própria sorte. II Deus todo-poderoso, concedei
leitura: Viver segundo o Espírito de Deus é aos vossos filhos e filhas que,
fazer nossas as opções de Jesus. Evange-
lho: Jesus ama seu povo e, por isso, ordena formados pelos ensinamentos
que desatemos as amarras que mantêm as da fé cristã, sejam purificados por
pessoas presas e escravas da miséria (cf.
também artigo na página 96).
este sacrifício. Por Cristo, nosso
Senhor.
Preces da assembleia
PR: Irmãos e irmãs, Deus nos criou para
Prefácio: Lázaro
a vida, e não para a morte. Confiantes, Na verdade, é justo e necessário,
dirijamos-lhe nossos pedidos, dizendo: é nosso dever e salvação dar-
AS: Ouvi, Senhor, -vos graças, sempre e em todo
o clamor da nossa prece.
lugar, Senhor, Pai santo, Deus
1. Senhor, em quem pomos toda a
esperança, tornai a Igreja sempre mais eterno e todo-poderoso, por
comprometida com a vida e a digni- Cristo, Senhor nosso. Verdadeiro
dade do vosso povo mais esquecido e homem, Jesus chorou o amigo
abandonado, nós vos pedimos. Lázaro. Deus vivo e eterno, ele o
2. Vós, cujo Espírito habita em nós, ressuscitou, tirando-o do túmu-
iluminai com sua luz as instituições, as
instâncias públicas e os profissionais
lo. Compadecendo-se da hu-
responsáveis por cuidar da saúde das manidade, que jaz na morte do
pessoas, nós vos pedimos. pecado, por seus sagrados mis-
3. Vós, que ressuscitastes Lázaro do térios ele nos eleva ao Reino da
sono da morte, fazei voltar à vida os vida nova. Enquanto esperamos
que jazem no pecado, na incerteza e a glória eterna, com os anjos e
na angústia, nós vos pedimos.
4. Vós, que realizais tudo o que vossa
com todos os santos, nós vos
palavra exprime, formai em nós um aclamamos, cantando (dizendo)
espírito atento, compassivo e cuida- a uma só voz...
doso com nosso próximo, como pede Sugestão: Oração Eucarística III (página 11).

95 Dia 29
Antífona da comunhão: Todo aquele cujo Corpo e Sangue comunga-
que vive e crê em mim não morrerá mos. Por Cristo, nosso Senhor.
para sempre, diz o Senhor (Jo 11,26).
Depois da comunhão RITOS FINAIS
A liturgia de hoje nos convida e anima a
Concedei, ó Deus todo-podero- mudar a cultura do ódio, da violência e da
so, que sejamos sempre conta- morte, presente em nossa sociedade, para
dos entre os membros de Cristo, a cultura da paz e da vida.

CRISTO, RESSURREIÇÃO E VIDA


Pe. Nilo Luza, ssp
O sétimo e último dos sinais narrados Percebemos, portanto, que a proposta
no Evangelho de João é a ressurreição de Jesus – a “vida eterna” – não é algo a ser
de Lázaro. A cena mostra uma família ou esperado somente para após a morte físi-
comunidade (Betânia = “casa do pobre”) ca, mas deve se concretizar no agora. Em
muito querida e amada por Jesus: Lázaro outras palavras: “vida eterna” é vida digna
(= “Deus ajuda”) – que está doente e para todos e para sempre, aqui e além.
acaba morrendo – e duas irmãs, Maria A ressurreição de Lázaro provoca a ira
(a discípula amada e imagem da comu- dos adversários do Mestre. Enquanto Je-
nidade) e Marta. Esta faz uma profissão sus promove a vida de quem está morto,
de fé importante (“Eu creio que tu és o seus adversários preocupam-se em elimi-
Messias, o Filho de Deus”), papel que, nar a das pessoas que não se coadunam
para as comunidades apostólicas, cabia com a mentalidade deles. Está do lado de
a Pedro desempenhar. Isso significa que, Jesus quem age da mesma forma que ele!
provavelmente, Marta era líder da comu- A presença de Jesus é sinal de vida: “Se
nidade de Betânia. estivesses aqui, meu irmão não teria mor-
O fato é que Jesus devolve vida e espe- rido”. A comunidade joanina reconhece
rança à comunidade dos pobres. Como que ele é e nele está a vida. Jesus trans-
podemos notar, trata-se de relato rico em forma os corações e os acontecimentos;
simbolismo. Esse sétimo sinal é o auge basta ter fé nele e seguir suas propostas.
de todos os outros: Jesus se apresenta Seu choro é interpretado como sinal de
como a “ressurreição e a vida”. Nesse sinal, amor compassivo pelo amigo falecido. É
Jesus revela o poder eficaz da fé, que é a justamente o amor que pode e consegue
posse da vida eterna já no presente, sem transformar os sinais de morte em vida,
necessidade de esperar pelo “último dia”, transformar a cultura da morte em cultura
como pensava Marta. da vida.

30
Círculo bíblico, páginas 20s.

SEGUNDA-FEIRA todos os dias me oprimem os agresso-


5ª SEMANA DA QUARESMA res (Sl 55,2).
(roxo, prefácio da paixão I, pág. 7 – ofício do dia)
Celebremos o Senhor, que se compa-
dece de todo aquele que o ama e o
RITOS INICIAIS teme. Qual pastor, ele cuida de suas
Antífona da entrada: Tende piedade ovelhas e não as deixa à mercê dos
de mim, Senhor, pois me atormentam; que desejam lhes fazer mal.

Dia 30 96
Oração do dia eles. 7Ora, pelo meio-dia, quando
Ó Deus, que pela vossa graça o povo se dispersava, Susana
inefável nos enriqueceis de todos costumava entrar e passear no
os bens, concedei-nos passar da pomar de seu marido. 8Os dois
antiga à nova vida, preparando- anciãos viam-na todos os dias
-nos assim para o reino da glória. entrar e passear e acabaram por
Por nosso Senhor Jesus Cristo... se apaixonar por ela. 9Ficaram
desnorteados, a ponto de desvia-
LITURGIA DA PALAVRA rem os olhos para não olharem
Acusada injustamente, Susana encon- para o céu, e se esqueceram dos
tra em Daniel um justo juiz. Em Jesus, seus justos julgamentos.
nosso pastor, encontra segurança tanto
o inocente injustiçado como o pecador
15
Assim, enquanto os dois esta-
oprimido. vam à espera de uma ocasião fa-
vorável, certo dia, Susana entrou
Leitura (Daniel 13,1-9.15-17. no pomar como de costume,
19-30.33-62 ou 41-62) acompanhada apenas por duas
[A forma breve está entre colchetes, iniciando-
-se com estas palavras: “Naqueles dias, a assem- empregadas. E sentiu vontade
bleia condenou Susana à morte”.] de tomar banho, por causa do
Leitura da profecia de Daniel – calor. 16Não havia ali ninguém,
Naqueles dias, 1na Babilônia vivia exceto os dois velhos, que esta-
um homem chamado Joaquim. vam escondidos e a espreitavam.
2
Estava casado com uma mulher 17
Então ela disse às empregadas:
chamada Susana, filha de Helcias, “Por favor, ide buscar-me óleo
que era muito bonita e temen- e perfumes e trancai as portas
te a Deus. 3Também os pais de- do pomar, para que eu possa
la eram pessoas justas e tinham tomar banho”. 19Apenas as em-
educado a filha de acordo com a pregadas tinham saído, os dois
lei de Moisés. 4Joaquim era muito velhos levantaram-se e correram
rico e possuía um pomar junto à para Susana, dizendo: 20“Olha, as
sua casa. Muitos judeus costu- portas do pomar estão tranca-
mavam visitá-lo, pois era o mais das e ninguém nos está vendo.
respeitado de todos. 5Ora, na- Estamos apaixonados por ti: con-
quele ano, tinham sido nomea- corda conosco e entrega-te a
dos juízes dois anciãos do povo, nós! 21Caso contrário, deporemos
a respeito dos quais o Senhor contra ti que um moço esteve
havia dito: “Da Babilônia brotou aqui e que foi por isso que man-
a maldade de anciãos-juízes, que daste embora as empregadas”.
passavam por condutores do po- 22
Gemeu Susana, dizendo: “Estou
vo”. 6Eles frequentavam a casa de cercada de todos os lados! Se
Joaquim, e todos os que tinham eu fizer isso, espera-me a mor-
alguma questão se dirigiam a te; e, se não o fizer, também não
97 Dia 30
escaparei das vossas mãos; 23mas entrou com duas empregadas.
é melhor para mim, não o fa- Depois, fechou as portas do po-
zendo, cair nas vossas mãos do mar e mandou as servas embora.
que pecar diante do Senhor!” 37
Então, veio ter com ela um mo-
24
Então, ela pôs-se a gritar em ço, que estava escondido, e com
alta voz, mas também os dois ela se deitou. 38Nós, que estáva-
velhos gritaram contra ela. 25Um mos num canto do pomar, vi-
deles correu para as portas do mos essa infâmia. Corremos para
pomar e as abriu. 26As pessoas eles e os surpreendemos juntos.
da casa ouviram a gritaria no 39
Quanto ao jovem, não conse-
pomar e precipitaram-se pela guimos agarrá-lo, porque era
porta do fundo, para ver o que mais forte do que nós e, abrindo
estava acontecendo. 27Quando as portas, fugiu. 40A ela, porém,
os velhos apresentaram sua ver- agarramos e perguntamos quem
são dos fatos, os empregados fi- era aquele moço. Ela, porém,
caram muito constrangidos, por- não quis dizer. Disso nós somos
que jamais se dissera coisa seme- testemunhas”.
lhante a respeito de Susana. 28No 41
A assembleia acreditou neles,
dia seguinte, o povo veio reunir- pois eram anciãos do povo e
-se em casa de Joaquim, seu ma- juízes. E condenaram Susana à
rido. Os dois anciãos vieram tam- morte. [42Susana, porém, cho-
bém, com a intenção criminosa rando, disse em voz alta: “Ó
de conseguir sua condenação à Deus eterno, que conheces as
morte. Por isso, assim falaram ao coisas escondidas e sabes tudo
povo reunido: 29“Mandai chamar de antemão, antes que acon-
Susana, filha de Helcias, mulher teça! 43Tu sabes que é falso o
de Joaquim!” E foram chamá-la. testemunho que levantaram
30
Ela compareceu em companhia contra mim! Estou condenada a
dos pais, dos filhos e de todos os morrer, quando nada fiz do que
seus parentes. estes maldosamente inventaram
33
Os que estavam com ela e todos a meu respeito!” 44O Senhor es-
os que a viam, choravam. 34Os cutou sua voz. 45Enquanto a le-
dois velhos levantaram-se no vavam para a execução, Deus
meio do povo e puseram as mãos excitou o santo espírito de um
sobre a cabeça de Susana. 35Ela, adolescente de nome Daniel. 46E
entre lágrimas, olhou para o céu, ele clamou em alta voz: “Sou ino-
pois seu coração tinha confiança cente do sangue dessa mulher!”
no Senhor. 36Entretanto, os dois 47
Todo o povo, então, voltou-se
anciãos deram este depoimento: para ele e perguntou: “Que pala-
“Enquanto estávamos passean- vra é essa que acabas de dizer?”
do a sós no pomar, esta mulher 48
De pé, no meio deles, Daniel
Dia 30 98
respondeu: “Sois tão insensatos, sujeitavam-se a vós. Mas uma
filhos de Israel? Sem julgamento filha de Judá não se submeteu
e sem conhecimento da causa a essa iniquidade. 58Agora, pois,
verdadeira, vós condenais uma dize-me debaixo de que árvore
filha de Israel? 49Voltai a repetir os surpreendeste juntos?” Ele
o julgamento, pois é falso o tes- respondeu: “Debaixo de uma azi-
temunho que levantaram contra nheira”. 59Daniel retrucou: “Tam-
ela!” 50Todo o povo voltou apres- bém tu mentiste com perfeição
sadamente, e outros anciãos dis- contra a tua própria cabeça. Por
seram ao jovem: “Senta-te no isso o anjo de Deus já está à es-
meio de nós e dá-nos o teu pa- pera, com a espada na mão, pa-
recer, pois Deus te deu a honra ra cortar-te ao meio e para te ex-
da velhice”. terminar!” 60Toda a assistência
51
Falou então Daniel: “Mantende pôs-se a gritar com força, bendi-
os dois separados, longe um do zendo a Deus, que salva os que
outro, e eu os julgarei”. 52Tendo nele esperam. 61E voltaram-se
sido separados, Daniel chamou contra os dois velhos, pois Daniel
um deles e lhe disse: “Velho en- os tinha convencido, por suas
carquilhado no mal! Agora apa- próprias palavras, de que eram
recem os pecados que estavas falsas testemunhas. E, agindo
habituado a praticar. 53Fazias jul- segundo a lei de Moisés, fizeram
gamentos injustos, condenando com eles aquilo que haviam tra-
inocentes e absolvendo culpa- mado perversamente contra o
dos, quando o Senhor ordena: próximo. 62E assim os mataram,
‘Tu não farás morrer o inocente enquanto, naquele dia, era salva
e o justo!’ 54Pois bem, se é que uma vida inocente.] – Palavra do
viste, dize-me à sombra de que Senhor.
árvore os viste abraçados?” Ele Salmo responsorial 22(23)
respondeu: “À sombra de uma
aroeira”. 55Daniel replicou: “Men- Mesmo que eu passe pelo vale te-
tiste com perfeição contra a tua nebroso, / nenhum mal eu temerei,
própria cabeça. Por isso o anjo estais comigo.
de Deus, tendo recebido já a 1. O Senhor é o pastor que me
sentença divina, vai rachar-te conduz; / não me falta coisa al-
pelo meio!” 56Mandando sair es- guma. / Pelos prados e campinas
te, ordenou que trouxessem o verdejantes, / ele me leva a des-
outro: “Raça de Canaã e não de cansar. / Para as águas repousan-
Judá, a beleza fascinou-te e a tes me encaminha / e restaura as
paixão perverteu o teu coração. minhas forças. – R.
57
Era assim que procedíeis com as 2. Ele me guia no caminho mais
filhas de Israel, e elas, por medo, seguro, / pela honra do seu nome.
99 Dia 30
/ Mesmo que eu passe pelo vale so para experimentar Jesus e
tenebroso, / nenhum mal eu para terem motivo de o acusar.
temerei. / Estais comigo com Mas Jesus, inclinando-se, come-
bastão e com cajado, / eles me çou a escrever com o dedo no
dão a segurança! – R. chão. 7Como persistissem em
Mesmo que eu passe pelo vale te- interrogá-lo, Jesus ergueu-se e
nebroso, / nenhum mal eu temerei, disse: “Quem dentre vós não tiver
estais comigo. pecado seja o primeiro a atirar-
-lhe uma pedra”. 8E, tornando a
3. Preparais à minha frente uma
inclinar-se, continuou a escrever
mesa, / bem à vista do inimigo;
no chão. 9E eles, ouvindo o que
/ com óleo vós ungis minha ca-
Jesus falou, foram saindo um a
beça, / e o meu cálice transbor-
um, a começar pelos mais velhos;
da. – R.
e Jesus ficou sozinho com a mu-
4. Felicidade e todo bem hão de lher, que estava lá, no meio, em
seguir-me / por toda a minha pé. 10Então Jesus se levantou e
vida; / e na casa do Senhor habi- disse: “Mulher, onde estão eles?
tarei / pelos tempos infinitos. – R. Ninguém te condenou?” 11Ela
Evangelho (João 8,1-11) respondeu: “Ninguém, Senhor”.
Glória a vós, Senhor Jesus, primogênito Então Jesus lhe disse: “Eu tam-
dentre os mortos! bém não te condeno. Podes ir e,
Não quero a morte do pecador, diz o de agora em diante, não peques
Senhor, / mas que ele volte, se converta mais”. – Palavra da salvação.
e tenha vida (Ez 33,11). – R.
Preces da assembleia
Proclamação do evangelho de 1. Para que Deus fortaleça, na Igreja e
Jesus Cristo segundo João – Na- em seus ministros, a disposição de pôr-
quele tempo, 1Jesus foi para o -se em defesa dos injustiçados, rezemos.
monte das Oliveiras. 2De madru- AS: Vinde em nosso auxílio, Senhor.
gada, voltou de novo ao templo. 2. Para que Deus ilumine os juízes e
Todo o povo se reuniu em volta todos os que têm a missão de tomar
decisões e fazer justiça, rezemos.
dele. Sentando-se, começou a
3. Para que Deus ampare as mulheres
ensiná-los. 3Entretanto, os mes- que sofrem discriminação, desrespei-
tres da lei e os fariseus trouxeram to e violência e aquelas cuja atuação
uma mulher surpreendida em favorece a vida das comunidades e do
adultério. Colocando-a no meio povo, rezemos.
deles, 4disseram a Jesus: “Mestre, 4. Para que Deus conceda a graça do
esta mulher foi surpreendida em autodomínio e da conversão aos que
se perdem nos caminhos da vivência
flagrante adultério. 5Moisés na lei irresponsável da sexualidade, das dro-
mandou apedrejar tais mulheres. gas e da violência, rezemos.
Que dizes tu?” 6Perguntavam is- Preces espontâneas.

Dia 30 100
LITURGIA EUCARÍSTICA LITURGIA DA PALAVRA
Sobre as oferendas Em seu projeto salvífico, Deus jamais de-
sampara ninguém, quanto mais aqueles
Concedei-nos, ó Deus, que, ao que realizam o que é de seu agrado. In-
celebrarmos os santos mistérios, clinemos os ouvidos para escutar sua
apresentemos como fruto da Palavra.
penitência corporal a alegria e Leitura (Números 21,4-9)
a pureza do espírito. Por Cristo,
Leitura do livro dos Números
nosso Senhor.
– Naqueles dias, 4 os filhos de
Antífona da comunhão: Mulher, nin- Israel partiram do monte Hor,
guém te condenou? – Ninguém, Se-
nhor. – Nem eu te condeno. Vai, não
pelo caminho que leva ao mar
peques mais! (Jo 8,10s) Vermelho, para contornarem o
país de Edom. Durante a viagem,
Depois da comunhão o povo começou a impacientar-
Revigorados, ó Deus, pelos bene- -se 5e se pôs a falar contra Deus e
fícios deste sacramento, nós vos contra Moisés, dizendo: “Por que
pedimos que ele nos purifique nos fizestes sair do Egito para
sempre dos vícios, para que, se- morrermos no deserto? Não há
guindo a Cristo, corramos ao vosso pão, falta água e já estamos com
encontro. Por Cristo, nosso Senhor. nojo desse alimento miserável”.

31
6
Então o Senhor mandou contra
TERÇA-FEIRA o povo serpentes venenosas,
5ª SEMANA DA QUARESMA que os mordiam; e morreu muita
(roxo, prefácio da paixão I, pág. 7 – ofício do dia)
gente em Israel. 7O povo foi ter
RITOS INICIAIS com Moisés e disse: “Pecamos,
falando contra o Senhor e contra
Antífona da entrada: Espera no Se-
nhor e sê corajoso! Fortifique-se teu
ti. Roga ao Senhor que afaste de
coração; espera no Senhor! (Sl 26,14) nós as serpentes”. Moisés inter-
Outrora os que olharam para a ser- cedeu pelo povo, 8e o Senhor
pente de bronze foram curados. Ce- respondeu: “Faze uma serpente
lebremos clamando ao Senhor que abrasadora e coloca-a como sinal
salve também a nós, que olhamos sobre uma haste; aquele que for
para a cruz e acreditamos que o Cru-
cificado é o Filho de Deus.
mordido e olhar para ela viverá”.
9
Moisés fez, pois, uma serpente
Oração do dia de bronze e colocou-a como
Concedei-nos, ó Deus, perseve- sinal sobre uma haste. Quando
rar no vosso serviço para que, em alguém era mordido por uma
nossos dias, cresça em número e serpente e olhava para a ser-
santidade o povo que vos serve. pente de bronze, ficava curado.
Por nosso Senhor Jesus Cristo... – Palavra do Senhor.
101 Dia 31
Salmo responsorial 101(102) comentavam: “Por acaso, vai-se
Ouvi, Senhor, e escutai minha ora- matar? Pois ele diz: ‘Para onde eu
ção, / e chegue até vós o meu cla- vou, vós não podeis ir’?” 23Jesus
mor. continuou: “Vós sois daqui de
baixo, eu sou do alto. Vós sois
1. Ouvi, Senhor, e escutai minha
deste mundo, eu não sou deste
oração, / e chegue até vós o meu
mundo. 24Disse-vos que morre-
clamor! / De mim não oculteis a
reis nos vossos pecados, porque,
vossa face / no dia em que estou
se não acreditais que eu sou,
angustiado! / Inclinai o vosso ou-
morrereis nos vossos pecados”.
vido para mim; / ao invocar-vos, 25
Perguntaram-lhe, pois: “Quem
atendei-me sem demora! – R.
és tu então?” Jesus respondeu:
2. As nações respeitarão o vosso “O que vos digo desde o come-
nome, / e os reis de toda a terra, ço. 26Tenho muitas coisas a dizer
a vossa glória; / quando o Senhor a vosso respeito e a julgar tam-
reconstruir Jerusalém / e apare- bém. Mas aquele que me enviou
cer com gloriosa majestade, / ele é fidedigno, e o que ouvi da parte
ouvirá a oração dos oprimidos / e dele é o que falo para o mundo”.
não desprezará a sua prece. – R. 27
Eles não compreenderam que
3. Para as futuras gerações se lhes estava falando do Pai. 28Por
escreva isto, / e um povo novo isso, Jesus continuou: “Quando
a ser criado louve a Deus. / Ele tiverdes elevado o Filho do ho-
inclinou-se de seu templo nas mem, então sabereis que eu sou
alturas, / e o Senhor olhou a terra e que nada faço por mim mes-
do alto céu, / para os gemidos mo, mas apenas falo aquilo que
dos cativos escutar / e da morte o Pai me ensinou. 29Aquele que
libertar os condenados. – R. me enviou está comigo. Ele não
Evangelho (João 8,21-30) me deixou sozinho, porque sem-
pre faço o que é de seu agrado”.
Glória a Cristo, Palavra eterna do Pai, 30
que é amor! Enquanto Jesus assim falava,
Semente é de Deus a Palavra, / o Cristo muitos acreditaram nele. – Pala-
é o semeador; / todo aquele que o vra da salvação.
encontra, / vida eterna encontrou. – R. Preces da assembleia
Proclamação do evangelho de 1. Por todos os fiéis, para que sejam li-
Jesus Cristo segundo João – Na- vres do veneno do olhar malévolo e da
língua perversa, rezemos.
quele tempo, disse Jesus aos
AS: Senhor, chegue até vós
fariseus: 21“Eu parto e vós me nosso clamor.
procurareis, mas morrereis no 2. Pelos cristãos leigos e leigas, para que
vosso pecado. Para onde eu vou, se deixem guiar pela Palavra de Deus
vós não podeis ir”. 22Os judeus e produzam frutos de amor, rezemos.

Dia 31 102
3. Pelos que não conhecem a Deus, corações vacilantes. Por Cristo,
mas se esforçam para viver com reti- nosso Senhor.
dão e bondade, para que o Senhor olhe
com benevolência para eles, rezemos. Antífona da comunhão: Quando eu
4. Pelos que passam por dificuldades, for exaltado da terra, diz o Senhor,
para que tenham força diante dos de- atrairei a mim todas as coisas (Jo 12,32).
safios, rezemos. Preces espontâneas.
Depois da comunhão
LITURGIA EUCARÍSTICA
Concedei-nos, ó Deus todo-po-
Sobre as oferendas deroso, que, desejando conti-
Nós vos oferecemos, ó Deus, nuamente os vossos dons, nos
o sacrifício que nos reconcilia aproximemos sempre mais dos
convosco, para que perdoeis os bens celestes. Por Cristo, nosso
nossos pecados e orienteis os Senhor.

III – VIA-SACRA
ORAÇÃO INICIAL
Dirigente: Senhor Jesus, queremos nesta via-sacra seguir vossos passos no
caminho para o Calvário. Neste longo e difícil trajeto, suportastes dores, injúrias
e humilhações. Ajudai-nos a meditar estas estações com muita fé e devoção.
Queremos aprender de vós a fidelidade a Deus, mesmo diante das dificuldades
que nos cercam ao longo da vida. A “via dolorosa” é essencialmente um exercício
de piedade e devoção, um caminho que nos permite purificar nossos passos
no vosso seguimento. Que esta via crucis aumente em nós o amor a Deus e às
pessoas que sofrem.

PRIMEIRA ESTAÇÃO
Jesus é condenado à morte

Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos.


Todos: Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.
Leitor 1: Quando o “povo” pediu a crucificação de Jesus, Pilatos pediu água
e lavou as mãos, dizendo: “Não sou responsável pelo sangue deste homem. É
um problema de vocês”. Depois de mandar açoitar Jesus, entregou-o para ser
crucificado.
Leitor 2: Quando rezamos a via-sacra, meditando a paixão e morte de Jesus,
não podemos nos fixar apenas no sofrimento do Senhor, mas somos chamados
ao compromisso de nos lembrarmos igualmente dos crucificados da nossa so-
ciedade. Há muitos “servos sofredores” condenados injustamente também em
nossos dias. Nossa fé nem sempre consegue transformar a realidade de trevas
que nos cerca. Rezemos para que nos conscientizemos da responsabilidade
que temos para com nossos irmãos sofredores.

103
Pai-nosso... Ave-maria... Glória...
A morrer crucificado, / teu Jesus é condenado /: por teus crimes, pecador.
Pela virgem dolorosa, / vossa mãe tão piedosa, /: perdoai-me, bom Jesus.

SEGUNDA ESTAÇÃO
Jesus carrega sua cruz

Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos.


Todos: Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.
Leitor 1: Jesus recebe sobre os ombros a cruz e se dirige ao monte Calvário, tam-
bém chamado Gólgota, onde será crucificado. A cruz era um antigo instrumento
de suplício, usado para executar bandidos e marginais condenados à morte.
Leitor 2: Assim como Jesus, cada um de nós é chamado a carregar a própria
cruz. Ele não nos livrou de nossas cruzes; ao contrário, propôs como condição
para segui-lo que cada um assumisse a própria cruz. Pode ser a cruz da falta
de trabalho, da falta de teto, da falta de terra, da falta de saúde, da desarmonia
familiar. Peçamos a Jesus que nos ajude a carregar nossa cruz, sem perder a
confiança nele, que nos sustenta com sua força.
Pai-nosso... Ave-maria... Glória...
Com a cruz é carregado / e do peso acabrunhado, /: vai morrer por teu amor.
Pela virgem dolorosa, / vossa mãe tão piedosa, /: perdoai-me, bom Jesus.

TERCEIRA ESTAÇÃO
Jesus cai pela primeira vez
Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos.
Todos: Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.
Leitor 1: Jesus caminha cansado e abatido sob o peso da cruz. Seu corpo está
coberto de sangue, suas forças se esgotam, e ele cai. Com chicotes, os soldados
o forçam a se levantar e continuar o caminho para o Calvário.
Leitor 2: A queda de Jesus é consequência da perda de suas forças físicas,
debilitado pelos açoites e golpes que recebeu. Ainda hoje Jesus cai, quando
se vê desacreditado em razão da miséria existente no mundo. Ele ensinou a
partilhar, mas a realidade é que poucos vivem com muito e muitos não têm
nem o que comer e vão procurar comida no lixo. Que Deus nos ajude a superar
a indiferença para com tanta miséria que vemos ao nosso redor.
Pai-nosso... Ave-maria... Glória...
Pela cruz tão oprimido, / cai Jesus desfalecido /: pela tua salvação.
Pela virgem dolorosa, / vossa mãe tão piedosa, /: perdoai-me, bom Jesus.

QUARTA ESTAÇÃO
Jesus se encontra com sua mãe
Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos.
Todos: Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

104
Leitor 1: Mãe e filho se encontram e se abraçam em meio à dor insuportável. Eles
tudo partilham até a cruz, até o fim. Sem palavras, a dor leva-nos a compartilhar
este momento sofrido, expresso em seus rostos.
Leitor 2: Quão grande foi a dor de Maria ao ver, tão ultrajado e desfigurado,
o filho que gerou na carne! Assim também foi grande a dor de Jesus ao ver o
tamanho do sofrimento de sua mãe. A dor de Maria espelha a das mães que
têm filhos ainda jovens nos hospitais, nas penitenciárias, no mundo das drogas.
Quantas se desesperam ao verem os filhos mortos. Peçamos à Virgem Maria
que dê forças a todas as mães que sofrem por seus filhos.
Pai-nosso... Ave-maria... Glória...
De Maria lacrimosa, / sua mãe tão dolorosa, /: vê a imensa compaixão.
Pela virgem dolorosa, / vossa mãe tão piedosa, /: perdoai-me, bom Jesus.

QUINTA ESTAÇÃO
Simão ajuda Jesus a carregar a cruz
Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos.
Todos: Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.
Leitor 1: Enquanto levavam Jesus para ser crucificado, Simão de Cirene, que
voltava do campo, foi obrigado a carregar a cruz para que Jesus não desfalecesse
pelo caminho, pois tinha de permanecer vivo até a crucifixão.
Leitor 2: Jesus ensinou que não iríamos encontrar uma estrada fácil, sem
contradições, dor, sofrimento e doenças. O importante é saber que ele está
perto de nós e nos ajuda a carregar nossas cruzes do dia a dia. Jesus nos quer
próximos de todas as pessoas que sofrem pelos mais variados motivos. Somos
chamados a carregar a cruz uns dos outros. Rezemos para que o Senhor nos
dê sensibilidade para perceber as pessoas que necessitam de nosso auxílio.
Pai-nosso... Ave-maria... Glória...
Em extremo desmaiado, / deve auxílio tão cansado /: receber do Cireneu.
Pela virgem dolorosa, / vossa mãe tão piedosa, /: perdoai-me, bom Jesus.

SEXTA ESTAÇÃO
Verônica enxuga o rosto de Jesus
Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos.
Todos: Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.
Leitor 1: Uma mulher que assistia à passagem de Jesus se comove ao ver a
cena e decide limpar a face do condenado tingida de sangue. No pano usado
por Verônica ficou gravado o rosto ensanguentado de Jesus.
Leitor 2: Verônica, compadecida, enxuga as lágrimas e o sangue no rosto do
Senhor e nos ensina a enxugar as lágrimas desesperadas de quem não tem um
teto para morar, não tem um trabalho, não tem saúde. É assustador o número
de desempregados no Brasil, e é impressionante a quantidade de pessoas que
moram nas ruas de nossas cidades e são ignoradas. Lembremos todos aqueles
que se compadecem do sofrimento dos outros. Peçamos ao Senhor o dom da
compaixão e da humanização.

105
Pai-nosso... Ave-maria... Glória...
O seu rosto ensanguentado, / por Verônica enxugado, /: eis, no pano apareceu.
Pela virgem dolorosa, / vossa mãe tão piedosa, /: perdoai-me, bom Jesus.

SÉTIMA ESTAÇÃO
Jesus cai pela segunda vez
Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos.
Todos: Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.
Leitor 1: Jesus sabia do fim que o esperava. Seu espírito estava preparado, mas
seu corpo estava esgotado e abatido. Por isso, caminhava com dificuldade e,
não aguentando mais, pela segunda vez cai sob a cruz.
Leitor 2: As forças de Jesus vão enfraquecendo, e ele cai mais uma vez. As
forças de milhões de pessoas também enfraquecem quando aqueles que nos
governam procuram apenas os próprios interesses. A Campanha da Fraternida-
de nos incentiva a estender a mão a tantos caídos ao longo do caminho: ver,
sentir compaixão e cuidar dos que sofrem, à semelhança do bom samaritano.
Rezemos para que o Senhor, assim como suscitou santa irmã Dulce dos Pobres,
suscite muitos e generosos samaritanos que estendam a mão aos que sofrem,
de modo que sejamos “Igreja em saída”.
Pai-nosso... Ave-maria... Glória...
Outra vez desfalecido, / pelas dores abatido, /: cai em terra o Salvador.
Pela virgem dolorosa, / vossa mãe tão piedosa, /: perdoai-me, bom Jesus.

OITAVA ESTAÇÃO
Jesus consola as mulheres de Jerusalém
Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos.
Todos: Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.
Leitor 1: Já estavam próximos do monte Calvário. Jesus, abatido pela dor e vendo
suas forças esgotadas, ainda tem ânimo suficiente para consolar as mulheres que,
chorando, lamentavam o sofrimento dele.
Leitor 2: Jesus continua a consolar as mulheres de hoje: as discriminadas, as
desempregadas, as injustamente remuneradas; ele consola as mulheres obri-
gadas a fazer dupla jornada de trabalho para sustentar a própria família. As que
consolam e socorrem tantas pessoas necessitadas, a exemplo de Jesus. Oremos
por todas as mulheres que, mesmo no sofrimento e na dor, tornam-se sinais de
esperança e de consolação para os outros.
Pai-nosso... Ave-maria... Glória...
Das mulheres piedosas, / de Sião filhas chorosas, /: é Jesus consolador.
Pela virgem dolorosa, / vossa mãe tão piedosa, /: perdoai-me, bom Jesus.

NONA ESTAÇÃO
Jesus cai pela terceira vez
Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos.
Todos: Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.

106
Leitor 1: Jesus já não suporta o cansaço e a dor, suas forças já não o sustentam,
por isso cai pela terceira vez sob o peso da cruz. Quiseram dar-lhe vinho mistu-
rado com fel para aliviar a dor, mas ele não quis beber.
Leitor 2: As forças de Jesus faltam, mas não lhe falta a confiança em Deus Pai. Jesus
continua a acreditar no desígnio salvífico de Deus, que não quer o sofrimento
de ninguém, sobretudo aquele sofrimento que, sendo produto do egoísmo,
corrói o relacionamento humano e leva à total desumanização. Quantos caídos
existem – desempregados, doentes, discriminados, descartados – que neces-
sitam de alguém que lhes estenda a mão. Peçamos ao Senhor que nos livre do
egoísmo.
Pai-nosso... Ave-maria... Glória...
Cai, terceira vez, prostrado / pelo peso redobrado /: dos pecados e da cruz.
Pela virgem dolorosa, / vossa mãe tão piedosa, /: perdoai-me, bom Jesus.

DÉCIMA ESTAÇÃO
Jesus é despojado de suas vestes
Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos.
Todos: Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.
Leitor 1: Os soldados tomam as roupas de Jesus e fazem um sorteio, para ver
a parte que cabe a cada um. Assim se cumpre a profecia de Isaías: “Repartiram
entre si minhas vestes e lançaram sorte sobre minha túnica”.
Leitor 2: Despojar Jesus de suas vestes é mais do que despi-lo do pouco de
roupa que ainda lhe resta. Com esse gesto, querem humilhá-lo e tirar-lhe a
dignidade. Procuram desacreditar seu ensinamento e suas ações. Com isso,
ele se sente só e é objeto de riso e desprezo. À semelhança de Jesus, muitos
se encontram despojados de sua dignidade por falta de emprego, saúde e
moradia. Não esqueçamos essas pessoas.
Pai-nosso... Ave-maria... Glória...
Dos vestidos despojado, / por verdugos maltratado, /: eu vos vejo, meu Jesus.
Pela virgem dolorosa, / vossa mãe tão piedosa, /: perdoai-me, bom Jesus.

DÉCIMA PRIMEIRA ESTAÇÃO


Jesus é pregado na cruz
Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos.
Todos: Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.
Leitor 1: Jesus é crucificado. São cravados pregos de ferro que lhe rasgam a
carne, dilacerando mãos e pés. A cruz é erguida, Jesus fica suspenso entre o
céu e a terra. Agora é o fim, ele está definitivamente condenado.
Leitor 2: Jesus chega ao ápice da sua paixão. Apesar do ódio e do desprezo
com que ele é tratado, não demonstra vingança: “Pai, perdoa-lhes, eles não
sabem o que fazem”. Cada chaga de Jesus representa as nossas chagas. São
muitas as feridas que sangram na vida das pessoas: discriminação, ódio, into-
lerância, arrogância, indiferença, condenações injustas... Peçamos a Deus que

107
ilumine os poderes públicos para que vejam e curem as chagas do povo brasi-
leiro.
Pai-nosso... Ave-maria... Glória...
Sois por mim à cruz pregado, / insultado, blasfemado, /: com cegueira e com
furor.
Pela virgem dolorosa, / vossa mãe tão piedosa, /: perdoai-me, bom Jesus.

DÉCIMA SEGUNDA ESTAÇÃO


Jesus morre na cruz

Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos.


Todos: Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.
Leitor 1: Depois de longa e terrível agonia, Jesus lança seu último grito do
alto da cruz: “Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito”. Em seguida, inclina a
cabeça e entrega o espírito a Deus.
Leitor 2: Com a morte na cruz, Jesus levou a termo a sua entrega total por
nós. Quem ensinou a mansidão morreu de forma violenta. Foi manso não só
no momento da morte, mas em todo o caminho até o Calvário. Jesus perdoa
às pessoas que o injuriaram e o crucificaram. Na cruz, ensina a cada um de
nós o perdão incondicional e o que é ser manso e humilde de coração. Peça-
mos a Jesus a graça de sermos dóceis ao seu exemplo de perdão e de mansi-
dão.
Pai-nosso... Ave-maria... Glória...
Por meus crimes padecestes, / meu Jesus, por mim morrestes; /: como é grande
a minha dor.
Pela virgem dolorosa, / vossa mãe tão piedosa, /: perdoai-me, bom Jesus.

DÉCIMA TERCEIRA ESTAÇÃO


Jesus é descido da cruz

Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos.


Todos: Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.
Leitor 1: Às vésperas do sábado, José de Arimateia foi a Pilatos e pediu o corpo
de Jesus. Com a permissão da autoridade romana, José comprou um lençol de
linho, desceu o corpo da cruz e o enrolou no lençol. Maria, sua mãe, recebeu-o
nos braços.
Leitor 2: O corpo de Jesus é descido da cruz e encontra mãos que o acolhem
com tristeza e, ao mesmo tempo, com carinho. Muitos o acompanham com
olhar tristonho: sua mãe, algumas mulheres e o discípulo amado. A presença
das mulheres até o fim contrasta com a atitude medrosa dos discípulos. Desde o
começo alegre na Galileia até o final doloroso, elas o acompanharam e serviram.
Lembremos as mães e os pais que recebem nos braços os filhos assassinados
ou mortos por falta de assistência pública à saúde.
Pai-nosso... Ave-maria... Glória...
Do madeiro vos tiraram / e nos braços vos deixaram /: de Maria, que aflição.
Pela virgem dolorosa, / vossa mãe tão piedosa, /: perdoai-me, bom Jesus.

108
DÉCIMA QUARTA ESTAÇÃO
Jesus é sepultado
Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos.
Todos: Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.
Leitor 1: Depois de envolvê-lo num lençol, José de Arimateia colocou o corpo
de Jesus num túmulo escavado na rocha, onde ninguém ainda tinha sido se-
pultado, e rolou uma grande pedra para fechar a entrada do túmulo.
Leitor 2: No momento da deposição, começa a realizar-se a palavra de Jesus:
“Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo não morrer, permanece
só; mas, se morrer, dá muito fruto”. Jesus é o grão de trigo que morre. Do grão
de trigo morto começa a grande multiplicação do pão que dura para sempre.
Ele é o pão da vida que é dado por nós. O Senhor Jesus nos conceda a graça
de frutificarmos por meio de nossas boas obras.
Pai-nosso... Ave-maria... Glória...
No sepulcro vos deixaram, / enterrado vos choraram, /: magoado o coração.
Pela virgem dolorosa, / vossa mãe tão piedosa, /: perdoai-me, bom Jesus.

DÉCIMA QUINTA ESTAÇÃO


Jesus ressuscita dos mortos
Dirigente: Nós vos adoramos, ó Cristo, e vos bendizemos.
Todos: Porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.
Leitor 1: No domingo de madrugada, as mulheres foram ao túmulo e viram que
estava vazio. Dois homens com vestes claras e brilhantes lhes perguntaram: “Por
que procuram entre os mortos quem está vivo? Ele não está aqui, mas ressuscitou”.
Leitor 2: Jesus não acabou no sepulcro; Deus o ressuscitou. Sua ressurreição
é garantia de nossa futura ressurreição e nos diz que o pecado, a injustiça e a
morte não têm a última palavra. A última palavra é a vida, e vida plena. Com
Jesus ressuscitado ninguém está destinado a permanecer para sempre na
sombra da morte, mas sim a viver para sempre com ele. Essa é a nossa fé, nossa
esperança, que nos impulsiona a viver como irmãos e irmãs.
Pai-nosso... Ave-maria... Glória...
Meu Jesus, por vossos passos / recebei em vossos braços /: a mim, pobre pecador.
Pela virgem dolorosa, / vossa mãe tão piedosa, /: perdoai-me, bom Jesus.

ORAÇÃO FINAL
Dirigente: Senhor Jesus, terminamos o percurso da via-sacra; meditamos e
rezamos, contemplando os sofrimentos que enfrentastes no caminho até o
Calvário. Sobre vossa cruz resplandece a luz da esperança, que não nos permite
voltar atrás. A vossa cruz se torne para nós sinal de vitória. Ajudai-nos a abraçá-la
com amor, para que possamos vislumbrar o brilho da vossa ressurreição. Vós
que viveis e reinais para sempre. Todos: Amém.
Dirigente: Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.
Todos: Para sempre seja louvado.

109
IV – CANTOS

CD CF-2020 -te, / com seu escudo e suas armas,


defender-te.
1. Hino da CF-2020 (faixa 1)
3. Nenhum mal há de chegar perto de ti,
1. Deus de amor e de ternura, contem-
plamos / este mundo tão bonito que / nem a desgraça baterá à tua porta; /
nos deste. / Desse dom, fonte da vida, pois o Senhor deu uma ordem a seus
recordamos: / cuidadores, guardiões anjos / para em todos os caminhos te
tu nos fizeste. guardarem.
Peregrinos, aprendemos nesta estrada / 4. “Porque a mim se confiou, hei de livrá-
o que o “bom samaritano” ensinou: / ao -lo / e protegê-lo, pois meu nome ele
passar por uma vida ameaçada, / ele a conhece. / Ao invocar-me, hei de ouvi-
viu, compadeceu-se e cuidou. -lo e atendê-lo, / e a seu lado eu estarei
em suas dores.”
2. Toda vida é um presente e é sagrada,
/ seja humana, vegetal ou animal. / É 4. Oferendas (faixa 7)
pra sempre ser cuidada e respeitada, 1. A abstinência quaresmal / vós consa-
/ desde o início até seu termo natural. grastes, ó Jesus; / pelo jejum e pela
3. Tua glória é o homem vivo, Deus da prece, / nos conduzis da treva à luz.
vida; / ver felizes os teus filhos, tuas 2. Ficai presente agora à Igreja, / ficai
filhas; / é a justiça para todos, sem presente à penitência, / pela qual
medida; / é formarmos, no amor, bela vos suplicamos / para os pecados in-
Família. dulgência.
4. Mata a vida o vírus torpe da ganância,
3. Por vossa graça, perdoai / as nossas cul-
/ da violência, da mentira e da ambi-
pas do passado; / contra as futuras, pro-
ção. / Mas também o preconceito, a
tegei-nos, / manso Jesus, Pastor amado.
intolerância. / O caminho é a justiça
e conversão. 4. Para que nós, purificados / por esses
ritos anuais, / nos preparemos, reve-
2. Aclamação (faixa 5) rentes, / para gozar os dons pascais.
Louvor e glória a ti, Senhor, / Cristo, Pa- 5. Todo o universo vos adore, / Trindade
lavra, Cristo, Palavra, / Cristo, Palavra santa, sumo bem. / Novos, por graça,
de Deus! vos cantemos / um canto novo e belo.
Estrofes conforme a da liturgia do domingo. Amém.
1º DOMINGO DA QUARESMA 5. Comunhão (faixa 9)
3. Abertura (faixa 3) O homem não vive somente de pão, /:
mas de toda palavra da boca de Deus.
Ele chamará por mim / e ouvidos lhe
darei, / salvação, vida sem fim, / e de 1. A lei do Senhor Deus é perfeita, / con-
glória o saciarei! forto para a alma! / O testemunho do
Senhor é fiel, / sabedoria dos humildes.
1. Quem habita ao abrigo do Altíssimo /
e vive à sombra do Senhor onipotente, 2. Os preceitos do Senhor são precisos,
/ diz ao Senhor: “És meu refúgio e pro- / alegria ao coração. / O mandamento
teção, / és o meu Deus, no qual confio do Senhor é brilhante, / para os olhos
inteiramente”. é uma luz.
2. Do caçador e do seu laço ele te livra, 3. É puro o temor do Senhor, / imutável
/ ele te salva da palavra que destrói. para sempre. / Os julgamentos do Se-
/ Com suas asas haverá de proteger- nhor são corretos / e justos igualmente.

110
4. Mais desejáveis do que o ouro são 11. Comunhão (faixa 11)
eles, / do que o ouro refinado; / suas 1. Tu vieste, ó Messias, / e nos deste a
palavras são mais doces que o mel, / conhecer, / no raiar de um novo dia, /
que o mel que sai dos favos. a essência do viver!
5. Que vos agrade o cantar dos meus Água da vida és tu, Jesus: / fonte eterna
lábios / e a voz da minha alma; / que da salvação! / Tu és presença a transfor-
ela chegue até vós, ó Senhor, / meu mar: / a criatura a plenificar!
rochedo e redentor!
2. Eis que a hora é chegada: / conver-
2º DOMINGO DA QUARESMA gência com o Pai! / Tu, qual luz do
meio-dia, / reuniste comensais!
6. Abertura 3. Co’a mulher samaritana, / te pedimos
Canto igual ao número 3.
de beber: / dá-nos hoje água viva! / Tu,
7. Oferendas razão do nosso crer!
Canto igual ao número 4. 4. Tu conosco permaneces, / nosso Mes-
8. Comunhão (faixa 10) tre e Senhor! / Saciamos nossa sede /
no jorrar do teu amor!
“Este é meu Filho muito amado: / Es-
cutai-o todos vós!” / Então o vosso co- 5. Em espírito e verdade, / a Deus Pai
ração se alegrará, / e em vossos olhos adoração! / Tu a ele nos conduzes, /
brilhará a sua luz! ao viver de comunhão!
1. A beleza da glória celeste / que a Igreja, 4º DOMINGO DA QUARESMA
esperando, procura, / Cristo a mostra
no alto do monte, / onde mais que o 12. Abertura (faixa 4)
sol claro fulgura. Rejubilai-vos, Jerusalém! / Vós que a
2. Este fato é, nos tempos, notável: / ante amais, / vinde, acorrei de alegria e exultai!
Pedro, Tiago e João, / Cristo fala a Moi- 1. Que alegria quando ouvi que me
sés e a Elias / sobre a sua futura paixão. disseram: / “Vamos à casa do Senhor!”
3. Testemunhas da lei, dos profetas / e / E agora nossos pés já se detêm, /
da graça estando presentes, / sobre o Jerusalém, em tuas portas.
Filho, Deus Pai testemunha, / vindo a 2. Jerusalém, cidade bem edificada /
voz duma nuvem luzente. num conjunto harmonioso; / para lá
4. Com a face brilhante de glória, / Cristo sobem as tribos de Israel, / as tribos
hoje mostrou no Tabor / o que Deus do Senhor.
tem no céu preparado / aos que o 3. Para louvar, segundo a lei de Israel, /
seguem, vivendo no amor. o nome do Senhor. / A sede da justiça
5. Da sagrada visão o mistério / ergue lá está / e o trono de Davi.
aos céus o fiel coração. / E, por isso, 4. Rogai que viva em paz Jerusalém / e
exultante de gozo, / sobe a Deus nossa em segurança os que te amam! / Que
ardente oração. a paz habite dentro de teus muros, /
6. Pai e Filho e Espírito Amor, / um só tranquilidade em teus palácios!
Deus, vida e paz, sumo bem, / con- 13. Oferendas (faixa 8)
cedei-nos, por vossa presença, / esta
Criai em nós um coração que seja puro.
glória no Reino. Amém! / Dai-nos, Senhor, um coração mais con-
3º DOMINGO DA QUARESMA fiante. / Ó Deus, lembrai-vos do vosso
amor: / misericórdia!
9. Abertura 1. Escutai, ó Senhor Deus, minha oração. /
Canto igual ao número 3.
Atendei à minha prece, ao meu clamor.
10. Oferendas / Porque sois o meu abrigo e fortaleza,
Canto igual ao número 4. / sois a vida, sois amparo protetor.

111
2. A minh’alma, ó Senhor, de vós tem sede, vou erradamente; / me bota no cami-
/ como a terra ressecada e sem água. / nho / da vida para sempre.
Concedei-me a alegria de ser salvo; /
perdoai-me toda culpa, toda mágoa. 5º DOMINGO DA QUARESMA
Criai em nós um coração que seja puro. 15. Abertura
/ Dai-nos, Senhor, um coração mais con- Canto igual ao número 3.
fiante. / Ó Deus, lembrai-vos do vosso 16. Oferendas
amor: / misericórdia! Canto igual ao número 13.
3. Esta terra, ó Senhor, favorecestes; /
17. Comunhão (faixa 13)
perdoastes o pecado ao vosso povo.
/ Vós sois bom, sois clemente, sois 1. Betânia, lugar do aconchego, / refúgio
perdão, / vós sois, Senhor, o Deus de do Mestre e Senhor, / espaço da paz,
amor a quem invoco. do sossego, / da mesa, do aroma e do
amor. / Mas hoje se faz sombra e medo:
14. Comunhão (faixa 12) / tem luto, tem choro e tem dor.
Tu és a luz, Senhor, / do meu andar, Senhor, Retira essa pedra que faz ser sozinho.
/ do meu lutar, Senhor, / força no meu so- / Desfaz as amarras que impedem de
frer. / Em tuas mãos, Senhor, / quero viver. andar. /: Desperta! Levanta! Há um
1. Meu coração penetras / e lês meus pen- longo caminho. / A vida te chama: eu
samentos; / se luto ou se descanso, / tu vim te salvar.
vês meus movimentos; / de todas mi- 2. Jesus bem distante se achava, / cum-
nhas palavras / tu tens conhecimento. prindo feliz sua missão; / mas logo a
2. Quisesse eu me esconder / do teu notícia chegava: / a morte rondava um
imenso olhar, / subir ate o céu, / na ter- irmão. / Aquela família que amava, /
ra me entranhar, / atrás do horizonte / por ele clamou na aflição.
lá iria te encontrar! 3. O encontro de dor e conforto / tão
3. Por trás e pela frente / teu ser me en- logo em Betânia se dava: / de um lado,
volve e cerca, / o teu saber me encanta, o amigo já morto, / do outro, as irmãs
/ me excede e me supera, / tua mão me que choravam. / Jesus se oferece qual
acompanha, / me guia e me acoberta! porto / àquelas que tanto ele amava.
4. Se a luz do sol se fosse, / que escuridão 4. “Se aqui estivesses, amigo, / na certa
seria! / Se as trevas me envolvessem, ele não morreria; / mas creio que o Pai
/ o que adiantaria? / Pra ti, Senhor, a é abrigo, / na dor é alento e alegria. /
noite / é clara como dia! Por isso, eu louvo e bendigo, / pois
creio que és o Messias”.
5. As fibras do meu corpo / teceste e en-
5. “Não temas, eu sou o Caminho, / a Vida
trançaste; / no seio de minha mãe / bem
que nunca se esvai”. / Quem crê nunca
cedo me formaste; / melhor do que
fica sozinho, / e é certo, não morre
ninguém / me conheceste e amaste!
jamais; / terá toda paz e carinho / pra
6. Teus planos insondáveis! / Sem fim, tuas sempre, nos braços do Pai.
maravilhas! / Contá-las eu quisera, / 6. Chorando, Jesus quer ir vê-lo. / “Não
mas quem o poderia? / Como da praia vá, pois é mau o odor!” / “Coragem!”
a areia, / só tu as saberias! Deus ouve o apelo / de quem clama
7. Que os maus da terra sumam, / pe- a ele na dor, / e espalha com a vida e
reçam os violentos, / que tramam com zelo / o aroma agradável do amor.
contra ti / com vergonhoso intento; / 7. Amigo, tu dormes. Desperta! / Aqui
abusam do teu nome / pra seus planos novo dia reluz. / Há muitas amarras,
sangrentos. na certa; / um escuro que ao nada con-
8. Mas vê meu coração / e minha angústia duz. / Mas sou o Senhor que liberta. /
sente. / Olha, Senhor, meus passos, se Levanta e caminha na luz.

112
liturgia diária
Com mais de 27 anos de história, a Liturgia Diária é um subsídio mensal que traz a
liturgia de cada dia partes fixas da missa, leituras, orações, cantos, memória dos santos,
solenidades e festas litúrgicas, artigos sobre o Evangelho dos domingos e círculos
bíblicos). Um guia especial para rezar, celebrar e meditar a Palavra de Deus diariamente.

Valor por
Exemplares
assinatura

Formato 1a5 R$ 90,48


tradicional 6 a 10 R$ 83,16
11 a 15 R$ 78,84
16 a 20 R$ 71,28
21 a 25 R$ 65,64
26 a 30 R$ 63,36
31 a 50 R$ 59,88
51 a 75 R$ 56,64
76 a 100 R$ 53,64
101 a 300 R$ 51,24
301 a 500 R$ 48,00
Acima de 501 R$ 44,16

brinde exclusivo!
Ao assinar ou renovar a Liturgia
Diária (formato tradicional),
você ganha uma capa plástica
para cada assinatura.

assine os periódicos PAULUS em grupo


e obtenha descontos especiais!
(11) 3789-4000 (Grande São Paulo)
0800-164011 (outras localidades)
(11) 99974-1840 (WhatsApp)

assinaturas@paulus.com.br

• A renovação das assinaturas de todos os periódicos pode ser feita por


pagamento à vista ou parcelado em até 5 vezes.
• O vencimento das parcelas acontece no dia 10 de cada mês.
• Os valores das tabelas são válidos para assinaturas realizadas até 31 de março de 2020.
QUARESMA: CAMINHO DE SANTIDADE

A cada ano, a Igreja nos convoca para uma caminhada de 40 dias em direção
à Páscoa da Ressurreição. O profeta Joel, lido na Quarta-feira de Cinzas, ordena
Ano 29 • No 339 Março de 2020
que se toque uma trombeta e convoque todo o povo para iniciar um tempo
de conversão (cf. Jl 2,12-18). E diz mais: “Rasgai o coração, e não as vestes; e
voltai para o Senhor, vosso Deus!”.
O salmista clama: “Dai-me de novo a alegria de ser salvo!” (Sl 50,14). O
evangelista Mateus oferece três possibilidades de vivência da espiritualidade
da Quaresma: penitência, oração, esmola. São possibilidades para que alcan-
cemos o significado profundo do rito das cinzas. São sinais de que o coração
se abriu ao outro. A dinâmica da Quaresma não propõe uma espiritualidade
subjetiva e intimista.
A Campanha da Fraternidade faz parte do itinerário quaresmal. Neste ano,
a parábola do bom samaritano faz eco eloquente às leituras com que se abrem
as celebrações dessa caminhada: “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc
10,33-34 – lema da CF-2020).
O papa Francisco, que convocou a Igreja para retomar a caminhada rumo à
santidade (cf. exortação Gaudete et Exsultate), rende graças a Deus porque, “ao
longo da história da Igreja, ficou bem claro que aquilo que mede a perfeição
das pessoas é o seu grau de caridade” (GE 37), afirmando mais adiante: “Deste
modo, ser santo não significa revirar os olhos em um suposto êxtase. Dizia São
João Paulo II que, ‘se verdadeiramente partimos da contemplação de Cristo,
devemos saber vê-lo sobretudo no rosto daqueles com quem ele mesmo quis
se identificar’” (GE 96).
Rogo a Deus, no meu recolhimento atual, que os cristãos católicos do nosso
Brasil acolham o convite do apóstolo Paulo: “Como colaboradores de Cristo,
nós vos exortamos a não receberdes em vão a graça de Deus; pois ele diz: ‘No
momento favorável, eu te ouvi e, no dia da salvação, eu te socorri’. É agora o
momento favorável, é agora o dia da salvação” (2Cor 6,1-2).

D. Geraldo Majella Agnelo


Cardeal Arcebispo Emérito de Salvador

PAULUS.COM.BR

Liturgia Diaria 2020 - Capas P&G.indd 339 11/11/19 15:41

Você também pode gostar