Você está na página 1de 6

Ortodontia preventiva I

Mantenedores de espaço
Perda precoce de dentes decíduos
Se há uma perda precoce do dente decíduo, todo o
equilíbrio de desenvolvimento normal é rompido, assim,
é necessário o aparelho ortodôntico para recuperar
esse equilíbrio
Mesmo sem perda precoce é possível desenvolver
uma má oclusão
Definição: é definida pelo extravio de um dente decíduo 3 . Desvio do trajeto eruptivo do 1º molar permanente
antes do tempo de sua esfoliação natural. Há 2 vezes superior (deveria estar inclinado para a distal, mas se
mais chance de ter ocorrido perda precoce anterior a inclina para a mesial), erupciona em cima do segundo
uma maloclusão. Se ocorrer é necessário manter o molar decíduo superior 5 anos antes do normal,
espaço levando a esfoliação precoce do 2º molar decíduo
Se o dente for perdido antes do estágio 6 de Nolla do superior (além disso o desvio intenso para mesial ocupa
permanente, é considerado perda precoce muito espaço do segundo molar decíduo, não deixando
O ideal é que o dente decíduo seja perdido quando o espaço para erupção do 2º pré molar)
permanente estiver com 2/3 de raiz formada
Como saber se a perda é precoce?
- idade do paciente
- estágio de formação da raiz do permanente (Nolla)

Causas da perda precoce


Traumatismos Cárie
- pouco provável em segundo molar decíduo inferior - restaurar o dente decíduo sempre que possível
- muito comum em incisivos centrais superiores - quando perder muita massa dentária, precisa extrair o
- comum entre 5 – 6 anos de idade dente decíduo e manter o espaço
Processos anormais de reabsorção Exodontias e Patologias
1 . Incisivo lateral inferior irrompe para a distal - negligência do tratamento (não valorizar o dente
ocasionando a esfoliação precoce do canino decíduo, decíduo, “é decíduo, vai cair”)
causando perda de espaço no arco dentário - problemas culturais (desvalorização do dente decíduo,
não valoriza a escovação)
- com finalidade ortodôntica (não tem quando se trata
de um dente decíduo; é comum extrair o canino
decíduo inferior para resolver o apinhamento primário
dos incisivos inferiores, o que pode causar impactação
dos caninos inferiores permanentes)
- anquilose (esteve em erupção e parou), falha primária
2 . Falta de espaço para irrompimento dos IC de erupção (dente que nunca esteve em erupção, e
superiores, irrompe para a distal e reabsorve nunca vai irromper, precisa extrair)
precocemente os laterais decíduos. Revela falta de
espaço já existente, mas não acentua a deficiência
Planejamento do mantenedor de espaço (cai
na prova)
Tempo decorrido após a perda
- maior movimento dos dentes vizinhos nos primeiros 6
meses
- mais rápido na maxila (porque o osso é mais poroso,
é sempre o primeiro a ser colocado)
OBS: falha primária de erupção no dente 65 permitindo
a inclinação mesial do dente 26 e a impactação do 25 - aparelho depois cirúrgica, atuar o mais cedo possível
– conduta é extrair o dente 65 (antes do dente decíduo ser extraído)
Problemas da perda precoce dos decíduos Idade dentária do paciente

- migração mesial dos posteriores - o irrompimento do permanente depende do estágio


de formação de Nolla
- inclinação lingual dos incisivos
- perda de decíduos antes do estágio 6 de Nolla –
- aceleração ou retardo na erupção
retarda a erupção
- extrusão dos antagonistas
- instalação dos hábitos nocivos
- comprometimento estético e psicológico
- dificuldade em articular sons

Mantenedores de espaço
Requisitos para usar mantenedor de espaço - perda de decíduos após o estágio 8 de Nolla (2/3 de
O sucessor permanete está presente e hígido raiz formada) – acelera a erupção (mesmo assim
- teórico: não mantém espaço para um dente que não colocar o mantenedor de espaço, para segurança que
existe o espaço não vai ser perdido)
- clínico: para evitar a mesialização dos dentes vizinhos,
manter o espaço para por um implante no futuro
O espaço para o dente não diminuiu
- partir para a recuperação do espaço se tiver
diminuido
A relação molar e de caninos não foi afetada
- não alterou a classe que o paciente era (classe I fica
classe I)
Predileção favorável da analise da dentição mista Quantidade de osso que cobre o dente não irrompido
- já vai ter problema de espaço., independente da
- lesão periapical acelera o irrompimento (houve
manutenção do espaço
destruição do osso que recobria o permanente –
irrompe sem raiz totalmente formada, nunca pode
fazer endo)
- presença de osso retarda o irrompimento, pois há um
barreira mecânica que dificulta a erupção
Sequencia de erupção dentária

Caso que cumpre os requisitos para utilização do


mantenedor de espaço (não perdeu o espaço,
sucessor presente e integro, classe I mantida)
Maxila: 1º M – Incisivos – 1º PM – 2º PM – C – 2º M Aparelhos mantenedores de espaço
Mandíbula: 1º M – Incisivos – C – 1º PM – 2º PM – 2ºM
Escolha do aparelho
- se inverter a sequencia, os dentes vão se
Idade da criança (decide por fixo ou removível a
empurrando e há perda de espaço
depender da idade)
Erupção tardia do dente permanente
Grau de cooperação (meninas colaboram mais,
- quando altera a sequencia de erupção meninos menos)
- pode estar reabsorvendo raiz de permanente Higiene bucal (se for precária o removível é melhor,
Caso 1: Canino com erupção tardia – conduta é extrair pois tira para comer e higieniza)
o decíduo e manter o espaço para que o permanente Número de dentes perdidos (se perdeu muitos dente
tenha espaço para irromper precisa ser o removível com dente de estoque, para
evitar interposição da lingual e déficit mastigatório)
Tipo de padrão esquelético (pacientes mais verticais
tem mais facilidade de movimentação dos dentes –
fixo, braquifaciais – removível)
Hábitos bucais (removível com dente de estoque, evita
os hábitos)
Desejo da criança e dos pais
Caso 2: Canino permanente com um cisto e deslocado
para mesial – conduta é exodontia do decíduo e
mantenedor do espaço Tipos de aparelhos
Fixos
BANDA ALÇA
- indicada para perdas precoces unilaterais de no
máximo 1 ou 2 dentes (se não fica muito longa de
flexível)
- banda no dente vizinho (anterior ou posterior), precisa
ficar bem adaptada no dente, abaixo da crista marginal
- faz a moldagem com a banda em posição, tira a
banda do dente e transfere para o molde
- fio 0,8 mm, adapta por fora do rebordo para não
atrapalhar o espaço do dente

Ausência congênita do dente permanente


- mantenedor ou acompanhamento
- a melhor opção é manter o espaço (os dentes COROA DE AÇO ALÇA
vizinhos vão estar verticais e é mais fácil movimentá-los - indicação: diante da destruição de dentes decíduos
assim - coloca uma coroa no dente vizinho que está
Apresentação aos pais destruído e a banda é soldada na coroa
- é um aparelho passivo, não vai movimentar os dentes
- passar informação primeiro
ORIENTADOR DE ERUPÇÃO rugas palatinas pronunciadas pode causar dor por
- indicação: perda do 2º molar decíduo antes do compressão)
irrompimento do 1º molar permanente, ou seja, não - banda nos molares
tem dente vizinho para apoiar a banda
- usa acrílico com dente de estoque que faz uma
pressão sobre o robordo e é entendido como a
presença de um dente, o que faz o dente permanente
não mudar de posição
- colocar uma película de chumbo em baixo do acrílico
e radiografar para ver se está sobre o primeiro molar
permanente (se tiver tem que cortar até ficar adaptado
na mesial)
BARRA TRANSPALATINA
- indicada: perda precoce bilaterais no arco superior
- pode ser soldada ou encaixada (usar amarrada em um
fio dental, pois pode deglutir – fazer raio X de tórax)

ARCO LINGUAL
- indicado: perdas precoces bilaterais, principalmente no
arco inferior
- bandas adaptadas nos primeiros molares de ambos os
lados, por lingual

MANTENEDOR FIXO COM DENTES


- prótese apoiada em um fio ortodôntico
- indicação: perda precoce de dentes anteriores
- exige um desgaste em dentes decíduos (câmara
pulpar ampla)

Mecanismos de manutenção do espaço


- impede o movimento mesial dos molares (banda no
molar e anteparo anterior)
- incisivo inferior não inclina para lingual (se inclinar para
lingual perde espaço no arco, se for pra vestibular
ganha espaço no arco)
Removíveis
BOTÃO PALATINO DE NANCE
- indicação: perda bilateral no arco superior APARELHOS REMOVÍVEIS
- é parecido que o arco lingual, mas tem um botão de - consegue repor dentes perdidos em todo o arco,
acrílico na região de incisivos superiores, na curvatura através de dentes de estoque presos ao aparelho
anterior do palato removível
- botão: diametro de 10 mm, deve ser apoiado em osso - evitar usar adans no arco inferior por causa da barra
basal pois é mais resistente do que o osso alveolar, lingual do grampo, o aparelho vai ser deslocado pela
evita ferimento no palato oclusão com o dente superior
Mecanismo de manutenção - observar a erupção dos dentes permanentes,
acompanhar a cada mês
- botão de nance apoiado no palato impede o
movimento mesial dos molares (acúmulo de comida, - melhora a estética
Caninos
Aspectos envolvidos
- apinhamento
- desvio de linha média
- redução do perímetro do arco
- inclinação lingual dos incisivos (perde o contato lateral,
PRÓTESE PARCIAL os incisivos inclinam para lingual – aumenta overjet e
- perda de vários dentes (cárie de mamadeira) overbite) – conduta: arco lingual com “esporão” para
- reestabelece a estética e oclusão evitar a inclinação dos incisivos e desvio da linha média
- dificuldade no uso por uma criança, tem difícil
retenção pois só tem apoio em molares

INDICAÇÃO DE MANTENEDOR: evitar deslocamentos


dentários indesejados
PRÓTESE TOTAL Primeiros molares
- nenhuma retenção em dente
Aspectos envolvidos
- é muito difícil ter retenção
- migração distal do canino
- consultar frequentes com radiografias panorâmicas
- migração mesial do 2º molar (impactação do 1º pré
para acompanhar o processo de irrompimento dos
molar)
permanentes
- tendência ao apinhamento pela redução do perímetro
do arco
Perda precoce – grupos de dentes
Segundos molares
Incisivos
- bastante preocupantes (Cai na prova)
Perda até uns 3 anos Antes da irrupção do 6 (1ºM)
Aspectos envolvidos - migração intraóssea do primeiro molar permanente
- estéticos (sofre bullyng) - grande perda de espaço (passa por cima da coroa do
- fonéticos (tem fala soprada) pré molar dentro do osso)
- mastigatórios Após a irrupção do 6 (1ºM)
- deglutição - mesialização (inclinação/giroversão), não vai migrar de
- psicológico corpo
- instalação de hábitos - perda de espaço (menos preocupante que o outro)
Não colocar o mantenedor após 5 anos de idade, pois Ambas precisam de mantenedor de espaço imediato,
já tem o início da erupção dos incisivos permanentes porém o primeiro caso é mais grave
INDICAÇÃO DO MANTENEDOR: satisfazer requisitos PERGUNTAS
estéticos e fonéticos e ocasionalmente, prevenir que a Qual seria a provável sequela aos 8 anos de idade, com
criança desenvolva hábitos de interposição de língua, a perda precoce do segundo molar decíduo inferior aos
sobretudo nos casos de perda múltipla de incisivos 4 anos de idade, se um mantenedor de espaço não for
decíduos. confeccionado? R: O primeiro molar permanente
OBS: não usar o dente do paciente avulsionado como intraósseo migraria de corpo para a mesial, passando
reposição no aparelho removível, pois quando o dente por cima da coroa do pré molar que está intraósseo e
perde a irrigação ele fica muito desidratado e branco mais abaixo do que o primeiro molar permanente,
ocasionando grande perda de espaço no arco.