Você está na página 1de 100

Condutores de bt fórum potência

Cabos não halogenados se consolidam no setor Edição de Brasília atrai quase 300 pessoas e
de condutores elétricos e já respondem por supera as expectativas de patrocinadores e
mais de 30% das vendas congressistas pelo alto nível das apresentações
Maio’2015

A N O 11 Elétrica, Iluminação, Automação,


N º 113 Sustentabilidade e Sistemas Prediais
EDITORA

Apesar
das dificuldades
impostas pelo momento
ANO 11 – Nº 113 • Potência

político e econômico do País, algumas


empresas têm conseguido apresentar bom
desempenho em 2015. Mas, para aproveitar
as oportunidades, é preciso se preparar e

Destaques
ficar atento aos movimentos do mercado

na crise
Entrevista Cristiana Rabusin, gerente de Eventos da Reed Exhibitions,
fala sobre a realização, em abril de 2016, da primeira edição nacional da
Pollutec, uma das maiores feiras do mundo com foco no tema sustentabilidade
sumário

10 Entrevista
16

Cristiana Rabusin, gerente de Eventos da Reed


Exhibitions – Alcantara Machado, dá detalhes sobre
a realização, em abril de 2016, da primeira edição
brasileira da Pollutec – Feira Internacional de
Tecnologias e Soluções Ambientais.

16 matéria de capa
Em meio à forte crise econômica e de confiança no
País, setor eletroeletrônico resiste e abriga nichos
que vêm conseguindo apresentar bom desempenho.
Outras seções
Oportunidades se estendem a fabricantes e
08 › ao leitor
prestadores de serviços, mas é preciso se
preparar e estar atento para não perder negócio.
14 › Holofote

30 FIEE
Empresas aproveitam principal evento da indústria
48 › espaço abreme

30 10
eletroeletrônica no País para fazer contatos e 64 › Painel de produtos
alavancar os negócios, que, em alguns casos, 70
poderão salvar o ano. 68 › opinião Antonio

52 mercado
Maschietto

78 › normalização
Vantagens dos fios e cabos não halogenados
começam a ser percebidas por usuários e 90 › Projeto conectar
tecnologia avança e conquista espaço no setor
de condutores elétricos de baixa tensão. Produtos
92 › economia
verdes também pedem passagem.

70 Fórum Potência 94 › vitrine

Primeira edição do evento, ocorrido em 96 › agenda 52 82


Brasília, atrai quase 300 pessoas e surpreende
patrocinadores e congressistas pelo alto nível das 97 › link direto
apresentações.

82 Caderno ex
98 › Recado do Hilton

Tecnologia centenária, segurança intrínseca


oferece um dos mais elevados níveis de proteção
para produtos e instalações elétricas em áreas
classificadas.

6 potência
E X P E D I E N T E
ao leitor

Fundadores:
Elisabeth Lopes Bridi
Habib S. Bridi (in memoriam)

ano XI • nº 113 • Maio'15

Publicação mensal da HMNews Editora e Eventos,


com circulação nacional, dirigida a indústrias, dis-
tribuidores, varejistas, home centers, construtoras,
arquitetos, engenharias, instaladores, integradores
e demais profissionais que atuam nos segmentos de
elétrica, iluminação, automação e sistemas prediais.
Órgão oficial da Abreme - Associação Brasileira dos
bons exemplos ao mercado

Na edição passada aproveitei este espaço para falar sobre as Revendedores e Distribuidores de Materiais Elétricos.

conversas positivas que tivemos com executivos de várias empre- Diretoria


Hilton Moreno
sas durante a Feicon e a Fiee. Na ocasião, citei que muitos fecha- Marcos Orsolon
ram negócios durante o evento e que, ainda que de forma muito Conselho Editorial
Hilton Moreno, Marcos Orsolon, Carlos Soares
discreta, alguns projetos começavam a sair das gavetas, gerando Peixinho, Daniel Tatini, Francisco Simon, José Jorge
pequenas oportunidades. Felismino Parente, José Luiz Pantaleo, Marcos Sutiro,
Nellifer Obradovic, Nemias de Souza Noia, Paulo Ro-
Desses contatos nas feiras ficou claro que o setor eletroeletrô- berto de Campos, Roberto Varoto, Nelson López, José
Roberto Muratori e Juarez Guerra.
nico tem uma enorme capacidade de reagir frente às dificuldades.
Redação
E, mais que isso, este é um mercado tão grande e diversificado, Diretor de Redação: Marcos Orsolon
que sempre há nichos e empresas em evolução, gerando ou apro- Editor-assistente: Paulo Martins
Fotos: Ricardo Brito e Vivi Venâncio
veitando as oportunidades de negócios - que existem mesmo em Colaborou nessa edição: Clarice Bombana
momentos de crise. Jornalista Responsável: Marcos Orsolon
(MTB nº 27.231)
Dessa constatação surgiu a pauta da nossa matéria de capa,
Departamento Comercial
assinada pelo jornalista Paulo Martins. O objetivo da reportagem Executivos de Vendas:
Cecília Bari, Willyan Santiago e
é, sem tapar o sol com a peneira, mostrar que tem muita gente Júlia de Cássia Barbosa Prearo
crescendo em 2015. E, na medida do possível, apresentar algumas Contato Publicitário: Pietro Peres

das estratégias que têm dado resultado para as empresas, assim Atendimento e Relações Institucionais
Décio Norberto
como mostrar setores que têm sofrido menos com a crise, como a
Administrativo
área de energia eólica, que não para de crescer no Brasil. Maria Suelma
Por mais clichê que pareça, aquela história de vender lenços Produção Visual e Gráfica
Estúdio AMC
enquanto o mundo inteiro chora é fato. E, no nosso caso, porque
não vender também luminárias, dispositivos de proteção, condu- Impressão
Coan Gráfica e Editora
tores elétricos, sistemas fotovoltaicos e pás eólicas?
Mídias Digitais
Espero que a reportagem traga algum alento e inspiração às Ricardo Sturk

empresas que têm passado por momentos difíceis. E, quem sabe, Contatos
ela até estimule algumas ações práticas que favoreçam a conti- Geral
Caixa Postal 75.002 - CEP 09521-970
nuidade dos negócios. contato@hmnews.com.br
Fone: +55 11 3436-6063
E que o ano melhore em todos os sentidos, pois o setor eletro-
Redação
eletrônico não pode mais esperar.
redacao@hmnews.com.br
Boa leitura! Fone: +55 11 4746-1330

Comercial
publicidade@hmnews.com.br
F. +55 11 3436-6063

Fechamento Editorial: 12/05/2015


Circulação: 19/05/2015

Conceitos e opiniões emitidos por entrevistados e


Foto: Ricardo Brito/HMNews

colaboradores não refletem, necessariamente, a opinião


da revista e de seus editores. Potência não se responsa-
biliza pelo conteúdo dos anúncios e informes publicitá-
rios. Informações ou opiniões contidas no Espaço Abreme
Marcos são de responsabilidade da Associação. Não publicamos
orsolon matérias pagas. Todos os direitos são reservados. Proi-
bida a reprodução total ou parcial das matérias sem a
autorização escrita da HMNews Editora, assinada pelo
8 potência jornalista responsável. Registrada no INPI e matriculada
de acordo com a Lei de Imprensa.
entrevista Cristiana Rabusin

Sustentabilidade e
meio ambiente
Reed Exhibitions – Alcantara Machado anuncia para abril
de 2016 a primeira edição brasileira da Pollutec, um dos
principais eventos ambientais do mundo.

C
Entrevista a Marcos Orsolon
ada vez mais o tema sus-
tentabilidade ganha espaço
entre as empresas e o setor
público em todo o mundo. E,
mais que discutir o assunto, empresá-
rios e governantes têm adotado me-
didas práticas para aliar a proteção
ao meio ambiente com o dia a dia de
indústrias e cidades.
No Brasil, mais um passo foi dado
para colocar em evidência estes te-
mas, com o anúncio da realização,
em abril de 2016, da primeira edição
nacional da Pollutec – Feira Interna-
cional de Tecnologias e Soluções Am-
bientais. O evento, que foi criado na
França em 1972, chega ao País atra-
vés da Reed Exhibitions – Alcantara
Machado e será realizado na cidade
de São Paulo.
Segundo os organizadores, a Pollu-
tec Brasil vem para atender à crescente
demanda do mercado industrial e públi-
Foto: Divulgação

co por prevenção, tratamento de polui-


ções, aproveitamento de recursos e de-

Cristiana Rabusin, Manager of Events of Reed Exhibitions, talks Cristiana Rabusin, Gerente de Eventos de Reed Exhibitions, habla
about some details of the first edition of Pollutec Brazil. The acerca de algunos detalles de la primera edición de Pollutec
event, a trade show and conference that had its first edition Brasil. El evento, que reúne feria y conferencia, existe por más de
over 40 years ago in France, is focused on sustainability, 40 años en Francia y su enfoque es la sostenibilidad, que incluye
covering issues such as the treatment of pollution, energy temas como el tratamiento de la polución, la eficiencia energética
efficiency and better use of natural resources. y un mejor uso de los recursos naturales.

10 potência
Entrevista Interview Entrevista
Entrevista com autoridades e Interview with authorities and Entrevista con autoridades y
profissionais do setor elétrico. professionals of the electrical sector. profesionales del sector eléctrico.

senvolvimento sustentável. Ao todo, são Cristiana Rabusin, gerente de hoje a crise hídrica, política e econô-
esperados 100 expositores nacionais e Eventos Reed Exhibitions, acredita mica no Brasil, quer dizer, o futuro do
internacionais que irão apresentar solu- que a Pollutec tem tudo para se con- Brasil é agora, por isso achamos que
ções e inovações em todas as atividades solidar como principal evento e fórum tem de ser uma feira que fale sobre a
ambientais e de saneamento. de discussões sobre meio ambiente tecnologia do futuro, os equipamentos
Simultaneamente à feira, será de- e sustentabilidade no Brasil. “Nosso do futuro, mas que se faz agora, pois
senvolvido um programa de conferên- slogan na feira é ‘Cuidando do futuro acreditamos que na segunda ou ter-
cias e workshops técnicos para levar agora’. Gostamos de nos definir como ceira edição muitos desses temas não
conhecimento e treinamento profissio- uma exposição pioneira no Brasil. Que- serão mais temas do futuro. Serão do
nal aos participantes. remos fazer algo diferente. Você vê presente”.

1 4
Qual a história da Pollutec na se tornou um evento enorme, um dos Quais os setores que, juntos,
França? maiores do mundo em sua área. Mas formam o evento?
Essa feira começou na França em sempre foi um evento com um relacio- O conceito multissetorial une di-
1972 e hoje tem edições também na Ar- namento muito estreito com o mundo versos segmentos, sendo que os princi-
gélia e no Marrocos. Na França, a feira industrial e o setor público. Sempre or- pais são: Água - tratamento de efluen-
nasceu um ano depois que o país criou ganizado para responder às exigências tes; Gestão de resíduos: reciclagem e
o Ministério de Meio Ambiente. E nasceu do mercado e do setor público, para im- limpeza (no sentido de limpeza pública,
como uma feira de equipamentos para plementar suas políticas. das ruas e um pouco industrial); Ener-
tratar dos vários tipos de poluição, como gia: biomassa, aproveitamento energé-

3
da água, do solo, do ar e também um Como a Pollutec está dividi- tico de resíduos, eficiência energética
pouco dos resíduos. Mas era uma feira da na França? Quais as suas e renováveis em geral; Monitoramento
de equipamentos, pois no período o tema principais áreas de cobertura? de emissões e qualidade do ar; Geren-
meio ambiente ainda não recebia muita A Pollutec é uma feira multissetorial. Na ciamento de riscos (naturais, ambien-
atenção das pessoas, quer dizer, não se França tem um pavilhão só de água, ou- tais e industriais); Remedição de áreas
cuidava muito do meio ambiente e não tro só de resíduos, de ar, de energia, etc. contaminadas; e Desenvolvimento Sus-
tinha muita prevenção. E todos os setores são tratados com a tentável. Além disso, tem um setor que
mesma importância, com comunicação, é transversal, que é o de análise, medi-

2
Mesmo assim, com o passar fórum, conferência e comitê de trabalho ção e monitoramento.
dos anos o evento ganhou específicos. O conceito é multissetorial

5
corpo e cresceu, não? e não há fronteiras entre um setor e O que levou a Reed Exhibitions
Sim. A Pollutec cresceu bastante, até outro. Até porque, hoje, ninguém fala a escolher o Brasil como sede
porque as legislações francesa e eu- apenas de água, energia ou resíduos. da Pollutec na América Latina?
ropeia mudaram. E com as mudanças Se fala sobre a otimização de recursos, Para nós é muito importante a presença
surgiram muitas obrigações do setor o desenvolvimento sustentável e o tra- na América Latina. E há alguns anos te-
público e dos setores industriais. Então, tamento das poluições em geral. Um mos a vontade de trazer a Pollutec para o
a feira que começou com cerca de 100 ponto interessante é que, ano após ano, Brasil. A Reed Exhibitions - Alcantara Ma-
expositores, chegou a cerca de 2.300 sempre procuramos renovar o conteúdo chado tem um grande escritório em São
em sua última edição (em 2014), com da feira pois qualquer assunto, mesmo Paulo e grande conhecimento e experiên-
60 mil visitantes e 100 mil metros qua- parecendo um tema de futuro, pode ser cia na organização de feiras no Brasil. Por
drados de área de exposição. A Pollutec pertinente e cabe a nós desenvolvê-lo. isso a organização aqui.

potência 11
entrevista Cristiana Rabusin

Principais setores da Pollutec Brasil

6
A edição brasileira da Pollu- ✹ Água: tratamento de efluentes ✹ Monitoramento de emissões e
tec terá o mesmo perfil que ✹ Energia: biomassa, qualidade do ar
a francesa? aproveitamento energético de ✹ Análise, medição e monitoramento
O posicionamento que adotamos na Fran- resíduos, eficiência energética ✹ Gerenciamento de riscos
ça é o mesmo que queremos adotar aqui ✹Gestão de resíduos: reciclagem ✹ Remedição de áreas contaminadas
no Brasil. Nossa proposta é organizar uma e limpeza ✹ Desenvolvimento sustentável
feira de três dias (12 a 14 de abril) no São
Paulo Exhibition & Convention Center (an- nas energias renováveis. Mas ele nasceu Sem dúvida. A cidade sustentável é um
tigo Imigrantes). Quanto ao púbico, nos muito como um evento de aproveitamen- tema evidente para nós, pois, por ser um
interessa atrair visitantes de São Paulo, to energético de resíduos, aproveitamen- evento multissetorial (a Pollutec), tratamos
mas também de outras cidades e estados. to energético no tratamento de água, de água, energia, redes de transporte, etc.
Nossa proposta é oferecer uma platafor- como um evento para também imple- O tema cidade sustentável não é novo, já
ma de ponta, na qual, em três dias, cerca mentar e desenvolver o conceito de efici- é discutido há anos, junto com a indústria
de 100 empresas nacionais e internacio- ência energética na indústria, na constru- sustentável. Por isso teremos esse tema já
nais promovam e exponham sua experti- ção, etc. Esse é um pilar para nós também em nossa primeira edição. Temos alguns
se, suas soluções e inovações em todas as na França, onde a Agência de Energia e projetos-piloto de Smart Grid no Brasil e
atividades ambientais e de saneamento. Meio Ambiente é a parceira principal do o tema também faz parte do escopo da
Achamos que será uma grande oportuni- evento há 20 anos. Aqui também estare- feira, que terá três espaços de conferên-
dade para os visitantes. mos um pouco mais relacionados com o cia e workshop: Fórum da água, Fórum da
setor da eletrônica e da eletricidade, com energia de resíduos e Fórum das novas te-

7
Quantos visitantes são espe- a parte da logística reversa de eletrôni- máticas do futuro. Acreditamos que o con-
rados? cos, quer dizer, vamos tratar na feira do teúdo dessas palestras é parte da nossa
Esperamos 4 mil pessoas altamen- Plano Nacional de Resíduos Sólidos e da oferta, pois ele é tão importante quanto
te qualificadas do Brasil e da América logística reversa nesse setor. a apresentação de produtos nos estandes.
Latina. A Pollutec é bastante conhecida O visitante tem que se informar na feira,

9
em países como Argentina, Uruguai, Pa- Qual a importância do setor receber informações.
raguai, Chile e também na América Cen- industrial para este evento?

11
tral, pois tem muitos profissionais desses O setor industrial, junto com o se- Um dos objetivos é trans-
países que vão à Pollutec da França. Te- tor público, são nossos visitantes prioritá- formar a Pollutec em um
mos uma forte ação de promoção aqui no rios, por isso vamos insistir muito no fato impulsionador das dis-
continente desde 2006, quando o Brasil de que a indústria brasileira tem que ser cussões em torno de meio ambiente
foi convidado como país homenageado sustentável. Significa que ela tem que fa- e sustentabilidade no Brasil?
na Pollutec francesa. O mesmo ocorreu zer economia de recursos, seja de água, Exatamente. A sustentabilidade, hoje, é um
com o México (2008), o Chile (2010) e a energia ou matéria-prima. A sustentabi- conceito transversal de qualquer indústria,
Argentina (2012). lidade não significa nada se ela não criar assim como do setor público. Todos têm o
competitividade e ganhos para a empresa. tema sustentabilidade e a otimização de

8
Como a área de energia será Entendemos que, em todos os processos recursos como algo fundamental para o
abordada na Pollutec Brasil? industriais, falar em eficiência energética futuro do Brasil. Nosso slogan na feira é
Nosso evento sempre tem um foco é indispensável se a indústria quer ser “Cuidando do futuro agora”. Gostamos
competitiva. Seja através de uma máqui- de nos definir como uma exposição pio-
na, um motor, bomba, enfim, qualquer neira no Brasil. Queremos fazer algo dife-
Ficha técnica equipamento ou sistema tem que rece-
ber investimentos para ser mais eficiente.
rente. Você vê hoje a crise hídrica, política e
econômica no País, quer dizer, o futuro do
Pollutec Brasil - Feira Internacional Brasil é agora, por isso achamos que tem

10
de Tecnologias e Soluções Ambientais Na edição francesa o de ser uma feira que fale sobre a tecnolo-
Data: 12 a 14 de abril de 2016 tema Smart Grid também gia do futuro, os equipamentos do futuro,
Local: São Paulo Exhibition & está bastante presente, mas que se faz agora, pois acreditamos
Convention Center assim como o das cidades sustentá- que na segunda ou terceira edição mui-
Número de expositores: 100* veis. Eles serão assuntos relevantes tos desses temas não serão mais temas
Número de visitantes: 4.000* na Pollutec Brasil? do futuro. Serão do presente.
*estimativa

12 potência
holofote

Qualidade reconhecida Novo


A KRJ, empresa brasileira que atua na área de comando
conectores elétricos, foi contemplada pelo segundo ano
consecutivo com o prêmio Top Qualidade Brasil 2015. Promovido
na CCEE
pelo Centro de Integração Cultural e Empresarial de São Paulo, O executivo Rui Guilherme
o prêmio contempla as empresas de destaque no ano de 2014, Altieri Silva tomou posse
comprometidas com qualidade em suas ações e serviços focados no dia 6 de maio do cargo
no desenvolvimento sustentável com responsabilidade social. de presidente do Conselho de
Os destaques de cada setor são indicados pelas principais entidades Administração da Câmara de
de classe (associações, federações, sindicatos patronais, centros Comercialização de Energia
Foto: Divulgação

empresariais e entidades referência), que constituem o Conselho Nacional Elétrica (CCEE). Altieri foi indicado
de Honrarias e Méritos, órgão independente que seleciona os indicados e pelo Ministério de Minas e Energia
oficia os candidatos às categorias Ouro, Prata e Bronze, conforme critério para substituir Luiz Eduardo
Barata Ferreira e teve o nome
da premiação. A KRJ foi premiada mais uma vez na categoria Ouro.
aprovado por unanimidade pelos
“Cada premiação recebida é motivo de comemorações e júbilo em ter
associados da instituição na 16ª
nosso trabalho reconhecido. Porém, após este reconhecimento, renovamos
Assembleia Geral Ordinária,
nossas forças para sempre buscarmos algo a mais, buscarmos excelência
realizada em 23 de abril.
de forma geral, seja no padrão de qualidade de nossos produtos, no
​Engenheiro eletricista com mais
atendimento aos nossos clientes, na relação com nossos parceiros e
de trinta anos de setor elétrico,
a satisfação do nosso quadro de funcionários e acionistas”, declarou
Rui Altieri atuou em diversos
Roberto Karam, diretor Comercial da KRJ.
cargos na Centrais Elétricas do
Pará e na Aneel, onde passou

Lixo eletroeletrônico
mais de dez anos e ocupou duas
superintendências, sendo a última
A cooperativa Coopermiti central de triagem desses resíduos, a responsável por Regulação
promove recuperação, com emprego de tecnologia e Econômica e Estudos do Mercado.
reutilização, reciclagem e competência técnica para liderar O mandato de Rui Altieri será
comercialização de Resíduos de processos de manufatura e logística de quatro anos e, segundo o
estatuto social da CCEE, com
Equipamentos Eletroeletrônicos reversa. Para apoiar a cooperativa
possibilidade de recondução
(REEE), resultantes da desmontagem nesta missão socioambiental, a Fast
por mais quatro. Na ocasião da
de aparelhos como computador, Shop, em parceria com a TerraCycle
posse, o executivo foi eleito pelos
mouse, teclado, notebook, impressora, criou o programa “De Volta ao Ciclo”,
conselheiros, por unanimidade,
celular e cafeteira entre outros. responsável por encaminhar mais de
para ocupar também a
Conveniada à Prefeitura de São Paulo, 5 toneladas de aparelhos eletrônicos
superintendência da instituição.
possui certificados ISO 9001:2008 desde 2013, quando foi lançado. A
O Conselho de Administração da
e ISO 14001:2004 e foi pioneira no rede é a primeira empresa privada
CCEE é composto ainda pelos
Brasil a firmar parceria com órgão a abraçar o trabalho da cooperativa
executivos: Antônio Carlos Fraga
de gestão pública para incentivar o e idealizou a campanha com o
Machado, Ary Pinto, Roberto
descarte ambientalmente correto. objetivo de aumentar as captações da Castro e Solange David, que ocupa
Desde 2010, a Coopermiti desenvolve Coopermiti, que opera com apenas a vice-presidência da instituição.
Foto: DollarPhotoClub

um trabalho de reciclagem e 30% de seu potencial por falta de


reutilização alinhado à educação resíduos. O baixo índice contrasta com
ambiental, inclusão digital e o estudo do Programa da ONU para o Coopermiti. Basta levá-los a qualquer
desenvolvimento social. Abriga Meio Ambiente (Pnuma), que aponta loja de rede no estado de São Paulo.
também um museu com acervo de o Brasil como o país emergente que São aceitos HDs, teclados, mouses,
equipamentos eletrônicos antigos, gera o maior volume anual de lixo desktops, monitores CRT, monitores
como computadores, telefones, eletrônico per capita. LCD, notebooks e netbooks.
celulares, máquinas de Os clientes da Fast Shop são A lista com os endereços das lojas
escrever, além de uma convidados a contribuir com esta Fast Shop do estado de São Paulo
Oficina de Arte com obras iniciativa de maneira fácil, gratuita participantes do “De Volta ao Ciclo”
feitas a partir de resíduos e com a garantia de que todos os pode ser consultada no site: http://
eletroeletrônicos. Atua como equipamentos serão encaminhados à www.fastshop.com.br/loja/rede-lojas.

14 potência
Holofote Spotlight Spotlight
Ações e novidades dos players do setor. Activities and news from main sector Actividades y noticias de los
players. principales actores del sector.

Posse na Certificação
Abinee comemorada
Em cerimônia realizada no Especialista em soluções à prova de explosão, a Project-Explo
dia 27 de abril, as Diretorias recebeu a certificação ISO 9001. A empresa destaca que a conquista
Plenas e os Conselhos Fiscais da foi bastante comemorada por toda a equipe e também irá favorecer
Abinee e Sinaees-SP, eleitas nos diretamente os clientes. “Com a certificação ISO 9001, teremos condições
dias 30 e 31 de março, tomaram de melhorar ainda mais nossos mecanismos e processos voltados ao
posse para o mandato relativo aprimoramento da qualidade na prestação de serviços. Temos como
ao quadriênio 2015-2018. objetivo atender cada vez melhor nossos clientes. Isto é e sempre será a
As diretorias das duas entidades nossa principal preocupação, uma vez que são eles que contribuem para a
são encabeçadas por Irineu Project-Explo ser o que somos hoje: a maior e melhor empresa do meio EX
Govêa, executivo do Grupo que oferece soluções a corporações que lidam com áreas sujeitas a riscos
Itautec, que passa a presidir os de explosão”, afirma Nelson López, presidente da Project-Explo.
Conselhos de Administração da Foto: Ricardo Brito/HMNews
Abinee e Sinaees-SP, recebendo
os cargos, respectivamente, de
Newton Duarte e Dorival Biasia.
Govêa diz que a
Eficiência total 
No dia 5 de maio, Itaipu Binacional comemorou 31 anos de
responsabilidade de assumir as operação estabelecendo uma nova marca: 100% de índice de
entidades é ainda maior diante eficiência, o melhor desempenho operacional de todos os tempos, superando
do quadro de desindustrialização até mesmo o ano de 2014, quando a produtividade foi de 99,3%.
pelo qual o País passa e da atual Outro marco importante ao longo desses anos é a produção acumulada
instabilidade econômica. “O histórica, um total de 2,25 bilhões de MWh. Dificilmente uma outra usina do
ajuste fiscal implantado pelo mundo conseguirá um dia superar essa geração.
governo, embora necessário, não Embora a produção anual tenha caído em 2014, em função da estiagem, quando
pode perder de vista o apoio à gerou 87,6 milhões de MWh, Itaipu tem tido um aproveitamento excepcional do
produção local, aumento das recurso hídrico para a geração de energia elétrica limpa e renovável.
exportações e a geração do “Permanecer com 100% de performance na gestão de vertimentos turbináveis
emprego”, enfatiza. evitados durante todo o ano não é fácil, pois são muitas variáveis a serem
Humberto Barbato, que atendidas e alinhadas”, diz o superintendente de Operação, Celso Torino. E
permanece ocupando o cargo completou: “Mas, se fecharmos 2015 com um número próximo ao recorde
de presidente-executivo da histórico de 99.3%, estabelecido em 2014, já será um excelente resultado. Esse é
Abinee e do Sinaees-SP, destaca um processo contínuo que tem sido construído com investimentos e o empenho
que o País passa por mais um de todas as equipes”. “Os 100% de índice de eficiência,
momento de instabilidade, aliados aos sucessivos recordes de produção, reafirmam uma
fenômeno com o qual afirmou vez mais o papel importante de Itaipu para a infraestrutura
ter convivido mais diretamente energética, para a integração e para o desenvolvimento do
à frente das entidades desde Brasil e Paraguai”, comenta o diretor técnico executivo, Airton
sua posse em 2007, e que Dipp. O diretor lembra que para Itaipu permanecer nesse
vem se repetindo ano após patamar “será preciso garantir a saúde dos equipamentos,
ano: “Os poucos momentos que operam ininterruptamente há 31 anos, com investimentos
de estabilidade, onde o País constantes na manutenção, e, onde isso for possível, também
parecia que tinha entrado num na atualização tecnológica”.
ciclo virtuoso de crescimento, Foto: Divulgação

logo foram apagados, pois


não aproveitamos momentos desenha para os próximos anos não tão castigada por equívocos da
mágicos de crescimento mundial é dos mais promissores. Os ajustes política econômica brasileira:
para implementar medidas que estão sendo implementados pelo “Quero reforçar o que eu disse
estruturais e de longo prazo com atual governo precisam preparar em 2007. Sem abrir mão da força
vistas ao desenvolvimento sólido o País para um próximo ciclo de de sua indústria, o Brasil tem que
e sustentado”. desenvolvimento, porém, sem eliminar os já conhecidos gargalos
Segundo Barbato, o cenário que se prejuízos para a atividade produtiva, do crescimento”.

potência 15
holofote

Encontro de Operação e manutenção


Campeões A AES Tietê, braço de geração do Grupo AES Brasil, é a
primeira empresa da América Latina a conquistar certificação da norma
O Grupo Foxlux realizou de ABNT NBR ISO 55001, no escopo Operação e manutenção de usinas
7 a 9 de abril uma convenção
hidrelétricas e pequenas centrais hidrelétricas. Concedida pelo ABS-QE, a
de vendas para oferecer
nomeação resulta da auditoria nos processos da empresa, que consistiu na
treinamentos, workshops
verificação da aderência na documentação e práticas da companhia aos
e informações estratégicas
requisitos da norma.
relevantes para a atuação de
“Estamos muito orgulhosos com essa importante conquista, que nos faz mais
seus representantes comerciais. O
uma vez pioneiros. Preparada para os desafios presentes e futuros, a AES Tietê
evento aconteceu no Hotel Mabu
possui agora um sistema de gestão de ativos físicos com gabarito para se
Convention Center, em Curitiba (PR).
tornar benchmark no setor”, relata Ítalo Freitas, vice-presidente de Operações
Para envolver mais os participantes,
da Geração da AES Brasil.
a convenção foi batizada de “EFC
A aplicação do sistema de gestão de ativos na AES Tietê necessitou de um
- Encontro Foxlux de Campeões”,
aculturamento de liderança e equipe operacional, com base em avaliações
numa alusão à categoria de lutas
UFC, que demanda muito preparo de desempenho dessas implementações e resultados, com objetivo de
e dedicação, assim como a área superar a operação em conformidade até atingir o engajamento em
de vendas. Com o objetivo de performance. Houve ainda otimização na operação e aumento na efetividade
preparar melhor os representantes de equipamentos, e toda e qualquer tomada de decisão é embasada em
para vendas, foram ministrados fatos e dados. A companhia ressalta que todas essas movimentações de
treinamentos e palestras sobre processos foram realizadas sempre com foco em segurança.
produtos e o atual mercado para “A base de controle de risco agora é outra. Antes, uma manutenção bem-
toda a equipe. sucedida era um conserto feito de forma rápida. Agora, isso mudou para uma
Os mais de 100 representantes cultura de evitar que essas falhas ocorram. Para isso, é importantíssimo conduzir
vindos de todos os cantos do país análises das causas para não facilitar recorrências, já que os coordenadores e
puderam conhecer de perto toda técnicos da AES Tietê trabalham com indicadores”, completa, Ítalo.
a linha de produtos das marcas O projeto de Gestão de Ativos da AES Tietê atrela melhoria na excelência
Foxlux e UD Mais, visitando a sede operacional com redução de despesas. A companhia reportou, em 2013, R$
e o show room do grupo, onde 225 milhões em custos de OPEX e, no ano passado, esse valor caiu para R$
puderam ver também a estrutura 203,9 milhões. Em 2015, o gasto operacional da geradora está previsto em
da empresa e todos os processos R$ 189,2 milhões. Desde 2009, as paradas forçadas das usinas hidrelétricas e
que envolvem as vendas. PCHs da AES Tietê caíram 78%.
Foto: Divulgação

Regulamentação do LED
O governo regulamentou o comércio de lâmpadas à comercialização, entre outras exigências desses
de LED no Brasil, publicando no dia 17 de março duas produtos. As lâmpadas LED obrigadas a ter certificação
portarias que passam a disciplinar a fabricação e importação são os modelos tubular, pera, dicróica, AR, PAR,
dos produtos com essa tecnologia. As duas portarias são refletora, globo, bolinha e cápsula.
regulamentadas pelo Inmetro, com data de 13/03/2015. “Isso significa que a partir de agora os fabricantes poderão
“A regulamentação do mercado brasileiro de LED era uma trazer ao Brasil somente lâmpadas de LED que estejam
antiga reivindicação das empresas tradicionais de iluminação, previamente certificadas e liberadas para importação,
pois o consumidor, sem conhecimento do assunto, estava à dentro das qualidades técnicas regulamentadas. É quase
mercê de produtos de baixa qualidade, sem especificações que um salvo-conduto para que o consumidor tenha LED de
técnicas e que não correspondiam às promessas estampadas qualidade e não compre gato por lebre”, destaca Grosso.
em seus rótulos, vendidos por comerciantes e lojistas No entanto, o governo estipulou prazos para que o
interessados apenas no lucro fácil e rápido”, explica Gilberto mercado se acerte, a começar pelos lojistas e distribuidores
Grosso, CEO da Avant e especialista em iluminação. que terão até 16 de março de 2017 para vender todo o seu
Uma das portarias, a 143, trata dos aspectos estoque de lâmpadas de LED não certificadas.
técnicos da qualidade das lâmpadas
de LED, indicadores para a certificação.
Já a Portaria 144 é a que envolve os
fabricantes, importadores e lojistas quanto

16 potência
Jogos Paralímpicos
A GE anunciou um novo acordo que a torna possível o trabalho que fazemos há anos para que a
patrocinadora oficial dos Jogos Paralímpicos edição brasileira dos Jogos seja uma das melhores da
Rio 2016 - competição que reunirá no País, de 7 a história”, vislumbra.
18 de setembro do ano que vem, os melhores atletas O novo acordo, cujos valores não foram divulgados,
paralímpicos em atividade. O contrato, assinado com o fortalece o compromisso da GE de apoiar o Rio 2016
Comitê Organizador Rio 2016 e válido até 31 de dezembro para o sucesso dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos,
do próximo ano, estende o apoio da companhia à edição intensificando o suporte para que o evento siga
brasileira do maior evento esportivo do planeta. Terceiro cumprindo a missão de promover a transformação da
evento esportivo de maior público no mundo, os Jogos cidade do Rio de Janeiro através do esporte. O patrocínio
Paralímpicos terão em 2016 a sua primeira edição realizada à competição paralímpica também conecta-se com
na América Latina. Sempre como apoiadora local, a GE os valores de crescimento – entre eles inclusividade –
também patrocinou as três edições anteriores da competição defendidos e praticados pelos funcionários da GE nos mais
– em Sochi 2014, Londres 2012 e Vancouver 2010. de 160 países em que a companhia atua.
“Para a GE, não há limites quando falamos em transformar “Receber o apoio da GE agrega a força e a experiência
as cidades-sede por meio da produção de um legado de uma companhia que apoia os Jogos Olímpicos já há
sustentável. Apoiar os Jogos Paralímpicos significa enaltecer uma década e nos ajuda a promover em âmbito mundial
a importância da competição para o alcance desse objetivo, valores fundamentais do movimento paralímpico,
que vai além da infraestrutura e estimula pessoas ao redor como superação, espírito de equipe, alta performance e
do planeta a superarem seus próprios limites”, afirma inovação”, afirma Andrew Parsons, presidente do Comitê
Reinaldo Garcia, presidente e CEO da GE para a América Paralímpico Brasileiro (CPB) e vice-presidente do Comitê
Latina. “A iniciativa complementa da melhor maneira Paralímpico Internacional (IPC).

Dez milhões de unidades


A Siemens completa 10 anos de fabricação de contatores da linha SIRIUS na unidade fabril de
Manaus (AM). No período, foram produzidos mais de 10 milhões de peças. Para a empresa, o fato comprova o
reconhecimento da marca Siemens e a qualidade da linha, que é sucesso no Brasil e nas Américas.
“A Siemens aposta no Brasil, pois acredita que os investimentos realizados no País e o desenvolvimento de soluções
tecnológicas para o mercado nacional reforçam o compromisso da companhia com a indústria local. Outro aspecto
de grande relevância para a Siemens é a influência positiva de nosso trabalho na vida dos brasileiros, pois nossas
atividades em Manaus geram 600 empregos diretos, além de proporcionar mais conforto e bem-estar para as famílias
que se utilizam de nossas soluções no dia-a-dia”, afirma Felipe Esteves, especialista de Contatores da Siemens Brasil.

lançamento
PROCAN

Totalmente em alumínio.
presente
no A tampa não solta.
Linha de acessórios para
2015 qualquer �po de instalação. Um produto Dutotec Industrial
+55.51.3470.6080 0800 7026828 www.dutotecx.com.br
matéria de capa Oportunidades na crise

Momento de
garimpar
É
inegável que a crise que atinge o Brasil vem atrapa- mercados inexplorados, o estabelecimento de novos canais
lhando o desempenho da economia nacional como um para escoamento da produção, o fechamento de parcerias es-
todo. Dependendo do segmento, o golpe foi recebido tratégicas e o investimento contínuo em qualidade. Em vez de
com maior ou menor intensidade. apenas vender produtos, houve quem passasse a oferecer tam-
Estratégico para o desenvolvimento tecnológico e econômi- bém serviços especializados relacionados à sua atividade-fim.
co do País, o setor eletroeletrônico já apresentava sinais claros Ir além do convencional tem sido outra regra básica na polí-
de perda de competitividade e desindustrialização quando foi tica das empresas modernas. Desta forma, o desenvolvimento de
sacudido pelo novo tsunami. A queda na produção e a redu- soluções inovadoras entrou definitivamente na lista de prioridades
ção do nível de emprego constituem hoje uma dura realidade. dessa indústria. “Acreditamos que assim conseguiremos enfrentar
Segundo os especialistas da área, nos próximos meses, mui- a concorrência internacional e o persistente processo de desindus-
tos empresários precisarão se ocupar mais com a solução de trialização que assombra nossas empresas”, comenta Barbato.
problemas do que com a realização de negócios. Em um ano Especialista no fornecimento de soluções para conexão elé-
difícil, como este, a previsão é apenas de crescimento modesto. trica e automação, a Wago é uma das empresas que tem se des-
Como alerta frequentemente a Abinee (Associação Brasi- tacado no cenário nacional. Com apenas dez anos de atividades
leira da Indústria Elétrica e Eletrônica), o País precisa fazer o no Brasil, a multinacional alemã triplicou seus negócios no País,
dever de casa para eliminar os gargalos que impedem a eco- entre 2009 e 2013, e pretende dobrar esse volume nos próximos
nomia de deslanchar. Entre as medidas cobradas pela entida- cinco anos. Em 2014, o crescimento chegou a expressivos 30%.
de estão o ajuste fiscal, a redução dos juros e a modernização No primeiro trimestre deste ano o desempenho da empresa foi
das leis trabalhistas. influenciado pelo cancelamento ou postergação de investimentos
Curiosamente, em meio a esse cenário de incertezas, exis- por parte do mercado, mas ainda assim foi possível buscar um
tem empresas que vêm conseguindo obter resultados altamen- posicionamento interessante. “Conseguimos crescer nossa venda
te positivos, com aumento de vendas e traçando perspectivas de produtos no atacado e varejo, tanto na indústria quanto no
otimistas para os próximos meses e anos. É o que registramos mercado de construção, por meio do aumento de market share,
nesta reportagem, não com o intuito de tentar tapar o sol com minimizando, assim, o impacto negativo da falta de projetos”,
a peneira, mas sim para mostrar que existem algumas saídas informa Marcos Salmi, diretor geral da Wago no Brasil.
disponíveis e que alguns já as encontraram. Entre as estratégias para continuar crescendo, a Wago apos-
De fato as coisas têm dado certo para alguns segmentos, ta na expansão dos negócios junto aos home centers. Para este
mas nada veio de graça. É preciso estar atento às necessidades ano, está previsto aumento de 50% nas vendas no varejo, da
do mercado e não desperdiçar as chances existentes, conforme linha de produtos voltados ao segmento predial. Essa expansão
destaca Humberto Barbato, presidente-executivo da Abinee: baseia-se no reforço das equipes de vendas e de promotores e na
“Neste cenário, e com o peso da mochila cada vez maior, caberá maior cobertura em regiões até então não atendidas. Além disso,
ao setor industrial driblar as adversidades, procurando réstias de a companhia informa estar “bastante empenhada” em atuar na
oportunidades e absorvendo o remédio amargo para, quem sabe, área de iluminação pública, um nicho que se mostra bastante
voltar a trilhar um caminho menos tortuoso nos próximos anos”. promissor para uso de conectores para manutenção.
Entre as estratégias adotadas pelas empresas que encon- A confiança para os próximos anos é tanta que a Wago
traram o caminho das pedras, destacam-se a penetração em confirma que está mantido o plano de construir sua sede pró-

18 potência
Em meio a uma forte crise econômica e de confiança no País,
setor eletroeletrônico abriga nichos que vêm conseguindo
apresentar bom desempenho. Oportunidades para fabricantes
e prestadores de serviços existem, mas é preciso se preparar e
estar atento para não perder o timing dos negócios.

POR PAULO MARTINS

Foto: DollarPhotoClub

Severely affected by the Brazilian economic crisis, the Duramente golpeada por la crisis económica que afecta al
Brazilian electric and electronic industry uses creativity to país, la industria eléctrica y electrónica brasileña utiliza la
react. Among the actions taken by the companies, special creatividad para reaccionar. Entre las acciones llevadas a
highlight to the investment in innovation and presence cabo por las empresas, las inversiones en innovación y la
in new markets. The important thing right now is to be participación en nuevos mercados son los más destacados.
aware of what are the urgent market needs and work to Lo importante ahora es tener la sensibilidad a lo que son las
satisfy them. necesidades urgentes del mercado y tratar de satisfacerlas.

potência 19
matéria de capa Oportunidades na crise

A boa fase da automação


O mercado de automação residencial e predial é uma das áreas que vêm
apresentando grande desenvolvimento no Brasil, nos últimos anos. As solu-
ções passaram a ser cada vez mais adotadas pelas construtoras, como um
diferencial nas obras que entregam, e também em segmentos que exigem
conforto, como a hotelaria. A tendência de queda
de preço das tecnologias beneficiou também o
usuário comum, que tem tido cada vez mais
acesso a esses produtos. O potencial de
crescimento do se-
tor abre perspecti-
Foto: Dolla

vas para atividades


como fabricação de
rPhotoClub
Foto: Ricardo Brito/HMNews

soluções, integração
de sistemas e insta-
lação, entre outras.

Neste cenário, e com o peso da


mochila cada vez maior, cabe nanceira enfrentada pelas distribuidoras fechada. Estamos constantemente em
ao setor industrial driblar as de energia do Brasil, exportar tornou-se busca de novas soluções para o con-
adversidades, procurando réstias
uma necessidade para a própria subsis- vencional, com ganhos de produtivi-
de oportunidades.
HUMBERTO BARBATO | ABINEE
tência da companhia. dade, economia, confiabilidade e du-
O balanço até o momento é positivo. rabilidade nos sistemas de conexões
“Nossa atuação no mercado internacio- elétricas para as redes de distribuição
pria no País. O terreno, de 16 mil metros nal iniciou-se no ano de 2005. Nesses
quadrados, fica em Jundiaí (SP). As obras anos, atingimos um valor acumulado de
devem começar em breve, e a inaugu- US$ 10 milhões em vendas, ou 15% do Construção da sede própria
assegura a capacidade de
ração está prevista para o primeiro se- nosso faturamento total. A meta é atin-
expansão da empresa, abrindo
mestre de 2016. girmos 30% do faturamento total em claras perspectivas para início de
De acordo com Salmi, a crescente exportações, nos próximos três anos”, produção local.
evolução nos últimos dez anos estimu- revela Karam. MARCOS SALMI | WAGO
lou a empresa a dar esse passo ousado, A participação em feiras no Brasil e
Foto: Ricardo Brito/HMNews

que a credencia a fazer no Brasil a fabri- no exterior é um dos recursos utilizados


cação dos itens que distribui: “Chega- pela KRJ para apresentar seus produtos
mos num ponto em que necessitamos aos compradores internacionais. Duran-
de mais espaço físico para continuar a te a última Fiee, realizada em março, em
crescer. Essa iniciativa assegura a ca- São Paulo, a companhia comemorou o
pacidade de expansão da Wago Brasil, estabelecimento de intenso relaciona-
abrindo claras perspectivas para início mento com empresas estrangeiras. Os
de produção local para atender a Amé- contatos geraram uma expectativa de
rica Latina”. negócios de US$ 1 milhão. A KRJ esteve
Fabricante de conectores elétricos, a em um evento similar em abril, nos Emi-
KRJ vem apostando fortemente no mer- rados Árabes, e ainda neste ano partici-
cado internacional, nos últimos anos. pará de feiras na Colômbia e no Chile.
Conforme conta o diretor Comercial Para se destacar, no competitivo
Roberto Karam Junior, inicialmente, a mercado internacional, a KRJ informa
empresa via a atuação no exterior como que busca oferecer soluções com dife-
uma forma de incrementar as vendas. rencial inovador aos clientes. “Não nos
Mas, a partir de 2013, com a crise fi- limitamos a ter uma linha de produtos

20 potência
matéria de capa Oportunidades na crise

Foto: Divulgação
A massificação
dos LEDs
A redução de preços e o avanço tecno-
lógico do LED faz com que esse seja um
dos mais promissores negócios do com-
plexo elétrico e eletrônico, no momento.
Fornecedores de lâmpadas e luminárias
e também o comércio estão aderindo em

Foto: DollarPhotoClub
massa à tecnologia, que, devido ao alto nível de eficiência
energética, tornou-se uma importante aliada do consumidor, em tempos
de crise no abastecimento de energia elétrica. A massificação dos LEDs
que está em andamento garante ótimas oportunidades de negócios e ser-
viços para empresas e especialistas em diversos campos da iluminação,
como projetos - novas instalações e retrofit -, comércio e fabricação de
soluções como luminárias.

Nossa meta, para os próximos cia e assertividade de nossa parte, uma especializado em engenharia e infraes-
três anos, é atingirmos 30% do vez que fatores como a falta de crédito, trutura para o setor de energia.
faturamento total por meio das inadimplência e outros componentes se A linha tem 3.287 km de extensão e
exportações. fazem presentes”, analisa Karam.   passará por 8 estados. A entrega da tec-
ROBERTO KARAM JR | KRJ
Diante da necessidade que o País nologia está prevista para o primeiro tri-
tem de investir para melhorar sua infra- mestre de 2016. Os equipamentos serão
de energia elétrica em qualquer mer- estrutura como um todo, mesmo com a utilizados para absorver energia reativa
cado, seja nacional ou internacional”, crise generalizada, existem importan- das linhas de transmissão, aumentando
garante Karam. tes projetos em andamento, em torno a eficiência do sistema.
A KRJ fechou o primeiro trimestre da modernização do setor elétrico. A A Siemens informa que além de con-
deste ano com vendas acumuladas em Siemens, por exemplo, comemora nes- tribuir para o projeto por meio do forne-
22% acima do projetado, e as perspec- te momento a conquista de um contra- cimento de tecnologia de ponta, também
tivas continuam favoráveis ao cumpri- to para fabricar e instalar 80 reatores irá atuar como assessora técnica e efetu-
mento do projetado para o ano. “Como Shunt 500 kV no projeto de linhas de ará os serviços de montagem, supervisão
prevíamos, este ano exige muita prudên- transmissão da Abengoa Brasil, grupo e transporte dos reatores até as obras.

Foto: DollarPhotoClub

22 potência
“Este é um importante contrato para Brasil, que comprova o potencial local Segundo Reinaldo Garcia, presidente
a companhia, pois mais uma vez conso- para negócios. A empresa praticamen- e CEO da GE para essa região, os planos
lida a participação da Siemens no setor te dobrou de tamanho no País, nos úl- da GE para o Brasil permanecem inaltera-
não somente como fornecedora, mas timos quatro anos. Em 2010, a compa- dos. “Mantivemos investimentos de lon-
também como consultora em outro gran- nhia registrou encomendas de US$ 2,3 go prazo mesmo em momentos de ins-
de projeto de transmissão de energia no bilhões. No ano passado, esse número tabilidade na economia mundial. Assim,
Brasil, proporcionando ganhos de eficiên- saltou para US$ 4,4 bilhões, feito bas- seguimos expandindo os negócios locais
cia e otimização de custo”, comenta Gui- tante comemorado. Hoje, o Brasil é o ter- para continuar a parceria histórica com o
lherme Mendonça, diretor da divisão de ceiro maior mercado mundial da GE. Em Brasil, provendo cada vez mais inovação
Energy Management da Siemens Brasil. 2014, foi inaugurado no Rio de Janeiro para os grandes desafios do País”, desta-
No começo de abril, chamou aten- o primeiro Centro de Pesquisas Global ca. Os investimentos da GE no Brasil entre
ção um balanço divulgado pela GE no da GE na América Latina. 2011 e 2020 chegam a US$ 1,5 bilhão.

Fabricantes de grupos geradores


comemoram ‘boom’ nos negócios
O medo de novos apagões fulminan- longo dos próximos anos, e reafirmam apenas a produção de grupos gerado-
tes e a possibilidade de racionamento seu compromisso com o Brasil. res, mas também de componentes como
sistemático de energia elétrica têm ala- De acordo com a Cummins Power motores, alternadores, chaves de trans-
vancado o mercado de grupos gerado- Generation, os frequentes problemas ferência, sistemas de paralelismo e con-
res no Brasil. Apesar do aumento signi- de disponibilidade de energia acarreta- troles inteligentes. “Consideramos que
ficativo das vendas neste momento, por ram aumento de consultas e vendas de isso é uma vantagem para nossos clien-
conta da crise energética, os fornecedo- geradores. Nos últimos meses, esse au- tes, pois nos permite oferecer uma solu-
res dessa solução aqui instalados acre- mento representou mais de 30% para
ditam em crescimento sustentável, ao atender projetos de usinas de geração
de energia e fornecimento de equipa- Aumentamos nossa capacidade
de produção e os distribuidores
mentos para o varejo. No ano passado,
aumentaram seus inventários para
Risco de apagão as vendas de grupos geradores a diesel
para o mercado doméstico cresceram
lidar com a demanda esperada.
KIP SCHWIMMER | CUMMINS POWER
e racionamento 20%, em relação a 2013. GENERATION
Foto: Divulgação

Kip Schwimmer, diretor geral da


de energia que Cummins Power Generation para a Amé-
rica do Sul disse que a empresa espera
ameaça diversas mais crescimento de vendas domésticas,
por conta do potencial de crise de gera-
regiões do Brasil ção de energia neste ano. “A desvalori-

provoca aumento
zação do real também deve nos ajudar
a manter os produtos competitivos, au-

na procura por mentando as exportações. Aumentamos


a nossa capacidade de produção da fá-

soluções de brica e nossos distribuidores, por sua


vez, seus inventários para lidar com a
energia como demanda esperada”, destaca.
Luis Afonso Pasquotto, presidente
os grupos da Cummins América do Sul e vice-pre-
sidente da Cummins Inc., observa que
geradores. o trabalho da companhia não envolve

potência 23
matéria de capa Oportunidades na crise

ção única. E nos permite também fazer mento de 2% a 4% nas vendas do grupo
um planejamento mais coordenado de como um todo. A companhia continua
ações de longo prazo. Não dependemos lançando produtos, inclusive nacionali-
de fornecedores para casar planos e di- zando linhas que até então eram feitas
recionamentos estratégicos que quere- em outras plantas. “Olhando para o fu-
mos ter”, compara. turo, a gente continua acreditando no
Pasquotto reconhece que 2015 será País. Não somos uma empresa para um
um ano difícil, mas projeta um cresci- ou dois anos no Brasil. Estamos aqui há
mais de 40 anos e olhamos o planeja-
mento com este espírito. Entendemos
Olhando para o futuro, a gente
que as empresas fortes sobrevivem e
continua acreditando no País.
As empresas fortes sobrevivem se preparam mais nesses períodos (de
e se preparam mais nos crise)”, comenta Pasquotto, observando
períodos de crise. que a Cummins pretende reforçar suas
LUIS AFONsO PASQUOTTO | parcerias para continuar crescendo na
CUMMINS POWER GENERATION
América do Sul e dar prosseguimento à
Foto: Divulgação

capacitação de sua rede, investindo no cado tem sido alavancado também pe-
pós-venda e em tecnologias para me- los médios e pequenos negócios, como
lhorar a eficiência dos produtos. comércio, hotéis e condomínios, que nor-
As incertezas do mercado de energia malmente não utilizavam geradores para
e as expectativas positivas de venda de garantir o fornecimento de energia. “Es-
grupos geradores no atual cenário leva- ses segmentos têm sido motivados a se
ram a SDMO-Maquigeral, empresa do preparar contra possíveis instabilidades
grupo americano Kohler, a antecipar a ou falta de capacidade do sistema para
inauguração de sua segunda fábrica no abastecimento de energia”, detecta.
Brasil. A abertura estava prevista para o No primeiro trimestre, a empresa
segundo semestre deste ano, mas acon- registrou um aumento superior a 60%
teceu em março. Com mais de 12 mil m² na quantidade de consultas por par-
de área produtiva, a unidade de Embu te dos clientes, na comparação com o
das Artes (SP) é três vezes maior que a mesmo período de 2014. “O acréscimo
de Curitiba (PR). no nível de procura pelo produto ainda
O local recebeu a linha de monta- não se refletiu totalmente nas vendas.
gem das Linhas J, S, e X, lançadas em Neste quesito, detectamos um aumento
2014. A sede possui também área de
Foto: Divulgação

na faixa de 15% em relação a 2014”,


testes, centro de inspeção, engenharia adianta Francisco.
e serviços e centro de logística. Na pri- As perspectivas para os próximos tri-
meira fase de expansão, mais de 80 téc- mestres são positivas. “Com relação à
nicos e montadores foram contratados SDMO-Maquigeral, o grupo Kohler tem
para a nova unidade. enviado mensagens claras de que seu
De acordo com o diretor de Marke- plano objetiva crescimentos em níveis
ting da SDMO-Maquigeral, Francisco Gil superiores aos indicadores do mercado.
Claudio Junior, a demanda provém de Os planos estabelecidos estão projeta-
grandes empreendimentos, mas o mer- dos para médio e longo prazo e somente
alguns pontos estão sendo antecipados
em função de situações pontuais do se-
Resultados positivos tor”, diz o diretor de Marketing.
conquistados no Brasil são um
Kai-Uwe Hirschfelder, diretor-geral
incentivo para continuarmos
crescendo e investindo em da SDMO-Maquigeral no País, aponta
nossas unidades. que o Brasil é o quinto mercado mais
CLAES BACKLUND | ATLAS COPCO importante para o grupo Kohler no mun-

24 potência
cado de grupos geradores”, adianta.
Em 2013 e novamente em 2014, Fabricantes de
o Brasil foi o quinto maior mercado do
mundo em receitas, para a Atlas Cop- geradores têm
co. Completando 60 anos de atuação
local, a multinacional de origem sueca
se preparado
mantém planos audaciosos e reafirma a
confiança no futuro do País. “Os resul-
para suprir a
tados são um incentivo para continuar-
mos crescendo e investindo em nossas
maior demanda
unidades aqui”, garante Claes Backlund, do mercado
vice-presidente da Atlas Copco no Brasil.
A companhia divulgou que adotou investindo no
Foto: DollarPhotoClub

aumento da
cinco tópicos que servirão de pilares para
o crescimento em 2015 - presença, inova-

do, e divulga os planos recentes da mul-


ção, serviços, excelência operacional e pes-
soas – e reafirmou seu compromisso com
produção local de
tinacional: “Os investimentos em 2015
não diminuirão. Muito pelo contrário, a
o País. “Durante todos esses 60 anos, nem
sempre a economia teve um bom desen-
equipamentos.
matriz comunicará ao mercado a che- volvimento, mas nós sempre ficamos aqui.
gada da sua linha de louças e metais e Trabalhamos juntos com nossos clientes e A Atlas Copco atua em quatro áre-
também investirá para conquistar uma nossos parceiros desenvolvendo a empre- as - Compressor Technique, Construc-
posição ainda mais competitiva no mer- sa”, orgulha-se Backlund. tion Technique, Industrial Technique e
matéria de capa Oportunidades na crise

Mining and Rock Excavation Technique


- e mantém no Brasil as atividades de
vendas, serviços, locação e manufatura.
Fernando Groba, gerente geral da
área de negócios Construction Techni-
que conta que a companhia vislumbra
várias oportunidades no Brasil, como a
ampliação da participação no mercado
de geradores através de soluções para
aplicações industriais e em data centers.
Dentre as novidades promovidas
pela empresa recentemente para con-
Precaução
quistar o mercado, destaque para os
Para garantir a
geradores portáteis QAS 360 E QAS disponibilidade de
550, que ocupam metade do espaço de energia elétrica,
transporte do que outros similares. Essa estabelecimentos como
inovação reduz os custos, já que torna hotéis, supermercados,
Foto: DollarPhotoClub

shoppings e hospitais
possível transportar dois compressores
estão recorrendo ao
no espaço até então ocupado por um. uso de geradores.
Os modelos também contam com chassi
100% vedado e certificado de que não
contaminam o solo. A solução foi desen- uma inovação não apenas no Brasil, mas área de geração de energia”, acredita.
volvida localmente, o que é motivo de também em nível mundial. Tudo foi to- Segundo Parizoto, os principais clien-
satisfação para a companhia. “Temos talmente desenvolvido no País, com base tes hoje são hospitais, prédios, empresas
orgulho deste projeto por representar em solicitações de nossos clientes”, co- de locação de equipamentos e pequenas
menta Fernando Groba. indústrias, entre outros estabelecimentos.
A FPT Industrial fornece motores
Empresa vislumbra várias
para os fabricantes de grupos geradores,
oportunidades no Brasil, Não temos dúvida de que
como o fornecimento de e naturalmente também vem apresen- 2015 será um ano excelente
geradores para aplicações tando resultados altamente positivos. para nós e para a área de
industriais e em data centers. No Brasil, a companhia fechou 2014 geração de energia.
FERNANDO GROBA | ATLAS COPCO com crescimento de 68%, na compara- AMAURI PARIZOTO | FPT INDUSTRIAL
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

ção com 2013. A previsão para 2015 é


crescer 25%. Até o momento, a expan-
são tem ultrapassado essa meta. “No
primeiro trimestre deste ano contabili-
zamos 37% de crescimento na compa-
ração com o mesmo período de 2014”,
comemora o diretor de Marketing Amau-
ri Parizoto.
O executivo relata que no final do ano
passado a empresa adotou a estratégia de
abastecer os estoques para dar conta dos
pedidos. “Nós colocamos 75 dias a mais
de inventário para suportar a alta da de-
manda, pois a gente já sabia que ela vi-
ria. Quando voltamos de férias, no início
do ano, a procura por produtos aumentou
em 40%. Não temos dúvida de que 2015
será um ano excelente para nós e para a

26 potência
A FPT fornece motores para outros seg- De acordo com Parizoto, o foco de
mentos, como veículos e máquinas diver- negócio hoje é incrementar as parcerias
sas. Em nível mundial, a área de geração que a empresa mantém. A FPT possui
de energia representa entre 4% e 5% dos centro de pesquisa e desenvolvimen-
negócios. No Brasil essa participação está to em Belo Horizonte e fábrica em Sete
entre 15% a 18% e tende a aumentar. Lagoas (MG).

Energia eólica
puxa o mercado de
renováveis no Brasil
Segundo a nova edição do Renewa- renováveis, condições de financiamentos
ble Energy Country Attractiveness Index, para empreendimentos e atratividade
ranking da empresa de consultoria Ernst dos projetos.
& Young (EY) que analisa o mercado Dessas fontes, a que vem apresen-
de fontes limpas em 40 países, o Brasil tando grandes saltos de crescimento é
abriga o cenário mais atrativo para in- a eólica, abrindo um grande campo de
vestimentos em energia renovável, na atuação para fabricantes não só de torres
América Latina. e aerogeradores, mas também de toda a
O País é o segundo colocado em gama de componentes elétricos que fa-
atratividade hidrelétrica, quarto em po- zem parte do sistema, como inversores,
tencial para biomassa, quinto para ener- baterias, controladores, fios e cabos, etc.
gia eólica em terra e nono para energia Especialista em tecnologias de ener-
solar. A metodologia adotada para cal- gia e automação, a ABB recebeu recen-
cular a pontuação considera o grau de temente um pedido de cerca de US$ 30
estabilidade macroeconômica, ambiente milhões da Casa dos Ventos, empresa
para negócios, priorização para as fontes de energias renováveis, para fornecer
subestações e a infraestrutura de ener-
Foto: Divulgação

gia relacionada. Os equipamentos pos-


sibilitarão a integração de energia de
dois novos complexos eólicos (compos-
tos por 13 parques eólicos) na rede de
transmissão do País.
A ABB será responsável pela entrega
de subestações com painéis isolados a gás
de 230 kV e 69 kV, incluindo subestações
compactas de 34,5 kV com transforma-
dores de distribuição, baías de conexão
e linhas de transmissão. “Esse pedido é

Em 2014, do total investido em


energias renováveis no Brasil,
79% foi em energia eólica,
cerca de US$ 6,2 bilhões.
ELBIA GANNOUM | ABEEÓLICA

potência 27
matéria de capa Oportunidades na crise

mais um exemplo da Estratégia Next Le-


vel da ABB e de nosso foco em expandir Construção de novos parques para
mercados em crescimento”, comentou
Claudio Facchin, responsável pela divisão produção de energia eólica, além dos
de Sistemas de Potência da companhia.
O crescimento da energia eólica mo-
trabalhos de manutenção dessas
tivou também a GE a promover novos
investimentos no Nordeste. A empresa
instalações, abrem boas perspectivas
anunciou a construção de dois centros
de serviços focados na operação e ma-
de negócios para esse setor.
nutenção de aerogeradores, com criação
de cerca de 100 novos postos de traba- modo contínuo e sustentado”, destaca trimestre, já foram instalados mais 160,2
lho. Os centros de apoio contarão com Jean-Claude Robert, gerente geral da MW. Além disso, no Leilão de Fontes Al-
técnicos e engenheiros da GE dentro de divisão de Energias Renováveis da GE ternativas ocorrido em 27 de abril, houve
complexos eólicos operados pela Casa para a América Latina. A companhia já a contratação de 90 MW.
dos Ventos e outros clientes na Chapada mantém centros de serviços próprios Segundo Elbia Gannoum, presiden-
do Araripe (PI e PE) e em Garanhuns (PE). em operação nos estados da Bahia e te-executiva da ABEEólica, as perspecti-
Para a GE, a abertura dos novos cen- Rio Grande do Norte. vas para os próximos trimestres podem
tros de apoio aumentará a agilidade e Os números disponibilizados pela ser consideradas positivas, pois há pre-
a flexibilidade do serviço prestado pela ABEEólica (Associação Brasileira de Ener- visão de instalação de mais 3 GW. As
companhia ao cliente. “A extensão do gia Eólica) comprovam a importância atu- atividades de operação e manutenção
nosso braço de serviços em colabora- al e o potencial de crescimento dessa fon- dos parques já instalados e a prepara-
ção com a Casa dos Ventos reforça a te. Somente no primeiro trimestre deste ção do setor para os próximos leilões
confiança de ambas as empresas na ano foram instaladas 17 novas usinas no que irão ocorrer ainda este ano, como
expansão da energia eólica no Brasil de País, totalizando 443,0 MW. No segundo o A-3 (24 de julho) e o 2º Leilão de
Energia de Reserva (13 de novembro),
Foto: DollarPhotoClub

contribuem para o quadro favorável do


setor. “O Brasil tem investido fortemen-
te em energia eólica. Em 2014, do total
investido em energias renováveis, 79%
foi em energia eólica, cerca de US$ 6,2
bilhões”, informa Elbia.
A executiva conta que a cadeia pro-
dutiva nacional encontra-se hoje em fase
madura de desenvolvimento e atrativida-
de de investimentos e que ainda existem
oportunidades de novos complexos fabris
no Brasil, principalmente devido ao Novo
Finame. “Existem equipamentos e com-
ponentes que podem ter produção nacio-
nal e, no entanto, não são encontrados
em larga escala”, observa.
Essa é também uma boa área para
quem está à procura de emprego, con-
forme revela Elbia: “O mercado de tra-
balho para quem deseja trabalhar neste
segmento encontra-se ainda aquecido,
visto que a perspectiva de crescimen-
to do setor é mantida para os próxi-
mos anos”.

28 potência
Evento Fiee 2015

Fon madores
d o
s
rt
s

e
o
u
r
t
s
u

o
de
l

o
o

d
r

r
s
nt

t
e
i
o

e
r
CCanaletas

Med
El
o
s s

t
ak

e
e
o e r
No-bquinas

t
r
R s e cabos
t

o
c t
o
r
s

P
e
f
é

n Má
o
s
l

C
n
o
e
Fio

Tra
ias os

s
p
c

e
r ri
s r
iná lét
ia o
m s e

d
i
r
u

o
L é

B s gera
Pain
at e
Gru po
r i s e se
C reaks Baterias
u ina
á q
M Rletrodutos
M
s
ição as

é
t
s
e
ed l
o
a
Can
e m
cab l
o rto

d res
s
e
s

e
Fios
to
e

n
u

e
E
r

m
s
s

ru
o
e

t
a

Ins
d

No-b
d
d
t

es
a
n

i
r

s
d
ak
m
o

e
e

r
s

No-bquinas
t
e
a

Tra rote
m

r
i

o
r

a


P
s
r
mi

n
Fer
Lu

30 potência
ls adores

ades
ores
tunid
r
Apesar das

o
dificuldades
por quais passa o País,
indústria eletroeletrônica aposta
na sua principal feira para alavancar
icos
lét
e es r novos negócios que poderão salvar o

é is
Pain olador
difícil ano que está previsto para o setor.

Contr inária
s
e

Lum
P
rincipal feira do setor eletroe- das para tentar salvar um ano que ainda
r

letrônico na América Latina, a promete bastante desafios.


a

FIEE não escapou totalmente Os 623 expositores presentes ocu-


ilesa da turbulência provocada param uma área de 40 mil metros qua-
w

pela crise econômica que atinge o Brasil. drados do Pavilhão de Exposições do


Apesar do momento delicado - evidencia- Anhembi (São Paulo-SP), mostrando pro-
t

do pela ausência de determinadas compa- dutos e soluções distribuídos por áreas


nhias -, a 28ª edição da Feira Internacional como equipamentos industriais, eletrô-
f

da Indústria Elétrica, Eletrônica, Energia e nica, automação e energia. Além disso,


So

Automação revelou também que existem temas mais abrangentes, como Logística
POR PAULO MARTINS muitas empresas conseguindo se destacar. Reversa e Cidades Inteligentes, tiveram
e ClariCe bombana Passada a correria do evento, o momento espaços dedicados na feira, a fim de di-
FOTOS: RICARDO BRITO é de dar andamento às negociações inicia- fundir o conceito junto ao público.

Despite the current economic crisis, the main Latin En un año de crisis, la principal feria de la industria
American electrical and electronic industry trade eléctrica y electrónica en América Latina, Fiee, que se
show, Fiee, held in São Paulo, has shown good results celebró en São Paulo, mostró buenos resultados a los
to exhibitors. The high qualification level of the expositores. El alto nivel de calificación del público
visitors allowed the companies to make new business permitió nuevos negocios para las empresas participantes
and important contacts that will generate future y contactos importantes que generarán futuras
partnerships. asociaciones.

potência 31
Evento Fiee 2015

Uma das grandes atrações relacio- empresa informa que recebeu quase 4
nadas à feira, o Fórum AbineeTEC reu- mil visitantes em seu estande, ou seja,
niu 800 participantes nas discussões so- uma média de 800 pessoas por dia. “A
bre assuntos como eficiência energética, feira é o ambiente ideal para promover
infraestrutura, Smart Grid e Internet das produtos e serviços. Trata-se de uma ex-
Coisas. As palestras tiveram outro espa- celente estratégia para impulsionar ven-
ço próprio, a Arena do Conhecimento, das, promover a marca, analisar a con-
onde aconteceram 30 apresentações. corrência, fidelizar e prospectar novos
Já a Rodada de Negócios Premium Club clientes e estreitar relacionamento com “Temos cinco grandes negócios de no-
Plus colocou expositores e compradores o público comprador altamente qualifi- vos clientes, de cifras milionárias, prati-
frente a frente. cado, no âmbito nacional e internacio- camente certos, e cerca de 200 contatos
Humberto Barbato, presidente da Abi- nal”, divulgou a companhia. com muitas chances de sucesso. Nossa
nee (Associação Brasileira da Indústria Conforme destaca a Abinee, a área participação seria apenas para divulgar a
Elétrica e Eletrônica), entende que alguns eletroeletrônica segue perdendo com- fusão da Maxtil com a DKC e dar visibili-
nomes deixaram de participar da Fiee des- petitividade no Brasil, o que aumenta o dade aos nossos produtos. No entanto, a
te ano devido à instabilidade do País, que risco de desindustrialização. Neste mo- Fiee superou nossas expectativas”, conta.
acaba limitando as ações dos empresá- mento, prossegue Humberto Barbato, é Roberto Karam, diretor Comercial da
rios. “Esta feira é um exemplo do quadro fundamental que o setor industrial consi- fabricante de conectores elétricos KRJ,
crítico por qual passa o setor produtivo. ga identificar as oportunidades existentes entende que houve expressiva redução
Nesta edição, muitas empresas deixaram no mercado. A estratégia adotada pelo de participantes e de visitantes na feira,
de estar presente em função das incerte- Grupo Fiolux Serwal consiste na amplia- mas aponta que o objetivo da empresa
zas econômicas que as levaram a reduzir ção dos investimentos na área de mar­ foi atingido, pois aconteceram muitos
seus investimentos”. Segundo a direção keting para aumentar a visibilidade das contatos com visitantes em potencial de
do evento, a média de público foi pro- marcas e manter o bom relacionamento diversos países. “Estes contatos geraram
porcional ao tamanho instalado da feira. com os clientes. Uma dessas ações foi a uma expectativa de negócios da ordem
Durante os dias 23 e 27 de março, 52 mil participação na Fiee, pela primeira vez, de US$ 1 milhão, já iniciados com a con-
visitantes prestigiaram a mostra. aliás. Na estreia, a companhia destacou cretização de negócios durante o evento
A exemplo dos anos anteriores, um o Auto Transformador Premium, produ- com clientes da Bolívia e do Chile”, re-
dos pontos altos da feira foi o bom nível zido em sua unidade de Campinas (SP). vela. Na Fiee a KRJ apresentou soluções
de qualificação do público, formado em Apesar dos percalços do momento, de conexão para redes de distribuição
sua maioria por engenheiros, técnicos, 80% dos expositores classificaram a Fiee de energia elétrica, com destaque para
tecnólogos, eletricistas e compradores deste ano como boa ou ótima, segundo os conectores KARP e KAT-N.
com formações diversas. A Transforma- pesquisa feita pela Abinee. Rômulo Alves, Confira nas próximas páginas algumas
dores União, de São Paulo (SP), aprovou do departamento de Marketing da Maxtil, das novidades apresentadas pelas empre-
sua participação nesta edição da Fiee. A ficou surpreso com o resultado da feira. sas do setor eletroeletrônico na Fiee 2015.

32 potência
Realize seu evento ou treinamento
com conforto e tecnologia

Aclimação
São Paulo (SP)
◗ Ambientes
automatizados
◗ Transmissão ao
vivo pela Internet
◗ Fácil acesso
Espaço

www.espacoettore.com.br
Evento Fiee 2015

➜➜Conex
A luminária hermética industrial LED, da linha CLB, substitui as luminárias herméticas para
lâmpadas fluorescentes, proporcionando economia de energia. A instalação é diretamen-
te sobreposta ao teto ou perfilado, adequada para uso em locais sujeitos a gases, poei-
ras, vapores e pós não inflamáveis, ou áreas que exigem limpeza contínua utilizando
água. Características técnicas: grau de proteção IP 66, prensa-cabo IP 68 em náilon,
conectores para ligação com segurança e sistema de fixação multifuncional. Consu-
mo: 22 W e fluxo luminoso de 1.850 e 3.350 lm.

➜➜CM Comandos ➜➜Baterias Moura


O novo UPS Inovation é oferecido ao merca- As baterias estacionárias ventiladas Moura
do com potências de 10 a 30 kVA e tensões Clean Max foram desenvolvidas para atender
de 220 ou 380 Vac (standard). Possui bypass uma gama de aplicações onde são exigidos
de manutenção, tecnologia tranformerless, elevados níveis de confiabilidade e segurança,
dimensões e peso reduzidos; paralelo redun- entre elas: telecomunicações, energias alter-
dante sem limite de unidades paralelas; cor- nativas, subestações, vigilância eletrônica, ilu-
reção de tensão de saída individual por fase minação de emergência e UPS. São comercia-
(singelo ou paralelo); permite trabalhar com lizadas quatro famílias de placas: 50, 70, 100
carga desbalanceada; variação de tensão de e 125 Ah, com capacidade de 100 a 3.000 A,
saída +/-1%; todos os circuitos com PFC de numa profundidade de descarga de 10 horas.
entrada; retificador com acionamento por Disposição modular, temperatura de opera-
IGBT; fator de potência de entrada 1 (0,99). ção entre 10°C e 45°C (recomendado 25°C) ➜➜Fuji
Quantidade e capacidade de baterias de- e vida útil projetada quando o acumulador Um dos lançamentos da empresa na feira
finidas conforme tensão de trabalho, fácil chega a 80% de sua capacidade nominal. foi a máquina de inserção de componentes
manutenção e painel LCD. eletrônicos SMT, modelo NXT III (Fuji Sca-
lable Plataform), projetada para atender
diversos ambientes de produção. Possui
opções de cabeças intercambiáveis com
1, 2, 4, 8, 12 e 24 nozzles. A cabeça H24
tem velocidade de montagem de até 35 mil
componentes/hora por módulo. Também foi
mostrada a nova AIMEX II, com capacida-
de de até 180 feeders de 8 mm, podendo
operar com 2, 3 ou cabeças de montagem.

➜➜Eletropoll
Dentro de sua linha de bandejamentos, a Eletropoll
destacou a junção para eletrocalhas (junção em curva
e derivação), fabricada em aço pré-zincado ou galva-
nizado a fogo. As peças podem ser empregadas na
substituição de conexões e emendas de eletrocalhas.
O produto é fornecido planificado e o cliente dobrará
o material sozinho na obra/instalação.

➜➜DMI
A empresa está trazendo ao Brasil o Presspaper PSP 3055 SL, produzido pela Krempel Group, da Ale-
manha. Fabricado em espessuras de 0,05 a 0,50 mm, é usado principalmente como isolante interno,
isolante de camadas e isolante de enrolamentos em transformadores de distribuição e capacitores.
A DMI Isolantes Elétricos também apresentou sua nova fábrica, a DMResin, voltada a resinas epó-
xi, fornecidas pela Dow Brasil. A oferta será composta por sistemas epóxi DMI de classes A, B, F e H
antichama e produtos da linha Toughness.

34 potência
➜➜ADS
A empresa lançou o disjuntor magnético
da linha DM, com classe de tensão de 15
a 36 kV, corrente nominal de 1.250 a 2.000
A e capacidade de interrupção de 31,5 kA.
A robustez do mecanismo permite eleva-
do número de manobras, que dispensa o
➜➜Incesa
➜➜TAF uso de bobinas de abertura, fechamento
Entre os lançamentos estão o espaçador
A empresa apresentou o sistema de medi- e motor. Entre os benefícios estão maior
losangular com travas (foto) e o conector
ção (individual e agrupada), desenvolvido velocidade de operação, menores custos e
perfurante com quatro derivações. O primei-
para o Grupo Energisa, composto por 13 durabilidade maior do conjunto, pois não
ro possui apenas um ponto de travamento,
concessionárias de distribuição. Para me- há materiais que fadigam ou desgastam
com conexão em condutores de 35 a 300
dição individual em BT, são disponíveis com o tempo. Acessório: relé antipumping.
mm². Produzido em polietileno de alta densi-
caixas monofásicas (328x282x265 mm) dade, resistente ao intemperismo e ao trilha-
ou polifásicas (488x385x216 mm). Para mento elétrico. Já o conector é indicado para
medição coletiva em BT, conjunto para 7, conexões em redes isoladas, com sistema de
42 medidores polifásicos com disjuntor e aperto por mola através de um came me-
distribuição de até 250 A. Alguns dos aces- cânico, conexões em cobre estanhado para
sórios disponíveis: caixa para distribuição utilização bimetálica. Ligação na rede com
de ramais de serviço, caixa de passagem, cabo de 35 a 150 mm2 e ligação na deriva-
armação secundária, parafuso para arma- ção com cabo de 2,5 a 3,5 mm2.
ção, caixa de inspeção, caixa de ar condi-
cionado para disjuntor e tomada, centros
de distribuição, caixas de conexão.

➜➜Isolet
O novo transformador de potencial de média tensão (15 kV, 60
Hz), modelo BDE FT7, possui fusível incorporado e potência de
300 VA. Desenvolvido para atender aos requisitos de painéis
compactos baseados na norma DIN, possui terminal de neu-
tro aterrado diretamente à base e é fabricado em epóxi. O fusível
proporciona aumento das distâncias isoladas no interior do painel, auxiliando o isolamen-
to. Outros valores de tensão são possíveis sob consulta.

➜➜Megabras
O terrômetro digital de alta freqüência TM-­
25R foi desenvolvido para medição de resis-
tência de aterramento nas torres de trans-
missão de energia e malhas de subestações.
Principais atribuições: minimiza o efeito dos
para-raios e facilita a medição. Controlado
➜➜National Instruments por microprocessador, possui impressora in-
Um dos lançamentos da empresa foi o VirtualBench, um instrumento tudo-em-um, que corporada, bateria recarregável e interface
reúne osciloscópio de sinais mistos, gerador de funções, multímetro digital, fonte de ali- bluetooth para controle remoto através de
mentação CC programável e E/S digitais em um único dispositivo. Aplicativos instalados um tablet. Alcance: 0 - 300 ohms; fre­quência
em PCs ou iPads permitem que os usuários controlem e visualizem os resultados medidos de operação 25.000 Hz; corrente de medição
no VirtualBench. Principais benefícios: ocupação mínima do espaço no desktop ou banca- 20 mA regulada automaticamente; compen-
da; configuração do instrumento simplificada pelo uso de interfaces amigáveis; integração sação da componente indutiva; armazena-
com o software de projeto de sistemas LabView. mento até 2.000 medições.

potência 35
Evento Fiee 2015

➜➜Novemp
A linha MBC de barra colada é composta de barramentos com corrente nominal entre 800 e 4.100 A. O grau
de proteção normal é IP 54. Com a instalação de vedações especiais nos invólucros, podem ser fornecidos
com grau de proteção IP 55. As barras condutoras de alumínio são prensadas e isoladas entre si por filmes de
poliéster de alta resistência mecânica e alta capacidade dielétrica. O invólucro é composto por tampas de aço
e laterais de alumínio. A conjunção desses dois materiais garante a resistência aos esforços de curto-circuito
pelo aço e a dissipação térmica pelo alumínio. Atende aos requisitos da NBR 5410.

➜➜S&C
➜➜Gimi A chave de distribuição subterrânea Vista é in-
O painel Ultimate acrescenta à série de dicada para garantir a segurança de operação
painéis TTA uma versão premium, visto que em painéis de distribuição de média tensão
não utiliza solda em sua construção, e as (até 38 kV) com proteção de derivação até 900
chapas são pré-­zincadas e pintadas pelo A. Conta com chaves interruptoras de carga de
sistema de coil-coating. Concebido para 600 A e interruptores de falta resetáveis, todos
85 kA/480 V, com capacidade até 5.000 A, conectados em elbows e abrigados em tanque
IP-4X, forma construtiva 4B. Mais sofistica- com vedação hermética e isolamento SF6. Al-
da, a linha utiliza componentes Schneider gumas características: certificação de resistên-
Electric e é voltada ao mercado de distri- cia a arcos elétricos, conforme IEC 60298 para
buição de grande porte. correntes simétricas de até 12,5 kA durante 15
ciclos; até seis chaves e interruptores de falta
com disparo mono ou trifásico.

➜➜Bandeirantes
Especializada em produtos eletrometalúr-
gicos para redes estruturadas e condução
de cabeamento elétrico, a empresa fabri-
ca soluções como eletrocalhas aramadas e
canaletas de alumínio (rodapés) extruda-
do. As peças recebem pintura epóxi na cor
escolhida pelo cliente e destacam-se pela
estética e durabilidade. Também está dis- ➜➜Grupo Furlani
ponível uma ampla linha de acessórios, que Energia
inclui itens como curvas e caixas de passa- As Subestações Unitárias Compactas GFE
gem. As soluções destinam-se a aplicações (SUB) são produzidas até 36 kV e integram
tanto comerciais quanto industriais. equipamentos de transformação, controle e
manobra de energia, assim como dispositi-
➜➜Carbinox
vos de proteção e medição conforme a ne-
Os eletrodutos e conexões pré-zincados
cessidade do cliente. Esta solução pode ser
são produzidos para serem aplicados na
aplicada nos mais diversos tipos de ambien-
proteção de condutores elétricos (fios e
te onde o espaço livre é um fator limitante.
cabos) em áreas cobertas e protegidas
Podem ser fornecidas sobre uma plataforma
de umidade. Fabricados com chapa pré-
estacionária, móvel por arraste (tipo skid) ou
-zincada, são indicados para instalações
montada sobre reboque, tanto para instala-
prediais, comerciais e industriais. São for-
ção abrigada quanto ao tempo.
necidos nas bitolas de ½” a 4”, em barras
de 3 metros, com solda longitudinal (ERW)
metalizada, possuem roscas em ambas as
extremidades, com luva em uma e protetor
de plástico em outra. Seus acessórios são
as luvas roscadas e curvas nos ângulos de
45, 90, 135 e 180º.

36 potência
Evento Fiee 2015

➜➜Finder
Componentes
As novas fontes de alimentação da Série 78
(Tipos 78.1C e 78.1D) possuem dupla eta-
pa de conversão de potência e alta eficiên-
cia para aplicações elétricas e eletrônicas,
com tensão de saída ajustável e proteção
➜➜Coel térmica contra sobrecarga e curto-circuito.
Os controladores de temperatura e proces- Tensão de entrada 110...240 V AC/DC com
so da linha Kube destinam-se a aplicações proteção por fusível interno (substituível),
em câmaras de pintura, climáticas e incu- em conformidade com as normas EN-60950-
badoras e em fornos para cerâmica, tra-
➜➜Cummins Power
1 e EN-61204-3. Generation
tamento térmico, laboratório e dobra de
O portfólio de produtos da marca inclui
vidro, entre outros segmentos. Principais
grupos geradores de 12 até 3.250 kW,
características: 96 segmentos divididos
movidos a diesel e gás. Um dos destaques
em 8 programas para controle de tempe-
mostrados na Fiee deste ano foi o grupo
ratura e processo; memória de segmento +
gerador RS40, com potência de 40 kW (53
memória de tempo (resolução de 1 minu-
KVA). Especialmente desenvolvido para
to) para partida; capacidade de gerenciar
aplicações standby, o equipamento opera
sequências de até 4 programas com bases
com gás natural e gás propano. A solução
de tempo diferentes (h/min – min/s); até
pode ser aplicada tanto em residências
999 repetições; entrada universal (TC, mV,
quanto em instalações comerciais.
V, mA, Pt100-Pt1000); saída universal (relé,
tensão para SSR, linear mA/V, servomotor);
sequência de parâmetros personalizável;
chave de programação sequencial.

➜➜Fastweld
A empresa está distribuindo no Brasil os produtos da mar-
ca italiana Cembre e destacou na feira a linha de ferra-
mentas de compressão hidráulica sem fio, destinadas à
crimpagem e compressão de terminais. O equipamento é
dotado de sistema de controle da operação, o que permite
certificar a qualidade do serviço executado. Os dados de
utilização da ferramenta aparecem no display, e é possí-
vel conectar o aparelho ao computador para obtenção de
dados. A ferramenta destina-se a fabricantes de motores,
concessionárias de energia, instaladores, montadores de
painéis e fabricantes de equipamentos elétricos em geral.

➜➜FLIR Systems
Segundo a empresa, FLIR C2 é a primeira câmera térmica, portá-
til, de bolso e completa do mundo, projetada para especialistas ➜➜Dutoplast do Brasil
e prestadores de serviços do setor de construção. O aparelho O eletroduto Condulete, que estava disponí-
permite localizar padrões de calor ocultos que indicam desper- vel na versão linha pesada, contará também
dício de energia, defeitos estruturais, obstruções com a linha leve. Universal, a caixinha 4x2”
em tubulações e muito mais. Os recursos da câ- é a maior do mercado. Os tubos podem ser
mera C2 incluem o aprimoramento de imagens encontrados em três tamanhos: 1”, ¾” e
em tempo real do MSX®, um amplo campo de ½”, sendo que todos se aplicam à mesma
visão e imagens totalmente radiométricas para caixa. Fabricado em PVC, o produto é dispo-
mostrar claramente onde estão os problemas nibilizado nas cores creme, cinza e vermelha,
e confirmar a conclusão de reparos. destinando-se ao uso comercial e industrial.

38 potência
➜➜Fockink
O Quadro de Média Tensão Isolado a Ar AF-
SEC atua na distribuição secundária até 17,5
kV e destaca-se por características como:
indicador de tensão integrado; dispositivos
de intertravamento; janelas de inspeção;
condutos de escape de gases; isolamento a
ar em todas as partes ativas; interruptor de
manobra-seccionador em SF6; dimensões
compactas; design modular; facilidade de
instalação e extensão; custos de manuten-
➜➜Hager Eletromar ➜➜HDS Sistemas de
ção reduzidos e elevada resistência mecâni-
A empresa destacou uma nova linha de cai- Energia
ca. Resistente ao arco interno, o equipamen-
xas e quadros de distribuição. Monobloco, e Um dos destaques da nova linha de UPS
to possui todos os ensaios de certificação de
disponível para montagem nas versões de é o no-break HDS TTS. Algumas das princi-
acordo com norma IEC 62271-200.
embutir e sobrepor, o modelo Vega D possui pais características do equipamento: dupla
capacidade de duas a sete filas (48 a 168 conversão on-line de alta frequência; novo
módulos) e comporta componentes até 160 fator de potência de 0.8 ou 0.9 (sob enco-
A. Com classe de isolamento II, possui grau menda), 10 a 200 kVA; bypass eletrônico e
de proteção IP41. O produto está de acor- manual; transistor bipolar de porta isolada
do com as normas IEC NBR 60439/61439. (design do inversor por IGBT) e configura-
ção de fases (entrada) FFFN+T. O no-break
é compatível com todos os grupos de gera-
dores. Oito horas são suficientes para recar-
ga de até 90% da capacidade das baterias.

➜➜IMS Power Quality


Num momento em que as tarifas de eletri-
cidade estão sofrendo grandes reajustes no
➜➜Holec Indústrias
País, o principal atrativo da IMS na feira foi
Elétricas
o AGC360º, uma solução que promete de-
O Adaptador Plug-in para minidisjuntor
sonerar as empresas dos elevados custos
transforma este em um dispositivo extraí-
da energia elétrica. As soluções vão des-
vel, permitindo a remoção ou troca rápida.
de a análise do consumo e qualidade da
O sistema é compatível com qualquer marca
energia, passando pelo gerenciamento, até
de minidisjuntor. Disponível nas versões uni,
o controle da demanda e fator de potên-
bi e tripolar, com largura de 18 mm por polo
cia. Além de proporcionar maior controle
e máxima corrente de 63 A, acompanha co-
sobre a energia, o sistema pode ajudar a
nectores para os minidisjuntores. Comporta
evitar gastos desnecessários com multas.
cabos de até 35 mm² (rígidos) ou 25 mm²
(flexíveis). Garantindo grau de proteção
IP20, a solução evita toque nas conexões e ➜➜HellermannTyton
possibilita verificar a tensão com segurança. Pensando na necessidade constante de carregamento de celulares, notebooks, tablets e
outros dispositivos, a HellermannTyton lançou a Small Tower. Este produto é uma solução
prática, rápida e segura para carregar, de forma coletiva, qualquer dispositivo via tomada
padrão ou USB (5VCC-1A). Ideal para ser disponibilizado em locais de espera como sa-
las de recepção de empresas, consultórios, aeroportos, etc. A SmallTower possui proteção
contra curto-circuito, sobrecargas (disjuntor) e choques elétricos (IDR), além de cabo de
alimentação de 1,5 m + plugue 2P+T.

potência 39
Evento Fiee 2015

➜➜Intelli
A novidade da empresa na feira foram os condutores de alumínio. A linha ICAL-CAA/RA
(parte superior da imagem) é formada por cabos de alumínio nu reforçado por fio de aço
revestido de alumínio. Destinado à aplicação em linhas aéreas, o produto atende à norma
NBR 10841. É fabricado com fios de alumínio nu, liga 1350 têmpera H19, NBR 5118 e alma
de fio de aço revestido de alumínio NBR 15957. Já a linha ICAL-CA é formada por cabos de
alumínio nu para linhas aéreas, com classe de encordoamento 2 e atendimento à norma NBR
7271. O produto é fabricado com fios de alumínio nu, liga 1350 têmpera H19, NBR 5118.

➜➜Isoeletric
O destaque foi para as ferramentas de-
sencapadoras para profissionais da marca
italiana Intercable, que juntamente com a
Isoeletric faz parte do grupo Bonomi. A li-
nha inclui facas, tesouras e desencapadoras
para cabos; jogos de ferramentas desen-
capadoras; ferramentas desencapadoras
e chanfradoras para isolação primária e
ferramentas desencapadoras para isola-
➜➜Mega Bobinadeiras ção externa e para semicondutor. Segun-
A máquina LS1 MGB é indicada para em- do a Intercable, cada ferramenta hidráuli-
presas que necessitam produzir uma gran- ca produzida é submetida a uma série de
de variedade de bobinas com setup rápi- ensaios técnicos rigorosos. ➜➜Kitframe do Brasil
do e em volumes de produção pequenos SIELTT (Sistemas Elétricos Tipo Testados) é
ou médios. O sistema de operação lateral uma solução indicada para montadores/in-
deste modelo é uma alternativa produti- tegradores elétricos que queiram ter uma
va para bobinas onde a mão de obra en- solução própria tipo testada (TTA/PTTA)
volvida é grande. O equipamento executa em seu portfólio de produtos. Consiste em
bobinas de características extremas, com QGBT/CCM (Quadro Geral de Distribuição/
diâmetros de 0.2 até 180 mm e com fios Centro de Controle de Motores) com gaveta
de diâmetros de 0.05 a 2.5 mm, podendo extraível, totalmente testado de acordo com
ter como opcional suporte para rolo de fita a norma NBR IEC 60439-1, com grau de pro-
isolante. O comando é feito por CNC Mi- teção IP54. Algumas características: tensão
crocontrolado. Segundo a empresa, trata- nominal de operação (Ue) até 690 V; tensão
-se de um equipamento compacto e com nominal de isolamento (Ui) de 1.000 V; ca-
grande nível de tecnologia, o que resulta tegoria de sobretensão IV; correntes nomi-
em excelente custo-benefício. nais (ln) até 6.300 A (barramento principal),
de 600/1.000 A (barramento vertical CCM)
e até 2.500 A (barramento vertical QGBT).

➜➜Instrumenti
Os instrumentos digitais microprocessados surgem em complemento aos de tecnologia discreta. O modelo
DP 0301 é um equipamento que permite ao cliente fazer facilmente a parametrização, graças à presença
dos microprocessadores. Isto proporciona ganho em agilidade e evita que o usuário precise comprar vários
instrumentos. O aparelho acompanha manual e pode ser utilizado por montadores de painéis e integrado-
res de máquinas, entre outras aplicações.

➜➜JNG Materiais Elétricos


Desenvolvido para comandar altas potências de modo seguro e preciso, o contator de
potência modelo CJX2F1000 destaca-se pela durabilidade mecânica de 1 milhão de ope-
rações. O equipamento atende à norma IEC 60.947-4. Principais características: corrente
nominal de 1.000 A; tensão de trabalho de 1.000 Vca; corrente máxima em 440 V = 1.000
A e tensão da bobina de 110 Vca/220 Vca/380 Vca.

40 potência
➜➜Kron
Konect é um multimedidor de grandezas elétricas que atua na medição direta até 63 A ou
indireta com sinal de 5 A. Traz a tecnologia direcionada para integrar sinais de sistemas
de medição de grandezas físicas como água, gás, temperatura ou pulsos gerados por sen-
sores de processos. A integração a sistemas de automação pode ser realizada pelas portas
Ethernet e RS-485, conexão por Bluetooth ou comunicação via rádio (topologia Mesh).
➜➜KRJ Contém servidor web interno, que permite obter leitura de grandezas elétricas e configu-
O desenvolvimento do conector KARP rar os instrumentos via navegador de internet.
foi  realizado  através do Programa de
Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológi-
co do Setor de Energia Elétrica, regulado
➜➜Lacerda Sistemas
pela Agência Nacional de Energia Elétrica
de Energia
A Solução de Regulação de Tensão em Baixa Ten-
(Aneel), em parceria com a distribuidora
são é composta pelo regulador de tensão RTBT, pelo
de energia elétrica AES Eletropaulo e de-
soft­ware de análise técnica de reclamações de nível
mais parceiros, como a Unesp. O proje-
de tensão sinapRNT e pelo Sistema de Monitora-
to  teve como objetivo a criação de um
mento e Gestão de Reguladores (SMR). O regula-
produto inédito: um conector perfurante
dor RTBT é um equipamento portátil que permite a
que permite a conexão em linha viva e
imediata regularização do nível de tensão dos con-
sem a retirada de isolação de um condu-
sumidores afetados até que a obra corretiva seja re-
tor coberto, que deverá operar em Rede
alizada, eliminando as penalidades e aumentando a
de Distribuição Aérea Compacta nas ten-
satisfação do consumidor. O sistema SMR permite
sões de 15, 25 e 34,5 kV.
que a distribuidora visualize a localização dos equi-
pamentos instalados e monitore os níveis de tensão
e o estado de funcionamento dos reguladores em
tempo real. Já o software sinapRNT agiliza a busca
de soluções para os problemas de níveis de tensão.

➜➜Instrutherm
Destinado à medição de resistência e resistividade de terra, o termômetro digital portátil MRT-
1000 pode ser utilizado em instalações de telefonia celular, proteção contra raios em instala-
ções, torres de rádio microondas, subestações elétricas e instalações de comutação remota. O
equipamento é fabricado conforme a norma IEC 61010 (CAT-III 300V, CAT-IV 150V). Entre suas
características técnicas, destaque para: configuração de data e horário; escala de resistência de
0,05~209,9 KΩ, com resolução de (0,001Ω ~ 100) Ω; escala de resistividade de (0,3 ~ 1999) KΩm
com resolução de busca automática de (0,1 ~ 1) Ωm. Dispõe de memória interna para gravação
das medições; tem display de LCD com iluminação de fundo, vem com quatro cabos de teste com
comprimento de 10 m e quatro estacas com dimensões de 181x146x710 mm.

➜➜Lapp Group
Especialista global na fabricação de cabos de ligação e de controle, a Lapp Group
destacou os modelos da linha ÖLFLEX®: Classic 100 BLACK BR 0,6/1 kV (espe-
cialmente desenvolvido para o mercado brasileiro e resistente ao ozônio de acor-
do com a ABNT NBR 7289 e NBR7288); ÖLFLEX® CLASSIC 100 POWER BR 0,6/1
kV (HEPR); ÖLFLEX® CLASSIC 100 H POWER BR (livre de halogênios) e ÖLFLEX®
H SINGELO BR 450/750V (também livre de halogênio, para aplicação em quadros
de comando e construção civil). A empresa aproveitou a feira ainda para divulgar
sua nova fábrica, construída na cidade baiana de Camaçari.

potência 41
Evento Fiee 2015

➜➜Murr Elektronik
Emparro é uma fonte de alimentação chave-
ada monofásica de última geração. Compac-
to e disponível em sete modelos, o equipa-
➜➜Metaltex mento possui eficácia de até 95%, o que re-
A empresa apresentou novidades em suas duas divisões: Componentes e Automação. Um duz a perda de potência ao mínimo e diminui
dos destaques foi a linha de contatores CT, que possui desenho moderno e atende todos os o consumo de energia, gerando efeitos posi-
requisitos do mercado. Estão disponíveis modelos de 9, 12, 22, 32,40 e 50 A com bobinas tivos para o usuário. Outras características:
CA. Já os minicontatores CTM (foto) possuem modelos de 6, 9, 12 e 16 A, possibilitando power boost de 150% por até 4 segundos;
a montagem de painéis elétricos mais compactos, além de bobinas CA ou CC. As outras carcaça de metal com características ideais
novidades foram a nova linha de interfaces homem-máquina IHM; os minidisjuntores das ao EMC; sem perdas de potência entre -25ºC
linhas N3 e N10 e os interruptores diferencias DR. até 60ºC; buffer interno; proteção integrada;
terminais borne mola; contato de alarme;
maior vida útil; faixa de tensão de entra-
➜➜Novus Produtos da de 85 até 265V AC (ou 90 até 250V DC).
Eletrônicos
A fim de atender segmentos como refrige-
ração, automação predial, mineração, in-
dústria alimentícia, entre outras, a Novus
lança um inversor de frequência de alto
desempenho. O Novus Drive se adapta fa-
cilmente às aplicações de torque constan-
te ou torque variável. O produto tem como
principais características a facilidade de
configuração e instalação, tempo reduzi-
do de instalação e colocação em marcha,
tamanho compacto e a possibilidade de
copiar parâmetros sem necessidade da
➜➜Minipa
alimentação principal. Ainda é possível
O Termovisor MTV-01 atua na faixa de medição de -20º~250ºC. Dotado de dis-
ter a conectividade Fieldbus e tecnologia
play LCD colorido de 2,8”, cinco paletas de cores e imagem térmica, é capaz de
de controle escalar ou vetorial sem sensor.
armazenar até 25 mil imagens. Possui alarme de máximo e mínimo, software
gratuito para análises e interface USB. É equivalente a 992 termômetros in-
fravermelho. Segundo a empresa, é de operação rápida, simples e eficiente e
possui o melhor preço do mercado.

➜➜Sassi
O grupo Sassi Medidores e Transformadores anunciou
que está atuando no mercado brasileiro em parceria com
a Chint Electric, maior fabricante de material elétrico da
China. Nesse novo modelo de negócio, a Sassi passou a
distribuir toda a linha de produtos Chint no Brasil. Con-
forme avalia a Sassi, a parceria permite agregar produtos
de qualidade e com preço acessível ao portfólio ofere-
cido aos clientes do grupo brasileiro.

➜➜OBO Bettermann
O prensa-cabos desmontável simplifica tanto a instalação quanto a troca desse tipo de com-
ponente. Fornecido em duas partes, ele pode ser montado rapidamente através de um simples
sistema de encaixe. Uma grande vantagem dessa tecnologia é que em caso dano no prensa-­
cabos, não é preciso desligar o circuito nem desinstalar o cabo. Fabricado em PVC na cor cinza,
possui rosca na dimensão de M25x1,5 mm. Com vedação para um ou múltiplos cabos, possui
grau de proteção IP67.

42 potência
➜➜Tramontina Eletrik
As luminárias para ambientes onde existem
atmosferas explosivas foram os destaques
da divisão ‘Ex’ da Tramontina Eletrik. Uma
das novidades é a Luminária LED à prova
➜➜PanElectric
de explosão LUEx. Em formato redondo e
Especialista na fabricação de cabos elétri-
com design moderno, compõe-se de cin-
cos especiais, a empresa anunciou novida- ➜➜Steck co conjuntos de LEDs alimentados inde-
des na linha de cabos navais. Os produtos Visando fortalecer seu portfólio de produ- pendentemente, com 130 W de potência
já se destacavam pela característica flame tos para instalações elétricas e dar conti- (aproximadamente 20.000 lúmens). Fabri-
retardant, ou seja, por atenderem todos os nuidade ao desenvolvimento de tecnolo- cada em liga de alumínio copper-free, tem
requisitos solicitados com total seguran- gias inovadoras, a empresa apresentou os acabamento em pintura eletrostática a pó
ça, quando submetidos aos ensaios, con- novos Blocos de Distribuição SBI. Destinada na cor cinza Munsell N6.5, com proteção à
forme normas IEC 60332-1 e IEC 60332- para a derivação dos circuitos de alimen- prova de explosão (Ex d) para zona 1, grupo
3-22 cat-A; por apresentarem baixíssima tação do quadro elétrico, em diferentes de gases IIC e classe de temperatura T6. A
emissão de fumaça não tóxica e não cor- seções de cabos, a solução está disponível luminária pode ser aplicada em refinarias,
rosiva (low smoke) e por serem aprova- na versão monopolar e permite aplicações plataformas de petróleo, silos e indústrias
dos e certificados (type approval). Agora nas instalações de 80, 125, 160, 250, 400 e alimentícia e farmacêutica, entre outras.
a linha foi incrementada com tecnologia 500 A. Além disso, o produto é compacto,
de resistência ao fogo (fire resistant). A ocupando pouco espaço. A instalação dos
empresa comemora também a obtenção Blocos SBI é fácil e rápida, pode ser feita
de sua segunda certificação e anunciou por encaixe em trilho DIN ou com parafusos
ainda a produção de cabos navais com na placa de montagem. A novidade conta
espessura reduzida. ainda com grau de proteção IP20 e está de
acordo com a norma IEC60947-7-1.

➜➜Transfer Sistemas
de Energia
Fabricante de painéis elétricos e no-breaks,
➜➜Sob Brasil a empresa destacou o Painel UniSec 15
A OKW apresentou a linha de gabinetes DATEC-COMPACT. A inovadora gama de caixas ou 24 kV. Trata-se de um cubículo metáli-
tem design robusto, com especial ênfase aos aspectos ergonômicos. Seja para ambientes co compacto com capacidade de corrente
fechados ou ao ar livre, as caixas oferecem fixação segura e são fáceis de operar, enqua- máxima de 630 A. O equipamento aten-
drando-se à classe de proteção IP 65. A solução possui materiais reforçados ASA + PC-FR, de à norma IEC 62271-200 e destina-se
resistentes aos raios UV, com ou sem acessórios para o compartimento da bateria para 1,5 V à aplicação em ambientes como edifícios,
AAA ou pilhas AA. A linha apresenta acessórios e área protegida para cartões SD ou conec- indústrias, supermercados e hospitais, en-
tores USB e opcionalmente com contatos para transmissão de dados e corrente de carga. tre outros tipos de consumidores.

➜➜Soprano
Uma das novidades da Divisão de Materiais Elé-
tricos da empresa foi o Disjuntor Aberto, que pos-
sui correntes nominais de 1.600, 2.000, 2.500,
3.200 e 4.000 A. Com design inovador, o novo
disjuntor aberto Soprano possui dimensões redu-
zidas, em relação aos concorrentes do mercado.
Os disjuntores são fornecidos com relé LSIG e 6
contatos auxiliares (NA+NF). É possível acoplar
os acessórios bobina de mínima, de disparo e de
fechamento, operador motorizado, bloqueio kirk
e inter-travamento mecânico.

potência 43
Evento Fiee 2015

➜➜Weidmann Tecnologia Elétrica


A empresa destacou a linha de monitores de gases para transforma-
dores InsuLogix®, modelos HM, Q e H. O monitor on-line de hidro-
gênio InsuLogix® H é bastante simples, porém, de alta tecnologia,
constituindo uma solução de baixo custo para detectar possíveis fa-
lhas e problemas em transformadores antes que eles causem danos
significativos ou reparos muito mais caros. Como opcional, está dispo-
nível também o sensor de umidade no óleo isolante. O equipamento
pode ser facilmente integrado ao sistema de gerenciamento do trans-
formador, sendo a instalação padrão feita em menos de uma hora.
➜➜Henkel
Loctite GC 10 é uma pasta de solda está-
vel à temperatura. O produto permanece ➜➜Strahl
estável em 26,5ºC por um ano e em tem- As Unidades de Distribuição Portáteis da Strahl re-
peraturas de até 40ºC por até um mês, o únem tomadas e dispositivos de proteção e foram
que oferece benefícios ao longo da cadeia desenvolvidas para utilização em locais temporá-
de logística e operações. Essa estabilida- rios, podendo ser armazenadas e reutilizadas por
de apresenta atributos excepcionais de inúmeras vezes. São recomendadas para canteiros
desempenho, tais como Abandon Time de de obras na construção civil, shows, eventos e para
24 horas, eficiência de transferência de quaisquer outras situações em que haja necessida-
impressão consistente e estabilizada, ex- de de mobilidade, segurança, versatilidade, rapidez
pansão da janela de processo de refusão, e economia na distribuição de energia. A solução
mais de 95% de utilização da pasta e re- está disponível em vários modelos e tamanhos, con-
duções consideráveis de defeitos relacio- forme a necessidade do cliente.
nados à soldagem.

➜➜WEG
O Nobreak Enterprise oferece máxima confiabilidade e
segurança para as mais críticas aplicações. Leve e com-
pacto, permite uma instalação rápida, além de facili-
tar os processos de manutenção. O modelo faz parte
da nova família de UPS trifásicos on-line e tem dupla
conversão, conforme NBR 15014. Pode ser aplicado em
centros médicos, redes de TI, servidores corporativos, ➜➜Zagonel
telecomunicações e processos industriais. Outras carac- Através da marca Z-Light, a empresa destacou os refle-
terísticas: tecnologia sem transformadores; retificador tores de LED da linha ZL-35. Disponíveis nas potências
trifásico com chaveamento em alta frequência por meio de 10 a 200 W, as soluções destinam-se à instalação
de semicondutores IGBT; alto fator de potência e baixa em pátios, estacionamentos, fachadas, monumentos,
distorção harmônica da corrente de entrada; inversor de túneis e quadras de esportes, entre outros ambientes.
alta eficiência, com baixa distorção da tensão de saída. Com design moderno e corpo fabricado em alumínio
injetado, as peças possuem grau de proteção IP65, vida
útil de 50 mil horas e garantia de 3 anos.

➜➜SEW-Eurodrive
O conversor descentralizado MOVIPRO® SDC/ADC para controle de motores enfoca
especificamente as aplicações de transportador e máquina nas indústrias automoti-
va, de logísticas de produção e intralogísticas. A solução combina funções específicas
em uma unidade simples e compacta: potências nominais de 2.2 até 15.0 kW; grau
de proteção IP54; carcaça de alumínio robusta; conectores para potência e sinais. O
equipamento dispensa o uso de painel para instalação. Áreas de aplicação: tesoura
de mesa elevatória; estações de elevação; carros transportadores; distribuidores ro-
tativos; mesas giratórias e garfos em sistemas de transelevadores.

44 potência
➜➜IST Sistemas
Destaque para as novidades das versões 2015 dos softwares Altium Designer, SOLIDWORKS
Electrical e o lançamento do PCBWorks. As versões oferecem novas ferramentas para oti-
mizar o trabalho dos projetistas, principalmente no quesito de integração entre as áreas de
engenharia mecânica, engenharia elétrica e designer eletrônico. A IST apresentou ainda o
caso de sucesso envolvendo a PST Eletronics. Através do software Altium Designer, a PST
conseguiu reduzir os erros de manufatura e as interferências entre as partes eletrônica e
mecânica em seus projetos.

➜➜TE Connectivity
Os terminais desconectáveis Loadbreak 200 ampéres foram
desenvolvidos para utilização em cabos de média tensão iso-
lados até 25 kV. São passíveis de submersão permanente ou
exposição a raios UV em ambiente externo e estão de acor-
do com a revisão mais recente da norma IEEE 386. Projetados
para utilização com vara de manobra, permitem operação com
equipamentos em carga. Possuem conector de compressão de
cobre estanhado e faixa de condução de 25 a 120 mm² para
condutores de alumínio ou cobre com diâmetro de isolamento
entre 16,2 e 33,1 mm.

➜➜Grupo Fiolux ➜➜ FPT Industrial


Serwal A FPT Industrial oferece uma gama comple-
Fabricado com matéria-prima de qualida- ta para geração de energia. Fazem parte do
de, o Auto Transformador Premium efetua portfólio os motores S8000 (foto), com
a troca de tensão de 127 para 220 V e de potência de 55 kVA (utilizados em fazen-
220 para 127 V, conforme a necessidade das, residências e comércio); a família
do usuário. Indicado para uso residencial, NEF, com potência de 75 a 250 kVA,
comercial e industrial, o equipamento ofe- nas versões 4 e 6 cilindros (que podem
rece garantia de dois anos. Disponível em ser usadas em indústrias e condomí-
14 versões com 11 potências diferentes, o nios residenciais); o Cursor 13, com
auto transformador apresenta design ino- potência que vai de 415 a 470 kVA,
vador, maior potência, é livre de chumbo, que é aplicado em hospitais, shoppings,
é mais leve e conta ainda com proteção indústrias e estádios de futebol; e o Cursor
contra o excesso de temperatura. 9, que oferece 320 kVA de potência e redu-
ção de até 4,5% no consumo de combustível em
relação ao antigo motor Cursor 8.

➜➜SDMO-Maquigeral
Especialista no segmento de grupos geradores, a empresa apresentou
lançamentos nacionais e internacionais. Uma das novidades foi a linha
S (foto), para aplicações até 700 KVA, desenvolvida em conjunto pelas
equipes de engenharia local e da França. O Brasil é o primeiro mercado
a receber os novos geradores. Destaque também para: linha J, principal
produto do grupo na Europa para a faixa de 40 a 260 KVA e que passou
por 8 meses de desenvolvimento para adaptação ao mercado nacional;
Série X de 1.000 KVA; K20, de 15 KVA, aplicável a pequenos comércios e
o gerador Kohler 20RESA, uma solução de energia residencial.

potência 45
Evento Fiee 2015

➜➜ClickSoftware Brasil
Especialista em soluções para gestão automatizada e otimização da força de tra-
balho e serviços em campo, a empresa destacou sua mais nova ferramenta de in-
teligência de negócios e análises. O inovador ClickDashboard permite aos usuários
acessarem informações de desempenho em campo em tempo real, proporcionando
maior visibilidade e controle das operações. As informações recebidas em tempo
real ao longo do dia, relacionadas à execução das ordens de serviço, possibilitam
aos gestores acompanharem e ajustarem as operações em campo na ocorrên-
cia de situações inesperadas, como atrasos, acidentes em rota ou tempestades.

➜➜Kanaflex
A empresa destacou sua linha completa de
soluções para infraestrutura de energia e
telecomunicações. É o caso das linhas Ka-
naLex, formada por dutos de seção circu-
lar para proteção de cabos subterrâne-
os, e Quadrilex, cuja inovação é a seção
quadrada dos dutos. Essa característica
garante maior área ocupacional para di-
mensionamento e acomodação dos cabos
e proporciona facilidade de alinhamento.
Outro destaque é a linha OptiLex de sub-
dutos para proteção de cabos ópticos e de
dutos para proteção de cabos subterrâneos
de energia e telecomunicações.
➜➜Mersen
➜➜Ridgid Com o advento da iluminação pública à
Ferramentas e LED faz se necessária a proteção adequa-
Máquinas da dessas luminárias. Com base nisso, a
A Crimpadora Elétrica RE-6 reúne em uma Mersen está lançando um produto inova-
única ferramenta três aplicações disponí- dor e único no Brasil, segundo a empresa.
veis com cabeçotes intercambiáveis: ca- Trata-se do protetor de surto para ilumina-
beçote-crimpador, cabeçote-corta-cabo e ção pública à LED (foto), que oferece uma
cabeçote-vazador. Principais característi- tensão de descarga combinada de 10 kV,
cas: cabeçote de compressão com sistema com corrente de descarga de 20 KA e com
de 4 pinos (sem necessidade de matrizes); nível de proteção da tensão < 1,5 kV. Outra
cabeçote-corta-cabo para cabos de cobre novidade apresentada foi o PV String Mo-
(até 750 MCM), cabos de alumínio (até nitoring System (Green String), um sistema
500 MCM) e cabos de alumínio com alma de monitoramento de geração de energia
de aço (até 477 MCM) e cabeçote-vazador solar no nível da string, montado em String
para perfuração de chapa até 3.5”, matri- Boxes personalizadas para a necessidade
zes Intercambiáveis. Segundo a empresa, a de cada cliente.
ferramenta possui 20% mais de autonomia
de bateria em relação à média do mercado.

➜➜Terex Latin America


As Coberturas Protetoras Terex para linha viva são fabricadas conforme norma
ASTM-F 968 e ensaiadas conforme norma ASTM-F 712. Constituem um dos princi-
pais equipamentos de proteção utilizados nas intervenções em instalações energi-
zadas de baixa e média tensão, protegendo eletricamente toda a área de trabalho
e impedindo possíveis contatos acidentais de fase-fase ou fase-terra durante a exe-
cução dos serviços. O produto atende à NR10.

46 potência
➜➜Tasco
Agora a linha de conjuntos de ventilação
BR-CVT é fabricada no Brasil. Os produtos
contam com vedação em PU injetado dire-
tamente na peça, sem emendas, o que con-
fere elevado grau de proteção. A solução
está disponível em três opções de cores:
➜➜Panasonic RAL7032, RAL 7035 e Munsell N6,5. Se-
Destaque para os equipamentos para produ- gundo a empresa, a montagem é simples
ção e montagem de placas eletrônicas (SMT-­ e ágil, sem o uso de porcas e parafusos,
Tecnologia de Montagem em Superfície e através do exclusivo sistema de encaixe ➜➜Transformadores
PTH-Pin Through Hole ou inserção através rápido, conferindo eficiência na operação, União
de furos das placas de circuito impresso). A bem como na manutenção do fluxo de ar. Detentora de um completo portfólio de pro-
tecnologia APC-Advanced Process Control Preparado para tensão nominal de 110, dutos, a empresa fabrica transformadores
garante precisão da montagem e qualidade 220V, bivolt ou 24VCC, com o conjunto dos tipos: seco encapsulado em resina epó-
final do produto. O software do Sistema de montado para ventilação ou exaustão di- xi, nas potências até 10 MVA nas classes
Execução da Produção (PanaCIM) gerencia retamente de fábrica. de tensão até 36.2 kV; baixa tensão isola-
o processo produtivo das máquinas, maxi- dores e autotransformadores; imersos em
mizando a produtividade e reduzindo custos líquido isolante, entre 500 e 5.000 kVA, até
operacionais. Também compõem a solução 36.2 kV. Na foto, o modelo DRY UTILITIES
a nova impressora de pasta de solda SPG (IP 21), que são transformadores secos es-
de alta velocidade, qualidade e estabilida- pecialmente desenvolvidos para atender as
de, e a máquina modular NPM-W2 (foto), especificações das concessionárias de ener-
flexível e compacta e de alta velocidade e gia, com alta eficiência energética e perdas
produtividade. reduzidas para capitalização.

➜➜Sotreq
As atrações da empresa foram os grupos geradores GEP 100 (100 kVA) silencia-
do e C27 (1.000 kVA-foto), recomendados para as mais variadas aplicações. Re-
vendedor exclusivo de máquinas, equipamentos da Caterpillar, a Sotreq oferece
serviços como gestão completa de manutenção preventiva, preditiva e corretiva;
plantão 24 horas; contratos personalizados para atender as necessidades especí-
ficas de cada cliente; e análise SOS (Schedule Oil Sampling; Retirada Programada
de Amostras de Óleo) de óleos e fluidos lubrificantes, para garantir a produtivi-
dade e a maior disponibilidade dos equipamentos.
espaço abreme Editorial Associação Brasileira dos Revendedores
e Distribuidores de Materiais Elétricos

O futuro da economia
brasileira e como
sobreviver em
Reinaldo Gavioli
Diretor Colegiado Abreme - abreme@abreme.com.br tempos de crise
P
rezado leitor, começamos o ano de ta “reconheceu que o Brasil precisa de mais ses vimos oscilar em uma alta de quase 50%.
2015 com notícias não muito boas políticas pró-negócios se quiser reter o grau Além de todo esse aumento de preços
para a nossa economia. Nesse novo de investimento e retomar o crescimento”. temos que contar com a projeção econômi-
cenário da economia estamos vendo Porém, vimos recentemente a agência ca que diz que será um ano de “vacas ma-
a dívida bruta estatal chegar a 65,5% do PIB de risco Standard & Poor’s rebaixar a nota gras”, pois muitas das empresas que geram
brasileiro, marcando um novo recorde. de crédito soberano do Brasil BBB para BBB, a economia no Brasil anunciaram redução
Várias instituições financeiras, tanto do deixando o País no último degrau das na- em parte de seus investimentos e as demais
Brasil quanto de outros países, e jornais e ções com grau de investimento. estão tentando se ajustar à atual economia
revistas do mundo todo estão de olho no Com todo esse “pessimismo” externo, de alguma forma.
que está acontecendo com o nosso País (e os investimentos acabam sumindo do Brasil. É certo afirmar também que o governo
não é de hoje!). Estamos vivenciando uma época onde as está tentando fazer a sua parte. O ministro
Exemplos claros foram as capas da re- projeções de inflação não são as melhores, da fazenda Joaquim Levy se reuniu recente-
vista “The Economist”. Em 2009 a revista com índices que superam o teto da meta da mente com o FMI e com os países do BRIC;
trazia na capa o Cristo Redentor na forma inflação. Em março, o IPCA acumulado em 12 conversou com investidores em Nova York e
de um foguete, prestes a levantar voo, com meses atingiu o maior nível em 20 anos com com as agências de risco, além de conceder
o título “Brazil takes off” (Brasil decola, em o índice de 8,13% (o teto da meta da inflação entrevistas para a mídia. Após esses encon-
tradução livre) sinalizando um futuro bas- é de 6,5% e a meta da inflação é de 4,5%). tros, afirmou que o humor do mercado inter-
tante promissor ao registrar crescimento da De acordo com o boletim Focus do Banco nacional em relação ao Brasil melhorou. Res-
economia de 7,5%, sendo o melhor desem- Central (antes da publicação dessa matéria), ta-nos saber se realmente o pior já passou.
penho em um quarto de século. Para au- a previsão de inflação para o ano de 2015 é Gerenciar toda essa crise não é e nunca
mentar a “magia”, o Brasil ainda havia sido de 8,23%. Esse mesmo boletim informa que será uma tarefa fácil. Além disso, não está
“premiado” tanto com a Copa do Mundo haverá uma retração no PIB de 1,03%, sen- nem em suas ou em minhas mãos. Porém,
(2014), quanto com as Olimpíadas (2016). do que a produção industrial cairá 2,5%. Esse me parece correto afirmar que precisamos
Em 2013, já pessimista com os rumos boletim é divulgado semanalmente e retrata a buscar soluções que contemplam uma nova
da economia brasileira, a revista trouxe em visão de cerca de 100 instituições financeiras. atitude criando ofertas de alto valor agrega-
sua capa o mesmo foguete do Cristo Reden- Quem não percebeu os inúmeros aumen- do aos clientes, engajar toda a nossa equipe
tor em um looping desastroso caindo em di- tos de preços no primeiro trimestre de 2015? numa nova trajetória rumo ao desempenho
reção ao Corcovado, informando na matéria Empresas fornecedoras tradicionais de mate- superior, além de ter uma estratégia de mar­
que o crescimento passado não passou de riais elétricos que raramente aumentavam seus keting agressiva. Essas são premissas para
surto econômico de pouca duração. preços (na pior das hipóteses uma vez ao ano) o sucesso em um cenário de incertezas.
Em fevereiro de 2015, o Brasil foi alvo viram-se obrigadas a reajustá-los cerca de duas Espero, caro leitor, que transformemos um
mais uma vez da capa da revista indicando o a três vezes nesse período; muitos desses rea- ano de incertezas em um ano de vitórias e que
atual cenário de nossa economia, porém, a re- justes aconteceram devido à disparada do dólar possamos juntos, em breve, colher os frutos
vista faz uma ressalva onde diz que a presiden- comercial americano, que em cerca de seis me- do bom empreendedorismo. Até a próxima!

Espaço Abreme Espaço Abreme Espaço Abreme


Notícias e informações sobre os News and information on the Noticias e informaciones sobre los
distribuidores e revendedores de materiais distributors and retailers of electrical, distribuidores y comerciantes de productos
elétricos, de iluminação e automação. lighting and automation products. eléctricos, alumbrado y automatización.

48 potência
espaço abreme Opinião

Tributos e
responsabilidades
Foto: Divulgação

Malaquias Filho
Coordenador Tributário do escritório
Obrigações tributárias e suas implicações:
Cabanellos Schuh Advogados Associados
qual o melhor caminho para as empresas?

Q
uando se constitui um empre- nas formas da lei, instituir e cobrar tri- vista não referir-se à atividade-fim do
endimento, seja ele com ou butos, quer seja da esfera municipal, empreendimento.
sem fins lucrativos, inúmeras estadual, trabalhista, previdenciária ou Podemos afirmar que, certamen-
são as obrigações e as infor- federal, tem também autonomia para te, a viabilidade e continuidade de um
mações a serem prestadas aos entes dispor sobre as formas e prazos em que empreendimento ficam seriamente com-
governamentais, responsáveis diretos lhes devem ser prestadas informações prometidas, quando somente se toma
por tributar e monitorar a grandeza acerca dos tributos, cuja lei lhes atribuiu conhecimento das obrigações a que se
tributária criada, ou dispor sobre as competência para arrecadar. está sujeito, no momento em que se
hipóteses de sua dispensa. Assim, define-se como obrigação requisitam as certidões negativas de
As instituições então, a partir do mo- principal o tributo, que é uma parcela da tributos pela necessidade de captação
mento de sua existência, ou seja, desde riqueza criada pelo empreendimento, ou de recursos no mercado financeiro, ou
quando seus atos constitutivos são re- que passou a incidir simplesmente pe- no momento da realização de negócios
gistrados e arquivados, suas inscrições las operações ou existência do mesmo. importantes com grandes empresas ou
municipal, estadual, trabalhista, previ- Por outro lado, as informações presta- empresas públicas, ou ainda quando
denciária e federal obtidas, ainda que das aos responsáveis pela arrecadação se recebe a visita de um agente fiscal
antes do início do ciclo operacional de e administração do tributo são definidas de rendas que, parece sempre chegar
produção de riquezas e, ainda antes de como obrigação acessória. no momento mais inadequado, quase
definidas sua forma de atuação, tem De fato, não é tarefa fácil mapear sempre preciso no apontamento dos
obrigações a cumprir perante aqueles todas as obrigações principal e aces- supostos equívocos e inconsistências,
que lhes autorizaram o funcionamento. sórias a que o empreendimento está colocando-se como verdadeiro “adver-
De acordo com o Artigo 113 do Có- sujeito, em função da grande varieda- sário” do empreendedor.
digo Tributário Nacional, quanto aos de de tributos incidentes sobre suas Descompromissado com as possíveis
tributos, a obrigação do contribuinte é operações. De tal modo é a sua com- consequências para a continuidade ou
principal ou acessória. No entanto, se a plexidade, que boa parte dos gesto- não do empreendimento, lança mão de
obrigação acessória não for atendida no res e administradores sequer tem um seu arsenal de prerrogativas e disposi-
prazo e de forma correta, as penas de- plano para seu monitoramento, ou se- tivos de difícil interpretação legal, que
correntes de seu descumprimento conver- quer sabe o que se deve requerer de propiciam a aplicação de multas ‘eleva-
tem-se também em obrigação principal. seus colaboradores, delegando mui- díssimas’ e de caráter confiscatório, ca-
Cada ente tributante, que é aquele tas vezes o seu pleno cumprimento e pazes de reverter o resultado do exercí-
a quem foi concedida autonomia para, acompanhamento a terceiros, tendo em cio de positivo para negativo.

50 potência
Associação Brasileira dos Revendedores
e Distribuidores de Materiais Elétricos

Está claro que o gestor ou adminis- das obrigações principal e acessórias organização que busca atuar sem so-
trador focado na prospecção de novos a que o gestor ou administrador tem bressaltos, não valendo-se da máxima
negócios e mercados, fazendo-se pre- acesso, se dá através da regularidade “todo o mercado faz assim e assim tam-
sença obrigatória em vários eventos e das certidões negativas de tributos nos bém faremos”.
reuniões comerciais em busca de man- seus respectivos prazos de vencimento, Finalmente, aquela organização que
ter a competitividade da organização, bem como através da regularidade das está segura quanto às suas informações
dificilmente encontrará espaço em sua certidões das pessoas físicas dos admi- e procedimentos, de modo algum se fur-
concorrida agenda, para monitorar o nistradores e sócios. Assim, havendo tará a buscar os seus direitos, quer seja
cumprimento das obrigações principal quaisquer restrições, um alerta é levan- pela recuperação de créditos tributários,
e acessórias do empreendimento sob tado e o responsável direto por aquela importante instrumento de alavancagem
sua responsabilidade. Mesmo porque atribuição é imediatamente acionado. financeira neste período de elevadas ta-
as mesmas possuem particularidades Também é muito bem-vindo ao xas de juros, quer seja defendendo-se
de interpretação legal, que mesmo os gestor ou administrador um check-list legalmente da arbitrariedade infligida
consultores e tributaristas mais acos- confiável com todos os compromissos pelos entes tributantes.
tumados encontram dificuldades para, tributários principal e acessórios da or-
em muitos casos, compreender o que ganização. Desta forma, os responsáveis
pretendeu o ente de governo vinculado diretos internos ou externos, podem ser
àquela obrigação. cobrados pelo atendimento correto nos
Diante da ausência de unanimida- respectivos prazos, de todos os quesitos Associação Brasileira dos Revendedores
de na interpretação da legislação tribu- exigidos pelas legislações. e Distribuidores de Materiais Elétricos

tária, quer pelo viés jurídico, quer pelo Observando atentamente estes itens, FUNDADA EM 07/06/1988
viés gramatical, quer pela inabilidade na o gestor ou administrador perceberá tam- Rua Oscar Bressane, 283 - Jd. da Saúde
04151-040 - São Paulo - SP
elaboração das leis, sugerimos a forma- bém a importância de se implantar um Telefone: (11) 5077-4140
ção de comitês ou grupos de discussão sistema de gestão de tecnologia de in- Fax: (11) 5077-1817
e-mail: abreme@abreme.com.br
tributária dentro das organizações, dos formações coeso, totalmente integrado site: www.abreme.com.br
quais participem de forma equilibrada e e corretamente parametrizado. Não raro,
conforme os temas que lhes digam res- percebem que as mesmas munições for- Diretoria Colegiada
peito, as áreas financeira, comercial de necidas ao fisco são também poderosos Francisco Simon
Portal Comercial Elétrica Ltda.
vendas, comercial de compras, tecnolo- instrumentos internos para a tomada de José Luiz Pantaleo
gia da informação, tributária, jurídica, decisões, sendo ótima oportunidade para Everest Eletricidade Ltda.
pessoal, contabilidade, controladoria, rever conceitos e até provocar mudanças José Jorge Felismino Parente
Bertel Elétrica Comercial Ltda.
contabilidade de custos, enfim, toda a na cultura da organização.
Paulo Roberto de Campos
administração. São passos importantíssimos, dos Meta Materiais Elétricos Ltda.
Os temas julgados como imprescin- quais depende a organização para so- Marcos Augusto de Angelieri Sutiro
breviver em mercados de alta competiti- Comercial Elétrica PJ Ltda.
díveis à participação do gestor ou ad-
Nemias de Souza Nóia
ministrador, ou mesmo aqueles que de- vidade, porém, maior segurança quanto Elétrica Itaipu Ltda.
pendam de seu aval, dada a estrutura à minimização das perdas com autu- Carlos Soares Peixinho
hierárquica da organização, devem ser ações, ou mesmo o mapeamento dos Ladder Automação Industria Ltda.

oportunamente comunicados, de modo equívocos e acertos tributários, somente Conselho do Colegiado


que as ações se realizem de forma pla- se obtém através de pareceres confiáveis Daniel Tatini
Grupo Sonepar
nejada e antecipada, evitando-se des- emitidos por consultorias e auditorias Reinaldo Gavioli
gastes e punições pelo descumprimento internas ou externas, as quais exercem Maxel Materiais Elétricos Ltda.
ou mesmo pelo cumprimento incorreto papel importante na análise do correto Jean Jacques Gaudiot
Grupo Rexel
das obrigações principal e acessórias. cumprimento das obrigações principal
Uma forma ágil de monitoramento e acessórias, sendo premiada aquela Secretária Executiva
Nellifer Obradovic

potência 51
Mercado Fios e cabos elétricos

Segurança, eficiência e
bom desempenho

A
história recente do mercado celeração verificada na construção civil. De qualquer modo, este ainda é um
de fios e cabos elétricos não Com isso, boa parte dos fabricantes dos mais importantes segmentos da
difere muito do que temos encerrou o ano com baixos índices de área elétrica no Brasil. Estima-se que o
observado em outras áreas crescimento. Na média, em termos de mercado de produtos padronizados de
da economia. O ano de 2014 foi compli- volumes o setor teve desempenho seme- baixa tensão no País tenha se mantido
cado para as empresas do setor, com im- lhante ao de 2013. Mas registrou queda na faixa de 120.000 toneladas de cobre
pactos negativos nas vendas decorrentes de cerca de 3,5% no número de empre- contido em 2014.
da ‘paralisação’ dos negócios durante a gos, fruto da redução nas encomendas e Para 2015, o quadro tende a se
Copa do Mundo e do período conturbado de ações da indústria para tentar redu- manter. Como já era esperado pelos
durante as eleições. Sem contar a desa- zir os custos e melhorar a produtividade. empresários, o primeiro trimestre foi

52 potência
Mercado Market Mercado
Perfil de importantes setores do Profile of key market sectors, Perfil de los sectores clave del
mercado, baseado em entrevistas com based on interviews with mercado, basado en entrevistas con
executivos, profissionais e usuários. executives, professionals and users. ejecutivos, profesionales y usuarios.

Vantagens dos fios e cabos não halogenados


começam a ser percebidas por usuários e tecnologia
avança e conquista espaço no setor de condutores
elétricos de baixa tensão.

Reportagem: Marcos Orsolon

Club
llarPhoto
Foto: Do

The search for safety makes room for the growth of halogen La demanda de seguridad deja espacio para el avance de
free cables and the consumption profile of low voltage los cables no halogenados y perfil de consumo de cables
electrical cables begins to change. On the other hand, some eléctricos de baja tensión comienza a cambiar. Por otro lado,
companies are beginning to invest in green polyethylene algunas empresas están empezando a invertir en polietileno
from sugarcane, for cable insulation. verde de la caña de azúcar, para el aislamiento de los cables.

potência 53
Mercado Fios e cabos elétricos

bastante complicado para as empresas “Diante da desaceleração econômica vendas para mercados que assimilassem
do setor de fios e cabos. Por um lado, o enfrentada pelo País, o mercado não tem produtos mais elaborados e soluções
avanço do dólar afetou o preço de ma- apresentado os resultados esperados. sob medida, em contrapartida a produ-
térias-primas como cobre e alumínio, No entanto, temos potencial para cres- tos ‘comoditizados’ (cabos padroniza-
elevando os custos dos fabricantes ins- cer. Esperamos que as vendas em geral dos). Além disto, temos trabalhado na
talados no Brasil. Por outro, as medidas aumentem entre 5% e 10% em 2015, revisão de custos e processos internos,
anunciadas pelo Ministro Joaquim Levy mantendo a média verificada nos últimos visando maior competividade”, declara
para efetuar o ajuste fiscal nas contas anos. As condições gerais da economia Paulo Portes, CEO da companhia.
do governo tiveram impacto direto na não têm facilitado o cumprimento desta Humberto Duplat Paiva, diretor Co-
economia, praticamente paralisando o meta, mas nossos esforços estão voltados mercial e de Marketing da Prysmian,
País. Sem contar, é claro, o escândalo para atender o mercado da forma mais observa que parte do desaquecimento
de corrupção na Petrobras. eficiente, em todas as regiões do País”, da construção civil pode ser compensa-
Apesar desses entraves, a expecta- comenta Rodrigo Morelli, supervisor de do pelos investimentos em reforma e
tiva de alguns especialistas é que a si- Marketing da Sil. retrofit. “Não temos expectativas mui-
tuação melhore um pouco ao longo do Outra empresa que projeta desem- to positivas para o mercado de novas
ano, especialmente no segundo semes- penho de vendas positivo é a Wirex. “A construções. No entanto, quando você
tre. Com isso, as projeções indicam que previsão de crescimento para 2015 está adia o sonho de uma casa nova, você
o volume de negócios do setor como entre 10% e 15% sobre o volume rea- traz a necessidade e o desejo de melho-
um todo tende a ficar no mesmo pata- lizado em 2014. A Wirex passa por um rar sua casa atual. Por isso, entendemos
mar de 2014, embora algumas empre- momento muito importante. Há cerca de que quem menos vai sofrer e que pode
sas projetem avanço mais consistente três anos reestruturamos toda a empre- até ganhar um pouco, é o mercado de
nas vendas. sa, direcionando a produção e o time de retrofit e reforma”.

Mercado maduro, mas com


Foto: DollarPhotoClub

evolução tecnológica
Uma característica da área de con-
Foto: Divulgação

dutores elétricos padronizados para bai-


xa tensão é que, apesar de reunir uma
gama madura de soluções, ela não para
de evoluir. É fato que o setor está bem
resolvido na parte normativa e nas tec-
nologias de fabricação e desenvolvimen-
to de produtos. No entanto, a busca por
mais segurança e por soluções mais ami-
gáveis ao meio ambiente abre espaço
para o desenvolvimento e uso de con-
dutores com baixa emissão de fumaça
tóxica, que não propagam chamas e que
utilizam o chamado ‘plástico verde’ nas
camadas de isolação.

Esperamos que as vendas


em geral de fios e cabos
aumentem entre 5% e 10%
em 2015, mantendo a média
verificada nos últimos anos.
Rodrigo Morelli | Sil

54 potência
Mercado de cabos
padronizados de baixa
tensão está na faixa de
120 mil toneladas de
cobre contido.

Em linhas gerais, o mercado de con-


dutores elétricos de baixa tensão envol-
ve uma grande variedade de fios e cabos.
Entre eles, podemos destacar os fios e ca-
Desaquecimento
bos para 750 V; cabinhos flexíveis para Queda no
750 V; cabos livres de halogênio para 750 volume de
V; cabos com isolação em material termo- negócios
plástico para 1.000 V, os cabos com isola- no setor da
construção tem
ção em material termofixo para 1.000 V
prejudicado
e os cabos de controle, apenas para citar as vendas de
algumas soluções. condutores
elétricos.

potência 55
Mercado Fios e cabos elétricos

Os mercados consumidores são


igualmente variados, incluindo setores
como o de papel e celulose, minera-
ção, de óleo e gás, naval, infraestrutura,
construção civil, energia, automotivo e
eletroeletrônico.
“A principal linha de produtos ven-
dida neste setor são os cabos flexíveis
(a partir da classe 4 de encordoamen-
to). Há ainda a presença dos cabos não
halogenados, onde temos observado um
aumento de volume de vendas e acre-
ditamos que, em pouco tempo, serão
predominantes no mercado”, destaca
Foto: DollarPhotoClub

Paulo Alessandro Delgado, gerente de


Marketing da Cobrecom.
De fato, os cabos livres de halogê-
nios figuram entre as linhas de produ- Como explica Leonel Rodrigues, ge- “Sem dúvida, esta mudança acom-
tos que mais avançam nas instalações rente de Aplicação de Produto da Ne- panha a evolução das questões de se-
prediais. E, na opinião de muitos fabri- xans, os condutores não halogenados gurança e preocupações com o meio
cantes, essa linha representa uma das não possuem elementos como flúor, ambiente. Além disto, algumas situações
principais evoluções tecnológicas do se- cloro, bromo, iodo e astato. Por isso, em críticas, ou até mesmo trágicas (como a
tor nas últimas décadas. Especialmente situações de incêndio, eles não emitem da Boate Kiss) têm feito a população se
porque este tipo de produto eleva o nível gases tóxicos, o que evita queimaduras conscientizar a respeito da importân-
de segurança nas instalações no caso de nas vias respiratórias de pessoas, e li- cia do uso de materiais livres de halo-
incêndios – graças à sua composição. beram uma baixíssima quantidade de gênios, com baixa emissão de fumaça e
fumaça, o que aumenta o campo de vi- não propagantes de chamas”, destaca
são durante o incêndio, favorecendo o Paulo Portes, da Wirex.
Foto: Ricardo Brito/HMNews

resgate e o abandono do local. Paulo Alessandro Delgado, da Co-


Graças a estas características, estes brecom, confirma que o avanço das ven-
produtos são amplamente instalados das desse tipo de condutor é significati-
em locais de grande afluência de públi- vo. “Eles já representam cerca de 35%
co, como hospitais, teatros, aeroportos do volume de vendas neste setor. E, em
e hotéis. Aliás, a norma de instalação
exige a aplicação desse tipo de condu-
tor nesses locais.
A novidade, que tem movimentado o Especialistas
mercado, é que também tem aumentado
o número de usuários que começam a projetam que
usar os não halogenados em instalações
menores, inclusive residenciais. desempenho das
vendas durante
O aumento das vendas na família
de produtos verdes tem sido muito
o ano de 2015
maior que o da nossa linha geral
e acreditamos num crescimento
se manterá nos
anual médio nessa linha de mais de
10% nos próximos três anos. mesmos níveis
Humberto Duplat Paiva |
Prysmian do ano passado.
56 potência
termos tecnológicos, essa foi a principal ainda é mais significativa, seja pelo des-

Foto: Divulgação
evolução nos últimos anos em relação conhecimento de profissionais e consu-
aos condutores de baixa tensão”, res- midores em relação à tecnologia ou pela
salta Delgado, que afirma que o cabo questão de custo. No entanto, temos
não halogenado é uma evolução nos trabalhado muito para a melhor difusão
fios e cabos elétricos, pois proporciona dos benefícios desses cabos, e com bons
segurança ao ser humano e à natureza. resultados”, observa Volyk.
Nelson Volyk, gerente de Engenha- E ele completa: “São produtos que
ria de Produto da Sil, também identifi- unem melhor desempenho e maior se-
ca que, gradativamente, os cabos halo- gurança, principalmente em edificações
genados têm conquistado a confiança que recebem alto tráfego de pessoas, e
dos diferentes perfis de consumidores. que podem fazer toda a diferença em
“A venda de fios e cabos convencionais caso de incêndio”.

Sustentabilidade abre espaço


para os ‘cabos verdes’ Temos observado o aumento
Outra evolução relevante na parte utilizam um composto de biopolietileno do volume de vendas de cabos
tecnológica dos condutores elétricos são - plástico vegetal proveniente de cana não halogenados e acreditamos
que, em pouco tempo, eles serão
os chamados cabos verdes. Nesse caso, de açúcar - na camada de isolação.
predominantes no mercado.
além de não possuir em sua composição A novidade surgiu há cerca de três Paulo Alessandro Delgado
os elementos halogenados, os produtos anos através da Prysmian, com o lan- | Cobrecom
Mercado Fios e cabos elétricos

shoppings, data centers, estações de


metrô, hospitais, etc.
“A preocupação com sustentabilida-
de está no DNA da Prysmian. Com este
lançamento, aumentamos nossa gama
de produtos verdes. Inovamos ao apre-
sentar, há três anos, o primeiro cabo
Fot
o
ecológico do mundo (Afumex Green
:D
oll
arP
ho
toC
750 V). Agora, com a extensão da linha
lub
para o cabo classe de tensão 0,6/1 kV,
seguimos com nosso compromisso de
sempre oferecer ao mercado inovações
vimento do polietileno verde no
tecnológicas. O próximo passo é ampliar
Brasil”, comenta Humberto Duplat
o uso do polietileno verde para as famí-
çamento da linha Afumex Green 750 Paiva, diretor Comercial e de Marke-
lias de cabos de concessionárias para a
V. Na ocasião, a empresa divulgou essa ting da Prysmian.
distribuição de energia em redes aére-
família como o primeiro cabo ecológico O executivo explica que a compa-
as e subterrâneas”, comenta Paiva, re-
do mundo, sendo totalmente desenvol- nhia optou por lançar o Afumex Green
velando que a Prysmian investiu R$ 10
vido no Brasil, através de uma parceria 750 V porque trata-se da linha de cabos
milhões em pesquisa e desenvolvimen-
com a Braskem. que chega de forma mais abrangente no
to e em equipamentos produtivos para
“A família Green utiliza materiais mercado, na casa das pessoas. Quanto
lançar a nova linha.
de origem renovável. A isolação des- às propriedades, ele afirma que os cabos
O diretor da Prysmian comenta ain-
ses produtos usa como matéria-prima verdes apresentam todas as caracterís-
da que a empresa aposta nos conduto-
o polietileno verde, da cana de açúcar. ticas de qualidade e segurança exigidas
res verdes para incrementar seu fatura-
Para o seu desenvolvimento contamos por norma, para instalações locais com
mento. “Nos últimos três anos o nosso
com a parceria da Braskem, que é grande concentração de pessoas e am-
aumento de vendas nessa família de
quem nos fornece esta matéria-prima. bientes confinados. É antichamas, livre
produtos foi muito maior que o au-
Desde 2010 já foram investidos cer- de material halogenado, possui baixa
mento das vendas em nossa linha ge-
ca de US$ 300 milhões no desenvol- emissão de fumaça e gases tóxicos e é
resistente a temperaturas até 90º.
Foto: Divulgação

A boa aceitação do produto no


Os cabos não mercado levou a empresa a substituir
a linha antiga pela nova tecnologia. E,
halogenados já hoje, 100% dos cabos Afumex 750 V
comercializados adotam a tecnologia
representam do biopolietileno. O sucesso também

cerca de 35% fez com que a companhia planejasse


a aplicação dessa isolação em outras

das vendas do linhas de cabos. A primeira delas acaba


de ser lançada, com a apresentação do
setor e, ao que Afumex Green de 1 kV, indicado para
energizar máquinas, equipamentos e
tudo indica, iluminação em geral, em locais como

em breve essa
tecnologia Exigência normativa e busca

irá dominar o por segurança têm levado


consumidor a utilizar mais os
cabos não halogenados
mercado. Leonel Rodrigues | Nexans

58 potência
Foto: DollarPhotoClub

Consumo
ral. E apostamos que nos próximos três Obrigatoriedade
anos, quando o mercado promete não de uso em
locais com
ser nada empolgante, ocorra o mesmo.
grande
Quer dizer, se tudo der certo, a média afluência de
de crescimento nos próximos três anos público estimula
será de 2% a 2,5% segundo nosso pla- aplicação
nejamento. Mas para essa linha acre- dos não
halogenados.
ditamos que vamos crescer mais que
10% ao ano, pois o consumidor está
respondendo”.
Outra empresa que tem investido
no plástico verde é a Nexans, através
da linha Eco Afitox 450/750V, lançada
em maio de 2014, e que se destina aos
mercados da construção civil e industrial
em geral - principalmente em locais com
grande afluência de pessoas.
A direção da empresa não revela da-
dos, mas não descarta a possibilidade de
estender essa tecnologia a outras linhas
de produtos. Principalmente em função
da boa receptividade dos usuários, cada
vez mais antenados com a tendência
global de sustentabilidade ambiental.

potência 59
Mercado Fios e cabos elétricos

 Empresas investem em
cabos de controle
Um movimento interessante que condutores pretos numerados sequen-
tem ocorrido no setor de fios e cabos de cialmente. Em instalações com gran-
baixa tensão é o crescente número de de incidência de óleo, graxas, vapores
empresas que ampliam sua linha de so- químicos e outros agentes agressivos
luções, através do lançamento de cabos ao PVC ou HEPR, são utilizados cabos
de controle. Este tipo de cabo não chega em PUR. Cabos de controle podem ter
a ser novidade em termos tecnológicos, proteção mecânica ou elétrica por blin-
no entanto, abre boas oportunidades de dagem em fita de cobre, trança de co-
negócios aos fabricantes. bre ou fita de poliéster aluminizada”,
Em linhas gerais, os cabos de controle comenta Alexandre Freitas, da AF Da-
são indicados para instalações de equipa- talink, acrescentando que, hoje, apro-
mentos industriais, circuitos de comando, ximadamente 11% no volume de ven-
controle e sinalização em painéis, onde das da empresa decorre dos cabos de
sua formação multipolar permite melhor controle das linhas Controlflex e Con-
organização dos circuitos. Eles são usa- trolflex Extreme, que deverão atingir

Foto: DollarPhotoClub
dos na transmissão de sinais para o con- crescimento de 6% em 2015.
trole de sistemas e equipamentos, sobre- Como a aplicação dos cabos de
tudo em processos industriais. controle é bastante diversificada, há
Demanda
“Cada instalação tem sua particu- vários modelos disponíveis. “As prin- Grandes obras de infraestrutura,
laridade, sendo que os cabos de con- cipais variações estão relacionadas à como os aeroportos, demandam
trole mais comuns no mercado são os existência ou não de blindagens con- vários metros de cabos de controle.
com cobertura em PVC-ST1 ou HEPR, tra interferências eletromagnéticas.
Além disso, as construções podem ser
adaptadas de acordo com característi- flexíveis, isolação e cobertura em PVC e,
Foto: Ricardo Brito/HMNews

cas de instalação, sendo as principais opcionalmente, blindagens em fita de co-


variações relacionadas ao acréscimo de bre. Os cabos de controle com caracterís-
proteções mecânicas adicionais, dife- ticas de baixa toxicidade (isentos de ha-
rentes métodos de identificação (para logênios) vêm se popularizando no País
adequação a padrões preexistentes), e a Wirex conta com todos estes tipos
diferentes materiais de isolação (que de cabos em seu portfólio de produtos”.
afetam características de desempenho No que tange às vendas, os fabri-
elétrico) e cobertura (que afetam a re- cantes acreditam em bons resultados
sistência geral do cabo às agressões nessa linha de produtos. “A venda dos
externas diversas, como químicas, me- cabos de controle tende a aumentar
cânicas, resistência à chama, etc)”, co- nos próximos anos, já que esse é um
menta Paulo Portes, da Wirex. segmento em evolução. O produto, que
E ele completa: “As linhas mais co- é utilizado para comando e para a in-
muns atualmente empregam condutores terligação de equipamentos, é bastan-
te especificado em indústrias e também
em subestações, locais onde se requer
grande confiabilidade e segurança nas
Muitos profissionais
instalações”, comenta Flávio Cesário de
ainda optam pelos cabos
convencionais por não Abreu, gerente de Contas da Cobrecom.
conhecerem as vantagens dos Flávio Abreu cita que esta perspec-
materiais não halogenados. tiva de evolução levou a Cobrecom a
Nelson Volyk | Sil entrar nesse mercado no último ano. E

60 potência
Foto: Ricardo Brito/HMNews
Falta de certificação compulsória
a empresa realmente aposta em bons mas alerta que o bom desempenho de- permite que mercado seja
negócios na área. “Esse mercado é re- pende muito do comportamento e dos invadido por cabos de controle
que oferecem risco ao instalador e
almente importante para a Cobrecom investimentos da indústria. “Reconheci- aos equipamentos.
e o volume de vendas tem aumentado damente, esse é um produto com grande Alexandre Freitas | AF Datalink
consideravelmente nessa área. Temos potencial e atende a um segmento cha-
uma previsão bastante otimista para as ve para o País: o industrial. As vendas
vendas dos cabos de controle em 2015, vêm apresentando resultados positivos, Paulo Porto, da Wirex, chama a aten-
com crescimento de 10% a 15%”. mas com expectativas de crescimento ção também para o potencial de vendas
Rodrigo Morelli, da Sil, também atreladas ao desenvolvimento da área para o setor de energia. “Na atual situ-
acredita no aquecimento do mercado, industrial como um todo”, pondera. ação de mercado, com a escassez no

Cabos para:

Internet
Segurança

Telefonia rural

Estúdios de TV

Telecomunicações

Automação predial

Automação industrial

Prevenção de incêndios

Lançamento: Sonorização


(11) 5645-0900 vendas@afdatalink.com.br afdatalink.com.br


Mercado Fios e cabos elétricos

Foto: DollarPhotoClub
Cabos de controle
suprimento de energia elétrica, dada a los especialistas está relacionado à bus- Investimentos no setor industrial
composição da matriz energética brasi- ca por eficiência energética. “Os cabos alavancam o uso de cabos de
leira, grande volume de cabos de con- de controle são projetados de forma a controle e atraem novos players
para este mercado.
trole tem sido destinado à construção entregar a eletricidade de forma corre-
e à modernização de subestações de ta, o que garante uma economia natu-
energia elétrica. Outro fato que eleva a ral de energia”, comenta Flávio Abreu, positivos elétricos, a aplicação das nor-
demanda desses cabos é a evolução e da Cobrecom. mas é fundamental para garantir a se-
modernização dos sistemas de automa- No que tange às normas técnicas, gurança e o bom desempenho dos cabos
ção e controle no mercado industrial e Alexandre Freitas cita que os cabos de de controle. Quando o nível de qualida-
de infraestrutura”. controle são construídos conforme a de é baixo, os riscos incluem eventuais
Outro ponto positivo destacado pe- ANBT NBR 280, ABNT NBR 7289 e a interrupções no funcionamento de equi-
ANBT NBR 7290. “Mas a certificação pamentos, desligamento parcial das li-
não é compulsória, são colocados no nhas de transmissão, falhas na operação
Foto: Divulgação

mercado cabos que oferecem risco ao de circuitos, rompimento dos condutores


instalador e aos equipamentos”, lamen- ao longo da instalação e superaqueci-
ta Freitas, lembrando que também há al- mento devido ao uso de seções de cobre
gumas normas em desenvolvimento: “A inferiores ao especificado por norma.
ABNT NBR 7290 para cabos de controle Apesar dos riscos, infelizmente, há
em XLPE, EPR ou HEPR, e o Projeto 03: registros de problemas nesse setor.
020.03-037 de cabos de controle não “Como em todos os segmentos, exis-
halogenados e com baixa emissão de tem empresas e consumidores que não
fumaça para tensões até 1 kV, que se se atentam à qualidade e segurança dos
encontra em consulta nacional”. cabos de controle. No mercado interno
Assim como ocorre com outros dis- existem diversos aventureiros que ofe-
recem produtos de qualidade duvido-
sa. Encontramos, por exemplo, diversos
Venda de cabos de controle tende materiais reciclados de baixa qualidade,
a aumentar nos próximos anos, produto com quantidade de cobre infe-
gerando oportunidades junto ao
rior ao mínimo especificado em norma
setor industrial.
e acondicionamento irregular”, recla-
Flávio Cesário de Abreu
| Cobrecom ma Freitas.

62 potência
mercado Fios e cabos elétricos

Painel de
Produtos

HellermannTyton Nambei Cobrecom


Com design especial e mecanis- A empresa passou a produzir a O Cabo de Controle é indica-
mo recuperável, a linha de abraça- sua linha de cabos de média tensão do para circuitos de comando e
deiras REL permite que a fita seja (até 20/35 kV) utilizando o processo controle de instalações elétricas
destravada de maneira fácil e rá- de tríplice extrusão em linha de cate- industriais e comerciais. Flexível,
pida com apenas uma mão. Ideais nária com sistema de vulcanização a o produto é recomendado para
para aplicações comerciais e indus- seco (dry-curing), em ambiente de gás tensões nominais até 0,6/1 kV e é
triais, onde são necessários o fecha- nitrogênio. Investimento adicional foi formado por fios de cobre nu, ele-
mento e a abertura da abraçadeira realizado também no campo de pro- trolítico, têmpera mole, encordoa-
repetidas vezes. São fabricadas em vas, em especial na gaiola de Faraday mento classe 4 (flexível), isolado
Poliamida 6.6, nas cores natural ou para a realização dos ensaios de des- com PVC tipo PVC/A que suporta
preta, possuem comprimento de cargas parciais e dos ensaios de tensão até 70ºC. Disponível nas versões
150 ou 250 mm e tensão mínima elétrica de screening, estando capaci- com 5, 7, 10, 12, 16, 20 e 25 con-
de ruptura de 20 kgf. tado a aplicar até 81 kV em corrente dutores com seções nominais 0,5;
alternada em cabo 500mm² 20/35 kV. 0,75; 1,0; 1,5 e 2,5 mm².

Datalink Nexans Indel Bauru


Os cabos Controlflex AF Data- Os cabos ECO Afitox 750 V e Para facilitar o trabalho do insta-
link blindado em trança de fios de Afitox EP 90-F 0.6/1 kV, por apre- lador, a empresa desenvolveu o Ter-
cobre nu ou estanhado são aplica- sentarem características retardan- minal Conector Rosca de 10 a 240
dos em instalações que requerem tes ao fogo, associadas à baixa mm2, em cobre monolítico estanha-
flexibilidade, robustez e confiabili- emissão de fumaça e gases tóxicos, do, conformado a frio, com parafu-
dade, podendo se adequar a proje- são indicados para circuitos de po- so de aço inox e torque preciso, que
tos especiais. Fabricados seguindo tência ou controle em instalações pode ser aplicado em cabos de cobre
os mais rígidos controles de qua- em locais com aglomeração de pes- e alumínio. O produto dispensa o uso
lidade, oferecem excelente custo-­ soas e condições de fuga difíceis. de ferramentas pesadas de prensa-
benefício. O ECO Afitox utiliza biopolietileno gem no cabo, pois a sua fixação é
como material isolante, usa condu- feita pelo aperto do parafuso, que
tor de cobre flexível classe 5 e co- se quebra quando atinge o torque
bertura com composto termoplás- ideal, sem provocar danos no banho
tico não halogenado na cor preta. de estanho ou fissuras no conector.

64 potência
Painel de
Produtos
3M Condumax Corfio
Os conectores Scotchlok IDC re- Há mais de 50 anos a empresa O cabo Corfitox é fabricado espe-
alizam derivações e emendas sem desenvolve e produz soluções in- cialmente para instalações em locais
precisar decapar o cabo. Em uma teligentes para componentes elé- de grande afluência de público, e sua
só operação, removem a capa iso- tricos, sendo fornecedora homolo- principal característica é ser um cabo
ladora dos fios e fazem a conexão gada em grandes indústrias, cons- não halogenado, com baixa emissão
sem o uso de ferramentas especiais. trutoras, projetistas, instaladoras e de fumaça e gases tóxicos. Seções
Proporcionam conexões mais rápi- concessionárias de energia elétrica de 1,5 a 6 mm² nas cores preta, azul,
das, seguras e garantidas. do Brasil e da América Latina. Entre verde, branca, vermelha, amarela e
os produtos, destaque para o Cabo cinza; seções de 10 a 300 mm² em
Solarmax Flex 0,6/1kv SN FV. preto, azul, verde, branco e vermelho.

SOB-Brasil Cabelauto Cobrecom


O sistema de entrada de cabo Há 16 anos a empresa produz A linha de cabos Superatox é
KEL-JUMBO é indicado para a ins- uma ampla linha cabos de cobre, até formada pelos Cabos Superatox
talação de cabos e condutores com 1kV, blindados, rígidos e flexíveis, com Flex 70º C e o Superatox HEPR 90º
diâmetro de até 65 milímetros e foi variados tipos de isolação/cobertura C para 1, 2, 3 e 4 condutores. Os
desenvolvido especialmente para (PVC, HEPR, XLPE, ATÓXICO), aten- produtos não propagam chamas e
cabos de alimentação. O produto dendo às exigências de instaladoras, possuem baixa emissão de fumaça
possui design inovador e permite o construtoras, concessionárias de ener- e gases tóxicos/corrosivos em casos
movimento de inserção dinâmica e gia, fabricantes de transformadores e de incêndio, pois são fabricados
flexível. Recomendados recortes cir- montadoras de painéis. A empresa é com matérias-primas não haloge-
culares, que podem ser feitos usando qualificada pela ISO 9001 e ISO 14001, nadas. Indicados para locais com
as ferramentas padrão. Tolerância de e faz uso de matérias-primas selecio- grande circulação de pessoas ou
diâmetro do cabo: +15 -20%. nadas, atendendo às diretivas RoHS com difíceis rotas de fuga.
e REACH-livres de “Metais Pesados-
-Substâncias Bioacumulativas”.

potência 65
mercado Fios e cabos elétricos

Painel de
Produtos

Prysmian Sil Nexans


A empresa lançou o Afumex Os Cabos Flexíveis Atoxsil 0,6/1kV Os produtos da linha FICOM
Green 0,6/1 kV, que usa biopolieti- 90°C multipolares possuem isolação F/FICOM BF possuem condutor
leno (derivado de cana de açúcar) em composto termofixo HEPR e cober- de cobre, isolação em PVC (70
na isolação, material renovável e tura em composto termolástico polio- °C), PE (70 °C), HEPR (90 °C) ou
não halogenado. O produto é indi- lefínico não-halogenado, com carac- XLPE (90 °C) e identificação com
cado para locais com grande con- terística de baixa emissão de fumaça veias numeradas. A cobertura é em
centração de pessoas e ambientes e gases tóxicos em caso de incêndio. PVC, PE ou composto termofixo e
confinados, para energizar máqui- Indicados para locais de alta densi- a tensão do isolamento é de 500
nas, equipamentos e iluminação em dade de ocupação, estão disponíveis V (de 0,5 a 1 mm²) ou 1.000 V (a
geral. Ele possui cobertura (capa) nas seções 2x1,5 a 2x16 mm²; 3x1,5 a partir de 1,5 mm²). Aplicação: nas
que aumenta sua proteção mecâni- 3x70 mm² e 4x1,5 a 4x70 mm². Com instalações fixas, em circuitos de
ca, podendo ser aplicado enterrado, cobertura preta, os produtos possuem comando, controle, proteção e si-
em bandejas abertas, paredes de veias em diferentes cores, de acordo nalização até 1 kV.
dry-wall e eletrodutos. com cada versão do produto.

Vathisa Wago Wirex


Um dos produtos destacados O modelo 862 da linha de Co- Recomendados para circuitos
pela empresa é o cabo flexível HEPR nexão Automática Wago serve como de motores elétricos com variação
1KV 90º. O material tem potência conector de passagem e permite de- de velocidade alimentados por in-
de até 1.000 V, acabamento em PVC rivação para múltiplas fases. Com versores de frequência, ou em cir-
e está disponível nas cores preta, tecnologia de conexão a mola, basta cuitos elétricos próximos a estes,
azul e verde. Os cabos HEPR são pressionar os botões da parte supe- os cabos WIREX.POWER H90VF
indicados para instalações fixas de rior do conector para acionar a aber- NS BFTC - 0,6/1 kV, com condutor
luz e força em prédios residenciais, tura da mola e inserir o condutor, neutro concêntrico simétrico e blin-
comerciais e industriais, em circui- não necessitando de ferramentas dagem em fita de cobre, proporcio-
tos de distribuição, circuitos termi- para a instalação. Aceita fios e ca- nam um ambiente de operação livre
nais e também para linhas subter- bos rígidos, semirrígidos e flexíveis de interferências eletromagnéticas
râneas de energia em baixa tensão. entre 0,5 e 4,0 mm² e suporta tensão e ruídos indesejáveis.
de até 500 V e corrente elétrica de
32 A. Possui grau de proteção IP20.

66 potência
EMPRESA ASSOCIADA

ELA CONFESSOU QUE TEM OUTRO

ELE DESCOBRIU QUE A SOGRA


TAMBÉM VEM JANTAR

A LUZ ACABOU. OS FIOS E CABOS


ELÉTRICOS NÃO ERAM SIL

FAZER A ESCOLHA CERTA


É SIL VEZES MELHOR.

Para instalações em circuitos de força,


luz, comandos, sinalizações em
construções residenciais/comerciais,
utilize o Cabo Flexsil 750 V.
opinião Instalações Elétricas

Referências
internacionais
J
á há algum tempo tenho alerta- elevando os níveis de qualidade e segu- há anos. Em vários países desenvolvidos
do o mercado e a sociedade que rança – tanto para usuários, quanto para há requisitos legais aplicáveis a proces-
a situação das instalações elétri- as próprias construções. sos de avaliação da conformidade das
cas de baixa tensão é crítica no Nesse contexto, não estamos pro- instalações antes mesmo da entrega do
Brasil. E que precisamos criar no País um pondo algo inédito ou impossível de se imóvel. E estes requisitos também são
modelo de avaliação das instalações que implantar. Ao contrário, temos exem- aplicados periodicamente, de modo a
seja capaz de melhorar o quadro geral, plos no cenário internacional que po- garantir a contínua adequação às cargas
dem servir de base para ações mais instaladas e aos critérios de segurança.
concretas no Brasil. Veja alguns países que possuem
Ocorre que diversos países já ado- processos de avaliação da conformida-
Trabalhos tam modelos de avaliação e certificação de das instalações elétricas prediais de
das instalações elétricas de baixa tensão baixa tensão:
realizados em
Alemanha | Bélgica | Cingapura | Coreia do Sul | Espanha | França
outros países
servem de exemplo
Inglaterra | Irlanda | Japão | Suíça
para o Brasil no
desenvolvimento de
E se engana quem imagina que a casos envolvem países com nível de de-
um modelo próprio, certificação das instalações se limita a senvolvimento parecido com o do Brasil.
países mais desenvolvidos. Muitos dos Esses são alguns exemplos:
e compulsório, Argentina | Benin | Camarões | Líbano | Marrocos

de avaliação das
instalações elétricas Um ponto em comum que observamos tipo de legislação de apoio que torna a
em todos estes países, sejam eles mais ou certificação das instalações elétricas com-
de baixa tensão. menos desenvolvidos, é que existe algum pulsória. A exceção, no caso, fica por conta

Experiences of other countries serve as an example for Brazil Trabajos llevados a cabo en otros países sirven de ejemplo a Brasil
to develop its own mandatory model of low voltage electrical para desarrollar su propio modelo obligatorio para la certificación
installations certification. This action would contribute to raise de las instalaciones eléctricas de baja tensión. Esta acción ayudaría
the level of safety of Brazilian buildings. a elevar el nivel de seguridad en los edificios de Brasil.

68 potência
Opinião Opinion Opinión
Artigos exclusivos escritos por Exclusive articles written by Artículos exclusivos escritos por
reconhecidos especialistas do mercado. recognized market experts. reconocidos expertos del mercado.

da Argentina, onde a legislação atual se começando pela análise do projeto para implementar um mecanismo que tenha
restringe à cidade de Buenos Aires. instalações acima de 15 kVA de potência como objetivo principal tornar a insta-
Uma observação importante é que o instalada, seguida de inspeção por amos- lação de baixa tensão segura.
modelo de avaliação das instalações elé- tragem. Somente de posse do certificado E isso é o que queremos no Brasil,
tricas muitas vezes varia de um país para da instalação é que o seu proprietário onde, até o momento, o Estado não tem
outro, respeitando a tecnologia adotada pode solicitar a ligação de energia e o demonstrado interesse em atuar nessa
em cada local e as características das ins- equivalente “habite-se” ao governo local. área. Em outras palavras, no país o as-
talações elétricas. No entanto, seja qual Japão sunto não tem recebido a devida aten-
for o país, não existem conflitos de con- O Japão convive com duas realidades ção, apesar dos requisitos técnicos apli-
ceitos quando consideramos os aspectos de avaliação, sendo uma compulsória, cáveis serem basicamente os mesmos e
de segurança das instalações em relação que é aplicável às instalações de resi- da infraestrutura nacional ter competên-
a seus usuários, principalmente quanto à dências unifamiliares e edifícios residen- cia para permitir a adequada verificação.
proteção contra choques elétricos. ciais. A outra, que é voluntária, é voltada No nosso entendimento, é essencial e
Conheça alguns exemplos: para instalações comerciais e industriais. urgente que seja planejado e implemen-
França Nessa última, atuam os principais orga- tado um modelo brasileiro, alinhado ao
O modelo francês realiza inspeções nismos multinacionais de certificação de Sistema Brasileiro de Avaliação da Con-
em instalações novas ou reformadas produtos e serviços, como condição exi- formidade e com os critérios internacio-
em residências unifamiliares com corpo gida por contratos de seguros, locação e nais, que tenha caráter compulsório e que
próprio de aproximadamente 300 inspe- na aquisição de imóveis. responda à sociedade com um mecanis-
tores. Em edificações residenciais multi- Alemanha mo tecnicamente correto, confiável e in-
familiares e comerciais são contratadas O país tem como exigência para a dependente, que melhore as condições
empresas de inspeção especialmente comercialização de imóveis e contrata- de segurança e eficiência das instalações.
designadas e avaliadas como competen- ção de aluguéis a apresentação de laudo Para o ‘Estado Regulador’, a adoção
tes e independentes para tal atividade. de inspeção da instalação elétrica que da avaliação da conformidade no âmbito
Portugal garanta que ela é segura e está ade- compulsório torna-se uma ferramenta que
O modelo português dividiu o país em quada à norma nacional de instalações. fortalece o poder regulatório das institui-
três regiões, cada uma sob a responsa- Ao analisar os exemplos internacio- ções públicas, pois trata-se de um instru-
bilidade de um organismo de inspeção, nais, fica claro que é fundamental a atu- mento eficiente de proteção à saúde e se-
que são autorizados pela Certiel Portu- ação do Estado nessa questão, por meio gurança do consumidor, das construções e
gal. A certificação envolve várias etapas, de regulamentação adequada, para se até mesmo do meio ambiente.

Antonio Maschietto
diretor-executivo do
Foto: Divulgação

Procobre - Instituto
Brasileiro do Cobre

potência 69
Foto: Marcos Orsolon/HMNews
Evento Fórum Potência - Brasília

Técnico e
Qualidade das
apresentações
agrada os
cerca de 300
profissionais que
compareceram ao
necessário
Reportagem: Marcos Orsolon

Fórum Potência

S
e fosse um filme, peça teatral ou cerca de 200 pessoas no Centro de
em Brasília. exposição de arte, poderíamos Convenções Parlamundi (da LBV), aca-
afirmar que a primeira edição bou atraindo quase 300. Resultado: as
Patrocinadores, do Fórum Potência, ocorrida apresentações que ocorreriam no audi-
em 28 de abril em Brasília (DF), foi um su- tório menor do centro de convenções
apoiadores e cesso na avaliação do público e da crítica foram transferidas para o maior, sem
especializada. Isso porque o evento técni- gerar atrasos ou comprometer a quali-
congressistas co, realizado pela HMNews Eventos sob a dade do evento.
coordenação do professor Hilton Moreno, E não foi apenas a quantidade que
aprovam o superou as expectativas dos presentes. agradou. A qualidade dos presentes
A começar pelo público. O Fórum, também foi comemorada pelos orga-
evento. inicialmente programado para receber nizadores e patrocinadores. Os profis-

70 potência
sionais que compareceram ao Fórum foi muito positiva para nós e esperamos
Potência representaram mais de 200 que as demais etapas sejam iguais ou
empresas de pequeno, médio e grande até melhores que essa”.
porte. Entre elas: CEB, Banco do Brasil, Pelo lado dos profissionais que
CEF, Eletrobrás, Eletronorte, Forças Ar- acompanharam o dia de apresentações,
madas, Infraero, Metro-DF, Ministérios, a avaliação também foi positiva. Ao final
Novacap, Rede Globo, Rede Record, Sa- do dia, diversas pessoas se manifesta-
neago, Serpro e Prodan. Sem contar os ram, elogiando a qualidade das pales-
engenheiros, técnicos, eletricistas, pro- tras e o formato do evento. Alguns até
jetistas e instaladores ligados a constru- solicitaram que novas etapas do Fórum
toras e entidades de classe. ocorram em Brasília.
“O encontro foi acima da expectativa Marcilio Provazi Pesci, que atua na
e altamente produtivo. Lotamos o audi- área de gestão da qualidade da CEB Dis-
tório e as palestras apresentadas foram tribuição, que apoiou o Fórum Potência,
muito boas, levando conhecimento para afirmou que esse tipo de evento ajuda a

Foto: Marcos Orsolon/HMNews


o pessoal de Brasília. A qualidade do pú- disseminar a boa técnica, ajudando os
blico foi excelente, com profissionais de profissionais do Distrito Federal a terem
todos os setores. Foi ótimo”, declarou acesso à informação de qualidade.
Mauro Noro, especialista da Dutotec/ “Trazer informação para dentro do
Q&T – uma das empresas patrocinadoras. Distrito Federal é fundamental. O País
A conscientização dos
Paulo Alessandro Delgado, respon- inteiro quer este tipo de palestra, este
usuários é fundamental para
sável pelo Marketing da Cobrecom, ou- tipo de informação. Por isso, é um júbi- a prevenção e redução dos
tra companhia que patrocinou o Fórum, lo quando conseguimos fazer este tipo riscos de acidentes envolvendo
seguiu na mesma linha: “O evento foi de evento, e uma grande oportunidade. eletricidade.
surpreendente e muito importante para E, tão importante quanto o Fórum, é o Valdemir Romero | Sindicel
a nossa empresa. O público foi bastante pós-evento. Porque aqui tivemos capa-
qualificado, com muitos profissionais com citação e conhecimento disponível. Mas
poder de decisão. Alguns profissionais, in- é preciso sair do Fórum e praticar e di- verificado pelos depoimentos dos patro-
clusive, pediram para mantermos conta- vulgar este conhecimento”, ressaltou cinadores, apoiadores e congressistas,
to para eventuais parcerias e negócios”. Marcilio Pesci. confirma que o formato adotado para
Júlio Bortolini, especialista da So- Diante da repercussão positiva, Hil- o evento garante um excelente retorno
prano, outra patrocinadora, também ton Moreno, que também é diretor do de imagem e investimento para o pa-
fez uma avaliação positiva: “Gostamos Grupo HMNews, destaca que a apro- trocinador, sendo um forte aliado para o
muito do evento, pois pudemos divulgar vação do público e dos patrocinadores crescimento da rede de relacionamentos
bastante a marca Soprano na região de ratifica que o perfil do evento foi apro- e da influência das empresas na região.
Brasília. Esta etapa do Fórum Potência vado. “O sucesso da etapa de Brasília, Ao mesmo tempo, o Fórum Potência le-
vou conhecimento técnico de altíssima
qualidade e credibilidade na medida
certa para os congressistas”.
Hilton lembra ainda que o supor-
The first edition of Fórum Potência La primera edición del Fórum te dos apoiadores e patrocinadores foi
was held on April 28 in Brasilia (DF). Potência se celebró el 28 de abril fundamental para o sucesso do Fórum
And it was a success. The event, en Brasilia (DF). Y fue un éxito. Potência. “Por isso não posso deixar de
which is going to take place at El evento, que se llevará a otras agradecer o patrocínio das empresas
other seven cities, gathered nearly siete etapas, reunió a cerca de 300 Cobrecom, Soprano, Q&T, Dutotec e do
300 professionals involved with the profesionales relacionados con
Procobre. Além, é claro, do apoio de en-
electrical area, who had the privilege el área eléctrica, que tuvieran el
tidades como ABEE, Abracopel, Auresi-
to attend seven high-level technical privilegio de asistir a siete charlas
de, CEB, Conselho de Consumidores da
presentations from renowned técnicas de alto nivel, de expertos de
industry experts. la industria. CEB, CREA-DF, Krista, Sala da Elétrica,
Sindicel e Sintec-DF.

potência 71
Evento Fórum Potência - Brasília

Palestras se destacam pelo


conteúdo e qualidade
As palestras realizadas ao longo do
dia no Fórum Potência abordaram alguns
dos principais temas da área elétrica no
Brasil. E a qualidade das apresentações
chamou a atenção dos participantes.
Wellington Siqueira de Medeiros,
presidente do Conselho de Consumi-
dores da CEB, foi um dos profissionais
que gostou do que viu: “Nos sentimos
honrados com o convite para apoiar este
evento. Os assuntos abordados aqui são
de suma importância para nós, profis-
sionais, e para toda a sociedade. E um
dos tópicos que nos chamou muito a
atenção foi o do processo de eficiência
energética”.
Um tema que esteve presente em
praticamente todas as palestras foi a
segurança das instalações elétricas no

Fotos: Marcos Orsolon/HMNews


Proteção de sistemas elétricos
Durante o evento, Júlio Bortolini, ele não será protegido pelo disjuntor”,
especialista da empresa gaúcha So- destacou o especialista, que também ex-
prano, fez uma apresentação com o plicou as diferenças entre os disjuntores
tema ‘Proteção de sistemas elétricos: de norma Nema (preto) e os IEC (branco).
disjuntores, DR e DPS’. Entre outros “Basicamente, a diferença de atu-
aspectos, ele destacou a aplicação de ação dos dois disjuntores está concen-
cada equipamento, as tecnologias in- trada na atuação magnética deles. É a
corporadas a cada produto, normas atuação que o disjuntor terá no caso de
técnicas relacionadas a eles e, princi- um curto-circuito no sistema elétrico.
palmente, a importância do uso cor- Obviamente, por projeto, por sistema
reto de cada dispositivo. construtivo, eles têm concepções dife- Júlio Bortolini |
Soprano
No que tange à aplicação, Borto- rentes. Mas os dois funcionam bem e
lini explicou que o disjuntor residen- existem no Brasil”.
cial, por exemplo, tem a função de Sobre o DR, Bortolini observou que a proteção de pessoas e animais con-
seccionar automaticamente um cir- se trata de um dispositivo seccionador tra choques elétricos, evitando aci-
cuito elétrico quando há uma sobre- de corrente, com disparador que atua dentes fatais.
corrente (corrente sobrecarga ou cur- baseado na detecção de correntes de Já o DPS oferece proteção contra
to-circuito), protegendo a instalação. fuga. Ele monitora todas as correntes a sobretensão causada por descargas
“Outras proteções precisam de ou- que passam pelo circuito e só atua de- atmosféricas (raios) ou manobras das
tros dispositivos. Se a tensão estiver pois que uma fuga de corrente maior concessionárias. Esse tipo de prote-
acima da nominal, houver correntes de do que a sensibilidade dele aciona o ção não é oferecido nem pelo disjun-
fuga ou outras anomalias no circuito, seu mecanismo interno. É indicado para tor e nem pelo DR.

72 potência
técnica periódica em edificações exis-
tentes para a verificação das condições
mínimas de segurança e exigência de
regularização. “Queremos que seja fei-
ta uma inspeção que detecte, porven-
tura, que uma edificação com mais de
15 anos pode ter necessidades de uma
melhoria ou de resolver alguns riscos
que devem ser sanados”.
Um ponto importante é que a ideia
do projeto é fazer uma implementação
escalonada das inspeções. “Definimos
como primeiro plano buscar as edifica-
ções com afluência de público. A partir
do momento que tivermos edificações

Fotos: Marcos Orsolon/HMNews


com este perfil (geralmente comerciais e
públicos), será mais fácil fazer com que
a obrigatoriedade seja efetivada. A par-
tir desse nicho, podemos estender para
outros locais”, comenda Valdemir Ro-
Brasil. Valdemir Romero, que é execu- vo sensibilizar usuários e profissionais mero, lembrando que outro objetivo é
tivo do Sindicel – Sindicato da Indús- para mudar a cultura brasileira quanto a conscientização dos usuários sobre a
tria de Condutores Elétricos, Trefilação à segurança. importância da prevenção e redução dos
e Laminação de Metais Não Ferrosos “O projeto nasceu em 2013 no Sin-
do Estado de São Paulo, falou sobre o dicel, que achou importante trabalhar
projeto ‘Segurança em edificações exis- com retrofit de instalações elétricas. No As palestras
realizadas ao
tentes construídas há mais de 15 anos’, entanto, quando começamos a falar so-
que foi constituído no âmbito do De- bre isso verificamos que se utilizásse-
partamento da Indústria da Construção
da Fiesp (Deconcic) e tem como objeti-
mos somente um grupo elétrico, talvez
não conseguíssemos atingir o conceito longo do dia no
da segurança nas instalações elétricas
de edificações existentes ao longo do
Fórum Potência
tempo. Nosso grupo de estudos detec-
tou que deveríamos dividir esse projeto
abordaram
com diversos atores dentro da cadeia alguns dos
da construção. E o Sindicel lançou o seu
projeto dentro do Deconcic, que acei- principais temas
tou como um plano de ação trazer este
projeto de retrofit de instalações elétri- da área elétrica
cas, como se fosse o retrofit de toda a
edificação”. no Brasil. E a
Segundo Romero, o projeto visa a
criação da obrigatoriedade de inspeção
qualidade das
apresentações
Uma boa especificação
técnica, com informações
chamou a
mínimas completas, é o
segredo do sucesso de
atenção dos
uma instalação.
Nunziante Grazziano | ABNT participantes.
potência 73
Evento Fórum Potência - Brasília

riscos de acidentes e danos às pessoas e


ao patrimônio.
Na apresentação ‘Panorama da situa-
ção das instalações elétricas no Brasil e si-
tuação da revisão da norma NBR 5410’, o
professor Hilton Moreno confirmou que a
situação das instalações é crítica no Brasil.
“A elétrica mata mais do que muitas
doenças. E também é a maior causa de
incêndios no Brasil. Então, estou falan-
do de um assunto real, não é ficção. Só
que a população e acho que até os pro-
fissionais sabem pouco sobre isso. Para
nós, de elétrica, isso é uma vergonha. Há
cem anos sabemos como fazer para as
pessoas não morrerem eletrocutadas”,
lamentou Hilton.
Para ilustrar o problema, ele utili-
zou dados divulgados pelo Procobre em
2014, através do Dossiê Panorama da
situação das instalações elétricas pre- cias novas autogeridas no Brasil não há quando o profissional que entende de
diais no Brasil. “Um ponto levantado a presença do engenheiro eletricista. elétrica não participa, a chance de dar
no dossiê é que em 90% das residên- Isso explica um pouco a situação, pois problema é muito grande”.

Painéis e SPDA também


Fotos: Marcos Orsolon/HMNews

foram abordados
Nunziante Graziano, consultor e devem ser considerados na concepção
membro da comissão de estudos de pai- de um painel elétrico. Ou melhor, toda
néis elétricos da ABNT, fez uma apresen- informação que deve ser passada pelo
tação com o título ‘Painéis elétricos de projetista e pelo instalador para o fabri-
baixa tensão e cubículos de alta tensão cante, para que ele possa produzir um
– a longa estrada desde a especificação painel adequado à instalação.
até a operação, passando pela fabrica- Nesse contexto, Nunziante deixou
ção, transporte, armazenagem, comis- claro que não bastam as informações
sionamento e manutenção’. técnicas básicas. É preciso saber, entre
Durante a palestra, ele fez um apa- outros aspectos, qual será a função do
nhado geral sobre todos os aspectos que painel, onde e em que condições ele será

Em 90% das residências novas


autogeridas no Brasil não há
a presença do engenheiro
eletricista, o que explica um pouco Nova versão da NBR 5419 é bem
mais abrangente do que a norma
que está em vigor desde 2005.
a situação de risco. Hélio Sueta | USP

74 potência
Cabos não halogenados
Hilton Moreno, consultor da Co- E ele provocou a plateia: “Na boate
brecom, fez a apresentação ‘Boate o problema foi o forro. A questão aqui
Kiss nunca mais!’, onde, entre outros é: o que nós, da área elétrica, podemos
tópicos, falou sobre o uso de cabos fazer na nossa praia para não ter outra
não halogenados em locais com gran- situação como a da boate Kiss? Porque
de afluência de público. O especialista elétrica é a principal causa de incêndio
destacou a importância da aplicação no Brasil. E o acidente na boate poderia
desse tipo de condutor elétrico para ter ocorrido pela parte elétrica”.
aumentar o nível de segurança das O especialista respondeu à indaga-
instalações em caso de incêndio. ção citando que, para não contribuir na Hilton moreno | Consultor
Hilton alertou que, no acidente da parte elétrica (das edificações) com fu- da Cobrecom

boate, o problema maior não ocorreu maça e gás tóxico em caso de incêndio,
por conta do incêndio em si, que já é a solução, que já existe há décadas, é o blico, lidam com esse assunto.
um fato grave. O que matou as pes- uso dos materiais não halogenados. “Es- Os gases corrosivos também po-
soas foram a fumaça e o gás tóxico ses materiais existem para elétrica, forro dem criar problema à própria insta-
que saíram da placa de forro acús- acústico, revestimentos, enfim, para qual- lação elétrica. “Se o material halo-
tico, feita de material halogenado. quer coisa. A questão aqui é que, para al- genado estiver dentro de um painel
“Os halogenados emitem muita guns ainda falta o conhecimento, e para elétrico, no caso de haver incêndio
fumaça, que é densa e emite gases outros o que falta é vergonha na cara de ou mesmo uma sobrecarga que leve
tóxicos e corrosivos. Com isso, na bo- querer usar o material certo”, lamentou à emissão de fumaça, o ácido clorí-
ate, o pessoal não enxergava a saída Hilton, ressaltando que, há anos a NBR drico emitido corrói os contatos dos
e, além disso, aspirou esse gás tóxi- 5410 e a NBR 13570, que é a norma de dispositivos, comprometendo o seu
co”, observou Hilton. instalações em locais de afluência de pú- funcionamento”, explicou Hilton.

instalado, como será feito o seu trans-

Fotos: Marcos Orsolon/HMNews


porte e armazenamento, e como ele será
efetivamente instalado.
“A especificação precisa ser muito
bem-feita. Uma plataforma de petróleo
tem diferença em relação à subestação
de uma grande residência, por exemplo.
Outra coisa: o painel vai ficar ao tem-
po, abrigado, é fixo, móvel? E onde ele
será instalado? Se tiver que instalar um
painel grande no 25ª andar de um pré-
dio, como você leva ele lá para cima? As
exigências são diferentes em cada situ-
ação”, observou o especialista.
E ele completou: “Uma boa especi-
ficação técnica, com informações míni-
mas completas, é o segredo do sucesso
de uma instalação. Além disso, é preci-
so utilizar materiais certificados e mão
de obra qualificada. Aliás, profissional
qualificado não custa caro, quando
comparamos seu custo aos riscos en-
volvidos”.

potência 75
Evento Fórum Potência - Brasília

Painéis elétricos
Mauro Noro, especialista da cânico; grau de proteção; e arco interno realizaram os testes de tipo, e que
Q&T/Dutotec, fez a apresentação (para os de MT). realizam os testes de rotina prescri-
‘Desmistificando painéis certifica- “Depois que ensaiar o painel TTA e tos na norma. Seguindo as orienta-
dos’. Em sua fala, ele explicou em ele for para a linha de produção, você ções do fabricante e em condições
detalhes o que são os painéis cer- passa a fabricar os painéis PTTA, que são iguais ou menos severas, são consi-
tificados TTA e PTTA, quais são as obrigados a passar apenas pelos ensaios derados certificados PTTAs.
suas principais características, as di- de rotina, que é propriedade dielétrica,
ferenças e semelhanças entre eles, eficácia do circuito de proteção, distân- Mauro Noro |
DUTOTEC / Q&T
quem pode montá-los, as normas cia de escoamento e de isolação, e fun-
relacionadas a eles e o que muda cionamento mecânico. Os outros não
quando estes painéis são a prova são mais necessários”, comentou Noro.
de arco interno. A partir desse conceito, ficam mais
Mauro lembrou que o TTA é claras as diferenças entre os dois painéis.
o painel que recebeu todos esses Os painéis TTA são os que recebe-
ensaios: elevação de temperatura, ram todos os testes de tipo prescritos
propriedades dielétricas; corrente na norma. Você leva o painel para o
suportável de curto-circuito de cur- laboratório e ensaia.
ta duração; eficácia dos circuitos de Os PTTA são os painéis montados
proteção; distância de escoamento com todas as mesmas características
e de isolação; funcionamento me- mecânicas e elétricas dos painéis que

Hélio Sueta, especialista do Insti- talhou as principais alterações feitas na


tuto de Energia e Ambiente da USP e nova versão da norma, que ficou mais
secretário da comissão da norma NBR completa e abrangente.
5419, fez a apresentação ‘Revisão 2015 “A norma que está valendo foi pu-
da norma NBR 5419 – de 50 para 400 blicada em 2005 e tem 42 páginas. ou junho) por uma norma maior, com
páginas’. Em sua fala o especialista de- Ela será substituída (talvez em maio quatro partes e 344 páginas”, reve-
lou Sueta, citando que a parte 1 es-
tabelece os requisitos para a determi-
Fotos: Marcos Orsolon/HMNews

nação de proteção contra descargas


atmosféricas.
“Hoje, esse assunto é muito mais
abrangente do que era na norma que
ainda está em vigor. Primeiro, você
tem que analisar qual a ameaça da
descarga atmosférica e isso é feito
pela norma na parte 1. Depois é feito
um gerenciamento de riscos, ou seja,
são calculados os riscos devido à essa
descarga, na estrutura e nas pessoas.
Isso está na parte 2, que também é a
parte que define quais as medidas de
proteção que você tem que fazer”, co-
mentou o especialista, acrescentando
que a Parte 3 trata dos danos físicos a
estruturas e perigos à vida, e a parte
4 dos sistemas elétricos e eletrônicos
internos na estrutura.

76 potência
persondesign.com.br
Normalização ENERGIA FOTOVOLTAICA

Avanços para o
mercado
Publicação de novas normas técnicas e a
obrigatoriedade de certificação de equipamentos
contribuem para aumento da segurança no
mercado brasileiro de energia solar fotovoltaica.

b
toClu
rPho
Dolla
:
Foto

REPORTAGEM: PAULO MARTINS


b
toClu
rPho
Dolla
:
Foto

The use of photovoltaic energy is still small in Brazil.


However, the enormous growth potential of this market
has motivated the industry experts to organize the sector,
and one of the concerns involves the preparation of
regulations. A technical standard on electrical installations
of photovoltaic systems is under preparation in order to
increase safety for people and buildings.

78 potência
Normalização Standards and regulations Normas y reglamentos
Abordagem jornalística envolvendo as A journalistic view on key national Una visión periodística sobre las
principais normas técnicas nacionais e and international technical standards normas técnicas nacionales e interna­
internacionais do setor eletroeletrônico. and regulations of the sector. cionales y las regulaciones del sector.

A
pesar de registrar um dos Um passo fundamental para o avan- o mais breve possível”, explica Marcelo Al-
maiores níveis de incidência ço do mercado foi dado no último dia 3 meida, que assumiu a coordenação do gru-
solar do mundo, o Brasil vem de março com a reativação do Grupo de po. Ainda sem nome definido, o documento
dedicando maior atenção à Trabalho em Sistemas Fotovoltaicos (GT será complementar à norma ABNT NBR 5410
energia fotovoltaica somente agora. O par- FV) da Comissão de Estudo de Instalações (Instalações Elétricas de Baixa Tensão) e irá
que gerador instalado ainda é pequeno, mas Elétricas de Baixa Tensão (CE-03:064.01) estabelecer as condições específicas a que
as possibilidades de aproveitamento dessa do Comitê Brasileiro de Eletricidade (ABNT/ devem satisfazer as instalações elétricas de
fonte gratuita e infinita são gigantescas. CB-03), que não exercia atividades des- baixa tensão de sistemas fotovoltaicos, em
Diante do grande potencial para produ- de 2012. O GT FV reúne diversos atores especial as instalações em corrente contínua,
ção de eletricidade a partir do Sol, e por se relacionados ao setor fotovoltaico, como a fim de garantir a segurança de pessoas e
tratar de uma tecnologia pouco difundida, indústrias, instaladores, instituições de ca- animais, o funcionamento adequado da ins-
localmente, é fundamental o estabelecimen- pacitação de pessoal e o meio acadêmico. talação e a conservação dos bens.
to de critérios específicos para regulamen- “Após solicitações de grupos ligados ao De acordo com Almeida, atualmente
tar o uso correto desse recurso por parte setor fotovoltaico, que enxergavam a ausên- não existe norma técnica nacional com re-
das empresas e da sociedade em geral. É o cia de uma norma técnica nacional de instala- quisitos específicos para instalações elétricas
que vem acontecendo mais recentemente. ções elétricas de sistemas fotovoltaicos como de sistemas fotovoltaicos. Para redigir o texto
Neste momento, em particular, profissionais um problema grave para o desenvolvimento base do futuro regulamento brasileiro, o GT
de diversas áreas seguem discutindo a ela- do setor no País, o GT FV foi reativado com FV irá se basear em um documento da IEC
boração de uma norma técnica brasileira a missão de preparar o texto base da norma (International Electrotechnical Commission),
que contenha requisitos específi-
cos para instalações elétricas de
sistemas fotovoltaicos, a fim de
proporcionar maior segurança às
pessoas. A regulação do mercado
tem avançado também em relação
à certificação dos equipamentos des-
tinados a essa aplicação. Na visão dos
especialistas, essas duas linhas de traba-
lho tendem a contribuir para o desenvol-
vimento do setor como um todo.

El uso de la energía fotovoltaica es aún pequeño en Brasil. Sin


embargo, el enorme potencial de crecimiento de este mercado
ha motivado a los expertos de la industria para organizar el
sector y una de las preocupaciones consiste en la elaboración
de reglamentos. Una norma técnica sobre las instalaciones
eléctricas de los sistemas fotovoltaicos se está preparando
con el fin de aumentar la seguridad de las personas y edificios.

potência 79
Normalização ENERGIA FOTOVOLTAICA

a Technical Specification 62548 Ed.1 (Photo- vezes, outra em corrente alternada. A NBR meter não só a segurança, como também o
voltaic arrays - Design requirements). O GT 5410, apesar de ter como escopo as insta- desempenho dos sistemas”, defende.
FV avalia que essa TS/IEC, que é de 2013, é lações em baixa tensão até 1.000 Vca ou E mais: Almeida observa que a existência
bem mais adequada do que as demais nor- 1.500 Vcc, não aborda aspectos específicos da norma técnica facilita a atribuição de res-
mas disponíveis no momento, mas destaca dos sistemas fotovoltaicos, em particular da ponsabilidades na celebração de contratos,
que será necessário fazer adaptações ao instalação em corrente contínua”, explica. pois o contratante tem a opção de exigir o
texto, como o detalhamento da proteção Segundo o coordenador do GT FV, a cumprimento do regulamento e, posterior-
contra descargas atmosféricas. A previsão é ausência de uma norma técnica para ins- mente, poderá contar com um critério obje-
enviar a nova norma para consulta nacional talações elétricas de sistemas fotovoltaicos tivo para avaliar os resultados. Além disso, o
ainda neste ano. cria um ambiente de insegurança para o documento servirá de respaldo técnico para
Almeida considera que o principal efeito proprietário, para o instalador e para o pro- os projetistas e instaladores. “Em resumo,
do documento será preencher um “vazio” jetista do complexo. “A padronização de espera-se que a norma ajude a manter um
que existe na regulamentação técnica brasi- requisitos mínimos, em especial aqueles re- padrão mínimo de qualidade e de segurança
leira, em se tratando de instalações fotovol- lacionados com a segurança de pessoas e de instalações elétricas de sistemas fotovol-
taicas. “Um sistema fotovoltaico possui uma de equipamentos, é fundamental para evitar taicos, contribuindo para a disseminação da
parte em corrente contínua e, na maioria das instalações malfeitas que possam compro- tecnologia no País”, conclui o especialista.

Certificação avança
Nos últimos anos, a atuação dos espe- além da alemã VDE-AR-N 4105 e da ita- do Inmetro, um controle de qualidade que
cialistas brasileiros da área de energia foto- liana CEI 0-21, para produzir normas ABNT visa mitigar o ‘medo’ das distribuidoras em
voltaica gerou outros importantes avanços que atendessem às particularidades da rede relação a essa tecnologia pouco explorada
no campo da normalização, refletindo tam- elétrica brasileira e que estivessem no esta- ainda, no Brasil”, analisa.
bém na certificação de produtos. do da arte para suportar a implantação do Como exemplo, é possível citar a Por-
O ponto-chave desse trabalho ocorreu Smart Grid e os serviços auxiliares de rede. taria do Inmetro nº 357, de 1º de agosto
em 2011, com a reativação da CE 03.082.01 Foram produzidas as seguintes normas: de 2014, que utiliza as normas citadas
(Comissão de Estudos de Sistemas de Con- ABNT NBR 16149:2013 - Sistemas foto- como parâmetro para certificação dos in-
versão Fotovoltaica de Energia Solar), for- voltaicos (FV) - Características da interface versores para sistemas fotovoltaicos co-
mada principalmente por fabricantes de (requisitos) de conexão com a rede elétri- nectados à rede elétrica, com potência
equipamentos para sistemas fotovoltaicos ca de distribuição; ABNT NBR 16150:2013 nominal de até 10 kW. A norma ABNT
(módulos, inversores, etc.), distribuidoras de - Sistemas fotovoltaicos (FV) - Caracterís- NBR 16149:2013 trata dos requisitos que
energia e especialistas (academia). ticas da interface de conexão com a rede devem ser atendidos, enquanto as outras
Conforme conta o coordenador da CE, elétrica de distribuição - Procedimento de duas tratam dos procedimentos de ensaio.
Ildo Bet, entre 2011 e 2012 os especialistas ensaio de conformidade e ABNT NBR IEC Com isso, desde 1º de fevereiro últi-
estudaram diversas normas internacionais, 62116:2012 - Procedimento de ensaio de mo, os referidos inversores deverão ser
especialmente a IEC 617267/IEC 62116, anti-ilhamento para inversores de sistemas fabricados e importados somente em con-
fotovoltaicos conectados à rede elétrica. Os formidade com os requisitos da Portaria
três documentos foram publicados e estão Inmetro nº 004/2011 e devidamente re-
rPhotoClub

em vigência atualmente. gistrados no Inmetro.


De acordo com Ildo, esses documen- Fundador da PHB Eletrônica Ltda., Ildo
Foto: Dolla

tos foram de grande valia para a Bet informa que a empresa foi a primeira no
sociedade, uma vez que ser- Brasil a obter o certificado do Inmetro para
viram de base para as distri- os inversores solares que fabrica. Também
buidoras criarem suas normas diretor do Grupo Setorial de Sistemas Fo-
internas de acesso para tovoltaicos da Abinee, o executivo explica
a geração fotovoltaica que a principal função do inversor solar fo-
distribuída e para a eti- tovoltaico é transformar corrente contínua
quetagem de produtos através em corrente alternada e que os demais fa-
do Inmetro. “Tais normas possi- bricantes já estão trabalhando para atender
bilitaram, através da certificação à nova legislação brasileira.

80 potência
destaque-se.
Vivemos o tempo da concorrência. Em todas as áreas, esquinas, dando, assim, condições necessárias para a sua futura certificação,

vendinhas, pontos de táxi, de pipoca, de balas, existem ações que buscam gerando, consequentemente, seu maior reconhecimento e ampliação das

se diferenciar dos demais. Ou você aparece ou o mercado te engole. possibilidades de trabalho no mercado. Além da obrigatoriedade imposta

Pisque hoje e amanhnã você vai estar completamente por fora do que a pelas NR-10 e NR-20 e a responsabilidade civil e criminal, incluídas no

turma do café está rindo na copa. Nosso mercado não foge à regra. As Código Penal, suas chances de destaque num setor tão competitivo

vagas de profissionais de segurança, montagem e manutenção são aumentam muito, tendo em vista que profissionais capacitados e

preenchidas, em sua grande maioria, por profissionais de fora do Brasil, certificados são profissionais diferenciados, acima da média, que fazem

treinados, capacitados e certificados por entidades européias. parte de uma seleta elite. Sua forma de ver os problemas relacionados ao

Diante desta realidade, e em prol da valorização de nossos profissionais, setor Ex vai mudar e lhe trazer novas perspectivas. Os resultados são

a Project-Explo está absolutamente decidida a mudar essa realidade. imediatos. Você mal teve contato com o assunto e já está vendo o anúncio

Capacitamos profissionais, com base em conceitos internacionais, por um ângulo nada convencional e totalmente diferente dos anteriores. w w w. t r e i n a m e n t o s . p r o j e c t - e x p l o . c o m . b r
• caderno atmosferas explosivas • caderno atmosferas explosivas • caderno atmosf

Proteção Ex

O centenário da segurança
intrínseca
Segurança intrínseca oferece

A
um dos mais elevados níveis proteção de equipamen-
tos e circuitos por segu-
de proteção para instalações rança intrínseca tem, por
objetivo fundamental,
elétricas em áreas classificadas que seja evitada a possibilidade de ocor-
contendo atmosferas explosivas. rência de uma centelha que seja capaz
de provocar a ignição de uma atmosfera
explosiva que esteja presente.
Este tipo de proteção Ex, cujos prin-
cípios teóricos de segurança e limitação
de energia elétrica remontam a 1913,
foi desenvolvido a partir de estudos ini-
ciados como decorrência de explosões
em minas de carvão, quando os primei-
ros circuitos elétricos começaram a ser
introduzidos nestas instalações.
Naquela época, por ocasião da re-
volução industrial, a demanda por car-
vão era muito elevada, por representar
Foto: DollarPhotoClub
o combustível necessário para a alimen-
tação das caldeiras de geração de vapor
para acionamento das máquinas de ma-
nufatura e os navios a vapor. A demanda
Century-old technology, the Tecnología centenaria, la protección por vapor gerado por caldeiras alimen-
intrinsically safe protection of por seguridad intrínseca de circuitos tadas por carvão era enorme antes da I
caderno ex

circuits and equipment offers one y equipos ofrece uno de los más Guerra Mundial, requerida pelos navios
of the highest levels of safety for altos niveles de seguridad para de guerra e cruzadores da Marinha do
installations in hazardous locations instalaciones en áreas clasificadas Reino Unido e países aliados ao Império
containing explosive atmospheres. que contienen atmósferas Britânico. A extração de carvão no Reino
Despite its more than 100 years of explosivas. Y a pesar de más de 100 Unido atingiu o seu pico em 1914, e os
existence, its evolution does not stop años, su evolución no se detiene y proprietários e gerentes das minas de
and the technology is advancing. la tecnología avanza.
carvão prosperavam.

82 potência
feras explosivas • caderno atmosferas explosivas • caderno atmosferas explosivas •

Caderno Ex Explosive Atmospheres (Ex) Atmósferas explosivas (Ex)


Notícias, produtos, normas e News, products, standards and Noticias, productos, normas y
informações sobre instalações other information on Ex electrical demás informaciones sobre las
elétricas em áreas classificadas. installations. instalaciones eléctricas Ex.

potência 83
• caderno atmosferas explosivas • caderno atmosferas explosivas •

Proteção Ex

O início da utilização da eletricidade


em minas de carvão
Testes com gases inflamáveis para ficado na época que estes componentes de sinalização sonora podia ter atuado
verificar se o invólucro metálico de um podiam ser considerados seguros com a como fonte de ignição.
equipamento era efetivo para evitar a utilização de técnicas de “segurança in- Esta comissão recebeu também es-
propagação de uma explosão em seu trínseca”, iniciando a utilização destes tudos feitos pelo Prof. Thornton, do Colé-
interior, em uma condição que pudes- equipamentos elétricos projetados para gio Armstrong, de Newcastle, mostrando
se evitar a explosão de uma atmosfera locais contendo atmosferas explosivas. que tais circuitos podiam ser considera-
explosiva ao seu redor, foram sugeridos O sistema de sinalização, compos- dos seguros com a inclusão de modifi-
para um Comitê Departamental sobre to por um conjunto de baterias e uma cações relativamente simples em seus
a utilização de eletricidade em minas, campainha, era rusticamente acionado componentes.
do Reino Unido, em 1905. A aprovação por meio de um curto-circuito, através A comissão debateu em detalhes se
oficial deste tipo de equipamento foi su- do toque da pá metálica de cavar o car- a causa da explosão havia sido originada
gerida em 1909/1910 para este comitê, vão, em dois condutores nus que eram pelo sistema de sinalização sonoro insta-
mas foi rejeitada. Como consequência, instalados ao longo do trajeto de galeria lado na mina. Estes novos conceitos cha-
alguns fabricantes elaboraram seus pró- da mina, desde a sua entrada na superfí- maram a atenção para o conceito de cir-
prios laboratórios de testes, porém, a de- cie até o local da escavação subterrânea. cuitos elétricos intrinsecamente seguros.
manda por um organismo independente Este circuito energizava uma campainha Por este motivo, é considerado que o tipo
de testes continuou. que era instalada na entrada da mina, de proteção de equipamentos por segu-
Na mesma época, campainhas de que fazia soar o sinal, indicando o pu- rança intrínseca tenha surgido em 1913,
baixa tensão foram utilizadas em mi- xamento da caçamba de carvão. completando o seu primeiro centenário
nas subterrâneas de carvão no Reino Este sistema elétrico foi considera- de desenvolvimento no ano de 2013.
Unido, para avisar ao pessoal de super- do seguro, a princípio, em função dos Testes sobre a segurança destas cam-
fície que os carrinhos já estavam cheios baixos valores de tensão e de corrente painhas de sinalização sonora para utiliza-
de carvão no subterrâneo, os quais po- que estavam presentes no circuito. No ção em minas de carvão foram realizados
diam iniciar a operação de puxamento dia 14/10/1913, o maior desastre na em Eskmeals, no oeste do Reino Unido,
por guindastes. história das minas de carvão do Reino a partir de 1917. Estes trabalhos foram
Uma vez que estas campainhas ope- Unido ocorreu na mina de Senghenydd. posteriormente expandidos para incluírem
ravam a uma tensão de cerca de 10 Vcc, A comissão de inquérito instaurada para também relés e transferidos para a Uni-
era assumido, naquela época, que con- determinar as causas daquela explosão versidade de Sheffield em 1925.
sistiam em equipamentos seguros. De recebeu a contribuição de alguns estu- Os estudos e pesquisas realizados
acordo com o regulamento de segurança dos que haviam sido elaborados pelo Dr. revelaram que o fator mais importante
em minas de carvão existente no Reino Wheeler (químico chefe), mostrando que na determinação da segurança de um
Unido em 1905, era permitida a insta- uma campainha utilizada em um circuito circuito elétrico é a energia armazena-
lação nos túneis de transporte subterrâ-
Foto: DollarPhotoClub

neo de circuitos constituídos por fios nus


para esta função de sinalização sonora
na superfície. A instalação deste tipo de
circuito elétrico era permitida desde que
a tensão aplicada não fosse superior a
15 V em qualquer outro circuito.
caderno ex

Uma isenção no regulamento sobre


minas subterrâneas de carvão de 1911
permitiu que esta prática continuasse
para instalações que estivessem em uti-
lização antes de 01/06/1911.
Com um projeto mais detalhado
destas campainhas e circuitos, foi veri-

84 potência
ANOS

ATMOSFERAS
EXPLOSIVAS
PESQUISA, ENSAIOS E CERTIFICAÇÃO
A UL atua no desenvolvimento da indústria de Atmosferas
Explosivas há um seculo – um século que nos estabeleceu como
um símbolo de confiança para questões de segurança. Em 1915,
criamos a primeira norma de certificação para Atmosferas
Explosivas. Desde então, nossas normas de segurança
continuam a ser pioneiras acompanhando o desenvolvimento
da indústria. 2015 marca um ano de celebração em nossa
História, mas também reforça a importância da nossa missão.
UL – 100 anos e a evolução continua.

UL e o logo UL são marcas registradas da UL LLC c 2015. Todas as demais marcas são propriedades de seus respectivos donos.

RA OFICIAL
PATROCINADO SHORE.
F
DO BRASIL OF ONTRAR NA FEIRA!
A NOS E15N C
VENHJunho de 20 , M
acaé, Rio de Ja
neiro
23 a 26 de
hore.com
www.brasiloffs

UL.COM/HAZLOC
• caderno atmosferas explosivas • caderno atmosferas explosivas • caderno atmosf

Proteção Ex

da no circuito. Sem a utilização de um nados de forma que pudessem evitar a elétricos, incluindo a utilização de cir-
sistema apropriado de limitação, a ener- geração de arcos, centelhas ou efeitos cuitos em corrente alternada e diversas
gia indutiva armazenada na campainha térmicos que pudessem causar a igni- outras concentrações da mistura explo-
e no circuito de interligação havia pro- ção da substância inflamável, tanto em siva metano/ar.
duzido níveis de energia suficientemen- condições normais do circuito, como em O conceito de segurança intrínseca
te elevados para gerar um arco elétrico, condições de falha, como no caso de foi posteriormente aplicado também às
o qual foi capaz de causar a ignição da curto-circuito ou circuito interrompido. indústrias de superfície, onde atmosferas
mistura explosiva metano/ar, causando Com base nestes requisitos de se- explosivas compostas por outros tipos
a explosão fatal. gurança, o primeiro certificado de con- de substâncias inflamáveis, tais como o
Com base nos resultados destes es- formidade para sistemas de sinalização acetileno e o hidrogênio, são ainda mais
tudos foi verificado que os equipamen- para minas de carvão foi então emiti- facilmente passíveis de sofrerem ignição
tos elétricos e seus circuitos associados do. Posteriormente, foram realizados quando comparados ao metano presen-
tinham que ser projetados e dimensio- estudos envolvendo outros dispositivos te nas minas de carvão.

Requisitos para os componentes de circuitos


intrinsecamente seguros
A barreira de segurança intrínse- ma constituído por todas as par-
ca (Ex “i”) inserida no circuito intrin- Sistema Digital de Controle tes componentes deste circuito
secamente seguro como componen- de Processo SDCD-PLC como um todo e não somente
te associado, tem por função básica o instrumento de campo isola-
a limitação da energia que pode ser damente.
armazenada na parte do circuito de Barreira de As recentes aplicações das
campo, instalado na área classifica- Segurança redes de comunicação de dados
da, constituído pelo instrumento de intrínseca de campo (FISCO – Fieldbus In-
campo Ex “i” e pela fiação de interli- trinsically Safe Concept) em áreas
gação entre estes dois equipamentos. classificadas representa um fun-
A figura a seguir apresenta um damental fator motivador para o
Área não
diagrama típico de instalação de desenvolvimento e novas edições
classificada
um circuito intrinsecamente seguro, da Norma NBR IEC 60079-11, in-
composto por instrumento de cam- corporando estudos e práticas de
po intrinsecamente seguro, barreira sucesso apresentadas por diversos
de segurança (componente associa- fabricantes e usuários em diversos
do ao instrumento Ex “i”) e o sis- Área países do mundo. A categoria de
tema digital de controle, tais como classificada proteção (“ia”, “ib” ou “ic”) de
SDCD (Sistema Digital de Controle um sistema FISCO é determinada
Distribuído) ou PLC (Programmable Instrumento pelo menor nível de proteção dos
Logic Controller). intrinsecamente dispositivos de campo interligados
É importante ressaltar que a se- seguro (Ex ‘i’) ao circuito da rede de dados de
gurança intrínseca abrange o siste- campo (Fieldbus).

A nova dimensão e o futuro da


caderno ex

segurança intrínseca – Power-i


No campo da segurança intrínseca, com o título Sistemas intrinsecamente se- publicada na forma de uma Especifica-
um Grupo de Trabalho do TC-31 da IEC guros com limitação de duração de cente- ção Técnica, se encontra em processo de
está trabalhando na elaboração de uma lha eletronicamente controlada: Power-i. elaboração, tendo previsão de ser publi-
nova norma técnica, a IEC TS 60079-39, Esta nova norma, a ser inicialmente cada em 2015. De acordo com as regras

86 potência
feras explosivas • caderno atmosferas explosivas • caderno atmosferas explosivas •

da IEC, uma Especificação Técnica pode pios de proteção da segurança intrínseca. muito mais alto de energia esteja dispo-
ser publicada se a tecnologia estiver ain- Este novo tipo de proteção Power-i, que nível em circuitos intrinsecamente segu-
da em desenvolvimento ou se, por outras atua dinamicamente em sistemas intrinse- ros, mesmo mantendo os níveis de pro-
razões, existe a possibilidade futura de camente seguros, permite um considerável teção “ia” e “ib”. Além de limitar os va-
obtenção de um entendimento para a aumento da energia que pode ser mani- lores de corrente e tensão no circuito (de
publicação de uma norma. pulada pelo circuito, quando comparada forma similar aos circuitos “tradicionais”
A aplicação do conceito de Power-i à atual solução de segurança intrínseca de segurança intrínseca), a duração da
possibilita uma elevação significativa dos Sistemas intrinsecamente seguros centelha é limitada, o que contribui sig-
níveis de energia efetiva disponível no cir- com duração da centelha eletronicamen- nificativamente para a redução da ener-
cuito, levando em consideração os princí- te controlada permitem que um nível gia disponível para causar uma ignição.

Princípio de operação do Power-i: Chaveamento


rápido, ao invés de limitação de energia
Tradicionalmente, a fim de evitar, de de operação do circuito, a corrente elétrica baixa tensão, o sistema Power-i reage
forma segura, a ocorrência de uma cen- circula sem restrições. O sistema Power-i dinamicamente à alteração do valor da
telha capaz de provocar uma ignição, a detecta a ocorrência de uma falta no cir- corrente quando um nível crítico de varia-
potência disponível no circuito é limita- cuito elétrico logo no seu início e o desliga ção é detectado no circuito. Deste modo,
da a um valor de aproximadamente 2 W. antes da energia atingir um nível crítico de todas as possíveis falhas que podem levar
Assim, o tipo de proteção Ex “i” é tipica- segurança. A base para esta abordagem à formação de uma centelha são detecta-
mente limitado a áreas de instrumentação é fornecida pelo fato de que toda forma- das com a rapidez necessária e com se-
e alimentação de sensores, transmissores e ção de uma centelha leva à ocorrência de gurança e são devidamente controladas.
atuadores, com baixas cargas conectadas. uma característica muito específica e, des- A principal vantagem da tecnologia
Em um circuito protegido pelo Po­ ta forma, em uma alteração conhecida na Power-i em relação à segurança intrín-
wer-­­i, os dispositivos de campo instala- corrente de um circuito elétrico. seca “tradicional” é que uma potência
dos em atmosferas explosivas com um De forma diferente de um simples ativa muito mais elevada pode ser utili-
consumo de potência de até 50 W podem sistema de chaveamento rápido ou de zada em atmosferas explosivas, manten-
ser alimentados sob os requisitos da se- sistemas que simplesmente desligam o do todas as características de proteção
gurança intrínseca. Sob condições normais circuito em casos de ocorrência de uma da segurança intrínseca.

Na Figura a seguir é apresentado um exemplo de aplicação de um circuito completo Power-i, contendo


a fonte Power-i e o dispositivo de campo Power-i, representado neste exemplo por uma válvula solenoide.

e.g. encapsulated
according to Ex m
(+) 2xD1
logic
break spark
make spark

4x
L
Solenoid valve

power-i D2 R2
wiring
U and I +di/dt -di/dt
- detector detector electronic
R
limitation switch R2
out

C
acc. to maximum
IEC trunk length = 400m
60O79-11
(-)

optimized Power-i source for IIC SF=1.5


solenoid valve
application class: 32V2A0 field device

safe area hazardous area

potência 87
• caderno atmosferas explosivas • caderno atmosferas explosivas • caderno atmosf

Proteção Ex

Certificação de empresas de prestação


de serviços Ex e de competências pessoais Ex
Em instalações elétricas e de instrumentação em atmos- explosivas, é adotada pelo IECEx (IEC System for Certification
feras explosivas, o nível geral da segurança das instalações e to Standards relating to Equipment for use in Explosive At-
das pessoas envolvidas pode ser comparado com uma “cor- mospheres), o sistema internacional da IEC para certificação
rente”, onde a resistência total do sistema é determinada pelo de empresas de prestação de serviços Ex, de competências
seu “elo” mais fraco. Portanto, não basta para a segurança pessoais para atmosferas explosivas, além do já tradicional
das instalações e das pessoas envolvidas que os equipamen- sistema de certificação de equipamentos elétricos e mecâni-
tos Ex a serem instalados em áreas classificadas tenham sido cos Ex. O Brasil é membro do IECEx desde 2009.
devidamente fabricados, ensaiados em laboratório e certifi- Neste sentido, muito mais importante do que a simples
cados por Organismos de Certificação de Produtos (OCP). certificação dos equipamentos Ex é a certificação das empre-
A segurança destas instalações e pessoas depende prin- sas de prestação serviços Ex de projeto, montagem, inspeção,
cipalmente, e em escala muito maior e mais abrangente, manutenção e reparo de equipamentos Ex, bem como a cer-
da correta execução dos respectivos serviços de projeto, tificação das competências pessoais Ex dos profissionais que
seleção, instalação, inspeção, manutenção e reparos, dos trabalham nestas empresas e que são responsáveis pela exe-
quais dependem as devidas e necessárias competências cução destas atividades.
pessoais dos profissionais envolvidos na execução des- Confira ao lado os sistemas internacionais de certificação
tas atividades. de empresas de prestação de serviços Ex do IECEx, as respec-
Esta abordagem de certificação, levando em considera- tivas normas da Série NBR IEC 60079 e as respectivas Unida-
ção o ciclo total de vida das instalações contendo atmosferas des de Competências Pessoais Ex

Conclusões sobre sistemas


intrinsecamente seguros
O tipo de proteção por segurança in-
trínseca oferece um dos mais elevados
níveis de segurança para instalações em
áreas classificadas contendo atmosferas
explosivas. De forma consistente e de-
fensável, este tipo de proteção Ex  “i”
pode ser considerado como sendo um
dos mais seguros e o menos propenso a
erros ou falhas humanas, quando com-
parado com os outros tradicionais tipos
de proteção Ex, tal como os equipamen-
tos à prova de explosão.
O tipo de proteção Ex “i” é inter-
nacionalmente aceito, existindo ainda
uma aceitação progressiva de certifi-
caderno ex

cados de conformidade internacionais


emitidos pelo IECEx, o que faz com que
este tipo de proteção seja cada vez mais
difundido e aplicado nos recentes pro-
Foto: DollarPhotoClub

jetos e empreendimentos das indústrias


das áreas químicas e petroquímicas, en-
tre outras.

88 potência
feras explosivas • caderno atmosferas explosivas • caderno atmosferas explosivas •

Para obterem esta certificação, as empresas de presta-


IECEx 03-1 - Serviços de classificação de áreas NBR IEC 60079 - Partes 10-1 e
ção de Serviços Ex devem possuir também um sistema de
contendo gases inflamáveis / poeiras combustíveis 10-2 - Ex 002 (Em elaboração) avaliação da competência Ex do seu pessoal, tanto super-
IECEx 03-2 - Serviços de seleção de equipamentos NBR IEC 60079-14
visores como executantes, em conformidade com os requi-
“Ex” e de projeto de instalações “Ex” Ex 009 sitos das respectivas normas da Série NBR IEC 60079 e das
IECEx 03-3 - Serviços de montagem e de NBR IEC 60079-14
respectivas Unidades de Competência Ex (Ex 000 a Ex 010)
comissionamento de instalações “Ex” Ex 003, Ex 006, Ex 008 de acordo com o Documento Operacional IECEx OD 504.
IECEx 03-4 - Serviços de inspeção e manutenção NBR IEC 60079-17 A existência no mercado de empresas de prestação
de intalações “Ex” Ex 004, Ex 007, Ex 008 de serviços Ex certificadas pode ser considerada como
IECEx 03-5 -Serviços de reparo e recuperação de NBR IEC 60079-19 importante passo no sentido de elevação dos níveis de
equipamentos elétricos “Ex” (Sistema original em 2009) Ex 005 qualidade, segurança e conformidade das instalações e
IECEx 03-5 -Serviços de reparos e recuperação de NBR ISO / IEC 60079 do pessoal envolvido com instalações industriais em áre-
equipamentos mecânicos “Ex” Ex 005 (Em elaboração) as classificadas contendo atmosferas explosivas de gases
inflamáveis ou poeiras combustíveis.
Para a certificação de empresas de prestação de servi- Muitas empresas usuárias deste tipo de serviços Ex nas
ços Ex, de acordo com os requisitos do IECEx, as compa- áreas da indústria do petróleo e petroquímica começaram a
nhias devem possuir um Sistema de Gestão da Qualidade especificar em seus contratos, desde 2009, requisitos de certifi-
(SGQ) Ex, baseado nos requisitos da norma NBR ISO 9001, cação das empresas de prestação de serviços Ex, de forma que
evidenciando que são atendidos, do ponto de vista técnico, estas possam evidenciar de forma adequada o atendimento
de procedimentos, gestão, equipamentos, instalações e de aos requisitos das normas aplicáveis da Série NBR IEC 60079
pessoal, os requisitos das respectivas normas da Série NBR e aos requisitos de certificação de empresas de prestação de
IEC 60079 sobre os serviços a serem certificados. serviços Ex indicados nos Documentos Operacionais do IECEx.

No presente momento, com o de- minação LED e mesmo para o aciona- vimento, aperfeiçoamento e evolução
senvolvimento de microprocessadores mento de pequenos motores em áreas deste importante e dinâmico tipo de
e de circuitos digitais, a segurança in- classificadas. proteção Ex.
trínseca tem seus horizontes abertos Do ponto de vista da segurança em Certamente os níveis de segurança
para alcançar uma nova dimensão, ele- instalações industriais em atmosferas das instalações contendo atmosferas
vando de forma significativa a atrativi- explosivas deve ser desejada longa explosivas e das pessoas que nelas tra-
dade do tipo de proteção Ex “i”. Com vida à segurança intrínseca, em home- balham foram bastante elevados, com o
a introdução do conceito do Power-i, nagem àquelas pessoas que morreram advento e com a evolução da segurança
os valores de potência podem ser ele- na explosão de uma mina subterrânea intrínseca. A depender do presente de-
vados até cerca de 50  W, aumentan- de carvão em 1913, no Reino Unido, senvolvimento deste tipo de proteção
do a possibilidade de aplicação deste bem como àquelas pessoas que desde Ex, o futuro parece proporcionar uma
tipo de proteção para sistemas de ilu- então têm trabalhado para o desenvol- segurança ainda maior.
Foto: Ricardo Brito/HMNews Editora

Roberval Bulgarelli
Consultor Técnico da
Petrobras e coordenador do
Subcomitê SC-31 do COBEI

potência 89
projeto conectar

Projeto Prédio Eficiente –


etapa Salvador
Realizado no dia 28 de abril tomação para eficiência energética e
nas dependências do Pestana Ho- sustentabilidade em edificações. Além
tel em Salvador, Bahia, esta etapa de palestras e explanações, os patro-
do Projeto Prédio Eficiente da Au- cinadores do projeto levaram produtos
reside teve expressiva participação para demonstração, trazendo assim mais
de profissionais das áreas de elétri- atratividade ao evento
ca, telecomunicações e automação. Nesta etapa contamos com a parti-
Na ocasião foram apresenta- cipação da Biltech, da Flex Automation,

Fotos: Divulgação
dos conceitos atualizados de au- da Finder e da Globus.
Mais informações sobre o projeto em www.predioeficiente.com.br

Manuais de escopo de projetos


Esta iniciativa do Secovi-SP procura levar aos contra- além de proporcionar projetos mais completos, sem redun-
tantes de projetos de todas as disciplinas envolvidas na dâncias e plenamente compatibilizados.
construção civil uma metodologia prática e efetiva para Dada a complexidade dos projetos de novos empreendi-
tratar o escopo de cada projetista envolvido. O objetivo é mentos, a Aureside entende que é plenamente justificada a
a transparência na relação entre contratante e projetista, adoção deste conceito e tem estimulado o seu uso entre as
empresas de automação.
Foto: DollarPhotoClub

Visando intensificar esta divulgação, a partir de junho


toda empresa associada da Aureside, ao fazer a renovação
da anuidade, bem como os novos associados, irão receber,
a título de bonificação, uma cópia do Manual de Escopo de
Automação e Segurança, como um novo benefício concedi-
do pela associação.
Além disso, vamos levar a iniciativa para um stand na pró-
xima Expo Predialtec para que todos possam conhecer com
mais detalhes o seu conteúdo. Palestras e apresentações no
âmbito do Congresso Habitar, na mesma data e local, tam-
bém vão tratar deste tema.
Para mais detalhes, conheça a iniciativa em
www.manuaisdeescopo.com.br

90 potência
Apoio:

Projeto Conectar Projeto Conectar Projeto Conectar


Notícias e informações News and information on Noticias e informaciones sobre
sobre o setor de automação the residential and building el sector de automatización de
residencial e predial. automation sector. viviendas y edificios.

Curso de integrador de
sistemas residenciais
As próximas turmas em programação acontecem
em São Paulo (maio), Brasília (junho) e Rio de Janei-
ro (turma extra programada para julho). Participe e
torne-se um profissional capacitado para atuar no
emergente mercado de automação residencial. Con- Foto: DollarPhotoClub

forme levantamentos da Aureside, somente 20% de


todo o potencial do mercado está sendo atendido
no momento, devido à falta de novos profissionais
habilitados. Temos uma ampla oferta de produtos e
soluções das mais atualizadas e inovadoras tecnolo-
gias, mas o mercado ainda carece de bons profissio-
nais que possam estimular mais moradores e suas
famílias a adotarem as soluções de automação que
podem lhe proporcionar mais conforto, segurança e
economia em seus lares. Mais informações em www.cursodeintegrador.com.br

XIV Congresso Habitar


Está se aproximando a nova edi- dimentos Imobiliários Pode Perceber
ção do Congresso Habitar, que ocorre- Valor na Automação Residencial. AURESIDE
rá de 28 a 30 de julho no Pavilhão do Apresentações que mostram as Associação Brasileira de Automação
Anhembi em São Paulo. A programa- diferentes visões dos personagens en- Residencial e Predial
ção detalhada das apresentações e os volvidos no projeto de novas edifica- Rua Hilário Ribeiro, 121
palestrantes selecionados estarão em ções, tais como investidores, constru- CEP 04319-060
breve disponíveis no site www.con- tores e arquitetos, a respeito da utili- São Paulo-SP
gressohabitar.com.br, onde será tam- zação de automação residencial em Fone: (11) 5588-4589
bém possível fazer a sua inscrição para seus projetos E-mail: contato@aureside.org.br
participar do evento. Os temas esco- 3) Tendências no Projeto de Edi- Site: www.aureside.com.br
lhidos para a edição deste ano foram ficações Automatizadas para Maior Diretoria
agrupados em três núcleos, a saber: Eficiência no Uso da Energia e de In- José Roberto Muratori
1) Aplicativos para Domótica e sumos. Diretor-Executivo
Ambientes Inteligentes. Apresentações e discussões de Edison Puig Maldonado
Apresentações voltadas a aplica- projetos e cases com propostas e so- Diretor Técnico
tivos inovadores que proporcionem luções relacionadas à atual crise hídri- Raul Cesar Cavedon
Diretor Administrativo
maior interatividade e instintividade no ca e de energia. Ênfase na automação
e Financeiro
uso da automação residencial. voltada às áreas comuns de condomí-
Fernando Santesso
2) Como o Mercado de Empreen- nios residenciais.
Diretor de Marketing

potência 91
economia

Contrato relevante Inovação a caminho

Foto: Divulgação
Líder mundial nos segmentos globais de limpeza doméstica, A Unidade Embrapii CPqD - Comunicações Ópticas e a Prys-
cuidados pessoais e com a saúde, a Reckitt Benckiser reformulou mian anunciaram um acordo de cooperação tecnológica para
recentemente seus escritórios e sua fábrica no Brasil, localizados desenvolver no Brasil microcabos ópticos a serem instalados em
em São Paulo, e o Grupo Legrand esteve presente nesse projeto, microdutos, pelo processo de sopramento.
através do seu Canal de Soluções em Datacom. A Embrapii (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação In-
A Legrand atuou na implementação do projeto de rede es- dustrial) é uma organização social sem fins lucrativos que tem
truturada com a linha completa LCS² - Legrand Cabling System, a finalidade de fortalecer a capacidade de inovação do País por
com um avançado sistema de conectividade em cobre e óptica meio da cooperação tecnológica entre instituições de pesquisa
para redes de voz, dados e imagem, na Categoria 6, além de ra- e desenvolvimento e companhias do setor industrial. A Prysmian
cks e gabinetes, com design e projeto diferenciados. é atualmente a maior fabricante de cabos ópticos do mundo.
Segundo Guilherme Barbosa, consultor técnico de Negócios Segundo Alberto Paradisi, vice-presidente de Pesquisa e Desen-
do Canal Datacom da Legrand, a obra foi de extrema relevân- volvimento do CPqD, a participação da entidade no projeto será prin-
cia. “Buscamos sempre entender as necessidades do cliente e cipalmente de apoio ao desenvolvimento do microcabo e de valida-
satisfazê-lo com a melhor solução possível. Nos aproximamos ção dos protótipos, além do desenvolvimento dos procedimentos de
da Área de Infraestrutura/TI para o Brasil e América Latina da RB ensaios laboratoriais a serem utilizados na certificação da Anatel e da
e auxiliamos em todas as fases do projeto, apresentando uma realização de um teste piloto em campo (na rede de uma operadora).
solução inovadora e compatível com a necessidade, especifican- A Prysmian, além do desenvolvimento conjunto com a Em-
do o melhor produto para a situação. Além disso, capacitamos e brapii, será responsável pela fabricação dos microcabos, de acor-
certificamos a equipe de engenharia e implantação da RB para do com os requisitos técnicos especificados em conjunto com
uma total excelência e satisfação com a solução e acompanha- o CPqD. “Estamos orgulhosos de ser parte desse projeto, pois
mos a finalização da Rede Estruturada e sua Garantia Estendida. inovação em sistemas de transmissão de informação faz parte
O Canal Datacom da Legrand e nossos parceiros trabalharam do DNA da empresa”, comentou Marcello Del Brenna, CEO da
em conjunto, com o objetivo de atender às necessidades da RB”. Prysmian Group América do Sul. O microcabo óptico terá o nú-
Responsável por todo o tráfego de dados e imagem, o Grupo cleo altamente compactado, apesar de acomodar a mesma fibra
Legrand proporcionou para a RB do Brasil uma garantia no canal óptica dos cabos atualmente disponíveis no mercado. Um cabo
permanente de 25 anos, um diferencial de mercado. Todos os 450 óptico com 288 fibras, por exemplo, tem hoje aproximadamente
pontos de rede permitem uma velocidade de tráfego de dados e 18 milímetros de diâmetro, enquanto o microcabo, com o mes-
imagem de 1 Gbs e equipamentos e apli- mo número de fibras, deverá ter 11,5 milímetros no máximo.
cações em base giga foram certificados e Essa compactação permitirá o melhor aproveitamento do espa-
não só atenderam às medições das nor- ço, de modo a atender maior número de operadoras de telecom
mas vigentes para instalações de cabea- ou eventuais necessidades de expansão das redes existentes.
mento estruturado, como apresentaram Uma das principais vantagens dos microcabos ópticos é a
performance superior à exigida, garan- instalação em microdutos, que requerem valas de tamanho re-
tindo o sucesso da reformulação, além duzido e cuja escavação dispensa a necessidade de obstrução
da qualidade dos produtos Legrand. das vias públicas.
Foto: Divulgação

Modernização de redes
A Itron Inc., empresa líder mundial em tecnologia e tecnologias de comunicação – radiofre­quência (RF) e comu-
serviços dedicada ao uso inteligente de energia e água, nicação via rede elétrica (PLC) – que funcionam em harmo-
anuncia que trabalhará com a Eletrobras, uma das prin- nia no mesmo dispositivo e em tempo real. A tecnologia se-
cipais companhias de energia elétrica do Brasil e a maior leciona dinamicamente o melhor caminho de comunicação
da América Latina, para modernizar a rede elétrica da com base nas condições operacionais da rede, atributos de
empresa. As seis empresas de distribuição subsidiárias dados e requisitos de aplicações.
da Eletrobras implementarão OpenWay Riva da Itron, Além disso, a tecnologia Itron Riva oferece uma plata-
primeira solução que conta com a tecnologia de comuni- forma de software unificada baseada em dispositivos para
cação adaptativa e com o poder da computação distribu- novas aplicações de rede inteligente que se beneficiam das
ída para apoiar novas aplicações de rede inteligente na comunicações de alto desempenho e do poder da computa-
rede IPv6 da Cisco. ção distribuída na rede de baixa tensão. Isso possibilita novas
A solução da Itron conta com a nova tecnologia de abordagens que melhoram a precisão e a oportunidade de
comunicação adaptativa Itron Riva, que permite que a Ele- detecção e análise de quedas de energia, gerenciamento de
trobras implemente uma única rede que incorpora duas carga de transformadores e detecção de desvio de energia.
Foto: DollarPhotoClub

92 potência
Economia Economy Economía
Notícias e dados sobre a economia News and data on the sector Noticias y datos sobre la economía
do setor, incluindo balanços, aquisições, economy, including balance sheets, del sector, incluidos los balances,
fusões e investimentos. acquisitions, mergers and investments. adquisiciones, fusiones e inversiones.

Visão otimista Parque de


laboratórios
Em visita ao Brasil, Stephen Timms, presidente para as Américas da Click-
Software Technologies Ltda., especialista no fornecimento de soluções para a
gestão automatizada e otimização da força de trabalho e serviços em campo, A TÜV Rheinland Brasil, subsidiária de
afirmou durante evento voltado aos clientes que o cenário econômico recessivo um dos maiores grupos mundiais de certi-
representa para as empresas brasileiras uma ameaça às conquistas realizadas ficação, inspeção, gerenciamento de pro-
nos últimos anos, “mas também pode significar uma oportunidade única”. jetos e treinamento, acaba de adquirir o
O executivo mostrou sua visão de como as empresas brasileiras podem LABEN, um laboratório totalmente novo,
Foto: Divulgação

aumentar a produtividade e a lucratividade de suas operações, além de abordar o que com estrutura moderna e equipamentos de
imagina ser o futuro dos serviços em campo e de atendimento ao cliente. “O Brasil já última tecnologia, construído em Joinville
está maduro para adotar soluções de WorkForce Management. Tendo em vista a crise (SC), para atender à crescente demanda
econômica em que o País se encontra e o impacto da baixa produtividade no lucro das brasileira por testes e ensaios de produtos.
empresas, tecnologias como as  da ClickSoftware podem ajudar, e muito, as compa- Com essa aquisição, a TÜV Rheinland
nhias prestadoras de serviço a conquistarem ganhos reais em lucratividade”, enfatiza. passa a ser detentora de um dos maiores
De acordo com Timms, uma empresa de médio porte que possui mil funcionários e mais modernos parques laboratoriais
em campo, um custo médio de US$ 50 milhões com funcionários por ano e desempe- independentes (que não pertencem aos
nho operacional em campo total de 20 mil tarefas concluídas por semana, por exemplo, fabricantes) do Brasil e líder nacional em
conseguiria com a tecnologia ClickSoftware realizar mais uma tarefa extra por dia, por capacidade para realizar testes em fogões
funcionário - um ganho de 5% a mais de tarefas por semana. a gás domésticos e motobombas.
O executivo também falou sobre o comunicado recente feito pela ClickSoftware O LABEN também é um dos principais
informando a assinatura de um acordo definitivo para ser adquirida pelo fundo de in- centros tecnológicos para os testes de pro-
vestimento Francisco Partners Management, em uma transação avaliada em aproxima- dutos como aspirador de pó, liquidifica-
damente US$ 438 milhões e que deve ser concluída em julho deste ano. De acordo com dor, torradeira e outros exigidos pela nor-
Timms, a aquisição da companhia afetará o Brasil positivamente. “A Francisco Partners ma 371 do Inmetro, considerada uma das
possui 17 empresas especializadas em cloud e grande expertise na área de tecnologia. mais complexas, em função da diversidade
Agora, teremos ainda mais recursos para investir no desenvolvimento de nossos pro- de eletrodomésticos fabricados e importa-
jetos e soluções”, esclarece. dos no Brasil. O laboratório ainda ensaia
equipamentos de jardinagem e possui uma
ampla câmara climática para testar até seis

Somatória de expertises refrigeradores ao mesmo tempo.


“O LABEN representa o que há de mais
Duas empresas de projetos de siste- “São duas empresas fortes, com
moderno no mercado de ensaios de pro-
mas prediais de Minas Gerais acabam de muitos anos de mercado, que sempre
dutos. Com isso, a TÜV Rheinland preten-
se fundir. A Projelet e a Ecom, ambas com mantiveram boa saúde financeira e têm
de oferecer melhor atendimento a atuais e
sólida reputação no mercado da constru- crescido nos últimos anos. Com um bom
futuros clientes, agregando à sua estrutura
ção civil, assinaram o contrato de fusão planejamento, estão aptas a crescer ain-
brasileira um laboratório de alta tecnologia
de capitais no último dia 6 de maio. Tendo da mais e de forma consistente”, avalia
e de significativa capacidade de execução”,
entre seus clientes as maiores construto- o consultor da Prolucro, Flávio Barcellos,
explica o gerente geral de certificação de
ras do Estado e diversas outras no País, ao responsável pelo processo de avaliação
produtos, Mariano Mercado.
se unirem elas formam uma das maiores da viabilidade da fusão.
A partir desse investimento, a TÜV
companhias de projetos de Minas. A Projelet e a Ecom estão somando, res-
Rheinland tem como objetivo crescer no
pectivamente, 12 e 23 anos de experiência.
segmento de eletrodomésticos e de fo-
Foto: Divulgação

A Ecom agrega à Projelet, seus conhecimen-


gões a gás, nos quais já atua, e dar os pri-
tos em obras de grande porte e do segmen-
meiros passos no mercado de certificação
to de alto luxo. A Projelet, por sua vez, há
de motobombas, principalmente junto aos
anos se aprimora em projetar todos os tipos
fabricantes e importadores localizados na
de instalações prediais, de forma integrada.
região Sul do Brasil.
“Estamos apostando na união de experiên-
O laboratório catarinense é acredita-
cias para aumentar nossa competitividade,
do pelo Inmetro e especializado em testes
sedimentarmos nossa atuação em Minas e
que apontam a conformidade obrigatória
sustentarmos nossos projetos de expansão
de fogões, motobombas e eletrodomésticos
fora do Estado”, justifica o diretor Comer-
com as normas do instituto de metrologia
cial da Projelet, Bruno Marciano.
e de organismos internacionais.

potência 93
vitrine

Energia e dados
As caixas de piso Legrand para distribuição de energia e dados é uma exce-
lente alternativa em custo-benefício e foram desenvolvidas para aplicações em
piso elevado, contrapiso e monolítico. Seus acessórios e tomadas podem ser defi-
nidos na etapa de acabamento da obra. As caixas de piso elevado (foto) possuem
características diferenciadas, como instalação segura, rápida e sem a necessidade
de qualquer tipo de parafuso. Sua modularidade permite a utilização de 8 módu-
los, com diversas funções como voz, dados, imagem e elétrica, das linhas Nereya
e Pialplus. No cabeamento estruturado pode-se utilizar RJ45, com a tecnologia
LCS² – sem ferramenta de impacto, ou no formado LINKEO – ambas no padrão
Keystone e com garantia estendida. Já no cabeamento elétrico, pode-­se utilizar
as tomadas com bornes automáticos, que possui conexão dos fios e cabos três
vezes mais rápida.

Eficiência e luminosidade
A Osram apresenta ao mercado brasileiro a linha SIRIUS HRI®, indicada para aplicações
em canhões de luz, também conhecidos como moving heads. Aprovada pelas empresas líderes
no segmento de moving light, as lâmpadas combinam eficiência e alta luminosidade devido
ao arco curto e à alta pressão. Os lançamentos se destacam pela leveza e longa vida útil (até
6 mil horas), sem perder qualidade na iluminação. Disponível nos modelos 132 W, 140 W, 190
W, 190W+, 230 W, 280 W, 280 W RO, 330 W e 330 W X8, a SIRIUS HRI® já é amplamente uti-
lizada internacionalmente em shows de música, além de casas noturnas, estúdios e diversos
locais voltados ao entretenimento. Outro diferencial dos produtos está no design moderno,
que simplifica a reposição de lâmpadas e permite grande flexibilidade. As temperaturas de cor
variam de 8.000 a 9.200 K e o IRC vai de 60 a 85, dependendo do modelo.

Disjuntor caixa aberta


O braço de soluções industriais da GE Energy Management está ampliando
o seu portfólio de produtos com o lançamento do disjuntor caixa aberta Entelli-
Guard T. Projetado com o máximo de inovações tecnológicas, o equipamento pos-
sui tamanho reduzido - o que facilita a sua instalação e manuseio - além de pos-
suir painéis com colunas mais estreitas e permitir a instalação de dois disjuntores
caixa aberta na mesma coluna. Adicionalmente, o novo disjuntor é equipado com
a mesma unidade de proteção do disjuntor EntelliGuard™ G, que proporciona a
mais moderna tecnologia em matéria de segurança, confiabilidade, medição, relés
e comunicações por meio dos protocolos Modbus ou Profibus. Desenvolvido para
operar em aplicações industriais, o novo produto da GE possui tensão nominal de
1.000 Volts, corrente nominal variando de 400 a 1.600 A e alto poder de interrup-
ção: 50 a 65 kiloampères. O equipamento também atende à norma IEC 60947-2.

94 potência
Vitrine Showcase Vitrina
Divulgação de novos produtos e Promotion of new products and Promoción de nuevos productos y
soluções. solutions. soluciones.

Carregador coletivo
A Linha VCHARGER da Valemam é um sistema de
carregadores coletivos, desenvolvido para proporcionar
acesso prática e versátil para cargas de
equipamentos. Os produtos são ofere-
cidos em alumínio anodizado e podem
ser fixos no piso, parede ou no mobili-
ário. Permitem maior comodidade para
que as pessoas possam carregar seus
equipamentos que utilizam portas USB
e tomadas de energia, oferecendo acesso
rápido, prático e seguro. Pode ser aplica-
do em aeroportos, universidades, rodovi-
Solução de robótica
árias, estações de metrô, eventos e cam- Desenvolvido pela ABB, o robô modelo IRB 1520 ID é dedicado à
panhas publicitárias, shoppings, etc. solda arco e projetado para reduzir custo de projeto e manutenção. De
elevada precisão, ele tem alcance de 1,5 m com capacidade de carga
de 4 kg. Todo seu cabeamento relacionado a energia, gás e arame de
solda é integrado ao braço, o que facilita a instalação, programação e
operação do robô. Esse equipamento é um dos diferenciais da ABB na
construção e fornecimento de células padronizadas de solda arco em que
a alta qualidade e a otimização de custos são fundamentais. O cliente
conta com pacotes completos integrados com tocha e fonte de solda de
parceiros reconhecidamente qualificados.
agenda Junho 2015

cursos
Noções Básicas de Iluminação LED
Data/Local: 02/06 – São Paulo (SP)
Informações: www.avantled.com.br

Materiais sustentáveis: LEED V3 e as Novas Demandas do LEED V4


Data/Local: 11 e 12/06 – São Paulo (SP)
Informações: cursos@gbcbrasil.org.br

Conformidade das Instalações Elétricas de Baixa Tensão Parte 2 - Formação Prática


Data/Local: 15 a 17/06 – São Paulo (SP)
Informações: www.barreto.eng.br e cursos@barreto.eng.br

Integrador de Sistemas Residenciais


Data/Local: 22 a 24/06 – Brasília (DF)
Informações: contato@aureside.org.br e (11) 5588-4589

Instalador Fotovoltaico Off-grid


Data/Local: 22 a 26/06 – São Paulo (SP)
Informações: www.neosolar.com.br

eventos
Redes Subterrâneas de Energia Elétrica 2015
Data/Local: 01 a 03/06 – São Paulo (SP)
Informações: rpmbrasil@rpmbrasil.com.br

Ilume Expo 2015 – 4ª Exposição e Fórum de Gestão de Iluminação Pública


Data/Local: 01 a 03/06 – São Paulo (SP)
Informações: rpmbrasil@rpmbrasil.com.br

VI Seminário Internacional de Energia Nuclear 2015


Data/Local: 17 e 18/06 – Rio de Janeiro (RJ)
Informações: (21) 2262-9401/2244-6211

Encontro de Profissionais Eletricistas – São Paulo


Data/Local: 17/06 – São Paulo (SP)
Informações: (11) 4028-5451

Fórum Potência 2015


Data/Local: 18/06 – Recife (PE)
Informações: (11) 3436-6063 e publicidade@hmnews.com.br

Brazil Solar Energy Conference


Data/Local: 23 e 24/06 – Rio de Janeiro (RJ)
Informações: bsec2015@cleantechinvestor.com

96 potência
Potência facilita o contato rápido e direto, sem intermediários, entre leitores e anunciantes desta edição.
Consulte e faça bons negócios.

Empresa anunciante pág. telefone site e-mail

CONNECTFAIR 13 (11) 2730-0524 www.connectfair.com.br cotrim@rofereventos.com.br

CORDEIRO 2 e 3 (11) 4674-7400 www.cordeiro.com.br contato@cordeirocabos.com.br

DATALINK 61 (11) 5645-0900 www.afdatalink.com.br vendas@afdatalink.com.br

DAISA 57 (11) 4785-5522 www.daisa.com.br daisa@daisa.com.br

DUTOTEC INDUSTRIAL 17 0800-7026828 www.dutotecx.com.br -

ETTORE 33 (11) 5571-5152 www.ettorehd.com.br contato@ettorehd.com.br

FACENS 9 (15) 3238-1188 www.facens.br facens@facens.br

FUNDAÇÃO SALVADOR ARENA 29 (11) 4359-6551 www.fundacaosalvadorarena.org.br faleconosco@cefsa.org.br

Fórum Potência 4 e 5 (11) 3436-6063 www.hmnews.com.br contato@hmnews.com.br

GENERAL CABLE-Phelps Dodge 99 (11) 3457-0300 www.generalcablebrasil.com vendas@generalcablebrasil.com

HMNEWS 21 (11) 3436-6063 www.hmnews.com.br contato@hmnews.com.br

IFC COBRECOM 100 (11) 2118-3200 www.cobrecom.com.br cobrecom@cobrecom.com.br

INTELLI 59 (16) 3820-1500 www.intelli.com.br intelli@intelli.com.br

PRYSMIAN 63 (11) 4998-4000 www.prysmiangroup.com/br webcabos@prysmiangroup.com

PRODUTO SEGURO 49 - www.produtoseguro.com.br -

PROJECT - EXPLO 81 (11) 5589-4332 www.project-explo.com.br contato@project-explo.com.br

QUALIFIO 37 - www.qualifio.org.br -

SIL FIOS E CABOS ELÉTRICOS 67 (11) 3377-3333 www.sil.com.br sil@sil.com.br

SUPERGAUSS 27 (11) 5693-6322 www.supergauss.com.br roberto@supergauss.com.br

STECK IND. ELÉTRICA 7 (11) 2248-7087 www.steck.com.br vendas@steck.com.br

TI NORDESTE 77 (71) 3480-8150 www.tinordeste.com contato@tinordeste.com

TIKAO COMUNICAÇÃO 47 (11) 2376-3700 www.tikao.com.br -

UL do Brasil 85 (11) 3049-8300 www.ul.com info.br@ul.com

VR PAINÉIS 95 (17) 4009-5100 www.vrpaineis.com.br marketing@vrpaineis.com.br

Wirex Cable 55 (11) 2191-9407 www.wirex.com.br vendas.cabos@wirex.com.br

WETZEL 25 (47) 3451-4033 www.wetzel.com.br marketing@wetzel.com.br


Recado do Hilton Eficiência

As instalações elétricas
(finalmente) começam a se

Fo
o:t
Do
lla
rP
ho
to
Cl
ub
parecer com aviões
M
uito antigamente com Le- cientistas, engenheiros, técnicos, ele- ser seguras (basta seguir as regras), nes-
onardo Da Vinci e, bem tricistas e usuários de eletricidade que tes tempos de olhar para o planeta com
mais tarde, com Santos não bastava fazer funcionar os apare- mais carinho, chegou a hora de olhar
Dumont e outros gênios lhos elétricos e lâmpadas. Era preciso com atenção para a eficiência ener-
inventores, o único (e nada fácil) objetivo que as pessoas ficassem vivas quando gética desse produto (neste contexto,
era fazer flutuar e voar um objeto mais próximas às redes elétricas! Deixando entenda-se produto como a instalação
pesado do que o ar. de lado a invenção da cadeira elétrica, elétrica completa).
Superada essa complicada etapa, todos os demais usos da eletricidade A grande novidade neste assunto
com o avião agora no céu, o passo se- tinham o claro objetivo de propiciar vem da comunidade internacional. Pu-
guinte foi dedicado a tornar o voo segu- conforto para as pessoas ainda vivas e blicada em outubro de 2014, a norma
ro para o piloto, passageiros e a própria não o conforto prometido do descanso IEC 60364-8-1: Low-voltage electrical
aeronave. Após o desenvolvimento de da vida eterna. installations - Part 8-1: Energy efficiency
tecnologias e materiais, que custaram Identificado este sério problema, a (Instalações elétricas de baixa tensão –
milhares e milhares de homens-hora e corrida passou a ser pela busca da se- Parte 8-1: Eficiência energética) forne-
milhões e milhões em dinheiro, essa fase gurança elétrica. No início investiu-se na ce requisitos, medidas e recomendações
também foi superada com sucesso. Ago- isolação dos condutores, que até então para a concepção, montagem e verifi-
ra o avião voava e era seguro. eram majoritariamente nus; inventou-se cação de todos os tipos de instalação
O próximo assunto passou a ser a o fusível, essencial na proteção dos pro- elétrica de baixa tensão, incluindo a
autonomia das aeronaves, que no iní- dutos e, de quebra, das pessoas. Passou-­ produção e armazenamento de ener-
cio era muito pequena. E a autonomia se a confinar as partes vivas dentro de gia para otimizar o uso eficiente total
passou a ser corretamente interpreta- invólucros, aparecendo então os primei- de eletricidade local.
da como uma questão de melhorar a ros dispositivos elétricos abrigados em IEC 60364-8-1: seja bem-vinda a
eficiência energética do veículo aéreo. caixas. Na década de quarenta do século bordo das instalações elétricas!
Pesquisas e desenvolvimentos de no- XX, surgiu o disjuntor e, na década de Ainda vamos ouvir falar muito de você.
vos materiais, da aerodinâmica, de no- setenta o dispositivo DR foi desenvolvi-
vos combustíveis e uma série de outros do. Na mesma época, os cabos isolados Até a próxima edição!
temas correlatos ajudaram a criar as em “pano” foram trocados por isolações
classes de aviões com autonomias in- sólidas termoplásticas e termofixas, com
tercontinentais. características antichama. E por aí segue
Thomas Edison, ao iluminar um a evolução da segurança, chegando aos
bairro de Londres pela primeira vez em relés inteligentes, sensores, detectores,
1881, queria tão somente que as lâmpa- cabos e produtos não halogenados, etc.
das das edificações acendessem. Naque- Tudo isso para aumentar a seguran-
la experiência pioneira, a segurança não ça das pessoas e do patrimônio, como
era a parte fundamental do trabalho. prescrito em forma de regras na nossa
Vencidos os incontáveis obstáculos NBR 5410.
operacionais dos anos seguintes, ficou Seguindo a trilha da aviação, agora Hilton
evidente para Edison e todos os outros que as instalações funcionam e podem Moreno

98 potência
NOSSO
PORTFÓLIO
DE PRODUTOS
AUMENTOU
NOVOS PRODUTOS E
UMA NOVA MARCA.

vendas@generalcablebrasil.com

I N D Ú ST R I A

O F F S H O R E

Ó L E O , G ÁS E P E T R O L E O

C O N S T R U Ç ÃO C I V I L

C O MUNI C AÇ ÃO D E D AD O S

TR A NS MIS S ÃO D E E N E R G I A

E NE RG I AS R EN O V ÁV EI S

www.generalcablebrasil.com

Você também pode gostar