Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Centro De Ciências Humanas e Sociais (CCHS) - Escola De Educação


Licenciatura em Pedagogia
Disciplina: História da Educação Brasileira
Professora: Nailda Marinho Costa
Aluna: Mônica Soraya Alves Ramos Teixeira Ervilha
Matrícula: 20192352020
Data: 04/12/2020

 Comentários sobre a letra da música “Meus Tempos de Criança”

Esta música reflete, na visão do autor, um tempo saudosista onde ele busca
expressar, de maneira singela, o cotidiano de uma criança, seus brinquedos,
sua escola e a representatividade da professora nesta expressão de
recordação.
Quando se refere à possibilidade de retornar no tempo expressa a
felicidade outrora vivida e a intenção de permanecer nesse lugar onde sua
alegria era plena. Rememora a pequena cidade e os acontecimentos
marcantes associados ao lugar.
Recorda-se da professora que o introduziu no mundo das letras e faz um
paralelo à constituição da identidade docente no imaginário social sendo
centrada na figura de uma pessoa do sexo feminino, e nos remete a
feminilização do magistério onde a mulher, representada como biologicamente
inferior, fragilizada, dedicada ao lar, tendo no altar sua esperança de felicidade
e como triunfo a maternidade, estas mulheres se perceberam excluídas dos
espaços públicos masculinos. E neste contexto o magistério surgia como
oportunidade de transformação de rotina e ocupação dos espaços negados
anteriormente. Mesmo através destas mudanças o magistério se deu nas
séries iniciais pelas qualidades “maternas” das professoras.
O autor, ao citar e se incluir no grupo de crianças, traz o brincar e os objetos
culturais para além da lembrança. Anexa as relações sociais envolvidas na
produção do brincar.
“Jogos de botões pelas calçadas...” explicita critérios envolvidos na
produção e circulação dos brinquedos, onde tanto as crianças transformam os
objetos ao brincar quanto se transformam em brinquedo. Isso inclui adaptações
de linguagem, meio social entre outros requisitos fundamentais que
representam e reforçam o brinquedo como linguagem pedagógica.
A oferta de brinquedos às crianças nos revela suas transformações
cognitivas e suas implicações na formação do indivíduo e suas memórias
afetivas. Esse adulto autor ressignificou a representatividade do brinquedo que
povoou sua infância tornando-o, para além de um mero objeto produzido por
um adulto que intencionava suprir a necessidade do brincar, o foco central da
lembrança que o faz concentrar o episódio de felicidade em sua vida.
Referências:

https://www.letras.mus.br/odair-jose/meus-tempos-de-crianca
Acesso: 04/12/20 as 22h
https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistateias/article/view
Uma história cultural dos brinquedos: apontamentos sobre infância,
cultura e educação - Rita Marisa Ribes Pereira
Acesso em: 04/12/20 as 21:30