Você está na página 1de 8

C.M.T.M.

– Curso Médio de Teologia Ministerial


Matéria: Aconselhamento Pastoral – Pr. Gilberto Fernandes Coelho

HOMOSSEXUALISMO

Estudantes: Maurício Farias


Jailton Souza
Benjamim Barroso
Eleilton William
Márcio Roberto

São Paulo, Maio de 2006.


Homossexualismo

HOMOSSEXUALISMO

Não existe provavelmente outra palavra em nossa língua que seja um


símbolo de tão grade controvérsia e que provoque tão rápidas reações emocionais.
Há várias décadas atrás o homossexualismo era raramente mencionado na
sociedade refinada.
As coisas começaram a mudar. Em 1948 o pesquisador Alfred Kinsey
calculou que quatro por cento da população americana era homossexual, e declarou
que nos Estados Unidos 37% da população masculina havia cometido pelo menos
um ato homossexual, e 50% havia respondido em algum ponto de suas vidas a
uma motivação homossexual.
Em 1958 um relatório publicado pelo governo abala a Inglaterra. O
Homossexualismo se torna tema de debates nos meios governamentais.
O presente seminário está sendo apresentado numa tentativa de resumir o
que conhecemos sobre homossexualidade, indicar os pontos de controvérsia, afim
de podermos compreender e ajudar as pessoas com tendências homossexuais.
A maioria dos autores usa o termo homossexual para se referir a pessoa que
se envolve em atos sexuais com pessoas do mesmo sexo. Existem três tipos de
homossexuais:
 Homossexuais manifestos
 Homossexuais Latentes ( Não assumem, e até negam)
 Homossexuais Circunstanciais (Ex.: Um prisioneiro)
Hoje em dia 1 a cada 10 pessoas são homossexuais.

A Bíblia e o Homossexualismo

A Bíblia fala muito pouco sobre o homossexualismo, porém fica claro que o
mesmo não é aprovado, mas também não recebe mais ênfase como sendo pior do
que os outros pecados.
Muitos autores tentam explicar o assunto, no entanto todos eles começam
com sua opinião e depois usam os textos bíblicos para as defenderem. Por exemplo
uns condenam totalmente o Homossexualismo, enquanto outros concluem que o
mesmo é um dom de Deus. Mas vamos ver o que a bíblia diz:
 O Antigo testamento condena claramente o homossexualismo. A lei de
Moisés condenava a Sodomia (Dt. 23:17). Segundo o dicionarista mais conhecido
por nós (Aurélio), sodomia é o ato sexual anal. A palavra hebraica para esses que

2
Homossexualismo

assim procedem é “Kadesh” que quer dizer pessoa consagrada aos cultos impuros
do paganismo.
 No Novo Testamento existem três referências à homossexualidade

a) I Corintios 6:9 e I Timóteo 1:10 falam de Sodomitas e Efeminados.


Efeminados são aqueles homens com jeito de mulher, meio mole... A palavra grega
é “Malakoi” que significa mole macio, suave. E que em outros textos é traduzida
como roupas finas (Mateus. 11:8; Lucas 7:25). Enquanto que sodomitas é
“ArsenoKoites”. “Arseno” é macho, varão e “Koites” se deriva da palavra “Koiton”
que é quarto, significando um leito nupcial para relações sexuais, para acasalar-se.
É o homem que tem relações sexuais com outros homens. A homossexualidade é
condenada nestas passagens, juntamente com idolatria, roubo, assassinato,
mentira e outros pecados.

b) Temos também a referência de Paulo em Romanos 1:26-27 que é


mais dura ainda. Paulo escreveu sua carta aos Romanos da cidade de Corinto, a
capital dos vícios gregos, e sem duvida já vira ali evidências suficientes sobre as
práticas homossexuais. Nesta época prevalecia o chavão “pecado grego” que
consistia justamente no homossexualismo. A tradução da palavra mulheres no
versículo 26 não é a melhor. Ela poderia ser traduzida como fêmea. A palavra
usada pelo apóstolo pode tanto ser usada para indicar seres humanos, como
também animais irracionais. A homossexualidade é comum entre algumas espécies
de animais. O que Paulo quer dizer então? De criaturas mais excelentes de Deus os
humanos que tais atos cometem descem a um nível equivalente ao reino animal.
Não trazem estampados a imagem de Deus mais a imagem de um animal.

Toda vez que a homossexualidade é mencionada na bíblia, a referência é


negativa. O autor do livro ainda defende que os pensamentos e sentimentos
homossexuais não são condenados em nenhum ponto das escrituras, ainda usa um
texto fora de contexto (Hb. 4:15) para defender sua opinião. Se a bíblia condena o
ato, os sentimentos e pensamentos também devem ser condenados. Um exemplo
claro para nós é o adultério, que tanto o ato como os pensamentos são condenados
por Jesus.

3
Homossexualismo

As Causas do Homossexualismo

Vários pesquisadores concluíram que não existe evidência para apoiar a idéia
que a homossexualidade tenha uma causa física ou biológica.
Resta-nos a idéia de que o homossexualismo é aprendido. Existem várias
teorias de como isso acontece:

1. Relacionamentos entre Pais e Filhos;


2. Outros Relacionamentos Familiares;
3. Medo: alguns temem o sexo oposto talvez devido a falta de contato freqüente
com pessoas do sexo oposto. Um livro acrescenta que grupos religiosos às vezes
promovem o homossexualismo quando proíbem a interação entre meninos e
meninas. Neste ambiente de condenação ao heterossexualismo o homossexualismo
se torna uma alternativa mais segura e menos temível.
4. Escolha Deliberada de Atos Homossexuais: Segundo a descoberta de um
escritor:
É mais correto dizer que os seres humanos – e outros mamíferos – tem capacidade
para uma resposta heterossexual e capacidade para uma resposta homossexual ao
nascer, mas não possuem uma decisão inata em direção de uma ou de outra.
Depois de a capacidade de resposta ter sido explorada e o aprendizado começar,
podemos então falar de uma tendência a uma ou a outra sexualidade. Mas esta
tendência é adquirida e é um produto do aprendizado e não parte da herança
biológica do indivíduo.

Os efeitos homossexuais

Os indivíduos homossexuais são naturalmente afetados cada um de um modo,


mas a homossexualidade influencia especialmente três áreas:
1. Os Efeitos no Estilo de Vida: Um relatório sobre os “Bairros Gay”, descreveu a
recente emergência de comunidades homossexuais onde as lojas servem aos gays,
onde praticamente não há mulheres e crianças, e onde os estilos de vestuário
refletem a maneira de vestir adotada no momento pelos homossexuais. Mais
proeminentes são os relatórios sobre professores e líderes de juventude do sexo
masculino que molestam sexualmente rapazinhos e os induzem a atos
homossexuais. Outros escritores descreveram o número crescente de bares gays.
Tais relatórios despertaram medo e repulsa na mente de muitos, inclusive membros
da igreja.

4
Homossexualismo

Entretanto, não existe um estilo de vida homossexual. É incorreto e impiedoso


concluir que a maioria dos homossexuais sejam molestadores de crianças,
afeminados (no caso dos homens), psicologicamente mal ajustados, e
constantemente preocupados com sexo. Tais estereótipos levaram os cristãos a
repelir os homossexuais e negar-lhes a aceitação que deveriam encontrar na
comunhão da igreja. É também verdade que muitos deles são cidadãos aceitos e
seguidores da lei da comunidade. Alguns vivem juntos abertamente; outros
mantém suas tendências homossexuais ocultas e controladas.
O estilo de vida deles é influenciado de modo diferente. Alguns declaram
publicamente outros ocultam, e outros vivem com um medo silencioso e persistente
de que sua orientação homossexual possa vir inadvertidamente à tona e provocar a
perda de amigos, empregos e aceitação por parte de outros.

2. O Autocontrole e os Efeitos Emocionais: Alguns gays proclamam que, além de


bom, ser homossexual é algo da superioridade à pessoa. Muito mais predominante
é o complexo de inferioridade que atormenta quem quer que seja diferente da
maioria. Culpa com respeito a homossexualidade, solidão, temor de deixar
transparecer, a própria homossexualidade. Diante da pressão, a solução é a fuga
para os “bares gay”.
3. Efeitos no Relacionamento: inúmeros homossexuais formam relacionamento com
pessoas do mesmo sexo, porém, no geral é temporário.

ACONSELHAMENTO DOS HOMOSSEXUAIS

Para o bom desempenho do aconselhamento a homossexuais, deve-se evitar


a repulsa pelos homossexuais, evitar zombar, condená-los ou aceitar sem críticas
os estereótipos sobre “homossexuais típicos”. Deve-se pedir a Deus que nos
conceda compaixão pelos homossexuais e ter uma visão ampla a respeito do
problema.
O homossexualismo não é uma doença, mas uma inclinação que muitas vezes
leva a atos de comportamento sexual. É possível conseguir mudanças
especialmente quando um dos seguintes elementos estão presentes:
 um aconselhado que aceite com franqueza a sua homossexualidade
 o desejo sincero de mudar por parte do aconselhado
 disposição para romper com os companheiros homossexuais que tentam o
aconselhado a ter um comportamento homossexual
 vontade de evitar drogas e álcool que deixam a pessoa vulnerável a tentação

5
Homossexualismo

 desejo de evitar o pecado e entregar a vida e seus problemas á soberania do


Senhor Jesus Cristo.

O conselheiro pode então ajudá-lo da seguinte maneira:

 Determine Alvos do Aconselhamento- Não suponha que você sabe o que ele
quer até que pergunte e discuta as resposta do aconselhado.
 Instile Uma esperança Real- A pessoa nem sempre pode mudar para uma
orientação heterossexual, mas pode ajudada e ser livre do envolvimento e
atividade homossexual.
 Transmita Conhecimento- Os homossexuais que procuram aconselhamento
talvez creiam nos maiores mitos a respeito do seu problema. Desde que o
homossexualismo é aprendido, existe esperança de que possa ser
desaprendido. Desde que o comportamento é pecado, ele pode ser perdoado e
dominado.
 Mostre Amor e Aceitação Pela Pessoa- Mais do que tudo, o indivíduo que luta
com a homossexualidade , seja ele cristão ou não cristão, necessita
desesperadamente de amor. Ele ou ela foi ferido por padrões familiares
patogênicos, influências ambientais distorcidas, ou, basicamente, pelo pecado
que afeta cada um de nós. Se não houver uma comunidade de crentes
aguardando o homossexual e disposta a aceitá-lo e apoiá-lo, pode haver então
retorno rápido ao velho estilo de vida.

Encoraje a mudança de comportamento.

Uma barreira no aconselhamento e manifesta quando o homossexual


continua envolvido com outros homossexuais.
Se ele experimentar recaídas, deve-se discutir de maneira direta, paciente,
firme e amorosa.
Lembre o aconselhado que, Cristo perdoa e o Espírito Santo esta sempre
pronto para ajudar-nos a resistir a tentação e para perdoar o comportamento
pecaminoso.

Reconheça que o aconselhamento pode ser complexo.

Pelo fato de o homossexualismo ser enraizado ao longo do tempo, pode ser


que exija mais tempo e mais perícia no aconselhamento do que o líder da igreja

6
Homossexualismo

possui. Isto não é dito para desanimar o conselheiro. Mais é importante que fique
atento, pois em alguns casos a transferência para um conselheiro pode ser a melhor
maneira de ajudar.

Três abordagens ao aconselhamento homossexual:

1 - Abordagens Psicanalíticas. Tem como objetivo ajudar o homossexual a


conhecer as causas de sua orientação sexual. Esta não é muito adotada pelo fato de
exigir de 150 a 300 análises pscanalíticas.
2 - Abordagens Compartamentais. Essa abordagens tentam ajudar os
aconselhados a desaprenderem suas preferências pelo mesmo sexo e reaprenderem
a orientação sexual.
Nesta abordagem é incentivado o uso de figuras excitantes e até mesmo o
sexo fora do casamento. Porém esta não é recomendada aos cristãos pelo fato de ela
chocar-se com nossa maneira de conceber o sexo.
3 - Abordagem da fase Múltipla. A idéia de Jhon Powell o conselheiro de uma
universidade é que. Esta abordagem tem dois estágios: o pré-múltiplo e o múltiplo.
Na fase premultipla o conselheiro do mesmo sexo mostra aceitação, calor e apoio,
discutindo as possíveis causas do homossexualismo e o alvo do aconselhamento. A
seguir ele muda para a fase múltipla. Nesta um conselheiro do sexo masculino e
outro do feminino tentam mostrar e ensinar ao aconselhando como os homens e
mulheres reagem de maneira mutuamente satisfatória.
A idéia de Powell é que o conselheiro precisa conhecer o ambiente familiar
do homossexual incentivar o relacionamento com o sexo oposto. E também chegar
ao ponto de fazer com que o aconselhado aceitem a idéia de mudar com a ajuda
divina.

Evitando o Homossexualismo

Como vimos, a evidência no sentido de que o homossexualismo é


uma condição aprendida e não genética, glandular ou fisiológica é bastante forte.
Se isso for verdade, o homossexualismo pode ser então evitado oferendo
experiências de aprendizado que estimulem a heterossexualidade. Isto não
significa, naturalmente, que podemos fazer uma conferência ou recomendar uma
leitura e esperar que tais coisas impeçam o homossexualismo. O aprendizado deve
ter inicio no lar mesmo antes da criança aprender a ler.

7
Homossexualismo

 Formação de ambientes domésticos sadios: Desde que a homossexualidade no


geral se desenvolve em lares que existem conflitos entre os pais e rejeição dos
filhos, o lar é onde deve iniciar-se a prevenção.
 Transmissão de dados corretos sobre o homossexualismo: É trágico observar a
condenação e horror com que tantos cristãos reagem ao homossexualismo.
Crescendo num ambiente assim, os jovens aprender a temer os homossexuais,
e a suprir quaisquer tendências “gays” em si mesmos em lugar de enfrenta-las.
A alternativa não é desenvolver atitudes liberais que negem a pecaminosidade
do ato homossexual. Por tanto a alternativa para as igrejas é ensinar o que a
bíblia diz sobre a sexualidade humana (inclusive a homossexualidade), o amor,
a amizade e o controle sexual.
 Desenvolvimento de autoconceitos sadios: O fracasso no amor ou do trabalho
pode deprimir tanto o homem, que ele se sente incapaz de manter um
relacionamento com uma mulher. E se ele sente-se inadequado ou pouco
masculino, ele pode buscar um relacionamento seguro onde não tenha de agir
como homem. Portanto as igrejas e lares podem ajudar os individuos a
formarem autoconceitos realistas e positivos e isto, por sua vez, pode contribuir
para a prevenção da homossexualidade.
Conclusão sobre homossexualismo: É impossível quantas pessoas,
inclusive cristãos lutam com impulsos homossexuais. Temendo a rejeição e por se
sentirem incompreendidos, tais indivíduos não tem coragem de admitir suas
tendências – algumas vezes até para si mesmas. Ao refletirem sozinhos a esse
respeito, essas pessoas lutam com sentimentos de culpa e autocondenação
descobrindo racionalizações para explicar ou perdoar seus pensamentos ou atos
sexuais. Pessoas assim podem ser ajudadas e a igreja pode ser um lugar de ajuda.

Bibliografia:

 Aconselhamento Cristão (Collins) – Ed. Vida Nova


 O Novo Testamento Interpretado (R. N. Champllin) – Ed. Agnos
 O Novo Testamento Interlinear – Sociedade Bíblica
 Léxico do Novo Testamento
 Dicionário Aurélio
 Dicionário da Bíblia (John Davis) – Ed. Agnos
 Romanos (John Murray) – Ed. Fiel