Você está na página 1de 5

Dr. Rodrigo Loshi e Dra.

Nayara Massunaga

Efeitos da suplementação com Vitis vinifera


no tratamento da obesidade

Supplementation Effects of Vitis vinifera in the treatment of obesity

Resumo
A obesidade é uma condição caracterizada pelo excesso de gordura corporal, com preocupantes implicações à saúde, uma
vez que há uma associação entre o excesso de peso e doenças crônicas. A intervenção nutricional pode modular as alterações
metabólicas, corroborando com a melhora no quadro do paciente. As estratégias propostas incluem alimentos, suplementos e
fitoterápicos com ações antioxidante e anti-inflamatória, como a Vitis vinifera. A maioria dos estudos foi realizada em modelos
experimentais animais, porém mostram efeitos promissores. Mais pesquisas randomizadas em humanos, com um período maior
de intervenção, são necessárias para confirmar os benefícios.
Revista Brasileira de Nutrição Funcional - ano 15, nº65, 2016

Palavras-chave: obesidade, Vitis vinifera, antioxidantes, suplementação

Abstract
Obesity is a condition characterized by the excess of body fat, with health implications of concern, since there is an association
between overweight and chronic diseases. Nutritional intervention can modulate metabolic changes, confirming the improvement
in the condition of the patient. Proposed strategies include foods, supplements and phytoterapics with antioxidant and anti-in-
flammatory actions, such as Vitis vinifera. Most studies were conducted in experimental animal models, but show promising
effects. Further randomized trials in humans, with a longer period of intervention, are needed to confirm the benefits.

Keywords: obesity, Vitis vinifera, antioxidants, supplementation.

26
Efeitos da suplementação com Vitis vinifera no tratamento da obesidade

Introdução Branco (23,9%), Campo Grande (22,3%) e

A
Natal (22,3%). Menor frequência de obesidade
entre homens ocorreu em Salvador (9,8%),
A obesidade é uma doença multifatorial
Goiânia (11,8%) e Belo Horizonte (13,3%); entre
com tratamento complexo e multidisciplinar1.
mulheres, os menores índices ocorreram em São
De acordo com a Organização Mundial da
Luís (12,3%), Teresina (13,9%) e Vitória (14,2%).
Saúde (OMS) 2, a obesidade é uma condição
caracterizada pelo excesso de gordura corporal,
com preocupantes implicações à saúde, uma
vez que há uma associação entre o excesso de Obesidade: causas e fatores
peso e doenças metabólicas3. Sabe-se que o
tecido adiposo tem função de armazenamento de Decorrente de influências genéticas e não
reservas energéticas na forma de triglicerídeos, genéticas, a obesidade pode ser desenvolvida
sendo considerado um órgão endócrino pela pelas informações hereditárias do organismo do
liberação de adipocinas que têm atividade pró indivíduo, ou seja, pelo genótipo, ou por meio
ou anti-inflamatória, e em pacientes obesos está externo, circunstâncias de interações psicossociais
associado ao aumento das concentrações séricas que influem sobre ações fisiológicas de gasto e
de adipocinas pró-inflamatórias4. consumo energético7,8.
O consumo de alimentos como suco de uva e A alimentação atual, dominada por alimentos
vinho tinto tem sido associado com maior qualidade processados ricos em gorduras saturadas, aditivos
de vida pelo aumento da saúde cardiovascular e químicos e xarope de milho com alta concentração
sua importante ação antioxidante, ganhando de frutose e pobres em micronutrientes, tem
destaque pelo seu potencial para promoção da contribuído para a epidemia mundial da obesidade.
saúde5. Sendo assim, o objetivo desta revisão foi Disfunções endócrinas, hipotireoidismo e
investigar os efeitos da suplementação de Vitis problemas no hipotálamo podem ser fatores
vinifera no tratamento da obesidade. A busca de etiológicos na fisiopatogenia da obesidade, bem
artigos indexados foi realizada nas bases de dados como hipogonadismo e ovariectomia, modificações
PUBMED e Portal da CAPES. Os descritores na função ovariana ou hipersensibilidade no
pesquisados foram: obesidade, Vitis vinifera, eixo hipotálamo-hipófise-adrenal (que pode ser
antioxidantes e suplementação, todos associados consequência da síndrome do ovário policístico)9.
ou não, em português e em inglês. Foram incluídos
artigos completos e excluídos trabalhos que Obesidade e inflamação
apresentassem cunho medicamentoso e projeto
de estudo.
O excesso de tecido adiposo em indivíduos
obesos também aumenta sua capacidade de síntese
de moléculas com ação pró-inflamatória, por meio
Obesidade no Brasil Revista Brasileira de Nutrição Funcional - ano 15, nº65, 2016
do fator de transcrição nuclear kappa B (NF-
kB)10, que é considerado o principal modulador
A pesquisa Vigitel6, realizada em cada uma das da expressão dessas moléculas, contribuindo para
capitais dos vinte e seis estados brasileiros e do a patogênese de várias doenças, normalmente
Distrito Federal averiguou que, para o conjunto associadas à disfunção do adipócito (Figura 1).
da população adulta dessas cidades, a frequência O tecido adiposo branco, além de armazenar
de adultos obesos variou entre 3,2% em São Luís energia, é considerado um importante órgão com
e 21,3% em Rio Branco. As maiores frequências função endócrina e de produção de moléculas
de obesidade em homens foram observadas nas bioativas, com propriedades metabólicas e
cidades de João Pessoa (21,1%), Natal (19,9%) e imunomoduladoras. A inflamação crônica nesse
Campo Grande (19,6%); já no caso das mulheres, tecido tem sido evidenciada como um fator crucial
os maiores índices de obesidade foram em Rio na fisiopatogenia da obesidade11.

27
Dr. Rodrigo Loshi e Dra. Nayara Massunaga

Figura 1. Inflamação do tecido adiposo e desequilíbrio de marcadores inflamatórios.

No tecido adiposo normal, células do sistema imunológico interagem de maneira favorável à homeostase e regulação de transporte e
ao armazenamento de lipídios nos adipócitos, com manutenção do equilíbrio metabólico e imunológico. Com a superalimentação e o
balanço energético positivo, os adipócitos sofrem hipertrofia, com consequente desequilíbrio de células do sistema imune, acarretando
em acúmulo de macrófagos e ruptura de adipócitos, favorecendo uma disfunção metabólica e imunológica, formando um ciclo vicioso
em quadros de obesidade.
Fonte: Adaptado de Exley et al.11

A superalimentação crônica leva ao aumento lipídica, estresse oxidativo, hipóxia nos adipócitos
do tecido adiposo, favorecendo a hipertrofia dos hipertrofiados e ativação de receptores Toll-like
adipócitos e prejuízos no armazenamento de por ácidos graxos livres11.
energia, o que resulta em dislipidemia, resistência
à insulina e disfunção do tecido adiposo. Esta Vitis vinifera e obesidade
alteração no tecido adiposo está relacionada com
aumento da inflamação, que envolve recrutamento
dos macrófagos (M2), os quais, por sua vez, As uvas (Vitis sp.) constituem uma das
liberam as citocinas pró-inflamatórias (IL-6 e culturas de frutas mais importantes do mundo.
TNF-alfa) que induzem a lipólise. O TNF-alfa Elas são consumidas como frutas frescas, bem
liberado induz mais inflamação e recrutamento como na forma de vinho, suco e outros produtos
de macrófagos. O TNF-alfa é sintetizado por processados​​. Há cerca de 60 espécies de uva no
monócitos, macrófagos e adipócitos, tem ação gênero Vitis, e as espécies V. vinifera, ou uvas
autócrina, parácrina e endócrina em diversas europeias, são as mais cultivadas13,15.
funções biológicas e contribui para redução da O extrato de semente de uvas contém
sensibilidade à ação da insulina12. O TNF-alfa proantocianidinas e oligômeros de procianidinas
Revista Brasileira de Nutrição Funcional - ano 15, nº65, 2016

suprime a fosforilação e a atividade do receptor (PCO). Em 2003, a FDA conferiu ao extrato de


tirosina quinase (IR) e do substrato 1 do receptor semente de uva o reconhecimento de segurança
da insulina (IRS-1) nos músculos e tecido adiposo, (generally recognized as safe – GRAS)13.
o que reduz a translocação do transportador de As procianidinas das sementes da uva,
glicose 4 (GLUT-4) para membrana, contribuindo sabidamente, inibem a peroxidação de lipídios
para um desequilíbrio na utilização de glicose porque são captores efetivos de ânion superóxido,
e consequente hiperglicemia10. Os mecanismos do ânion radical hidroxila e dos radicais peroxila
de ativação da inflamação no tecido adiposo lipídicos14-16.
branco ainda não são completamente elucidados, O vinho e as uvas têm sido relacionados com
todavia pressupõe-se que haja envolvimento de efeitos cardioprotetores, com ação principal do
gatilhos como lipotoxicidade, estresse em retículo resveratrol, sendo importante ressaltar que a
endoplasmático secundário ao excesso de carga prescrição do princípio ativo resveratrol isolado

28
Efeitos da suplementação com Vitis vinifera no tratamento da obesidade

é proibida para nutricionistas segundo resolução camundongos cada, sendo o primeiro grupo
CFN nº 525/2013. Assim, dentro desta condição, aquele que recebeu dieta controle (DC); o segundo
torna-se interessante a prescrição nas formas de grupo, uma dieta hiperlipídica (DH); e o terceiro
extrato seco, tintura ou infusão de Vitis vinifera grupo, DH + suplementação de extrato de Vitis
como fonte de resveratrol, além de outros vinifera (250 mg/kg/dia) por 12 semanas. O
compostos fenólicos como antocianinas, flavonóis, grupo suplementado teve menor ganho de peso e
flavonoides, proantocianidinas, PCO, estilbenos e aumento do colesterol HDL comparado ao grupo
ácidos fenólicos17,18. DH. Esse mecanismo é explicado pelo aumento
A atividade antioxidante do extrato de semente da enzima carnitina palmitoil transferase (CPT-I),
de uva (300 mg/dia, durante cinco dias, padronizado que participa do ciclo da β-oxidação, mostrando
em 150 mg de procianidinas de uva por cápsula) foi um potencial para controle do peso e efeito
estudada em 20 adultos saudáveis e não fumantes, cardioprotetor.
que seguiam um padrão dietético padronizado, Em outro estudo, ratos induzidos ao diabetes
em um estudo cruzado, randomizado e controlado e suplementados com 250 mg/kg/dia de extrato
por placebo. A capacidade antioxidante total de semente de uva rico em proantocianidinas
do soro do grupo que recebeu tratamento foi obtiveram melhora na captação de glicose por
substancialmente melhorada em relação aos aumento de GLUT-4 na membrana plasmática,
valores basais, enquanto não houve modificação sendo, portanto, um possível agente anti-
no grupo que recebeu o placebo19. hiperglicemiante24.
Em uma pesquisa conduzida com camundongos Hokayem et al. 25 avaliaram 43 adultos
que receberam uma dieta hiperlipídica com sedentários, com sobrepeso/obesidade e diabéticos
a administração do extrato de Vitis vinifera tipo II, divididos em grupos controle e placebo,
(250 mg/kg/dia) foi mais eficaz no controle do suplementados com 2 g/dia de polifenois da uva
triglicérides, HDL e colesterol total, comparado durante 8 semanas, e na 9ᵃ semana foi introduzido,
ao grupo sem uso do extrato20. O mecanismo é a durante 6 dias, 3 g/kg/dia de solução de frutose com
atividade antioxidante dos compostos flavonoides, concentração de 20%. Os resultados mostraram
como as proantocianidinas e PCO, que inibem efeito protetor para a função mitocondrial e contra
a ação das enzimas colagenase, elastase e o estresse oxidativo no grupo suplementado,
hialuronidase, envolvidas na quebra da estrutura mecanismo relacionado com a manutenção da
vascular, comum em pacientes com diabetes. sensibilidade a insulina frente à sobrecarga de
Em ratos sob tratamento com 750 mg/kg/dia frutose. Importante ressaltar que, durante o estudo,
de paracetamol e suplementados com extrato de não houve nenhuma queixa de mal estar com a
sementes de Vitis vinifera em solução concentrada dose consumida.
em 20% (1.438 mg) de polifenóis, houve Alguns PCO podem ter atividade antiagregante
diminuição dos marcadores hepáticos (ALT, plaquetária e, portanto, seriam contraindicados
AST) e dos marcadores da função renal (ureia e para os pacientes que fazem uso de anticoagulantes
ácido úrico) e aumento das enzimas superóxido ou que estão prestes a serem operados26. Revista Brasileira de Nutrição Funcional - ano 15, nº65, 2016

dismutase e glutationa, mostrando-se uma boa


opção para efeito hepatoprotetor21. É comum Conclusão
pacientes com obesidade apresentarem, na
avaliação laboratorial, aumento das enzimas
hepáticas e dos marcadores de função renal, e a A suplementação com Vitis vinifera mostra
introdução de alimentos com efeito funcional é resultados animadores e promissores no
uma abordagem importante22, complementando tratamento da obesidade, principalmente devido
com a suplementação de Vitis vinífera, pelos aos efeitos antioxidantes, mostrando-se segura
efeitos protetores supracitados. com doses elevadas (2 g/dia) por 8 semanas em
Park et al.23 avaliaram o efeito da suplementação adultos. Como a causa da doença é multifatorial,
com Vitis vinifera em três grupos com dez não se pode criar grandes expectativas com

29
Dr. Rodrigo Loshi e Dra. Nayara Massunaga

a suplementação isolada, ressaltando que a clínicos randomizados e controlados, com um


intervenção dietética individualizada e a prática maior período de intervenção, são necessários.
de atividade física são fundamentais. Mais ensaios

Referências

1. (ABESO) Associação Brasileira para o estudo da obesidade e da síndrome metabólica. Atualização das Diretrizes para o
tratamento farmacológico da obesidade e do sobrepeso. Diretrizes Brasileiras de Obesidade da ABESO, 2010.
2. WORLD HEALTH ORGANIZATION. The world health reported reducing risks, promoting healthy life. Geneva: World Health
Organization, 2002. p.167.
3. MANCINI, M.C. Tratado de obesidade. 1ª ed. São Paulo: Guanabara Koogan, 2010
4. CANTARIN, M.P. et al. Relationship of adipokines with insulin sensitivity in African Americans. Am J Med Sci; 342 (3): 192-7,
2011.
5. NAKATA, R.; TAKAHASHI, S.; INOUE, H. Recent advances in the study on resveratrol. Biol Pharm Bull; 35 (3): 273-9, 2012.
6. VIGITEL, Brasil. Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por inquérito telefônico. Ministério da Saúde,
2012.
7. REJESKI, W.J. et al. Lifestyle change and mobility in obese adults with type 2 diabetes. N Engl J Med; 366 (13): 1209-17, 2012.
8. GONÇALVES, H. et al. Adolescents’ perception of causes of obesity: unhealthy lifestyles or heritage? J Adolesc Health; 51 (6):
46-52, 2012.
9. GUEDES, E.P.; MOREIRA, R.O.; BENCHIMOL, A.K. Endocrinologia. 1ª ed. Rio de Janeiro: Rubio, 2006.
10. COZZOLINO, S.M.F.; COMINETTI, C. Bases Bioquímicas e Fisiológicas da nutrição nas diferentes fases da vida, na saúde e na
doença. 1ª ed. São Paulo: Manole, 2013.
11. EXLEY, M. et al. Interplay between the immune system and adipose tissue in obesity. J Endocrinol; 223 (2): R41-8, 2014.
12. CAWTHORN, W.P.; SETHI, J.K. TNF-alpha and adipocyte biology. FEBS Lett; 528(1): 117-31, 2008.
13. TALBOTT, S.H.; HUGHES, K. Suplementos dietéticos para profissionais da saúde. 1ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,
2008.
14. BAK, M.J. et al. Anti-inflammatory effect of procyanidins from wild grape (Vitis amurensis) seeds in LPS-induced RAW 264.7
cells. Oxid Med Cell Longev; 2013: 409321, 2013.
15. LIANG, Z. et al. Antioxidant and antiproliferative activities of twenty-four Vitis vinifera grapes. PLoS One; 9 (8): 105-146, 2014.
16. TSAO, R. Chemistry and biochemistry of dietary polyphenols. Nutrients; 2: 1231-46, 2010.
17. XIA, E.Q. et al. Biological activities of polyphenols from grapes. Int J Mol Sci; 11: 622-646, 2010.
18. YANG, J.; MARTINSON, T.E.; LIU, R.H. Phytochemical profiles and antioxidant activities of wine grapes. Food Chem; 116: 332-
339, 2009.
19. NUTALL, S.L. et al. An evaluation of the antioxidant activity. J Clin Pharm Ther; 23 (5): 385-9, 1998.
20. JIN, H.Y. et al. Neuroprotective effects of Vitis vinifera extract on prediabetic mice induced by a high-fat diet. Korean J Intern
Revista Brasileira de Nutrição Funcional - ano 15, nº65, 2016

Med; 28 (5): 5796-86, 2013.


21. MADI, A.A.; FAROUK, E.M. Lipid-lowering and hepatoprotective effects of Vitis vinifera dried seeds on paracetamol-induced
hepatotoxicity in rats. Nutr Res Pract; 9 (1): 37-42, 2015.
22. SCHWENGER, K.J.; ALLARD, J.P. Clinical approaches to non-alcoholic fatty liver disease. World J Gastroenterol; 20 (7): 1712-23,
2014.
23. PARK, S.H.; PARK, T.S.; CHA, Y.S. Grape seed-derived procyanidins have an antihyperglycemic effect in streptozotocin-induced
diabetic rats and insulinomimetic activity in insulin-sensitive cell lines. Nutr Res Pract; 2 (4): 227-233, 2008.
24. PINENT, M. el al. Grape seed-derived procyanidins have an antihyperglycemic effect in streptozotocin-induced diabetic rats
and insulinomimetic activity in insulin-sensitive cell lines. Endocrinology; 145 (11): 4985-90, 2004.
25. HOKAYEM, M. et al. Grape polyphenols prevent fructose-induced oxidative stress and insulin resistance in first-degree relatives
of type 2 diabetic patients. Diabetes Care; 36 (6): 1454-1461, 2013.
26. MCKENNA, D.J.; JONES, K.; HUGHES, K. A Desktop Reference for the Major Herbal Supplements. New York: Haworth Press,
2001.

30