Você está na página 1de 36

' :

DÊ$T88mW#q é

:"; ::;:: : ;: ; :

EMD Oq .Oq2

RELÊ $1NCRONIZAD©R PARA REGULADOR


DETEN$é M©N©FÃSIC©

EDIÇÃQI.l

Dezembro - 2G$$
DÊRETQRÍÂ DE D!ATRIBUIÇÃO
zna&ü.üç
.--;çEB nv»"w-'-', --kvpH%w#F
bHHàKFpf ",'""'m r#'"h-',nf -""::l: i?3t:
""Üe!: bu'-frffFfv++n Z::!:!Eg'ç
nwpF#rffF r%
ã:FICHÃ7ÊÇNiCÂ

= Especificação de Materiais aa
l í)istribuição EMD criada pela Gerência
de Qualidade de Energia
GRQE/$OE/DI em abril e maio de 2018 ii
Essa revisão data de novembro 6e 20]8. ll

11Gel"ente: Marcos Aui"éllo de $ouza Limo ll

i GEQ - G©$tã© da QuaÊldade e


l Narmatização
Telefone 3465 9a01
EspÉêlflãÀ8Ãã ãÊ @ÀfÉIÍIÃlã Õ 7 EMD - aq,8q 2
Di$TRiBUiÇAG
Página
RELÊ $1NCRONÊZÃDOR PARA REGULADOR
DE TENSÃO MONOFA$!C0 - Edição 'l .'i

ESPECiFÊGAÇAO DE MATERIAL DÃ DiSTRl8UiÇÂQ

EMD 0$.ü$2 Edição ] Revisão q Dezembro/203$

RELÊ $iNCRONIZÂDORPARA REGULÂDQR DE TENSÃO MONOFÁSICA

ELABORA   APROVA   HOMOLOGA AO

 
Marcos Aurélia de $ouza Limo
Gerente de QuagÉdadede
  Rildc MarieV T. d $iiv
Superintendente da $OE
I' .l , :\-

Mãu ro MartêneÉÉtPeneira
Ê)ireepr de Distribuição CEB-D
.-.: , l

Energia - GRQE

CEB DISTRiBU}ÇÃOS.A
E$PÊGIFgCAÇÃO DE MATERIAIS DA gMD - Oq.Oq2
Dg$TRi8UgçÃO
Página
az$7'#f©uí©.40 RELÊ $ÊNCRONtZÀDOR PARA REGULADOR 4/36
DE TENS,ÃG MONO)FÃ$$CO-- Edição l .'i

SUMÁRIO
l OBJETIVO 7

2. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES


2.1 Normas
2.2. Terminologia
. 8

3. 3ErINiCOES. 8

3 l Relê Sincronizador 8

3 2. Fluxo Inverso. 9

3 3. Regulador de tensão(tipo transformador) 9

3 4. Regulador de pensão por degraus (posições} 9

3 4. 9
. Regulador de tensão por degraus, l:ipoA .
3 4 2. Regulador de tensão por degraus. tipo 8 9

3 5. Load Bónus. 9

4. CONDIÇÕES GERAIS
4 l Condições gerais de serviço . 0

4 2. identificação do relê do protetor de rede


4 3. Acondicionameni:o
e transporte. L]
4 4. Operação requerida para o relê sincronizador. i2
4 5. Gaí"anl:la 0

4 6. Documentação para a proposta


4 6 1. Lista de exceçães ou desvios desça Norma.
4 6 2. Relacâo de desenhos ]

4 7 Manuais }4

4 8. Peças sobressaieni:ese acessórios adicionais. 5

4 9. Treinamenta. 16

5. CARACTERiSTÊCAS CONSTnUT:VAS j7
5 l Relê sincronizador ]7

5 2. Painelfronta 17

5 3. Podas de comunicação
5 4. Informações visualizadas no dispiay
5 5. Funções do relê sincronizador. {8
Q 5 1.Tensão dereferência
K
5 2. Correção monofásica livre. ]9
5 5 3. Correrão monofásica com sincrorlisÊna . ]9
5 5 a..Correrão trifásica !9
5 5 5.Precisão oulnsensibllldade !9
E 5
6.Temporização.
q
5 7. Compensação de queda de linha 19

q q 8. Detecção de fluxo inverso 2{}

CE.B DISTRIBUlçAOS..'\
C E$PEG}FiGAÇAQ DEMATERiÃi$ DA EMDL a4.Q32
D!$TRIBUIÇÂO
Página
RELÊ $1NGRQNiZÁDOR PARA REGULADOR 5/36
DE TENSÃO MONOFÁSICO - Edição ] .4

5.5.9. Limltador de tensão . 20


5.5.iO. Llmitador de corrente. 20

5.5.]1 . Regulação para geração distribuída 20

5.5.i2. Indicador
detap. 20
5.5.'i3. Autozero 20

5.5.i4. Load bónus automática.


5.5.i5. Contador de operações. 21

5.5.'16. Detecçãode falhas. 2'1

6. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 2]
6.1. Característicasnominais 21

6.1.1.Tensão de operação 2'1

6.1,2. Frequêncianominal 21

6. 1.3.AÊerramenta 21.

6.2. Descrição geral do ralé de protetorde rede. 21

6.2. 1. Modos de operação do relê 22

6.3. Protocolo de comunicação. 22


6.4. Memória 23

6.5. interface de comunicação 24

6.6. Informações do reié, 24

6.7. Outras informações. 24

7. INSPEÇAO 25

7.1. Generalidades 25

7.2. Ensaios 26

7.3. Ensaios detipo. 26


7.4. Ensaios de recebimento 27

7.5. Ensaios complemerltares de recebimento. 27


7.8. Procedimentopara execução dos ensaios. 27

7.7. inspeção geral.. 28

7.8. Verificação dimensionar 28

7.9. Testes operacionais 28

7 9 1.Teste seieção de modo de operação 28

7.9.2. Modos de ope!"ação monofásico, monofásico com sincronismo e trifásico 28

7 .9 .3 .Comunicação . 29
7.9.3.1 . Leitura de Dados. 29
7.9.3.2. Parametrização 29
7.9.3.3. Comandos 29

7. iO. Verificação de ajustes. 29


7.10.1 . Tensão de referência, insensibilidade e temporização. 29
7.10.2. Modo de correção monofásico com sincronismo. 30

C[B DISTRIBUiCÃOS..4
ã

especiriéÀI)Ãã OEMATERIAISDA EMD - OI Q12


D!$TR98UgçÂO
Página
RELÊ $iNCRQMIZÃDOR PARA REGULADOR 6/36
DE TENSÃO MQNOFÁ$iCO - Edição 'i.'t

7.10.3. Modode correrão trifásico 30

7.10.4. Compensação de queda de linha. }0

7.'i0.5. Detecção de fluxo inversa 30

7.'10.6. Limitadosde tensão


7,i 0.7. Limll:odor de corrente. 30

7.i0.8. Load bónus automático 30


3't
7.'10.9. Regulação para geração disi:rlbuída
7.'i0.10. Detecçãode falhas 3'!

7.tO.i 1. Contador de operações.


7.]0.12. Indicado!"detap.
7.10.13. Imunidadea surtos de alta energia 3

7. '10. 'i4. Imunidade a transitórios eiétricosl 3':

7.'1D.'i5. Imunidade a campos eletromagnéi:ices irradiados . 3

7.iO.16. Imunidade a campos eletromagnéi:ecos de rádio Inte#erêncla 32

7.10.'17. Imunidadea campos magnéticosde frequência industria 32


l
7.'10.18. Impulsode tensão.
7.10.19. Tensão aplicada 32

7, '10.20. Descargas eletrosÍáticas. jz


7.10.21 . Imunidade a transitórios eiéÊricos rápidos. 32

7.i0.22. Falha de alimentação


7.10.23. Emissividade conduzida e radlada 32

7.i0,24. Suportabilidadeao frio


7. '10.25. Ciclotérmico 33

7. 10.26. Calor seco 33

7. 'iQ.27. Caiar úmido. 33

7.i0.28. Vibração
7.'i0.29. Grau de proteção iP54 e iK9. 5

8 ACEIT,qÇÃO OU REIEIÇÃa.
8. 1. Generalidades 33
34
8.2. Acedi:ação ou rejeição no$ ensaios de recebimento.
8.3. Responsabilidade do proponente 5

8.4. Relatório de ensaios. 35

9. ASSÊSTÊNCÊA TÉCNICA 36

(:EB DÍS"f'RIBijiÇÃO S.A


': - , ; ! ,
E$PECIFÊÇÂÇAQ:DE METERIA!$ DA
Dl$TR$BUIÇAO
©f$'F89Bgj$.é NELE $iNCRONIZADOR PARA REGULADOR
DE TENSÃO MONOFÁSICO - Edição 1.4

$, QBJETiVa
Esta Especificação Técnica estabelece os requislÊosmínimos exigíveis para o
fornecimento de ralé sincronizador para regulador de tensão monofásico: frequência
60 Hz; em tensão primária de distribuição 13.800V: na área de concessão da CEB
Distribuição $.A

O relê deverá atender a todos o$ requisitos estabelecidos nesta Especificação


Técnica

Esse documentoutilizoucomo base 8 EMD 01.011 CEB-DiS - Relê para protetorde


rede subterrânea secundária: I' Edição, de março de 2018

2. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Na aplicação desta Especificação Técnica; poderá ser necessário consultar as normas


e documentos apresentados a seguir

2.] . Normas

EiAHIA R$232C -- Características eiétricas para Sistema de comunicação


serial
iEEE $TD 802.3 - EÊhernet;
EMD 0] .009 CEB-Di$ Regulador de tensão monofásicode média {ensãol
IEC 60255 22-5/02 Imunidade ã surtos de alta energia
IEC 6C255-22-1/88 - Imunidade a transitórios elétrlcos:
iEC 61 000-4-3/QO-- Imunidade a campos eletromagnétlcos Irradiados
iEC 60255-22-6/0] -- Imunidade a campos eieiromagnéticos de rádio
interferência
IEC 6] 000-4-8/00-- Imunidade a campos magnéticos de frequência indus{ ial
> IEC 60255-5/00 -- Impulso de Êensãol
> IEC 60255 5/00 -- Tensão aplicada
» iEC60255-22 2/96 -- Descargas eieÊrostáiicas
> IEC 60255-22-4/02 -- Imunidade a transitórios eléÍricos rápidos
iEC 61000-4-1 1/00 - Falha de allmenÊaçãol
IEC (.)l$PR 22 - Emissividade conduzida e radiada:
> IEC 60068-2-i -- Suportabilidade ao frios

EB DISTRIBUI'çAO S./\
F-

ESPECIFICAÇÃO DE MATERêA8$ DA EMD- ü] .a12


D!$YRIBUgçÃO
Página l
aíS7"8{eug©Za RELÊ $$NÇRONÊZÂOOR PARA REGULADOR 8/36
BE TEN$ÃG MONOFÁSICO - Edição l.q

IEC 60068-2-1Á - C)joio!érmica


IEC 6QD68-2-2-- Calor'seca:
IEC 60068-2-78 - Calor amido
> IEC 60255 2]-1 -. Víbraçãol
> NBR 5456 Eletricidade geral - Terlninoioglal
N8R 7116 Revéselé ricos Ensaio de lsolaçãa
NBR ] 1809 Reguladores de {ensãol
> NBR IEC 60529 - Graus de pro eção para invólucros de equipamentos eiétricos
(código IF')l
N8R IEC 62262 Graus de contra Impaçios mecânicos (código IKI

MaÊa=Todas a$ nor:nas que tiverem sofrido atualização deverão $er substituídas oela
versão mais recente. As normas mencionadas não excluem ouÊía$ reconhecidas.
desde que:

a} Assegurem qualidade igual au superlorl


b Sejam mencionadas pego propcnenÊe na proposta técnica
cl Sejam anexadas ã proposÍal
d) Sejam ceia $ pela CEB-D

2.2. Terminologia

ABNT - Associação Brasileira de Narinas "l'écnÊcas


ANSI -.Amerlcan Natlcnal Standards Insíltute
A.STM - American $ociety fo! Testing and Materiais
EMD EspecificaçãoTécnica de Materiaise Equlpamenios da Distribuição
tEC - ineernatlona{ ElÊecÍfoÊechnfçal C;ommlsslon
IEEE insÍltuÍeof Eiectrical and [Êecironlcs Engineers
NBR -- Norma Brasileira

DEFINIÇÕES

Para os efeitosdesta Especificação Técnica serão adotacas as seguintes definições

3.'t. Relê $1ncranizador


O$ revésslncronizadcres são dispositivosde monieoramenÍoe comando; reunindoas
funções de até 3 revés mais um slncronizador em um Único equipamento; capazes de
(':i!.B DiS"!'RI'B {.ÍIÇ:ÃO S .A.
-'''} \

a
afspge©ujÇ,ãa
E$PEGiFI CIÃÇÃa DÊ {gÍÃTER}ÃiS D'Â
Di$TR$BUiÇAO
RELÊ $1NCRONIZADOR PARA REGULADOR
Página
9/36
DE TENSÃO MONOFA$ÍCC) - Edição 'i .'Ê

monltorar até 3 reguladores monofásicos: do tipo A ou B: projetados segundo 8 ÂBNT


NBR 1] 809 e IEEE/AN$1 C.57.] 5.: de 32 posições mais a posição neutra

3.2. Fluxo êmverso

Situação na qual o fluxo esta no sentido opas o à condição estática da {opoiogiada


rede. Podendo agarrar em casas de manobra ou reconfiguraçãode circuitos:e ainda:
devido a grandes blocos de geração distribuída a jusante do regulador.

3.3. Regulador d©tensão(tipo transformador)


Equipamento elétrlco de indução que possui um ou mais enrolamentos em paralelo
com G circuitoprimário, sendo excitado poí este: e um ou mais enrolamentos em série
entre o circuito primárioe o circuito reguiadoltodos convenientementeadaptados e
dispostos para o controleda tensão ou do ângulo de fase, ou de ambos: do circuito
regulado

3.4. ReguÊadar de tensão par degraus(posições)


Autotransformador na qual a tensão do circuito regulado é controlada através de tapes
(degraus ou posições) e $em causar a interrupçãoda carga

3.4.q. Regulador de tensão por degraus, tipo A


Regulador de excitação variável Guio enrolamento paralelo está conectada
dãretamenteao circuito primário. O enrolamento série está conectada ao enrolamento
f)araielo e; por meio das derivações: ao circuito regulado

3.4.2. Regulador de Êensãa por degraus, tipo 8


Regulador de excitação constante cujo enrolamento paralelo está conectada
dlretamente ao circuito regulado. C} enrolamento série está colectado ao enrolamento
paralelo e: que por sua vez: está conectada ao circuito regulado

3.5, Load Bónus

Faixa de trabalho acima da corrente nominal do regulador: variando Inversamente


proporcionalao percentual de ajuste da tensão de saída. Podendo chegar a ]6C)% da
corrente nominal, limitadaa 5% de variação da tensão, conforme tabela abaixo:

CtiB DÍS'rR113U]ÇÃ.(]S.A
.,g ã
ESPECIFICAÇÃO DE MATERIAIS DÂ EMD - 8] .üq2
DÊ$TRgBUãçAO
Página
agsraf6ui$.ãG RELÊ $!NGRONiZADOR PARA REGULADOR IC;'36
DE TENS.ÃO MONOS,Ã$ÊCC - Edição 't.'l

Percentual de corrente fap lImIte Percentual de regulação


nominal

    la%

  120%
  t127.5%
8.75%

    $.25%

 
4, GGNDÊÇõg$ GERAIS

4.} . Condãçãe% gerais de serviço

Q relê sincronizador será instalado ao tempo: próximo ao regulador de tensão e


deverá esgar de acordo com os requisitos a seguir

ü) 'temperatura ambienteentre 0 'C e 45 'C


b> Temperatura média andai de 2]:1 '(;
c} ,Qititudede até 1 200 ml
d) Um[dade relativa do ar no inverno: 25% em média; podendo chegar a ]0%
8} Umldade relativa do ar no verão: 68% em média; podendo chegar a i 00%l
Q Grau de proÊeçãodo relé=IP54 e IK9

A temperatura máxiwlaioíai de cada uma das várias peças do relê sincronizador não
deverá exceder a$ valores esoeclficados para seus materiais consÊitulnÍes

4.2. IderÊtlfl ção do relê do praÊetorde nade

(.) relê sinçronlzadoÊ'deverá possuir piada de Identificaçãode modo a permiÊlra leitura


das suas caracterísicas

To(ias a$ !nformações deverão ser gravadas: em baixo relevo: em poquguês de morena

legiveieindeiével

CE.B l)iSTRIBiJíç:ÃO S.A


A placa de Identificação deverá $er fabricada em metal resistente à oxidação e estar
fixada externamente ao relé: devendo conter os seguintes dados

Nome e iogomarca do fabrjcanÊel


Número de série e designação do tipo(do fabricante)
c) Tensão nominal:
d) Frequência nominal
e> [)ata de fabrjcaçãol
0 Tipo do relél
g) Versão do firmwarel e
h) f)eso do relê

4.3. Acondicionamento © transporte

C acondicionamentodo relê sincronizadoídeverá seí efetuadode modo a garantir{jm


transporte seguro em quaisquer condições e limitações que possam ser encontradas

A embalagem deverá proteger todo o relê slncronlzadorcontra quebras e danos de


qualquerespécie; desde a saída da fábrica aÊéa chegada ao localde destino:e $er
feita de modo que a massa e as dimensões sejam mantidas dentro de limites
nzoáveis: a fim de facilitaro manuseio: o armazenamento e o transporte

A$ embalagens não serão devolvidas ac} fornecedor

Cada volume de embalagem deverá apresentar exl:ernamentemarcações legíveis e


indeléveis: com pelo menos o$ seguintes dados

Nome ou marca do fornecedora


b) Número do Pedido de compra
N{)mero da nota flscal=
Quantidade e tipo do material contido em cada volume
e> Massa total do volume (!massa bruta): em quliogramas

Marcações adicionais. necessárias para facilidade de transporte de materiais


mpodados, poderão ser usadas e deverão ser Indicadas no pedido de compra ou nas
ins{ruções para embarque

CEB 'D'lS'l'RIBIJlçAo S.A


$:f.).?,-

E$PEGÊF$GAÇÃO DE MATE;R$ÂÊ$DÃ EMD - Oq,G$2


D!$TRí8UiÇÂG Página
RELÊ $ÊNCKONiZADOR PARA REGULADOR 12/36
DE "íEN$AO MQNOFA$iCQ - EdIÇão l.q

Cabe ao fabricanteprovei:as medidasde segurançapara o transportee o seguro


sobre este quando exigidos pelas autoridades

O$ revésdeverão estar campietamenÊemonÊaãos:com o$ colectores e parafusos,


fiação e {erfnínais; equlpamenÊose acessórios descritos nesta Especlfiçaçã Técnica
e ou ío$ não descaios; mas; necessários para aplicaçãoao$ reguladoresde tensão
monofásicos e para o $eu pronto funcionamento

4.4. <)peraçã requerida para © relê $Êncr í3ãzador

O$ reles sincronizadores serão utilizados em reguladores de tensão monofásicos


instalados na rede primáriade dlsi:rlbuição,classe 15kV, com neutroaterrado

:$$e$ equípamenlos deverão suportar a$ condições de operação e esforços eléÍrlcos


e mecânicos suportados pelo regue:odor:bem Goma

a) $upodar continuamente sua corrente nominal


Suportar durante um tempo deierlnlnado a$ correntes de curo-clrculÊo
Ter capacldaae de comutação das seguintes cargas
Mais ou menos ]C)% até a ço!«re'lte nominal
Mais ou menos 5% aÊé l $0% da corrente nominal

4.$. Garantia

A aceitação do pedido e compra oelo proponente Êmpllca na aceitação Incondiclona


de todos o$ requisitos desl:a Especificação Técnica

O proponentedeverá garantira eficiência de operação da relê sincronizador sob as


condições especificadas: por um período ãe 24(\flnÊee quaÊro}meses a parir da data
da colocação em semlço ou 36 (trintae sels} meses 8 parti!.da data de entrega no
almoxarífado da CEB D: comprovada peia data da nota de entrega: f)revalecendo o
que ocorrer primeiro Qualquer falha: quebra: deterioração interna e ouÊro$defeiÊas:
que se manifestarem durante este período por responsabilidade do fo!"necedor:
deverão $eí por ele corrigidos: $em ânus para a CEB-D

O fornecedor deverá garantir a quajjdade e a resistência de bodas o$ nlaÊerlaÊS

empregados.

(:E'B DiS'TRIBIJI'çAO S.A


ESPECIFICAÇÃO DE MATÊR{Ã{S®A EMD - Q] .Qq2
DÊ$TRIBU$çÂQ
NELE $iNCRQNÉZADaR PARA REGULADOR
DETENÇÃO MONOFÁ$ÊÇa- :ão 't.'l

No caso de qualquer defeito, um novo período de garantia deverá entrar em vigência


a partir da reenergização da relê slncronlzador: período este que devera $er de 24
(vinte e quatros meses

O fornecedor será obrigado a reparar tais defeitos ou se necessário, substituir o


material/equipamentodefeituosa. às suas expensas: responsabilizando-se por todos
os custos decorrentes: sejam de material: de mão-de-obra ou de transporte

Se a falhaconstatada
for oriundade errode prometo
ou de produção:tal que
comprometa todas as unidades do lote. o fornecedor será obrigado a repara-las:
independenteda ocorrência de defeitoem cada uma delas. e se as mesmas estão au
não em garantia

A$ partes metálicas: tais como o invólucro e os terminais, deverão ser garantidos


contra a corrosão: por um período de 5 (anos) anos a contar da data de entrega

Mediante a devida comunicação da ocorrência do defeito ao fornecedor. a CEB-D


reserva-se o direito de optar pela permanência do relê Insatisfatórioem operação: até
que possa seí retiradode serviço $em prejuízo para o sistema e entregue ao
fornecedor para o$ reparos definitivos

4.6. Documentação para a proposta

O proponentedeverá apresentar: para aprovação da CEB-D: l (uma) cópia de todos


os documentos lisa:adosno item 4.6.2 e item4.7., para cada fornecimento

4.6.1 . Lista de exceçã $ au desvios desta Norma

Relação e cópias de normas técnicas de fabricação de organizações não


mencionadas no item 2

Lista com relação das peças sobressalentes recomendáveis para os revés


sincronizadores propostos; conforme previsto no item 4.8

4.$,2. Relação de desenhos

O proponente deverá enviar o$ documentos relacionados abaixo

a) Desenhos dlmensionais e de disposição dos terminais


CEB DIS'l'R'EBIJTÇÃ.O
S.A.
\ .H4-#
j''

liSPÊCiPÍCÃÇÃO Dg WA'rERiÂÊ$ DÂ" EMD - Oq.Gq2


Dã$TRãBU{ÇÂG
Página
gELa SiNÇRONIZADORPARA REGULADOR lz./36
DE TENSÃO MONGFÃ$1GG : 8dãcão q.q

bl Cópias de rloímas de fabricação de organizações não mencionadas no ltc:m2


c) Desenho da placa de idenÊiflçação do relê devidamente preenchida e da
embaiageml
d) Desenho de todas as ferramentas espeçnis fornecidas pelo proponentee
necessária à montagem: operação e manuterlção do relé
e) Qualquer outro desenho considerado necessário pelo proponente para
avaliação técnica do equipamento
f) Relação das normas técnicas aQaiadas pelo fabrlcanÊel
g) Diagramas eléÍrlcos, montagem e de ligaçõesl
h} Relação codificada de peças sobressalentes e respectivos preços uniÊáriosl
1} ReiatóíÊO de ensaios de {lpo do relê ofeüado çom os resultados oevldanlenÊe

comprovados através de cópias dos Certificados de Ensaio emitidos por {)rgão


tecnicamente capacitado

Notas: Todos o$ documentos mencionados deverão $eí previamente liberados. peia


GEB-D. anteriormenteà realização de ensaios e / ou fornecimento

4.7. Ma Mais

O oroponente deverá apresentar manual e Instruções técnicas de operam;âoe


manutenção do relê; junto coro a proposta. no mesmo número de vias desta e, uma
vla com cada equipalTlenÊo
embarcado. limitadoao máximode 5i.)

O$ manuais deverão conter no mínimo as seguintes iníorinações

a) Instruções completas cobrindo desçnção ae funcionamento;transooüe


embalagerr!:armazenagem: manuseio. instalação ajustes operação e
manutenção do relél
b) Guia de manutenção para os principais defeitos que possam ocorrer: c;3u$as
prováveis: e metodologia para localização dos componentes danificados:
quando foi o caso;
G) Relação completa de todos os componentes e acessórios: irlcluindono!'ne
descrição: número de refe;ência: número de catálogo: Quantidade usada
identificação no desenho e Instruções para aquisição quando necessário
Diagramas esquemáticas legíveis de todos os circuitos eletrênlcos e elétricosl

C'F:Bí)ÍSTliiBUlçAO S..4
E$PEGÍFiCÂÇ O DEMÂTERiÂ!$DA
D!$TR$BUlçÃO
o/SP8feu/Ç.ãa NELE $iNCRONIZADOR PARA REGULADOR
DETEN$Aa MONGFA$ÊÇO-Ed 10 't.'l

e) [)escrivão de todas as partes dos circuitos e]etrõnicos. incluindo


procedimentos de calibração e ajustes (possíveis) de todas a$ funções de
controle,quandoforo caso:
Localização de componentes /ayouf e ponhas de teste na placa do circuito
impresso; quando for o casal
g} Desenho completo do equipamento com os dimenslonaisl
h) Relação de desenhos de bodas a$ ferramentas especiais fornecidas pelo
fabricante e necessárias à montagem;operação e manutençãodos
equipamentosl
i) Ajustes com irldicações dos pontos de teste e grandezas a serem medidas:
bem como valores esperadosl
j) Instrumentos de ensaios especiais recomendados para o teste do
equipamento quando for o caso
k) informar as características e propriedades de todos os lubrificantes. adesivos.
solventes e outros produtos químicos utilizados pelo relê quando for o casal
!) [)escrjção detalhada do protocolo de comunicação(quando ap]icáve]) de modo
a permitira elaboração de software aplicatlvol
m) Curvas ou tabelas com informaçõesorientatjvaspara manutenção

R) Curvas de operação e ajustes

Mota: No caso de peças sobressalentes


constituídas
por um conjuntode
componentes, este deverá ser claramente identificado.

Os manuais de c>peraçãoe manutenção do relê sincronizador deverão $er fornecidos


no Idioma português: contendo Instruções detalhadas

4,8. Peças $ press dentes e ace$$órÊo$ adÊcãanais

O fornecedor deverá incluir na proposta uma relação das peças sobressalentes


recomendáveis para o$ reles slncronlzadores propostos; em função da vida útildos
mesmos

A relação deverá Incluir os respectivos preços unitários: quantidades recomendadas


e a numeração codificada das peças sobressalentes; referenciadas nos desenhos
apresentados para facilitar a eventual aquisição e postenar estocagem das mesmas

C:E13DJS']"R]BU]CÃ(] S..4
Í..&\..i.
F
E$PEÇÊFãGÂÇÃO DE MÂTERêAg$ DÃ EMD - 8'ê.8q2
DISTRIBUIÇÃO
©g$f&98af$,ê8 RELÊ $1NCRONiZÀDOR PARA REGULÀDQR 6/36
DE TENSÃO MONOFÂ.SICC) - Edição 'l .'l

O farneçedoí deverá $e comprometer8 fornecer; duíanÍe uíl] perloao de na mínimo


lO (dez) anos a contar da data de entrega dos reles: e dentro de no máxima 2 (dois)
rne$e$da dadade emissão do Pedido de Compra: qualquer peça cuja substituição
venha a sernecessáría

O fornecedor deverá Incluir na proposta uma relação díD$ a essórios nào pre'/iscos
nesta Especificação Técnica: ma$ Guioo $eu u$o seja recomendado peia fabrlcanÍe
informando

a} Preço unitário
b) Quantidade
c} Justificativa do $eu u$o

4,9. Treâmameneo

Deverá $er fornecido tíeínamento para no mÍnImo de 8 (oito) empregados da CEB D


com carga horáriocompatível para abordagem dos seguintes assuntos relacionados
abÊãixo

al Prometo:fabricação e montagem abrangendo

A.rquíteturada unidades
Fontes de alimenÊaçãol
Interfacesde entrada e saída
Detalhes: a nível de usuário: de i:odes o$ componentes básiçosl
Circuitos específicos de proÊeção contra surLo$: ruídos: sobrecargas inversão
de polaridade, eíc.

b} l"estes: operação: manutenção e ajustes do equlpameneo abrangendo

Descrição funcional dos circuitos e calibração dos íeíés:


Ajustes e ensaios gerais ão equipamento empregando: quando foi oca:Lo:o$
mesmos 1nstrurneriío$ de ensaios especiais recomendados: como poí exemplo
a utilização de malas de testes esDecíflcas para o íeié microprocessado:
disoosltivos de ajustes: lapíops: etc.l
Rotinas para facilitar a manutenção;
Exemplos teóricos e práticos com ocas a$ funções
CEB DISTRIBl;lCAOS.A.
ESPECIFiGÃÇAG DE MATERIAIS DA.': EMD - GI .G12
DISTRIBUIÇÃO
89$y#f®gg$.é NELE $ÉNCRONiZÀDOR PARA REGULADOR
DE TENSÃO mONOFÁSiCa - Edição l .$

C) cu$Êo deste treinamento, incluindo-se ins rutare$; tradutor (caso necessário), local
equipamentos: materialgráfico e recursos audiovisuais: bem como: das despesas de
viagem nacionais e Internacionais;transporte: alimentação e estadia de hotéis
u lllzados pelos instrutores deverá ser por conta do fornecedor

A critério do fornecedor; Q treinamento poderá ser ministrado nas próprias


dependências da CEEI-D

5. CÂKACTCKiST}ÇÂS CONSTRUTIVAS

5.'i. Ralé sincronizador

O relê sincronlzadordeverá possuir a$ entradas Isoladas galvanlcamente:sendo as


analógicas através de transformadoresisoladores e a$ digitais: através de
optoacopladores

O relê SÉncronizador deverá possuir uma entrada digital para sensor de porta aberta

O relê slncranizador deverá possuir espaço dentro do gabinete para


acondicionamentode um rádio ou modem GPRS. com dimensões mínimas de
300x200x100mm (LxPxA). Deve: ainda: possuir passagem para cabo da antena a $er
fixada na pane externa, sem comprometer o grau de proteção IP54.

$,2. Painel fronÉ8i

Na pare frontaldo relê slncronizadordeverá conter a$ seguintes informaçõese


funções

Indicador luminoso de posição neutra para cada reguladora


Indicadores luminosos de operação e regulação para cada regulador;
> Indicador luminoso de falha:
> [)lsplay de cristal líquido, aifanumér]co: que apresenta os valores de operação
e ajustes
» tornes para alimentação externa e para medição através de um voitílnetro;
Chave seietora de alimenÊaçãol
Fusíveis para proteção do relê e dos motores de cada reguladora
> Teclas para navegaçãoe ajustes (incluindotecla para abaixar e elevar a

CEB DIS'í'RIBLJI'çÃO S.A


L ?-J'--,i) j'

EMD- ül:.aq2
Página:
f í çga 8ELÉ$!NGRONIZÂDORFÂRÃREGULÂDOR 18/36

L :J Pela»4ç ygWE49çQ=EgiçêgH {
tensão)l
Tecia pioraseleção Ioga e remoíol
Tecla auto zero
Paras de comunicação.

$,3. Partas de comuna çã

O relê sincíanizador deverá passo r no mínimo duas paras serial ílpo R$-232C} uma
localizada no painel fíonÊai e outra na Date inferior: previstas para a aqulslçêãode
dados gravados na memória de massa: oarameÊrlzação;xüisuallzaçâo
remoÊiidos
valores medidos e operação do controle 'via software de comunicação ou vu protocolo
de comunicação DNP-3.0

E desejável que o equipamento passeia. ainda. uma porta ethernet: capaz de exctcutar
a$ mesmas tarefas do parágrafo acima. Caso o equlpamenio não possua eÊhernet
deverá $er fornecido o conversar RS-232C / EtherneÊ

$,4. !nformaçães vÊsua8izadas no dl$piay

C) display deverá apresentar as segulnÍes Informações

Modos de operação poí regulaüar: bloqueada: manual ou automático: e fluxo


normal ou inverso:

}- Valores gravados no equipamento: cintoos medidos quanto o$ calculadosl


> Parâmei:ros de ajustes.

$«5. Funções d©raia sincronizador

5,5.q, Tensão de referência

P, tensão de referência é o parâmetro paio qual o ralé $e baseia í)ara ajustar o nível
de tensão da linha O relê deverá le18 pensãono secundário do 'íP e campa!"a'com
a tensão de referência, decidindo por manter a tensão no valor atual au enviíir um
comandopara o comutado!abaixam'
ou elevar a tensão: aé alcançar a {ensãc
desejada

r"'pnllíçriltnt llí"ÂO S A
E$PECIFÊCAÇÃQ DE MATERIÂ!$ nÂ
DÊ$TRIBUgçAO
aJS?RfaagÇ.ãa NELE $ÊNCRONIZÂDOR PARA REGULADOR
DETEN$ÃG MONOFÁSICA-EdiÇã©l.l

$.5.2. G rreção mon física livre

C) relé comanda cada regulador monofásico de forma independente: de acordo com


os ajustes implementados

$.5.3. Cõrreção mom ásica aom sincronismo

Essa funçãoaclonaa correrãotrifásicacaso a diferençadas posiçõesdos


reguladores, em relação ao regulador definido como mestre, ultrapasse o número
preesÊabelecldo. Decorrido um cedo tempo o relê deverá voltar a condição de
correrão livre: caso identificada que a diferença persiste: novamente será acionado a
s:ncronismo

$.5.4. Carreção trifásê a

O$ reguladores seguirão aquele definida como mestre: desde que o número máximo
da diferençade taps seja atingido:funcionandode forma equivalentea um banco
trifásico.

$,$.5, Precisão au insensibilidade

A precisão ou insensibilidadeé a margem de erro; expressa em Volts ou percentual


na qual o regulador admite que não há necessidade de comutação

5.5.$. Temporização

Tempo previamente estabelecido no qual o relê aguarda para InIcIaro processo de


comutação. O ajuste de tempo tem como finalidade evitar comutações excessivas
devido a variações momentâneas de tensão e possibilitam a coordenação com outros
reguladores à montante

$.5.7. Gampemsaçã de queda de !ilha

Função capaz de simular a Impedância ãa rede e manter o nível de tensão


con$ÊanÊeem um ponto remcltoa jusante do regulador

CEB DiS'j'RIBUlçÃOS.A
.#
ÊgFÊÕIIIIêà Ãã ÓE MATERIAISOA EMD - ül .Gq2

© DÊ$TRgBUiÇAO
RELÊ $ÊNÇRON{ZAÜORPARA REGULADOR
?agIR
20/36 :
ogsv8iBuê$,âe
DE TENSA.0 MONOFÃ$!Ca - Edição 'i.'i

5.5.$. DeÍecçãc d© fluxoinversa

Função na qual o relê deverá detectar automaticamente a !nversão na sentido normal


do fluxo e adequar sua operação: visando manter os valores da tensão de linfa no
terminal fonte dentro dos ajustes definidos para o terminal carga

$.$.9. LlmÊtador de tensão

O lilniÊadorde tensão deverá manter a nnséo na carga dentro dos lll71ltes


máxlnlose
mínimos previamente esÊabeieçldos. Essa função visa proteger a carga de valores de
tensão muito elevados ou multo baixos poí um tempo longo

O ajuste deverá ser de: no mÍnImo: la 15% üa tensão de referência: menos a pre=lsão
ou Insensibilidade

$.5,qQ. Lim$tadar de corrente

f)ercentual da çoríenÊe nominal na qual o relê deverá bloquear a camul:anão


automática: liderando logo após o :/alar ficar abaixo do percentual definido Tem ,como
finalidade proteger o comutador na ocoríêrãclace correntes muito elevadas

$.5,g] Reguêaçãa para geração distribuída

O relê devera monlÊorara$ parâmetros da rede e identificara presença de ge!'anão


distribuída. tomando a$ anões necessár as para manter o$ valores de tensão centro
dos limitesdefinidos através dos ajustes

5.$,q2. !râdicador d© Êap

Função que deverá Indicar qual tap $e encontra cada regulad í de pensão. C) relê
deverá possui!' mecanismo que garanta a preclsé dessa Informação

5.5.'13. .Auto zero

Essa função deverá $er capaz de levar lodos o$ reguladores à posição neutra; de
{orênasincronizada. evlÊando.com Isso. um desequliíbrioacentuado na$ ien$ões da
carga. Aí)ó$ o término da rotina; o equipamentodeverá enÊratem moço bloqueioe
permanecer até $er seleclonada uma nova opção {automático ou manual)

CEB [)]S']'R'íl3T.liÇÃO
S.Á
}
ESPECIFICAÇÃO DE MATERIAIS DA
D!$TRIBUiÇÀO
Página
DELE $iNGRONIZADOR PARA REGULADOR 21/36
DE TENSÃO MQNOFA$tGO - Edição 4.4

5.5.q4. Load bónus automática

A faixa de load bónus deverá $er selecionada auíomatjcamente.de acordo com a


corrente. Caso a corrente esteja acima da comente nominal o relê deverá ajustar a
regulação de acordo com os valores da faixa

$.5.q5. Contador de operações

O relê deverá reglstrar: de forma precisa: o número de operações do comutador de


cada regulador monofásico: separadamente

5.5.46. Detecção de falhas

Identificae sinaiiza qual regulador não responde a um comando. O acionamenÍo deve


$er bloqueado e o sinal luminoso do regulador correspondente deverá acender no
painelfrontaido relê

6. CONDIÇãESESPECÍPiCAS

6.'1. Características nome ai$

$.q.q. Tensão de operação

A tensão nominalde operação da rede é de 13800 V

6.q .2. FrequêmcÊa nomimag

A frequêncianominaldo sistemaé 60 Hz

6.'1.3. .Aterramento

Todas as partes metálicas não energlzadas do relê deverão ser aterradas

$.2 Descrição geral d© feÊé de protetar de rede

C>ralé sincronizador deverá ser mlcroprocessado ou microcontrolado: concentrando


as funções descritas no item 5: dispensando a aplicação de outros equipamentos

CI'i13D}STR}BU.!ÇÃO S.A
ESPEGIFãÇÂÇéaE MATERIAISD gMD - 81.8] 2
Dg$TR}BUiçAa
Página
RELÊ $ÉNCRONIZADQR PARA REGULADOR 22/36
DE TENSÃO MONGFA$iÇ0 - Edição q.l

O reis poderá set controlado à distância; perinieindoo acionamento ao comuna(ior:a


alteração dos ajustes e 8 leitura üe parâmetros pré-estabelecidos e evi3nÍos
regisÊrados

g.2.]. M©d©$ d© operação d© relê

O reis deverá possuir o$ modos de controlea seguir

Local: perÊnite comunicação via RS-232C fro'hall


Remoto: peri71iÊe
comunicação via RS-2:32(; da parte inferior

Nc modo de controle remoía não é possível alterar o$ ajustes do equipamento:pelo


painel {íonÍal; sendo possível apenas consulta desses parâmetros A IndicaçÊÍü da

operação deve estar marcada no painel ou no dispiay

No modo de controle local é possível a consulta e alteração dos ajustes {:nedlante u$o
de serlha)

Tanto no modo de controle local quanto remoía: o relê deverá se{ possível selec;ionaí
o$ modos de operação mandai; auÊomaílço ou bloqueado

No modo manual G open doí poderá elevar ou abaixar {aps dos regula(fores
utilizando das teclas disponíveis no painel fronha
> No modo auÊomâtico a relê cornandarà o comutador para elevar ou abpalxar

o$ tapa comparandoa tensão de linhacom o$ ajustes definidas


Na modo bloqueio o relê não executa nenhuma anão definida pelos ajustes:
até que seJ alterado para o$ modos automático ou manual

$.3. Proa coi d© cümunÊcação

O reis slncronizador deverá possuir o protocolo de comunicação DNP3. Deu'ando


serem fornecidas no mínimo; a$ seguintes Informações:

a} Lista de comandos
b) Definições dc proEocol <DFV/CE /PROF/Z..Ejl
c) Formato de transferência dos dados
d} Apresentação da estruturado código de mensagens
e) DetalhamentoIndividual e ca a comando:
CE'BITS'FRIBUICAOS.A
E$PEGIFÊGAÇÂG DE ,TERIAl$ DÂ EMD -"a'q .Qq2
D!$TR}8UlçAO
Página
aJ$ 7"Bgaíu{$ ,ãa RELÊ $iNCRONiZÂDOR PARA REGULADOR 23/36
DETEN$AO MONOFA$ÊCQ- iO 't.l

f) Lista dos códigos de erros


g) Lista com o nome do elemento: tamanho: {orlTlatodo byte e descrição do campo
de mensagem

NGta=C $o seja necessária algum implemenEOpara o protocolo DNP3: o fornecedor


ou fabricante deverá fornecer para cada unidade adquirida e Indicar em sua proposta

[)everá $er fornecida o documento de perfil do dispositivo (DEv/CE Pf?OF/LE>


contendo a tabela de objetos suportados: bem como a$ variações, descrições
íuí7c;f/on
Godos e qua//óercomes: para requisição e resposta

O período de sincronização de tempo via protocolo deverá ser parametrlzávei(em


mlnutos>no software de parametrização

Decorrido o período estabelecido: deverá secar a É7agiIN /Veed TlrnC. Essa ffag
deverá $er selada quando do reinício do equipamento e depois de decorrido a período
Í)arametrlzado: e resetada quando do envio da escrita de hora (objeto 50>, pelo
supervisono

O dispositivo deverá selar a Êlagde Det'ice ResfaN quando da sua inlcialização: sendo
resetado peia informação de C/ear /?esfa#.

Para comunicação v]a protoco]a DNP3; deverá possuir ](uma) poria de comunicação
com interface RS232; ou EtherneE:preferencialmente

Deverá $er fornecido um conversor de interface RS232 para colector do tipo RJ45
(ETHERNET) para cada relê ou protetor fornecido, caso o equipamento não disponha
da inte#ace de comunicação EÊhernet

Desejável que o equipamento suporte sincronização vla NTP ou SNTP: caso seja
fornecido com conexão Ethernet.

$.4. Memória

O relé deverá dispor de uma memória cíclica; onde serão armazenadas: no mÍnImo:
a$ informações de tensão e corrente do lado carga; tipo de operação (monofásico ou
trifásico), tap anual;contador de operações

Club DÍSI'RIBEJ!(=Ão S.A


/
É$Ê CIFÊCÃ ÃÜ ÕÊ@ATe ! $ D EMD - a'B .Oq2
OÊ$TRiBU}ÇÂO
Páginê{

l ©JS'f#}6wl'ç,Ãa RELÊ $iNCRaNÊZADOR PARA REGULADOR 24/36


DE TENS.AC MONGE.À$iCO - Edição 'i .q

O elé devera $eí capaz de arlílazenat no mínimo l0 000 [egistr08:com tempos


:onflguráxels entre l e 60 min

$,$. ênteNace de çcmunãcação

A Interface de comunicação para realizar 8 comunicação deverá $eí R$2=12ou


ethernet.

Qualquer ouÍía fonua de comunicação deverá $er claramente iden€1ficadana proposta


e o fornecedor deverá prover todos o$ recursos: entre eles: traduloíes de protocolo
Klanuais de oroÊocaio prop!'jetárlo: software conversor de orotocolo proprjeiáric, para
protocolo próprio

6.$. !nfa!"mações d© relê

O ralé deverá conter: na mínimo a$ seguÊnEesInformações inslanÊâneas do sistema e


dos reguladores=

a} ]"P,P mínimo e máximo para cada [eguladorl


b) "pensãoe corrente do dadofanÍe e carga para cada regulador
c) Favorde potênciae ângulo entre pensãoe corrente para cada regulador
Potência relva e reaviva para cada reguladora
Quantidade de atlvação GO modo slricronlsmos (quando aÊlvaGo>t

Contador de operações para cada reguladora


g Data e hora

O fabricante deverá fornecer um cabo com çonector: para Interligaçãoão relê à caixa
de coHtríDiedos reguladores. Cada conecÊordeverá $er adequado ao fabricante e tipo
do regulador.

$.7. Outras ãnfõrmaçães

A r.EE3-D re$ewa $e o direito de desconslderaí a$ propostas Incompletas quis não


possibilitem a perfeita identificação dos equipamentos: acessórios e soo!'essalenies
propostos

O fornecimentoà CE8 D de revéssincronizaaores deverá ser precedido de apro:/anão


técnica nü certame iiclÊaÊórlo

EB nTSTR{BU!(=ÃO S.A.
Í '"

ESPECIFICAÇÃO DEMATERIAi$DÂ ENID =-GI .Oq2


D!$TRiBU$çAO
página
oisrgjao#ç,ãa NELE $ÊNGRONiZADOR PARA REGULADOR
DE TENSÃO MONOFÁSICO - Edição l.q

A CEB-D: de posse de todos o$ documentos e elementos: deverá proceder a análise


das características técnicas. Qualquer irregularidade constatada deverá $er
comunicada ao fornecedor a fim de sana-la

A aprovação de qualquer desenho pela CEB-D não exime o fornecedor da plena


responsabilidade quanto ao funcionamento correio do equipamento. nem da
obrigaçãode fornece-iade acordocom o$ requisitosdo pedidode compra,das
normas e desta Especificação Técnica

Qualquer requisito exigido na$ especificações e não indicadas no$ desenhos, ou


indicados no$ desenhos e não mencionado nas especificações tem validade como se
fosse exigido nos dois

7. IN$PEÇÃO

7.'i. Generalidades

Todos o$ ensaios; com exceção do ensaio de recebimento;deverão ser realizados


nas instalações do proponente. Se o fabricante não estiver devidamente equipado
para a realização de algum ensaio de tipo previsto nesta Especificação Técnica. o
mesmo deverá $er realizado em laboratório aprovado peia CEB-D

O proponente deverá propiciar; às suas expensas; todos os meios necessários:


inclusive pessoal auxiliar: para que o inspetor possa cediflcar-se de que todos os revés
estejam de acordo com a presente Especificação Técnica

Ficam às expensas do proponentetodas as despesas decorrentes das amostras: dos


equipamentos, dos acessórios, bem como da realização dos ensaios previstos nesta
especificação: independentementedo local de realização dos mesmos

O proponente deverá comunicar à CEEI D: com antecedência prevista no contrato de


compra: a data em que os reles estarão prontos para Inspeção

Se qualquer dos requisitos desça especificação não for satisfeito; a CEB-D notificará
o proponente para introduzir a modificação necessária. C) proponente deverá iniciar a
f)redução somente após a aprovação: pela (=EE3-D:da modificação efetuada

CEBDISTRIBUICAOS.A
L

ÉÉÉÉIIIFI AÇÃaDE MATERIAISDA gMD - 8q.Gq2


DiSTRiBUiçÃO Página
8}$y#f891$.ã© RELÊ $ÊNCRONiZADOR PARA REGULADOR 26/36
DE TEN$ÃQ MOMOFÁ$EG0 - Edição $.q

O proponentedeverá {er disponíveis a$ rlorma$e desenhos mencionados no Item 2


para eventuais consultas: durante a realização dos ensaios

Em qualquer fase de fabricação. o inspetor deverá ter acesso. durante a$ horas de


serviço: a todas as partes da íábr:ca onde 0 relê slncronizadar estiver sendo tabu-;ado

O$ ensaios deverão $er !nlctadosí)ela ínspeção visual do iate apresentado: para


verificação do acabamento e da confor:cidade çom o$ desenhos aprovados

7.2. Ensa8as

Para aprovação do relê: deverão $er realizadas todos o$ ensaios de tipo relacionados
no item7.3, em no mínimouma unidade

Por ocasião do recebimento;para fins de aprovação: deverão $er realizados o$


ensaios de recebimento relacionados no lêem7.4. em todas as unidades do lote de
fornecimento

Os ensaios deverão $eí realizados conforme o icem 7.6. : desta Esoeçiflcação Técnica

7.3. Ensaios de ÊÊpo

Deverão $er executados os seguintes ensaios

a} Inspeção gerall
b) Verificação diiílenslona1l
o} Testes opeíaciona:s
d) Verificação de alusões e ar:nazenamentol
e> imunidade a surtos de alta energlal
f) línunidade a {íanslÍórios elélrEcosl

g) Imunidade a campos eletromagnéÊlcos irradiados


h) imunidadeã campos ele íomagnéticosde rácio Inte#erênci
i) línunidade a campos magnéÊ:cos de frequência industrial
1) 1rnpulso de pensão
k) Tensão apilcadal
1) Descarg $ e e rosiàticasl
rn) Imunidade a ransiÍórios elé loas rápidos

C'E.}3'DiS'l'li'lB[JiÇ=ÃOS.Ã
SSÊ'EÇiFiCAÇÃ0 nr ãV}ÃVKãlÃIÉ;l$Ã EMD - 8] .aq2
D!$TRIBUIÇAQ
0#$7'#fB©j$,é RELÊ $iNCRONiZÂDOR PARA REGULADOR
DETENÇÃO MQNOFÃ$!CO io 'l.'f

Falha de alirneníaçãol
Elmisslvidade conduzida e raãlada
P) Suporiablildade ao frio
q> Ciclo térmico
r> Calorseco:
$) Calor amido
Vibração
u) Grau de proteção ÍP54 e iK9

7.4. Ensaios de recebimento

No momento do recebimento deve-se Inspecionaí o gabinete do relê sincronizador. o$


cabos elétricos: conectores e demais componentes externos: que devem estar
íntegros e livres de trincos e defonnações. Deve se. ainda. executar os ensaios a
seguir

a) inspeção gerais
b) Verificação dimensionall
c) :"estes operacionais:
d> Verificação de ajustes e armazenamento

7.5. Ensaios complementares de recebímemÊo

Caso não seja apresentada a documentação dos ensaios do item 7.3. o fornecedor
deverá efetuá-los, às suas custas: na ocasião do recebimentodos equipamentosna
CEB-D

7.$ Procedimentopara execuçã d©$ensaios

C)$ métodos de ensaio dos revés slncronlzadores deverão obedecer ao descrito na$
normas e/ou documentos complementares citados no lêem2 desta especificação

Métodos de ensaios equivalentes poderão eveniualmenÍe $eí aceitas: desde que


atendendo o disposto no item 2 desta especificação

Nata; A proponente deverá apresentar ceÊificados de aferição dentro da validade


para cls equipamentos: aparelhos e instrumentos uÊlllzadosdurante os ensaios

CE.B D}ST'RIBtj!(=ÃO S.A


.1

ESPEÇlriC;ÀêÃa ÕÉMÃ'FÉRIAiS OA EMD - üq.Gq2


DÊ$TRgBUÊÇÂG
Página
RELÊ $ÊNCRON}ZÂDOR PARA REGULADOR 28/36
alSr#ía«í©-Za
DE ]'EN$ÃG MC>NOFÃ$!GG - Edição ].q

7.7. 1mspeção
grl

A inspeção geral deverá $er realizada antes dos ensaios: comprovando se o ralé
slncronlzador possui

a} Todos o$ comi)oneníe$ e inÊeHaces


b) Acabamento üo equipamenÊol
c} Identificação

A não conformidade co relê sincrortizacor com qualquer uma destas caraçterí loas
Ge qualidade deterlnlnará a sua rejeição

7.$. Verãfl anão dímemsêomaê

G cornpartirnentopara rádio oü modera GPRS do relê sincronizadoí deverá possuir


a$ medidas mínii'nas rlecessárlas para irlstalação desses equipamentos. conforme
item 5. 1

Poderão ser aceitas dimerlsões aoalxc 8as mínimas. desde que o rádio ou modem
GRP$ especifica o$ peia CEB-D: caibam no compaítÉmenÊo

7,9. T©$t©$ aperaçãanaÊs

Deve!-ãoseí realizados o$ testes operacionais li$idos abaixo

7.9.q. Teste seieção de modo d©aperaçãc

(,) relê sincronizador deverá alternar enííe o$ modos de operação local e remoto: e
manual. automático ou bloqueado. Conforme item 8.2.q

F,$.2. Mcdõs de operação münafãsl , monofásico c©m slnaramlsmo e {rãfiãsã

O relê deverá funciona! nos modos de operação monofásico livre: monofáslcclcom


sincronismo e trifásico: através da seieção remoto ou local: conforêrleItens 5.5 2: 5.5.3
e 5.5.d., respectlvamenl:e

CEB DTSTRIB {j !Ç:Ao S.A


a
©f$7RgB#fç,é
ESPECIFICAÇÃO nE WA3'elãlÀlêãK
Di$TRIBUiÇÃQ
NELE SiNCRONIZÂDOR PARA REGULADOR
EMD - OI .G42

Página
29/36
DE TENSÃO hãGNOFÁ$1C0 - Edição 4.4

7.9.3. GamunÊcaçã

7.9.3.]. Leitura de dados

O$ testes operacionais e de verificação de fustes deverão $er acompanhados de


leitura através de se/fuuare de monlÊoramenÊo com o objetivo de conferir a perfeita
transmissão dos dados pelo relê sincronizador

7.9.3.2. Parametrização

Após a verificação de leiturade dados; deveria ser {eiÊaa alteração dos parâmetros do
ralé: através do microcomputador supervisor: e verificação de atuação do relê após a
sua atuallzação

7.9.3.3. Comandos

Esse teste tem o objetivo de verificar a perfeita atuação do relê slncronlzador com os
comandos autozero(conforme 5.5.131, elevar ou abaixar a tensão. realizados através
do microcomputador supervisor.

Ensaio deverá ser realizado via porta de comunicação: utilizandoprotocolo DNP3


com verificaçãode comandos: sinalizações digitaise medições disponíveis

7.q 0. Verificação de ajustes

Deve ser realizadoteste para comprovar a aÊuaçãodo relê sincronizadorcom o$


ajustes definidos. Esse teste deverá $er realizado; preferencialmente. com o reié
conectada a um banco de reguladores monofásicos

7.10.$ Tensão de referência; imsensibÊlidadee temporização

Após definidos uma tensão de referência: Insensibilidade e temporização: o relê


deverá comandar o$ comutadores dos reguladores monofásicos até que o valor da
tensão no secundário do TP esteja dentro do esperado (tensão de referênciamais ou
menos a insensibilidade)

Esse ensaio deverá ser realizado no modo de correrão monofásico livre

CEB '!)IS'í'EtiBUI.ÇÃOS.A
7

@$' mp:;i:'cüAÊ!+:1=.mAT"'"'; "


EMD - üq .ü] 2
©w€ Página
30/36
9f$7'RgBgJÇ,ê6 : RELÊ $1NCRONIZAOOR PAR.A REGUL.ADe)R
L . L . PEIWê49NWqE491Ç2=:WçêgU
7.q8.2. Moda d©aorreção mar!©fásicocom sincronismo

Após realização do ensaio em 7.10.1: deverá $eEalterado Q modo de çorreçãa para


monofásico com sincronismo. definindo a diferença máxima de TAPS entre os
reguladores e o me$Íre; conforme ííern 5.5.3

7.$G,3. Nada d© carreção trãÍáslcü

Após realização do ensaio em 7.]0.] : deverá $eí l arado o modo de carreção g)ara
trifásico definindo a diferença máxima de 'íAPS entre o$ reguladores e o mestre:
conformeItem5.5 4

7,$0,4 Comperls çã de qtãedad©linha

O relê deverá $er parameÊrizadocom valores de resistência e Impedância de uma


linha e testado para aferição dos resuiÍados

7.1G.5. Detecção d© fÊux© ãrlverso

O relê deverá e eç ar a presença de fluxo !nver$a e inveüeí o sentido de comutação

7,] ü.6. Llmêtadorde tensa

[)everão ser inseridos os valores máximcjs e mínimos admitidos para tensão, sendo
que o relê deverá comandar o comutador de forma a manter a tensão na carga dentro
dessafaixa

?.4 G,7. Llmêtadar de cürrenÊe

Após definido um valor llnliÊede corrente para comutação, o ralé não deverá comutar
alé que esse valor esteja abaixo desse lliniÊe

7.$G,8. Laad bâmus automático

Com essa função hablllÊada.Q relê deverá E atalhar com uma carga acima da noríllnai
ilmltanaoa fa:xa de ajuste: conforme Itens 3.5 e 5.5. 1Á

C'j=B 'DISTRIB!.JTC.40 S.A


F &::n.}.-i«'4'

G
.;

E$PEêIFIãÀÕÃã ãÊ@ÂTER}Af$ BA
DISTRIBUIÇÃO
Página
BgS7"8fBafÇ,êa NELE $íNCRON8ZÂDOR PARA REGULADOR 31/36
DE TEN$Ã<) MONQFÁ$1C0 - Edição $.1

7.1a.9 Regulação para geração distribuída

Com essa função avivada: o relé deverá ser capaz de identificara presença de geração
distribuída: que possa Interferir nos valores de tensão da carga: e comandar o
comutador de forma a manter os valores de tensão dentro dos parâmetros
estabelecidos

7.qG.18. Detecção d©falhas

Em caso de falha nos reguladoresmonofásicos: o relé deverá sinalizar no painel


frontal: através de um indicador luminoso, a presença da falha e em qual regulador.

7.#O.]$. Contador da aperaçõ $

Após executar um determinado número de operações (maior que 100): deverá $er
verificado se o valor registrado pela relê é o mesmo número executado

7.qG.42. :indicador de Êap

Após execuçãodo ensaio em 7.10.11: deverá ser verificado$e o Indicadorde tap


mostra o mesmo valor que está no$ reguladores monofásicos

7.qG.q3 imunidade 8 surtos de alta emergia

O procedimentopara execução do ensaio de Imunidadeà surtos de alta energia


deverá seguir o método de ensaio da norma iEC 60255-22-5/02

7.1Q.q4. !mumidade a transitórias eiétricos

O procedimentopara execução do ensaio de Imunidadetransitórioselétricos deverá


seguir o método de ensaio da norma IEC 60255-22 1/88

7.qO.15 Imunidade a campos eletramagmétêcosirradiados

O procedimentopara execução do ensaio de Imunidadea campos eie romagnétlcos


Irradiados deverá seguir o método descrito na norma iEC 61000 4 3/00

C:E13DÍS'l'RIB'EJJ.ÇÃo S.A
L ( ,P..' }
ã iÁisnA EMD - ü' .8q2

Página
32/36
qf: Jlc,ãai RELÉiSINCRONIZADOR PARAREGULADOR
b
l ' !i npa-pmsÃnwnunFASICQ
DE 'BENS.gO MONOS.À$!CO - Edicãol.l
Edição 'g.q

7.%G.q$. ãmunêdade & cama e8etromagmétlcas de rãdÊa InteMerêncãa

O píocledimento para execução do ensp o de i'nunldade a campos ele\íomagnéticos


de rádio interferência deverá seguir o método descrito na Rormã iEC 60255 22-(1/01

7.$G.37. Imunidade 8 campas magmétêcos d© frequâncêa ÊmdusÊrÊal

O procedimentopara execução do ensaio de imunidadea campos 'nagnéticclsde


frequência Industrialdeverá seguir o método descrito na oorma IEC 61000 4 8/00

7.qG.q8. 8mp ê$ de t© $ã

C) procedimento oaía execução do ensaio de :mpulso ae tensão deverá seçluir o


método descrito na norma IEC 60255-5/00

7.gO.q9. Tensão aplicada

O procedimento para execução do ensaio de tensão aplicada deverá seguir o método


descrito na norma IEC 60255-5/00

7.$8.2Q. Descargas $ ífa ÊãÊlcas

O procedimentopara execução do ensaio ge descargas eletrostáticasdeverá seguir


o método descrito na norma IEC6(3255-22-2/96

7:q0.2q . Êmunldade 8 Êransê órÊo$ eÊéerÊcosrapadas

O procedimento í)ara execução da ensaio de imunidade a {ransltórios


a e étricos
PÍficos íráoidos

deverá seguir o método descrl o na norma iEIC 60255-22-4/02

7.qQ,22. Falha de aãlmentaçêo

O procedimentopara execução do Brisa:o de falha de alimentação ocvcrá seguir o


método descrito na nor:na iEC GLOBO 4-1 q/00

7.1G.23. EmÊs ivêdade aomduzÊda © radlada

rlauz
O procedimento para execução ão ensaio de emisslvidade conduzida e rêldiada
a g

deverá seguir Q método descrito na norma iEC; -Cl$PR 22

CtiB 'Í)'iS"fltlBU!.(:ÃOS
:,: :; ,

SSPCCÍPICAGÃõne WÃfÊãiÃi&6Ã
D!$TRgBUIÇÃO
ofSP@ga©f$,ão RELÊ $!NCRONÊZÂDaR PARA REGULADOR
DETEN$ÃQ MONOFÁSICO EO 'i.l

7.10.24. $uportabãlÊdade aa fria

C) procedimentopara execução do ensaio de supoRabilidadeao frio deverá seguir o


método descrito na norma IEC 60068-2-1

7.]Q.25. Ci i térmico

O procedimentopara execução do ensaio de ciclo térmico deverá seguir o método


descrito na norma IEC 60a68-2 14

7.q0.26. calorseca

O procedimentopara execuçãodo ensaio de suportabilidade


ao calor seco deverá
seguir o método descrito na norma iEC 80068 2-2

7.qa.27. Calor úmêdo

O procedimento para execução do ensaio de suportabilídade ao calor úmldo deverá


seguir o método descrito na norma ÍEC 60068-2-78

7.qa.28. Vibração

O procedimento para execução do ensaio de vibração deverá seguir o método descrito


na norma IEC 60255-2] -1

7*qG.29 Grau de prateção ll)$4 e gK9

O procedimento para execução do ensaio de proteção IP54 e IK9 deverá seguir o


método descrito nas normas NBR IEC 60529 e NBR IEC 62262: respectivamente

8. ACEITAÇÃO GU REJEIÇÃO

8.$. GenerafÉdades

A CEB D reserva se o direito de inspecionar os reles sincronizadores abrangidos por


esta Especificação Técnica. quer no período de fabricação: quer na época de
embarque, ou a qualquer momento que julgar necessário

A Inspeção deverá ser realizada na fábrica onde o$ revés sincronizadoressão


montados
CEB DISI'RIBIJI(:ÃO S.À
g .j

ESPEClrtCAÇAã ãÊ tüiÀtÉkiAIS 0A
Dg$TRÊBUlçÃO
RELÊ $tNCRONIZADOR PARA REGULADOR
DE TENS.ãa MONQF.Ã$1CO -- Edição 'g.:.{

O fornecedor tomara. às suas expensas fadas as pravldências para que a insp'eção


dos íelés sincronizadores:poí pare da CEB D: se realizeem condições adequadas
de aCOrdOcom as rloímas recomendadas e com esta Especificação 'técnica A:;sim:
o fornecedordeverá propiciartodas a$ facilidadespara o livreacesso aos !aboratórlos
orópriosou de terceirosàs depe1ldências
onde estiveremsendo fabricadosos
equipamentos em questão: ao local de embalagem: etc.: bem como fornecer pe:ssoal
habilitadoa prestar Informações e executar os ensaios além de todos os dlsPosl :idos
instrumentos, etç.: para realiza-los

O fornecedor deverá instruir como operar ajustar e manter OS rclés sirlcíoRiZa(iQres


durante a realização da inspeção oaía o Insoetor enviado pela CEB D ã fábrjc8

8.2. ÂceÊÍaçãa ou rejeição mo$ensalo$ de recebimento

A aceitaçãí] dos reles $iRcrorliz3dorês peia CEB D será indlvidualrr'ente


independentemente do tamanho do lote de aquisição

Caso a CEB D dispense a presença de seu inspetorduranteo ensaio: não exirljráo


fornecedorde sua responsabilidadeCrR or eceí os revéssincíonizadoresem plena
concordânciacom o Pedidode Comprae com esta EspecificaçãoTécnica; nem
invalldará qualquer reclamação aue a CEB D '/enha a fazer baseada =a existência oe
revés Inadequados ou defeituosos.

Por outro lado a rejeição do relê em x/irtudede falhas constatadas poí meio da
lrlspeção: durante o$ ensaios ou em virtude de discordância com o Pedido de Campía
ou com esta Especificação Técnica. dão eximirá e fornecedor de sua íesoonsabilldade
em fornecer o relê na data de entrega prometida. Se na opinião da CEB D: a re.elção
torrar Impraticável a entrega na data píornetida ou se tudo !nGicar que O forriec©dor
será incapaz de satisfazer os requisitos exigidos: a CEB D [e$ewa-$e o d Feitode
resclndirlodas as suas obrigações e adquirir o relê em outra fonte: sendo o fornecedor
considerado como inírator do medido üe compra: estarldo suleiio às De'dali:jades

aplicáveis ao caso.

CEB DiSTRIBLJICÃo S
E$PEGIFICÃÇÃQ OE : I MIã 13Ã EMD - aq .Gq2
DÊ$TRIBU{ÇÃO
OfS7'afaz/$,ãa RELÊ $1NCRONfZADORPARA REGULADOR
DETENÇÃO MONOFÁ$FCO-Ed

g.3 RespcnsablÍidade da proponente

A aceitação do lote não isenta o proponente da responsabilidade de fornecer os relés


sincronizadoresde acordo com todos os requisitosdo pedido de compra e desta
Especificação Técnica: nem invalida qualquer posterior reclamação que a CEB D
possa fazer devidc} a material defeituoso ou insatisfatório

$.4. Rega órí d© ensaios

O proponentedeverá expedire fornecer.na conclusãodos ensaios, uma via do


relatório ao inspetor da CEB-D

Para cada relê slncronizadar;o$ relatóriosem formulárioA4 da AE3NTcom a$


indicações necessárias e sua perfeita compreensão e interpretação: além dos
requisitos mínimos abaixo

Nome do ensaio
Nome da CEEI-D e fornecedor
Número e item do Pedido de Compra da Ceia-D e o número da C)rdem de
Fabricação do fornecedor
Data elocaldos en$aíos=
identificação e quantidade dos reles submetidos ao$ ensalos=
Descrição sumária do processo de ensaio Indicando a$ constantes métodos e
instrumentos empregados
Valores obtidos no$ ensaios
Sumário das características (garantidas versus medidas)l
Atestado de resultados, informando de forma clara e explícita se o relé
ensaiado foi aprovado ou reprovado no ensaio

A CEB D poderá dispensar a realização dos ensaios de tipo. caso o fornecedor


apresente relatórios de execução com garantia da autenticidade dos resultados. Esta
garantia pode ser dada no próprio relatório ou através de um certificado à parte

O fornecedor deverá Instruir como operar: ajustar e manter os revés durante a


realização da inspeção para os Inspetores enviados peia CEEI D à fábrica

CEB t)IS'!'RABI.JíçÃOS.A
#'-''!::z:; ..,Ó
Ê@õ-- aq..8$2
léÊ@$@ãt ÉéÉecirlcAÇAO OE MATERIAIS DA Página
36/36
I'crer ' c4.D RELÊ SINCRONiZADOR PARA REGULADOR
l ' l DETENSÃOMONOFASIG0-Ediçãol.l

$. ASSISTÊNCIA TÉGNÊÇA

A firFIde prover ser'/aços adequados de pós vereda. incluindo atendimento a qualquer


reclamação caberá pela garantia: o proponente deverá se comprometer a forreceí
assistência {écrtlcã ao relê slncronlzaaor, seKlpre que necessário

\
''\

CE.B 'D]'S]'RTB\lIÇÃoS.A