Você está na página 1de 3

ser importante levar em conta conseqüências (teoremas) e

O Que É Entropia? relações matemáticas que não serão comentadas aqui.

Eduardo Lütz (edlutz@gmail.com)


2 Conceitos Preliminares
1 Introdução Antes de podermos definir entropia, precisaremos tecer
algumas considerações sobre conceitos que serão utilizados
A palavra ‘entropia’ tem sido muito usada em debates, na definição.
como no caso da controvérsia Evolucionismo versus Cria- Os dois conceitos mais importantes neste contexto são
cionismo. Em tais debates, são utilizados argumentos que o de microestado e o de macroestado.
chegam, às vezes, a atribuir à entropia propriedades que Para entender isto precisamos notar que cada sistema
lhe são estranhas. fı́sico possui caracterı́sticas globais (que se referem ao sis-
Nosso objetivo aqui é o de definir entropia e comentar tema como um todo) e caracterı́sticas microscópicas (que
rapidamente algumas de suas propriedades. se referem a cada uma de suas partes).
Em princı́pio, o conceito de entropia surge matematica- Para fazer a idéia parecer mais concreta, vamos propor
mente na Termodinâmica ao estudarmos as propriedades um exemplo simples: um gás de moléculas de um só tipo.
de sistemas fı́sicos em equilı́brio ou em quase-equilı́brio le- As caracterı́sticas globais do gás são representadas por
vando em conta apenas suas caracterı́sticas globais (abor- variáveis como a pressão (p), o volume (V ), a temperatura
dagem holista). (T ), o número de moléculas (N ), a energia interna (U ),
A partir de tais estudos termodinâmicos, podemos não entalpia (H) e assim por diante.
apenas definir a entropia, mas vamos além e determinamos Mas estas variáveis não são todas independentes entre
suas principais propriedades. si. Se medirmos o valor de algumas delas, podemos deter-
Descobrimos, por exemplo, que se um sistema A tem minar os valores das demais por meio de relações gerais
entropia SA e um outro sistema B tem entropia SB , então entre elas.
a entropia do conjunto A + B (se não forem alteradas as Nesta abordagem (holista), identificamos o estado de
propriedades individuais) será SA + SB . Em outras pala- um sistema pelos valores de suas variáveis globais (que
vras, a entropia de um sistema é a soma das entropias de descrevem o estado do sistema como um todo). Um es-
suas partes. Grandezas que se comportam desta maneira tado do sistema caracterizado somente por variáveis glo-
chamam-se extensivas 1 . bais chama-se macroestado.
Descobrimos também que, em um sistema isolado (isto Podemos utilizar uma abordagem alternativa: a redu-
é, sem interação significativa com o mundo exterior), a cionista. Neste caso, levamos em conta o estado e ca-
entropia total não diminui com o passar do tempo. Pode racterı́sticas de cada componente do sistema. No caso
somente permanecer constante ou aumentar. do exemplo acima, as componentes do sistema são as
Mas, apesar de sua grande utilidade, a Termodinâmica, moléculas e suas interações. Assim como o estado do sis-
por sua natureza holista, apresenta algumas limitações que tema como um todo é caracterizado por variáveis globais
podem ser superadas por uma abordagem reducionista. (como pressão, volume, etc.), assim também o estado de
A abordagem reducionista correspondente é a da cada componente do sistema é caracterizado por um certo
Mecânica Estatı́stica, que não apenas consegue reproduzir conjunto de variáveis. As variáveis que caracterizam o es-
os resultados bem-sucedidos da Termodinâmica, mas vai tado de cada componente do sistema chamam-se variáveis
além tanto do ponto de vista conceitual quanto do ponto microscópicas.
de vista de poder de previsão. Um estado do sistema caracterizado pela especificação
Trataremos, portanto, de definir a entropia (da maneira do valor de cada variável microscópica chama-se microes-
mais acessı́vel que pudermos) no contexto da Mecânica Es- tado.
tatı́stica. Este tipo de definição tem maior aplicabilidade O desafio da Mecânica Estatı́stica, que também é seu
do que a definição da Termodinâmica. grande sucesso, é o de determinar os valores das variáveis
Note-se que não pretendemos aqui tocar em todos os globais e suas relações a partir de conhecimentos sobre
tópicos relevantes deste assunto, mas simplesmente apre- o estado de cada parte do sistema (cada molécula, neste
sentar uma introdução aos conceitos mais importantes. O exemplo).
leitor que deseje fazer uso do conceito de entropia para Assim, dado um microestado qualquer, podemos deter-
tirar conclusões importantes deve familiarizar-se com li- minar a que macroestado ele corresponde. Por exemplo,
vros técnicos sobre o assunto, pois em muitos casos pode sabendo-se o estado de cada molécula (e conhecida a lei
de suas interações), pode-se determinar a pressão, o vo-
1 Em oposição a intensivas, como a temperatura: a temperatura lume, a temperatura e as demais variáveis macroscópicas
de um sistema não é igual à soma das temperaturas de suas partes.
As grandezas extensivas costumam ter correspondentes intensivas
associadas ao macroestado correspondente, bem como as
associadas. Exemplos: volume (extensiva) e pressão (intensiva); en- relações gerais que estas variáveis macroscópicas mantêm
tropia (extensiva) e temperatura (intensiva). entre si.

1
A cada macroestado, usualmente corresponde um extrapolações sem maiores cuidados (mesmo porque nem
grande número de microestados. Por exemplo, se tomar- sempre é possı́vel ter-se cuidado quando se abre mão do
mos um gás com determinada pressão, volume e tempera- raciocı́nio formal, isto é, matemático).
tura, e trocarmos de lugar entre si algumas (ou todas as) De maneira pouco rigorosa, podemos estabelecer uma
moléculas, o macroestado não será alterado. Em outras relação não muito robusta entre entropia e desordem.
palavras, a pressão, o volume, a temperatura e as demais Por exemplo, de quantas maneiras podemos arranjar um
variáveis globais não se alterarão por este processo. conjunto de objetos de tal forma que o resultado pareça
organizado? Digamos que sejam n1 maneiras. Se somente
admitirmos dois macroestados possı́veis, isto é, “organi-
3 A Entropia zado” e “desorganizado”, então a entropia do estado “or-
ganizado” será dada por
Consideremos um macroestado qualquer de um sis-
tema. Na verdade, existem vários arranjos microscópicos S1 = kB ln(n1 ) . (2)
possı́veis que correspondem a este mesmo macroestado.
Vamos chamar de n a este número de microestados que Se o número de arranjos possı́veis que resultam no es-
resultam neste mesmo macroestado. tado “desorganizado” for n2 , então a entropia do estado
Nestas condições, a entropia é definida pela seguinte “desorganizado” será
2
fórmula : S2 = kB ln(n2 ) . (3)
S = kB ln(n) , (1)
Como existem muito mais arranjos correspondentes à
sendo ln o logaritmo natural e kB uma grandeza denomi- “desordem”, isto é, n é muito maior do que n (n >>
2 1 2
nada constante de Boltzmann, em homenagem a um dos n ), então segue-se que
1
maiores pioneiros da Mecânica Estatı́stica.
A entropia definida desta maneira não somente possui as S2 > S1 . (4)
propriedades da entropia definida na Termodinâmica, mas
também nos permite determinar o valor desta grandeza em Deste tipo de consideração pode-se fazer este tipo de
situações nas quais a Termodinâmica se cala. associação sem muito rigor. É importante, contudo, ter-
Além disso, esta definição nos permite maior clareza se em mente que tal associação possui aplicabilidade bas-
conceitual, permitindo um entendimento mais detalhado tante restrita, isto é, não pode ser utilizada em quaisquer
de questões como as levantadas pela lei do aumento da circunstâncias.
entropia em sistemas isolados.
5 Entropia e Probabilidade
4 Entropia e Desordem Imaginemos que são vendidos cem milhões de bilhetes de
uma determinada loteria, sendo que só um deles dá direito
A palavra ‘entropia’ tem sido associada a desordem. É
ao primeiro prêmio, mil dão direito ao segundo prêmio (de
importante lembrar que tal associação só é válida sob cer-
muito menor valor), dez mil dão direito ao terceiro prêmio
tas circunstâncias especiais. Um dos problemas deste tipo
e os demais não dão direito a prêmios.
de associação é que ela se dá em um contexto em que não se
Ao comprarmos um bilhete desta loteria, a chance de
utilizam definições formais e, freqüentemente, utilizam-se
comprarmos um bilhete não premiado é de praticamente
2 A fórmula (1) corresponde à abordagem da Mecânica Estatı́stica. cem por cento. A chance de conseguirmos o terceiro
A definição correspondente da Termodinâmica exige mais conheci- prêmio é tremendamente menor, mas ainda muito maior
mentos de Matemática do que esta, e pode ser expressa da seguinte
do que a chance de obter o segundo prêmio.
maneira: a entropia S é a primeira integral do sistema de Pfaff
Podemos calcular a entropia associada a cada uma des-
{θ = 0} , tas situações. Chamemos de S1 a entropia associada à
sendo θ a 1-forma definida por situação em que a pessoa obteve o primeiro prêmio, S2 a
X entropia associada à compra de um bilhete com o segundo
θ ≡ dU − ak dbk ,
prêmio, S3 à compra de um bilhete com o terceiro prêmio
k
e S4 à compra de um bilhete sem prêmio.
sendo U a energia interna do sistema, ak as variáveis intensivas e bk Por simplicidade, vamos fazer de conta que
as variáveis extensivas (exceto, obviamente, por T e S), de maneira
que X kB = 1/ ln(10) (5)
T dS = dU − ak dbk ,
k (o que corresponde a uma certa escolha de unidades de
sendo T a temperatura absoluta. Por exemplo, no caso de apenas medida). Assim, a fórmula da entropia, em nosso sistema
precisarmos levar em conta a pressão e o volume, teremos de medição, passa a ser
θ = T dS = dU + pdV .
ln(n)
É à grandeza θ que se associa o conceito de “calor”.
S = kB ln(n) = = log10 (n) = log(n) . (6)
ln(10)

2
Nestas condições, abertos (não-isolados) não possuem entropia.” Isto é um
grande equı́voco.
S1 = log(1) = 0 , (7) Como vimos, a definição de entropia não depende do
S2 = log(1000) = 3 , (8) fato de o sistema estar aberto ou fechado. A interação ou
S3 = log(10000) = 4 , (9) não de um sistema com outros apenas afeta seu compor-
tamento, mas não afeta o significado básico da entropia.
S4 = log(99988999) ≈ 7.99995222 ≈ 8 . (10)

A entropia cresce com a probabilidade associada a um 7.2 Entropia É um Princı́pio ou Lei?


estado.
Em sistemas fı́sicos mais gerais, também ocorre este Este equı́voco apresenta semelhança conceitual com o
fenômeno. Quanto maior o número de microestados cor- que acabamos de comentar. Trata-se da confusão entre
respondentes a um macroestado, maior será a chance de a grandeza chamada ‘entropia’ e a segunda lei da Ter-
encontrarmos o sistema neste macroestado e maior será a modinâmica, que diz algo sobre o comportamento desta
entropia associada a ele. grandeza.

7.3 A Entropia Só Aumenta


6 Entropia Crescente
Outro equı́voco: “A entropia de um sistema fı́sico qual-
Os sistemas fı́sicos que encontram-se a uma tempera- quer aumenta com o passar do tempo.”
tura acima do zero absoluto alteram seus microestados Não há garantias de que isto ocorra se o sistema não
com muita rapidez, mesmo quando não estão sofrendo al- estiver isolado. Veremos agora um exemplo.
terações em seus macroestados. Suponhamos que, em um compartimento isolado do
Ocorre também que o número de microestados corres- meio externo, existam em dado momento duas barras de
pondentes a um dos macroestados é muito maior do que um mesmo metal e com a mesma massa: o objeto A com
o dos outros macroestados. Isto faz com que a probabili- temperatura TA e o objeto B com temperatura TB . Es-
dade de encontrarmos o sistema em tal macroestado seja colhamos qual dos dois será chamado de A de tal forma
muito maior do que a de encontrá-lo em outro macroes- que TA > TB . Como a entropia cresce com a temperatura,
tado qualquer. Significa também que os sistemas fı́sicos SA > SB .
evoluirão naturalmente para estados com maior entropia, Após algum tempo, as temperaturas terão sofrido
a menos que alguma influência externa intervenha em ou- alterações de maneira que o sistema terá atingido o
tro sentido. equilı́brio, no qual TA = TB .
Esta tendência que os sistemas fı́sicos possuem de evo- Mas a temperatura está ligada à entropia de tal ma-
luir (mudar de estado com o tempo) em direção aos estados neira que, no processo acima, SA diminuiu e SB aumen-
mais prováveis corresponde ao que usualmente se conhece tou. Ocorreu também que S = SA + SB (a entropia total
por “segunda lei da Termodinâmica”. do sistema) aumentou no processo.
Em termos bem simples, podemos dizer que a segunda Resumindo, SA diminuiu por causa da interação de A
lei da Termodinâmica estabelece que a entropia de um com B.
sistema isolado não diminui com o tempo. Ela só pode
permanecer constante ou aumentar com o tempo. 7.4 Entropia É Energia?
Pelo estudo da Mecânica Estatı́stica, entretanto, per-
cebemos que o que ocorre é que a probabilidade de Há quem diga que “a entropia é uma forma degenerada
redução de entropia em um sistema isolado é extrema- de energia”.
mente próxima de zero. O valor exato desta probabilidade Isso está errado. Entropia não é uma forma de energia,
depende das caracterı́sticas intrı́nsecas e do estado do sis- mas uma outra grandeza com caracterı́sticas próprias.
tema. Mesmo assim, tal probabilidade costuma ser tão Entretanto, existe um fato que se assemelha a essa idéia.
baixa que podemos considerá-la como sendo da ordem do No exemplo da subseção anterior, poderı́amos ter aprovei-
impossı́vel para a maioria dos casos práticos (senão todos), tado o fluxo efetivo de energia de A para B a fim de gerar
mesmo se pudermos esperar quintilhões de anos para que trabalho útil. Após o sistema atingir o equilı́brio, entre-
o improvável aconteça. tanto, não é mais possı́vel aproveitar a energia do sistema,
embora ela ainda esteja toda lá. A energia está “degene-
rada”, isto é, o sistema está em um tal estado que não é
7 Mal-entendidos mais possı́vel converter energia térmica em outras formas
de energia. Este é o estado de máxima entropia.
7.1 Sistemas Abertos
Por se basearem apenas em certas idéias populares sobre
o assunto, muitos chegam a fazer afirmações incompatı́veis
com a definição de entropia. Eis um exemplo: “Sistemas

Você também pode gostar