Você está na página 1de 3

Fundador Instituto de Terapia do Esquema em Nova York

Trabalhou junto ao Aaron Beck em diversas pesquisas

Professor do Depto. Psiquiatria da Columbia Universaty

• Surgiu a partir de 1990 como um complemento da TCC de AARON Beck;

• fundador Jeffrey E. Young como parte de um tratamento na ajuda com pacientes


com transtorno de personalidades;

• Geralmente pacientes com rigidez cognitiva, interpessoal;

• evitamentos cognitivos, emocionais, comportamentais;

• Visa compreender as manifestações de como o paciente construiu os EIDS (esquemas


iniciais desadaptativos);

DIÁLOGANDO ENTRE NÓS PSIS A TERAPIA DOS


ESQUEMAS

• A importância da te somente se tornou uma abordagem integradora, complexa e


eficaz justamente por ter sido influenciada por outras abordagens importantes bem
como:

• a terapia cognitiva comportamental,

• a Gestalt, psicanálise

• a terapia do apego (bowlby).

A DIFERENÇA ENTRE A TCC E A TERAPIA DOS ESQUEMAS


• Aaron beck

Conceito:

a. Pensamentos automáticos negativas DO PACIENTE;

b. Distorções cognitivas

c. Crenças centrais ( condicionais e incondicionais


• Estratégia terapêutica

a. Empirismo colaborativo com recurso ao diálogo socrático

• formulação de casos

a. Identificar crenças nucleares e os padrões cognitivos disfuncionais, além de reações


emocionais do paciente, seu comportamento, no qual aparece distorcidos que é a
forma como o paciente processa sua informação;

• Estratégia de intervenção

Diversas formas cognitivas e recursos comportamentais;

JEFFREY YOUNG

Conceito

a. EIDs. Pes.DE MANUTENÇÃO, EVITAÇÃO E HIPERCOMPENSAÇÃO. ME.

• . ESTRATÉGIA TERAPÊUTICA

a. CONFRONTAÇÃO EMPÁTICA USANDO O PENSAMENTO DO PACIENTE E COMO ELE


USA SEU COMPORTAMENTO E SUA EMOÇÃO;

b. REPARENTALIZAÇÃO LIMITADA (FORNECE AS NECESSIDADES BÁSICAS EMOCIONAIS


DO PACIENTE QUE NÃO FORAM ATENDIDAS NA INFÂNCIA, NO SETTING CLÍNICO;

c. PENSAMENTOS ESQUEMÁTICOS DISFUNCIONAIS;

d. MODOS ESQUEMÁTICOS;

• FORMULAÇÃO DE CASOS

a. OBSERVAR AS FALHAS NA LIGAÇÃO DE NECESSIDADES (NEBs) À FORMAÇÃO DOS


EIDs DO PACIENTE;

b. LIGAR OS EIDs ESPECÍFICOS DO PACIENTE AO COMPORTAMENTOS E PENSAMENTOS


DISFUNCIONAIS DO PACIENTE; LEMBRANDO QUE TEMOS QUE SE ATENTAR AOS
PENSAMENTOS ESQUEMÁTICOS QUE O PACIENTE USA PRA CADA SITUAÇÃO;

c. IDENTIFICAR OS MODOS ESQUEMÁTICOS QUE ESTÃO ATUANTES NELE.

• ESTRATÉGIA DE INTERVENÇÃO

a. COGNITIVA;

b. COMPORTAMENTAIS;

c. EMOCIONAIS E INTERPESSOAIS;

d. RELAÇÃO TERAPÊUTICA; (FUNDAMENTAL PARA MUDANÇA NA rl);


• OS QUE SÃO OS Eids?
• São os resultados de necessidades afetivas e emocionais que durante a infância na fase
do desenvolvimento, em algum momento deixou de ser suprida;

• Possui 3 fatores:

a. O temperamento emocional: (geneticamente herdado);

b. Experiências durante a infância com a figura significativa (pais ou cuidador);

c. Como as necessidades básicas afetivas aconteceram gradualmente no


desenvolvimento desse indivíduo;

LIVROS/ PDFs UTILIZADOS:

Young, Klosko & Weishaar – Terapia do Esquema – Guia de Técnicas Cognitivo-


comportamentais Inovadoras

BOWLBY, JOHN (1973). Separation: Anxiety and Anger. (vol. II of Attachment and Loss). New
York: Basic Books.

Judith Beck – (1997). Terapia Cognitiva: Teoria e Prática. Artmed,1 ed.


BECK, AARON T. (1998). Love Is Never Enough. New York: Harper & Row

BECK, AARON T. (1976). Cognitive Therapy and Emotional Disorders. New York: International
Universities Press. Paperbound edition published by New American Library, New York, 1979.

Young – Terapia Cognitiva para Transtornos da Personalidade – Uma Abordagem Focada no


Esquema, 3.ed.

R Wainer, K Paim, R Erdos, R Erdos, R Andriola Terapia cognitiva focada em esquemas (2016)
Artmed Editora