Você está na página 1de 2

PRÉ-UNIVERSITÁRIO OFICINA DO SABER

DISCIPLINA: História PROFESSORES: Ana Carolina Rocha, Diogo Alchorne Brazão, Fabrício
Data: 12/04/2021 Sampaio

Monitoria 2 de História

1 – (Enem 2019) O conhecimento é sempre aproximado, falível e, por isso mesmo, suscetível de contínuas
correções. Uma justificação pode parecer boa, num certo momento, até aparecer um conhecimento melhor. O
que define a ciência não será então a ilusória obtenção de verdades definitivas. Ela será antes definível pela
prevalência da utilização, por parte dos seus praticantes, de instrumentalidades que o campo científico forjou
e tornou disponíveis. Ou seja, cada progressão no conhecimento que mostre o caráter errôneo ou insuficiente
de conhecimentos anteriores não remete estes últimos para as trevas exteriores da não ciência, mas apenas
para o estágio de conhecimentos científicos historicamente ultrapassados.

ALMEIDA, J. F. Velhos e novos aspectos da epistemologia das ciências sociais. Sociologia: problemas e práticas, n. 55, 2007
(adaptado).

O texto desmistifica uma visão do senso comum segundo a qual a ciência consiste no(a)

A) conjunto de teorias imutáveis.


B) consenso de áreas diferentes.
C) coexistência de teses antagônicas.
D) avanço das pesquisas interdisciplinares.
E) preeminência dos saberes empíricos.

2 – (Enem 2016) A história não corresponde exatamente ao que foi realmente conservado na memória popular,
mas àquilo que foi selecionado, escrito, descrito, popularizado e institucionalizado por quem estava
encarregado de fazê-lo. Os historiadores, sejam quais forem seus objetivos, estão envolvidos nesse processo,
uma vez que eles contribuem, conscientemente ou não, para a criação, demolição e reestruturação de imagens
do passado que pertencem não só ao mundo da investigação especializada, mas também à esfera pública na
qual o homem atua como ser político.

HOBSBAWM, E.; RANGER, T. A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984 (adaptado)

Uma vez que a neutralidade é inalcançável na atividade mencionada, é tarefa do profissional envolvido

A) explicitar as escolhas realizadas


B) criticar as ideias dominantes.
C) defender os direitos das minorias.
D) satisfazer os financiadores de pesquisas.
E) respeitar os interesses sociais.

3 – (Enem 2016) Nunca nos tornaremos matemáticos, por exemplo, embora nossa memória possua todas as
demonstrações feitas por outros, se nosso espírito não for capaz de resolver toda espécie de problemas; não
nos tornaríamos filósofos, por ter lido todos os raciocínios de Platão e Aristóteles, sem poder formular um
juízo sólido sobre o que nos é proposto. Assim, de fato, pareceríamos ter aprendido, não ciências, mas
histórias.

DESCARTES, R. Regras para a orientação do espírito. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

Em sua busca pelo saber verdadeiro, o autor considera o conhecimento, de modo crítico, como resultado da

A) investigação de natureza empírica.


B) retomada da tradição intelectual.
C) imposição de valores ortodoxos.
D) autonomia do sujeito pensante.
E) liberdade do agente moral.

Gabarito

1–A

2–A

3–D