Você está na página 1de 24

EQUAÇÃO DO 2o GRAU

1. EQUAÇÃO DO SEGUNDO GRAU


Equação polinomial do segundo grau ou simplesmente equação do segundo grau é qualquer equação escrita na forma 𝒂𝐱 𝟐 +
𝒃𝐱 + 𝒄 = 𝟎, sendo 𝑎, 𝑏 e 𝑐 número reais chamados coeficientes e 𝑎 ≠ 0.
Exemplos:
a) 5𝑥 2 + 4𝑥 − 6 = 0 b) − y 2 − √2 y − 6 = 0
Veja que na equação acima, temos: Veja que na equação acima, temos:
𝑎 = 5, 𝑏 = 4 e 𝑐 = − 6 𝑎 = −1, 𝑏 = − √2 e 𝑐 = −6
Como todos os coeficientes são números diferentes Como todos os coeficientes são números diferentes
de zero, a equação recebe o nome de equação completa. de zero, a equação recebe o nome de equação completa.

c) − 07𝑤 2 + 4𝑤 = 0 d) − t 2 + 6 = 0
Veja que na equação acima, temos: Veja que na equação acima, temos:
𝑎 = −0,7, 𝑏 = 4 e 𝑐 = 0 𝑎 = −1, 𝑏 = 0 e 𝑐 = 6
Como há pelo menos um coeficiente igual a zero, Como há pelo menos um coeficiente igual a zero,
a equação recebe o nome de equação incompleta. a equação recebe o nome de equação incompleta.

Dizemos que uma equação do 2o grau está escrita na forma geral quando é posta sob a forma 𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 = 0. Todas as
equações apresentadas acima estão escritas na forma geral.

2. RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES INCOMPLETAS DO SEGUNDO GRAU


Vamos nesse item, aprender a resolver equações incompletas do 2o grau. Para isso, vamos dividir esse tipo de equação em dois
casos.

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS
1o caso: A equação 𝒂𝐱 𝟐 + 𝒃𝐱 + 𝒄 = 𝟎 apresenta o coeficiente 𝒃 igual a zero.
R1. Resolva, em IR, as equações a seguir.
c+ 3 c− 1
a) 4𝑥 2 − 36 = 0 c) y 2 + 25 = 0 e) =
2c − 1 3 − 2c
2 1 1 5
b) 7𝑥 2 − 21 = 0 d) 5(𝑎2 − 1) = 4(𝑎2 + 1) f) 2 + − =
f − 4 f+ 2 f− 2 6
Resolução: Resolveremos aqui, equações do segundo grau que, quando colocadas na forma geral, apresentam o coeficiente 𝑏 igual
a zero, ou seja, elas estarão na forma 𝒂𝐱 𝟐 + 𝒄 = 𝟎. Você já sabe, que resolver uma equação, é encontrar, caso haja, um número,
que, quando colocado no lugar da variável produza expressões iguais nos dois membros. No caso de equações de grau 2, podemos
encontrar até 2 números para raiz.
a) 4𝑥 2 − 36 = 0
Poderíamos resolver esta equação usando fatoração, mas iremos adotar outra estratégia, pois a técnica da fatoração não se
mostra clara em algumas situações (Veja mais detalhes no vídeo MATEMÁTICA BÁSICA - AULA 65 - AYRTON TORRES).
4𝑥 2 − 36 = 0 Como a equação já está na forma geral, as etapas ficam menos trabalhosas.
Passamos o termo 36 para o membro da direita com a operação invertida: 4𝑥 2 = 0 + 36
4𝑥 2 = 36
36
Passamos o número 4 para o membro da direita com a operação invertida: 𝑥2 =
4
x2 = 9

Passamos o expoente 2 para o membro da direita com a operação invertida: 𝑥2 = 9


x = ± √9
Ayrton, PARE! De onde veio o símbolo ± que você colocou ao lado da raiz quadrada de 9?
A explicação é simples: Sabemos que existem dois números reais que elevados ao quadrado, resultam em 9: O número – 3 e o
número 3 ⟹ (−3)2 = 9 e (3)2 = 9
Ora, quando temos em nossa frente a equação 𝑥 2 = 9 , é como se estivessem nos perguntando:
Quais são os números reais que, elevados ao quadrado , resultam em 9?

x2 = 9 Essa equação tem “que dar” duas raízes: 3 e − 3


Sendo assim, estaríamos cometendo um erro se passássemos o expoente 2 da variável x do seguinte modo:
𝑥2 = 9 𝑥 = √9 𝑥 = 3
Errado, pois encontramos apenas uma raiz,
quando deveríamos encontrar duas.
O correto, então, é fazer: x 2 = 9 x = ± √9 x = ± 3
Logo, o conjunto solução da equação 4𝑥 2 − 36 = 0 é S = { ± 3}

1
Mas, antes de passarmos para a próxima equação, vejamos o que significa dizer que os números 3 e − 3 são raízes da equação
4𝑥 2 − 36 = 0.
Se substituirmos x por qualquer um dos números encontrados para raiz, obteremos uma igualdade verdadeira. Veja:
4𝑥 2 − 36 = 0 4 . 9 − 36 = 0 4𝑥 2 − 36 = 0 4 . 9 − 36 = 0

4 ( 3 ) 2 − 36 = 0 36 − 36 = 0 4 ( − 3 )2 − 36 = 0 36 − 36 = 0

A bem da verdade, esse detalhe de passar o expoente para o outro membro extraindo a raiz acompanhada do sinal negativo e
positivo, é inerente a qualquer expoente natural par. Veja alguns exemplos.
a2 = 1 a4 = 1 𝑦 4 = 10 w 8 = 256
4 4 8
a = ± √1 a = ± √1 𝑦 = ± √10 𝑤 = ± √256
a = ± 1 a = ± 1 𝑤 = ± 2

b) 7𝑥 2 − 21 = 0
Poderíamos resolver essa equação usando fatoração, mas iremos adotar outra estratégia, pois a técnica da fatoração não se
mostraria clara em algumas situações (Veja mais detalhes no vídeo MATEMÁTICA BÁSICA - AULA 65 - AYRTON TORRES).
7𝑥 2 − 21 = 0 Como a equação já está na forma geral, as etapas ficam menos trabalhosas.
Passamos o termo 21 para o membro da direita com a operação invertida: 7𝑥 2 = 0 + 21
7𝑥 2 = 21
Passamos o número 7 para o membro da direita com a operação invertida: 7x 2 = 21
21
𝑥2 =
7
x2 = 3

Passamos o expoente 2 para o membro da direita com a operação invertida: x 2 = 3


x = ± √3
Assim, o conjunto solução da equação 7𝑥 2 − 21 = 0 é S = { ± √3 }
Mas, antes de passarmos para a próxima equação, vejamos o que significa dizer que os números √3 e − √3 são raízes da
equação 7𝑥 2 − 21 = 0.
Se substituirmos x por qualquer um dos números encontrados para raiz, obteremos uma igualdade verdadeira. Veja;
7𝑥 2 − 21 = 0 7 . 3 − 21 = 0 7𝑥 2 − 21 = 0 7. 3 − 21 = 0

7( √3 ) 2 − 36 = 0 21 − 21 = 0 7( − √3 )2 − 21 = 0 21 − 21 = 0

c) 5𝑥 2 + 25 = 0 Se ligue nessa equação, pois acontecerá algo interessante.


5𝑥 2 + 25 = 0 Como a equação já está na forma geral, as etapas ficam menos trabalhosas.
Passamos o termo 25 para o membro da direita com a operação invertida: 5𝑥 2 + 25 = 0
5𝑥 2 = −25
Pare! Percebeu algo de estranho? Não?
Então voltemos à equação e façamos uma análise cuidadosa do que foi obtido.
𝟓𝐱 𝟐 = −𝟐𝟓
O número 5 é positivo e a expressão x 2 produzirá, dentro do conjunto dos reais, um número positivo ou nulo. Temos então,
que o produto que constitui o membro da esquerda dessa equação resultará em um número positivo ou nulo. Mas, o membro da
esquerda é formado por um número negativo.
E aí? Como é que fica esta situação? Um número negativo pode ser igual a um número positivo ou nulo?
Essa situação, é para indicar que a equação que estamos resolvendo não possui raízes reais, ou seja, o conjunto solução, dentro
dos Reais, é vazio. Há também outra maneira de perceber essa impossibilidade de obtenção de raízes. Veja:
25 25
5x 2 = − 25 x2 = − x = ±√− Chegamos a uma impossibilidade no conjunto dos Números Reais:
5 5
Raiz de índice par com radicando negativo
Sendo assim, o conjunto solução da equação 5x 2 = − 25 é S = ∅

d) 5(a2 − 1) = 4(a2 + 1)
Observe que a equação apresentada não está na forma geral. Precisamos então, colocá-la nessa forma. Vejamos como fazer
isso.
5(a2 − 1) = 4(a2 + 1) 5a2 − 4a2 − 5 − 4 = 0
5a2 − 5 = 4a2 + 4 a2 − 9 = 0 Chegamos na Forma Geral
Passamos o termo 9 para o membro da direita com a operação invertida: a2 − 9 = 0
a2 = 9
Passamos o expoente 2 para o membro da direita com a operação invertida: a2 = 9
a = ± √9
a = ± 3
Sendo assim, o conjunto solução da equação 5(a2 − 1) = 4(a2 + 1) é S = { ± 3} Faça o próximo exercício B1.

2
c+ 3 c− 1
e) =
2c − 1 3 − 2c
Estamos com uma equação fracionária. Vamos aplicar a sequência de procedimentos que vimos no estudo das equações
fracionárias.
1. Estabelecer a condição de existência (domínio de validade) da equação apresentada.

Temos então, que a condição de existência da equação apresentada é qualquer


1 3 1
número real, com exceção dos números e , isto é, CE = {c ∈ IR / 𝑐 ≠ e
2 2 2
3
c≠ }
2

2. Calcular o m.m.c. dos denominadores.


m.m.c.(2c − 1, 3 − 2c) = (2c − 1). (3 − 2c)

3. Substituir as frações apresentadas por frações equivalentes com denominador comum, sendo esse denominador
comum o m.m.c. obtido no passo anterior.
c+ 3 c− 1 (c + 3)(3 − 2c) (c − 1)(2c − 1)
= (2c − 1)(3 − 2c)
= (3 − 2c)(2c − 1)
2c − 1 3 − 2c

4. Eliminar os denominadores e resolver em seguida a equação obtida.


(c + 3)(3 − 2c) (c − 1)(2c − 1)
= (3 (c + 3)(3 − 2c) = (c − 1)(2c − 1)
(2c− 1)(3 − 2c) − 2c)(2c − 1)
(c + 3)(3 − 2c) = (c − 1)(2c − 1) 3c − 2c 2 + 9 − 6c = 2c 2 − c − 2c + 1
− 2c 2 − 2c 2 + 3c + c + 2c − 6c + 9 − 1 = 0
− 4c 2 + 8 = 0 − 4c 2 = − 8 4c 2 = 8 c2 = 2 c = ± √2

5. Verificar se o valor obtido para a variável satisfaz a condição de existência estabelecida.


Como os valores encontrados para a variável c não contrariam a condição de existência, podemos escrever o conjunto
solução contendo os números – √2 e √2 .
S = { ± √2 }

2 1 1 5
f) + − =
f2 − 4 f+ 2 f− 2 6
Estamos com uma equação fracionária. Vamos aplicar a sequência de procedimentos que vimos no estudo das equações
fracionárias.
1. Estabelecer a condição de existência (domínio de validade) da equação apresentada.
Assim, a condição de existência da equação
apresentada é qualquer número real, menos
os números 2 e − 2, isto é, CE = {f ∈ IR/ f ≠
2 e f ≠ − 2}

2. Calcular o m.m.c. dos denominadores.


m.m.c.( 𝑓 2 − 4, f + 2, f − 2, 6 )
m.m.c.( (𝑓 + 2)(𝑓 − 2), 𝑓 + 2, 𝑓 − 2, 6 ) = 6(f + 2)(f − 2)

3. Substituir as frações apresentadas por frações equivalentes com denominador comum, sendo esse denominador
comum o m.m.c. obtido no passo anterior.
2 1 1 5
2 + − =
f − 4 f + 2 f − 2 6
2. 6 6(f − 2) 6(𝑓 + 2) 5(𝑓 + 2)(𝑓 − 2)
+ − =
6(f + 2)(f − 2) 6(f + 2)(f − 2) 6(𝑓 + 2)(𝑓 − 2) 6(𝑓 + 2)(𝑓 − 2)

4. Eliminar os denominadores e resolver em seguida a equação obtida.


2. 6 6(f − 2) 6(f + 2) 5(f + 2)(f − 2)
+ − =
6(f + 2)(f − 2) 6(f + 2)(f − 2) 6(f + 2)(f − 2) 6(f + 2)(f − 2)

2. 6 6(f − 2) 6(f + 2) 5(f + 2)(f − 2)


+ − =
6(f + 2)(f − 2) 6(f + 2)(f − 2) 6(f + 2)(f − 2) 6(f + 2)(f − 2)
12 + 6(f − 2) − 6(f + 2) = 5(f + 2)(f − 2)
12 + 6f − 12 − 6f − 12 = 5(f 2 − 4) 12 + 6f − 12 − 6f − 12 = 5f 4 − 20
4 2
− 12 = 5f − 20 5f − 8 = 0 chegamos na Forma Geral
8 8 2
5f 2 − 8 = 0 5f 2 = 8 f2 = f = ±√ f = ± 2. √
5 5 5

3
5. Verificar se o valor obtido para a variável satisfaz a condição de existência estabelecida.
Como os valores encontrados para a variável f não contrariam a condição de existência, podemos escrever o conjunto
2 2
solução contendo os números 2. √ e − 2. √
5 5
2 2
S = { 2. √ e − 2. √ } Faça os próximos exercícios B2 e B3.
5 5

2o caso: A equação 𝐚𝐱 𝟐 + 𝐛𝐱 + 𝐜 = 𝟎 apresenta o coeficiente 𝐜 igual a zero.


R2. Resolva, em IR, as equações abaixo.
b2 + 1 2 1
a) x 2 − x = 0 b) (x − 5)(x − 6) = 30 c) + 1 = 0 d) 2 + = − 1
b− 1 x − 1 x + 1
Resolução: Resolveremos aqui, equações do segundo grau que, quando colocadas na forma geral, apresentam o coeficiente c igual
a zero, ou seja, elas estarão na forma 𝐚𝐱 𝟐 + 𝐛𝐱 = 𝟎.
a) x 2 − x = 0 Equações do segundo grau como essas que iremos trabalhar, são resolvidas com o auxílio da fatoração.
Antes de entrarmos nas resoluções propriamente dita, vejamos um conceito fundamental para a resolução desse tipo de
equação.
Considere a seguinte situação: Dois números que, multiplicados entre si, produz como resultado o número zero. Que conclusão
podemos tirar a respeito desses números? Ora, pelo menos um deles é zero.
𝐱 . 𝐲 = 𝟎 ⟺ 𝐱 = 𝟎 ou 𝐲 = 𝟎
Vamos chamar a relação acima de “regra do produto nulo”. Vamos às resoluções.

Assim, o conjunto solução da equação x 2 − x = 0, é S = {0 e 1}

b) (x − 5)(x − 6) = 30 Ao contrário da equação anterior, essa não está escrita na forma geral. Vamos, portanto, escrevê-la
nessa forma.
(x − 5)(x − 6) = 30 x . x − 6 . x − 5 . x + 30 = 30 x 2 − 6x − 5x + 30 − 30 = 0
x 2 − 11x + 30 − 30 = 0 x 2 − 11x = 0 Colocamos a equação na foram geral.

Assim, o conjunto solução da equação (x − 5)(x − 6) = 30, é


S = {0 e 11}
Faça o próximo exercício B4.

b2 + 1
c) + 1 = 0 Estamos com uma equação fracionária. Vamos aplicar a sequência de procedimentos que vimos no
b− 1
estudo das equações fracionárias.
1. Estabelecer a condição de existência (domínio de validade) da equação apresentada.
Assim, a condição de existência da equação apresentada é qualquer número real,
menos o número 1, isto é, CE = {b ∈ IR /𝑏 ≠ 1}

2. Calcular o m.m.c. dos denominadores: m.m.c.( b − 1, 1) = b − 1

3. Substituir as frações apresentadas por frações equivalentes com denominador comum, sendo esse denominador
comum o m.m.c. obtido no passo anterior.
b2 + 1 b2 + 1 b− 1 0
+ 1 = 0 + =
b− 1 b− 1 b− 1 b− 1

4. Eliminar os denominadores e resolver em seguida a equação obtida.


b2 + 1 b− 1 0 b2 + 1 b− 1 0
+ = + = b2 + 1 + b − 1 = 0
b− 1 b− 1 b− 1 b− 1 b− 1 b− 1

b2 + 1 + b − 1 = 0 b2 + b = 0 Colocamos a equação na forma geral.


Colocamos a variável b em evidência: b2 + b = 0
b(b + 1) = 0
Aplicamos a regra do produto nulo: b . (b + 1) = 0

𝐛 = 𝟎 ou x + 1 = 0

4
𝐛 = − 𝟏

5. Verificar se o valor obtido para a variável satisfaz a condição de existência estabelecida.


Como os valores encontrados para a variável b não contrariam a condição de existência, podemos escrever o conjunto
solução contendo os números 0 e − 1.
S = {0 e −1}

2 1
d) + = − 1 Estamos com uma equação fracionária. Vamos aplicar a sequência de procedimentos que vimos
x2 − 1 x + 1
no estudo das equações fracionárias.
1. Estabelecer a condição de existência (domínio de validade) da equação apresentada.

Assim, a condição de existência da equação apresentada é qualquer


número real, menos os números 1 e − 1, isto é, CE = {x ∈ IR / 𝑥 ≠
± 1}

2. Calcular o m.m.c. dos denominadores.


m.m.c. ( 𝑥 2 − 1, x − 1 )
m.m.c.( (𝑥 + 1)(𝑥 − 1), x − 1 ) = (x + 1)(x − 1)

3. Substituir as frações apresentadas por frações equivalentes com denominador comum, sendo esse denominador
comum o m.m.c. obtido no passo anterior.
2 1 2 (x − 1) (x + 1)(x − 1)
+ = − 1 + = −
x2 − 1 x + 1 (x + 1)(x − 1) (x + 1)(x − 1) (x + 1)(x − 1)

4. Eliminar os denominadores e resolver em seguida a equação obtida.


2 (x − 1) (x + 1)(x − 1) 2 (x − 1) (x + 1)(x − 1)
(x + 1)(x − 1)
+ (x + 1)(x − 1)
= − (x + 1)(x − 1) (x + 1)(x − 1)
+ (x + 1)(x − 1)
= − (x + 1)(x − 1)

2 + (x − 1) = −(x + 1)(x − 1) 2 + x − 1 = − x2 + 1 x2 + x + 2 − 2 = 0 x2 + x = 0
Escrevemos a equação na Formal Geral.
Colocamos a variável 𝑥 em evidência: x2 + x = 0
x(x + 1) = 0

Aplicamos a regra do produto nulo: x . (x + 1) = 0

𝐱 = 𝟎 ou x + 1 = 0
𝐱 = − 𝟏

5. Verificar se o valor obtido para a variável satisfaz a condição de existência estabelecida.


Atenção: Um dos valores encontrados para a variável x contraria a condição de existência. Sendo assim, apenas o valor
𝑥 = 0, fará parte do conjunto solução. S = { 0 }
Faça o próximo exercício B5.

EXERCÍCIOS BÁSICOS

B1. Resolva, em IR, as seguintes equações:


a) a2 − 1 = 0 d) 7𝑑2 − 343 = 0 g) 4(𝑔2 − 5) = 3(𝑔2 + 5) + 1
2
b) b − 4 = 0 e) e2 + 64 = 0 h) 6(h2 + 3) = 3 + 5(h2 − 2)
c) c 2 − 400 = 0 f) − 25 + 100𝑓 2 = 0 i) 3(5ℎ2 − 4) = − 5ℎ2 − 9

B2. Resolva, em IR, as seguintes equações:


2a − 2 a− 1 5 x− 3 1 3b − 1 b+ 2 10
a) = b) = x −2 c) = −1 d) + =
a+ 5 a+ 3 x+ 2 x2 − 4 x− 2 b− 1 b b2 − b

1+ x x 1 1
B3. (FMSC) Se = então: a) x = ± √2 b) x = ± c) x = ± √3 d) x = ± √
x 1− x 2 2

B4. Resolva, em IR, as seguintes equações:


a) a2 − 5a = 0 d) 0,3d − 0,003d2 = 0 g) (g − 4)2 + 2(g − 8) = 0
b) 4b2 − 12b = 0 e) (e − 3)(e − 5) = 15 h) (5 − h)(5 + h) = (h − 5)2
c) √3 c 2 + √27 c = 0 f) (5 − 2f)(3f − 1) = 5(f − 1) i) (i − 4)2 = (8 − i)(2 + i)

5
B5. Resolva, em IR, as seguintes equações:
x+ 1 x+ 3 x 2 x+ 2 1 x− 5 2 x+ 2
a) + = −2 b) − 2 = c) + 1= d) + = 1 +
x− 1 x− 3 x+ 2 x− 1 x− 3 x+ 3 x2 − 1 x− 1 x+ 1

3. FÓRMULA DE BHASKARA
Aprenderemos nesse item, a resolver equações do 2o grau de um modo mais geral, ou seja, tanto as equações completas quanto
as incompletas. A ideia é a seguinte: Vamos, a partir da forma geral da equação do 2 o grau, tentar isolar a variável x, para que,
com isso, tenhamos uma fórmula que nos dê o valor de x em função dos coeficientes presentes na Forma Geral.

𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 = 0 Já sabemos que o coeficiente 𝑎 é um número real não nulo.


Passemos o coeficiente livre 𝑐 para o membro da esquerda: 𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 = 0
𝑎x 2 + 𝑏x = − c
Dividamos os dois membros da equação por 𝑎: 𝑎x 2 + 𝑏x = − c
𝑎x2 𝑏x 𝑐
+ = −
𝑎 𝑎 𝑎
b 𝑐
x2 + x = −
a 𝑎
Usando o que aprendemos no R14 e R15 do capítulo de
fatoração, vamos somar aos dois membros da equação
𝒃 b 𝑐
a potência ( )𝟐 , para que possamos transformar o x2 + x = −
𝟐𝒂 a 𝑎
membro da esquerda em um trinômio
𝑏 𝒃 𝒃 𝑐
quadrado perfeito: x2 + x ( )𝟐 = ( )𝟐 −
𝑎 𝟐𝒂 𝟐𝒂 𝑎

trinômio quadrado perfeito

Fatoramos o membro da esquerda e desenvolvemos


𝑏 𝒃 𝟐 𝒃 𝑐
o membro da direita: x2 + x ( ) = ( )𝟐 −
𝑎 𝟐𝒂 𝟐𝒂 𝑎
𝑏 2 𝑏2 𝑐
(x + ) = −
2𝑎 4 𝑎2 𝑎
𝑏 2 𝑏2 − 4ac
(x + ) =
2𝑎 4 𝑎2

Passamos o expoente 2 do membro da esquerda


𝑏 𝑏2 − 4ac
para o membro da direita radiciando: (x + )2 =
2𝑎 4 𝑎2
𝑏 b2 − 4ac
x + = ± √
2𝑎 4a2

𝑏 √b2 − 4ac
x + = ±
2𝑎 2a

𝑏 √b2 − 4ac
Isolamos a variável x: x = − ±
2𝑎 2a
− 𝐛 ± √𝐛 𝟐 − 𝟒𝐚𝐜
𝐱 =
𝟐𝐚
Conseguimos isolar x, e com isso obter uma fórmula para calcular as raízes da equação 𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 = 0. No Brasil, essa
fórmula é conhecida como “fórmula de Bhaskara”. O nome Bhaskara, é de um matemático indiano que viveu no século XII da era
cristã. Apesar de levar o seu nome, hoje se sabe, que a fórmula não foi deduzida por ele. Historiadores da Matemática, sustentam
que essa fórmula surgiu na Europa Renascentista.
Você na condição de iniciante no estudo da Matemática, talvez, não faça ideia da importância da fórmula de Bhaskara. Ela
simplesmente, estará presente em todos os assuntos que você irá ver de agora em diante. Sendo, assim, vamos conhecer alguns
detalhes dessa fórmula.
A expressão b2 − 4ac será, de agora em diante, chamada de discriminante da equação e representada através da letra grega
maiúscula delta ( Δ ).
− 𝐛 ± √𝐛 𝟐 − 𝟒𝐚𝐜 − 𝐛 ± √𝚫
𝐱 = =
𝟐𝐚 𝟐𝐚
Como o discriminante delta está na condição de radicando de uma raiz quadrada, temos que analisar as seguintes situações:
Δ>0 A equação ax 2 + bx + c = 0 terá duas raízes reais e distintas.
Δ=0 A equação ax 2 + bx + c = 0 terá duas raízes reais e iguais.
Δ<0 A equação ax 2 + bx + c = 0 não terá raízes reais.
Vamos agora, fazer alguns exercícios envolvendo a fórmula de Bhaskara.

6
EXERCÍCIOS RESOLVIDOS
R3. Resolva, em IR, as seguintes equações:
a) x 2 − 5x + 6 = 0 e) (e + 6)(e + 2) = 2e(e + 3) + 2
b) x 2 + 2x + 1 = 0 f) − f 2 − 3f + 10 = 0
c) x 2 + x + 1 = 0 g) (2𝑔 + 1)2 − (𝑔 − 1)2 = 6𝑔 + 6
h− 1 h(3 − h) 1
d) (d − 3)(d − 2) = 2(2d − 7) h) − = h +
2 3 3

Resolução: Temos que resolver algumas equações completas do 2o grau. Será necessário, portanto, o uso da fórmula de Bhaskara.
a) x 2 − 5x + 6 = 0
Como a equação já está colocada na forma geral, o trabalho de procurar as raízes é um pouco menor.
Identificamos os coeficientes:

Identificados os coeficientes, substituímos os valores na fórmula:

− b ± √Δ − b ± √b2 − 4ac −(− 5) ± √(− 5)2 − 4 . ( 1 ). ( 6 ) 5 ± √1


x = = = =
2a 2a 2. 1 2
PARE: Observou que o delta é um número real maior que zero? Isso significa que a equação terá duas raízes reais e diferentes.
Voltemos à resolução.

Encontramos os dois números reais que satisfazem a equação x 2 −


5x + 6 = 0. Não custa lembrar, mais uma vez, o que significa dizer
que os números 3 e 2 são raízes da equação apresentada: Se
substituirmos a variável x por qualquer um dos números encontrados
para raiz, e em seguida simplificarmos a expressão numérica obtida,
encontraremos um mesmo número dos dois lados do sinal de igualdade. O conjunto solução, portanto, é S = {3 e 2}. Faça o
próximo exercício B6.

b) x 2 + 2x + 1 = 0
Como a equação já está colocada na forma geral, o trabalho de procurar as raízes é um pouco menor.

Identificados os coeficientes, substituímos os valores na fórmula:

− b ± √Δ − b ± √b2 − 4ac −( 2 ) ± √( 2 )2 − 4 . ( 1 ). ( 1 ) − 2 ± √0
x = = = =
2a 2a 2. 1 2
PARE: Observou que o delta é igual a zero? Isso significa que a equação terá duas raízes reais e iguais. Voltemos à resolução.
Encontramos o número real que satisfaz a equação x 2 +
2x + 1 = 0. Não custa lembrar mais uma vez, o que
significa dizer que o número − 1 é raiz da equação
apresentada: Se substituirmos a variável x por − 1, e em
seguida simplificarmos a expressão numérica obtida,
encontraremos um mesmo número dos dois lados do sinal
de igualdade. O conjunto solução, portanto, é S = { −1 }. Faça o próximo exercício B7.

c) x 2 + x + 1 = 0
Como a equação já está colocada na forma geral, o trabalho de procurar as raízes é um pouco menor.

Identificados os coeficientes, substituímos os valores na fórmula:

− b ± √Δ − b ± √b2 − 4ac −( 1 ) ± √( 1 )2 − 4 . ( 1 ). ( 1 ) − 1 ± √− 3
x = = = =
2a 2a 2. 1 2
PARE: Observou que o delta é menor que zero? Isso significa que a equação não tem raízes reais.
Nós já sabemos que não há resposta para radicais de índice par e radicando negativo.
Logo, o conjunto solução da equação x 2 + x + 1 = 0 é o conjunto vazio, isto é, S = { }
Faça o próximo exercício B8.

7
d) (d − 3)(d − 2) = 2(2d − 7)
Temos que, inicialmente, colocar a equação na forma geral.
(d − 3)(d − 2) = 2(2d − 7) d2 − 2d − 3d + 6 = 4d − 14 d2 − 9d + 20 = 0
forma geral

identificados os coeficientes, substituímos os valores na fórmula:

− b ± √Δ − b ± √b2 − 4ac −(− 9 ) ± √( − 9 )2 − 4 . ( 1 ). ( 20 ) 9 ± √1


d = = = =
2a 2a 2. 1 2
PARE: Observou que o delta é maior que zero? Isso significa que a equação terá duas raízes reais e diferentes. Voltemos à
resolução.

Encontramos dois números reais que satisfazem a equação


(𝑑 − 3)(𝑑 − 2) = 2(2𝑑 − 7). Não custa lembrar, mais uma
vez, o que significa dizer que os números 5 e 4 são raízes da
equação apresentada: Se substituirmos a variável d por
qualquer um dos números, e em seguida, simplificarmos a
expressão numérica obtida, encontraremos um mesmo número
dos dois lados do sinal de igualdade. O conjunto solução é S = {5 e 4}

e) (e + 6)(e + 2) = 2e(e + 3) + 2 Temos que inicialmente, colocar a equação na forma geral.


(e + 6)(e + 2) = 2e(e + 3) + 2 e2 − 2e − 10 = 0 forma geral

Identificados os coeficientes, substituímos os valores na fórmula:

− b ± √Δ − b ± √b2 − 4ac −(− 2 ) ± √( − 2 )2 − 4 . ( 1 ). ( − 10 ) 2 ± √44


e = = = =
2a 2a 2. 1 2
PARE: Observou que o delta é maior que zero? Isso significa que a equação terá duas raízes reais e diferentes. Voltemos à
resolução.

ATENÇÃO: Encontramos os dois números que são as raízes da equação. Há, no entanto,
um detalhe. Os números encontrados podem ser escritos numa forma mais simples.
Veja como fazer essa simplificação.

2 + √44 2 + √22 . 11 2 + 2√11 2(1 + √11 ) 2(1 + √11 )


e1 = = = = = = 1 + √11
2 2 2 2 2

2 − √44 2 − √22 . 11 2 − 2√11 2(1 − √11 ) 2(1 − √11 )


e2 = = = = = = 1 − √11
2 2 2 2 2
S = {1 ± √11 } Faça o próximo exercício B9.

8
f) − f 2 − 3f + 10 = 0
Como a equação já está colocada na forma geral, o trabalho de procurar as raízes é um pouco menor. Há, no entanto, um
detalhe, que vale a pena nós abordarmos. Observe que o valor do coeficiente 𝑎 é negativo. Costuma-se multiplicar ambos os
membros da equação por – 𝟏 quando esse fato acontece. Mas que fique claro, de que essa multiplicação não é obrigatória, e sim,
aconselhável. Se você quiser resolver a equação com o valor de 𝑎 negativo, você encontrará a mesma resposta que encontraria
se resolvesse a equação com o coeficiente positivo. Para que não fique nenhuma dúvida, resolverei a equação nas duas situações
descritas.
−f 2 − 3f + 10 = 0 (−𝟏)(−f 2 − 3f + 10) = 0 . (−𝟏) f 2 + 3f − 10 = 0
𝑎 = − 1, 𝑏 = − 3 e 𝑐 = 10 𝑎 = 1, 𝑏 = 3 e 𝑐 = −10
− b ± √Δ − b ± √Δ
f = f =
2a 2a
− b ± √b2 − 4ac − b ± √b2 − 4ac
f = f =
2a 2a
−(− 3 ) ± √(− 3 )2 − 4 . ( − 1 ) . ( 10 ) −( 3 ) ± √ ( 3 )2 − 4 . ( 1 ). (− 10 )
f = f =
2 . ( −1 ) 2 .( 1 )
3 ± √ 49 − 3 ± √ 49
f = f =
−2 2
3 + 7 −3 + 7
f1 = = −5 f1 = = 2
−2 2
3 ± 7 −3 ± 7
f = f =
−2 2
3 − 7 −3 − 7
f2 = = 2 f2 = = −5
−2 2
Sendo assim, temos S = {2 e − 5}

g) (2𝑔 + 1)2 − (𝑔 − 1)2 = 6𝑔 + 6 Temos que inicialmente, colocar a equação na forma geral.
(2𝑔 + 1)2 − (𝑔 − 1)2 = 6g + 6 4g 2 + 4g + 1 − (𝑔2 − 2𝑔 + 1) − 6𝑔 − 6 = 0

4g 2 + 4g + 1 − 𝑔2 + 2𝑔 − 1 − 6𝑔 − 6 = 0 3𝑔2 − 6 = 0 forma geral

ATENÇÃO: Obtivemos uma equação incompleta do 1o caso, isto é, do caso 𝒂𝐠 𝟐 + 𝒄 = 𝟎


Você pode, se quiser, usar a fórmula de Bhaskara para resolvê-la. Mas, a resolução dela será muito mais rápida se você aplicar
a técnica mostrada na resolução das equações do R1.
Façamos o seguinte: Vamos resolver a equação dos dois modos, para que você constate a rapidez da técnica mostrada no R1
se comparada como uso da fórmula de Bhaskara.
Técnica do caso 𝑎g 2 + c = 0 Usando a fórmula de Bhaskara
3g 2 − 6 = 0 3g 2 − 6 = 0
2
3g = 6 𝑎 = 3, 𝑏 = 0 e 𝑐 = −6
g2 = 2
−𝑏 ± √𝑏2 − 4𝑎𝑐 − 0 ± √ 02 − 4 . 3 . ( −6 ) 0 ± √ 72
𝑔 = ± √2 g = = =
2𝑎 2. 3 2. 3
± √22 . 2 . 32 ± 2 . 3 . √2 ± 6 √2
g = = = = ± √2 ⟹ S = { ± √2 }
6 6 6
Faça o próximo exercício B10.

h− 1 h(3 − h) 1
h) − = h + Temos que, inicialmente, colocar a equação na forma geral.
2 3 3
h− 1 h(3 − h) 1 3(h − 1) 2h(3 − h) 6h 2
− = h + − = +
2 3 3 6 6 6 6

3(h − 1) − 2h(3 − h) = 6h + 2 2h2 − 9h − 5 = 0 (forma geral)


Identificamos os coeficientes:

Identificados os coeficientes, substituímos os valores na fórmula:

− b ± √Δ − b ± √b2 − 4ac −(− 9) ± √(− 9)2 − 4 . ( 2 ). ( − 5 ) 9 ± √121


x = = = =
2a 2a 2. 2 4
PARE: Observou que o delta é um número real maior que zero? Isso significa que a equação terá duas raízes reais e
diferentes. Voltemos à resolução.

1
S = {5e − }
2
Faça o próximo exercício B11.

R4. Resolva, em IR, as equações a seguir:


a) x 4 − 10x 2 + 9 = 0 b) x 4 − 𝑥 2 − 12 = 0 c) x 6 − 10𝑥 3 + 16 = 0 d) x 3 − 6x = 0

9
Resolução: Nenhuma das equações desse exercício é do 2o grau. Podemos, no entanto, através de alguns procedimentos, “reduzi-
las” à equações do 2o grau. Vejamos como fazer essas reduções.
a) x 4 − 10x 2 + 9 = 0
Estamos com uma equação do 4o grau. Não sabemos resolver esse tipo de equação. O que faremos então?
A estratégia aqui é a seguinte: Vamos dar um “jeito” de transformar esse tipo particular de equação do 4 o grau numa equação
do 2o grau.
x 4 − 10x 2 + 9 = 0 𝑥 2 . 2 − 10𝑥 2 + 9 = 0 (𝐱 𝟐 )2 − 10𝐱 𝟐 + 9 = 0
Faremos agora, uma mudança de variável: A expressão 𝐱 𝟐 será substituída por 𝐲 ( 𝐱 𝟐 = 𝐲 )

(𝐱 𝟐 )2 − 10𝐱 𝟐 + 9 = 0 ( y )2 − 10 . y + 9 = 0 y 2 − 10y + 9 = 0

Veja o que conseguimos: Através de uma mudança de variável, saímos de uma equação do 4 o grau (que não sabemos resolver)
para uma equação do 2o grau (que sabemos resolver).
Vamos agora, resolver a equação y 2 − 10y + 9 = 0 , e em seguida, retornar para a equação do 4o grau.
10 + 8
y1 = = 9
2
−b ± √b2 − 4ac − ( − 10 ) ± √( −10 )2 − 4 . ( 1 ) . ( 9 ) 10 ± 8
y = = =
2a 2. 1 2
10 − 8
y2 = = 1
2
ATENÇÃO: Acabamos de encontrar as raízes da equação y 2 − 10y + 9 = 0, isto é, encontramos os valores de y. Precisamos
agora, encontrar os valores de x, uma vez que a equação proposta, é x 4 − 10x 2 + 9 = 0.

O cálculo de x será feito através da igualdade que estabelecemos anteriormente: 𝐱 𝟐 = 𝐲.


x 2 = y1 x2 = 9 x = ± √9 x = ± 3 x 2 = y2 x2 = 1 x = ± √1 x = ± 1

Obtivemos assim, os quatro números reais que satisfazem a equação x 4 − 10x 2 + 9 = 0: S = { −3, −1, 1, 3}
Obs.: Equações como essa que acabamos de resolver, recebem o nome de equação biquadrada, cuja definição é a seguinte: Chama-
se equação biquadrada na incógnita x, toda equação do tipo 𝑎x 4 + 𝑏x 2 + 𝑐 = 0 onde 𝑎, 𝑏 e 𝑐, são coeficientes reais, com 𝑎
diferente de zero.

b) x 4 − 𝑥 2 − 12 = 0
Estamos com uma equação do 4o grau. Não sabemos resolver esse tipo de equação. O que faremos então?
A estratégia aqui é a seguinte: Vamos dar um “jeito” de transformar esse tipo particular de equação do 4 o grau numa equação
do 2o grau.
x 4 − x 2 − 12 = 0 x2 . 2 − x2 − 1 2 = 0 (𝐱 𝟐 )2 − 𝐱 𝟐 − 12 = 0

Faremos agora, uma mudança de variável: A expressão 𝐱 𝟐 será substituída por 𝐲 ( 𝐱 𝟐 = 𝐲 )

(𝐱 𝟐 )2 − 𝐱 𝟐 − 12 = 0 ( y )2 − y − 12 = 0 y 2 − y − 12 = 0

Veja o que conseguimos: Através de uma mudança de variável, saímos de uma equação do 4 o grau (que não sabemos resolver)
para uma equação do 2o grau (que sabemos resolver).
Vamos agora, resolver a equação y 2 − y − 12 = 0 , e em seguida, retornar para a equação do 4o grau.
1 + 7
y1 = = 4
2
−b ± √b2 − 4ac − ( − 1 ) ± √( −1 )2 − 4 . ( 1 ) . (− 12 ) 1 ± 7
y = = =
2a 2. 1 2
1 − 7
y2 = = −3
2
2
ATENÇÃO: Acabamos de encontrar as raízes da equação y − y − 12 = 0, isto é, encontramos os valores de y. Precisamos
agora, encontrar os valores de x, uma vez que a equação, cuja resolução nos foi proposta, é x 4 − x 2 − 12 = 0. O cálculo de x
será feito através da igualdade que estabelecemos anteriormente: 𝐱 𝟐 = 𝐲.

x 2 = y1 x2 = 4 x = ± √4 x = ±2 x 2 = y2 x2 = − 3 x = ± √− 3
ATENÇÃO: A equação acima não tem solução real
x = ± 2 Encontramos então, os dois números reais que satisfazem a equação x 4 − x 2 − 12 = 0.
S = { ± 2 }

c) x 6 − 10𝑥 3 + 16 = 0
Estamos com uma equação do 6o grau. Não sabemos resolver esse tipo de equação. O que faremos então?
A estratégia aqui é a seguinte: Vamos dar um “jeito” de transformar esse tipo particular de equação do 6 o grau numa equação
do 2o grau.

10
x 6 − 10x 3 + 16 = 0 𝑥 3 . 2 − 10𝑥 3 + 16 = 0 (𝐱 𝟑 )2 − 10𝐱 𝟑 + 16 = 0
Faremos agora, uma mudança de variável: A expressão 𝐱 𝟑 será substituída por 𝐲 ( 𝐱 𝟑 = 𝐲 )

(𝐱 𝟑 )2 − 10𝐱 𝟑 + 9 = 0 ( y )2 − 10y + 16 = 0 y 2 − 10y + 16 = 0

Veja o que conseguimos: Através de uma mudança de variável, saímos de uma equação do 6 o grau (que não sabemos resolver)
para uma equação do 2o grau (que sabemos resolver).
Vamos agora, resolver a equação y 2 − 10y + 16 = 0 , e em seguida, retornar para a equação do 6o grau.
10 + 6
y1 = = 8
2
−b ± √b2 − 4ac − ( − 10 ) ± √( −10 )2 − 4 . ( 1 ) . ( 16 ) 10 ± 6
y = = =
2a 2. 1 2
10 − 6
y2 = = 2
2
2
ATENÇÃO: Acabamos de encontrar as raízes da equação y − 10y + 16 = 0, isto é, encontramos os valores de y. Precisamos
agora, encontrar os valores de x, uma vez que a equação, cuja resolução nos foi proposta, é x 6 − 10x 3 + 16 = 0. O cálculo de
x será feito através da igualdade que estabelecemos anteriormente: 𝐱 𝟑 = 𝐲.
3 3
x 3 = y1 x2 = 8 x = √8 x = 2 x 3 = y2 x3 = 2 x = √2
6 3
Obtivemos assim, os dois números reais que satisfazem a equação x − 10x + 16 = 0.
3
S = { 3 e √2 } Faça o próximo exercício B12.

d) x 3 − 6x = 0 Essa equação nós iremos resolver com o auxílio do caso “fator comum” de fatoração e com a regra do
produto nulo.
x 3 − 6x = 0 x(x 2 − 6) = 0 x (x 2 − 6) = 0
colocando o fator
comum x em evidência regra do produto nulo

x = 0 ou x2 − 6 = 0 x = ± √6
S = { − √6 , 0, √6 } Faça o próximo exercício B13.

EXERCICIOS BÁSICOS
B6. Resolva, em IR, as seguintes equações:
a) a2 − 3b + 2 = 0 c) c 2 + 4c − 5 = 0 e) e2 + e − 2 = 0 g) g 2 + g − 12 = 0
2
b) b − 6b + 8 = 0 d) d2 + 2d − 3 = 0 f) f 2 + f − 6 = 0 h) h2 − h − 20 = 0

B7. Resolva, em IR, as seguintes equações:


a) a2 − 10a + 25 = 0 c) c 2 − 14c + 49 = 0 e) 4e2 + 20e + 25 = 0 g) 36g 2 + 36g + 9 = 0
b) b2 − 12b + 36 = 0 d) d2 − 16d + 64 = 0 f) 2f 2 + 36f + 162 = 0 h) 9h 2 + 42h + 49 = 0

B8. Resolva, em IR, as seguintes equações:


a) a2 + 2a + 5 = 0 c) c 2 + 4c + 5 = 0 e) 2e2 + 5e + 4 = 0 g) 6g 2 + 10g + 5 = 0
2
b) b − 3b + 3 = 0 d) d2 − 6d + 10 = 0 f) 3f 2 − 10f + 9 = 0 h) 7h2 + 3h + 2 = 0

B9. Resolva, em IR, as seguintes equações:


a) (2a + 5)(a − 2) = a(a + 4) e) (e − 5)(3e + 4) = 2e(e − 2) − 3(e + 7)
b) (b − 6)(b + 2) = 3(3b − 14) f) (3f + 2)(f − 5) = f(2f − 3) − 29
c) (c − 3)(c + 5) = −3(c + 9) − 2c g) (g + 5√2 )(g − √2 ) = 6√2 g + 13
d) (d + 2)(d − 3) = 5(d − 2) h) (h + √3 )(h + 2√3 ) = 5(√3 h + 1)

B10. Resolva, em IR, as seguintes equações:


a) − a2 − 3a + 18 = 0 e) (e + 3)(−𝑒 + 5) = 2(𝑒 − 5)
b) − b2 − 50 − 15b = 0 f) (2f + 2)(−f − 10) = −f(f + 22) − 56
c) − 45 − 𝑐 2 + 18𝑐 = 0 g) (g + 3)(g − 2) = 6(g − 1)
d) (d − 3)(d + 5) = 2(d − 3) h) (3h + 2)(−2h − 9) = −18 + h(h − 80)

B11. Resolva, em IR, as seguintes equações:


a2 3c 1 e(e − 1) e− 2 5e + 2 g(g + 1) g 11 (g − 3)2
a) + 3 − 2a = 0 c) 2c 2 − + =0 e) − = g) − = −
3 2 4 3 2 4 5 15 5 15
b2 b 3d f f + 4 h(h + 1) h− 5 5(2h − 1)
b) −1 = + 15 d) d2 − 4 = +6 f) f 2 − = 5– h) − =
2 3 2 2 3 4 12 6

11
B12. Resolva, em IR, as seguintes equações:
a) x 4 − 26x 2 + 25 = 0 c) x 4 − 45x 2 + 324 = 0 e) x 4 + 3x 2 + 7 = 0 g) (g 2 − 5)2 + (g 2 − 1)2 = 40
4 2
b) x − 40x + 144 = 0 d) x 4 − 16x 2 − 720 = 0 f) f 2 − (f 2 − 5)2 = 3 h) h4 − 25h2 = 0

B13. Resolva, em IR, as seguintes equações:


a) a3 − 5a = 0 c) c 4 − 7c 3 + 10c 2 = 0 e) e5 + 2e4 + 5e3 = 0 g) g 4 + 5g 3 + 8g 2 = 0
b) b5 − b3 = 0 d) d3 + 7d2 + 12d = 0 f) f 3 − f 2 − f = 0 h) h3 + 3h2 − 10h = 0

4. EQUAÇÕES LITERAIS DO 2o GRAU


Uma equação do 2o grau recebe o nome de equação literal quando seus coeficientes são representados por letras.

EXERCICIO RESOLVIDO
R5. Resolva, em IR, as equações literais em função de x :
a) x 2 − 2dx + d2 = 0 c) (gx − 1)(x + g) = (gx − 1)(2x − g)
x + d x − d 2(d2 + 1)
b) x 2 − (2d + e)x + 2de = 0 d) + = 2
x − d x + d x − d2
Resolução: a) x 2 − 2dx + d2 = 0
A resolução de uma equação literal do 2o grau, sem letras no denominador, obedece aos mesmos princípios de resolução de
uma equação do 2o grau. Como a equação já está colocada na forma geral, o trabalho de procurar as raízes é menor. Identificamos
os coeficientes:
Identificados os coeficientes, substituímos os valores na fórmula:

− b ± √Δ − b ± √b2 − 4ac −(− 2d) ± √(− 2d)2 − 4 . ( 1 ). ( d2 ) 2d ± √4d2 − 4d2


x = = = =
2a 2a 2. 1 2

Veja que obtivemos duas raízes iguais, o que já era esperado, pois o
delta é igual a zero, S = { d }
Mais uma vez: O que significa dizer que o monômio d é raiz da
equação x 2 − 2dx + d2 = 0?

Se substituirmos a variável x pelo binômio d na equação x 2 − 2dx + d2 = 0, obteremos expressões equivalentes nos dois
membros. Vamos fazer essa substituição.

x 2 − 2 d x + d2 = 0 ( 𝐝 )2 − 2 . d . 𝐝 + d2 = 0 d2 − 2d2 + d2 = 0
0 = 0
Faça o próximo exercício B14.

b) x 2 − (2d + e)x + 2de = 0


A resolução de uma equação literal do 2o grau, sem letras no denominador, obedece aos mesmos princípios de resolução de
uma equação do 2o grau. Como a equação já está colocada na forma geral, o trabalho de procurar as raízes é menor.
Identificamos os coeficientes:

Identificados os coeficientes, substituímos os valores


na fórmula:

− b ± √Δ − b ± √b2 − 4ac −[ − (2d + e) ] ± √[ − ( 2d + e) ]2 − 4 . ( 1 ). ( 2de )


x = = =
2a 2a 2. 1

(2d + e) ± √ ( 2d + e)2 − 8de (2d + e) ± √4d2 + 4de + e2 − 8de (2d + e) ± √(2d − e)2 (2d + e) ± (2d − e)
x = = = =
2 2 2 2

S = {2d, e}
Faça o
próximo exercício B15.

12
c) (gx − 1)(x + g) = (gx − 1)(2x − g)
A resolução de uma equação literal do 2o grau, sem letras no denominador, obedece aos mesmos princípios de resolução de
uma equação do 2o grau. Como a equação não está colocada na forma geral, vamos providenciar a colocação dela nessa forma.
(gx − 1)(x + g) = (gx − 1)(2x − g) gx 2 + g 2 x − x − g = 2gx 2 − g 2 x − 2x + g

gx 2 − 2gx 2 + g 2 x + g 2 x − x + 2x − g − g = 0 − g x 2 + 2g 2 x + x − 2g = 0

− gx 2 + (2g 2 + 1)x − 2g = 0 (− 1) {− g x 2 + (2g 2 + 1)x − 2g} = 0. (−1) gx 2 − (2g 2 + 1)x + 2g = 0


forma geral
Identificamos os coeficientes:

Identificados os coeficientes, substituímos os valores


na fórmula:

− b ± √Δ − b ± √b2 − 4ac −[ − (2g2 + 1) ] ± √[ − ( 2g2 + 1) ]2 − 4 . ( g ). ( 2g ) (2g2 + 1) ± √4g4 + 4g2 + 1 − 8g2


x = = = =
2a 2a 2. g 2
(2g2 + 1) ± √4g4 − 4g2 + 1 (2g2 + 1) ± √(2g2 − 1)2 (2g2 + 1) ± (2g2 − 1)
x = = =
2g 2g 2g

1
S = {2g 2, } Faça o próximo exercício B16.
g

x + d x − d 2(d2 + 1)
d) + = 2
x − d x + d x − d2
A resolução de uma equação literal fracionária de grau 2, obedece aos mesmos passos da resolução de uma equação
fracionária. Por isso, repetiremos os mesmos procedimentos adotados na resolução das equações fracionárias do 2o grau. Além
do mais, devemos ficar atento ao valor de x, pois em alguns casos, essa resposta estará na forma de uma fração com variável no
denominador. Vamos aos passos.
1. Estabelecer a condição de existência (domínio de validade) da equação apresentada.
x + d x − d 2(d2 + 1)
+ =
x − d x + d x 2 − d2

x − d ≠ 0 x 2 − d2 ≠ 0
x + d ≠ 0
𝐱 ≠ 𝐝 𝐱 ≠ −𝐝 x 2 ≠ d2
x ≠ ± √d2
𝐱 ≠ ± 𝐝
Temos então, que a resposta para essa equação só terá significado se o valor encontrado para a variável x for diferente de
± d.

2. Calcular o m.m.c. dos denominadores.


m.m.c. (x − d, x + d, x 2 − d) = m.m.c. ( x − d, x + d, (x + d)(x − d) ) = (x + d)(x − d)

3. Substituir as frações apresentadas por frações equivalentes com denominador comum, sendo esse denominador
comum o m.m.c. obtido no passo anterior.
x + d x − d 2(d2 + 1) (x + d)(x + d) (x − d)(x − d) 2(d2 + 1)
+ = + =
x − d x + d x 2 − d2 (x + d)(x − d) (x + d)(x − d) (x + d)(x − d)

4. Eliminar os denominadores e resolver em seguida a equação obtida.


(x + d)(x + d) (x − d)(x − d) 2(d2 + 1) (x + d)(x + d) (x − d)(x − d) 2(d2 + 1)
(x + d)(x − d)
+ (x + d)(x − d)
= (x + d)(x − d) (x + d)(x − d)
+ (x = (x
+ d)(x − d) + d)(x − d)
(x + d)(x + d) + (x − d)(x +− d) = 2(d2 1) x 2 2dx + d2 + (x 2 − 2dx + d2 ) = 2d2 + 2
𝑥 2 + 2𝑑𝑥 + 𝑑2 + 𝑥 2 − 2𝑑𝑥 + 𝑑2 − 2𝑑2 − 2 = 0 2𝑥 2 − 2 = 0 forma geral
Como é uma equação incompleta, não é necessário usar a formula de Bhaskara.
2x 2 − 2 = 0 2x 2 = 2 x2 = 1 x = ± √1 x = ± 1

5. Verificar se o valor obtido para a variável satisfaz a condição de existência estabelecida.


Como o valor encontrado para x não contraria a condição de existência, podemos escrever o conjunto verdade contendo
os valores encontrados. S = { ± 1 } Faça o próximo exercício B17.

13
5. RELAÇÕES ENTRE COEFICIENTES E RAÍZES
Nesse item, veremos duas interessantes relações que há entre os coeficientes de uma equação do 2o grau e suas raízes. Você
verá que é possível obtermos a soma e o produto das raízes de uma equação do 2o grau sem a necessidade de resolver a equação.
Preste atenção nas duas demonstrações abaixo.
De acordo com a fórmula de Bhaskara, temos duas raízes para uma equação do 2 o grau. São elas:
− b + √∆ − b − √∆
x1 = e x2 =
2a 2a
A pergunta é: O que obteremos se somarmos essas duas raízes? Vejamos.
− b + √∆ − b − √∆ − b + √∆ + ( − b − √∆ ) − b + √∆ − b − √∆ − 2b b
Soma = 𝑥1 + 𝑥2 = + = = = =−
2a 2a 2a 2a 2a a
O que essa fórmula nos diz?
Nos diz que podemos obter a soma das raízes de uma
equação do 2o grau, conhecendo apenas os coeficientes a e b.

− b + √∆ − b − √∆
x1 = e x2 =
2a 2a
A pergunta é: O que obteremos se multiplicarmos essas duas raízes? Vejamos.
− b + √∆ − b − √∆ ( − b + √∆ )( − b − √∆ ) ( − b )2 − ( √∆ )2 b2 − ( √∆ 2 )
Produto = x1 . x2 = . = = =
2a 2a 4a2 4a2 4a2

b2 − ( ∆ ) b2 − ( b2 − 4ac ) b2 − b2 + 4ac 4ac c


Produto = = = = =
4a2 4aa 4a2 4a2 a

O que essa fórmula nos diz?


Nos diz que podemos obter o produto das raízes de uma
equação do 2o grau, conhecendo apenas os coeficientes a e 𝑐.

Exemplo: Dada a equação x 2 − 5x + 6 = 0, podemos obter a soma e o produto das raízes dessa equação sem ter que resolvê-
la. Observe que, para essa equação temos: a = 1, b = −5 e c = 6
b − 5 5 c 6
Soma = − = − = = 5 Produto = = = 6
a 1 1 a 1
2
Sejam quais forem as raízes da equação x − 5x + 6 = 0, podemos afirmar que a soma e o produto dessas raízes valem
5 e 6, respectivamente. Resolva a equação e verifique o que foi afirmado.
Obs.: As duas fórmulas são válidas para qualquer equação polinomial do 2o grau, inclusive para as que apresentam o delta
negativo. Mostraremos a validade dessas fórmulas para o caso de deltas negativos quando estudarmos o assunto “Números
Complexos” no volume 3 de Matemática Básica. Faça agora, o próximo exercício B18.

6. EXERCÍCIOS ESPECIAIS
No que se refere a Matemática Básica, vimos toda a parte teórica referente as equações do 2 o grau. Por isso, estamos
preparados para fazer exercícios mais elaborados.

EXERCICIOS RESOLVIDOS
R6. Determine o valor de p na equação x 2 − 6x + p = 0, para que:
a) o número 2 seja uma das raízes c) as raízes sejam reais e distintas
b) as raízes sejam reais e iguais d) as raízes não sejam reais
Resolução:
a) Essa é fácil. Como 2 deve ser raiz da equação, basta substituir a variável x por esse número.
x 2 − 6x + p = 0 ( 2 )2 − 6 . ( 2 ) + p = 0 4 − 12 + p = 0 p = 8

b) Vimos no final da página 410 que quando o delta de uma equação do 2o grau é igual a zero, essa equação terá duas raízes reais
e iguais. Pois então, vamos impor essa condição em relação ao delta da equação desse problema.
x 2 − 6x + p = 0 a = 1, b = − 6 e c = p
raízes reais e iguais ∆ = 0 b2 − 4 a c = 0 (− 6 )2 − 4 . 1 . p = 0 p = 9

c) Vimos no final da página 410 que quando o delta de uma equação do 2 o grau é maior que zero, essa equação terá duas raízes
reais e distintas. Pois bem, vamos então, impor essa condição em relação ao delta da equação desse problema.
x 2 − 6x + p = 0 a = 1, b = − 6 e c = p
raízes reais e distintas ∆ > 0 b2 − 4 a c > 0 (− 6 )2 − 4 . 1 . p > 0 p < 9

d) Vimos no final da página 410 que quando o delta de uma equação do 2o grau é menor que zero, essa equação não terá raízes
reais. Pois bem, vamos então, impor essa condição em relação ao delta da equação desse problema.
x 2 − 6x + p = 0 a = 1, b = − 6 e c = p
raízes não reais ∆ < 0 b2 − 4 a c < 0 (− 6 )2 − 4. 1. p < 0 p > 9
Faça os próximos exercícios: B19, B20, B21, B22, B23 e B24.

14
2x2 − 5x + 2 2x2 − 5x + 3
R7. Simplifique as frações abaixo: a) 2 b) 2
2x − 11x + 5 4x − x − 3
Resolução: Temos que simplificar duas frações algébricas. Vimos no módulo “Frações Algébricas” que essa tarefa requer a
fatoração das expressões algébricas presentes no numerador e no denominador. O problema está justamente na fatoração dos
trinômios presentes nessa questão. Nós não sabemos efetuar essas fatorações, pois os casos de resoluções que conhecemos não
se aplicam a nenhum desses trinômios (veja a apresentação do item 6 do módulo Fatoração). Vamos então, desenvolver uma
técnica que nos permita fatorar qualquer trinômio quadrado, cujo delta é maior ou igual a zero. Preste muita atenção nos passos
que serão dados.
Vamos considerar o trinômio 𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 como sendo o trinômio que queremos fatorar, e x1 e x2 as raízes da equação
𝑎𝑥 2 + 𝑏𝑥 + 𝑐 = 0.
𝑏 𝑐 𝑏 𝑐
𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 = 𝑎( x 2 + x + ) = 𝑎[ x 2 − ( − )x + ]
𝑎 𝑎 𝑎 𝑎

𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 = 𝑎[ x 2 − ( soma da raízes da equação 𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 = 0 )x + produto das raízes ]

𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 = 𝑎[ x 2 − ( x1 + x2 )x + x1 . x2 ]
𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 = 𝑎[ x 2 − x1 x − x2 . x + x1 . x2 ]

𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 = 𝑎[ (x − x1 )x − ( x2 x − x1 . x2 ) ]
𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 = 𝑎[ (𝐱 − 𝐱𝟏 )x − ( 𝐱 − 𝐱𝟏 ) x2 ]
𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 = 𝑎[ (x − x1 )(x − x2 ) ] 𝒂𝐱 𝟐 + 𝒃𝐱 + 𝒄 = 𝒂[ (𝐱 − 𝐱𝟏 )(𝐱 − 𝐱𝟐 ) ]

Essa é a formula que iremos usar de agora em diante para fatorar qualquer trinômio quadrado que, quando igualado a zero,
apresenta o delta (𝑏 2 − 4𝑎𝑐) maior ou igual a zero. Estamos prontos para simplificar as frações desse exercício.

2x2 − 5x + 2
a) 2 Vamos inicialmente, fatorar os trinômios.
2x − 11x + 5
Transformando o trinômio em uma equação:
2𝑥 2 − 5𝑥 + 2 2𝑥 2 − 11𝑥 + 5
2𝑥 2 − 5𝑥 + 2 = 0 2𝑥 2 − 11𝑥 + 5 = 0
− b ± √b2 − 4ac − ( − 5 ) ± √( − 5 )2 − 4( 2 ) (2 ) − b ± √b2 − 4ac − ( − 11 ) ± √( − 11 )2 − 4( 2 ) (5 )
x = = x = =
2a 2. 2 2a 2. 2
x1 = 2 x1 = 5
5 ± √9 5 ± 3 11 ± √ 81 11 ± 9
x = = x = =
4 4 4 4
1 1
x2 = x2 =
2 2
Vamos agora aplicar a fórmula: Vamos agora aplicar a fórmula:
𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 = 𝑎(x − x1 )(x − x2 ) 𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 = 𝑎(x − x1 )(x − x2 )

1 1
2𝑥 2 − 5𝑥 + 2 = 2(𝑥 − 2)(𝑥 − ) 2x 2 − 11x + 5 = 2(x − 5)(x − )
2 2
fatoração realizada fatoração realizada

Voltemos para as frações.


1 1
2x2 − 5x + 2 2(x − 2)(x − ) 2(x − 2)(x − ) x − 2
2 2
= 1 = 1 =
2x2 − 11x + 5 2(x − 5)(x − ) 2(x − 5)(x − ) x − 5
2 2
x − 2 2x2 − 5x + 2
Assim, podemos afirmar que a fração é forma simplificada da expressão
x − 5 2x2 − 11x + 5

2x2 − 5x + 3
b) Vamos inicialmente, fatorar os trinômios.
4x2 − x − 3
Transformando o trinômio em uma equação:
2𝑥 2 − 5𝑥 + 3 4𝑥 2 + 𝑥 − 3
2
2𝑥 − 5𝑥 + 3 = 0 4𝑥 2 − 𝑥 − 3 = 0

− b ± √b2 − 4ac − ( − 5 ) ± √( − 5 )2 − 4( 2 ) (3 ) − b ± √b2 − 4ac − (− 1 ) ± √(− 1 )2 − 4( 4 ) ( − 3 )


x = = x = =
2a 2. 2 2a 2. 4
5+ 1 3 1+ 7
x1 = = x1 = =1
4 2 8
5 ± √1 5 ± 1 1 ± √ 49 1 ± 7
x = = x = =
4 4 8 8
5− 1 1− 7 3
x2 = = 1 x2 = = −
4 8 4

15
Vamos agora aplicar a fórmula: Vamos agora aplicar a fórmula:
𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 = 𝑎(x − x1 )(x − x2 ) 𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 = 𝑎(x − x1 )(x − x2 )

3 3
2𝑥 2 − 5𝑥 + 3 = 2(𝑥 − )(x − 1) 4x 2 − x − 3 = 4(x − 1)(x + )
2 4
fatoração realizada fatoração realizada
Voltemos para as frações.
3 3 3 2x − 3
2x2 − 5x + 3 2(x − )(x − 1) (x − )(x − 1) x − 2x − 3
2 2 2 2
= 3 = 3 = 3 = 3 =
4x2 − x − 3 4(x − 1)(x + ) 2(x − 1)(x + ) 2(x + ) 2x + 4x + 3
4 4 4 2
2x − 3 2x2 − 5x + 3
Assim, podemos afirmar, que a fração é forma simplificada da expressão
4x + 3 4x2 − x − 3
Faça os próximos exercícios B25 e B26.

R8. Dada a equação 8x 2 − (𝑘 + 1)x + (𝑘 − 7) = 0, determine 𝑘 de modo que:


a) as raízes sejam números simétricos; c) as raízes tenham soma igual a 4;
b) uma raiz seja o inverso da outra; d) as raízes tenham produto igual a 2.
Resolução: Eu acho esse tipo de exercício muito interessante, pois o estudante se desenvolve bastante fazendo-o.
a) Números simétricos são aqueles que apresentam o mesmo módulo, porém sinais contrários.
4 4
10 e – 10; 57 e − 57; √2 e − √2 São exemplos de números simétricos.
Além do mais, os números simétricos apresentam uma relação que será fundamental para resolvermos essa questão: A soma
entre eles é igual a zero.
Temos que ter a seguinte situação:
b − (k + 1) (k + 1)
x1 + x2 = 0 − = 0 − = 0 = 0 k + 1 = 0. 8 k = −1
a 8 8

b) uma raiz seja o inverso da outra


Números inversos são aqueles que apresentam o produto entre eles igual a 1.
1 1 4 1
10 e ; 57 e ; √2 e 4 São exemplos de números inversos..
10 57 √2

Vamos usar o fato do produto entre eles ser igual a 1 para resolvermos essa questão.
Temos que ter a seguinte situação:
c (k − 7)
x1 . x2 = 1 = 1 = 1 k − 7 = 1. 8 k − 7 = 8 k = 15
a 8

c) as raízes tenham soma igual a 4


b − (k + 1) (k + 1)
x1 + x2 = 4 − = 4 − = 4 = 4 k + 1 = 4. 8 k = 31
a 8 8

d) as raízes tenham produto igual a 2


c (k − 7)
x1 . x2 = 2 = 2 = 2 k − 7= 2. 8 k − 7 = 16 k = 23
a 8
Faça os próximos exercícios B27, B28, B29, B30 e B31.

𝑥 . 𝑦 = 15
R9. Resolva em IR x IR o sistema {
2𝑥 + 3𝑦 = 21
Resolução: A princípio, parece um sistema como aqueles que vimos no livro “Matemática Básica – Volume 1”. Mas não é. Esse é
um sistema diferente, pois iremos cair numa equação do segundo grau. O método mais apropriado aqui, é o da substituição.
Vamos escolher uma variável em qualquer uma das equações, isolar essa variável e em seguida, substituir na outra equação, a
variável que teve o valor isolado na primeira, pela expressão obtida.
Vamos tomar a variável x na equação x . y = 15 e isolá-la (poderia ser a variável y ).
15
x . y = 15 x =
y
Vamos agora, tomar o valor isolado de x, e substitui na equação 2x + 3y = 21
15 30
2x + 3y = 21 2. + 3y = 21 + 3y = 21 30 + 3𝑦 2 = 21𝑦
y y
3y2 21y 30 0
3𝑦 2 − 21𝑦 + 30 = 0 − + = y 2 − 7y + 10 = 0
3 3 3 3
forma geral
− b ± √b2 − 4ac − ( − 7 ) ± √( − 7 )2 − 4 . 1 . 10 7 ± √9
y = = =
2a 2. 1 2
7 + 3 15 15
y1 = = 5 x1 = = = 3
2 y1 5
7 ± 3 15
y = Vamos agora calcular os valores de x: x =
2 y
7 − 3 15 15
y2 = =2 x2 = =
2 y2 2
Obtivemos dois pares ordenados que são soluções do sistema: (x1 , y1 ) e (x2 , y2 )
15
𝑆 = {(3, 5) e ( , 2)} Faça os próximos exercício B32 e B33.
2

R10. Resolva os seguintes problemas:

16
a) A diferença entre o quadrado de um número e o dobro desse mesmo número é 195. Encontre esse número.
Resolução:
1o passo: Passar para a linguagem simbólica da matemática o enunciado do problema.
A diferença entre o quadrado de um número e o dobro desse mesmo número é 195

x2 − 2x = 195

2o passo: Resolver a equação obtida no 1o passo.


x1 = 15
x 2 − 2x = 195 x 2 − 2x − 195 = 0
x2 = − 13

3o passo: Verificar se os números obtidos satisfazem as exigências mostradas no enunciado.


É claro que durante uma avaliação a pessoa não terá
tempo de realizar esse 3o passo. O que fazer então?
Eu só conheço uma maneira de enfrentar o problema:
Treinar, treinar, treinar, a ponto de adquirir
segurança suficiente para diminuir as chances de erro.
Segurança total contra erros é impossível de ser obtida. O que
o ser humano consegue fazer é diminuir as chances de erro.
Faça o próximo exercício B34.

b) Determine dois números inteiros consecutivos cujo


produto é 72.
Resolução:
1o passo: Passar para a linguagem simbólica da matemática o enunciado do problema.
Se chamarmos um dos números de x, teremos que representar o consecutivo de x por x + 1. Sendo assim, os números são x
e x + 1. Vamos agora, montar a equação relativa a esse problema.
x . (x + 1) = 72

2o passo: Resolver a equação obtida no 1o passo.


Encontramos dois números que satisfazem a equação
x . (x + 1) = 72 . Isso significa que há dois pares de
números inteiros que satisfazem o problema. Vejamos:

Para 𝑥 = 8 temos o número 9 para consecutivo Para x = −9 temos o número – 8 para consecutivo
8 e 9 −9 e −8

3o passo: Verificar se os números obtidos satisfazem as exigências mostradas no enunciado.


Para x = 8 Para 𝑥 = − 9
x . (x + 1) = 72 x . (x + 1) = 72
8 . ( 8 + 1) = 72 (− 9) . (− 9 + 1) = 72
72 = 72 72 = 72 Faça o próximo exercício B35.

c) Um terreno retangular tem 120 metros de comprimento e 500 m2 de área. Calcule as dimensões desse terreno.
1o passo: Passar para a linguagem simbólica da Matemática o enunciado do problema.
Vamos fazer um desenho para facilitar a resolução.

perímetro = x + y + x + y
120 m = 2x + 2y
área = xy
500 = xy
Vamos formar um sistema com as duas equações destacadas.

2𝑥 2𝑦 120
2𝑥 + 2𝑦 = 120 + = 𝑥 + 𝑦 = 60
{ ⟹ { 2 2 2 ⟹ {
𝑥𝑦 = 500 𝑥𝑦 = 500 𝑥𝑦 = 500

2o passo: Resolver o sistema de equações obtido no 1 o passo.


𝑥 + 𝑦 = 60
{ Vamos isolar a x na equação x + y = 60 x = 60 − 𝑦 Vamos substituir esse valor
𝑥𝑦 = 500
isolado de x equação xy = 500
𝑥 . 𝑦 = 500 (60 − 𝑦)𝑦 = 500 60𝑦 − 𝑦 2 = 500 y 2 − 60y + 500 = 0
forma geral

17
y1 = 50
−( − 60 ) ± √( − 60 )2 − 4 . 1 . 500 60 ± √1 600 60 ± 40
𝑦 = = =
2. 1 2 2
y2 = 10
Com os valores de 𝑦 obtemos dois valores para x: x1 = 60 − y1 e x2 = 60 − y2
x1 = 60 − 50 e x2 = 60 − 10
x1 = 10 x2 = 50
As dimensões, portanto, desse terreno são10 metros e 50 metros.
3o passo: Verificar se os números obtidos satisfazem as exigências mostradas no enunciado.
perímetro = 10 m + 50 m + 10 m + 50 m área = 10 m . 50 m
perímetro = 120 m área = 500 m2 Resolva os próximos exercícios B36 e B37.

EXERCÍCIOS BÁSICOS
B14. Resolva, em IR, as seguintes equações literais em função da variável x:
a) x 2 − 3ex + 2e2 = 0 c) x 2 − 2wx − 3w 2 = 0 e) x 2 + 8rx + 15r 2 = 0 g) x 2 − 27hx + 180h2 = 0
b) x 2 − 7fx + 10f 2 = 0 d) x 2 − 25y 2 = 0 f) x 2 − 5gx − 24g 2 = 0 h) x 2 − 9ix + 18i2 = 0

B15. Resolva, em IR, as seguintes equações literais em função da variável x:


a) x 2 − (2e + d)x + 2ed = 0 e) x 2 − (8r + 5)x + 40r = 0
2
b) x − (g + 2f)x + 2gf = 0 f) x 2 − (2i + 8w)x + 16iw = 0
2
c) x − (2h − 3y)x − 6yh = 0 g) x 2 − (h + i − 3)x − 3(h + i) = 0
d) x 2 − (3z − 5)x − 15z = 0 h) x 2 − (5 + j + k) + 5(j + k) = 0

B16. Resolva, em IR, as seguintes equações literais em função da variável x:


a) x(2x − 3) − e(2x − 3e) = x(x + 3e) − 3(x + e2 ) e) (x − 2)(x + kj) = 2x(j − 1) + kx(j − 1)
b) (x + f)(2x − 3f) = (x + f)(x − 2f) f) (x − 3 − j)(x − d) = 0
c) (3x − 5)(x − i) = x(2x − i − 9) + 13i g) (x − w)2 − x + 2w = w 2
d) (5x + 2)(x + 5j) = x(4x + 27j + 7) h) x(x + 2a) − √2 b(3x − a) = x(3a − 2√2 b)

B17. Resolva, em IR, as seguintes equações literais em função da variável x:


3x x 1 x2 − x x − x2
a) = + c) − = 2x
6f2 (2x + 5f) 6f2 (x + 2f) (2x + 5f)(x + 2f) x − h + i x + h − i
2x 2 x x2 x 2f − 2x
b) − = d) − =
(x − 3g)(x + 5g) (x + g)(x + 5g) (x + g)(x − 3g) fg g f

B18. Sem resolver as equações, encontre a soma e o produto das raízes de cada uma delas.
a) x 2 − 8x + 15 = 0 c) x 2 + 3x − 10 = 0 e) 5x 2 − 26x + 5 = 0 g) 3x 2 − 29x + 18 = 0
b) x 2 − 6x + 8 = 0 d) x 2 − 4x − 21 = 0 f) 2x 2 − 5x + 2 = 0 h) 12x 2 + 41x + 24 = 0
1 1
B19. (MACKENZIE) Na equação x 2 + 𝑚x − 12 = 0, uma das raízes é 4. Então, 𝑚 vale: a) 1 b) c) – 1 d) −
2 2

B20. Determine o valor de 𝑘 na equação x 2 − 12x + 𝑘 = 0, para que:


a) o número 10 seja uma das raízes c) as raízes sejam reais e distintas
b) as raízes sejam reais e iguais d) as raízes não sejam reais

B21. (PUC – RS) ) O valor de 𝑚 de modo que a equação 5𝑥 2 − (2𝑚 − 1)𝑥 + 2𝑚 = 0 tenha uma das raízes igual a 3, é:
a) 10 b) 11 c) 12 d) 14

B22. (MACKENZIE – SP) Determine 𝑎 para que a equação do 2o grau 𝑎x 2 + x + 1 = 0 admita duas raízes reais e distintas.

B23. Para que valores de 𝑘 a equação 8𝑥 2 − 8𝑥 + 5 − 𝑘 = 0 tem raízes reais?

B24. Determinar os valores de 𝑚 para os quais a equação x 2 + (𝑚 + 2)x + (2𝑚 + 1) = 0 admita duas raízes iguais.

B25. Fatore as expressões abaixo:


a) 2𝑥 2 − 13𝑥 + 15 c) 5𝑥 2 − 17𝑥 + 6 e) x 2 + 6x − 16 g) x 2 + 6x + 5
2
b) 2𝑥 + 3𝑥 − 2 d) 3𝑥 2 + 𝑥 − 10 f) x 2 − 8x + 15 h) x 2 + 7x + 12

B26. Simplifique as frações:


4x2 − 11x + 6 25x2 − 5x − 2 3x2 − 7x + 2 3x2 + 7x − 6 15x2 − 13x + 2 7x2 + 27x − 4
a) b) c) d) e) f)
4x2 − 6x − 4 25x2 − 35x + 10 x2 + 3x − 10 x2 − 2x − 15 15x2 − 8x + 1 5x2 + 19x − 4

B27. Dada a equação kx 2 − (𝑘 − 3)x + (2𝑘 − 1) = 0, determine 𝑘 de modo que:


a) as raízes sejam números simétricos; c) as raízes tenham soma igual a 4;
b) uma raiz seja o inverso da outra; d) as raízes tenham produto igual a 3.

18
B28. O valor de ℎ para que a equação (ℎ − 2)x 2 + 10x + 3 = 0, com ℎ ≠ 2, possua raízes inversas é:
a) 0 b) – 5 c) 5 d) – 3 e) 3
1
B29. Determine o valor natural de w na equação (wx)2 + (10w − 3)x + (w 2 − 45) = 0 para que se verifique a relação
x1
1 3
+ =
x2 4

B30. (EPCAR) Os zeros da equação (𝑚 − 5)x 2 − (2𝑚 − 6)x + 2𝑚 − 15 = 0 serão, um o inverso do outro, se 𝑚 tomar o valor:
a) 10 b) 12 c) 18 d) 21 e) 22

B31. (EPCAR) Se a diferença entre as raízes da equação x 2 − 15x + (6𝑚 + 2) = 0 for igual a 3, então o valor de 𝑚 será:
26 22 32 35 22 32
a) b) c) d) e) ou
3 3 3 3 3 3

B32. Resolva, em IR x IR, os sistemas abaixo:


𝑥 + 𝑦 = 12 𝑥+𝑦 = 5 𝑥+𝑦=4 𝑥 − 𝑦 = 12 𝑥 2 + 𝑦 2 = 65 𝑥 2 + 𝑦 2 = 17
a) { b) { c) { d) { 2 e) { f) {
𝑥𝑦 = 35 𝑥𝑦 = − 6 𝑥𝑦 = −12 𝑥 + 𝑦 2 = 74 𝑥−𝑦=3 2𝑥 − 𝑦 = 7

𝑥 2 + 3𝑥𝑦 = 0
B33. (FUVEST) Sendo (x1 , y1 ) e (x2 , y2 ) as soluções do sistema { Então y1 + y2 é igual a
𝑥−𝑦=2
5 3 3 5
a) − b) − c) d) e) 3
2 2 2 2

B34. Resolva os seguintes problemas:


a) A soma de um número com o seu quadrado é igual a 6. Que número é esse?
b) A diferença entre o quadrado de um número e o dobro desse número é igual a 15. Que número é esse?
c) O triplo do quadrado de um número somado com o quíntuplo desse número é igual a 28. Determine esse número.
d) A quarta parte do quadrado de um número somada com esse número é igual a 3. Que numero esse?
e) O dobro do quadrado de um número é igual ao produto desse número por 7, mais 15. Que número é esse?
f) O quadrado de um número aumentado de 10 é igual a sete vezes esse número. Que número é esse?

B35. Resolva os seguintes problemas:


a) Dois números inteiros consecutivos têm para produto o número 12. Determine esses números.
b) Dois números naturais consecutivos têm para produto o número 132. Determine a raiz quadrada da quantidade de divisores
naturais não primos que o maior desses dois números possui.
c) Três números naturais consecutivos têm a soma de seus quadrados igual a 29. Quanto vale a raiz quadrada da soma desses
três números?
d) Quatro números naturais consecutivos têm a soma de seus quadrados igual ao décuplo do terceiro desses números em
ordem crescente. De que número natural a soma desses quatro números é a raiz quadrada?
e) O quadrado de um número inteiro negativo somado com o quadrado do seu antecessor é igual ao sexto número natural
quadrado perfeito. Quanto vale a raiz quadrada do módulo do menor desses dois números?
f) A soma dos quadrados de dois números naturais pares consecutivos é igual a 100. Calcule o resto que se obtém quando a
raiz quadrada do menor desses dois números é calculada com aproximação de duas casas decimais.

B36. Resolva os seguintes problemas:


a) Um terreno retangular tem 122 metros de perímetro e 840 m2 de área. Calcule as dimensões desse terreno.
b) Um terreno retangular tem 126 metros de perímetro e 972 m2 de área. Calcule as dimensões desse terreno.
c) As dimensões de um terreno retangular, medidas em metros, são representas pelas expressões 𝑥 + 3 e 𝑥. Sabendo que a
área do terreno é 460 m2 , calcule as dimensões desse terreno.
d) Determine as medidas das dimensões de um retângulo, sabendo que a área mede 𝑎2 e a diferença entre as medidas dos lados
é 𝑏.

B37. (UFPE) Admita que as dimensões 𝑎 e 𝑏 ( 𝑎 > 𝑏 ) de um retângulo diferem de 4 cm. Se aumentarmos estas dimensões em 3
cm, a área do retângulo aumentará em 69 cm2 . Quais as dimensões 𝑎 e 𝑏 do retângulo?
a) 20 cm e 16 cm b) 16 cm e 12 cm c) 12 cm e 8 cm d) 8 cm e 4 cm e) 23 cm e 3 cm

B38. (PUC – SP) Um terreno retangular de área 875 m2 tem o comprimento excedendo em 10 metros a largura. Quais são as
dimensões do terreno? Assinale a equação que representa o problema acima.
a) x 2 + 10x − 875 = 0 b) x 2 + 10x + 875 = 0 c) x 2 − 10x + 875 = 0 d) x 2 + 875x − 10 = 0

7. EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES
x1 x2
C1. (EPCAR) Se x1 e x2 são raízes da equação 𝑎𝑥 2 + 𝑏𝑥 + 𝑐 = 0, com 𝑎 ≠ 0, então + vale:
x2 x1
b2 b2 − 2ac b2 − ac b2 + ac
a) b) c) d) b2 − 2 e)
ac ac ac ac

19
C2. (COLÉGIO NAVAL) As raízes da equação ax 2 + bx + c = 0 são iguais a m e n. Assinale a equação cujas raízes são m3 e n3 .
a) a3 x 2 − b(3ac + b2 )x + c 3 = 0 d) a3 x 2 + b(b2 − 3ac)x − c 3 = 0
2 2 )x
b) ax − b(3ac − b + c = 0 e) a3 x 2 + b(b2 − 3ac)x + c 3 = 0
c) ax 2 + b(b2 − 3ac)x + c = 0
1 1
C3. (COLÉGIO NAVAL) Sendo 𝑚 e 𝑛 as raízes da equação 𝑥 2 − 10𝑥 + 1 = 0. O valor da expressão + é:
m3 n3
a) 970 b) 950 c) 920 d) 900 e) 870

C4. (COLÉGIO NAVAL) Sejam 𝑟 e 𝑠 as raízes da equação √3 . x 2 + 3x − √7 = 0. O valor numérico da expressão (𝑟 + 𝑠 + 1)(𝑟 +
2 3 9 4
𝑠 − 1) é: a) b) c) d) e) 2
7 7 7 3

17 1
C5. (EPCAR) A soma de dois números é e seu produto é . A diferença entre esses dois números será igual a:
12 2
1 1 1 1 1
a) b) c) d) e)
12 9 6 2 17

1 4
C6. (EPCAR) Indique a equação quadrática que cujas raízes são e −
3 3
a) 9x 2 − 4x − 9 = 0 b) 9x 2 − 4x + 9 = 0 c) 9x 2 + 9x − 4 = 0 d) 9x 2 − 9x + 4 = 0 e) 9x 2 − 9x − 4 = 0

2 1
C7. (EPCAR) Resolvendo a equação 2 + = − 1, conclui-se que a mesma:
x − 1 x + 1
a) não tem raiz real c) tem apenas uma raiz real e) tem duas raízes cujo produto é 1
b) tem duas raízes reais d) tem duas raízes cuja soma é 1

𝑎 2 − 𝑏2
C8. (EPCAR) Para que a equação x 2 − 𝑎x + = 0 tenha raízes iguais, é necessário que:
4
a+ b
a) b = 0 b) a = b c) a = 2b d) a2 − b2 = 0 e) = a + 1
2

2
C9. (EPCAR) Uma das raízes da equação 9x 2 − 5x + 2𝑚 − 8 = 0 é . Identifique o valor de 𝑚 entre as opções abaixo,
3
2 5 9 11
sabendo-se que a equação possui duas raízes desiguais. a) 22 b) − c) d) e)
27 9 5 3

C10. (ESPCEX) Dada a equação abaixo, determine o produto dos elementos pertencentes ao conjunto verdade dessa equação. −
2 3 1
2 + 2 = 3 2 : a) 16 b) 17 c) 19 d) 22 e) 24
x − 9 x + 5x + 6 x − 2x − 9x + 18

1 1 5 6 7 7
C11. (UNIP) A soma das raízes da equação + = é: a) 7 b) – 7 c) d) − e)
x x + 1 6 5 5 5

C12. (EPCAR) Na equação 4x 2 − (2 + k)x + 3 = 0, onde a unidade é uma das raízes, tem-se para k um número:
a) primo b) menor que 4 c) divisível por 2 d) maior que 5

C13. (COLÉGIO NAVAL) Se as equações do 2º grau (2p + q)𝑥 2 − 6qx − 3 = 0 e (6p + 3q)𝑥 2 − 3(p − 2)x − 9 = 0 possuem as
mesmas raízes, então: a) p = 6q + 2 b) p + q = 7 c) 3q = p + 2 d) p − 2 = 0 e) 2p + 3q = 8

1 1 3
− =
C14. (COLÉGIO NAVAL) O sistema {𝑥 𝑦 8 admite para x e y valores positivos cuja soma é: a) 6 b) 10 c) 12 d) 14
𝑥𝑦 = 16

C15. (COLÉGIO NAVAL) Se abc ≠ 0 e a + b + c = 0, o trinômio y = ax2 + bx + c:


a) pode ter raízes nulas c) tem uma raiz positiva e) tem as raízes simétricas
b) não tem raízes reais d) só tem raízes negativas

C16. (COLÉGIO NAVAL) A soma dos valores reais de k que fazem com que a equação x2 − 2(k + 1)x + k2 + 2k − 3 = 0 tenha uma
de suas raízes igual ao quadrado da outra é: a) 3 b) 4 c) 5 d) 6 e) 7

C17. (COLÉGIO NAVAL) O valor de K na equação x2 + Mx + K = 0, para que uma de suas raízes seja o dobro da outra e o seu
discriminante seja igual a 9 é: a) 20 b) 10 c) 12 d) 15 e) 18

C18. (COLÉGIO NAVAL) A soma dos quadrados dos inversos das raízes da equação Kx2 − Wx + p = 0, sendo Kp ≠ 0, é: a)
𝑤 2 − 2𝐾𝑝 𝑤 2 − 4𝐾𝑝 2𝐾𝑝 − 𝑤 2 4𝐾𝑝 − 𝑤 2 10 𝐾𝑝
b) c) d) . e)
𝑝2 𝑝2 𝑝2 𝑝2 3 𝑤

C19. (COLÉGIO NAVAL) Na equação x2 − mx − 9 = 0, a soma dos valores de m, que fazem com que as suas raízes a e b satisfaçam
a relação 2a + b = 7 dá: a) 3,5 b) 20 c) 10,5 d) 10 e) 9

C20. (COLÉGIO NAVAL) A soma dos cubos das raízes da equação x2 + x − 3 = 0, é: a) −10 b) − 8 c) − 12 d) −6 e) −18

20
C21. (COLÉGIO NAVAL) A soma de todas as raízes da equação (3x − 12)(x + 2)(x − 2) = (3x − 12)(− x + 6) é:
a) − 3 b) − 1 c) 0 d) 1 e) 3

C22. (COLÉGIO NAVAL) A equação do 2º grau x2 – 2x + m = 0, m < 0, tem raízes 𝑥1𝑛 − 2 + 𝑥2𝑛− 2 = 𝑎 e 𝑥1𝑛 − 1 + 𝑥2𝑛 − 1 = 𝑏 então
𝑥1𝑛 + 𝑥2𝑛 é igual a: a) 2a + mb b) 2b − ma c) ma + 2b d) ma − 2b e) m(a – 2b)

C23. (COLÉGIO NAVAL) Um aluno ao tentar determinar as raízes 𝑥1 e 𝑥2 da equação ax2 + bx + c = 0, a.b.c ≠ 0, explicitou x da
− 𝑏 ± √𝑏2 − 4𝑎𝑐
seguinte forma x = . Sabendo-se que não teve erro de contas, encontrou como resultado:
2𝑐
a) x1 e x2 b) − x1 e − x2 c) x1− 1 e x2− 1 d) cx1 e cx2 e) 𝑎𝑥1 e 𝑎𝑥2

C24. (COLÉGIO NAVAL) O número de soluções inteiras da equação 4𝑥 5 + 11𝑥 3 − 3x = 0 é: a) 5 b) 3 c) 2 d) 1 e) 0

C25. (COLÉGIO NAVAL) Se a equação 𝑥 4 − 4(m + 2)𝑥 2 + 𝑚2 = 0 admite quatro raízes reais, então
a) o maior valor inteiro de m é − 3. d) só existem valores inteiros e positivos para m.
b) a soma dos três menores valores inteiros de m é zero. e) só existem valores negativos para m.
c) a soma dos três maiores valores inteiros de m é − 12.

C26. (COLÉGIO NAVAL) A equação 𝑥 4 − 8𝑥 2 + 𝑘 2 − 5 = 0, onde k é um número inteiro, tem 4 raízes reais. A soma dos valores
absolutos de k é: a) 13 b) 14 c) 15 d) 16 e) 17

C27. (COLÉGIO NAVAL) A equação 𝑥 4 − (𝑎 − 6)𝑥 2 + (9 − 𝑎) = 0, na variável x, tem quatro raízes reais e distintas, se e somente
se: a) a > 0 b) 6 < a < 8 c) 8 < a < 9 d) 6 < a < 9 e) a > 9

C28. (COLÉGIO NAVAL) O trinômio y = 𝑥 2 − 14x + k, onde k é uma constante real positiva, tem duas raízes reais distintas. A
maior dessas raízes pode ser: a) 4 b) 6 c) 11 d) 14 e) 17

C29. (COLÉGIO NAVAL) Dada a equação: (𝑥 2 + 1)2 + (𝑥 2 + 3x − 17)2 = 0, pode-se afirmar que, no universo dos números reais,
o seu conjunto solução:
a) é vazio. c) tem apenas dois elementos e) tem apenas quatro elementos .
b) tem apenas um elemento. d) tem apenas três elementos.

C30. (COLÉGIO NAVAL) Sabendo-se que a equação 𝑥 2 (𝑥 2 + 13) − 6x(𝑥 2 + 2) + 4 = 0 pode ser escrita como um produto de
binômios do primeiro grau, a soma de duas das suas raízes reais é igual a a) − 3 b) − 2 c) − 1 d) 2 e) 3

C31. (COLÉGIO NAVAL) A soma das raízes de uma equação do 2º grau é 2 e o produto dessas raízes é 0,25. Determine o valor de
𝑎3 − 𝑏3 − 2𝑎𝑏2
, sabendo que a e b são as raízes dessa equação do 2º grau e a > b, e assinale a opção correta.
𝑎 2 − 𝑏2
1 √3 − 2 1 1
a) b) c) − 1 d) √2 + e) √2 −
2 4 4 4

C32. (COLÉGIO NAVAL) Considere a equação do 2º grau 2014𝑥 2 − 2015x − 4029 = 0. Sabendo-se que a raiz não inteira é dada
𝑎
por , onde "a" e "b" são primos entre si, a soma dos algarismos de "a + b" é: a) 7 b) 9 c) 11 d) 13 e) 15
𝑏

C33. (COLÉGIO NAVAL) A equação 𝑘 2 𝑥 − 𝑘𝑥 = 𝑘 2 − 2𝑘 − 8 + 12𝑥 na variável x, é impossível. Sabe-se que a equação na variável
𝑎 − 114𝑦 17𝑏 + 2 𝑎𝑏 + 𝑘
y dada por 3ay + = admite infinitas soluções. Calcule o valor de e assinale a opção correta.
2 2 4
a) 0 b) 1 c) 3 d) 4 e) 5

8. RESPOSTAS DOS EXERCÍCIOS BÁSICOS


1
B1. a) S = { ± 1 } b) S = { ± 2 } c) S = { ± 20 } d) S = { ± 7 } e) S = ∅ f) S = { ± } g) S = { ± 6 } h) S = ∅
2
√15
i) S = { ± } B2. a) S = { ± 1 } b) S = { ± 3} c) S = { ± 3} d) S = { ± √3 } B3. d B4. a) S = {0 e 5} b) S = {0 e
10
3} c) S = {0 e 3} d) S = {0 e 100} e) S = {0 e 8} f) S = {0 e 2} g) S = {0 e 6} h) S = {0 e 5} i) S = {0 e 7} Observe
agora todos os conjuntos soluções da B3. Percebeu o detalhe que sempre ocorrerá na resolução das equações do tipo ax 2 + bx =
0? B5. a) S = {0 e 2} b) S = {0 e – 5} c) S = {0 e − 2} d) S = {0} B6. a) S = {2 e 1} b) S = {4 e 2} c) S = {1 e − 5}
d) S = {1 e − 3} e) S = {1 e − 2} f) S = {2 e − 3} g) S = {3 e − 4} h) S = {5 e − 4} B7. a) S = { 6 } b) S = {6 } c) S
5 1 7
= { 7 } d) S = { 8 } e) S = {− } f) S = { −9 } g) S = {− } h) S = {− } B8. a) S= { }, pois Δ = −16 b) S = { },
2 2 3
pois Δ = − 3 c) S = { }, pois Δ = − 4 d) S = { }, pois Δ = − 4 e) S = { }, pois Δ = − 7 f) S = { }, pois Δ = − 8 g)
S = { }, pois Δ = − 20 h) S = { }, pois Δ = − 47 B9. a) S = {5 e – 2} b) S = {10 e 3} c) S = {− 3 e − 4 } d) S =
{3 + √5 e 3 − √5 } e) S = {2 + √3 e 2 − √3 } f) S = {5 + √6 e 5 − √6 } g) S = {√2 + 5 e √2 − 5} h) S =
{√3 + √2 e √3 − √2 } B10. a) S = {3 e − 6} b) S = {−5 e − 10} c) S = {15 e 3} d) S = { ± 3} e) S = { ± 5} f)

21
16 1 1 5
S = { ± 6} g) S = {0 e 5} h) S = {0 e 7} B11. a) S = {3} b) S = {6 e – } c) S = { e } d) S = {4 e − } e) S = {6
3 2 4 2
1 1
e } f) S = {2 e − } g) S = {3 e − 2} h) S = {1 e 5} B12. a) S = {− 5, − 1, 1, 5} b) S = {− 6, − 2, 2, 6} c) S
4 6
= { − 6, − 3, 3, 6} d) S = { ± 6} e) S = ∅ f) S = {− √7 , − 2, 2, √7 } g) S = {± √7 } h) S = {− 5, 0, 5} B13. a) S
1 − √5 1 + √5
= {− √5 , 0, √5 } b) S = {− 1, 0, 1} c) S = {0, 2, 5} d) S = {− 4, − 3, 0} e) S = { 0 } f) S = { , 0, } g)
2 2
S = { 0 } h) S = {− 5, 0, 2} B14. a) S = {2e e e} b) S = {5f e 2f} c) S = {3w e – w} d) S = {± 5y} e) S = {−3r e
− 5r} f) S = {8g e – 3g} g) S = {15h e 12h} h) S = {6i e 3i} B15. a) S = {2e e d} b) S = {g e 2f} c) S = {−3y e 2h}
d) S = {3z e − 5} e) S = {8r e 5} f) S = {2i e 8w} g) S = {h + i e − 3} h) S = {j + k e 5} B16. a) S = {3e, 2e} b) S
= {± f} c) S = {2i, − 4} d) S = {2j, 5} e) S = {2j, − k} f) S = {3 + j, d} g) S = {2𝑤, 1} h) S = {a , √2 b} B17. a)
S = {2𝑓, − 3𝑓} b) S = {3g, 2} c) S = {0, (ℎ − 𝑖)2 } d) S = {f e − 2g} B18. a) soma = 8 e produto = 15 b) soma = 6 e
26 5
produto = 8 c) soma = − 3 e produto = −10 d) soma = 4 e produto = − 21 e) soma = e produto = 1 f) soma = e
5 2
29 41
produto = 1 g) soma = e produto = 6 h) soma = − e produto = 2 B19. c B20. a) k = 20 b) k = 36 c) k < 36
3 2
1
d) k > 36 B21. c B22. a < B23. 𝑘 ≥ 3 B24. 𝑚 = 0 ou 𝑚 = 4 B25. a) (2x − 3)(x − 5) b) (2x − 1)(x + 2) c)
4
(x − 3)(5x − 2) d) (x + 2)(3x − 5) e) (x − 2)(x + 8) f) (x − 3)(x − 5) g) (x + 1)(x + 5) h)
4x − 3 5x + 1 3x − 1 3x − 2 3x − 2 7x − 1
(x + 3)(x + 4) B26. a) b) c) d) e) f) B27. a) k = 3 b) k = 1
4x + 2 5x − 5 x + 5 x − 5 3x − 1 5x − 1
49
c) k = − 1 d) k = − 1 B28. c B29. w = 3 ou w = B30. a B31. a B32. a) S = {(5, 7) ou (7, 5)} b) S = {(6, − 1)
3
ou (− 1, 6)} c) S = {(− 2, 6) ou (6, − 2)} d) S = {(7, − 5) ou (5, − 7)} e) S = {(7, 4) ou (− 4, − 7)} f) S = {(4, 1) ou
8 19 7 3
( ,− )} B33. a B34. a) 2 ou – 3 b) 5 ou − 3 c) – 4 ou d) 2 ou − 6 e) 5 ou − f) 2 ou 5 B35. a) 3 e 4 ou
5 5 3 2
− 4 e − 3 b) 2 c) 3 d) 100 e) 2 f) 0,0464 B36. a) 21 metros e 40 metros b) 36 metros e 27 metros c) 20 metros
− b + √b2 + 4a2 b + √b2 + 4a2
e 23 metros d) uc e uc B37. c B38. a
2 2

9. RESPOSTAS DOS EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES


C1. b C2. e C3. a C4. e C5. a C6. c C7. c C8. a C9. e C10. e C11. e C12. A C13. d C14. b C15. c C16. a
C17. e C18. a C19. c C20. a C21. e C22. b C23. c C24. d C25. b C26. b C287 c C28. c C29. a C30. e C31.
e C32. d C33. d
10. EXERCÍCIOS EXTRAS
E1. Resolva, em IR, as seguintes equações fracionarias:
x x + 5 x 3x 15x x 3x x x2 2x
a) + =5 b) + = +2 c) + = d) + = 4x − 1
x − 2 x + 1 x − 5 x + 5 x2 − 25 x− 4 x + 4 2 2x − 5 3

r4 − s4
E2. (COLÉGIO NAVAL) As raízes da equação 2𝑥 2 − 𝑥 − 16 = 0 são 𝑟 e 𝑠 (𝑟 > 𝑠). O valor da expressão é:
r3 + r2 s + rs2 + s3
√129 √127 127 129
a) b) c) d) e) impossível de ser calculado
2 2 4 4

E3. (COLÉGIO NAVAL) Considere a equação do 2o grau em x tal que 𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 = 0, onde 𝑎, 𝑏 e 𝑐 são números reais com
𝑎 diferente de zero. Sabendo que 2 e 3 são raízes dessa equação, pode-se afirmar que:
a) 13𝑎 + 5𝑏 + 2𝑐 = 0 b) 9𝑎 + 3𝑏 − 2𝑐 = 0 c) 4𝑎 − 2𝑏 + 𝑐 = 0 d) 5𝑎 − 𝑏 = 0 e) 36𝑎 + 𝑏 = 0

2𝑥 + 𝑦 = 5
E4. O sistema { 2 tem: a) uma única solução b duas soluções c) três soluções d) quatro soluções
𝑦 = 3𝑥 2 − 14𝑥 + 16𝑦

𝑥 = 2 + 𝑦
E5. (EPCAR) Existem dois pares ordenados que satisfazem o sistema { 2
𝑥 + 𝑥𝑦 − 𝑦 2 = 31
Indique o valor da soma dos componentes dos dois pares.
a) 4 b) 5 c) 6 d) − 7 e) − 8

2𝑥 2 + 𝑦 2 = 27
E6. (EPCAR) O sistema { possui com solução dois pares ordenados, tendo um deles componentes inteiros.
𝑥 + 2𝑦 = − 3
1 1 1
Sendo (𝑥, 𝑦) esse par, calcule x y : a) 27 b) – 27 c) d) − e)
27 27 9

E7. (EPCAR) Considerando 0 < 𝑎 < 𝑏 e x como variável, assinale a menor raiz da equação x 2 − 2𝑎x = 𝑏 − 𝑎2
a) 𝑎 − 𝑏 b) a2 + √b c) a2 − √b d) 𝑎 + √𝑏 e) 𝑎 − √𝑏

5 3
E8. A soma e o produto das raízes da equação do 2 o grau (4𝑚 + 3𝑛)x 2 − 5𝑛x + (𝑚 − 2) = 0, valem, respectivamente, e .
8 32
Então m + n é igual a: a) 9 b) 8 c) 7 d) 6 e) 5

E9. Sendo S a soma e P o produto das raízes da equação 2x2 −5x − 7 = 0, pode-se afirmar que:
S
a) S − P = 6 b) S + P = 2 c) S − P = 4 d) = 1 e) S < P
p

22
𝑥 − 𝑦 = 1
E10. O valor negativo da incógnita 𝑦 no sistema de equações {1 1 1 é: a) – 2 b) – 3 c) – 4 d) – 1 e) – 6
− = −
𝑥 𝑦 6

E11. Um grupo de alunos quis dar a uma professora um presente que custava R$ 720,00. Calculou-se a quantidade que cada aluno
deveria dar. Porém, cinco alunos de outra classe quiseram participar da compra do presente, e, com isso, coube a cada um R$
2,00 a menos na quantia anteriormente combinada. Quantos alunos havia na classe?

E12. (UFPA) Um cidadão, ao falecer, deixou uma herança de R$ 200.000,00 para ser distribuída, de maneira equitativa, entre os
seus x filhos. No entanto, três desses filhos renunciaram às suas respectivas partes nessa herança, fazendo com que os demais x
− 3 filhos, além do que receberiam normalmente, tivessem um adicional de R$15.000,00 em suas respectivas partes dessa
herança. Portanto, o número x de filhos do referido cidadão é: a) 8 b) 10 c) 5 d) 4 e) 7

E13. Os funcionários de uma empresa contrataram uma empresa para organizar a festa de final de ano pelo preço de R$ 2.250,00.
No entanto, às vésperas da festa, cinco funcionários desistiram de participar do evento e, com isso, a despesa de cada um dos
restantes foi aumentada em R$ 5,00. Quantos funcionários participaram da festa?

E14. Numa festa de aniversário, havia 80 pacotes de balas para serem distribuídos ente os convidados. Como 4 dos convidados
foram embora antes da distribuição, cada um dos presentes recebeu 1 pacote a mais. Qual era a quantidade inicial de convidados?

E15. Trezentas cadeiras de rodas deveriam ser igualmente distribuídas entre alguns asilos de idosos. No entanto, para receber
essas cadeiras o asilo deveria mandar um representante para a solenidade destinada a essa distribuição. Como no dia da
distribuição, cinco desses asilos não mandaram representantes, cada um dos asilos representados recebeu duas cadeiras de
rodas a mais. Quantos asilos receberam cadeira de rodas?

E16. (CESPE) Um grupo composto de 𝑥 empregados de uma empresa pretende comprar um presente de R$ 70,00 para o chefe,
dividindo esse valor em partes iguais. Devido a desistência de dois colegas em participarem do evento, o encarregado da compra
solicitou mais R$ 4,00 de cada participante restante.
A partir dessas informações, julgue em certo ou errado, as seguintes afirmativas:
70 74
1. A equação = permite determinar o numero 𝑥 de empregados da empresa.
x + 4 x + 2
2. Inicialmente, o grupo de empregados era composto por mais de 8 participantes.
3. Cada empregado participante do evento contribuirá com mais de R$ 10,00 para a compra do presente.

E17. (EPCAR – 2003) Um grupo de alunos contratou uma empresa de turismo para uma excursão pelo preço de 6.000 reais. Na
véspera, 5 deles desistiram. Então a parte de cada um dos restantes ficou aumentada de 40 reais. O valor que cada participante
pagará, em reais, pelo passeio e um número:
a) divisor de 500. b) divisor de 400. c) múltiplo de 12. d) múltiplo de 18.

E18. (EPCAR - 2005) Um condomínio tem uma despesa de R$ 1.200,00 por mês. Se três dos condôminos não pagam suas partes,
os demais pagam um adicional de R$ 90,00 cada um. O valor que cada condômino paga quando todos participam do rateio é, em
reais: a) 330,00 b) 240,00 c) 180,00 d) 150,00

E19. Sabendo-se que o produto dos número inteiros positivos 𝑚 e 𝑛 é igual a 572, que a divisão de 𝑚 por 𝑥 tem quociente 4 e
resto 2 e que a divisão de 𝑛 por x + 1 tem também quociente 4 e resto 2, é correto afirmar que o valor de 𝑚 + 𝑛 é igual a:
a) 48 b) 46 c) 42 d) 38 e) 36

E20. Determine o número positivo pelo qual se deve dividir 105, de modo que se obtenha um quociente que supere em 8 unidades
o número pedido.

E21. Determine o número positivo que adicionado a quatro, divide o número 54, gerando para quociente esse mesmo número
positivo aumentado em 1 unidade.

E22. O quociente da divisão de 72 por um número negativo é o dobro desse número. A metade desse número é:
a) − 3 b) − 4 c) − 5 d) − 6 e) – 7

E23. Duas torneiras podem encher um reservatório em 2 horas e 24 minutos. A primeira delas demora 2 horas a mais que a
segunda, quando abertas separadamente. Quanto tempo leva cada torneira para encher esse reservatório, estando ele
inicialmente vazio?

E24. Duas torneiras podem encher um reservatório em 3 horas e 20 minutos. A primeira delas demora 5 horas a menos que a
segunda, quando abertas separadamente. Quanto tempo leva cada torneira para encher esse reservatório, estando ele
inicialmente vazio?

23
E25. Há três torneiras que são usadas para encher um determinado reservatório. A primeira torneira demora 4 horas para encher
esse reservatório. A segunda e a terceira torneiras demoram, respectivamente, x horas a menos e x horas a mais que a primeira.
Sabendo que as três torneiras quando abertas simultaneamente, necessitam de 6 horas e 40 minutos para encher o reservatório,
determine os tempos da segunda e da terceira torneiras.

E26. Uma máquina consegue copiar 1 000 desenhos em 𝑥 horas de trabalho ininterrupto. Outro modelo de máquina consegue
copiar 1 000 desenhos iguais aos primeiros em 1 hora a menos do que a primeira máquina. Sabendo que quando colocadas em
funcionamento simultâneo, elas fazem essa mesma quantidade de cópias em 2h 13min 20s, calcule em quanto tempo a primeira
máquina consegue copiar 200 desenhos.

E27. (EPCAR) Analise as alternativas abaixo, considerando todas as equações na incógnita x, e, a seguir, marque a correta.
a) Na equação x 2 − mx + n = 0 (m, n ∈ IR), sabe-se que 𝑎 e 𝑏 são raízes reais. Logo, o valor de (𝑎 + 𝑏)(𝑎 . 𝑏) é,
necessariamente, (n − m)
b) Para que a soma das raízes da equação 2x 2 − 3x + 𝑝 = 0, (𝑝 ∈ IR) seja igual ao produto dessas raízes, 𝑝 deve ser igual
3
a
2
3
c) Se a equação 3x 2 − 3x + 𝑚 = 0 (𝑚 ∈ IR) NÃO possui raízes reais, então o valor de 𝑚 pode ser igual a −
4
d) Uma das raízes da equação x 2 + 𝑆x − 𝑃 = 0 (𝑆, 𝑃 ∈ IR) é o numero 1, logo (𝑆 − 𝑃) é igual a − 1.

E28. A equação 𝑎x 2 + 𝑏x + 𝑐 = 0 com 𝑎 ∈ IR∗ e 𝑏 e 𝑎 reais, não tem raízes reais quando:
a) 𝑎 > 0 b) ∆ < 0 c) ∆ > 0 d) ∆ = 0 e) ∆ ≥ 0

11. RESPOSTAS DOS EXERCÍCIOS EXTRAS


5
E1. a) S = {0 e 3} b) S = {10 e } c) S = {0 e 8} E2. a E3. a E4. a E5. e E6. c E7. e E8. a E9. a E10. b E11. 40
2
E12. a E13. 45 E14. 20 E15. 25 E16. 1 errado 2errado 3 certo E17. c E18. d E19. a E20. 7 E21. 5 E22. a
E23. 4 horas e 6 horas E24. 10 horas e 5 horas E25. 3 horas e 5 horas E26. 1 hora E27. d E28. d

24