Você está na página 1de 6

LITERATURA COMPARADA

Quest.: 1

Conforme abordado na aula 1, que entre outros temas abordou o caráter múltiplo e transdisciplinar da
Literatura Comparada, podemos afirmar que a Literatura Comparada, hoje em dia, é:

Assinale a alternativa correta.

História da literatura

Disciplina

Método

Campo de estudos X

Método Comparativo

Quest.: 2

De acordo com o que estudamos em nossa segunda aula, a respeito do nascimento da Literatura
Comparada, podemos afirmar que:

O surgimento da nova disciplina, no começo do século XIX, se ligou à tentativa de afirmar um espírito
cosmopolita, capaz de se opor aos nacionalismos que emergiam na Europa daquele período. x

O processo de afirmação da nova disciplina se realizou a despeito dos acontecimentos históricos do


período, tais como o avanço da industrialização e o processo de afirmação dos nacionalismos.

O surgimento da nova disciplina, no começo do século XX, se ligou à tentativa de afirmar um espírito
cosmopolita, capaz de se opor aos nacionalismos que emergiam na Europa daquele período.

A emergência de um período de importantes transições históricas, no começo do século XIX, como


as revoluções burguesas e o processo de afirmação do nacionalismo permitiam um vivo interesse pelo
novo campo de estudos, que ainda lutava por afirmar-se.

A emergência de um período de importantes transições históricas, no começo do século XIX, como o


avanço da industrialização e o processo de afirmação do nacionalismo permitiam um vivo interesse pelo
novo campo de estudos, que ainda lutava por afirmar-se.

Quest.: 3

Leia as afirmações a seguir:


I. A Escola Francesa, no século XIX, tinha por objetivo o estudo das influências que cada autor ou nação
teria recebido ao longo de sua formação.

II. Os Franceses, nos estudos comparatistas, seguiam a doutrina clássica, que consiste no historicismo, ou
seja, na concepção de "empréstimo", dívida com os textos "originais".

III. A Escola Comparatista Norte-Americana privilegiava a análise do texto literário em detrimento das
relações entre autores ou obras, aceitando os estudos comparados dentro das fronteiras de uma única
literatura.

IV. A paródia tem um caráter contestador: é uma disputa aberta do sentido, uma luta, um choque de
interpretação.

V. A paráfrase é um discurso sem voz, pois quem está falando está falando o que o outro já disse. É uma
máscara que se identifica totalmente com a voz que fala atrás de si.

Assinale a alternativa correta:

Somente I, III, IV e V são verdadeiras.

Todas as alternativas são verdadeiras. x

Somente I, II, IV e V são verdadeiras.

Somente II, III e IV são verdadeiras.

Somente II, III e V são verdadeiras.

Quest.: 4

Acerca do conceito de intertextualidade, podemos afirmar que:

Esteja presente em todos os textos literários, uma vez que todos eles nascem de um
diálogo com outros textos, tanto os que de sua mesma época, como os da tradição.

Esteja presente em qualquer tipo de texto, ainda que seja um objetivo difícil de alcançar.

Esteja presente apenas em obras literárias de autores consagrados, visto ser um objetivo
difícil de alcançar.

Esteja presente em qualquer tipo de texto literário, uma vez que todos eles nascem de
um diálogo com a tradição.

Esteja presente em todos os textos literários, uma vez que todos eles nascem de um
diálogo com outros textos, mais nos de sua mesma época, do que nos da tradição. X

Quest.: 5
Canção do exílio ¿ Gonçalves Dias

"Minha terra tem palmeiras,

Onde canta o Sabiá;

As aves que aqui gorjeiam,

Não gorjeiam como lá.

Jogos Florais ¿ Antonio Carlos de Brito (Cacaso)

Minha terra tem palmeiras

onde canta o tico-tico.

Enquanto isso o sabiá

vive comendo o meu fubá.

Dentre os poemas de nossa tradição literária, talvez seja a ¿Canção do Exílio¿, a que sofreu mais
releituras. Acerca do poema de Cacaso, é possível afirmar que:

Trata-se de uma paráfrase, por não se afastar dos fundamentos propostos na obra de
Gonçalves Dias.

Trata-se de uma parródia de Gonçalves Dias, uma vez que oferece um releitura crítica de
elementos básicos da obra romântica, em especial a imagem simbólica do sabiá.

Nenhuma das respostas anteriores.

Trata-se de uma paráfrase de Gonçalves Dias, uma vez que oferece um releitura crítica
de elementos básicos da obra romântica, em especial a imagem simbólica do sabiá.

Trata-se de uma paródia do texto de Gonçalves Dias, uma vez que rompe por completo
com os pressupostos do autor romântico.

Quest.: 6

"Literatura Comparada só podia existir nas nações cultas, pois somente elas tinham obras capazes de
resistir ao confronto severo dos intercâmbios culturais". (FARIA, Gentil Gomes de Anais do II Congresso
ABRALIC. Belo Horizonte, UFMG, v. 1, p. 27, 1991).

A citação é do primeiro "crítico" a usar, no país, a expressão "Literatura Comparada", em ensaio escrito
em 1886, mas jamais concluído. Assinale o nome do autor do ensaio.
Otto Maria Carpeaux

Augusto Meyer

João Ribeiro

Tasso Silveira

Tobias Barreto

Quest.: 7

2. Quando estudamos a relação de nossa literatura com a de Portugal ou com a de outras nações,
coloca-se em jogo a comparação. Para Antônio Candido, o começo da consciência de nosso
subdesenvolvimento se dá a partir dos anos 1930, com os romances regionalistas. Identifique a
alternativa que justifica a afirmação de Candido:

As regiões mais recônditas são tratadas de forma idealizada, revelando a intenção de


mascarar as agruras do presente.

Nesse período nasce a consciência de nação aculturada, desprovida de originalidade.

A partir da geração de 1930, a noção de país do futuro foi cedendo lugar a uma
consciência cada vez maior da condição de pobreza e atraso do presente.

A Geração de 1930 repetiu a visada cosmopolita do Primeiro Modernismo

Havia uma euforia desenvolvimentista, que exigia uma postura combativa e heroica do
autor.

Quest.: 8

Fado Tropical ¿ Chico Buarque e Ruy Guerra Oh, musa do meu fado Oh, minha mãe gentil Te deixo
consternado No primeiro abril Mas não sê tão ingrata Não esquece quem te amou E em tua densa mata
Se perdeu e se encontrou Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal Ainda vai tornar-se um imenso
Portugal A canção acima, do repertório da peça teatral Calabar nos remete a pensar sobre o novo papel
do Brasil no cenário mundial neste início de século. A respeito disso, é possível afirmar que:

O texto na verdade nos remete a aceitar o fato de que estamos preparados para exercer
um novo papel no cenário internacional.

O texto da canção afirma de modo incontestável que nossa condição atual de potência
emergente nos transforma de colonizados em colonizadores, vindo a se transformar no centro de um
império, como foi Portugal, no passado.

O texto na verdade nos remete a questionar se estamos preparados para exercer um


novo papel no cenário internacional, na medida em que o texto da canção, antes de falar em nos
tornarmos ¿um imenso Portugal¿, destaca as incertezas do processo, no momento em fala que o país
¿se perdeu e se encontrou¿.

O texto da canção afirma de modo incontestável que nossa condição atual de potência
emergente nos transforma de influenciados a influenciadores, vindo a se tornar num centro de difusão
de cultura, como foi Portugal, no passado.

Nenhuma das respostas acima.

Quest.: 9

O crítico literário Sérgio Medeiros afirma que os estudos culturais são a tendência mais forte da crítica
literária contemporânea, questionando os critérios unívocos de abordagem do artefato literário em
nome de uma multiplicidade de paradigmas críticos, caracterizados pelo diálogo com diversas áreas das
ciências humanas e pela valorização da voz dos excluídos e das minorias políticas.

Acerca da relação entre Literatura Comparada e os Estudos Culturais, não é válido afirmar:

Bem antes do surgimento dos Estudos Culturais, a prática de incluir a canção popular entre as criações
humanas dignas de atenção, por parte da crítica literária, sempre foi aceita pelas correntes de
pensamento mais antigas nos estudos literários.

O diálogo entre Literatura Comparada e os Estudos Culturais levou à inclusão de textos contemporâneos
não-canônicos e não-literários aos estudos do comparatismo literário.

Os Estudos Culturais ampliam a dinâmica do comparatismo literário.

No contato com os Estudos Culturais, de certa forma, o comparatismo literário destitui a literatura de
seu patamar clássico, canônico e reconstrói as leituras do literário, resgatando produções culturais
colocadas em segundo plano pela tradição.

Um estudo do romance Dom Casmurro, considerando a transposição midiática de uma linguagem


cultural para outra, por exemplo, na minissérie Capitu, resultaria de diálogo entre Literatura Comparada
e os Estudos Culturais, ampliando o já dito sobre o texto.

Quest.: 10

Um dos aspectos mais importantes no que diz ao diálogo entre a literatura e as novas artes que
emergem do universo do audiovisual é a questão das adaptações de obras literárias, principalmente de
romances, para outras linguagens. Isto pode se dar quando se transpõe uma narrativa ficcional para
vários meios, como o rádio, a TV, as histórias em quadrinhos.

Considerando a afirmativa acima, não se pode dizer que:

A despeito do diálogo da literatura com o cinema, este tem uma linguagem própria, na
qual os enquadramentos de câmeras são fundamentais.
Um roteiro de cinema adaptado de uma obra literária não é obrigado a manter uma
relação de estrita fidelidade ao texto literário.

O tempo e a natureza da linguagem do cinema são impeditivos de uma fidelidade


rigorosa do filme, em relação à obra literária adaptada para o cinema.

Desde as primeiras décadas do século XX, a adaptação de obras literárias para o cinema
já ocupava um lugar importante no conjunto da produção cinematográfica.

Obras literárias sem grande expressão sempre darão origem a filmes medíocres.

Você também pode gostar