Você está na página 1de 2

DA LOGÍSTICA AO SUPPLY CHAIN

Conceitos Básicos de Logística e Supply Chain

O objetivo desse resumo é discutir conceitos de logística para a cadeia de suprimentos, segundo a
CSCMP (Council of supply chain management professionals), cadeia de suprimentos é o canal através do qual
as matérias primas são convertidas em produtos acabados representando a sequencia de fases da
manufatura. Abrange todas as etapas envolvidas, dentro e fora das empresas. No atendimento do
consumidor, é composto de diversas etapas de atividades logísticas de forma integrada, com fluxo de
informações, fluxo de produtos, fluxo de responsabilidades e fluxo de dinheiro, indo desde o produtor até o
cliente final, para que isso seja possível, se faz necessário a existência de Redes Logísticas, que são sistemas
que integram vias, transportadoras, instalações de estocagem, instalações de processamento intermediário,
processamentos finais, lojas, e fábricas.

Considerações sobre custos: custo total, onde o importante é o custo do transporte chamado de
“porta a porta”, que vai desde o inicio da operação, envolvendo todas as transferências, e todos os
transportes nas diferentes vias utilizadas, bem como os custos de armazenagem e das operações portuárias,
usada para a tomada de decisões cruciais, como a distribuição diferenciadas, que leva em consideração os
diferentes elementos de nível de serviço utilizado nesse processo, como rapidez e nível baixo de preço.

Estratégias combinadas: adiamento, consolidação e padronização. Adiamento é basicamente fazer


atividades de montagem ou intervenção no produto já mais próximo de seu destino final, com reduções dos
produtos em termos de valor agregado. Consolidação: pega-se parte de um determinado produto, em vários
locais diferentes e leva-se para o centro de consolidação, onde é feito o produto final. Padronização: é feito
para produção em grande escala, elementos padronizados que permitem ganhos logísticos grandes. Com
operações de logística uniformes e com ganhos de escala

Influencia - estoque e o transporte tem entre si – TRADE-OFF, variáveis afetadas entre si, com o aumento
de uma variável ela afeta outra, com o aumento da outra variável ela afeta a primeira, a medida que se
reduz o custo de serviço de transporte, usa-se um transporte em escala maior, aumentando os custos de
estocagem e vice-versa.

Posicionamento logístico: para dimensionar uma rede, deve-se decidir se os estoques estão centralizados
em certos pontos ou descentralizados, decidir que tipo de transporte, que modo de transporte decidindo
que tipo de atendimento terá este sistema, se terá resposta rápidas ou custos menores.
Diferentes formas de operar Redes de transporte: entrega direta, onde diretamente fornecedores atingem
seus varejistas; entrega direta com operação Milk-Run, coletando em vários fornecedores e entrega para um
varejista só; entrega via Centro de distribuição (CD), onde diversos fornecedores levam para o CD e desse CD
atinge-se diversos varejistas; operações mistas com entrega via CD utilzando Milk-Run, tanto de coleta ou de
entrega e pode-se também trabalhar com uma Rede sob medida.

Custos: com diferentes enfoques - visão física (custos de material, custo de Mao de obra); enfoque
econômico (preço taxas depreciação, oportunidade do capital); e enfoque financeiro que visa o fluxo de
caixa. Custos diretos e indiretos: custos diretos são relacionados diretamente aquela operação considerada,
e os indiretos custos de gestão do sistema. Custos fixos, independente do nível de produção envolvido, e
custos variáveis, o custo é amarrado ao processo de produção.

Interação entre marketing e logística: se dá através do preço, produtos, divulgação e ponto de


distribuição local, que é a interface principal de interação com a logística, que desdobra para os diferentes
custos de logística (custo de estocagem, custo de produção, custo de armazenagem, custo de transporte e
custo de pedido).

Outro elemento que deve ser considerado é a estratégia de localização de instalações de


armazenagem dentro desta rede logística, no caso de centralização teremos maiores valores agregados com
baixo giro nesse estoque, gerenciando melhor a demanda. No caso de descentralização os giros são maiores,
com um pouco mais de dificuldade de gerenciamento dessas demandas com a contrapartida menores
valores agregados. Na análise de localização deve se abordar desde o enfoque macro onde se busca uma
grande região ate uma micro-análise, onde se olha os detalhes específicos e até uma seleção do local
específico.

Você também pode gostar