Você está na página 1de 99

A Bíblia desmascarada Volume VII

Devido Spartacus ter ajudado divulgar a crença no “Deus dos escravos”…


E acreditar que após a morte os pobres seriam recompensados pelos seus sofrimentos...
Devido a Era Astrologia de PEIXE ter subs tuído a Era de CARNEIRO...
Pelo fato de que em 25 de dezembro o Sol renasce depois de ter “morrido” por 03 dias...
E como os Arqué pos religiosos são formas inconsciente de reverenciar grandes épicos, ou de
inaugurar algum novo ciclo cultural.

Influenciados pela lenda de Krishna, chocados com a crucificação do Simão de Peréia; querendo
dar sen do a macabra estacamento do Ben Pandira; e inconformado com a crucificação do
Yehohanan; a “mente cole va” dos mís cos fez com que a crença no Deus Sol Invictus se
alastrasse pela an ga Roma...

E foi assim que o cruel, vinga vo, e ultrapassado “Deus dos Exércitos” terminou sendo
subs tuído pelo Arqué po do pacífico e renovado “Messias” cristão, que mitológica mente teria
“morrido” para redimir os “pecados” humanos.

Autor Lisandro H

Brazil 2013 /2020

Atenção, este livro pode ser lido ou até mesmo copiado grá s, através do endereço
h ps://www.recantodasletras.com.br/e-livros/3504589
A Bíblia desmascarada Volume VII

Alerta de conteúdo

Quando nos opomos a alguma coisa e os


outros concordam, não seria algo
importante.
Porém se mostramos algo, os devotos
discordam, mas conseguimos prová-lo,
então seria algo significativo.

Se você acha que uma fé que usa a si mesmo como prova, é mais importante do que os
conhecimentos cien ficos acumulados pela ciência...
Acredita que as Leis do Universo seriam alteradas em bene cio de um único “Zé ruela”...
É tão egocêntrico que baseia as suas “conclusões” em simples experiências pessoais.
Ou prefere fingir que Domingo não é apenas mas outro um dia de descanso, de lazer, de pra car
esporte ou de se deleitar com os amigos, e a família...
Mas sim, um dia para rezar, para se reabastecer de ilusões, e para “inves r” nos “Contos de fada”
religiosos que o Imperador Constan no ajudou fabricar...

Como os desejos dos lúcidos não devem causar sofrimentos aos iludidos
Até porque o devoto não é um inimigo que precisaria ser comba do, mas sim, a
ví ma preferencial dos camelôs da fé; adver rmos que os sofridos, os idosos e
os “Operários descartáveis”.
Alertamos que você não deveria ler os livros/PDF do Lisandro H

Além dos fatos mostrados no livro “A Bíblia Desmascarada” não se esgotarem na leitura do
livro em tela; eles poderão inquietar o leitor mais sensível, ou que não consegue atravessar a
fronteira emocional que separa o real do agradável.

Pois se já não bastasse que a Realidade seja incômoda, ou que seja complexa, como a
Realidade solicita recursos que nem sempre dispomos; caso os conhecimentos cien ficos
não sejam organizados, e divulgados, alguma informação poderá se perder.
A Bíblia desmascarada Volume VII

ADVERTÊNCIA II

O cris anismo não é uma celebração da vida, mas sim, uma “penitência” a ser cumprida, onde os supostos
“bene cios” seriam usufruídos após a morte dos devotos, e não durante a vida biológica.

E tanto as louvações emocionadas dos iludidos, como as crenças irracionais, as convicções, as repe ções, as
cantorias ou a “Boa Nova” propagada pelo mundo, aos gritos (e sempre ameaçando os que não acreditam
em Deuses imaginários), são confirmações da farsa religiosa do cris anismo.

A Mente do eterno iludido transforma aspirações, emoções, fantasias ou crenças em convicções, até porque
seu “cérebro mágico” não tem capacidade de aceitar que a morte é o fim de tudo, e não entende que caso
os Deuses exis ssem e fossem Oniscientes, Eles já saberia quem o $erve, não haveria necessidade de ir à
Igreja, e não seria preciso ficar repe ndo que se crê em Deus.

O mais absurdo é o Deus Cristão precisar que uma mul dão propague a suposta “Boa Nova” pelo mundo
aos gritos, pois o comportamento tendencioso dos iludidos é pura insegurança.

Assim como a interpretação dos textos sagrados (Hermenêu ca) possibilita que sejam criadas camadas
interpreta vas, como o sen do ALEGÓRICO ou figurado, o sen do ANAGÓGICO ou extá co, e o sen do
TROPOLÓGICO ou Metafórico; a REALIDADE também passa por fases:

Primeiro ela é NEGADA; porém à medida que os argumentos vão se somando com as mudanças ocasionadas
pelo progresso, e os an gos adversários vão morrendo, a parte mais poderosa da realidade acaba sendo
ACEITA e fazendo parte da “cultura” que no passado foi comba da.

A insaciável curiosidade humana já produziu informações suficientes para desmen r as


supostas “revelações” religio$as, até porque, “A Ciência é o triunfo do Conhecimento sobre a
ignorância”, e não seria a Ciência quem não tem razão, mas sim, os iludidos, os inabilitados e
os sofredores, que, por não estarem capacitados entender os conhecimentos oferecidos
pelos cien stas, preferem fantasiar que vivemos num mundo repleto de “En dades”.

A ignorância é uma benção para os que cresceram algemados as fantasias religio$as .


E aos resquícios de um tempo longínquo, onde tudo era “milagre”, “armadilha do Demônio” ou a suposta
“vontade divina”.
Pois os psicologicamente perturbados (pelo medo, pela fé, ou pelo desejo de ter algum amigo imaginário), só iniciam as
suas jornadas de recuperação quando conseguem se adaptar ao que os incomoda.

Como ques onar sem ridicularizar, sem zoar, sem diminuir, sem sacanear, sem ser agressivo, ou sem
humilhar os devotos religiosos?
Como ques onar apenas como se fosse por curiosidade, e não com o obje vo de pré-afirmar ou de insinuar
coisas que destroem as mitologias religio$as?

Se fosse possível argumentar racionalmente com os religiosos, não haveria religiosos.


Além disso, Duvidar, Perguntar, Ques onar, ou mostrar Falhas sugere que se deva raciocinar…
E raciocinar é sinônimo de duvidar, de perder a fé religiosa...
A Bíblia desmascarada Volume VII

ALERTA DE CONTEÚDO RESTRITO


Embora Jesus Cristo seja só um conjunto de lendas que virou o principal Arqué po dos
cristãos que ainda se agarram na ilusão de que a morte não seria o fim da vida.
Um mito fabricado por Constan no; e que depois virou o “ganha-pão” da Igreja romana.

Como a tradição de se acreditar no “Messias” é muito an ga, e vem da época em que se


acreditava na paranoica versão de que depois da morte haveria algum julgamento...
Mesmo à ciência levando informações aos usuários, através da Internet, e que desmascaram
os causos bíblicos, bem como, que torna incontrolável a divulgação de dados que
contradizem a propaganda existente na Bíblia.

Vai demorar muito para que a mente mágica ou infan lizada dos religiosos entenda o que é
mostrado nos 07 volumes da “Bíblia Desmascarada”.

E eu recomendo que os religiosos do po cascudo ou fundamentalista não leiam nenhum


dos PDFs escritos pelo “Caçador de erros bíblicos” Lisandro H.

Pois além dos E-Livros do Lisandro H ser desaconselhado tanto para os religiosos
fundamentalistas, como para os idosos que já perderam a capacidade de con nuar sendo
ateu; as consequências psicológicas do religioso sofrido ou emocional de ler os 07 volumes
da “Bíblia Desmascarada” escrita pelo Lisandro H poderão ser imprevisíveis...

Embora o Lisandro H não tenha terminar o primário, por dificuldade com a


ortografia, péssima caligrafia, e inabilidade para novos idiomas.
Sendo ele um autodidata, e possuindo uma inteligência intrapessoal ao extremo,
o Lisandro conseguiu se tornar um caçador de falhas bíblicas, que está sempre
mostrando as fraudes existentes nos “causos” relatados pela Bíblia, nas
PERICOPES (trechos re rados de outras lendas), nas METONÍMIAS (que seria
empregar um termo no lugar de outro), ou nas UTOPIAS religio$as...

O Lisandro H publicou mais de 10 “Livros Negros” sobre o cris anismo, ou PDFs


ateístas no Recanto das Letras, e em sites da França, que desmascaram as
principais mitologias bíblicas, e que pode ser baixados de graça, ou até mesmos
comercializados, desde que o nome do autor (Lisandro H), seja citado...

h p://www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=31436
A Bíblia desmascarada Volume VII

Sendo que todo mês algum dos Didá cos ar gos do Lisandro será melhorado, e
isso acontecerá por todo o tempo de vida que ainda lhe resta, pois quanto mais
estudamos as religiões, mais fica provado que o homem nunca adorou nada
além dele mesmo; e que o Deus bíblico é só uma forma emocional do religioso
negar que um dia deixará de exis r.

Até porque, embora os religiosos possam ter habilidades excepcionais noutras


áreas; nos quesitos RELIGIÃO, racionalizar sob emoção, ou ques onar o que as
versões religio$as afirmam, a mente da maioria dos religiosos é limitada e
propensa crer apenas no que eles desejam acreditar, segundo as suas
conveniências, e CRENÇAS...

E embora até hoje os humanos só vivam uma única vez; como alguns
conseguiram ficar na história para sempre, na esperança de que alguns ateus irão
se lembrar do “Caçador de erros bíblicos”, o Lisandro H produziu 7 volumes do
PDF “A Bíblia Desmascarada”, que tem os obje vos de distribuir o saber, de
alastrar o ateísmo, e de libertar a humanidade das crendices religio$as.

É muito comum os cérebros biológicos gerarem ilusões, ou falsas expecta vas...


Até porque, só cerca de 0,1% dos humanos atuais possui a força mental necessária para
conviver com a realidade, sem precisar inventar falsos palia vos.
E mesmo o cérebro turbinado do lúcido só se mantém totalmente racional, caso o cidadão
não esteja passando por alguma angus a insuportável.
Sendo que tanto a capacidade de racionalizar, indo contra as convenções já estabelecidas, só
costuma acontecer durante o período máximo de funcionamento do cérebro adulto, e
saudável.

E assim como a existência do Polo Norte não prova à existência do Papai Noel, a existência da Cidade de
Nazaré não prova a Existência de Jesus, até porque, no velho Testamento judaico não existe REGISTROS
de que o Messias NASCERIA na Cidade de Nazaré; não existem REGISTROS de que o Messias iria
MORAR na Cidade de Nazaré; e nem mesmo existe a palavra Nazaré; a Cidade de Nazaré foi inventada
no ano 136, e o filho do Messias deveria se chamar Yeshua, e não Jesus.

Quando se prova que algo não poderia ter acontecido como é relatado pela Bíblia, ou se ques ona por que
um Deus onipotente não consegue REALIZAR ALGO, o fundamentalista tem um transtorno psicológico
compulsivo, pois no cérebro do religioso o seu Deus seria o DEUS DO IMPOSSÍVEL...
A Bíblia desmascarada Volume VII

Os romanos fabricaram um Deus pacífico


Já que durante os momentos de angus as, ou de desespero, a mente do religioso se agarra no “Papai do Céu”, ainda que seja
preciso reinventar a realidade...
Devido a MAIORIA das revoltas judaicas sempre terem algum MOTIVO RELIGIOSO…
Já que todas as tenta vas dos romanos, de dominar os Intransigentes judeus haviam sidos inúteis.
(inclusive as que usaram a força militar), e devido as rebeliões judaicas incen var outras rebeldias.

Após a grande Guerra Judaico Romana (de 66 a 73), aproveitando que a Era Astrológica do Carneiro havia mudado para PEIXE; e
aproveitando que os judeus aguardavam a chegada do Messias...
Para controlar o populacho, o Imperador romano Tito Flávio César Vespasiano Augusto (que reinou entre os anos de 79 e 81),
seguindo o conselho do pai Flávio Vespasiano, inventou um pacífico “Enviado pelas Estrelas”, que “nasceu” no dia 25 de
dezembro; e que como o Buda (563-483 a.C.), ensinava amar o próximo..

Sendo que o novo “Deus” inventado por Tito era tão humilde, submisso, mosca-morta”, e sem vontade própria, que se deixou
pregar na Cruz; dava a outra face para ser esbofeteada, mandava amar os inimigos, e achava certo pagar Impostos a Roma, “De a
César o que é de César”.
Após o ano 170, o Imperador filósofo Marco Aurélio sendo um adepto do Estoicismo, ensinamentos como, “A virtude é o caminho
principal para uma vida feliz”, terminaram sendo anexados as mitologias inventadas sobre o Enviado das Estrelas..
Em 321, tendo compreendido que o povo precisa desesperadamente acreditar na existência da “Vida depois da morte”; e
observando que tanto o medo de um “Cas go Eterno”, como a crença em algum suposto Deus ajuda os sofridos suportarem as
injus ças, e as desigualdades...
O pagão Constan no fundiu o Deus Sol Invictus dos soldados, com o Deus dos humildes, inventado pela dinas a dos ardilosos
Vespasianos, e fez surgir um novo Arqué po divino, que terminou virando Jesus Cristo, um renovado “Messias”.

Como no início Deus era a Causa primeira de todo Bem e de todo Mal, após a invenção do bondoso Enviado das Estrelas, foi
necessário colocar a responsabilidade do mal em alguém, e passou-se culpar o Demônio por tudo que acontece de ruim.

Inicialmente só os soldados e o povo da Cidade acreditaram no Novo Messias.


Pois os camponeses con nuaram reverenciando os seus an gos Deuses.
Levou mais de 350 anos para que o “Novo Testamento” fosse finalizado, e para dar crédito ao que foi inventado, até hoje se finge
que no ano 64 d. C. Marcos teria escrito um Evangelho...

Apesar de o povo precisar de Arqué pos, como o bando é um reflexo do líder…


O ro terminou saindo pela culatra, pois o “DEUS DOS SOFRIDOS” infectou a mente dos fundamentalistas com tanta força que
virou uma praga impossível de ser exterminada.

A crença no Deus Horús (que terminou virando Jesus Cristo), fez com que os an gos romanos trocarem a ambição de ser um herói
militar, cheio de glórias, pela ilusão de ser um humilde cristão...
E isto contribuiu para que o Império romano entrasse em decadência...
Porém com o passar do tempo os lideres religiosos foram ficando cada vez mais poderosos, e assumiram a rania de roubar, e de
subjugar os religiosos fundamentalistas.

Apesar da vida humana não ter sen do, mas apenas oportunidades, o frágil e medroso cérebro do religioso, é incapaz de aceitar
que a morte é o fim da existência…
A fraqueza psicológica do religioso; ou Truque da mente, no sen do de negar que a morte, é um acontecimento inevitável, explica
todas as mitologias religiosas, inclusive a lenda de Tamuz, de Krishna, de Hórus, de Mitra, de A s, de Apolo, de Jesus, etc.

Ao trocar a agressividade (que inibia os adversários, ajudava os romanos liderarem; e que fazia os jovens almejarem riquezas e
glórias militares), pela ilusão das recompensas que “virão” depois da morte, e pela dedicação aos cultos de adoração ao novo
Deus, Jesus Cristo. os romanos perderam o seu an go poder militar, e a Igreja aproveitando que a divisão do Império romano
entre Ocidente e Oriente realizado por Diocleciano deixou o Ocidente com as províncias mais pobres, e menos civilizadas; se
alastrou, se fortaleceu, se apoderou dos recursos existentes, e foi fabricando versões que jus ficariam os causos relatados pelo
“Novo Testamento”
A Bíblia desmascarada Volume VII

O “DEUS DOS SOFRIDOS”, em quem Spartacus acreditava virou o Arqué po Jesus Cristo?

Devido à era do PEIXE ter subs tuído a era do CARNEIRO; devido tanto o Simão de Peréia, como o Yeshua da
Galiléia, e o Ben Pandira já terem sidos estacados; devido a lenda de Krishna possuir detalhes que grudam
nos cérebros mís cos; em virtude de em 22 de dezembro o Sol “morrer” por 03 dias, mas depois reviver.
Devido na época se estar cultuando o Deus Sol Invictus; e em 70 a.C. Spartacus tendo plantado na mente
dos pobres, a “certeza” da existência do “DEUS DOS SOFRIDOS”.
No século IV Constan no aproveitou que a ignorância, e a fraqueza emocional dos religiosos
os obrigam se agarrar em amigos imaginários; para fabricar um novo Arqué po divino, que
teve carisma se transformar no renovado “Messias” dos carentes ou sofridos.
Pois no “inconsciente cole vo” dos mís cos já havia causos suficientes para criar um “Deus
de amor”, que ao contrário do vinga vo e ciumento Deus dos Exércitos, “morreu” para
redimir os pecados humanos.
Já que “Arqué pos” são formas de reverenciar heróis, ou de recontar épicos extraordinários,
a crucificação de Spartacus, e 6.000 heróis, ao longo da Via Ápia, (a primeira Estrada pavimentada com
pedras, e que ia de Roma até a Gemânea), ajudou fabricar a lenda da Via Dolorosa.

Spartacus foi um extraordinário gladiador que por 3 anos venceu as tropas romanas; liderou
um exército formado por cerca de 140 mil rebeldes; e que incu u no povo pobre a
possibilidade de haver um “Deus dos escravos”; mas que em 71 a.C., junto com 6.000 heróis
foi sumariamente crucificado pelo destrambelhado General Crasso...
Em 71 a.C. o General Crasso crucificou 6000 rebeldes, que se recusaram delatar qual deles
seria o Spartacus; mas como o povo precisa de heróis, a crucificação foi repudiada até por
alguns Senadores romanos, e com tanta repulsa, que após o cruel General Crasso ter
crucificado 6.000 heróis, ao longo da Via Apia, a morte na cruz perdeu os elementos da
vergonha e da profunda humilhação, e virou um símbolo de INSUBORDINAÇÃO e de
coragem tão forte que foi deixado de lado, e só empregado nos casos mais crí cos.

Para livra os seus subordinados da medonha morte por crucificação Spartacus tentou se
iden ficar; porém 6.000 companheiros corajosos e leais (do herói que ajudou fortalecer a crença
na existência do “DEUS DOS ESCRAVOS”; e que lutou para que os homens fossem livres), preferiram
serem crucificados a delatar qual deles seria Spartacus, e todos juntos gritaram: “Eu sou
Spartacus”! “Eu sou Spartacus”! “Eu sou Spartacus”...
A Bíblia desmascarada Volume VII

A Bíblia é uma fraude infestada de men ras grotescas


NÃO há referências a “Jesus Cristo” tanto na Biblioteca de Nag
Hammadi, como nos cerca de 900 textos dos “Pergaminhos do
Mar morto” (ou de Qumran), que relatam os principais fatos
ocorridos na Palestina, de 225 a.C. ao ano 65 d.C.
E na percepção dos escritores da época Jesus NÃO EXISTIU, ou
foi tão sem importância para os rumos da política, da economia
e da fé local, que nem chegou a ser mencionado.

A Bíblia é só uma coletânea de an gas mitologias religiosas, que foram escritas por diversos autores,
editadas milhares de vezes, e adulteradas de acordo com os interesses de quem a transcrevia, ou traduzia.
Sendo que mesmo após o fechamento dos Cânones, quando não mais se poderiam fazer alterações nos
livros, cada tradutor, copista ou seita “editou” a sua interpretação pessoal.
Pois o “Velho Testamento” é o trabalho contraditório de mís cos, bem como, uma mistura de verdade e
erros; de sabedoria e ignorância; de crueldade e bondade; e de Filosofia e absurdos, onde as Leis religio$as
foram transformadas no Código Civil, e até no Código Penal.
Sendo que o trabalho bom dos velhos filósofos e religiosos que criaram o Novo Testamento com o intuito de
ajudar o povo foi corrompido pela cobiça e o show das mídias organizadas...

As principais fontes do Pentateuco são, As an quíssimas lendas orais JAVISTAS, que eram contadas no Sul
do reino de Judá, onde se adorava HASHEM, que é como se pronuncia o Tetragrama Divino (Y-H-V-H), que
depois os cristãos transformaram em Javé.
As lendas orais ELOÍSTA, que circulavam no Norte de Israel, onde se adoravam os Deuses Elohins.
E as lendas que foram sendo absolvidas durante o ca veiro babilônico.

Como entre 2334 e 2279 a.C. Sargão de Akkad ou Charruquénu foi colocado no Rio, dentro de um cesto de
vime pela Sacerdo sa que o pariu, mas a filha do Faraó Kish, o encontrou, o adotou e o tratou como filho.
A vida de Sargão (depois de ser misturada com a vida de Zorobabel), virou o Arqué po Moisés.

Em torno de 1.800 a.C. o Deus da vida “El” foi subs tuído pelo Deus YHVH.
Em torno de 1364 a.C., o Rei Amenófis IV, trocou o nome para Akenaton, “Aquele que agrada a Aton”,
propôs que se cultuasse o “Deus EU SOU”, e tentou iniciar o monoteísmo no an go Egito.
Por volta de 1200 a.C. Cassandra, a “Sibila Titurbina”, previu que “Nos campos de Betlém, em algum lugar
agreste, eis que uma virgem se tornará mãe imaculada de um Deus, nascido em carne e mortal!”.
Sendo que outras Sibilas mais an gas como as Sibilas da an ga Pérsia, Líbia, Delfos, Samos, Ciméria,
Eritréia, Tíbure, Marpesso, Frígia e Cumar já haviam feito previsões parecidas...
Em torno de 620 a.C. durante o reinado do Rei Josias, plagiando as “Tábuas do Des no” existentes no
“Templo da Deusa da Lua” de Ácade.
O painel existente no Templo de Hathor, referente ao “Tribunal de Osíris”
A parte recitada pelo Espírito do morto, no Encantamento nº 125, do “Livro dos Mortos”
Os “Mandamentos” da religião brâmane, etc.
Foram fabricados os “10 Mandamentos dos hebreus”, mas sempre se afirmando que os 10 Mandamentos
dos hebreus foi entregue a Moisés, pelo próprio Deus YHWH.
E se afirmou, que depois de 700 anos, as “Tábuas da Lei”, que estavam perdidas, foram “encontradas”...
A Bíblia desmascarada Volume VII

Em torno de 538 a.C. quando houve a transposição da Versão Jeovís ca da Bíblia para a versão Sacerdotal; a
lenda de Lilith passou ser vista como uma supers ção.
E o Decreto de Ciro autorizou os judeus regressarem à Judá.
Em torno de 500 a.C. foi composto o “Livro de Ióv” (Jó); o hebraico deixou de ser falado; Isaías “previu” o
nascimento do “Messias”, que viria para estabelecer a jus ça entre os povos, e governar o mundo.
Como os Sábios hebreus temiam que a Torá Oral fosse esquecida, eles decidiram escrever o que era
estudado, e as diferentes opiniões de cada Beit Midrash.
E foi assim que 1500 anos após a suposta outorgada da Torá no Monte Sinai, a Mishná foi criada.

As lendas SACERDOTAIS escrita pelos Cohanim (sacerdotes judeus), e por Esdras, após o exílio na Babilônia,
passaram ser chamadas de DEUTERONOMISTAS, porque elas têm vários trechos do livro de Deuteronômio.
Em torno de 450 a.C após o ca veiro na Babilônia, Esdras, (o copista da lei), auxiliado pelos Cohanim
(sacerdotes judeus), reescreveu as tradições orais dos hebreus, bem como, aprimorou os relatos bíblicos...

Em 400 a.C., ficou “pronta” a primeira versão escrita do Gênesis.


Entre 332/322 a.C. teve início a Helenização da cultura judaica.
E Alexandre “O GRANDE” mandou que seus escribas escrevessem o Códex Alexandrinus, também conhecido
como Manuscrito 'A'; que é um aglomerado de letras maiúsculas.
Em torno de 285 a. C., Ptolomeu II determinou que o Pentateuco fosse traduzido do hebraico para o grego.
Depois de ser remodelada, a Bíblia foi traduzida para outros idiomas, gastou cerca de 2500 anos para ser
escrito no português arcaico, e levou mais 4 séculos para virar a moderna Bíblia atual.
Em 277 a.C. quando o Rei Ptolomeu Filadelfo patrocinou a tradução da Torá para o grego, foram excluídos
diversas lendas, da Bíblia, inclusive a lenda de Lilith, e a Bíblia passou se chamar Septuaginta.
Em torno de 200 a.C. os hebreus passaram também se preocupar com a suposta existência de uma força
maligna oposta ao Deus Bom.
Em 197 a.C. para que os judeus se tornassem numerosos; e um dia a Judeia deixasse de ser uma província
do Império Selêucida, foi introduzido no “An go Testamento”, a “ordem divina” para “Crescei e mul plicai-
vos”
Em 167 a.C., a religião judaica foi oficialmente proibida pelo Império Selêucida.
Em 63 a.C., Jerusalém é conquistado e a Judeia torna-se uma província romana.
Em torno de 70 d.C. o Imperador romano Flávio Vespasiano sugeriu que o filho Tito Flávio César Vespasiano
Augusto inventasse um Deus da Paz, como já exis a no budismo…
E que perseguisse o culto ao Deus judeu.
Em 326 d.C. por ordem de Constan no, o “Novo Testamento” começou ser fabricado, mas só ficou
apresentável no Concílio Geral de Cartago, de 397 d.C.
Em 1189, d.C. Robert Stephen Langton dividiu a Bíblia em 31.173 Versículos.
Em 1250 d.C. o Cardeal Hugo de Sancto Caro dividiu a Bíblia em Capítulos.
Em 1524 d.C. ao traduzir o Novo Testamento para o Alemão, Lutero criou a Bíblia dos protestantes.
Antes do Lutero fazer sua famosa tradução, já haviam 17 traduções impressas, sendo que 12 eram no
dialeto do povo.
E hoje em dia cada grupo cristão tem a sua própria Bíblia; sendo que a an ga Bíblia judaica tem alguns
textos diferentes da moderna Bíblia cristã atual.
Em 2011 tanto a Paleografia como um so ware de inteligência ar ficial desenvolvido pela Universidade de
Bar Ilan, analisando o es lo e a escolha das palavras usadas, provou que livros como o Gênesis e o
Pentateuco foram escritos por múl plos autores, de diferentes épocas.
A Bíblia desmascarada Volume VII

QUAL A MAIOR PROVA DE QUE O NOVO TESTAMENTO É UMA FRAUDE?

Se ao ler a Bíblia precisamos considerar à ÉPOCA, a


CULTURA, e os COSTUMES em que o livro “inspirado” por
Deus foi escrito...
Então a Bíblia não é um livro CONTEXTUAL, um livro
ATEMPORAL, ou um livro válido para TODAS as épocas,
mas apenas uma mitologia religiosa do passado.
E que já estaria fora do seu “Prazo de Validade”

As provas de que o Novo Testamento é uma fraude estariam no fato do Imperador romano Tito Flávio César
Vespasiano Augusto ter inventado um Deus pacífico, Constan no ter mandado fabricar o “Novo
Testamento”, Lutero ter criado o protestan smo, a Igreja ter forjado centenas de Dogmas ou de
determinações; e o fato da Bíblia ter precisado se adaptar as descobertas da ciência...
Se a Bíblia fosse à palavra de algum Deus, quem se adaptaria seria a ciência atual, e não a Bíblia...

Embora “Quanto mais evoluímos de MENOS deuses precisamos”, os cristãos insistam que a Bíblia atual seria
uma "ipsis verbis", que quer dizer “pelas mesmas palavras”
Mas os dados cien ficos e históricos vêm provando que tanto o conservadorismo como os causos
divulgados pela Bíblia, e o seu onirismo são incompa veis com a realidade do Universo.
E é evidente que “Mais dia, Menos dia” o “Prazo de Validade” do cris anismo irá terminar.
Pois a natureza é uma “Seleção Natural”; e uma guerra de todos contra todos, onde só a Lei da evolução
soluciona o enigma das leis de transmutação, que se aplicam a toda natureza, inclusive ao homem...

Bart D. Ehrman, PHD em teologia pela Princeton University, Diretor do Departamento de Estudos Religiosos
da University of North Carolina, e autor do livro "O Que Jesus Disse? O Que Jesus Não Disse?"
Afirma que a Bíblia atual tem cerca de 400 mil alterações, pois no decorrer dos séculos, e à medida que os
novos dogmas, ou as novas doutrinas teológicas eram editados, a Bíblia foi se adaptando ao que foi sendo
descoberto pela ciência, e não o contrário.
O Deus bíblico foi plagiado de lendas onde a morte e os fenômenos da natureza eram explicados com
absurdos; e se o único modo de provar as versões religio$as é pela fé, desprovida de racionalidade, e não
pelos méritos do que se afirma; então o Deus dos iludidos não passa de um conceito abstrato do cérebro
religioso, que é a vado quando o devoto “entra em contato” com algum amigo imaginário.
A Bíblia não hesitou em usar versões idiomá cas, alegóricas ou mesmo remodelar culturas mais an gas,
pois na época não havia a defesa da propriedade intelectual, se acreditava nas versões religio$as, e era
comum se amalgamar a Geografia, os Fatos, as DATAS, as Lendas, e as Versões de outras culturas.
Apesar dos Livros Sagrados (caso exis ssem) devessem ser ATEMPORAIS e válidos para TODAS as épocas,
quando o Velho Testamento é cri cado, os devotos alegam que os trechos violentos ou absurdos só fazem
sen do na época em que isso aconteceu, e que Jesus Cristo aboliu vários aspectos do Velho Testamento...
É cômico e sintomá co que os cristãos mesmo afirmando que o seu Deus é Onisciente, necessitem
demonstrar a sua fé e a sua crença, de forma pública e espalhafatosa; até porque, se o Deus bíblico
realmente exis sse as demonstrações de fé seriam completamente desnecessárias e irrelevantes.

As manifestações de “fé” onde o atacante pede a Deus para fazer o gol, e o goleiro suplica para não tomar o
gol; e se crer que Deus beneficia os jogadores “A” em detrimento de “B”, é pura insegurança, fana smo ou
incapacidade de entender que caso Jesus exis sse Ele não privilegiar um grupo em detrimento de outro.
A Bíblia desmascarada Volume VII 11

Textos sem pontuações, sem pausa, sem vogais, e sem definição

Além da Bíblia ser umAlémlivrodo hebraico


sem an go falado
CREDIBILIDADE pelos h
científica,
versões de versões, onde se plagiou leis, profecias, e doutrinas
de outras culturas, mas sempre afirmando que foi inspirado
por Deus, e “COISA DO PASSADO”.
Os causos relatados pelo “Novo Testamento” são metonímias
(figuras de linguagens), escritas após Constantino ter resolvido
fabricar uma nova Bíblia.

Além da escrita hebreu ser diferente do hebraico atual, tanto no sistema grama cal, como
na pontuação, nas pausas e no uso das vogais.

Já que o “Velho Testamento” era escrito só com letras Cursivas, não se usavam:
Vogais, Pausas, Pontuações, letras minúsculas, PONTOS, CAPÍTULOS separados, o PONTO DE
INTERROGAÇÃO, o PONTO DE EXCLAMAÇÃO, a VÍRGULA (varinha), que era usada para separar as palavras, o
DOIS PONTOS, as ASPAS, as Letras Capitulares, as Pausas, as duas COLUNAS, ou escrever de forma
intercalada...
E o an go alfabeto dos hebreus con nha palavras com as mesmas consoantes, porém com
léxicas diferentes…
Em função das diversas possibilidades vogais escolhidas, era comum que as narra vas
bíblicas con vessem tanto uma Mensagem aberta como outra selada.

Sendo que era proibido ler a Bíblia, a Bíblia era caríssima, e a Bíblia era proporcionalmente
escrita num idioma que só a elite conseguia entender; a maioria precisava que algum lidere
interpretasse o que se encontra escrito nas narra vas do suposto “Livro Sagrado”...
Isso dava origem a enganos, a adulterações, e possibilitava que o religioso interpretasse o
que leu da forma que mais lhe convinha, ou que usasse a Bíblia para defender os seus
interesses, pois a pronúncia exata dependia da habilidade do leitor.
Ainda mas que as an gas narra vas religio$as eram reforçadas com a ajuda de desenhos, de
expressões, de gestos, de drama zações, e de emoções, onde as eloquências e branduras se
alternam; ou mesmo duas versões opostas...

Por que deveríamos confiar apenas na Bíblia, se já exis ram diversos “Livros Sagrados”
como: O MAHABHARATO dos hinduístas, que tem mais de 05 mil anos; O AVESTA, dos
zoroastrianos; o GUGU GRANTH SAHIB, dos sikhs; o BAYAN, dos babis; o KITAB'I'AQDAS, dos
bahá'ís; o ALCORÃO, dos muçulmanos; o LIVRO DE MÓRMON, dos Santos dos úl mos dias; o
BHAGAVAD-GITA, dos vaishnavas; e o TANAKH, dos judeus; que relata histórias, personagens
e a vontade de deuses como Javé...
Ao se especializar no comércio, e por um dever de o cio, os judeus se alfabe zaram.
E sabendo ler e escrever, eles puderam copiar as lendas e o folclore dos povos com os quais
conviviam.
A Bíblia desmascarada Volume VII 12

Os Evangelhos canônicos são falsificações


Chamar a ignorância humana de “Deus” não é uma boa
escolha. Porém como a natureza sempre privilegia mais a
sobrevivência do que a inteligência intrapessoal; é comum que
a massa de religiosos seja um intermediário entre o adulto e a
criança, ou mesmo um adulto com cérebro mágico, e infantil...

Além do nome “Marcus” ser ROMANO, e não judeu, é evidente que a bravata religio$a onde Jesus
“ressuscitado” se encontrou com alguns discípulos, foi uma adição posterior ao Evangelho de Marcos...
Pois quem se passa pelo Marcos recorreu ao plágio de outras lendas; e interpretou o que já havia sido
relatado por outras culturas; até porque, as narra vas do Marcos é basicamente o “Evangelho de Pedro”
melhorado, que foi escrito no século II, e que foi “descoberto” no Egito em 1886.

O Evangelho de Marcos contem erros de Geografia, erros de Costume, e erros que não seriam come dos
por alguma testemunha ocular; mas mesmo assim, os lideres religiosos transformaram o suposto Marcos
num dos principais autores dos Evangelhos...

Para provar que os 4 Evangelhos aceitos pelos cristãos como legí mos (Evangelhos Canônicos), não foram
escritos próximos ao ano 70; ou não teriam sidos escritos pelos seus supostos “autores”; pois tanto o
Evangelho de Mateus, como os Evangelhos de Marcos, Lucas e João, foram escritos pelos que tudo fizeram
para fingir que Jesus teria exis do.

Várias lendas foram incorporadas aos Evangelhos que passaram a ser chamados de “Canônicos”.
Esfriou-se a expecta va do fim do mundo acontecer.
Reacendeu-se a esperança de se poder ir para o Céu.
Foi produzido um “TESTAMENTO NOVO” onde os bens alheios são respeitados.
Incen vou-se a confiança mútua; se garan u Jus ça aos acusados; e o brutal Deus dos Exércitos YHWH, foi
trocado pelo bondoso Jesus Cristo, que promete a vida eterna, após a morte...

Além da Segunda Vinda do Messias equivaler a alguém TESTEMUNHAR A SI PRÓPRIO, e a afirmação cristã
de que os critérios até hoje não preenchidos, serão todos resolvidos em alguma suposta futura “Segunda
vinda” ser falso, pois o conceito do Mashiach chegar duas vezes não tem base escritural.

A versão cristã não vale como prova, e se os Cristãos pretendem alegar que Jesus e o Messias Judaico, a
versão Cristã tem que ser confirmada pelo Tanach Judaico.
Se não bastasse que Jesus Cristo fosse só o Arqué po que Constan no usou para controlar os que se
agarram na ilusão de que a morte não seria o fim da vida.

Para ajudar a nova religião se alastrar, os religiosos plagiaram outras culturas, transferiram a
responsabilidade pelo assassinato de Jesus, dos romanos para os judeus; e transformaram a personagem
Jesus no suposto Filho de Deus (no “Cristo”).

Se Jesus exis u, não era analfabeto, e desejava que as suas palavras fossem divulgadas, por que Jesus nunca
escreveu NADA? Jesus seria só uma mitologia religiosa?
Como a personagem Jesus nunca escreveu nada as versões do “Novo Testamento” puderam ser alteradas à
vontade. E foi isso o que muitos fizeram, “EM NOME DE JESUS”.
A Bíblia desmascarada Volume VII 13

A Bíblia passou da TERCEIRA PESSOA do SINGULAR para a Primeira


O argumento mais poderoso contra a reengenharia
bíblica e a suposta autenticidade dos Evangelhos
seria o fato de que TODOS os Versículos
apresentados como “INSPIRADOS”, antes de
chegarem à sua forma atual passaram por longas e
complexas elaborações!

Como o Velho Testamento é a versão da suposta a vidade de Deus, no decurso da vida de um povo; que
descreve a Criação e as questões fundamentais da vida ao seu modo, sem preocupações com a Geografia, a
Paleontologia, a Geologia, a Realidade, ou as Leis que governam o Universo.
No início a Bíblia era interpretada de forma LITERAL, e estava na TERCEIRA PESSOA do SINGULAR, como se o
Deus Javé falasse diretamente com os humanos.

Já que tanto a estrutura como os ar gos, as preposições, as declinações, e as formas verbais das palavras
hebraicas são diferentes do idioma para o qual se quer traduzir; caso algum texto hebraico fosse traduzido
literalmente para outro idioma, sem alterar a ordem das palavras, se modificaria o que estava escrito.
À medida que a cultura foi se desenvolvendo, e para transferir os erros doutrinários para os “tradutores” ou
revisores, usou-se os truques retóricos e literários de passar o Tratamento Grama cal da Terceira para a
Primeira ou Segunda pessoa.
Sendo que hoje a Bíblia é interpretada de forma METAFÓRICA...

Quando no Século II o Bispo de Hierápolis Abércio Marcelo (120- 192), que já estava com mais de 70 anos de
idade, aderiu a seita “O CAMINHO”, ele argumentou que faltava algum documento que contasse
detalhadamente a história do Enviado pelas estrelas.
E com o passar do tempo, os primeiros rascunhos produzidos em torno ano 325, terminaram se
transformando no atual Evangelho sinóp co “escrito” por Mateus.
Em torno de 400 o Evangelho atribuído a Mateus foi remodelado por Jerônimo de Strídon, que é o
Padroeiro dos bibliotecários, e o Patrono dos tradutores.
Já que quem morreu não consegue ajudar ninguém, e observando que faltava algo grandioso para que as
massas acreditassem em “Jesus”; Jerônimo fabricou o Capítulo da “Ressurreição” de Jesus, e incluiu a
Ressurreição no “Evangelho de Marcos”.

Os Evangelhos foram remodelados, de forma que ficassem ao gosto da Ortodoxia da Igreja (Ortodoxia é o
cumprimento absoluto,, rigoroso e rígido, de todos os dogmas e tradições), inclusive no século XIV, quando o Rei Diniz (1279-
1325), mandou que a Bíblia fosse traduzida para o português,
Baur provou que as Epístolas são anteriores aos Evangelhos, e que os primeiros rascunhos do Evangelho
atribuído a Mateus, foi escrito por alguém que viveu em An oquia na Síria.
E que teria escrito no grego Kôine (comum) e não no grego clássico.

Quem virou “Marcos”, tendo escrito para os romanos, apresentou Jesus como sendo o Servo de Deus.
Já quem virou “João”, tendo escrito para todos, apresentou Jesus como sendo o “Filho de Deus”.

Embora o esboço do Evangelho de Marcos tenha começado ser escrito próximo ao ano 325, e não tenha
sido escrito por seu suposto “autor”.
A Bíblia desmascarada Volume VII 14

Como o esboço do Evangelho Canônico de Marcos, possuía um vocabulário pobre, e uma sintaxe pica de
alguém semianalfabeto, e foi escrito por quem tudo fez para evitar que Jesus fosse considerado um insano.
O Protoevangelho de quem se passou por Marcos, precisou ser melhorado, sofreu censuras, e com o passar
dos anos, os lideres religioso transformaram o Marcos num dos 4 autores dos principais Evangelhos.
Até porque, embora a Bíblia e o Deus venerado sejam os mesmos, é comum que na mesma Rua haja Seitas
diferentes, e a bagunça de cada pastor tentar parecer mais certo do que o seu concorrente mais próximo...

Por ser um imperador de legi midade duvidosa, Constan no primeiro se apresentou como o protegido de
Hércules, depois afirmou representar o Deus Sol Invicto, e ao juntar o “Enviado das Estrelas” (forjado pelo
Imperador Tito), com o Deus Sol Invicto, fez surgir o Arqué po que chamamos de Jesus Cristo.
Sendo que Constan no não perseguiu os pagãos, e tecnicamente falando, os Evangelhos atuais começaram
ser escritos depois que Constan no inventou o Enviado pelas Estrelas.
O “Novo Testamento” precisou de muitos anos para ficar pronto, e as narra vas veram que ser escolhidas,
adaptadas, juntadas, embelezadas e remodeladas.

Os Evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas são do po Sinó co, que quer dizer “com os mesmos olhos”.
Teriam mais ou menos a mesma forma.
Tratar-se-iam de um produto tardio, cuja auten cidade tem sido objeto de discussões que dura mais de 500
anos; e vários estudos provam que os Evangelhos são pseudoepigráficos, ou seja, falsamente atribuídos aos
supostos escritores bíblicos.

Tanto o Evangelho de Lucas como o de Mateus foram escritos por quem usou o pseudônimo de Marcos,
para escrever os outros 02 Evangelhos.
Já o Evangelho atribuído a João, tem uma visão voltada para um Jesus humanizado.
Quando o Evangelho de Filipe foi encontrado em 1945, num an go Mosteiro do Monte Athos na Grécia, em
meio a outros manuscritos; verificou-se que Filipe afirmava que, entre as não casadas, só as virgens
entrariam no Paraíso.
E o relato de que, Jesus expressava amor por Mariamne, que seria a Maria Madalena ou Maria de Bethany.

Por que só os 4 Evangelhos seriam verdadeiros, se de Pergaminhos, Papiros e Manuscritos referentes aos
mitológicos Deus, já foram encontrados mais de 5.000 versões diferentes, pelo mundo?

O Novo Testamento atual é o trabalho árduo que Jerônimo e seus ajudantes forjaram, e ao terminar
“selaram” com a “ameaça” escrita nas úl mas linhas da Bíblia, para que ninguém ouse acrescentar ou
diminuir o que foi dito a respeito de Jesus o Cristo.

Além dos psicólogos explicarem que, quando alguém mente é comum que o men roso forneça muitos
detalhes, como forma de convencer os crédulos.
Ao serem apresentados os Evangelhos estariam repletos de fantasias e contradições, quanto às datas,
lugares; e explicações; teriam erros de geografia, e pretendiam dar cunho de realidade aos velhos e pueris
arranjos feitos pelos profetas.

Como a chegada do Mashiach resultaria no fim da maldade e das injus ças, e não existe profecia sobre a
Prisão, a Tortura, o Assassinato, a Ressuscitação, e a Volta do Mashiach.
São falsificações tanto a versão sobre a “Matança dos Inocentes”, como sobre Jesus ter sido traído, preso,
executado, revivido, e que um dia Ele Voltaria...
Pois o cris anismo é o resultado da fusão de várias crenças na religião “PARA TODOS”, que tem um pouco
de tudo, até porque, se não fosse assim o cris anismo não agradaria a tantas Nações.
A Bíblia desmascarada Volume VII 15

Por que Deus só se manifesta através de algum suposto porta-voz?


Já reparou que TODOS os seres inexistentes, agem assim?
Se não bastasse que as contradições, a reengenharia bíblica se avoluma, à medida que verificamos os
esforços de compactuar com os sonhos infan s de uma população que se dizia inspirada por Deus.
Pois o Deus bíblico é só um Recall da ficção religio$a resultante da lenda segundo a qual os humanos seriam
disputados por dois Espíritos opositores entre si, que seriam o Espírito do Bem e o Espírito do MAL.
Tanto a TRADIÇÃO como a REVELAÇÃO são formas de transmi r as crenças religio$as, sendo que a
RELEVAÇÃO é posterior a TRADIÇÃO e necessita de alguma versão anterior para ser interpretada.

Foram realizados 02 Cânones do An go Testamento: o Alexandrino, que foi feito no séc. III a.C, em
Alexandria; e o “Concílio de Jâmnia”, que foi realizado no Sul da Pales na, no século I d.C.
Sendo que vários livros escritos antes do “Concílio de Jâmnia”, são posteriores ao Sínodo de Jâmnia (ou
Jabnes), que foi liderado pelo rabino Yochanan Bem Zakai.

A Bíblia não é o único livro que reivindica ser a palavra de algum Deus, mas apenas mais um entre muitos
outros, como o Alcorão, o Livro Egípcio dos Mortos, O Vedas, O Bhagavtah Guita, o Adi Granth, o Purvas, e o
Livro de Mórmon, entre outros.
Os argumentos u lizados pelos defensores da bíblia também são usados por outros livros, e algumas vezes
até com ainda mais autoridade.

Acreditar em todas as crendices seria um contrassenso, e acreditar em alguma seria uma ingenuidade.
Durante os 50 anos de ca veiro Babilônico, o “hebraico raiz” se perdeu; só os textos da Torah mosaica foram
preservados; as tribos hebraicas de Judá, Levi, e Benjamim se transformaram nos atuais judeus.
A língua an ga se servia de um alfabeto siríaco chamado Aramaico, que era formado pela reunião de vários
idiomas da Assarei e da Fenícia; e se traduzir as “versões matrizes” da Torah, para o hebraico.

Como exemplo de que as versões bíblicas são mitologias, lembramos que foi profe zado que, o novo Cristo
poria fim a tudo o que impede os homens de se reunirem sob uma mesma religião; e que todas as religiões
se fundiriam numa mesma crença... Mas as profecias em questão não se realizaram, e os judeus ainda
esperam pela vinda do Mashiach Ben David.
A façanha de criar à an ga “BÍBLIA ESCRITA” começou em torno de 473 a.C., quando Esdras, com a
finalidade de unir, controlar, e dar esperança ao sofrido povo hebreu; ainda que fosse preciso atormentar,
aterrorizar e escravizar os que discordassem; criou a personagem Moisés.

Já o “NOVO TESTAMENTO” ganhou força a par r de 397 d.C. durante o Concílio Geral de Cartago.
Sendo que a an ga Bíblia judaica era bem diferente da moderna Bíblia atual.
E a Bíblia terminou virando um “Vade mecum”, que é um livro de referência de uso frequente, e que instrui
o leitor a fazer determinadas tarefas.
Na época de Jesus houve inúmeros esquizofrênicos, charlatães, ou ilusionistas que enganaram o povinho
com promessas mirabolantes; e os 4 Evangelhos não provem de testemunhas oculares, mas sim, de versões
de “segunda mão”, escritas pelos que desejaram alastrar a crença no suposto Deus Jesus...

Por que demorou para que a Bíblia atual fosse escrita, se a Bíblia seria a palavra de Deus...
Se a Bíblia é o livro mais indispensável de todos os livros que devemos ler...
Por que só milhares de anos depois foi que o povo obteve o direito de poder ler a Bíblia?
Ainda mais que qualquer pessoa inteligente entende os ensinamentos existentes na Bíblia...
A Bíblia desmascarada Volume VII 16

Como o Dia da Páscoa é calculado?

Para provar que Jesus Cristo não passa de uma mitologia religiosa, que foi fabricada com a intenção de
controlar os que nasceram para acreditar; basta observar que o polêmico DIA da ressurreição da
personagem Jesus não tem uma DATA CERTA

O DIA em que Jesus supostamente teria revivido só pode ser descoberto usando a ASTROLOGIA.
Sendo que é necessário realizar um complicado CÁLCULO MATEMÁTICO; onde se depende de
APROXIMAÇÕES; e que se trataria apenas de uma DATA SIMBÓLICA.
Como no passado NÃO HAVIA iluminação noturna constante, para deixar os católicos EXTASIADOS, se
comemorava a ressurreição de Jesus num Domingo próximo da LUA CHEIA.

A DATA atribuída à ressurreição de Jesus é tão MÓVEL, e tão surreal, que tem que cair num DOMINGO,
entre 22 de março e 25 de abril; e TODO ano, para se determinar em que dia a personagem Jesus teria
“revivido” se depende da LUA CHEIA...
Pela COMPLEXIDADE envolvida no cálculo necessário para determinar o dia da ressurreição de Jesus, e pela
FALTA DE PROVAS, DÁ PARA VER O QUÃO FRAUDULENTO é o causo referente ao Arqué po Jesus.

Como a ressurreição de Jesus é só um evento Astrológico, e não um acontecimento real; para calcular o DIA do
aniversário em que Jesus teria “revivido”, primeiro é preciso descobrir quando ocorre a “LUA CHEIA” mais próxima do
Equinócio da Primavera...
Depois calcular a data da Páscoa recorrendo a uma TABELA.
E usar o domingo mais próximo como sendo um “DOMINGO DE PÁSCOA”...

Para descobrir em que dia do ano de 2020 será a Páscoa cristã, faça o seguinte:

1. DIVIDA o ano de interesse (2020) POR 19


2. MULTIPLIQUE a parte INTEIRA do resultado por 19
3. Do ano que você deseja conhecer, SUBTRAIA o resultado ob do pela mul plicação.
4. SOME 1 ao resultado dessa subtração
O número encontrado, e que chamaremos de “X”, é o “NÚMERO DOURADO” que corresponde à data
específica na TABELA DA PÁSCOA CRISTÃ; por exemplo:
Ano 2020 (dividido) por 19 = 106,31
106 X 19 = 2014
Ano 2020 - 2014 = 6
6+1 = 7 (Número dourado)
Consultando-se a tabela da Pascoa cristã, chega-se a 8 de abril, mas como o dia 08 é quarta-feira; em 2020 a
páscoa será no domingo, dia 12 de abril.

Sempre que algum suposto “Deus” perde a sua credibilidade, que a mente humana se expande, ou que se adquire
novos conhecimentos, é comum que o “Deus” já desgastado seja recauchutado, ou que o an go devoto subs tua a
divindade (já fora do seu “Prazo de Validade”), por algum outro po de “Poder Supremo”...
Isso já aconteceu diversas vezes, inclusive após os hebreus terem sidos libertados da escravidão babilônica, de 530
a.C. que durou cerca de 50 anos.
A Bíblia desmascarada Volume VII 17

Depois que a Era Astrológica do Touro passou para a Era do Carneiro; ao escrever o “Livro da Lei” judaica
Esdras subs tuiu os Deuses El e Baal pelo Deus Javé; acabou com a farsa das 12 Tribos hebraicas; incen vou
que os hebreus passassem se denominar judeus...
E incen vou que fosse construído o Tabernáculo chamado de “TEMPLO DO SENHOR”.

O cris anismo alavancou a queda do Império romano, mas enriqueceu o Va cano...


E se “Toda Nação cujo Deus é o Senhor, é bem-aventurada”, por que Roma, que foi o maior império do
mundo an go, ao absolver o cris anismo se transformou num País medíocre?

Como o bando é um reflexo do seu líder; embora os romanos tenham consegui acabar com as guerras judaicas ao
incen var que fosse fabricado um “Deus” tão submisso, “mosca-morta”, e sem vontade própria, que teria se deixado
pregar na Cruz; dava a outra face para ser esbofeteada, mandava amar os inimigos, incen vava pagar Impostos a
Roma, “Dando a César o que é de César”, e que teria “nascido” no dia 25 de dezembro.. .
Até porque o Zodíaco havia mudado da Era de Carneiro para a Era de Peixe; os judeus aguardavam a chegada do
“Novo Messias”; e o Deus Jeová nada fizera para impedir que o Templo de Jerusalém fosse destruído, e que milhões
de judeus fossem massacrados ou escravizados.
Após a Era do Carneiro, o “DEUS DOS SOFRIDOS” (proposto por Spartacus) infectou a mente dos faná cos de tal forma
que enfraqueceu o patrio smo romano; fez à população duvidar da divindade do Imperador; acelerou o declínio do
gigantesco Império Romano, e fez a Europa mergulhar na idade das trevas...

Sempre que o Prazo de Validade de algum “Deus” termina, ele é subs tuído por outro; como já aconteceu com os
Deuses antropomórficos, vinga vos, ou corruptos, capaz de arrepender-se do que fez, de ofender-se, de irar-se, e até
de vingar-se das suas próprias criaturas, cas gando-as com o sofrimento eterno.

A úl ma coisa de que precisamos são os sádicos e obsoletos Deuses dos RECITADORES DE TEXTOS BÍBLICOS; até
porque, os Deuses cultuados pelos fundamentalistas são tão frágeis que podem ser mortos com baforadas de ciência,
uma dose de senso comum, ou simplesmente deixando-os no esquecimento.
Estamos vivendo no Admirável Mundo Novo onde tanto os cien stas como os pensadores possibilitaram que a
humanidade viva numa bolha cheia de confortos, repleta de tecnologias, com inúmeros pos de transportes, onde se
pode aprender com o simples esforço de ler, se valoriza a higiene, se viva bem mais, todos são iguais perante a Lei, e
se tem uma liberdade nunca antes conquistada...

Todavia como no Calendário Cósmico, e para a Natureza 2 mil anos é um tempo insignificante (principalmente quando
não acontece algum isolamento, ou alguma pressão de seleção); no quesito religião, a maioria dos indivíduos
medíocres, iludidos, ou fundamentalistas con nuariam acorrentados a atrasada época, onde se misturava à realidade
com lendas religio$as.

E já que a mente da maioria ainda não está preparada para lidar com a dura realidade da vida; tantos os religiosos
cascudos, como os iludidos, e os fundamentalistas, por desconhecerem os mecanismos da Natureza, temer a morte,
se agarrarem nas crendices que lhe foram contadas; ou ser incapaz de conviver com a realidade, acreditam nas
jurássicas ficções religio$as.
Pois religiosamente falando, os cristãos atuais ainda seriaram os mesmos iludidos que no passado veneravam
relíquias, e eram proibidos de ques onar os dogmas da sua religião...

Até porque, os RECITADORES DE TEXTOS BÍBLICOS em vez de pensar por si mesmo, ou tentar compreender o porque
da existência do lado “ruim” da vida, apenas decoram os textos religiosos, e responsabilizam o Diabo por tudo que
não se adequada ao que eles magicamente prefeririam que fosse como eles desejam...

Se Deus exis sse, ele mesmo teria escrito a Bíblia, ele mesmo teria construído as Igrejas, ele teria vencido as
Guerras Santas, sem precisar dos humanos, ele mesmo esparramaria a Boa Nova pelo mundo, etc.
A Bíblia desmascarada Volume VII 18

Jesus não exis u, ou foi apenas mais outro esquizofrênico?


Para minimizar as contradições do “Novo Testamento”, os
cristãos fingem que a Bíblia Apócrifa, (que foi descoberta na
Turquia no ano 2000), e que foi escrita no século V, no
dialeto siríaco/aramaico, seria o Evangelho de Barnabé, que
foi encontrado em 478; e esconde que tanto o Pedro como o
Paulo morreram em 66 d.C.

Como Jesus seria o ÚNICO FILHO do Deus bíblico, se Jesus nasceu através de uma mulher, e tanto os ANJOS, como o
DIABO, a Lili h, o Adão, a Eva, e todos os humanos também teria sidos criados por Deus?
Na Bíblia turca, que é feita de couro, tem as páginas negras, por causa da ação do tempo.
E que vale cerca de 20 milhões de Euros, dada a importância que ela tem para os cristãos.
Jesus é apenas mais outro PROFETA semelhante ao que é relatado pela religião islâmica; de quem se aguardaria o
retorno antes do Juízo Final, e não o apregoado “Filho Unigênito” de Deus, como prega o atual cris anismo...

Sendo que Jesus não teria nascido através de uma “Virgem imaculada”.
Não seria o “Filho Unigênito” de Deus; não teria sido crucificado, e não teria ressuscitado...
Os Peritos que avaliaram o livro garan ram que o artefato é original.
Desde 2000 a descoberta vinha sendo man do em segredo, e guardado em um cofre-forte na Cidade de Ancara.

Após a divulgação da descoberta, o livro foi considerado patrimônio cultural, e após a restauração que foi realizada,
se encontra exposto no Museu Etnográfico de Ancara.
O Va cano demonstrou preocupação com a descoberta, pois a visão dos an gos sobre Jesus é bem diferente do que a
séculos vem sendo divulgado pelo moderno cris anismo.
Devido à escassez de informações sobre a suposta infância de Jesus, e os cristãos estarem ávidos por detalhes sobre
os primeiros anos da vida de Jesus Cristo; bem como, pela necessidade que os cristãos têm de enaltecer Jesus, e de
conhecer os “detalhes” da sua infância, os escritores bíblicos inventaram vários textos polêmicos sobre a suposta
infância de Jesus, e falsificaram dezenas de Causos, que se tornaram famosos. Inclusive os chamados “Evangelhos da
Infância de Jesus”.

Embora a Bíblia tenha sido escrita numa época primi va, e corroída tanto pela corrupção como pelo fana smo
religioso, o autoritarismo, e a ignorância; e no decorrer dos anos a Bíblia tenha sido alterada...
Para aumentar a importância histórica da Bíblia, mesmo o DIREITO CIVIL e o des no da humanidade tendo se baseado
nas Leis das 12 TÁBUAS ROMANAS (também conhecida como a Lex Duodecim Tabularum), que foram fabricadas pelo
Senado romano sob a presidência de Ápio Cláudio, no ano 450 a.C.

Os fundamentalistas não mediram esforços no sen do de fingir que a Bíblia seria a base das Leis usadas nas Cortes
jurídicas do Ocidente; ainda insistem que a Bíblia foi inspirada por Deus; e tentam nos convencer de que a Bíblia seria
um “Documento de fé pública”.

“Igreja que não dá lucro, deve ser fechada”!


Se o pastor não fosse um canalha, o dinheiro arrecado durante os cultos, se encontraria numa Conta Bancaria, no
nome da Igreja, e não no nome do Pastou…
Quando o Pastor morre, todo dinheiro acumulado termina passando para a família do pastor...
Não só o dinheiro como todo o patrimônio da Ins tuição deve estar no nome da Igreja, registrada como associação
religiosa em nome dos fiéis, e com CNPJ limpo.
A Bíblia desmascarada Volume VII 19

Jesus seria um “Frankenstein” construído com pedaços de outras lendas


Assim como Mary Shelley produziu “Frankenstein”,
que idealisticamente falando seria o “Prometeu
acorrentado”, os religiosos fabricaram um
“transgressor” que pular dos Relatórios policiais para
as versões onde virou herói, foi idolatrado, e se tornou
o Arqué po Jesus Cristo.

Já que a Bíblia é apenas uma coletânea ilustra va, que foi escrita por gente de todas as classes e raças; e é
uma obra que incorporou muitas culturas anteriores; fica provado que Jesus Cristo não passaria de um
“FrankCristo” que sobrevive nas lacunas deixadas pela ciência; e que seria a reunião de diversas lendas
anteriores.

Como exemplo de que a Bíblia NÃO foi Inspirada por Deus, e seria uma “Exegese” onde os iludidos
interpreta e extrair dos textos o que mais lhe interessa; e um produto da a vidade humana repleto de erros,
de fantasias, de absurdos, de falsificações e de plágios...

Lembramos que até o ano de 326 Jesus não passava de um simples fei ceiro...
E que a Seita “O caminho”, e o Ebionismo não pregavam que JESUS fosse um ser divino, ou mesmo algum
Zumbi, que reviveu, mas sim, o esperado “Messias” judeu...

Em 326 d.C. o pagão Constan no decretou que o astro Rei era o Sol, e não mais a Lua...
O Primeiro Concílio de Niceia mudou o descanso semanal de SÁBADO (Saturno), Dia para oração, Dia de
descanso, e o Dia de apaziguar os Deuses, para DOMINGO, o (Dia do Sol), o “Dia Prima Feria”; que passou se
chamar “Dies Domenica”, e posteriormente Domingo.

E se fez um recall, onde o sanguinário YHWH foi subs tuído pelo pacífico “Deus humano” e sem vontade
própria, chamado “Jesus Cristo”, que era louco ao ponto de incen var as pessoas se automu lar (Marcos
9:43-48), para irem viver com ele no Paraíso.

Embora fosse um Imperador de legi midade duvidosa; como os judeus esperavam a chegada do Messias; o
“Deus Sol Invictus” dos soldados romanos estava se alastrando; e os deuses romanos estavam em
decadência; Constan no primeiro se apresentou como o protegido de Hércules, depois como o porta-voz do
Deus Sol Invictus, e por fim, como sendo o representante máximo do novo Deus Jesus...

Sendo que para impor dogmas sobre a personagem Jesus Cristo, (que tanto a razão como o conhecimento
cien fico jamais aceitariam passivamente), tanto Constan no como a Igreja usaram o medo e a espada.
Os protestantes também seguem o “Novo Testamento” fabricado por Constan no; porém a Bíblia
protestante tem 07 livros a menos do que a Bíblia católica.
A Bíblia desmascarada Volume VII 20

Não fique chateado com o fato do seu Deus não exis r, até porque, os
Deuses dos outros também não existe.

Por que só o ateu precisaria provar que Jesus


nunca existiu, já que mesmo sem apresentar
PROVAS, os religiosos insistem que o Arquétipo
Jesus seria real?

PP
Já que o cristão só acredita num único Deus, entre as outras centenas de deuses existentes, podemos
afirmar que os cristãos seriam 99% ATEU...
Estamos condicionados acreditar que as religiões seriam um grande conforto psicológico, porém um
experimento sobre a felicidade realizado em 2013 pela Universidade de Maryland (EUA) descobriu que as
religiões agravam as esquizofrenias, os fana smos e a dependência psicológica do indivíduo...

Os Psicólogos, os Filósofos, e os Estudiosos do comportamento humano já nham comprovado que os


religiosos não têm competência analí ca para descobrir a verdade por si própria ; e que os
religiosos são mais propensos a sofrer de doenças mentais, de ansiedade, e de depressão.
Quanto mais fundamentalista o religioso for, mais perturbado ele seria, e rando os malucos, os idosos, e os
SOFRIDOS, depois de algum tempo, aqueles que abandonaram a religião para se tornar ateu, geralmente se
torna mais feliz, do que os religiosos.

O medo, as pressões, e as preocupações que acompanha os religiosos; assim como, o esforço para cantar
hinos de louvor, rezar, e ler a Bíblia consomem tanta energia mental que o cérebro dos religiosos tem pouca
energia e pouco espaço para qualquer outra desgastante tarefa mental...

Sem recursos mentais próprios para fugir da “Prisão Religiosa”, e como resultado do trabalho de crer em
Jesus, os evangélicos fundamentalistas são mais propensos a con nuar acreditando nas suas crenças, o que
ajuda a perpetuar esse problema atual.
Principalmente quando a pobreza, alguma restrição alimentar, o medo da morte, a ignorância, a solidão, ou
a falta de algum recurso mental impede que o religioso se concentre nos mecanismos que poderiam libertá-
lo de uma fé irracional.
Pois não importa o quão inteligente o religioso possa ser noutras áreas, no quesito transcendência o
religioso não chega nem perto de reconhecer algum fato que possa abalar a sua fé.
O religioso não consegue admi r que a sua crença possa ser um “erro”; ou um comportamento pico do cérebro
fundamentalista ou mal informado; e fornecer aos mís cos fatos que corrijam os absurdos religiosos só faz com que o
mís co se apegue ainda mais a suas crenças.

A tradição de se acreditar no “Messias” é muito an ga, e vem da época em que se acreditava na paranoica
versão de que depois da morte haveria algum “julgamento celes al”...

Enquanto o ateu (por possuir uma imaginação a va) consegue lidar com informações incompletas, e
vasculha a natureza para compreender as causas do sofrimento humano; o religioso fundamentalista se
agarra nas crendices que não solucionam os problemas; e na sua prepotência, ou sua incapacidade de
aceitar que um dia deixaremos de exis r; se agarra na ilusão da “Vida eterna”.
A Bíblia desmascarada Volume VII 21

O “DEUS DO IMPOSSÍVEL” seria algum TRANSTORNO PSICOLÓGICO?

Já que um Deus PERFEITO, ONISCIENTE, e ONIPOTENTE não criaria algo imperfeito, ou


permi ria interferências na sua criação PERFEITA, ao ponto de torna lá IMPERFEITA...
E o “Paradoxo dos mágicos” explica porque mesmos “Realizando” os mais incríveis milagres,
os pastores não conseguem curam a si mesmos...

Para mostrar que a fé religiosa é só um PLACEBO, e que a MITOMANIA dos fundamentalistas sobre o
tal “DEUS DO IMPOSSÍVEL” é só algum absurdo, ou um TRANSTORNO PSICOLÓGICO, ques onamos:

Por que depois que a fotografia foi inventada o Deus bíblico parou de realizar eventos extraordinários, e
deixou de fazer “milagres probatórios” da sua existência?
Por que o Deus do Impossível nunca conseguiu apresentar as suas determinações de forma tão CLARA e
OBJETIVA, que evitasse que cada povo vesse um “livro Sagrado” diferente, e interpretasse as palavras do
seu Deus de uma forma específica
Por que o “Deus do Impossível” NÃO CONSEGUE acabar com as DESIGUALDADES?
Por que o “Deus do Impossível” É INCAPAZ de fazer com que o tempo ANDE PARA TRÁS?
Por que o “Deus do Impossível” NÃO TEM capacidade de trazer algo do FUTURO?
Por que o “Deus do Impossível” NÃO CONSEGUE reverter às transformações onde ocorrem mudanças na
composição química das substâncias?
Por que o “Deus do Impossível” NÃO CONSEGUE fazer com que as partes amputadas REGENEREM?
Por que o “Deus do Impossível” NÃO CONSEGUE transformar idiotas em SUPERDOTADOS?
Por que o “Deus do Impossível” NÃO CONSEGUE fazer com que idosos volte a ser JOVEM?
Por que o poderoso “Deus do Impossível” NEM MESMO consegue APARECER?
Por que mesmo sendo “O DONO DO OURO E DA PRATA”, o “Deus do Impossível” não consegue produzir
DINHEIRO? Não consegue criar uma única moeda; e os representantes de Deus na Terra precisão pedir
dízimos aos que mal tem para o seu sustento?
Se Jesus consegue curar, por que os hospitais sempre estão cheios de religiosos doentes?

Além do perfeito não precisar intervir naquilo que realizou, e não precisar fazer Recalls, se Deus não puder
realizar algo ele deixaria de ser Deus...
Como Jesus seria o “PRÍNCIPE DA PAZ” que Isaías profe za em 9:6, se o cris anismo sempre
foi uma fonte de perseguições, de terror, e de fana smos?
É impossível que o cérebro do religioso compreenda que depois da morte acaba tudo, até porque, assim
como o filhote, (que ao ficar com medo corre para perto da mãe), o religioso ao ficar angus ado, ou entrar
em pânico se agarra em alguma ilusão confortável; pois os que acreditam nas mitologias religiosas são como
uma criança que alguém precisa dar a mão...

Quando as men ras bíblicas são descobertas, o religioso tende a se tornar agressivo e
impaciente, o que, é uma caracterís ca pica da sua sociopa a.
A psicose religiosa é uma caracterís ca pica do fundamentalista, tem fortes relações com o
auto-engano e a mitomania; e as pessoas com psicose mentem tanto, que passam acreditar
nas suas próprias men ras.
As caracterís cas que mais contribuem para que os suges onáveis se alinhem com as
sandices que ouvem do seu líder, são a ingenuidade ou o fundamentalismo.
A Bíblia desmascarada Volume VII 22

Já que o cris anismo alega que quem blasfemar contra o Espírito Santo, ou não aceitar Jesus
como o seu ÚNICO E SUFICIENTE SALVADOR já estaria condenado ao fogo do Inferno; fica
provado que a crença em Jesus nunca foi uma libertação, ou mesmo alguma opção
individual, mas sim, uma TERRÍVEL INTIMIDAÇÃO psicológica, onde supostamente nem
mesmo os mortos escapariam...

Embora no início do cris anismo os perseguidos fossem apenas os pagãos que se recusavam
acreditar em Jesus; depois que o cris anismo cresceu, se tornou a religião oficial dos
bíblicos, e passou contar com a vantagem numérica, os perseguidos passaram ser tanto os
ateus, como os homossexuais, e até mesmo os cristãos das outras seitas...
Em 10:34 Mateus afirma que Jesus falou que NÃO VEIO TRAZER A PAZ, MAS A ESPADA.
O Apóstolo Paulo já dizia que “... temos que LUTAR CONTRA CARNE E O SANGUE..."
E a vinda de Jesus não só causou a “MATANÇA DOS INOCENTES”; como também os maiores crimes que a
humanidade já realizou...
Além do cris anismo ser uma SOCIEDADE AO SERVIÇO DE JESUS, e que exalta ao extremo um suposto Deus
Humano, ao ponto da humanidade não significar nada, pois temos que AMAR JESUS ACIMA DE TODAS AS
COISAS, e de todos os nossos familiares...
O cris anismo causou as “GUERRAS SANTAS”; fez surgir as 09 CRUZADAS; foi o responsável pela
INQUISIÇÃO; jus ficou a ESCRAVIDÃO dos índios e dos pretos africanos; o cris anismo induziu os espanhóis
realizarem a matança dos Guanches, e os Ingleses realizarem o GENOCÍDIO DOS ABORÍGENES; foi o
cris anismo quem produziu a “NOITE DE SÃO BARTOLOMEU”, o cris anismo gerou os massacres realizados
por Protestantes ou Católicos, etc.

A versão onde Jesus mandou PERDOAR OS INIMIGOS foi plagiado do pacífico Buda, que viveu 566 anos
antes de Jesus. Sendo que o Buda copiado essa máxima do faraó Akenaton; que cerca de 1364 anos ANTES
de Jesus, perdoou o médico real Sinuhé, por ele não ter socorrido uma das filhas que teve com a Nefer , e
que faleceu por falta de cuidados médicos.

Além da Luz não poder ser separada das trevas (e sem a escuridão a luz não poder ser vista)...
Além dos astros não terem surgido DEPOIS que o planeta Terra já nha Nuvens, Rios, Oceanos, e Ervas...
Além das estrelas não exis rem com a finalidade de fornecer SINAIS, ou de ORIENTAR os humanos.
Além do minúsculo planeta Terra NÃO ser o CENTRO do Universo; e ser muita pretensão dos religiosos
afirmarem que todo o Universo com quin lhões de galáxias foi criado apenas para os humanos.
A versão de que Deus teria feito um trabalho perfeito não combina com a realidade onde a Natureza destrói
o que construiu.
Não combina com o fato da vida se alimenta da morte.
Não combina com o fato de que o homem é imperfeito.
Não combina com a mitológica existência do Demônio.
Não combina com 99,99% do Universo não ter condições de sustentar a vida.
E não combina a rania da Natureza...
Se exis sse algum Deus perfeito não seria precisar criar algo, pois um Deus perfeito ocuparia toda a
matéria, e todo o nada de tal forma que não haveria espaço para algum po de criação, viu como é simples?
A história documentada já provou que o Deus dos humanos seria apenas o prêmio de consolação dos
desesperados, e onde os iludidos se refugiariam das agruras e dificuldades de uma vida que foi endurecida
ou aterrorizada pelas injus ças, compe ções, desigualdades ou pelo medo do desconhecido.
O argumento mais poderoso contra a auten cidade dos Evangelhos é a reengenharia bíblica, e os Versículos
apresentados como “INSPIRADOS”, antes de chegar à sua forma atual ter passado por longas e complexas
elaborações!
A Bíblia desmascarada Volume VII

“Todos os que vieram antes de mim eram ladrões”!


Quando algum “Pastor” semianalfabeto, picareta,
manipulador, hipócrita, preconceituoso, ignorante ou
bitolado, estufa o peito, e afirma cheio de orgulho que no
passado ele foi um ex assaltante, ou algum ex-traficante;
mas que Jesus mudou a sua vida...

O estelionatário em questão não teria sido liberto do crime, e


sim, apenas mudado de atividade criminosa, entendido que
como Pastor ele ficará impune; e aperfeiçoado a antiga
forma de como usar o seu instinto de roubar o povão.

Em João 10:8 Jesus avisou que “Todos os Profetas, ou Messias que vieram antes dele eram
ladrões ou assaltantes”.
E como vários dos que se dizem missionários, ou que constroem “Igrejas”, tem a intenção de
ganhar dinheiro; quando alguém estufar o peito, e afirmar cheios de orgulho que:
“No passado eu foi um ex-assaltante”, o religioso não passaria de algum esquizofrênico, ou
de algum vigarista, que finge “entrevistar” o Diabo, ou que inventa bazofias para “provar” a
existência do Deus que estaria em evidencia.
Quando você se indignar com o fato dos polí cos brasileiros serem men rosos, ou
corruPTos, lembre-se que “Cada povo tem o Deus e os polí cos que a sua inteligência
permite”, pois nas Democracias é a MAIORIA que escolhe os seus representantes...
E já que a população brasileira é formada por milhões de analfabetos funcionais, de
religiosos fundamentalistas, de corruPTos, ou de indivíduos do po, “Deixa a vida me Levar”,
nada mais justo que eles também tenham algum representante seu no Governo.
O exemplo de que bandido é perdoado vem do ladrão Dimas, crucificado junto com Jesus

Como um reino divido não pode prosperar; e para que houvesse “UM SÓ REBANHO, ”Um só
Rei, um só Império, um só Deus, e uma só religião”, Constan no plagiou os Arqué pos de
crenças mais an gas para fabricar uma nova religião.
Sendo que a Igreja Católica alastrou a versão de que “Só há um único Mediador entre Deus e
o ser humano, e que o Mediador é Jesus Cristo”.

Por que os protestantes estão divididos em CENTENAS de seitas diferentes; as “ovelhas”


estão espalhadas, estão desunidas, ou estão “famintas” de san dade?
Por que os protestantes não conseguem ser unidos nem na comunidade local onde vivem, e
cada um afirma que a sua seita é melhor do que seita do Pastor vizinho...
Por que muitas ins tuições se parecem mais com lobos vorazes, do que com ovelhas;
concorrem entre si pelos dízimos, manipulam os fiéis, usam esquema de porfia, (porfia
significa discussão, disputa, teimosia), tem nomes bizarros, ou mesmo cômicos, abocanham
todo po de cliente, e vendem produtos ungidos pelo PASTOR garageiro?
A Bíblia desmascarada Volume VII

Cada indivíduo adora o “Deus” que a sua inteligência suporta


Os que têm fé nas versões religio$as negam tudo que contradiz as suas crenças...
Mas a Fé religiosa não é uma virtude, e sim, uma submissão intelectual e emocional; que deses mula o
raciocínio, e obriga o devoto aceitar as versões religio$as sem o direito de poder inves gar...
Ter fé em alguma jurássica versão religiosa é apenas ACREDITAR; e é muito diferente de conhecer a
realidade; pois as ultrapassadas e absurdas crendices religiosas impede o religioso de raciocinar...

Não importa o quanto os religiosos tentem convencê-lo do contrário, ter fé é acreditar sem provas...
É um vício; e é o oposto da virtude; pois a fé religiosa é uma crença irracional; é querer decidir o que é
verdade baseado apenas nas versões religiosas.
Não importa o quanto tente te convencer do contrário; nunca deixe que os religiosos te proíbam de pensar,
pois a Dúvida não é um defeito; mas sim, o que diferencia o homem dos animais...
Duvidar é querer descobrir a verdade baseado nos conhecimentos adquiridos pela ciência e a filosofia.
Quem ques ona nega as crendices que não condizem com os fatos; e realiza uma opção consciente pelo
conhecimento ou o experimento.

Embora o religioso fundamentalista deteste que as coisas mudem; não entenda os mecanismos da
realidade; deseje legislar sobre a biologia dos diferentes, ou deseje que o mundo fosse como ele prefere...
O religioso apenas repete o que decorou, sem pelo menos ter a humildade de reconhecer que as coisas
SEMPRE foram assim; e que ele não mudará NADA, mais apenas rezará ou reclamará.

O “mimimi” dos religiosos acontece nos locais onde os mais primi vos em vez de fabricar novos pos de
riquezas apenas se digladiam pelos poucos recursos existentes.

Pois tanto a “Lei de Causa X Efeito”, como o “Adapte-se ou morra” explicam que, Não existe NADA errado
com o Universo, pois é assim mesmo que as coisas precisaram ser para funcionar, para eliminar os fracos, e
para forçar os mais aptos se sobressaírem.

Como os religiosos fundamentalistas são os “Saprotrofos” da humanidade, pois o cérebro mágico dos que
precisam se esconder no casulo da fé religiosa não consegue racionalizar; não consegue inves gar; não
deseja conhecer como as coisas acontecem; não tem força mental para duvidar; não consegue conviver com
a dura realidade da vida, sem enlouquecer; e não aceita que a morte e o fim de tudo...

Sempre que algum Deus an go perde a sua credibilidade um novo Deus e reeditado.

Já se você já ver deixado para trás a época das explicações mágicas, em que se acreditava nos “Contos
de Fadas” que nos foram impostos desde o berço.
Ou ver coragem de ler livros profanos, onde os chamados “deuses” não passariam de explicações
mágicas e irracionais, que as religiões usam para manipular os crentes.

As provocações intelectuais con das no livro “A Bíblia desmascarada” irão detonar suas crenças, fazendo
com que compreenda que não existe a “vida além-túmulo” ou algum Deus que possa nos ameaçar com o
Inferno.
A Bíblia desmascarada Volume VII

O ateu seria o Universo tentando compreender a si mesmo.


Já que por milhares de anos as religiões tentaram mudar o mundo, mas não conseguiram,
fracassaram, e acabaram se submetendo tanto as Leis da natureza como as descobertas da
ciência, fica provado que já não há mais mo vos para se con nuar acreditando nas
jurássicas mitologias que nos foram impingidas.
Pois enquanto o religioso é um prisioneiro da sua fé, o ateu seria o Universo evoluindo ao
ponto de compreender a si mesmo; de ser capaz de decidir o seu próprio des no; e de poder
libertar a humanidade da prisão religiosa...
Até porque, a ciência é o triunfo do conhecimento sobre a ignorância, sobre as supers ções,
sobre o medo, e sobre as crendices religio$as; e a explicação para o surgimento do nosso
universo só será revelada quando a ciência do futuro, e a mente cole va dos cien stas
solucionarem os mistérios que a nossa tecnologia atual ainda não consegue resolver.
Num mundo globalizado, ávido por conhecimentos, e sem censuras, o “Aprendizado
cole vo” seria o Portal do ateísmo, e a maneira mais rápida e eficiente de acabar com as
crendices religio$as; pois hoje em dia, com o simples esforço de ler, de ouvir, ou de surfar na
Internet; em alguns minutos podemos absolver conhecimentos que levaram milhares de
anos para ser compreendido...

Quando alguém que descobre alguma fraude religiosa, ou faz como o “Caçador de erros
bíblicos” Lisandro H, que compar lha as suas descobertas, e os seus lampejos de reflexões
com a população, ou repassa para as novas gerações o que descobriu; mais outra vez o rumo
da história humana estaria mudando...
Sendo que, quem não acompanhar as mudanças ficará para trás...

A diferença suprema entre as supers ções e a ciência é que, a ciência por se basear nas Leis
de causa e efeito, e saber que tudo tem alguma explicação, não acredita em “milagres” e em
seres fantás cos que mudaria as Leis do Universo, segundo os seus caprichos e vontade,
apenas para policiar, punir ou recompensar os humanos.

Embora os ateus ainda sejam uma MINORIA vivendo numa TEOCRACIA onde quem decide é a
MAIORIA; e as religiões sejam “obstáculos” que a ciência precisa SUPERAR...
Pois no “jogo” da vida para que a ciência vença as religiões precisam perder; atualmente a
influência cristã caiu tanto que o termo “Após a Era Cristã”, já começou ser usado.

Ainda que as caracterís cas mentais e as faculdades psicológicas dos humanos sejam
“semelhantes”, é evidente que o devoto que tem preguiça de ler textos longos; que só se
interessa pelas versões religio$as; que não confia na ciência; e que tem dificuldade de
racionalizar, não subs tuirá o ateu culto, lúcido e com uma curiosidade insaciável.
Pois doravante o mundo será regido pela ciência, e não mais pelas ultrapassadas crendices
religio$as; de uma época tão primi va que tudo era “milagre”, ou cas go divino...
A Bíblia desmascarada Volume VII

Desda pré-história a palavra “morte” significa a separação do Espírito...

Embora a Reencarnação seja um absurdo cien fico e biológico, e torne inú l o sacri cio dos Deuses que
mitologicamente “morreram” pelos humanos.
E a Reencarnação não passe de uma fraude religiosa, onde se tentaria consertar os erros come dos nas
supostas vidas passadas, mas sem nem mesmo se lembra do que se teria feito de errado...

A REENCARNAÇÃO ou Metempsicose, exis a tanto nas lendas an gas dos hebreus, como no an go
judaísmo, nas an gas lendas religiosas egípcias, e na mitologia babilônica.
Sendo que na mitologia Vedanta hindu, a Reencarnação “existe” há mais de 5000 anos, com o nome de
“Roda de Samsara”.

O “Códex Va canus” de 325 d.C., que contem tanto o Velho Testamento, quanto o Novo Testamento, e que
se encontra na Biblioteca do Va cano não menciona a RESSURREIÇÃO DE JESUS, e limitou-se a falar sobre a
paternidade divina do “Messias”; assim como, pregar a fraternidade humana; e informar que a necessidade
da penitência, para a reparação das nossas faltas poderia ser subs tuída pela purificação através do
Ba smo, e da aceitação dos ensinamentos ensinados por Jesus...

Em 553 d.C., para agradar a “esposa” Teodora, que nha pavor de reencarnar em circunstâncias penosas,
Jus niano I usou o II Concílio de Constan nopla para declarar que a Palingenesia (onde se poderia retornar como
um animal, o que não é certo; porque o Espírito não retrocede ), e que vigorava desde os tempos primordiais, era
anátema; e a subs tuiu pela mitológica “Ressurreição cristã”.

Já que as crendices religio$as diminuem as angús as humanas frentes à morte, ao infinito, e ao


imensurável; mesmo numa época repleta de tecnologias, para o religioso cascudo ou fundamentalista as
versões bíblicas são mais importantes do que a realidade.

É comum a “Teologia do ARGUMENTO AD IGNORANTIA” subs tuir a REALIDADE e as questões AINDA sem
soluções por versões mágicas, sobrenaturais, ou por supostas revelações divinas.
Pois os escravizados pelas religiões ainda preferem as versões religio$as que mais lhe agrada, para as
questões que ainda não podem ser testados pela ciência.
Bem como, ignoram os argumentos que transformaria a sua fé num delírio.

Além dos dogmas religiosos inibirem a capacidade humana de ques onar de tal forma, que podemos contar
nos dedos, os que não foram CONTAMINADOS pelas crendices religio$as.
Pouco adiantaria mostrar contraprovas ou argumentos lógicos aos que já nasceram com o cérebro pré-
disposto acreditar nas versões religio$as, pois eles não mudariam; ainda que a realidade não tenha nada a
ver com as crendices, e com os “deuses” con dos nos “livros sagrados”, fabricados pelos homens!!

Se não bastasse que as crendices bíblicas sejam um contrassenso e uma ingenuidade.


A Bíblia não é o ÚNICO livro que reivindica ser a palavra de algum Deus, mas apenas um entre dezenas de
outros; como o Alcorão, o Livro Egípcio dos Mortos, o Vedas, o Bhagavtah Guita, o Adi Granth, o Purvas, o
Alcorão, o Zenda-Avesta, etc.

Quando alguém mente é comum que ele tente convencer com o auxílio de diversos detalhes.
A Bíblia desmascarada Volume VII 27

Nos “Manuscritos do Mar morto” não há menções sobre “Jesus Cristo”


Mesmo na época de Jesus tendo havido inúmeros charlatães,
esquizofrênicos, ou ilusionistas que enganaram o povinho
com promessas mirabolantes...
A vontade de acreditar dos religiosos criacionistas, ou que
tem uma fé desprovida de racionalidade, é tão incontrolável,
que os obriga crer até nas mais estúpidas crendices religio$as.

O israelita Israel Knohl, que foi Presidente do Departamento Bíblico da Universidade


Hebraica de Jerusalém e professor convidado nas Universidades de Berkeley e de Stanford,
no livro "The Messiah Before Jesus" (O Messias antes de Jesus), provou que Jesus Cristo nunca
exis u; e que se trataria apenas de um Arqué po religioso.

Pois tanto na Biblioteca de Nag Hammadi, como nos cerca de 900 textos dos “Pergaminhos
do Mar morto” (ou de Qumran), que relatam os principais fatos ocorridos na Pales na, de 225
a.C. ao ano 65 d.C., NÃO há referências a “Jesus Cristo”...

Na percepção dos escritores da época Jesus NÃO EXISTIU, ou foi tão sem importância para os
rumos da polí ca, da economia e da fé local, que nem chegou a ser mencionado; mas que
hoje é usado pelos cristãos com o propósito deliberado de engrandecer, pres giar, e fingir
que teria exis do o mitológico “Deus humano” sem vontade própria, chamado “Jesus
Cristo”.

Com base em an gos pergaminhos ficou provado que os essênios nham um MESTRE DA
RETIDÃO, que se chamava “YESUS”, e que foi estacado em 88 a.C.
E que próximo ao ano 04 a.C., também houve um líder religioso chamado “MENAHEM, o
Essênio”, que foi estacado; e que teria passado por situações semelhantes as que
ocasionaram a mitológica execução de Jesus o Cristo...

A história dos Essênios (também conhecidos por Nazarenos) acabou se transformando no


Ebionismo, ou cris anismo primi vo; sendo que vários “ensinamentos” que o suposto Jesus
de Nazaré “ensinou” teriam sido ditos quase 100 anos ANTES, pelo YESUS dos Essênios.

O Ebionismo enfa zava que YESUS é o Messias, mas não afirmava que YESUS é Deus;
aceitava que YESUS foi gerado pela Maria e o José; e não dizia que YESUS nasceu de uma
virgem.

Até o ano 25 da nossa era os Essênios ainda esperavam a chegada do Messias, realizando
Ba smos com água, e se reunindo para a Ceia litúrgica JUDAICA...

Os Essênios foram uma seita judaica que teve o seu apogeu entre o II Século a.C. e o Século I
d.C. E que era um grupo fechado, coeso e de vida ascé ca.
A Bíblia desmascarada Volume VII 28

Moralmente falando Buda seria superior a Jesus Cristo?

No meio de alguns raros bons conselhos (plagiados de culturas bem


mais antigas), como a milenar doutrina budista de praticar a
caridade e o perdão, Jesus deixou uma série de maluquices, que se
alguém hoje seguir, será preso, ou internado como louco.

Em várias passagens Jesus pede para que amemos e perdoemos nossos inimigos.
Diz que devemos oferecer a face esquerda quando nos esbofetearem a direita.
“VÓS SOIS MEUS AMIGOS, SE FAZEIS O QUE VOS MANDO” (João 15,14).
Mas o “AMOR” e a amizade de Jesus eram po “Aos amigos tudo, aos inimigos a Lei”.

O ensinamento atribuído a Jesus de oferecer a outra face para ser esbofeteada...


Foi plagiado do faraó Akenaton; e do Buda (Sidarta Gautama), que centenas de anos antes de
Jesus já haviam divulgado a doutrina de se perdoar os que nos ofende...

Muitos pensam que Jesus seria o humano mais perfeito de todos, mas isso não e verdade.
Só para citar um dos grandes vultos da história humana, Buda era moralmente superior a
Jesus, pois Sidarta nunca ameaçou com cas gos eternos os que não desejassem segui-lo.
Além do Siddharta Gautama, mais conhecido como Buda, ter ensinado:
“Que apenas conseguimos ver-nos outros aquilo que também somos”.
E que “Devemos Perdoar os nossos inimigos”...
Tanto a ÉTICA, como a JUSTIÇA, ou mesmo a LÓGICA descartam a mitologia do TORMENTO
ETERNO, ou do CASTIGO PERMANENTE, até porque, a injus ça do TORMENTO ETERNO
ultrapassaria o Pecado come do.
Se apenas um único homem fosse condenado por algum delito come do em minutos; ou
por alguma palavra proferida num momento de obscuridade, a sofrer por toda a eternidade,
no fogo do Inferno, Deus não seria digno de qualquer adoração...

Como não é a severidade da Pena que inibe a transgressão, mas sim, a certeza da punição;
Ao abalar a credibilidade da punição no fogo do Inferno, fazemos com que tudo o que já foi
vinculado a essa mitologia absurda caia no descrédito.

Pelas incoerências existentes nos argumentos que reflete o desejo primi vo de uma punição
cruel como reparação, e por se tratar de uma mera vingança, que não corrige o que já
aconteceu; a mitologia de um Deus puni vo se desmonta sozinha; pois caso os que não
seguirem as ordens de Jesus fossem torturados no fogo eterno do Inferno...
Fica claro que de bondoso, ou de misericordioso, o Arqué po Jesus não tem nada.
Até porque, o Inferno é só uma estratégia, inventada pelos religiosos, com a finalidade
específica de amedrontar os que acreditam num mundo assombrado por Demônios...
A Bíblia desmascarada Volume VII 29

As Escrituras não afirmam que o Mashiach seria um Deus

Embora diversas mitologias an gas profe zassem a vinda de algum “Messias” Libertador
que traria uma “Era NOVA” de HARMONIA para a humanidade, e alegassem que
determinados Deuses impregnariam alguma jovem, e gerariam algum NEFILIM...
As Escrituras hebraicas nunca afirmaram que o “Mashiach” seria um Deus nascido de uma
“virgem”; não afirmaram que algum Anjo impregnaria uma adolescente virgem, e que seria
gerado um Deus humano, mas sim, que o Mashiach seria um descendente de Davi...
Não afirmavam que o “Mashiach” pagaria pelo Pecado Original.
Nunca afirmou que o “Mashiach” se sacrificaria pela humanidade.
Nunca afirmou que o “Mashiach” seria traído, e assassinado.
Nunca afirmou que o “Mashiach” retornaria...
E não afirmou que depois de 3 dias, sepultado, o “Mashiach” reviveria...
No judaísmo não existe a versão onde 570 anos ANTES da vinda de Jesus, o Arcanjo Gabriel
já havia relatado ao Daniel, que o tempo que Jesus permaneceria na Terra seria de 11592
dias, ou seja, 31 anos e mais 9 meses de gestação; pois TODOS os causos sobre Jesus são
apenas lendas que foram acrescentadas DEPOIS que o Novo Testamento foi fabricado...
Ainda que usássemos a Hermenêu ca e não levássemos as Escrituras hebraicas ao pé da
letra, sabe onde as Escrituras hebraicas afirmam que o Mashiach seria um filho ado vo de
alguém? Em lugar algum!

Analisando as versões sobre Jesus, fica evidente que Jesus não foi algum “Deus”, mas sim,
um mito ou alguém que os seguidores classificaram como sendo um Deus, porém um “Deus”
suicida e sem vontade própria, que só existe nas mitologias cristãs.
E é por estas razões que os judeus não são cristãos.

Em Isaías 11:1-10, é relatado que, “Nascerá uma haste do tronco de Jessé e, a par r da raiz,
surgirá o rebento de”...
Em Jeremias 23:5, “Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que levantarei a Davi um Renovo
justo; e, sendo Rei, reinará e procederá sabiamente, executando o Juízo”...
O nome do Arqué po que virou o lendário “Jesus Cristo” era “Yeshua Bah Yoseph”.
Isso está gravado no Usuário que em 1991 foi encontrado no Túmulo da Cidade de Talpiot.
Sendo que os restos mortais de “Yeshua Bah Yoseph”, bem como, dos membros da sua
família, estão no Museu Rockfeller de Jerusalém.
A Bíblia desmascarada Volume VII 30

Todo o infortúnio de Jesus não poderia ter acontecido em apenas 18 horas


Para provar que Jesus é só uma mitologia, no livro "THE MISTERY OF THE LAST SUPPER", Colin Humphreys
da Universidade de Cambridge, depois de CRONOMETRAR o que se encontra nos Evangelhos, alegou que é
impossível que em plena Páscoa judaica tenha acontecido a “maratona”:

Onde Jesus foi PRESO no Monte das Oliveiras, a meia-noite de quinta feira.
Teria sido CONDUZIDO ao Sinedrim, e sido “INQUIRIDO”.
Teria sido LEVADO ao Prefeito Pilatos, sido LEVADO ao Governador Herodes, e sido DEVOLVIDO ao Pilatos,
onde Jesus foi INQUIRIDO, e depois ESPANCADO...
Teria sido LEVADO ao Tribunal, e o povo tenha ESCOLHIDO soltar Barrabás, e não Jesus.
Mesmo sendo inocente Jesus tenha passado pelas 15 Estações da Via Sacra, onde CARREGOU a cruz, foi
CRUCIFICADO, PERMANECEU na CRUZ por 3 horas, e foi RETIRADO da CRUZ...
O cadáver de Jesus tenha ESPERADO o José voltar da Cidade onde foi comprar 02 mortalhas.
Jesus tenha sido SEPULTADO antes da noite começar.
E que tenha havido 03 três horas de trevas.

Tudo em MENOS de 18 horas.


Segundo a Lei romana.
Com a cumplicidade do mais civilizado TRIBUNAL da época.
Sem que o Acusado vesse do o direito de contar com a Assistência Jurídica de algum DEFENSOR.
Sem que houvesse um PRAZO para que o réu pudesse se manifestar.
Já que a sofrida morte de Spartacus fez a crucificação passar de uma desonra, para um exemplo de coragem,
e de bravura; é duvidoso, que Jesus tenha sido condenado a morte, por crucificação.

A pressa, as falhas processuais, as irregularidades, o “Julgamento” viciado e apressado, o acusado não ter
podido contar com Testemunhas a seu favor, a EXECUÇÃO PRECIPITADA, e ter havido unicamente
Testemunhas de acusação, fariam com que o Julgamento iníquo (injusto), de Jesus fosse anulado.

Além de Jesus Cristo ter sido a PRISÃO, o PROCESSO CRIMINAL, a SENTENÇA, a EXECUÇÃO, a MORTE por
crucificação mais rápida, e o ENTERRO mais apresado da história jurídica romana...

A versão onde o decidido, sanguinário, cruel e disciplinado Pôncio Pilatos é apresentado como alguém tão
influenciável, relutante e tão fraco, que teria cedido às pressões dos clérigos para crucificar Jesus...
E a narra va de que Pilatos procurou todas as formas de pôr Jesus em liberdade seria um absurdo.

Os relatos fornecidos pelos Evangelhos são engôdos ou versões de segunda ou terceira mão, e que foram
escritos quando todos os que conheceram Jesus já haviam morrido.

Tanto a versão de que a mul dão que horas antes, à entrada de Jerusalém, havia aclamado Jesus preferiu
soltar Barrabás; como a “explicação” de que os romanos libertavam criminosos durante a Páscoa judaica;
não passam de fraudes, que foram inventadas por uma Igreja, que por ser romana, não poderia explicar aos
fiéis a morte de Jesus Cristo pelas mãos do Império que ela representava

Entre 66 e 70 d.C. os romanos destruíram as versões onde Yehohanan Bem Hagkol aparecia como fei ceiro,
mais ajudaram alastra tudo o que foi produzido pelo X9 Saulo (Rav Shaul), também conhecido por Paulo,
que se fingiu de seguidor de “Chresto”; e que em suas cartas dirige palavras duríssimas contra as mulheres.
A Bíblia desmascarada Volume VII 31

Os pastores psicopatas são predadores à procura de vulneráveis


Como nas Democracias é a MAIORIA
(ainda que ignorante, safada ou
faná ca), que escolhe os seus
representantes, e não a minoria
formada pelos ateus, que são a elite
intelectual da humanidade...
Os ateus devem tentar acelerar o fim
das religiões; pois para a ciência
ganhar a religião precisa perder...

Enquanto para ser Padre necessita estudar no mínimo por 14 anos, ter mais de 30 anos de idade, e ser
mestrado ou doutorado na área teológica; atualmente ser Pastor virou uma ó ma PROFISSÃO...
Uma oportunidade de ficar rico, e de exercitar liderança, ainda que sem nenhum estudo.
Quando você se indignar com algum Pastor estar trambicando os evangélicos, lembre-se de que no passado
os estelionatários, (digo, os “Porta-vozes de Deus”) mandavam torturar os hereges...
Diversos açougueiros, cirurgiões, polí cos, militares, criminosos, e pastores são “Psicopatas do bem”,.
Já que este po de comportamento é a “solução” que a natureza encontrou para lidar com os fracos; bem
como, para manipular os religiosos...
O problema ocorre quando o psicopata agiria como “serial killer”, ou por ter consciência de que seria
alguém que nasceu para pôr ordem no mundo; trataria alguma ví ma como gado humano, ou não consegue
tratar os sem sorte de forma diferenciada...

Segundo os estudos publicados em 07 de fevereiro de 2013 pelo psicólogo Kevin Du on da Universidade de


Cambridge, uma das profissões que mais atraem psicopatas é a de Pastor evangélico...
Du on é autor do livro “A SABEDORIA DOS PSICOPATAS”, e explica que o Pastor psicopata não seria um
louco varrido, mas sim, alguém que vive na fronteira entre a sanidade e a loucura, sem perder o controle da
situação; e que assume uma personagem, onde encena papéis dramá cos.
A personalidade macabra dos pastores psicopatas inclui itens como o destemor, a crueldade, a capacidade
de persuasão, a falta de consciência, e a empa a com os seus seguidores...
Geralmente os pastores psicopatas são dotados de charme, de simpa a, de carisma, da capacidade de
impressionar, e do dom de ca var os carentes ou sofridos...
A destreza dos pastores psicopatas costuma ser tão extrema que o religioso não percebe que por trás do
jeito educado, “inofensivo” e gen l do pastor, se esconde um predador desprovido de consciência, e capaz
de tomar a tudes cruéis e desumanas.
Quando representa o papel de lidere, o pastor psicopata assume uma personagem performá ca, é capaz de
encenar papéis dramá cos como se es vesse num Teatro.
E em segundos transita da comédia para tragédia, provocando lágrimas...
Mas tudo não passa de fachada para disfarçar a sua astúcia.
Os pastores psicopatas são predadores à procura de pessoas vulneráveis, que se aproveitam da fraqueza
alheia para se locupletar; e são tão safados e gananciosos que mantém as suas luxuosas Igrejas
extorquido dízimos, até dos mais pobres...

Os pastores psicopatas gostam de ser o centro das atenções, sempre buscam a oportunidade de estar em
evidência, ainda que isso custe o sofrimento de outros.
As maiores habilidades dos pastores psicopatas são men r, enganar, trair, difamam, abusam da autoridade
que conseguiu obter, e roubar, sem se sen r culpado, ou envergonhado.
A Bíblia desmascarada Volume VII 32

As 7 piores “falhas de caráter” do pastor psicopata são:


1– O PARASITISMO; os pastores psicopatas quando consegue a amizade, ou a admiração de alguém, sugam
o ingênuo que acredita na sua conversa, até a medula.
2–O EGOÍSMO; os pastores psicopatas fabricam as suas próprias leis; eles não entendem o que significa
“bem comum”; se es ver tudo bem para ele, não interessa como está o resto do planeta.
3–A INTELIGÊNCIA EMOCIONAL SEM ÉTICA; assim como a maioria dos psicopatas, os pastores também
possuem uma inteligência bem acima da média; costumam ser autodidatas; têm facilidade em lidar com as
palavras, e de convencer pessoas vulneráveis.
Por isso tornam-se líder na polí ca, na igreja, no trabalho, ou até mesmo na Prisão.
4–A AUSÊNCIA DE CULPA; os pastores psicopatas não se arrependem do que faz; não se acham culpados,
tem certeza de que não erram, e sempre acreditam que a culpa é dos outros...
5–A HABILIDADE PARA MENTIR; os pastores psicopatas não diferenciam a verdade da falsidade.
São capazes de contar os maiores absurdos, como sendo à realidade mais cristalina.
E algumas vezes chegam acredita nas suas próprias men ras.
6–Se VANGLORIAR; os pastores psicopatas vivem com a cabeça nas nuvens, e mesmo quando a situação é
de total miséria, ele só fala de supostas glórias.
7–E a FRIEZA; os pastores psicopatas mão reagem com sinceridade ao ver alguém sofrendo.
Infelizmente, algumas destas caracterís cas têm sido fartamente encontradas em líderes religiosos,
vi mando milhares de pessoas com suas ar manhas.

Os pastores psicopatas se apresentam como líderes atenciosos, polidos, cheios de amor para dar, porém, a
sua intenção é a pior possível; por fora, estão sempre impecavelmente ves dos, beirando ao narcisismo e a
ostentação; por dentro, é um trapo imundo.
Por trás de seu carisma sedutor, um men roso contumaz, um manipulador calculista.
Sempre agem prevendo a reação de quem pretendem vi mar.
Para eles, a vida não passa de um tabuleiro de xadrez.
Se alguém se puser em seu caminho, eles passam por cima do infeliz, sem dó nem piedade.
Quem os vê chorar em suas performances, não imaginam o ser frio que se esconde por trás daquela capa
de amigo, de lidere, ou de servo de Deus...
Se flagrados, jogam com as palavras e os gestos para tentar inverter o jogo a seu favor.
Sabem como se passar por ví ma sem deixar rastro.
Estão sempre cercados de cúmplices que se deixam ludibriar por seus convincentes argumentos, e que são
capazes de colocar a mão no fogo pelos seus líderes.
As igrejas evangélicas estão cheias de ex-maconheiros, de ex-ladrões, de ex-bandidos, de ex- alcoólatras, de
ex- piriguetes, de ex- mendigos; e quando algum “Pastor” semianalfabeto, bitolado, picareta, manipulador,
hipócrita, preconceituoso, pilantra, fundamentalista, (ou que estaria rando o emprego dos comediantes)
estufa o peito, e afirma cheio de orgulho:
“Eu já fui um ex-TRAFICANTE”, ou “Eu já fui um ex-ladrão, mas Jesus me salvou”...
O Pastou não teria de fato se REGENERADO, e deixado de predar os que vieram ao mundo para servir, mas
apenas entendido que como Pastor ele ficará legalmente impune...
E aperfeiçoado a forma como usa o seu ins nto de roubar o povão, pois nos Países pobres os pastores ficam
ricos, já que a miséria de muitos é lucro para alguns.
A MAIOR PROVA de que o Pastor seria algum ESTELIONATÁRIO interessado nos Dízimos, estaria no fato
de que enquanto a maioria das Igrejas Evangélicas carecem de beleza, de conforto, e de Arte Sacra…
A bonita residência própria do Pastou possui tudo de bom que hoje em dia é possível comprar, inclusive
Ar Condicionado, um TV enorme, uma geladeira inox, e um moderno automóvel...
A Bíblia desmascarada Volume VII 33

No “jogo da vida” para a ciência vencer as religiões precisam perder


Como as religiões usam as ameaças de cas gos eternos, assim como, as promessas de recompensas, para
impor as suas crendices; e quando alguém tentava libertar a humanidade das trevas da ignorância, ele era
perseguido ou tachado de endemoniado..

Embora as religiões tenham um “Prazo de Validade”; sejam “obstáculos” que a ciência ainda
precisa superar; e a mente racional do ateu consiga entender que Deus é só uma ilusão.
Ainda seria impossível libertar os fundamentalistas dos que controlam os religiosos por
meios de ameaças, ou de mirabolantes promessas de recompensas.

Por milhares de anos os an gos acreditaram que o grupo dos religiosos possuía a “verdade
suprema” fornecida pelo próprio Arquiteto do Universo...
Todavia, as religiões nunca veram capacidade de resolver os problemas da vida, e como
vivemos numa Cleptocracia onde a mídia e as jurássicas religiões influenciam a vida dos que
nasceram para obedecer, impedem que Leis estúpidas sejam revogadas, e regem as escolhas
sociais que podemos, ou que não podemos realizar...
A solução seria colocar a ciência como o único possuidor da “verdade”.

Embora o religioso ainda prefira inventar versões malucas há ter que conviver com a
realidade da vida; a psicologia explicaria porque só alguns têm força mental; não se deixam
enganar pelas crendices religio$as; ques onam, exigem evidências, e consegue fugir da
“Prisão” religiosa; enquanto milhões se deixam influenciar pela Mídia, apenas decoram o
que ouviu, e tem fé até mesmo nas versões absurdas.

Quem socorre os religiosos quando os Pastores viram comerciantes?


Por que tantos “Pastores” já foram Ex-traficantes?
Quando você se indignar com o fato de algum polí co Brasileiro ser corruPTo, ser
oportunista, ou ser um fundamentalista...
Lembre-se que cada país tem o Deus, os Polí cos e a “Jus ça” que a sua massa crí ca
intelectual comporta!
Pois nas Democracias é sempre a MAIORIA quem “escolhe” o seu líder, ou o seu
representante...

Ainda que o religioso só tenha como argumento as palavras escritas num livro jurássico.
Mesmo o fundamentalista impondo que o sexo é uma a vidade pecaminosa.
Se opondo aos homossexuais, combatendo os avanços da cien fica, e menosprezando os
que não creem nos seus dogmas religiosos; já que uma parcela da população é formada por
analfabetos funcionais, por religio$os, ou por corruPTos; nada seria mais justo do que os
religiosos terem algum representante seu na polí ca...
A Bíblia desmascarada Volume VII 34

Por que os ateus falam tanto em Deus se eles não acreditam nos causos bíblicos?

Os religiosos acham que um ateu não pode cri car o seu Deus; mas isso não é verdade, pois nas
Democracias é garan do tanto o direito à crí ca, assim como, a manifestação do pensamento, aos que
almejam conhecer a realidade...

Já que não poderemos nos libertar da prisão religiosa sem que os outros também tenham se libertado.
E se os ateus não destruírem as mitologias religiosas elas ainda durarão por muito tempo...
Vale apena lutar contra a vantagem numérica dos religiosos, pois mesmo o ateu sendo apenas um, no meio
de milhões de fundamentalistas, se o ateu es ver certo, o mais importante de todos é ele...
A Internet é um Fórum aberto para discussão do tema proposto; e se você não quer discu r mais sim,
apenas pregar as suas crenças, sugiro que saia daqui e vá para a congregação que mais lhe agrade.
Pois o tempo das trevas já passou; a ignorância foi vencida; breve restará apenas alguns focos dispersos, do
que um dia foi à crença fervorosa em Jesus; e nunca mais a ciência será relegada à segunda importância.

As religiões são “obstáculos” que a ciência precisa SUPERAR; mas como os ateus ainda são uma MINORIA,
vivendo numa sociedade onde quem decide é a MAIORIA; para a ciência moderna esmagar as jurássicas
religiões será preciso que o povo deixe ser ignorante, e do po que acredita em milagres...
O proseli smo de impedir que con nuemos sendo controlados pelos camelôs da fé seria um ato de
sobrevivência, e de querer mostrar que Jesus Cristo nunca exis u...
Pois assim como os ateus se libertaram do ca veiro religioso, e da ignorância, eles gostaríamos que outros
também entendam que as religiões não passam de mitologias jurássicas, onde se tenta controlar a vida do
cidadão, ou enriquecer a custa dos ingênuos...

Embora desde criança sejamos condicionados aceitar bovinamente as versões religio$as.


E muitos ainda afirmem que “Há duas coisas que não se discute”, POLÍTICA e RELIGIÃO...
A realidade é que nada seria indiscu vel; nenhuma ideologia possui o direito de não ser
cri cada; não existe tema que não seja passível de discussão; e os que não gostam de
discu r terminam pagando o preço de serem governados pelos que gostam...

Sendo que enquanto os mais inteligentes discutem as IDEIAS, os fúteis discutem apenas os
ACONTECIMENTOS, ou a vida dos outros...

O protestan smo é uma SEITA que só surgiu após Lutero QUESTIONAR os dogmas da Igreja Católica.
Pois como dizia o Geraldo Pedroso de Araújo Dias (Geraldo Vandré), no Hino de resistência do movimento civil
e estudan l que fazia oposição à ditadura, quem sabe faz a hora não espera acontecer...
A Bíblia desmascarada Volume VII 35

As religiões são “obstáculos” que a ciência precisa superar

A humanidade só chegou ao nível de tecnologia atual, graças aos que discu ram e ques onaram.
Pois tanto racionalizar como discu r são as caracterís cas que mais diferem o ser humano dos animais.

Embora seja através da desobediência e da rebelião que se faz o progresso, como os


religiosos contam com o poder da VANTAGEM NUMÉRICA, com a forca do AUTORITARISMO,
e com o nivelamento por baixo, que a Democracia impõe as minorias...
Os fundamentalistas fingem que não deveríamos discu r as religiões...

Todavia, se não se véssemos DISCUTIDO, e DESMASCARADO a INQUISIÇÃO, ainda


estaríamos sendo perseguidos, torturados, e roubados por uma Igreja apodrecida, e sem
é ca, que a pretexto de purificar a sociedade, “Em nome de Jesus” torturou, interferiu na
liberdade, e pra cou os mais graves crimes contra os ateus.

Enquanto a ciência abre a porta do conhecimento, e propicia que infinitas perguntas sejam
feitas, os Deuses fabricados pelos religiosos obriga que acreditemos sem duvidar, e mantém
as mentes congeladas num passado jurássico, onde éramos assombrados pelo medo dos
cas gos divinos...

Além da versão referente aos “Livros Sagrados terem sidos escritos em chave, por mestres no assunto, e
não por leigos como nós”...
E o argumento de que “Precisamos de ajuda para entender o que está escrito”...
Não passar de uma submissão intelectual, de um adestramento, ou de um “parasi smo”; onde as
perguntas angus antes são “explicadas” através de mitologias, ou de ilusões...

O principal erro de uma FÉ jurássica, ultrapassada, e desprovida de provas, é o comportamento submisso


do religioso não poder duvidar ou QUESTIONAR...
Não ques onar equivale ser submisso aos que se auto proclamam mais capaz do que você.
Não ques onar equivale permi r que outros escolham como será a sua vida.
Não ques onar equivale acatar tudo de bom grado, mesmo sem saber o porquê das coisas.
E isso não é inteligência, mas sim, covardia, ignorância, ou incapacidade de pensar por si mesmo...
Geralmente quem não gosta de ser ques onado é quem não tem razão.

Tanto o FUNDAMENTALISMO, como a esclerosada FÉ RELIGIOSA FORTE, e a TEOLOGIA, por


não permi r a testabilidade das suas versões; não ser racional; não ter compromisso com a
realidade; e não desejar se aprofundar no assunto, afirmam que as palavras do seu fundador
são inques onáveis...
A Bíblia desmascarada Volume VII 36

Por que os religiosos desprezam a realidade, e fabricam versões absurdas onde as Leis
universais são revogadas?
Por que os religiosos não procuram a resposta real, para os mistérios, para as desigualdades,
e para os sofrimentos do mundo?
Por que os religiosos teimam em seguir falsidades, ou se esconde no casulo da fé religiosa?
Por que tantos não entendem que a dúvida é o único caminho que conduz a realidade?
Por que acreditar numa seita que promete “recompensas” que nunca se realizarão?
Por que acreditar numa seita que não permite que os seus Dogmas sejam discu dos?
Por que acreditar numa seita que tenta controlar até a biologia das massas?
Que se ENRIQUECEU a custa dos seus seguidores...
E que se encontra infestada de pedófilos, ou de faná cos...

Não confie em seitas que têm suas bases em dogmas que devem ser aceitos “por fé”;
transforma as pessoas em marionetes; mu la a capacidade de pensar e refle r sobre o que
ouvimos; defende a todo custo os seus próprios interesses, ou as suas paixões; tenta
controlar até os não devotos; ou que tentam obter algum po de vantagem.

Embora achar que se “conhece” a resposta não signifique NADA, mas testar os
conhecimentos, experimentar, é analisar os fatos antes de se chegar a algum po de
resposta signifique TUDO; o religioso cascudo IGNORA OS FATOS, despreza a REALIDADE, e
acredita até mesmo nas absurdas mitologias religio$as.
Mas TODOS os “fenômenos sobrenaturais” ou “paranormais”, não passam de
acontecimentos naturais, de alucinações, de privação sensorial, da falta de sono do po
REM, de mudanças na química do cérebro, e assim por diante...

Tanto a ciência como a religião tentam explicar o milagre da vida e o que se passa; mas entre
ambas existe uma contradição fundamental e irreconciliável; pois enquanto a jovem ciência
pesquisa, está sempre se autocorrigindo, envolve a compreensão dos limites do próprio
raciocínio; acredita que a razão e a ordem reinam no Universo, não aceita uma verdade
fechada, aposta que o conhecimento é um poder universal que se renova, e ensina que
existe explicação para tudo...

A fé religiosa manipula os fatos para fingir que tem razão, exige ser obedecida, é irracional, é
arrogante, é recheada de fanfarras e autopromoções, tem menos possibilidade de explicar a
realidade; e desconsidera que com o passar do tempo as coisas tendem a mudar.

Se já não bastasse que os ARGUMENTOS religiosos fossem um AUTORITARISMO, e os frutos


da incapacidade que os mís cos têm de aceitar que a MORTE É O FIM DA VIDA...
Os religiosos não estão interessados numa realidade inconveniente, mas sim, em crer nas
suas supostas revelações divinas; até porque, a “Fé” religiosa é a convicção de algo que não
pode ser verificado, mas que costuma ser falseado...
A Bíblia desmascarada Volume VII 37

Depois dessa explicação fica fácil entender porque a religião não é um conhecimento
cien fico, não é compa vel com a ciência, e não passa de alguma credulidade, ou de alguma
generalização...

Além do religioso já nascer com um cérebro do po “Se tem que pensar então eu estou fora!”, e desprezar
que é por meio do debate, e pela contraposição de argumentos que a vamos nossa inteligência, e
aguçamos o nosso espírito crí co.
Boa parte dos religiosos não gosta de frequentar a Escola, desprezam o ensino de Ciências, eu preferem
assis r programas fúteis, e não documentários cien ficos.
É por isso que no Nordeste o povão acredita tanto em Deus e nos PETralhas.

Não devemos nos envergonhar de admi r que Erramos Tentando Acertar, porque racionalizar significa que
aprendemos com os erros, e que hoje somos bem mais experientes ou sábios do que éramos ontem.

Ao discu r podemos aprender ou ensinar, bem como, enxergar um lado que ainda não havíamos observado,
e descobrir o que estaria incomodando o outro...

Embora a inteligência humana esteja evoluindo no sen do de ir se adaptando a realidade, e não do


indivíduo con nuar ACREDITANDO nos “Livros Sagrados”, e nas versões preguiçosas, onde a fé, a
obediência, e a alienação são “defesas” contra o medo, e o desconhecido.

Tanto o iludido como religioso cascudo, fundamentalista, emocionalmente frágil, ou mentalmente


perturbado, supervaloriza os esquizofrênicos do po delirante; acredita cegamente nas mitologias
religio$as; ou con nua repe ndo as versões jurássicas sem primeiro buscar mais CONHECIMENTOS sobre a
Realidade; e despreza tudo o que possa contradizer a sua necessidade de acreditar.

Mas como no “Adapte-se ou morra da vida”, no NÍVEL TRÓFICO, na Pirâmide de Maslow, e na


“CADEIA ALIMENTAR” são premiados apenas os que se destacam.
E o MAIS FORTE SE NUTRE DO MAIS FRACO, dos que não têm sorte, dos que desperdiçam os seus recursos,
ou que esperam que as coisas se resolvam por gravidade...

Os PERDEDORES terminam formando uma mul dão insustentável de indivíduos pouco


qualificados, e sem poder de barganhar.
Até porque, a necessidade de uma educação especializada, e cada vez mais complexa,
impossibilita o acesso dos não qualificados aos exigentes mercados de trabalho.

É como dizia o Geraldo Pedroso de Araújo Dias (Geraldo Vandré), na música “Para não dizer que
não falei das flores”, que virou o Hino de resistência do movimento civil e estudan l dos que
nos “Anos de chumbo” fizeram oposição à Ditadura militar brasileira.

♫“...Esperar não é saber/Quem sabe faz à hora /Não espera acontecer"♫...


A Bíblia desmascarada Volume VII

Para o ateísmo subs tuir o cris anismo, é só uma questão de tempo

Não existe pergunta que o cien smo e a mente cole va dos humanos não possa explicar...
O que existe são perguntas que já contem um erro na sua formulação, ou que ainda precisão
de mais tecnologias para serem respondidas.
E que só a poderosa ciência do futuro conseguirá responder.
Pois a ciência é o único método que preenche a necessidade humana de inves gar.
Estamos caminhando para a CONSCIÊNCIA de como as coisas funcionam.
E não serão livros jurássicos eivados de quimeras, de delírios, cheio de erros crassos, ou sem
Bom Senso, que deterão a poderosa ciência do futuro.

Não há mais como impedir que o conhecimento se alastre pelo planeta, erodindo as
mitologias medievais, que têm prejudicado a Evolução do Homem rumo a um futuro onde
seremos o Universo se tornando consciente, e decidindo o des no da sua própria espécie.

Embora o mecanismo que permi ria o cérebro do religioso RACIONALIZAR sobre a morte, ainda se encontre
DESATIVADO; e seja bem mais cômodo para o religioso cascudo ou fundamentalista fingir que as versões
religio$as são alguma suposta revelação divina, do que ter que racionalizar...
Pois o religioso acredita no que “ouviu dizer”; aceita o que leu sem ques onar; e inventa “heróis” que
“ouviriam” suas súplicas, o “protegeria” das desgraças, e forneceriam algo em que se possa acredita, sem
que seja preciso ques onar...
Mesmo o cérebro do religioso não admi ndo que a morte seja o fim da existência, e não aceitando que as
supostas revelações divinas são apenas mitologias...
Já que o “Poder Supremo” é a REALIDADE, e não alguma fé jurássica, e desprovida de racionalidade;
inventada pela “massa” que ainda necessita de alguma doutrina que os discipline, e lhes estabeleça um
rumo. O triunfo da elite ateísta sobre o cris anismo será só uma questão de tempo.

Como não somos cultos pelo que lemos ou escutamos, mas sim, pelo que absorvemos; pelo que
pesquisamos; pelo que experimentamos; ou pelo que colocamos em prá ca; de nada adianta o religioso
cascudo ou fundamentalista ler os grandes clássicos, mas se comportar como um religioso faná co...
Tanto do ponto de vista da reflexão filosófica, como das faculdades mentais, a diferença entre entender ou
apenas decorar as crendices religio$as estaria no fato das versões religio$as serem apenas uma coleção de
dogmas, e um desejo pessoal, que não possui nenhuma evidência, razão ou lógica.

As religiões são manipulações onde os despreparados crentes em vez de pesquisar a história humana
(baseado em evidências reais testáveis), usam livros de teologia; e modificam os fatos, para “provar” a
origem “divina” das suas crenças.

Um estudo feito tanto pelo Wellcome Trust Centre for Neuroimaging; como o Ins tute of Cogni ve
Neuroscience da University College London; e publicado na revista Nature Neuroscience, mostrou:
Que a mente humana anseia tanto ter alguém que possam culpar pelos seus erros, fracassos ou
dificuldades; que a maioria em vez de processar a realidade apenas capta as “informações” de forma
fantasiosa, e moldada pelo que o seu inconsciente deseja acreditar.
Pois quando ainda criança; e mesmo antes de ter capacidade mental para entender o conceito de “Seleção
natural” a maioria já é idio zada pelas religiões...
A Bíblia desmascarada Volume VII

Como uma educação de qualidade significa mais senso crí co, mais informações, mais fome
de conhecimentos, e mais facilidade de se livrar das amarras religio$as...
Breve estaremos vivendo uma época prodigiosa, onde as crendices que no passado pareciam
dar sen do às coisas perderão o seu valor, e serão subs tuídas pela ciência...

NÃO HÁ DÚVIDAS DE QUE A CIÊNCIA, A INFORMAÇÃO, E A MUDANÇA SÃO OS DEMOLIDORES DAS


MITOLOGIAS RELIGIO$AS.
Pois apesar da promessa de uma recompensa após a morte convencer os sonhadores, ou os
que tendo uma vida cheia de privações, se agarrarem em alguma jurássica crença religiosa...

Como é um absurdo que o Criador de um Universo gigantesco, e que não para de crescer
fique limitado a um único livro escrito pela tribo de Levi; (a tribo encarregada das Escrituras).
A Fé religiosa não seria uma virtude, mas sim, uma ingenuidade.
Até porque, se Deus desejasse que algum dogma, ou alguma informação fosse conhecida
pelos humanos ele não a divulgaria apenas para alguns esquizofrênicos, digo, “profetas”...

A maior prova de que os “causos” bíblicos são crendices, onde a realidade foi trocada por
versões mágicas; seria o fato das narra vas religio$as terem precisado ir se adaptando tanto
as descobertas da ciência, como as determinações dos seus diversos lideres...

Pois caso algum “Livro Sagrado” fosse à palavra do criador, quem iria se adaptando seria a
cultura atual, e não as desatualizadas, e men rosas versões religiosas.

O conceito teológico de "Dios o osus" (Deus ocioso), explica que os diferentes Deuses an gos
foram deuses associados a Territórios específicos; que com o passar do tempo perderam a
credibilidade, e acabaram sendo subs tuídos por algum novo Deus...

Embora seja insuportável para o religioso cascudo ou fundamentalista constatar que Deus NÃO EXISTE; que
a promessa da vida eterna é só uma utopia; ou que a ciência irá transformar suas crenças numa tolice; a
ciência está separando o que é real do que é apenas uma fé cega, fana smo, ou ignorância.

Os desafios da vida, e o fato da mão de obra desqualificada ser um recurso barato,


universalmente disponível, e infinitamente subs tuível, não contribuem para que se
construa o precioso “Exército industrial de reserva” fantasiado pelo filósofo alemão Karl
Marx (1818-1883), na sua “Metodologia socialista” (fundada no materialismo dialé co), mas sim,
amplia o abismo que separa os preparados para vencer, dos que não têm algo para negociar.

Os que não pensam a longo prazo, mas sim, “Deixa a vida me levar”, ou esperam que as coisas se resolvam
por gravidade; serão ultrapassados e perderão o controle do seu des no...
Pois os que desperdiçam os seus recursos, e permitem que algum suposto Deus virtual decida a sua vida,
em algum momento se tornarão obsoleto, dispensável, ou inú l.

Embora a própria Bíblia afirme que o Salomão construiu Templos para muitos deuses; que o Josias teria
cortado as estátuas de Asherah existentes no Templo que Salomão construiu.
A Bíblia desmascarada Volume VII

E o monoteísmo judeu só tenha se tornado universal entre os judeus, depois que o Templo dos Macabeus
(2º século a. C.) foi erguido; pois antes os hebreus cultuavam tanto a “Rainha dos Céus”, como cultuavam a
“Senhora do Mar”, e cultuavam a “Deusa da Fer lidade” Asherah.

Hoje se finge que o invisível Deus Javé sempre exis u; que o Deus Javé seria eterno; teria criado a si mesmo
do nada; teria criado todo o Universo; seria o próprio universo; que Ele não erraria; que Ele poderia fazer
qualquer coisa; que Ele poderia estar em todos os lugares, ao mesmo tempo, etc.

Jacó fazer do Deus El o seu “Elohim” (Deus principal), significa que ele acreditava em outros Deuses.
Até porque o termo Elohim está no plural e significa “Deuses e Deusas”

Embora nos primórdios CADA TRIBO hebraica fosse uma Monolatria (uma adoração centrada num único
Deus, ainda que se acreditasse na existência de vários outros deuses).
Durante os 40 anos do sofrido ca veiro babilónico os hebreus absolveram a crença num Deus único,
proposta tanto pelo “zoroastrismo”; como pelo faraó “Akenaton”, que já havia proposto a crença no Deus
único Aton.

Já que em Gênesis 31;19 quando Labão saiu para tosquiar suas ovelhas, sua filha Raquel (que
terminou se casando com Jacó), roubou de seu pai os diversos ídolos do clã...
E em Josué 24;2, aos 75 anos de idade Abraão (Abaramu) informou que o seu pai servia a
outros deuses...

Fica evidente que o MONOTEÍSMO do Abraão teria sido apenas um HENOTEÍSMO (adoração a um Deus
único, mas acreditando na existência de outras En dades)...
Pois tanto Abraão como o seu pai, a sua família, e o povo an go acreditavam em Demônios; acreditavam no
Horóscopo; nha fé no poder dos Amuletos, e no poder das Relíquias; pra cavam Idolatria, Magia Negra, e
Necromancia; acreditavam no Ocul smo, etc.

Há cerca de 5000 anos, a deusa mais venerada na Babilônia e na Suméria era Tiamat, o
Oceano das origens, a “Mãe primordial da Humanidade”, e a criadora de tudo...

E foram precisos muitos anos para que aos poucos, o politeísmo dos hebreus fosse se transformado no
monoteísmo de um Deus único e invisível, mas que estaria em todas as partes...

Embora na época de Abraão a Cidade de Ur não fosse populosa ao ponto de ter 70.000 recém-nascidos, uma
an ga lenda conta que o Rei de Ur Nimrod mandou matar 70.000 recém-nascidos, assim que Abraão nasceu
numa gruta, para impedir que a profecia feita por astrólogos, sobre o Abraão de Ur vir a crer num Deus
único, e destruir as estátuas das outras divindades, fosse realizada...

Além das TABULETAS de EBLA (Ebla significa rocha branca), confirmarem o culto a deuses pagãos como Ea, Baal,
Dagom, e Aserá...
A an quíssima lenda onde o ABRAÃO sacrificaria Isaque não poderia ter acontecido com o Deus YHWH, da
Era de Carneiro, e sim, com algum Deus mais an go, como o Deus natureza Ea.

O Deus YHWH foi plagiado do an go Deus da Pérsia (Mazda), pois na an ga Pérsia (atual Irã), a religião
estatal era o mazdeísmo, que foi fundado por Zoroastro, a mais de 4000 anos.
A Bíblia desmascarada Volume VII

O zoroastrismo é a primeira religião quase “monoteísta” de que se tem no cia, já que


admi a dois princípios eternos, Mazda e Ahriman, o primeiro BOM e o segundo MAU.
Mazda significa: “O QUE É”, “EU SOU”, ou “O ETERNO”...

A Bíblia adaptou o “EU SOU” para “YHWH", e depois para o hebraico “Jeová”, pois quando o
“Prazo de Validade” de algum suposto Deus termina; ou se inicia alguma nova Era
astrológica, os devotos se dão conta de que afirmar que algum Deus X é tudo equivale dizer
que ele é Nada; e o Deus an go é subs tuído por algum novo arqué po...

O ADVENTO DO MONOTEÍSMO DIVIDIU OS DEVOTOS, INCREMENTOU TANTO A INTOLERÂNCIA RELIGIOSA


COMO A DESCRENÇA EM GERAL; E PLANTOU A “SEMENTE” DO ATEÍSMO...

Como em 70 a.C. o Templo foi destruído, e um milhão de judeus foi assassinado, alguns
sobreviventes abandonaram o judaísmo, e passaram a cultuar o mandeísmo.

Em 326 d.C. Constan no transformou o Deus Sol Invictus no Deus JESUS; e embora Jesus
tenha sido assassinado pelos Romanos, o Va cano terminou se instalou em Roma, ou seja,
no local mais importante dos cristãos, e na Cidade do povo que matou Jesus...

A “Bíblia oral” virou a Bíblia escrita, cujos originais se desintegraram, e hoje só temos as
cópias das cópias.
Calcula-se que as primi vas Escrituras Hebraicas, ou partes delas teriam sido mudadas e
recopiladas pelos Monges copistas, mais de 5000 vezes.
Sendo que para chegar a Moderna Bíblia eletrônica atual os textos foram adaptados aos
novos conhecimentos.

Por milhares de anos os fundamentalistas vêm reescrevendo a Bíblia, e tentando jus ficar na
Bíblia haver infan cídios, se apoiar a escravidão, ser inimigo da ciência, ser contra a
liberdade de ques onar, ser homofóbico, etc.

Os bíblicos sempre foram inimigos da ciência, da inves gação, e do livre-pensamento...


Não permi ram a busca de conhecimentos; e os que discordassem das autoritárias
determinações religiosas eram apedrejados até a morte...

Até mesmo os estudiosos do cris anismo admitem que se os 04 Evangelhos vessem sido
escritos por Mateus, Marcos, Lucas e João, eles estariam em hebraico, e não em grego.

Não existem testemunhas, provas, ou evidências do mitológico Pecado Original, e tanto


Adão e Eva, como a vinda da personagem Jesus, (para redimir a humanidade do “Pecado Original”) ,
seria apenas mais outra desnecessária mitologia religiosa.
A Bíblia desmascarada Volume VII

PROVAS DE QUE O CRENTE NÃO SERIA O ÁPICE DA EVOLUÇÃO HUMANA

Os que ainda acreditam em “Forças


sobrenaturais” agindo sobre o mundo físico, não
são o ápice da Evolução intelectual, e muito menos
o produto esperado de um Universo favorável à
mudança, e que começa troca as jurássicas
crendices religio$as pela realidade da vida.

Se o cérebro mágico e emocional do religioso não consegue entende nem as suas próprias
necessidades, como ele poderia entender o surgimento da vida, e do nosso Universo?
Ainda mas que o religioso vive no casulo da fé, e numa realidade alterna va, mas sem
passar pela metamorfose de um dia ser capaz de aceitar a realidade.

A explicação para que na hora das angus as os indivíduos emocionais, frágeis, crédulos, decrépitos, que já
perderam uma parte das suas SINAPSES, ou que já perderam uma parte da sua an ga coragem, se
agarrarem em algum po de Paracleto ("aquele que consola, encoraja, ou reanima), como algum amigo
imaginário; estaria no primi vo, automá co, e inconsciente ins nto biológico que os filhotes têm de
procurar a proteção da mãe, quando sente medo...

Embora as caracterís cas mentais e as faculdades psicológicas dos humanos sejam “semelhantes”, é
evidente que o devoto que tem preguiça de ler textos longos, só se interessa pelas versões religio$as, não
confia na ciência, e tem dificuldade de racionalizar, não subs tuirá o ateu culto, lúcido e com uma
curiosidade insaciável, pois doravante o mundo será regido pela ciência, e não mais pelas ultrapassadas
crendices religio$as; de uma época onde tudo era “milagre”.

Na grandiosa estrutura da ciência do futuro, não existe a possibilidade do homem religioso subs tuir o
homem culto, racional e lúcido, pois os humanos estão agregando mais qualidade aos seus genes, ficando
aptos para usar sua capacidade intelectual bem mais cedo, usando os neurônios com mais eficiência, e
nascendo com cerca de 100.000 neurônios a mais, do que os seus avôs...

Enquanto o ateu lúcido seria o Universo se tornando consciente, tentando conhecer e compreender a si
mesmo, sendo o responsável pela sua evolução, decidindo o futuro da sua própria espécie, e não
permi ndo que o medo, a dúvida ou o ins nto subs tua a realidade por alguma versão mitológica...
O eterno iludido, assombrado pelo medo da morte, pela vas dão da eternidade, que necessita de proteção,
necessita de esperança e necessita de versões agradáveis, seria o chamado “HOMEM MÉDIO” de José
Ortega.

Esse “Homem Médio” são aqueles que não têm opinião própria, que exigem pouco, que tem
predisposição intelectual para acreditar, que não gosta de inves gar, que não se importa de
viver algemado às crendices e aos resquícios de alguma lenda; que “pensaria” de forma
emocional e alheia aos mecanismos da razão, que “explicaria” o que nem mesmo consegue
entender, e que prefere acreditar nas versões sem conteúdo, dos “Livros Sagrados”.
A Bíblia desmascarada Volume VII 43

Enfrentar as adversidades, e descobrir o porquê das coisas exige esforços


De alguma forma todos são metalófobos, ou seja, tem fobia pelas mudanças, e fazem de tudo para
que os seus valores pessoais ou religiosos não sejam transformando em coisas descartáveis.
A “Maldição de Cassandra” ensina que os conhecimentos fornecidos aos que permanecem na sua
“menoridade” intelectual jamais serão compreendidos.
E que uma das maiores solidão seria depois de ter tido algum lampejo de reflexão filosófica; não
ter com quem compartilhar o que se descobriu, ou só se poder dialogar com os iguais.
Até porque a humanidade seria formada por um pequeno número de sábios, e uma massa
gigantesca de insensatos.

Além de ser mais fácil convencer as pessoas pela ganância, e pelo medo, do que pela razão, já que a
maioria nasce para ser um simples “Operário Descartável”, e não algum Ateu, ou filósofo.
E o “Efeito Manada”, ou Aceitação do errado por conformidade ao grupo mostra que os humanos preferem
seguir o grupo, do que estar certo sozinho; o melhor seria deixar que os religiosos continuassem
acreditando nos “castigos” e nas “recompensas” da mitológica “Vida Eterna”...
Até porque o conhecimento sendo amplo, e sendo infinito, ele estaria fora do alcance do cérebro
desprovido de inteligência intrapessoal do povinho, que só se interessa pelas mitologias e os
acontecimentos emocionais do dia a dia, e não pelos grandes mistérios da Astrobiologia, ou da Filosofia.
O experimento do psicólogo Solomon Asch sobre “Conformidade, e o Pensamento Unificado”, provou que
mais de 70% da população, em vez de racionalizar prefere seguir os lideres; e que tanto o pensamento de
grupo, como o desejo de ser aceito, e a pressão exercida pelo grupo pode mudar a opinião dos que
nasceram para obedecer, ou que não tem força mental suficiente para ir contra a unanimidade...

Já que enfrentar as adversidades da vida, e descobrir o porquê das coisas exige esforços, os incapazes de
tomar as suas próprias decisões, incapazes de fazer as suas próprias escolhas, ou que preferem
responsabilizar os outros pelos seus erros, colocam a culpa de nossas desgraças em seres imaginários...

Embora a Ciência e a Filosofia lute contra o auto-engano e a fé cega; e explique que o conhecimento sendo
amplo, e sendo infinito, ele estaria fora do alcance das massas; como no “Calendário Cósmico” TUDO o que
até hoje aconteceu com os humanos só gastou cerca de 01 minuto; no futuro, através de um longo processo
de aprendizado e aperfeiçoamentos, parte da Sabedoria cien fica poderá ser acessível aos indivíduos mais
iluminados, ou resilientes.

Apesar da genialidade possibilitar fugir do casulo onde a maioria dos humanos se esconde.
Como a genialidade enfraquece as frágeis muralhas que separam o mundo real da loucura.
Muitos superinteligentes pagam um preço caro pela sua excepcional habilidade...
E se já não bastasse ter que conviver com indivíduos fúteis, ou que fazem comentários absurdos por conta
da sua baixa compreensão, ou do seu fana smo.
O superinteligente ainda tem o problema de ser solitário, ser incompreendido, ter poucos amigos, ser vazio
tanto por dentro como por fora, e as pessoas comuns terem medo ou inveja do superinteligente, (A
“Maldição de Cassandra” explica esse problema)...

Caso a excepcional inteligência de alguém NÃO SEJA do po intrapessoal ou do po ultrapessoal, o


superinteligente tem dificuldade de compreender a alma feminina; tem dificuldade de encontra uma
companheira ideal, e tem dificuldade de manter o relacionamento por muito tempo.
Como as mulheres mais bonitas costumam ser do po acriançado, e não do po intelectual, fica di cil
superar a barreira existente entre o homem muito inteligente e alguma linda doidivana...
Sem falar que os superinteligentes não ficam paparicando a própria esposa por muito tempo; ou são tão
dedicados as suas especialidades que logo enjoam das fu lidades femininas...
A Bíblia desmascarada Volume VII 44

Por que os lúcidos são arrogantes, e autoconfiantes mesmo quando dá errado?

Tanto a psicologia como a biologia provam que os com alguma habilidade excepcional
terminam dominando os outros par cipantes; até porque, quando encontramos alguém
muito habilidoso agimos como se o indivíduo fosse importante, temos a tendência de achar
que ele realmente seria um indivíduo melhor...
Se o inteligente for generoso e compreensivo, ele conversaria com o bobo na linguagem do
bobo, faria do bobo um ser mais inteligente, e seria admirador para sempre, pois os
superinteligentes normalmente lideram os mais bobos.

Já que o sucesso é a diferença entre a loucura e a genialidade; os altamente cria vos,


quando persistentes, também são autoconfiantes, pois um pouco de arrogância ajuda as
pessoas cria vas, no sen do de suportar as constantes crí cas que elas recebem contra as
suas descobertas ou realizações!
Embora as religiões afirmem que pensar é uma arrogância; que temos que ser humildes; e
que devemos aceitar os dogmas religiosos sem ques onar...
Um estudo comprovou que os ateus são infinitamente mais cria vos, e têm a mente mais
aberta do que os indivíduos mais simples, mais crédulos, ou mais religiosos; porém são mais
arrogantes, e bem mais autoconfiantes...

Para não se submeter às jurássicas regras sociais, conseguir racionalizar, ou ter fé em si


mesmo, é necessário ser autoconfiante, e não apenas ser do po submisso, que evita as
crí cas, ou que prá ca alguma falsa modesta.
Como a natureza sempre cobra por tudo que oferece, o superdotado termina pagando um
preço muito caro pela coragem de se destacar...
Um ditado japonês afirma que, “Prego que se destaca, leva martelada”, e isso tem a ver com
o ser humano ser preconceituoso com o que é novo, com o que é diferente, ou com o que
contraria as suas crenças; pois o que é inovador além de dar trabalho sofre uma forte
oposição dos que não estão preparados para as inovações.
Até porque, pouquíssimos têm estrutura psicológica ou “FORÇA MENTAL” para se adaptar
rapidamente as mudanças.
Enganam-se os que pensam que as inovações são aplaudidas, pois como o novo precisa
chamar a atenção, precisa conquistar, precisa ter atra vos, e precisa superar o an go...
Apesar da mudança ser um “Poder Supremo”, mudar é um processo di cil, e que precisa
vencer a oposição criada pelos prejudicados.

Isso explica porque quando se tenta fazer alguma coisa nova ou diferente, sempre alguém
irá discordar; e porque quanto maior for a “tarefa” de alguma pessoa, maiores
seriam as dificuldades...
A Bíblia desmascarada Volume VII 45

Por que os superinteligentes são chamados de “loucos”?

Algumas habilidades dos superdotados são adquiridas por MUTAÇÃO ACUMULADA, e outras pelo
polimorfismo dos genes, ou MUTAÇÃO RÁPIDA vantajosas; que acontece quando o cérebro do indivíduo se
torna poderoso numa determinada área, à custa da parte que o cérebro usaria para outras a vidades...

Embora os superdotados consigam fazer coisas incríveis, é comum que eles sofram de solidão intelectual, e
muitas vezes até de solidão sica; pois eles não são compreendidos, não pactuam com as convicções das
massas, e se diferenciam tanto no pensamento como no comportamento do “Homem Médio”...
A frase “Posso ser maluco, mas não sou burro”, mostra que os superdotados conseguem se adaptar e
aprender conviver com as suas acentuadas diferenças.
Ainda que corram o risco de ser infeliz na juventude, na maturidade, ou na velhice.
Nem sempre ser gênio é sinônimo de felicidade; e quando se possuir alguma excepcional habilidade para
determinada tarefa (devido duas ou mais estruturas cerebrais ter se juntado, e se encontrar trabalhando em conjunto), a
parte do cérebro que trabalha em bloco adquira mais capacidade específica; mas o indivíduo costuma ter
dificuldades de controlar as áreas que cederam parte da sua estrutura para formar o superdotado...
Outra explicação para o superinteligente por MUTAÇÃO RÁPIDA ser chamado de destrambelhado seria o
fato de ser impossível uma pessoa comum compreender o gênio, assim como, um mineral compreender um
vegetal, um vegetal compreender um animal, um animal compreender o ser humano, etc.

Alguns distúrbios como a “Síndrome do abandono” e a Esquizofrenia pode transformar o indivíduo já muito
inteligente, e uma “mente brilhante”, num indivíduo insaciável, ou num megalomaníaco...
Já estar na hora de entender que algumas síndromes como o Au smo não é uma cruz para ser carregada, ou
um defeito para ser corrigido; mas sim, uma variação na forma como as regiões do cérebro são organizadas.

Já que milhões de humanos são DEPENDENTES QUÍMICOS de simples vegetais, que lhes oferecem açúcar,
álcool, nico na, Serotonina, cafeína, psicotrópicos, etc.
Fica comprovado que os humanos não são tão inteligentes como se afirma, até porque, mesmo sendo um
super-humano na sua especialidade; em outros assuntos o indivíduo seria alguém comum; poderia ter um
comportamento excêntrico, poderia ser um Dependente químico, ser bissexual, ser bipolar, ser au sta, ser
esquizofrênico, ser um religioso fundamentalista, ou não conseguir lidar com o sexo oposto.

Mesmo o indivíduo que adquiriu alguma habilidade excepcional por Mutação rápida, (devido o seu cérebro
ter redirecionado alguma estrutura para que ela trabalhe junto com outra), costuma pagar o preço de ter
pouca habilidade para a tarefa que devia ter sido realizada pela parte que foi redirecionada.
Um detalhe interessante sobre “grandes homens” e incontáveis heróis, profetas ou líderes, que realizaram
alguma grande tarefa ou venceram algum enorme desafio, seria o de que a maioria foram apenas aquilo
que a necessidade e o momento histórico exigiram...

Embora a quan dade de oxigênio e os nutrientes que o cérebro recebeu durante o seu crescimento sejam
importantes, a inteligência humana tem mais haver com o po de cérebro que o indivíduo possui...
Sendo que os humanos possuem diversos pos de inteligências e de habilidades excepcionais, que pode
aflorar devido as Mutações por ACRÉSCIMOS, ou por alguma MUTAÇÃO RÁPIDA VANTAJOSA.
A Testosterona em excesso pode prejudicar o desenvolvimento do encéfalo dos “brutamontes”, que por
esta s ca seria MENOS inteligentes do que os fisicamente mais fracos...
E como o cérebro humano disputar com os músculos os nutrientes produzidos pelo aparelho diges vo; para
que um deles ganhe o outro tem que perder, e vice- versa.
A Bíblia desmascarada Volume VII 46

AS 03 MANEIRAS MAIS “COMUNS” DO INDIVÍDUO SE DESTACAR


A maneira mais eficiente de alguém se sobressair seria através do DNA,
ou seja, já nascendo um SUPERDOTADO.

A segunda maneira seria sendo alguém muito ESFORÇADO, e do tipo


que “Não aceita um não como resposta”.

E a terceira seria sendo um LÍDER que consegue reunir colaboradores


eficientes em torno de algum objetivo comum.

Cerca de 5% dos humanos é uma minoria de privilegiados, pois possuiria algum “Poder
Supremo”, como uma imensa Beleza Física, uma grande capacidade de Inventar, muita Força
Mental, grande Persuasão, grande capacidade de ques onar, ou são do po que passa por
cima dos que ficam na sua frente...

Sendo que os que têm o poder de MANIPULAR conseguem usurpar ou embromar até
mesmo os indivíduos que possuem algum dos outros “Poderes Supremos”.

Enquanto ALGUNS nascem como que já “predes nados” a se darem bem em certos aspectos
da vida; a MAIORIA precisa se esforçar para suprir a sua reduzida habilidade, ou então se
agarra a máxima do “Seja o que Deus Quiser!”; pois esses “crí cos de poltrona” apenas
reclamam, ou botam defeito no que não consegue entender.

Ainda que os esquizofrênicos precisem encontrar um público recep vo que creia em suas
alucinações, que possa ser persuadido, que seja contrário a racionalidade, que não tenha
dúvidas filosóficas, que seja imune ao bom senso comum, e que seja compa vel com os
argumentos do líder, pois quando “falamos com Deus” seria uma prece, mas quando Deus
ou alguma voz sobrenatural “falaria” conosco, seria uma Esquizofrenia...
Na época de Jesus só havia dois “diagnós cos” para estes pos de perturbados, pois ou o
esquizofrênico em questão era considerado um enviado de quem afirmava, ou era rotulado
de estar possuído pelo Demônio.

Tanto os iludidos como os faná cos, os malucos e os esquizofrênicos afirmam que seguem a
vontade de Deus... Mas como eles descobrem o que Deus quer, já que só uma minoria alega
receber ordens diretas do Criado?
Como os esquizofrênicos já são pessoas mís cas ou perturbadas, as suas supostas “vozes”,
“visões” ou “recados sobrenaturais”, terminam fazendo com que o indivíduo acredite que
algum poder sobrenatural estaria tentando entra em contato com ele.

Embora até o século XX, a esquizofrenia fosse considerada uma doença para o resto da vida;
os fabricantes dos an psicó cos CLOZAPINE e TRILEPTAL conseguiram que alguns
esquizofrênicos possam ter uma vida “normal”.
A Bíblia desmascarada Volume VII 47

O PENSAMENTO Religioso EVOLUIU

Como o “pensamento” religioso primeiro foi MITOLÓGICO, depois monoteísta e, por fim, irá se transformar num
ATEÍSMO cien fico.
Na “LEI DOS TRÊS ESTADOS” do conhecimento humano, Auguste Comte ensinou que:
Na 1ª Fase, “ANIMISMO” as Forças da Natureza (devido às intervenções sobre a agricultura, a fer lidade e o clima),
eram das como sendo Deuses.
Acreditava-se em seres folclóricos como Bruxas, Fadas, Duendes e Dragões.
E veram destaques os Amuletos da Sorte, as Poções do Amor, as Simpa as, as Supers ções, etc.
Pois a fé dos iludidos é só uma defesa contra o desconhecido.
Na 2ª Fase, POLITEÍSMO, que consiste na crença da existência de múl plos deuses; nem sempre se adorava todas as
divindades de um panteão; e o comum era o crente se concentrar num grupo específico de deidades.
Havia religiões politeístas como as da Índia, do an go Egito, as da Grécia, e as da Roma an ga.
No Politeísmo se acreditava nos deuses animais; nos deuses antropomórficos; nas En dades ligadas à natureza; e
tanto às necessidades humanas, como o incompreendido e o muito complexo, eram explicados através de mitologias
ou de supostos deuses, tais como:
O Deus da Morte, o Deus da Guerra, o Deus Sol, o Deus da Chuva, o Deus do Fogo, o Deus dos Oceanos, a Deusa da
Fer lidade, etc.
Na 3ª Fase, MONOTEÍSMO, as Deidades que assim como os humanos come am crimes e imoralidades, pois elas
refle am o comportamento humano, (e eram fáceis de subornar), dão lugar a um Deus único, Criador, detentor de
poderes, e a autoridade máxima que regeria o Universo...
Mas que requer esforços e sacri cios do servo; cria Leis para serem seguidas, e cas ga os desobedientes...
Já na 4ª Fase, “O DESPERTAR”, a fase nascida do Iluminismo, e que está em andamento...
Os humanos se tornarão tão cultos, tão racionais, e tão desprendidos das questões pós-morte, que as outrora
atribuições divinas sumirão, e darão lugar às leis da sica, da química, da biologia, da matemá ca, da convivência, etc.
Pois graças à mente humana cole va, e a poderosa ciência do Admirável Mundo Novo, finalmente vamos vencer as
doenças, prolongar a vida, escolher que po de filho desejamos ter, entender as Leis do Universo, viajar pelo Cosmo, e
agir como deuses...
Os humanos anseiam por respostas, e ao longo do tempo inventaram “explicações” para o que não conheciam, porém
como o conhecimento é evolucionário, à medida que a capacidade humana de inves gar foi se aprimorando, a nossa
compreensão evoluiu tanto que coisas outrora relevante pelos laços emocionais, hoje perdessem a sua relevância, ou
foram subs tuídas por novos pontos de vista.

Embora a nobre tarefa de pesquisar as fronteiras do conhecimento seja um trabalho só para os capazes de aceitar
que, quanto mais an ga for à religião mais fantasiosa são as suas versões.
As descobertas da ciência beneficiarão todos os que se adaptarem às mudanças que afetarão a humanidade.
Inclusive o que necessita crer em algo maior; acha que haveria algum mo vo para estarmos aqui; acredita que no fim
seremos julgados; e que tem a ilusão de que haveria outra vida ao final desta...
Pois foi a moderna ciência que possibilitou a humanidade ir em frente; e se descartar das FASES religio$as que apenas
criaram uma “zona de conforto”, ou refúgio, onde os iludidos buscaram a todo custo suprir a necessidade de acreditar
num mundo mitológico governado por Deuses e Demônios...
Os iludidos se sentem seguros e protegidos, e se acha no direito de des lar presunções acerca de algum suposto Deus
humano que só existe nas versões religio$as.
Pois a ciência atual sendo como um “recém-nascido” ela ainda não teve tempo de crescer, evoluir, inves gar,
descobrir as leis que governam o Universo ou responder as nossas perguntas.
Mas apesar dos humanos sempre terem sido “religiosos”, graças ao progresso, e os meios de comunicações terem se
tornado importante, o des no da humanidade será o de deixar de acreditar nas mitologias religio$as.
A Bíblia desmascarada Volume VII 48

QUANDO ACONTECERÁ O GRANDE DESPERTAR?

Como já era de se esperar, que no século XXI a


Bíblia passaria por um processo irreversível de
entropia e de desmoralização, que certamente
será o prenúncio do último estágio rumo ao
Despertar.

A singularidade da recompensa que os ateus oferecem aos lúcidos seria o fato da realidade
não está nas versões do passado, mas sim, no conhecimento do presente, e nas
possibilidades do futuro.
E a revelação de que, a felicidade e a completude estão dentro de cada um de nós, e não em
alguma crença jurássica gerada pela ignorância.

Embora o “homem MÉDIO” (há medida que vai se libertando de Jesus), ainda vá se agarrando aos
jogos, as bebidas, as comidas, a música, ao sexo, aos animais, ao luxo, etc.

O “Despertar” do ateu lúcido e responsável será um dos acontecimentos mais importantes e


significa vos da história de uma es rpe, que por milhões de anos luta contra as
supers ções, e a vantagem numérica dos fundamentalistas.

O ateu do futuro não desperdiçará a sua única e preciosíssima vida, e não mais trocará as
suas oportunidades reais, pelas ilusões de um mundo virtual e fic cio, que não pode ser
provado pela inteligência, pela lógica, ou pela realidade.
E que depende de penosos esforços de credulidade, para que se acredite no mesmo.

O “Prazo de validade” das religiões já está chegando ao fim, e alguns medos que no passado
foram implantados nos cérebros dos nossos ancestrais estão sendo rejeitados pelos que
lutam contra a “epidemia” chamada religião.

No futuro a ciência triunfará sobre as crendices religio$as, até porque, a fé religiosa só serve
para escravizar, entorpecer e parasitar a mente dos iludidos.

Se reagirmos em bloco usando o poder da ciência, será possível vencer a mãe de todas as
batalhas.
Mas para que isso aconteça primeiro precisamos querer ajudar mais aos nossos herdeiros,
do que a nós mesmos, pois o tempo se esgota, temos que deixar de lado a postura de servo,
e precisaremos nos tornar sócio do empreendimento que se chamará “O Despertar”.
A Bíblia desmascarada Volume VII 49

ACORDANDO DE UM SONO MILENAR...

O ateísmo é todo um processo de pequenos passos onde se desperta para a realidade, se


deixa de acreditar nas crendices religiosas, e se aceita que a morte é o fim da vida...
Ou então uma luta dramá ca entre o fundamentalismo e a racionalidade, onde só alguns
conseguem se libertar do terrorismo religioso que nos é imposto dês que nascemos.

Depois de milhares de anos sendo parasitados por religiões que são sonhos em vão, onde se tenta aos
crentes iludir; encontramo-nos no limiar de uma era onde começamos entender que apesar das paixões, e
as crenças serem o “tempero” da vida, elas nos viciariam, fechariam nossos olhos e nos aprisionariam.

No futuro, a ciência ocupará o vazio deixado pelas religiões arcaicas e an cien ficas, uma vez que as
mágicas e ultrapassadas religiões (que há milênios vêm parasitando as mentes das massas com o medo dos
cas gos divinos e sem nada resolver), já não solucionariam os problemas humanos.

E só serviriam para nos impor uma vida cheia de Demônios, Bruxas, Almas penadas, “soluções milagrosas” e
pedidos aos virtuais seres extratúmulos

Com ameaças de supostos cas gos divinos e as “recompensas” de uma fantasiosa vida após a morte, fomos
induzidos adorar Deuses virtuais que não poderiam ser contrariados; mas chegará o dia em que o progresso
e a realidade farão com que acordemos do nosso “sono milenar”, recuperemos a liberdade de pensar,
percebamos o engodo montado pelos “mestres do enredo”, e olhemos para as religiões como mitologias de
“uma época assombrada pelo Demônio”; onde o conhecimento era castrado; os pensamentos filtrados e se
distorciam os fatos, a fim de manter o povo num transe hipnó co.

O homem que surgirá dos escombros do Século XX, não venerará mais fantasiosos deuses virtuais, pois
apesar da ciência atual ainda ser “um bebê”, ela está crescendo e aprendendo.
Logo se tornará adulta, andará com os seus próprios pés, fará suas próprias descobertas, escalará as
montanhas da ignorância, e libertará a raça humana da mitologia de ser um “servo” de algum suposto Deus,
que nos impõem o que teríamos de fazer.

Sucede que, mesmo no passado, a Igreja tendo do entre os seus contratados os maiores gênios da música,
pintura, arquitetura, escultura e drama zações, que foram usadas de forma eletrizante para incu r na
mente do eterno iludido a lenda do cris anismo, e devido a tudo que foi feito, ela tenha conseguido
acumular o maior patrimônio econômico e ar s co da humanidade; no "Admirável mundo novo" que nos
espera, as supers ções se ex nguirão, já que para o melhor ou mesmo para o pior, a humanidade jamais
será a mesma.
Pois para a mente LIVRE de mis cismos, a EVIDÊNCIA tem mais valor do que o poder da AUTORIDADE...
Já que um povo que tem medo, e que necessita se agarrar em amigos imaginários é um povo fácil de ser
enganado, o medo terminou se sobrepondo a realidade da vida...
E como a crença em Deuses imaginários não é uma caracterís ca racional, mas sim, uma eficiente forma de
controlar os religiosos, e de infectá-los com o medo da morte, e o medo de ser cas gado por algum Deus
cruel, vinga vo, e que não pouparia nem os mortos...
O medo venceu a realidade!

Até porque, quando o frágil ou sofrido religioso passa por alguma angus a, ou acredita que estaria dando
mo vos para ser cas gado, ele desperdiça a sua única vida pelas recompensas da absurda vida depois da
destruição do cérebro.
A Bíblia desmascarada Volume VII 50

A CIÊNCIA É O TRIUNFO DO CONHECIMENTO SOBRE A IGNORÂNCIA RELIGIOSA?

No passado quando alguma lenda era mais interessante do que a dura realidade da visa, os iludidos
trocavam os FATOS pelas “explicações” mágicas.
Pois a fé do eterno iludido, e as supostas revelações divinas transforma o crente num commodity que
valoriza mais as explicações excitantes do que a realidade cruel ou complexa.
Apesar dos grandes vultos da humanidade (quase sem exceções), ter sido exigentes com eles mesmos ou
com as metas que procuraram alcançar; vários se convenceram de que nha realizado pouco, ou de que
seus esforços nham sido pequenos para o tamanho das suas ambições; pois o excesso de rigor para
consigo e uma exigência interna insaciável, são as sementes da existência brilhante, dos que plantam em
terra fér l, oferecem nutrientes em profusão e têm paciência para esperar que os frutos surjam.

Embora a realidade seja a ferramenta que destrói as mitologias em que nós agarrávamos com unhas e
dentes, e apesar dos deuses serem apenas um delírio onde tentamos fugir das asperezas do Adapte-se ou
Morra; as religiões só serão rejeitadas de forma lenta e gradual, pois quanto mais poderosa ou
embriagadora é a crença, mais vagarosa seria a sua rejeição.

A filósofa francesa Catherine Clément, e Sudhir Kakar, psicanalista indiano explicaram que o eterno iludido
possuiria em si mesmo os elementos que o levaria a acreditar nas versões descritas pelos que em todas as
épocas criaram vários pos de supers ções, dogmas, regras de condutas ou fana smo.
Pois seria pico dos crentes adaptarem sua vida as fantasias que incluiria algum virtual Deus todo poderoso.
Os crentes se encontram submersos na fé, e estão acorrentados à fantasia religio$a de que as suas crenças
resis rão ao progresso.
Têm a arrogância e a ideia fixa de que são os portadores da verdade.
Estão sendo embalados por sonhos embriagantes.
E têm a necessidade arcaica de seguir algum Deus virtual, sobre o qual devem acreditar, são forçados a
confiar, não podem contestar, e têm que respeitar e venerar.

Além da fé não depender da razão, ou mesmo da existência daquilo que se crê, determinados estados
religiosos provocariam êxtases, que são indiferenciáveis dos descritos pelos que têm algum po de
alucinação.
Apesar do “Novo Testamento” vir afirmando a mais de 2.000 anos que o Deus dos cristãos encontrou um
modo de cas gar e torturar até os que já morreram...
O Inferno cristão é só uma fantasia religiosa que assombra as mentes dos que ainda não se adaptaram ao
fato de que ao morrer tudo termina.
A Bíblia desmascarada Volume VII 51

O ATEÍSMO É UMA SOFISTICAÇÃO QUE SUBSTITUIRÁ O CRISTIANISMO?


Embora a fé preencha as áreas do cérebro humano responsáveis pelo mis cismo, a euforia e a submissão.
E faça com que os iludidos ignorem as evidências nega vas relacionadas com a sua crença.
O ateu prefere lidar com a realidade e buscar soluções para os problemas, do que se agarrar nas crendices
religiosas, ou fingir que estaríamos no caminho certo.

Até porque, no mundo atual já não há lugar para os “milagres”, e as explicações mágicas.
Carl Bernstem nos ensinou que, Algumas perguntas são mais importantes do que as respostas.
E sem a liberdade de poder perguntar, e o direito de duvidar das respostas que nos são dadas, nenhuma
explicação seria válida.

Os sonhos religiosos e os comportamentos ultrapassados estariam prestes a terminar, pois no futuro será
di cil usar a ignorância, os cas gos divinos, e a obediência cega, para forçar as pessoas acreditarem em
coisas absurdas.

Na luta pelo direito de saber a verdade somos gratos a todos os már res do pensamento, cujo sacri cio e
determinação possibilitou que tenhamos uma vida melhor e mais livre.

A nossa havida curiosidade e a nossa busca por conhecimentos, sendo as maiores forças da raça humana,
possibilitarão que domes quemos nossa natureza selvagem, uma vez que os horizontes da ignorância não
param de recuar, e já rejeitamos diversos determinismos que no passado nos escravizaram...

Apesar da ciência ainda não explicar tudo o que acontece, ela está aberta para todas as perguntas e é bem
mais verdadeira do que as crenças cheias de explicações absurdas, au stas ou que estão acorrentadas a um
passado fossilizado, e abarrotado de falsos milagres.

Já que a “fé das mul dões” não passa de uma crença mágica na ocorrência de acontecimentos fantasiosos,
onde cada religião relata a origem e a Evolução do Universo de acordo com suas crenças e respec vas
culturas.
É melhor expor-se ao perigo, e descobrir alguma verdade incomoda, porém ter a chance de
poder mudar o que nos incomoda, do que apenas ficar de braços cruzados, acreditando no
que supostamente “já estaria escrito”.
Pois para criar o futuro que almejamos, uma das coisas que precisamos aprender, é saber
fazer boas escolhas.
O futuro começa agora, e quem criará o nosso o futuro será a ciência, e não algum Deus
virtual, ou alguma religião já fora do seu “Prazo de Validade”.

Se não nos esforçarmos para criar o futuro que desejamos; teremos que nos conformar com
o “Seja o que Deus quiser”...

Pesquisando os mecanismos da Evolução Pré-bió ca e da Evolução atual, descobriremos o que acontecerá a


longo prazo, pois cien ficamente falando, tanto os Deuses como os Demônios que outrora embaçaram
nossa visão estariam se tornando inaceitáveis e coisa de um passado arcaico, onde os an gos impingiram
suas crenças; teimaram que a Terra é plana e o centro galác co; acreditaram que as doenças seriam cas gos
de algum Deus ou maldades do Diabo.
Defenderam o “direito de propriedade” sobre outros humanos.
Impuseram que seria uma heresia estudar os cadáveres.
A Bíblia desmascarada Volume VII 52

Os religiosos desejam legislar sobre a biologia das mulheres e dos afeminados.


Recusaram-se aceitar que todos nasceriam livres e iguais.
E sempre garan ram que a verdade estaria nos seus “Livros Sagrados”.
Pois a religião é o “casulo” onde se esconde o que tem medo da morte, foge da realidade, ou que é incapaz
de admi r que a vida depois da destruição do cérebro não passa de mitologia.
Sendo que os iludidos já não são tão convictos como an gamente, e a convicção religiosa é sinônimo de
ignorância, de fana smo, de medo, ou de esquizofrenia...

Devido a “Teoria da Evolução” compar lhar seus ramos com outras áreas da ciência, como a geologia, a
química, a paleontologia, etc.
E ser uma teoria MUITO complexa, pois é o resultado de muitas pesquisas e estudos; compreendê-la em sua
totalidade é di cil até mesmo para os intelectuais.

Pois quando o assunto envolve religião, é di cil ser racional, uma vez que mesmo nossa Evolução tendo sido
uma preparação para a tarefa de pensar, só alguns usaria essa capacidade para tentar resolver o problema
da “separação defini va”.

A fé religiosa é um comportamento onde o devoto prefere venerar supers ções a acreditar na realidade, e
será dificílimo que os iludidos desistam dos seus amigos imaginários, pois para os devotos não adianta
alguns rebeldes terem a petulância de falar a verdade sobre os deuses virtuais.

Embora a felicidade seja um estado de espírito interior e que podemos ampliar, a maioria dos humanos
coloca a sua felicidade em algo exterior; em ter alguma coisa; em conseguir isso ou aquilo; em estar com
essa ou aquela pessoa; não entende que tudo tem um “preço”; quer as coisas de graça; ou não aceita que é
impossível conseguir tudo ao mesmo tempo, ou para sempre...

Além do criacionismo não explicar por que o DNA dos chimpanzés é 98,5% semelhante ao
humano, assim como acontece com o chimpanzé, no cérebro do iludido também alguns
genes do mecanismo controlador do Pensamento racional ainda não estariam a vados.
O projeto ENCODE (Enciclopédia dos Elementos do DNA), descobriu que o DNA “lixo”, é como um painel
de controle, cuja “chaves” regulam a a vidade dos genes.
E que sem as “chaves” os genes não funcionam.

Os cien stas da Universidade de Viena (Áustria), liderados pelo biólogo Ulrich Technau, ao fazer o
mapeamento gené co das anêmonas do mar, e analisar a expressão gênica de seus microRNAs descobriu
que os ancestrais da anêmona remontam há mais de 600 milhões de anos; e que as anêmonas são meio
animal, meio vegetal.

Embora a Bíblia sustente que o Deus YHWH criaria enquanto fala (“Abracadabra”), tanto as
versões religio$as referentes à Criação como a Cronologia do Universo estão abarrotadas de
absurdos, “explicam” de acordo com as crenças e os interesses dos que alegam falar em
nome do seu Deus, e precisaram ser adaptadas à passagem do tempo.

Existem 2 pos básicos de religiosos, o indivíduo faná co e dependente de religião, e o que apenas segue os
preceitos que melhor se encaixam no seu dia a dia...
A Bíblia desmascarada Volume VII 53

E embora tanto a cultura como o momento histórico influenciem a forma como reagimos; a
Gené ca, a Neurociência, e a Psiquiatria provaram que em mais de 70% dos casos o
comportamento humano é influenciado MAIS pela biologia do indivíduo, do que pelos
Memes, ou mesmo pelos processos de educação que foram assimilados...

Além dos gêmeos idên cos (por par lharem os mesmos GENES), apresentarem o mesmo PERFIL RELIGIOSO; até
mesmo quando criados em locais diferentes, e por pessoas diferentes...

Para explicar por que ALGUNS são ateus mesmo sendo filhos de pais religiosos, lembramos que no Universo
a única coisa eterna é a MUDANÇA; que a vida sempre procura meios mais rápidos, mais eficientes, ou que
resolva as coisas de forma melhor; e que quando os pais passam os seus genes para os filhos é introduzido
no código gené co da criança mais de 100 alterações.

Se você ainda duvida que tanto a gené ca como a hereditariedade tenham uma forte influência no perfil
dos religiosos, compare a dificuldade que um troglodita (com cérebro de apenas 600 C.C. e pouca inteligência
INTRApessoal) teria para deixar de ser mís co, com a facilidade com que o homem moderno, e que possui um
cérebro de 1300 C.C., tem para não acreditar nas crendices religio$as...

E você entenderá que quem mais determina se o indivíduo tem ou não a FORÇA MENTAL necessidade para
não precisar acreditar em algum po de Deus, é a sua biologia, e não a sua cultura.

Além do religioso viver num casulo, ter um cérebro mís co, preferir as fu lidades, e não os avanços
descobertos pela ciência; ele opta por só colecionar as informações que confirmam os seus pontos de vista,
e não se interessa em conhecer o outro lado da realidade.
Como no passado se preferia as versões religio$as, e não se dava valor a Inteligência Intrapessoal, era quase
impossível o indivíduo comum não acreditar em algum po de divindade.

Sendo que a crença em En dades era agravada pela ignorância, pela visão holís ca, as “atrofias cerebrais”, o
eterno iludido não se interessar por uma realidade cruel e desprovida de amigos imaginários; assim como, a
isquemia (falta de nutrientes essenciais), durante a gestação e a infância, os Trauma smos cranianos, a hipóxia
(falta de oxigênio), durante o parto, etc.

Ateus como Homero, Aquiles, Da Vinci, Einstein, são provas de que o ateu é diferenciado já a par r do DNA,
e possui uma estrutura REFORÇADA de conexões cerebrais, pois o dismorfismo do cérebro ateu é um fato.

Tanto o Behaviorismo como a neurociência explicam que os humanos têm a tendência de idolatrar os que
realizam façanhas memoráveis, sendo que podemos dividir os indivíduos no po DETERMINADO ou de
personalidade forte, e os INFLUENCIÁVEIS ou de personalidade fraca, e que só se interessa por fu lidades.
As mentes mís cas, emocionais ou simples, têm a tendência de “simplificar” as coisas.
Acham que se uma coisa aconteceu logo após outra, o primeiro evento seria a causa do segundo.
E acreditam que para alguma coisa ocorrer de novo bastaria repe r determinada ordem.

Embora os eventos do mundo real ocasionalmente aconteçam de forma seqüencial ou


seriada, isso não significa que eles estariam correlacionados, ou que teriam algum elo, já
que pelas Leis da probabilidade é possível que uma coisa aconteça após outra.
A Bíblia desmascarada Volume VII 54

O efeito “Post Hoc” é à base das supers ções e das credulidades.


Embora seja uma idio ce se opor à Ciência usando como argumento apenas a Fé religiosa
(como fazia os fundamentalistas da Idade Média), a maioria dos humanos se preocupa mais em
detectar supostas correlações causais do que complicados mecanismos do acaso.
E nossa necessidade de se iludir é uma questão tão séria, conveniente, e fora da realidade,
que interfere até nas conclusões supostamente cien ficas.
Os seres atuais mudaram segundo os fatores intrínsecos ligados ao seu repertório gené co, ao meio
ambiente, e em decorrência das mutações; sendo que não há dúvidas de que os genes que projetaram os
primeiros órgãos são mais velhos do que o homem...

Além das estruturas cerebrais dos iludidos ainda não está pronta para funcionar de maneira
racional, lógica e sem fantasias; afirmar que Deus usaria o médico para realizar os seus
“milagres” equivale dizer que “Papai Noel usa os pais para entregar os presentes”...
Deus é só um CONCEITO ABSTRATO da parte frontal do cérebro religioso, que é a vado quando o devoto
julgar ter “entrado em contato” com o seu amigo imaginário...

Para a maioria, o mais importante não é o conhecimento, a realidade, ou mesmo a


liberdade, mas sim, a “proteção” que eles acreditam receber de Jesus, pois as mentes
mís cas, fracas ou que durante toda vida receberam infiltrações bíblicas, não pode ser
facilmente remodeladas com apenas alguns poucos minutos de reflexões.

A base emocional para o cérebro mís co acreditar em Deus tem a ver com as milenares
ilusões de que se viveria para sempre, de que haveria outras vidas depois da morte, e o
religioso achar que a vida atual seria um prêmio pequeno, quando comparado com as
“recompensas” eternas, da suposta vida após morte.

Diferente do ateísmo que ajuda pesquisar, permi que o indivíduo chegue às suas próprias
conclusões, deixa o cidadão livre, e incen va que racionalizemos; as religiões matam a
curiosidade humana, dificulta o uso da lógica, e leva ao automa smo de se decorar as
crendices religiosas, e de apenas repe r frases prontas...

Até porque o ateísmo é um DIMORFISMO CEREBRAL, e um aperfeiçoamento biológico e


FILOSÓFICO; pois com o passar do tempo a “Seleção natural” foi agregando racionalidade ao
cérebro humano, bem como, aumenta a capacidade de mentalizar atos, e de conviver com a
realidade.
Embora seja di cil seguir adiante com o entusiasmo inicial, a neuroplas cidade (que é uma
evolução do Behaviorismo), explica que a repe ção das a vidades que se deseja transformar
num hábito, ao lapidar a mente facilita o cérebro trabalhar da forma que se almejava.
A Bíblia desmascarada Volume VII 55

Para que o Deus bíblico teria criado o homem?


Apesar da vida só surgir onde houver condições para que isso aconteça.
E a vida não TER FINALIDADE, mas apenas DIVERSAS POSSIBILIDADES.
Sendo que, todos os átomos do nosso corpo foram forjados pelas estrelas.
E tanto a Nova Panspermia, assim como, a Evolução Molecular explicam que:
A vida terrestre se originou dos esporos que chegaram através da Poeira Interestelar.

Os cristãos insistem em propagar a absurda e obsoleta versão religiosa, existente em Efésios, de que (Deus
criou o homem, para o louvor da sua glória).
E tem a ignorância, assim como, a megalomania de achar que as mitologias da sua crença são mais corretas
do que as fantás cas descobertas feitas através da ciência.

Sendo que uma En dade Suprema como o suposto Deus bíblico não teria desejos.
Não teria necessidades; não precisaria de glória ou de mimos.
Não precisaria receber sacri cios, não precisaria de bilhões de servos, e não precisaria ser adorado por
insignificantes mortais, que nada tem para oferecer a uma En dade que não teria limitações...
Entretanto a maioria se agarra na jurássica versão de que o “Papai do Céu” criou o planeta Terra, DEPOIS
criado o Universo, e que posteriormente o Deus bíblico teria colocado neste “Paraíso” bilhões de criaturas
imperfeitas, e sem escrúpulos, como os humanos...

Para que o Deus bíblico teria criado o Universo, criado a vida, e criado os humanos, já que até algum tempo
atrás não havia jus ça, não havia igualdade, não havia liberdade, não havia higiene, não haviam confortos e
oportunidades, e a vida era um “Mar de lágrimas”..
Antes do Admirável mundo novo atual, produzido pela ciência; éramos escravos da Natureza, vivíamos em
guerra, faltava água ou comida, a vida era curta e di cil, e de cada três filhos só um chegava a se reproduzir.

Já que ANTES do Deus bíblico criar o homem os Céus estariam povoados por seres mais perfeitos, como os
imortais anjos, e os Espíritos; que, sem dúvida, bajulariam bem melhor o Deus bíblico, do que simples
humanos...
O Deus bíblico NÃO precisaria criar humanos, para que depois de mortos eles fossem “povoar o Reino dos
Céus”; como os fundamentalistas afirmam...

Se mesmo depois de criar os anjos, “PARA O LOUVOR DA SUA GLÓRIA”, Deus ainda precisou criar humanos
imperfeitos, para sa sfazer a sua megalomania...

Fica claro que o Deus bíblico sofreria do “COMPLEXO DA FALTA DE ATENÇÃO”.


E que ele nos criou para nos obrigar servi-lo, e adorá-lo a todo o custo.
Pois o Deus bíblico seria um Arqué po ciumento e carente de atenção, que deseja ser plenamente
louvado…
E o que dizer de um Deus que é injusto, que é ciumento; e que desejaria ser amado incondicionalmente, e
acima de todas as coisas?

... Diante da imagem de outros ídolos, não te prostrarás e não as adorarás, porque Eu, o SENHOR, sou o teu
Deus, um Deus ciumento, que cas go a iniquidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração dos
que me ofendem”...
A Bíblia desmascarada Volume VII 56

Apesar de o Deus bíblico não precisar do amor interesseiro, e po Toma Lá Dá Cá, fornecido
pelos bilhões de Néscios, que acreditaram na mitológica vida eterna...
Os fundamentalistas ainda se agarram na versão onde caso Deus fosse reverenciado ele
livraria o devoto dos infortúnios (que ele próprio inventou)...
“Invoca-me no dia da tua angús a; eu te livrarei, e tu me glorificarás”; Salmos 50:15.

Já que o Deus bíblico usa ameaças de cas gos para obrigar que os humanos o “ame” acima
de tudo; e preparou um lugar de tortura e sofrimento para os que não desejam amá-lo...
Fica provado que o Deus bíblico não se importa que o amor seja algo que se adquire por
admiração, com respeito, com afeto, e com confiança...
Ou ele seria tão destrambelhado que pensaria que o amor é um sen mento que pode ser
imposto às pessoas usando ameaças de cas gos.
Como se fosse possível forçar alguém amar algo u lizando a força, e o medo...

O que adiantaria ser um Deus eterno e ONIPOTENTE, sem ter a quem possa amedrontar,
possa controla, possa julgar, possa cas gar, possa observar, ou possa recompensar?

Vamos supor que não tenha sido o homem que fabricou dúzias de deuses, mais sim, que foi
o incompetente Deus bíblico, que teria criado o homem já adulto, e sem ancestrais...

Embora o simples fato do perfeito não puder criar o Imperfeito já detone a mitologia de que
os humanos nasceriam precisando de salvação...
E os mais lúcidos já não precisariam do “amor” oferecido por um Deus vinga vo, e tão
megalomaníaco que NINGUÉM ZOMBARIA do mesmo sem ser cas gado.

Embora seja di cil o “homem médio” entender que o Universo não desperdiça nada.
Que tudo é reaproveitado.
Que a morte é o que dar valor a vida.
Que viver para sempre seria um tédio e um cas go...
E que fomos apenas o produto mais sofis cado da atual Evolução cósmica, do Adapte-se ou
morra, e da Tirania da sobrevivência a todo custo...

Ao fornecer à humanidade a oportunidade dos lúcidos se livrarem das crendices bíblicas, a


minha missão já estaria cumprida.

A principal regra do religioso cascudo ou fundamentalista é, são os lideres religiosos quem deve decidir o
que é melhor; e o que devemos saber, ou podemos fazer...
E sendo assim NÃO PENSE, não ques one, NÃO duvide, e NÃO ABRA A SUA MENTE, mais apenas funcione
no automá co, ou você irar queimar no fogo eterno do Inferno...

Será que um Deus que cria o mal, (Isaías 45); que culpa os filhos pelos erros dos pais, (Pecado
Original); que afoga crianças inocentes (Dilúvio); que destrói Cidades (Sodoma e Gomorra); que
castiga até os mortos; e que desde que a vida se iniciou, vem pondo câncer em MILHÕES de
bebezinhos, se comoverá com simples ORAÇÕES?
A Bíblia desmascarada Volume VII 57

O seu Deus seria um psicopata tão cruel e sádico, que primeiro coloca câncer em crianças
para depois mostrar o seu poder?
Se Deus não vesse fabricado as DOENÇAS, a cura seria desnecessária, e não haveria
necessidade de fazer peregrinações pedindo “milagres”...

Sempre houve pessoas nascendo com deformidades, e com milhares de doenças...


E essa negligência de Deus nunca foi explicada de forma satisfatória pelas religiões.
Pois só a ciência consegue explicar por que existem tanto sofrimentos e desigualdades...

Além do Câncer ser um conjunto de mais de 100 doenças cujo crescimento desordenado
afetas os tecidos e órgãos do corpo...
Devido às complicações provocadas pelo “Fator crescimento”, e como os bebezinhos dobram
de peso em apenas alguns meses, as crianças são os que mais têm câncer...
Na faixa etária entre 1 e 14 anos, o câncer é a primeira causa de morte por doença, e a
ciência é a única forma de remediar esse acontecimento milenar...
Os principais pos de CÂNCER por ordem alfabé ca são:
Anal, Bexiga, Boca, Colorretal, Colo do Útero, Esôfago, Estômago, Fígado, Infan l, Laringe,
Leucemia, Linfoma de Hodgkin, Linfoma não-Hodgkin, Mama, Ovário, Pâncreas, Pele,
Melanoma, Pele não Melanoma, Pênis, Próstata, Pulmão, Tes culo, Tumores de Ewing
Quais são os cânceres mais letais dos humanos?

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), os cânceres mais comuns dos
humanos são os de pulmão, mama, colorretal, estômago e gado, que juntos respondem por
quase metade dos novos casos de câncer que surgem no mundo a cada ano.
Segundo o biólogo molecular Roger Chammas, da Faculdade de Medicina da Universidade
de São Paulo (USP), a letalidade do câncer, ou seja, sua capacidade de matar depende de
vários fatores.
“Primeiro, das caracterís cas do próprio câncer; depois da capacidade que cada organismo
tem para reagir e combater a doença; da rapidez com que ele cresce e invade tecidos e
órgãos”; e da existência de algum po de tratamento eficaz...

Sendo que graças aos avanços da ciência, e aos tratamentos preven vos, o câncer de
tes culo, que no passado foi letal, hoje apresenta até 95% de chances de cura.
A Bíblia desmascarada Volume VII
58

Os saba stas escondem que o nome “sábado” se referia ao “Dia do Saturno”


Como Saturno tem uma massa 95 vezes maior
do que a Terra; e é o planeta mais longínquo
que pode ser visto a olho nu; des da pré-história
se afirmava que Saturno foi o último trabalho
antes que o Deus Sol tenha “descansado”...

Quando os saba stas reconhecerão que desda pré-história os an gos já realizavam festas
dedicadas ao Planeta Saturno; e que os judeus transformaram os festejos de Saturno na lei
onde aos sábados se LOUVARIA AO ANTIGO DEUS BÍBLICO?
Como há uma diferença de até 12 horas no FUSO HORÁRIO dos países que ficam do outro
lado do planeta; é impossível que todos os saba stas dos diversos países possam descansar
no mesmo horário em que o Deus bíblico supostamente teria “descansado”.
E pela normalização ISO 8601, atualmente o sé mo dia da semana seria o domingo.
Embora o catolicismo tenha subs tuído o sábado (onde por milhares de anos se nha o costume de
aos sábados se rezar e agradecer aos Deuses), pelo domingo, já que teria sido num domingo que
Jesus Cristo supostamente teria vencido a morte.
Hoje tanto os talaricos, como as piriguetes, e as doidivanas prefere cur r os embalos de sábado à noite.
Todavia através de an gas moedas, de an gos Documentos, e de fatos históricos, ficou
provado que a palavra Domingo, que significa “Dia do Sol”; foi supervalorizada pelo
Imperador Aureliano; no ano 270, ao introduzir no Império Romano o culto oficial ao Deus
Sol Invicto, fazendo do Deus Sol a primeira divindade do Império Romano.
A ideia de muda o dia de adoração do sábado para o domingo, há havia sido proposta em
189 d.C., pelo Papa Vítor I, como forma de combater Teodoro de Bizâncio, que havia
apostatado que Jesus Cristo fora apenas um humano excepcional, e não Deus...
Constan no era um adorava do Deus Sol Invictus; mas após assassinar o sogro Maximiano
passou a se auto colocar sob a proteção do Deus Sol Invicto dos soldados romanos.
Em 7 de março de 321, através do Édito de Constan no Decretou à adoração ao Deus Sol
Invicto, e a proibição de se trabalhar aos domingos...
Em 326 d.C. o Concílio de Niceia mudou o descanso semanal de SÁBADO (Saturno), Dia para
oração, e o Dia de apaziguar os Deuses, para DOMINGO, o (Dia do Sol), o “Dia Prima Feria”;
que passou se chamar “Dies Domenica”, e posteriormente Domingo...
E o pagão Constan no decretou que o astro Rei era o Sol, e não mais a Lua...
Em 364 o Concílio de Laodiceia aboliu a tradição de GUARDAR O SÁBADO, existente no
Êxodo 20:8-11 Lembra-te do dia do sábado, para san ficá-lo, 6 dias trabalharás, e farás toda
a tua obra. Mas o sé mo dia é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra,
porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sé mo
dia descansou.
A Bíblia desmascarada Volume VII
59

Quem é mais feliz, o religioso ou o ateu?


A ciência mostra que os muito ligados a algum po de divindade tendem a ser neuró cos, tendem a sofrem
de ansiedade, possuem uma inteligência baixa, ou são medrosos...
O religioso medroso, fundamentalista, ou incapaz de aceitar que a morte é o fim da vida finge que as
pessoas apegadas ao seu Deus são muito felizes…
Mas a crença em algum suposto Deus vinga vo e ciumento, longe de fazer os religiosos se sen rem mais
forte, só aumenta a ansiedade, e o ins nto de submissão, assim como, obriga que o devoto mantenha um
contato constante com a sua En dade preferida.
O religioso não tem privacidade, se sente “amarrado” ao seu Deus, acha que tem a obrigação de doutrinar
novos devotos, quase não controla a sua vida, e permite que os outros decidam por ele...
Todavia, mesmo tendo uma vida sofrida, miserável, ou sem confortos, o religioso se manter agarrado à
ilusão de que depois de morto ele seria magicamente recompensado...

É lamentável que em pleno século XXI o religioso fundamentalista, que vive de esperanças, e
desperdiça a sua única possibilidade de viver de forma prazerosa, se deixe escravizar pelos
que usam a mídia para controlar, extorquir, ou influenciar o povo...

Mas psicologicamente falando, é “comum” que uma sociedade dominada pelo medo da
morte, e assombrada por Demônios seja tão alienada que cultua a ilusão inalcançável de
que depois de morto se viveria para sempre…
Até porque no quesito religião o cérebro de 99% dos humanos ainda funciona no primi vo
modo automá co, e não no moderno e sofis cado padrão ISO de racionalidade.
Se os iludidos vão de porta em porta tentando alastrar as suas mitologias, por que o lúcido não pode abrir
a mente dos iludidos, mostrar a realidade, ou provar que as religiões estão “fora do prazo de validade”?

Por que só os ateus não deveriam escrever livros, discursar, fazer perguntas que colocam as
versões religio$as em xeque, ou mostrar que o Deus bíblico é só uma mitologia dos que em
vez de racionalizar agem no automá co, e permite que os outros decidam por eles?

Já que para que possamos evoluir a Fé religiosa precisa deixar de exis r; por que os ateus
não poderiam ser “ateus missionários", ou divulgar os conhecimentos que farão os cristãos
deixarem de acreditar em Jesus?

Já que a sexualidade exercida sem tabus, sem preconceitos, ou sem medos, é uma das
maiores fontes da felicidade humana...
De acordo com antropólogos e com os psicólogos, a explicação para que o poder religioso
implique tanto com a liberdade sexual dos humanos, se deve ao fato de que tanto a mulher
como o homem, ao ficarem felizes, se tornam mais di cil de controlar, através do medo.
A Bíblia desmascarada Volume VII
60

Todos os seres foram criados de UMA VEZ, e como são na ATUALIDADE, ou surgiram
em diferentes ERAS GEOLÓGICAS?
Caso tivesse acontecido uma criação milagrosa
dos vegetais e dos animais a partir do NADA...
Onde o Deus bíblico teria criado tanto os seres
marinhos, como os voadores ANTES dos seres
terrestres, e já adultos...
Os fósseis não mostrariam as modificações
morfológicas progressivas e adaptativas pelas
quais todos os seres passaram ao longo da sua
evolução e diversidade.

A Bíblia afirma (dentro de uma absurda sistemá ca), que Deus milagrosamente povoou as águas,
o Céu, e a terra; com todos os seres viventes que já exis u...
E que TODOS os seres já teriam nascidos adultos; e sem os seus Predecessores...
Mas a fábula bíblica não se encaixa nos conhecimentos que a ciência vem acumulando; não se encaixa no
fato dos seres terem surgido em diferentes ERAS GEOLÓGICAS; terem surgido em diferentes LOCALIDADES;
se subdividirem em raças, e se dividirem em EXTINTOS e MODERNOS.

Ao se manter longe dos detalhes, e fornecer apenas explicações genéricas ou básicas, os


autores do suposto “livro sagrado” se asseguraram de que as suas versões imaginárias
seriam assimiladas por alguma cultura atrasada, e que conseguiria penetrar na mente dos
que se contenta com uma análise superficial da realidade.

Quando se trata da criação a Bíblia é pouco clara; apenas faz afirmações de maneira
genérica, é pouco detalhista, e apenas afirma que num dia Deus fez isso, no outro Deus fez
aquilo, e etc.
Se a única forma de aceitarmos alguma suposta revelação divina seria pela “Fé” que temos
em Deus, então estamos admi ndo que a nossa fé em Deus não possa ser jus ficada pelos
seus próprios méritos! Pois foi tanto a falta de provas de como a vida começou, como o
medo da morte que obrigou que o cérebro do religioso fabricasse o seu Deus atual.

O “Experimento de Stano” demonstrou que num ambiente anterior ao da atmosfera com


oxigênio as automontagens por células simples pode ser um processo sico inevitável.
E já que a vida é uma consequência das leis naturais, e o obje vo das forças que atuam sobre o nosso
universo, transformando tudo, sem precisar das interferências mitológicas; caso o Deus bíblico tenha
demorado bilhões de anos para fazer algum po de ser vivo, Ele seria desnecessário...

Pois a vida pode ser fabricada em “tubos de ensaios” como o planeta Terra (por mudanças,
mutações, e tenta vas). Desde que se tenham toda eternidade para fazer experimentos; os
recursos fornecidos por trilhões de astros; e algum “tubo de ensaio” tão gigantesco quanto o
nosso Universo.
A Bíblia desmascarada Volume VII
61

A fé sem razão despreza a realidade

Deus é um “psicotrópico” genérico, popular, barato, que serve para tudo; mas que é vendido
sem garan a, pois se você reclamar que o mesmo não passa de um placebo, será rotulado
de não ter do fé suficiente.
A fé sem os mecanismos da razão, e que despreza a realidade seria
apenas um fana smo de quem não tem capacidade mental sequer
para RECEBER as informações evolucionistas.
Não consegue sair da escuridão em que se encontra.
E que nada tem para oferecer, a não ser um monte de crendices
primi vas, que se aproveitam dos nossos momentos de
fragilidade...

Já que o fundamentalista ou o iludido só se interessam pelas versões


religio$as, e subs tui a realidade por versões desprovidas de qualquer
racionalidade...
Que garan as você tem de que a Bíblia seria a vontade de algum suposto
Deus, e não alguma ar manha humana?

Como ao afirmar que a Bíblia “foi escrita sob inspiração divina” estaríamos
usando como prova a própria Bíblia; só conhecendo UM LADO da querela, e medindo as coisas pelos valores
que nos foram impingidos...
O escritor inglês Samuel Butler (1835-1903), nos alertou que A Bíblia seria apenas uma “sinopse” terceirizada
do suposto Deus que veneramos...

Jesus Cristo é só uma mitologia fabricada com os despojos


de an gas lendas, onde os camelôs da fé usam
acontecimentos importantes da vida real, para fingir que
Jesus exis u. Arqueólogos, historiadores e cien stas
estudaram a Bíblia com profundidade, e para a tristeza dos
devotos, ficou provado que a Bíblia não passa de mais outra
fraude religiosa.
O “Arianismo” fundado no século IV por Ario mostrou que Jesus NÃO foi um Deus coeterno,
imortal ou mesmo, um Deus que sempre teria exis do.
E hoje graças à ciência, ao Telescópio, ao Microscópio, a Freud, a Darwin, e a Internet as
jurássicas religiões perderam o poder de nos embromar com “explicações” mitológicas.
As Leis dos Reis 11:3, e o Judaísmo afirmavam que o Messias nascerá com atributos sicos
normais, como qualquer outra pessoa...
E não que o “Messias” seria um DEUS HUMANO com qualidades sobrenaturais...
A Bíblia desmascarada Volume VII 62

Enganam-se os que julgam que as inovações são aplaudidas.


Embora mudar seja um processo longo, perigoso, e que precisaria vencer as dificuldades criadas pelos que
não estariam preparados para as inovações, ou que não desejam ter o trabalho de se adaptar as novidades.

Pois ser ateu é ser rejeitado pelos fundamentalistas, não desanimar, poder reforçar a sua cria vidade,
descobrir que as versões fora de contexto não resistem a uma crí ca sábia; dispensar a “ajuda” divina, usar
os recursos disponíveis, buscar conhecimentos, e não acreditar nas mitologias que mantém o religioso numa
vida primi va; pois ser ateu seria um ato de coragem, e de independência intelectual, e não um COMPLEXO
DE PROMETEU.

E mesmo a realidade sendo um “Poder Supremo”, o crente cascudo ou fundamentalista ainda usa tanto a
FORÇA BRUTA, como a VANTAGEM NUMÉRICA para tentar impedir que o ateu divulgue aquilo que possa
abalar as crendices religio$as...

Pois para o fundamentalista que se encontraria preso na cela da sua ignorância, é insuportável sen r que os
seus dogmas, e o seu querido Deus estão sendo destruídos, pouco a pouco pelo Poder supremo da ciência...

Como racionalizar exige recursos, e não é uma tarefa fácil, os fundamentalistas tentam impedir que as
mudanças aconteçam; todavia, embora o novo precise chamar a atenção, e tenha que superar o que já se
encontraria entranhado no cérebro das massas, a “Roda da vida” termina esmagando os que tentam deter
as mudanças...

Que tal, em vez de acumular adornos ou crendices religio$as, você tentar possuir a espada da Jus ça, o
escudo da realidade, os tesouros da sabedoria, ou a chama da liberdade?

Eu sou o ateu e ególatra Lisandro H, que desde 2006 é o cidadão mais perseguido do Yahoo
Religião, porém como tenho consciência de que os meus inimigos foi o que mais me ajudou
corrigir os erros dos meus livros, e o que me torna ainda mais forte...

Agradeço a todos os que interagiram comigo; e desejo “Vida longa aos meus inimigos, para
que eles possam assis r todas as minhas vitórias”!

Embora seja um paradoxo; às vezes devemos começar na sombra, até porque os que
demonstram muita inteligência conquistam inimigos; pois o talento assusta os que
conhecem as suas limitações, ou têm medo das mudanças.

Enquanto os cristãos ameaçam os que se desviam de Jesus, com a mitologia de que eles
estariam carimbando o “Visto de entrada”, na Embaixada das Profundezas; e “vendem” aos
ingênuos uma passagem só de ida para o Céu...
Os espíritas vendem a passagem de volta para os que acreditam na vida depois da
destruição do cérebro; sendo porém que dificilmente alguém “retornaria” na Primeira
classe.
A Bíblia desmascarada Volume VII 63

Quem alastrou a norma de se casar “virgem” foi Rav Shaul


Mesmo o sexo sendo o que possibilitou a humanidade sobreviver às guerras, sobreviver à
fome, sobreviver às doenças, e sobreviver às catástrofes...
Pois o Sexo é o “portal da vida”, e quem atravessa esse portal consegue se perpetuar...
E em momento algum a Bíblia afirme que Deus proíbe o sexo antes do casamento...
Pois tanto a Lei como a religião judaica não prescrevem a virgindade da noiva pobre, e até
incen va o “Crescei e mul plicai-vos”...
Até porque, na época de Jesus o povo sendo rude, dificilmente alguma jovem que fosse órfã,
fosse escrava, ou que fosse muito bonita conseguiria casar virgem..
Pois as mulheres pobres eram tratadas como “gado humano”, como ovelhas parideiras, ou
até mesmo comercializadas...
E os que mandavam precisavam gerar mais braços para os trabalhos.
Em virtude de na época se acreditar que a infecundidade decorria exclusivamente da
mulher; a noiva poderia precisar provar ao futuro marido que era fér l.
E como pela Lei judaica, entre o Desponsório (Noivado) e a celebração das Núpcias, sempre
decorria um intervalo de tempo, que podia chegar a anos.

No período chamado “CONDUÇÃO”, embora os noivos vivessem separados, o futuro marido


poderia usar do direito legal de saber se a sua futura esposa era fér l, pois não ter filhos era
interpretado como uma desonra, ou mesmo algum cas go divino...
Em virtude do “Contrato de Casamento” outorgar ao noivo a posse da noiva; era comum que
na Condução se chegasse a ter filhos, sendo que a prole era considerada legí ma.

Mas aproveitando que o “An go Testamento” mostra passagens onde milhares de jovens, de
outras etnias foram assassinadas em nome de Deus, por terem perdido a virgindade...
E já que entre os ricos a virgindade da jovem era uma pré-condição para conseguir casar.
Pois no passado, para os racistas, machistas, e primi vos, que viviam debaixo da lei divina, a
pureza do corpo feminino jovem era um fe che supervalorizado

Rav Shaul (mais conhecido por Saulo/Paulo), alastrou a “proibição” de antes do casamento
não ser permi do realizar algum “Teste Drive sexual”...

O casamento dos judeus ricos era cons tuído de três partes:

O “DESPONSÓRIO”, que era o Noivado e onde era feito o “Contrato de Casamento” na


presença de testemunhas, pois o Contrato podia ser tanto escrito, como oral.
E se des nava combinar o dote da noiva...
A “CONDUÇÃO”, que era o período intermediário entre o Noivado e o Casamento.
E as “BODAS”, que era o Casamento propriamente dito.
A Bíblia desmascarada Volume VII 64

A versão de que todos teriam um “Anjo da Guarda” não passa de crendice?

A palavra hebraica para Anjo é Malakai, que significa “Mensageiro”

Embora há mais de 4.000 a.C. na Cidade de Ur, do Oriente Médio, já se contasse causos “acontecidos” com
Anjos, e se afirmasse que “Quanto alguém nascia um Anjo da guarda ficaria encarregado de proteger, e de
auxiliar os humanos nos momentos di ceis da vida”...
A mitologia do Anjo da guarda não passa de uma fraude, até porque, nas versões católicas existem apenas
72 Anjos, divididos em 9 hierarquias angelicais; e sendo assim, na hora do nosso nascimento, não haveriam
os supostos Anjos da Guarda, suficientes para proteger toda a humanidade.

O mais interessante é que o protetor exército de bilhões de anjos só seria necessário porque o Deus do
amor infinito não decide acabar com o mal; pois é o mal quem ajuda Deus arrebanhar devotos; pois sem
inimigos para vencer não existe glória, nem heróis...

Embora em 312 d.C. por ordem do imperador romano Constan no os “Anjos da Guarda” tenham sido
introduzidos no “Novo Testamento”.
E em 325 d.C., o Concílio de Niceia vesse determinado que a crença nos Anjos é um dogma da Igreja
Católica.
Em 343 d.C. ficou decidido que os anjos existentes no Velho Testamento eram demoníacos, e que
reverenciá-los era idolatria.
Entretanto, no século V a Igreja da Espanha propôs que o dia 29 de setembro fosse declarado o dia de se
festejar o Arcanjo Miguel.

Em 787 d.C. no Sé mo Sínodo Ecumênico definiu-se dogma somente em relação aos arcanjos: Miguel, Uriel,
Gabriel e Rafael.
Como dês do ano 800 acontecia na Inglaterra uma festa dedicada aos Anjos da Guarda.
E a par r do ano 1111 começou ser fabricada a “Oração para o Anjo da Guarda”...
E em 1670 o Papa Clemente determinou que o dia 2 de outubro fosse o dia de se festejar os “Santos Anjos
da Guarda”
Como da pré-história até o Século XX, de cada 03 filhos 01 morria criança, o Céu deve está repleto de “Anjos
crianças”.
A não ser que seja ficção a versão de que:
“Quando alguma criança morre ela se transformaria num Anjo”, que Deus levou para ficar ao seu redor.

Antes da Bíblia ter sido escrita, isto é, quando ainda era transmi da oralmente, os gnós cos já adoravam
Anjos, pois os Anjos eram uma presença constante no imaginário dos crentes.

As lendas an gas estão infestadas de Anjos, e só no An go Testamento há 188 referências aos Anjos,
inclusive a versão de que, os Anjos cantavam louvores enquanto Deus criava o mundo...
A Bíblia desmascarada Volume VII 65

A Angelologia é uma das mitologias menos explicadas pelas “Escrituras Sagradas”, e apesar da Bíblia dizer
que, antes da Terra os Anjos já exis am e que os Anjos foram criados para servir a Deus e aos homens...

A Bíblia não informa COMO os Anjos foram criados?


Como os Anjos se tornaram imortais?
Se os Anjos sempre exis ram?
Se os Anjos seriam contemporâneos de Deus?
Ou se o Céu seria um Panteão cheio de Santos, Anjos, Serafins, Querafins, Divindades e Almas.

A Bíblia esconde que Deus NÃO precisaria criar humanos para que depois de mortos eles fossem “povoar o
Reino dos Céus”, como alguns religiosos erradamente afirmam...

Até porque, nas mitologias religio$as o Céu já estaria povoado por seres muito mais poderosos do que os
humanos, e do po que NUNCA dependem dos humanos.

Como não se podem ter duas conclusões verdadeiras que sejam contraditórias entre si, e a lógica silogís ca
ou aristotélica afirma que, “Se uma conclusão não for verdadeira ela é falsa, e vice-versa”.

Existe um mecanismo mental que (assim como a hipnose), pode modular as caracterís cas automá cas da
percepção humana; ou fazer o cérebro do religioso ter a sensação excessivamente real, de que ele
conseguiria entrar em contato com pessoas já falecidas, ou até mesmo com alguma En dade espiritual...

E não se trataria de algum quadro psicó co, ou de alguma alucinação, mas sim, de um condicionamento
cultural onde o cérebro “absorve” do ambiente os dados que facilitam a sensação de que exis ria alguma
vida pós-túmulo...
Todavia como os iludidos não podem provar que o seu Deus existe, fica comprovado que Deus não existe.
Pois sem evidências= Sem Deus.
Se for verdade que ao morrer Deus estaria nós esperando no céu...
Por que quando há risco de morrer o religioso pede a Deus que o salve?
Qual será a serven a do atual “Deus” bíblico, quando o mundo e a ciência do futuro oferecer tudo o que
necessitamos; já que o atual Deus antropomórfico, e antropata dos humanos seria apenas mais outra
mitologia, e uma arrogância do homem diante das outras espécies...

Além de já estarmos num momento de grande produ vidade ateísta, hoje temos paz, abrigo, saúde,
higiene, alimentos, confortos, diversões, amparos, sofis cadas tecnologias, aposentadoria, férias, Jus ça,
novas necessidades; e só os mais crédulos ainda se agarram às memórias nostálgicas de deuses arcaicos que
“intercediam” por nós, mas sem nada fazer.

Sabe para onde vão os deuses quando morrem? Resposta, para os Livros de Mitologias.

A morte é necessária, como atualmente somos 7,5 bilhões de humanos; até agora já exis ram mais de 107
bilhões de humanos, e só nos próximos 20 anos deverão nascer mais outros 8 bilhões de novos humanos; se
a vida não se resumisse em viver um pouco e depois morrer; em poucos anos seriamos mais de 200 bilhões
de indivíduos...
A Bíblia desmascarada Volume VII 66

O que iria para o Inferno, se a Alma volta ao Deus que a criou, e o corpo retorna ao solo?

Para que trazer ao mundo infelizes que irão para o


Inferno, se mesmo antes dos indivíduos nascerem, o
Deus YHWH já saberia quem seria castigado?
Mais importante do que questionar a origem ou a veracidade
da existência do Inferno, é atentarmos para a intenção da sua
adoção, que foi IMPOR A FÉ através do MEDO.

Até 384 d.C. quando Jerônimo traduziu a Vulgata Latina, não havia nada na Bíblia que possa ser chamado
de Inferno, ou mesmo Purgatório...
E em Eclesiastes 9:5 é dito que quando morremos deixamos de ter consciência...
Romanos 6:23 diz que quando morremos pagamos os pecados com a morte...
Além de não ser honesto, não ser justo, e não ser correto que por algum “pecado” come do em minutos, ou
por alguma palavra proferida num momento de obscuridade, a Alma do morto sofra uma tortura eterna, e
seja atormentada no fogo do Inferno por toda a eternamente...
E já que segundo o Eclesiastes 12:7, quando o homem morre o pó volta a Terra, e o “fôlego
da vida” SAI do cadáver e "retorna ao Deus que o criou...
Tanto pela ÉTICA, como pela JUSTIÇA, ou mesmo pela LÓGICA a mitologia do TORMENTO ETERNO, ou do
CASTIGO PERMANENTE ficar descartada; até porque, a injus ça do TORMENTO ETERNO ultrapassaria o
Pecado come do.
Pelas incoerências existentes nos argumentos, que reflete o desejo primi vo de uma punição cruel como
reparação, e que seria apenas uma mera vingança; a mitologia de um Deus puni vo se desmonta sozinha.
O famoso Creia em mim e serás salvo, se não creres sereis condenado, é só uma pressão psicológica, uma
persuasão mórbida, ou um jogo de cartas marcadas, e não algum fantasioso “livre arbítrio”.
O mal sempre exis u, criou-se por si próprio ou foi criado por Deus?
Se Deus saberia do futuro surgimento do mau, e nada fez; então tudo recaí sobre Deus.
E se o mal já exis a desde sempre, então Deus não é o princípio de tudo...

Para mostrar que as crendices religio$as são uma fraude, lembramos que, segundo o “Novo Testamento” os
ateus bons, honestos e dignos, ao morrer vão para o Inferno, enquanto os que passam a vida torturando,
roubando, matando ou mesmo estuprando, poderiam ir para o Céu, desde que antes de morrer o meliante
se arrependa, peça perdão, e passe para o lado de Jesus Cristo...
Já que um Deus bom, justo, e compreensivo não deixaria de resgatar os que veram uma conduta e uma
vida exemplar, (ainda que esses indivíduos não lhe desse crédito), pois uma pessoa tão especial, logo
deixaria de lado o seu ce cismo, caso lhe fosse dado um único mo vo para que isso aconteça.

Não resta dúvida de que Jesus se opõe ao “Livre arbítrio”, força os humanos lhe prestar uma obediência
cega e servil, fica espreitando os erros e os “Pecados” dos homens para cas gá-los, e seria um juiz severo,
rigoroso, exigente e inflexível; cujo principal atributo seria aos amigos tudo; já aos ateus, uma “Jus ça”
inflexível, corpora vista e sem misericórdia.

Além da religiosidade não ter nenhuma relação com o caráter de alguém, é evidente que muitos ateus
também poderiam ter uma vida harmônica, constru va, feliz e saudável, sem precisar acreditar em Jesus e
no seu suposto reino sobrenatural, até por que, os ateus são bem mais lúcidos do que os crentes, e são
capazes de se erguerem acima dos problemas existenciais.
A Bíblia desmascarada Volume VII 67

A fé religio$a seria só uma ilusão irracional?


Os argumentos religiosos são palavras ocas ou
impregnadas de fantasias, que motivariam os
crentes interpretarem a vida, as doenças, as
guerras, a morte e os acontecimentos
aparentemente extraordinários como sendo
manifestações de alguma suposta vontade
divina.

Em 2012, Nikolai Axmacher, da Universidade de Bonn, Alemanha, após comparar an gos


textos bíblicos com as traduções recentes, e submeter os textos bíblicos a sofis cados
exames grafotécnicos, verificou que os relatos referentes a Jesus não passam de fraudes.

A falta de provas e o silêncio de homens extraordinários como: Flávio Josefo, Justo de


Tiberíades, Filon de Alexandria, Tácito, Suetônio e Plínio, o Jovem, que em seus escritos
jamais fizeram nenhum po de referência a personagem Jesus Cristo.
Já havia comprovado que os “acontecimentos” narrados pelos evangelistas a respeito do
personagem Jesus, não passam de ficção.

Como a fé do eterno iludido é uma ilusão, uma invencionice, um adestramento, uma versão
onde os acontecimentos são “explicados” sem o auxílio da razão e da ciência; os argumentos
apresentados pelos devotos são sempre, mágicos, primi vos ou paté cos.
A fé do eterno iludido não passa de uma crença, na ocorrência de algum absurdo; onde não
se tem compromisso com a veracidade dos fatos.
Acreditar em personagens como Jesus Cristo, é parte da irreflexão ou da criancice dos
indivíduos que precisam se agarrar a algum po de apoio emocional.
O crente seria alguém que tem dificuldade de controlar as suas emoções, tem dificuldade de
conciliar a razão com a emoção, ou alguém que acredita em En dades que, magicamente
poderiam realizar tudo.

Enquanto o crente não entender que a vida por si mesmo já é um acontecimento fantás co,
a existência de tudo que existe lhe parecerá não ter nenhum sen do.

Mesmo que alguma “Sociedade ao serviço de Jesus” já es vesse preste a se esgotar, exis ria o agravante de
que os iludidos capturados por esse po de armadilha, para evoluírem para a fase da realidade, do
conhecimento ou descobrir que não há evidências da existência de um ser divino, precisariam primeiro
enxergar que sua crença estaria sendo influenciada pelo medo, pela fé e pelas emoções.
E fica fácil entender que os humanos não serão de todo livres, enquanto permanecerem presos às
convenções religio$as, onde o mito e a lenda são os seus únicos fundamentos e obje vos.
A Bíblia desmascarada Volume VII 68

É fácil convencer algum indivíduo frágil, mís co, crédulo, sofrido, ou que já nasceu para
seguir regras, acreditar nas mitologias religiosas...
E tudo o que se precisa fazer é reforçar a parte mais gra ficante do que foi dito, e aguardar
que a apropria imaginação do “alvo” faça o resto.

Até porque, um livro ultrapassado, infestado de crendices, e escrito numa época anterior a
ciência não pode ser mais relevante do que as modernas descobertas, e os experimentos
cien ficos do século XXI...

Enquanto a jovem ciência cresce, e fica mais sofis cada; a Bíblia sendo um livro jurássico,
escrito para os fundamentalistas que viviam numa época atrasada, e assombrada por
Demônios; ela já estaria “Fora do prazo de validade”, e não passaria de mais outra invenção
humana que ficou obsoleta, e que já foi soterrada pela poeira do tempo...

Se o progresso, a tecnologia, e a liberdade não conseguir libertar os humanos dos mitos


religiosos, estará patente mais uma vez, o estado pueril em que ainda se encontra o
desenvolvimento mental do homem religioso.

Tendo compreendido o poder que as imagens, o vestuário, as histórias fascinantes, e as


diversas formas de arte têm sobre a população.
Para parecerem modernas e esconder que estariam ultrapassadas, as religiões usaria
“maquiagens” como:
A pompa, a exuberância, a exaltação, as emoções, as artes, as repe ções constantes, os
mantras, as ladainhas, o estratagema de produzir inúmeros folhetos, músicas, imagens
ar s cas e fascinantes histórias; no sen do de convencer a parte crédula do povo, a
acreditar nos seus ensinamentos. Pois as religiões se aproveitam do raciocínio humano ser
limitado por nossas emoções e a maneira como sen mos as coisas.
Além das crenças religio$a$ não terem nenhum compromisso com os rigores cronológicos,
geográficos ou cien ficos; é comum o crente transformar mendigos ou esquizofrênicos em
poderosas divindades, que supostamente poderia ajudá-lo; pois tanto a gula humana por
Deus, como a ilusão de que será atendido, é parte da maneira de agir dos que dependem
das doutrinas cujas rédeas psicológicas, incluem ameaças de cas go no Inferno e a
possibilidade de poder unir a sua fraca vontade, com algum poder divino.

Pois não se trataria da realidade, ou de algum experimento que possa desvendar a origem
das coisas; mas sim, um jeito primi vo do inconsciente usar a magia, e a submissão, para
contrabalançar as situações estressantes, que o indivíduo não consegue superar.
A Bíblia desmascarada Volume VII 69

Por que acreditar na “Vida depois da morte” se este mito e só uma


manipulação da mídia religiosa?
O PRIMEIRO a men r que o homem não morreria foi Satanás, na fábula do Pecado Original,
quando afirmou que: “Certamente não morrereis...”
Por estar comprome do emocionalmente com as suas crenças, e não controlar as suas
emoções, o religioso não tem o equilíbrio psicológico necessário para separar as mitologias
religio$as da realidade.
E tem dificuldade de admi r que não conhece a resposta.

Mas mesmo assim o excesso de confiança leva o religioso se achar superior as demais
criaturas, a acredita que teria uma alma imortal, e a ter a falsa certeza de que existe o
julgamento depois da morte...
Porém como as religiões são o “casulo” onde se esconde os incapazes de conviver com a
realidade; ou uma “ponte”, entre a razão e as angús as mais profundas dos indivíduos, que
passam a vida num equilíbrio precário, mas finge manter uma aparente normalidade...

Já que o medo da morte é uma ração automá ca, comandada pelo inconsciente, e algo que
os religiosos têm dificuldade de controlar; e como a mente infan l pode ser enganada,
distraída, ou doutrinada; ainda que Orar seja só uma maneira primi va, e inú l de NÃO
FAZER NADA, o religioso acharia que estaria fazendo alguma coisa muito importante.

Mesmo sendo um crente fundamentalista, e estando na “Casa de Deus”, dificilmente algum


evangélico incorpora Jesus Cristo; mas facilmente incorpora o Capeta, chegando até mesmo
a da “entrevistas” que supervaloriza o suposto poder exorcista do Pastor...

Depois que o indivíduo vira ateu, e se descarta da ilusão de que não precisaria lidar com a
realidade, ou de que magicamente viveria para sempre, ele passa se preocupar mais com a
sua saúde, com o seu futuro, com a sua família, e com os seus planos; assume a
responsabilidade pelo que faz ou deixa de fazer; se torna uma pessoa melhor, e do po que
procurar fazer o seu melhor, nesta sua única vida!
O ateu deixa de acreditar que a vida só tem valor se ela for eterna...
E entende que se ele vesse nascido apenas para viver certos momentos maravilhosos que a
vida nos proporciona, já teria valido à pena, pois a felicidade proporcionada pelos
momentos gloriosos, por si mesmo já seria uma recompensa imensa...
Já que os Países cristãos são mais de 40; e só no Brazil há mais de 30 mil Igrejas; seria
impossível que o Diabo converse com os Pastores toda semana, durante os diversos cultos;
pois faltaria Diabo para ser “entrevistado”...
E também seria impossível que uma parcela dos mais de 7 bilhões de humanos atuais esteja
“COM O DIABO NO CORPO”.
Como se explica que milhares de indivíduos tenham sido o mesmo famoso defunto...
A Bíblia desmascarada Volume VII 70

Se Allan Kardec ao ser ques onado sobre a aparição de um mesmo Espírito em diversos
locais, afirmou que “não pode haver a divisão de um mesmo Espírito...
Como os relatos bíblicos raramente se referem às crendices religio$as de outras culturas que
não sejam a Babilônia, o Egito, ou Roma; temos a impressão de que rando os Deuses
citados pela Bíblia não haveria um grande número de outros supostos Deuses.

Na an quíssima mitologia grega o Deus Caos foi à primeira divindade que surgir, e o Deus
que gerou todas as outras coisas... Já a deusa grega Nix, que é a personificação da noite,
nasceu a par r de "pedaços" do Caos.
Scol o Deus lobo comia o sol, e as estrelas seriam “Cacos no chão do Céu”

As religiões tentam nos impor os seus dogmas, ainda que os mesmos se choquem com a
realidade. E tentam transformar o crente numa commodity, que deve acreditar em
argumentos absurdos. Como a ridícula afirmação emocional de que, “Nem sempre a lógica é
válida para os problemas humanos”.

Observe que para convencer as massas de que os seus dogmas são a verdade suprema, os
líderes religiosos em vez de mostrarem os fatos, distorceriam a realidade, pois eles saberiam
que os tolos, os faná cos, e os mís cos se iden ficariam melhor com os ensinamentos
truncados, onde o herói ou profeta, teria do uma vida diferente ou supostamente mais
excitante.

Vale lembrar que as religiões sempre acharam que nham a legi midade e o direito divino
de ditar normas até aos que não aceitam os seus dogmas, não são seus discípulos, ou que
faziam questão de poder trocar conhecimentos com quem bem entendessem.
E que até hoje os mís cos se acham no direito de controlar tanto a vida, como até mesmo a biologia das
pessoas.

Mesmo tudo na Bíblia sendo duvidoso, incerto, e sobrenatural, os cristãos con nuam acreditando que a
relação crente Deus não poderia ser direta, e que precisamos de algum intermediário
Se considerarmos que o principal obje vo dos Ateus, dos gnós cos, dos budistas, e da
Maçonaria seria o de tornar a Humanidade mais feliz; mais livre, mais justa, e mais instruída;
sem dis nção de raça, de religião, de ideário polí co ou de posição social...

E considerarmos que nos úl mos 200 anos, as melhorias na qualidade de vida do povo se deve a
par cipação dos que foram capazes de pensar por si mesmo; pois foram os ateus eu maçons que ajudaram
abolir a Escravidão; ajudaram dar fim aos horrores da Inquisição; ajudaram criar a Declaração Universal dos
Direitos do Homem; ajudaram uniu forças contra o Nazismo; ajudaram proclamar a República, dando fim às
Monarquias Absolu stas e ins tuindo os Governos pelo voto popular; ajudaram liberar as Pesquisa
Cien fica; ajudaram implantar a Liberdade religiosa nos países democrá cos; ajudaram implantar os
Direitos Trabalhistas, etc.
A Bíblia desmascarada Volume VII 71

A “Jus ça” Divina escolhe os felizardos por sorteio, ou por simpa a?

A questão é, “Se Deus ama a todos os seus filhos igualmente, por que MUITOS vêm ao
mundo para sofre, enquanto POUCOS têm uma vida maravilhosa”, só poderia ser resolvida
pela “Lei do Carma”.
Até porque, o Cris anismo não passa de uma maquiagem dos cultos pagãos...
O “Amor” de Deus é do po “VOCÊ ME REVERENCIARÁ E EU O LIVRAREI DO PERIGO”!
Ou seja, um Toma Lá Da Cá, onde o devoto faz oferendas, e depois pede favores...
Sendo que o Deus atual dos humanos usa o terrorismo psicológico do, Ou você me
reverencia, e me ama, ou vai queimar no fogo do Inferno, por toda eternidade...
Porém, enquanto houver quem precise acreditar na fantasiosa “Vida após a morte”, sempre
haverá alguém para doutrinar que o Deus X seria a solução para as angus as que afligem a
humanidade.

Tanto o inconformismo da vida ter um “Prazo de Validade”, como o medo do


desconhecido, gerou a necessidade que o religioso tem de acreditar que teríamos Alma,
que seriamos eternos, e que haveria algum Deus nos vigiando...
Todavia não amaríamos a Deus, e sim, teríamos medo de Deus; pois é impossível AMAR
o que não CONHECEMOS, o que não COMPREENDEMOS, e o que nem mesmo podemos
provar que EXISTE.

Até porque, pelo desconhecido não sen mos amor, mas sim, curiosidade, angús a,
impotência ou MEDO...

Sendo que o medo é uma forma doen a de respeito; e uma emoção que serve para
afastar o indivíduo do que possa lhe causar algum dano.

Se nem mesmo na época da Sociedade ao serviço de Jesus, o


cris anismo conseguiu acabar com o ateísmo...

Como os religiosos conseguirão impedir que no futuro o ateísmo tome o


lugar do cris anismo, se o “Prazo de validade” do cris anismo já estaria
terminando, e tanto a ciência como a realidade estão possibilitando que
os humanos fiquem menos ignorantes...
A Bíblia desmascarada Volume VII 72

DE DEUS NÃO SE ZOMBARIA


Quem ainda teria medo do jurássico e ultrapassado Deus mau?
Embora an gamente o nome de Deus fosse tão sagrado que não se poderia pronunciar...
E o medo dos cas gos divinos fosse tanto, que o religioso cascudo ou fundamentalista se
borrava de medo; “amava”, “obedecia”, e se renderia ao seu Deus, assim como, o indivíduo
que torcer pelo me campeão...
Até porque, o Deus dos Exércitos era tão sádico, tão perverso, tão cruel, tão impiedoso, tão
egocêntrico, tão vaidoso, tão intolerante, e tão vinga vo, que nem depois de morto o herege
escaparia da vingança divina...
Hoje as novas gerações zombam da perversidade do Deus das lacunas, fazem piadas com o
nome, à imagem, e os símbolos de Deus; e inventam charges que mostram um Deus
invisível, surdo, dorminhoco, ou impotente.

A necessidade que o religioso tem de acreditar em algum mitológico Deus, já seria uma prova da sua
fraqueza MENTAL; e analisando a ameaça religio$a de que, “DEVEMOS TEMER AQUELE QUE MESMO DEPOIS
DE NÓS MATAR AINDA TEM O PODER DE NÓS LANÇAR NO FOGO DO INFERNO”.
Somos forçados concluir que, o vinga vo e sinistro Deus do “Velho Testamento” não seria algo que amamos,
mas sim, que tememos, e que nos subornaria com promessas de falsas recompensas.

Como o tempo de acreditar nas mitologias religio$as está terminando, hoje as novas gerações zombam da
perversidade do Deus das lacunas, fazem piadas com o nome à imagem e os símbolos de Deus; e inventam
Charges engraçadas que mostram um Deus invisível, surdo, dorminhoco, ou impotente...

Pois a bravata religiosa de que “COM DEUS NÃO SE BRINCA”!


E a absurda in midação do “OU VOCÊ ME AMA, OU EU FAREI VOCÊ QUEIMAR NO FOGO DO INFERNO, POR
TODA ETERNIDADE”; só assusta os fundamentalistas, e os que ainda acreditam sem racionalizar.

O “amor” que o devoto afirma sen r pelo seu Deus, não passaria de MEDO ou INTERESSE; pois o devoto só
''‘ama’'' o seu Deus na intenção de garan r uma ''vida eterna no céu’''; e não adianta negar!

Como a ciência é o maior “Poder Supremo” que a humanidade poderia obter, breve o medo
que as massas sentem pelo Deus atual será subs tuído pelo desejo de entender as coisas; e
pelo Altruísmo de ajudar o próximo; mas sem que o sofrido cidadão precise virar um servo,
precise usar alguma viseira religiosa, ou perca a liberdade de poder contestar o que
discordar.
Caso não houvesse a ilusão da “Vida eterna”, ou o suposto Julgamento depois da morte,
ninguém serviria ao seu mitológico Deus; e as religiões seriam ex ntas, pois quando o
indivíduo é feliz, tem segurança, têm confortos, se sente amado, e se sente aceito, os
“Distúrbios da acumulação de bens materiais diminuem”, assim como, a necessidade de
acreditar nas mitologias religio$as...
A Bíblia desmascarada Volume VII 73

A resistência que o povão impõe a “Teoria evolucionista” seria causada pelo medo da
incerteza, o medo da aleatoriedade, o medo de ser ter alguma caracterís ca desqualificante,
e a fé irracional que o devoto ainda tem na sua crença religiosa.

Já que tudo o que existe teve um começo, estaria em transformação, é formado por pedaços
menores, e não ficará da forma em que atualmente se encontra.

Assim que as paixões, as ideologias, os interesses de grupos e as conjecturas que se


contrapõem à realidade forem derrubados, a verdade se erguerá, pois a vida é o resultado
de um processo evolu vo e não de alguma suposta criação divina.

Já que estamos no século XXI, o futuro já chegou, e a crença em Jesus estaria ficando
ultrapassada; vamos nos modernizar.

Além de ser absurdo que o pecado come do em segundos possa um erro eterno; o
cris anismo ser apenas uma mitologia que já estaria ultrapassada, já estaria fora do seu
Prazo de validade; e o tempo das turbulências está em vigor; breve a poderosa ciência
exterminará o “amor” que as massas fingem sen r por Jesus.
Até porque; hoje em dias é possível ajudar o próximo sem que o sofrido cidadão precise
virar um servo, mão possa contestar, ou precise usar algum po de viseira religiosa.

Como a mãe natureza oferece MAIS aos que já tem MUITO...


Não ama os filhos fracos; abomina os que desistem de lutar...
E criou diversos pos de “abutres” para devora, ou escravizar os perdedores...
O cérebro dos desqualificados, dos fracos, e dos covardes fabricou a ilusão que haveria
algum Deus; de que essa divindade se importaria com os infelizes...
E a doideira que depois de morto seriamos julgados ou recompensados...

Só que quando mais o indivíduo se agarra nas crendices religio$as, menos ele desfrutar a
vida; menos liberdade ele tem; e acaba trocando o aqui e agora, por alguma mitologia
jurássica, ou absurda.
A vida de Jesus não serve como exemplo de bondade, pois para ensinar amar ao próximo primeiro Jesus
precisaria amar o seu inimigo, mas Jesus não amou o Anjo do mal, mesmo o Demônio sendo seu irmão.

Não foi o cris anismo que superou a religião dos romanos, mas sim, Roma que impôs o
cris anismo, pois em 451, o Imperador Teodósio transformou o cris anismo numa religião
obrigatória; e o povão para não abandonar as suas crenças adotou o sincre smo de colocar
nomes de Santos católicos nos seus Deuses, "Senhoras e Padroeiras

Pois é evidente que para se manter funcionado a Igreja atual depende muito mais do
Dízimo, e da ajuda que o Demônio proporciona, no sen do de amedrontar os religiosos.
A Bíblia desmascarada Volume VII 74

Por que Nossa Senhora só “aparece” nos países católicos?


Ela também deveria aparecer onde NÃO se acredita nela; para provar que existe!
E possibilitar que os sem os bene cios da fé possam vir a serem seus devotos.

Embora a tenta va humana de controlar o nosso des no seja a força que nos permite
superar as dificuldades da vida.

Profeta israelita Moisés, filho de Anrão e Joquebede teria recebido os “10 Mandamentos”
por intermédio da Cabala; ou diretamente do Deus dos hebreus.

Os devotos caírem na lábia de que Moisés “dialogava” com o Deus YHWH, fez com que a
lenda dos “10 Mandamentos” e a fantasia da “Terra prome da”, com “Rios de leite e mel” se
espalhasse pelos que acreditou na lenda do Deus YHWH.

Os defensores da Bíblia tendo falhado em provar que Moisés viveu durante o reinado do
faraó Ramsés II, tentam fazer crer que, o Êxodo ocorreu entre 1446 a 1448 a.C., durante o
reinado do faraó Tuthmosis III, da XVIII Dinas a egípcia.

Moisés foi plagiado da lenda indiana onde cerca de 3220 anos antes de Jesus, a jovem
Devaki colocou o seu filho Krishna, ainda recém-nascido num cesto de vime, e o enviado Rio
abaixo, a fim de que Krishna escapasse de ser assassinado pelo Rei Kansa, que já havia
matado outras 06 crianças que Devaki havia gerado.

Os séculos posteriores à criação do “Novo Testamento” também foram épocas de extrema


credulidade, onde fazer cópias das “Escrituras Sagradas” foi uma excelente profissão.
Se atribuiu caracterís cas divinas as ocorrências que fugisse dos padrões usuais.
E se usava métodos de coações, bem mais eficientes do que o tradicional método pavloviano
de cas gos e recompensas.
Pois se tratava de uma época atrasada, assombrada por Demônios, e onde era comum se
misturar à realidade com lendas, fantasias e ficções religio$as; pois se desconheciam os
mecanismos da Natureza, se temia a morte e se acreditava nas supers ções religio$as.

Enquanto falta água nos outros Países, faz muito frio, o calor é excessivo, já não se produz
um número elevado de filhos, se estaria em guerra com os vizinhos, ou a Mãe natureza é
como uma madrasta...
No admirável Brazil até parece que estamos no Paraíso...
Os mí cos e os desqualificados não entendem que a elite humana não tem a “missão” de
dividir as poucas riquezas existentes com um número infinito de “sem sorte”, e sim, a tarefa
de criar novos pos de bens, serviços ou conhecimentos, a fim de aproveitar o que é
proporcionado por uma civilização cada dia mais numerosa.

O capitalismo tem diversos erros, mas, mesmo assim, ainda é o melhor gerador de riquezas.
A Bíblia desmascarada Volume VII 75

O vento será a herança dos religiosos cascudos ou fundamentalistas?

Embora tanto o fundamentalista como o religioso mau caráter, que possui uma boa oratória
fale apenas o que o povo quer ouvir, e não o que o povo precisaria conhecer...
E mais de 90% dos humanos (por desejar estar certo), selecione as informações que confirmam
as suas crenças; mas despreze o que possa contradizer aquilo em que acredita.
Até porque, a própria estrutura da mente religiosa valoriza mais o que lhe dar prazer, ou que
vêm sendo “ensinado” pela cínica mídia da massa...

E se incen ve a credulidade religiosa baseado no princípio de não ques onar o que é apresentado; não se
preocupar em ouvir o “outro lado” da questão; e negar que Igreja já foi assassina, corrupta, um comércio,
ou uma “doença” com o mesmo obje vo das células cancerosas que desejam crescer a qualquer custo...
Como a fé do eterno iludido é uma ilusão que acalma e “dá” sen do à existência dos que em vez de
inves gar prefere acreditar em mitologias, como os causos sobre o Arqué po “Jesus Cristo”...
É comum que os religiosos fundamentalistas, e os faná cos terminem acreditando, até mesmo nas versões
absurdas ou irracionais da sua religião.
Todavia quando existe alguma diferença significa va entre a versão religio$a, e os fatos da vida real; isso
significa que a “explicação” religiosa não passa de mais outra mitologia.

Apesar do “Manual de Diagnós cos e Esta s cos de Transtornos Mentais da Associação


Americana de Psiquiatria”, e do “Catálogo de doenças mentais” do Conselho Mundial de
Psiquiatria evitar esclarecer os Distúrbios provocados pelas crenças religio$as.

O Caçador de Erros Bíblicos Lisandro H já desmascarou tanto a ILUSÃO DA VISÃO ASSIMÉTRICA do religioso;
como o “EFEITO HALO”, que é um VIÉS DE ATRIBUIÇÃO, onde o cérebro faz julgamentos baseados mais na
impressão que o religioso tem sobre as suas crenças, do que na realidade...
Inves gando as fontes do Cris anismo primi vo Bruno Bauer descobriu que Jesus foi um mito forjado no
século II, a par r da fusão de elementos das teologias pagãs, judaica, grega, e romana.
E que assim como já aconteceu com outras crendices mais an gas, como a egípcia, a grega, a romana, a
cél ca, e a mitologia africana, o cris anismo também está predes nado ao fracasso.

Como Jesus nunca exis u; e as versões sobre esse arqué po não passam de mitologias; para que a crença
em Jesus não caia no esquecimento (como já aconteceu com outras an gas Narra vas folclóricas, que hoje
não passam de supers ções); os cristãos precisam estar sempre recontando os causos sobre o que teria
acontecido com essa personagem mitológica.
No mundo há milhares de religiões, e aquilo que é sagrado, verdadeiro ou indiscu vel para alguns, é risível
para os demais...
Além disso, quanto mais estudamos as religiões, mais observamos que o religioso adoraria a si mesmo, pois
o Deus dos religiosos seria só uma forma de negar que um dia deixaremos de exis r.

Não existe nada mais irresponsável do que seguir a absurda e fracassada mitologia religiosa
de que, Não precisamos nos preocupar com o dia de amanhã, pois Deus proverá...
A Bíblia desmascarada Volume VII 76

Enganam-se os que julgam que as inovações são aplaudidas.


Como a realidade é um “Poder Supremo”; mesmo o crente cascudo ou fundamentalista
usando a FORÇA BRUTA, ou a VANTAGEM NUMÉRICA para impedir que o ateu divulgue
aquilo que possa abalar as crendices religio$as...

Pois para o fundamentalista que se encontraria preso na cela da sua ignorância, pode ser
insuportável sen r que os seus dogmas, e o seu querido Deus estão sendo destruídos, pouco
a pouco, pelo Poder supremo da ciência...

Os prejudicados tentam impedir que as mudanças aconteçam; pois essa é uma Lei da vida;
racionalizar exige recursos; não é uma tarefa fácil; e o ateísmo não só precisa chamar a
atenção, como tem que superar as crendices que já se encontrariam entranhadas no cérebro
das massas fundamentalistas.

Embora a “roda da vida” vá esmagando os que julgam poder deter as mudanças, mudar
seria um processo longo, perigoso, e que precisaria vencer as dificuldades criadas pelos que
não estariam preparados para as inovações, ou que não desejam ter o trabalho de se
adaptar as novidades.

Ser ateu é ser rejeitado pelos fundamentalistas; mas não desanimar ajudar descobrir que as
versões fora de contexto não resistem a uma crí ca sábia; ajuda usar os recursos
disponíveis, ajuda obter conhecimentos, e ajuda não desconfiar das mitologias que mantém
o religioso numa vida primi va; pois ser ateu seria um ato de coragem, e de independência
intelectual, e não um COMPLEXO DE PROMETEU.

Que tal, em vez de acumular adornos ou crendices religio$as, você tentar possuir a espada
da Jus ça, o escudo da realidade, os tesouros da sabedoria, ou a chama da liberdade?
Eu sou o Lisandro H que desde 2006 é o cidadão mais perseguido do Yahoo Religião, porém
como tenho consciência de que os meus inimigos foi o que mais me ajudou corrigir os meus
erros, e me tornar ainda mais forte; desejo Vida longa aos meus inimigos, para que eles
possam conhecer todas as minhas vitórias

Embora seja um paradoxo; às vezes devemos começar na sombra, até porque os que
demonstram muita inteligência conquistam inimigos; pois o talento assusta os que
conhecem as suas limitações, ou têm medo das mudanças.
Enquanto os cristãos ameaçam os que se desviam de Jesus, com a mitologia de que eles
estariam carimbando o “Visto de entrada”, na Embaixada das Profundezas; e “vendem” aos
ingênuos uma passagem só de ida para o Céu...

Os espíritas vendem a passagem de volta para os que acreditam na vida depois da


destruição do cérebro; mas sendo que dificilmente alguém “retornaria” na Primeira classe.
A Bíblia desmascarada Volume VII 77

Por que os ateus se importam tanto com os que acreditam em Jesus?

Os ateus têm sim que se revoltar com os religiosos, que distorcem a realidade para fazer com
que as suas crendices jurássicas se encaixem nas expecta vas dos que usam ao seu favor, a
incerteza ou os momentos de fragilidade dos sofridos.

Nas DEMOCRACIAS, e nas TEOCRACIAS a milenar farsa religiosa produz CONSEQUÊNCIAS


POLÍTICAS e SOCIAIS para todos; e confere aos mentores das religiões o PODER de impor as
Leis e as regras que eles bem entendem; e isso os ATEUS não podem aceitar...

Não incomoda que um fundamentalista creia no Deus bíblico ou em qualquer outro Deus; o
que incomoda é que ele use essa crença, a VANTAGEM NUMÉRICA, e a DEMOCRACIA ou a
TEOCRACIA para definir o des no dos humanos...
Se desejarmos um mundo melhor para os nossos descendentes, não podemos ficar de
braços cruzados enquanto milhões de indivíduos estão sendo embromados por vigaristas
religiosos.
Mas o pior de tudo é ver os nossos familiares, e os que amamos serem infectados desde
criança pelo vírus da devastadora “doença” psicológica chamada Jesus; e virar um zumbi...

Pois o indivíduo frágil, sofrido, ou que não consegue fugir da “Prisão religiosa” con nuará
sendo parasitado pelos que transformam a necessidade humana de seguir um líder, num
instrumento de poder, ou numa fonte de arrecadação.

O ateu não compra horário em canais de TV ou de Rádios, para divulgar aos gritos, e de
forma repe va as suas jurássicas, obsoletas, e ridículas versões bíblicas...
O ateu não fica batendo de porta em porta, tentando vender as suas revistas, e não usa
ameaças de cas gos para tenta convencer as pessoas crédulas se tornarem ateus.

O ateu não usa “garagens” como locais de pregações, e de arrecadar dízimos...


O ateu não se livra do dever cívico de pagar Impostos; não saqueia outros Templos para
construir a sua Igreja, pregar a sua crença, ou ficar rico...

E mesmo o ateu sendo o an doto da doença contagiosa chamada Jesus, os ateus ainda não
se espalharam pelo mundo.

Os religiosos publicam os seus trabalhos, exercem a vidades religio$as, e vão de porta em


porta tentando converter os “sem Igreja” abraçarem a sua fé (pois não se ques ona o direito
deles “ensinarem” aos outros as suas crenças)...
Todavia quando algum ateu divulgar a sua visão, ou o que ele descobriu; o ateu é visto como
um agitador, ou um possuído pelo Demônio, que precisaria ser de do a qualquer preço...
A Bíblia desmascarada Volume VII 78

Enquanto o religioso fundamentalista ou faná co acredita em profecias, e tem êxtases,


visões, ou sonhos que alimenta a sua loucura, virar ateu torna o indivíduo melhor.

O ateu sabe que a “sorte” é o resultado de um trabalho duro e planejado, e estaria disposto
a falhar centenas de vezes, mas con nuar perseverando, para que no fim possa ter sucesso,
em vez de apenas consumir, acreditar, ou apenas repe r o que aprendeu.

Depois que o indivíduo vira ateu, e se descarta da ilusão de que se viveria para sempre, ele
passa se preocupar mais com a sua saúde, com o seu futuro, com a sua família, e com a
realidade...
Assume a responsabilidade pelo que faz ou deixa de fazer...
Se torna uma pessoa melhor, e do po que procurar fazer o seu melhor, nesta sua única
vida!

Ao se tornar ateu o indivíduo deixa de acreditar que algum suposto Deus determinaria tudo
o que acontece; procura mudar o que discorda, e assume tarefas que ninguém quer realizar;
pois o ateu tem consciência do lugar que ele ocuparia no mundo.

O ateu não fica repe ndo que a vida só teria valor caso ela for eterna; pois o ateu entende
que se ele vesse nascido apenas para viver certos momentos maravilhosos que a vida nos
proporciona, já teria valido à pena, até porque, a infinitude de alguns momentos gloriosos,
por si mesmo já seria uma recompensa imensa...

Os “Deuses” prome am a “Vida eterna”, mas tudo o que eles trouxeram foi à morte; a
escravidão, o conformismo, uma vida onde prevalece a rania do adapte-se ou morra, e a
ilusão onde os Néscios trocam a sua única chance de viver por mitologias religio$as!

Quando o religioso fundamentalista vai de porta em porta pregando as suas crendices, e


afirmando que o Deus bíblico nos ama; porém nos ameaçando que se nos não acreditarmos
nele, e não o adorarmos seremos todos queimados eternamente pelo fogo do inferno...
Isso entra em guerra com a liberdade, e os conhecimentos que a humanidade acumulou ao
longo da vida, bem como, nos dá o direito de reagir contra essa insanidade.

O sonho do religioso cascudo ou fundamentalista é legislar sobre a biologia dos humanos; e


nunca ter as suas mitologias contestadas, como aconteceu durante a Inquisição...

Sendo que o Kaiser da Áustria Ferdinand II (1619-1637), “acabou” com a Inquisição, ao proibir
que a Igreja ficasse com todos os bens dos acusados .

No passado, e para que a Igreja enriquecesse, milhares de pessoas que se recusaram crer nas
mitologias religio$as sobre o Deus que na época estava sendo cultuado; foram assassinadas
“EM NOME DE JESUS”.
A Bíblia desmascarada Volume VII 79

Porém graças à ciência, a é ca, a cultura, a jus ça, e a informação, hoje em dia esses
hediondos crimes religiosos nunca mais voltaram acontecer...

Como “A guerra é o motor da vida”, a carnificina provocada pelos religiosos foi apenas uma
réplica do “Adapte-se ou morra” da vida biológica...

Pois sem a ciência ficamos a mercê da “Tirania da sobrevivência”; onde “Só os mais aptos
sobrevivem”, a maioria nunca chega a se reproduzir; e as massas agiriam por ins ntos,
automa smo, ignorância, ou fana smos, e não pelo raciocino, e pela Jus ça...

Se dependêssemos só dos Religiosos fundamentalistas ainda estaríamos venerando o Sol,


endeusando a Lua, oferecendo oferendas as Águas ou Montanhas “Sagradas”, colecionando
Relíquias, acreditando nos “Profetas”, seguindo os Livros sagrados, etc.

Quando o lúcido entender que foi usado pelos oportunistas camelôs da fé, ele ficará
inconformado por ter sido embromado, por ter perdido o seu tempo, e por ter sido
enganado de forma tão covarde...

Até porque a Bíblia não é um livro sagrado que conteria o segredo para a salvação da
humanidade; mas apenas um livro escrito com o obje vo de confortar os sofridos
“Operários descartáveis” que viviam num mundo assombrado por Demônios.

E a História ensinou que os “Deuses” venerados pelos humanos surgem, conquistam


devotos, a ngem o seu auge, e depois entram em declínio; sendo subs tuídos por algum
novo Arqué po.

Como já aconteceu com o Deus Sol, a Deusa Lua, e a Deusa das ÁGUAS, que foram
subs tuídos pelo Deus Enlil, que foi subs tuído pelo Deus El, que foi subs tuído pelo Deus
Baal, que foi subs tuído pelo Deus Javé, que foi subs tuído pelo Deus Sol Invictus, que foi
subs tuído pelo Deus Jesus, e que será subs tuído pelo Ateísmo...

E mesmo que demore o “Prazo de Validade” do cris anismo vai chegar ao seu termino; pois
de maneira lenta e gradual, o ateísmo irá transformar o cris anismo numa coisa do passado.

Pois o ateísmo está se alastrando, e nada deterá a “NOVA ORDEM MUNDIAL”; até porque, o
cris anismo é uma fraude, um sistema a beira do colapso; o mundo ta precisando de uma
reforma mental; e o ateísmo é a “chave” que abrirá a porta da Masmorra religiosa.
A Bíblia desmascarada Volume VII 80

Por que a história de Jesus é parecida com a de outros “Deuses?

Para jus ficar a história de Jesus ser idên ca à de outros deuses mais an gos, os cristãos
fingem não lembrar que apenas Deus seria Onisciente, e colocam a culpa em Satanás.

Os cristãos Inventaram que Satanás tendo conhecimento dos causos que aconteceriam com
Jesus, se antecipou, enviando Demônios disfarçados de Deuses, que realizaram façanhas
idên cas as que mais tarde Jesus realizaria...

Pois faltam argumentos para “explicar” porque a história de Jesus é parecido com a de
diversos outros Deuses mais an gos...

Como os religiosos se agarram no seu Deus, desprezam que todos os outros Arqué pos, e
seguem o mesmo roteiro, e o mesmo padrão heroico...

Depois de estudar diversas mitologias, de estudar a Fenomenologia Religiosa, e de estudar


a Psicologia Analítica, no livro “O HERÓI DAS MIL FACES”, Joseph Campbell
sintetizou que Independente da época e da localização, os mitos seguem um roteiro, que
poderíamos chamar de “A JORNADA DO HERÓI”.

As semelhanças existentes entre as diversas divindades se devem ao fato de que todos os


“deuses” inventados pelos humanos são personificações da astrologia, e um mecanismo de
defesa contra os medos inconscientes...

Já que o Meio Ambiente, e a Pirâmide do Adapte-se ou Morra requerem diversos


seguidores e poucos lideres (ou seja, diversos Perdedores, e poucos Vencedores)...
Fica evidente que as religiões não passam de utopias, que visam confortar os medrosos, os
fundamentalistas, os sofridos, ou fracassados...

Pois tanto o MAL como as RELIGIÕES, a JUSTIÇA, a IGUALDADE, a Vida depois da


destruição do cérebro, a mitológica MISERICÓRDIA divina, a Auto-enganação, e o
Instinto de Retocar a verdade, são características típicas do cérebro que é geneticamente
incapaz de conviver com a realidade.
Até porque, entre o cérebro do religioso e o cérebro do ateu, há diferenças evolutivas...
A Bíblia desmascarada Volume VII 81

O ateísmo será a quarta grande REVOLUÇÃO do pensamento humano

Já que o religioso não nasceu para questionar, mas


sim para obedece ao líder; e possui pouca
inteligência intrapessoal, ele se comporta como as
crianças, que ao se assustar corre para os braços da
mãe...
Até porque, quanto mais imaturo, mais frágil,
menos racional, ou mais místico o indivíduo for, na
hora das dificuldades mais ele recorrerá a alguém

A PRIMEIRA grande revolução do pensamento humano começou em torno de 1500 quando COPÉRNICO
acabou com o geocentrismo de que o Sol gira ao redor do planeta Terra; e graças à ciência, hoje sabemos
que se o homem ou mesmo todo o nosso Sistema solar desaparecerem, o Universo con nuará exis ndo.
A SEGUNDA ferida no narcisismo dos humanos aconteceu em 1859, quando DARWIN mostrou que o homem
é apenas um animal que evoluiu, e adquiriu consciência...
A TERCEIRA grande revolução do pensamento humano começou nos primeiros anos do século XX, quando
FREUD, e depois Jung provaram que a MENTE humana é governada pelo inconsciente, e afirmaram que os
“milagres” ob dos através da fé religiosa não passam de autossugestão.
Já a QUARTA grande revolução do pensamento será deflagrada pelo ATEÍSMO, pois os ateus são curiosos,
são independentes, consegue conviver com a realidade, e não nasceram gene camente ovelhas, que se
ajoelham e suplicam para a imagem de um Deus surdo, mudo, invisível, e que só existe nas mitologias.

Enquanto o ateu consegue tomar conta de si mesmo, e entende que Não há nenhuma divindade prestando
atenção nos humanos, a fraqueza emocional do religioso o obriga se agarrar em amigos imaginários. Pois
tanto as crianças como os adultos emocionas com cérebro mágico precisam de MODELOS DE CONFIANÇA,
de ídolos, ou de alguma representação de Deus que seja acreditável.

Foram necessários milhões de anos para que o cérebro humano passasse de 350 C.C. para os 1250
Cen metros Cúbicos atuais; e a explicação para que o religioso cascudo, ou fundamentalista se agarre nas
mitologias jurássicas, que sobrevive à custa do atraso, das expecta vas infan s, e da crença mágica num
futuro paradisíaco “DEPOIS DA MORTE”; estaria no fato de que embora o cérebro humano tenha evoluído
em resposta a PRESSÃO DE SELEÇÃO, aos DESAFIOS a que fomos subme dos, e devido as MUTAÇÕES
VANTAJOSAS; a maioria não passaria de simples “Operários Descartáveis”...

Como nos 2 úl mos milênios o meio ambiente dos humanos quase não mudou; as massas
ficaram estagnadas; e no quesito ateísmo as estruturas psicológicas do religioso
fundamentalista ainda não aceita que a vida termine junto com a morte.
Até porque, tanto a crença na “Vida depois da morte”, como a “Síndrome do medo de morrer”, estão
relacionados com o desequilíbrio psicológico do indivíduo que por ser do po emocionalmente fraco não
consegue resolver os seus conflitos interpessoais, e é vulnerável as pressões socioculturais.

Pois as religiões são o “casulo” psicológico onde se esconde os operários descartáveis e fúteis; que passam a
vida em algum equilíbrio precário, mas procura manter uma fachada de aparente normalidade; ainda que
não consiga aceitar que a MORTE é um fenômeno natural; precise se agarrar em algum mitológico Papai do
Céu; e reverencie “Arqué pos” como Jesus; que seria apenas uma forma primi va de idolatrar grandes
heróis, ou de recontar épicos extraordinários, como sendo causos bíblicos...
A Bíblia desmascarada Volume VII 82

Por que na Bíblia existem LATENCIAÇÕES?

É fácil achar passagens bíblicas que reportam as coisas de um


determinado jeito, e depois encontra versões diferentes, ou
mesmo opostas...
Isto é intencional, pois as LATENCIAÇÕES existentes nos
causos relatados pela Bíblia têm o objetivo de causar
polêmica; de usar fatos importantes como “prova”; de fazer
com que os devotos tenham fé sem refletir, e defenda o que
gostou.
No Panóp co “1984” George Orwell criou o termo “DUPLIPENSAR” para a tá ca de se fabricar duas versões OPOSTAS,
e aguardar que alguma das versões seja considerada verdadeira...
Em 2010, os pesquisadores do Ins tuto de Tecnologia de Massachuse s, por meio de modelos probabilís cos,
descobriram que a Bíblia estaria infestada de LENDAS que foram “absorvidas” de outros povos; de ERROS; de
ACRÉSCIMOS; de FRAUDES; de COGNATOS (palavras com raízes em comum com outros idiomas); de inúmeras
CRENÇAS, SÍMBOLOS, TEXTOS; de LATENCIAÇÕES (passagens bíblicas que reportam as coisas de um determinado jeito,
e depois encontra versões diferentes, ou mesmo opostas); de AMBIGUIDADES (quando se tem uma frase com mais de
um sen do); de POLISSEMIAS (os vários significados de uma mesma palavra), de “DUPLIPENSAR” (a tá ca de se
fabricar duas versões OPOSTAS, e aguardar que alguma das versões seja considerada verdadeira).

Ao traduzir a Bíblia para o português João Ferreira de Almeida ajudou encobrir mais de 2000 erros ou fraudes feitas
com o intuito de alastrar, e de jus ficar a fé cristã.
Pois a Bíblia é uma “Wikipédia” do passado onde os “camelôs da fé” colocaram tudo o que lhes convinha; e uma
adaptação de lendas anteriores que foram compiladas e modificadas para atender os interesses religiosos e polí cos
da época...
Os escritores bíblicos men ram, falsificaram, esconderam o que poderia ser incomodo, cometeram erros grosseiros,
escreveram desordenadamente, infiltraram lendas fascinantes nas suas versões, criaram causos a par r do que
absolveram, e interpretaram tudo de forma milagrosa.

An gamente os ar stas não assinavam as suas obras; era costume plagiar as tramas, os personagens ou
mesmo trechos inteiros de outras culturas.
As incultas e indulgentes plateias não davam importância à origem do que era relatado, mas sim, a pompa,
a beleza e o sen do poé co do que lhes era transmi do.
As ilusões que ainda infectam a mente dos religiosos não têm nada a ver com a realidade da vida; e são
resquícios da época mís ca que por milênios induziu o povão preferir acreditar, a ter que racionalizar.

Todas as religiões são formas primi vas e autoritárias de “explicar” o mundo através de magias, de milagres,
de falsas esperanças, e que incute medo naqueles que ousam não acreditar em seus dogmas.
As religiões atuais são as “cinzas” da época, quando há muito tempo atrás (para personificar a dualidade da
nossa existência), a humanidade inventou tantos os Deuses como os Diabos...

As religiões são estruturas que visam controlar a mente do devoto, e convencê-lo a se subordinar ao poder
daqueles que gostam de dominar as pessoas.
A fé religiosa sem evidências, sem lógica, e na contramão da realidade não passa de credulidade!
Já que os meios de comunicações visão o lucro, o pres gio, e o controle das massas, devemos esperar a
publicação apenas de no cias que reflitam as expecta vas dessas empresas.
Que realizam uma verdadeira “manipulação mental”, à revelia dos interesses da sociedade.
A Bíblia desmascarada Volume VII 83

A Bíblia Oral passou por “adaptações” e gerou novos livros

Além das primeiras Bíblias estarem infestada de absurdos que foram colocados nela em
nome de “Deus”, estar repleta de simbolismos, interpretar a vida pela ó ca ocidental; ter
sido escrita em diversas épocas, os seus causos terem vindo de diversos locais; os escribas
usaram tanto o autoritarismo, como as mitologias para explicar o que não se conhecia.
Pois os que escreveram os causos bíblicos viveram num período onde se usavam mitologias
milagreiras para ca var e arrebanhar devotos...

Como a Bíblia foi escrita numa época anterior a ciência; foi escrita por esquizofrênicos, ou
por fundamentalistas; e está infestada de versões Nonsense (absurdas); para fingir que a
Bíblia seria um livro “inspirado por Deus”; e para fingir que Jesus teria exis do; diversos
livros que antes eram apenas crônicas, registros históricos roman zados, ou poemas, foram
reunidos, e veram as suas narra vas modificadas...

A Bíblia não passa de livros jurássicos escritos para faná cos, ou para os que tem medo da
morte, sendo que os originais se desintegraram, e hoje só temos as cópias das cópias; dos
textos que foram sendo adaptados aos novos conhecimentos.

Pois além da an ga BÍBLIA ORAL ter virado o PENTATEUCO; quer dizer, o DEUTERONÔMIO;
quer dizer, o ANTIGO TESTAMENTO; quer dizer, a HELENIZAÇÃO; quer dizer, as 04 GRANDES
REVISÕES; quer dizer, as PARTES que foram RETIRADAS; quer dizer, o NOVO TESTAMENTO;
quer dizer, os mais de 350 TRECHOS que foram excluídos do Novo Testamento por falta de
veracidade; quer dizer, os trechos APÓCRIFOS que foram rejeitados; quer dizer, os
CONCÍLIOS; quer dizer, as TRADUÇÕES; quer dizer, o CISMA do Oriente que dividiu a Igreja
em Católica Romana e Igreja Ortodoxa; quer dizer, a REFORMA PROTESTANTE; quer dizer, as
EDIÇÕES; quer dizer, as TEOLOGIAS cristas; quer dizer, as MITOLOGIAS Religio$as, quer dizer,
as INTERPRETAÇÕES cristãs; quer dizer, as VERSÕES corrigidas e atualizadas, quer dizer, a
Bíblia do Rei Jaime; quer dizer a moderna Bíblia digitalizada; Graham Phillips identificou
mais de 70 versões diferentes da Bíblia, adaptadas para a Organização religiosa que a
editou.
A pretexto de facilitar a compreensão estão sendo produzidas NOVAS VERSÕES da Bíblia,
com textos alterados, e diferentes em sen do, dos textos originais.

Todos os “Livros Sagrados” são apenas uma coleção de mitologias, de COMANDOS, e de autoritarismos,
que desde a pré- história vem sendo implantados na mente humana...
E não alguma Determinação ou Promulgação deixada por escrito, pelo Deus das Lacunas...
Pois os “causos” onde se afirma que o Deus X ordenou, ou que proibiu algo, não passam de armadilhas
para conseguir controlar os devotos...

A Bíblia ESCRITA começou ser redigida a mando de Esdras; pelos escribas do Templo, com a finalidade de
fingir que Deus existe, fazer crer que o Deus dos judeus comandaria o Universo; ajudar organizar a conduta
do povo, de acordo com a suposta Jus ça divina; impor preceitos de higiene, de sabedoria, de é ca, de
Jus ça, ou de bondade aos que acreditam no Deus dos judeus.
A Bíblia desmascarada Volume VII 84

E para impedir que tanto as epopeias como os épicos do passado sejam esquecidos.

Apesar do “An go Testamento” ter começado ser escrito na Pales na, a maioria dos ar gos
foram escritos em diferentes épocas, em vários lugares, e por incontáveis pessoas.
Sendo que algumas partes do An go Testamento vieram da cultura Babilônia, durante o
Século 06 a.C, (quando os judeus viveram em ca veiro, por cerca de 50 anos).
Outras partes foram absolvidas das lendas egípcias.

O “Novo Testamento” tem partes que foram escritas na Itália, na Síria, na Ásia menor, e na
Grécia; sendo que no começo não se fazia dis nção entre Narrar fatos e lendas, pois o
importante era divulgar as narra vas religio$as, fazer a comunidade acreditar que teríamos
nascido por intermédio de um Deus; passar algumas proibições e deveres para o povo, e
servir de referência para as gerações seguintes.

Mesmo os “Livros Sagrados” (caso exis ssem) devessem ser ATEMPORAIS e válidos para
TODAS as épocas, quando o Velho Testamento é cri cado, os devotos alegam que os trechos
violentos ou absurdos só fazem sen do na época em que isso aconteceu...

Todavia, se ao ler a Bíblia precisamos considerar a cultura LOCAL da época, a FIGURA de


linguagem u lizada, o SENTIDO que as palavras nham naquela época, e o OBJETIVO do
autor que escreveu o livro “inspirado” por Deus...
Então a Bíblia “É COISA DO PASSADO”; e não é um livro CONTEXTUAL, um livro ATEMPORAL,
ou um livro válido para TODAS as épocas, mas sim, apenas uma mitologia religiosa fora do
seu “Prazo de validade”.

Como as ERAS astrológicas mudaram; para impor crendices; e agradar os que mandavam; a
Bíblia foi remodelada segundo os interesses polí cos ou religiosos, e fabricaram-se Livros
como, a Torá, o Mikrá, o Novo Testamento, e a Bíblia dos protestantes.

A PRIMEIRA grande Revisão bíblica aconteceu na ERA DE TOURO, quando os Deuses “El”,
“Rá”, “Amón”, “Sin” e “Anu”, foram desa vados; se passou a crer num Deus único chamado
“Javé”; foi a crença na existência de uma divindade única que criou o costume de punir
severamente todos os que adorassem outras divindades.
A SEGUNDA revisão da Bíblia aconteceu após a passagem da ERA astrológica de Touro para
CARNEIRO, e a Helenização do Judaísmo, ou seja, entre 538 e 323 a.C., após os hebreus
terem virado judeus.
Quando a Bíblia falada virou a Bíblia escrita; os 50 anos da escravidão babilônica foram
transformados nos mitológicos 400 anos de Escravidão egípcia.
E as lendas babilônicas viraram o Dilúvio, o mitológico nascimento do Adão e Eva, etc.
A TERCEIRA revisão da Bíblia começou na ERA DE PEIXE, depois que em 70 d.C, o Templo foi
destruído, um milhão de judeus foi assassinado, e o mandeísmo, assim como, o Ebionismo,
virou a Seita “O Caminho”.
A Bíblia desmascarada Volume VII 85

Entre o Século XIV e XVI, o “Concílio de Trento” e a “Contra Reforma”, modificaram a seu bel-
prazer os livros que formavam a Bíblia da época, e Lutero criou a Bíblia dos Protestantes.

No início, as versões que deram origem a Bíblia não eram organizadas, e nem numeradas,
pois a divisão da Bíblia em Capítulos, e a subdivisão em Versículos, só foram acrescentadas
milhares de anos depois, quando a Bíblia foi reescrita e sofreu incontáveis interferências,
como por exemplo, o Tratamento Grama cal dos textos (que deram origem a Bíblia), ter
passado da Primeira pessoa do Singular, para a Primeira ou Segunda pessoa do Plural.

Como a Bíblia foi escrita com o propósito de criar normas de HIGIENE, e de exercer o
CONTROLE SOCIAL sobre os religiosos, a Bíblia usa tanto o medo como as histórias de horror
para DOMINAR a Mente do religioso, que tem MEDO do suposto cas go divino...
Ou que anseia pela ESPERANÇA de dias melhores ao lado do seu “Salvador”...

Sendo que a Bíblia atual é o produto final de SÉCULOS de autoritarismos e de supers ções,
onde os MENTORES com o obje vo de manter a ordem, e controlar os que viviam numa
época primi va e supers ciosa, aperfeiçoaram as técnicas de exercer PODER sobre os
humildes, e os fundamentalistas...

O Hebraico an go sendo uma língua afro-asiá ca, que consis a basicamente de Consoantes
sem Vogais e sem Pontuações, (um abjad), era di cil ler, di cil de escrever e di cil conversar
sobre a Bíblia.
Depois de sofrer mudanças, o Hebraico an go (a chamada “língua de Canaã”), ou “Hebraico
Quadrado”, que seriam os caracteres Assírios ou Shurita, trazidos da Assíria por Esdras,
transformou-se no atual Hebraico Massoré co, onde é possível através de nekudot´s, (que
são sinais abaixo ou ao lado das letras), iden fica a vogal foné ca.

Apesar de o hebraico ser a língua falada na Pales na, os manuscritos que deram origem ao
Novo Testamento foram escritos em 3 idiomas, pois no tempo de Jesus o povo da Pales na
falava aramaico, usava o hebraico nas leituras bíblicas, e usavam o grego tanto no comércio
como na polí ca.

Embora só os descendentes da tribo de David pudessem ser Rei, ser Juiz, ser Militar, ou gerar
o “Prome do Messias”; quem se passa por Lucas e Mateus ao inventar a Genealogia de
Jesus alegou que Jesus seria um descendente do Rei Davi, se gabou de que Jesus iria voltar
em breve, e teve a epifania de achar que breve o seu Deus estenderá o seu governo por todo
o planeta Terra, quando subs tuirá todos os governos humanos...

Como só os descendentes da tribo de Levi poderiam ser Escribas, serem SACERDOTES, ou


serem PROFETAS, como foi o famoso “João Ba sta”, filho do Zacarias, e da Isabel, prima da
Maria mãe de Jesus...
A Bíblia desmascarada Volume VII 86

Fica provado que a versão forjada por Lucas sobre Jesus ser um descendente do Rei Davi,
não passa de mais outra fraude religiosa, pois Jesus até poderia ser um descendente da tribo
de Levi, da tribo de Judá, ou da tribo de Benjamim, mas não da tribo de Davi...

Devido a Bíblia ser machista, estar infestada de absurdos, e relatar as crueldades de um


Deus bárbaro, ciumento e vinga vo, diversos trechos bíblicos não devem ser lidos pelas
crianças; e seria ignorância achar que um livro tão hediondo como a Bíblia teria sido escrito,
a mando de algum Deus.
Até porque a Bíblia an ga foi apenas um punhado de Pergaminhos estranhos, jurássicos,
escrito por machistas, inventado por esquizofrênicos, forjado por drogados, ou divulgados
por fundamentalistas semianalfabetos, e impiedosos que alegavam conversar pessoalmente
com o próprio Arquiteto do Universo...

Mas apesar de a Religião ser a pior PRAGA que a Humanidade já produziu, devemos separar
o iludido fundamentalista do camelô da fé, e do MENTOR canalha; já que o devoto é apenas
uma sofrida VÍTIMA, que precisa da ciência e dos ATEUS para conseguir se libertar da prisão
mental em que ainda se encontra enjaulado...
Como só a crença num Deus terrível, e vinga vo impressionaria os sem é ca, os sem higiene,
os brutamontes, e os que sempre estavam armados; a solução foi fabricar as mitologias
religiosas, mas afirmando que se trataria de ordens dadas por Deus.

Se tudo muda, evolui, se adapta, e sofre interferências dos que interagem ao seu redor, por
que devemos con nua dando crédito a um livro sem o original, e que foi criado há milhares
de anos pela tribo dos levitas, mesmo o livro estando infestado de mitologias; se passando
pela verdade absoluta; e forçando os fiéis seguirem as regras que convêm aos camelôs da fé?
Embora a religião funcione como um Prêmio de Consolação; pois por mais irreal que possa
ser, quando o indivíduo ingênuo, fracassado, sofrido ou medroso, se encontra numa situação
di cil, a crença em algum Deus, ou na vida eterna pode ser ú l.

Tudo faz crer que assim como hoje ignoramos as mitologias gregas, e egípcias, e já não
acreditamos em Zeus, em Hades, e nos Deuses do Olímpio...
No futuro Iremos rir da mitologia cristã, deixar de crer em Jesus, deixar de crer no Deus
hebreu, e deixar de crer em lendas ultrapassadas, como as crendices sobre Satanás.

A Bíblia em português tem menos de 300 anos; antes do Gutenberg “inventar” em 1439 a
técnica de imprimir com caracteres móveis, uma única Bíblia com ilustrações levava anos
para ser copiada; a maior parte das Igrejas não possuía sequer uma única Bíblia; o povo não
sabia ler; e o que predominava era a tradição oral...
A Bíblia desmascarada Volume VII 87

A Bíblia An ga só nha 04 livros; mais hoje já tem 39 livros


O que os cristãos poderiam
aprender com as outras
religiões, e por que Jesus
tem tantos “inimigos”?

Quando em 540 a.C. Esdras mandou fabricar a Bíblia escrita, usando como referência as lendas babilônias, e
o zoroastrismo; só foram inventados o Bereshit (a primeira parte da Torá, que hoje, na tradição ocidental se
chama Gênesis), os escritos da Diáspora, as Profecias de Isaías, e o primeiro Pentateuco.

Após o Concílio de Jâmnia, do século II, o Rabino Yochanan Ben Zakai, e o Cânone Hebraico, anexaram os 6
Capítulos do livro de Ester; 2 Capítulos do livro de Daniel; o livro de Baruque, e 05 livros Apócrifos
(chamados de “Vulgata em grego”); que são; Tobias, Judite, Macabeus I e II, e Sabedoria Eclesiás co.
Sendo que atualmente a nova Bíblia Hebraica tem 39 livros; e só o Talmud (que é uma junção dos
comentários e das explicações existentes nas Torás Oral e Escrita), é composto por 63 Tratados sobre
assuntos legais, é cos e históricos, é contem a Mishná, a Guemará, e os Comentários dos sábios.

Na crença dos religiosos tudo teria começado com a suposta “revelação” feita por D´us no Monte Sinai, para
a Nação de Israel, e que teria originado a Torá Escrita...

Tanto a Mishná como a Guemará são baseadas nas Torás escrita e oral; a Torá em si é muito vaga, um
exemplo seria a proibido de trabalhar no sé mo dia, no Shabath; mas o que seria trabalhar?
Aí é onde o Talmud entra.

A destruição em 70 d.C. do Templo de Jerusalém, a mudança da Era astrológica de Carneiro para Peixe, e a
segunda diáspora judaica, diminuíram a confiança no an go Deus reverenciado pelos judeus, mas
incen vou a crença dos judaizantes no “Deus Sol Invictus” dos soldados romanos...
Como o Cânon bíblico “realizado” na Cidade de Jâmnia não é mencionado pelos Pergaminhos do Mar
morto, e nem pelos documentos encontrados em Massada, fica claro que o Cânon de Jâmnia não aconteceu
antes da destruição do Templo de Jerusalém; e nem mesmo antes do ano 100 d.C.
Pois foi São Jerônimo quem no século IV, ao escrever a Vulgata forjou os livros do Novo Testamento.

A Bíblia Protestante contem 66 livros, pois 7 livros foram excluídos

Embora por mais de 1400 anos, tanto a Igreja para todos (Igreja “Universal”), como a Igreja la na, tenham
usado a chamada “Bíblia grega”; hoje só 39 livros do Velho Testamento, e outros 27 livros do Novo
Testamento, ainda são u lizados pela Bíblia Protestante, pois os PROTESTANTES rejeitam os 07 livros
“apócrifos”, Tobias, Eclesiás co, Judith, 1º Macabeus, Baruc, 2º Macabeus, e Sabedoria.

Sendo que a primeira Bíblia evangélica na língua portuguesa foi traduzida pelo português católico João
Ferreira de Almeida, que em 1642 se converteu ao protestan smo, e logo iniciou o trabalho de tradução.
A Bíblia desmascarada Volume VII 88

A Bíblia Católica tem 72 livros

Como o número do nome “Lutero” é 6, e a Bíblia protestante tem 66 livros; LUTERO, o


fundador do protestan smo seria a BESTA do APOCALIPSE, pois 66 e 6= 666.

A palavra “Católica” não é um nome próprio, mais sim, um termo que significa “UNIVERSAL” .
E que só passou ser usada quando a Cristandade cresceu, se alastrou, incorporou todos os pos de crenças,
aceitou todos os pos de indivíduos, e mudou de «Assembleia de convocados» para a IGREJA PARA TODOS.
Pois a Igreja Católica só foi criada após 13 de Junho de 313, quando o Édito de Milão promulgado pelo
imperador Constan no assegurou a liberdade de culto para com a cristandade.

Como Jesus não deixou nada escrito, e até o Século XII as únicas cópias do suposto “Livro Sagrado” estavam
nos Conventos e Mosteiros, a Igreja pode colocar na Bíblia tudo o que lhe convinha.
Sem contar o que “brotou” após milhares de anos de reproduções feitas à mão pelos monges copistas que
“ajustaram” a Bíblia segundo as conveniências, o conhecimento e o modismo de cada época.

A versão do Rei Jaime, de 1611, foi uma revisão da Bíblia de Bishop de 1602, que já era uma revisão da Bíblia de 1568,
que já era uma revisão da Grande Bíblia de Coverdale, que já nha sido reescrita usando-se as Bíblias de Tyndale e
Wycliffe, que já haviam sido traduzidas de Bíblias anteriores, etc.

Entre os 72 livros que formam a Bíblia atual, há vários relatos inconciliáveis, pois a Bíblia se enganou sobre a
“Criação”, a Evolução, os Fenômenos naturais, a Astrologia, as causas das doenças, o adapte ou morra, a
inevitabilidade da morte, e a necessidade de também exis r o lado “ruim”.

A Bíblia plagiou várias estórias de outras culturas, em virtude dos textos ou ensinamentos das mesmas se
encaixarem no obje vo do cris anismo.
Induziu os crentes acreditar nos fantasiosos pontos de vista religioso, e usa inúmeras ar manhas para forçar
o povinho acreditar nas versões conhecidas, muitos séculos antes de Jesus.

Como diversas outras religiões também possuíam algum suposto filho de Deus, o Novo Testamento
inventou que Jesus seria o FILHO Unigênito de Deus, o Deus PAI, e o Deus ESPÍRITO SANTO, pois a doutrina
de Atanásio, (Jesus Deus) possibilita a incorporação de diversos dogmas.

Vários grandes “Pais da Igreja”, como Eusebius, e a própria Enciclopédia Católica confessaram que muito do
que foi dito sobre Jesus seria ficção ou falsificação, dos que descreveram sobre o que supostamente Jesus
teria dito ou feito.
Pois as interpretações metafóricas crescem de acordo com os avanços da Ciência, ou seja, quanto mais a
Ciência encontra respostas para os mistérios da natureza, mais os iludidos se agarram em simbolismos
evasivos...

Como a letra “J” NÃO EXISTIA no alfabeto hebraico, NÃO EXISTIA no Alfabeto la no arcaico, não fazia parte
do GREGO, e foi só a par r do século XIV, ou seja, 1400 anos após o “Messias” ter supostamente “vindo”,
que a letra “J” passou fazer parte da grafia atual...
Fica provado que a Igreja Primi va NUNCA usou o nome “JESUS”, e que o Arqué po “Jesus Cristo” é só um
plágio das mitologias onde depois de morto seriamos julgados...
Bem como, só mais outra lenda que con nua sendo usada para fazer o povão acreditar que haveria vida
depois da morte.
A Bíblia desmascarada Volume VII 89

“Falsificações no cris anismo”


Para agradar Teodora, que ao aprender a doutrina essênia da
Reencarnação ficou com medo de retornar como escrava, o
Imperador Justiniano revisou os códigos canônicos e as referências
relacionadas com “Reencarnações”, existentes na Bíblia, colocou no
seu lugar a palavra “Ressurreição”, e incentivou o uso do “Céu”, do
“Inferno” e do “Juízo final”.

A Bíblia é uma “Cons tuição” a moda an ga infestada de crendices, e disfarçada de “Livro Sagrado”, da
época onde os governantes também acumulavam o cargo de chefe religioso.
A “Teologia da Libertação” diz que os Evangelhos narram fatos inverídicos, e que para conquistar devotos as
primeiras comunidades cristãs exageraram de propósito nas narrações sobre o YESUS dos Evangelhos, que é
diferente do YESUS histórico.

Alguns dos que compuseram os Evangelhos e as “Epístolas Alterna vas” (que foram fabricadas durante os
dois primeiros séculos do cris anismo), admi ram que falsificaram Documentos a fim de levar várias lendas
interessantes ao povo.
Pois conheciam o valor didá co existente nos acontecimentos do dia- a- dia.
Desejava passar alguns valores à população.
E estavam decididos a usar as lendas pagãs e as narra vas da época, no sen do de engrandecer os
“poderes” de YESUS.

Tirando Mateus, o Novo Testamento foi escrito originalmente quase todo no dialeto grego, para que
vessem a maior divulgação possível.
Os livros que deram origem ao “Novo Testamento” foram escritos na Itália, na Síria, na Ásia menor, e na
Grécia; eles não foram escritos pelos que conviveram com YESUS, mas pelas gerações posteriores; e estão
contaminados pela fé, e pelos interesses dos que selecionaram o que deveria ser usado na Bíblia Nova.

Cristo NÃO existe fora da Bíblia, pois foi à comoção e o mis cismo gerado pela crucificação de YESUS , que
precisou ser sepultado na tumba da família do José de Arimatéia, e mais tarde foi transferido para a tumba
que a sua família nha em Talpiot, que com o passar do tempo virou uma “Nova religião”.
Como a nova religião para todos usou a estratégia de confortar e agregar todos os pos de indivíduos, todos
os pos de Castas Sociais, todos os pos de Etnias, e todos os pos de devotos.
Inclusive os pobres, os doentes, os aleijados, os escravos, as mulheres, as crianças, os prisioneiros, os
homossexuais, etc.
A nova religião “PARA TODOS” acabou virando a Religião universal, ou “Religião Católica”.

Jesus Cristo foi um Arqué po fabricado pelos fundamentalistas, para fazer cumprir as Escrituras, dar
sequência ao judaísmo (em face da destruição do Templo de Jerusalém), confortar as massas, e
facilitar usar as religiões como fonte de lucros ou de poder.
Mas embora o “Deus Jesus” seja só mais OUTRA CRIAÇÃO do medo, da INSEGURANÇA humana, e da
necessidade que os religiosos têm de seguir regras; e de se agarrar em amigos imaginários, a tradução para
o português terminou sendo modificada para “A sabedoria de Deus é loucura para os homens”.

An cristo não é só quem fica contra o Jesus, mas também quem de alguma forma quis se colocar no lugar
de Jesus; e foi isso que o Paulo tentou fazer.
A Bíblia desmascarada Volume VII 90

O “Novo Testamento” levou muitos anos para ficar pronto


A Igreja Primitiva, que Constantino transformou na
Igreja Católica, é ANTERIOR ao NOVO
TESTAMENTO, que levou centenas de anos para ser
fabricado.
E só ficou apresentável em 397 d.C. durante o Concílio
Geral de Cartago; apesar do Imperador Constantino
em 326 d.C. ter criado uma Força tarefa encarregada
de determinar o que faria ou não parte da Nova Bíblia.

Para fortalecer o seu império; para transformar inimigos em aliados; para subjugar o Espírito dos povos
conquistados; e para aproveitar a necessidade que as massas têm de acreditar na “VIDA ETERNA”...
Constan no transformou o Deus Sol Invictus no Arqué po JESUS.

Até porque, em 70 d.C. Titus Flávio destruiu o Templo de Jerusalém; nos anos seguintes algumas facções do
judaísmo desapareceram; a mudança do Zodíaco de Carneiro para Peixe enfraqueceu os cultos a Deusa
Cibele, diminuiu a adoração a Deusa Sophia da Sabedoria, e fez com que a adoração ao Deus Apolo
diminuísse.
Constan no incrementou os “causos” sobre Jesus de tal forma que surgiu uma nova religião, um “Novo
Testamento”; se passou crer na versão de que Deus teria nos enviado o seu primogênito...
E anos depois as falsificações sobre as narra vas referentes a Jesus foram escolhidas, juntadas,
remodeladas, traduzidas, e aos longos dos anos foram sendo modernizadas.

A explicação para que entre centenas de textos só 4 Evangelhos sejam considerados verdadeiros, ainda que
só de Pergaminhos, Papiros e Manuscritos, os arqueólogos já tenham encontrado mais de 1000, com
versões diferentes, seria que em torno de 178 d.C. o Bispo IRINEU DE LYON sugeriu que
“Convém que existam apenas 4 Evangelhos”, pois são 4 as ESTAÇÕES do ano, 4 são os ELEMENTOS
ASTROLÓGICOS (Água, Fogo, Terra e Ar); 4 são os CANTOS da Terra; 4 são os VENTOS; 4 são os PONTOS
CARDEAIS; Jesus foi 4 em 1 REI, SERVO, HOMEM e DEUS; e no livro APOCALIPSE o trono de Deus tem
somente 4 animais, que são o LEÃO, o BEZERRO, a ÁGUIA e o HOMEM...

Em torno de 326 d.C. durante o Concílio de Niceia foi fabricado o “NOVO TESTAMENTO”, o Apolônio de
Tiana (o “herói trágico” que Rav Shaul ajudou fabricar), foi transformado na personagem “Cristo”, e se
inves u na versão da “Salvação da Alma” (uma recompensa que não exis a na religião romana).
Em 341, para subs tuir tudo o que Constan no não gostou, o “CREDO DA DEDICAÇÃO” formado por 90
Bispos subs tuíram os detalhes que Constan no não aprovou.
Em 390 d.C. centenas de relatos esotéricos foram remodelados, inclusive os que mostravam Jesus como
alguém que precisava fazer rituais de magia para realizar “milagres”.
Em 393 mesmo o Concílio Cânone de Hipona só tendo poder sobre as paróquias de Hipona (África), se
tentou exaltar a Igreja Católica acima da Bíblia, e definir o Cânon Bíblico para os cristãos.
Em 397 d.C. o “Novo Testamento” (que começou ser fabricado por ordem de Constan no), foi apresentado
no Concílio Geral de Cartago. Sendo que por mais de 1000 anos, (até Lutero), o povo não podia contestar ou
mesmo ler o que foi escrito como sendo a sagrada e inques onável NOVA Bíblia.
Em 1189, d.C. Robert Stephen Langton dividiu a Bíblia em 31.173 Versículos.
Em 1250 d.C. o Cardeal Hugo de Sancto Caro dividiu a Bíblia em Capítulos.
A Bíblia desmascarada Volume VII 91

Em 1524 d.C. Lutero criou a Bíblia dos protestantes; sendo que hoje em dia cada grupo
cristão tem a sua própria Bíblia.

Vários estudos provam que os Evangelhos são pseudoepigráficos, ou seja, falsamente


atribuídos aos escritores bíblicos.

Embora Marcos tenha narrado dia a dia, a úl ma semana de Jesus; quem se passou por “Marcos” não
conheceu Jesus; escreveu centenas anos depois do que narrou; cometeu erros de Geografia, erros de
costumes, e erros que uma testemunha ocular não teria come do.
Sendo que após sofrer censuras o duvidoso Protoevangelho de Marcos resultou no Evangelho atual.

Os Evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas são do po SINÓTICO, que quer dizer “com os mesmos olhos”;
usariam mais ou menos a mesma forma; tratariam das mesmas passagens; teriam a mesma visão de Jesus;
e seriam todos contemporâneos.
Tanto o Evangelho de Lucas como o de Mateus foram escritos por quem usou o pseudônimo de Marcos.
Assim que o Evangelho de Filipe foi encontrado, em 1945, num an go mosteiro do Monte Athos na Grécia,
em meio a outros manuscritos; verificou-se que Filipe afirmava que, entre as não casadas, só as virgens
entrariam no Paraíso.

Além disso, no Evangelho de Filipe foi encontrado o relato de que Jesus expressava amor por Mariamne,
que seria a Maria Madalena, ou Maria de Bethany.
Como as afirmações existentes no Evangelho de Filipe não agradaram a Igreja, e o Evangelho de Filipe não
nha atra vos para o cris anismo, o Evangelho de Filipe foi considerado agnós co.

Até Gutenberg (1499), a Bíblia valia mais do que uma casa; e foi Lutero que em 1524, mesmo ariscando a
sua vida deu ao povo o direito de poder ler o que supostamente foi escrito, por inspiração divina; ainda que
a Bíblia dos evangélicos tenha 7 livros a menos do que a Bíblia Católica.

Além das descobertas e os EXPERIMENTOS realizados pelos prodigiosos cien stas ateus
serem mais importantes do que as CRENDICES, e as Supers ções decoradas pelos
fundamentalistas; que apenas repete as mitologias que decorou; sem ques onar, e sem ao
mesmo saber a origem do seu folclore.

O ateu não se deixe amedrontar pelos mitológicos cas gos divinos, mas acata as Leis e impõe uma
CONSCIÊNCIA PESSOAL tanto no pensar como no agir.
E nisso somos infinitamente mais avançados do que os faná cos religiosos.
Até porque, sendo o ateu sendo a elite intelectual da humanidade, para a maioria dos ateus a é ca, a moral
e as leis já são suficientes para um perfeito convívio social.

Como não existe vida após a morte, o único sen do da vida é ser feliz...
Enquanto houver à possibilidade para que isso aconteça; devemos aproveitar este período
curto e que nunca mais viveremos; pois é normal que tenhamos muita vontade de viver.
E já que estamos aqui, e podemos agir no sen do de ter uma vida feliz.
Então vamos tentar viver durante todo o tempo em que a nossa vida possa ser agradável; e
degustar a vida com sabedoria.
A Bíblia desmascarada Volume VII 92

COMO O “NOVO TESTAMENTO” FOI INVENTADO?


É equivocado afirmar que a Bíblia seria algum
“Documento de Fé Pública”, pois a Bíblia é só um livro
ultrapassado, que foi forjado por faná cos, que usaram
as alegorias e as versões de culturas anteriores, para
produzir as suas lendas...
E que troca a realidade por mitologias religio$as...

Para que o Arqué po Jesus não ficasse abaixo dos grandes vultos da humanidade como o
profeta Moisés, que “dialogaria” com o próprio Arquiteto do Universo; Ramsés II, que foi o
maior faraó de todos os tempos, e era considerado um “Deus na forma de humano”; Sidarta
Gautama, Alexandre O Grande, etc.
A solução foi transformar o Arqué po Jesus num suposto Deus Humano.
Foi em meio de discussões acaloradas, e o descarte de centenas de manuscritos an gos, que
estariam repletos de absurdos, ou de relatos inconvenientes, que o Novo Testamento foi
fabricado, e aprovado tanto por Constan no, como pelo Concílio, por Eusébio de Cesareia, e
por Atanásio (que era o Bispo de Alexandria).

Os livros “Sagrados” dos judeus são versões não cien ficas que conta a sua moda as mitologias de um povo;
ainda que se trate de alguma versão irracional, que usar como referência a própria Bíblia.
Pois falando a verdade se acabaria com manipulações, que são a fonte de recur$os dos Pastores.

Se a Bíblia não foi escrita por equivocados ou por aproveitadores, por que o “livro inspirado por Deus”
jamais conseguiu explicar as questões que dependem de observações idôneas, e as que só podem ser
resolvidas pelo raciocínio cien fico?
É impossível que todos os Versículos da atual Bíblia em português sejam genuínos, pois
Irineu afirmou que foram escolhidos 04 Evangelhos, não por que fossem os verdadeiros, mas
por que provieram de fontes defendidas por forças polí cas muito poderosas...

A Paleografia, (o estudo da escrita an ga), prova que o idioma que se falava an gamente e o
que se escrevia, eram diferente da atual linguagem viva não só no som e no vocabulário,
mas também na ortografia, na caligrafia, nas gírias, nos salamaleques e nos modismos.
Sendo que os Evangelhos atuais também sofreram a ação dos que introduziram no mesmo o
que mais lhe convinha, e contém a opinião dos que decidiram.
Por se referir a outros arqué pos, não reforçar a existência de Jesus, ou serem frutos das
abstrações mentais dos seus autores; mais de 350 relatos foram descartados; e só os 04 que
foram aproveitados terminaram virando o “Novo Testamento” atual; que é uma
recauchutagem do que foi fabricado no ano de 326, na Cidade bizan na de Niceia (hoje um
território Turco), durante o Concílio de Niceia, convocado pelo Papa São Silvestre I; para
condenar a heresia dos arianos.
A Bíblia desmascarada Volume VII 93

A “SEPTUAGINTA” NÃO FOI TRADUZIDA EM 70 DIAS, NEM POR 70 SÁBIOS

Os Judeus afirmam que a par r do momento que o Pentateuco foi traduzido para o Grego, o mundo
foi coberto pela escuridão, pois houve adulterações, e se deixou de conhecer a verdade.

A versão de que em 285 a. C. a Torah foi traduzida em 70 dias, por 70 sábios; é só uma bazófia, que foi
desmen da pela Escola de Jâmnia, pois para enriquecer a Biblioteca que o seu pai havia fundado, e que
chegou a ter 400.000 volumes, o Rei egípcio Ptolomeu II só mandou traduzir o Pentateuco.
O nome “SEPTUAGINTA” que significa 70, deriva do hebraico an go ter sido o septuagésimo (70) idioma
traduzido para o grego; e não a men ra de que a Bíblia an ga foi traduzida em 70 dias, por 70 sábios...
Em torno de 329 a.C. partes da Bíblia já haviam sidos traduzidos para o grego; quando Alexandre O GRANDE
ordenou que os seus escribas fabricassem o Códex Alexandrinus, também conhecido como Manuscrito 'A';
sendo que os tradutores produziram apenas um aglomerado de letras maiúsculas.
A versão completa da primeira Bíblia hebraica para o grego levou dezenas de anos para ficar pronta, até
porque, o hebraico an go é uma língua di cil de ser lida, e os hebreus se recusaram traduzir os seus
Manuscritos Sagrados para línguas onde os incrédulos pudessem contestar as versões bíblicas.

Os samaritanos (as tribos do Norte), aceitavam como livro inspirado apenas o Pentateuco Samaritano.
E se antes do ca veiro babilônio houvesse algum “Livro Sagrado”, os babilônios o teriam destruído.

Como na época se acreditava que as En dades engravidavam mulheres, ao produzir a Septuaginta, em vez
dos tradutores afirmarem que: “O Eterno vos dará um sinal: eis que uma MULHER JOVEM grávida dará à luz
a um filho e o chamará Emanuul”; a palavra “MULHER” foi traduzida por “VIRGEM”

Antes de 410 d.C. já havia a “Vetus La na”, que era o nome dado aos textos bíblicos traduzidos para o la m,
anteriores a Vulgata traduzida para o la m por Eusebius Hyeronimus, (São Jerônimo).

Depois de 1439, com a invenção da Prensa, a Bíblia foi traduzida para o an go Saxão, depois para o Copta,
para o Gó co, para o Armênio, para o Georgiano, o E ope, o Árabe, o Espanhol e finalmente para o
português; sendo que no final do século XIII, Dom Dinis traduziu alguns textos, que precisou ser adaptado
para as versões modernas em uso.
A Paleografia (o estudo da escrita an ga), prova que o idioma que se falava an gamente e o que se escrevia,
era diferente do atual não só no som e no vocabulário, mas também na ortografia, na caligrafia, nas gírias,
nos salamaleques e nos modismos.
E qu e o A n g o T e s t a m e n t o n ão é u m úni co liv ro, mas si m, u ma col eção d e 39 li vro s ,
q u e começou se escrito no final do ca veiro babilônico, e não milhares de anos antes, como afirmam as
lendas fabricadas com o obje vo de fingir que Deus conversaria com os profetas...
A Bíblia desmascarada Volume VII 94

A versão onde Flávio Josefo “fez” Relatórios sobre Jesus, é uma embromação

Além do Flávio Josefo (37 d.C. a 96 d.C.), ter NASCIDO 05


anos DEPOIS que Jesus supostamente já teria MORRIDO, e
o Josefo apenas ter relatado sobre o “Profeta” essênio
chamado MENAHEM, que foi executado em circunstância
semelhante às do Arqué po Jesus Cristo.
Exames grafotécnicos e de auten cidade, realizados pela
Universidade alemã de Tubingen, provaram que as versões
existentes nos livros “An guidades de Israel” e
“Tes monium Flavianum”, onde supostamente Flávio
Josefo faz referências aos “CRISTÃOS”, a JESUS CRISTO ser o
PROFETA; e a ninfeta Salomé ter pedido a Herodes, a
cabeça de João, o Ba zador...
Não passa de falsificações, realizadas por faná cos como Eusébio, Bispo de Cesareia, que
adulteraram inúmeros textos bíblicos e fizeram diversos acréscimos fraudulentos.
Um judeu jamais chamaria alguém que apostatasse algum costume bíblico de “MESSIAS”; e
foi só no século III, na cidade de An oquia que a palavra CRISTÃOS surgiu...

Josefo não foi uma TESTEMUNHA OCULAR; e só escreveu depois de 70 d.C. sobre diversos judeus que se
proclamaram Messias, inclusive o essênio “MENAHEM”, que tentou iniciar uma revolta contra Roma após a
morte do Rei Herodes, que foi morto pelos romanos, e cujo cadáver permaneceu no chão por 3 dias, mas sem
falar uma linha sequer sobre “Jesus o Cristo”.

O escritor Suetônio somente falou de CRESTUS.


Quanto aos escritos de Plínio, o Jovem; do Flávio Josefo e de Tácito, após EXAMES
GRAFOTÉCNICOS e de AUTENTICIDADE ficou comprovado que os documentos mencionando
Jesus Cristo são ADULTERAÇÕES.

NÃO HÁ REFERÊNCIAS AO NOME “JESUS CRISTO”, nos 900 manuscritos do Mar morto; que
são os maiores e mais confiáveis escritos já feitos pelos an gos, pois relatam os principais
acontecimentos do ano 225 a.C. ao ano 65 d.C.

Não há registros a respeito de Jesus que sejam da sua época; tanto os Evangelhos canônicos,
como os apócrifos datam de séculos após a mitológica e suposta vida.

E os relatos feitos por historiadores an gos como: Flávio Josefo (37-96 d.C.), Filão, “O Judeu”,
(20 d.C. – 50 d.C.), Plínio “O Jovem”, (que viveu de 62 a 113 e foi sub-Pretor da Bi nia), e
Plínio “O Velho”, 23-79, não mencionam “Jesus Cristo”, mas sim, outros indivíduos.
A Bíblia desmascarada Volume VII 95

QUANTO MAIS RECENTE A VERSÃO RELIGIOSA, MAIS MENTIRO$A


Antes da ESCRITA as lendas religio$as eram passadas ao
povo através de MÚSICAS ou de “causos”.
A Bíblia é uma hagiografia onde detalhes foram modificados
para se encaixar nas novas versões; pois as historiografias
disponíveis sobre os personagens bíblicos são de orientação
supersticiosa, e tão falha que confundi a realidade com a
propaganda e a ficção religiosa.

Quanto mais an ga for à versão religiosa mais absurda ela seria; e quanto mais recente mais
men ro$a.
Em 1699, o matemá co escocês John Craig, no seu livro “Theologiae Chris anae Principia
Mathema ca”, filosofando sobre a diminuição gradual da probabilidade de um
acontecimento religioso do passado ter acontecido da forma como é relatado na atualidade,
afirmou que Quanto mais an ga for à versão Religiosa, mais primi va ela seria; e quanto
mais nova for à explicação religio$a, mais men rosa.
Pois com o passar do tempo, as religiões iriam se embelezando, se modificando e se
adaptando a realidade da vida atual.

Entre o que aconteceu e o que é relatado pelos camelôs da fé existem diversas “linhas de
montagens”; e o fato é que, só dispomos de cópias de cópias de cópias, onde os an gos
modificaram os textos ao gosto desta ou daquela corrente teológica.
O jeito de detectar a verdade é através do EXPERIMENTO, e não dopando a sua mente com
mitologias religio$as, ou com as palavras escritas pelos camelôs da fé, em algum suposto
“Livro Sagrado”.
Se você quer saber se uma coisa é verdade ou men ra, tem que ir para o experimento.
O experimento é quem diz se alguma coisa é verdade ou men ra.

Com o obje vo de subs tuir o gênero Épico, que estava ligado ao paganismo e nha um
lugar especial nos cultos politeístas, pois as lendas e histórias dos an gos heróis são sempre
“EXTRAORDINÁRIAS”; os “escritores” usaram a pseudoepigrafia, (o uso de uma iden dade
mais famosa e an ga para embasar a autoria de algum texto novo); Imprimiram um caráter
histórico aos eventos que relataram; e desenvolveram a narra va no gênero literário
“Prosa”, (que é a maneira natural de falar, sem formar retóricos, adornos empolados ou
métricos).
A Bíblia desmascarada Volume VII 96

Já o es lo literário u lizado pelos atuais “camelôs da fé”, que gritam para vender a sua
mercadoria é o es lo BARULHENTO, e retumbante, com drama zações, oratórias e cadencias
repe vas.
Onde a pronúncia de certas palavras bíblicas e o es lo de se expressar são supervalorizados
A Bíblia desmascarada Volume VII 97

O Livro das Guerras do Senhor

Pintura: "Power of God."


Embora na época de Moisés OS LIVROS AINDA NÃO HOUVESSEM SIDO INVENTADOS, os
religiosos afirmam que se o “Livro das Guerras do Senhor” vesse sobrevivido, hoje ele
estaria no mesmo nível da Bíblia; que o “Livro das Guerras do Senhor” é uma obra perdida
em algum lugar do Mar Morto; é o único livro que relata os 40 anos de guerras travadas por
Moisés, por Josué, e pelos israelitas, através da Terra Santa...
E que os hebreus usariam a chamada Arca da Aliança como arma superpoderosa...

Embora a Bíblia tenha sido escrita por contadores de histórias, e esteja infestada de
crendices; para que a mesma não fosse desprezada, e viesse se transformar num “Livro
Sagrado”, os religiosos afirmaram que a Bíblia seria a Palavra de Deus, ainda que escrita por
humanos, e tentam convencer o devoto de que dada a importância que teria um livro escrito
por Deus, tal Livro nunca poderia ser desprezado...

Como as an gas “Leis” bíblicas foram apenas normas de higiene, o an go Código Penal, e o
an go Código Civil infestado de anacronismos, ou seja, uma ferramenta para controlar o
povo; diversos ensinamentos bíblicos que no passado foram superimportantes, hoje
estariam errados, ou mesmo se tornaram obsoletos...
Até porque, muitas proibições an gas perderam a sua credibilidade, e diversas leis an gas
foram apenas alguma orientação mágica, temporal ou territorial...

A Bíblia é uma coleção de lendas orais, e de textos primi vos que os hebreus compilaram de
outras culturas, organizaram, e ao retornar do exílio babilônico transformaram em supostos
“livros sagrados”...

Sendo que à medida que os “profetas” foram surgindo os textos an gos, também chamados
de URTEXT foram dando origem a mais livros.
Como aconteceu quando Constan no mandou fabricar o “Novo Testamento” cristão.
A Bíblia desmascarada Volume VII 98

O “VÉU DE VERÔNICA” seria uma fraude?

Na tradição cristã, a face de Jesus ficou milagrosamente impressa no “Véu da Berenice”; quando durante
a 6ª estação da Via Sacra, num gesto de compaixão, BERENICE enxugou o rosto de Jesus.

Após o ano de 750, se baseado no causo relatado por Euzébio sobre a inverossímil Carta que Jesus teria
escrito pessoalmente, para o Rei Abgaro V de Osroena, em Edessa, na Mesopotâmia...
Para dar “um ar de auten cidade” á fraude do “Véu de Berenice”.
Como em italiano a palavra “Verô” significa VERDADE; e “Verônica” significa “verdadeira imagem”

Apesar do Véu de Berenice ter do o seu nome mudado para “VÉU DE VERÔNICA”, o Padre Pfeiffer S.J.
Defende que o Véu da Verônica chegou a Constan nopla no ano 574, proveniente de Cesárea.
O Papa Inocêncio III (1198-1216) incen vou o culto ao “VÉU DE VERÔNICA”, ins tuiu uma procissão
anual, e concedeu indulgência aos devotos do “VÉU DE VERÔNICA”...

Por volta de 1380, graças ao apócrifo livro “Meditações sobre a vida de Cristo”, o rosto desfigurado de
Jesus se tornou internacionalmente famoso.
Em 1616, o Papa Paulo V (1552-1621) proibiu a confecção de novas cópias do “VÉU DE VERÔNICA”.

O Papa Urbano VIII (1623-1644) renovou a proibição de se confeccionar novas cópias do “VÉU DE
VERÔNICA”; acrescentou quem confeccionasse novas cópias seria excomungado, e ordenou a destruição de
todas as cópias então existentes.

Em 1885, o Papa Leão XIII determinou que a devoção à Santa Face de Jesus, e a Santa Verônica, sejam
comemorados na Terça-Feira anterior a Quarta-Feira de Cinzas.

Em 2001, o professor Giulio Fan , da Universidade de Pádua, ao estudar o Véu, usando um microscópio,
encontrou traços de corantes, e observou que o véu possuía tecidos de épocas diferentes...
Em 2011, no livro “O Enigma sobre o Rosto de Jesus”, o escritor Saverio Gaeta afirmou que os pigmentos
encontrados no “Véu de Verônica”, se tratariam apenas de algum “retoque” realizado na Idade Média, para
reforçar a intensidade das cores existentes no Véu...

Embora o Véu tenha permanecido exposto no local onde hoje é a Basílica de São Pedro, por séculos,
atualmente o Véu se encontra no Santuário de Manoppello, a cerca de 200 km de Roma.
E todo ano o “VÉU DE VERÔNICA” é visitado tanto por milhares de peregrinos, como pelo próprio clero.

OUTROS PDFS DO LISANDRO H


A Bíblia desmascarada Volume VII 99

A Bíblia Desmascarada volume I

Já que “Só 144 mil serão escolhidos”, o “Sacri cio” de Jesus NÃO PRESTOU, e a maioria irá para o Inferno; principalmente os pecadores anteriores que não
foram a ngidos pela salvação da crucificação.

“A Bíblia Desmascarada volume II

PROVAS DE QUE O “SANTO SUDÁRIO” É UMA FRAUDE

A imagem que aparece no sudário é de um IDOSO, e para que a “mortalha da vez” fosse verdadeira, a imagem de Jesus Cristo deveria apresentar o bió po de um
Judeu jovem e não mostrar um idoso de olhos azuis, pele clara, cabelos lisos e longos.

Lisandro H

Moisés nunca Exis u

Lisandro H

Você também pode gostar