Você está na página 1de 7

Características de um Testador de software:

Creative Mind: Esta é uma das características mais indispensáveis de um grande testador
de software. Os profissionais de teste precisam pensar muito além do que se espera do
software e dos usuários. Eles devem ser capazes de pensar como os usuários podem
fazer coisas que certamente não estão especificadas nos requisitos de software, ou como
podem fazer mau uso do software.
Habilidades analíticas: essas habilidades são essenciais para a análise de requisitos e
para entender o feedback do cliente ao definir a estratégia de teste. Habilidades analíticas
também são essenciais para obter o insight, a fim de construir soluções de teste
inteligentes. Os testadores precisam compreender os dados coletados nos testes e
analisá-los quanto ao comportamento específico do produto ou aplicativo.
Curiosidade: o traço é indispensável quando se trata de considerar as consequências.
Testadores curiosos geralmente pensam fora da caixa, de modo que podem determinar
problemas em áreas onde ninguém mais pode pensar em olhar.
Bom ouvinte: É uma grande qualidade dos testadores ouvir os outros. Eles devem saber
que sempre há espaço para melhorias. Eles também devem estar atentos se alguém
estiver dando alguma ideia ou implicação, pois isso certamente os ajudará a melhorar a
qualidade do software em teste. Você pode descobrir alguns cenários que outros podem
perder se não estiverem prestando atenção.
Proativamente apaixonado: A responsabilidade de um grande testador não é apenas
validar os programas de software em relação ao conjunto de requisitos. Grandes
testadores são apaixonados por seu trabalho e fornecem sugestões para melhorar o
produto. Os testadores apaixonados às vezes também se tornam gerentes de projeto ou
proprietários de produtos.
Aprendiz rápido: ótimos testadores devem estar bem familiarizados com a tecnologia.
Eles devem estar sempre abertos para aprender novas ferramentas de automação,
manter-se atualizado com as tecnologias mais recentes, usar as técnicas mais recentes
durante os testes, aprender com suas experiências e aprender a ter novas ideias.
Conhecimento de domínio: para executar uma sessão de teste bem-sucedida e projetar
testes eficazes, bons testadores devem ter forte conhecimento e compreensão do
domínio de aplicativos. Eles devem ter uma visão profunda de como os usuários finais
explorarão o programa. Eles também devem dedicar tempo para entender a terminologia
de seu domínio específico e ajudar a conceber cenários de caso de negócios
estratégicos.
Orientado para o cliente: os grandes testadores devem sempre tentar fazer seus clientes
felizes. Eles devem entender que os clientes não possuem as mesmas habilidades
técnicas dos testadores. Os clientes podem não ter experiência no domínio ou tecnologia
e podem não ter pensado em todos os cenários e casos de uso que podem surgir. Eles
devem fazer o melhor uso de suas habilidades de teste, tendo em mente a mentalidade
de seu cliente ao entregar o produto que seus clientes realmente exigem.
Automação de teste e conhecimento técnico: eles devem ter conhecimento técnico sólido
para determinar quais testes devem ser automatizados em qual camada, executar testes
em uma base constante, utilizar a disponibilidade de várias ferramentas de teste, fornecer
métricas valiosas para a organização e escolher as mais adequadas e mais recentes
conjunto de ferramentas para auxiliar no esforço de teste.
Capacidade de organizar e priorizar: Um grande testador deve ter a capacidade de
primeiro identificar e organizar testes essenciais e, posteriormente, priorizar a execução
com base na relevância do teste. Além disso, ao avaliar os esforços de teste, bons
testadores devem considerar o histórico de defeitos.
Capacidade de comunicação: Eles devem ter a capacidade de se comunicar com pessoas
não técnicas e técnicas. Eles também devem possuir a habilidade de comunicar-se bem
por escrito ou oralmente e transmitir os detalhes de um problema para a equipe de
desenvolvimento. Um bom documento passo a passo para reproduzir o defeito ajuda os
desenvolvedores a concentrar seus esforços na correção do problema, em vez de na
comunicação direta.
Capacidade de relatar: Ninguém terá interesse em saber o número de casos de teste
executados pelos testadores de software. É por isso que um bom testador deve ser bom
em relatar seu status atual no final do dia. Eles devem fornecer relatórios de bugs
eficazes e detalhados e também anexar capturas de tela, se possível, junto com o
relatório.
Atenção aos detalhes: ótimos testadores têm olho para os detalhes. Essa qualidade é útil
ao validar lógicas de negócios complexas e garantir que todos os cenários sejam
cobertos. Também ajuda a evitar penalidades ou custos mais altos de correção de
defeitos encontrados no final do ciclo ou após o lançamento da produção.
Orientado para os negócios: Um grande testador de software deve ser capaz de entender
o software do ponto de vista do negócio, avaliar os requisitos dos clientes, ter a
capacidade de entender as pessoas de um ponto de vista não técnico. Ele / ela também
deve ser capaz de compreender como os problemas de negócios podem ser convertidos
em soluções técnicas.
Habilidade intelectual: eles devem ser inteligentes o suficiente para usar sua habilidade
lógica, a fim de operar em um ambiente de teste de alto nível. Eles devem ser capazes de
solucionar a origem de um problema e resolvê-lo da melhor maneira possível.
Bom observador: acompanhar os itens menores e maiores relacionados ao projeto que
estão sendo discutidos é extremamente importante para um grande testador. Em um
ambiente dinâmico como uma startup, as coisas mudam rapidamente. É importante poder
acessar o impacto da mudança e ficar por dentro das mudanças. Além disso, monitorar o
progresso do teste e fazer as alterações necessárias, se necessário, também é muito
importante.
Good Time Manager: A maioria das equipes será limitada pela quantidade de tempo
disponível para desenvolvimento e teste. Os testadores precisam entender sua prioridade
e gerenciar bem seu tempo. Eles precisam saber o que deve ser testado e o que deve ter
menos prioridade. Quais tarefas devem ser assumidas primeiro e quais podem ser feitas
no final, quais devem ser automatizadas e quais devem ser testadas manualmente. Qual
a importância da documentação em comparação com a execução real do caso de teste,
no tempo determinado? Eles devem ser capazes de responder a essas e outras
perguntas e ajudar seus gerentes a tomar a decisão certa.
Perseverança: ótimos testadores nunca desistem. Eles são pacientes o suficiente para
encontrar o máximo de bugs que puderem. Eles exploram o software, constantemente
tentam fazer novas melhorias e aceitam todos os desafios e complexidades de teste de
forma positiva e paciente.
Capacidade de identificar e gerenciar riscos: Eles devem ser capazes de compreender o
processo adequado de gerenciamento de riscos - identificação de riscos, análise de riscos
e redução de riscos. O teste de software deve ser baseado na incorporação de processos
de teste orientados a riscos.
Orientado para a qualidade: Grandes profissionais de software não comprometem a
qualidade em qualquer estágio de teste. Resultados orientados para a qualidade sempre
levam a software livre com defeitos e garantem qualidade de primeira linha.
Capacidade de trabalhar em equipe: Os testadores de software devem ser capazes de
trabalhar bem dentro e fora da equipe. A troca de ideias, conhecimento, experiência e
pensamentos pode aumentar a qualidade e a eficiência da solução, portanto, grandes
testadores devem estar sempre dispostos a coordenar bem com os membros de sua
equipe e também com outras equipes.
Requisitos Técnicos

 Conhecimentos gerais sobre as práticas e princípios de engenharia de software;


 Conhecimento das práticas e princípios de Teste de Software;
 Conhecimentos básicos sobre métodos e estratégias de teste;
 Conhecimentos em Planejamento, Design e Execução de testes;
 Conhecimentos de redes de computadores, banco de dados, sistemas
operacionais;
 Conhecimentos de gestão de configuração;
 Conhecimentos dos vários tipos de documentação em teste de software;
 Habilidades para definir, coletar e analisar medidas de teste de software;
 Conhecimentos básicos em ferramentas de automação;
 Noções sobre qualidade de software.
Requisitos Gerenciais

 Organização e planejamento;
 Motivação;
 Saber trabalhar com clientes e usuários;
 Saber trabalhar em equipe e resolver problemas de conflitos entre os membros da
equipe;
 Habilidades para uma boa comunicação.

Read more: http://www.linhadecodigo.com.br/artigo/1419/formando-equipes-eficientes-de-
teste-de-software.aspx#ixzz6rP6092w0
Gerente de Teste de Software: O Gerente de Teste de Software tem como função
primordial a iniciação do projeto de teste a ser realizado no produto a ser testado. Suas
qualificações e competências se assemelham a um gerente de projetos típico: elaborar o
plano do projeto de teste, aquisição de novos recursos, orçamento, riscos, prazos,
elaboração de relatórios, limitações do escopo do projeto de teste e outras atividades
gerenciais como constante comunicação com sua equipe, controle e monitoração das
atividades, geração de métricas para alimentar indicadores, etc.

 Líder de Teste de Software: É o profissional responsável pela condução dos testes e pela
equipe de testes. Geralmente é um profissional com alto grau de conhecimento em ciclos de
vida de testes, automação de testes, ambientes de testes. O Líder de Testes ajuda o gerente de
Testes a elaborar 3 relatórios básicos para o acompanhamento do Projeto: Relatório de
Status, Relatório de Progresso e Relatório de Desempenho.

 Arquiteto de Teste de Software: É o profissional responsável por montar e garantir o


correto funcionamento da infra-estrutura e ambientes de teste. É também a pessoa que cuida
da instalação das ferramentas e que garante o correto funcionamento das mesmas.

 Analista de Teste de Software: É o profissional responsável por traduzir os requisitos do


sistema em modelagens, cenários e casos de teste. Os defeitos encontrados por este
profissional são encaminhados à equipe de desenvolvimento e o mesmo deve garantir que os
mesmos foram corrigidos através do Teste de Confirmação.
Os cargos, funções e qualificações mostrados acima podem se diferentes em muitas
empresas. Procurei apenas fazer um resumo do que é mais usual no mercado de teste no
Brasil.
Qualificações para Contratar e Ser um Bom Analista de Testes de Software
Existem alguns muitos requisitos necessários para se contratar e ser um bom analista de
teste, dependendo do nível em que este se encontra, por exemplo, o profissional Júnior,
Pleno ou Sênior.
Entretanto muitas dessas qualificações ou requisitos são comuns para os profissionais
desta área. Conforme mencionei no começou deste artigo, estarei agora listando e mais
detalhes outras classificações para a atividade de teste de software, sendo essas
descrições "entradas" para se contratar um bom profissional da área teste de software:

Read more: http://www.linhadecodigo.com.br/artigo/1419/formando-equipes-eficientes-de-teste-de-
software.aspx#ixzz6rP6jS7vx
Aprendizado e Início da Carreira em Teste de Software: Nesta primeira fase acontecerá a
formação de novos profissionais em teste de software. A organização poderá desenvolver
um programa de novos aprendizes em teste de software e oportunidade de crescimento
nessa área. Muitos treinamentos, palestras, workshop são ministrados para esses novos
profissionais e a participação inicial em projetos como Analista de Testes Júnior é crucial
para o começo da vivência em projetos de teste de software. Consideramos também um
profissional júnior não somente aqueles novos na área, mas também aqueles que estão
trocando de área, por exemplo, programação por teste de software e que já estão na área
a mais tempo. Estagiários são a grande maioria do staff nesse primeiro momento.
2. Especialização em Teste de Software: No grau de especialização, os profissionais já
são mais experientes e já possuem grande conhecimento em teste de software.
Geralmente possuem uma ou mais certificações profissionais em teste de software e já se
tornam referência para os Analistas de Teste Júnior. Nesta etapa o profissional escolhe
que carreira de especialização seguir: ser um arquiteto de testes(responsável pelo
ambiente de infra-estrutura dos projetos de teste), um analista de teste(análise,
especificação e execução de casos e cenários de teste ou automatizador de teste de
software(responsável por criar scripts de teste de forma automatizada usando ferramentas
CAST(Computer Aided Software Testing)).
3. Liderança em Teste de Software: Os profissionais com mais destaque e jeito pra
liderar pessoas e projetos são escolhidos e previamente avaliados. Esse profissional será
o porta-voz da equipe do projeto de testes e levará para o gerente de testes todas as
necessidades da equipe. Esse líder ou coordenador ainda não perdeu contato total com a
área técnica, ou melhor, ainda, ele é um coordenador ou líder da equipe sendo então um
técnico muito especializado porem com facilidades e habilidades para coordenador e
conduzir equipes de projetos.
4. Gerência em Teste de Software: Ao formar líderes e coordenadores na fase anterior,
geralmente não muitos, são escolhidos para o cargo de Gerente de Teste de Software.
Nesse cargo o profissional tem pouca ou quase nenhuma responsabilidade técnica, ou
seja, ele não irá executar scripts ou casos de teste. Este profissional está responsável por
Iniciar, Planejar, Executar, Controlar e Monitorar e Encerrar o Projeto de Teste de
Software. É também função dele gerar estimativas e garantir a qualidade do produto. Ele
se torna a pessoa mais importante e responsável no que se diz respeito ao término do
projeto de teste de software, uma vez que não se pode ficar executando os testes para
sempre. Seu feeling é necessário para que se possa liberar o software para produção
com uma margem segura e comprovada através de indicadores que a qualidade e a
ausência de defeitos críticos estejam totalmente corrigidos.
5. Gerência Executiva em Teste de Software: Este é o ultimo nível na carreira de teste
de software. Geralmente trata-se apenas de um só profissional, responsável por gerenciar
todos os recursos humanos de teste de software: Gerentes, Líderes e Coordenadores,
Arquitetos, Analistas e Profissionais Júnior. Este profissional é o homem de negócios da
organização de teste, sendo o primeiro e único responsável. É também das suas funções
de Gerente Executivo, trazer mais negócios e projetos para a área de teste de software da
empresa, garantir que os profissionais estão com o grau de qualificações elevado e
registrar crescimento do faturamento da área de teste seja pelos projetos em andamento
ou novos projetos ou ainda pelo feedback dos clientes sobre a qualidade do software
entregue para a alta gerência.
Este modelo de programa de carreira em teste de software não é o único e pode ser
modificado de empresa para empresa. Como, particularmente, a área de teste de
software ainda é nova no Brasil, muitas empresas ainda terão que criar esse programa e
o mesmo deve ter o apoio da alta gerência e oficializado para os profissionais.
Na criação do programa de carreira para teste de software e em cada fase desse
processo, muitas variáveis são levadas em consideração: tamanho das equipes de teste,
investimentos financeiros, apoio da alta gerência, requisitos para cada cargo, avaliações
de desempenho, critérios para subir na carreira. Ou seja, deve existir um planejamento e
investimentos iniciais para essa atividade e um grupo de pessoas deve se disponibilizar
durante um tempo para a criação e elaboração.
Cabe a empresa e uma força-tarefa inicial por parte dos recursos humanos da empresa,
indicar em qual categoria o profissional está classificado. Decisões delicadas devem ser
tomadas para cada profissional, até mesmo para não gerar desconforto, caso uma
avaliação seja mal feita prejudicando e desmotivado o profissional, colocando o mesmo
em alguma categoria que ele não deveria estar.
Conforme mencionado anteriormente, a idéia de todos os modelos de programas de
carreira é "segurar" o profissional, deixá-lo especialista, prepará-lo para liderança e
gerência fazendo com que a rotatividade das equipes de projetos sejam diminuídas
impactando menos nos projetos e deixando de ser um risco em muitos casos.

Read more: http://www.linhadecodigo.com.br/artigo/1419/formando-equipes-eficientes-de-teste-de-
software.aspx#ixzz6rP7S89vW

Você também pode gostar