Você está na página 1de 4

A circulação do sangue e distribuição de líquidos se dá pela ação bombeadora do

coração, sendo que as artérias conduzem o sangue aos tecidos; na microcirculação


ocorrem as trocas metabólicas; as veias retornam o sangue ao coração, cabendo aos
vasos linfáticos o papel de reabsorver o excesso de líquido filtrado na microcirculação.

Nas artérias os leucócitos e as hemácias caminham no centro do vaso, e o plasma flui


próximo às paredes.

A microcirculação é responsável pela oxigenção, nutrição e remoção dos produtos finais


do catabolismo celular.

1. HIPEREMIA: ↑ da quantidade de sangue no interior dos vasos.


2. HEMOSTASIA: processo fisiológico envolvido com a fluidez do sangue e com
o controle do sangramento quando ocorre uma lesão vascular (equilíbrio entre os
efeitos pró-coagulantes e anti-coagulantes).
3. TROMBOSE: É um processo patológico caracterizado pela solidificação do
sangue dentro dos vasos ou coração.

- Trombo: é uma massa sólida formada pela coagulação do sangue.

- Coágulo: é uma massa não estruturada do sangue fora dos vasos (ex: cavidade
peritonial).

-> Trombose resulta de uma alteração patogênica no processo normal da coagulação


sanguínea.

-> Pode ser causada por uma lesão endotelial, por uma alteração no fluxo sanguíneo e
também por uma hipercoabilidade.

-> A hipercoabilidade: ↑ da coagulação, causado principalmente pelo ↑ do nº de


trombócitos (plaquetas).

->a trombose pode ser ocasionada por alterações congênitas e adquiridas.

Na alteração patogênica é onde ocorrerá uma mutação pontual no gente que contém a
molécula de fator V (como visto no post anterior sobre coagulação sanguínea).
Esse Fator V, vai ser chamado de Fator V Leinden, sendo que Leinden é o nome da
cidade onde foi detectada a primeira vez. Esse Fator V Leiden vai ser resistente aos
efeitos da Proteína C, então o risco de se desenvolver trombose é muito grande.

Na alteração adquirida, haverá um aumento da coagubilidade do sangue, sendo causado


pela liberação de tromboplastina no plasma, que ativa a via extrínseca da coagulação,
acontecndo frequentemente em politraumatismos, queimaduras, cirurgias extensas,
neoplasias malígnas e entre outras.

Os trombos podem ser:

• Oclusivos: Artérias e veias menores, de pequeno calibre, que podem obstruir a


luz do vaso.
• Não-oclusivos: Artéria de grande calibre com fluxo intenso, que não obstrui a
luz do vaso.

-> Os trombos são sempre aderidos à parede e possuem cabeça, corpo e cauda, e são
sempre friáveis, secos e opacos.

-> Já os coágulos NÃO são aderidos à parede, são brilhantes, úmidos e elásticos.

O trombo pode sofrer calcificação, formando um flebólito, podendo ser facilmente


reconhecido em uma radiografia.

O trombo também pode ser colonizado por bactérias e fungos em casos de septicemia.
E, também pode ser transformar em um êmbolo caso se fragmentar e se desprender da
parede do vaso.

4.EMBOLIA: Consiste na existência de um corpo sólido, líquido ou gasoso (êmbolo)


transportado pelo sangue capaz de obstruir um vaso.

- Mais de 90% dos êmbolos se originam de um trombo, chamados de tromboembolia.


O trombo se desprende da parede do vaso e seus fragmentos são transportados pela
circulação.

-Sólido: São formados por fragmentos de partículas, fragmentos de placas de ateromas,


e trombos.

-Líquida (gordurosa): presença de lipídeos que obstruem a microcirculação, pode


também ser causado por medicamentos viscosos endovenoso.

-Gasosa: pode ser causado por bolhas de gás na seringa, ou por contraturas durante o
parto.

Esses embolos se dirigem à grande circulação e se alojam principalmente no cérebro,


intestinos, rins, baços e membros inferiores.

5.ISQUEMIA: Significa a ausência total ou parcial de sangue nos tecidos.

A intensidade da isquemia depende do grau da obstrução (total ou parcial) vascular e


pode ocorrer de forma rápida (ex. trombo) ou lenta (ex. placa de aterosclerose).

Causas:

- Diminuição da pressão de artérias e veias, acontece sempre em estado de choque.

- Obstrução da luz vascular, que é a causa mais frequente de isquemia. Chamados


também de causas Angiomecânicas e Angioespastícas.

• Angiomecânicas:
Intrínsecas: Obstrução pelo lado de dentro do vaso(trombo, aterosclerose), e
Extrínseca: obstrução ou compressão pelo lado de fora do vaso (edema, tumores,
hematomas).
• Angioespásticas: Causado por espasmos do endotélio muscular liso da túnica
média do vaso. Causando a Angina, ocasionando uma dor muito aguda no
precórdio.

- Angina Estável: ocorre em pacientes que tem doenças coronarianas, geralmente após
alguma atividade física intensa.

-Angina Instável: ocorrem em momentos inesperados, gerando uma forte arritmia


cardíaca.

- Angina de Prinzmetal: ocorrem angioespasmos, ou seja, espasmos insntantâneos


podendo osbstruir rapidamente o vaso. Em casos de emergência, usa-se um
vasodilatador (adrenérgico) ou um anticolinérgico para promover a vasodilatação
rapidamente.

Resumo:

TROMBO/EMBOLO→ ISQUEMIA → ANÓXIA → REDUÇÃO DE ATP →


REDUÇÃO DAS FUNÇÕES VITAIS → NECROSE.
6. INFARTO: consiste em uma aréa circunscrita de necrose tecidual causada por uma
isquemia prolongada.

O infarto pode ser branco ou vermelho, conforme o aspecto do órgão.

O infarto Isquêmico (branco): ocorre uma obstrução arterial antes de chegar no órgão.

Já o infarto Hemorrágico (vermelho): ocorre no órgão propriamente dito, devido a


hemorragia tem a cor vermelha.

O paciente que sofreu infarto pode apresentar manifestações gerais como febre,
leucocitose e aumento no plasma de enzimas liberadas pelas células destruídas e pode
também ter manifestações localizadas, como dor no precórdio e dor abdominal, por
exemplo, quando ocorrerá infarto do miocárdio e infarto do intestino, tendo
sinais/sintomas associados à disfunção do órgão (arrtimias, insuficiência cardíaca,
paralisia cerebral..).

7. CHOQUE: consiste em uma crise aguda de insuficiencia cardiovascular, onde o


coração e os vasos não são capazes de irrigar todos os tecidos do corpo com o oxigênio
necessário.

- Choque Hipovolêmico: ocorre devido a diminuição do volume de sangue, plasma e


eletrólitos. Podendo ser provocado por traumatismos intensos, perda de plasma ou
desidratação.

- Choque Séptico: ocorre geralmente em casos septicemia, ocasionado sobretudo por


infecções de bactérias gram-negativas produtoras de endotoxinas.

- Choque Anafilático: resulta de uma reação antígeno-anticorpo que resulta em uma


reação alérgica, tendo como consequência a dilatação de um grande número de vasos,
resultando na queda da Pressão arterial.

- Choque Neurogênico: desregulação neurogênica que resulta na redução do tônus das


veias e artérias, reduzindo também a PA.

- Choque Cardiogênico: Choques causados por uma disfunção cardíaca, sendo eles um
infarto agudo, arritmica ou alguma cardiopatia.

8. HEMORRAGIA: É o extravasamento de sangue após o rompimento de um vaso,


podendo ser externo ou interno.

Em casos de hemorragias, têm-se que atentar para a Hermartrose, que é o equilíbrio da


quantidade de sangue presente na circulação.

Se em alguma hemorragia, houver a perda de 1/3 de sangue, acontecerá uma


descompensação, o que ocasionará em uma morte extremamente rápida.