Você está na página 1de 8

APARELHOS

ORTODÔNTICOS PREVENTIVOS E INTERCEPTORES

Procedimentos ortodônticos PREVENTIVOS


Objetivo: Manter a integridade das arcadas dentarias a fim de permitir o bom desenvolvimento da oclusão
§ Impedir que a maloclusão se instale
Atividades preventivas
§ Aconselhamento familiar: higiene bucal e educação odontológica
§ Remoção de placas bacterianas
§ Aplicação tópica de flúor
§ Odontologia conservadora na dentição decídua
§ Restauração dos dentes decíduos
§ Eliminação de hábitos de sucção
§ Manutenção de espaço

Procedimentos ortodônticos INTERCEPTORES


Objetivo: interceptar o desenvolvimento de qualquer anormalidade da oclusão e minimizar a severidade da maloclusão
§ A maloclusão já se instalou (ou corrijo o problema ou impeço que ele piore)
Atividades interceptoras
§ Eliminação de hábitos de sucção
§ Reeducação da fala e da deglutição atípica
§ Descruzamentos
§ Recuperação de espaços
§ Eliminação de sobremordidas incipientes
§ Frenectomias
§ Remoção de dentes decíduos (retenção prolongada)

PERDAS PRECOCES
MANTENEDORES DE ESPAÇO
São aparelhos destinados a preservar o espaço deixado pela perda de um ou mais dentes, impedindo movimentos
indesejáveis que poderiam comprometer a oclusão dentaria do paciente

Equilíbrio:
ø Contatos proximais: força mesial anula força distal
ø Contatos oclusais: oclusão com dentes antagonistas anula movimentos de extrusão
ø Contatos laterais: força vestibular anula força lingual

QUANDO MANTER O ESPAÇO?


ü Quando não houver perda no perímetro dos arcos
Se houver perda, não vou manter, mas RECUPERAR
ü Quando o sucessor permanente estiver presente
Vai depender do meu plano de tratamento (se não tiver sucessor, mas for fazer implante, devo MANTER)
ü Quando o sucessor tiver menos de 2/3 da raiz formada
Afirmação verdadeira, pois no estágio 8 de Nolla, já está na hora do dente irromper)
ü Quando o prognostico da análise da dentição mista for favorável
Também depende do meu planejamento (se for desfavorável e eu extrair um dente, não precisa)

Escolha do mantenedor:
ü Quantos dentes foram perdidos
ü Quai(s) o(s) dente(s) perdido(s)
ü Fase de desenvolvimento do sucessor
ü Tempo decorrido desde a perda
ü Grau de cooperação da criança

Características ideais:
ü Preservar a distância MD e OC
ü Não lesar tecidos circunjacentes
ü Não impedir o crescimento e o desenvolvimento dos arcos dentários
ü Não interferir na fonação e deglutição
ü Ser de fácil higienização
ü Construção simples e resistente
ü Estético
MANTENEDORES DE ESPAÇO
Fixos: Banda-alça, coroa-alça, arco lingual, barra transplatina e botão de Nance. – sempre que tenho banda, é fixo
Removíveis: placas de acrílico

§ Mantenedores Fixos
BANDA-ALÇA
Aparelho fixo unilateral indicado para a manutenção de espaço nos segmentos posteriores
Fio de aço 0,8 ou 0,9mm Banda ortodôntica com uma alça soldada a ela
Indicações:
§ Perda precoce de um único elemento dentário posterior decíduo
- Perda precoce do 1º molar decíduo
- Perda precoce do 2º molar decíduo na presença do 1º molar permanente (se ele não tiver, coloca a banda onde?)
Contra-indicações:
§ Pacientes com sensibilidade a materiais metálicos
§ Perda de mais de um elemento dentário
Vantagens:
§ Não depende da colaboração do paciente
§ Fácil confecção e baixo custo
§ Boa resistência
§ Fácil higienização
Desvantagens:
§ Não evita a extrusão do dente antagonista
§ Não restabelece a função mastigatória do dente extraído

ARCO LINGUAL DE NANCE


Mantenedor de espaço fixo constituído de um arco passivo que tangencia a face lingual dos dentes inferiores na altura
dos terços cervicais, com suas extremidades soldadas na face lingual das bandas dos primeiros molares inferiores
permanentes
Fio de aço 0.8, 0.9 ou 1mm contornando a lingual
Indicação:
§ Extrações múltiplas dos dentes decíduos posteriores inferiores
Contra-indicações:
§ Pacientes com sensibilidade a materiais metálicos. UTILIZADO APENAS EM DENTES INFERIORES
Vantagens: ø Não pode no superior porque o
§ Não depende da colaboração do paciente inferior toca na palatina do superior
§ Fácil confecção e baixo custo
§ Boa resistência
§ Fácil higienização
Desvantagens:
§ Não evita a extrusão do dente antagonista
§ Não restabelece a função mastigatória do dente extraído

BARRA TRANSPLATINA
Fio de aço 0.9 ou 1mm.
Indicação:
Extrações múltiplas dos dentes decíduos posteriores superiores

BOTÃO DE NANCE
Indicação:
Extrações multiplas dos dentes deciduos posteriores superiores


Diferença do Botão de Nance para a Barra Transpalatina

o Botão de Nance vai mais pra frente e forma um botão
Posso estender para a região anterior com um dente de acrílico





§ Mantenedores Removíveis

MANTENEDOR DE ESPAÇO REMOVÍVEL ANTERIOR
Indicação:
§ Perda precoce dos dentes anteriores, em pacientes colaboradores
Contra-indicação:
§ Paciente com sensibilidade ao acrílico e metal
§ Paciente não colaborador
Vantagens:
§ Fácil confecção e baixo custo;
Não só mantém espaço, mas proporciona
§ Fácil higienização;
estética e impede instalação de hábitos
§ Reestabelece a função mastigatória e estética;
§ Previne hábitos deletérios.
Desvantagens:
§ Depende da colaboração do paciente (mas como se trata da região anterior, o paciente costuma colaborar)

MANTENEDOR DE ESPAÇO REMOVÍVEL POSTERIOR
Indicação:
§ Perda precoce dos dentes posteriores, em pacientes colaboradores
Contra-indicações:
§ Pacientes com sensibilidade a acrílico e metal
§ Pacientes não colaboradores
Vantagens:
§ Fácil confecção e baixo custo;
§ Fácil higienização;
§ Reestabelece a função mastigatória;
§ Evita a extrusão do dente antagonista
§ Mantem o espaço no sentido M-D e C-O.
Desvantagens:
§ Depende da colaboração do paciente

RECUPERADORES DE ESPAÇO
São dispositivos dinâmicos cuja finalidade é a de recuperar espaços nos casos em que o diâmetro M-D destinado ao dente
permanente em fase de erupção foi perdido parcialmente
v Os recuperadores de espaço são usados somente para recuperar o espaço que uma vez existiu. Recuperar
espaço não é criar espaço Moyers, E.R.
Ex.: se o molar permanente já vem irrompendo no lugar do segundo molar decíduo, não adiante usar recuperador
Só recupera espaço que já existiu


HÁBITOS BUCAIS
Conduta:
1. Aconselhamento ao paciente e responsável
2. Encaminhar para áreas afins
ø Otorrinolaringologia
ø Fonoaudiólogo
ø Psicólogo
3. Intervenção ortodôntica

GRADE PALATINA REMOVIVEL
Correção da mordida aberta anterior causada por sucção de dedos, chupeta ou interposição da língua.
Grampos de retenção e arco vestibular: fio 0,7mm
Grade: fio 0,8mm

GRADE PALATINA FIXA MORDIDA ABERTA ANTERIOR - Grade palatina (sempre que possível usar a fixa)
Bandas ortodônticas bilaterais INTERPOSIÇÃO DE LÁBIO – Placa lábio-ativa
Fio 0.8 ou 0.9

PLACA LÁBIO-ATIVA
Correção do habito de interposição e lábios.
MORDIDA CRUZADA POSTERIOR DENTARIA
Varios dentes inclinados
• Aparelho removível com parafuso expansor
Mordida cruzada posterior
• Quadri-helice
ø Sempre diagnostico em RC
Apenas um dente inclinado ø Sempre que é BILATERAL tem
• Aparelho removível com mola digital desvio de linha média
ø Se tem desvio de linha media, a
• Arco palatino com mola digital
MIH não está compatível com a RC
Dente e seu antagonista inclinados ø Tto: sempre vou SOBRECORRIGIR
• Elasticos intermaxilares (1/8) (de 2 a 3mm) e contenção 6 meses

DIAGNOSTICO DIFERENCIAL
Observar a inclinação dos dentes posteriores
Mordida cruzada dentariaà os dentes exibem uma inclinação para palatinoà afeta somente dente e osso alveolar
Mordida cruzada esqueléticaà os dentes exibem uma inclinação normal ou uma verticalizaçãoà a maxila é atresica
v Quadri- helice
Ativação
• Prévia à cimentação
• Equivalente à largura vestibulopalatina dos molares bandados
• Realizada nos helicoides Helicoide: diminuir a força do fio
Helicoides mesiais à maior expansão posterior Quanto menos volta o fio tem
Helicoides distais à maior expansão anterior mais força ele faz
Intervalo entre as ativações à28 dias
Sobrecorreção de 2 a 3 mm
Tempo de ativação: 3 meses
Tempo de contenção: 6 meses
Ø Bandas
Ø Arco palatino
Ponte anterior
Helicoides anteriores
Braços lateriais
Helicoides posteriores

v Aparelho removivel com parafuso expansor
Contra-indicações:
• Pacientes não colaboradores
• Dentes com coroa clinica curta e expulsiva
Ativação: ¼ de volta por semana
Tempo:12 meses
Contenção: 6 meses


MORDIDA CRUZADA POSTERIOR FUNCIONAL
Linha media: OC: com desvio comprometimento unilateral
RC: sem desvio comprometimenro bilateral
È muito importante diferenciar a mordida cruzada posterior unilateral verdadeira (expansão unilateral do arco dentário)
da mordida cruzada posterior unilateral funcional (expansão bilateral simétrica),pois envolvem mecanoterapias diferentes

Ø A escolha da mecanoterapia adequada baseia-se em sua etiologia funcional dentaria e esquelética




MORDIDA CRUZADA POSTERIOR ESQUELÉTICA
HASS: 1 volta completa por dia (2/4 de volta de manha e 2/4 de volta a noite)





MORDIDA CRUZADA ANTERIOR DENTARIA
Fatores etiológicos
• Inadequado comprimento da arcada
• Posições ectópicas de germes dos permanentes
• Injurias traumáticas da dentição decídua
• Retenção prolongada do dente decíduo
• Supranumerario
• Esclerose óssea ou barreira de tecido fibroso
Tratamento:
• Plano inclinado fixo
• Aparelho removível com molas digitais
• Arco palatino com molas digitais
Aparelhos removível com molas digitais
ø 24 horas diárias
ø 4 a 8 semanas
ø Colaboração do paciente
ø Controle do Mov. Mabial
o Resina acrilica
o Grampos d eretenção
o Mola em ‘’S’’ ou duplo helicoide
o Arco vestibular
Plano inclinado fixo
ø Deve cobrir os dentes anteriores inferiores
ø Não pode ter contato com tecidos gengivais
ø Plano inclinado em 45º
§ Ativação (fechamento mandibular)
Vantagens: baixo custo, técnica simples e método imediato
Desvantagens: abertura de mordida posterior e quantidade e direção de força.



MORDIDA CRUZADA ANTERIOR ESQUELÉTICA

Etiologia:
Hereditariedade
Distúrbios congênitos (acromegalia)


Tratamento
o Mentoneira
o Tração reversa da maxila
o Aparelhos ortopédicos
o Aparelhos fixos
o Cirurgia ortognatica



Relaçao molar em CL III ( OC e RC)


Perfil côncavo

Diagnostico diferencial


Praticamente todos os incisivos cruzados ou em topo

Fechamento mandibular sem interferências
Analise de espaço na dentição mista
As análises de dentição mista visam prever através de tabelas ou radiografias, o tamanho dos dentes permanentes não
erupcionados e se estes terão espaço no arco.

Objetivo:
• Avaliar a quantidade de espaço disponível no arco dental para a acomodação dos dentes permanentes
compreendidos entre a mesial do 1ºM de um lado e a mesial do mesmo dente do lado oposto.
• Relacionar o resultado aos procedimentos que poderão ser adotados.
ANALISE DE MOYERS:
Baseia-se em um método estatístico, onde se pode predizer o valor da soma das medidas mesio-distais do canino e dos
pré-molares não erupcionados através de sua relação com a soma das medidas mesio-distais dos incisivos inferiores, já
erupcionados.

Indicação: analise de espaço na dentição mista.


Aplicação Clínica:
• Apinhamentos dentários no início da dentição mista;
• Planejamento para controle de espaço na dentição mista.
Procedimentos técnicos:
• Obtenção de modelos de gesso
• Medida do espaço presente
• Medidas das distancias mesio-distais dos incisivos inferiores.
• Utilização da tabela
Analise de moyers DM(discrepância de modelo) = EP(espaço presente) - ER(espaço requerido)

Espaço Presente (EP): O espaço presente é o perímetro do osso basal compreendido entre a mesial do primeiro molar
permanente de um lado até a mesial do primeiro molar do lado oposto.

Espaço Requerido (ER): Somatório das distância mesio-distais dos dentes permanentes erupcionados ou intra-ósseos,
localizados de mesial do primeiro molar permanente de um lado até a mesial do primeiro molar permanente do lado
oposto.

ARCO INFERIOR

Região Anterior
• Espaço presente anterior:
Espaço presente no osso basal da linha média da crista alveolar, entre os incisivos centrais, até a mesial
do canino, bilateralmente. (dos dois lados – x2)
• Espaço requerido anterior:
Somar distância mésio-distais dos incisivos inferiores.
Discrepância de modelo anterior: EPa - ERa

Região Posterior
• Espaço presente posterior:
Simular alinhamento dos incisivos (somar distância mésio distal dos incisivos central e lateral de cada
lado e marcar com lapiseira o espaço necessário para alinhamento. Em seguida com compasso de ponta
seca mensurar distância entre a marcação e a mesial do primeiro molar. Fazer este procedimento para o
lado direito e esquerdo. (consumi o espaço do canino – agora vai da risca do canino até a mesial do 1ºm)
• Espaço requerido posterior:
Utilizar a tabela de Moyers na proporção de 75% para encontrar valor referente a espaço requerido para
erupção de caninos e pré-molares permanentes. Tomando-se o valor correspondente à somatória das
distâncias mésiodistais dos incisivos inferiores, procura-se localizar na tabela de predição (75%) o valor
mais próximo. Abaixo desse valor serão encontrados valores que correspondem à somatória das
distâncias mésio-distais de caninos e pré-molares. Fazer este procedimetno para o lado direito e
esquerdo.
Discrepância de modelo posterior: EPp – Erp
ARCO SUPERIOR
Região Anterior
• Espaço presente anterior:
Espaço presente no osso basal da linha média da crista alveolar, entre os incisivos centrais, até a mesial
do canino, bilateralmente.
• Espaço requerido anterior:
Somar distância mésio-distais dos incisivos superiores.
Discrepância de modelo anterior: EPa - ERa

Região Posterior
• Espaço presente posterior:
Simular alinhamento dos incisivos (somar distância mésio distal dos incisivos central e lateral de cada
lado e marcar com lapiseira o espaço necessário para alinhamento. Em seguida com compasso de ponta
seca mensurar distância entre a marcação e a mesial do primeiro molar. Fazer este procedimento para o
lado direito e esquerdo.
• Espaço requerido posterior:
Utilizar a tabela de Moyers na proporção de 75% para encontrar valor referente a espaço requerido para
erupção de caninos e pré-molares permanentes. Tomando-se o valor correspondente à somatória das
distâncias mésiodistais dos incisivos inferiores, procura-se localizar na tabela de predição (75%) o valor
mais próximo. Abaixo desse valor serão encontrados valores que correspondem à somatória das
distâncias mésio-distais de caninos e pré-molares. Fazer este procedimetno para o lado direito e
esquerdo.
Discrepância de modelo posterior: EPp – Erp

DISCREPÂNCIA POSITIVA: SOBRA ESPAÇO PARA O ALINHAMENTO DOS DENTES.


DISCREPÂNCIA NEGATIVA: NÃO EXISTE ESPAÇO SUFICIENTE PARA O PERFEITO ALINHAMENTO DOS DENTES.
DISCREPÂNCIA NULA: QUANDO O ESPAÇO PRESENTE É IGUAL AO REQUERIDO.

CONTROLE DE ESPAÇO:
A supervisão de espaço é um conjunto de procedimentos ortodônticos realizados na fase de dentição mista, de caráter
preventivo, em pacientes que apresentam discrepâncias de modelo nula, positiva ou negativa, com finalidade de busca de
espaço para a harmonização da oclusão.

Discrepâncias positiva: os dentes possuem espaço no arco para alinhamento espontâneo.


(Discrepância mais favorável)
Conduta
• Observar o desenvolvimento da oclusão normal
ø Controlar a sequência de erupção dos dentes
ø Consultas periódicas
ø Analises de radiografia
Discrepância nula: espaço presente é igual ao espaço requerido.
Discrepância negativa: espaço avaliado é menor que o espaço requerido (<ou = -0,4mm).
Conduta
• Supervisão de espaço
Princípios básicos
1. Controle do desenvolvimento da oclusão
2. Manutenção de espaços
3. Recuperar espaços perdidos
4. Pequenos desgastes,slices
5. Exodontias
6. Ortodontia corretiva

Discrepância negativa: Espaço presente é menor que o espaço requerido (<-0,5mm)
Conduta
• Extração seriada
Discrepância positiva: EP > ER
Discrepância nula: EP = ER
Discrepância negativa: EP < ER (< ou = -4,0mm)
Discrepância negativa: EP < ER (> -5,0mm)
Discrepâncias de mais de 4mm por quadrante
EXTRAÇÃO SERIADA (pelo menos -8)
I. Extração precoce dos caninos decíduos
Alinhamento dos incisivos permanentes

II. Extração dos 1º M decíduos quando os 1º PM estão no estágio 7 de Nolla.


Acelerar erupção dos 1ºPM
Trazer para a boca para tirar ele,para haver erupção dos caninos permanentes no lugar dos 1ºPM e no final da história ter os
dentes alinhados

III. Extração dos 1ºPM quando chegam ao nível gengival


IV. Erupção para distal dos caninos ocupando o espaço dos 1º PM

Ordem: canino decíduo> 1º M decíduo >1º PM

Vantagens
• Maior possibilidade de movimentos fisiológicos
• Redução do tempo de mecânica ortodônticas
• Diminuição do tempo de contenção
• Menor distúrbio do osso alveolar e periodonto.
Desvantagens
• Aumento da sobremordida
• Inclinação lingual dos incisivos
• Tecido cicatricial nas areas das extrações
• Diastemas
• Alteração da função da língua

Você também pode gostar