Você está na página 1de 54

 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

CURSO
ESCRITÓRIO CONTÁBIL PRÁTICO

APOSTILA III

Departamento Pessoal

ALVES CONTABILIDADE
ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA
Nosso site: www.alvescontabilidade.com  

1
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

CURSO ESCRITÓRIO CONTÁBIL PRÁTICO


Índice

Introdução Geral – página 4 a ........................................


.....................................................................................
...................................................
...... 6
Férias – página 6 a .......................................................................................
.......................................... ..................................................................
..................... 8
13º Salário – página 08 a .........................................
......................................................................................
.........................................................
............ 9
Banco de Horas .........................................
......................................................................................
........................................................................
........................... 9
Licença de Maternidade...........................................
Maternidade ........................................................................................
.......................................................
.......... 10
Licença de Paternidade ............................................
.........................................................................................
.......................................................
.......... 11
Acidente de Trabalho.......................................................................................................12
Vale Transporte...............................................................................................................13
Repouso Semanal................................... ........................................................................14
Contribuição Sindical......................................................................................................15
Adicional de Insalubridade........................ ....................................................................15
Adicional de Periculosidade...........................................................................................16
Cálculos Trabalhistas - página 17 a................................................................................22
Cálculo Salário hora extra - página 23 a.........................................................................24
Cálculo hora extra noturna..............................................................................................25
Cálculo do adcional de insalubridade.............................................................................26
Cálculo do adicional de periculosidade..........................................................................26
DSR – Descanso Semanal Remunerado........................................................................27
Cálculo do trabalho em dias de repouso – página 28 a..................................................33
Exercícios horas extras com adicional de 50% e o reflexo nos RSR,s..........................34
Seguro desemprego - página 35 a..................................................................................38
Termo de rescisão de contrato de trabalho TRCT.........................................................38
Tabela de códigos de saque do FGTS............................................................................39
Retenção de 11% Lei 10.666/2003 - página 39 a..........................................................44
Cálculo da Folha - página 44 a......................................................................................46
Tabela de incidências IRPF, INSS, FGTS.....................................................................47
Aviso Prévio indenizado e Trabalhado - página 48 a....................................................52
Avaliação de Conhecimento de Departamento Pessoal - página 53 a...........................54

2
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

Bem vindo ao nosso Curso Escritório Contábil Prático, nesta apostila III você
estudará:


  Departamento Pessoal

DICAS PARA UM BOM APR


APRENDIZADO
ENDIZADO DURANTE O CURSO

Organizem seus horários de estudos, procurando variar seu planejamento do programa,


alternando entre ler, escrever, resolver atividades. O ideal seria dedicar 2 (duas) horas
diárias ao seu estudo. Sabemos, porém,

Que em determinados dias à disponibilidade de tempo será pequena e, em outros, será


 bem maior, havendo uma compensação
compens ação natural;

Estabeleça um tempo de reserva, pois imprevistos podem ocorrer.

O planejamento só é racional se os períodos de estudos corresponderem ao seu ritmo


de vida e forem previstos pausas e tempo livre para descanso.

Melhore sua concentração através de um programa de treinamento pessoal, observando


os seguintes pontos:

· Estude uma coisa de cada vez;

· Separe as fases de trabalho das de descanso;

· Sempre que possível, estabeleça horário para estudar;

· Avalie suas capacidades e estabeleça metas possíveis de atingir.

Lembre-se que você não está sozinho, ou sozinha colocamos a sua disposição para tirar
suas dúvidas em relação aos conteúdos, atividades, e exercícios no decorrer do curso.

Você poderá tirar suas dúvidas com o Prof. Valdvino A. de Sousa, através do e-mail:
prof.valdivinoalves@bol.com.br ou on-line via Chat /MSN: valdivinoalves@hotmail.com 

3
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

INTRODUÇÃO GERAL

Salário

O que é:  Salário é a importância paga diretamente pelo empregador. Pode ser
estabelecido por unidade de tempo (mês, semana, dia ou hora), por unidade de produção
(ou de obra), por peça produzida, por comissão sobre venda ou por tarefa.

Salário mínimo: É o valor mínimo que deve ser pago a todos empregados que não têm
salário fixado em lei ou em negociação coletiva de seus sindicatos.

Pagamento do salário mensal: Quando o pagamento houver sido estipulado por mês,


deverá ser efetuado até o 5º dia útil de cada mês (CLT art. 459, §1º).

Contrato de Experiência

O que é:  O contrato de experiência é feito para avaliar as aptidões pessoais e o


desempenho
condições profissional
de trabalho do trabalhador,
oferecidas pela empresa.bem como demonstrar as vantagens e

Como funciona: O contrato de trabalho de experiência possui prazo máximo de 90 dias.


Depois que se completa o prazo de experiência, o contrato de trabalho passa a ser,
automaticamente, definitivo e de prazo indeterminado.
O contrato de experiência pode compreender vários períodos (30, 45, 60 dias etc.).
Entretanto, o período de experiência somente pode ser renovado uma única vez e desde
que a soma dos períodos não seja superior ao prazo máximo de 90 dias (art. 451 CLT).
Para efetivar o contrato de experiência, o empregador é obrigado a registrá-lo na Carteira
de Trabalho do funcionário em até 48 horas após a contratação.

Rescisão do contrato de experiência:  Caso a empresa não goste do trabalho


apresentado pelo funcionário ela pode demiti-lo até o último dia previsto para o término
do contrato.
 previsto Quando a demissão
de experiência, ocorrer
a empresa devesem justa
pagar causa daquilo
metade antes doque
finalo do período
trabalhador
receberia até o final do contrato de experiência. Por exemplo, se o trabalhador estiver
cumprindo um contrato de experiência de 3 meses com salário de R$ 350,00 por mês e
for demitido no final do primeiro mês de experiência, terá direito de receber metade do
valor dos dois meses restantes, ou seja, R$ 350,00 a título de indenização. Contudo,
alguns contratos possuem uma cláusula que permite a rescisão antecipada. Nestes casos,
A empresa deve pagar aviso prévio, 13º salário, férias proporcionais acrescidas de 1/3,
além do FGTS, acrescidos de 40% (art. 479 CLT).

Se, durante o período de experiência, o trabalhador achar que não interessante


 permanecer no emprego, deve, na medida do possível, aguardar o último dia previsto
 para o encerramento do período
p eríodo de experiência. Neste caso,
caso , deve entregar no úl
último
timo dia

4
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

do período de experiência um comunicado por escrito dizendo que não quer permanecer
no trabalho, protocolando na cópia o recebimento. Agindo assim, você não terá que
cumprir o período de aviso prévio e receberá tanto os dias trabalhados e como 13.º
 proporcional. (art. 480 CLT).
Agora, se não for possível esperar o término do contrato, a instituição poderá cobrar
multa por rompimento do contrato antes do prazo. Esta multa segue a mesma regra de
quando o empregador demite o funcionário antes do final do período previsto de
experiência. Isto é o trabalhador deve pagar ao empregador 50% dos dias que faltarem
 para o seu término, que será descontado dos dias trabalhados e do 13.º proporcional.
Caso a diferença for negativa, a rescisão será zerada (art. 481 CLT).  

Jornada de Trabalho
O que é:  É o período de tempo em que o trabalhador deve prestar serviços ou
 permanecer à disposição
dispo sição do empregador. Segundo a Constituição Brasileira, este período
 pode ser de, no máximo, 8 horas diári
diárias
as ou 44 ho
horas
ras semanais, salvo limite diferenciado
em acordo coletivo ou convenção coletiva de trabalho.

Como as horas de trabalho são controladas:  O empregador com mais de 10


funcionários é obrigado a ter cartão-ponto, folha-ponto ou livro-ponto para controle do
horário de trabalho (Ver o acordo coletivo ou convenção coletiva de trabalho de cada
categoria) e o trabalhador é obrigado a anotar o verdadeiro horário de início e término do
trabalho diário, inclusive de seus intervalos.
Horas Extras
O que é:  Horas extras são aquelas trabalhadas além da jornada contratual de cada
empregado. Assim, se a jornada for de 4, 6 ou 8 horas, todos as excedentes deverão ser
 pagas como extras.
extr as. O valor da hora extra é de uma hora normal de trabalho acrescido de,
no mínimo, 50%, mas é importante consultar as convenções ou acordos coletivos porque
esse percentual pode ser ampliado.
Quem tem direito: Todo o trabalhador que trabalha além das horas estabelecidas em
seu contrato de serviço.

Como funciona o trabalho em regime de horas extras: A jornada normal de trabalho


somente poderá ser prorrogada em até duas horas, exceto nos casos de força maior ou
necessidade imperiosa. Nestes casos, para que o empregador possa legitimamente exigir
trabalho em horas extras suplementares, deverá haver acordo escrito entre as partes ou
norma coletiva. Fora destes casos, o trabalhador pode se recusar a trabalhar além das
horas estabelecidas em contrato, mesmo sendo pago a ele o valor das horas extras.

Como é calculada:  Para calcular o valor da hora extra é necessário, primeiramente,


saber o valor da hora trabalhada. Para saber quanto você ganha por hora, faça o seguinte:
divida o seu salário pelo total de horas trabalhadas por mês, o resultado dessa conta é o
quanto você ganha por hora. Pegue o quanto você ganha por hora e multiplique pelo
 percentual da hora extra, o resultado des
desta
ta conta será o valor de uma hora eextra.
xtra. Por fim,
multiplique o valor de uma hora extra pelo número de horas que você trabalhou a mais.

5
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

Assim, saberá o total em dinheiro que deverá receber no final do mês, além do salário
normal.

Como a hora extra é paga: As horas extras devem ser pagas no final do mês em que o
trabalho foi prestado. Havendo acordo da empresa com o sindicato ou convenção
coletiva de trabalho, as horas extras poderão ser compensadas com dias de folga.
Berçário /Amamentação nas empresas

As empresas que empregam pelo menos 30 (trinta) mulheres com mais de 16 (dezesseis)
anos de idade deverão ter, a disposição de suas empregadas, um local apropriado no qual
elas possam manter sob vigilância e assistência os seus filhos durante o período de
amamentação. Este lugar deve ser adequadamente adaptado, composto por: um berçário
(um leito para cada grupo de 30 empregadas), uma saleta de amamentação, uma cozinha
 para o preparo das mamadeiras, e banheiro.
Caso a empresa não possa instalar um berçário, deverá encontrar outro meio de colocá-lo
à disposição de suas funcionárias:

•  adotando um sistema de convênio com uma creche;



  adotando o sistema de reembolso-creche, no qual cobre as despesas efetuadas
com o pagamento da creche de livre escolha da empregada-mãe.

De acordo com as leis trabalhistas, as mães de recém-nascidos têm direito a dois


intervalos de meia hora, durante a jornada de trabalho, para amamentação até que a
criança complete seis meses de idade (artigo 396 da CLT). O período de
amamentação estipulado pela lei é de 6 meses, no entanto este prazo pode ser
aumentado em benefício da criança, desde que haja recomendação médica.

Férias
O que é: Após um ano de trabalho, todo o trabalhador passa a ter direito a um período
de até 30 dias para descanso e lazer, sem deixar de receber seu salário.
Quem tem direito: Todo o trabalhador, inclusive os não efetivados.
Como funciona: Um ano após a contratação, o trabalhador passa a ter direito às férias.
Entretanto, o empregador tem o período de um ano, a partir da data que você adquire
este direito, para conceder as férias. Por outro lado, se o funcionário completar dois anos
sem sair de férias, ele passa a ter o direito de recebê-la em dinheiro. Nestes casos,
receberá pelas férias vencidas e não tiradas, duas vezes o valor de seu salário. Esta
quantia será paga assim que o funcionário sair de férias ou quando for despedido da
empresa. O período em que será as férias independe de pedido ou consentimento do
trabalhador, pois é ato exclusivo do empregador. Para que o trabalhador possa se
organizar, o período de férias deve ser informado com uma antecedência mínima de 30
dias. Contudo, na prática as empresas costumam negociar com seus funcionários a data

6
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

das férias.Fique atento, o início das férias não poderá coincidir com sábado, domingo,
feriado ou folga.

Tempo
direito ádas
30 dias de Se
férias: o trabalhador
férias. não tiver
Quando houver mais
mais de de 5 faltas
5 faltas injustificadaso no
injustificadas, ano, terá
trabalhador
terá seu período de férias reduzido.

•  6 a 14 faltas: 24 dias corridos de férias;


•  15 a 23 faltas: 18 dias corridos de férias;
•  24 a 32 faltas: 12 dias corridos de férias;
•  acima de 32 faltas: não tem direito às férias.

Faltas que não podem ser descontadas nas férias do trabalhador são:

•  falecimento do cônjuge, ascendentes, descendentes, irmão ou pessoa, declarada


em Carteira de Trabalho, que viva sob sua dependência econômica (até 2 dias

•  consecutivos);
casamento (até 3 dias consecutivos);
•  nascimento de filho (até 5 dias, no decorrer da primeira semana);
•  doação voluntária de sangue devidamente comprovada (1 dia a cada doze meses
de trabalho);
•  alistar-se como eleitor (até 02 dias consecutivos ou não);
•  cumprir as exigências do Serviço Militar (pelo tempo que se fizer necessário);
•   provas de exexame
ame vestibular para in
ingresso
gresso eem
m estabelecimento de ensino superior
(dias em que estiver comprovadamente realizando as provas);
•  quando tiver que comparecer a juízo (pelo tempo que se fizer necessário)

A lei considera que o ideal é um só período de férias corridas. Mas, como nem sempre é
 possível ter os 30 ddias
ias corridos ddee férias, vvocê
ocê e a empresa podem entrar em aacordo
cordo para
que sejam divididas em duas partes. Neste caso, a única exigência é que nenhum dos
 períodos seja menor que dez dias. Menores de 1188 e maiores de 5500 anos ssão
ão obrigados a
terem férias em um só período.

Como é pago: Quando o trabalhador sair de férias, receberá o salário do mês acrescido


de mais um terço (1/3). Este pagamento das deve ser feito até dois dias antes do início do
 período de férias. Neste momento o trabalhador dará quita
quitação
ção do pagamento, em recibo,
no qual deverão constar as datas de início e término do respectivo período das férias.

Férias Proporcionais: Se no momento da rescisão do contrato o trabalhador não tiver


completado 12 meses de trabalho, terá direito a receber o valor das férias proporcionais
aos meses trabalhados.

7
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

Férias Coletivas
O que é: São férias coletivas as concedidas, simultaneamente, aos trabalhadores de uma
empresa.

Como funciona: Podem ser concedidas a todos os trabalhadores, a determinados


estabelecimentos, ou somente a certos setores da empresa.
As férias coletivas podem acontecer em no máximo dois períodos anuais, sendo que
nenhum deles pode ser inferior a 10 dias, se estende a todos os funcionários,
independente de terem completado um ano de trabalho. Neste caso, as férias serão
computadas proporcionalmente e ao término delas começará a contagem do novo
 período de trabalho.

Para a empresa conceder férias coletivas, ela deve comunicar o órgão local do Ministério
do Trabalho e Emprego, com antecedência mínima de 15 dias, enviar cópia da
comunicação aos sindicatos das respectivas categorias profissionais e afixar cópia de
aviso nos locais de trabalho.

É proibido ao empregador fracionar o período de férias dos empregados menores de 18 e


maiores de 50 anos. Nestes casos, a empresa deve conceder férias individuais, em
seqüência às coletivas, até quitar o número total de dias que estes trabalhadores tiverem
direito.

Como é pago: Quando a empresa concede férias coletivas ela deverá pagar, até dois dias
antes o início das férias, o número de dias concedidos acrescidos de mais um terço.

Abono de Férias
O que é:  É o direito que o trabalhador possui de vender 1/3 de suas férias ao
empregador para receber estes dias em dinheiro.

Como funciona:
concordância   Para o exercício
do empregador, desterequerê-lo
basta apenas direito 15
o trabalhador
dias antes donão precisa
término da
de seu
 período de férias.
 No caso de férias coletivas, o abono de férias deverá ser objeto de acordo entre o
empregador e o sindicato da categoria. 

13º Salário
O que é: O décimo terceiro salário é um direito garantido pelo art.7º da Constituição
Federal de 1988. Consiste no pagamento de um salário extra ao trabalhador no final de
cada ano.

8
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

Quem tem direito:  Todo trabalhador com carteira assinada, bem como aposentados,
 pensionistas e trabalhadores avulsos. A partir de quinze dias de serviço, o trabalhador já
 passa ter direito a receber o décimo terceiro salário.
Como funciona:  O décimo terceiro salário é calculado sobre o salário integral do
trabalhador a partir
O trabalhador deixada
deseguinte fórmula:
ter direito a 1/12 valor
avos do salárioao÷ mês
relativos 12 x de
nº de mesesquando
trabalho trabalhados.
tiver
mais de 15 faltas não justificadas no mês.
As médias dos demais rendimentos como hora extra e comissões adicionais são também
somadas ao valor do salário usado como base para o cálculo do décimo terceiro.
Trabalhadores que só recebem comissão, devem calcular o décimo terceiro baseando-se
na média aritmética das comissões recebidas durante o ano.
Como o décimo terceiro é pago:  

•  O décimo terceiro é pago em duas parcelas:

a) A primeira deve ser paga entre os meses de fevereiro e novembro de cada ano, ou
 por ocasião
o mês das férias.
de janeiro Neste ccaso
do respectivoasoano.
deverá sser
Este eradiantamento
solicitada por corresponde
escrito ao empr
empregador
egador até
à metade do
salário recebido pelo trabalhador no mês anterior ao pagamento e a segunda parcela
será o saldo da remuneração de dezembro, deduzida da importância que já adiantada
ao trabalhador. O prazo máximo para solicitar este adiantamento é 30 de novembro.
Ressalta-se ainda que inflação ou aumento de salário não incidem na parcela já
antecipada do décimo terceiro salário. O valor da antecipação, para efeito de
compensação futura, se manterá fixo em reais, não podendo ser atualizado
monetariamente.
b) A Segunda deve ser paga até o dia 20 de dezembro.

•  Caso as datas máximas de pagamento caiam em domingos ou feriados, eles


devem ser antecipados para o último dia útil anterior.
•  O trabalhador que não tiver mais de um ano de contratação o décimo terceiro

salário
igual á será pago na
15 dias, proporção
contados de 1/12 por mês
retroativamente de serviço,
do dia ou fração do
31 de dezembro superior
ano emou
curso.
•  O valor do 13º salário integral deverá ser igual à remuneração que for devida no
mês de dezembro.

Banco de Horas
O que é: Banco de horas é a compensação do excesso de horas trabalhadas em um dia,
nunca excedente á dez horas, pela correspondente diminuição em outro dia.

Como funciona: O critério deve ser estabelecido por Convenção Coletiva de Trabalho e

9
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

estar descrito em cláusula específica que detalhará a forma de compensação será feita.

 Não existe um modelo único para funcionamento do Banco de Horas e cada empresa
tem liberdade para redigir sua norma interna sobre o assunto, desde que respeite a
legislação pertinente (art. 59 § 2o. da CLT) e a Convenção Coletiva de Trabalho.
Apesar de não ser necessário registrar o documento do banco de horas no sindicato
dos trabalhadores, é imprescindível que, quando adotado, os trabalhadores sejam
comunicados.

Intervalo
O que é:  durante a jornada de trabalho, o trabalhador tem direito a intervalos para
repouso, descanso e alimentação. Além destes, mães com filhos pequenos em fase de
aleitamento têm direitos a intervalos especiais para amamentarem seus filhos

Quem tem direito: Todos os trabalhadores.

Como funciona: O período de intervalo durante a jornada de trabalho varia de acordo


com a quantidade de horas trabalhadas. Para jornadas de 8 horas, o intervalo deve ser de
1 a 2 horas e para jornadas de 6 horas o intervalo deve ser de 15 minutos. Além destas, a
lei também determina que o intervalo entre duas jornadas de trabalho deve ser de, no
mínimo, 11 horas.

Mães em Período de Amamentação:  Mães de recém-nascidos têm direito a dois


intervalos de meia hora, durante a jornada de trabalho, para amamentação até que a
criança complete seis meses de idade (artigo 396 da CLT).

Licença Maternidade ou Licença Gestante.

O que é: Licença maternidade (ou licença-gestante) é benefício de caráter


 previdenciário, garantido pelo artigo
ar tigo 7º, XVII da Constituição Brasileira, que consiste
con siste
em conceder à mulher que deu à luz licença remunerada de 120 dias.

Quem tem direito: Toda mulher trabalhadora empregada, inclusive as empregadas


domésticas.

Como Funciona: O salário da trabalhadora em licença é chamado de salário-


maternidade, é pago pelo empregador e por ele descontado dos recolhimentos habituais
devidos à Previdência Social. A trabalhadora pode sair de licença a partir do último mês
de gestação.
A Constituição também garante que, do momento em que se confirma a gravidez até
cinco meses após o parto, a mulher não pode ser demitida.

Período da Licença: 120 dias, contados a partir do primeiro dia da licença.

10
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

Licença Paternidade
O que é: É o direito do homem de afastar-se do trabalho, sem prejuízo em seu salário,
 para auxiliar a mãe de seu filho, que não precisa ser necessariamente sua esposa.
Quem tem direito: Todos os trabalhadores empregados

Como funciona:  Para ter acesso a este direito basta notificar o empregador sobre o
nascimento de seu filho. O empregador não pode negar a licença, pois a não concessão
do direito pode implicar em reclamações trabalhistas, como, por exemplo, o direito do
empregado em receber o pagamento dos dias da licença que não usufruiu. Contudo, é
importante, ressaltar que não é autorizado ao empregado faltar injustificadamente ao
trabalho alegando posteriormente que estava em licença paternidade, sem que o
empregador tenha ciência inequívoca do nascimento.

Período da Licença: 5 dias

Estágio
O que é:  estagiário é todo estudante sob responsabilidade e coordenação de uma
instituição de ensino que desenvolva uma atividade em uma situação real de trabalho.

Quem pode ser estagiário:  todo estudante, maior de 16 anos, que freqüenta
regularmente a instituição de ensino em que está matriculado, pode ser contratado como
estagiário.

Como funciona:  somente estudantes podem ser contratados como estagiários e, para
isso, a pessoa deve estar regularmente matriculada em uma instituição de ensino.
Abandono ou trancamento do curso descaracterizam e impedem a continuação do
estágio. Cabe a empresa contratante verificar periodicamente a regularidade da situação
escolar
O de seus
estudante estagiários.
pode estagiar por período indeterminado, desde que a jornada não conflite
com o horário escolar e não supere 8 horas por dia. Nos períodos de férias escolares, a
 jornada do estágio deve ser estabelecida em comum acordo entre o estagiário e a parte
concedente do estágio, sempre com a supervisão da instituição de ensino.
A relação de estágio não cria vínculo empregatício e nem implica em encargos
trabalhistas. A carga horária diária deve ser no máximo de 8 horas e no mínimo 4 horas.
O estagiário tem direito ao Seguro Social contra Acidentes e benefícios como vale-
transporte, vale-refeição e seguro-saúde, ficam a critério do contratante.

O que é necessário: 

•  Ser estudante de curso superior, profissionalizante de 2° grau, ensino médio ou


escolas de educação especial;

11
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

  Convênio por escrito entre a empresa e a instituição de ensino que proporcione


aprendizagem profissional e complementação do ensino;


  Planejamento, execução e avaliação do estágio pela instituição de ensino,

conforme currículo e calendário escolar;


  Termo de compromisso, com mediação da instituição de ensino, entre estudante

e empresa.

Bolsa-Auxílio:  é uma ajuda em dinheiro que, sem constituir contraprestação


financeira pelas atividades desenvolvidas, tem por finalidade auxiliar o estagiário a
cobrir parte de seus gastos pessoais, como despesas escolares, transporte,
alimentação, vestuário, entre outras despesas. O pagamento da bolsa auxílio não é
obrigatório e seu valor é variável.

Acidente no trabalho

O que é:  Acidentes de trabalho são aqueles que acontecem no exercício do trabalho
 prestado à empresa e que provocam lesões corporais ou perturbações funcionais que
 podem resultar em morte ou na perda ou em redução, permanente ou temporária, das
capacidades físicas ou mentais do trabalhador.
São considerados acidentes de trabalho:

  Doenças profissionais provocadas pelo trabalho. Ex: problemas de coluna,


audição, visão etc;


 
• Doenças causadas pelas condições de trabalho. Ex.: dermatoses causadas por cal
e cimento ou problemas de respiração causadas pela inalação de poeira etc.;
 
• Acidentes que acontecem na prestação de serviços, por ordem da empresa, fora
do local de trabalho;
 
• Acidentes que acontecem em viagens à serviço da empresa;
 
• Acidentes que ocorram no trajeto entre a casa e o trabalho ou do trabalho para
casa.
O que fazer: A comunicação de acidente de trabalho ou doença profissional será
feita à Previdência Social por meio do Comunicado de Acidente de Trabalho
CAT , preenchido em seis vias: 1ª via (INSS), 2ª via (empresa), 3ª via (segurado
ou dependente), 4ª via (sindicato de classe do trabalhador), 5ª via (Sistema Único
de Saúde) e 6ª via (Delegacia Regional do Trabalho). A CAT pode ser emitida
 pela empresa ou pelo próprio trabalhador, seus dependentes, entidade sindical,
médico ou autoridade (magistrados, membros do Ministério Público e dos
serviços jurídicos da União, dos estados e do Distrito Federal e comandantes de
unidades do Exército, da Marinha, da Aeronáutica, do Corpo de Bombeiros e da
Polícia Militar) e o formulário preenchido tem que ser entregue em uma Agência
da Previdência Social.

12
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

Retomadas de tratamentos ou afastamentos por agravamento de lesão decorrentes de


acidente de trabalho ou doença profissional também devem ser comunicados à
Previdência Social através da CAT, mas, neste caso, deverão constar as informações da
época do acidente e os dados atualizados do novo afastamento (último dia trabalhado,
atestado médico e data da emissão).
Também devem ser informadas à Previdência Social por meio da CAT mortes de
segurados decorrentes de acidente de trabalho ou doença ocupacional.

A empresa é obrigada a informar à Previdência Social acidentes de trabalho ocorridos


com seus funcionários, mesmo que não haja afastamento das atividades, até o primeiro
dia útil seguinte ao da ocorrência. Em caso de morte, a comunicação deve ser imediata.
A empresa que não informar acidentes de trabalho está sujeita à multa.
Se ficar caracterizado que o acidente ocorreu por culpa do empregador ele deve
indenizar o trabalhador por danos materiais, físicos e morais. Se a empresa não emitir a
CAT, o próprio trabalhador pode procurar assistência do INSS ou solicitar ao Sindicato
que expeça este documento.
Onde reclamar:  Caso você sofra acidente de trabalho e não for assistido
adequadamente por sua empresa, você pode recorrer ao Ministério do Trabalho e ou a
Delegacia Regional do Trabalho para que as providências sejam tomadas.
Pedido de indenizações:  O tempo máximo para solicitar indenização por acidente de
trabalho é de 5 anos. O período é contado a partir da data em que foi caracterizado o
acidente ou a doença ocupacional. Após este período, há prescrição do prazo e a
indenização não será paga.

Vale-Transporte

O que é: O vale-transporte é um benefício em que o empregador antecipa o valor gasto


com transporte para que o trabalhador se desloque de sua residência para o local de
trabalho e vice-versa.

Quem tem direito: Todo os trabalhadores, inclusive os domésticos, têm direito ao vale-


transporte.

Como funciona:  O custo do vale transporte e dividido entre o trabalhador e o


empregador. Do trabalhador será descontado 6% de seu salário e do que o trabalhador
gasta com transporte será pago pelo empregador. Por exemplo, um trabalhador recebe
um salário de R$ 400,00 por mês e necessita de ônibus 4 vezes por dia. Suponhamos que
cada passagem custe R$ 1,00 e que ele trabalhe 25 dias durante o mês.
Fazendo as contas vemos que este trabalhador gastaria com transporte, por dia, R$ 4,00
(4 ônibus por dia X R$ 1,00) e, por mês, gastaria R$ 100,00 (25 dias trabalhados X R$
4,00 por dia). Se este trabalhador solicitar vale transporte, ele passará a gastar com
transporte apenas 6% do seu salário, no caso R$ 24,00 (salário do trabalhador x 6/100,
neste exemplo isso seria: R$ 400 X 6/100). A diferença para completar os R$ 100,00
gastos por este trabalhador será pago pelo empregador.

13
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

Como solicitar o vale transporte: Para ter direito ao vale transporte o trabalhador deve
informar, por escrito, ao empregador seu endereço residencial e os meios de transporte
que utiliza para se deslocar de sua residência para o trabalho.

Repouso Semanal
O que é: repouso semanal é uma medida sócio-recreativa que visa à recuperação física e
mental do trabalhador. O repouso semanal é remunerado e pago pelo empregador.
Quem tem direito: Todo o trabalhador com carteira de trabalho assinada.

Como funciona: Para cada período de 24 horas consecutivas, o trabalhador passa a ter
direito ao repouso semanal remunerado que deve coincidir, preferencialmente, no todo
ou em parte, com o domingo.
 Nos serviços que exigirem trab
trabalho
alho aos domingos (exceção feita aos elencos de teatro e
congêneres), o descanso semanal deverá ser realizado em sistema de revezamento
constante, fixada em escala mensalmente organizada e sujeita à fiscalização. Para isso, é
ainda necessária autorização prévia da autoridade trabalhista competente.
Se não houver remanejamento, e o trabalhador não tiver acesso a um dia semanal de
repouso, este deve ser pago com o dobro do valor do dia normal, além do valor do
repouso.
Faltas injustificadas nos dias que antecedem ao repouso semanal não implica na perda
do direito à ele. Mas, neste caso perderá o direito à remuneração pelo dia de descanso
semanal.

Contribuição Sindical
O que é: A Contribuição Sindical é o desconto, geralmente realizado no mês de março
na folha de pagamento do trabalhador, de um dia de trabalho por ano (equivalente a
3,33% do salário). Esta contribuição é também chamada de Imposto Sindical e é previsto
 por lei (artigos 578 a 610 da CLT).

Quem paga:  Todos os profissionais que exercem a profissão, sócios ou não dos
Sindicatos.

Como é pago: A empresa é obrigada a descontar do salário do funcionário, sempre no


mês de março, a parcela referente à contribuição sindical e tem até o último dia útil do
mês de abril para repassar esta contribuição à Caixa Econômica Federal. Para este
repasse, a empresa deve requerer uma guia que pode ser solicitada nos sindicatos ou nos
 bancos credenciados pelo Ministério do Trabalho.
Cabe à Caixa, manter uma conta especial em nome de cada uma das entidades
 beneficiadas e promover a distribuição das contribuições arrecadadas na proporção
indicada pelo art. 589 da CLT. Mas, atenção: As empresas que não recolherem ou não
repassarem a Contribuição aos Sindicatos estarão sujeitas à cobrança judicial e o
comprovante do recolhimento da Contribuição Sindical é documento necessário para

14
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

 participar de processos de concorrências públicas ou administrativas, obter registro ou


licença de funcionamento e alvarás de licença ou localização.

Como os recursos gerados pela Contribuição são distribuídos:   De acordo com o


artigo 589 da CLT, as contribuições recolhidas dos trabalhadores e depositadas na Caixa
serão proporcionalmente repassadas da seguinte forma:
•  60% para o Sindicato
•  20% para “Conta Especial Emprego e Salários” administrada pelo Ministério do
Trabalho
•  15% para a Federação
•  5% para a Confederação

Insalubridade

O que é: Trabalho insalubre é aquele realizado em condições que expõem o trabalhador


a agentes nocivos à saúde acima dos limites de tolerados, seja por sua natureza,
intensidade ou tempo de exposição.

Adicional salarial:  Trabalhar em condições de insalubridade assegura ao trabalhador


um adicional sobre o salário mínimo da região e, se houver previsão convencional,este
adicional poderá ser sobre o salário nominal. Este adicional varia de acordo com o grau
de insalubridade e é de:

•  40%, para o grau máximo;


•  20%, para o grau médio;
•  10%, para o grau mínimo.

Como funciona:  Os limites de tolerância das condições insalubres são determinados


 pelo Ministério do Trabalho e a caracterização da atividade insalubre, perigosa ou
 penosa depende da realização de perícia.

O trabalhador terá direito a este adicional enquanto estiver exercendo atividades em


ambientes de condições adversas, identificadas pela perícia. Caso as condições
insalubres sejam eliminadas ou reduzidas pela adoção de medidas de segurança com o
fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), por exemplo, pode resultar
na suspensão do adicional de insalubridade ou na redução do percentual concedido.
A trabalhadora gestante ou em período de amamentação, será, obrigatoriamente,
afastada do exercício da atividade tida como insalubre, perigosa ou penosa e deixará de
receber o adicional de insalubridade enquanto durar o afastamento. Além das gestantes,
todos os trabalhadores que se afastarem, independentemente dos motivos, perderão o
direito ao adicional no período do afastamento.

O exercício de atividades em locais insalubres, com ou sem o recebimento do adicional,


não reduz o tempo de serviço para a aposentadoria e, caso receba adicional de
insalubridade, ele não será incorporado à aposentadoria.

15
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

Periculosidade

O que é: São periculosas as atividades ou operações em que a natureza ou método de


trabalho exige contato permanente com eletricidade ou substancias inflamáveis,
explosivos ou radioativas em condição de risco acentuado. Exemplo: frentista de posto
de combustível, operador em distribuidora de gás etc.

Adicional salarial: O exercício de trabalho em condições de periculosidade assegura ao


trabalhador um de adicional de 30% sobre seu salário. Neste cálculo não são
considerados gratificações, prêmios ou participação nos lucros da empresa. No caso de
hora extras, o adicional será calculado sobre a hora base e não sobre o valor da hora
extra.

Como funciona:  Quem define se uma determinada condição de trabalho é ou não


 periculosa são os Engenheiros ou Médicos do Trabalho registrados no Ministério do
Trabalho.

ATENÇÃO: Se o trabalhador trabalha em local considerado insalubre e perigoso, ele


deve optar apenas por um dos adicionais. Neste caso, vale lembrar que, enquanto o
adicional de insalubridade é calculado sobre o salário mínimo, o de periculosidade é
calculado sobre o salário do trabalhador, sendo mais vantajosa a escolha pelo adicional
de periculosidade.

Adicional Noturno

O que é:  Se o trabalho é realizado a noite, o trabalhador tem direito de receber uma
compensação, tanto em horas como em salário, pelo seu trabalho.

Quem tem direito: Todos os que trabalham em atividades urbanas entre as 10 da noite e


às 5 da manhã, atividades agrícolas entre as 9 da noite e às 5 da manhã e atividades
 pecuárias entre as 8 da noite e às 4 da manhã.

Como Funciona: 
a) Hora noturna:  A hora normal tem a duração de 60 minutos e a hora noturna, por
disposição legal, nas atividades urbanas, é computada como sendo de 52 minutos e 30
segundos. Assim sendo, considerando o horário das 10 da noite às 5 da manhã, temos 7
horas-relógio que correspondem a 8 horas de trabalho noturno. Isto é feito porque o
trabalho à noite é mais cansativo do que durante o dia.

 Nas atividades rurais a hhora


ora noturna é ddee 6600 minutos, não havendo, portanto, a redu
redução
ção
como nas atividades urbanas.

b) Valor da hora trabalhada: Acréscimo (chamado adicional noturno) de 20% sobre as


horas trabalhadas. Este critério não se aplica se o trabalho for executado em revezamento

16
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

semanal ou quinzenal. Quando o trabalhador recebe o adicional noturno, esta


 percentagem também será incorporada nos demais recebimentos como férias, 13º
salário, FGTS, etc. 

Agora que você já tem uma boa teoria, e noção de departamento pessoal, a
seguir entraremos na parte prática do nosso curso.

CÁLCULOS TRABALHISTA
TRABALHISTAS
S

Cálculo do Salário Hora

Se o empregado recebe salário mensal, o cálculo do salário hora se obtém pela divisão daq
daquele
uele
 pela jornada do mês, que para os trabalhadores
trabalhadores em geral é de 220 horas.

Exemplo: Salário Mensal = R$ 1.100,00


Jornada Mensal = 220 horas

Salário Hora = 1.100,00


Salário Hora = ---------- = R$ 5,00
220

A jornada semanal é de 44 horas


A jornada diária é de 7,333 horas por dia 44 horas semanais
-------------------
6 dias

7,333 horas X 30 dias = 219,99 = 220 horas semanais


A jornada semanal pode ser calculada com 8 horas diárias de 2a a 6a feira e 4 horas
Sábado, ou 7 horas e 20 minutos diários de 2 a a sábado.

40 X 6 dias = 240 : 60 = 4 horas

Como os cálculos são feitos em centesimal temos que 7 horas e 20 minutos = 7,33
Horas, ou seja, 20, representa 0,33 da hora ou 1/3.

Como base de cálculo do salário hora devem ser considerados os salários fixos,
comissões, gratificações, adicional de tempo de serviço, adicional de insalubridade,
adicional de periculosidade e outras verbas salariais habituais.

17
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

OBS: Existem catego


categorias
rias que tem jornad
jornadaa diária reduzida e, po
portanto,
rtanto, divisores distintos
alguns exemplos de profissionais com suas jornadas diárias e respectivas
re spectivas adicionais são:

Bancários - 6 horas – divisor 180


Telefonistas
Digitadores - 6 horas – divisor 180
Jornalistas - 5 horas – divisor 150
Médicos e Dentistas - 4 horas – divisor 120

EXERCÍCIOS

Calcular o valor do salário hora (SH): 1.430,00 / 220 = 6,50


a). Valor do salário Mensal R$ 1.430,00 ----------------
--------------------
---- -------- --------------
 jornada de 220 horas valor do salário mensal jornada valor do salário hora

Agora tente calcular:

b). Valor do salário mensal (SM): R$ 594,00 -------------


--------------------
------- -------- --------------
 jornada de 220 horas. valor do salário mensal jornada valor do salário hora

c).  Valor do salário mensal (SM


(SM):
): R$ 1.210,00
 jornada de 220 horas. -------------
--------------------
------- -------- --------------
------------- -
valor do salário mensal jornada valor do salário hora

d). Valor do salário mensal (SM): R$ 363,00 -------------


--------------------
------- -------- --------------
 jornada de 220 horas. valor do salário mensal jornada valor do salário hora 

 Valor dodesalário
e). jornada mensal (SM): R$ 396,00 ------------
220 horas. --------------------
--------
valor do salário mensal --------
jornada --------------
------------
valor --
do salário hora

f). Valor do salário mensal (SM): R$ 484,00 -----------


--------------------
--------- -------- -------------
---------------
 jornada de 220 horas valor do salário mensal jornada valor do salário hora 

g). Valor do salário mensal (SM): R$ 605,00 ----


-------------------
----------------- -------- --------------
----------- ---
 jornada de 220 horas valor do salário mensal jornada valor do salário hora

18
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

h). Valor do salário mensal (SM): R$ 803,00 ----


----------------
----------------
---- -------- ------------
--------------
--
 jornada de 220 horas valor do salário mensal jornada valor do salário hora

CÁLCULO DO VALOR DO ADICIONAL NOTURNO

O trabalho noturno, nos termos do artigo 73 da CLT, é remunerado com pelo menos
20% a mais do que o diurno. É trabalho noturno o prestado entre 22 horas de um dia
seguinte. Nos termos do parágrafo 5o do artigo 73 da CLT, a prorrogação do trabalho
noturno é considerada jornada noturna. O adicional noturno é, portanto 20% do valor da
hora diurna.

Exemplo: Salário / hora = R$ 5,00

Salário hora X 20 5,00 X 20


Adicional -------------
------------------------
---------------
---- = -------------
-------------------------
--------------
-- = R$ 1,00
100 100

EXERCÍCIOS

a). calcular o valor do adicional noturno:


 jornada de 220 horas = 6,50 6,50 X 20% = 1,30
----------------- -----------------
VALOR S.H VALOR DO A.N.

b). Valor do salário mensal (SM): R$ 594,00


 jornada de 220 horas
valor do salário hora = ___________ 6,50 X 20% =
----------------- -----------------
VALOR S.H VALOR DO A.N

c). Valor do salário mmensal


ensal (SM): R$ 1.210,00
 jornada de 220 horas
valor do salário hora = _________ X 20% =
----------------- -----------------
VALOR S.H VALOR DO A.N

d). Valor do salário mensal (SM): R$ 363,00


 jornada de 220 horas

19
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

CÁLCULO DA HORA NOTURNA

Considera-se noturno o trabalho realizado entre as 22 horas de um dia e às 5


horas do dia seguinte; isso para o trabalhador urbano. Já para o rural (que trabalha na
lavoura), o trabalho noturno é das 21 horas de um dia às 5 horas do dia seguinte; e para o
rural que trabalha na pecuária, é das 20 horas de um dia ás 4 horas do outro. Para o
trabalhador urbano, a hora noturna tem a duração de 52 minutos e 30 segundos. Para o
trabalhador rural, a hora tem duração normal da diurna, ou seja, 60 minutos. Para o
trabalhador urbano, além da redução da hora normal, subsiste o adicional noturno de
 pelo menos 20% sobre
s obre o valor da hora norm
normal
al diurna. Para o trabalhador rural não existe
a vantagem da redução da hora; em contrapartida, o adicional noturno é de pelo menos
25% sobre o valor da hora normal diurna.

Nota: É proibido o trabalho noturno aos menores de 18 anos; não é devido o Adicional
 Noturno aos Empregados Domésticos.

 No caso
cas o de o empre
empregado
gado fazer horas extras noturnas, deve-se aplicar o adicional
de horas extra sobre o valor da hora noturna.

Portanto, se o empregado trabalha das 22:00 horas ás 5:00, terá de efetivo trabalho 7
horas normais, ou seja, de 60 minutos, devendo perceber o equivalente há 8 horas,
conforme demonstrativo abaixo:

Cálculo do Adicional Noturno


7 horas X 60 minutos = 420 minutos
420 minutos : 52 mim 30s = 8 horas

 Neste caso, receberá como remuneração nas 8 horas trabalhadas:

Hora diurna = R$ 5,00


Adicional noturno = R$ 1,00 (R$ 5,00 X 220%)
0%)
Hora noturna = R$ 6,00
8 horas noturnas X R$ 6,00 = R$ 48,00

Portanto, os adicionais por trabalho e extraordinário, bem como a quantidade de horas


correspondentes, devem vir destacados (discriminados á parte) nos recibos de
 pagamento, afastando a ocorrência
oco rrência do mencionado “salário compressivo”
co mpressivo”

 No recibo de pagamento deverá constar:


Salário R$ 1.100,00
Adicional Noturno R$ 8,00

20
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

Notas:
Os valores apurados em função dos coeficientes acumulados têm a finalidade exclusiva
de facilitar os cálculos pela empresa, ou mesmo, como forma alternativa para
confirmação dos critérios legais, não devendo, entretanto, serem mencionados nos
recibos de pagamentos dos empregados. Há quem entenda que, no cálculo do valor das
horas extras noturnas, os adicionais noturno e extraordinário devem ser apurados
separadamente para não ocorrer a cumulatividade, ou seja, adicional sobre adicional.

Obs: No holerite noturno deverá ser indicado separadamente

Tabela prática de jornada de trabalho no período noturno

Horas Trabalhadas
1 hora de 22 h ás 22 h 52 min 30 s
2 horas de 22 h 52 min 30s ás 23 h 45 min
3 horas de 23 h 45 min ás 00 h 37 min 30s
4 horas de 00 h 37 min 30s ás 01 h 30 min
5 horas de 01 h 30 min ás 02 h 22 min 30s
6 horas de 02 h 22 min 30s ás 03 h 15 min
7 horas de 03 h 15 min ás 04 h 07 min 30s
8 horas de 04 h 07 min 30s ás 05 h

 Nem sempre o funcionário trabalhará em horas fechadas como demonstrado na tabela


acima. Para facilitar a contagem das horas calculamos separadamente um percentual que
substitua a diferença entre 60 minutos e 52,30 minutos;

Quem trabalha das 22:00 horas de um dia ás 5:00 horas do dia seguinte, tem direito ao
adicional noturno e á redução da hora noturna.

60’ –52,30 “= 7,30 = 7,50”.

A redução da hora noturna correspondente

60’ – 52,50’=0,142857=14,2857%
52,50’ X 1,142857= 7,9999 horas – 8,00 horas

Isso significa que 7,00 horas noturnas corresponde a 8,00 horas diurnas
O percentual de 14,2857% é igual ao coeficiente de 1,142857 e deve incidir sobre a
quantidade de horas trabalhadas no período noturno.

Exemplo: das 22:00 horas ás 5:00 horas = 7:00 horas


7:00 horas X 1,142857 = 8,00 horas

21
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

salário hora + adicional Noturno X n o de horas = salário da jornada Diária Noturna


R$ 5,00 X 1,20 = R$ 6,00 X 8,00 horas = R$ 48,00
Se o percentual de redução não for calculado na quantidade de horas, deve incidir no
valor da hora.

Exemplo: das 22:00 horas ás 5:00 horas = 7,00


Salário Hora + Adicional Noturno
Noturno + Adic ional Redução x no de horas = Salário da
Adicional
 jornada Diária Noturna.

R$ 5,00 X 1,20 = R$ 6,00 X 1,142857 = R$ 6,857


R$ 6,857 X 7,00 horas = R$ 47,99 = R$ 48,00

Ou
1,20 X 1,1472857 = 17,371428
R$ 5,00 X 1,371428 = R$ 6,857 X 7 horas = R$ 47,99 = R$ 48,00

EXERCÍCIOS:

1). Antonio trabalha das 22:00 ás 3:30 horas, o seu salário é de R$ 847,00 por mês de
 julho trabalhou neste horário, 22 dias.

a). Horário trabalhado: das 22:00 ás 3:30 = 5,50 (número decimal)

b). 5:50 X 22 = 121 horas noturnas no mês

c). conversão das horas convencionais em horas noturnas

121 X 60 = 7.260,00 / 52,5 = 138,28 horas noturnas

d). valor do salário hora


Salário mensal / 220 = valor do salário hora (847,00 / 220 = R$ 3,85)

e). valor do adicional noturno


Quant. Horas trabalhado X valor do salário
salário hora X 20% (138,28 X 3,85 X 20% = 106
106,47)
,47)

Agora tente fazer:

CALCULAR O VALOR DO ADICIONAL NOTURUNO

2). Pedro trabalha em serviços com o regime de escala, sendo que no mês os horários são os
seguintes:
das 18:00 hs até ás 02:00 hs (12 dias)
das 24:00 hs até ás 07:00 hs (10 dias)
salário mensal:
mensal: R
R$$ 770,00

22
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

3). Horário de trabalho:


trabalho: das 22:00 hs até 06:00 hs. (27 dias)
salário mensal R$ 880,00

CÁLCULO DO SALÁRIO HORA EXTRA

Hora extra diurna

O salário Hora Extra é apurado com o acréscimo do adicional sobre o salário hora
normal.

De acordo com a Constituição Federal, a remuneração do serviço extraordinário é


superior, no mínimo , em 50% a do normal.

Exemplo: Salário Hora = R$ 5,00 Hora Extra = Hora Normal + Adicional


Adicional de Hora Extra = 50% Hora Extra = R$ 5,00 + 50%

R$ 5,00 X (50 + 100) R$ 5,00 X 150 750,00


Hora Extra = ------------
-------------------------
-----------------
---- = -------------
------------------
----- = -----------
------------- = R$ 7,50
100 100 100

ou

Hora Extra = R$ 5,00 X 1,50 = R$ 7,50

EXECÍCIOS

Hora Extra Diurna

Veja cálculo da Hora Extra diurna:


a). Valor do Salário Mensal (SM): R$ 1.430,00
 jornada de 220 horas = 4 Adicional de 50%

1.430,00 / 220 = 6,50 X 50% = 3,25


----------------
----------- ----- --------- --------------
------------ -- --------- -------------
------------ -
valor do salário mensal j ornada valor do salário hora Adiciona
Adicionall valor do Adicional

3,25 + 6,50 = 9,75 X 4 = 39,00


------------------- ---------------- -------------------- ------------ -----------------
valor do salário mensal valor do salário hora valor da hora extra diurna Quantidade valor a ser pago

23
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

(1.430,00 / 220 = 6,50 X 50% = 3,25 + 6,50 = 9,75 X 4 = 39,00)

Agora calcule a hora extra diurna:

 b). valor do salário mensal (SM): R$ 594,00


 jornada de 220 horas
Quantidade de Horas Extras = 12
Adicional de 50% Qual o Valor a ser Pago?------------------
Pago?-------- ----------

c). valor do salário mensal (SM): R$ 1.210,00


 jornada de 220 horas
Quantidade de Horas extras = 20
Adicional de 50% Qual o Valor a ser Pago?---------------------
Pago?--------- ------------

d). valor do salário mensal (SM): R$ 363,00


 jornada de 220 horas
Quantidadedede50%
Adicional Horas extras = 18 Qual o Valor a ser pago?---------------------
pago?--------- ----------------
----

e). valor do salário mensal (SM): R$ 396,00


 jornada de 220 horas
Quantidade de Horas extras = 40
Adicional de 50% Qual o Valor a ser pago?--------------------
pago?------ ---------------------
-------

f). valor do salário mensal (SM): R$ 484,00


 jornada de 220 horas
Quantidade de Horas extras = 30
Adicional de 50% Qual o Valor a ser pago?-------------------
pago?------- ----------------------
----------

g). valor do salário mensal (SM): R$ 605,00


 jornada de 220 horas
Quantidade de Horas extras = 22
Adicional de 50% Qual o Valor a ser pago?---------------------
pago?--------- ------------------
------

h). valor do salário m


mensal
ensal (SM): R$ 803,00
 jornada de 220 horas
Quantidade de Horas extras = 28
Adicional de 50% Qual o Valor a ser pago?---------------------
pago?--------- ------------------
------

24
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


Nosso site: www.alvescontabilidade.com
www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

Hora Extra Noturna

Hora Extra Noturna = Hora Normal + Adicional hora extra + Adicional Noturno
R$ 5,00 X 1,50 = R$ 7,50 X 1,20 = 9,00
Ou 1,50 X 1,20 = 1.80 = R$ 5,00 X 1,80 = R$ 9,00

Hora Extra Noturna

Se a hora Noturna for extraordinária, o percentual de 14,2857% da mesma forma, deve


ser calculado sobre a quantidade de horas trabalhadas, ou sobre o valor da hora já
acrescido do adicional de hora extra e do adicional noturno.
Exemplo: das 22:00 horas ás 5:00 horas (em jornada extraordinária) = 7,00 horas.

7,00 horas X 1,142857 = 8,00 horas

Salário Hora + Adicional hora extra + Adicional Noturno X n o de horas R$ 5,00 X 1,50
X 1,20 X 8 = R$ 72,00 Ou R$ 5,00 x 1,80 X 8 = R$ 72,00

Ou salário hora + Adicional hora extra + Adicional Noturno + adicional redução X n o de


horas R$ 5,00 X 1,50 X 1,20 X 1,142857 X 7 = R$ 72,00

Ou 1,50 X 1,20 X 1,142857 = 2,057142 R$ 5,00 X 2,057142 X 7 = R$ 7,00

EXERCÍCIOS:

Considerando que um funcionário faz 02 horas extras noturnas, e trabalha das 22:00 ás
7:00 hs, de 2a a 6a feira. Calcule a quantidade de horas extras trabalhadas, apurando o
valor dessas horas com base no salário mínimo.
Período Quant. de Quant. De DSR Quant. de  NO de Valor da Valor da Valor a
Mês/Ano Dias úteis Dias de Ou Dias úteis Horas Salário Hora Hora extra Pagar
a a a a

01/2001 25 2 a 6 21
feira RSR6 2 a 621
feira Extras Mensal
151,00 normal   Noturna

02/2001 23 19 5 19 151,00
03/2001 27 17 4 17 151,00
04/2001 23 20 7 20 180,00
05/2001 26 22 5 22 180,00
06/2001 25 20 5 20 180,00
07/2001 25 21 6 21 180,00
08/2001 27 23 4 23 180,00

25
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


Nosso site: www.alvescontabilidade.com
www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

Adicional de Insalubridade

O trabalho em condições insalubres, acima dos limites de tolerância estabelecida pelo


Ministério do Trabalho, assegura a percepção dos seguintes adicionais:

40% - Grau Máximo


20% - Grau Médio
10% - Grau Mínimo

Esses percentuais são incidentes sobre o salário mínimo da região, nos termos do art.
192 da CLT.
Exemplo: um empregado recebeu adicional de insalubridade em grau médio durante
toda a vigência do contrato de trabalho. O valor do adicional será:

SM x 0,20 = adicional

Mês SM AI = 20%

Janeiro/01 151,00 R$ 30,20


Fevereiro/01 151,00 R$ 30,20
Março/01 151,00 R$ 30,20
Abril/01 180,00 R$ 36,00
Maio/01 180,00 R$ 36,00
Junho/01 180,00 R$ 36,00
Julho/01 180,00 R$ 36,00

O adicional de insalubridade tem incidência sobre 13 salários, férias e verbas rescisórias,


mas não reflete nos RSR,s pois sendo valor mensal já remunera todos os dias do mês.

Adicional de Periculosidade

O trabalho em condições de periculosidade assegura ao empregado um adicional de 30%


sobre o salário, sem os acréscimos resultantes de gratificações, prêmios ou participações
nos lucros da empresa. O adicional de periculosidade terá incidência sobre 13o salários,
férias e verbas rescisórias. Se a remuneração for por hora, o adicional deve refletir nos
RSR,s, de modo a remunerar todos os dias do mês.

Exemplo: um trabalhador recebe adicional de periculosidade que é de 30%. O cálculo é


feito da seguinte maneira.

Mês Salário Mensal Hora Extra AP = 30%


Maio/01 R$ 860,00 380,00 R$ 258,00
Junho/01 R$ 946,00 420,00 R$ 283,80
Julho/01 R$ 946,00 280,00 R$ 283,80

26
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


Nosso site: www.alvescontabilidade.com
www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

DESCANSO SEMANAL REMUNERADO OU REPOUSO SEMANAL REMUNERADO

Conforme a legislação vigente, os empregados têm o direito de serem remunerados com


o mesmo salário nos domingos e feriados.
Portanto, inclui-se (integra) ai as horas extras, os adicionais etc.
Da mesma forma estes adicionais, horas-extras, etc. integra férias, 13o salário, etc,
conforme a seguir indicado.
Excutam-se nestes casos, os empregados que recebem o salário quinzenal ou mensal,
visto que DSR ou RSR já está incluso no valor total. Para os empregados contratados por
semana, dia ou hora, o descanso semanal é o equivalente há um dia normal de trabalho.

Comissionistas.

Cálculo semanal – o DSR corresponde á soma das comissões percebidas durante a


semana, dividida pelo número de dias de serviço da respectiva semana.
Cálculo mensal – o DSR corresponde á soma das comissões percebidas durante o
mês, dividido pelo número de domingos e feriados do mês.

Trabalho intermitente ou empregado que trabalha alguns dias da semana

Cálculo semanal – o DSR corresponde á soma do salário semanal dividido por seis.

Cálculo mensal  – o DSR corresponde á soma do salário percebidos durante o mês,


mês,
dividido pelo número de domingos e feriados.

Tarefeiros (contratados por peça ou tarefa)


Cálculo semanal – o DSR corresponde á soma das tarefas ou das peças
 produzidas durante a semana, no horário normal de trabalho, divididas pelo número de
dias efetivamente trabalhados.

Empregados que trabalham em domicilio – o DSR é o equivalente ao coeficiente da


divisão da importância total da produção na semana por seis.

Empregados contratados para trabalho em jornada reduzida - o DSR será calculado


Pela divisão do ganho semanal por seis.

Trabalho em dias de Repouso


Algumas empresas são autorizadas e outras não a trabalhar nos dias de repouso
(domingos e feriados). Verificar se a sua empresa ou cliente é autorizada, caso contrário
deverá solicitar autorização da Delegacia Regional de Trabalho, inclusive em casos por
motivo de força maior.

27
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


Nosso site: www.alvescontabilidade.com
www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

Remuneração do Trabalho em Dias de Repouso


O pagamento do trabalho realizado em dia de repouso será efetuado em dobro, salvo se
for determinado outro dia de folga. Esclarecemos que a expressão “ em dobro” significa
valor das horas trabalhadas no repouso, acrescido do valor do repouso incluso na
remuneração do empregado, ou por cumprimento integral da jornada semanal (conforme
o caso).

Exemplo:

Salário Mensal = R$ 660,00


7 horas trabalhadas no domingo = 660,00 : 220 horas = 3,00
3,00 X 7 horas = 21,00
Total a receber no mês = R$ 660,00 + R$ 21,00 = R$ 681,00

Horas extras – Inclusão no DSR


Horas extras trabalhadas na semana = 10 horas
Valor da hora com adicional de 50% = R$ 4,50
Cálculo = R$ 4,50 X 10 horas extras = R$ 45,00
Cálculo do DSR = R$ 45,00 : 6 = R$ 7,50

ADMISSÃO DE FUNCIONÁRIOS 

Os documentos necessários para a admissão de empregados, de acordo com a prática


trabalhista, basicamente, são:

- Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS);


- Carteira de Inscrição no Pis/Pasep, se houver;
- título de eleitor para ambos os sexos;
- certidão de nascimento e de casamento, se for o caso;
- certificado de reservista ou prova de alistamento militar ou ainda qualquer outro
documento que comprove a regularidade do trabalhador com o serviço militar, quando
do sexo masculino, conforme a idade do trabalhador a ser admitido;
- Cadastro da Pessoa Física do Ministério da Fazenda (CPF);
- Cédula de identidade;
- carteiras profissionais expedidas pelos órgãos de classe, por exemplo: OAB para
admissão de advogados; CREA para admissão de engenheiros etc;
outros documentos específicos conforme a atividade a ser exercida pelo trabalhador,
observando-se as normas de segurança e medicina do trabalho relativo ao exame
médico, inclusive observância do empregador de eventuais cláusulas de documento
coletivo de trabalho da respectiva categoria profissional pertinente ao assunto.

A CTPS é obrigatoriamente apresentada, mediante recibo, pelo trabalhador ao


empregador que o admitir, o qual tem o prazo de 48 horas para nela anotar,

28
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


Nosso site: www.alvescontabilidade.com
www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

especificamente, a data de admissão, a remuneração e as condições especiais, se houver,


 podendo adotar-se sistemas:
sist emas: manual, mecânico ou eletrônico.

 Nenhuma pessoa física, ou pessoa jurídica, de direito público ou privado,


p rivado, poderá reter
qualquer documento de identificação pessoal, ainda que apresentado por fotocópia
autenticada ou pública-forma, tais como: comprovante de quitação com o serviço
militar, título de eleitor, carteira de trabalho, certidão de registro de nascimento, certidão
de casamento, comprovante de naturalização, carteira de identidade de estrangeiro,
Carteira Nacional de Habilitação etc.

Quando, para a realização de determinado ato, for exigida a apresentação de documento


de identificação, a pessoa que fizer a exigência fará extrair, no prazo de até 5 dias, os
dados que interessarem, devolvendo em seguida o documento ao seu exibidor.

Além do citado prazo, somente por ordem judicial é possível a retenção de qualquer
documento de identificação pessoal.

Constitui contravenção penal, punível com pena de prisão simples de 1 a 3 meses ou


multa, a retenção de qualquer documento.

Quando a infração for praticada por preposto ou agente de pessoa jurídica, considerar-
se-á responsável quem houver ordenado o ato que encenou a retenção, a menos que haja,
 pelo executante, desobiência ou inobservância
in observância de ordens ou instruções
ins truções expressas,
quando, então, será este o infrator.

( Arts.
 Arts. 13, caput, e 29, caput,
caput, da Consolidação
Consolidação das Leis do Trabalho - CLT e Lei n°
5.553/68, alterada pela Lei n° 9.453/97 )

Admissão ou Demissão no curso da Semana

O empregado que for admitido no decorrer da semana fará jus ao DSR integral.
Tratando-se, porém de rescisão contratual, caso o último dia do aviso prévio trabalhado
recaia em qualquer dia da semana, o empregado poderá o DSR.

Intervalo entre jornadas  – deverá ser adicionado ao descanso semanal remunerado.


Portanto, o intervalo de 11 horas acrescido das 24 horas de DSR deverá totalizar 35
horas de paralisação no trabalho.

Coincidência do DSR com o feriado

Quando o feriado recair em domingo ou dia de repouso durante a semana, para os que
trabalham em regime de escala de revezamento, o pagamento do DSR corresponderá a
um só dia, não sendo cumulativas as remunerações.

29
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


Nosso site: www.alvescontabilidade.com
www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

Faltas Injustificadas – Desconto do DSR

Falta ou atraso injustificado perde a remuneração do DSR.

Cálculos de atrasos
Para se descontar os atrasos do mensalista, deve-se apurar o salário /hora da seguinte
forma:

Salário R$ 440,00 por mês R$ 440,00 /220 = R$ 2,00 por hora


Total de atrasos 1 h 30 m. R$ 2.00 X 1,5 (uma hora trinta minutos) = R$ 3,00

Descontos de faltas

Com relação ao mensalista, existem divergências entre juristas quanto ao desconto ou


não do DSR quando o funcionário faltar ao serviço. Caso a empresa nunca descontou o
DSR por ocasião de faltas, não deverá faze-lo, uma vez que fica caracterizada o direito
adquirido do funcionário em não ser descontado. Porém, sendo prática habitual a
empresa segue o seguinte procedimento:
Exemplo –1
Funcionário com salário de R$ 300,00
01 falta no mês

Exemplo –2
Funcionário com salário de R$ 300,00
02 faltas no mês (na mesma semana)

Exemplo –3
Funcionário com salário de R$ 300,00
02 faltas no mês (em semanas diferentes)

situações em que a falta não é descontada (faltas justificadas)


01-  em caso de falecimento de cônjuge, acedente, descendente, irmão, companheiro ou
dependente perante o INSS. (03 dias consecutivos)
02 – em virtude de casamento (03 dias consecutivos)
03 – em caso de nascimento de filhos (05 dias)
04 – em cada doze meses de trabalho em caso de doação voluntária de sangue devidamente
comprovada (01 dia)
05 – nos dias em que cumprir exigências da justiça Eleitoral ou Trabalhista
06 – nos dias em que cumprir as exigências do serviço Militar
superior. 
07 – nos dias em que cumprir exames vestibulares para estabelecimento de ensino superior. 
08 – por convocação
c onvocação como testemunha
09 – por atestados médicos

30
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

Mensalista

Já nos casos de mensalistas e quinzenalistas, á matéria é polêmica quanto ao desconto ou


não do DSR quando estes empregados faltam ao serviço sem justificativa legal. Assim
sendo, há os que entendem que o DSR dos mensalistas e quinzenalistas já se encontra
incluso no salário dos mesmos, e mesmo que não compram sua jornada semanal
integralmente, nao perderão DSR

Entretanto, há os que entendem que, independente de ser horista, diarista mensalista etc,
caso não cumpra integralmente a jornada semanal, o empregado perderá o DSR.

19 – Sábado Feriado – Compensado


 jornada de trabalho de segunda-feira
se gunda-feira a sábado – ddescanso
escanso normal do feriado

1o hipótese – quando o feriado recai de segunda a sexta-feira, a empresa só paga 7 horas


e 20 minutos ou exige que as horas de compensação sejam cumpridas em outro dia da
semana. Neste caso, quando o feriado recair no sábado, a empresa deverá pagar o dia de
feriado e não deixar os empregados compensarem o sábado.
2o hipótese – quando o feriado recair de segunda á sexta-feira, a empresa efetua o
 pagamento total do dia, inclusive as horas compensadas. Neste caso, quando o feriado
recair no sábado, os empregados poderão compensar normalmente esse dia e a empresa
não efetuará qualquer pagamento relativo ao feriado.

Incidência das Horas Extras nos RSR,s 


RSR,s 

As horas extras trabalhadas com habitualidade devem incidir nos Repousos Semanais
Remunerados, de modo a que a remuneração dos domingos e feriados seja igual a dos
demais dias da semana

Exemplo:

Salário Mensal R$ R$ 1.100,00


Salário Hora R$ 5,00
Salário Hora Extra c/50% R$ 7,50
a
2 horas extras por dia de 2  a sábado
 junho de 2001 = 25 dias úteis,
ú teis, 4 domingos e 1 feriado.

Forma de cálculo:

2 horas diárias X 25 dias úteis = 50 horas extras mensais

Salário Hora Extra X no de horas extras = valor mensal das horas extras

31
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

R$ 7,50 X 50 horas = R$ 375,00


A incidência nos RSR,s se calcula da seguinte maneira:

Valor das horas extras: no de dias úteis de mês X n o domingos e feriados


R$ 375,00 : 25X 5 = 75,00

Incidência das Horas em outras Verbas

Nos 13o salários

A apuração se faz pela média das horas extras prestadas no ano, que deve ser
multiplicada pelo valor da hora extra em dezembro.

Exemplo: um empregado prestou a seguinte quantidade de horas extras em 2004

Janeiro = 30 Julho = 51
Fevereiro = 38 Agosto = 47
Março = 36 Setembro = 42
Abril = 48 Outubro = 42
Maio = 52 Novembro = 40
Junho = 43 Dezembro = 53

Total de horas anuais = 528 : 12 horas = 44 (média de horas extras)

Considerando em dezembro de 2004 um salário de R$ 200,00 temos:

R$ 200,00 : 220 = R$ 0,91 (Salário Hora / extra)


R$ 0,91 x 1,50 = R$ 1,37 (salário hora extra com 50%)
o

Portanto o 13 salário de 2004 será


Salário Fixo R$ 200,00
Média de Horas Extras = 44 horas X R$1,37 R$ 60,00
Valor 13o salário R$ 260,00

Nas Férias

A apuração se faz obedecendo o mesmo critério de 13o salário, porém com a média de
horas extras prestadas nos 12 meses de período aquisitivo de férias.
O valor da hora extra será o do mês do gozo das férias.
Após a incidência é que se calcula o 1/3 constitucional.

32
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

No Aviso Prévio

Da mesma maneira que nos 13 o Salários e nas férias a incidência se faz pela média das
horas extras, será apurada pelos meses decorridos nos respectivos períodos, dividindo-se
os últimos 12 meses trabalhados.
o
O valor da hora extra será o do mês da recisão.
Proporcionalidade do 13 salários e férias

 Nos 13o salários e férias proporcionais á média das horas extras será apurada pelos
meses decorridos nos respectivos períodos, dividindo-se por 12.
O valor da hora extra será o do mês da rescisão.

Incidência dos Reflexos dos RSR,s

As verbas citadas nos itens anteriores devem ter a incidência dos reflexos das horas
extras nos RSR,s.
Exemplo: um empregado presta horas extras de 2 o a sábado e deve receber aviso prévio
de 30 dias. A incidência das horas extras é feita pela média de horas trabalhadas nos
últimos 12 meses.

A incidência dos reflexos dessas horas nos RSR,s não deve ser feita pela média dos
valores, para não prejudicar o empregado.
O correto é fazer a incidência dos RSR,s nas próprias horas, como demonstrado.

Salário Mensal R$ 1.100,00


Salário Hora R$ 5,00
Salário Hora Extra c/50% R$ 7,50
Média de horas extras 50 horas
50 horas : 25 dias úteis X 5 domingos = 10 horas
total de horas para incidência = 50 + 10 = 60 horas

O aviso prévio será:


Salário Mensal R$ 1.100,00
Média de horas extras com RSR,s = 60 horas X R$ 7,50 R$ 450,00
Total a Pagar R$ 1.550,00

Comissões

Comissão é forma variável de salário que integra a remuneração para todos os efeitos.
As comissões pagas, da mesma forma que as horas extras, devem incidir nos RSR,s,
aviso prévio, 13o salário e férias se no período de apuração a inflação for significa, deve-
se atualizar os valores mensalmente, até o momento da incidência, para depois se apurar
a média.

33
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

Exercícios:

Admitindo-se a prestação de duas horas extras por dia, de 2 a a sábado apure o valor
dessas horas extras, com o adicional de 50% e o reflexo nos RSR,s.

Período Salário No de Dias Domingos Valor das Valor


Mês/Ano  Hora  Horas úteis  E feriados  Horas Do RSR  
extras  Extras 
01/2004 1,18 25 6
02/2004 1,18 25 4
03/2004 1,18 25 6
04/2004 1,18 24 5
05/2004 1,18 26 5
06/2004 1,30 25 4
07/2004 1,30 25 5
08/2004 1,30 26 4
09/2004
10/2004 1,30
1,30 27
25 56
11/2004 1,30 24 6
12/2004 1,30 25 6

FGTS

O percentual devido ao FGTS deve ser calculado sobre todas as verbas salariais, com
exclusão de férias indenizadas. O percentual é de 8% (oito por cento) para depósito na
conta vinculada de emprego. Se houver demissão sem justa, sobre o montante dos
valores do FGTS é devida a multa de 40%, mais adiante tratamos melhor sobre FGTS.

Como forma prática temos:


40% de 8% =3,2%
logo o percentual devido a título de FGTS + multa de 40% = 8% + 3,2% =11,2%

Pela legislação atual, os valores apurado a título de FGTS devem ser depositados na
conta vinculada do empregado, liberando-se a guia para saque, se for o caso.

Vale Transporte

O vale transporte, nos termos da Lei, o empregador deve fornecer, antecipadamente, aos
empregados quando requererem. O custeio do vale transporte é feito:

34
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

a)   pelo empregado beneficiário, na parcela equivalente a 6% do seu salário básico


ou vencimento, excluídos quaisquer adicionais ou vantagens.
 b)  Pelo empregador, no que exceder á parcela referida no item anterior.

Portanto, no cálculo da condenação em vale transporte, deve-se apurar o valor dos vales
que deveriam ser concedidos e deduzir o valor correspondente a 6% do salário do
empregado dos dias trabalhados.
A diferença é encargo do empregador e o objeto da condenação.

Seguro Desemprego

Tem o direito a perceber o Seguro Desemprego o trabalhador dispensado sem justa


causa, inclusive por rescisão indireta que comprove:
a)  ter recebido salários consecutivos no período, de 6 meses, imediatamente
anteriores á data da dispensa, de um ou mais empregados.
 b)  Ter sido empregado durante, pelo menos, 6 meses nos últimos 36 meses que
antecederam a data dispensa, que deu origem ao requerimento do Seguro
Desemprego.
c)   Não estar em gozo de qualquer beneficio previdenciário de prestação continuada,
excetuando o auxilio –acidente e a pensão por morte:
d)   Não possuir renda própria
pró pria de qualquer natureza suficiente á sua
su a manutenção e de
sua família.
O seguro Desemprego é concedido ao trabalhador desempregado, por um período
máximo variável de 3 a 5 meses, de forma continua ou alterada, a cada período
aquisitivo de 16 meses, observando-se a seguinte relação.

O que é o seguro desemprego?

O Seguro-Desemprego é um benefício adquirido através da lei Nº 7.998, de 11 de


 janeiro de 1990, que garante o ddireito
ireito de auxílio financeiro aos trabalhadores demitidos
sem justa causa. Nos dias de hoje os trabalhadores podem receber de três a cinco
 parcelas mensais, no valor de R$ 380,00 à R$ 654,85 dependendo do seu salário.

Onde retirar?
Pode ser retirado em qualquer agência da Caixa, Casa Lotérica, Correspondente
Bancário (CAIXA AQUI) ou no Auto-Atendimento (CAIXA AZUL 24 HORAS).O
 pagamento na lotérica, no correspondente bancário e no auto-atendimento é efetuado
exclusivamente com o uso do cartão do cidadão e sua respectiva senha cadastrada. É a
Caixa trabalhando pelo trabalhador.

 Veja quantas parcelas


parcelas o funcionário tem direito:

É necessário comprovar vínculo empregatício nos últimos 36 (trinta e seis) meses


De 6 (seis) meses a 11 (onze) meses : 3 (três) parcelas

35
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

De 12 (doze) meses a 23 (vinte e três) meses: 4 (quatro) parcelas


De 24 (vinte e quatro) meses: 5 (parcelas)

Documentos necessários para dar entrada no benefício:

•  » Carteira de Identidade (RG);


•  » Carteira de Trabalho e Previdência Social (preenchida, carimbada, assinada e
contendo todas as alterações, inclusive salariais);
•  » Cartão do PIS- Pasep;
•  » Guias de requerimento do Seguro-Desemprego - SD e CD (devidamente
 preenchidas carimbadas e assinadas);
a ssinadas);
•  » Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho;
•  » Guia da multa do Fundo de Garantia - FGTS;
•  » Os três últimos holerites;
•   Nos casos de processo ou conciliação, uma cópia da mesma (carimbada
(c arimbada e
assinada pelo Juiz e folha de papel timbrado).

Qual é o prazo para o trabalhador dar entrada no seu benefício? 

O trabalhador poderá dar entrada no seguro desemprego de 7 (sete) à 120 (cento e vinte)
dias contados da sua data de demissão.

Qual o prazo para a liberação da primeira parcela?  

São impreterivelmente 30 (trinta) dias após a data de entrada do benefício. Se o mesmo


não estiver liberado, por favor, se encaminhar ao posto de atendimento que foi dada à
entrada porque aconteceu algum problema.

FGTS

FGTS  é uma sigla brasileira para Fundo de Garantia do Tempo de Serviço , criado
 pela Lei nº 5107/66, posteriormente
posterior mente alterada e revogada pela Lei nº 7839/89.

Criado em 1966 pelo então presidente da república Castelo Branco, para servir aos
trabalhadores como forma de compensação pela extinção da estabilidade funcional em
empresa privada.

Até então, todo empregado que cumprisse 10 anos de trabalho em uma empresa passaria
a ter estabilidade funcional na mesma, tal estabilidade lhe garantia uma indenização
 paga pelo empregador caso
ca so fosse demitido sobre qualquer
q ualquer alegação.

Criado o fundo, mensalmente os empregadores passaram a fazer um depósito sobre


responsabilidade do governo, sendo que, o empregado ao ser demitido sobre
circunstâncias específicas, recebe o montante dos depósitos como benefício.

36
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

Forma de Funcionamento

Todo trabalhador registrado possui uma conta na Caixa Econômica Federal, onde o
empregador deve depositar o valor referente a 8% do salário bruto desse trabalhador
referente a data base.
Quando o trabalhador é demitido sem justa causa, o empregador é obrigado a fazer o
depósito a título de multa na conta do trabalhador, essa multa é no valor de 40% do saldo
total do trabalhador no momento da demissão (levando em conta que todos depósitos
mensais tenham sido realizados).

Por ser categorizada como poupança, essa conta recebe no dia 10 de cada mês
rendimentos e atualização monetária. A taxa de juros é de 3% ao ano.

Solicitação do Saque 

Quando há rescisão de contrato, cabe ao empregador comunicar o ocorrido à CAIXA por


meio do canal eletrônico Conectividade Social. Em até 5 dias úteis, munido da
documentação exigida, o trabalhador poderá sacar seu benefício. Nos demais casos, a
solicitação de saque é feita pelo trabalhador ou seu representante, que comparece a uma
agência da CAIXA portando os documentos devidos. O saque também é liberado em até
5 dias úteis.

Realização do saque 

O saque dos recursos do FGTS pode ser feito em qualquer agência da CAIXA. Nos
locais onde não houver agência da CAIXA, o saque será efetuado no banco conveniado
onde foi feita a solicitação do benefício. Na ocasião, o trabalhador cujo contrato de
trabalho foi rescindido deve portar a documentação exigida.

Regras para Saque

Em caso de demissão sem justa causa:

- Após realizada a homologação de demissão junto ao ministério do trabalhado, quando


necessário. A homologação será obrigatória no caso de contrato de trabalho que
ultrapasse um ano de duração.

Com demissão por justa causa:

- O trabalhador somente terá direto de saque passados 3 anos da demissão e se o mesmo


não tiver tido mais nenhum trabalho registrado. Ou seja, deverá passar por um período
de três anos fora do regime do FGTS. Além disso, o trabalhador deverá procurar a Caixa
Econômica Federal a partir do mês de seu aniversário.

37
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

Aquisição da casa própria:

- Caso o trabalhador tenha mais de dois anos de contribuição, pode usar o saldo como
complemento para compra/quitação de casa própria, caso o mesmo ainda não possua
casa própria.

- O saldo também pode ser usado para aquisição de material para construção.

- Esse item possui regras específicas, vale buscar informações atualizadas junto a Caixa
Econônica Federal

Portadores de doenças terminais:

- Trabalhadores que portem doenças terminais em estado avançado (como Aids e


Câncer) podem entrar com ação para saque do fundo. Deverá o trabalhador comparecer à
Caixa com biópsia médica e um atestado no qual conste descrição e CID da doença,
carimbo, assinatura e CRM do médico responsável, além da CTPS.

Em casos de calamidades públicas como enchentes, também pode ser sacado o FGTS,
desde que autorizado por Lei.

Mudança no Preenchimento do Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho

Com a mudança surgiram dúvidas sobre o correto preenchimento de alguns campos do


novo TRCT. Para resolver essa questão, a Caixa Econômica Federal baixou a Circular nº
389/2006, que disciplina a movimentação das contas vinculadas e traz as seguintes
orientações sobre o formulário TRCT:

O Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho - TRCT deve, obrigatoriamente:


 Ser apresentado em via original.
 Ter no Campo 25 (causa de afastamento)  informada, por extenso, a causa da
rescisão do contrato de trabalho. Exemplo: "Dispensa sem Justa Causa”.
 Terdo
saque no FGTS.
CampoExemplo:
26 (código de afastamento)
"01".  informado
Se o afastamento o correspondente
do empregado códigopor
for motivado de
evento que não permita o saque da conta vinculada do FGTS, esse campo deve ser
 preenchido com a palavra
palavr a "NÃO".
 Ter o Campo 56 (local e data do recebimento)   preenchido pelo empregado, de
 próprio punho, salvo quando
qua ndo se tratar de analfabeto.
 Ter o Campo 57 (carimbo e assinatura do empregador ou preposto)  assinado pelo
empregador/preposto, sobre carimbo identificador da empresa e da pessoa averbante,
não sendo permitida a assinatura sobre carbono ou autocarbonada.

 Ter o Campo 58 (assinatura do trabalhador) assinado pelo trabalhador e, quando


for o caso, pelo seu representante legal no campo 59, não sendo permitida a assinatura
sobre a folha carbono ou autocarbonada.

38
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

O recibo de quitação de rescisão de contrato de trabalho, TRCT, somente será válido


quando formalizado de acordo com a legislação vigente, notadamente quanto à
respectiva homologação.

Para os códigos de saque 01, 02, 03 ou 04, é facultado ao empregador comunicar a


movimentação dos trabalhadores pela Internet, por meio do aplicativo Conectividade
Social/Empregador, utilizando a Certificação Eletrônica fornecida pela Caixa
Econômica Federal.

Conforme Circular 389, de 22 de Setembro de 2006. Estabelece procedimentos para


movimentação das contas vinculadas do FGTS

F GTS, usado também no campo 26 da TRCT. 


Tabela de Códigos de Saque do FGTS, TRCT. 
Motivo 
Motivo  Código  
Código
Despedida sem justa causa 01
Rescisão por culpa recíproca 02
Rescisão por extinção da empresa 03

Término do contrato - prazo determinado inclusive do temporário firmado nos termos


da Lei 6.019/74 04
Aposentadoria 05
Suspensão do trabalho por mais 90 dias 06
Falecimento 23
Idade igual ou superior a 70 anos 70
Portador do vírus HIV 80
Possuidor de neoplasia malígna 81
Inatividade do FGTS por três anos 86
Determinação Judicial 88
Aquisição de casa própria 91
Amortização financiamento imóveis 92
Aplicação em fundos de privatizações 94

Em caso de dúvida, consultar Circulares Caixa FGTS, Circular nº. 389, de 22


de Setembro de 2006, no site da caixa: www.caixa.gov.br  

Trataremos agora de um assunto muito importante, a retenção de 11% de acordo com a


Lei 10.666/2003, Decreto 4.729/2003 e instrução normativa nº 100/2003.

O instituto da retenção surgiu como obrigação para as empresas, inclusive órgãos e


entidades da Administração Pública, a partir da MP n° 1.663-15, de 22/10/98, convertida
no art. 23 da Lei n° 9.711, de 20/11/98, vigência a partir de
1°/2/1999, conforme art. 29 da Lei n° 9.711/98. A retenção veio substituir a
responsabilidade solidária nos casos previstos, conforme veremos, e evitar ou pelo

39
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

menos minorar a evasão fiscal na área de prestação de serviços, sempre no interesse da


arrecadação e fiscalização dos tributos previdenciários.

As empresas devem efetuar a retenção de 11 % sobre o valor bruto da nota fiscal/ fatura
/recibo dos serviços executados mediante cessão ou empreitada de mão-de-obra. Não
confunda, portanto, essa retenção com a contribuição a cargo da empresa de 15% sobre o
valor dos serviços prestados por meio de cooperativas de trabalho (art. 201, III do RPS).
Enquanto a retenção possui natureza jurídica de substituição tributária, conforme
entendimento do STJ (Recurso Especial 421886, publicado no DJ em 10/6/2002) e trata-
se de um adiantamento das contribuições devidas pela contratada, a contribuição de 15%
é contribuição da própria contratante.
Para entendermos em que consiste este instituto, primeiramente definiremos o que se
entende por cessão e sua diferença em relação à empreitada de mão-de-obra.

CESSÃO DE MÃO-DE-OBRA:
Como cessão de mão-de-obra entende-se a colocação à disposição do contratante, em
suas dependências ou nas de terceiros, de segurados que realizem serviços contínuos,
relacionados ou não com a atividade fim da empresa, inclusive por meio de contratação
de trabalhadores temporários em conformidade com a Lei n ° 6.019/1974 (art. 219, § 1°
do RPS). Lembrem-se, que o trabalho temporário visa atender à necessidade transitória
ou acréscimo extraordinário de serviço.

O contratante do serviço é o tomador de mão-de-obra, ao passo que o contratado é o


cedente:

TOMADOR ou CEDENTE ou
CONTRATENTE CONTRATADA

 Nota-se que os serviços executados mediante cessão de mão-de-obra devem ser


 prestados no estabelecimento
caso o serviço seja prestado do
na tomador ou nas
dependência da dependências de não
própria cedente terceiros, portanto
trataremos de
retenção de 11%. A relação de serviços sujeitos à cessão de mão-de-obra está descrita no
art. 219, § 2° do RPS:
- limpeza, conservação e zeladoria;
II - vigilância e segurança;
III - construção civil;
IV - serviços rurais;
V - digitação e preparação de dados para processamento;
VI-acabamento, embalagem e acondicionamento de produtos;
VII - cobrança;
VIII - coleta e reciclagem de lixo e resíduos;
IX - copa e hotelaria;
X - corte e ligação de serviços públicos;

40
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

XI - distribuição;
XII - treinamento e ensino;
XIII - entrega de contas e documentos;
XIV - ligação e leitura de medidores;
XV - manutenção de instalações, de máquinas e de equipamentos;
XVI - montagem;
XVII - operação de máquinas, equipamentos e veículos;
XVIII - operação de pedágio e de terminais de transporte;
XIX - operação de transporte de cargas e passageiros;

XX portaria, recepção e ascensorista;


XXI - recepção, triagem e movimentação de materiais;
XXII - promoção de vendas e eventos;
XXIII - secretaria e expediente;
XXIV - saúde; e
XXV - telefonia, inclusive telemarketing.

 Não se considera cessão de mão-de-obra os serviços de construção em que a empresa


construtora assuma a responsabilidade direta e total pela obra ou repasse o contrato
integralmente, aplicando-se neste caso o instituto da solidariedade, previsto no art. 220
do RPS. Nesses casos, não há retenção, entretanto o contratante tem a opção de faze-la
nos termos do art. 220, § 30, III do RPS, a fim de elidir (eliminar) a responsabilidade
solidária.

EMPREITADA DE MAO-DE-OBRA

Como empreitada devemos entender os serviços executados mediante tarefas


específicas, sendo a contratação por objeto definido, com início, meio e fim
determinados. Exemplo: A empresa Beta Ltda, organizadora de eventos, contrata a
empresa Limpa Tudo para efetuar a limpeza de determinado editício que iá sediar um
congresso de médicos.

Atenta-se que diferente da cessão de mão-de-obra não há restrição normativa do lugar


em que o serviço seja executado, entretanto comparado aos serviços executados
mediante cessão de mão-de-obra existe limitação nos serviços sujeitos à retenção de
11%, quando executados por empreitada. Como empreitada de mão-de-obra relacionam-
se os serviços de (art. 219, § 30 do RPS):
- limpeza, conservação e zeladoria;
- vigilância e segurança;
- construção civil;
- serviços rurais;
- digitação e preparação de dados para processamento.

EXEMPLO PRÁTICO DE RETENÇÃO:


Seguindo o exemplo mencionado, a Empresa Beta Ltda contratou a Limpa Tudo para
realizar a limpeza do edifício. Foi ajustado o valor entre as empresas em R$ 10.000,00.

41
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

 No dia 20/04/2006 foi iniciado o serviço, terminado


t erminado em 21/04/2006, dia em que a Limpa
Tudo emitiu o seguinte documento fiscal:
 NOTA FISCAL DE SERVIÇO NUMERO: 200
LIMPA TUDO - LIMPEZA GERAL
CNPJ: 01.005.003
DATA DA EMISSÃO:0001 21/04/2006
-50
VALOR R$
SERVIÇOS PRESTADOS ÀEMPRESA BETA 10.000,00
RETENÇAO PARA A SEGURIDADE SOCIAL 11%
R$ 1.100,00

VALOR TOTAL 10.000,00

Assim, já verificamos a obrigação da contratada em efetuar o destaque de 11 % na nota


fiscal, uma vez que é ela quem emite esse documento. Nota-se que a empresa faz o
destaque, mas não realiza o desconto no valor bruto (total) da nota fiscal. Caso não
efetue o destaque a empresa será autuada pela fiscalização do INSS. Mesmo que não
haja o destaque pela cedente de mão-de-obra, a empresa Beta não pode deixar de efetuar
a retenção dos 11%, pois estes valores sempre se presumem oportuna e regularmente
realizados.

Quando efetuar o pagamento à Limpa Tudo, a empresa Beta deverá reter dos R$
10.000,00 devidos, o equivalente a R$ 1.100,00, assim pagará líquido a importância de
R$ 8.900,00 no momento da quitação da nota fiscal. A empresa Beta deverá recolher no
dia 2/05/2006, se neste dia houver expediente bancário, referente à competência
04/2006, em virtude da data de emissão da nota determinar a competência, o valor de R$
1.100,00 em nome da Limpa Tudo, preenchendo a GPS da forma abaixo. Caso a Beta
efetue o desconto, mas não repasse os valores à previdência social estará configurado,
em tese, o crime de Apropriação Indébita Previdenciária, previsto no art. 168 — A, § 1°,
1 do Código Penal brasileiro:

3. CÓDIGO DE
PAGAMENTO  2631
MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL – MPS 4. COMPETÊNCIA 
INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS   04/2006
GUIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL - GPS 
5. IDENTIFICADOR 
01.005.003 0001 -50
1. NOME OU RAZÃO SOCIAL/ FONE/ ENDEREÇO: 6. VALOR DO INSS 
1.100,00
LIMPA TUDO – LIMPEZA GERAL (CEDENTE)
BETA LTDA (TOMADORA) RETENÇÂO 11% NF 200 7. 

8. 

9. VALOR DE OUTRAS
ENTIDADES  0,00

42
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

2. VENCIMENTO  02/05/2006 10. ATM, MULTA E


(Uso do INSS)  JUROS 
0,00
ATENÇÃO: É vedada a utilização de GPS para p ara recolhimento de receita de valor inferior ao
estipulado em Resolução publicada pelo INSS. A receita que resultar valor inferior deverá
ser adicionada à contribuição
c ontribuição ou importância correspondente nos meses subseqüentes, 11. TOTAL 
até que o total seja igual ou s uperior ao valor mínimo fixado.

1.100,00
12. AUTENTICAÇÃO BANCÁRI 

Veremos agora, comparativamente, as obrigações que se sujeitam o contratante e o


contratado:
TOMADOR ou CONTRATANTE CONTRATADA OU CEDENTE

- Efetuar a retenção de 11% - Elaborar folha de pagamentos


pagamentos e GFIP ddistintas
istintas
 para cada estabelecimento ou obra da
- Promover o recolhimento em nome contratante.
da contratada
- destacar o valor na nota fiscal/fatura,
- Manter em boa guarda, em ordem compensando pelo respectivo estabelecimento
cronológica e por contratada as quando do recolhimento das contribuições
correspondentes notas fiscais/faturas dividas sobre a folha de pagamento. Não
e GFIP com comprovante de entrega.  podendo compensar integralmente na própria
competência, o saldo pode compensado nas
subseqüentes ou ser objeto de restituição ( Não
 podem ser compensadas com as arrecadadas
arrecadadas
 pelo INSS ás outras entidades, terceiros).

COMPENSAÇÃO

 Na própria competência a que se referir a retenção não há o limite a ser observado de
30% Limpa
 pela da contribuição devida
T udo referen
Tudo te à (art.
referente 251, cia
competên
competência§ 10abril/2006
do RPS). tenha
Assim, caso
sido R$a60000
contribuição devida
(desconto dos
segurados + cota patronal). A empresa poderá compensar desse valor devido
integralmente e o saldo favorável: R$ 500,00 (R$ 1.100,00 — R$ 600,00), poderá ser
objeto de pedido de restituição ou ser compensado a partir da competência maio/2006.

Com o novo entendimento do INSS, instrução Normativa INSS/DC, nº 100. art. 213,
mesmo transferindo o crédito para competências posteriores não há mais que ser
observado o limite de 30% para compensação de valores originados da retenção de 11%.

 Nesse sentido segue teor do art. 213 ddaa Instrução Normativa INS
INSS/DC
S/DC nº 100/2003, em
vigor desde 1º de abril de 2004:

43
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

Art. 213. na impossibilidade de haver compensação integral da retenção na própria


competência, o crédito em favor da empresa prestadora de serviços poderá ser
compensado nas competências subseqüentes, ou ser objeto de pedido de restituição.

Parágrafo único. Caso a opção seja pela compensação em competências subseqüentes, o


crédito em favor da empresa prestadora de serviços acrescidos de juros, calculados na
forma doa rt. 230, não está sujeito ao limite de trinta por cento estabelecido no rt. 203,
observadas as condições previstas no art. 212.

OBSERVAÇÕES GERAIS
Essa retenção presume-se ter sido realizada oportuna e regularmente. Para fins de
recolhimento e compensação será considerada como competência a data da emissão da
nota fiscal/fatura/recibo, conforme já verificamos.

Quando os serviços forem executados com fornecimento de materiais e equipamentos é


facultada a discriminação na nota fiscal/fatura desses valores, que serão excluídos da
retenção, desde que previstos no contrato e devidamente comprovados (art. 219, inciso
7º do RPS).

Ressalva-se que o disposto referente à retenção de 11% não se aplica à contratação de


serviços por intermédio de cooperativa de trabalho, veja o art. 201, III do RPS.

CÁLCULO DA FOLHA

Para facilitar nosso entendimento faremos uma admissão de um funcionário fictício, o


qual daremos o nome de: João Novais Dias.

Data de admissão: 01/08/2006, Salário R$ 1.500,00, total de horas trabalhadas na


semana, 44 horas. Cargo: Assistente administrativo.

Vamos calcular folha da competência 08/2006, e data de pagamento como já sabermos é


5º dia útil do mês de maio.

Dicas: antes de iniciar o cálculo primeiro passo, é consultar a tabela de incidência INSS,


e FGTS, e IRRF.

Tabela INSS

44
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

VIGENTE A PARTIR DE 01.04.2007 

SALÁRIO-DE-CONTRIBUIÇÃO (R$)  A L Í Q U O T A S %
até 868,29 7,65
de 868,29 até 1.140,00 8,65
de 1.140,01 até 1.447,14 9,00
de 1.4447,15 até 2.894,28 11

Tabela progressiva de Imposto de Renda

Tabela vigente a partir de 01/01/2007, a 31/12/2007.

Base de cálculo do imposto 


imposto  Alíquota 
Alíquota  Parcela a deduzir do imposto 
imposto 
Até R$ 1.313,69 
1.313,69  -  - 
De R$ 1.313,70 até R$
15 % 
%  R$ 197,05 
197,05 
2.625,12
Acima de R$ 2.625,12 
2.625,12  27,5 % 
%  R$ 525,19 
525,19 

Antes de fechar uma folha de pagamento, também devemos colher informações,


referente o funcionário, se teve falta, atestado médico, horas extras, e etc.

Para o fechamento desta folha, do mês de abril, teremos as seguintes informações:

Horas extras: 08, quantidade de falta 02, e recebe vale transporte.

Vamos para nosso cálculo:

LUZ DO UNIVERSO LTDA  RECIBO DE PAGAMENTO


CNPJ. 01.003.001/0001-20 Agosto/2006
Rua do Universo /SN, São Paulo-SP
-------------------------------------------- Cargo: Assistente Administrativo
Cód. Nome do Funcionário CBO Local Depto Setor Seção
0120 João Novais Dias. 4110-10 Administração 00 

Cód. DESCRIÇÃO Referência Vencimentos Descontos


001 Salário Base 220 1.500,00
049 INSS 11% 174,00
050 08 Horas extras 50% 10,23 81,84
090 2 Faltas 109,12
092 Desc. Vale Transporte 0,6% 90,00
093 IRRF 0,15% 14,12

45
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

Total de Vencimentos Total de Descontos


1.581,84 387,24
Valor Líquido  1.194,60 
Salário Base Sal. Contr. I.N.S.S Base Cal. FGTS FGTS do mês Base Cal. IRRF Faixa IRRF
1.500,00 1.581,84 1.581,84 134,45 1.407,84

Cálculo do IRRF conforme tabela: 1.581,84 – 174,00 = 1.407,84 X 0,15% = 211,17 –


197,05 = IRRF 14,12

Vamos agora calcular a GPS, pois a data de pagamento é dia 10/09/2006, folha de R$
1.581,84, e como retirada de pró-labore para os sócios de R$ 2.500,00 totalizando R$
4.081,84

Segurados = 174,00
Empresa (20%) = 816,36
Pro-Labore Sócios (11%) = 275,00
Terceiros (5,8%) = 236,74

Total da GPS R$ 1.502,10


A SEGUIR MODELO DA GPS DEVIDAMENT
DEVIDAMENTEE PREENCHIDA

3. CÓDIGO DE
PAGAMENTO  2100
MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL – MPS 4. COMPETÊNCIA 
INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS   08/2006
GUIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL - GPS 
5.
IDENTIFICADOR  01.003.001/0001-20
1. NOME OU RAZÃO SOCIAL/ FONE/ ENDEREÇO: 6. VALOR DO
INSS  1.265,36
LUZ DO UNIVERSO LTDA 7. 

Rua do Universo /SN, São Paulo-SP 8. 

9. VALOR DE
OUTRAS 236,74
ENTIDADES 
2. VENCIMENTO  10. ATM, MULTA E
(Uso do INSS)  JUROS 

ATENÇÃO: É vedada a utilização de GPS para recolhimento


rec olhimento de receita de valor inferior ao estipulado em Resolução
publicada pelo INSS. A receita
recei ta que resultar valor inferior deverá ser
se r adicionada à contribuição ou importância
correspondente nos meses subseqüentes, até que o total seja igual ou superior ao valor mínimo fixado. 11. TOTAL  1.502,10

46
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277
Nosso site: www.alvescontabilidade.com

Nota: as empresas optante do simples, é isenta da parte INSS empresa de 20%, o código de
recolhimento é 2003, e a alíquota do FGTS, é 0,8%. Já a empresa modelo LUZ DO U
UNIVERSO
NIVERSO
LTDA, como podemos observar não optante do simples.

Tabela de Incidências IRPF, INSS, FGTS.

LEGISLAÇÃO TRABALHISTA - TABELA PRÁTICA

RUBRICAS INSS FGTS IRRF


Abono 1/3 férias Não Não Sim
Adicional insalubridade, periculosidade, noturno Sim Sim Sim
Ajuda de custo Não Não Não
Auxilio doença até 15 dias Sim Sim Sim
Aviso prévio trabalhado Sim Sim Sim
Aviso prévio indenizado Não Sim Não
13º salário 1º parcela Não Sim Não
13º salário 2º parcela Sim Sim Sim
13º salário proporcional rescisão de contrato Sim Sim Sim
Diária de Viagem até 50% do salário Não Não Não
Diária de Viagem superior a 50% Sim Sim Sim
Estagiários admitidos conf. Lei 6.494/77 Não Não Sim
Férias gozadas Sim Sim Sim
Férias em dobro Sim Sim Sim
Férias indenizadas Não Não Sim
Gorjetas Sim Sim Sim
Gratificações contratuais Sim Sim Sim
Horas extras Sim Sim Sim
Indenização do
Indenização porartigo
tempo479
de da
serviço
CLT (metade da Não Não Não
Não Não Não
remuneração devida até término do contrato)
Licença Paternidade CF /88 artigo 7º. XIX Sim Sim Sim
Participação em lucros Não Não Sim
Prêmios Sim Sim Sim
Quebra de caixa Sim Sim Sim
Pró-Labore Sim Não Sim
Salário família Não Não Não
Serviços autônomos Sim Não Sim
Importâncias pagas ou creditadas a pessoas jurídicas Não Não Sim
Importâncias a título de juros pagos a pessoas jurídicas Não Não Sim

47
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


Nosso site: www.alvescontabilidade.com
www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

Aprendemos também aqui no nosso curso a seguir como calcular uma rescisão, pois é de
ampla importância.

TERMO DE RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO — TRCT 

O Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho — TRCT, formulário aprovado pelas Portarias n. os 
3.750 e 3.821, respectivamente de 26/11/90 e 18/12/90, expedidas pelo MTE e ratificadas pela
Instrução Normativa MTPS/SNT n.º 2, de 12/3/92, é o documento oficial para saque da conta
vinculada do FGTS, nas hipóteses que exijam rescisão/extinção do contrato de trabalho, e deve
ser apresentado em via original.

V. Portaria n.º 302, de 26/6/2002, do Ministro de Estado do Trabalho e Emprego (MTE) -  DOU  
de 27/6/2002, republicada no de 5/7/2002. Aprova o modelo de Termo de Rescisão de Contrato de
Trabalho a ser utilizado como recibo de quitação das verbas rescisórias e para o saque de FGTS.

Para as hipóteses
desligado de rescisão
a imediata apresentadas
movimentação em conta
da sua que a vinculada
causa de afastamento
no FGTS, garanta ao empregado
o empregador deverá
 preencher o formulário
for mulário oficial.

O TRCT — o formulário oficial — é disponível no comércio.

O aviso prévio apresenta-se em duas modalidades:

Aviso Indenizado

A modalidade indenizada pode se dar pelo empregador como pelo empregado. Se pelo
empregador, ele indenizará um mês de remuneração. Se pelo empregado, será
descontado um mês de salário fixo. Devemos considerar o aviso indenizado em algumas
situações especiais, não sendo admitido em qualquer ocorrência. Assim podemos
destacar:

a) Dispensa sem justa causa (quando o desligamento é imediato);

 b) Rescisão por dispensa


dispens a indireta (quando solicitado pelo empre
empregado
gado em juízo);

48
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


Nosso site: www.alvescontabilidade.com
www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

Aviso Trabalhado 
A modalidade trabalhada pode se dar pelo empregador ou empregado, fixando a data do
término.Quando uma das partes comunica sua decisão em rescindir o contrato, pode ela

definir seu desligamento


formalidade no prazo
é tida como aviso de trabalhado,
prévio 30 dias (para mensalistas
podendo ocorrerouem
quinzenalistas). Essa
certas situações:

a) Pedido de demissão;

 b) Dispensa sem justa causa;


cau sa;

O aviso prévio dado pelo empregador na modalidade trabalhada deverá admitir redução
(a opção é feita exclusivamente pelo empregado) de

OU

A redução da jornada de trabalho não pode ser substituída por horas extras. Enunciado
230 TST.

O período de aviso prévio é interpretado pela jurisprudência como prazo determinado.


Desta interpretação decorrem algumas conseqüências, pois caso o empregado sofra
suspensão ou interrupção no período do aviso prévio, a contagem poderá ser
interrompida.

Então vamos para nosso cálculo:

O funcionário, João Novais Dias admitido em 01/08/2006, foi dispensado em


01/01/2007, conforme comunicação abaixo de aviso prévio trabalhado.

49
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


Nosso site: www.alvescontabilidade.com
www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

AVISO PRÉVIO

Sr.(a): João Novais Dias , portador(a) da CTPS nº 05001 série 0009


Ao Sr.(a): João

Por não mais convir a esta empresa mantê-lo em nosso quadro de funcionários, vimos
comunicar-lhe que decidimos que decorridos de 30 (trinta) dias, a partir de 01/01/2007, seu
Contrato de Trabalho em vigor desde 01/08/2006
01/08/2006,, será rrescindido.
escindido.

Como o motivo do desligamento é DISPENSA SEM JUSTA CAUSA, CAUSA, o Sr. pode optar,
neste ato, por uma destas formas de cumprimento do Aviso Prévio, conforme a C.L.T. e, para
tanto, solicitamos que faça sua escolha:

( ) Redução de 2 (duas) horas diárias em seu horário normal de trabalho;


corridos.  
( ) Redução de 7 (sete) dias corridos.

 _________________________  
 _________________________ 
São Paulo, 01 de Janeiro de 2007. Empresa:

 ______________________________
 ______________________________ ______________
_________________________
___________
Empregado Responsável quando menor.

RESCISÃO: Admissão 01/08/2006
01/08/2006 - Aviso prévio 01/01/2007 - Afastamento
30/01/2007.

Saldo de Salário 29 dias--------


dias-----------------
--------- R$ 1.450,00 Deduções

06/12 avos férias proporcionais ----------R$ 750,00 Previdência 11% 159,50

1/3 sobre férias proporcionais ------------R$ 250,00 Prev. 13º Sal. 7,65% 9,56
01/12 avos 13º salário ---------------------R$ 125,00

Total das Deduções 169,06

Total Bruto ------------------------------R$ 2.575,00 Líquido a Receber   2.405,94 

Informações Importantes:

Aviso Prévio Trabalhado:  ele transforma-se em saldo salarial como pode você pode
vê-lo o João Novais Dias, foi demitido no dia 01/01/2007, e terá que trabalhar até o dia
30 desse mês tendo direito de sair 2 (duas) horas mais cedo durante os trinta dias ou

50
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


Nosso site: www.alvescontabilidade.com
www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

faltar durante os últimos 7 (sete) dias consecutivos, essa opção ele fará no momento que
tomar ciência que está sendo demitido com aviso trabalhado.

Aviso Prévio Indenizado:  é uma indenização equivalente ao último salário que você
recebia e mais os dias que você trabalhou. Ex.: Se o João Novais Dias, teria sido
demitido no dia 20/01/2007, ele teria 20 (vinte) dias, e a indenização de mais um salário
sem desconto algum.

FGTS na rescisão – 8% sobre todas as verbas salariais que existirem na rescisão. Ex.:
Aviso Prévio + saldo de salário + 13ª sal. multiplicado por 8% , este valor na verdade é o
FGTS que todo mês é depositado na CEF, quando da demissão do funcionário será pago
em rescisão.

Multa de 40% sobre todos os depósitos fundiários que você tem na CEF, ou seja, seu
FGTS, a empresa deverá solicitar à Caixa um extrato atualizado do FGTS e pagar
diretamente para você na rescisão 40% de multa sobre todos estes depósitos corrigidos e
atualizados. 

Quanto tempo eu tenho para receber minha demissão? 


No Aviso Prévio Indenizado  - 10 dias contando-se da data do recebimento do aviso
 prévio Ex.: demissão dia 20/01/07,
20/01/07 , o prazo para pagamento será dia
di a 30/01/07.

No Aviso Prévio Trabalhado  - no último dia trabalhado ou no primeiro (1º) dia


subseqüente ao término do aviso. Ex.: Aviso Trabalhado de 01/01/07 a 30/01/07, o prazo
será dia 30 ou 31/01/07. Se as empresas não cumprirem esses prazos para pagamento de
verbas rescisórias, deverá ser penalizada na multa de mais um salário correspondente ao
último percebido pelo empregado, nos termos do art. 477 da CLT.

Eu tenho que fazer exame médico? Por quê? Quem paga? 

Sim, são obrigatórios os exames médicos, na admissão, na demissão e periodicamente


(pelo menos 1 vezo por
é o empregador, art, ano) o Ministério
168 da CLT dispõe dosobre
Trabalho recomenda,
o assunto, quemsendo
inclusive pagamuito
os exames
claro
da OBRIGATORIEDADE E DOS CUSTOS POR PARTE DO EMPREGADOR. O
 porque desses exames; no admissional o empregado deve saber se já é portador de
alguma doenca profissional da empresa que anteriormente trabalhou, no demissional
 justamente para que seja evitada a demissão se o mesmo estiver portando alguma doenca
que adiquiriu na empresa do momento, e os periódicos ou complementares, poderão ser
exigidos pelo próprio médico da empresa para apuração de capacidade ou aptidão fisíca
do trabalhador de acordo com a funcão exercida pelo mesmo .Ex.: Digitadores devem ter
tratamento, tais como, (FISIOTERAPIAS)e exames periódicos para evitar LER, além
dos 15 minutos de intervalo para cada hora trabalhada.

51
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


Nosso site: www.alvescontabilidade.com
www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

Contrato de experiência 

O art. 445, parágrafo único da CLT dispõe, Contrato de experiência não pode exceder 90
dias, a diferença está justamente aí, ele como característica um determinado fim com
tempo programado. Ele pode ser de 45 dias e prorrogá-lo por mais 45, mas nunca
exceder 90 dias. Por que neste as indenizações não são devidas. Só se uma das partes
quiser rescindir o contrato antes do término deverá pagar a metade dos dias que faltam
 para o término do mesmo. Então, este é uma modalidade de contrato por prazo
determinado, porém, o que não pode é ficar revogando-o, senão caracteriza-se fraude ao
contrato, ou termina a experiência e o funcionário será demitido ou transforma-se este
contrato em prazo indeterminado.

E por aqui chegamos ao final da nossa apostila III, do curso de escritório contábil modelo,
a seguir responda à avaliação, e encontrando dúvidas fale com o prof. Valdivino A. de
Sousa E-mail: valdivino.alves@uol.com.br 
valdivino.alves@uol.com.br 

52
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


Nosso site: www.alvescontabilidade.com
www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTO DE DEPARTAMENTO


DEPARTAMENTO PESSOAL
1). Calcular horas-extras, adicionais, DSR, vale transporte, faltas, desconto para a
previdência
previdência social, desconto
(desconto de impostoparte
do funcionário, de renda e FGTS,adicional
da empresa, valores aderecolher para a
insalubridade
no grau médio. Sabendo se que; grau mínimo 10%, grau médio. 20%, grau máximo 40%).

Dados:

Salário 385,00

30 horas Extras com 50%

40 Horas extras com 100%

Adicional de Insalubridade

Adicional Noturno (trabalhou 5 dias das 22:00 horas ás 1:30 horas)

40 Vale – Transporte no
no valor de R$ 1.40 cada

02 faltas no mês pela morte de um primo

02 faltas para doação voluntária de sangue

2). Elabore os cálculos da rescisão de contrato de trabalho, conforme os dados


abaixo:

· Admissão: 01/02/2006
· Demissão: 06/11/2006 (aviso prévio Indenizado)
· Tipo de contrato: prazo indeterminado
· Tipo de desligamento: dispensa sem justa causa
·· Último
Saldo dosalário:
FGTS R$ 650,00,00
no dia p/mês
06/11/06 = R$ 525,50
· Horas Extras: não há
· Faltas ou atrasos: não há
· Descontos: não há, além do que está estabelecido na legislação.  

3). Elabore os cálculos da rescisão de contrato de trabalho, utilizando os mesmos


dados da questão 02, sabendo-se que o aviso prévio foi trabalhado.

53
 

ALVES CONTABILIDADE & CONSULTORIA


Nosso site: www.alvescontabilidade.com
www.alvescontabilidade.com   Fone/Fax:(xx11) 3229-9277

Obs: Usar como rascunho para os cálculos, e Boa Sorte!

54

Você também pode gostar