Você está na página 1de 24

Noções de Fiscalidade

Impostos – Conceitos Gerais

Classificação dos Impostos

▪ Impostos Pessoais e Impostos Reais

▪ Impostos Estaduais e Não Estaduais

▪ Impostos Periódicos e de Obrigação Única

▪ Impostos Principais e Acessórios

▪ Impostos Gerais e Locais

▪ Impostos Proporcionais, Progressivos, Degressivos e


Regressivos
Impostos – Conceitos Gerais

▪ Impostos Reais e Pessoais

Impostos Reais ou Objetivos: dirigem-se à tributação dos bens,


objetivamente, sem qualquer referência à situação pessoal do
contribuinte. Isto é, não têm em conta as condições pessoais,
económicas e familiares dos contribuintes.

Impostos Pessoais ou Subjetivos: tributam os bens, mas o regime


da tributação atende a características pessoais que se verificam na
pessoa do contribuinte. Isto é, têm em conta as situações pessoais,
económicas e familiares dos contribuintes.
Impostos – Conceitos Gerais

Impostos Reais: Não têm em conta as condições pessoais,


familiares e económicas do contribuinte. São objetivamente
considerados. (IMI)

Impostos Pessoais: Têm em conta as condições pessoais,


familiares e económicas do contribuinte. (IRS)
Impostos – Conceitos Gerais

▪ Impostos Estaduais e não Estaduais

Este critério tem por base a natureza do sujeito ativo da obrigação


tributária.

Nos Estaduais estão incluídos os locais e centrais, desde que o


sujeito ativo seja o Estado, independentemente do âmbito da
aplicação territorial do imposto.
Impostos – Conceitos Gerais

✓ O Estado nem sempre é credor do imposto.

✓ A origem dos Impostos estaduais e não estaduais é legal (e


portanto estadual), mas só num é que o Estado se apresenta
como credor.

✓ Os impostos não estaduais são estruturados de forma a serem


atribuídos a entidade diversa do Estado – impostos regionais,
municipais, provinciais, paroquiais.
Impostos – Conceitos Gerais

✓ A receita de um imposto estadual por vezes é cedida pelo Estado


a outra entidade pública.

✓ Essa cedência não altera a natureza estadual do imposto.

Exemplo: Os impostos cobrados nas Regiões Autónomas – o Estado


cede as receitas, que passam a constituir receitas próprias das
Regiões Autónomas.
Impostos – Conceitos Gerais

✓ Impostos estaduais são os impostos cujo sujeito ativo é o Estado.


(IVA, IRS, IRC)

✓ Impostos não-estaduais são os impostos cujo sujeito ativo não é


o Estado, mas sim outros entes públicos. (IMI)
Impostos – Conceitos Gerais

▪ Impostos Periódicos e de Obrigação Única

Impostos Periódicos – os pressupostos da tributação são ou


situações permanentes ou que se presumem como tal, ou estáveis,
que se prolongam no tempo, como a posse de um prédio, ou o
exercício de uma atividade profissional ou industrial, que se renovam
nos sucessivos períodos de tributação que normalmente são anuais.

➢ cujo pagamento se processa periodicamente.


Impostos – Conceitos Gerais

Impostos de Obrigação Única - referem-se a situações transitórias,


que se resolvem em atos ou factos isolados que, ainda que se
possam repetir, não se resolvem em situações estáveis, como a
aquisição de bens (os impostos aduaneiros, os impostos sobre o
consumo, etc.).

Apenas há lugar ao pagamento do imposto quando o facto que o


origina acontece.
Impostos – Conceitos Gerais

A natureza extraordinária do imposto tem que ver com circunstâncias


excecionais e, normalmente transitórias, que justificam a tributação,
como casos de graves emergências nacionais ou locais (guerras,
crises económicas, graves calamidades públicas, etc.), ou quando se
pretenda tributar acréscimos de riqueza imputáveis igualmente a
circunstâncias excecionais (lucros de guerra, lucros monopolísticos,
etc.).
Impostos – Conceitos Gerais

Do carácter excecional do imposto extraordinário resulta que, em


rigor, ele não tem duração indefinida, devendo ser criado para
períodos limitados de tempo e enquanto durarem as circunstâncias
excecionais que o justificam.

Um exemplo de um Imposto Extraordinário ainda atual, as derramas,


a votar pelas Assembleias Municipais, são definidas na lei como
destinadas à satisfação de necessidades urgentes a efetuar na área
do respetivo município.
Impostos – Conceitos Gerais

Impostos Periódicos: Tributam situações ou atividades que duram


no tempo, dando origem a sucessivas obrigações tributárias. (IRS,
IRC, IVA )

Impostos Obrigação Única: Recaem sobre factos isolados, sem


caráter de continuidade, só há lugar a pagamento quando o facto
que o origina acontece. (IMT)
Impostos – Conceitos Gerais

▪ Impostos Principais e Acessórios

Impostos Principais: gozam de autonomia face aos restantes,


existem por si.

Impostos Acessórios: não são autónomos e acrescem aos


impostos principais de que dependem.

São adicionais que incidem sobre os impostos principais, sendo que


o montante é determinado pela aplicação de uma nova taxa sobre a
coleta desses outros impostos.
Impostos – Conceitos Gerais

Exemplo: Empresa paga IRC (imposto principal) + derrama*


(imposto acessório)

*taxas de derrama incidem sobre o lucro tributável sujeito e não isento de IRC
Impostos – Conceitos Gerais

▪ Impostos gerais e locais

A distinção é simples e tem em conta o âmbito territorial de aplicação


dos tributos.

Impostos Gerais: abrangem todo o território nacional. (IVA)

Impostos Locais: destinam-se a uma determinada zona ou


autarquia. (IMI)
Impostos – Conceitos Gerais

▪ Impostos proporcionais, impostos progressivos, impostos


degressivos e impostos regressivos

De harmonia com o tipo de taxas aplicáveis, os impostos são:

▪ Proporcionais: quando a taxa é fixa para qualquer que seja o


montante da matéria coletável (a Contribuição Autárquica, o IRC).

▪ Progressivos: quando a taxa se eleva à medida que aumenta a


matéria coletável. O imposto aumenta mais do que
proporcionalmente face ao aumento da matéria coletável. (IRS)
Impostos – Conceitos Gerais

▪ Degressivos: se se estabelece uma taxa proporcional aplicável à


matéria coletável a partir de certo montante e estabelece taxas
menores para a matéria coletável de valores inferiores. (IMT)
Impostos – Conceitos Gerais

▪ Regressivos: quando a taxa diminui à medida que aumenta a


matéria coletável.

Diminuição da taxa do imposto à medida que aumenta a matéria


coletável – Não existem em Portugal.

Mas existem países Europeus onde a partir de determinado


montante de lucros é aplicada uma taxa inferior.
Impostos – Conceitos Gerais

Note-se que, não obstante, aparentemente, quer nas taxas


progressivas, quer nas degressivas, existir sempre uma taxa
proporcional a partir de certo montante e taxas menores para
matérias coletáveis de montantes inferiores, a verdade é que a
distinção entre as duas radica na circunstância de, na
progressividade, se ter em vista aumentar o impacto mais do que
proporcionalmente ao aumento da matéria coletável tendo em vista a
respetiva utilidade marginal, e na degressividade, ter-se em vista
beneficiar os contribuintes de menores recursos.
Impostos – Conceitos Gerais

Trabalho Avaliação Final: Reflexão Individual

▪ Escolha e apresentação de um dos conteúdos abordados na


UFCD (correspondente a uma sequência textual expositiva):
Atividade Financeira do Estado ou Direito Financeiro, Tributário e
Fiscal ou Impostos – Conceitos Gerais. Deves dispor de
informações acerca do conteúdo escolhido;

▪ Tomada de posição face a esse conteúdo, correspondente a uma


sequência textual argumentativa (uma conclusão, com recurso a
argumentos/razões).
Apresentação

Conteúdos:

▪ Atividade financeira do estado


▪ Receitas públicas
- Receitas coativas e receitas voluntárias
- Receitas patrimoniais e receitas creditícias
Apresentação

▪ Direito financeiro, tributário e fiscal


▪ Natureza e fontes do direito fiscal

▪ Impostos – conceitos gerais


▪ Noção e fases do imposto
▪ Tributação direta e tributação indireta
▪ Classificação dos impostos
▪ Finalidades fiscais e extra fiscais dos impostos
▪ Objetivos da tributação
▪ Benefícios fiscais