Você está na página 1de 14

Apostila Barbatuques

Curso de Formação Básica

Barbatuques® 2012 www.barbatuques.com.br


Apostila Barbatuques
Curso de For mação Básica

O que é música corporal?

Se trata de uma música feita a partir de recursos orgânicos tais como palmas, passos, cantos,
assobios e movimentos. Estaé provavelmente a manifestação musical mais antiga criada pelo ser
humano e é intrínseca aos seus códigos corporais e de comunicação.

Ela está presente em diversas culturas ao redor do mundo e frequentemente integrada ao uso
de instrumentos musicais, às danças, às festividades e às diferentes formas de expressão da
linguagem.

Cada idioma ou dialeto privilegia certos sons fonéticos ou onomatopaicos, destacando vogais ou
consoantes que conferem àlíngua falada um sotaque e umasonoridade própria.

Em muitas culturas observa-se a presença de diferentes tipos de assobios, estalos de língua as-
sim como palmas e gestos quegeram comunicação e se incorporam à linguagem da comunidade.

Muito antes disso, importantes contribuições foram dadas na pedagogia de ensino musical por
pensadores e educadores como, por exemplo, Carl Orff Emile
e Jacques Dalcroze que reforçaram
a necessidade da inclusão do corpo e do movimento como fatores fundamentais na percepção do
ritmo e no fazer musical.
O Barbatuques desenvolve uma pesquisa que explora e combina as possibilidades do corpo como
fonte sonora desde os pés, passando pelas pernas, barriga, peito, mãos, bochecha, boca e voz.

Impulsionado pelas manifestações tradicionais brasileiras e dialogando com estéticas de várias


partes do mundo, o Barbatuques oferece um conjunto de técnicas e dinâmicas e as sintetiza em
uma pedagogia própria.

Este curso de formação básica pretende abrir horizontes da música corporal colocando-a como
auxiliadora na integração de diversas areas doconhecimento humano.

Neste momento de retomada do ensino de música nas escolas ca aqui registrada a acessibil-
dade da música corporal que não necessita de nenhum instrumento externo para ser realizada e
é extremamente agregadora e lúdica.

Fernando Barba

criador e diretor artístico do Núcleo Barbatuques

Sons corporais

Barbatuques® 2012 www.barbatuques.com.br


O corpo é uma fonte innita de sons. Abaixo, um mapeamento de-
talhado dos sons corporais (timbres).

-Sons feitos a partir dos pés

-Sons das mãos percutindo nela mesma (palmas e estalos)

-Sons das mãos percutindo no tronco e pernas (peito, barriga, coxa)

palma grave palma estrela

palma estalada
palma costas de mão

palma pingo estalo de dedos

-Sons das mãos percutindo no rosto (lábios, bochecha, poc poc)


peito barriga

coxa

Barbatuques® 2012 www.barbatuques.com.br


lábios bochecha

poc poc detalhe das mãos

-Sons extraídos com os lábios e língua (sem as mãos)

-Sons extraidos a partir da voz: percussão vocal, uso da fonética, efeitos vocais,

vácuo de boca estalo de lábio beijo estalo de língua

-Sons extraídos a partir da voz: percussão vocal, uso da fonética, efeitos vocais,
imitação de instrumentos musicais e de animais com a voz, texturas vocais, etc. Explore
diferentes possibilidades fonéticas:
TUM

TXI
TAKA
TEKE
TOKO
PSS
TSS
KSS
PÁUM
TÓIM
BUM
etc...

Barbatuques® 2012 www.barbatuques.com.br


A Tablatura Corporal

A tablatura corporal é uma representação gráca para indicar uma sequência de sons e movi-
mentos do corpo. Ela deve ser lida da esquerda para a direita, como na escrita musical con-
vencional. Cada caixa indica um tempo do compasso. Os quadrados internos indicam as sub-
divisões desse tempo.
1 2 1 2 3

duas subdivisões três subdivisões

1 2 3 4
123456

quatro subdivisões seis subdivisões

É importante que as mãos esquerda e direita se alternem sempre, independentemente de qual


irá começar. Isso facilita a prática do ritmo em andamentos mais acelerados, além de garantir
a lógica da sequência, principalmente quando tocada repetidas vezes.

A manulação está indicada pelas cores amarela e branca. Cada pessoa costuma eleger natural-
mente uma mão “lider”, ou seja, tem a tendência de começar a tocar os ritmos com a mesma
mão. Aconselhamos que o praticante inicie o ritmo começando do lado que tem mais facilidade.
Posteriormente ele pode inverter essa ordem caso tenha curiosidade.

e - esquerda

d - direita

e d e d
d e d e

A parte do corpo a ser tocada está indicada à esquerda da tablatura com uma bolinha dentro
do respectivo quadrado. Ex:

perna

palma

peito

Barbatuques® 2012 www.barbatuques.com.br


Notação Musical


peito estalo perna barriga
Normal
 
 
Palmas
grave estrela estalada costas pingo
    

lábios bochecha
 Lábios Bochecha

Barbatuques® 2012 www.barbatuques.com.br


Hit Percussivo (CD Tum Pá)
parte A
palmas
pá pá pá pá pá

pés
tum tum tum tum tum tum tum

palmas
pés
tum pá tum tum pá tum tum pá pá tum tum pá

parte B

ta ka ta ka te ke te ke to ko pá ta ka ta ka te ke te ke to tum pxx
3

ta ka ta ka te ke te ke to ko pá ta ta ka ta ka pá pá

perc vocal
palma
perna
barriga
peito
pés
ta ka ta ka te ke te ke to ko pá

perc vocal
palma
perna
barriga
peito
pés
ta ka ta ka te ke te ke to tum pxx
perc vocal
palma
perna
barriga
peito
pés
ta ka ta ka te ke te ke to ko pá
prato vocal
palma
perna
barriga
peito
pés
ta ta ka ta ka pá pá

Barbatuques® 2012 www.barbatuques.com.br


Coordenação Pés / Mãos/ Voz
Exercício 1
1
voz

palmas

pés


2
pá pá pá txi txi txi txi

3
pá pá pá pá txi txi txi txi

1
voz
palmas
pés

2
pá pá pá pá txi txi txi txi
voz
palmas
pés
3
pá pá pá pá txi txi txi txi
voz
palmas
pés

Barbatuques® 2012 www.barbatuques.com.br


Arranjo em naipes

1. Samba

palmas

txi (vocal)

peito estalo

palmas

pá pá pá pá áp pá

txi - vocal ( fraco forte)

TXI txi txi TXI TXI txi txi TXI TXI txi txi TXI TXI txi txi TXI

peito estalo
estalo
palma
peito
tum txi txi tum tum txi txi tum tum txi txi tum tum txi txi tum

2. Baião
palmas

txi (vocal)

palma grave

palmas ( estalada estrela)

pá pó pá pó pá pó pá pó

txi - vocal ( fraco forte)

txi ki TXI ki txi ki TXI ki txi ki TXI ki txi ki TXI ki

palma grave

tum tum tum tum tum tum

Barbatuques® 2012 www.barbatuques.com.br


Ritmos peito estalo palma
Funk Colcheia
estalo
palma
peito

tum txi pá
txi

Funk Semicolcheia
estalo
palma
peito
tum txi txi txi pá txi txi txi

Samba
estalo
palma
peito
tum txi txi tum tum txi txi tum

Samba-Rock
estalo
palma costa

peito
tum txi txi tum pá txi txi tum

Baião
estalo
palma
peito
tum txi txi tum
txi txi tum txi

Coco
estalo
palma costa

peito

tum txi txi tum xit txi pá txi

Barbatuques® 2012 www.barbatuques.com.br


Atividades

Jogo das Flechas


Jogo da echa sem pulso
Todos (inclusive o professor) devem estar em pé formando uma roda.
Uma pessoa bate uma palma em direção a outra pessoa, como se imitasse um
gesto de lançar uma echa, cuidadosamente mirada aos olhos. Aquele que recebe
a echa, repassa para outra pessoa (que pode ser inclusive a mesma pessoa que
enviou para ele). oEste
vai prosseguindo relança a “palma-echa” para outra dentro da roda. Assim
jogo.
Todos devem estar em estado de alerta e prontidão para receber a palma e logo
repassar para outra pessoa. Fazer a mesma coisa só que com o som do pé.
Na próxima etapa, cada pessoa lança dois sons, um com o pé (Tum) e o outro com
a mão (Pá). Ex: Tum Pá (uma pessoa), Tum Pá (outra pessoa), e assim por diante.
Quando a sequência se tornar contínua, é muito comum surgir células rímicas mais
estáveis.

Também podemos inverter. Ex:Pá Tum (uma pessoa), Pá Tum (outra pessoa).

Jogo da Flecha com pulso


- no tempo - no contra-tempo

Barbatuques® 2012 www.barbatuques.com.br


Jogo do Eco
Forma-se uma roda com os participantes. Uma pessoa da roda inicia a prática executando
uma pequena sequencia de sons corporais criada no momento. O grupo escuta a frase e
em seguida a reproduz em uníssono. Seguindo esse princípio e na ordem da roda, cada
participante cria uma nova sequencia de sons para em seguida o grupo repetir a frase
proposta.
Esse processo pode continuar até que se complete uma volta inteira da roda permitindo
a todos
por maisosrodadas
alunos passarem
conforme pela experiência
aescolha de serem
do professor proponentes.
ou do grupo. É possível proseguir
O exercício pode ser feito restringindo-se a priori o universo de sons corporais a ser
utilizado na elaboração das frases (ex: voz, palmas, pés, sons da boca e etc). Pode-
se também pratica-lo sem restrições de timbre, dando aos alunos a liberdade uti-
lizarem os sons corporais que quiserem, valendo-se de recursos rítmicos, melódicos,
fonéticos ou até cênicos.
O exercício pode ser executado a partir de uma métrica pré-estabelecida ou não.

Jogo do Refrão/Improviso
Forma-se uma roda com os participantes. Um determinado ritmo de percussão cor-
poral é proposto pelo professor para ser executado em uníssono por todo o grupo.
Em seguida à execução deste ritmo é acrescida uma pausa ou uma marcação do
pulso com estalos de dedo (ou algum som de boca de baixo volume) que possua a
mesma duração do ritmo proposto. O grupo passa então a executar continuamente
este refrão composto pelo ritmo e pela pausa (ou marcação do pulso).
No momento de cada pausa do ritmo, um aluno por vez e na ordem da roda, deverá
preencher esse espaço com sons corporais, executando um solo musical curto. Esse
processo pode continuar indenidamente ou até se completar uma rodada e todos os
alunos passarem pela experiência de serem solistas.
Como variação pode-se estabelecer que o solo, ao invés de individual, seja executado
por duplas, trios e quartetos (que sejam subsequentes na roda). Posteriormente
pode-se também determinar que o solo seja feito por todos os participantes ao mes-
mo tempo, desde que tenham a intenção de voltarem em sincronia na execução do
refrão.
Pode-se também estabelecer que os solos coletivos sejam restritos a algum grupo
de timbres corporais especíco (palmas, voz, pés, estalos de dedo, assobios ou até
o silêncio).

Barbatuques® 2012 www.barbatuques.com.br


Seqüência Minimal
Forma-se uma roda com os participantes. Uma pessoa previamente escolhida ini-
cia o exercício criando algum um estímulo musical utilizando-se dos recursos cor-
porais que preferir. Após uma experimentação inicial, este aluno segue repetindo
o seu estímulo sonoro e moldando os seus detalhes, tornando esta frase musical
cíclica. A pessoa seguinte da roda escuta este estímulo inicial e baseada nele cria
em seguida uma outra frase musical srcinal, também repetitiva, que se justapõe,
se hamoniza e dialoga com a frase inicial. Nesta dinâmica todos os integrantes da
roda vão pouco a pouco somando novas células, tecendo coletivamente um mo-
saico de sons que se relacionam e se complementam.
É importante que cada participante busque o bem estar físico na execução de seu
som/movimento de modo que ele possa estar livre para adaptar o seu ciclo caso
seja necessário. O uso da pausa e do silêncio dentro da frase musical pode ser útil
para o conforto do participante e também para a possível complementação sonora
por parte dos outros participantes.
Numa primeira versão do exercício após todos haverem ingressado cada inte-
grante da roda vai um a um silenciando-se, na mesma ordem em que iniciou,
até todo o grupo encerrar a prática no silêncio. Como variação pode-se também
estabelecer previamente um regente que após todos os participantes estabiliza-
rem suas células musicais pode através de seus gestos conduzir dinâmicas, como
de intensidade, ou também selecionar pessoas da roda para continuarem a tocar
enquanto outras se silenciam temporariamente.
O exercício pode ser feito determinando-se que os sons corporais podem ser uti-
lizados livremente pelos alunos ou também restringindo as sonoridades a serem
utilizadas por categorias (sons vocais, sons percussivos e etc).

Barbatuques® 2012 www.barbatuques.com.br


Paisagem sonora
Crie histórias com seus alunos usando os sons corporais e efeitos vocais como so-
noplastia. Recomenda-se gravar para audição posterior junto aos alunos. É pos-
sível criar com o corpo ambiente sonoros diversos estimulando o imaginário do
aluno e incentivando-o a pesquisar e reconhecer diferentes timbres. No cd infantil
“Tum Pa” de autoria do grupo Barbatuques existem exemplos destas paisagens
sonoras em faixas tais como:

“Peixinhos do Mar”: Ambientes sonoros naturais (chuva, vento, mar, gotas, etc),
“Escravos de Jó”: Imitação de diferentes animais com a voz e assobios.
“Tanto Tom”: percepção dos sons externos urbanos ou de ambiente familiar
“Repetisom” e “Orquestra Maluca”: Imitação de instrumentos musicais com o
corpo e voz.
“Tum Pá”, “Hit Percussivo” e “Que Som”: exploração de sons corporais e de re-
cursos da fonética.
Para ilustrar o potencial expressivo da técnica aplicada numa performance do
Barbatuques, sugerimos que assistam “Peixinhos do mar” e “Barbapapa’s
Groove” disponíveis no DVD Corpo do Som ao Vivo ou em vídeos na internet.
Discograa Barbatuques:
CDs Corpo do Som (2002), O Seguinte é esse (2005), Tum Pá (2012)
DVD Corpo do Som ao vivo e documentário Indivíduo Corpo Coletivo (2007)

Essa apostila foi elaborada pelo Núcleo Educacional Barbatuques®:


Fernando Barba, André Hosoi, Maurício Maas, João Simão, Charles Raszl,
Stênio Mendes, Giba Alves e Dani Zulu.
concepção geral, textos e revisão de conteúdo: Fernando Barba
textos adicionais: João Simão, Maurício Maas, Charles Raszl e André Hosoi
coordenação educacional, ilustrações e diagramação: André Hosoi
elaboração dos naipes: Giba Alves e Fernando Barba
revisão: Dani Zulu e Maurício Maas
notação Musical criada por Carlos Bauzys
tablatura Corporal criada por André Hosoi
Conra nossos links:
facebook/barbatuques
twitter @barbatuques
youtube nucleobarbatuques

Barbatuques® 2012 www.barbatuques.com.br