Você está na página 1de 4

COMPARAÇÃO

Ela é determinada pela comparação de dois termos ou ideias num enunciado.

 Seus olhos são como luzes brilhantes.

METÁFORA

A metáfora consiste em utilizar uma palavra ou uma expressão em lugar de outra, sem
que haja uma relação real

 Seus olhos são luzes brilhantes.

METONÍMIA

 Gosto de ler Machado de Assis. (= Gosto de ler a obra literária de Machado


de Assis.)
 Fumei um saboroso havana. (= Fumei um saboroso charuto.)

PERSONIFICAÇÃO

Características de ser humano a objetos e animais

 O dia acordou feliz.
 O cachorro sorriu ao ver o dono

ANTÍTESE

Termos com sentidos opostos para destacar uma ideia no discurso

 O ódio e a amor andam de mãos dadas

PARADOXO

Fundamentado na contradição lógica das ideias

 Se você quiser me prender, vai ter que saber me soltar

HIPÉRBOLE

Caracteriza-se pelo exagero proposital

 Faz cinco hora que estou esperando esse ônibus


 Já falei um milhão de vezes que não quero que você faça isso, meu filho!

ELIPSE

Oculta termos da oração

 Comi no restaurante do meu amigo


 “Na sala, apenas quatro ou cinco convidados.” 
IRONIA

Expressões que remetem propositalmente ao oposto 

 “Puxa, que bom que o elevador quebrou! Agora só teremos que subir 12 lances
de escada, são bem poucos.”

EUFEMISMO

Usada para tornar um enunciado mais brando ou agradável e menos agressivo.

 Luara fechou os olhos para sempre. 

ANÁFORA

Ocorre por meio da repetição de termos no começo das frases (ou dos versos)

 "É preciso casar João,


é preciso suportar, Antônio,
é preciso odiar Melquíades
é preciso substituir nós todos.

ALITERAÇÃO

Repetição de sons consonantais

 “Pedro pedreiro penseiro esperando o trem


que já vem, que já vem, que já vem…”

ASSONÂNCIA

Repetição de vogais

 Esta é a dos cabelos louros


e da roupinha encarnada,
que eu via alimentar pombos,
sentadinha numa escada.

PLEONASMO

Reforçar uma ideia, redundante

 Encarar de frente
 Subir pra cima

ONOMATOPEIA

Reprodução escrita de ruídos e sons de animais


 Oinc, oinc,oinc
 Miau
 Au au
 Toc toc

NEOLOGISMO

Uma palavra recém-criada ou uma palavra que já existe na língua, mas que passa a


ter um novo significado. 

 Gato: roubo de energia


 Deletar

HIPÉRBATO

Inversão da ordem natural das orações: sujeito + predicado + complemento

 Está pronta a comida

ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO

 Emissor: é aquele que emite a mensagem para um ou mais receptores, por


exemplo, uma pessoa, um grupo de indivíduos, uma empresa, dentre outros.
 Receptor: é quem recebe a mensagem emitida pelo emissor.
 Mensagem: é o conjunto de informações transmitidas pelo emissor.
 Código: representa o conjunto de signos que serão utilizados na mensagem.
 Canal de Comunicação: corresponde ao local (meio) onde a mensagem será
transmitida, por exemplo, jornal, livro, revista, televisão, telefone, dentre outros.
VARIAÇÃO LINGUISTICA

1. Variação geográfica ou diatópica


Está relacionada com o local em que é desenvolvida, tal como as variações entre o
português do Brasil e de Portugal, chamadas de regionalismo.

2. Variação histórica ou diacrônica


Ela ocorre com o desenvolvimento da história, tal como o português medieval e o
atual.

 PHARMÁCIA - FARMÁCIA

3. Variação social ou diastrática


É percebida segundo os grupos (ou classes) sociais envolvidos, tal como uma
conversa entre um orador jurídico e um morador de rua.

4. Variação situacional ou diafásica


Ocorre de acordo com o contexto, por exemplo, situações formais e informais. As
gírias são expressões populares utilizadas por determinado grupo social.

TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO

 Texto literário: é aprestado em uma linguagem pessoal, envolta em emoção,


emprego de lirismo e valores do autor ou do ser (ou objeto) retratado.

 Texto não-literário tem como marca a linguagem referencial (informativo)

Você também pode gostar