Você está na página 1de 20

ENDOMETRIOSE

E INFERTILIDADE
DEFINIÇÃO
Endometriose é definida como a presença de
glândulas endometriais e estroma fora da
cavidade uterina, caracterizado por
dependência estrogênica e inflamação.
EPIDEMIOLOGIA

10% das
mulheres no
menacme
66% -> início dos 2 a 5 % após
sintomas antes a menopausa
dos 20 anos
FATORES DE RISCO
PATOGÊNESE

01 02
MENSTRUAÇÃO FATORES
RETRÓGADA IMUNOLÓGICOS E
INFLAMATÓRIOS

03 04
METAPLASIA GENES
CELÔMICA
INFERTILIDADE

INFERTILIDADE 25 A CAUSAS:
50% ↔ 30 A 50%
• Distorção da anatomia pélvica;
ENDOMETRIOSE
• Função peritoneal alterada;
• Alterações imunológicas;
• Anormalidades endócrinas e
ovulatórias;
• Implantação embrionária alterada.
DIAGNÓSTICO

ANAMNESE EXAME FÍSICO IMAGEM CIRÚRGICO


* Não há • Abdominal • USG-TV Videolaparoscopia
correlação entre • Ginecológico • USG-ER *padrão-ouro
sintomas e as • RNM
lesões
QUADRO CLÍNICO

Diarreia ou
Dismenoreia obstipação

Disúria e
infertilidade
hematúria
Dispareunia
de Disquezia e
profundidade hematoquezia

Dor pélvica
crônica
EXAME FÍSICO

1 ABDOMINAL
Identificação de lesões na região inguinal
e nas cicatrizes

2 TOQUE VAGINAL
lesões profundas e de fundo de saco posterior;
nódulos endurecidos e dolorosos em FSP

3 ESPECULAR
lesões nodulares em fundo de saco vaginal,
de coloração azulada
EXAMES DE IMAGEM

1 Endometriose superficial Peritoneal e ovariana


Baixa acurácia

2
Endometrioma
cistos com ecos internos de baixa intensidade,
difusos e focos hiperecogênicos na parede do
cisto

3 Endometriose profunda infiltrativa


Planejamento cirúrgico em pacientes com lesões intestinais
CLASSIFICAÇÃO

ENDOMETRIOSE ENDOMETRIOSE ENDOMETRIOMA ENDOMETRIOSE


PERITONIAL EXTRAPÉLVICA INFILTRATIVA
SUPERFICIAL PROFUNDA
>5mm
ASRM
TRATAMENTO

SE DOR OU
INFERTILIDADE

CIRURGICO HORMONAL
LAPAROTOMIA OU ACO; DANAZOL;GNRH;
LAPAROSCOPIA DIU; Progestágenos
Acetato de gosserrelina dose 3,6 mg IM (mensal) ou 10,8 mg IM
(trimestral), não devendo ser usado por mais de 6 meses em virtude da
perda de massa óssea;

Dienogeste 1 comprimido VO de 24/24 horas; uso contínuo;

Etonogestrel + etinilestradiol (anel vaginal) inserir um anel via


vaginal e trocar a cada 21 dias, uso contínuo;

Levonorgestrel (DIU) trocar a cada 5 anos;

Norelgestromina + etinilestradiol (adesivo transdérmico)


trocar adesivo a cada 7 dias; uso contínuo;

Etonogestrel (implante transdérmico) trocar a cada 3 anos;


.
Progesterona exclusiva: 1 comprimido de 24/24 horas, uso
contínuo.
Opções:
Drospirenona 4 mg;
Didrogesterona 10 mg;
Desogestrel 75 microgramas;

Anticoncepcional Oral Combinado (ACO): 1 comprimido de


24/24 horas; uso contínuo.
Opções:
Drospirenona 3 mg + etinilestradiol 0,02 mg;
Desogestrel 0,15 mg + etinilestradiol 0,03 mg desprezando os 7 comprimidos placebo;
Drospirenona 3 mg + etinilestradiol 0,03 mg;
Levonorgestrel 0,15 mg + etinilestradiol 0,03 mg desprezando os 7 comprimidos placebo;
Ciproterona 2 mg + etinilestradiol 0,035 mg
CIRÚRGICO
Endometriose peritoneal superficial
• inférteis com endometriose estádio
I e II
Endometrioma ovariano
• ablação ou de exérese da cápsula
• > 4 cm
Endometriose retrocervical, ligamento
útero-sacro, vaginal e de septo
Retovaginal

Endometriose intestinal
• assintomáticas podem ser
acompanhadas clinicamente
Endometriose vesical
REFERÊNCIAS
PODGAEC, Sérgio et al. Manual de endometriose. São Paulo: Federação Brasileira das
Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), 2014.

PODGAEC, Sérgio et al. Protocolo FEBRASGO - Ginecologia nº 32 / Comissão Nacional


Especializada em Endometriose. São Paulo: Federação Brasileira das Associações de
Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), 2018.

Manual de Ginecologia da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia de Brasília (2017)

Whitebook
MUITO
OBRIGADA!!