Você está na página 1de 4

Operações-alvo:

alvo: Borboleta simétrica


31.01.2010 - Opções, Borboleta Simétrica,
Simétrica Trava de Alta, Trava de Baixa
A borboleta simétrica é uma operação-alvo.
operação Uma operação-alvo
alvo leva esse nome, pois o que define se ela
será vencedora ou perdedora é justamente acertar o alvo pré-definido,
pré definido, que nada mais é que uma faixa de
preço onde a cotação do ativo subjacente precisa permanecer para que a operação gere lucro.
Obviamente, comm a cotação do ativo for dessa faixa, a operação será perdedora.

Operações-alvo
alvo possuem baixo risco e bom retorno. O risco é definido no momento da montagem, o que
faz com que a borboleta simétrica, mesmo sendo uma operação alavancada, possua características
característi
interessantes para o pequeno investidor, pois se montada arriscando-se
arriscando se apenas aquilo que pode perder
sem se abalar, oferece ótimas taxas de retorno.

A montagem na prática
É muito importante entender perfeitamente o funcionamento das travas antes de montar
montar essa operação,
pois ela é a junção de uma trava de alta com uma trava de baixa.. Partindo desse princípio, a montagem
se torna mais simples, pois a soma de ambas as travas gera uma borboleta simétrica, como podemos
notar a seguir:

+1.000 VALEG28
-2.000 VALEG30
+1.000 VALEG32

Se separarmos a operação em partes, é possível


possí observar que a junção de -1.000
1.000 VALEG30 com +1.000
VALEG28 forma uma trava de alta, e a junção de -1.000
1.000 VALEG30 com +1.000 VALEG32 forma uma trava
de baixa.

A proporção de uma borboleta simétrica será sempre essa, ou seja, a quantidade vendida no “miolo”
“mi será
sempre o dobro da quantidade comprada nas pontas. Assim:

Compra 1X
Venda 2X
Compra 1X

Inserindo valores reais


Vamos inserir valores reais de mercado para entender melhor como é o funcionamento de uma borboleta
simétrica. Suponha os seguintes valores abaixo para as opções e suas respectivas quantidades:

+1.000 VALEG28 custando R$2,30 = 1.000 x R$2,30 = R$2.300


-2.000
2.000 VALEG30 custando R$1,00 = -2.000 x R$2,00 = -R$2.000
+1.000 VALEG32 custando R$0,30 = 1.000 x R$0,30 = R$300

Gastamos R$2.300 para


ara comprar as VALEG28, recebemos R$2.000 pela venda das VALEG30 e gastamos
outros R$300 para comprar as VALEG32. Logo, nosso custo de montagem foi de R$600 (spread).
(

Mais uma vez, repare


epare como a borboleta é a soma de duas travas. Com esses valores, a trava de alta
+G28/-G30
G30 custaria R$1,30 e a trava de baixa -G30/+G32
G30/+G32 seria montada no crédito de R$0,70. Ao somar
os dois valores (R$1,30 – R$0,70) chegamos ao mesmo valor unitário de R$0,60.
R$0

Esses valores são importantes, pois representam dois pontos fundamentais da operação. São eles:

Risco máximo = custo total da montagem = R$600


Lucro máximo = diferença entre os strikes da primeira comprada com a primeira vendida, menos o
custo = R$1.400 (2.000 – 600).

A tabela a seguir mostra os resultados possíveis da operação, com base nos valores apresentados
anteriormente:
Repare que com os preços do ativo subjacente abaixo de R$28 e acima de R$32 na data de exercício a
operação oferece o risco máximo, que é justamente o valor que foi pago pela montagem. Aconteça o que
acontecer, o risco máximo será sempre limitado. Veja como ficaria o gráfico dessa operação:

Observe que o gráfico da operação apresenta pontas simétricas, na mesma altura, e que em algum
momento do passado foram motivos para que alguém apelidasse a operação de borboleta simétrica, com
“asas” simétricas.

Como é possível notar, o alvo da operação é delimitado pelo triângulo que se forma acima da linha do
zero, ou seja, a operação apresenta lucro somente dentro dessa zona. Essa “área limite” está entre
R$28,60 e R$31,40. Esse intervalo nos revela outro ponto importante da operação, que é sua faixa de
ganho, mais conhecida como “miolo da operação”. Eis seu cálculo:

Faixa de ganho (miolo) = entre opção comprada de menor strike mais o custo e opção comprada de
maior strike menos o custo.
Faixa de ganho (miolo) = entre R$28,60 (R$28 + 0,60) e R$31,40 (R$32 – 0,60).

Acima de R$28,60 começamos a obter lucro e acima de R$31,40 começamos a obter prejuízo. A faixa de
ganho fica entre esses dois valores. O lucro máximo será com o valor do ativo subjacente em R$30, que é
o “pico” da borboleta.

Assim como nas travas, a dica é monitorar o spread. No exemplo, se o spread pago pela operação teve o
custo unitário de R$0,60, para obter lucro é preciso que a operação esteja valendo mais que esse valor
até a data de vencimento.

Vantagens da borboleta simétrica


Diferentemente de uma trava de alta, onde se vende uma opção de strike superior para financiar parte da
compra de uma de strike inferior, na borboleta simétrica, que também é uma operação comprada, vende-
se uma trava de baixa para financiar parte da montagem de uma trava de alta.

Essa característica torna a borboleta uma operação alavancada, que, caso o alvo seja atingido,
proporciona um ganho elevado em relação ao valor que foi pago para sua montagem. Além disso, é uma
operação de risco controlado, que é limitado ao valor que foi pago na montagem.

Reunindo suas vantagens, temos uma operação alavancada, que possibilita ganhos elevados em relação a
seu risco máximo, e que também oferece ótima oportunidade para o investidor que procura ganhos em
mercados laterais e de baixa volatilidade, caso o alvo seja atingido.

O cálculo da taxa
Assim como em outras operações, o cálculo da taxa da borboleta simétrica é bastante simples, basta
dividir o lucro máximo pelo risco máximo.

Taxa = 1400/600 = 233%

É importante sempre avaliar a relação risco x retorno, ou seja, o que se está arriscando em relação àquilo
que se pode ganhar para decidir se vale ou não a pena montar a operação.

Tempo de montagem e encerramento da operação


Como a borboleta simétrica é uma operação lenta, que ganha com o decaimento do VE, é aconselhável
que seja carregada até próximo do vencimento, se não for direcional.

Para entender o que é uma borboleta direcional, suponha que a borboleta do exemplo anterior tenha sido
montada com a ação subjacente custando R$30. Nessas condições, é considerada uma borboleta ATM,
pois seu miolo está na 30 (strike R$30). Veja dois exemplos de borboletas ITM e OTM, ainda supondo o
preço da ação em R$30:

ITM
+1.000 VALEG26
-2.000 VALEG28 (miolo ITM)
+1.000 VALEG30

OTM
+1.000 VALEG30
-2.000 VALEG32 (miolo OTM)
+1.000 VALEG34

É sempre o miolo que define se uma borboleta é ITM, ATM ou OTM.

A montagem de borboletas ATM é para mercados laterais, de baixa volatilidade. É o tipo de borboleta mais
comum, pois assume características de operação de taxa. É também o tipo de borboleta mais cara, por
apresentar maiores chances de obter lucro, levando em consideração o momento de sua montagem.
Uma borboleta ITM assume característica direcional, pois precisa necessariamente de queda para sair
vencedora. Por isso é mais barata que as ATM.

Já uma borboleta OTM também assume característica direcional por precisar necessariamente de alta para
gerar lucro. Por isso também é mais barata que as ATM.

Outro fato relevante das borboletas é que no começo da série costumam ser mais baratas, pois acertar o
alvo é menos provável, afinal, ainda faltam muitos dias para o vencimento e muita coisa pode acontecer
com o ativo nesse intervalo de tempo. Quanto mais o final da série se aproxima, mais caras as borboletas
vão ficando, pois a probabilidade de acertar o alvo também vai se tornando maior.

Por ser uma operação alavancada, lenta e de baixo custo, não compensa ser stopada. É preferível operar
com um valor que se pode perder e esperar até próximo ao vencimento. Encerrá-la só faz sentido se o
mercado mudar drasticamente num curto espaço de tempo, destruindo todos os motivos que o fizeram
montar a operação. Bons negócios!